Ir para conteúdo

Índia - 34 dias e dicas gerais :)


Posts Recomendados

  • Membros

 

Eu e meu marido fomos para Índia em outubro de 2018, ficamos por lá cerca de 34 dias. Vou escrever algumas coisas que acho que podem ser úteis para quem está se preparando para conhecer o país e que eu só aprendi passando por lá.

A chegada
 
Chegamos em Nova Deli pela companhia Emirates, saindo de São Paulo e com parada em Dubai foi o voo mais curto que encontramos. Do aeroporto para o hotel tem algumas opções:
 
- Fechar táxi direto com o hotel que estiver hospedado: essa opção costuma ser mais cara, mas também mais tranquila, apenas certifique-se que, caso o voo atrase, você não será cobrado pelas horas extras de espera. (o hotel que ficamos nos ofereceu o serviço por 1500 rúpias, mas não contratamos o serviço)
 
- Pedir um táxi pré-pago na saída do aeroporto: ficamos hospedados na região de Jasola Vihar, pagamos 650 rúpias, esta foi a nossa escolha. O guichê do táxi pré pago fica bem na frente da saída do aeroporto.Cuidado com pessoas que do nada pegam suas malas/mochilas para carregar, dando a entender que trabalham ali, você chega e um cara praticamente tira suas mochilas das costas e depois te cobra por isso.
 
- Metrô: pode ser uma boa opção para quem já conhece a localidade, eu não recomendo que alguém inexperiente se aventure pelo metro com mochila no primeiro dia, mas é de cada um, sem dúvida é bem mais barato, deve custar coisa de 40 rúpias em média.
 
- Uber: pode ser uma boa opção para quem já conhece a cidade e já tem chip com internet, mas fique esperto, no aeroporto é comum ao final da viagem tentarem te cobrar taxa de estacionamento, o que é errado, pois assim como aqui no Brasil, a tarifa é fixa.
 
Onde ficar:
 
Lemos alguns relatos aqui falando da região de Paharganj e como ela pode ser meio 'traumática' num primeiro momento, por isso optamos em não ficar lá, ficamos no Meditation Palace. O hotel é comandado pelo Abhi e fica meio fora do centro turístico, é uma área mais residencial e foi a melhor coisa que poderíamos ter feito. O hotel foi o mais limpo de toda nossa estadia pela Índia e o mais confortável. O Abhi inclusive fala português pois já veio bastante ao Brasil, o que pode ser um facilitador para quem tem dificuldade no inglês. O hotel está perto de 2 estações de metrô (inclusive uma das linhas de metrô vem direto do aeroporto, mas para voos internos) e uma galeria/shopping onde você pode comer algo ou comprar algumas coisas básicas para o seu dia a dia. O local é muito calmo e tranquilo e além de ser bem limpo, ter quartos grandes e bem iluminados.
 
 
Como se locomover
 
Ainda planejando nossa viagem, lemos sempre muitas pessoas fando sobre a dificuldade em comprar as passagens de trens e em como elas se esgotam com rapidez, isso nos preocupou bastante e vimos a dica aqui do @vitor.chaves sobre o Raj Yadav que vendia passagens e o pagamento podia ser feito fia Paypal, ele foi muito atencioso e extremamente paciente conosco, porque mudamos o roteiro várias vezes! Obviamente que ele cobra uma taxa pelo serviço, mas eu achei os valores bem justos. Para terem uma ideia, compramos os seguintes trechos:
 
Delhi para Varanasi
Varanasi para Agra
Agra para Jaipur
 
Foram 2 passagens (minha e do meu marido) todas em terceira classe (tem cama, lençol, travesseiro e ar condicionado), pagamos o equivalente à 7250 rupias (-+ 390 reais) 
 
O e-mail dele é [email protected] e a dica foi do Vitor Chaves, como disse lá em cima, aliás, muito obrigada!
 
