Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Amanda Dias Ferraz

Caribe Colombiano: San Andres, Cartagena, Santa Marta, Palomino, Riohacha, Costeno, Taganga, Parque Tayrona e Rincon

Posts Recomendados

Olá pessoal!!

Sempre busco por relatos aqui antes das minhas viagens, porém esse é o primeiro que compartilho, espero que ajude os próximos viajantes.

No ano passado decidi que deixaria meu trabalho porque assim como a grande maioria das pessoas que conheço, estava totalmente descontente e aquilo acabou se tornando um fardo.

Depois de me privar de muitas coisas, consegui juntar o suficiente para passar dois meses fora, levando em consideração que teria que economizar bastante durante a viagem e também fazer trabalho em troca de moradia por algumas semanas.

Sendo assim começo meu relato, com experiencias, dicas e gastos:

Fiz a compra da passagem bem em cima da hora e paguei R$1500 pela COPA. Uma semana depois as passagens estavam por menos de R$1300.

O voo para San Andres fiz pela Viva Colombia, e ficou por R$350.

Vale a pena ficar de olho porque são muitas promoções para o país e eu já vi por bem menos que esses valores. O mesmo vale para a Viva Colombia, fiz a pesquisa num dia e o valor estava mais baixo, porém deixei para comprar dois días depois e já tinha subido.

Minhas impressões das duas cias aéreas. Sempre viajo na clase econômica, porém o aviao da COPA me pareceu ter bem menos espaço que as demais, o que tornou o voo um pouco desconfortável para mim, porém fora isso nao tive problema algum.

Voar com a Viva Colombia é uma confusão, primeiro para comprar a passagem, eles te cobram por tudo. Apenas uma mala de mao pode ser levada “de graça” e essa tem que ter o tamanho definido por eles, caso contrário você paga um extra. Se você escolher a opção de fazer o check in diretamente no aeroporto paga extra. Para escolher o assento, paga extra. E se você escolher fazer o check in online e nao levar o Boarding Pass impresso, tamém vai acabar pagando uma taxa na hora, então fiquem atentos a tudo isso no momento da compra.

Meu voo saiu de Guarulhos no dia 31/03 as 01:10 e teve conexão no Panama. Vale lembrar que caso seu voo faça conexao fora da Colombia, você precisa sim de um passaporte. Tambem pediram por minha carteira de vacinação internacional, porém conheci pessoas que nao tiveram que mostrar em momento nenhum. Acredito que o melhor seja evitar problemas e levar a sua.

Cheguei em Cartagena pela manhã e fiz o câmbio mínimo (R$50) no aeroporto somente para pagar o Taxi. O câmbio era COP 686,50.

Encontrei uma casa no AirBnB bem baratinha que ficava próxima ao aeroporto. Como não sabia como chegar e era perto, gastei somente COP 3000 num Bicitaxi que encontrei fora do aeroporto.

Essa é uma dica muito válida, se você optar por tomar o taxi diretamente no aeroporto os valores são mais altos, mas se você atravesar a rua e chegar na avenida, pode encontrar taxis para o centro (onde ficam a grande maioria de hoteis e Hostels) por COP 10.000 ao invés de COP 15.000.

Depois de descansar um pouco e me refrescar, finalmente criei coragem de ir ate o centro, digo criar coragem porque o calor é realmente massacrante. A humidade faz com que a sensação térmica seja muito maior e você nunca para de suar… Fiz esse caminho de taxi e me custou COP 8.000.

Há muitas opções de casas de câmbio na cidade velha e não se deixem enganar!! Todos dizem ter o melhor valor, porém a verdade é que encontrei câmbios desde 730 até 805.

A melhor que encontrei fica bem próxima a entrada da Torre Del Reloj, é só atravessar a quadra e entrar na primeira direita. Não perguntei muito a respeito, mas se não me engano, o câmbio de dólares estava COP 2.750.

Por conta do cansaço e a fome que já tinha batido acabei desistindo de procurar uma opção de restaurante e almocei no SubWay. Eles tem o menú do dia que custa COP 7.800.

Para voltar optei por pegar um ônibus. O terminal fica na mesma rua da Torre, é só sair e seguir para a esquerda. Porém para pegar este ônibus que custa COP 2.100, é preciso ter um cartão que custa COP 4.000. Como eu só descobri isso quando chegou minha vez na fila, uma alma boa disse que podía fazer a recarga no seu cartão para que eu pudesse entrar.

Na rua dessa casa que fiquei, tinha um homem que fazia pizzas e vendia por fatias, comprei pra todas da casa por COP 16.000 e esse foi o jantar.

 

Gastos Cartagena:

Bicitaxi: 3.000

Taxi: 8.000

Subway: 14.800

Onibus: 2.100

Mercado: 9.456

Pizza: 16.000

Total: 56.356

 

No dia seguinte tinha um voo para San Andres as 7:45.

Como eu disse anteriormente, a Viva Colombia é uma confusão. Eles não te perguntam da sua bagagem de mão, nao te falam sobre a taxa que precisa ser paga para entrar na ilha… então pergunte. O pagamento só pode ser feito em dinheiro. Nos relatos que havia lido antes de ir o valor era de COP 99.000, porém quando fui paguei COP 105.000

Chegando na ilha, mais uma vez sai do aeroporto para encontrar um taxi com um precinho melhor e paguei COP 8.000. No aeroporto me ofereceram por COP 10.000, mas tinha um outro brasileiro no Hostel que pagou COP 15.000. Ou seja, eles falam um valor diferente para cada pessoa, por isso vale a pela negociar o valor antes, alguns ficam bravos, mas deixa ele para trás e vai pro próximo que você com certeza consegue um preço melhor.

Também tem a opção de pegar um Mototaxi, não se assuste porque é super comum na ilha. Eles andam em 3 pessoas, carregando coisas enormes e sempre sem capacete. Eles passam pelas ruas buzinando para todo mundo e o valor geralmente é de COP 2.000.

Por estar próximo ao feriado da páscoa, a Ilha estava bem lotada e as opções que haviam sobrado de hospedagem não eram as melhores…

O Hostel famosinho da ilha, El Viajero estava lotado. Vale lembrar que é lá que ficam a maioria dos brasileiros, então se quer fugir dos seus conterrâneos e da música brasileira, procure outro lugar hahaha

Me hospedei no Blue Almond Hostel e preciso dizer que a primeira impressão nao foi das melhores, mas depois amei! O Hostel é pequeno, os donos sao bem amigaveis e fazem questão de apresentar todos os hóspedes, o que faz com que o ambiente seja otimo. No final todo mundo fica amigo e faz tudo junto. Então se esta viajando sozinho acho que é uma ótima opção. Preço por 7 noites COP 360.000

O Wifi nao era muito bom, caia o tempo todo e banho só gelado! Mas depois descobri que em todos os lugares o chuveiro é gelado…

Neste dia andei pelo centro que mais parece um freeshop a céu aberto. Vale lembrar que San Andres é livre de impostos, mas não sei dizer ao certo se os preços realmente valem a pena porque não fui na intenção de comprar muita coisa.

Decidi comprar também um snorkel para ficar livre dos alugueis diários e paguei COP 10.000, enquanto os alugueis geralmente saem por COP 15.000 . Porém posso afirmar que me arrependi horrores e numa próxima vou deixar de ser tão mão de vaca e comprar uma melhorzinha hahaha

Pagando um pouco mais você encontra mascaras melhores e ainda assim vale mais a pena do que o aluguel porque lá da para usar todos os días em quase todos os lugares.

Procurei por um restaurante em conta para almoçar e encontrei uma boa opção perto do centro que servia pratos executivos. Pelo que vi todos os restaurantes com esse tipo de almoco serve mais ou menos a mesma coisa, uma sopinha do dia de entrada, a refeição que tem carne, peixe ou frango, arroz, salada, batatas fritas ou patacón que é uma banana frita, e um suco que em lugar nenhum consegui definir do que era. Inclusive tem um bem perto do El viajeiro.

Os valores vão de COP 11.000 até 16.000 ou mais para pratos mais elaborados. Provei frango e peixe de várias formas e tudo estava delicioso, então acho que vale super a pena. Mas se você busca algo mais refinado, há muitas opções pela Ilha, porém não posso recomendar já que nao fui em nenhum…

Alias, muitos dos dias vocês vão notar que não cito nenhum restaurante, mas não é porque não me alimento ou algo do tipo, e sim porque afim de economizar compramos diversas coisas no mercado como pão e frios para fazer sanduiches, frutas e macarrão.

E para terem noção de alguns gastos, uma garafa de agua no supermercado varia entre COP 850 – 1000. Uma de 1 L COP 1.100 – 3000. Tem um bom supermercado chamado Supertodo próximo ao El viajeiro, foi lá que encontei os melhores preços.

Passei o resto do dia na Praia central, Spratt Bight. Ali é possível alugar umas cabaninhas e cadeiras, mas também é super tranquilo ficar na sombra dos coqueiros.

No dia seguinte fui ate o aeroporto receber uma amiga australiana que iria viajar comigo por duas semanas. Depois fomos mais uma vez ao mesmo restaurante com pratos executivos e passamos o resto do dia na Praia central.

No terceiro dia decidimos dar a volta na ilha e optamos pelo carrinho de golfe. Só por curiosidade para dar a volta sao aproximadamente 40Km.

Tem muitos lugares para alugar os carrinhos e scooters. Encontramos um por COP 90.000, mas nos demais lugares os preços são a partir de COP 120.000. Os carros que eles chamam de mula tem os preços a partir de COP 160.000 e as Scooters COP 55.000. Os melhores preços que encontrei são nos estacionamentos próximos ao Sunrise Beach Hotel. Mas como disse anteriormente, sempre tente negociar, eles acabam chegando num preço mais agradável.

