Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  
RobsonGeofísico

Bungee Jumping em CUSCO - Vale a pena?

Posts Recomendados

Há 15 minutos de CUSCO existe uma empresa que realiza o pulos de bungee jumping.

O valor é meio salgado, mas a experiência compensa pelo menos pra mim que sempre tive vontade de me aventurar.

Saltei em agosto e o valor foi U$ 70,00. Descobri a empresa no mural de avisos do hostel.

Pra quem curte aventura, vale muito a pena.

Tem video do pulo no link abaixo:

https://instagram.com/p/BXvc4X-lr--/

bunge.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

  • Conteúdo Similar

    • Por Ane_rb
      Boa noite! 
      Estou indo viajar com meu noivo para lima dia 16, onde ficaremos 2 noites, 16 e 17, e iremos dia 18 para cusco e voltaremos para lima dia 25 de outubro as 5 estaremos voltando para lima e depois SP. 
      E por enquanto estamos meios perdidos quanto ao roteiro, e menor custo para melhor aproveitar nossa estadia. Estamos por enquanto seguindo o roteiro do "Vai por mim" -  viaje na viagem. Ele indica para visitarmos o centro historico de lima, Museu larco, e de noite ir no bairro barranco, huaca Pucllana, Malecon de mira flores, circuito magico da agua. Tem algo que vocês excluem? Incluem? Hoteis que ficaria melhor e mais barato? Ou airbnb? Hostel? 
       
    • Por Ro St
      Junto-me ao "coro" de agradecimento aos relatos que li aqui e que me ajudaram a evitar perrengues e tomar decisões quanto ao roteiro e afins.
      Juntamente com o meu namorado, fui pro Peru do dia 06/06 à 15/06.
      Comprei as passagens GRU X Lima (meu namorado mora no Vale do Paraíba, eu moro no RS), na primeira semana de Dezembro, por 8500 pontos Multiplus o trecho para cada um + R$ 500 no total das taxas (4 trechos).
      Compramos as passagens de Lima X Cusco no site da LCPeru por 180 soles peruanos, cada trecho, diretamente no site da Cia. Não deu para comprar pelo cartão de crédito, daí foi feito pelo SafetyPay. Esta compra foi feita no mês de abril, quando havíamos definido totalmente as datas do roteiro da viagem.
       
      Estava decidida a comprar as passagens internas com Cia Peruana pq os preços da Latam e da Avianca eram muito maiores. Sabia que corria pouco risco dos vôos serem atrasados/cancelados (como é a fama quando se voa por estas Cias) em razão da época (inverno ser mais seco) e pelos horários dos vôos (li aqui, e em vários outros blogs que o problema é no aeroporto de Cusco -  se pousar ou decolar após às 17h, a chance de ter alteração é enorme).
      Eliminei a Viva Air (Viva Colômbia), pois vi que era a pior dentre as nacionais. Pelo o que li, a Peruvian seria a melhor, mas não tivemos stress com a LCPeru.
      Voamos nos 2 trechos com aviões Boeing 737, com direito a uma mala despachada de 30Kg para cada um (a minha deu exatos 10Kg). Lanches bem básicos (pacotinho de nuts variados) com direito a Inka Kola.
      Passeio para o Valle Sagrado: fizemos o tour completo (Chinchero, Maras, Moray, Ollanta e Pisac +Salineras) mas SEM ALMOÇO por 40 soles por pessoa. Levamos lanche!
      Ida para Machu Picchu: acabamos indo e voltando com o trem Vistadome da PeruRail por US$ 40 o trecho (Cyberday promotion), comprados no final de Abril.
      Ida para Huaraz: fomos pela MovilTours na opção "Ejecutivo Vip" por 45 soles peruanos o trecho, para assento de reclinação de 160 graus. O preço  normal para este tipo de assento/serviço é 65 soles, mas comprando com certa antecedência consegue-se encontrar alguns assentos promocionais.
       