Agora quero só falar sobre esse lance de que as passagens esgotarem... assim, eu entendo que normalmente temos receio de ficar sem e comprometer a viagem, mas por outro lado odiamos engessar a viagem, então demos uma olhada aqui https://www.irctc.co.in/nget/ neste site você consegue ver a disponibilidade de passagens e QUASE SEMPRE há passagens disponíveis em até 2 dias antes das datas para muitos lugares. Ousaria dizer que os destinos mais chatinhos são Delhi e Varanasi, esses trechos esgotam realmente rápidos, mas os demais não acontece muito isso.
 
Dito tuuuudo isso, conto que chegando em Delhi MUDAMOS TODOS NOSSOS PLANOS ahaha 
 
Sim, na Índia tudo leva o triplo do tempo, tudo é mais enrolado do que parece e as chances de darem merdas são sempre potencializadas. Não me considero uma viajante inexperiente, meu marido certamente é mais experiente do que eu, mas ambos tivemos dificuldades grandes por lá. Quando planejamos nossa viagem, ainda no Brasil, tentamos encaixar alguns destinos, como Bundi, Chittogarth e Ranakpur, mas não conseguimos pela logística dos trens, a locomoção demora demais por lá e teríamos que fazer essas cidades contratando alguém para nos levar ou de ônibus, o que demora bastante, então tínhamos riscado esses destinos, mas como falei, mudamos os planos chegando em Delhi.
 
Fechamos um carro com motorista para viajar pelo Rajastão, foram 14 dias e 50 dólares por dia. Caro? Talvez para realidade indiana, talvez para quem tem muito tempo por lá e pode fazer tudo num ritmo mais devagar, mas como viajamos com tempo fechado, fizemos essa opção e não nos arrependemos em nada, pelo contrário, foi a melhor escolha, conseguimos ver tudo o que queríamos no Rajastão.
 
A contratação foi feita pelo Abhi, o dono do hotel que citei lá em cima, ele foi super cuidadoso, prestativo e correto conosco, foi super transparante e não tivemos problema algum, nem com ele e nem com o nosso motorista, ele chamava Malkit. Não paramos em lojinhas, escolhemos nossos hostels, mudamos de roteiro algumas várias vezes no meio do caminho e foi tudo muito bem.
 
O contato do Abhi (whatsapp) é +91 98181 71586 
 
Acabamos entrando em contato com o Raj que nos vendeu as passagens, cancelamos algumas e mudamos o roteiro todo como falei, foram 14 dias pelo Rajastão, com destino final em Khajuharo e de lá seguimos de trem para Varanasi, depois voltamos para Delhi, fomos para Amritsar e McLeod Ganj de carro (dividimos com um casal de alemães e o preço ficou bom), voltamos a Delhi novamente, então fomos para Kathmandu e ficamos 5 dias lá. Depois de volta a Delhi e então, casa, São Paulo. (se alguém tiver dúvida sobre roteiro, me fala, não detalhei aqui porque é sempre muito pessoal)
 
Dicas gerais:
 
- Em Nova Delhi o Uber funciona muito bem, você pode pagar em dinheiro ou cartão, apenas evite ir para Old Delhi de Uber, é tudo caótico demais, muito trânsito, o melhor para esta região é metro, que funciona super bem.  
 
- Chip de internet móvel: eu recomendo fortemente que compre um, se locomover pela Índia pode ser muito maluco, ter internet e GPS pode te salvar. Cuidado para compra de chip no aeroporto, pois se você tiver algum problema com a ativação possivelmente não consegue entrar no aeroporto para reclamar, eles tem uma lei que só entra no aeroporto quem tem passagem para o dia. Compramos nosso chip em Delhi num local que o Abhi nos recomendou, chama Deepak Comunication, na região de Jasola Vihar, mas não recomendo. Normalmente demora 24 horas para ativar, mas tivemos problemas na ativação, o chip demorou cerca de 5 dias para funcionar e além disso, o preço cobrado por ele foi BEM alto do que o preço oficial. Para comprar chip você precisa de uma foto e cópia do passaporte, é lei na Índia e por isso que a ativação não é na hora. Compramos um chip da Airtel, tínhamos 1,4gb por dia, num pacote por 28 dias, o 3g de lá funciona super bem. Se não for comprar chip, sugiro então que faça download dos mapas das cidades que irá passar, dessa forma pode usar offline e não ficar tão vendido por lá.
 