Gente, os carrinhos de golfe andam no máximo a 20Km/h, então se você não tem paciência, alugue uma mula! Mas como eles mesmo dizem, para que pressa quando se está no Caribe.

Nossa primeira parada foi na Praia San Luis, mas ficamos por somente uns 10min.

Seguimos e paramos na “La Piscinita”, que cobra COP 4.000 pela entrada e você já ganha uns pedaços de pão para alimentar os peixes. Foi lá que descobri que o Snorkel não prestava hahahaha

Caso precise, eles alugam por COP 15.000 pelo tempo que você ficar por lá.

A cor da agua é maravilhosa!! A visibilidade é incrível e tem muitos peixes por lá brigando por um pedaço do seu pão. Da para passar um bom tempinho por lá só relaxando e nadando com eles.

 

Seguimos e paramos para ver o Hoyo Soplador, que nada mais é do que um buraco no chão. Toda vez que uma onda bate nas pedras faz o ar soprar com força por esse buraco. Já li relatos de pessoas que tiveram a experiência de se molharem pois a onda era forte, mas nao presenciei.

Nao considero que seja uma parada obrigatória nesse passeio, mas se tiver curiosidade da uma parada e quem sabe tem mais sorte que eu.

Depois chegamos no West View, que é como se fosse um clube. A entrada também é COP 4.000. Eles tem um toboágua, que é de procedencia muito duvidosa, mas fui e sobrevivi. Um trampolim para os corajosos (diferentes de mim) e também da pra fazer snorkel por lá.

Mais uma vez fiquei completamente encantada pela água, em alguns pontos a profundidade chega a uns 7mts e vocêpode ver claramente o fundo.

Os coqueteis custam COP 10.000, e foi lá que provei pela primeira vez o famoso Coco Loco. Eu pessoalmente nao curti porque não tem gosto de nada além de álcool, preferi a pina colada.

 

Seguimos viagem e chegando de volta ao centro percebemos que não vimos nenhuma placa para a famosa Rocky Cay e então ficamos sem passar por lá nesse dia.

Na noite nos juntamos com o pessoal do Hostel e fomos para o El Viajeiro. Eles tem um bar no último andar e todos podem entrar, mas como era segunda estava bem vazio. As bebidas tem um preço bom, COP 5.000 pela Corona, COP 4.000 outras cervejas como Aguila e Club Colombia e COP 10.000 alguns coqueteis.

Infelizmente nesta noite minha amiga acabou exagerando na bebiba o que comprometeu nosso dia seguinte…

Sai em busca de uma casa de câmbio, porém não tem nada além de um Western Union e eles só trocam Dólar e Euro. Acabei descobrindo meio que sem querer que algumas pessoas fazem a troca, mas nada oficial. Então caso você precise e assim como eu ficar com preguiça de voltar no aeroporto, pergunte para uma das vááárias pessoas que ficam pelas ruas oferecendo passeios e com certeza uma delas conhece alguém para indicar. Mas já aviso que o câmbio não é dos melhores, consegui por COP 710 porque chorei um pouco.

Com o dia comprometido pela ressaca da amiga, somente saimos para jantar e comemos hamburguer com fritas por COP 15.000, também em frente ao Sunrise Beach Hotel.

No dia seguinte haviamos decidido fazer o passeio de barco até Jhonny Cay, porém por conta do mal tempo a ilha estava fechada. Então ai vai uma dica importantíssima!! Não deixe para fazer esse passeio no seu último dia pois podem ter esse mesmo problema e acabar voltando sem visitar a ilha, o que seria uma pena.

Todos os días as 08:30 os hoteis recebem uma notificação dizendo se a ilha esta aberta ou não, então pergunte na recepção antes de ir até o porto.

Decidimos então dar mais uma vez a volta na ilha, mas dessa vez com uma scooter. Eu nunca tinha dirigido uma antes e também nao tenho habilitação para motos, mas mesmo assim me alugaram uma hahahaha

São todas automáticas, a pessoa te explica direitinho e no meu caso me deixou dar uma volta no quarteirão para ver como era antes de pagar. No começo fiquei com bastante receio, mas depois que você pega o jeito é bem fácil, mas lembrando que ninguém usa capacete por lá e o trânsito no centro é um tanto quanto caótico.

 

Dessa vez fomos bem atentas e decididas a visitar Rocky Cay. Na verdade é a Praia mais próxima do centro, ou seja, seria a primeira parada da volta. Realmente não tem sinalizacao nenhuma e para entrar na Praia você estaciona na rua ou num estacionamento que cobra COP 5.000 e entra por um Beach Club.

É possível almoçar por lá e alugar barracas, mas se assim como nós não estiver disposto a pagar por esas regalias, saiba que é muito fácil achar uma sombrinha para ficar.

De lá você pode ir andando a ilhota que fica a frente da Praia e tem também um navio naufragado. No dia que fomos estava nublado e ventando bastante, mesmo assim quisemos nadar até próximo ao navio, mas para ser sincera nao recomendo se no dia o mar estiver bem agitado. Mesmo não estando tão distante da ilhota o mar nessa parte é fundo e não vi nenhum salva vidas nessa Praia.

Eu já tinha visto fotos de pessoas nesse navio, inclusive pulando de cima dele e para ser sincera não tenho a mínima idéia de como conseguiram subir nele.

Ah e vale lembrar que o sapatinho horrível que acaba com qualquer look é sim bem útil pela ilha porque todo lugar parece ser cheio de pedras. Pudemos usar de graça os que tinham no Hostel, mas é possível comprar por menos de COP 15.000.

 

Quisemos ir ao West view mais uma vez e passamos um tempão fazendo snorkel por lá.

Gente a delícia é fazer essa volta sem pressa e parar nos lugares para adimirar a paisagem e também tirar muitas fotos, o lugar é super fotogênico hahahaha

Para devolver as scooters o tanque precisa estar cheio, porém fiquei chocada com o pouco de gasolina que gastamos. Para completar pagamos COP 3.000

Depois de entregar as Scooters fomos jantar num restaurante também próximo ao Hotel Sunrise. Eles tem ceviches, sucos naturais, sanduiches e pizzas. Gastei COP 19.000 numa pizza e num suco natural.

Mais uma vez tentamos fazer o passeio de barco e felizmente a ilha estava aberta neste dia. Os primeiros barcos saem por volta das 9hrs do porto. O camino até Jhonny Cay é impresionante, porque nele é possível ver as mudancas de cor na agua e finalmente entender porque é conhecido por “El mar de 7 colores”.

Pelo que nos explicaram no barco, as mudanças nas cores são por conta da profundidade e também recifes. Mais uma curiosidade, em San Andres está o terceiro maior recife de coral do mundo.

Pagamos COP 35.000, já com a taxa de COP 5.000 para entrar em Jhonny Cay pelo passeio VIP. Então se quem te vender o passeio não falar sobre essa taxa, pergunte, pois caso contrário você será surpreendido quando chegar na ilha e terá que pagar por lá, melhor evitar o susto.

Neste passeio está incluso Jhonny Cay, El acuario, Mantarrayas e os Manglares. Eles vendem como se fosse super diferente e exclusivo, mas na verdade você vai aos mesmos lugares de quem paga COP 25.000 pelo Jhonny Cay + El Acuario, somente passa pelos mangues no final, mas realmente não tem muito o que ver lá. Acho que a maior diferenca é mesmo o horário, você fica mais tempo em cada lugar.

Chegando na ilha levamos um susto, as ondas estavam grandes e todos estavam tendo dificuldades para descer dos barcos. Segundo o nosso guía, a ilha deveria ter sido fechada também naquele dia e acabou acontecendo 30min depois que chegamos.

Eles avisam que vão parar o barco na beira e que todo mundo precisa descer o mais rápido possível. E realmente é assim, você se joga do barco e eles jogam as suas coisas para fora.

A ilha estava completamente lotada, mas nem isso tira sua beleza. Acho que não consegui tirar nenhuma foto que faz juz ao lugar…

Tem restaurantes por lá e o almoço sai por COP 25.000 em todos eles e os drinks COP 12.000. Tem lockers por COP 5.000 para deixar suas coisas e dar uma volta na ilha, que leva uns 15min. E também as barraquinhas com cadeiras para alugar, mas se você andar para a esquerda assim que sair do barco consegue encontrar uma boa sombra nas árvores e quase ninguem te incomoda.

Se você andar para dentro da ilha tem uma área verde cheia de iguanas.

Ai sim chegou a parte complicada do passeio, voltar para dentro do barco, sem brincadeira, é uma batalha! As ondas estavam grandes e jogavam o barco contra a areia. Um homem caiu, eu também quase cai e uma onda molhou todas as minhas coisas, então é bom saber se você tem algo que não pode molhar, coloque em bolsas estanque ou sacolas plásticas, porque durante o trajeto também entra muita agua no barco.

De lá fomos até o El Acuario, que é lindooo!! Dois mocinhos ficam com arraias e você pode chegar perto para “segurá-las”, tirar foto, ficar com medo e tudo mais hahahah

Eu pessoalmente amei, achei uma graça e faria de novo. Fazendo snorkel também vimos um tubarão de coral e muitos peixes. Na verdade por chamar ser chamado de acuario, eu esperava que fosse ver muito mais peixes, mas mesmo assim valeu super a pena.

Por último passamos muito rápiro pelos mangues e retornamos as 17:30/18hrs.

Mais uma vez jantamos um executivo que custou COP 11.000.

