Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''espanha''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
  • Destinos
    • América do Sul
    • África
    • Ásia
    • América Central, Caribe e México
    • Brasil
    • Europa
    • Estados Unidos e Canadá
    • Oceania
    • Oriente Médio
    • Volta ao Mundo
  • Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar: Grupos e Eventos
  • Equipamentos
    • Equipamentos de Camping e Aventura
  • Avaliações
    • Avaliações
  • Estilos de Viajar
    • Mochilão Roots
    • Trekking e Montanhismo
    • Viagem de Barco ou Navio
    • Viagem de carro
    • Cicloturismo - Viagem de Bicicleta
    • Viagem de moto
    • Vanlife: Viver e viajar em uma casa sobre rodas
  • Classificados
    • Classificados
  • Central de Caronas
    • Caronas
  • Outros Assuntos
    • Papo Mochileiro e Off Topic
  • Blogs de Viagem
    • Blogs de Viagem
    • Posts
  • Guia do Mochileiro
    • Guia do Mochileiro
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Arquivo
  • Ajuda e Suporte
    • Ajuda & Suporte

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 30 registros

  1. Fora da Zona de Conforto

    Roteiro de 6 dias para Málaga, Ceuta e Gibraltar (2018 ATUALIZADO)

    Quer visitar a Espanha na África…..visitar a Grã-Bretanha na Espanha….e fazer alguns passeios de barco pelo caminho? Leia como nesse emocionante itinerário de Ceuta, Gibraltar e Málaga. Encontre tudo o que você precisa saber, incluindo atrações, acomodações baratas, o que fazer, cruzando o Estreito de Gibraltar, etc… Você está pronto para um roteiro europeu e aventureiro, onde você vai visitar algumas das situações geopolíticas mais estranhas da Europa ao explorar 4 “cidades”, 2 “países” e 2 “continentes”… Em apenas 6 dias? Deixe eu me explicar. Se você seguir nosso roteiro abaixo, você visitará: Ceuta: um enclave espanhol autônomo, localizado no continente africano, rodeado por 3 lados pelo Mar Mediterrâneo e, pelo 4º lado, pelo Marrocos. Gibraltar: um rico território britânico que não compartilha fronteiras com o resto do Reino Unido (mas compartilha fronteira com a Espanha), está a alguns quilômetros de distância do continente africano, e é conhecido por seus macacos. Continue lendo: Roteiro de 6 dias para Málaga, Ceuta e Gibraltar (2018 ATUALIZADO)
  2. gabi.de-toni

    Caminho de Santiago no Inverno

    Pretendo fazer o Caminho de Santiago, mas, por conta da minha profissão, só posso me ausentar por mais de 30 dias durante e recesso forense. Alguém já fez, ou pretende fazer, o caminho francês nos meses de dezembro/janeiro e tem mais informações? Mais do que o frio eu receio o excesso de chuva e aumento da carga a ser carregada, tendo em vista que as roupas de inverno são mais pesadas e ocupam mais espaço.
  3. Hola, Para quem não me conhece, me chamo Rafael, tenho 35 anos, sou de São Paulo e tem um ano e meio que moro em Itatiba-SP. Adoro fazer fazer trilhas, subir montanhas, acampar, conhecer culturas, fazer amizades e ouvir histórias mundo afora. Vou escrever aqui como foi meu Caminho e com isso, reviver um pouco o sonho que tive quando era adolescente e realizei agora entre Maio e Junho de 2012. Desde moleque sempre acampei, depois fui crescendo e viajando com meus próprios pés e mochila e os sonhos foram surgindo: Machu Picchu e Caminho de Santiago. O primeiro foi realizado a poucos anos, o segundo precisava de mais tempo e dinheiro, mas muitas coincidências fizeram eu seguir para o Caminho ou simplesmente Camino em 2012: fiquei desempregado, e com dinheiro e tempo disponíveis. Passagens compradas em meados de março para 28 de abril e começa a preparação para o Caminho. O sites das associações da Acacs e do Brasil foram muito úteis. Inclusive uma lista de emails no google e um grupo no Facebook. Link das associações:http://www.santiago.org.br e http://www.caminhodesantiago.org.br A minha credencia retirei em Sampa na Acacs-sp. A do RJ também envia por correio (Inês muito simpática) e no site deles tem uma lista de pessoas que estão partindo e suas respectivas datas (muito útil). Ambas realizam palestras gratuitas, eu não fui mas, me recomendaram. No google você acha vários relatos, alguns muitos cansativos, por isso resolvi não anotar muitas coisas. Deixa para a próxima ida Preparo Físico Sobre o preparo físico, desde o começo sempre achei que não existe uma treino específico para caminhar 30 dias seguidos e realmente, acho que não tem. Claro, não ser sedentário é muito importante. Faça com um ou dois meses antes da viagem, caminhadas em diferentes tipos de trilhas (montanhas, pedras, lama, subidas e descidas) com a mochila cheia com as coisas que vai levar no Caminho. Vá aumentando a distancia e a dificuldade conforme seu condicionamento. Lembre-se que o normal no Caminho é andar entre 15-25km. Eu treino na academia, sempre faço trilhas e mesmo assim senti o esforço no começo. Depois o corpo foi acostumando, mesmo assim apareceram bolhas, perna e pés inchados e um pouco de cansaço. A única coisa que não senti, foram dores nos joelhos. Nos primeiros dias vai ser normal dores nos ombros, no corpo, nada que um dorflex e um salonpas não resolva. Depois de 4 dias as dores passaram. Unica coisa que percebi foram os pés, de manhã ao levantar, parecia que dava um choque e dava para perceber um pouco o inchaço. Se você respeitar seu corpo, da metade para o fim, caminhar 25km vai ser tranquilo. Sempre considere uns dois a três dias na sua programação, pois você pode precisar parar para descansar o corpo, como aconteceu comigo apartir do 14ºdia, explico mais para frente. O Peso O peso da mochila é muito importante, pois você vai carrega-la por vários dias. Eu levei quase 14kg, depois de 10 dias, ela estava pesando 10/11kg. Algumas coisas postei para o Correio de Santiago e outras deixei na casa da minha amiga em Madrid. Para postar coisas para o correio de Santiago de Compostela é simples, vá a qualquer agencia de Correio (eu fui em Pamplona) compre uma caixa e coloque seu nome e entre parenteses Lista de Peregrinos, fiz tambem um seguro de 50 euros. Não custou 10 euros. Eu retirei 40 dias depois. Perfeito. O que levei: Mochila Arcteryx bora 80 - Pesa 3kg, porem é bem confortável. Quem não está acostumado com trilhas não recomendo. um peso a menos. Não esqueça a capa da mochila. Saco de Dormir Nautika Micron X Lite - pesa menos de 500g. Recomendo Camisa e calça segunda pele - levei porque meu saco de dormir era bem fino. usei varias vezes Papete Timberland - achei que ia poder caminhar com ela, só usei no descanso, na próxima vez substituirei por um par de chinelos que são mais leves Fleece 50 Quechua - Levei pensando no frio do Pirineus. só usei lá. Dispensável pelo correio ou leve um velho e deixe no abrigo em Pamplona. Anorak Hi tec - Levei como abrigo para chuva e frio. Se saiu bem, porem é bem pesado, quase 1kg. Na próxima levo um fleece mais grosso e uma capa de chuva simples. Meias: Levei 5 pares. dois para usar, dois de reserva em caso de dois dias de chuva e um para dormir. Acho que da para diminuir para 3 pares. Não peguei muita chuva. Sempre usava um par limpo para dormir. Cuecas: 2 Bermuda de caminhada (tipo de futebol): 2 Camisetas de dryfit: 3 Calças bermuda tactel: 2 Perneiras quechua: 1 (não peguei chuva forte, dispensável) Boné+gorro+lenço de cabeça+toalha secagem rápida+toalha de fralda pequena= 1 de cada Headlamp Guepardo+ Câmera Canon+Carregador de Pilhas+Ipod (Levei um tablet para ir escrevendo o diário, porém deixei em Madrid, pois quase todos albergues existem internet)+sensor climático Guepardo+ óculos de sol Botas Nômade (Vento) Remédios que recomendo (que usei): Dorflex, Antigripal, Voltaren(anti-inflamatório), Pomada Anti-inflamatória, Salonpas, Pó antisséptico, Agulha, linha e álcool, Nebacetin Outras coisas que eu levei: Canivete, Tomada tipo benjamin, repelente(não usei), polaramine(não usei), pregadores, sabão em pedra(comprei la),papel higiênico Planejamento Sobre mapas, planejamento e o percurso, depende de cada um. Eu só levei uma planilha fornecida da Associação com anotações de albergues e distancias entre os povoados(está em anexo aqui abaixo). Você pode caminhar de 5, 10 ,15 a 40km por dia. Se for de 20 a 25, voce vai levar 32 dias e se for de 25 a 30, provavelmente em 27. Esse site é muito bom para planejar:http://www.urcamino.com/ Normalmente caminhava de 20 a 25, só por uma vez caminhei 44km, mas foi por falta de opção. Eu escolhi ficar em albergues municipais(5 a 10euros) e você tem opção de ficar em albergues privados que normalmente são de 10 a 15 euros ou de Igrejas que são por donativos.Os privados são bons para você reservar, então pode acordar um pouco mais tarde, caminhar mais tranquilo e chegar com sua cama garantida. Ah, também é bom para