Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Colaboradores

O nosso principal objetivo em visitar o Equador era subir o Cotopaxi. Para isso, planejamos um programa de aclimatação que é extremamente recomendado para aumentar o sucesso e diminuir as chances de ter o famoso mal de altitude. Quito foi escolhida como a nossa cidade base. Ponto de partida de todos os nossos hikings e subidas. Durante o tempo livre tentamos conhecer o que Quito tem de melhor. Dá uma olhada como foi.

Quito

Como chegamos

Chegamos em Quito vindos do Canadá pela AeroMéxico. Gostamos bastante do serviço e a conexão na Cidade do México foi muito mais comoda do que se tivesse sido no Panamá. O voo de Toronto à Cidade do México e de lá até Quito tiveram duração de 4h e alguns quebrados cada um. Nada mal, não?

Onde nos hospedamos

Em todas as noites que passamos em Quito, ficamos hospedados no Centro Histórico. Exite uma corrente que diz para se hospedar no bairro La Mariscal. Eu entendo. Um bairro mais jovem, novo, mais vibrante durante a noite. Mas o Centro Histórico me agradou bastante. O hostel que ficamos foi o Masaya Hostel. Sem dúvida, o melhor hostel que ficamos até aqui, de longe! Limpo, organizado, repleto de serviços e conveniências e sua localização era perfeita. Pertinho das principais atrações do centro histórico e da calle La Ronda, conhecida pela sua noite agitada.

O que fizemos

CONHECEMOS O CENTRO HISTÓRICO DE QUITO

Passear pelo centro histórico de Quito é uma experiência a parte. É considerado um dos mais bem preservados de toda a América Latina e de quebra é tombado pela Unesco, como o primeiro patrimônio cultural da humanidade em 1978. Quer mais?

Os prédios históricos estão em excelente estado de preservação e o interior das igrejas é de impressionar, principalmente na Iglesia de la Compañía de Jesús e na Basílica del Voto Nacional.

Tire um dia inteiro para conhecer tudo, é mais do que o suficiente. As principais atrações (no nosso ponto de vista), com destaque, são:

  1. Plaza de la Independencia: sente no banco da praça e veja a vida acontecer no centro da capital equatoriana.
  2. Palácio de Carondelet (residência oficial do presidente do Equador): se você tiver sorte, poderá ver a troca da guarda presidencial e quem sabe o próprio presidente do Equador, que costuma acompanhar a cerimônia.
  3. Catedral Metropolitana de Quito.
  4. Calle de las 7 cruces (Calle Garcia Moreno): 7 igrejas construídas umas perto das outra, elas fazem parte de uma das ruas mais charmosas de Quito. Visite uma por uma e termine o trajeto na Plaza de la Independencia.
  5. Iglesia de la Compañía de Jesús: a mais impressionante de todas as igrejas de Quito. Seu interior é totalmente folheado a ouro. Fotos não são permitidas e o acesso é pago (USD 10). Aqui também foi enterrado o corpo do presidente Gabriel García Moreno, um dos presidentes mais venerados do Equador.
  6. Plaza e Iglesia San Francisco: praça e igreja de mesmo nome, ambos valem a visita. O interior da igreja é também revestido em ouro, mas não como a Iglesia de la Compañía de Jesús.
  7. Plaza e Iglesia de Santo Domingo.
  8. Basílica del Voto Nacional: possui uma arquitetura gótica totalmente diferente das demais igrejas da cidade. Chega a lembrar a Catedral de Notre-Dame de Paris de tão imponente que é. O detalhe interessante é que você pode visitar os terraços da igreja que são acessíveis ao público. Dá pra ver a cidade de Quito de lá de cima. O único problema é conseguir subir, pois as escadas são bem estreitas e não é todo mundo que tem coragem de se arriscar por ali.

USAMOS O TELEFÉRIQO

Mesma regra vale para Bogotá. Se for a Quito, não deixe de ir ao TelefériQo. A forma mais simples de ir até a estação base do teleférico é de táxi. Do centro histórico até lá, uma corrida vai te custar no máximo 4 dólares. A viagem ida e volta custa USD 8.50 para estrangeiros.

2019-01-17-12.21.30-1-1024x768.jpg

Entrada do teleférico de Quito.

Além da vista incrível de Quito e dos arredores (se tiver sorte, vai poder ver quase todos os principais vulcões da redondeza), você pode lanchar ou fazer uma pequena caminhada até um dos mirantes. Entretanto, uma das coisas mais legais pra se fazer quando se usa o TelefériQo é subir até o cume do Rucu Pichincha (confere aí embaixo).

