Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Pergunta

Oi, gente. Acompanho o mochileiros fazem anos e, pela primeira vez, estou tendo a oportunidade de planejar uma viagem que vai se concretizar! viajo próxima semana e gostaria de opiniões sobre o meu roteiro. Será somente por Portugal, irei com a minha mãe, pretendemos aproveitar o máximo. Por favor, sugiram a alteração do roteiro ou deem dicas :)

Uma dúvida, nunca me instalei em hostels, andei agendando alguns no booking.com e percebi que quase todos precisam deixar o número do cartão de crédito para concluir a reserva. Minha dúvida é se você paga na hora, em espécie, e o cartão é só pra garantir que você vai ficar lá, como um "calção", ou se o valor é cobrado na fatura do cartão de crédito. Por favor, compartilhem suas experiências.

 

Obs: vamos começar por Sintra, pois temos como ficar na casa de amigos durante a estadia lá.

Dia 1 e 2 - SINTRA

Dia 3 - CASCAIS

Dia 4,5,6,7,8 - LISBOA

Dia 9 - COIMBRA

Dia 10,11,12 - PORTO

Dia 13 - BRAGA

Dia 14, 15 - AVEIRO

Dia 16,17,18 - LAGOS (ALGARVE)

Dia 19,20 - SINTRA NOVAMENTE

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Posts Recomendados

  • 0
3 horas atrás, poiuy disse:

Por falar em hospedagem, vocês vão ficar na casa de amigos/parentes em Sintra?

Vocês tem a carta-convite original e devidamente registrada na prefeitura de Cintra? 

Mais detalhes a respeita da carta-convite: https://partiuvamboraviajar.wordpress.com/2017/02/07/informacao-para-brasileiros-que-querem-viajar-para-portugal-carta-convite/

Então... temos a carta convite deles, e temos as reservas dos hostels. O que acha melhor da gente apresentar à imigração? as reservas ou a carta? 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0
1 hora atrás, poiuy disse:

Eu já tive uma experiência totalmente ao contrário com o Hoteis.com e Despegar, de eles cobrarem a hospedagem de todos os dias antecipado no cartão, mesmo quando falava que seria cobrado no hotel.

O que existe em algumas cidades Portuguesas é um imposto municipal de 1 ou 2 Euros por noite, onde na lei fala que a taxa tem que ser paga pelo hóspede em dinheiro vivo no momento da chegada no hotel. 

Isto tem gerado muita reclamação, tanto de hotéis como de hóspedes, pois apesar de estar escrito claramente no site, na maioria das vezes o hospede não lê direito, não presta atenção, ou simplesmente esquece, e depois se sente "enganado" quando cobram 1 ou 2 euros a mais por noite referente ao imposto da prefeitura.

Então alguns locais e sites, para facilitar a vida do hospede, já embutem a taxa da prefeitura no valor e cobram tudo junto, apesar de tecnicamente a lei falar que teria que ser separado...

Oi, aproveitando o tema hostel pra perguntar algo muito de mochileiro de primeira viagem: COMO CONFIAR QUE NÃO ROUBARÃO MINHA MALA? tenho um plano de deixar a mala com cadeado e tal, mas quem garante que não vão levar a minha mala inteira? hahaa, sério! 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
3 horas atrás, D FABIANO disse:

@thainact Evite de todas as formas fazer negócios através do booking.Empresa só puxa para o lado de donos de hospedagem e tem cotação mais cara.Prefira hotéis.com ou despegar.com

Estive quase 3meses na Europa neste ano,através destes sites,e não tive nenhuma cobrança antecipada ou com cotação ruim,é só por moeda euro,sem surpresas,como o booking que tem taxas escondidas, como impostos. 

Eu já fiz reservas com o booking sem problemas antes aqui pelo Brasil, realmente não sei como será essa experiência na Europa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
3 horas atrás, thainact disse:

Hhaahha, li isso para a minha mãe e ela ficou assustada com o cenário. Nós reservamos pelo booking (eu reservei) e mandei uma menasgem a todos os hosteis perguntando se eles poderiam não cobrar nada no cartão e deixar a gente fazer o pagamento em dinheiro na hora do check-in, todos disseram que pode, mas nunca se sabe. Não sei o que esperar, nunca viajei internacionalmente, então fico desconfiada se eles dizem que vão cobrar só na hora do check-in mas cobrarem no cartão antes.

Relaxe e desencane disto, você está criando um grande problema onde não existe nada, se te cobrarem algo no cartão a diferença de custo será pequena, quase irrisória. 

