Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Augusto

Volta completa de Ilha Grande/RJ -Uma caminhada inesquecível

Posts Recomendados

Fala Rapha, blz?

 

Acho que caminhar sozinho em qqer trilha exige precauçoes a mais, contudo na época de verao vc sempre encontra outras pessoas pela trilha.

No trecho que vc comenta, sempre passava pela gente alguns mochileiros no sentido inverso ou na mesma direçao.

 

Nao sei se é um problema, mas naquele trecho da Praia do Sul e do Leste, dizem que tem um jacaré que de vez em quando chega próximo ao local onde atravessamos o manguezal.

Mas agora com a fiscalizaçao mais rigida, acho que o IF nem deixa cruzar o Costão do Demo.

Só de barco agora.

 

Quem esteve lá no último verão e estiver lendo essa postagem, pode dizer como tá a fiscalizaçao agora.

O que eu sei é que colocaram um posto de fiscalizaçao lá no Saco do Céu, com a finalidade de barrar os mochileiros com cargueiras.

 

 

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Semana que vem estarei por lá =D

Como ficarei só 5 dias - e um está com previsão de muita chuva - acredito que não vou poder dar a volta na Ilha. Mas com certeza farei algumas dessas trilhas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Presta atenciòn si vas a Parnaioca, de allì no se puede salir con lluvia, ficamos varadas 6 dìas, el mangue creciò y la trilha con problemas xque al caer parte se convirtiò en cachoeira al llover. Es la ùnica parte realmente aislada. El resto aùn con lluvia da xra atravesar sin problema, Aventureiro si hay temporal los barcos no salen, pero siempre puedes caminar a Aracatiba, que tiene conexiòn siempre al continente. (5 o 6 horas duras) Ahora con lluvia, no hay nada xra hacer, salvo caminar!!!!! El tema de la isla con lluvia es el tema del barro que hace que todo resbale!!!!! Lama+lluvia= no es fàcil en Montaña!!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto, muito obrigado por todas essas informacões, seguido eu faco algumas trilhas a partir de relatos teus, e queria te agradecer...

 

Essa está na minha lista de cosias para fazer ainda!

 

Um grande abraco,

Diego

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Augusto,

 

como assim um posto no saco do céu? eles vão barrar as cargueiras que estão indo pra onde?

não vejo muito sentido, pois o saco é uma passagem obrigatória para quem esta voltando pro Abraão , ou pra que está indo pro Bananal/ Araçatiba ....

 

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

los fiscales aparecen y pesquisan bastante en los feriados, con certeza.

Saco? q extraño que impidan el pasaje x allì!!!

Ahora en caso extremo siempre es posible obtener barco, es sòlo hablar con los moradores y en la isla siempre aparece un amigo solidario!!!!!!

Mi amiga y yo nos perdimos en una trilha y acabamos en Ponta Grosa, y como el lema es retroceder jamas, pedimos carona desde un caix a un barco q pasaba, encostò y nos llevò a

Longa, desde donde retomamos la trilha, fue super divertido.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rapha e Perla.

 

Esse posto de controle, que está localizado no Saco do Céu, fiquei sabendo através de uma pessoa que tentou fazer a volta da ilha em um feriado de fim de ano.

Nao deixaram ele acampar nesse lugar e nem seguir a caminhada, dizendo que nao tinha outro camping até a Praia de Araçatiba. Na verdade o que dá para fazer é acampar nos quintais de moradores. Alguns sao bem solícitos e nem cobram por isso.

Isso para quem estava indo de cargueira.

 

Na verdade em todo o Saco do Céu é proibido o camping. O que muita gente fazia era acampar as escondidas, mas parece que isso tá com os dias contados também. Mas só na alta temporada.

Lá no Aventureiro o pessoal do IF já faz isso a um bom tempo.

 

Por isso muito cuidado ao fazer a volta da ilha em feriados da alta temporada.

As chances de ser barrado em alguma praia sao muito grandes se vc estiver com uma enorme cargueira.

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite galera to querendo partir pra ilha agora e dar a volta completa , pretendo chegar lá até no máximo 15 de agosto , não pretendo acampar e sim ficar em pousadas , eu aceito sugestões também se alguém quiser partir nessa trip seja bem vindo vlw .