      Terminada a informação sobre o investimento financeiro, irei tecer brevemente sobre o nosso roteiro e outras dicas e percepções, mas procurando evitar o óbvio.
      DIA 06/06
      Vôo GRU X Lima: saída às 7h40min (aguardamos em torno de 30min dentro do avião para poder decolar em razão do FLUXO aéreo, cfme explicação do piloto). Resultou em 1h de atraso na chegada: pousamos ao meio-dia em Lima. Avião super confortável ( poltronas no formato 2-3-2).
      Vôo Lima x Cusco: saída às 14h40min (atraso de alguns minutos no portão de embarque - fomos de bus até o avião).
      "PERRENGUE": Reservei todas as minhas hospedagens pelo Booking, que informava que a hospedagem de Cusco ofereceria transfer. Escrevi mensagem para eles ainda em SP. Acessando os 30min de wifi free do Aeroporto de Lima, e não haviam respondido. Chegamos em Cusco e... Não tinha wifi free e nada de transfer. Pagamos 25 soles para um taxista fazer a corrida até o bairro de San Blás.
      "RECOMENDO": Jantamos no SUMAQ II, na Calle Siete Angelitos - nosso restaurante em Cusco. Barato, sem movimento, pizza em forno a lenha. Pão de alho e massa da pizza feitos artesanalmente e de forma excelente. Wifi bom tb. 
      07/06
      Compramos os ingressos para Machu Picchu no "escritório" do Ministério da Cultura do Peru em effectivo (em soles, sem taxa extra nenhuma). Fiquei monitorando pelo site oficial a disponibilidade dos ingressos e, deu certo.
      "RECOMENDO": Mês de Junho é cheio de comemorações em Cusco. Pegamos vários eventos tri em razão do Corpus Christi, concurso de dança das escolas infantis de todo o Valle (ainda tem o Inti Raymi no "solstício do inverno").
      Passeamos por Cusco mas sem entrar nas opções pagas de museus,etc. Só compramos o boleto parcial (70 soles por pessoa).
      "DETALHE IMPORTANTE": Fizemos a carteirinha internacional pq estudante paga metade no boleto "general" (o mais completo), mas tem a mesma regra que M.P.: só até 25 anos! pqp!!!!  E tem outra: li aviso lá no Cosetur, que a carteirinha da ISIC (que nós fizemos) não teria mais validade nos próximos meses!
      08/06
      Fizemos o tour pelo ValleSagrado, mas sem entrar no Parque A. de Ollanta, pois pernoitamos naquela cidade, daí curtimos o acervo na manhã do dia 09/06 com toda a calma do mundo! Pq como vários relataram, é pouco tempo para contemplar e tirar fotos durante o tour grupal. Fora que, de manhã estava vazio!!!! (além dos tours grupais serem de tarde, a Copa do Mundo diminuiu mtooo o movimento lá na região!
      "DICA": se puderem ir lá pra Cusco/M.P. durante algum evento mundial importante (Copa/Olimpíadas) será ótimo! Nada de empurra-empurra, tumulto, dificuldade pra enquadrar fotos... oh maravilha!!!!
       
      09/06
      Ollanta de manhã, e de tarde pegamos o trem às 14h. Ollanta é muito agradável, mas bem pequena, com poucas opções de gastronomia (após às 21h, ao menos). De tarde pegamos o trem - confortável, pontual, etc.
      Ao chegarmos em Águas Calientes, encontramos a galera que reserva hospedagem por agência aguardando ser chamado... Meio ruim isso!
      Jantamos o prato menu (como em quase todos os dias no Peru) por 12 soles apenas! E com direito a Pisco Sour dupla gratuita! Pq? Copa do Mundo! Poucos turistas, vários restaurantes... É galera do "mete a faca no turista"! Nos mercadinhos os preços se mantinham exorbitantes, mas estavámos bem preparados. Só queria ter comprado BANANA (plátano) pois li no blog ApureGuria, que isso atraia as ilhamas em M.P.! Mas 1 sole por 1 plátano.. não!
      10/06
       Subida pela escada inca: mais do que dor nos joelhos pelos quase 35 anos "de velhice", senti minhas coxas "ficando pelo caminho". Me apavorei comigo mesma, ao ter que parar várias vezes para descansar, mas conseguimos fazer o trajeto em 1h10min! 
      Não pegamos guia, segundo informações que colhi, só o pessoal dos grupos das agências não conseguem escapar. Se fez falta/se foi melhor, acho que é questão de opinião pessoal. Pesquisamos sobre a historia de M.P. antes da viagem. Enquanto a galera dos grupos guiados tinha poucos minutos para tirar fotos dos lugares, quase zero de tempo para contemplar a energia "em paz", nós tivemos, e muito! Saímos às 10h40min, tendo feito as 2 voltas no parque. Sentado um pouco para lanchar. Explorado tudo o que tínhamos à disposição (não pegamos nenhuma montanha). 
      Na saída começou a chover. Uma garoa, mas constante. Não descemos muito rápido para evitar escorregões na escadaria, mas deu uns 45-50 minutos.
      Só na estação do trem é que fui ao WC. Ah! Sou alérgica a borrachudos, passei repelente, mas não senti nada de mosquitos querendo incomodar. Como pegamos o trem às 13h30min, chegamos cedo em Ollanta e fui tranquilo voltar de "colectivo" até Cusco (10 soles).
      "SOBRE AS  VIAGENS COM O TREM": é disponibilizado wifi... Que era ótimo, rápido! 
      11/06
      De manhã compramos alguns souvenirs e de tarde pegamos nosso vôo para Lima. Gastamos aproximadamente 5h no aeroporto de Lima (bus para Huaraz era às 23h30min - coloquei baita margem de segurança), usando o wifi do Starbucks, e tb resolvendo um PERRENGUE!
       