quem quer mandar a mochila por automóvel. Os das Igrejas e Monastérios é bom para quem tem pouco dinheiro e quer conhecer mais pessoas, pois há jantares coletivos. Os municipais também são bons, há bastante interatividade, você vai acompanhar as mesmas pessoas por vários dias. Um guia que vi, que é pequeno e bem descritivo é um da Michelin, acho que só tem na Espanha, inclusive tem um espaço para os carimbos. Gastos Os gastos nunca serão os mesmos, mas serve de parâmetro. Eu não ligo em compartilhar quartos(não fiquei em nenhum hotel sozinho), fazer comida nos albergues, comi fora poucas vezes, tomei vinho e cerveja, houve alguns imprevistos e na próxima serei mais econômico. A planilha e os mapas estão anexados no final deste post. *Obs: Na planilha de gastos está incluso alguns imprevistos como: Pagamento extra de passagem e seguro viagem devido a remarcação + lembrando que no Cebreiro me furtaram 300 euros + compras de roupas em Madrid no final do Caminho http://Comida Todos os povoados que tem refúgio tem restaurantes os que não tem, no refúgio faz. O menu do peregrino (são dois pratos+pão+água e vinho) custam de 9 a 15 euros. A maioria cobra 10 euros. Eu optava em fazer compra no supermercado, comprava o jantar, o lanche do dia seguinte e as vezes o desayuno(café da manhã), saia por 6 a 8 euros. Em duas pessoas, sai mais barato ainda. Eu gostava de ficar em cidades com supermercados e albergues com cozinha. Muitas vezes dividíamos o jantar com mais pessoas. Ah, sempre comprava o vinho, na Espanha é muito barato e bom. Outros comentários e dicas * O seguro viagem é obrigatório para entrar na Europa e eu precisei. Muito importante. http://www.mondialtravel.com.br * Conheci peregrinos que quando machucados, faziam o trajeto de Ônibus. é uma opção para quem tem pouco tempo. * Um horário bom para começar a caminhar são entre 6 e 7h. Se for primavera verão, recomendo até sair mais cedo por causa do calor. * Se molhar as botas ou tênis, coloque jornal para ajudar a secar * Bastão de caminhada ajuda a poupar seus joelhos em trechos com declive * Na Espanha vende um adesivo chamado Compeed, muito bom para quem tem bolhas, mesmo assim o melhor ainda acho que é a agulha e linha. * Empresa de ônibus que faz a maioria dos trajetos no Caminho: http://www.alsa.es * Empresa aérea que faz voos domésticos na Espanha, barata, porém sua mochila tem que ter menos de 10kg e você tem que imprimir o bilhete antes: http://www.ryanair.com/pt - Útil para o trecho Santiago x Madrid * Usei o cartão vtm feito através do http://www.cotacao.com.br (consultava o saldo por internet). * Antes de subir os Pirineus, olhar a previsão do tempo é muito importante. Evite fazer esse trajeto sozinho, principalmente no inverno com neve. * Os albergues municipais e alguns privados tem cozinhas, o que barateia muito seu Caminho. Antes de fazer as compras, sempre passe na cozinha, os peregrinos costumam deixar muitas coisas para os próximos. Assim como roupas e remédios. Não esqueça que você pode fazer isso também, exemplo deixe aquele pacote de cebolas ou molho que você teve que comprar e não usou todo. * Durma com seu dinheiro e documentos dentro do saco de dormir. * Refúgios com acolhida religiosa: Albergues do Caminho Francês, com acolhida religiosa (útil para o peregrino que vai com pouco dinheiro) * Telefones celulares, esqueça-os ! Aproveite o caminho para desconectar do mundo ou desse vício moderno. A grande maioria dos refúgios tem internet ou telefone público (compre um cartão de ligação internacional). * Sempre siga as setas amarelas, totens, a concha (vieira), postes de luz com símbolos da viera, placas nas estradas ou coladas nas calçadas e quando houver dúvida, descanse, sempre aparece algum peregrino ....depois continuo as dicas Relatos (a maioria dos textos foram escritos no dia): Pamplona: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/pamplona-es.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/pamplona-es.html Pamplona/SJPP: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/saint-jean-de-piert-de-port-franca.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/saint-jean-de-piert-de-port-franca.html 1 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-1dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-1dia.html 2 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-2dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-2dia.html 3 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-3dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-3dia.html 4 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-4dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-4dia.html 5 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-5dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-5dia.html 6 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-6dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-6dia.html 7 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-7dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-7dia.html 8 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-8dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-8dia.html 9 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-9dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-9dia.html 10 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-10dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-10dia.html 11 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-11dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-11dia.html 12 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-12dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-12dia.html 13 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-13dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-13dia.html 14 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-14dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-14dia.html Madrid, parado por 5 dias: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/madrid-7-dias-parado.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/madrid-7-dias-parado.html 15 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-15dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-15dia.html 16 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-16dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-16dia.html 17 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-17dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-17dia.html 18 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-18dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-18dia.html 19 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-19dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-19dia.html 20 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-20dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-20dia.html 21dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-21dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-21dia.html 22 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-22dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-22dia.html 23dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-23dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-23dia.html 24 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-24dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-24dia.html 25 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-25dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-25dia.html 26 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-26dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-26dia.html 27 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-27dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-27dia.html 28 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-28dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-28dia.html 29 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-29dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-29dia.html 30 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-30dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-30dia.html 31 dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-31dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/caminho-de-santiago-31dia.html Santiago: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/santiago-de-compostela.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/santiago-de-compostela.html Santiago a FInisterra 1dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/de-santiago-finisterra-1dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/de-santiago-finisterra-1dia.html Santiago a FInisterra 2dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/de-santiago-finisterra-2dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/de-santiago-finisterra-2dia.html Santiago a FInisterra 3dia: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/de-santiago-finisterra-3dia.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/de-santiago-finisterra-3dia.html Finisterra: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/finisterra-es.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/finisterra-es.html O retorno: http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/o-retorno-do-caminho.html'>http://www.raffanocaminho.blogspot.com.br/2012/07/o-retorno-do-caminho.html ARQUIVOS ÚTEIS Lista de AlberguesManoel Brasilia ListAlberguesCSFrances2011.xls Planilha do site urcamino que utilizei camino_itinerary (1).pdf Etapas do Caminho com perfil de altitudes: Etapas caminho frances.pdf planilha de custos e distancias. *Obs: Na planilha de gastos está incluso compras de roupas em Madrid e lembrando que no Cebreiro me furtaram 300euros obs: se precisar de uma dica ou tenha alguma dúvida, me pergunte !! Caso tudo acima lhe tenha sido util e talvez queira contribuir para que eu possa retornar ao Caminho, só ajudar aqui http://www.vakinha.com.br/VaquinhaP.aspx?e=213615# Roteiro - Raffa (www.raffanocaminho.blogspot.com.br).pdf