 

No último dia, acreditem se quiserem já estavamos cansadas então optamos por relaxar na Praia central o dia todo. Almoçamos no Subway e o sanduiche do dia era de carangueijo, achei bem estranho mas decidi encarar e adorei, COP 7.800.

Para quem se interesar por outras atividades:

Antes de ir quería fazer Parasail, mas acabei desistindo por conta do preço, COP 160.000.

Para alugar um Jetski por 30 min, COP 120.000.

Mergulho com cilindro também é consideravelmente barato na ilha COP 140.000, e esse valor se não me engano era para duas pessoas.

Tem também um tour em caiaques transparentes que parece muito interessante, porém acabei não perguntando o valor. Vi uma plaquinha quando estava fazendo a volta na ilha.

 

Gastos San Andres:

Hostel: 360.000

Taxa de entrada: 105.000

Taxi/ Mototaxi: 15.000

Mascara: 10.000

Restaurantes: 81.000

Mercado: 54.311

Aluguel carro de golf: 30.000

Aluguel Scooter + gasolina: 29.000

Las piscinita/ West View: 12.000

Aluguel Mascara: 30.000

Bebidas: 90.000

Souvenir: 21.000

Total: 822.311

G0502330_Easy-Resize_com.jpg.be7816bb07ced9ae6f278dcd83828e7d.jpg

G0562430_Easy-Resize_com.jpg.73b9f27663eaaabdded54a9daf33f082.jpg

G0201982_Easy-Resize_com.jpg.e199b8308b240021f9c7ab15aea800d5.jpg

G0402170_Easy-Resize_com.jpg.43883188bb20cdadc0c56ba988514857.jpg

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No dia seguinte tinhamos nosso voo de retorno a Cartagena as 7:45 da manhã. Pegamos um Mototaxi para chegar até o aeroporto por COP 2.000.

Se possível, chegue com antecedência. Neste dia a fila estava enorme e nenhum dos atendentes realmente se importa se o horário do seu voo está próximo ou não, o que acaba gerando um certo stress em todos. E também já vá preparado para a dezena de colombianos que descaradamente cortam a fila.

Chegando em Cartagena pegamos um taxi fora do aeroporto para o centro por COP 10.000.

Nos hospedamos no El Arsenal Hostel Boutique e pagamos COP 216.000 cada, por 4 noites. Eu fiquei bem surpresa ao chegar pois o lugar parece mais um hotel, é tudo bem lindo e organizado e o café da manhã está incluso na diária.

Tem piscina, bar e eles também tem serviço de lavanderia por COP 20.000, que você pode dividir com alguém, como eu e minha amiga fizemos.

Este Hostel esta fora da cidade velha, mas fica a menos de 5 min caminhando. Preciso dizer que não é dos mais baratos, é possível encontrar bons Hostels por melhores preços. Porém mais uma vez o fato de deixar para a ultima hora nos deixou meio sem opção.

Neste dia aproveitamos para descansar no Hostel e saimos mais tarde para jantar. Encontramos um restaurante com pratos executivos e também aproveitei para provar a famosa Limonada de côco. Eu amo côco e amo limão, mas nao gostei dessa combinação … de qualquer forma é bem refrescante e vale a pena provar, tudo ficou COP 12.500.

Dentro da cidade antiga, assim que você entra pela Torre del Reloj, é possível ver várias “banquinhas” que vendem diversos tipos de doces, muitos a gente já conhece do Brasil, mas tem muitas coisas diferentes para provar.

No dia seguinte fomos caminhar pelas ruas da cidade antiga e preciso dizer que é simplesmente apaixonante. Tanto no dia quanto na noite, a cidade te encanta.

Tente esquecer um pouco do calor e aproveitar a vista. Se você tiver um boné ou chapéu, essa é a melhor hora para colocar em uso! Caso não tenha, pode comprar um chapéu por lá mesmo.

Esse é mais um momento em que eles falam um preço só de olhar para você, então depende muito da sua cara de turista hahahaha Pelo menos comigo eles começaram a vender o chapéu por COP 35.000, no final paguei COP 15.000, pode negociar que eles cedem.

Conheci muitas pessoas que disseram não gostar muito de Cartagena pois é muito cheia de turistas. Realmente, a cidade estava lotada e os precos se comparados com outras cidades da Colombia são bem altos. Mas da sim para abstrair tudo isso e aproveitar muito.

Nesse dia finalmente me rendi e provei uma arepa de queijo. Essa não era frita, tinha uma textura de pure de batata com queijo dentro, mas o sabor em si não me agradou muito, mas de novo, vale a pena provar e custa COP 2.000.

No terceiro dia decidimos ir até a Playa Blanca na Isla Baru. Estavamos decidimos a ir por conta própria, porém acabamos fechando um tour no caminho da parada do ônibus.

Eu sinceramente achei todos os tours que saem de Cartagena exageradamente caros. Esse para a Playa Blanca era o mais barato e custou COP 50.000, inclue o transporte ida e volta em ônibus e almoço na Praia. Porém a Praia estava completamente lotada e o almoço era bem mal servido, na minha opnião não valia o valor. Me arrependi de não ter ido por conta propria e economizado.

A Praia em si é bem bonita, porém achei a areia um pouco suja. Os barcos também ficam muito próximos a areia e os Jetski quase atropelam todo mundo.

Um tour para Isla del Rosario custa no minimo COP 130.000 pelo dia. Todo mundo que vai recomenda e diz que é lindo, porém não consegui abstrair do valor e acabei não indo.

Neste dia saímos para jantar e encontramos uma pizzaria bem próxima ao nosso Hostel e também próximo a Plaza Trinidad. A pizza é uma delicia e os sucos naturais também, o jantar ficou em COP 17.000.

Já aproveitando para dar um dica, nessa Plaza Trinidad tem varias opções de restaurantes e todos tem uma cara ótima, vale super a pena dar uma passada por lá. Nesta parte da cidade também tem varios grafites, outro motivo para passar por lá.

Ah também fiquei sabendo que tem City Tours gratuitos pela cidade velha e também pelos pontos com grafites, quem tiver interesse da uma perguntada no Hostel, porque infelizmente não tenho as informações certinhas para passar.

No nosso último dia decidimos aproveitar a piscina do Hostel. Saímos no final do dia para asistir ao por do sol no famoso bar Café del Mar.

Os preços no bar são bem salgados, mas mesmo assim vale a pena ir até lá para apreciar a vista que é incrível, afinal você não paga para entrar no local e também não é obrigado a consumir nada.

Fomos mais uma vez até a Plaza Trinidad e comemos hamburgues num dos carrinhos que ficam por lá, COP 7.000

Nesse dia ficamos sabendo de uma festa que podíamos entrar de graça e ainda ganhavamos um Welcome Drink. Pensamos que era um outro Hostel, porém quando chegamos era uma balada. Eram dois andares, um chamado de Ice Room e realmente o ar condicionado era meio que insuportável e na cobertura era um lounge. Era impossível descobrir do que se tratava o Welcome Drink, mas mesmo assim foi muito divertido e valeu a pena. Neste dia tocaram de tudo, rumba, eletronica, salsa e até funk.

Minha percepção geral de Cartagena, se assim como eu você também ta com a grana curta para fazer os passeios de barco, 3 ou 4 dias são mais do que o suficiente para conhecer bem a cidade.

As praias da cidade, Marbella e Boca Grande me pareceram bem ruins, por isso acabei nem parando por lá.

E sim, mesmo sendo lotada vale muito a pena!!

Gastos Cartagena:

Hostel: 216.000

Mercado: 22.102

Restaurantes: 45.250

Tour: 50.000

Taxi: 10.000

Chapéu: 15.000

Souvenir: 5.000

Total: 147.352

Santa Marta

No dia seguinte partimos para Santa Marta, optamos por pegar uma van que nos buscou no Hostel COP 45.000, a empresa se chama SolMar.

Você pode pegar um ônibus que sai da rodoviária, mas acredito que dependendo de onde você estiver não compense muito, pois fica longe do centro, mais longe que o aeroporto.

De qualquer forma, fica aquí o site para consultar: http://www.clickbus.com.co

A viagem de Cartagena até Santa Marta levou mais ou menos 5h.

Fizemos reserva no Hostel Tiki Hut, COP 35.000 por uma noite, também havia piscina e café da manhã incluso, muito bom por sinal.

Neste dia almoçamos num shopping próximo ao hostel. Mais uma vez em busca do que havia de mais barato, comemos lasanha por COP 8.900.

Depois de quase duas semanas por aquí, decidi finalmente comprar um chip local para não depender somente do WIFI nos Hostels. Paguei COP 48.000 pelo chip e por 3g de internet. Mas caso queira pode comprar o chip por COP 5.000 e recarregar sempre que precisar.

Nosso plano para o dia seguinte era ir até o Parque Tayrona, porém somente chegando em Santa Marta descobrimos que precisavamos reservar o ingresso no site pois o parque poderia estar lotado por conta do feriado. Dito e feito, não haviam mais ingressos para o dia 13/04.

Se você for na Baixa temporada e longe de qualquer feriado, pode ir tranquilamente direto ao parque, mas caso não, pode fazer a reserva no site: http://www.parquetayrona.com.co/ escolhendo a zona Tanquila Zaino.

Por conta disso tivemos que mudar nossos planos. Infelizmente o Hostel ja não tinha mais quartos disponíveis e no dia seguinte tivemos que mudar para o El Hostal de Jackie. Paguei COP 74.000 por 3 noites.

