Ir para conte√ļdo

Posts Recomendados

  • Membros

Pessoal, boa tarde. 

Estou de f√©rias ūüė鬆
e querendo ACAMPAR ūüŹēÔłŹūüŹēÔłŹūüŹēÔłŹ¬†
em algum lugar bonito que tenha previsão de 
‚ėÄÔłŹ‚ėÄÔłŹ‚ėÄÔłŹSOL de¬†
ūüďÜ amanh√£ at√© domingo.¬†

Estou em Ubatuba, aqui tem previs√£o de chuva ūüĆßÔłŹ

Conhecem algum lugar que não seja tão longe daqui e valha a pena por 2 ou 3 dias? 

Pensei em algum camping mais isolado e seguro na pandemia ūüė∑no vale do para√≠ba ou regi√£o pr√≥xima ao Itatiaia...ūü§Ē

Dicas?

Link para o coment√°rio
  • Colaboradores

Tem o parque nacional de itatiaia! Que reabriu com restri√ß√Ķes.. por√©m, deve estar na capacidade m√°xima os campings e o abrigo para esse pr√≥ximo final de semana.

http://www.parquedoitatiaia.tur.br/

Protocolo e restri√ß√Ķes;¬†

http://www.parquedoitatiaia.tur.br/covid_07_20/

 

Eu vi que algumas pessoas estão indo até o Pico dos Marins, mas não sei dizer o quão seguro estaria.. ainda mais no feriado. 

Link para o coment√°rio

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Voc√™ colou conte√ļdo com formata√ß√£o.   Remover formata√ß√£o

  Apenas 75 emojis s√£o permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conte√ļdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   N√£o √© poss√≠vel colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conte√ļdo Similar

    • Por Braccialli
      Boa tarde, galera. 
      To querendo aproveitar o final de semana do dia 30/31 de outubro podendo se estender até terça no feriado, mas não sei para onde ir.
      Estou no centro-oeste de S√£o Paulo (Mar√≠lia) e queria indica√ß√Ķes de lugares perto para aproveitar, de preferencia que tenham camping e cachoeira.¬†
       
      Valeu!
    • Por Tadeu Pereira
      Trilha da Praia do Bonete - Ilhabela - S√£o Paulo
      Praias: Praia do Bonete, Buraco do Cação e Praia das Enchovas
      Cachoeiras: Cachoeira da Laje, Cachoeira do Areado e Cachoeira do Saquinho
      Dificuldade: Média
      Dist√Ęncia: 15 km
       
      Salve salve mochileiros!
           Segue o relato desta famosa trilha situada em Ilhabela no litoral Norte de São Paulo, iniciada na parte sul da ilha a aproximadamente 9Km da balsa entre São Sebastião e Ilhabela. A trilha é de nível fácil/moderado com muitas subidas e descidas na maior parte caminhando dentro da mata, passando por três lindas cachoeiras, com alguns mirantes e sempre caminhando com o som do mar. 
      Partida - 13/09/21ÔĽŅ¬†- Ida 9:00am - S√£o Paulo x S√£o Sebasti√£o ->¬†BlablaCar¬†R$60,00¬†-¬†Balsa x Ponta da Sepituba¬† ->¬†√Ēnibus R$5,00
      ¬† ¬† ¬†Partimos do Terminal Rodovi√°rio do Tiet√™ na zona Norte de S√£o Paulo por volta das 9:00hrs da manh√£ de carona que conseguimos pelo aplicativo BlablaCar pagando R$60,00 cada um at√© a Balsa entre S√£o Sebasti√£o e Ilhabela. A viagem foi tranquila e em aproximadamente duas horas e meia chegamos na Balsa do lado de S√£o Sebasti√£o. Tivemos a sorte de chegar e j√° pegar a balsa/catamar√£ at√© Ilhabela que durou menos de 30 minutos a travessia. Chegando do lado de Ilhabela caminhamos por alguns metros at√© um pequeno terminal de √īnibus √† esquerda onde pegamos o √īnibus com nome de Borrifos. O √īnibus logo saiu e seguiu sentido sul da ilha passando por praias como a Praia da Feiticeira, Praia do Juli√£o, Praia do Veloso entre outras at√© parar no ponto final. A trilha come√ßa basicamente neste ponto pois ap√≥s descer do √īnibus come√ßamos caminhando por 3 km at√© a entrada da trilha.¬†¬†
       