  4. Olá Mochileiros. Segue mais um relato em retribuição ao site e seus usuários pelas dicas valiosas que sempre me ajudam nas andanças por aí. Escolhi a cidade de Salamanca na Espanha para intercâmbio de 30 dias por três motivos: pela reputação das escolas de espanhol local, pelo preço muito inferior às demais cidades e pela história do lugar. Houve pontos positivos e negativos que tentarei expor, mas o resultado final foi uma viagem enriquecedora, muito estudo e história para contar. Salamanca é uma cidade universitária, não por acaso a universidade mais antiga da Europa está lá, e tudo roda em torno disso. Se não me engano dos cerca de 200 mil habitantes mais de 40% são estudantes. Por ser muito antiga a cidade também tem um belo conjunto de patrimônios históricos que, reunidos a uma curta distância da sua praça central, formam um cenário deslumbrante. É sem dúvida uma das cidades mais lindas e apaixonantes do mundo. Para chegar a Salamanca não há mistério. De Madri pode-se usar o trem da Renfe ou o ônibus. Preferi sempre o trem pela pontualidade, preço (desde que comprado os bilhetes com antecedência) e conforto. Se não for passar uns dias em Madri, ao desembarcar em Barajas compre um bilhete de trem (DE TREM E NÃO DE METRÔ) e siga direto para a estação Chamartin. De lá há várias saídas por dia para Salamanca. De Barajas à Chamartin há uma linha de trem no terminal 4 que saí praticamente a cada 30 minutos. Ficando em Madri, o meio mais fácil para de se locomover na cidade é a gigantesca malha metroviária. Compre passes pelo conjunto de dias que ficar...Em geral comprar o bilhete individual ou somente o diário pode sair mais caro. A capital espanhola é muito legal e merece uns 3 ou 4 dias. Procure nos sites dos museus locais quais dias ou horários são com visitas gratuitas, isso vai ajuda-los a economizar um pouco. Há estações de metrô em dois terminais do aeroporto de Barajas. Mas voltando a Salamanca... Da capital até a cidade dourada no mais rápido dos trens são cerca de 1h:30. Ao descer na estação há opção de linhas de ônibus ou taxi. Transporte: O sistema de transporte coletivo não é extenso, são poucas linhas, mas que atendem bem a necessidade. Salamanca é uma cidade “peatonal”, feita para caminhar, e mesmo ficando em bairros mais distantes do centro, de nenhum ponto da cidade, você gastará mais de 30 minutos andando para chegar na praça central. Taxi: Assim que chegar na cidade pegue o número do rádio taxi local. Não há Urbe ou aplicativo de transporte compartilhado. Em geral você vai usar taxi apenas para a sair da estação ou voltar a ela (e com malas pesadas), fora isso seus pés serão seu principal meio de transporte. Mais sobre a cidade: O local é super, hiper, mega seguro e super, hiper, mega limpo. Há inúmeras atrações, de visitas as igrejas, museus e parques, até vinícolas nos arredores. Minha dica e passeio mais bonito que fiz foi subir nas torres da Clerecía no fim de tarde. O pôr do sol refletindo a luz sobre as pedras douradas é algo que nunca mais vou esquecer. Eu fiquei 30 dias e não conheci a cidade toda. E olha que gosto de andar. A noite é uma loucura. Primeiro porque a cidade recebe uma iluminação especial e fica ainda mais linda, segundo porque abre-se uma infinidade de bares de tapas e bodegas. De segunda a segunda o movimento não para. Quando falo noite falo em duas etapas, primeiros os bares que ficam cheios após as 21 e até meia noite…depois as dezenas de casas noturnas que começam a ficar cheias após as 3:00 da manhã. A noite em Salamanca é longa e segundo os locais não é boa se terminar antes das 07 da manhã do dia seguinte. Rola festas todos os dias, de chupiterias (casas de doses – cuidado com o DIABLO VERDE ) à jazz sessions em clubes de aparência duvidosa, mas extremamente seguros e calorosos, você encontra de tudo um pouco na noite Salmantina. Em geral, ao redor da Plaza Mayor ficam os bares e danceterias voltados aos estrangeiros, na Gran Via estão lugares mais comuns aos universitários locais e saindo do centro na Calle Van Dyck há bares e baladas com frequência pelos dos moradores. Dica 1: El Minutejo, um barzinho de tapas e caña muito barato e muito bom na calle Van Dyck. Dica 2: Se seu negócio é vinho recomendo a Bodega Cuzco próximo a Plaza Mayor que tem uma variedade de garrafas locais servidas em taças. Sobre a escola. A Enforex é uma escola muito bem recomendada, o que reflete na quantidade de alunos que ela recebe toda semana. Há gente do mundo todo e as aulas são muito participativas e dentro do possível animadas. Há também cursos extras que envolvem ensino da cultura local e passeios pela cidade. Sobre a acomodação A acomodação foi o que mais me incomodou. Escolhi um apartamento compartilhado, ciente que não haveria opção de alterar os colegas de alojamento e com esperança de aprofundar a experiência praticando espanhol com outros estrangeiros. Porém, quando cheguei no local todas as meninas que moravam no apartamento não faziam parte da escola, estavam lá por causa da faculdade, e não faziam a mínima questão de falar espanhol... Também achei complicado a diferença de idade entre nós. Não que eu seja um velho ranzinza, longe disso..., mas aos 34 anos já não dá para chegar em casa todo dia e conviver com bagunça e fumaça de maconha. Tá, sou chato. Mas estava em outra vibe e penso que a escola podia ter avisado sobre a possibilidade de todos os outros moradores do apartamento terem 18 anos e não necessariamente estarem cursando espanhol. Ou que pelo menos a STB (que me vendeu o pacote) fosse mais criteriosa nesse sentido...é básico se você trabalha com um público variado saber que incompatibilidades existem. Além do apartamento imundo, quando cheguei as roupas de camas estavam sujas e com mal cheiro. Avisei a escola, mas levaram dois dias para resolver. Também não havia aquecedor funcionando quando cheguei. Foram algumas semanas até que ele passou a funcionar de forma incipiente. Pelo valor que paguei teria eu mesmo alugado um apartamento mobiliado muito bom na cidade e sem necessidade de dividir com alguém. Foram cerca de EU$ 800,00 euros pela hospedagem em quarto individual com banheiro, porém em Salamanca o aluguel médio de um apartamento é cerca de EU$ 400,00. Da próxima alugo apartamento. Algumas informações a mais Não se preocupe com roupas sujas. Há lavanderias pela cidade e são muito baratas. Academias também. Procure uma próxima e se matricule, os valores não são elevados. Também há boa oferta de supermercados e rotisserias. Salamanca em outubro já é bem fria...piora em novembro e dezembro. Também são meses de muita chuva. Segundo o pessoal da cidade no verão o calor é infernal e em janeiro pode até nevar. De Salamanca para outros lugares. Salamanca não é nenhum hub de trens. Então basicamente você terá as opções: Madrid, Valladolid e Lisboa. De ônibus também é possível chegar à O Porto. Menos de 4 horas de viagem. Para Lisboa o trem saí as 01:00 A.M e leva em torno de 5 horas para chegar à capital portuguesa. Com conexão em Valladolid é possível acessar de trem Bilbao e até mesmo Barcelona. Para Barcelona aconselho ver promoção nas cias aéreas com saída de Madri ou Valladolid, é mais rápido e barato. Se ainda assim optar pelo trem saiba que serão longas 8 ou mais horas de viagem e com transbordos. Acredito que coloquei aqui o que é mais importante. Meu objetivo é dar ao menos uma ideia do que esperar da cidade à um futuro intercambista. Quando procurei informações no mochileiros.com encontrei pouca coisa. Mas é isso, não tem mistério e de resto é só curtir essa linda cidade! Hasta Luego y Buena Sorte!
