Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo

Posts Recomendados

ALGUÉM TERIA ALGUMA INFORMAÇÃO SOBRE UM FENÔMENO NATURAL (NÃO SEI O NOME) QUE ACONTECE TODO ANO EM MACHU PICHU? EM QUE MÊS ACONTECE? SE SOUBEREM O DIA EXATO, MELHOR AINDA.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

acontece no soltício de inverno e verão...21 de junho e 21 de janeiro (esse de janeiro estou em duvida, mas acho que é sim)

o sol entra por Inti Punku (a porta do sol) e se projeta pelas janelas do templo do sol..

 

e se nao me engano no dia 24 de feverero (o parque está fechado nessa data) o sol fica 90 graus com o relógio de sol que tem lá...fica totalmente sem sombra nenhuma...

 

acho que é isso mesmo...alguem que tenha as informaçoes mais seguras pode corrigir ae

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mais informações que encontrei em sites por aí:

 

1- Templo do Sol - Mais uma construção dedicada ao Astro Rei. Dizem que no solstício de inverno os raios de sol entram por determinada janela e forma um esquema em seu interior.

 

2- Outra atração, nas proximidades das paredes, é a Rocha Funerária. Trata-se de uma pedra propositadamente deixada neste ponto, talhada como um altar com alguns degraus e um portal. Acredita-se que o local era utilizado em rituais de embalsamento de múmias, com a função de deixá-las secar e receber as energias sagradas. Há também a versão de que esta rocha tivesse relação com observações solares. No inverno silístico, a luz do sol é projetada exatamente em direção à pedra do “Intipunku” (Portal do Sol) , composto pelas construções rumo ao leste, que podem ser vistas no final da Trilha Inca, ao redor da montanha de Machu Picchu.

 

3- Templo das Três Janelas. Há quem sustente que a janela central marcaria o equinócio da primavera e de outono, e as laterais representariam os solstícios de verão e inverno.

 

ALGUÉM CONFIRMA ALGUMA DESSAS INFORMAÇÕES, POR FAVOR.

 

Preciso marcar minhas férias no trabalho e estou estudando a melhor data pra isso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dangoo, se possível, não faça o bate-volta de trem no mesmo dia.

 

Durante o passeio pelo Valle Sagrado, desça em Ollantaytambo (perderá Chinchero, que não é tão legal) e pegue o trem de lá para Águas Calientes, no meio da tarde.

 

Durma em Águas e suba bem cedinho pra MP, além de aproveitar mais tempo, você pegará a cidade bem mais vazia.

 

Em Cuzco, informe-se sobre os horários e preços. Na minha opinião é a melhor alternativa para quem não vai fazer a trilha.

 

Huayna Pichu? Não sei, estava tão cansado da trilha que não subi. :roll:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Pessoal!!!

 

Quem quiser saber os valores atualizados para Machu Picchu e Cuzco basta ver no link abaixo!!!

 

http://www.inc-cusco.gob.pe/tarifas2008.html

 

O site é da Secretaria de Turismo de Cuzco.

 

E quem quiser saber o valor da conversão de Sol Novo para Real ou Dólar basta utilizar o Conversor de Moedas da página abaixo!!!

 

http://economia.uol.com.br/cotacoes/

 

Espero que os ajudem!!

Abraços,

Léo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá a todos! Já fui a Machu Picchu uma vez em janeiro de 2008, e fiz a tradicional trilha de 4 dias e 3 noites. Agora pretendo voltar lá com meus pais, só q agora indo de trem. Alguém poderia me dizer se indo nessas condições é necessário reservar a entrada no parque antes, a vaga no trem, se é necessário contratar alguma agência d turismo.

Um abraço a todos do fórum e aguardo a resposta!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Focado

 

Segundo o que tenho lido nos tópicos:

 

Ingresso Machu Picchu

 

Não é necessário reservar ingresso para a entrada em Machu Picchu, eles não acabam. Importante lembrar que tem que comprar em Águas Calientes. Parece que está custando U$ 48,00,mas só aceitam em Soles.

 

Agências

 

Jamais faça nada por intermédio de agências, eles vão te enfiar a faca, compre a passagem do trem diretamente no terminal.

Parece que está havendo algum tipo de especulação pela Perurail, só estão sobrando os trens mais caros. Ou talvez as passagens já estejam todas nas mãos das agências. Ou ainda não liberaram as passagens justamente para não haver especulação das agências, ninguém sabe.

 

Trem

 

Talvez haja necessidade de reserva do trem, entra no site da Perurail e dá uma olhada. Esse assunto está sendo discutido no tópico: ''Horários de Trens e Ônibus (Machu Picchu)''.

 

Se quiser economizar dá uma olhada na opção de ir de trem a partir de Ollantaytambo.

 

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Esqueci uma pergunta ::putz::

Chegando em MP às 7 horas da manhã e pegando o trem das 19 horas para Olanta, é possível conhecer as ruínas e mais Huayna Pichu? Ou é tempo demais?

Chegando em Olanta às 20:25 hs, há a possibilidade de algum meio de transporte (excetuando-se o trem) para Cusco neste mesmo dia?