      "PERRENGUE": no dia anterior à saída do Brasil (05/06) recebo e-mail automático da Latam - nossa volta teria um atraso de 12 HORAS!!!! (vôo da volta seria às 23h30min de 15/06 com escala de uns 40min em Assunção). Só que o vôo "novo" sairia às 24h de Lima. E vôo saindo de Assunção às 5h40min não "existia" mais, e sim, só às 3h da madrugada (o que era inviável), ou às 17h - resultando numa chegada às 8h DA NOITE, quando inicialmente seria às 8h DA MANHÃ do dia 16/6.
      Escrevi no Twitter, no Facebook da Latam... expliquei que só teria wifi e em poucos momentos durante a viagem... Esperei por 1 semana para que tivessem a competência de resolverem. Nada! Escrevi minha reclamação no ReclameAqui. Entretanto, usei o tempo ocioso para buscar o guichê peruano da Latam. As atendentes alegavam que não poderiam remarcar os vôos por ter comprado por pontos. Mas, com mta insistência, e mostrando os e-mails de confirmação da época da compra com essa diferença absurda, elas resolveram o problema! Pegamos vôo direto, saindo às 24h30min de Lima! Então, salvem sempre suas negociações com print de tela e tal para estarem munidos!!!!
      12-14 de Junho
      Chegamos em Huaraz às 7h e o Scheler (Artizona Trekking) nos buscou e levou até o nosso hotel.
      O check-in só seria permitido a partir do meio-dia, mas em razão do Scheler ter bom relacionamento com os donos do hotel, pudemos fazer check-in mais cedo e comer o desayuno.
      Assim como em Cusco e Ollanta, espirrava muita água do chuveiro (ducha) e emporcalhava o chão sem pano/toalha.
      Ficamos espantados, negativamente, com a sujeira vista pelas ruas de Huaraz. Nosso hotel ficava localizado na Av. 27 de Noviembre, a umas 2 quadras da avenida principal (da Plaza de Armas), tinha muiiito movimento de motocars, collectivos, carros, buzinas... Consideramos a cidade de Huaraz tb a mais barulhenta em relação as milhares de buzinadas ouvidas enquanto se caminha pelas calçadas (todo  mundo parece ser Uber com seu próprio carro lá - não vimos bus pelas ruas da cidade).
      Tirando isso... nossos 2 passeios feitos - o Glaciar Pastoruri e a Laguna 69 foram maravilhosos!
      A caminhada até o Glaciar é curta, mas por causa da altitude, e pelo nariz escorrendo pelo friozinho, foi "puxadinho".
      A caminhada para a Laguna 69 é bem mais longa, mas é muiiiito bonito o caminho, e não possui apenas pontos de subida. Mas cansa bastante!
      Na volta tomamos banho no hotel (pagamos 10 soles por pessoa pelo "late check-out"), jantamos e fomos para mais uma viagem de bus com assentos reclináveis de 160 graus.
      Ah! Jantamos guacamole (com feijão preto junto - delicioso!) e um sanduíche quente para cada um no Café Andino (Jirón Simón Bolívar). Foi indicação de outros brasileiros que conhecemos durante o hiking, pois havíamos comentado sobre nossa avaliação "mediana para não-boa" dos restaurantes de Huaraz que havíamos pesquisado). 
      Como estávamos extenuados pelo hiking, nesta viagem dormimos até Lima "apagamos"!
       
      SEGUE IMAGENS DO CAMINHO ATÉ A LAGUNA 69
       
      Em Lima, "matamos" umas 5h no aeroporto, até que pudemos despachar as nossas malas, e daí partimos para Miraflores para explorar um pouco a cidade.
      Comemos Ceviche e um Arroz com Mariscos delicioso por 40 soles (Calle Berlim, ao lado da Casa de Ceviche, um restaurante que nem aparece no Google... Tapadita/Tarapadita... a atendente foi muiiiito atenciosa explicando os pratos!). Além disso, comemos este combo para 2 pessoas (um combo para 2! perfeito!).
      Fomos a pé no Parque del Amor e no Larcomar.
      Na volta...ninguém queria nos levar para o aeroporto... tudo em razão do alto tráfego! Com muita súplica, consegui um "Uber" por 40 soles (ele queria 70). Tinha alguns que nem faziam preço, ao informarmos que queríamos ir ao aeroporto já negavam a corrida!
      "DICA": evite ao máximo os horários de pico para se deslocar em Lima! (era uma sexta-feira, 19h).
      No vôo de volta ao Brasil (Lima x GRU) tivemos a desagradável surpresa do avião ser um usado nas rotas nacionais - assentos no formato 3-3-3, que reclinam pouco, sem tela de entretenimento... E a janta/lanche era "alguma coisa parecida com um tabule" e frango - frio (!!!!), um pedaço de bolo, 3 torradinhas  e um potinho de cream cheese.
       