Se um hostel resolver cobrar 50 Euros no cartão, não será o fim do mundo! Umas continhas para você desencanar disto.

Convertendo pela cotação de hoje dá 50 Euros x R$ 4.46 = R$ 223,00

Agora somando o IOF: R$ 223 + 6.38% de IOF = R$ 237, 40

Supondo que a cotação suba 3% até a data em que você pagar a fatura do cartão: R$ 237,40 + 3% = R$ 244,34

Mas você pode ter sorte e a cotação baixar 2%, e isto virar R$ 232,65

 

Agora fazendo a conta dos mesmos 50 Euros pagando em espécie:

50 x R$ 4.50 = 225,00  (moeda em espécie é sempre um pouco mais cara)

Agora somando o IOF: R$ 225,00 + 1.1% = R$ 226,10

 

Ou seja, no pior cenário, se algum hostel resolver te cobrar 50 Euros no cartão, a diferença de custo será de meros R$ 18,24  (244,34 - 226,10)

 

Não sei quanto que você está pagando pelos hosteis, mas supondo que seja uns 20 Euros por diária, o que daria uns 800 Euros, mesmo se te cobrarem todos os 800 Euros no cartão, ficaria só R$ 291,84 mais caro!

E se vocês forem ficar em apuros e sem dinheiro por causa de R$ 300 numa viagem deste porte, está muito errado todo o seu planejamento!

 

 

 

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
3 horas atrás, thainact disse:

Então... temos a carta convite deles, e temos as reservas dos hostels. O que acha melhor da gente apresentar à imigração? as reservas ou a carta? 

Sempre responda a verdade, se lhe perguntarem onde vocês vão ficar, responda a verdade, se for ficar na casa dos seus conhecidos, responda isto, e se o policial pedir a carta-convite, apresente ela.

Não precisa jogar um monte papel na mesa dele, vá respondendo as perguntas dele, e apresentando os papéis conforme ele pedir, as vezes eles só pedem pra ver a passagem de volta...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
3 horas atrás, thainact disse:

Oi, aproveitando o tema hostel pra perguntar algo muito de mochileiro de primeira viagem: COMO CONFIAR QUE NÃO ROUBARÃO MINHA MALA? tenho um plano de deixar a mala com cadeado e tal, mas quem garante que não vão levar a minha mala inteira? hahaa, sério! 

Quem garante que não vão levar a televisão ai da sua sala ou o computador do seu quarto enquanto vocês estão fora de casa trabalhando ou estudando?

Ou seja, não tem como garantir que furtos não aconteçam em nenhum lugar do mundo, sempre vai existir alguma possibilidade de alguém lhe furtar em algum momento.

O que você pode fazer é não ficar facilitando demais a vida dos larápios, deixando as suas coisas de valor jogadas pelo quarto de qualquer jeito, sempre trancar as coisas dentro do armário.

E também evitar chamar atenção, com jóias, bijuterias caras, relógios caros, etc...  Deixe este tipo de coisa em casa.

Afinal o ladrão não está interessado nas ruas roupas e tênis sujos, eles querem coisas de valor: celular, laptop, câmera, relógios, jóias, etc... 

É só você não deixar estas coisas largadas pelo quarto enquanto está na rua, no banheiro, na cozinha do hostel, dormindo, etc, que diminui muito a chance de ter problemas de furto, mas eliminar 100%, é impossível.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Tomando estes cuidados básicos, eu acho que tem mais chance de extraviarem a sua mala no aeroporto do que furtarem no hostel.

Euro em espécie é mais barato, mas se te furtarem a carteira com todo o seu dinheiro dentro, o centro de Lisboa e Porto é cheio de batedores de carteira, já era, você perdeu tudo!

Mas se te furtarem o cartão, é só bloquear ele e você não perde nada, e você pode pedir um cartão de emergência que via chegar em 3 dias...

Para minimizar problemas nestes casos, sempre tenha uma troca de roupa na sua bagagem de mão, e nunca tenha todo o seu dinheiro em um único local, e sempre tenha pelo menos 2 ou 3 opção de pagamento, mesmo que resolva pagar com dinheiro vivo, tenha um cartão para imprevistos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
52 minutos atrás, poiuy disse:

Tomando estes cuidados básicos, eu acho que tem mais chance de extraviarem a sua mala no aeroporto do que furtarem no hostel.