- Papel higiênico: sempre, sempre, sempre tenha papel higiênico contigo e tenha em mente que muitos dos banheiros lá não são os ocidentais que conhecemos.
 
- Para quem está em São Paulo, no Instituto de Infectologia Emílio Ribas existe o serviço de Médico do Viajante. É gratuito e excelente! A médica te dá recomendações de vacinas, remédios necessários e dicas importantes, o agendamento é feito por e-mail [email protected] 
 
- Várias cidades do Rajastão têm as ruas muito estreitas (Jodhpur, Udaipur, Varanasi) então talvez a melhor forma seja chegar de Tuk Tuk ou (foi o nosso caso) o taxi nos deixava numa área próxima e entrávamos a pé na cidade com as mochilas.
 
- Evite planejar sua viagem muito certinha, as coisas atrasam bastante lá, inclusive os voos. Nosso trem, por exemplo, para Varanasi tinha previsão de 10 horas de viagem, demorou quase 16 horas. 
 
- A Índia surpreende, pode acreditar! Eu li vários relatos falando que a Índia era difícil e achei que daria conta, fui meio arrogante achando que era exagero das pessoas, não é. Realmente nada é parecido com a Índia, se engana quem acha isso, por isso, tenha paciência consigo mesmo, demora uns dias para se adaptar as coisas por lá. A Índia te cansa bastante, é o calor, são as pessoas te abordando o tempo todo, querendo te vender algo, fingindo puxar papo e no fim apenas oferecendo coisas. Indianos são pessoas ótimas, mas os comerciantes normalmente são absurdamente cansativos, se tiver a chance de conversar com pessoas que não estejam apenas querendo te vender coisas, faça isso, é muito bacana.
 
- Comida: eu adoro pimenta, como em tudo o que posso e lá eu tive problemas com pimenta, eles comem MUITA, MAS MUITA pimenta, num nível que não consegui suportar. A alimentação lá pode ser meio chatinha. Li falando que comem frango, mas a bem da verdade não é bem assim, não é tão facilmente encontrado e quando tem, vem com uma aparência meio estranha, assim como o cordeiro, são essas as duas carnes teoricamente permitidas lá, mas não espere nada muito bom, é mais garantido ficar nos vegetais mesmo. Tem bastante fast food lá (Burger King, Mc Donalds, Dominos, Pizza hut, Subway) e todos são apimentados, o menos apimentado foi o Subway e o Dominos.
 
- Indianos olham MUITO para as mulheres, muito mesmo, por isso evite o óbvio, roupas curtas ou decotadas, não precisa se cobrir toda, mas leve em conta os hábitos e costumes deles. Não tive problemas com homens, viajei com meu marido e o único momento tenso foi em Delhi, quando pegamos metro em horário de pico e eu não fui no vagão das mulheres (eles têm um vagão reservado para mulheres).
 
- Cuidado com água, beba sempre de garrafa e dê uma olhadinha se tá bem lacrada. Evite comer alimentos crus e frutas, se for comer, prefira você mesmo higienizar.
 
- Preços! Praticamente TODOS os produtos lá tem preço tabelado, água, refri, salgadinho, fica sempre impresso junto com a validade, que aliás lá é diferente, eles colocam a data de envasamento e quanto tempo dura. Por isso, fiquem espertos, é bem comum nos cobrarem mais nesses processos, por exemplo, a água custa 20 rúpias, mas nos cobram 40.
 
Enfim, vá de coração aberto, é verdade que ou você ama ou odeia a Índia, mas seja como for, não tem como ficar indiferente ao país. Voltei tem pouco mais de mês e tenho um grande impulso de retornar, o país é gigante e incrível, para o bom e para o ruim, a Índia é inacreditável, não diria que é apenas um destino, lá é mais que isso.
 