Um abraço a todos e até mais!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Focado

 

Esse negócio de atraso de vôo não depende só da companhia aérea, mas também do clima, sei lá. Eu não arriscaria um espaço de tempo tão pequeno entre um vôo e outro.

 

Prefiriria chegar a noite em Lima, dormir em um hotel perto do aeroporto (que fica na grande Lima, longe da cidade) e pegar um vôo para Cusco no outro dia de manhã.

 

Taca

 

Minha namorada tb vai fazer São Paulo - Lima pela Taca, pegou uma promoção e pagou R$ 916,00 ida e volta.

Agora para o trecho Lima - Cusco nem pensar, está o dobro do preço.

 

Star Peru

 

Lí em outro tópico uma reclamação com relação a atraso de vôo da Star Peru, mas sobre a Lan nada. Eu não deixaria de ir pela Star Peru se ela estiver mais barata.

 

Dica Importantíssima

 

Lan

 

Quando entrar no site da Lan, em vez de clicar no ícone Brasil clica em Peru. As passagens vão estar por menos da metade do preço !!!

 

Vc não vai conseguir comprar pelo site, mas pega o nº do Call Center de Lima e compra via fone, como se estivesse lá.

 

Eu não tentei isso, mas outra pessoa aqui do mochileiros conseguiu. Vou deixar pra comprar lá na hora mesmo.

 

Mas não podemos nos desviar do assunto deste tópico. Este assunto está sendo discutido nesses tópicos:

 

passagem-aerea-lima-cuzco-t33060.html

 

ou neste aqui:

 

voar-lima-cuzco-t18614.html

 

Mach Picchu

 

Não entendí a pergunta.

 

Sei que para subir Wayna Picchu tem senha, 200 pessoas por dia eu acho, por isso acho que tem que estar lá antes das 7:00hs, não sei.

 

Já horários de bus saindo de Ollanta não sei, mas acho que sempre tem táxi né ? E não é tão caro, melhor pesquisar mais.

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá,

Vou a Machu Picchu no próximo mês e li muito sobre os relatos de viagem de vocês. Gostaria apenas q me confirmassem o seguinte: Devo tomar um avião de Lima a Cusco, de lá um ônibus até Ollanta, depois um trem de Ollanta até Aguas Calientes e um bus até MP. É isso? É preferível dormir uma noite em Cusco, uma no Vale Sagrado e uma em Águas Calientes? O q vcs me sugerem? Grata, Priscila

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Priscila.

 

Bom, lá vai a parte que eu conheço, como não fui até lima, não sei dizer exatamente o que fazer pra chegar até cuzco.

O teu percurso de cuzco pra MP tá correto. Eu fui pra MP pela trilha, mas minha namorada fez exatamente este percurso ai, com a mesma agencia que a gente comprou a trilha, só que ela foi de Cuzco pra águas calientes a tarde, dormiu lá pra sair de lá bem cedo pra MP. Se bem me lembro, ela chegou antes das 7:00 no parque, então deu pra aproveitar bastante.

Sobre o vale sagrado, compramos um passeio com uma agência em cuzco mesmo (tem um MONTE) pra rodar o vale todo. O passeio foi de um dia, então, passamos a noite em nosso hotel em cuzco mesmo, talvez seja uma boa. Cuzco é uma cidade legal, tem alguns bons restaurantes no centro e vários museus. Em resumo, se vc tem 3 dias, aconselho aproveitar o primeiro pra fazer o vale sagrado e voltar a cuzco no mesmo dia, no segundo aproveitar cuzco e ir a tarde pra águas calientes, pra chegar em MP no terceiro dia bem cedo e aproveitar tudo!

Abraços! Boa Viagem!

Kokix

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Kokix

 

Este passeio pro MP não precisa agendar antes como a trilha inca neh? Tem limite de pessoas tb?

Estou pensando em fazer o percurso que sua namorada fez, pois vou ficar apenas 2,3 dias em cuzco. Antes de chegar em aguas calientes, ela foi ao vale sagrado? Vc lembra o preço e o nome da agencia que fez o passeio?

 

Abraco

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Esqueci uma pergunta ::putz::

Chegando em MP às 7 horas da manhã e pegando o trem das 19 horas para Olanta, é possível conhecer as ruínas e mais Huayna Pichu? Ou é tempo demais?

Chegando em Olanta às 20:25 hs, há a possibilidade de algum meio de transporte (excetuando-se o trem) para Cusco neste mesmo dia?

Um abraço a todos e até mais!

 

Amigão, Para subir Huayna Picchu, você tem que chegar CEDO, assim qua abri os portões, deve-se dirigir-se DIRETO para entrada de Huayna Picchu pois o limite é de 100 pessoas para o primeiro horário e mais 100 pessoas no segundo. Pra você ter idéia, fui um dos primeiros a chegar e peguei a senha número 50, Meu colega chegou +- 2 minutos após e a senha dele já era 70. Aconselho subir pela manhã, e a tarde aproveitar as ruinas de machu picchu.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Kokix

 

Este passeio pro MP não precisa agendar antes como a trilha inca neh? Tem limite de pessoas tb?