       


      ¬† ¬† ¬†Na entrada da trilha existe uma guarita onde fica um monitor passando algumas instru√ß√Ķes, informa√ß√Ķes e dicas da trilha. Enchemos nossas garrafas d'√°gua na guarita, checamos nosso equipamento, passamos o repelente e iniciamos a trilha por volta das 13:00hrs. J√° no in√≠cio da trilha se tem uma ideia de como ser√° dif√≠cil todo o percurso com todo o peso das mochilas nas costas. J√° come√ßamos com uma subida daquelas onde o filho chora e a m√£e jamais v√™ ahahahahha. Mas como quase toda subida tem uma recompensa no final ahuahauha, fomos presenteados tamb√©m com o primeiro mirante com vista para o mar da trilha.¬†


      ¬† ¬† ¬†Depois de alguns minutos contemplando aquele lindo visual do mirante, seguimos em frente por mais uns 2 quil√īmetros at√© chegar na entrada da Fazenda da Lage. O local tem uma estrutura boa e simples onde oferecem camping, pousadas, restaurante, wi-fi, cozinha compartilhada, cachoeiras, linda vista do mar e uma linda vista de cima do famoso Buraco do Ca√ß√£o. Para quem quiser passar o dia s√≥ para visita√ß√£o ser√° cobrado o valor de R$10,00 Reais e para camping o valor e de R$60,00 Reais por pessoa. Existem tamb√©m op√ß√Ķes de quarto compartilhado e su√≠tes. Como t√≠nhamos tempo e provavelmente ir√≠amos chegar quase √† noite na Praia do Bonete naquele dia, resolvemos ficar na Fazenda da Lage e curtir os atrativos naturais do local e seguir a trilha at√© o Bonete no dia seguinte. Conseguimos acampar por R$50,00 Reais em um camping com um visual de tirar o f√īlego.
       


      ¬† ¬† ¬†Com o sol ainda alto no c√©u deixando o¬†tempo abafado e muito quente dando um cen√°rio ideal para curtir uma boa cachoeira de √°guas geladas da Mata Atl√Ęntica, resolvemos nos refrescar primeiramente na Cachoeira da Laje. Ap√≥s uma trilha de 5 minutos logo chega em um complexo com diversas cachoeiras e corredeiras chamada de Cachoeira da Laje.¬†



       






           Depois da alma lavada nas águas geladas da cachu, retornamos o mesmo caminho e fomos para a outra trilha que leva para o mar. A trilha também é de 5 minutos e leva para a costa do mar. Não existe praia neste local e sim um costão onde o mar encontra as rochas fazendo do local ótimo para contemplação dos elementos da natureza. 



      ¬† ¬† ¬†Com o sol quase se pondo atr√°s das montanhas, corremos para fazer a trilha do Buraco do Ca√ß√£o. Retornamos ao camping e de l√° partimos para a trilha que leva ao local. A trilha √© r√°pida, f√°cil, sinalizada e em poucos minutos est√°vamos em cima da fenda do Buraco do Ca√ß√£o. A vista √© fant√°stica! O buraco do Ca√ß√£o √© um pared√£o de rocha de aproximadamente 80 metros de altura e devido as altas mar√©s existe uma caverna esculpida nas rochas de quase 50 metros de comprimento. A vista de cima √© surreal e ao mesmo tempo muito perigosa. O acesso ao final da trilha onde da uma vis√£o exatamente de cima da fenda e extremamente perigoso e com muita exposi√ß√£o a altura. Mas o visual √© de tirar o f√īlego e vale muito a pena!
       



           Antes do sol se por retornamos para o camping para tomar um bom banho quente, comer alguma coisa e jogar um pouco de conversa fora com alguns locais e campistas que estavam no local. A noite estava linda e estrelada com o som forte das ondas contra as rochas e com um clima muito agradável. Fomos dormir cedo para descansar e acordar com disposição para ai sim fazer toda a trilha até a Praia do Bonete. 