:)
 
 
  • Gostei! 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 meses depois...
  • Membros

Oi Anália, tudo bem e você?

É, os preços das passagens para Índia costumam ser carinhos mesmo.

Eu meio que odeio voar, fico super tensa e é sempre ruim pra mim. Meu marido e eu acabamos optando em buscar o voo mais curto/confortável e o que achamos foi pela Emirates. Compramos as passagens em Julho de 2018 com voos programados para Outubro, pagamos R$ 5.300 cada, ida e volta pela Emirates com parada em Dubai, o voo teve um total de  17 horas +- (sem contar o tempo de conexão), comprei direto no site da companhia.

Eu fiquei monitorando por cerca de 5 meses antes os preços das passagens pelo Google Flights e Kayak, ambos permitem que você crie alertas de preços, você estipula quanto deseja pagar e quando chegar no valor próximo ele te avisa por e-mail. Acontece que eu queria ou Emirates ou Qatar, mas o Emirates acabou compensando mais financeiramente dentro do que esperava.

Como disse, optei por um voo mais curto que consequentemente foi o mais caro, dentro da categoria econômica, claro 😛 mas se você não tiver esse problema e/ou não levar muito em conta a 'qualidade' e tempo de voo, há opções mais baratas. Sei que a Ethiopian costuma ter bons preços e que os voos são bons, mas quase sempre os tempos de conexão em Adis Abeba tendem a ter duas problemáticas: conexão muito curta, com cerca de 2 horas, o que eu acho meio preocupante, pois qualquer atraso você perde o próximo voo ou conexão muito longa, o que pode ser ruim, pois segundo relatos o aeroporto é bem simples, o que pode tornar o tempo de espera meio cansativo, mas obviamente nada que cause grandes problemas suponho.

No final acho que tudo depende do quanto você está disposta em pagar e quais suas prioridades :)  se puder ajudar em algo mais, só me falar!

 

 

 

 

 

  • Gostei! 1
  • Obrigad@! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 1 ano depois...
  • Membros

O Sonho da minha vida é ir a Índia. Só me falta achar uma companhia pra ir: a índia não é pra todo mundo e nunca achei alguém que estivesse disposto a ir junto comigo, infelizmente. Agora então com o Covid, não tenho nem ideia de quando vou poder fazer essa viagem. 

Abraços,

Gustavo Woltmann

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
2 minutos atrás, gustavo.woltmann disse:

O Sonho da minha vida é ir a Índia. Só me falta achar uma companhia pra ir: a índia não é pra todo mundo e nunca achei alguém que estivesse disposto a ir junto comigo, infelizmente. Agora então com o Covid, não tenho nem ideia de quando vou poder fazer essa viagem. 

Abraços,

Gustavo Woltmann

Não dependa de ninguem pra viajar. Achar alguem que queira ir pra onde voce deseja, ter a mesma disponibilidade de tempo e grana é quase uma loteria. Se voce sempre for ficar dependendo de alguem pra fazer suas viagens ficará a vida toda dentro de casa.

Faça um planejamento, leia bastante, junte grana e pé na estrada. A índia é um destino desafiador pelo fato de ser totalmente diferente dos nossos costumes, com isso a gente acaba levando um choque quando chega lá, mas nada que uns dois ou três dias pra voce já se acostumar.

  • Gostei! 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
Em 15/10/2020 em 19:30, gustavo.woltmann disse:

O Sonho da minha vida é ir a Índia. Só me falta achar uma companhia pra ir: a índia não é pra todo mundo e nunca achei alguém que estivesse disposto a ir junto comigo, infelizmente. Agora então com o Covid, não tenho nem ideia de quando vou poder fazer essa viagem. 

Abraços,

Gustavo Woltmann

Eu entendo, mas acho que se é um sonho busque alternativas para realizar dentro das suas possibilidades, sempre se respeitando. A Índia é desafiadora sim, mas se faz questão de ir acompanhado acredito que existam pessoas que organizam essas viagens, não necessariamente agências, mas pequenos grupos. Acredito que há diversas formas de viajar e particularmente acho todas válidas desde que respeitem nossos desejos e estejam de acordo com as nossas prioridades.

