Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo

Posts Recomendados

[info]O objetivo deste tópico é trocar informações e reunir depoimentos e dicas sobre a cidade de Puerto Iguazú, o lado argentino das Cataratas de Iguaçú. Se você está com alguma dúvida em relação à região, coloque-a aqui que sempre um mochileiro de plantão irá ajudar. Se já conhece Puerto Iguazú, conte para nós como foi sua experiência, seja ela negativa ou positiva, deixando dicas e demais informações para mochileiros perdidos. Para isso basta clicar no Botão Responder![/info]

 

 

[linkbox]Foz do Iguaçú - Guia de Informações

Escreva seu Relato sobre Puerto Iguazú

Procurando companhia para viajar para Puerto Iguazú? Crie seu Tópico aqui!

Puerto Iguazú - Tópico de Perguntas e Respostas

 

Relatos sobre as Cataratas do Iguaçú:

Relato sobre viagem às Cataratas do Iguaçú pelo mochileiro Mauro Curitiba[/linkbox]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

RELATO MEMBRO: WONKA

 

Argentina

 

A entrada de brasileiros é livre na Argentina, mas ao contrário do Paraguai, é controlada. Você precisa levar o RG para poder entrar.

nos links abaixo esta as informaões na integra.

http://www.jusbrasil.com.br/diarios/155 ... 2009-pg-61

http://www.jusbrasil.com.br/diarios/155 ... 2009-pg-62

 

resumindo caso alguem nao consiga abri-lo:

O acordo firmado em 19/11/2009 no Diario Oficial da Uniao estabelece que :

 

A CNH é valida para todos os Brasileiros;

A CNH é valida APENAS por 72 horas;

A CNH é APENAS para quem cruza a ponte Tancredo Neves que liga a cidade de Foz do Iguaçu-BR e Puerto Iguassu-AR; NÃO vale para outra fronteira.

A CNH é valida APENAS para o “Corredor Turistico Iguaçu” isto é, apenas para a região de Foz do Iguaçu e Puerto Iguassu; NÃO vale para que passa pela região e adentre para o interior da Argentina;

 

O BR e a AR poderão exigir outro documento de identificação em caso de eventuais duvidas;

Portanto caso resolva fazer turismo na Argentina por qualquer fronteira a melhor opção é o RG e o passaporte.

 

 

Depois de atravessar a ponte, você vê algo que parece um pedágio a frente, na verdade é o controle de imigração argentino. O ônibus(R$ 2) para neste local e todos tem que descer e entrar numa sala. Lá uns argentinos de frente para um PC pegam seu RG, perguntam para onde você vai e registram sua entrada no país. Logo em seguida eles te dão um papelzinho que te autoriza a ficar num raio de 50km de Puerto Iguazú durante 72 horas. Você sai pelo outro lado da sala e entra no ônibus que estará te esperando logo a frente.

 

ar16yj.jpg

 

Puerto Iguazú é uma cidade bonitinha e bastante pacata. Lá você vê alguns carros antigos mas não velhos como no Paraguai. O povo lá não tem cara de indio que nem os paraguaios, pelo menos em sua maioria. Em relação ao idioma, achei mais fácil de entender os argentinos que os paraguaios.

 

Não sei porque mas a sensação de estar fora do país, tão longe de minha casa em SP, amedronta um pouco mas ao mesmo tempo é muito boa [:)]

 

ar154uy.jpg

 

Chegando na rodoviária, é hora de dar uma voltinha nos arredores. Logo atras da rodoviária tem um mercadinho onde você pode encher a mochila com a melhor coisa de origem argentina: Alfajor. Tem de diferentes marcas e diferentes sabores a partir de 0,50 Pesos. Como esquecemos uma parte do dinheiro no hotel, só deu pra levar 4. Mas deu vontade buscar dinheiro e levar uma caixa [:)]

 

ar38yc.jpg

 

ar44pd.jpg

 

Uma coisa bem curiosa que tem no meio da rodoviária. Um "reservatório de água quente para chimarrão público".

 

Continuando a viagem, na rodoviária se pega um onibus que leva até as cataratas por R$ 2,80. São uns 20 minutos até a entrada das cataratas.

 

 

Cataratas Argentinas

 

Horário

 

Verão: 08:00 a 19:00 h

Inverno: 08:00 a 18:00 h

Nas segundas é a partir das 12h

 

Entrada (preços em Pesos)

 

Residentes em Puerto Iguazú e Andresito - $ 0,00

Residentes Missioneiros - $ 6,00

Argentinos - $ 12,00

Residentes Mercosul (Brasil, Uruguai e Paraguai) - $ 18,00

Estrangeiros - $ 30,00

 

1 Peso = 1 Real

 

Uma boa é pagar com dólar. Em São Paulo eu comprei dólar por R$ 2,47 e pra comprar a entrada ele valia R$ 2,80. Dá pra economizar uma graninha, ainda mais se forem várias pessoas.