             Assim que os primeiros raios de sol saíram nós despertamos para comtemplar o seu nascer. Fizemos um bom café da manhã reforçado para encarar a trilha e como o tempo amanheceu muito bom, não podíamos perder tempo para começar a caminhar. Desmontamos acampamento, despedimos do pessoal e partimos para trilha rumo à Praia do Bonete por volta das 9:00hrs. 

           Saindo do camping Fazenda da Laje caminhamos por poucos metros e já atravessamos por meio de uma ponte a Cachoeira da Lage. Logo após atravessar a ponte ou pela água mesmo, em poucos metros existe um pequeno desvio que leva a algumas cachoeiras e poços d'água para nadar e mergulhar que fazem parte do complexo de cachoeiras da Lage. 
       
       

      ¬† ¬† ¬†Continuamos a caminhada sem ficar muito tempo nas cachoeiras, pois pelos relatos o trecho a seguir entre as cachoeiras da Laje e do Areado seria o mais complicado da trilha. E realmente foi. Neste trecho existem muito sobe e desce, muitas pedras escorregadias pelo caminho e o clima estava muito quente e √ļmido que nos desgastou um pouco. Ap√≥s aproximadamente umas duas horas e meia caminhamos at√© chegar na Cachoeira do Areado, que tamb√©m cont√©m uma ponte para travessia sem necessidade de atravessar pelas √°guas. Fizemos uma breve parada para fazer um lanche, encher as garrafas d'√°gua e partimos.



      ¬† ¬† ¬†Ap√≥s a Cachoeira do Areado o caminho se torna um pouco melhor rendendo mais na caminhada. Neste trecho encontramos o primeiro mirante que da vista para a praia do Bonete, uma dose de √Ęnimo para chegar logo √† praia. Andamos por aproximadamente mais uma hora e chegamos na Cachoeira do Saquinho. Na minha opini√£o a cachoeira mais bonita das tr√™s da trilha.¬†


           ,

       

      ¬† ¬† ¬†Passando pela Cachoeira do Saquinho j√° se v√™ uma placa informando que faltaria somente 1 km para praia. √Č um dos trechos mais bonitos da trilha, pois existem diversos mirantes com a vista completa da Praia do Bonete.¬†



       
           A Praia do Bonete realmente é fantástica. Suas areias claras, águas claras azuladas, rio de água doce, praia vazia, as pessoas da comunidade são super receptivas com turista e muita natureza para sair explorando, foi a combinação perfeita para um dos lugares mais bonitos de Ilhabela. Colocar os pés naquelas areias foi como ganhar um troféu! Ficamos por algumas horas sentados debaixo de uma sombra na areia da praia comtemplando aquele paraíso. 
       



            Assim que chegamos vimos uma placa de um camping com uma vibe bem legal e de pé na areia. Fomos até lá onde fomos recebidos pela proprietária Valéria extremamente simpática conosco e resolvemos ficar lá mesmo. O  camping se chama Outro Canto e fica no canto da praia assim que se chega pela trilha. Fechamos por R$45,00 para cada um. Neste dia havia somente dois lugares de camping disponíveis, o outro chamado de Camping da Vargem ou Camping do Eugênio é muito bom também porém fica um pouco mais para dentro da comunidade mas com chuveiro quente, já o Camping Outro Canto estava só com ducha fria, mas resolvemos ficar mesmo assim. O camping disponibiliza banheiros com ducha de agua fria, cozinha compartilhada, área para camping na areia ou grama e fica de frente para o mar. Para quem gosta de mais conforto o espaço também disponibiliza quartos compartilhados e individuais. 

      ¬† ¬† ¬†Depois de uma boa proza com a propriet√°ria, est√°vamos aptos para desbravar aquele para√≠so com algumas op√ß√Ķes para fazer. Como o dia estava de sol, ficamos aproveitando a praia, pois pelas previs√Ķes dos locais o tempo iria mudar ainda naquela tarde. Andamos por toda a praia at√© a outra ponta onde fica o Rio Nema de √°gua doce e que desagua no mar. √Č onde tamb√©m ficam todos os barcos que chegam e voltam com os turistas. Caminhamos voltando por dentro da comunidade do Bonete para conhecer. A comunidade do Bonete √© muito charmosa e seus moradores muito simp√°ticos. Fui muito bem recebido por todos que encontrei.¬†

       
       
           Deu tempo só de voltar para o camping ahahaha, a previsão dos locais estava muito certa e o tempo deu uma grande reviravolta trazendo muito vento e chuva para aquele finzinho de tarde. Retornamos para o camping e algumas barracas de campistas estavam todas reviradas pelo vento. A noite chegou fizemos um rango e descansamos para acordar bem no dia seguinte. 
           Acordamos bem cedo, preparamos um bom café da manhã e partimos para a trilha do Mirante da Barra e para a Praia das Enchovas. A trilha inicia dentro da comunidade ao lado da Pousada da Rosa ou vá seguindo as placas. 
       