      OPINIÕES FINAIS/ "DESCOBERTAS":
      *** Se quiseres fugir dos custos do cartão de crédito, boa notícia: em todos os lugares aceitava pagar em dinheiro - alguns em dólar, inclusive.
      *** Alguns restaurantes/lojas/hospedagens e o Scheler (passeios em Huaraz) cobravam uma taxa de aproximadamente  5% se usasse o cartão de crédito!!!! 
      *** Não sei como foi para os outros mochileiros que contrataram os passeios com o Scheler em Huaraz. Mas para nós, foram outras 2 agências que noas levaram (no mesmo esquema do tour do Valle Sagrado - turistas de várias agências). Inclusive, na volta da Laguna 69, o guia/agência não deixou a galera nas suas respectivas hospedagens. Todos tiveram que descer em frente da "oficina" da agência, a uma quadra da Plaza de Armas. Pra nós até era perto do nosso hotel, mas pra quem estava longe, foi uma baita sacanagem depois do cansaço físico do hiking!!!
      *** Vários relatos me ajudaram na montagem do roteiro, mas para mim, o melhor foi do Ronald Zirbes (
       
      *** Levei R$ 500 que troquei em Cusco, mais US$ 580. Já havia comprado antecipadamente as passagens GRU X Lima (pontos Multiplus- 8500 pontos por trecho+R$ 250 de taxa para cada um), os trechos Lima X  Cusco por SafetyPay, as passagens de trem e de bus (Huaraz) por cartão de crédito mesmo (direto nos sites). Só paguei em cartão de crédito algumas hospedagens (uns R$ 400) e restaurante (uns R$ 150), porque ficamos com receio que acabasse a nossa grana em espécie. No final, voltei com 100 dólares e 25 soles peruanos! 
      *** Considerei muito satisfatório o nosso roteiro, apenas em Huaraz e em Lima saiu um pouco fora do imaginado.
      Dormimos mal no ônibus (não conseguimos descansar), daí a ideia que era, ir no dia 12/6 "direto" pro Glaciar, fazer a Laguna Churup por conta dia 13, teve uma pequena alteração. Dia 12/6 para descansar, dia 13 o Glaciar.
      Em Lima tb modificamos um pouco. Eu tinha  comprado o bus com a opção de parar na "rodoviária" da MovilTours que fica no distrito de "La Victoria", que é o mais perto de Miraflores. Mas meu namorado não estava afim de perambular com a mala dele, daí descemos na "rodoviária" Tomás Valle, e de lá fomos pro aeroporto, esperando o horário para poder despachar as malas. Até existe um guarda-volumes no aeroporto, mas era por hora/$ e ficaria caro...
      *** O aeroporto de Lima não tem mais terminais, como GRU e vários outros aeroportos brasileiros, assim, tinha muita gente para poucas mesas na praça de alimentação. E sem opção de salas de "espera" fora da área dos portões de embarque. Era difícil encontrar mesa/cadeiras.
      ***Fiz minhas reservas de hospedagem pelo Booking e não tive nenhum estresse com as acomodações.
      *** Nos sentimos seguros andando pelas áreas turísticas. Um pouco menos em Lima e Huaraz, mas na região do Valle Sagrado foi mto de boa! Isso que, dia 08/06 - dia do Valle Sagrado Tour, ficamos uns 30 minutos num paradero em Pisac (isso após às 18h, e já escuro), e em torno de 1 hora  no paradero em Urubamba aguardando locomoção. A locomoção entre Pisac e Urubamba foi uma van lotadaça por 4 soles. Já o deslocamento entre Urubamba e Ollanta (onde pernoitamos antes de ir para águas Calientes) foi de "Uber" compartilhado por 3 soles por pessoa!!!!!!
      *** Repito a dica de que, se puderem visitar a região de Cusco/M.P. durante um evento mundial, aproveitem, porque a muvuca é bem menor! E Junho é um mês de comemorações em Cusco!
      *** O guia do passeio para o Glaciar repassou uma dica que seguimos à risca, e reproduzo aqui: COMA CHOCOLATES PARA REPOR ENERGIAS GASTAS PELO ESFORÇO FÍSICO. MASSSSSSS, NA VOLTA! Ou, ao menos, quando estiveres no local destino (lá na contemplação da Laguna, por exemplo), PARA EVITAR ENJÔOS!
      *** Não achamos "tudo aquilo" Miraflores! Nada do que um bairro de bom padrão, assim como há em SP, em POA... Ah, lá o trânsito não era caótico. Aliás, que trânsito mais agressivo!!!! Trancam cruzamentos, carros/motos/ônibus/caminhões...vão "cortando a frente"... e isso é "normal" para eles! Fora a "proliferação" de ubers autônomos! Sinal de luz/buzinadas...quanta  poluição sonora!
      *** Os peruanos são maravilhosos, conseguem entender e se fazer entender com o Português, mas para pechinchar... algumas palavrinhas em espanhol ajudam bastante!!!!
       
      Acho que é isso, AMEIII o Peru! Quero voltar o quanto antes!
       