  5. Olá amigos do Mochileiros.com! Como muitas pessoas por aqui me sinto grata por todas as informações que consegui adquirir lendo tudo o que eu podia no site e por isso venho através deste tópico contribuir com meu relato de nossa viagem realizada neste mês (de 06 a 21 de setembro de 2014) para a Espanha (Madrid, Sevilla, Granada e Barcelona). Foi a primeira viagem que realizamos por conta própria. Até então tínhamos viajado para Buenos Aires, na Argentina e para o Chile (Santiago, Viña del Mar, Valparaíso e Valle Nevado) através de agência de viagem que, convenhamos, a viagem é mais cara e você fica preso ao roteiro deles, mas tem suas vantagens, pois você não precisa se preocupar com muita coisa, tem sempre uma pessoa que pode te ajudar e te levar para algum lugar que você queira ir, se você pagar a quantia estipulada. E eu confesso que me sentia com medo e até um tanto incapaz de viajar por conta própria e me virar bem em um país diferente. Mas resolvemos arriscar (culpa da insistência do meu marido e do custo maior de um pacote de viagem por agência) e eu fui traçando um roteiro do que poderíamos fazer, ver, visitar, e somando os custos de tudo. Foi difícil pois nessa época meu marido estava trabalhando muito (e eu também, mas como fiquei obcecada com a ideia da viagem, não conseguia parar de planejar! ) e não tínhamos muito tempo disponível. E foi aí que comecei a ler o Mochileiros.com e blogs de viagem e anotar tudo o que era importante para contribuir com o resultado final. E fomos ajustando o orçamento, cortando algumas coisas da viagem (foi com muito pesar que cortei Portugal do planejamento, que queria muito conhecer, mas o dinheiro não deu!) e quando vimos que era possível, começamos a comprar as passagens de avião, passagens de trem, ingressos dos lugares que queríamos visitar e que todo mundo recomenda comprar com antecedência... e a viagem foi tomando mais forma. Antes de tudo, quero explicar o porquê da Espanha... Sempre tive uma "quedinha" pela Espanha. Por conta do destino, fui trabalhar com imigrantes espanhóis que vieram há muito muito tempo atrás para o Rio de Janeiro e, sempre que posso, fico conversando com eles sobre suas cidades. A imensa maioria veio da Galícia, de Orense e Pontevedra, que são duas cidades não tão ricas dessa região, mas parecem ser lindas... Mas nessa viagem também não deu para conhecer a Galícia... Outra história da minha vida é que depois que assisti uma apresentação de dança Flamenca, fiquei doida atrás de algum lugar em que pudesse ter aulas dessa dança. Depois que consegui encontrar, nunca mais parei e sou apaixonada por essa dança, que é originária da Andaluzia (e seu berço é em Sevilla). E também depois que vi fotos da Alhambra, em Granada, um dos meus sonhos era ir lá e ver tudo de perto... O meu marido adora violão... e os espanhóis também! Hehehehe. Então ele se juntou a mim nesse sonho de conhecer a Espanha. Ele adicionou ao roteiro Madrid e Barcelona e fomos em frente! As passagens de avião foram compradas mais ou menos em maio. Em abril elas estavam mais baratas (pouca coisa), mas não podíamos comprar em abril ainda, então, fazer o quê! As passagens da TAP pareciam a melhor opção em termos de preço e de conexão e então foram elas mesmas! Não conseguimos comprar as passagens de trem entre uma cidade e outra pelo site da RENFE (tivemos o mesmo problema que muita gente por aqui ao usar o cartão, mesmo usando cartão Itaú ou Santander, desbloqueado para uso internacional) e compramos pela Rail Europe, mesmo sendo um pouco mais caro, mas estávamos com as passagens nas mãos e era isso o que nos preocupava (chegar lá e não conseguir comprar as passagens na hora). Só as passagens para o passeio para Toledo que não conseguimos comprar antecipado pois deu erro no site e decidimos comprar lá em Madrid mesmo. Na semana da viagem o chefe do meu marido fez ele trabalhar feito um condenado para terminar tudo o que estava pendente antes das férias e ele não teve muito tempo para pensar nos preparativos (e ele que iria traçar as rotas de deslocamento dentro das cidades via metrô e ônibus) e nem de fazer as malas (ele fez a mala no dia da viagem! Mas a minha eu consegui fazer antecipado. Levamos duas malas médias (como eu vi recomendado por aqui e alguns amigos recomendaram também, pois antes dessa viagem sempre levávamos uma mala grande) Nós íamos misturar as nossas roupas nessas duas malas, para o caso de alguma sumir no aeroporto, mas devido à arrumação em cima da hora do meu marido, nem foi possível.) Olhamos pela internet para ver o clima lá na Espanha em Setembro e vimos que em Madrid estava fazendo 30º... mas em alguns dias fazia 22º-24º... isso sem contar que todo mundo com quem conversávamos nos alertava que em setembro faz frio e que tínhamos que levar casacos... Então levamos casacos e pouca roupa de calor e nos arrependemos muito pois fez muuuuito calor durante a viagem! Bem, vou começar logo o relato da viagem e mais pormenores vou explicando durante ele... Eu sei que sou meio prolixa (sempre fui), mas espero não fazer um relato chato de se ler!