SUBIMOS AO CUME DO VULCÃO RUCU PICHINCHA

2019-01-17-12.21.29-1-1024x768.jpg

Se você curte uma boa caminhada com um pouco de adrenalina, sugiro fortemente você tentar subir o vulcão (inativo) Rucu Pichincha. A trilha é bem sinalizada na maior parte do tempo e o vulcão, com ponto mais alto à 4698 metros de altura, é uma das principais atividades de aclimatação se você almeja subir montanhas maiores no Equador. Foi o que fizemos e recomendamos bastante.

Otaválo

Otaválo vale a visita pois é uma cidade atípica. Além do mercado de artesanato, o que a maioria dos turistas vao ver, Otavalo e os seus arredores oferecem muito mais. Uma das coisas é a Laguna Cuicocha e os vulcões ao seu redor.

Como chegamos

Chegamos de ônibus, vindos de Quito (Terminal Carcelén). A passagem de Quito até Otavalo custou em torno de USD 2.5 por pessoa e durou 2h30 mais ou menos. A viagem foi tranquila e boa parte da estrada é duplicada.

Onde nos hospedamos

Ficamos no Hostel El Andariego, que ficava à algumas quadras da Plaza de los Ponchos, ponto principal da cidade de Otaválo. O hostel era simples, mas super limpo e confortável. Pagamos USD 23 por noite para um quarto privado sem café da manhã. Recomendo se você quer passar uma noite em Otaválo.

O que fizemos

MERCADO DE ARTESANATOS

Principal atração da cidade de Otaválo. É considerado o maior mercado de artesanatos indígena do mundo. Funciona durante o ano todo e durante todos os dias da semana, mas se você quiser vê-lo em seu tamanho máximo, vá no sábado. Também nos sábados, acontece o mercado de animais. Não fomos nesse, só visitamos o de artesanatos mesmo e foi suficiente. 

2019-01-16-10.31.00-1-1024x768.jpg

O que muita gente não sabe é que durante a noite o mercado continua em funcionamento só que com barracas de comidas típicas de todos os tipos. Se puder dormir um dia por lá, vale a pena visitar o mercado noturno. Foi lá que encontrei pamonha, que os equatorianos chamam de Humita.

LAGUNA CUICOCHA

A Laguna Cuicocha é uma destinação completa. Além das belas vistas da lagoa (que é a cratera de um vulcão inativo), você pode fazer o hiking ao seu redor em uma trilha chamada Sandero de las Orquídeas (sim, lá existem mais de 10 espécies diferentes de orquídeas, por isso o nome). São 14 km de trilha bem sinalizada que são feitos normalmente entre 4-5 horas. A trilha é linda e fica linda durante todo o percurso, principalmente pela presença dos vulcões ao redor da lagoa.

Laguna Cuicocha.

Para acessar a Laguna Cuicocha, você tem que pegar um ônibus de Otaválo à Cotacachi e parar em Quiroga. Lá, você vai pegar um táxi rumo à lago. Tudo por menos de USD 6.

Iliniza Norte

Vista da trilha que levava ao refúgio Nuevos Horizontes.

Os Ilinizas, um conjunto de duas montanhas que eram antigamente um só vulcão é um ponto turístico muito conhecido pelos amantes da altitude. Não é muito comum vir conhecer uma das duas montanhas sem ter um plano maior pela frente, como por exemplo subir o Cotopaxi ou qualquer outro vulcão/montanha da redondeza. Foi o que fizemos. Subimos o Iliniza Norte, a menor das duas montanhas com 5126 metros de altura. Vale a pena! Assim como o Cotopaxi, o acesso ao Iliniza é feito normalmente com uma agência.

Cotopaxi

O vulcão Cotopaxi é um dos principais destinos no Equador, pois oferece de tudo. É o vulcão mais ativo do Equador com 5897 metros. Para ter acesso ao Cotopaxi, normalmente você terá que contratar os serviços de uma agência.

Para os curiosos, você pode subir até o refúgio e tomar um chá com bolo quentinho. Pros que querem descanso, você pode se hospedar em umas das várias haciendas e ficar admirando o silêncio e a vista. Você pode andar a cavalo ou de bicicleta pelo Parque Nacional Cotopaxi com o vulcão de plano de fundo. E para os aventureiros e corajosos, você também pode tentar descer parte do vulcão de bicicleta ou subir ao cume do vulcão.

Cratera do vulcão Cotopaxi.

