Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Sou muito suspeita para falar de Monet, sua arte sempre encantou minha avó, da qual herdei o gosto pelo artista. Nunca vou esquecer de quando ela me levou ao MASP, em uma exposição dedicada ao pintor francês. As obras ficaram guardadas na minha memória, e na minha estante, guardo com paixão o livro que ela me comprou nesta ocasião, Linéia no Jardim de Monet. Por esse motivo o lugar era ponto obrigatório de visita quando fui conhecer Paris, tão importante quanto a Torre Eiffel. Me apaixonei tanto que depois disso ainda fui mais duas vezes, podendo admirar o lugar na primavera, no verão e no outono!

 

jardimmonet1.jpg.11260ea689c866a7597daab36a18227f.jpg

 

Ainda jovem, Oscar-Claude Monet foi para Paris para estudar arte (meio a contra-gosto da família) onde conheceu Camille, futuramente sua esposa e musa inspiradora em diversos quadros. Algum tempo depois, os dois alugaram uma casa para passar o verão com Alice, uma amiga que tinha sido abandonada pelo marido Ernest (também amigo e comprador de Monet) com 5 filhos e grávida de mais um. Depois que o segundo filho de Camille e Monet nasceu, ela morreu de tuberculose, deixando o marido devastado. Quando se recuperou, Monet voltou a pintar e decidiu arrumar uma nova casa para viver com Alice e as 8 crianças. Se apaixonou imediatamente pela casa cor-de-rosa, para onde se mudaram. Depois da morte de Ernest, Alice e Monet se casaram e permaneceram juntos até a morte da esposa. Ele faleceu com 86 anos, após uma nova onda de enorme tristeza pela perda da segunda esposa e graves problemas de catarata, que quase o cegaram (nessa época ele só usava cores fortes em seus quadros e as pinceladas eram mais intensas).

 

A cidade onde fica a casa e os jardins, chama-se Giverny, fica na charmosa região da Alta-Normandia, há aproximadamente 1 hora de Paris. Aconselho fazer a visita de trem, mas já fui de carro alugado também e tem suas vantagens, como conhecer melhor a cidadezinha de Vernon, essa da foto.

 

vernon-1.jpg.fa2d3fa2fc881a8e20b27f8051716eaf.jpg

 

Para ir de trem, basta comprar o bilhete no site da SNCF (Recomendo comprar pela internet -ou antecipadamente pelas máquinas no metrô- para garantir o horário e não perder tempo na estação). Você deve procurar por Paris-Vernon, pois o trem não chega até Giverny. Chegando em Vernon há diversos ônibus parados próximo à estação, que levam até o destino final (é só seguir o fluxo, a enorme maioria estará indo para lá também, já que Vernon não é uma cidade com grandes atrativos), você compra o bilhete direto com o motorista. Normalmente os horários dos trens são casados com os do ônibus, na ida, mas na volta preste bastante atenção aos horários de saída (eles dão um folheto), todas as vezes tivemos que pega-lo quase 1h antes do horário do trem para não correr o risco de atrasar, pois o seguinte demorava bastante. Outra opção é ir de bicicleta, que você pode alugar em Vernon.

 

Descendo do ônibus, novamente siga o fluxo, a casa fica à poucos minutos do estacionamento. Para “despistar” um pouco o grupo de pessoas que fará a visita ao mesmo tempo, entre em uma pequena trilhazinha ainda perto do estacionamento, para ver o busto de Monet, o lugar é super agradável, cercado de árvores e próximo à um riachinho.

 

bustomonet.jpg.2fba37779e64f1b51caf8b3e054b6081.jpg

 

Chegando na casa pode ser que haja uma grande fila, especialmente se for verão! Então não faça como eu e compre o ingresso antecipadamente no site da Fondation Monet! Existe a opção de comprar junto o ingresso para o Museu dos Impressionistas, que fica bem próximo de lá, eu fui e não recomendo, achei o acervo bem pequeno. Acho que é muito mais rico nesse sentido visitar o Musée d’Orsay (onde se encontram diversas obras de Monet) ou o Musée de l’Orangerie (que tem duas salas com as enormes pinturas panorâmicas do artista), ambos em Paris.

 

Agora vem a melhor parte! Apesar de dar vontade de entrar imediatamente na casinha toda cor-de-rosa e verde (suspiros), aconselho ver os jardins primeiro, com sorte estarão um pouco menos lotados. Além disso é bem mais interessante ver alguns quadros depois de ter visto tudo aquilo ao vivo.