  6. Bom estar de volta.. Vou escrever por partes sobre a Eurotrip que fiz ! A cidade espanhola foi minha primeira parada e me surpreendeu !! Posso dizer que comecei bem minha trip ! Porque da escolha?? Bem eu me interessei pelas obras do arquiteto Gaudí e a cidade tem praia, coisa que amo ! Meu hostel em Barcelona foi o St Christopher's Inn, e pra mim foi uma ótima escolha pela localização, que não poderia ser melhor !! Um ponto importante pra começar: translado !! Minha escolha foi pegar o aerobus, o ônibus que te leva pra Barcelona de maneira barata, rápida e simples ! Sai todos os dias a cada 5 minutos nos terminais 1 ou 2. Verifique as paradas pelo site, eu desci na Plaça de Catalunya. Custa 5,90 euros. Pontos turísticos visitados: Plaça de Catalunya Uma simpática praça muito importante pra Barcelona, ela é super central e liga importantes partes da cidade como a Ciutat Vella (parte antiga), Eixample (parte nova), Las Ramblas e Passeig de Gracia. A praça esta rodeada de comércios, são muitas lojas bacanas (varias grifes famosas) e restaurantes. As fontes na praça são lindas, e a noite ficam iluminadas ! Alem de ser ponto de partida da maioria dos tours ! Com certeza, quem vai a Barcelona, vai passar por ela.. e vai valer a pena dedicar um tempinho curtindo o clima do local ! Obras do Gaudí Palau Güell A atração foi uma das primeiras obras construídas pelo arquiteto, a pedido de uma tradicional família quando ele ainda nem era famoso ! Após anos fechado para visitação, foi declarado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. O interior do Palácio é bem diferente de como costumam ser as obras do Gaudí, é mais sombrio e serio.. com muito mármore, madeira e vitrais. Chegando no terraço as cores voltam a aparecer em diversas chaminés ! Eu fiz o tour pra conhecer, e gostei ! Custa 12 euros e o áudio guia esta incluso. Fica aberto de terça-feira a domingo. Endereço: Carrer. Nou de la Rambla, 3-5 Casa Batlló Super famosa e também conhecida como Casa dos Ossos, essa linda obra também é declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. A obra é bem característica do Gaudí, com uma linda fachada colorida com fragmentos de cerâmica e vidros quebrados ! Eu amei ver a casa de mais longe, atravessando a rua para conseguir contemplar o alto do prédio, que parece um dragão todo colorido !! Horário de funcionamento: de segunda adomingo, de 9:00 as 21:00 e custa 21,50 euros. Endereço: Passeig de Gràcia, 43 Casa Milà Uma obra gigante, com uma fachada incrível uma toda ondulada ! A Casa Milà possui um terraço de respeito, com varias esculturas e algumas delas lembrando soldados ! Horário de funcionamento: de segunda a domingo, de 9:00 as 22:00 e custa 20,50 euros. Endereço: Provença, 261 - 265 Park Güell Mais uma obra incrível do arquiteto mais criativo que já ouvi falar, e sim também é Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO !! A principio seria um conjunto de casas como retiro, mas não seria privilegio de muitos.. e sim de famílias ricas ! Mas o projeto não deu certo e acabou sendo um fracasso na época ! Anos depois foi comprado pela prefeitura de Barcelona que tornou o lugar num parque para a cidade. O parque é gigante e lindo ! Todo colorido no estilo Gaudí e com uma vista privilegiada da cidade. Horário de funcionamento:todos os dias do ano, porém de 24 de março até o 19 de outubro abre de 8:00h a 21:30h e de 25 de outubro até o 23 de março abre de 8:30h a 16:00h. O ingresso custa 8 euros. Como chegar: de metrô pegar a linha 3 (verde) no sentido Trinitat Nova e descer na estação Vallcarca. Saindo da estação, siga a sinalização que indica o caminho até o Park Güell. Você vai ter que subir alguns lances de escada.. mas vale a pena ! Sagrada Família Considerada a obra-prima de Gaudí, o arquiteto dedicou 40 anos na construção da igreja e acabou não vendo seu trabalho concluído.. nem nenhum de nós até agora. A construção foi iniciada em 1882 e assumida Gaudí em 1883, porém a suposta conclusão da obra só esta prevista para 2026.. A obra é sem duvida a que desperta mais curiosidade e encantamento dos turistas, e não é pra menos.. a igreja é completamente hipnotizante ! Gigantescaaa, possui duas fachadas que é difícil decidir qual mais bela: fachada do Naixement (Natividade) e fachada da Passió (Paixão). Impecável nos detalhes.. admirar essa maravilha da arquitetura é um programa imperdível !! Me arrependi de não ter encarado a fila gigante (ou comprado o ingresso antes) pra entrar na igreja.. mas assim tenho uma boa desculpa pra voltar né.. hehe Horário de funcionamento: todos os dias do ano, porém de novembro até fevereiro de 9h a 18h, em Março de 9h a 19h, de abril a setembro de 9h a 20h, Outubro de 9h a 19h, em dezembro nos dias 25 e 26 e em janeiro nos dias 1 e 6 de 9h a 14h. O ingresso custa 19,50 euros com guia e 15,00 euros sem guia. La Rambla Uma das avenidas mais famosas de Barcelona oferece um passeio super agradável.. lindas árvores seguindo pela avenida sempre movimentada ! A avenida começa na Plaça de Catalunya e termina no Mirador de Colom, lá você vai encontrar de tudo um pouco, lojas, restaurantes, cafés, mercados, floriculturas e etc. Lá esta localizada a Font de Canaletes, que é o ponto de encontro dos torcedores do Barça antes dos jogos. O belo prédio Gran Teatre del Liceu, e também é onde esta localizado o famoso Mercat de la Boqueria ou também conhecido como Mercat de Sant Josep ! Mercat de Sant Josep Ideal para fazer uma refeição ou comer umas guloseimas, o mercado mais famoso de Barcelona é repleto de cores ! Quem quiser experimentar frutas exóticas, frutas secas, sucos, muitos doces e embutidos, esta no lugar certo ! Eu particularmente adoro esse tipo de passeio, e claro adorei o mercado !! Fica localizado em La Rambla e abre de segunda a sábado, de 8:00h a 20:30h. Barri Gótico O bairro gótico é o bairro mais antigo de Barcelona e foi onde meu coração bateu mais forte (me apaixonei pelo bairro) ! Além de ser realmente antigo, o bairro tem esse ar por toda parte.. nas ruas estreitas e de chão de pedra, nas construções antigas, nos artistas de rua, nos prédios com pinturas detalhadas.. é o perfeito passeio pra mim ! Passei um dia inteiro caminhando pelos cantos do bairro, me perdendo, me achando e descobrindo coisas incríveis ! As atrações são infinitas, vou então dar a dica do que mais gostei: Portal de l’Angel, um importante ponto de referência no Barri Gòtic localizado numa grande rua comercial da cidade, e o prédio abriga diversas lojas de marca com um toque bem requintado. Els Quatre Gats, um restaurante super típico e com uma fachada maravilhosa !! Além de estar num ponto lindo do bairro, bem ao lado do restaurante tem um portão de ferro maravilhoso que vale a pena uma foto ! Endereço: Carrer de Montsió, 3 Fonte de la Portaferrisa, ou La “Porta Ferriça” (porta de ferro), antigamente era uma das portas da muralha que protegia a cidade. Após a derrubada da muralha, uma fonte continuou no mesmo lugar ! Eu adorei, principalmente pelas belas pinturas que formam um mural acima da fonte ! Plaça del Pi, não tem muita coisa, mas a igreja de Santa Maria del Pi é belíssima e vale a pena ser vista. Plaça Sant Jaume, centro político de Barcelona onde se encontram a prefeitura