Neste dia decidimos conhecer a Praia Bahia Concha em Santa Marta mesmo. A Praia é uma delicia, e se caminhar um pouco consegue encontrar um lugar na sombra sem precisar alugar as tendas e cadeiras. Vale muito a pena se estiver por lá!

Para chegar a esta Praia é preciso pegar um Taxi que te deixa num bairro próximo por COP 5.000, naquele mesmo esquema, negociando o preço. E de lá você pode tanto pegar um Mototaxi quanto ir num carro por COP 5.000. E na volta a mesma coisa, sobe com o Mototaxi e pega um taxi para a cidade.

Eu acordei com o pescoco travado e aproveitei para aceitar uma das dezenas de ofertas de massagens que passam pela Praia. Negociei o valor e consegui por COP 8.000, mas no final acabei pagando os COP 10.000 porque ela mereceu hahahaha Agora não sei se todas são boas ou se eu dei muita sorte mesmo…

No dia seguinte podíamos ir até o parque Tayrona, porém pensamos a respeito e achamos que não valia a pena ir somente para passar o dia, pelo seguinte motivo: A entrada custa COP 47.000 e o parque abre as 8 e fecha as 17hrs. Para chegar a primeira Praia, consequentemente a mais cheia, você precisa caminhar por quase 2 horas. Então não aproveitariamos tanto quanto gostariamos.

Por isso escolhemos passar o dia em Palomino e fazer o que eles chamam de Tubbing, que nada mais é do que descer o rio numa boia de pneu de caminhão.

Pegamos o ônibus no mercado central de Santa Marta por COP 9.000 e levou umas 2hrs. Tenha em mente que os motoristas dirigem como loucos aquí e não seguem nenhuma regra de trânsito, além de correr muito, então esteja preparado. Mesmo com o ônibus já cheio, eles continuam parando para mais pessoas entrarem e se espremerem, então o melhor assento é ao lado do motorista, tem espaço pras pernas e pras mochilas (pequenas).

Chegando lá o sol estava quentíssimo, então decidimos ficar um pouco na Praia e fazer o Tubbing por volta das 14hrs.

Você vai encontrar dezenas de lugares oferecendo as boias e todos com o mesmo valor. De cara eles te falam o valor de COP 25.000 pois um guía te acompanha numa trilha até chegar o rio, mas isso é totalmente dispensável, então o preço vai para COP 20.000.

Eles te levam numa moto enquanto você estranhamente carrega a boia gigante morro a cima. Chegando num ponto você precisa seguir a pé por uma trilha que leva uns 15min e dar inicio a descida. A natureza por lá é linda e é ótimo para relaxar, mas é beeeem demorado. Pode levar água e até um petisco hahaha.

Levamos mais de 2 horas para chegar até a Praia e tivemos que correr para pegar o último onibus de volta, então acho que o melhor mesmo é fazer na parte da manhã caso você não esteja ficando na cidade.

O ônibus de volta também custa COP 9.000 e te deixa no mercado central.

No dia seguinte minha amiga tinha o voo de volta para a Austrália e eu aproveitei a piscina do Hostel durante o dia fui até a marina para ver o por do sol, que por sinal foi divino!

Custos Santa Marta:

Hostel: 106.200

Restaurante: 8900

Mercado: 28.300

Taxi/Mototaxi/Onibus: 38.000

Tubbing: 20.000

Chip: 48.000

Massagem: 10.000

Total: 259.400

Total geral (2 semanas): 1.285.419

Fazendo uma média dos cambios que consegui, COP 770, Total em Reais: R$1670

Depois de Santa Marta segui para Riohacha que é onde estou no momento trabalhando em um Hostel que encontrei no Workaway (para quem não conhece é um site com oportunidades no mundo todo para trocar trabalho por moradia).

Aqui não tem praticamente nada além de uma Praia, mas é a parada dos viajantes que seguem até Cabo de La Vela e Punta Gallinas, que ficam no deserto ao fim da Colombia e é também o ponto mais norte da America do Sul. O que tenho ouvido até o momento é que não é um destino para todos, é um lugar remoto, a agua e a energia sao escassas e também há muita pobreza! É o lar das tribos Wayu então é cheio de cultura!

É também o paraíso para quem faz Kite e Windsurf!

Estou aqui faz duas semana e ainda não encontrei nenhum brasileiro, então acredito que seja desconhecido para nós.

Como não achei nenhum relato sobre esse lugar e ainda não tenho certeza se vou ou não, vou postar fotos com todas as informações sobre como chegar lá com tour ou por conta própria para quem se intessar, porém esta tudo em Ingles.

Fico aquí por mais duas semanas e depois volto para Cartagena. Ainda não sei ao certo em quais outros lugares vou passar, as possibilidades sao Cabo de la Vela, Parque Tayrona, Minca, Taganga. Então vou atualizando meu relato aos poucos.

Até o momento estou apaixonada pelo país e a vontade é de conhecer cada canto. Tem sido uma experiência incrível!

Espero que gostem das minhas dicas e quem vier para Colombia, bom provecho!!

20170410_131024_Easy-Resize_com.jpg.4cea1303086a20ae1c4ad1e2439dc4f7.jpg

IMG-20170410-WA0008_Easy-Resize_com.jpg.279e6f5bbc87a45cc51ce1d4f1abc3c4.jpg

received_890306561144919_Easy-Resize_com.jpg.253c88a2366f58b57ed7ae4037816137.jpg

received_890306297811612_Easy-Resize_com.jpg.c6ad12483fbbe594758a4e7ffeaaa8dd.jpg

IMG_20170415_175516_755_Easy-Resize_com.jpg.5603c0a6a2d244dae8c83da71d8faf7c.jpg

20170426_171932_Easy-Resize_com.jpg.372fda2f83f77d93a17e89880846f985.jpg

20170426_171943_Easy-Resize_com.jpg.74e04fbfe8601d2536bbc8e2818b30fa.jpg

20170426_171956_Easy-Resize_com.jpg.3a5605bcfb61b1197339c925403dad94.jpg

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gastos Riohacha: 494.829

Voltando ao meu relato, vou seguir a partir do momento em que terminei meu voluntariado.

Nesse meio tempo, uma amiga que foi para Cartagena trocou um pouco de dinheiro para mim. Porém o câmbio lá tinha caído para COP 750.

COSTENO BEACH, SANTA MARTA E TAGANGA

Saindo de Riohacha, segui com uma amiga brasileira que trabalhou comigo para um hostel bem famosinho por lá que se chama Costeño Beach. Ele fica direto na praia entre as cidades de Palomino e Santa Marta.

Para chegar lá pegamos um ônibus por COP 15.000 e da estrada pegamos um mototaxi que nos deixou no hostel por COP 3.000.

O lugar é incrível, tem uma estrutura bem legal, com várias redes, cadeiras de praia, rede de vôlei... Não da pra esquecer o repelente! Em 15min eu estava com umas 10 picadas nas costas!

Tenha em mente, que se for pra lá você estará longe de tudo e não tem cozinha, terá que fazer as refeições no restaurante do hostel. No máximo você consegue ir no restaurante do hostel ao lado, que se chama La Brisa Tranquila.

O restaurante parece bom, tem um cardápio com boas opções e os preços até que são acessíveis. No jantar, tem somente uma opção de prato.

Porém infelizmente a noite que passei lá se tornou um pesadelo! Não sei exatamente o que aconteceu, se foi a comida ou a água, mas eu e outras pessoas passamos muito a noite toda. E no dia seguinte a única vontade era de ir embora o quanto antes.

No total paguei COP 52.000, por uma rede, um almoço e um suco.

A fraqueza era tanta que precisei mudar meus planos de visitar Tayrona naquele dia e ainda por cima tive que gastar uma fortuna num taxi pois nem minha mochila eu conseguia carregar, COP 70.000 até Santa Marta.

Esse foi um dia morto pra mim, passei o dia todo dentro do hostel tentando descansar e me hidratar, fiquei no mesmo que havia ficado na primeira parada na cidade, Tiki Hut.

Paguei COP30.000 pelo quarto, COP 2.710 no mercado e mais COP 14.000 num almoço no shopping.

No dia seguinte, segui para Taganga que é uma vila de pescadores que fica em Santa Marta.

O lugar é pequeno, tem uma praia bem legalzinha e pelo que vi tem muita festa! Para chegar lá você pega um ônibus em Santa Marta por COP 1.600. Pela localização do Tiki Hut, tive que pegar dois ônibus e chegando na vila, peguei um Mototaxi pois não sabia onde o hostel ficava, COP 2.000.

Lá me hospedei no Casa Moringa e super recomendo. O lugar é bem legal, parece uma mansão antiga, tem uma cozinha enorme e bar e piscina no rooftop.

Meus gastos foram, COP 25.000 pela acomodação (num quarto de 8 camas com ar condicionado), COP 5.000 no mercado e COP 15.000 num jantar no próprio hostel.

Custos:

Hostel: 85.000

Restaurante: 44.000

Mercado: 7710

Onibus: 18.200

Taxi/ Mototaxi: 72.000

Total: 226.910

PARQUE TAYRONA

Finalmente consegui ir para o parque!!

Deixei meu mochilão no hostel em Taganga e peguei um ônibus para Santa Marta, que leva somente uns 15min, COP 1.600, de lá peguei o ônibus que passa pelo parque, COP 7.000.

Na entrada encontrei um amigo que também havia trabalhado no mesmo hostel que eu e caminhamos juntos. A entrada no parque estava por COP 44.000 para estrangeiros, porém na alta temporada o valor é de COP 47.500.

Da entrada você pode pegar uma van que te deixa no estacionamento e te pouco 1 hora de caminhada, COP 3.000.