 

casa2.jpg.19b7503f0f08f9e422e6c1de355fbaf9.jpg

 

A visita começa pelo imenso jardim multicolorido, são diversas fileiras de flores de todos os tipos, cheiros e cores. Quando visitei o jardim em outubro, o caminho principal ficou tomado por um magnífico rio de flores. Segundo ouvimos de um guia, esse fenômeno só acontece por pouquíssimos meses do ano, que sorte!

 

mardeflores.jpg.41227bc2bd797294ece961a60e300ec5.jpg

 

Seguindo as placas para etang des nynpheas, você passará por um túnel que atravessa a estrada e chega ao tão esperado lago das ninféias e ao ponto mais alto do passeio todo, a Ponte Japonesa! É realmente indescritível a sensação de estar naquele lugar, é como estar dentro de uma pintura de Monet. Exatamente ali ele pintou inúmeros quadros, em diferentes estações do ano e em horários variados para captar a luz de todas as formas possíveis. Para completar o cenário, fica ancorado próximo à ponte um barquinho, que também se vê em muitos de seus quadros. É impossível não ficar hipnotizado por aquele conjunto tão harmônico.

 

ninfeias-1.jpg.ba07bda682ac7da539cb7832d866b446.jpg

 

monetbarco.jpg.ec9621e566bf43dedcdbde4e5c9353e9.jpg

 

Voltando à casa, chegou a hora de conhecer o cantinho encantado desse mestre do impressionismo! O lugar é muito aconchegante, tipo casa de vó! O que achei mais interessante foi a escolha monocromática na sala e na cozinha. A primeira é toda amarela, desde a parede, até os móveis e utensílios, a segunda toda azul, com panelas e objetos em cobre. A ideia de ter um cômodo inteiro de uma cor só parece um pouco estranha, mas a execução ficou realmente incrível. Além disso há o estúdio, (remontado fielmente de acordo com uma foto da época, exposta na sala) onde estão expostas algumas reproduções de quadros do artista, como eu disse, é muito interessante ver aquilo tudo depois de ter conhecido o jardim.

 

casa1.jpg.684017f66b9743326835bf1f75a6b537.jpg

 

No andar superior é possível entrar em alguns quartos, aqui o que me encantou foi a vista da janela, devia ser simplesmente divino acordar e olhar para aquela imensidão de flores (mais suspiros…)

 

Por ser uma casa antiga, alguns detalhes são muito interessantes, como o banheiro e a pequena sala de costura. Monet tinha verdadeira paixão pela arte japonesa, por isso as paredes de sua casa são recheadas de gravuras nesse estilo. Infelizmente é proibido fotografar o interior da casa (senão acho que passaria horas lá dentro!), mas aqui algumas imagens tiradas do site oficial para ilustrar essa casinha tão acolhedora!

 

O atelier onde Monet trabalhava é hoje a irresistível lojinha de souvenirs, e olha só o que encontrei lá, o tal livro que minha avó tinha me dado! =)

 

Vale a pena dar uma voltinha na pequenina cidade de Giverny, onde a rua principal leva o nome de Monet, claro. O charme está por toda a parte, nos caros restaurantes e cafés, nas pousadinhas, nos ateliers de diversos artistas e nas ruas, todas floridas. Atrás da Igreja de Giverny, localiza-se o cemitério onde Monet está enterrado.

 

igrejagiverny.jpg.e5d1683bc9f03e82157223534df71f27.jpg

 

Esse certamente é um dos meus lugares preferidos no mundo, espero ainda poder voltar lá mais algumas vezes na vida!

 

Informações práticas:

 

Site oficial: http://www.fondation-monet.com

 

Valores: Adulto 9,50€ | Crianças -12 e estudantes 5€ | Crianças -7 anos não pagam

 

Horários: Aberto todos os dias de 1º de abril à 1º de novembro, das 9:30 às 18:00 (última admissão 17:30)

 

*Informações para o ano de 2014

 

 

Relato original e (muito) mais fotos aqui: http://www.queroirla.com.br/jardins-de-monet-um-sonho-realizado/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mari, nem sou fão do cara mas adorei as fotos e o relato! Parabens e obrigada por divulgar esse lugar que tem tão pouca informaçao!