Estou pensando em fazer o percurso que sua namorada fez, pois vou ficar apenas 2,3 dias em cuzco. Antes de chegar em aguas calientes, ela foi ao vale sagrado? Vc lembra o preço e o nome da agencia que fez o passeio?

 

Abraco

 

Fala Xumbi, tranquilo?

Esse passeio não precisa ser agendado, só a trilha inca tem limite de pessoas (e Huayna Pichu, dentro de MP). Se vc tiver apenas dois dias em cuzco, acho que a Mi deu uma boa idéia em algum lugar por aqui (não lembro onde). Contrata o passeio pro vale sagrado por uma agência, no fim, vc acaba em Ollanta ai, ao invés de pegar o bus de volta pra cuzco, já pega o trêm pra águas calientes e no outro dia bem cedo vai pra MP, pra poder voltar pra cuzco no mesmo dia.

Não lembro ao certo o preço dessa parte indo pra MP, mas a verdade é que vc não precisa de agência pra isso, fazer sozinho é mais barato!

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa Tarde.

 

Estou querendo ir para machu picchu no carnaval ! entre os dia 12 e 21 de fevereiro. So que ouvi uns papos que eles fecharam o parque, isto é verdade? Se sim, qual é o periodo ? espero que não seja no periodo que eu quero ir !!! :D

 

Abraços,

 

Pinguim

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pinguim,

 

Até onde eu sei, só a trilha inca fica fechada em fevereiro, pois é a época de chuvas mais constantes e pra natureza se recuperar de todo o turismo do resto do ano! Quanto ao parque, creio que fique aberto direto!

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu KoKix,

 

realmente so fecham a trilha em fevereiro. agora é torcer para não chover muito no dia que subirei ao parque. ::otemo::

 

Abraços, Pinguim

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola Pessoal,

 

tenho algumas duvidas referente a viagem a MP. Eu e minha noiva, pretendemos ir no carnaval do ano que vem (13/02/2010 a 16/02/2010), e gostaria da opnião e ajuda dos que ja foram e mais experientes, a parte de hotel+passagem aerea ja resolvemos.

 

Em fevereiro é uma epoca legal para ir, tem muita procura, alta temporada, etc. Como é o movimento nesse periodo?

 

E se compensa eu pegar o pacote de passeios (gostariamos de pegar 1 dia para ir no Vale Sagrado) nas agencias la em Cusco mesmo ?? Pois estive pesquisando em algumas aqui no Brasil, e achei o preço meio salgado, cerca de USD 350,00 por pessoa (para Machu Picchu, com tickets, trem, etc). São esses valores mesmos que encontramos em Cusco, qual a media de preço que se encontra por la?

 

E caso, eu compre por la mesmo...eu consigo compra de boa esses pacotes, não corro o risco de chegar la e não conseguir ir a MP ?

 

 

Desde já,

muito obrigado pelas respostas e ajuda.

 

--

Sergio Ziliotti

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

szs,

 

fevereiro é época de chuva por lá, a época "ideal" vai de maio a outubro....mas não encana, como vai fazer os passeios tradicionais não encontrará muitos problemas.

Talvez pegue uma chuvinha que não faz mal à ninguém ::tchann::

 

quanto aos pacotes para passeios do vale sagrado e city tour você compra lá em Cuzco mesmo, nas agências ou pelos hotéis/hostels. Esse preço que você falou tá fora da realidade!!exploração!! não compre nada daqui do Brasil!!! Quanto a machu picchu, a mesma coisa, porém você pode fazer por conta própria, comprando antecipadamente a passagem do trem www.perurail.com

 

de resto, pesquise bastante aqui no fórum do Peru e sub-fórum Machu Picchu, encontrará muita informação!!

 

até mais ::cool:::'> ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

estou indo pra machu pichu la pelo dia 25 de dezembro!!! gostaria se tem alguma galera querendo ir pra MP comigo...to indo sozinho!!! shuahshasa...sou do Mato Grosso do Sul....ai posso dar apoio aki na minha cidade para seguirmos viagem até corumbá e pegar o trem em porto quijarro!!! alguem topa parceria!!!???...abr

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por carlos.alberto1
      Olá a todos, vou relatndando aqui alguns detalhes dessa trip durante a viagem mas quando chegar vou colocar um relato mais detalhado.
       
      Se alguém tiver alguma dúvida sobre esses trechos que passei, dúvidas sobre essas estradas para montar algum roteiro ou quiser trocar uma ideia pode entrar em contato no e-mail [email protected]
       
      1° dia: saímos de Goiânia as 8 horas da manhã e chegamos em Rondonopolis no MT as 17 horas. Em geral as estradas muito boas, depois de Minérios apenas pista simples além de muitos caminhões pesados. Na cidade tivemos dificuldade para achar um hotel na rodovia mas no centro havia muitas opções. Apesar de um dia cansativo, no final da tarde tivemos uma boa surpresa com o mirante da chapada.