 

Dica importantissima: O famoso passeio de bote que te leva debaixo de algumas cataratas no Brasil custa R$ 148. Na Argentina custa 40 Pesos. Usando a dica acima de pagar com dólar, sai por volta de uns R$ 35. A diferença é que no Brasil tem um passeio num carrinho por uma trilha antes do bote. Eu não fiz o passeio em nenhum dos dois paises por causa do frio, mas com certeza o passeio do Brasil não deve valer R$ 110 a mais.

 

No momento da compra você ganha um mapa bastante util do local, coisa que não acontece do lado brasileiro. Aproveitando a deixa, esquecendo um pouco a rivalidade entre os dois países, eu tenho que admitir que a visita do lado argentino é superior em todos os sentidos. Eu pensei em fazer uma listinha comparando o que tem na Argentina e não tem no Brasil e o que tem no Brasil mas na Argentina é melhor só que a lista ficaria muito grande e deu preguiça. Para vocês terem noção, gastamos 2 horas para ver tudo o que tinha pra ver no Brasil, enquanto na Argentina ficamos o dia inteiro e ainda ficou uma cosita ou outra pra tras [;)]

 

ar54rr.jpg

Trenzinhos que levam para os passeios superiores e para a garganta do diabo

 

ar61go.jpg

Depois de descer do trem e andar sobre uma passarela se chega quase dentro da garganta.

 

ar75ec.jpg

Olhando um pouco pra esquerda

 

ar88an.jpg

Mais pra esquerda

 

ar93kj.jpg

Primeiro quati, ou coati na Argentina, que eu vi. Achei tão bonitinho, mas depois vocês ficarão sabendo o que esta criatura do demônio oriunda dos infernos fez comigo no Brasil.

 

ar115xs.jpg

Da pra ver um bote quase embaixo das cataratas

 

ar126cy.jpg

Passarela que te da um banho

 

ar133qe.jpg

Na passarela mostrada acima

 

ar108cx.jpg

Zilhares de cachoeiras

 

ar143qi.jpg

Esta foto foi tirada do lado brasileiro, mas mostra algo bem legal que tem do lado argentino. Do lado direito onde tem uma aglomeração de pessoas, você pega um barquinho que te leva de graça para a ilha San Martin que esta a esquerda. Muito da hora.

 

Próximo capitulo: Brasil :)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Amigos!

 

Estou planejando minha viagem à Patagônia e queria aproveitar a empreitada para conhecer as cataratas.

Gostaria de saber se há alguma outra empresa além da Aerolineas Argentinas que cubra o trecho Puerto Iguazú / Buenos Aires.

Pela AA está por volta de 580pesos, será que consigo algo mais barato? Quanto $$$ e tempo levaria se fosse de ônibus até Bsas?

 

Pretendo sair de Recife para Foz/Puerto Iguazú e após ficar chapado com o visual da cataratas, voar até Buenos Aires e El Calafate.

Agradeço qualquer informação.

 

Robério Rodrigues

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

ola, alguem saberia me informar como eu faço para sair de Salta e chegar à Puerto Iguazú? tem onibus direto ? sabem preços e horarios e tempo de viagem ? tks!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ae, Laurence!

 

Então, o preço da passagem de avião é por volta de 285 pesos só a ida (que é o que me interessa).

Se levarmos em consideração o "pequeno detalhe" das 20hs no buzão,

vale muito a pena, se a grana não estiver muito apertada. O pior é que sempre rola aquele aperto! He he!!

Essa semana estarei comprando os trechos na Argentina por uma agência aqui de Recife. Vou tentar incluir Iguazú/Buenos Aires, com aquela velha parcelada em 7x no cartão!!

Tenho que me ligar muito nas despesas dessa trip... senão volto falido!!

 

Abraços.

 

Robério Rodrigues

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa dica Roberio, pois estou pesquisando tb, vc ja tem o roteiro montado? Tem msn?

Que empresa vc viu por esse preco? Se for esse preco de Buenos Aires para Puerto Iguazú logico que compensa, pois o preco que falei eh 185 reais, qdo a gente converte para real esse 185 pesos sai por 215.00, manda essa dica da empresa ai

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Então,

 

Os preços foram cotados no Despegar.com e vc consegue comprar através de alguma agência de viagens.

Vc já deu uma lida no tópico "Passagens de Avião na Argentina"??http://www.mochileiros.com/topic.asp?TOPIC_ID=17634

Lá tem essas dicas que foram passadas pelo pessoal.

Quanto a um local específico para ficar em Puerto Iguazú, ainda não pesquisei nada, cara. Vc tem alguma dica?

Sairei para Foz por volta do dia 12 de Março, por enquanto ainda estou finalizando com os equipos e as passagens. Creio que até o final do mês começo a ver esse lance de pousadas e etc.. Não tem muito o que pensar não, porque só devo passar uma noite em Foz (o vôo chega por volta das 22:00hs)e uma noite em Puerto Iguazú, ou seja, qualquer buraco já quebra um galho.

E vc tá indo por aqueles lados quando??

 

Abraços.

 

Robério Rodrigues

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Júnia,

 

Valeu pela ótima dica. O lugar parece muito legal!

Pelas informações do site, fica bem próximo às cataratas.

 

Abraços.