À partir desse ponto, você precisa caminhar 1:30h até o primeiro camping disponível. Este tem o valor mais caro, porém pelo que vi, a melhor estrutura. São COP 35.000 para dormir numa rede. Caminhando mais 15min você chega no segundo que se chama Dom Pedro. Este é bem beeeeem ruinzinho, porém por COP 15.000 você pode dormir nas redes. E por último e já no destino final e mais popular, está Cabo San Juan, COP 25.000 pela rede e COP 30.000 pela barraca.

Como era baixa temporada não nos preocupamos em reservar, porém, caso vá na alta temporada, reserve seu lugar na entrada do parque, pois pode acontecer de você caminhe 2:30h e não tenha mais lugares disponíveis no camping.

Em Cabo não tem cozinha e o restaurante tem preços um pouco abusivos, então vale muito a pena levar algumas coisas como pão, latas de atum, frutas, biscoitos... com relação a roupas, leve somente o necessário! O melhor é deixar seu mochilão ou mala no hostel que esteve anteriormente e levar poucas coisas pra lá, pois caminhar naquele calor com uma mochila pesada, não vale a pena.

Também vá desapegado(a), o lugar é bem simples!! Fica no meio do nada, as redes não tem redes de mosquitos, então se previna. E os banheiros são completamente cheios de insetos hahaha Vale a pena levar uma lanterna, bastante água porque lá é caro e não esqueça de jeito nenhum o repelente.

Por lá as paisagens são incríveis, alguns pontos realmente parecem intocados! Porém muitas das praias são proibidas para banho por conta do força do mar, então vale a pena tomar cuidado.

Passei o dia comendo as coisas que tinha levado e deixei pra gastar somente com o jantar e paguei COP 17.000 num macarrãozinho beeem fuleiro, COP4.000 num coca e COP 5.000 numa cerveja.

O dia seguinte estava bem nublado então resolvemos ir embora cedo, nos preparamos e mais 2:30h de caminhada. Mais uma vez pegamos a van por COP3.000.

Na saída peguei um ônibus para Santa Marta COP 7.000 e de lá um ônibus para Taganga, COP 1.800.

Custos Tayrona:

Onibus/ Van: 23.400

Entrada Parque: 44.000

Camping: 25.000

Restaurante: 17.000

Bebidas: 9.000

Total: 118.400

TAGANGA e CARTAGENA

Pelo cansaço, optei por dormir mais uma noite na Casa Moringa ao invés de seguir para Cartagena.

Outra vez fiquei sem dinheiro e esse hostel não aceita cartão, portanto tive que ir até Santa Marta para trocar e voltar. Ônibus COP 3.200. O cambio em Santa Marta é bem ruim, portanto não deixe para trocar lá, COP 600. Passei também no mercado, COP 9.527.

Após pagar pela noite, COP 25.000, segui para Cartagena. De lá tem a opção te pegar a van MarSol por COP 55.000. A vantagem é que é porta à porta, porém o preço é um pouco alto se comparado com o ônibus saindo da rodoviária que é COP 22.000.

Então peguei um ônibus de Taganga até a rodoviária COP 1.600 e da lá um para Cartagena. A rodoviária de Cartagena fica bem longe de tudo, se estiver sozinho e for chegar a noite, melhor repensar pois pode ser um pouco perigoso. Um mototaxi até o centro custa COP 10.000 então um taxi deve ser pelo menos COP 15.000. Eu que precisava economizar mais do que nunca, peguei outro ônibus, que levou quase 1:30h...

Em Cartagena fiquei no mesmo AirBnb que já tinha ficado no primeiro dia e como a reserva é feita pelo site, paguei no cartão o valor de R$ 43,00. Como já estava tarde, apenas jantei num fast food, COP 11.900.

No dia seguinte fui ao centro com um coletivo COP 2.000, para trocar mais dinheiro, e realmente em todas as casas de câmbio o valor era de COP 750. Fui ao mercado comprar comida para levar ao meu próximo e último destino COP 37.348. Voltei à casa também com coletivo, COP 2.000.

CUSTOS

Mercado: 46.875

Restaurante: 13.400

Transporte: 34.900

Total: 95.175

1.jpg.f11e66847801a420c7981bfac7d5e944.jpg

2.jpg.b95aaa1d84b96d2021ccbeef7060bb0d.jpg

3.jpg.669725ae2cb14f48b7d72e24524c4428.jpg

4.jpg.9273f6d30ed33ac032021b678d85e538.jpg

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

RINCON DEL MAR

Eu não sabia da existência deste lugar, essa é a verdade! Hahaha Eu estava na busca por um lugar diferente para terminar minha viagem e foi quando me falaram deste lugar. Para quem já ouviu falar do hostel Casa en El Agua, nas Islas San Bernardo, essa é a cidade mais próxima para seguir até lá.

Para chegar deu um pouco de trabalho, confesso. Tive que pegar um coletivo até o ponto de ônibus, pegar um ônibus até a rodoviária de Cartagena e de lá um outro ônibus até San Onofre. Chegar nas rodoviárias da Colombia chega a ser engraçado, você mal pisa dentro e dezenas de pessoas ficam gritando e perguntando para onde você vai, caso não seja para o lugar onde estão oferecendo as passagens, eles te levam até o guichê certo. Ou seja, não tem muito como fica perdido, ou em paz... Eu já havia pesquisado a passagem na internet para ter noção de valor e recomendo que você sempre faça o mesmo, caso contrário vai acabar pagando bem mais caro. Eles começaram me dizendo que custava COP 30.000, porém quando eu aleguei que sabia que o valor era COP 20.000, eles aceitaram como se estivessem abrindo uma exceção para mim, até parece.

O ônibus na verdade era uma van, eles esperam ela lotar e só assim saem. O caminho até San Onofre dura quase 2 horas. Chegando lá, eles te deixam num posto de gasolina, mas mais uma vez não tem como ficar perdido e em paz. Sem exagero, umas 10 pessoas ficam em volta de você gritando e tentando te convencer. Eu tentei umas 3 vezes pedir que me dessem um pouco de espaço para que eu pudesse ajeitar minha mochila ou até mesmo respirar, porém não tive sucesso hahaha

O mototaxi até Rincon custa COP 10.000 e leva de 30 à 40min, a estrada é de terra e se tiver chovido acredito que possa até ser um pouco perigoso pois eles não estão nem ai pra nada, essa é a verdade.

Já tinham me recomendado o Hostel Mamallena, porém tem também um outro que agora não me lembro o nome. Fora esses dois, tem outras poucas opções de hotéis. Esse lugar realmente não é muito turístico, acredito que estão começando a se desenvolver mais agora.

O hostel é uma delícia, pé na areia, mas tudo bem simples! O quarto com ar custa COP 30.000 e o sem COP 25.000. Fiquei no sem ar e realmente não senti falta, mas fica a critério de cada um.

Já adianto que lá não tem muito o que fazer além de relaxar!! Fui sem planos e no mesmo dia chegaram mais 3 pessoas na mesma situação que eu, éramos os únicos por lá... Fui ficando, ficando e no final foram 6 noites hahahaha

Como levei bastante comida, fui somente um dia num restaurante e paguei COP 15.000 por uma refeição deliciosa!! Um peixe feita na folha de bananeira que só de lembrar da vontade. Infelizmente não me lembro o nome do restaurante, mas tem muitas opções por lá, mesmo!

E no mercadinho de lá, só comprei algumas coisinhas que faltaram e cervejas. Se você quiser cozinhar, vale mais a pena comprar as coisas antes de ir, pois lá é mais caro e não tem muita opção.

A vila é bem pequena, vale a pena dar uma volta a pé para conhecer um pouco. As ruas são de terra, as crianças todas brincando de bolinha de gude ou correndo pela praia e em alguns lugares você vê até porcos andando por ai.

Como disse anteriormente, lá é o ponto mais próximo para visitar as ilhas de San Bernardo. Minha vontade era passar pelo menos uma noite em uma das ilhas porém o valor do barco é um pouco pesado... COP 50.000 por trecho.

Então fiz somente o passeio durante o dia por esse mesmo valor. O trajeto até a ilha leva uns 45min. No meio ele para que você possa mergulhar e ai minha surpresa, o mar é incrível! Me lembrou muito San Andres.

Depois o barco vai até a Santa Cruz Del Islote, que segundo eles é a ilha mais populada do mundo, se é verdade eu não sei. Mas realmente ela é bem pequena e toda tomada por casas. Tem um aquário de tubarões e também é possível fazer um tour pelo meio da ilha, mas ninguém do nosso barco quis fazer.

Saindo de lá passamos pelo Casa en El Agua e pra ser sincera foi uma decepção... pelas fotos que você vê na internet a impressão é de que o hostel fica completamente isolado e longe de tudo, mas a verdade é que ele fica à uns 30m da ilha e me pareceu bem um zoológico humano, pois todos os dias vários barcos passam por lá para que as pessoas vejam de perto hahahaha Pelo que fiquei sabendo o valor é mais ou menos COP 55.000 para dormir numa rede.

Seguimos para a Isla Tintipán. Tava bem cheio por ser feriado, mas mesmo assim deu para aproveitar bem. O barco nos deixou numa parte quase que deserta da praia que mais parecia uma piscina. Caminhando por 5 minutos chegávamos a parte cheia, onde tinham bares e restaurantes. Lá comi uma porção de Patacóns por COP 7.000 e uma cocada por COP 1.500.