    • Por henriquefarage
      Entre julho e novembro de 2017 parti pra uma viagem sem muitos planos, com pouquíssimo dinheiro, sem experiência e com passagem apenas de ida pra Bolívia. Foram quatro meses de viagem com muito aprendizado e muitos perrengues pra contar. Não sou muito adepto ao estilo "mochileiros" de relatar viagens. Nunca pensei em fazer este relato, mas acho que de alguma forma posso contribuir com alguma informação útil para os futuros mochileiros que passarem por onde passei. Sendo assim, não esperem fotos, preços (até porque nunca anotei essas coisas), tantos detalhes minuciosos do que comi, que horas fui no banheiro, qual papel usei. Enfim. Vou tentar ser bem objetivo na medida do possível.
      Destino: eu só queria viajar por algum lugar legal aqui na América do Sul pela proximidade e custos também (era minha primeira viagem assim, e sozinho). Então "joguei a roleta" e vi qual seria a passagem mais barata. Resultado: Santa Cruz de la Sierra, Bolíva. Com o destino definido, pensei no que fazer quando chegasse lá. Me cadastrei no Workaway e procurei um hostel pra trabalhar em qualquer cidade por lá. A primeira que me respondesse eu iria. Deu Cochabamba.

      Preparativos: saí de Vitória/ES com uma Mochila de 50L e uma pequena que usava na faculdade com notebook (jamais levem um notebook em um mochilão) e algumas roupas. Como aqui não faz frio, e nunca usei botas na vida, acabei comprando uma jaqueta impermeável com fleece dentro, um par de botas, uma capa de chuva pra mochila e um cobertor de viagem (tudo na Decathlon). Levei alguns remédios (um monte, porque não sabia quanto tempo ficaria viajando), RG, carteira de vacinação e foi isso.
       
      Bolívia: ainda não tinha muita noção de se locomover de um lugar pro outro, de distâncias e tal, pouco antes da viagem consegui um Couchsurfing em Santa Cruz. Então cheguei, passei uma noite lá, e no dia seguinte peguei o ônibus pra Cochabamba. Em Cocha trabalhei duas semanas no Jaguar House Hostel. Adorei a cidade, o clima, a organização. Aproveitei esse tempo pra pensar no próximo destino. Conheci bastante gente e todos iam pra La Paz. Mantive contato com um pessoal e me falaram que lá tinham party hostels que sempre precisava de voluntários. Escrevi pro LOKI e Wild Rover. O Wild Rover pareceu mais organizado, então acabando meu voluntário em Cochabamba fui direto pra La Paz atrás desse hostel. Cheguei de madrugada, paguei uma diária, e no dia seguinte já fazia parte da equipe. Passei quase 3 semanas trabalhando no Wild Rover La Paz. Experiência incrível, e que ainda me deu direito a fazer a Death Road de graça pela agência que fica na entrada do hostel (Altitude Biking). Pensei em fazer a tour do Uyuni mas eu não estava preparado pra tanto frio então deixei pra quando (se) voltasse. Nesse tempo meu próximo destino já tava definido: Cusco. Fui no terminal comprar passagem e já não tinha mais. Tentei Arequipa, também não tinha. Comprei pra Copacabana onde passaria uma noite e pegaria o ônibus no dia seguinte pra Cusco. Só que em Copacabana conheci um chileno muito gente boa e aí acabei indo com ele pra Isla del Sol acampar lá em cima, onde tem o bosque de eucaliptos e tal. Depois dessa aventura voltei pra Copa e mais tarde peguei o ônibus pra Cusco.
       
      Peru: Em Cusco eu sabia que precisava ganhar dinheiro se quisesse seguir viajando porque já tava ficando sem nada. Como não tinha nada planejado (óbvio), fui direto pro WIld Rover Cusco, falei que tinha trabalhado no de La Paz e pedi uma diária grátis. Usei essa diária apenas pra conversar com os managers e pedir pra trabalhar lá também. Eles pegaram minha referência de La Paz e no dia seguinte já comecei a trabalhar lá também. Enquanto trabalhava no Wild Rover saí pra buscar emprego na cidade, com classificados na mão e tudo. Em uma semana consegui emprego na agência de turismo Wilka Travel, onde fiquei por 40 dias. Neste tempo consegui vivenciar mais a rotina do cidadão cusqueño e me integrar a cultura daquela cidade. Com o salário consegui sair de hostel e alugar um quartinho modesto em San Blas e ainda aproveitar pra fazer alguns tours (pela agência conseguia descontos e gratuidades).
      Ainda em Cusco comecei a pensar nos próximos destinos e decidi que iria subindo ao norte até chegar na Colômbia. Infelizmente isso nunca aconteceu porque descobri que teria de voltar pro Brasil em algum momento antes do ano acabar, então tive que comprar uma passagem de volta com certa urgência. Comprei com saída de Buenos Aires. Eu teria uns 2 meses pra me virar pra chegar em Buenos Aires. Foi uma decisão difícil porque Chile e Argentina a essa altura da viagem já estavam bem distantes dos meus planos por serem países bem caros pra mochileiros. Mas fazer o que?
      Antes de sair do Peru dei uma passada rápida em Arequipa porque havia combinado com uma amiga de assistir um jogo do Peru x Colômbia lá no Wild Rover Arequipa. Passei três dias na cidade e não fiz tour nenhum simplesmente porque machuquei meu dedão na primeira noite (bêbado). De lá decidi que voltaria a La Paz pra trabalhar mais uns dias no Wild Rover, economizar uma grana, e e depois seguir pra Uyuni. Peguei um ônibus de Arequipa até Desaguadero, cruzei a fronteira caminhando, e peguei um trufi até La Paz.
       