Déia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Déia, que bom que gostou!!! =)

 

Pois é, acho que é um lugar que vale a pena mesmo pra quem não curte Monet, ideal para uma day trip para quem vai passar uns dias em Paris poder conhecer também um pouquinho da região da Normandia, que é tão linda e diferente da capital!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi vacmagalhaes! Sim, fui pela primeira vez em abril e acho que foi quando estava mais florido. Mas uma das coisas mais lindas que já vi por lá foi o rio de flores que citei no post, e segundo o guia acontece somente nessa época do ano (era começo de outubro, ou seja, outono). Enfim, o lugar é tão maravilhoso que independente de quando você for, vai se apaixonar! =) Se precisar de mais dicas é só falar. Beijos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  

  • Conteúdo Similar

    • Por Cezar Valério
      boa noite, gostaria de saber quanto custa mais ou menos para ir de paris a Chamonix e de Chamonix até florença, se esse percurso é maneiro, se custa caro viajar de carro ( o combustível e pedagio). valeu
    • Por Depois do Medo Vem o Mundo
      Localizada ao Norte de Portugal, Porto é uma das principais cidades do país e você pode explorar em apenas um dia.
      Essa é uma daquelas cidades da Europa que valem muito a pena conhecer. O acervo arquitetônico mantém o charme da cidade que apesar do sobe e desce das ladeiras, pode ser explorada facilmente durante uma passagem rápida.
      Se você tem o desejo de visitar Portugal, não contente-se só em ver as atrações da capital Lisboa, mas faça uma visita ao Norte do país, na cidade de Porto, por causa da importância de séculos atrás para o comércio o lugar acabou dando origem ao nome Portugal. 
      É possível explorar Porto em uma visita rápida de 24 horas, por exemplo,  mas se tiver a oportunidade de passar mais tempo será mais interessante, pois poderá sentir a cidade, tal como é no dia a dia de quem vive ali. 
      A beleza do local está por todos os lados, a começar pelas estreitas ruas de pedra que formam subidas e descidas, nos casarões de três andares ou mais que se espremem entre si por toda a cidade, nos monumentos históricos e igrejas que mesclam arquitetura gótica e barroca e ter a bela visão do Rio Douro por onde ainda passam embarcações com barris de vinho do Porto. 
      Escolhemos esse destino por vários motivos, mais principalmente após escutar comentários entusiasmados de pessoas que já haviam passado pela cidade. Saímos de Madrid capital da Espanha em direção a Porto de ônibus, através da empresa Flixbus, a passagem saiu 9 € e o tempo de viagem foi de oito horas. Os ônibus dessa empresa são novos e bem cuidados, alguns têm até internet, local para carregar o aparelho celular e costumam ser pontuais na saída e chegada ao destino.
      Porto é uma cidade muito histórica e nós conhecemos os principais pontos turísticos em um dia, isso mesmo, começamos a explorar a cidade bem cedo e caminhamos horas seguidas até ver os pontos que consideramos mais interessantes. Quando se viaja como a gente, mochilando e com prazo, é importante em algumas ocasiões não perder tempo, mas garantimos que é totalmente possível.
      Aqui vai uma lista do itinerário que fizemos durante 24h em Porto para que possa explorar durante a sua visita. Conhecemos os pontos caminhando, o que é super fácil e sem tanta canseira já que tudo era novidade. Não se preocupe tanto em pegar transporte público ou táxi e se deixe levar pela atmosfera local que faz com que Porto seja uma das cidades queridinhas de muitos viajantes. 
      AVENIDA DOS ALIADOS
      Você pode começar a explorar a cidade por uma das avenidas mais importantes, situada em pleno centro do Porto, com diversos prédios modernistas, entre eles a prefeitura, que se destaca nesse ponto pela arquitetura imponente. 
      Se iniciar a caminhada por esta região, será possível chegar na Praça Liberdade e até a Estação Ferroviária de São Bento.
      CATEDRAL DA SÉ DE PORTO
      A igreja já chama a atenção pela localização privilegiada, fica em um dos pontos mais altos da cidade de onde é possível ter uma visão ampla do Centro de Porto e de bairros próximos. Os estilos gótico e barroco fazem parte da composição arquitetônica, os diferentes estilos deixam o prédio ainda mais interessante e torna essa uma das igrejas mais bonita da cidade. 
      A entrada na Catedral da Sé  é gratuita, mas para visitar o Claustro que é um espaço privado decorado com azulejos com cenas religiosas é necessário pagar uma taxa de 3 €.
      ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE SÃO BENTO 
      Nós adoramos a estação por ser muito charmosa, pois mantém um ar melancólico e características de séculos. A Estação Ferroviária de São Bento também está na lista de uma das mais interessantes de Portugal. O hall de entrada por onde se tem acesso ao prédio tem mais de 20 mil azulejos azul e branco, eles retratam momentos importantes da história do país. 
      Localizada no Centro da cidade, pode ser visitada a qualquer momento,  de lá sai trens que em Portugal leva o nome de comboio, para diversas cidades como Guimarães, Braga e até Lisboa.
       