           Caminhamos por aproximadamente 40 minutos cruzando toda comunidade do Bonete e subimos até o Mirante da Barra que tem uma visão muito bonita da Praia do Bonete de um lado e da Praia das Enchovas do outro. Ficamos por um tempo contemplando aquele lugar e logo descemos para a Praia das Enchovas.

        


           A trilha para a Praia das Enchovas ou Anchovas levou uns 15 minutos partindo do Mirante da Barra até a praia. O lugar e maravilhoso com praia de areia clara e em alguns pontos negra por causa das diversas pedras de formatos redondos que se encontram na praia. Existe também um rio de água doce que desagua no mar e somente uma residência. Um lugar muito paradisíaco!




           Após um tempo de contemplação tivemos que retornar pois o tempo estava se fechando outra vez. Retornamos toda trilha e ao chegar na comunidade resolvemos passar em algum lugar para comer e achamos o Restaurante Camping da Vargem onde ficamos para almoçar. Foi o tempo de entrar no restaurante e a chuva começou a cair sem piedade ahahha. Ficamos um bom tempo conversando com alguns nativos e turistas e logo fomos para o camping onde ficamos o resto do dia.  
        
           A chuva veio e ficou o dia e a noite toda. Acordamos com o tempo ainda muito fechado e chuvoso. Tomamos café da manhã ainda no camping e saímos um pouco pela praia para tentar achar alguém para negociar a ida até a Ponta da Sepituba de barco. Conversando com alguns moradores descobrimos que o mar estava um pouco mexido e com previsão de ressaca e que talvez poderia ser difícil a saída da praia de barco naquele dia. Até nos indicaram uma pessoa que faria o trajeto, mas o valor ficaria um pouco alto por ir somente duas pessoas no barco. Devido a esse imprevisto resolvemos ficar mais um dia no Bonete e gastar esse valor na estadia.
       
           Retornamos ao camping e no meio do caminho resolvemos mudar de lugar para passar a próxima noite. Entramos em uma pousada e perguntando por quartos mais em conta descobrimos uma pousada que ficaria só cinco reais mais caro que o valor do camping e ainda tinha o café da manhã incluso. Como o tempo estava muito chuvoso e não estava com cara de que o sol iria abrir e o mar acalmar, decidimos sair do camping e ficar hospedado na pousada até o próximo dia. 

           A decisão foi muito boa, pois ficamos na pousada mais tradicional e antiga da Praia do Bonete. A famosa Pousada da Rosa. O valor de um quarto duplo com banheiro particular fora do quarto com café da manhã incluso ficou por R$90,00 Reais. Fizemos o check-in na pousada e logo saímos para fazer a trilha da Cachoeira do Poço Fundo. 
           A trilha se inicia pelos fundos da comunidade, foi só seguir algumas placas e perguntando para as pessoas que logo chegamos ao Poço Fundo. Chegando lá vimos que não existe uma grande cachoeira e sim pequenas quedas d'água e um grande poço para mergulhar e nadar. Ficamos pouco tempo pois os mosquitos estavam com armamento pesado este dia. Fomos bombardeados pelos famosos mosquitinhos da Ilhabela, os Borrachudos ahahuahauha.  

           Retornando a trilha resolvemos passar novamente no restaurante que almoçamos no dia anterior, (Restaurante Camping da Vargem) pois além da comida ser ótima tem o fator economia que cabia no nosso bolso e ainda ganhamos uma ótima conversa com a proprietária do lugar que nos contou diversas histórias do lugar. Foi muito interessante e acolhedora essa conversa. 
           Passamos o resto do dia tentando encontrar algum barqueiro ou mais pessoas que queriam fazer a travessia de volta à Ponta da Sepituba mas não obtivemos sucesso nessa missão. O dia estava nublado mas sem chuva com poucos turistas na praia, um cenário perfeito para desligar de tudo e de todos. 