      Chile: Mais uns 10 dias em La Paz (já era final de outubro) e eu ainda tinha que cruzar mais algumas fronteiras até chegar em Buenos Aires. Segui pra Uyuni, fiz o tour até a fronteira com o Chile e fui pra San Pedro de Atacama. Foi uma mudança brutal de preços pra quem estava por Peru e Bolívia, e eu certamente não tava preparado pra isso. Passei (acho que) três noites em um hostel lá apenas tentando Couchsurfing. Consegui em Viña del Mar. Assim que confirmei pensei "como chegar em Viña del Mar?". Carona, claro! Já tinha escutado que caronas são relativamente tranquilas no Chile. Então fui de San Pedro de Atacama até La Serena pegando carona atrás de carona. Como não tinha barraca pra dormir na estrada, acabei tendo que pegar um ônibus por 4 horas de um ponto ao outro pra ter onde passar a noite (pagos no cartão de crédito porque já não tinha mais dinheiro em espécie). Passei uns dias em Viña, aproveitei pra conhecer Valparaíso, até que conseguium Couch em Santiago. Consegui fácil. Acabei pegando um ônibus pra lá porque a distância é curta e a passagem barata. Passei mais uns dias em Santiago pensando como faria pra cruzar a fronteira e consegui carona com um Couchsurfer que viajava de carro. Consegui ainda um Couch em Córdoba e precisava dar um jeito de chegar lá.
       
      Argentina: chegando em Mendoza, achamos um hostel barato (já que não consegui Couch) e na manhã seguinte minha carona seguia pro norte enquanto eu ia pra beira da estrada pegar carona. Acho que foi a carona mais difícil de conseguir de toda minha viagem. Era madrugada quando o caminhoneiro me alertou que, apesar de ir pra Córdoba, iria me deixar 100km antes porque era um horário perigoso demais pra chegar no ponto que ele iria parar. Como disse, não tinha barraca e praticamente sem dinheiro em espécie, passei a noite numa loja de conveniência do posto de gasolina que tinha nesse lugar que ele me deixou. Na manhã seguinte, consegui rápido uma carona pra Córdoba. Passei uns dias lá, consegui um Couch em Rosário, então saindo de Córdoba foi pé na estrada mais uma vez até conseguir carona pra Rosário. Em Rosário minha Couch me tratou como um rei, me deu várias dicas e tal. Ali já faltava perto de uma semana pro meu vôo e só precisava de uma última carona pra chegar até Buenos Aires. Conseguindo um Couch, me mandei pra estrada e, outra vez, foi uma carona bem chata de se conseguir. Desci muito longe da cidade, tive que pegar um trem gratuito, achar meu Couch à noite etc. Mas no final deu tudo certo. De lá foi só aproveitar os dias na cidade e voltar pro Brasil.
       
      Dicas aleatórias básicas: Sou totalmente contra o "dá pra se virar bem com português". Dá pra sobreviver, vivenciar experiências não. Então aprenda o máximo de espanhol que puder antes de fazer uma viagem assim. Meu inglês é bom (pra trabalhar em hostel é fundamental) e meu vocabulário de espanhol era muito bom também, entendia tudo mas faltava segurança pra tentar falar. Ao longo da viagem fui me soltando e aí tudo ficou ainda melhor. Conheci muitos brasileiros que não sabiam falar outro idioma e todos se diziam muito arrependidos porque acabaram perdendo muita coisa na viagem (proximidade com locais, negociações, interação com outros viajantes); Respeite a altitude (La Paz, Cusco, etc): você nunca saberá como vai reagir a isso até chegar lá e sentir. Tem gente que não dá nada, outros ficam morrendo dois dias no quarto do hostel com médico atendendo. Na dúvida, melhor não programar nada que requer esforço físico nos primeiros dias; Respeite a cultura local, tente aprender o mínimo de costumes e tradições de onde você estiver visitando; quando for pegar carona saia o mais cedo possível, por volta das 5h, pra estrada; tenha dinheiro trocado se tiver pegando carona pela Argentina porque pra pegar ônibus municipal é necessário ter um cartão (que obviamente você não vai ter), e sem ele o que dá pra fazer é pedir pra alguém passar o cartão pra você e você pagar em dinheiro; pedir desconto é normal no Peru e Bolívia, mas antes de começar a chorar, avalie se o valor do pedido não é justo, e principalmente, se aqueles trocados de desconto vão te fazer falta (quase sempre o vendedor precisa muito mais dessas moedas do que você, viajante); viajar tem seus riscos, mas não se esqueça de onde você vem - o Brasil é um país extremamente perigoso, então acho que há um exagero quando se fala em riscos, assaltos, etc entre viajantes brasileiros. Nunca usei doleira pra nada, minhas coisas ficavam guardadas no locker do hostel, sempre caminhei em todos os horários do dia e noite no Peru e Bolívia e nunca passei por nenhuma situação de perigo; Se puder faça seguro viagem, eu não fiz e não precisei, mas não é raro ver gente com braço quebrado em La Paz por conta da Death Road, ou que passou muito mal com altitude. Em Buenos Aires uma amiga caiu da cama do hostel, precisou ser hospitalizada e essa brincadeira custou em perto de 2 mil reais. Nunca se sabe o que pode acontecer, né? Enfim, se lembrar mais coisas importantes vou complementando.
       