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Todos dan la vuelta a la isla en sentido Abrao-Lagoa Azul.

Yo personalmente siempre camino en sentido inverso:

Abrao-Dos Rìos-Parnaioca es posible en 1 dìa, en Parnaioca siempre nos alojamos en lo de Janette, pero Silvio es un amor de persona.

....... ......,

Aventureiro para adelante ya no hay problema para avanzar, en Aventureiro nos alojamos en el camping de LUIS (excelente onda),

existe camping en Provetà, Aracatiba (en Aracatiba hay cuartos baratos tambièn) en Provetà hay supermercado y paderìa,

en Longa alugan cuartos, y doña Teresa prepara almuerzos.

en Matariz (nosotras nos alojamos en casa de doña Marìa), pero en Bananal hay muchas posadas (no son baratas),

en el tramo de Saco, nos alojamos en la posada Gata Rossa, pero en nuestra barraca en la baranda, negociamos el precio.

en Abrao siempre nos alojamos en la Pousada do Holandès: mejor precio calidad de la isla,

en Palmas siempre vamos al camping Paraiso de Macedo.

Si te interesa llegar a Castellanos este es un buen punto de partida, y tambièn allì se aloja Joao Pontes (guìa) que nos llevò x el dìa a Santo Antonio (esa trilha no es de las màs interesantes), pero conoce la isla y vale la experiencia.

Barcos: tambièn hay barcos de línea a Aracatiba, que tambièn es buen punto para comenzar y terminar. (parten desde Aracatiba al continente a las 7:00).

Toma cuidado con el tiempo: Parnaica con mal tiempo: imposible salir (la trilha y el mangue no dan paso).

Josè Bernardo escribiò el libro Trilhas da Isla Grande, allì tienes toda la informaciòn.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendi...

 

Na verdade acho interessante não acampar no saco do céu... pois realmente o lugar não é dos melhores pra dormir... Qd eu fiz dormi em matariz, que é uma praia com antiga e desativada fabrica de sardinhas, tem uma mercearia legal com bons mantimentos, dormi na casa do sr José, que tem uma estrutura simples mas adequada, com uma varanda e uma banheiro com água quente, tenho o way point se alguém precisar ( S23 07.056 W44 15.553) .... Além do mais foram 20 km desde o Abraão, e eu estava a fim de dar uns mergulhos, por isso parei de caminhar umas 16:00, daí no segundo dia fui dormir em Provetá,

Acho que se for fazer novamente apenas direi que vou dormir em alguma pousada dentre as tantas existentes até Araçatiba,

 

abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Guia Claudia Lucia
      Beleza pessoal? Passando só para deixar contatos. Somos um grupo de trilhas no RJ, sempre haverá companhia para trilhar. Quando passar pelo RJ da uma olhadinha na nossa agenda, trilhas de segunda a segunda por R$25.
      AGENDA em nossas redes sociais
      No rodapé do site: partiunatureza.com
      Na aba eventos do Facebook:
      https://facebook.com/partiunatureza
      Nos destaques do Instagram:
      https://Instagram.com/trilhaspartiunatureza
       

    • Por isaribeiro
      Olá Mochileiros!
      Hoje vim relatar um pouco sobre minha viagem para Ilha Grande, que fica na cidade de Angra dos Reis, no Rio! Angra pra mim sempre foi sinônimo de luxo e riqueza e depois de trabalhar o ano todo, decidi separar um pouco mais de dinheiro e conhecer essa ilha. Como essa viagem aconteceu em agosto e minha memória não está tão fresca para preços exatos, vou tentar ao máximo resumir a experiência e dar dicas de como economizar e aproveitar esse paraíso.