            Este cachorro muito fofo na praia que ficava trazendo vários cocos para brincar com ele. Ficava latindo o tempo todo para alguém jogar o coco para ele ir correndo buscar. Foi engraçado! 

       
      Retorno - 17/09/21ÔĽŅ¬†- 11:00am - Praia do Bonete x Porto de Borrifos -> Barco R$80,00 - Borrifos x Balsa -> √Ēnibus R$5,00 - S√£o Sebasti√£o x S√£o Paulo -> BlablaCar¬†R$50,00
           Retornamos para a pousada e fomos informados que possivelmente na manhã seguinte um barqueiro iria fazer o trajeto que precisávamos para retornar. Acordei bem cedo e entrei em contato com o barqueiro mas a mensagem não tinha chegado pelo Whatsapp. Então tomamos um belo café da manhã da Pousada da Rosa com direito à frutas, bolo, pães, suco, leite, café e cereais e retornamos ao quarto até chegar o nosso check-out às 13:00hr e ai iriamos resolver o que fazer. Foi quando umas das funcionárias da pausada nos chamou e informou que o barqueiro já estava na lá nos aguardando para retornar com ele. Arrumamos as mochilas bem rápido, fizemos o check-out na pousada e negociamos com o barqueiro que já estava na pousada nos aguardando por R$80,00 para cada um até Borrifos nos fundos do Restaurante Nova Iorqui. Saímos da pousada direto para o Rio Nema onde estava o barco. Arrumamos nossas mochilas para não molhar com uma lona que o barqueiro já tem para isso, nos acomodamos no meio da embarcação e partimos. O mar ainda estava mexido mas conseguimos passar pela praia onde tem as maiores ondas e após 30 minutos chegamos no ponto de Borrifos.
       

      ¬† ¬† ¬†O local onde ficamos √© uma esp√©cie de porto onde possui um local para pequenas embarca√ß√Ķes. Descemos com seguran√ßa e seguimos por uma trilha subindo at√© a rodovia onde estava o ponto de √īnibus para retornar √† balsa. Seguimos a trilha por algumas placas e depois de aproximadamente uns 15 minutos chegamos na estrada e no ponto de √īnibus.¬†



       

      ¬† ¬† ¬†Assim que chegamos no ponto j√° tinha um √īnibus saindo para a balsa. O trajeto levou aproximadamente 20 minutos e custou R$5,00 Reais. Descemos no ponto e caminhamos por 5 minutos at√© a balsa de Ilhabela para S√£o Sebasti√£o. Aguardamos por volta de 20 minutos at√© pegarmos a balsa e a travessia levou aproximadamente o mesmo tempo. J√° em S√£o Sebasti√£o conseguimos um Blablacar √†s 15:00hr por R$50,00 Reais para cada um at√© o Terminal Rodovi√°rio do Tiet√™ em S√£o Paulo onde desembarcamos por volta das 19:30hr e terminamos esse rol√™ incr√≠vel de baixo custo e muito pr√≥ximo da cidade de S√£o Paulo. Vlw Galera, espero ter ajudado em algumas dicas... qualquer d√ļvida fico a disposi√ß√£o de voc√™s! Vlwwwww¬†

       
      Facebook: https://www.facebook.com/tadeuasp
      Instagram: https://www.instagram.com/tadeuasp/
       