      IGREJA TORRE DOS CLÉRIGOS
      Vista de longe a Torre dos Clérigos chama a atenção e é um dos monumentos mais simbólicos de Porto. Datada do século XVIII a torre tem 200 degraus e 49 sinos que podem ser vistos na subida até o topo, que dá uma visão privilegiada de toda a cidade. 
      O ponto turístico está aberto todos os dias, a entrada na igreja é gratuita, mas é preciso pagar 5 € para ter acesso a torre e ao museu.
       
      RIBEIRA
      Um dos pontos mais visitados do Porto e seguramente um local que você deve visitar. Localizada às margens do Rio Douro, a Ribeira tem diversos sobrados coloridos, restaurantes, bares, apresentações artísticas durante todo o dia, vale muito passar alguns minutos visitando o local.
      Desse ponto é possível chegar até a Ponte Luís I, que liga Porto a Vila Nova de Gaia, do outro lado do rio.
       
      PONTE LUÍS I
      A ponte chama a atenção por sua estrutura metálica que pode ser vista ao longe. Pela  Luís I ou Dom Luís I é possível caminhar e atravessar de Porto para Vila Nova de Gaia, tanto na parte inferior por onde passam veículos, quanto na parte superior por onde podem passar pedestres e também os comboios.  
      Vale a pena na sua visita ao Porto caminhar pela ponte e ver a cidade por outro ângulo, não menos interessante que os demais, porém ainda sim será uma vista privilegiada.
       
      VILA NOVA DE GAIA
      A cidade portuguesa que mais parece um bairro de Porto, mas Gaia é mais uma das cidades pequenas e charmosas de Portugal. A dica por lá é caminhar às margens do rio, passear pelas diversas caves de vinho, ver os barcos de madeira que transportam vinho e visitar a igreja que fica no alto do morro de onde se tem uma linda vista e sentar um pouco no jardim que dá uma visão ampla do Rio Douro e de Porto.
      Mas ainda existem muitos outros lugares para explorar nessa que é uma das cidades mais bonitas e interessantes de Portugal, como museus, igrejas e prédios históricos. 
      Deixe a câmera e o celular carregados e faça muitos vídeos e fotos por onde passar, porque ao nosso ponto de vista toda a cidade é fotogênica, até mesmo os casarões mais antigos e às vezes com pinturas desgastadas e azulejos deteriorados são bons planos de fundo, por ainda manter a melancolia de anos atrás, é por isso que Porto é uma das cidades mais interessantes para visitar em Portugal.