 

Robério Rodrigues

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera,

 

Alguem sabe a diferença do passeio do Macuco Safari do lado Brasileiro para o lado Argentino? E os preços atuais?

 

Abraço a todos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pedro, dá uma olhada no tópico de Foz na parte de Brasil\Paraná, que tem muita, mas muita informação sobre isto. (também estou procurando hehehe)

 

Pelo que vi, os dois passeios são iguais, só que o argentino sai pela metade do preço... nem preciso dizer que o povo só faz o argentino agora :wink:

 

Abraço,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá a todos.

Em setembro farei uma viagem para a Argentina a partir do Rio de Janeiro com desembarque em Iguazú, Misiones.

Retorno em outubro via Tucumán. Alguém poderia me ajudar? Não sei como fazer esse roteiro. Penso em ir para Foz do Iguaçu e de lá para Puerto Iguazú (acho que é o mais óbvio). Mas estou perdido para voltar de Tucumán. Alguém sabe se há trem nestes lugares?

Qual seria o melhor roteiro de retorno? Obrigado :?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ronald,

 

não entendi muito bem o seu roteiro. Você vai do RJ até Foz/PuertoIguazú e de lá até Tucuman? Já tem o roteiro definido para a ida? Pretende passar por quais cidades? Pois dependendo do seu roteiro de ida você pode escolher um outro diferente para a volta. Mas para te ajudarmos seria melhor você detalhar mais para onde irá.

 

abraços, Patricia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá. O negócio é que farei um curso na Argentina de aproximadamente um mês. O roteiro durante o curso é com o pessoal da organização mesmo, mas vai terminar em Tucumán, quando tenho que me virar para retornar ao Brasil.

Preciso estar em Puerto Iguazu em 21 de setembro. Me sugeriram ir do Rio de Janeiro para Foz e pegar um ônibus urbano de lá para P. Iguazu, que deve ser uns R$2,00.

Dia 28 seguimos para Corrientes, depois Santiago del Estero, Jujuy, Tucumán.

Em 17 de outubro serei abandonado em San Miguel de Tucumán, rs, eu acho.

Espero que tenha esclarecido. Abraço..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por cristian_nfg
      Relato de viagem 16 de dezenbro ate 4 de janeiro
       
      Antes de começar o meu simples relato de viagem, gostaria de deixar algumas dicas para ajudar viajantes de primeira viagem, assim como eu.
       
      Essa foi a minha primeira viagem sozinho e a primeira internacional. Eu infelizmente sou bem desconfiado das coisas e um pouco paranóico com segurança, como estaria boa parte do tempo sozinho, achei melhor me precaver.
       
      A primeira coisa que eu acho importante é saber o que você realmente quer na viagem. Você é uma pessoa que gosta da noite, gosta de museu, gostar dos dois, pode gastar muito ou não quer gastar tanto. É importante que tenha isso em mente para ir o mais preparado possível.
       
      No meu caso eu não sou de balada, e a minha viagem era para conhecer os pontos turísticos,  tentando sempre ir caminhando aos locais , conhecer a culinária local e ao mesmo tempo a minha viagem seria mais econômica, por isso não realizei visitas guiadas ou outras coisas que geram gastos.
       
      Dicas
       
      Segurança
      Como era a minha primeira viagem, estaria sozinho e acabei lendo relatos de brasileiros que foram assaltados em BS AS, resolvi seguir alguns conselhos que li aqui e em outros sites.
       
      - Usar uma doleira (money Belt);
      - Fazer uma lista com os endereços da embaixada ou consulado brasileiro;
      - Levar RG e passaporte, deixei o passaporte onde estava hospedado  e levei o RG comigo.
      - Distribuir o dinheiro e cartões entre money belt e carteira. Meu cartão do Itau deixava na money belt, junto com uma cópia do seguro viagem, RG, lista de endereço importantes e 500 pesos. Na carteira eu deixava meu cartão do Nubank e o dinheiro que gastaria;
      - Tirar fotos de documentos e deixar no celular;
      - Qualquer tipo de documento impresso (roteiro de viagem, seguro viagem, rg, endereços e etc), ter uma cópia de tudo no celular e no e-mail;
      - Essa dica foi dada por uma amiga argentina, evite pegar celular ou câmera fotográfica em cruzamento. Geralmente passam de moto puxando o celular.
       
      Tecnológica
      Aqui umas dicas na parte de tecnologia que me ajudou muito.
       
      - Caso você use o celular para tirar foto e não vai postar nas redes sociais, recomendo instalar o google photos. O app sincroniza as fotos tiradas ou recebidas diretamente para o serviço da google. Assim caso você perca o celular, não perderá as fotos que já foram sincronizadas. Como eu não possuía 3g e o meu roaming não funcionou. Toda  noite sincronizava usando a conexão wifi dos lugares que eu estava;
      - Maps.me, como eu não tinha 3g o maps.me ajudou-me muito porque o mapa era offline. 
      - Criar um mapa com os pontos turísticos e outros lugares no google maps. Esse é o mapa que eu criei com os pontos turísticos e alguns restaurantes. Dá para criar algumas rotas, achei bem legal.
       