    • Por Andressa Gobira
      Escrevendo esse post como forma de devolver o tanto que esse grupo me ajudou pra preparar essa viagem. Li muitos relatos aqui e no grupo no Facebook, que me fizeram decidir pelo destino e quais passeios combinavam mais comigo. 
      Decidi ir direto pra cusco por uma questão pratica e financeira. Tinha apenas 9 dias pra viajar (o ultimo seria todo em aeroporto/avião), parar em Lima por 2 ou 3 dias ia encarecer minha viagem em mais de 30%, e quando eu botei no papel todos os lugares q eu queria ir, quase todos envolviam passeios saindo de Cusco. Então comprei uma passagem SalvadorXCusco pela LATAM, que custou R$ 1650. 15hrs de ida e 19hrs de volta rs. 
      Dia 1 - 04 de maio
      Sai de salvador as 4 da manhã. Fiz escala em São Paulo e em Lima. Nessas escalas acho importante prestar atenção se vc vai precisar pegar sua mala ou não. Quando eu sai de Salvador me falaram que eu so pegaria a mala em Cusco. Mas em Lima me mandaram tirar e despachar ela de novo. Na volta aconteceu a mesma coisa, cada funcionario do aeroporto da uma informação diferente...
      Cheguei em Cusco as 15hrs (horario local, duas hrs a menos q Brasil), tinha pedido um transfer na pousada q eu ia ficar nos primeiros dias, 20 soles. 
      Em Cusco todo restaurante, cafe, bar, q voce entrar vai ter WiFi, entao recomendo usar o app EasyTaxi pra pedir taxi, pq no Peru não existe taximetro, e tem muito taxi ilegal. Com o app vc ganha um pouco de segurança. Normalmente as corridas dentro da cidade nao custam mais de 5 soles. 
      Estava hospedada em San Blas. Me acomodei e fui na Plaza de Armas de noite fazer cambio e marcar tours para os dias seguintes. Marquei o CityTour por S/20 e Vale Sagrado com almoço por S/40. 
      Voces ja devem ter lido que tem MUITAS agencias de viagem em cusco, na plaza de armas. Então negocie, chore o preço. 
      Fiz cambio de USD 1 = S/ 3,25 e  R$ 1 = S/ 0,86.
      Em relação a aclimatação por causa da altitude, realmente é necessario. Tome muito chá de coca, coma leve (voce vai encontrar muitos restaurante com sopas deliciosas), e ande devagar nas primeiras 24hrs.  Ou tome a sorote pills (sorote é como eles chamam o mal de altura), que custa 50 soles. Eu fiz o processo natural, funcionou mais ou menos hahaha.
      Dia 2 - 05 de maio
      Tomei cafe e fui andando pra a Plaza de Armas, tinha a manhã livre e ia fazer um citytour de tarde.
      Comprei o boleto turístico general (130 soles), que da direito a 16 atrações por 10 dias seguidos. 
      Rodei sem rumo no centro e fui parar no mercado de San Pedro, que tava em reforma, mas mesmo assim foi interessante. Bem tipico, muitos locais e turistas, muita comida local (comi churros e tomei uma chicha morada, mas n tive coragem de almoçar). 
      Almocei num dos 30000 restaurantes ao redor da plaza por 14 soles, com entrada, prato principal e bebida. Aqui vai uma coisa interessante sobre cusco: é uma cidade de 400.000 habitantes, ou seja, uma cidade pequena. Mas por receber tanta gente do mundo todo, você encontra uma variedade muito grande do que comer, a vários preços. em geral a comida la é bem servida, e pra os preços brasileiros, barata (até os restaurantes caros, são baratos comparados com os restaurantes caros daqui). 
      Depois do almoço fui encontrar meu grupo pra sair para o city tour. O tempo fechou e começou a chover forte (mesmo estando em periodo de seca) comprei uma capa de chuva na rua, pq tinha deixado a minha na mala (ande sempre com a sua na mochila). O city tour iria nos seguinte lugares: Qoriqancha, Q’enqo, Pukapukara, Tambomachay, Sacsayhuaman. Não vou ficar discorrendo sobre cada lugar, porque ja tem bastante info sobre na internet... O que eu achei desse tour foi: Muito corrido, e com lugares dispensaveis (Q’enqo, Pukapukara, Tambomachay). Acho que vale mais a pena ir so em Qoriqancha e Sacsayhuaman. Ambos são lindos e vale muito a pena conhecer. Para Qoriqancha da pra ir a pé, e pra Sacsayhuaman marcar c algum taxista para te levar e esperar por voce la (a ruina é enorme e tem muito a ser explorado), me cobraram S/20 pra fazer isso. 
      Acabei me molhando na chuva, e ventou bastante nos lugares que visitamos. Alem de termos ido em lugares mais altos do que cusco (alguns dos sítios visitados ficavam a 3900 de altitude, segundo a guia). Porque ainda estava no meu primeiro dia de aclimatação, o sorote me pegou, tive uma leve febre, começo de gripe, muita falta de ar, passei a noite no quarto passando mal, depois de tomar alguns remédios conseguir dormir.
      Dia 3 - 06 de maio
      Sai da pousada as 07, para encontrar meu grupo do vale sagrado as 08. Estava me sentindo bem melhor, a base de muitos chás, própolis e xarope guaco. 
      O tour do vale sagrado foi bem legal, apesar de corrido em alguns lugares, eu adorei viajar de ônibus por estradas nos Andes, vendo muitas montanhas nevadas e vilarejos de beira de estrada. O Peru é muito lindo. 
      As ruinas que visitamos foram: Pisaq, Ollantaytambo, Chinchero e parada pra almoço em Urubamba. 
      Eu gostei muito desse passeio, o ponto alto pra mim foi Ollantaytambo. Vale a pena ir la em cima e explorar a ruina. 
      A igreja de Chinchero tambem é muito bonita. Visitamos no por do sol, e foi um espetáculo ver o sol se por naquelas montanhas. Inesquecivel. 
      Recomendo fazer esse passeio antes de Macchu Picchu. Considere uma preparação.
      Pra quem for viajar sozinho, fique tranquilo, porque o que não falta é brasileiros nesses tour pra te fazer companhia. 
      Dia 4 e 5 - 07 & 08 de maio
      Tinha me programado pra ir para Puno nesses dias, mas desisti por dois motivos:
      1 - Estava apaixonada por cusco e queria curtir mais a cidade.
      2 - Em cusco estava muito frio (eu moro em Salvador, aqui a minima no inverno é 18°), la tava 6° a noite e de manhã. Eu não estou acostumada, nem estava preparada no sentido de roupas. E em Puno faz mais frio e é mais alto do que cusco. O passeio do Lago Titicaca venta bastante, entao fiquei receosa de ter problemas. Então se você quer ir em Puno/Lago titicaca, se prepara pra o frio. 