Subir ao cume do Cotopaxi não foi fácil, mas a experiência foi incrível e posso afirmar sem nenhuma dúvida que se você for ao Equador e não conhecer o Cotopaxi, você vai se arrepender muito! Vai por mim.

Conclusão

Essa primeira parte da nossa visita ao Equador foi muito intensa. A cidade de Quito, além de ser nossa base durante quase 10 dias, foi também a nossa casa. Foi uma bela surpresa e gostamos bastante de cada rua e atração. Não tenho nem palavras para descrever os arredores, as coisas que fizemos a partir de Quito. A mais marcante vai ser sem dúvida, ter subido ao cume do Cotopaxi. Só de lembrar, já dá saudade...

 

Quer ler mais sobre as nossas viagens? É só acessar o nosso site: www.feriascontadas.com

  • Gostei! 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Diogo Rodrigues
      Oi Pessoal!
      Meu nome é Diogo, e queria apresentar o meu canal no Youtube e site chamado "Uma Câmera na Mão e o Pé na Estrada"
      Nele mostro locais na natureza, trilhas, praias, cachoeiras, permacultura, e muitas outras experiências, sempre prezando pelo meio ambiente, e com a interação com o mesmo.
      Convido a quem quiser, se inscrever no canal, isso ajuda muito a mim, e além de entregar os vídeos novos pra quem se inscreve.
       
      "Quanto mais os anos passam, fico mais medroso, coloco a culpa na correria, no cansaço, ou no trabalho, mas eu tento sempre me forçar a arriscar, porque no momento que saio de casa pra fazer o que quero, tudo faz sentido. Eu quero chegar na velhice ainda fazendo coisas pela primeira vez."
       

      Endereço do canal: www.youtube.com/umacameraviagens
       
       
      Alguns vídeos do canal:
       
       
       
       
       
       
      Algumas fotos:

       

       

       

       

      Valeu pessoal, espero que gostem!
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Ontário, no Canadá, se trata de uma província próxima às cidades, o que acaba atraindo muitos turistas locais e estrangeiros para estarem mais perto da natureza. Em apenas algumas horas, os viajantes podem chegar ao local, saindo dos principais centros urbanos para fazer caminhadas ou andar de barco.
      Você está planejando visitar e realizar atividades ao ar livre em Ontário? Você está hospedado em Toronto, Ottawa ou em qualquer outra grande cidade da província? Você mora em Quebec ou Manitoba e gostaria de explorar sua província vizinha?
      Este é um guia rápido das diferentes atividades que você pode realizar para aproveitar ao máximo seus dias de férias com a natureza.
      (OBS: Aqui você também encontrará um mapa com todos os lugares citados na lista de atividades em Ontário abaixo. Você pode visualizar esse mapa aqui ou após a lista na seção Mapa de Atividades.)
       
          1. Caminhe ao redor de Ontário
      Uma das atividades de aventura ao ar livre mais procuradas em Ontário são as caminhadas. Esse local possui mais de 80.000 quilômetros de trilhas, perfeitas para aventuras ao ar livre, como caminhadas e mountain bike.
      Em sua maioria, os parques nacionais, áreas de conservação e parques provinciais estão abertos para trilhas. As caminhadas em Ontário apresentam as melhores trilhas da província!
      Caminhar no Algonquin Park é uma forma divertida de estar mais perto da natureza. Este parque provincial tem maravilhas naturais mais selvagens e maiores do que outros parques, com 7.635 quilômetros quadrados de florestas, lagos, pântanos e rios magníficos. Em Ontário, você não pode sair sem experimentar uma experiência de caminhada inesquecível. 
       
      Continue lendo em: 8 Ótimas Atividades ao Ar Livre em Ontário para Diferentes Tipos de Aventureiros
       