       
      - EasyTaxi ou Uber, caso você consiga conexao wifi ou 3g, utilize esses apps para se locomover pela cidade, se não quiser pegar o metro. Uma amiga argentina disse que é mais seguro chamar um táxi pelo app que diretamente na rua, porque o preço geralmente não varia tanto do que foi simulado;
      - O app restorando mostra alguns restaurantes em BS AS e a média de preços, também pode ser pesquisado por bairro ou tipo de comida. O lado negativo que nem todos os restaurantes estão no app;
      - Existem dois apps um chamado Banelco MAP  e o outro LINK Celular, mostram onde estão os caixas eletrônicos para poder sacar dinheiro. Não os achei tão preciso assim.
      Eu consegui sacar dinheiro dentro do banco Macro porque usava o mesmo sistema Banelco. No Banco de la Nación utiliza um outro sistema;
      - Se o celular for um pouco mais antigo, remova qualquer app, foto, música ou documentos que não sejam importantes para a viagem. Deixando o celular mais rápido para abrir o app de foto ou verificar o mapa;

      Diversas
      - Compre o cartão SUBE do metro dentro de alguma estação, sai mais barato que comprar em kiosko. Paguei 25 pesos no cartão e é bem simples andar de metro em Buenos Aires;
      - Caso a sua viagem seja econômica como foi a minha, evite restaurantes turísticos. Em alguns casos no mesmo bairro, em duas ou três quadras de diferença, encontra-se restaurantes onde se consegue economizar  até 60 pesos;
      - Se possível compre um frasco pequeno e leve um pouco de protetor solar. Paguei 254 pesos em um da Nivea. E leve também escova e pasta de dente, evite gastar com essas coisas, caso a viagem seja econômica;
      - Se for comprar algum produto de higiene recomendo ir na farmacity, é bem mais em conta que em outras farmácias.
      - Não sei se são todas as operadoras, mas a Movistar para ativar o chip é necessário o número do DNI (RG argentino). Eu ativei o meu usando o DNI de uma amiga e como ela usava Personal não ia ter problema. Eu achei bem difícil encontrar cartão de recarga e meus dois cartões de crédito e débito não funcionaram para recarregar pelo site. Por fim consegui encontrar um cartão e recarreguei, mas o 3G não funcionou hahahaha.
      - Mercados chinos e o mercado Dia, são mais em conta que o Carrefour Express.
      - As melhores águas que tomei foram Kin e ECO de los andes, as outras eu achei um pouco estanha.


      Dia 16 Dez - São Paulo - Buenos Aires
       
      Peguei o avião às 19:10 em Guarulhos  e cheguei as 20:50 no Aeroparque (não existe horário de verão na argentina). Cheguei e depois de 1 hora começou a chover muito forte.
       
      Como já havia lidos sobre os táxis no país preferi pegar um remis oficial, paguei 460 pesos até caballito, onde ficaria na casa de uma amiga.
      Troquei 2 mil reais no banco de la nacion, a cotação estava R$ 5,40, deu 10800 pesos. Eu tinha visto a cotação antes de pegar o avião e na CambioMaisBrazucas estava a 5,60,  preferi perder alguns pesos e optar pela comodidade.
       
      Apesar do remis ser bem caro, compensou o preço. Cheguei tranquilo em Caballito, era quase meia noite, jantei com a minha amiga e fui dormir.

       
      Dia 17 Dez - Palermo
       
      Acordei cedo e fui em busca de medialunas em Caballito, encontrei um lugar chamado medialunas de la abuela, comprei 4 e deu 28,00 pesos. Passei em uma farmacia para comprar um desodorante Rexona 53 pesos. Esperei a minha amiga voltar e saímos para Palermo de ônibus.
       
      Eu não fiquei muito tempo na parte dos restaurantes e bares, meu objetivo era conhecer parques e bosques. O tempo ajudou bastante, estava sol e com bastante vento, lindo dia. O lugar é muito bonito e eu achei bastante limpo, pelo tamanho da área.




      O que me surpreendeu bastante em todos os lugares que eu fui, é muito comum você ver pessoas passeando com seus cachorros. Não é uma pessoa isolada, são muitas, achei bem legal isso. E os cachorros lá parecem ser bem tranquilos, não avançam e não saem latindo igual uns louco.
      Infelizmente não sei porque, mas o Rosedal estava fechado e algumas partes do bosque também, era final de ano e estavam armando umas atrações natalinas para as crianças.
      Passei pelo Jardm Botânico, Monumento de los Espanhóis, Rosedal (Por fora apenas), Planetário, bosques e terminamos na costanera norte. Recomendo verificar bem o caminho para a costanera norte ou pegar um taxi, escolhemos um caminho bem pouco movimentado e nos perdemos diversas vezes até encontrar um local que dava para entrar. Alguns pontos da costanera são fechados.  
      A parte dos bosques e plazas são bem abertas e grandes, é difícil saber quando termina uma plaza e começa outra. A parte dos bares para os bosques são um pouco distantes, se você não gosta de andar e não quer pegar taxi, melhor se planejar.