de Barcelona e o Palau de la Generalitat (palácio do governo da Catalunha). Plaça Nova, uma grande praça aberta que junta o velho ao novo ! E onde podem ser vistos desenhos de Picasso num prédio, além disso tem a escultura com letras formando o antigo nome da cidade: Barcino ! É interessante, porque cada letra é uma escultura diferente. Catedral de Barcelona é uma obra de arte por si só ! Uma das mais bonitas que vi em toda minha viagem !No estilo gótico, sua fachada impressiona ! Endereço: Pla de la Seu, s/n Plaça Sant Felip Neri é uma pracinha bem escondida e de uma paz inexplicável !Li que o famoso Gaudí gostava de assistir missa na igreja Sant Felip e que estava justamente indo pra missa quando foi atropelado por um bonde e faleceu.. Além disso, as paredes da praça estão até hoje marcadas por um bombardeio sofrido na cidade em tempos antigos ! Pra quem gosta de sentir a historia do país durante a viagem, a praça é ponto certo e que vale a pena ! Castell de Montjuic No alto do Parc de Montjuïc se encontra o Castell de Montjuïc, um importante símbolo da cidade onde muitas daquela batalhas que lemos nos livros de historia foram travadas. Hoje pode ser visitado e com isso podemos conhecer um pouquinho mais sobre Barcelona e seus confrontos além de aproveitar a vista privilegiada !! Horário de funcionamento: todos os dias do ano, de 1 de outubro até 31 de março o castelo abre de 10h às 18h. De 1 de abril até 30 de setembro fica aberto de 10h às 20h. O ingresso custa 5 euros e aos domingos após as 15h o ingresso é gratuito. Como chegar: de metrô até a estação Paral·lel na linha 2 (lilás) e linha 3 (verde), depois você faz baldeação grátis para o funicular de Montjuïc. Na estação que desce você pode pegar o Telefèric de Montjuïc que te leva ate o alto já próximo ao castelo ou pode subir a pé (mas haja disposição né). Font Mágica Uma das atrações mais famosas da cidade que atrai pessoas de todas as idades para o espetáculo que é oferecido. As águas dançam conforme a música e vão mudando de cor, tornando um espetáculo de magia ! Quanto aos horários de funcionamento é sempre bom consultar o site da prefeitura, pois sempre ocorrem mudanças na programação. Lembrando que não paga pra ver o espetáculo, mas isso faz com que esteja sempre lotado.. Como chegar: metrô Plaça Espanha nas linhas 1 (vermelha) e 3 (verde). Palau Nacional Sede do Museo Nacional de Arte da Cataluya, fica localizado no mesmo parque que acontece o show das águas na fonte mágica. Eu infelizmente cheguei tarde e já estava fechado, mas o prédio é maravilhoso e com certeza deve ser uma visita que vale a pena. Pra quem quiser conferir e depois me contar, o horário de funcionamento é de terça a sábado de 10h às 20h, domingo e feriado de 10h às 15h. Arc de Triomf Sim, Barcelona também tem seu arco do triunfo ! Numa bela avenida (Passeig Lluís Companys), é um passeio bem agradável. O arco é lindo e gigante, todo decorado com tijolos. Como chegar: A estação de metrô mais próxima é a Arc de Triomf na linha 1 (vermelha). Palau de la Música Catalana Com certeza um dos prédios mais bonitos que já vi, a fachada é incrível e com uma decoração tão detalhada que a vontade é lá ficar olhando por horas.. não fiz a visitação (dei mole), mas quem quiser conhecer o lugar existem as visitas com guia, é só consultar o site do Palau e se atualizar dos horários e preços. Como chegar: Rua Palau de la Música, 4-6, pertinho do Barri Gòtic. A estação de metrô mais próxima é a Urquinaona nas linhas 1 (vermelha) e 4 (amarela). Parque de La Ciudadela Um dos parques mais importantes de Barcelona, mais famoso e mais antigo. O lugar é ideal pra relaxar e curtir a natureza.. você também vai encontrar fontes e esculturas, algumas delas foram contribuições de Gaudí quando ainda era um jovem estudante. Pra mim a parte mais bonita do parque é a fonte monumental.. passei um tempão tirando foto nela.. pena que o lago artificial não estava funcionando. Dentro do parque também esta localizado o Parlamento da Catalunya, a sede do poder legislativo da Catalunha. Tem um jardim lindo que rende boas fotos.. hehe O parque abre todos os dias, a partir das 10:00h. E claro, é gratuito. Como chegar: As estações de metrô mais próximas são a Arc de Triomf na linha 1 (vermelha) e a Ciutadella / Vila Olímpica na linha 4 (amarela). La Barceloneta Bairro lindo e com o marzão de presente !! Passear pela orla marítima é relaxante.. caminhar sem pressa, contemplando o mar e percebendo o quanto é diferente o jeito de pegar praia dos gringos.. hehe O bairro esta lotado de bons restaurantes, e quem gosta também pode aproveitar e praticar esportes aquáticos !! Como chegar: Na estação de metrô Barceloneta da linha 4 (amarela).
  7. Fora da Zona de Conforto

    Roteiro de 1 dia em Ceuta na Espanha: Visite a Europa dentro da África!

    Ceuta é cidade Espanhola localizada na África e cercada por Marrocos….bem diferente. E é exatamente por isso que você deve visita-la! Leia aqui um roteiro com tudo o que você precisa saber para visitar Ceuta. Incluindo mapas, atravessando o famoso Estreito de Gibraltar, acomodação, atrações, o que fazer, etc… Fato: há uma parte da Espanha que compartilha uma fronteira terrestre com a África Fato ainda mais interessante: o nome dessa cidade é Ceuta, é Espanhola, mas está África cercada pelo Marrocos….e é um lugar muito legal e fácil de visitar! Além de merecer uma visita apenas pela estranha situação geopolítica, uma viagem a Ceuta também lhe dará a chance de: Continue lendo: http://foradazonadeconforto.com/roteiro-de-1-dia-em-ceuta-na-espanha-visite-a-europa-dentro-da-africa/ Roteiro de 1 dia em Ceuta na Espanha: Visite a Europa dentro da África!
  8. Esse é o relato da viagem que eu e meu marido fizemos pela Península Ibérica, entre janeiro e fevereiro deste ano, durante 22 dias - 8 em Portugal e 14 na Espanha. Tínhamos bastante vontade de conhecer a Espanha, e Portugal era meio que um "já que é ali do ladinho mesmo"... Mas conforme fomos lendo a respeito para planejar a viagem, fomos nos encantando pelo país! Muitos lugares lindos, diferentes opções para todos os gostos: lugares históricos, castelos, praias, turismo religioso, serra com neve, e por aí vai. Foi realmente difícil escolher o que entraria no nosso roteiro, e com certeza muita coisa boa ficou de fora. Eu diria que os 22 dias que passamos lá poderiam tranquilamente ser passados somente em Portugal (assim como somente na Espanha). Voltamos encantados! E a Espanha correspondeu a todas expectativas, simplesmente demais! VISÃO GERAL DA VIAGEM ROTEIRO Dia 1 – Chegada em Lisboa Dia 2 – Lisboa Dia 3 – Bate-volta Sintra Dia 4 – Lisboa Dia 5 – Bate-volta Évora Dia 6 – Ida para Porto (trem) Dia 7 – Bate-volta Braga e Guimarães Dia 8 – Porto Dia 9 – Porto / Ida para Barcelona (avião) Dia 10 – Barcelona Dia 11 - Barcelona Dia 12 – Bate-volta Montserrat Dia 13 – Barcelona / Ida para Madri (trem) Dia 14 – Madri Dia 15 – Bate-volta Segóvia Dia 16 – Madri Dia 17 – Bate-volta Toledo Dia 18 – Ida para Granada (trem) Dia 19 – Granada Dia 20 – Ida para Sevilha (trem) Dia 21 – Bate-volta Pueblos Blancos Dia 22 – Sevilha Dia 23 – Retorno PASSAGEM AÉREA Vínhamos acompanhando o preço das passagens, e os trechos Porto Alegre / Lisboa + Porto / Barcelona + Sevilha / Porto Alegre estavam sempre na faixa dos R$3300 por pessoa. No final de julho teve uma promoção da TAP e compramos exatamente os voos que queríamos por R$2633. HOSPEDAGEM Lisboa: Hotel Turim Suisso €195 (5 diárias) – localização excelente, a um minuto da Praça Restauradores. Bom hotel, aparenta ter sido reformado, o quarto é todo novinho. Café-da-manhã, wi-fi, cofre inclusos. Porto: Hospedaria Almada €75 (3 diárias) – localização muito boa, fica pertinho de uma estação de metrô e da estação de trens São Bento. Bem simples. Quarto de bom tamanho, com móveis antigos porém bem conservados. Banheiro todo novo. Proprietária simpática e prestativa. Wi-fi incluso. Barcelona: Hostal Girona €140,60 (4 diárias) – bem localizado, a 5 minutos da Plaça Catalunya. Bom quarto. Recepcionistas prestativos. Wi-fi incluso. Madri: Hostal Buelta €136 (5 diárias) - Localização nota 10, a uma quadra da Estação Atocha. Bom quarto. Tipo uma companhia aérea low-cost, todo serviço extra era cobrado: café-da-manhã, cofre, guardar bagagens após check-out... O wi-fi era incluso. Granada: Hostal Mesones €60 (2 diárias) – bem localizado junto ao centro histórico, mas a uns 20 minutos de caminhada da estação de trens. Ótimo atendimento da proprietária. Café-da-manhã e wi-fi inclusos. O wi-fi em teoria seria somente na área comum (há uma sala de convivência junto à recepção), mas no nosso quarto havia sinal a maior parte do tempo (o quarto ficava logo acima da sala de convivência). O único dessa viagem com banheiro compartilhado. Sevilla: Hotel Zaida €96 (3 diárias) – necessário pegar um ônibus da estação de trens Santa Justa, mas próximo às atrações turísticas. Próximo do ponto final do Aerobus. Bom quarto, banheiro com banheira. Wi-fi incluso. Todos foram reservados pelo Booking, com exceção do Girona que tinha um preço melhor no próprio site (pagamento antecipado com cartão de crédito). GASTOS TOTAIS Após bastante leitura e planejamento, estabelecemos que queríamos fazer essa viagem gastando até 80 euros por dia por pessoa, incluindo tudo que não fosse a passagem aérea. Tudo mesmo: hospedagem, alimentação, trechos de trem e outros transportes, atrações turísticas, souvenirs... E conseguimos! Nossos gastos tiveram média de €79/pessoa/dia! Isso inclui alguns gastinhos maiores que tivemos, como uma diária de aluguel de carro, jogo do Real Madri e algumas garrafas de vinho que trouxemos na bagagem (cinco para ser mais exata). Só excluí desse cálculo algumas comprinhas de roupas que fizemos no Freeport de Lisboa e no El Corte Inglês de Barcelona. Janeiro e fevereiro é a época das liquidações de fim de inverno, vale a pena dar uma conferida!
  9. Olá a todos, faz uns dias que cheguei de Salamanca, minha cidade do , que eu amarei pra sempre... rsrsrs Vou registrar aqui as minhas impressões e as fotos dessa cidade, espero q possa ajudar alguém de alguma forma... MAS ANTES: 2.7.18---- Fico feliz que muitas pessoas que leram esse relato gostaram, bati papo com muita gente, dando dicas e tal, muitas pessoas me escreveram. Mas notem que esse é um relato de 5 anos atrás, e acho que várias coisas devem ter mudado. Creio que minhas informações quanto a critérios de seleção, das entrevistas, a organização e divisão dos quartos, preços, seguros, aluguel e tudo isso, não sejam mais tão atualizadas, não tenho mais a mínima ideia de como são. Então assim, os pontos turísticos com certeza não mudaram, ainda estão lá (eu espero hahaha), que é o que eu escrevi basicamente neste relato, mas informações técnicas como as que eu citei acima, sinto não poder mais ajudar. Mas há sempre novos relatos com essas informações surgindo aqui no site 😍. Mas não deixem de ler não, o relato passa ainda uma ideia muito boa de como funciona. Mesmo assim, desejo uma boa leitura meus amigos viajantes! Muito sucesso e luz! bjus Bom, eu fui por uma bolsa que eu ganhei aqui no Brasil, pelo projeto Santander Universidades... Pra estudar por 3 semanas em Salamanca língua e cultura hispânica na Universidade de Salamanca... Não posso opinar sobre locais pra ficar por lá, pq eles tbm davam alojamento então nem tive essa preocupação... Mas o costume lá é alugar um ap. com outras pessoas e dividir as despesas, aluguel vi lá de vários preços, 200, 300 euros... Cheguei lá no dia 6 de janeiro e tava super frio. Gente eu sou do Norte, onde frio só existe em contos de fada, então os primeiros dias de adaptação foi um sofrimento básico... mas antes de ir, eu sinceramente pensava q seria pior... Qnd chegamos no aeroporto em Madrid, falo no plural pq foi um grupo bem grande contemplado com essa viagem, fomos de ônibus pra Salamanca, paramos rápido em Ávila pra um almoço... E seguimos... Todos devidamente alojados, jantamos no refeitório do alojamento e fomos fazer o primeiro reconhecimento... Ainda bem q fomos pq era dia dos reis, e no outro dia seriam tirados os enfeites da praça maior, e olha aí como tava bonita a praça... Essa praça é muito linda, achei mil vezes mais bonita do q a de Madrid... Dica, na praça nos dias normais, é só procurar a lojinha de informação turística, q eles te dão o mapa da cidade gratuito... De todos os mapas que eu peguei, gostei mais desse, pq ele dividia os pontos turísticos por interesse, tipo, uma cor, só as praças, outra cor pros museus, outra pras igrejas... Daí era só decidir o q quer conhecer no dia... E bem do lado tem onde tirar a carteira de estudante, é só levar um comprovante de q tá estudando por lá q ela tira tua foto na hora e te dar gratuitamente tbm uma carteirinha q serve como identificação, achei bom pq como eu saía bastante à noite, não precisava levar o passaporte e correr o risco de perder, como aconteceu com um colega... Até no meu passeio em Portugal aceitaram na Universidade de Coimbra pra ter desconto na visita, e ainda fica a lembrança né, pra qnd vc voltar e tiver na DPV [depressão pós viagem], ficar olhando... rsrsr então, fica a dica. Então, a Plaza Mayor fica perto da maioria dos pontos históricos, por uma de suas saídas tem o Burguer King, e em outra tem o Mc Donalds, eu sempre passava lá pra comer um hambúrguer de 1,00 euro... Tão gostoso... mmmmmm rsrsrsr Nessa primeira noite tbm conhecemos o Perla Negra, uma boate bem legal... Sempre qnd a gente saía, tinha a parada no Perla... Lá tem uma coisa assim, se o feriado é no domingo, na segunda é tipo um ponto facultativo... rsrsrs então na segunda cm eu ainda não tinha aula, eu e um grupo fomos nos equipar pro frio.. e aproveitar as REBAJAS, aaah as Rebajas... Se vc for viajar por lá em Janeiro ou em Julho, meu caro, lhe aconselho a levar uma mala extra... pq eu q nem tenho esses impulsos consumista, tive q pular muito em cima da minha mala pra conseguir fecha-la... As rebajas são as super liquidações q a maioria das lojas fazem... E não é desconto igual aqui no Brasil, é desconto mesmo, comprei, bota e casaco bem grosso de 10,00 euros, sapatilha, sapatinhos, bolsa pra mim, pra minha mãe... É barato mesmo e vale super a pena... Só cuidado pra não passar os 60 quilos... hahahaha teve umas meninas que passaram... rsrsrs Uma coisa interessante lá tbm, é q quase todas as lojas fecham as 14h pra siesta, tipo o soninho da tarde e só abre lá pelas 16 ou 17 h... E isso nos