    • Por rafa_con
      Olá pessoal, entre 6 e 10 de Junho de 2021 fui para Itamonte-MG com o objetivo de subir umas montanhas pela primeira vez e quero contar aqui minha experiência de forma breve (não foi breve), sem foto, sem nada, só um relato rápido do que você, que quer iniciar no montanhismo pode esperar do incrivelmente lindo Parque Nacional do Itatiaia. Escolhi essas montanhas porque achei que fosse algo realmente voltado para iniciante. Não é. Bom, talvez seja. Enfim, sei lá. 
      Eu sou uma pessoa sedent√°ria, n√£o nego,¬†mas costumo aguentar o tranco de longas dist√Ęncias. O que eu n√£o sabia era da dificuldade t√©cnica das montanhas.¬†
      1) Prateleiras
      Acabamos escolhendo ela porque na portaria do parque nos falaram que tinha muita gente nas Agulhas e nos permitiram mudar de ideia. A trilha até a base é suave com um leve desnível. A parte difícil é quando começa o 'trepa pedra'. Em vários trechos eu, com meus 1,65 de altura, tive alguma dificuldade de passar de uma pedra para outra por causa da altura. Fora os vários trechos que uma escorregada pode ser fatal. Muitas fendas e buracos, meu joelho tremia. Pouco antes do cume, tem um trecho em que é necessário corda. Foi a primeira vez que fiz 'rapel' na vida mas achei bem tranquilo na verdade. Depois desse rapel chegamos no cume. Assinei o livro, me senti dona do mundo. Meu guia confessou lá em cima que achou que eu não ia conseguir porque eu tive muito medo em vários momentos de maior exposição. Mas lá estava eu no fim das contas. A volta foi o mesmo processo da ida: bastante medo nos trechos expostos ou com valas enormes mas conseguimos. Em 3 horas a gente subiu e desceu. Foi bem cansativo, as coxas pediram socorro mas deu. Estava muito satisfeita com o meu desempenho. 
      2) Agulhas Negras
      Tinha dado uma LEVE GAROA NO FIM DA MADRUGADA/ MANHÃ daquele dia, isso vai ser importante lá na frente. Só tinha a gente na montanha naquela terça-feira, 8 de Junho de 2021. Inicio de trilha suave como sempre. Para ascensão das Agulhas tem vários trechos que são paredes de pedra bem íngrimes que vc simplesmente sobe andando sem corda sem nada. Precisa duma boa bota, bem aderente. Diferente das Prateleiras, as Agulhas pega mais pelo cansaço da extensão da trilha. Não é tanto 'trepa pedra' (pelo menos até a parte que eu fui - já dando spoiler do final) mas são subidas bem íngrimes. No primeiro trecho de corda, é uma parede quase de 90 graus que o guia vai na frente, subindo pelas fissuras da rocha para amarrar a corda pra gente. Nessa parte, a gente começou a ver de fato uma prova do que já havíamos notando antes: ele tava escorregando demais para fazer algo que já tinha feito muitas vezes na vida. Ou seja, a rocha tava mesmo mais escorregadia que o normal. Aquela garoa da manhã, super leve, ficou acumulada na pedra. Juntando com a areia das pessoas do dia anterior, possivelmente ficou um 'sebinho' ali a tornando a situação mais complicada. 
      O problema veio depois dessa primeira corda. Nesse trecho de paredão a minha bota simplesmente não parava na pedra. Consegui subir aos trancos encaixando o joelho na fissura (o que me rendeu váááários hematomas) mas subi. As outras duas pessoas do meu grupo não conseguiram subir nessa parte, mas o guia jogou uma corda (contra a vontade dele pois ali naquele trecho não havia onde amarrar a corda, ficou eu e ele segurando e isso é muito perigoso) e ai eles subiram. Mais pra cima havia um trecho de duas pedras sobrepostas com uma vala entre elas. Ali, infelizmente não tinha espaço para encaixar o joelho pois a fissura era bem mais 'rasa'. Não deu jeito. Escorregar ali eu poderia cair na vala e a minha bota não firmava de jeito nenhum. Olhei para a cara do meu marido e da outra moça que estava no grupo e ambos, que já tinham tido problemas no trecho anterior, não quiseram nem tentar subir ali. Voltamos. Não consigo colocar em palavras o quão frustrada eu fiquei. Orgulho ferido demais. Faltava tão pouco. 
      (informação complementar, caso queiram saber, uso a bota Titã da marca Vento) 