      Essa decisão foi muito boa pra mim, ja que eu tirei esses dias pra acordar tarde (afinal, estava de ferias), visitar museus e igrejas sem pressa (la tem muitos bons museus, mas se voce não ta com muito tempo va no Museu Historico Nacional, foi o meu preferido), comer em bons restaurantes. Se quer comer um bom ceviche, não deixe de ir no Ceviche Seafood Kitchen (bem na plaza de armas), pedi um trio c ceviche, arroz de mariscos e frutos do mar fritos, que custou S/55 e valeu cada centavo. 
      Dia 6 - 09 de maio
      Maras & Moray (salineiras e laboratorio agricola inca)
      Fechei esse passeio por S/20 e foi bem legal, tive sorte com o guia, que explicou tudo muito bem. 
      O passeio dura uma tarde, e eu acho que vale a pena se voce tem o tempo. 
      Dia 7 - 10 de maio
      Tinha o trem saindo de Ollantaytambo para Aguas Calientes as 12hrs, sai de cusco as 09 (1:40 de viagem), paguei 15 soles num carro q dividi com mais 3 pessoas (uma carioca que eu conheci através de um post aqui desse grupo, e me acompanhou pelo resto da viagem, alô Camila! E um casal de argentinos q conhecemos na hora). Mas a van custa S/10. Ambos saem da Calle Pavitos. Tem toda hora, não precisa marcar. 
      Aqui vai uma grande dica. Pra comprar o ingresso de macchu picchu você precisa de um cartão de credito visa, e o meu é master. Ja tinha decidido que ia deixar pra comprar o ingresso em cusco, porque não queria pagar 50% a mais para uma agencia comprar pra mim. Ia comprar apenas o trem, e torcer pra dar tudo certo e achar ingresso quando chegasse a cusco. Estava acompanhando o preço do trem, e no dia q fui comprar a Inca Rail estava com uma oferta com tudo incluido (trem, ingresso MP e onibus ida e volta do parque) por 80 dolares. Normalmente esse seria o preço normal so para o trem. Pra quem não sabe, pra chegar em MP você pode fazer uma subida/descida caminhando por 2hrs ou pegar um onibus q custa 12 dolares cada trecho... Então foi realmente um bom preço. Mas pelos os meus cálculos, mesmo que não tivesse em promoção, comprar o pacote completo da Inca Rail é vantagem pra quem não tem Visa e vai subir e descer de onibus de qualquer jeito. 
      A viagem de trem é belíssima, você vê a vegetação mudar, do clima andino ao tropical. Achei aguas calientes bem bonitinha, alem de ser mais quente e a altitude menor, o que foi muito bom. 
      Fiquei no ecopackers, excelente hostel, a cama é maravilhosa, o bar tambem. O café é fraco, mas da pra gasto. 
      Nesse dia jantei leve (la é mais caro que cusco, mas a comida é boa tb). Comprei agua, banana, e uma empanada pra levar para MP. 
      Ah, tinha marcado um tour em MP, custou S/20, o guia vai te encontrar onde voce tiver hospedado em Aguas Clientes (a cidade é bem pequena) no dia anterior, pra marcar a hora e local de encontro do grupo no dia seguinte. Recomendo que você pegue o numero de Wpp da agencia q voce reservar. Meu guia se atrasou mais de 1:30 pra ir no hostel na noite antes de MP, eu falei c a agencia e n tive estresses, sabia que ele tava vindo. Vi gente q não tinha o contato da agencia e o guia atrasou se descabelando achando q tinha sido esquecido. 
      Dia 8 - 11 de maio
      O GRANDE DIA 
      hahahaha
      Dia de subir pra MP.
      Eu estava SUPER ansiosa desde o dia anterior. Choveu nas primeiras horas da manhã, la tem muita neblina. Mas dps melhorou. Encontrei o grupo no ponto de encontro, fomos p a fila do onibus as 6:15, que ja estava grande, mas anda muito rapido. Meia hora subindo ate chegar no portão do parque. Vá no banheiro antes de entrar, pq não tem banheiro dentro, e voce so vai poder entrar mais uma vez caso saia, em no maximo 4hrs e antes de terminar o seu turno (se você comprar o ingresso pra o turno da manhã, não vão te tirar de la quando começar o turno da tarde). 
      Entramos no parque e o tour durou 2:30. Foi incrivel, não deixe de ir com um guia pra que voce entenda o maximo possivel da riqueza que é aquele lugar. É muita informação. E alem disso, o parque é lindo, a vista, as montanhas, ate a neblina. Não tem foto que te faça entender o que é aquilo ali, entao não vou ficar tentando descrever. VÁ. Não é uma das 7 maravilhas do mundo atoa. 
      Vá de tenis ou bota de trilha, ja que la é muita subida e descida, força o joelho. Passe protetor solar mesmo se tiver chovendo e repelente. Oculos escuros tambem é fundamental. 
      Quando o tour termina, obrigatoriamente vc tem que sair do parque, ja que o tour é feito num circuito que termina na saida. Aproveite pra lanchar e sentar por uns minutos antes de voltar. Foi o que eu fiz, ajudou muito. Voltei e passei mais 1:30 andando por la e tentando gravar na memoria cada pedacinho. 
      Voltei pra Aguas Calientes. Quando chegamos la (estava acompanhada de + 3 brasileiros) fomos almoçar, tomar uns drinks e aguardar a hora do trem. 
      Meu trem so saia as 21:30, pra antecipar eu precisaria pagar a mais, não quis. Na chegada em Ollantaytambo as 23hrs tinha varias vans esperando os trem que chegam pra ir pra cusco. Mas acho que o melhor (e mais seguro) é dormir em Ollan. O motorista da minha van tava com sono, a estrada é escura e cheia de curvas em precipícios. Foi assustador. 
      Fui pra o hostel em cusco, Milhouse, MUITO bom, melhor cafe da manha de hostel q ja vi. Muita frutas, sucos, cereais, ovos... Alem de super limpo e grande, com varias areas pra ficar de boa socializando, o bar tb é barato...
      Dia 9 - 12 de maio
      Depois do café fiz um Free Walking Tour organizado pelo hostel, e foi maravilhoso, o guia foi otimo, ele trabalha no hostel e é super simpatico, alem de saber muita coisa. Nos levou no mercado de San Pedro, e explicou coisas q voce não fica sabendo se esta sozinho. Passamos por algumas plazas, e terminamos o tour num lugar para compras muito barato perto da pedra de 12 angulos. Esse tour valeu muito a pena, e não é so o hostel que faz não. Quando for fechar os tours pagos na agencia, pergunte sobre o free walking tour que eles te indicam um (não sei se tao bom quanto o meu). Aproveitei o ultimo dia para fazer compras com os soles que sobraram rs, fazer um bom jantar e me preparar para a volta, que foi as 5 da manha do dia seguinte. 
       