Pra minha felicidade, lá é cheio de estrelas do mar!! Como eu tinha caçado elas em San Andres mas não tinha encontrado nenhuma, quase surtei quando achei duas de uma vez lá 

Saindo de lá ainda tínhamos mais uma parada, na Isla Mucura. Eu tinha encontrado um hostel muito legal por lá e era onde eu gostaria de ter ficado, Hostel Isla Mucura. Acho uma ótima alternativa ao Casa em El Agua para quem quiser ficar numa ilha e não conseguir um lugarzinho no tão disputado hahaha Ele fica no lado mais isolado da ilha, portanto tem bastante paz! Por lá também a água é cristalina, uma verdadeira piscina com estelas do mar hahaha

Tem muitos hotéis lindos por lá viu, mas não sei nomes e muito menos valores....

Depois disso seguimos de volta a Rincon.

Tem outras opções de passeios por lá, um que me chamou muita a atenção foi o Plancton Noturno, infelizmente já não tinha mais tanto dinheiro e não pude fazer. Custa COP 50.000 e todo mundo que fez disse ser incrível, sai as 18:30h.

E assim finalizei meus dias nesse paraíso quase que desconhecido.

Custos:

Hostel: 160.000

Restaurante: 23.500

Mercado: 19.700

Passeio: 50.000

Total: 253.200

CARTAGENA

No meu último dia segui para Cartagena bem cedo. Mesmo caminho, peguei um Mototaxi até San Onofre, COP 10.000 e um ônibus até Cartagena, COP 20.000. Chegando lá eu já estava bem cansada e negociei com um mototaxi para deixar próximo a casa que eu ficaria e ele me levou por COP 8.000. Fomos loucamente na moto enquanto eu comia um dedo de queijo e bebia uma coca-cola que me custou COP 5.000.

Depois de descansar um pouco, fui até o centro de Cartagena para ver a cidade uma última vez e comprar algumas coisinhas para trazer. Comprei vários pacotes de café Juan Valdez, alguns docinhos e também algo para comer no jantar e cafá da manha, COP 82.466.

O dia seguinte foi meu dia de partir, peguei um taxi até o aeroporto por COP 7.000 e assim teve fim minha aventura.

AirBnb: 35.000

Transporte: 49.000

Mercado: 82.466

Restaurante: 5.000

Total: 171.466

Total geral: 1.359.980

Pela média dos câmbios que troquei nesse período COP 725, o valor em REAIS é de 1875.

Valor 1º período R$ 1670 + 2º período R$ 1875 = TOTAL EM DOIS MESES R$ 3545

Esse valor poderia ser exato se eu não tivesse cometido a falha de não trocar dinheiro antes de ir para a cidade que fiz o voluntariado... Infelizmente tive que passar tudo no cartão o que literalmente me FERROU por conta do IOF de 6% :(

O que eu posso dizer é que eu amei a Colombia! Para mim foi mais uma experiência incrível e enriquecedora. Quem ta se planejando, boa sorte e aproveite muuuuito!! Hahaha

Realmente eu vi muito pouco do que o país oferece, por tudo que eu ouvi, pelas pessoas que conheci, tem muitos outros lugares interessantes por lá, que com certeza valem muito a pena serem visitados. Sair um pouco da rota turística pode trazer surpresas, como já falei anteriormente no meu relato, a grande maioria dos brasileiros vai somente a Cartagena, Bogotá, Medellin e San Andres....

Pra quem interessar, vou citar alguns lugares que tive boas recomendações: San Gil, Salento, Cali, Eje Cafetero.

Espero que ajude os próximos viajantes :)

5.jpg.86bd1f80e30b1f63182a0979cc188e24.jpg

6.jpg.2638bb34e0b4ebddfae7999ac8e7b0bf.jpg

7.jpg.e0e31b04609d2db62ecc68ac266e441d.jpg

9.jpg.49e2d5cbad1ba5958db20ed3797789a0.jpg

10.jpg.9c64a8a7f5178f26eac126750f401a51.jpg

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá! Vou a Bogotá e San Andrés em julho e adorei o seu relato, foi extremamente útil, principalmente sobre os valores atualizados das coisas.

Muito obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem legal seu relato Amanda! Parabéns! ::otemo::

 

Eu estive na Colômbia em 2015 e fiz o tour pra La Guajira e adorei (fiz um relato sobre isso). O passeio de 4x4 me lembrou de certa forma o passeio para o Salar de Uyuni!

 

De toda forma, fiz esse passeio via agência/tour e achei bem legal! Uma pena que poucos brasileiros conhecem La Guajira! Me pareceu um passeio complicado de ser feito independente (ainda mais pra quem tem pouco tempo de viagem), de toda forma, se vc conseguir detalhes de como fazer isso independentemente agora que está aí em Riohacha, deve ajudar bastante gente aqui que tenha interesse em conhecer essa região.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá! Vou a Bogotá e San Andrés em julho e adorei o seu relato, foi extremamente útil, principalmente sobre os valores atualizados das coisas.

Muito obrigada!

 

Obrigada!!

Aproveita muito pq a ilha é incrível!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bem legal seu relato Amanda! Parabéns! ::otemo::

 

Eu estive na Colômbia em 2015 e fiz o tour pra La Guajira e adorei (fiz um relato sobre isso). O passeio de 4x4 me lembrou de certa forma o passeio para o Salar de Uyuni!

 

De toda forma, fiz esse passeio via agência/tour e achei bem legal! Uma pena que poucos brasileiros conhecem La Guajira! Me pareceu um passeio complicado de ser feito independente (ainda mais pra quem tem pouco tempo de viagem), de toda forma, se vc conseguir detalhes de como fazer isso independentemente agora que está aí em Riohacha, deve ajudar bastante gente aqui que tenha interesse em conhecer essa região.

 

Obrigada!!

Sim, realmente é uma pena que quase nenhum brasileiro venha para cá.

Espero que quando voltar ao Brasil possa passar as dicas de Cabo em Portugues hahaha

Pelo que tenho ouvido até o momento nao é complicado nao. Todos os dias muitas pessoas saem do hostel e vao por conta, mas é sim mais trabalhoso....

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Luizapcfranco
      Olá...
      Estou indo sozinha por 13 dias com voo de ida e volta para cartagena... Final de janeiro e volto 12 de fevereiro.
      Queria saber quais ilhas são legais de dormir.. para quem está indo sozinha.
      Não quero fazer só bate e volta e quero fugir daquelas praias lotadas de famílias ..
      Alguma dica e sugestão de 2 ou 3 lugares para eu ir saindo de cartagena?
      Santa Marta vale a pena???
      Obrigada
    • Por Alex Todeschini
      Esse roteiro descreve 14 dias viajando entre Colômbia e Equador em Abril de 2016. 

      Colômbia
      11-Fev (Quinta): Saída de Porto Alegre pela LAN às 10:30 com conexões em Guarulhos e Bogotá pela LAN para assim chegar ao destino (Cartagena) às 23:30 onde passei a noite no El Viajero hostel.

       
      12-Fev (Sexta): O dia iniciou com uma calorosa recepção na área de café do hostel que em pouco tempo pude trocar experiências com pessoas de diferentes lugares. Durante a manhã foi aproveitado o tempo de espera do check-in no próximo hostel e conhecer a Cidade amurallada,  Casa Gabriel García Marques e o Café del mar (recomendado no final da tarde), onde teve o primeiro negócio (eles adoram) para comprar uma pulseira com Andrés, simpático vendedor que mais adiante me pareceu como sendo uma das características desse povo. No início da tarde um City tour de Chiva (ônibus sem porta) passando por Boca Grande, Castillo San Felipe,  Convento Santa Cruz de la Popa, Torre del Reloj, Catedral Metropolitana, Monumento Zapatos Viejos, Conventos e Plaza Santo Domingo. A noite buffet de cerveja (Club Colombia, Aguila, Pilsen) en Donde Fidel (lugar muito boemio) e final da noite regrada a salsa no Cafe Havana.

      13-Fev (Sábado): Saída para Isla Grande (50.000 COB) às 8h. Espera para saída em torno das 9:30 com a mare baixa, assim foi uma tranquila viagem de 1h. Hospedagem em barraca com café,  almoço (arroz com coco e Patacon que parece uma banana frita) e janta por 140.000 COB. Após comer um delicioso peixe, o dia foi para aproveitar a natureza da ilha e relaxar.  A noite começou com umas cervejas e Rum junto com outros hóspedes e logog mais em um povoado próximo (15 minutos caminhando) com os nativos.

      14-Fev (Domingo): Aproveitado a manhã no paraíso, seguido de mais um negócio, agora com Andi, outro vendedor simpático determinado em fazer a compra baixou o preço de um colar de 60.000 COB por 22.000. A tarde barco até Playa Blanca no arquipélago del Rosario (15.000 COB), com adrenalina por 25 min. Busca por dormitórios barato, sendo a melhor oferta um quarto por 60.000 COB, havia opções mais baratas, mas com a taxa de conversão do dólar não valia a pena (Dica, lembrar de levar peso pois não aceitam cartão), outras opções ainda mais em conta era dormir em rede.

      15-Fev (Segunda): Um pouco mais de praia em águas caribeñas e saída a tarde de carro (60.000 COB) de volta a Cartagena para assim partir de ônibus para Medellín às 18h. Antes da saída foi provado o refrigerante Pony Malta, que entendo como alguém deve pode gostar.
      16-Fev (Terça ): Após 15 horas de viagem, chegada a terra de Pablo Escobar hospedagem no Hotel Nuevo Samaritano (34.000 COB) Internacional (23.000 COB) na "La Candelaria" . Passeio pela cidade, primeira volta no metro que impressiona na organização e visita ao parque Pies Descalzos e centro de convenciones y exposiciones Plaza Mayor onde foi provado o michelado (cerveja com limão e sal), o Museo del Agua estava fechado devido efeito El niño. A noite foi provado o Refaro (bebida com refrigerante colombiano e cerveja Pilsen).