      Bom, minha viagem foi basicamente isso aí. Quem tiver perguntas/dúvidas sobre os lugares/pontos de carona/qualquer coisa assim fique à vontade pra mandar mensagem inbox ou aqui no tópico mesmo que tentarei responder da melhor forma possível.
      Em 15 dias volto pra Cusco pra trabalhar na mesma agência de turismo, então quem tiver planejando ir pra lá nas próximas semanas pode entrar em contato também
    • Por RobsonGeofísico
      Há 15 minutos de CUSCO existe uma empresa que realiza o pulos de bungee jumping.
      O valor é meio salgado, mas a experiência compensa pelo menos pra mim que sempre tive vontade de me aventurar.
      Saltei em agosto e o valor foi U$ 70,00. Descobri a empresa no mural de avisos do hostel.
      Pra quem curte aventura, vale muito a pena.
      Tem video do pulo no link abaixo:
      https://instagram.com/p/BXvc4X-lr--/

    • Por Amands
      Mochileiros, 
      sem medo de soar clichê, começo meu relato agradecendo a todos as pessoas que aqui relataram sua viagem ao Peru antes da minha ida. Daqui tirei dicas valiosas e muita inspiração!
      E esse é um dos motivos pelos quais eu venho aqui hoje relatar a minha experiência: retribuir um pouco da ajuda que tive. O outro motivo? Fazer essa experiência tão legal de ir viajar durar mais tempo na minha memória (:
      Como tudo começou:
      Depois de 2 anos sem férias, eu tinha marcado 10 dias de férias para dezembro de 2017. Cerca de um mês antes, surgiu uma promoção de passagens para o Peru, 10 dias, exatamente o primeiro e último dia das minhas férias. O Peru já estava no topo da minha lista de destinos há tempos. Achei que era um sinal, lembrei que não acredito muito em sinais (talvez agora acredite mais haha). Queria ir, mas não tinha companhia. Resumindo: fui sozinha, minha primeira viagem sola e foi uma experiência linda (:
      Em um mês eu "organizei" o roteiro, reservei o hostel e fui. Minha maior dica: não organize tanto. Eu agendei apenas o passeio de Machu Picchu, o que eu recomendo por causa do limite de pessoas. O resto fui vendo lá. E, por mais contraditório que pareça, se vc está lendo meu roteiro em busca de um roteiro, minha maior dica é mesmo essa: vai com menos roteiro possível. Ou vai, se isso te faz dormir mais tranquila/o, mas se permite flexibilizar também. Vai ter imprevisto, vai ter gente legal cruzando seu caminho, vai ter uns rolês que vc nem imaginava e que vai querer fazer na hora. Então é isso, lê bastante, pesquisa, mas vai aberta/o.
      Vamos lá: 
      10 DIAS: CUSCO - ÁGUAS CALIENTES - MACHU PICCHU - PUNO - AMANTANI - TAQUILE - LAGUNA HUMANTAY 
      Antes do relato mesmo, algumas DICAS QUE EU GOSTARIA DE TER LIDO ANTES DE IR (ou que eu li e não segui rsrs):
      1) Compre os passeios lá: essa eu li muitas vezes, mas não teve jeito, o passeio pra Machu Picchu eu comprei aqui no Brasil antes e paguei mais caro. Se eu me arrependo? Não. Era a minha primeira viagem sozinha, eu sabia que lá seria mais barato, mas não quis arriscar. Então é isso, se vc vai dormir mais tranquilo, acho que vale a pena. Pra mim valeu rsrs. Comprei antes com uma agência peruana (Peru Travel Explorer- www.perutravelexplorer.com - Guia Adrian - Whatsapp: +51992862206 - atende em português), que eu recomendo. Super atenciosos, respondem rápido, me deixaram pagar lá na hora e sem taxa e personalizam os roteiros conforme a necessidade). Mas recomendo ainda mais: comprem os passeios em cusco, ainda que seja com eles.
      Ah, o que dá para fazer também é comprar antes apenas a entrada para Machu Picchu e aí já fica garantido. Esse site explica como comprar e tem MUITAS dicas boas sobre o peru: https://sundaycooks.com/ingressos-para-machu-picchu-vale-a-pena-comprar-antecipado/. Inclusive, se você vai subir uma das montanhas é mais importante ainda comprar antecipado! 
      Todos os outros passeios eu comprei lá na hora e foi tranquilo e bem mais em conta. Cusco tem uma agência de viagem ao lado da outra, os caras adoram uma negociada, os guias são super atenciosos, vale a pena comprar lá.
      2) REAL X DOLAR X SOLES: velha dúvida de sempre. Primeiro, soles nem pensar. Quase não tem para trocar no Brasil e o valor é bem alto. Minha dica é: ver com o pessoal que está por lá (aqui no mochileiros sempre tem gente, fiz isso e deu certo) como está o valor do real e do dólar para troca. Quando eu fui, em dez 2017, o real estava 0,93 soles (0,94 eu encontrei dentro da Agência Peru Travel Explorer, na Avenida El Sol, onde, aliás, estão as casas de câmbio mais confiáveis e vantajosas) e o dólar estava 3,22 soles (e eu paguei em média 3,40 reais). Como eu fiz: levei dólar para pagar os passeios e o hostel (por uma questão de menos volume - eita, que de humanas ela - e pelo booking). De resto, levei reais e troquei lá, facilmente. E também levei um cartão de crédito do Banco do Brasil e um Nubank desbloqueados para transações internacionais, caso precisasse.
      Teve um dia que precisei sacar porque viajei e a companhia de ônibus não aceitava cartão (fica a dica) e aí saquei usando o Nubank num caixa eletrônico normal que tinha na rodoviária. Paguei uma taxa, mas consegui sacar (to contando porque não sabia que o nubank dava para sacar, se isso já é algo comum para vc, perdoa eu e não desiste do meu relato).
       