      Mas no final valeu muito a pena, não fiquei para ver o pôr do sol que deve ser incrível nesse ponto. Já era quase 16 e fomos almoçar em um lugar chamado McNaff se nao me engano, paguei 247 pesos , um hamburguer, pizza, coca e água.
      A noite fui jantar com a minha amiga no Bronx Bar em Caballito, que é um bairro que tem bem menos turistas e possui muitos barzinhos e restaurantes. Pedi uma bandiola com batata frita, chimichurri e uma jarra de cerveja artesanal de mel, ficou 262 pesos por pessoa. Porções são grandes e a carne é deliciosa.
       
      Dia 18 Dez - Micro Centro e Retiro
       
      A argentina estava votando uma nova lei para aposentadoria e no dia 18 era esperado manifestações no centro, que iniciariam por volta das 11:30, no dia 19 era esperado greve do transporte público e eu só consegui passagem de ônibus para Misiones dia 21. Teria um día a menos em Buenos Aires, então fui tentar conhecer Micro Centro e Retiro em um só dia.
       
      Acordei as 05:00 e sai de casa as 06:40, passei na Farmicity e comprei pomada para queimadura de pele e protetor solar, tive problemas com o sol no primeiro dia, total 344,08 pesos (tragam protetor solar do Brasil !!!!).  Comprei o cartão sube dentro da estação, 25 pesos e carreguei 50 pesos. Desci na estação Plaza de Mayo.
       
      Fui seguindo o meu roteiro, Parque Colón, Casa Rosada, Plaza de Mayo, Cabildo Buenos Aires, Catedral Metropolitana, Monumento a las Cataratas, Monumento Don Quijote, Palacio Barolo, Congresso Nacional, Obelisco, Teatro Cólon e Plaza Gal Lavalle.
      Achei tudo muito bonito, os prédios antigos as ruas largas e bem conservadas, os comércios não possuem letreiros enormes como aqui, são bem discretos, essas coisas me deixou muito maravilhado pelo local. Eu li em outros relatos de pessoas dizendo que a cidade era suja. Novamente não achei, onde eu moro é pior.
      Como era esperado manifestação alguns lugares estavam com barreiras.

       
      O lado bom de ter acordado cedo, tinham poucas pessoas na rua. Quando terminei de conhecer todos os lugares da minha lista eu vi que ainda eram 09:30. Fui para Retiro.
      Em Retiro fui apenas conhecer A Plaza de San Martin, Edificio Kavanagh, Torre Monumental, Igreja Santisimo Sacramento e na volta passei no El Ateneo e na frente do edifício The Water Company que é muito bonito.
      Não me passou uma boa sensação Retiro, achei o lugar um pouco estranho, mas a Plaza San Martin,o Edifício e a Igreja são belíssimos. Na Plaza San Martin, fui abordado por um homem dizendo que era de uma ong e começo a me dar dicas turistas e no final de tudo, pediu-me dinheiro para ajudar, dei 20 pesos.



      Passei no mercado Día e comprei dois pacotes de bolacha, 15 pesos.  Já eram mais ou menos 11:00 horas e algumas ruas de acesso às estações de metrô estavam fechadas. Nesse momento me bateu uma hora e meia de total burrice e acabei caminhando do micro centro até a estação de trem do Bairro Once. Bairro bem diferente dos turísticos, um bairro mais sujo, com mais moradores de rua e pessoas te olhando direto.
      A minha inteligência voltou e peguei o metrô direto para Caballito, cheguei por volta das 13:30. Almocei na casa da minha amiga e passei a tarde toda tomando mate no parque Rivadavia, um dos pontos altos da minha viagem. Foi muito interessante conhecer essa rotina que eles tem, uma rotina totalmente diferente da minha. O parque muito bem cuidado, as pessoas tranquilas descansando depois de um dia de trabalho.
      A noite fui jantar em um restaurante em Caballito, infelizmente não me lembro o nome, gastei 210 pesos, pedi um lanche e uma coca.
       

      Dia 19 Dez - Recoleta
       
      Meus dias na casa da minha amiga terminaram. Iria agora para o quarto que eu aluguel no Airbnb, em Recoleta por 3 dias a 260 reais.
      Para minha sorte o metrô estava de greve, só funcionava ônibus. Como eu estaria de mala, não quis arriscar pegando ônibus e eu acho difícil me localizar neles.
      Esperei passar um taxi que estivesse escrito Rádio Taxi e peguei para Recoleta, quando chegou no local o motorista disse 300 pesos. Eu abri a carteira na frente dele, quando ele viu que eu tinha mais dinheiro, ele disse que eram 350 pesos. Não quis debater, nem reclamar, paguei e me livrei. Dica quando for pegar taxi, deixa 300 pesos no bolso, não abra a carteira na frente deles hahahaha. Não tive sorte com Taxista, nenhum era de muito assunto.
      Deixei a mala no quarto, tomei um banho e sai, começou a chover então tive que abortar a missão e voltar para casa. Encontrei um Carrefour Express e fui comprar algumas coisas;
      Bolacha: 8 pesos
      Agua 500ml : 25 pesos
      Alfajor: 10 pesos
      Aproveitei para comprar um chip movistar por 25 pesos e recarreguei 50 pesos (não duram nada 50 pesos). Comprei um guarda-chuva por 150 pesos. Dei um tempo no quarto e fui seguir o meu roteiro.
      Parei na casa de la milanesa e pedi uma milanesa tradicional e uma garrafa de água, 250 pesos.