      17-Fev (Quarta): TurBus de Chiva (23.000 COB) ônibus sem porta) saindo pela Plaza Botero com primeira parada no Parque dos Deseos e visita ao Parque Explora que é realmente incrível devido o volume de informação, disposição das pessoas para explicar, cada um dos atrativos e atividades interativas. Passeio no Metro Cable qué sai de Niquía (fantástico) e Pueblito Paisa. 

      18-Fev (Quinta): Visita ao Museo Antioquia (10.000 COB) e conhecer a história de Botero, artista famoso por suas obras em que aplica técnicas de volume, o museu é muito grande, com amostras de outros artistas desde arte abstrata a trabalhos audiovisuais com objetivo de trazer a tona problemas sociais. Saída de ônibus para Bogotá (60.000 COB).

      19-Fev (Sexta ): Hospedagem no hostel Internacional (23.000 COB) seguido de caminhada pelo centro da candelária, senso durante a caminhada possível ver a troca de guarda da polícia colombiana.  Passeio pela plaza Bolívar cercada pelos edifícios capitólio, palácio da justicia, la Alcaldía e claro a catedral. As pombas na praça e os protestos dos vendedores ambulantes por melhores condições fez parte das atrações.

      20-Fev (Sábado): Caminhada pelos pontos não percorridos, visita pelo museu da polícia onde se pode perceber uma excelente organização nacional para melhor segurança do país em diversas áreas. A noite, a saída estava programada para um bar chamado "Quiebra Canto", mas foi abordada devido o vazio das ruas.

      21-Fev (Domingo): Visita ao Cierro Monserrate usando o funicular para chegar ao topo (5.000 COB) , apesar do dia fechado a visita é indispensável seja pela vista ou sensação de tranquilidade. Saída para quito através de Viva Colombia (US$ 118,00), chegada no final do dia com transporte até parte histórica (US$ 27,00) e hospedagem em B&B (US$ 10,00).

      Outros destinos: Gostaria de ter feito o caminho sugerido em outros post de ônibus para conhecer Cali (Bogotá -» Cali -» Ipiales -» Otavalo -» Quito) mas necessitava mais tempo.
      Equador
      22-Fev (Segunda): Caminhada pela cidade e passeio por alguns dos pontos turísticos (Iglesia La Companhia e La Basílica, Calle das siete cruzes,  Plaza Grande, Plaza García Moreno, Mirador El Panecillos. Durante a noite visita dos bares na zona La Mariscal (Dirty Sánchez, El poblé diablo,...)

      23-Fev (Terça): Visita a Ciudad Mitad del Mundo e museo Intiñan.

      24-Fev (Quarta): Saída de Quito com trolebús até estação de Quitumbe (US$ 0,25) e ônibus até Baños 1.800m (US$ 4,45). Chegada no final da tarde e hospedagem (US$ 10,00).
      25-Fev (Quinta): Início do dia com rafting (US$ 25,00) nível III seguido de almoço pela agência Wonderful Ecuador. Durante as atividades amizade com pessoal incrível de Guayaquil, logo seguimos com Canopy de 1000m sobre o rio (US$ 15,00), visita a cascata Pailón del diablo (US$ 1,50) e "el Casa del árbol" que fica atrás do Volcan Tungurahua a 5.016m (US$ 1,00).

      26-Fev (Sexta): Saída às 11h para Guayaquil com carona.  Chegada no final do dia porque havia rompido uma ponte, logo tivemos que tomar rotas alternativas. Parada durante a viagem para provar fritada (Prato com pedaços de porco com batata frita preparada com cebola em formato de hambúrguer). No final do dia vista a praça das iguanas (incrível para quem nunca viu) seguido de um passado pelo Malecón. Van até Montañita porque o último ônibus das 18:30 já havia partido (US$ 10,00). Chegada às 23h e busca por hostel, existem vários mas fiquei no mas conveniente Borbor que pertence a surfista (Hamilton) por US$ 5,00.
      27-Fev (Sábado): Passeio pela praia durante o dia e reencontro de vários amigos feitos durante o percurso até o hostel (incrível a simpatia de todos). Saída de Montañita para Guayaquil às 18:30 (US$ 6,00) chegando às 9:30.

      28-Fev (Domingo): Retorno Brasil as 5:30 da manhã pela Lan até Lima, TAM até Guarulhos e TAM até Porto Alegre.
      Outros destinos: Entros lugares muito bem recomendados que não pude conhecer nesta viagem foram Cuenca, Otavalo, Rota do Sol e Galápagos.
       

    • Por Jonas Silva ForadaTribo
      Bom, depois de muito andar, ter experiências incríveis, nossa ultima base antes de mergulhar terra a dentro: chegamos na Ponta de Santa Marta no final do dia 5. Havia sido o dia mais longo e cansativo até agora. Escolhemos uma pousada, pé na areia, para ficar as ultimas noites à beira mar. Afinal o retorno seriam quase 900 km dirigindo, era primordial descansar cada músculo.
      Logo que fizemos o grande contorno no sentido sul para pegar a estrada do Farol já me surpreendi: eu esperava uma costeleta de areia, como aquelas que me acompanhavam desde a Guarda, que nada, uma bela rodovia como um mar de azeite, até o carro parecia sussurrar aliviado. Como era noite, praticamente, só deu tempo de achar a pousada tomar um banho e descansar na rede, lá fora uma tempestade se desenhava. Ainda pude ver as luzes do Farol, incansáveis a embalar os corações dos navegadores.
      No dia 6 acordamos um pouco mais tarde do que tínhamos habituado, às 07:00. Um desjejum já esperava na recepção, foi o tempo de comer e reunir a tralha numa mochila. Estávamos nós pelo costão rumo a Praia Grande, numa trilha interminável.

      Foram 2 h caminhando; saímos da Prainha do Farol, passamos pelo Morro do Céu, paramos numa velha cabana de observação dos pescadores, até que chegamos. Aqui dá para entender a dimensão da Praia Grande, um mar de areia grossa e amarelada, bastante reta a ponto de não ser muito bem definido aos olhos os contornos da Praia da Galheta a 4 km dali. Ademais a praia fica toda cercada pelas dunas de areia, confundindo ainda mais nosso sentido. Quase deserta, com água limpa e calma é um bom refúgio para um banho mais reservado. Éramos sós ali.

      Atrás, se desenham o Morro do Ceú e alguns Sambaquis (montanhas formadas pela disposição de conchas, já extintas, que serviam de alimentação para povos primitivos que habitaram ali).

      De baixo eles são grandes, mas lá de cima da pra imaginar como os Sambaquianos tinham apetite. É possível ter uma visão 360º desde o Farol, passando pela Praia do Cardoso, da Cigana, Lagoa da Cigana, vilas de pescadores, rodovia, Dunas, Galheta, voltando para o Farol, tudo emoldurando um vale imenso e árido que mais parece solo marciano.

      Voltamos para a Ponta, queríamos conhecer o Farol (todo construído com óleo de baleia). O ponto continental mais a Leste da Região Sul. A área é militar então só ficam abertos os portões que dão proximidade à base durante o dia. Algumas trilhas no meio da vegetação rasteira, onde cobras trafegam faceiras, é bom tomar cuidado, levam o curioso para observar a grande torre que como um oásis no deserto, está para os barcos à noite. Não tínhamos autorização para entrar no Farol, logo tivemos de se contentar com imaginação de como é lá dentro.

      Depois de repor as energias, às 15:00 trocamos a tralha e partimos conhecer a Praia do Cardoso e Praia e Morro da Cigana. Não deu pra resistir e caímos na água já no Cardoso, uma água limpa e calma, onde as ondas mais parecem solavancos da estrada.

      Pelo menos 50 m dentro da água o mar não tem mais de 40 cm, a diversão da molecada. Se divertimos um tanto. Então, partimos pelos nada menos que 3 km de areia que separam as duas praias. Primeiramente subimos o Morro da Cigana de onde pudemos ter uma visão incrível das duas praias e de um pedaço da Lagoa mais continental. O Morro também parece marciano, pedras enormes quase cobertas pela areia que insiste em se deslocar pelo vento.

      Encontramos um casal de Tubarão que frequenta aquelas praias a 40 anos, e nos relataram as inúmeras mudanças que viram, assim como as surpresas que as dunas preparam a cada temporada. Ao descer do Morro um dejavu: o sonho noturno de um celular caindo nas pedras, como não sou supersticioso ignorei e coloquei-o exatamente no bolso que o senhor do sono tentou me avisar, e lá se foi como num filme desses que fazem por aí. Nosso plano era ver o Pôr do Sol ali no Morro depois de um banho naquela maravilha da Cigana, contudo até este foi abortado. No horizonte nuvens negras piscando raivosas fizeram nossas pernas ganharem vida rapidamente, chegamos na vila com a chuva.
      Deu trabalho mas achei um café em uma padaria, no apagar das luzes. De brinde ainda ganhei o carinho de um felino (gato) que andava ali.