      Ficou grande hahaha espero que o relato ajude...
    • Por landi
      Pessoal
       
      Alguém já fez essa trilha? É tão boa quanto a tradicional?
    • Por IVANILSON PS
      Bem, essa é minha terceira viagem pra fora do Brasil ( em 2014 fui pra Argentina e Uruguai)... Vou tentar ser bem sucinto no meu relato e passar o máximo de informações possíveis...
      *só pra constar eu moro em Porto Velho - RO peguei um Voo daqui a Rio Branco (45 min. / comprei com milhas).
       
      Minha viagem começou no dia 09/02 peguei um Ônibus de Rio Branco a Brasileia (R$ 42,00) no fim da tarde, pois queria ir a Cobija-Bolívia a noite (foi bem legal)...
       
      Acordei cedinho no dia 10/02 e peguei o Bus de Brasiléia a Assis Brasil (R$ 17,00) esse trecho está horrível, há partes em que não tem como escapar dos buracos. Cheguei em Assis Brasil por volta das 10h, fui direto na PF dar saída do país e já atravessei a fronteira a pé (tem os carrinhos peruanos que atravessam, o valor fica uns 4 soles)
       
      Atravessando a fronteira (ponte) já tem umas "Vans" que ficam na praça esperando os turistas o valor varia de 30 a 35 soles (pode pegar tranquilo), de lá elas partem pra Puerto Maldonado... Obs.: não esqueça de dar entrada no Peru (A Van para pra você fazer isso)... aproveite e troque dinheiro nas vendinhas do lado ou mesmo na praça, o valor lá foi o maior que eu encontrei durante toda a viagem (S 0,92 = R$ 1,00)
       
      De Iñapari (fronteira) a Puerto Maldonado (30 soles) são umas 4h... Ah! se prepare pq eu contei e são 64 lombadas, além dos 2 pedágios... Chegando em Puerto Maldonado fui dar uma volta, fiz um lanche, comprei as folhas de coca e o remédio pro mal da altitude, depois fui pra Rodoviária comprar a passagem e aguardar... Todos os ônibus saem das 15h em diante, exceto um que sai de manhã.
       