                     
      RESUMÃO
      A ILHA – impressões, como chegar, onde ficar, onde comer, o que fazer e passeios.
       • Impressões e como chegar
      Bem, como o nome diz, Ilha Grande é uma ilha e nela só se chega por barco. Há diversas opções, mas decidimos contratar um serviço de transfer ida e volta que nos pegaria no Aeroporto do Galeão e nos deixaria em nosso hotel no Rio na volta. O valor do serviço incluindo transfer terrestre e marítimo com lancha rápida ida e volta custou R$210 reais por pessoa, com a empresa Transfer Ilha Grande que recomendo demais, o serviço foi muito bem prestado.
      Opções mais baratas para chegar na Ilha vindo do Rio é pegar carona/um ônibus na rodoviária até a cidade de Conceição de Jacareí e de lá comprar o ticket de barca para Abraão por 35,00.
      Em ilha grande existem 3 cidades para hospedagem: Abraão, Palmas, Araçatiba e Aventureiro (sendo que esse ultimo só se chega de barco saindo de Angra dos reis). Nossa escolha foi Abraão por ser a maior e principal. Logo no desembarque já sabíamos que a viagem valeria a pena, o lugar é paradisíaco. Não tenho palavras para descrever a beleza do lugar, uma vila simples, pequena, onde o comércio fecha de 13:00 – 17:00, rodeado por uma mata atlântica viva. O dress code é chinelo ou pé no chão, mas não esqueça de incluir um casaco e tênis na sua mochila.
       
      • Onde ficar
      Sobre as hospedagens em Abrãao... Precisa ser levado em consideração que a Ilha é um lugar bem simples, originalmente era uma vila de pescadores e tudo precisa chegar de barco. É uma logística meio complicada que também influencia na inflação dos preços. Estivemos na Ilha em agosto, baixa temporada para o Brasil, mas férias na Europa e consequentemente os valores não estavam tão baratos, pois a Ilha lota de Europeus nesse mês, fomos descobrir isso por lá. Estávamos em casal, não queríamos ficar em camping, nem quarto compartilhado, o ideal era uma pousada com cama confortável e chuveiro quente. As diárias variam muito, escolhemos a pousada Horizonte dos Borbas pelo custo benefício e ótima localização. Foram 6 diárias e o valor total ficou em R$ 877,50 com café da manhã incluso. Recomendo esse lugar, foi um bom achado. Opção mais barata para Ilha Grande é camping e hostel. Recomendo bastante o Che Lagarto. DICA MOCHILEIRA: acampar em Ilha Grande é um prato cheio. Caso decida por essa opção, não deixe de acampar em Parnaioca ou Aventureiro.  
       
      • Onde comer
      Comer em Ilha Grande é absurdamente caro. Não tem meio termo, ou você cozinha no hostel/camping ou gasta, no mínimo, 40 reais em um prato. Até no mercado as coisas são muito caras, e olha que sou de Brasília onde preços altos normalmente não assustam, o que me deixou meio indignada. Uma água de 5 litros custa 10,00. Se você for ficar hospedado em pousada/hotel, recomendo separar pelo menos 100 reais por dia para alimentação entre almoço e janta, contando que sua hospedagem tem café da manhã. Sim, não é exagero.
      O preço é caro, mas a comida é boa. Recomendo os seguintes lugares:
      - Café do Mar Bar e Restaurante
      - Lonier Garoupas
      - Pizzaria Fornilha
      - Ateliê Cafeteria
      - Creperia Tropicana
       
      • Passeios e o que fazer
      A Ilha é dividida entre trilhas que levam até algumas praias e passeios que você faz apenas com barco. As trilhas são perfeitamente demarcadas, não sendo necessário guia apenas disposição. Contratamos todos os passeios com a empresa LIG – Lanchas Ilha Grande. Os passeios saem diariamente de Abraão, não compramos nada com antecedência, porém alguns passeios são determinados pela maré, então recomendo ir atrás dos passeios logo na chegada para garantir. Fizemos os seguintes passeios em nossa estadia por lá:
      - Ilhas Paradisíacas (R$ 90,00)
      - Volta a Ilha (R$110,00)
      - Meia Volta (R$80,00)
      - Lopes Mendes (independente)
      - Trilha até praia de Abraãozinho (independente)
       
      Vou detalhar cada passeio a seguir:
       