      3) Sobre valores: vou colocar aqui mais ou menos os valores principais para você poder se organizar sobre quanto de dinheiro levar e pra não ficar poluindo muito o relato de viagem. Sei que esse é um ponto super importante, viajar é um privilégio que envolve condições financeiras e planejamento, mas acredito que há vários blogs que podem fazer isso por vc melhor do que o meu relato (como, por exemplo, o site quantocustaviajar). Fiz muitos passeios de graça, comi em locais muito saborosos e baratos e fiquei em acomodações confortáveis e modestas. Mas o principal de tudo isso: era a viagem que cabia no meu orçamento e nos moldes que eu estava a fim de fazer e acho que isso é o que mais conta. Se é relevante (eu sempre acho relevante saber o perfil de quem tá relatando, especialmente da onde vem o dinheiro) o meu perfil é: sou servidora pública comissionada, 26 anos, pago aluguel e todos os boletinhos que quem mora sozinho tá acostumado.
      De modo geral, minha viagem foi o que se pode chamar de "low cost", algo entre o mochilão raiz e a viagem de quem nunca ouviu "transação não autorizada" hehe. Ou seja, não foi uma viagem luxuosa, mas foi confortável, me permiti pequenos luxos e também alguns gastos a mais para me sentir mais segura (como o hostel com quarto feminino (não misto) e o ônibus leito cama individual, sem ngm sentado ao lado). Ah, e de jeito nenhum comi fast food e comida congelada pra economizar (já fiz mochilão assim e foi legal também, mas desta vez não viajei com essa vibe, até porque as comidas no Peru são baratas, muito gostosas, e eu sou absolutamente apaixonada por gastronomia e culinária). 
      Então é isso, você pode usar como uma base, seguir meus acertos e evitar repetir meus rolês errados e aí, de acordo com o seu perfil e o seu orçamento, gastar muito mais ou muito menos do que eu. Ou exatamente o mesmo e aí me chama prum café rsrs
      Quem precisar de mais detalhes pode me mandar mensagem que vou respondendo tb  
      Preço médio das refeições: em Cusco, por 20 soles, equivalente a 20 reais você come muito bem!! Na verdade, quase todos os dias eu comi muito bem pagando menos de 20 reais. Os restaurantes têm a opção menu do dia, que consiste em sopa + prato principal e normalmente salada e bebida livre. E tb às vezes rola umas sobremesas de graça. Sou vegetariana e comi muito bem todos os dias (veganos também passam muito bem em cusco). Quem quiser mais dicas, é só falar. Fiz um puta roteiro gastronômico de vegetariano, tenho vários restaurantes bons e baratos pra indicar (só para não ficar muito grande aqui).
      Águas Calientes já fica um pouco mais caro: em média 50 reais, mas foram apenas 2 refeições e aqui eu comi muito bem, dá pra encontrar restaurantes mais simples.
      Puno: só fiz uma refeição em puno, gastei 20 reais. 
      Hostel Cusco: 40 reais por noite (como eu disse, tem por menos, mas eu preferi um quarto não misto).
      Ônibus Cusco - Puno: 50 soles (praticamente 50 reais) - empresa Tour Peru, recomendo muito. Comprei ônibus leito cama individual, super confortável, dormi a noite inteira, o que faz muita diferença no outro dia de viagem. Na volta, comprei de outra empresa, que eu não me recordo o nome, e paguei 35 soles. Ou seja, se você olhar na rodoviária tem várias opções e aí pode escolher uma que seja adequada para o seu tipo de viagem. Como eu fui sozinha na ida, preferi essa empresa que haviam me recomendado e realmente gostei muito. Ah, uma dica é comprar as passagens na rodoviária mesmo, quanto mais perto do embarque, mais barato e eles negociam tb!!
      4) Lavar roupa em Cusco é muito barato: se vc tá viajando com pouca bagagem ou tá há muito tempo na estrada, lavar roupa em Cusco é uma ótima opção. Custa entre 2 a 5 soles o kilo, fica pronto rapidinho e você economiza na bagagem e ainda dá uma força pro comércio local. Fiz isso uma vez durante a viagem e foi muito bom.