      O tamanho é absurdo e extremamente macia a carne. Passei bem a tarde toda só com a essa milanesa.
       
      Após almoçar fui seguir o meu roteiro, Basilica Senhora del Pilar, Centro Cultura, Buenos Aires Design, Parque Carlos Thays, Plaza Repuclica del Brasil, Faculdade de Direito, Floralis, Plaza Francia e Museo de Arte.
      O ponto alto foi a faculdade de direito, edifício lindíssimo e muito imponente. Está sendo construída uma linha de metrô ao lado da faculdade, isso vai melhorar muito para estudantes e turistas.
      Em Recoleta eu comecei a ver brasileiros, antes eu não tinha visto nenhum.

       

      Voltei à casa para descansar e a noite fui jantar no Restaurante Pichi Huasi Parrila, pedi um asado de tira e uma lata de quilmes, 310 pesos. Recoleta os preços são bem diferentes, é um bairro bem caro e me indicaram esse restaurante por ter um bom custo beneficio. Gostei muito da comida, não tenho o que reclamar.

      20 Dez - Puerto Madero.
      Acordei cedo, fui no Carrefour novamente e comprei uma água de 1 litro por 36 pesos, um alfajor, iorgute e bolacha por 43 pesos.
      Antes de ir a Puerto Madero encontrar uma amiga, eu ia ver onde ficava o CambioMaisBrazucas, eu ainda tinha 1500 reais para serem trocados.
      Infelizmente, não teve um dia que eu não me perdi, em vez de ir para um caminho, eu acabava indo para outro e aí teria que voltar tudo de novo. O que era para ser algo de 10 min, levava meia hora hahahahaha. Mas se perder faz parte, e nesse dia eu me perdi algumas vezes para tentar encontrar a casa de cambio.
      Andei pelo micro centro, na região da Calle Flórida e depois de algumas horas rodando, acabei deixando para outro dia e fui para Puerto Madero encontrar minha amiga.
      Puerto Madero não teve roteiro, apenas caminhei em volta, conversando, vendo alguns lugares, tirando algumas fotos, é muito bonito o lugar, realizaram um excelente trabalho revitalizando o bairro.

      Por volta das meio dia fomos almoçar no mostaza (uma rede de fast food argentina). Pedi um lanche extreme bacon, 160 pesos. Dica você pode pedir apenas um hamburguer com queijo, o combo acaba ficando 70 pesos, com coca e batata.
      Depois do almoço caminhamos pelas ruas de Puerto Madero e fomos a uma exposição no antigo prédio dos correio.
      No final da tarde voltei para casa. A noite fui jantar empanadas, eu ainda não tinha comido. Fui no Restaurante Anastacia, peguei 3 empanadas mais uma coca, 140 pesos.
       
      Dia 21 Dez - Recoleta
      Como eu tinha uma viagem marcada para Misiones, tive que encurtar a minha passagem por Buenos Aires. Tomaria um ônibus às 20:00 no terminal retiro.
      No dia anterior o dono da casa onde eu fiquei, disse que no shopping de Recoleta tem um guichê de câmbio.
      Como eu não queria mais ficar me perdendo e me encontrando pelas ruas e não achei segura a Calle Flória para ficar andando com dinheiro recém trocado. Resolvi cambiar no próprio shopping. A cotação estava 5,20 no shoppping e no CambioMaisBrazucas estava 5,40 ou 5,60, não lembro direto. Troquei 1500 por 7800 pesos.
      Agora com dinheiro trocado precisaria passar o tempo até chegar às 20:00. Fui de novo para os pontos turísticos de Recoleta, só que dessa vez entrei no Cemitério, Recoleta Design, entrei na Basílica Nuestra senhora del Pilar e fui ver as embaixadas francesa e brasileira, dois prédios lindos.
      Não gostei muito de entrar no cemitério e ficar tirando fotos de túmulos, não fiquei muito tempo e sai. Não achei interessante o Buenos Aires Design, além de ser bem caro as coisas, eu não encontrei nenhum produto feito na argentina, era tudo chinês. A Basilica é simples mas linda.
      Almocei no Almacen de la Pizza, pizza com massa fina e molho caseiro, excelente lugar. Pedi uma pizza de mussarela e uma água por 214 pesos.

      Voltei para casa, tomei um banho e o dono da casa chamou um taxi de confiança para me levar até o Terminal Retiro, 280 pesos.
      Eu cheguei muito cedo no terminal antes das 18, tive que esperar muito tempo até o ônibus chegar. Tem que tomar muito cuidado dentro desse terminal, nesse lugar eu senti medo.