Euro em espécie é mais barato, mas se te furtarem a carteira com todo o seu dinheiro dentro, o centro de Lisboa e Porto é cheio de batedores de carteira, já era, você perdeu tudo!

Mas se te furtarem o cartão, é só bloquear ele e você não perde nada, e você pode pedir um cartão de emergência que via chegar em 3 dias...

Para minimizar problemas nestes casos, sempre tenha uma troca de roupa na sua bagagem de mão, e nunca tenha todo o seu dinheiro em um único local, e sempre tenha pelo menos 2 ou 3 opção de pagamento, mesmo que resolva pagar com dinheiro vivo, tenha um cartão para imprevistos.

Muito obrigada por tudo! o problema é que o cartão é da minha mãe, ela sempre fica com medo de usar coisas internacionalmente, e cartão então... Porque recentemente tivemos um problemasso no cartão internacional, mas, normal. Agradeço imensamente suas dicas, me ajudaram bastante a relaxar mais um pouco. É só o nervosismo de primeira viagem! 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder esta pergunta...

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Franciele Suelen Rodrigues
      Boa tarde. Quero sugestões de cidades em todo o estado de São Paulo, que são tranquilas, românticas e com bastante vegetação e área verde!?
    • Por Franciele Suelen Rodrigues
      Boa tarde. Quero sugestões de cidades em todo o estado de São Paulo, que são tranquilas, românticas e com bastante vegetação e área verde!?
    • Por Lucas Marcatti
      Pessoal que quer saber mais sobre como pedalar pela Europa, eu escrevi um livro sobre minha jornada pelos cantos deste velho conitnente.
      E lá se foram 3 longos anos desde que retornei de Atenas após minha soberana aventura pelos cantos de um velho e mitológico continente, provavelmente foi o ano mais incrível e inesperado da minha vida até agora.
      .
      E depois de muito trabalho, o livro está terminado, sim, eu tenho um livro!! Eu mesmo o fiz, nem acredito, escrevi 444 páginas de um livro! E é com uma imensa alegria que venho compartilhar com vocês esse trabalho que fui cultivando durante esses anos.
      .
      O livro está prontinho e só esperando para entrar em produção, mas para tornar esse sonho em realidade e poder compartilhar essa minha aventura com vocês, eu precisarei da sua ajuda, apoiando e compartilhando essa campanha no Catarse com amigos e familiares.
      .
      Clicando no link você saberá mais sobre o livro e as recompensas que acompanham esta campanha. Acesse e entenda melhor como funciona, é hiper simples! O site é melhor vizualizado pelo computador.
      .
      Eu realmente espero que juntos possamos fazer esse sonho se realizar!
      Link com informações completas sobre olivro e a campanha: 
      https://www.catarse.me/peloscantosdaeuropa

       
       






       





       
    • Por Lucas Marcatti
      CICLO-AVENTUREIROS E CICLO-AVENTUREIRAS! ESTÁ NO AR!!
      .
      E lá se foram 3 longos anos desde que retornei de Atenas após minha soberana aventura pelos cantos de um velho e mitológico continente, onde passei por 14 países da Europa percorrendo mais de 10MIL KM de bicicleta, provavelmente foi o ano mais incrível e inesperado da minha vida até agora.
      .
      E depois de muito trabalho, o livro está terminado, sim, eu tenho um livro!! Eu mesmo o fiz, nem acredito, escrevi 444 páginas de um livro! E é com uma imensa alegria que venho compartilhar com vocês esse trabalho que fui cultivando durante esses anos.
      .
      O livro está prontinho e só esperando para entrar em produção, mas para tornar esse sonho em realidade e poder compartilhar essa minha aventura com vocês, eu precisarei da sua ajuda, apoiando e compartilhando essa campanha no Catarse com amigos e familiares.
      .
      Clicando no link você saberá mais sobre o livro e as recompensas que acompanham esta campanha. Acesse e entenda melhor como funciona, é hiper simples! O site é melhor vizualizado pelo computador.
      .
      Eu realmente espero que juntos possamos fazer esse sonho se realizar!
      .
      De coração ❤️   https://www.catarse.me/peloscantosdaeuropa   ❤️




















    • Por panda
      Meu primeiro mochilão pela Europa foi no longínquo ano de 2004 (mesma época em que entrei aqui no fórum).
      Acredito que a frase acima já lhe permita imaginar como minha viagem foi bastante diferente, levando em conta o quanto o mundo evoluiu em 15 anos.
      Sem mais delongas, vou citar abaixo 10 itens/coisas que levei em meu primeiro mochilão e que hoje poderia dispensar.
      As imagens são meramente ilustrativas.
       