    • Por Weise Aguiar
      Fala mochileiros, meu nome é Weise (tipo o GPS Waze sim kkk) tenho 23 anos, e vou contar como foi minha primeira viagem a Europa, que aconteceu em Maio de 2019.
      Em Dezembro de 2018 estava decidido a realizar esta viagem, e a espera de passagens na promoção, porém não tinha nenhum dinheiro guardado, apenas o salário de Dezembro e dos próximos messes até a viagem (que não era muito). O instagram do Passagens Imperdíveis anunciou uma promoção para Roma nos mês Maio, era por volta de R$ 1.600,00, porém eu não tinha esse dinheiro, corri na CVC e fiz o agente colocar a mesma data que eu já sabia que estava promocional, o valor encontrado foi de R$ 1.800,00, não liguei para a diferença de preço, pois lá dividiram em 8x sem juros no famoso carnê. Perfeito! Minha mãe e tia também aproveitaram o achado e compraram também.
      Era Janeiro e eu tinha a responsabilidade de montar o roteiro, achar hotéis e fazer tudo que era necessário inclusive assessorar a confecção do passaporte das senhoras. Planejar viagens era um hobbie meu, não faze-las também kkkk, estava empolgado com os preparativos da primeira grande viagem e por estar responsável por pessoas que sempre foram responsáveis pro mim. Seriam 14 dias na Europa, inicialmente queria colocar a Europa toda no roteiro, porém percebi que 3 países seria o máximo que conseguiria conhecer neste tempo, foi difícil, tive que deixar a cara Suiça, mas em um comum acordo escolhemos conhecer as cidades de Paris, Londres, Milão, Veneza, Pisa e Roma. Utilizei todo meu conhecimento e sites mágicos para achar a melhor rota entre estes países (melhor no caso era a mais barata), a unica certeza e que chegávamos por Roma e por ali também sairíamos. O itinerário foi:
      - Escolhi conhecer Roma por ultimo, pois o risco de perder o voo de volta para o Brasil era menor, já que eu estaria na cidade. Sendo assim compramos passagens de Roma para Paris;
      Paris: Minhas pesquisas por custo x benefício me levaram ao Hotel Ibis Porte de Montreuil, eles tem uma categoria chamada budget que seria mais econômica, pagamos cerca de R$ 320,00 no quarto para 3 com café da manhã incluso. Sim! Ficou quase R$ 100,00 pra cada pessoa por diária em um hotel em Paris. O hotel ficava um pouco distante do centro da cidade mas a estação de trem era a 4 minutos de caminhada, e 40 minutos de viagem até a Torre Eiffel, nem sentíamos o trajeto. Também havia um Carrefour como vizinho no hotel, que tinha preços muito bons! Na cidade utilizamos o metrô (1,70€) para ir a qualquer lugar com exceção de Montmartre que utilizamos o uber (mesmo app do BR). Em Paris visitamos além da famosa Montmartre, a Champs Elysees, Arco do Triunfo, quase todas as pontes famosas, Village Royal (lugar onde tem o corredor cheio de guarda-chuvas), Galerie Lafayette, o Museu do Louvre, La Vallée Village (a outlet mais chique que já vi, comprei ate uma blusa da Levi´s por 13€), a Primark (mãe da C&A, Renner e afins) e claro a Torre Eiffel todos os dias a noite.  
      Londres: Escolhi fazer o trajeto com o trem da EuroStar, ele passa por baixo do mar e se pode ter uma vista muito bonita do trajeto na superfície, não me lembro o preço exato mas foi algo em torno de R$ 200,00. Chegamos em Londres na famosa estação King's Cross (Harry Potter), tentamos pegar um ônibus porém não aceitavam dinheiro e eu ainda não sabia comprar o cartão (destaque para o primeiro contato com inglês britânico, foi muito estranho não entender nada que o senhor no ponto de ônibus falou), pegamos uber e chegamos ao hotel bem rápido. Em Londres eu também escolhi um hotel budget da Ibis (Whitechapel), este porém era mais moderno, a moça que nos recebeu foi muito prestativa e me ajudou muito com informações importantes, custou algo entorno de R$ 120,00 a diária para cada pessoa no quarto triplo. Fui conhecer Londres logo que cheguei e ao sair do hotel percebi que o bairro era meio .... diferente, varias mulheres de burca e alguns homens com cara de indianos, mesquitas e muitas placas em árabe (ou seja lá o que era aquilo) mais tarde descobri que o bairro era multicultural e acabei adorando ver toda aquela cultura! E 20 minutos de caminhada e estávamos na Tower Bridge um dos maiores símbolos de Londres, foi impactante (foi o lugar que mais gostei na cidade), durante 4 dias conhecemos lugares como o Saint James Park, o Palácio de Buckingham, o Borough Market, a loja gigantesca da M&M (não deixe de conhecer, é a maior do mundo), China Town, Leicester, Tottenham, compras na Primark de Londres (que era melhor que a de Paris), Camden Town (é meio longe, mas iria 10x mais longe vale muito), um destaque para o Camden Market, tem vários outros lugares, mas assim como em Paris não vou citar para não ficar exaustivo. Em falar em exaustivo, primeiro perrengue da viagem, eu havia comprado passagens pela Ryan Air, o aeroporto em que eles atendiam era super longe, e de uber gastamos cerca de R$ 500,00 pela viagem para nos 3, essa foi a primeira facada, a segunda veio quando a atendente me disse que o embarque já havia sido encerrado 1h30 antes do voo, brigas depois minha tia passou o cartão e compramos outra passagem (55 libras cada).  