      22 Dez até 3 Jan
      Cheguei na cidade de Leandro N. Alem em Misiones, para passar o fim de ano na casa de uma amiga com os seus familiares.
      Nesse momento da viagem eu não programei nada e não fui para conhecer pontos turísticos. Fui para conhecer as pessoas e descansar, colocar os pensamentos em dia. Então peço desculpas, mas não poderia dar muitas informações sobre Misiones. 
      O final de ano novo aonde eu fiquei não tem fogos, armaram uma baladinha no centro da cidade e fiquei por lá até as 06:00.
      Misiones é um departamento que faz fronteira com o Rio Grande do Sul, é onde está Puerto Iguazu e o relevo lembra muito o Brasil, com morros. Diferente de Buenos Aires que é totalmente plana.
      Eu pude perceber que existem diversas atrações turísticas em várias cidades; cachoeiras, trilhas, rios  e as ruínas de San Ignacio entre outras coisas. Mas as coisas são longe uma das outras, não dá para sair fazendo tudo a pé. Ou vai de ônibus de uma cidade para outra ou de carro.
      O valor dos ônibus variam muito, peguei ônibus pagando 25 pesos e ônibus pagando 35 pesos. Acredito que seja por conta da distância. É comum encontrar brasileiros e muita gente falando portunhol, por conta da proximidade com o Brasil, se fala muito portunhol.
      Em duas cidades onde fui visitar, existia um casino. Em relação a preço eu não achei tão diferente de Buenos Aires. O pessoal local disse que em Puerto Iguazu as coisas são bem mais caras.

      Considerações finais.
      Para economizar na viagem optei por não fazer nenhum programa que fosse pago. Infelizmente fiquei com tanto medo de ficar sem dinheiro que acabei economizando demais e poderia ter jantando ou tomado um café da manhã em um lugar mais bacana. Mas são aprendizados.
      Dentro do Terminal Retiro existem Remis Oficial, acredito ser mais seguro. Do terminal Retiro até o Aeroparque paguei 180 pesos no Remis Oficial, o Remis que eu peguei não tinha identificação nenhuma. 
      Recoleta é um bom lugar para se hospedar se você ainda não conhece a cidade, porque dá para ir a pé para os principais bairros. Mas é um bairro mais caro para se comer.
      Optei também por não conhecer os bairros de la Boca e San Telmo e ver dança de tango, não me chamou tanto atenção.
      Argentino é muito acostumado a comer pão. É normal ter pão na mesa durante o almoço e janta.
      Não entrei em nenhum Outlet, meu objetivo de viagem não era esse. Acabei entrando no shopping de recoleta e os preços desse shop fazem o peso e o real valerem a mesma coisa hahaha. Não se enganem, apesar do real valer mais, algumas coisas acabam saindo mais caras comprando na argentina que no brasil.
       
      Passagem Avião Gol ida e volta comprada em Agosto =  R$1.600
      Seguro Viagem Porto Seguro = R$ 320 ( comprem outro mais barato )
      Saquei 2000 pesos no caixa eletronico, não lembro a cotação, mas é cobrado uma taxa para usar o caixa eletrônico. Não recomendo.
      Ônibus ida e volta Buenos Aires - Leandro N. Alem = 3200 pesos.
       

      Vale a pena?
      Eu sou meio suspeito para dizer se vale a pena ou não viajar para Buenos Aires, porque para mim foi um sonho realizado, sempre tive vontade de ir para Buenos Aires do que para Disney por exemplo.
      Então valeu muitíssimo a pena, foi uma excelente experiência de vida, me fez ver algumas coisas de outra maneira e realizar um sonho e cumprir uma meta. Concerteza eu voltarei à cidade, e farei coisa que acabei não fazendo nessa viagem. 

      Espero que esse meu relato possa ajudar alguém que esteja planejando conhecer Buenos Aires.
       
      Obrigado.




























       
    • Por carlahachmann
      A tríplice fronteira é muito mais que as Cataratas do Iguaçu. No último fim de semana fizemos uma imersão na selva misioneira argentina. Foram dois dias e uma noite de muita aventura, adrenalina e lindas paisagens. Além, é claro, de muitoooos banhos de cachoeiras. Para descansar, uma inesquecível noite numa aconchegante cabana a 8 metros do chão, sobre o topo das árvores. São cerca de 300 quilômetros adentro da Argentina a partir de Foz do Iguaçu. A galera já saiu de Foz com um guia responsável que traçou o caminho e em Aristóbulo Del Valle outra guia nos contou histórias econômica e social da região e nos acompanhou ao parque provincial Salto Encantado.


