    • Por Davi BT Santos
      https://chat.whatsapp.com/Ks6BieKQLhb2hNOoMsfmLu Estamos com um grupo no wpp, a principio será dia 13,14 e 15 de Março!
    • Por nnaomi
      Fiz um apanhado de dicas e descrições das trilhas de Ilha Grande. Em 2008, percorri as trilhas que partem da Vila de Abraão, onde fiquei hospedada. Em 2015, voltei à ilha e percorri as trilhas que partem de Araçatiba e Bananal, ficando hospedadas nessas duas localidades. Todas as trilhas foram feitas no esquema bate e volta no mesmo dia.
      Há 16 trilhas mapeadas pela TurisANGRA com diferentes graus de dificuldade, mas geralmente dispensam o uso de equipamentos mais específicos e cada trilha tem duração de caminhada inferior a 1 dia. A maioria das trilhas está demarcada e passa por limpeza e manutenção, mas o mesmo não ocorre com a sinalização que é antiga e está apagada/avariada ou ausente em vários trechos. Algumas trilhas possuem bifurcações e/ou não estão demarcadas pela falta de uso, dificultando o seu percorrimento. Também há outras trilhas, não mapeadas pela TurisANGRA, que são usadas pelos moradores. Caso queira percorrer uma delas, informe-se nas vilas se as trilhas estão abertas e demarcadas.
      É bastante comum o Roteiro Volta da Ilha que faz o contorno completo da ilha, emendando uma trilha na outra e pernoitando em pousadas ou campings. Salienta-se que é necessário pegar um barco de Aventureiro a Parnaioca, pois é proibido entrar na Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul que é fiscalizada pelo INEA. Porém há relatos de quem passou por esse trecho.
      Basicamente, a área da ilha está inserida em três Unidades de Conservação (UC) administradas pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA) que regulamenta as normas de visitação a essas UC.
      O Parque Estadual da Ilha Grande (PEIG) integra a Área de Proteção Ambiental de Tamoios e foi reconhecida pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.
      Sede: Av. Nacib Monteiro de Queiroz, s/n, Vila do Abraão, 3361-5540. Administrativo: seg-sex de 8-17h. Visitação: ter-dom de 8-17h
      Fonte: site do INEA
      A Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul é uma UC de Proteção Integral com sede na Vila do Aventureiro e são permitidas apenas visitas de cunho educacional e para a realização de pesquisas científicas, mediante prévia autorização.
      Fonte: site do INEA
      A Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro (RDS) é uma UC de Uso Sustentável. Fazia parte da Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul, que é uma UC de Proteção Integral, mas foi desmembrada e recategorizada. A nova classificação da área foi feita para conciliar a preservação dos ecossistemas locais com a cultura caiçara, valorizando os modos de vida tradicionais, assim como as práticas em bases sustentáveis desenvolvidas pela população tradicional beneficiária da unidade, incluindo a pesca de caráter artesanal, sob controle e gestão compartilhados entre o INEA e moradores da RDS do Aventureiro.
      Dicas:
      • Para as trilhas, é recomendado o acompanhamento de um guia ou alguém que conheça bem a região
      • Antes de iniciar uma trilha pegue informações no Centro de Informações Turísticas e/ou com algum morador que conheça o local e que, de preferência, tenha passado pela trilha recentemente. Condições da trilha podem mudar de um dia para outro
      • Há algumas dicas para fazer as trilhas no site http://ilhagrande.org/trilhas-da-ilha-grande
      • Informe-se previamente sobre as condições da trilha. Na maioria dos trechos, as trilhas não são caminhadas à beira da praia, e sim seguem dentro de mata fechada cortando morros, por isso costuma ter subidas e descidas, algumas bastante acentuadas. Outra consideração importante é que, embora as trilhas estejam, geralmente, limpas e bem demarcadas, a sinalização está deteriorada em vários pontos, onde sobrou apenas a placa, mas os dizeres estão apagados. Também há bifurcações não sinalizadas, embora sejam mais comuns nas proximidades das vilas