A Índia é um lugar incrível. Já tem dois anos que fui e ainda guardo forte o desejo de voltar. 

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Fora da Zona de Conforto
      O estado de Kerala, no sul da Índia, é popularmente chamado de “o país dos deuses”. Palmeiras balançando nas praias, reflexos de remansos nas lagoas e um pôr do sol sereno são motivos suficientes para visitá-lo, mas deixe-me acrescentar a isso.
      Cochin tem um bom litoral com belas praias turísticas, bem como intocadas e serenas. Mas os remansos são a característica distintiva de Kerala.
      Lagoas e lagoas interconectadas, com vida nas aldeias ao lado e barcos correndo como ônibus entre as aldeias. Cochin em Kerala é perfeita para viajantes interessados em comida, história e praias. Kerala tem 3 aeroportos internacionais, mas a maioria das suas viagens em Kerala começa aqui, e tenho certeza que Cochin tem algo para cada tipo de viajante.
      Enquanto estiver em Cochin, é uma boa ideia ir aos tradicionais mercados de especiarias para algumas compras de especiarias autênticas, que também são um excelente cenário para fotos vibrantes! Compre alguns temperos e saris para manter as memórias de sua viagem. A lista de lugares para visitar e coisas para fazer em Cochin é muito interessante.
      OBS: Também fiz um mapa com todos os lugares em Kochi que recomendo um passeio. Confira no final do artigo!
       
      Continue lendo em: 16 Melhores Coisas para Fazer em Cochin, Kerala – Sul da Índia
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Bangalore, também conhecida como ‘A Cidade Jardim da Índia’, é uma das cidades metropolitanas mais populosas da Índia. A capital do estado de Karnataka (no sul da Índia), Bangalore, é o centro de TI do país e conta com um ambiente culturalmente diverso.
      Localizada no centro do sul da Índia, destinos como Lepakshi, Hogenakkal e Hampi são alguns dos lugares mais populares para se visitar em Bangalore.
      Como chegar a Bangalore?
      A melhor maneira de chegar a Bangalore é pegar um voo para o aeroporto Internacional de Kempegowda, localizado a cerca de 13 km da cidade. Ônibus e trens também estão disponíveis em todas as principais cidades da Índia. Mover-se dentro da cidade é muito fácil devido à disponibilidade de transporte público, como ônibus locais, auto-riquixás e táxis.
      A cidade também tem um bom sistema de metrô que conecta todos os pontos essenciais de Bangalore e é uma ótima forma de economizar com transporte.
       
      Continue lendo: 10 Melhores Coisas para Fazer em Bangalore no Centro da Índia
       
    • Por roteiroviagemdemochileiros
      Dicas de Viagem para Índia que Você deve Ler antes de Viajar!
      Vestimenta para as mulheres
      Respeitando as tradições e costumes da Índia, as mulheres devem estar sempre com a região dos ombros coberta. Não é aconselhável usar camisetas sem mangas, bermudas curtas ou calças jeans ou legging. O jeans, apesar de ser uma das vestimentas mais banais no Ocidente, na Índia é ainda considerado super sexy. Em muitos lugares, não é bem visto. Dica, se for usar jeans ou legging, coloca uma bata compridinha. Se for usar camiseta coloca um lenço por cima da camiseta.
      Na Índia: mulher solteira = jeans e mulher casada = roupa tradicional indiana. Para 99,9% dos indianos, mulher que mostra o corpo ou usa roupas justas que marquem o corpo, está pedindo para ser assediada e é um convite aos mais assanhados. Sendo assim, para evitar os olhares de reprovação e comentários alheios recomendo usar calças largas, saias compridas, blusas no estilo de batas. Nos templos sagrados, os visitantes devem estar adequadamente vestidos e todos devem cobrir a cabeça com véus ou lenços.