      1. Câmera Fotográfica
       

      Eu sei exatamente o que você está pensando: em 2004 câmeras digitais já eram (quase) populares.
      Sim, já eram. Inclusive levei uma delas comigo (daquelas fininhas point and shoot).
      O problema é que minha câmera digital usava pilhas palitos que se desgastavam rapidamente.
      Além disso, meu irmão tinha uma câmera analógica semiprofissional da Canon e eu a levei acreditando que as fotos ficariam muito melhores do que na outra.
      A Canon era pesada, com uma lente grande...e não era fácil de guardar em uma mochila.
       
      2. Carregador de pilhas

      Mais barato do que comprar pilhas todos os dias para a minha câmera, eu comprei um carregador com 4 pilhas recarregáveis.
       
      3. MP3 Player

      Nada como ouvir uma boa música enquanto você espera o trem chegar...ou antes de dormir, depois de andar quase uma maratona para conhecer o maior número de pontos turísticos na cidade que se visita.
      Aliás, cabe salientar que meu mp3 player também usava pilhas palito.
       
      4. Despertador/relógio

      Levei dois relógios de pulso (um com o fuso do Brasil e o outro com o fuso local), mas descobri alguns dias antes da viagem que ambos tinham o som do alarme muito baixo (e eu o sono muito pesado).
      Diante deste problema, corri para uma loja de 1,99 e comprei um despertador (só pra garantir...sabe como é...).
       
      5. Lanterna

      Quando você dorme em um quarto com 8 ou 10 pessoas que você não conhece, é sempre bom ter uma lanterna pra encontrar o caminho do banheiro ou algum item perdido na sua mochila bagunçada.
       
      6. Dicionário

      Como já tinha certo conhecimento da língua inglesa, levei comigo um dicionário português/francês, pois passaria por 3 países francófonos.
       
      7. Diário de viagem

      Para guardar boas lembranças, além de registrar informações importantes (que depois compartilhei aqui no fórum), levei um caderno ou diário de viagem. Tenho ele guardado até hoje.
       
      8. Guia de viagem / mapas em papel /outros tantos papéis

      Levei um livro/guia de Amsterdã que emprestei de um amigo, além de várias páginas impressas com dicas que encontrei na rede (como ir da estação de trem/aeroporto até o hostel, principais pontos turísticos, onde comer gastando pouco, etc).
      Lembrando que o mochileiros.com tinha apenas 2 anos na época e a internet ainda não dipunha de tantas informações compartilhadas entre viajantes.
      Além disso, me utilizei de vários mapas em papel que ganhei ou comprei pelo caminho.
      Sem falar, é claro, nos tickets de trem/ônibus/avião que eu precisava guardar em minha mochila.
      Enfim...muitos papéis.
       
      9. Roupas em excesso / Peso em excesso

      Ainda que o mochilão tenha ocorrido no inverno, calculo que levei quase o dobro de roupas que eu efetivamente usei. Lavei algumas peças nos hostels e outras nem cheguei a usar.
      Isso impactou principalmente no peso de minha mochila (e em dores nas costas).
       
      10. Kit de costura

      Pensei muito se incluía ou não este item na lista, pois ele efetivamente salvou a minha vida (metaforicamente, é claro).
      Em razão do citado excesso de peso em minha mochila, somado ao fato desta não ser de uma qualidade muito boa, sofri um acidente quando aguardava meu trem na estação de Bonn, na Alemanha.
      Minha mochila simplesmente rasgou o fundo, despejando minhas coisas diante de uma plateia de alemães incrédulos com a cena.
      Embora inicialmente desesperado, vi o kit de costura no chão e o usei para costurar minha mochila.
      Entretanto, não foi tão fácil assim.
      As linhas do meu kit eram de má qualidade e quebravam quando eu tentava costurar um material tão duro quanto a mochila. Diante de tal infortúnio, não tive dúvidas: costurei com algo muito mais resistente, fio dental.
      A mochila ficou feia, mas aguentou o resto da viagem sem problemas.
      Pensando melhor...talvez seja bom manter o kit de costuras...
       
      Enfim, esta é a minha lista.
      É fácil perceber que o smartphone substituiu a maioria destes itens que citei, dentre outros que acabei não citando aqui (talvez em uma parte 2).
      E você? O que não levaria no seu próximo mochilão?
       


×
×
  • Criar Novo...