      Peguei o ônibus das 20h de Puerto a Cusco (50 soles básico / de 70 a 90 cama), são cerca de 10h de viagem então deu pra ir dormindo já economizei uma diária e cheguei as 6h em Cusco, nesse dia tava um pouco frio, acho que uns 10 graus... Ah! quando o Ônibus chegou perto dos 4000 de altitude eu acordei com falta de ar e muita dor de cabeça... mas depois passou
       
      Um resumo da estadia em Cusco:
       
      A cidade é linda... incrível... Fiquei num Hostel chamado Puriwasi, muito bem localizado, preço muito em conta (café normal) e com um pessoal super gente boa!!!

       
      Dá pra fazer tudoooo a pé na cidade. Se você for ficar muitos dias ou se pretende fazer todos os passeios compre o boleto turístico, ele saiu por 140 soles... só a entrada em um dos passeios era 70 soles...

       
      Existe um passeio que não está incluso no boleto e que eu aconselho a fazer independente de sua religião (ou de você não ter)... LA CATEDRAL é um lugar magnífico, lindo, indescritível... infelizmente não se pode fazer fotos lá... mas digo uma coisa se você for a Cusco e não adentrar La Catedral você não conheceu a cidade direito.

       
      Quanto a Machu Picchu:
      Como minha estadia era curta comprei logo o pacote fechado (Ônibus - Trem - Ticket) saiu por 850 soles, mas dá pra comprar mais barato, ou comprar separado (mais barato ainda), ou comprar o passeio de ônibus e van, ou ainda fazer as trilhas... Se a viagem de Trem compensa? depende, pois é a parte mais cara de todo o passeio a Machu Picchu... A viagem é realmente muito bonita quanto a isso não há o que discutir...

       
      Sobre Machu Picch... não tem nem como descrever aquilo, quando vi eu simplesmente me sentei e esperei a respiração voltar porque é de tirar o fôlego... é muita história, muita sabedoria, muitas indagações, os caras foram incríveis... eu pretendo voltar porque não consegui escalar Huayna (Wayna) Picchu...

      Bendito é o fruto... rsrsrs

       
      Esse foi um resumão da viagem, bem resumido mesmo... os preços são bem parecidos com os praticados aqui na minha cidade (Porto Velho) então não achei nada tão caro... Dancei Salsa e Bachata, experimentei comidas diferentes, fiz muitas amizades, andei bastante, conheci muitos lugares, etc...
       
      Dicas:
      1 - Se for a Machu Picchu de trem compre as passagens econômicas (PERURAIN), pois é um pouquinho mais apertada, mas muito melhor, o Trem executivo é horrível (pelo menos na minha opinião) balança demais, é confortável, mas balança demais;
      2 - Não esqueça o protetor solar quando for a Machu Picchu... não pode entrar com comida nem bebida, exceto água;
      3 - Pergunte e negocie sempre;
      4 - Dê um intervalo entre os passeios do boleto turísticos, pois é muita coisa;
      5 - Tome chá da coca é fantástico, depois que eu tomei não senti mais nada durante toda a viagem;
      6 - Faça as coisas, se possível, a pé!!! você conhece a cidade melhor;
      7 - Cusco não se resume a "ir à Machu Picchu", é patrimônio universal da humanidade... então explore a cidade;
       
      Ah! a volta foi:
      Cusco x Puerto Maldonado das 20:00 as 06:00
      Puerto Maldonado x Assis Brasil das 08:00 as 11:00
      Assis Brasil x Brasiléia das 11:00 as 13:00
      Brasiléia x Rio Branco das 14:30 as 18:00
       
      Em menos de 24 horas
       
      Só pra deixar claro, é possível ir de Rio Branco a Cusco de Ônibus todos os dias e vice-versa...
      Ônibus direto de RB a Cusco só 2 vezes na semana (uma delas na sexta) pela empresa ORMEÑO que tem um guiche na rodoviaria de RB, compras só no guiche da empresa.
       
      Se tiver alguma dúvida ou quiser saber alguma coisa é só deixar mensagem no facebook, "ivanilson ps", que assim que puder eu respondo.
       
      Dia 15 de julho estou indo Peru (novamente) só que agora de carro \o/ Lima e depois volto parando em outras cidades até chegar a Cusco ( de 15 a 30 de julho)
       
      *voltei novamente ao Peru... dessa vez fui para as bandas de Lima e Arequipa (na volta passei em Cusco). Segue as informações atualizadas de julho:
      Ônibus direto da empresa Ormeño
      1 - Rio Branco a Lima = R$ 332,00
      a Cusco = R$ 222,00
      a Puerto Maldonado = R$ 177,00
      *saída: sábados 06:00
       
      2 - Porto Velho a Lima = R$ 450,00
      a Cusco = 335,00
      *saída: sexta-feira 21h00
       
      Obs.: O ônibus não demora muito em nenhuma das duas cidades e é bom ir pelo menos um dia antes comprar a passagem.
       
      Passagem de Rio Branco a Assis ônibus direto R$ 54,00 saída as 06:00 (o ônibus vai lotadooo)


×