      Remédios/Higiene
      Na Índia, as farmácias são raras, e para os remédios simples alopáticos, eles pedem receita médica. A medicina comum na Índia é a Ayurvédica. Claro que você poderá experimentar os remédios ayurvédicos, mas para maior segurança aconselho a levarem as nossas medicações ocidentais: Analgésicos, Anti-inflamatório, Antibiótico, Antigripal. E também para dor de garganta, tosse, diarreia e vômitos. É recomendável levar medicamentos para intoxicação alimentar, a maioria dos viajantes tem problemas com comida nas primeiras semanas. Poderá sentir dor de estômago, leve Omeprazol. 
      Sempre leve na sua mochila um rolo de papel higiênico, itens básicos de higiene (álcool gel, pasta de dente, toalha, lenço umedecido, as meninas levar absorvente, etc). É possível encontrar esses itens nas cidades para comprar, mas nem sempre tem o suficiente nos hotéis, hostels, restaurantes e banheiros da Índia. 
      Sempre constatar se as garrafas de água mineral estão seladas com o selo do fabricante, já que alguns comerciantes inescrupulosos chegam a rechear as garrafas com água “torneiral” para revender como se fosse mineral. 
      Dicas de viagem para Índia: Turismo
      As famosas turísticas Cidades da Índia são:
      • Nova Deli (capital de tradição milenar e porta de entrada);
      • Agra (a cidade do Taj Mahal, uma das 7 maravilhas do mundo moderno);
      • Jaipur (a cidade rosa, no Rajastão);
      • Jaisalmer (a cidade dourada, também no Rajastão);
      • Amritsar (cidade sagrada do Sikhismo, 5º maior religião do mundo);
      • Varanasi (cidade sagrada do hinduísmo, 3º maior religião do mundo. Onde rolam as cerimônias no Rio Ganges);
      • Khajuraho (a cidade dos templos com esculturas que lembram Kama Sutra);
      • Rishikesh (conhecida como a capital mundial da Yoga);
      • McLeod Ganj (aos pés do Himalaia, é a cidade onde vive o Dalai Lama e os tibetanos no exílio);
      • Mumbai (centro financeiro e de maior riqueza arquitetônica do país);
      • Calcutá (capital cultural do país com cinco Prêmios Nobel).
      Visto
      Agora pessoas que vão para Índia como turistas podem tirar o visto pela internet. O novo visto eletrônico tem validade de 30 dias e custa 60 dólares. Basta acessar o site visto eletrônico indiano. Quando terminar de preencher tudo, você deve pagar a taxa do visto e só então receberá o ETA (Autorização Eletrônica de Viagem) por email. A taxa deve ser paga no mínimo quatro dias antes da viagem e no máximo 30 dias antes da data da chegada.
      O visto de turismo eletrônico pode ser pedido no máximo duas vezes por ano. Ele não pode ser prorrogado ou convertido para outros tipos de visto. O governo indiano disponibiliza, 24h por dia, um Centro de Apoio de Vistos. O serviço está disponível pelo número +91 11 24300666 ou por email: [email protected]
      Se você pretende ficar mais de um mês, deve seguir o método antigo, através da Embaixada ou Consulado da Índia no Brasil. (nesse caso o visto vale por 6 meses)
      Vacina
      A única vacina obrigatória é contra febre amarela. É preciso ser vacinado no mínimo 10 dias antes de embarcar. Atenção, aquele cartão fornecido pelo posto não serve! É obrigatório apresentar, ao chegar na Índia, o Certificado Internacional de Vacinação, mais conhecido por Cartão Internacional de Vacinação, que é um documento emitido pela emitido pela ANVISA, pois nele comprova que o viajante vacinou-se contra febre amarela. Neste artigo tem o passo a passo de Como conseguir o certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Outras vacinas são aconselháveis, embora não obrigatórias. Tétano, raiva, paralisia infantil e hepatite A são algumas delas. 
      Clima
      Não pense que a Índia só faz calor, tipo de 45°C. A temperatura média varia: De Fevereiro a Maio (verão) de 20°C a 40°C podendo chegar até 45°C. De Junho a Setembro (chuvas frequentes) de 25°C a 38°C. De outubro a janeiro de (inverno) de 15°C a 20°C. 
      Poluição
      Nova Deli, local que mais recebem visitantes na Índia, é considerada a cidade mais poluída do mundo, ultrapassando a super poluída Pequim. A confirmação oficial de que a capital indiana está no topo da lista negra do meio ambiente foi dada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A poluição do ar é um problema de saúde sério na Índia. A estimativa é a de que pelo menos 10.500 pessoas morram todos os anos na cidade indiana em decorrência de doenças provocadas pela péssima qualidade do ar.
      São mais de 400 idiomas e dialetos. O oficial é o hindu, e o inglês é a segunda língua mais usada. A palavra mais conhecida em hindu é: Namastê (Oi – na verdade quer dizer muito mais que isso, mas a ideia é cumprimentar). Não existe rúpia indiana à venda no Brasil, por isso leve dólar, o Real não é bem aceito por lá. É um país de grande diversidade cultural e nesse artigo você vai ficar surpreso com as 17 Curiosidades sobre a Índia que você precisa saber. 
      Ótima Dicas de viagem para Índia né?! Não perca mais tempo, programe agora mesmo sua viagem para conhecer de perto os costumes e curiosidades do povo indiano. 
    • Por rubens.manoel
      Bom, finalmente consegui um tempinho para deixar meu relato sobre as duas semanas que passei na Índia.
      Vamos começar com os pontos básicos:
       