      5) Seguro viagem: é importante fazer. Eu fiz, mas como não precisei não sei dizer se era bom ou não. Tem muitos sites que falam sobre isso e que dá para comparar. Acho importante porque conheci pessoas que ficaram mal lá e tiveram atendimento rápido. 
      6) Melhor época para ir: 99% dos blogs dizem para evitar os meses de novembro a março por causa das chuvas. Minha opinião? Se você pode ir nos outros meses, beleza, vai e ainda assim eu evitaria os meses de alta temporada porque fica tudo muito cheio (ex: maio). Mas se você não pode, a época do ano não é um motivo para você deixar de ir. Eu fui em dezembro, tenho amigos que tb foram em época de chuvas e todo mundo aproveitou muito bem. A chuva é aquela de verão, dura cerca de uma hora e depois passa. Tendo um pouquinho de paciência, é só achar um lugar abrigado, tomar um café ou mesmo colocar uma capa de chuva e seguir a vida. Achei uma época boa porque os locais não estão tão cheios, dá para aproveitar tudo com mais calma e também não é tão frio como nos meses de seca. 
      Lembrando que essas épocas bem definidas de seca e chuva afetam mais a região de Cusco e de Machu Picchu. Lima, Arequipa, Lago Titicaca não são tão afetados, então não faz tanta diferença assim a época do ano.
      Outra coisa: se você planeja fazer a trilha inca, aí acho que seria melhor ir na época de seca mesmo, porque a chuva pode atrapalhar o acampamento. Mas assim, enquanto eu estava lá, havia gente fazendo a trilha normalmente e eu fiz o treeking da Laguna Humantay, que é uma parte da trilha Salkantay e não tive problema algum com a chuva (inclusive deu o maior solzão e voltei queimada rsrs).
      7) Tempo em dezembro, o que levar na mala: O tempo é bem instável por lá, então a minha dica é levar um pouco de cada coisa e ir naquele esquema de camadas. Em Cusco, como fica a quase 4000 metros de altitute, é um pouco mais frio. De dia, uma camiseta e jaqueta já resolvem. Às vezes, uma camiseta e um blusão (peruano, pra ser bem turista haha). À noite esfria mesmo, um blusão e uma jaquetinha corta vento dão conta. 
      Em Águas Calientes e Machhu Picchu normalmente é mais calor durante o dia. Não esqueçam o protetor!
      Lago Titicaca: é louco. Tem sol vc tá torrando, vem uma nuvem vc morre de frio haha Em Amantani passei o maior calor e o maior frio da viagem, com diferença de menos de 24 horas. Aqui a jaqueta corta vento e o blusão precisam de mais um gorro e se possível, uma luva ou mais uma jaqueta. Final do dia é frio mesmo. 
      Minha mala para 10 dias (com uma lavação): umas 6 camisetas + 2 legs + 1 calça jeans preta + 1 jaqueta jeans + 1 jaqueta corta vento + 1 capa de chuva (Decathlon - recomendo, fica pequena na mochila, dá para usar várias vezes, ajuda a esquentar e é bem melhor que a de plástico!) + pijama de manga comprida (pra cusco é bem bom até porque assim,  os cobertores peruanos são um pouco pequenos haha) e lá comprei 2 blusões peruanos que foram bem úteis e um gorro que usei na trilha de Amantani. De calçado levei uma bota de trilha, um all star e havaianas. Foi suficiente, na medida certa.
      8. Chip da Claro: em Cusco, com mais ou menos 30 reais você compra um chip claro com 3 giga de internet (tem opções mais baratas, com menos gigas). Comprei e foi muito bom, a internet lá pega bem, inclusive nas montanhas e aí dava para usar o google maps e o tripadvisor de boa, além das redes sociais. Mesmo com o chip o seu número no whatsapp fica o mesmo e as pessoas conseguem falar com vc normalmente, não precisa nem avisar que mudou de número. Em cusco, a loja da claro fica na rua Ayacucho 227, pertinho da Avenida El Sol.
      9. Não ignore o poder e o sabor do chá de Coca e de Muña. Eles ajudam na altitude e na digestão, além de serem mito gostosos.
      10. Vão logo pro Peru.
      O restante das dicas vou colocando conforme for escrevendo o relato de cada dia. Por hoje é isso, espero que ajude alguém da mesma forma que me ajudou. Até mais  

×