      Foi mais uma noite observando a tempestade, o que deu ideia da importância do Farol.
      No dia 7, reunimos tudo logo cedo, e de mala e cuia partimos para as últimas paradas no litoral. Garopaba do Sul, Barra do Camacho e outros balneários se confundem numa vastidão de areia que parece não ter mais fim, até mesmo Poseidon dá a entender que está cansado de agredir o continente. As ondas se tornam longas dobras na água, a areia aparenta engolir o mar aos poucos.
      Retornamos à SC100, rumando para a Serra do Rio do Rastro. Conosco uma certeza: numa próxima temporada, de 4x4, vamos seguir por essa infinitude até o Arryo Chuy.
    • Por flrc888
      Saudações Amigos!
      Meu nome é Franco Coimbra, sou de Minas Gerais. Sempre gostei de viajar, ônibus, avião, trem. Nunca tinha saído do País e achava que não tinha condições para isso. 
      Achei o site mochileiros.com, por acaso na net, é comecei a ler. Entre relatos de viagens, tutoriais, fui apreendendo formas de viajar barato. Muitos relatos de viagem me tocavam, as pessoas estavam sempre felizes amadurecidas e ansiosas, já planejando uma nova viagem. Agora tenho o maior prazer de ajudar e retribui toda a informação que consegui neste site.
       
      PLANEJAMENTO
       
      Transporte: Tenho uma facilidade com internet pois trabalho com tecnologia.
      Depois de várias buscas de preços descobrir que a melhor formar é se cadastrar no site Skyscanner. Após o cadastro, você criar um alerta de preço no trecho pleiteado. Fiz isso em janeiro de 2018. Em fevereiro comprei uma passagem Brasília a Campo Grande por R$179 incluindo bagagem. Também uma de Bogotá a São Paulo, com escala em Fortaleza por R$ 680,00, todas da Avianca.
       
      O resto do trecho foi todo de Bus, usei as páginas Busbud e redbus para estimar o preço das passagens para o planejamento. Felizmente não usei o sites para realizar a compra, pois a vista é bem mais barato. Os ônibus em geral são mais confortáveis e baratos que no Brasil. Em países como Peru e Bolívia tem serviço de bordo, e telas de interatividade. As passagens são pechichaveis pode se fazer um leilão indo em várias empresas, mais não deixem de conferir a qualidade das avaliações nos sites que vendem passagens. Foram milhares de quilômetros admirando paisagens deslumbrantes pela janela. Andei em empresas como Copacabana, Trans Titicaca, Oltursa, Tepsa, Civa, Berlinda del Fonce, Ochoa e Bolivariana. Não tive nenhum problema.
       
      Fiz uma planilha com a estimativas de custo, e levei 10% a mais. Fiz uma planilha, que ao longo da viagem fui trocando os custos estimados pelos custos reais.
       
      Pará reservar acomodações e estimar custos de hospedagem, usei Hostel Word e Booking.
       
      A VIAGEM
       
      Santa Cruz de la Sierra
      Realmente fiquei só um dia pra descansar, pois fui de bus de Campo Grande a Corumbá e de Puerto Quijarro a Santa Cruz. Não fui de trem da morte, porque estava caro no dia, em relação ônibus.
       
      La Paz
      Um choque cultural, muito bonito e diferente. Um povo amável que lhe mostrará outros níveis de humildade.
      Do taxi ao Uber, tudo muito barato. Deliciosas sopas, empanadas e sal tenhas. Fiquei no Llmas Hostel, próximo a praça Espanha e teleférico. Passei mal, uma forte dor de cabeça, mais nada que Sirochi Pill não resolvesse. Encontrada em qualquer farmácia custa cerca de R$2.00. Fui a todos os parques, praças, miradores e no teleférico. Na noite fui a disco chamada fórum. As pessoas são muito preconceituosas com a Bolívia, La Paz é bonito e seguro.

       
      Copacabana
      O lago titicaca é fantástico, a cidade é pequena e acolhedora. Fiz o passeio na Ilha do Sol. Paisagens perfeitas.

       
      Cusco
      Em Cusco os preços sobem um pouquinho. Pra economizar é só fugir da rota turística e ir a mercados e restaurantes frequentados por nativos.
      Recomendo o passeio ao Vale Sagrado. Cerca de R$70,00 com almoço buffet. Se conhece as Salineiras, Olaytaitambo, e muita histórias e ruínas do povo Inca.
      Machu Pichu é caro. Recomendo ir de Van até a hidrelétrica, seguir a pé até Águas Calientes, descansar em um Hostal, e subir no outro dia a Machu Pichu, fica cerca de R$230,00. Ao lado da igreja, na praça de Armas, existem 2 Pub s muito legais para sair na noite.

       
      Lima
      Fiquei num excelente Hostel perto do mar, na região do Barranco, na minha opinião a parte mais bonita da cidade.
      Fiz muitos amigos no Hostal.

       
      Mancora
      Passei do ponto no ônibus, tava dormindo e desci 20km depois num posto de fiscalização. Voltei de carona num ônibus que vinha de Caracas a Lima de refugiados Venezuelanos. Muito triste a situação, gente com a roupa do corpo e 20 dólares pra começar uma vida nova em Lima.
      Foi uma das minhas preferidas. Cidade puquena sem muita infraestrutura. Mais fiquei num Hostel chamado Misfit, fica 1km da cidade. Os quartos são suítes de madeira e palha. Muita tranquilidade e gente agradável. O tempo para. Lugar excelente pra relaxar. Amei.

      Cuenca
      O Equador é lindo. É hoje na minha opinião o país que tem melhor qualidade de vida. Quero trabalhar e viver um tempo no Equador, conhecer melhor o país. Passei no Equador rápido porque estava atrasado no tempo. Fui a Cuenca e de passagem por Guayaquil e Quito.
       
      Medellín
      Cidade fantástica, povo amoroso. Muito organizada, excelente sistema de transporte. Conheci o centro, o teleférico, o centro, o estádio.
       
      Cartagena
      Lidissima cidade, mais não deve sair do centro histórico. A cidade tem altos índices de assalto. Mais relativamente segura no centro. Recomendo passeio completo nas ilhas do rosário. Custa cerca de R$100,00. Inclui almoço e um passeio de Snooke muito bom. A praia Baru é super explorada comercialmente. Não sou contra quem tá correndo atrás do seus sustento, mais os vendedores são muito importunadores.

       
      Santa Marta
      Pelo menos uma vez tinha que me hospedar em um party hostal. Fiquei no Brisa Loca, tem um bar, e uma boate no terraço. Quem não gosta de festa não pode ficar lá. A música cessa só as três da madrugada. Muito boa.
       
      Bogotá
      Fiquei na região da candelária. Conhecia só locais próximos que dava pra fazer a pé e de transporte público. Gostei do clima fresco.
       
      DINHEIRO
      A melhor forma que encontrei, é levar um poço de dinheiro numa doleira. O resta deixa numa conta brasileira. Assim baixei o app da western Union e envia via app do meu banco e depois de meia hora sacava em uma loja local da western Union.
       
      PERRENGUES
       
      O tempo foi curto, talvez o trajeto deveria ser menor.
      Dava pra ter feito trechos de voo, se me programasse e comprava a passagem uma semana antes. Teria ganha tempo. E na maioria das vezes é mais barato que onibus.
      Já na cidade de Ipiales, comprei uma passagem em um bus noturno para Medellín. Por volta das 04:00 de hoje 19/09/2018, na carretera 25 no povoado de El Cruero, o ônibus é parado pela polícia para uma fiscalização de rotina. Eu estava na poltrona 01, o policial ao notar que eu era estrangeiro me acordou e me chamaram pra dentro da guarita. Era um policial de etnia branca e um de etnia negra. Lá revistaram todas as minhas malas. Não satisfeitos pediram para ligar meu celular e escutaram todas minhas ultimas conversas. Não satisfeitos pegaram minha carteira contaram meu dinheiro (540 dólares). Disseram que poderia pedir para o ônibus seguir viagem, porque estava preso para averiguação da interpol. Aí eu fiquei muito puto... Falei que estava correto. Que estava legal no país, que tinha visto em meu passaporte, e que o dinheiro que estava por tanta dó estava longe da quantidade limite que poderia portar. O polícial de uma forma muito truculenta disse que se não calasse ia me fazer uma multa. Peguei meu telefone, falei que ia ligar numa linha de emergência do consulado brasileiro (nem sei se existe). Para pedir ajuda. Nesse momento um dos policiais foi para fora da guarita, enquanto o outro que ficou, na maior cara deslavada me pediu 100 dólares. Falei que não ia pagar, porque primeiro estou correto, e em segundo porque meu dinheiro estava contado e 100 dólares me faria falta para voltar ao Brasil. Não paguei, repetive que não pagaria, até porque o dinheiro me faria falta mesmo. Perguntaram minha profissão, quanto era meu salário. E por fim quando viram que não conseguiria me estorquir, me liberaram. Atrasou o ônibus em meia hora.
      CONCLUSÃO
      Não sou a mesma pessoa. Mudei e muito. Mais humilde, aberto. Aprendi a chegar nos lugares me apresentar e conhecer todos. Que se tem uma amizade intensa, ou um amor intenso, e depois a vida segue, e a despedida pode ser um adeus. Me renovei quero iniciar novos projetos, estudar mais, melhorar meu salário, cuidar da minha saúde. conhecer muito mais. Viajar sempre. Quero cuidar mais da minha saúde, racionalizar o álcool e para de fumar.
      Estudei muito quase um ano pra fazer essa viagem. Quem quiser dicas e compartilhar experiências meu zap é
      34 9 9944 2608
      Abaixo uma planilha com todos os custos, as datas não estão certas mais os custos sim.
      https://docs.google.com/spreadsheets/d/1_yIgkqtuVEvNEooOlkJhYwEIwpRGtyUKGMFkGk5KjZA/edit?usp=drivesdk
      Me sigam no Facebook e Instagram
      http://instagram.com/flrcoimbra
      http://Facebook.com/flrcoimbra


×
×
  • Criar Novo...