      • Consultando as anotações que peguei na internet e seguindo a intuição, procurei transitar pela trilha principal, a mais aberta e mais limpa, evitando os caminhos que pareciam levar às residências. Algumas bifurcações (do tipo Y de ponta cabeça) passam despercebidas na ida e nos confundem na volta, mas com um pouco de bom senso, sentido de orientação e ajuda dos moradores, que são muito prestativos, descobrimos o caminho certo. No meio da trilha a orientação geral é seguir a trilha mais aberta e acompanhar os postes de fiação de energia elétrica, pois estes vão dar sempre em algum local povoado
      • O inverno é uma ótima época para caminhar, pois a probabilidade de chuva é menor e as temperaturas são mais amenas, mas pode ser frio para entrar na água que fica bem gelada nessa época
      • Não faça trilha descalço, nem de chinelo; um calçado apropriado é essencial, pois não é caminhada na areia da praia na maioria dos trechos. Algumas partes da trilha têm inclinação acentuada e terreno acidentado com raízes, pedras e/ou terra batida, que devem ser escorregadias na época de chuva. Acredito que depois de uma chuva, deve demorar para secar, pois há várias partes de mata fechada, onde não bate sol.
      • Comece a trilha cedo, para ter tempo de folga para um imprevisto. Nesse ponto, ajuda quando a pousada começa a servir o café da manhã cedo. Em julho, lá pelas 5h já está escuro nas trilhas, pois a maior parte segue dentro de mata fechada. Complica por causa das raízes, pedras e obstáculos do meio do caminho. É bom se programar para voltar antes disso, mas de qualquer forma previna-se com uma lanterna
      • Leve água e lanche, mesmo que tenha fontes de água e comércio no destino, pois as fontes podem estar secas ou contaminadas e o comércio pode estar fechado ou desabastecido
      • Para não ficar repetitivo, registro aqui uma informação mais "técnica" da trilha. Descrições mais detalhadas do percurso encontram-se nos respectivos relatos
      • Lado direito ou lado esquerdo da praia? A indicação dada, considera que você está olhando o mar
      • Mapas, fotos e informações detalhadas de algumas trilhas: br.ilhagrande.com
      • Mapas e algumas informações da trilha: ilhagrande.com.br
      ****************************************
      Nanci Naomi
      http://nancinaomi.000webhostapp.com/
      Trilhas:
      Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté
      Relatos:
      15 dias em SC: - fev/2018 - Parte 1: Vale Europeu | Parte 2: Penha
      Paraty e Ilha Grande - jul/2015 - Parte 1: Paraty | Parte 2: Araçatiba e Bananal | Parte 3: Resumão das trilhas
      3 dias em Monte Verde - dez/2014
      21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro
      11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo
      21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi
      21 dias em SC - jul/2012 - Parte 1: Floripa | Parte 2: Garopaba | Parte 3: Urubici | Parte 4: Balneário Camboriú
      8 dias em Foz do Iguaçu e vizinhanças - fev/2012 - Parte 1: Foz do Iguaçu | Parte 2: Puerto Iguazu | Parte 3: Ciudad del Est
      25 dias desbravando Maranhão e Piauí - jul/2011 - Parte 1: São Luis | Parte 2: Lençóis Maranhenses | Parte 3: Delta do Parnaíba | Parte 4: Sete Cidades | Parte 5: Serra da Capivara | Parte 6: Teresina
      Um final de semana prolongado em Caldas e Poços de Caldas - jul/2010
      Itatiaia - Um fds em Penedo e parte baixa do PNI - nov/2009
      Um fds prolongado em Trindade e Praia do Sono - out/2009
      19 dias no Ceará e Rio Grande do Norte - jan/2009 - Parte 1: Introdução | Parte 2: Fortaleza | Parte 3: Jericoacoara | Parte 4: Canoa Quebrada | Parte 5: Natal
      10 dias nas trilhas de Ilha Grande e passeios em Angra dos Reis - jul/2008
      De molho em Caldas Novas - jan-2008 | Curtindo a tranquilidade mineira de Araxá – jan/2008
      Mochilão solo: Curitiba e cidades vizinhas - jul/2007
      Algumas Cidades Históricas de MG - jan/2007 - Parte 1: Ouro Preto | Parte 2: Tiradentes
      9 dias nas Serras Gaúchas - set/2005 - Parte 1: Gramado | Parte 2: Canela | Parte 3: Nova Petrópolis | Parte 4: Cambará do Sul


×
×
  • Criar Novo...