      Visto que ainda era cedo, algo em torno do 12h30 quando voltamos para a base da montanha, o guia sugeriu levar a gente no Morro do Couto, uma trilha mais simples. Vou falar que nessa altura do campeonato, meu joelho e coxas não existiam mais. Mas vamos lá. A trilha do Morro do Couto é bem tranquila. Na parte final, pouco antes do cume rola um 'trepa pedra' mas nem se compara com a dificuldade e exposição que tivemos nas Prateleiras. A vista do Morro do Couto é muito bonita pois dá pra ver as Agulhas Negras e as Prateleiras em um só panorama. Foi um belíssimo prêmio de consolação. Apesar da minha lerdeza (por causa das muitas dores que eu já tava sentindo) levamos 2h30 para ir e voltar do topo do Morro do Couto (contando do início da trilha). 
      3) Mirante Pedra do Picu
      A trilha √© f√°cil pois n√£o tem nenhum trecho t√©cnico e nem √© t√£o longa. No entanto, √© muuuuito √≠ngreme, especialmente nos metros finais, o que a torna extremamente cansativa. Talvez se n√£o tivesse acumulado as dores no joelho e na coxa do dia anterior, teria sido mais f√°cil.¬†A vista l√° de cima √© muito linda e foi o √ļnico lugar que a Claro deu sinal no meu celular (rs). A gente levou 2 horas para subir e 1h20 para descer. Meu √ļnico problema aqui foi ter trope√ßado COM FOR√áA numa raiz de arvore que me rendeu um ded√£o inchado por v√°rios dias e hoje √© apenas uma unha preta (que talvez caia em breve).
      4) Considera√ß√Ķes finais e indica√ß√£o de guia
      O que eu aprendi: melhorar meu cardio pra ontem. Fazer agachamento e subir escada todos os dias da minha vida daqui pra frente.
      √Č isso pessoal, essa foi minha experi√™ncia, espero que tenha sido √ļtil. Caso queiram, vou passar o contato do meu guia Alan¬†(WhatsApp: 35 9129-9245). Ele fez um pre√ßo muito bacana pra gente porque (j√° falei trocentas vezes aqui nesse f√≥rum) aqui em casa n√£o dirigimos e √© sempre uma m* resolver alguns deslocamentos. N√£o existe √īnibus direto de S√£o Paulo para Itamonte, a cidade mais pr√≥xima que o √īnibus para √© Itanhadu, cerca de 20km. Fechamos com o Alan um pacot√£o completo com transfer da rodovi√°ria de Itanhandu para¬†Itamonte, hospedagem numa casa na ro√ßa da fam√≠lia dele, em Itamonte (sem wi-fi, sem¬†TV e fog√£o a lenha, foi uma experi√™ncia bem legal), transfer todos os dias de Itamonte at√© as trilhas (dentro do Parque do Itatiaia e at√© a Pedra do Picu), as tr√™s guiadas¬†e transfer de volta para a rodovi√°ria de Itanhandu no √ļltimo dia: R$1.600,00¬†para duas pessoas. Como as estradas dentro do Itatiaia s√£o p√©ssimas... Achei um valor muito bacana. Se forem fechar com ele, fala que a Rafaela indicou aqui no f√≥rum (n√£o vai ter desconto mas √© s√≥ pra comentar mesmo hahaha).¬†
      Até uma próxima!
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Com o fechamento das fronteiras e a implementa√ß√£o de pol√≠ticas de estadia em casa, podemos dizer que a¬†pandemia global paralisou literalmente as viagens. Agora que o mundo est√° se abrindo lentamente, a ind√ļstria do turismo pode ter um vislumbre de esperan√ßa.
      Entusiastas de viagens, incluindo fam√≠lias com crian√ßas, est√£o ansiosos para compensar o ano perdido ‚Äď embora conscientemente.
      √Č evidente que a pandemia revolucionou as viagens e √© prov√°vel que n√£o retorne ao seu estado pr√©-pand√™mico t√£o cedo. No entanto, com os planos de vacina em vigor e os protocolos de teste melhorando a cada dia, qualquer um pode prever que viajar em breve come√ßar√° a se tornar mais f√°cil e as temidas mudan√ßas s√≥ podem melhorar.
      No entanto, há alguns cuidados a serem observados, especialmente se você estiver viajando com crianças. Aqui estão 5 coisas que você deve ter em mente antes de viajar com crianças na era pós-pandemia.
       
      Continue lendo em: 5 Mudanças em Viagens com Crianças após a Pandemia Global de Covid-19
    • Por Joao Debortolli Neto
      Eai galera, estou me preparando pra fazer meu primeiro mochilão roots, estou querendo ir este ano ainda, vocês sabem se esta embaçado de ir por conta da pandemia? Me fala ai oque vocês acham!
×
×
  • Criar Novo...