      • CUSTO
      A Índia é um país onde é tudo muito barato, você economiza com comida e hospedagem, porém o que irá pesar no custo total será o valor passagem que você encontra sempre na faixa de R$3500-4000. Eu consegui passagens pela Etihad por R$2800 com escala em Abu Dhabi.
      Assim o custo total da minha viagem foi de R$6000.
       
      • ROTEIRO
      A Índia possui cidades com características totalmente diferentes e o clima muda muito de uma região para outra. Viajei entre final de abril e começo de maio e peguei temperatura acima de 40 graus quase todos os dias, sendo a máxima de 45 graus.
      A minha entrada/saída no país seria por Nova Deli, assim pensei um roteiro que não fizesse viagens longas mais saísse um pouco do já manjado Triângulo Dourado dividindo assim:
      Nova Deli (3 dias ) – Agra (2 dias) – Jaipur (3 dias) – Jaisalmer (3 dias) – Jodhpur (3 dias)
       
      • TRANSPORTE
      No deslocamento entre cidades o melhor custo x benefício é o trem, mesmo com o grande número de acidentes ferroviários.
      No deslocamento dentro das cidades usa-se o tuk-tuk pra tudo é prático e barato. Em Delhi tem metro e em Jaipur estava para ser inaugurado.
      Para poder comprar passagens de trens regionais é preciso ter um cadastro no Sistema de Trens da Índia.
       
      • VISTO
      O visto é tirado pela internet através do preenchimento de formulário e pagamento de uma taxa de 60 dólares. É só imprimir o INDIAN TOURIST VISA ON ARRIVAL (TVoA) e apresentar no aeroporto. O visto não pode ser tirado com muita antecedência, consulte os prazos no site.
       
       
      Na próxima parte do relato colocarei minha percepção sobre cada uma das cidades que passei.
    • Por Tuany Correa
      Oi gente, ano que vem irei pra India pela primeira vez.
      Norte da índia; por 25 dias. Meu plano é pegar alguns dias pra fazer um trekking no Nepal; mas não faço de ideia de por onde começar a me planejar pra isso!
      Alguém teria uma dica de trajeto; por onde começar, qual trilha fazer, valores, quem eu busco pra isso? Precisa de guia ou dá pra fazer sozinho?
       
      Me deem uma mãozinha, por favorzinho!
       
×
×
  • Criar Novo...