    • Por Raf_rj
      4 Noites na Chapada dos Veadeiros - Alto Paraiso / São Jorge - Goiás
      >> Quinta 
      - Voo cedo SDU x BSB, chegada em Brasília 10h, retirada do carro alugado (hatch compacto) e partida para a Chapada - Chagada 13h30.
      - Vale da Lua. Local de fácil acesso e lotado de pessoas. 
      - Passagem pelo Jardim de Maytrea (Bela paisagem/Cartão postal da Chapada). É apenas um local para parar o carro na beira da estrada e aguardar o por do sol. Pessoas tiram fotos sentadas no teto do carro.
      - Check in na Pousada em Alto Paraíso no final da tarde.
      >> Sexta
      - Cataratas dos Couros - Distante 50km de Alto Paraiso - Trecho de estrada de terra com subidas difíceis para carro comum. Precisamos empurrar junto com outros grupos também com carros atolados.
      - Orientação de tracklog pelo Wikiloc.
      - Várias quedas, mirantes e ótimos pontos para tomar banho.
      - Circuito para um dia inteiro.
      >> Sábado
      - Parque Nacinal da Chapada dos Veadeiros - Saltos, Carrossel e Corredeiras ~14km com 420 de elevação.
      - Espetacular. Foi tão bom que voltei no dia seguinte para fazer outro circuito.
      >> Domingo
      - Parque Nacinal da Chapada dos Veadeiros - Circuito dos Canions (Canion 2 e Carioquinhas) ~ 11km com 200 de elevação.
      >> Segunda
      - Visita aos poços do Circuito Loquinhas. Entrada é cara e volume de água estava baixo em julho. Mas foi um programa rápido e adequado para o dia de retorno.
      - Retorno a Brasília e voo BSB x SDU a tarde.
      Atenção especial para o restaurante Zu's Bistro (risotos e massas).
      *   O período curto de 4 noites é pouco para conhecer o básico da Chapada dos Veadeiros.
      **  A hospedagem é cara em Alto Paraiso. Uma boa opção é entrar em contato direto com a pousada e reservar sem sites intermediários.
      *** Foi decidido não ir em Cavalcante, a Cachoeira Santa Barbara (queridinha da Chapada) estava fechada no período.
       
    • Por TardoAventura
      Aventura na Serra da Arrábida, Setúbal, Portugal.
      1,5 Kms de adrenalina e superação até ao cume da Espantosa Serra da Arrábida!
      Seguindo a PR2 STB que é 5 estrelas a nível de sinalização!
      Sigam-nos em :
      Wikiloc: https://pt.wikiloc.com/wikiloc/user.do?id=4716837
      Boas Caminhadas!
    • Por Rodrigo Burle
      Slovenska Planinska Pot, às vezes também chamada Transverzala, é uma travessia de Maribor até Ankaran. Abrange a maior parte das áreas montanhosas da Eslovênia, incluindo Pohorje, os Alpes Julianos, os Alpes Kamnik-Savinja, os Karawanks e a parte sudoeste da Eslovênia. Distância 617km com nada menos que 37.300 metros de subida acumulada. Umas das mais difíceis trilhas de longa distância que eu já fiz, porém uma das mais belas também. Oficialmente pode ser feita em 37 dias, eu demorei 42. Essa trilha passa pela montanha Triglav, símbolo nacional da Eslovênia (a montanha da bandeira nacional), 2864 metros, ponto mais alto da travessia.
      A Eslovênia é um país lindissímo, com montanhas por todos os lados. O povo é muito hospitaleiro, o que tornou este trekking uma aventura bastante prazerosa. Eles são simplesmente fanáticos por montanhas, é comum ver famílias inteiras escalando, desde o netinho até o avô.
       
      Existe um livro, tipo um passaporte, onde você coleta o carimbo em cada topo de montanha e é bem tradicional. Conversando com um senhor, ele me disse que praticamente todo Esloveno tem esse livro e que é uma tradição coletar todos os carimbos antes dos 50 anos. Ele também me disse que poucos conseguem, eu coletei todos em 42 dias. A maioria das pessoas não consegue não porque é difícil, mas por não ter tempo, o que me lembrou o quanto eu tenho sorte em ter liberdade geográfica e financeira.   Eu comparo esse passaporte com a vida, onde cada carimbo é um sonho que você tem. Quantos carimbos você tem coletado? Comenta aí...   Eu tinha várias desculpas para não realizar meus sonhos, sempre ocupado com trabalho, estudos ou qualquer outra coisa. Somente com 38 anos eu me dei conta que a vida voa e se você não sair do “automático” e começar a viver ela vai passar e você nem vai perceber.   Felizmente nunca é tarde, não importa a sua idade, sua condição financeira, sua experiência, se você quer ter uma vida cheia de momentos incríveis e experiências transformadoras, vá viajar! Nada vai te proporcionar uma vida tão intensa e com propósito.   Se você não sabe por onde começar eu escrevi um livro contanto tudo que eu fiz desde que sai do Brasil quase sem grana até me tornar um Nômade Digital. Acredito que vai te trazer bastante clareza de como é possível viver viajando.   Vou deixar o link aqui: https://bit.ly/liberdadenomade2021   Muito Obrigado!

















      20200904_094216.mp4
      20200906_073409.mp4 20200906_101058.mp4
      20200908_130642.mp4 20200909_074100.mp4










×
×
  • Criar Novo...