      Milão: Ok, passamos o perrengue e foi hora de engordar, do aero até a cidade pegamos um ônibus (7€). Os hotéis da Itália foram escolhidos na CVC, novamente pela facilidade do parcelamento sem comprometer limites dos cartões, as fotos do site não condiziam muito com a realidade, e isso foi uma coisa boa em Milão o iH Hotels Milano Gioia foi um achado, era muito confortável, digno de um 3 estrelas,  perto de supermercados, restaurantes (bons e baratos, onde comi a melhor pasta da viagem), além de ser relativamente parto do centro da cidade, aqui não utilizamos o transporte publico para nada, fizemos tudo caminhando e foi ótimo. A cidade sem duvidas e uma das mais bonitas da Europa, o antigo se misturava com o moderno, e realmente era a cidade da moda, marcas de luxo como LV, Gucci, Versace e outras enfeitavam as ruas. Aqui conhecemos a Pinacoteca de Brera, cujo qual eu nem sabia da existência e literalmente esbarrei na rua, o Duomo Di Milano, a Galeria Vittorio Emanuele II e o Castello Sforzesco. Foi tudo perfeito por aqui, boa comida e lugares impressionantes.  
      Veneza: Embarcados no trem seguimos para Veneza, estávamos com a expectativa alta para o Hotel Ca' Gottardi, pois foi o mais caro da viagem (R$ 1.300,00 por diária, só ficamos uma kkkk), era luxuoso, mas nada extravagante. A cidade realmente é tudo o que dizem, chegamos de manhã e partimos no outro dia de noite. Foi mais que suficiente para conhecer cada canal, as coisas eram um pouco caras, mas valeu cada euro.  
      Pisa: Pisa me surpreendeu muito, já era noite quando chegamos, mas não nos impediu de ir ver a famosa torre inclinada, estava deserta. A primeira surpresa foi com a cidade em si, ela parecia cidade universitária de interior (e era). O hotel foi o Royal Victoria, de frente para o rio que corta a cidade muito charmoso, inicialmente achamos o hotel velho demais, pesquisas depois me fizeram mudar de ideia, é um hotel histórico, a diária no quarto triplo custou R$ 400,00. A outra surpresa foi com o conjunto histórico, eu sempre achei que a torre era sozinha, porém descobri que ela faz parte de um conjunto que inclui um batistério e uma catedral. Não tem muito para conhecer na cidade, os 2 dias por lá foram suficientes.  
      Roma: Já um pouco cansados partimos de trem, é claro, para a nossa primeira e ultima cidade Europeia Roma. E mais um perrengue era previsto, o "hotel" Cesar Palace, era HORRÍVEL, até hoje não entendi o que era aquilo, mas parece que era um prédio residencial antigo, onde funcionava o "hotel" em dois dos diversos andares, não havia recepção, apenas uma sala de bagunça onde tinha um cara. Meio assustado fiz nosso check in e um segundo cara meio estranho apareceu do nada e nos levou ate o quarto, quando questionei sobre o café da manhã que tinha pago (5€) ele saiu e voltou com uma fixa "vale 1,50€ no bar da esquina" literalmente era isso, parecia uma grande piada, minha mãe se revoltou e queria fazer barraco kkkkk mas achamos melhor tentar curtir a cidade e ir para o hotel apenas para dormir, já que todas as nossas coisas ficavam lá sozinhas não fizemos nenhuma reclamação. A cidade era bem diferente das outras, encontramos com alguns brasileiras e elas haviam sido furtadas na Fontana de Trevi, a cidade era um pouco suja demais, mas nada que não estivéssemos acostumados. Aproveitamos muito e apesar das atrações serem longes, fizemos todos os trajetos a pé, andamos MUITO, mas já sabia chegar a qualquer lugar, já estava me sentindo um romano, entre as atrações visitamos o Coliseu, o bairro de Trastevere, o Vaticano, o Monumento a Vittorio Emanuele II, a Fontana de Trevi, o Panteão, Piazza di Spagna entre vários outros lugares. No check out não havia ninguém na sala de bagunça e uma placa dizia que o atendimento iria se iniciar em 2h, então tiramos tudo do quarto e saímos deixando a chave pendurada na maçaneta da porta. Este foi um resumo de cada cidade, creio que no futuro escrevo sobre detalhes sobre cidade. Foi um enorme aprendizado viajar desta forma, e apesar de ter pesquisado muito antes, algumas coisas ainda passaram despercebidas, cada cidade tinha seu próprio estilo e foi impossível escolher uma favorita (Londres), temos vontade de fazer tudo de novo, tenho certeza que teremos uma experiencia diferente. Me deixo a disposição para ajudar tirando duvidas ou de outras formas se tiver no meu alcance! 
      Depois que voltei ao Brasil contabilizei cerca de R$ 8.900,00 com tudo que tinha gasto na viagem, incluindo hospedagem, comida, compras, passagens, tudo mesmo. 
      Segue algumas fotos do ocorrido, no meu instagram @weiseaguiar também tem vários histories legais de cada lugar. Um grande abraço mochileiros!
       








×
×
  • Criar Novo...