    • Por paulodasilva
      Boa tarde amigos, venho relatar aqui a viagem de 29 dias que minha namorada e eu fizemos por 4 países. Depois de muito pesquisar aqui no site acabamos fazendo o seguinte roteiro:
      Santa Fé, Mendoza, Santiago, La Serena, Antofagasta, San Pedro de Atacama, Iquique, Arequipa, Cusco, Puno, Copacabana, La Paz, Potosí, Uyuni, General Guemes, Alegrete.
      Somos de Porto Alegre e fizemos a trip com um Gol 1.000, sem direção hidráulica mas com um ar condicionado que funciona perfeitamente, chamamos o auto de "El Tanque". No total foram 11.070 Km, 17 hoteis/hostels/pousadas, 4 países, uma infinidade de novos amigos. O custo total ficou por volta de 17 mil reais, 8.500 para cada, levamos 2.900 dólares em espécie.
      Dia 1 - Porto Alegre - Santa Fé
      Saímos de Poa dia 23/12/17 ás 6h da manhã, esse primeiro dia era um dos trechos mais longos da viagem, podem imaginar que quase não dormimos pois estávamos ansiosos para sair, foram alguns meses de planejamento e muitas dúvidas ainda pairavam pois não achei nenhum roteiro completamente igual ao que iríamos fazer. Malas no Tanque, check list feito e chimarrão na mão. Vamos lá!!
      O trajeto Poa até a fronteira muito tranquilo, a aduana estava vazia e foi muito rápido, mostramos passaportes, carta verde e segue o baile. Na Argentina que começaram algumas complicações, assim que entramos na Ruta 14 fomos parados pela polícia, uns sujeitos com roupas de milicianos nos pediram documentos e para ver o extintor de incêndio, então disseram que o mesmo estava vencido, na verdade ele venceria 31/12. Um dos sujeitos me levou para uma sala uns 200m do carro e outro ficou com minha namorada na porta do carro, lá dentro inventou mil histórias e tive que desembolsar depois de muito negociar, paguei 20 dólares. Ao longo desse trajeto fomos parados mais 5x, todas as vezes pediram as mesmas coisas e nenhum deles falou que o extintor estava vencido, nessas outras 5 paradas os policiais que nos pararam estavam com coletes verdes e nos pareceram mais "sérios" que aqueles primeiros que tinha roupas de militares e cara de malandro.
      Chegamos em santa fé já era noite e ficamos num hotel que havia reservado pelo booking, no outro dia sairíamos cedo novamente e o trajeto também era longo.
       
      Dia 2 - Santa Fé - Mendoza
      Acordamos cedo novamente e na recepção do hotel encontrei um casal de brasileiros que estavam sem dinheiro porque haviam pago tanta propina na estrada que não sobrou quase nada, então fiquei um pouco mais aliviado por ter sido extorquido apenas 1 vez, pois passei o caminho todo com raiva daqueles primeiros policiais.
      Saímos 7h com destino a Mendoza, lá ficaríamos 2 dias. Aqui algumas considerações: não tínhamos interesse em visitar vinícolas, pode parecer estranho pois a região é propícia, mas a verdade é que no RS acabamos visitando tantas na Serra que acaba que o processo é todo o mesmo; nas vinícolas os preços de vinhos são na maioria das vezes mais caros que no mercado da cidade e pq estaríamos dia 25/12 lá, feriado, então poucas estariam abertas. Nosso estilo de viagem é mais lado B e conhecer pessoas.
      Caminho cansativo, alguns pedágios, mas termina na Ruta 7, aí quase dorme no volante. A estrada toda duplicada e desemboca dentro de Mendoza. Chegamos estava anoitecendo, era noite de natal e estava absolutamente tudo fechado, então acabamos comendo num restaurante bem "pega turista" no centro da cidade, menu de natal que era caro e ruim, mas estávamos cansados mesmo, comemos e fomos dormir.
      Dia 3 - Mendoza
      Finalmente acordamos em um horário "digno" e fomos conhecer a cidade, praças e afins. Como estávamos quase sem Pesos e as casas de câmbio estavam fechadas, resolvi ir sacar dinheiro em um caixa eletrônico, sempre libero meu cartão (débito e crédito) no exterior, assim qualquer aperto consigo dinheiro, eis que a máquina engole meu cartão que "nunca mais voltou" (nessa parte imagina o Tim Maia cantando), fiquei apavorado, era o cartão que levamos com limite mais alto, que seria fundamental em qualquer imprevisto mecãnico, médico ou sei lá o que. Bom, passado a frustração e depois de 10 chutes na máquina fui cancelar o cartão e pensar em plano B. Lembramos que o NuBank vc consegue gerar boletos sempre que quiser, assim poderíamos gerar, pagar e liberar mais crédito sempre que precisasse.
      Resolvido o drama fomos finalmente passear, fomos nas 5 praças menores e no parque da cidade, parque General San MArtin  tem inclusive um estádio de futebol no meio, muitas famílias fazendo assado e tentando diminuir o calor nas sombras do mesmo. Foi muito legal e nos divertimos conhecendo o gigante parque, apenas uma loja de conveniência estava aberta, então compramos vinho, água e alguns petiscos e curtimos o feriado.
      Nota: Numa viagem dessas abridor de garrafas sempre é útil.
       



    • Por Dan Wollker
      acabei de ver online agora... 
      quem acabou de chegar de Buanos Aires ? confere !! o peso vem caindo gradativamente .. estou acompanhando desde outubro!


    • Por trotatorres
      Tópico para troca de informações sobre El Chaltén 
      PARAÍSO DO MONTANHISMO E DO TREKKING...EL CHALTÉN
      Vai encarar uma travessia nos gelos continentais?
      Escalar o mítico Fitz Roy?
      Ou irá caminhar alguns dias pelas trilhas? O seu lugar é aqui!
×