pontos históricos tbm... rsrsrs À tarde fomos conhecer as torres da Universidade Pontifícia, é um prédio muito lindo e a gente foi de tardinha no por do sol, e como a catedral velha estava em reforma, no momento aquele era o ponto mais alto da cidade... Foi muito interessante... Andar naquele prédio tão antigo... Aaaah, as entradas por lá não são caras, nessa da Universidade foi 2 e pouco por pessoa, e geralmente era por aí... Fora os que são de graça, como o Museu de Arquivos Histórico e no Prédio da Universidade de Salamanca... Depois da visita, na rua bem trás, tomar um café e dar uma olhada nas lojas de artesanatos... No outro dia, teve aula de manhã e a tarde fomos atrás do Carrefour, tem dois na cidade, um grande q fica perto da praça dos touros, e outro que fica perto da praça maior, e cm a gente não conhecia nada, andamos mais de uma hora e fomos parar no mais longe , claro, o bom de quando a gente se perdia, era que a gente conhecia um monte de coisa, sem querer... rsrsrsr só dava o desespero quando a gente se perdia de noite, as ruazinhas bem parecidas sabe, confunde mesmo... Queria se perder, era só andar comigo... Procurando o mardito do Carrefour, a gente ia fotografando tudo... rsrsrs Cada dia eu ia conhecer uma coisa na cidade... então, segue a foto e o local... pq se eu for falar de tudo de cada dia, da texto pra mais de metro... A noite baladinha e no outro dia... Este é o Pátio das Escolas Menores, fica bem em frente do Prédio Histórico da Universidade... Tem varios salinhas por lá, e várias delas são exposição de alguma coisa histórica... pensa em um lugar pra ter história, é Salamanca e eu fiquei fascinada com tudo... Vinha no Pacote que eu ganhei umas visitas guiadas, uma dela foi ao Prédio Histórico da Universidade... Este é o Prédio, onde tem a história da rã, q se vc consegue ver vai se dar bem nos estudos... Bom, meu conselho é veja a rã e estude muito... rsrs Aí as fotinhas da visita, gente o guia era um professor da universidade q explicava tudo tão bem q dava gosto de ouvir e impressionante q cada detalhe na parede tem um significado, tem aí na foto ele explicando nessa escada q tem toda a trajetória de um acadêmico com as distrações e as dificuldades e tudo... Foi o máximo, pra quem gosta é ótimo... A Catedral Nova... Fica bem atrás do prédio da Universidade que tava visitando... Na outra semana a visita guiada foi lá... Eu aconselho vcs provarem o churros com chocolate, tem em quase todos os cafés, eu ia a um da Plaza Mayor... Eu gostei, algumas amigas acharam enjoativo... Mas tem q provar... rsrsrs o chocolate não vem dentro, vem em uma caneca, é um chocolate super cremoso... E depois se pedir eles te dão um copo de leite pra vc misturar e tomar o q sobrou, pq é bem grosso... Depois, baladinha, fomos conhecer a chupiteria... q vende umas doses d bebida super forte... O pessoal vai lá pra esquentar e depois vai pras boates... Então, aí eu concluí que eu sou uma fraaaaaaaaaaaaaaca... hahahahahahahaha sem mais detalhes.... rsrsrs No outro dia e fomos fechar o pacote de passeio pra Madrid que seria no domingo... E depois fomos pra um tour noturno, é toda sexta ou quinta, não lembro bem... Tem lá no ponto de informação turística da Plaza Mayor as 19:30, por 7 euros.. E eu achei que super valeu a pena... Pena que no dia que eu fui, tava com um chuvisco e eu tava quase congelando... Mas deu pra curtir... rsrsrs Olha aí meu tour noturno por Salamanca... Tá aí a famosa rã, conseguem ver? Rsrsrs num falo onde tá... E aqui uma escultura na Catedral nova, segundo a guia, toda vez q um prédio assim passa por uma reforma, quem faz tem direito a esculpir uma marca do século que foi feito... E como a reforma foi no século passado, fizeram um astronauta. E ASSIM CHEGOU O FINAL DA PRIMEIRA SEMANA Tínhamos direito a um passeio no final de semana, e fomos pra Toledo... Foi muito interessante, eu gostei demais... Voltamos à noite... e no outro dia fomos pra Madrid... e no caminho, divinha? Neve! Fizemos o pessoal da agencia parar o ônibus pra tirar foto, pq qnd a gnt chegasse em Madrid, lá com certeza não teria nevado... E a gente nem imaginava o q nos aconteceria uns dias depois lá mesmo em Salamanca... rsrsrs O domingo em Madrid, foi um dia bem agitado, mas foi excelente... E MAIS UMA SEMANA SE INICIA... Na segunda fomos conhecer o Colegio del Arzobispo... No outro dia, já pro outro lado da cidade... A ponte romana, construída desde o primeiro século cristão... Ficamos lá, olhando o por do sol... Esse dia foi bem produtivo, fomos no café merendar, depois passamos numa livraria, eu comprei minha coleção do Don Quixote em 6 volumes, que pretendo terminar de ler ainda esse ano... rsrsrs Depois voltando pra casa, passamos em frente a escola de música e tava começando uma apresentação de violoncelo e ainda era gratuito... tivemos sorte... rsrsr foi mágico... depois fomos correndo pra ainda pegar o jantar no alojamento... rsrsrs Já era tarde... Se vc gosta dessas coisas, é só procurar que tem, ou então vc acha assim na sorte q nem a gente... rsrsrs No dia seguinte, fui conhecer o museu automotivo da cidade... Bem interessante, até pra mim que não sou ligada nessas coisas... Tem muito carro velho e alguns novos... 3 euros a entrada... Perto da ponte romana... Depois festinha e no outro dia estudar, enfim, tava amando essa minha rotina... Na outra tarde, fui conhecer o Museu de Arte moderna e decorativa... era tudo tão fofo lá dentro, pena que não podia tirar foto de nada, umas bonecas de porcelana enormes, só no café do museu, que fosse, tirei no café... rsrsr Mais uma voltinha pela Plaza Mayor e casa... Jantar e me arrumar praaaaaa... Adivinha? Rsrsrsrsrsrsrs Eu amava tirar foto nessa praça... E ASSIM ACABOU A SEGUNDA SEMANA... Nesse final de semana eu e mais uns cinquenta, compramos um pacote pra Portugal de dois dias, conhecemos 3 cidades, Coimbra a universidade de lá... Em Lisboa ficamos um dia e mais um tempinho em Fátima... Bom, das 3 a minha preferida foi Lisboa, até por que em Coimbra tava uma ventania muito forte e acompanhada de frio e chuva... rsrsrsr Qnd chegamos em Lisboa de tarde já tinha passado mais esse temporal... Daí conhecemos umas coisas por lá, fomos pro hotel, jantamos e depois nos arrumar praaaaaaaaa... Aaaaah a balada de Lisboa foi muuuuuuuuuito legal, primeiro fomos pra Bairro Alto e depois fomos pro Dorcas... Foi tudo de bom.... ÚLTIMA SEMANA... CLIMA DE DESPEDIDA... Começando a ultima semana fomos presenteados...rsrsrs quando eu tava saindo pra ir pro curso... ooooooooolha... Isso sim foi mágico... As meninas me chamaram pra ir de táxi, mas eu jamais iria... Fui andando... Aproveitando cada minuto... Eu curto demais isso, parar pra ver a natureza, esses fenômenos... E eu fui bem devagar, curtindo... Claro cheguei na aula atrasada e a professora assim q me viu, perguntou logo se eu tava brincando na neve... cm a sra adivinhou? Rsrsrsrrssrrs E o restante do dia todo foi com neve... A casa das conchas... Na ultima semana nem deu pra sair muito a tarde pq 1º tava frio ‘pacas’ e tinha o exame...daí tinha que estudar de tarde pra de noite podeeeeeeer... adivinha? Rsrsrsrsrsr Mesmo assim ainda fui conhecer o mercado municipal q fica atrás da Plaza e comprar as lembrancinhas, as camisetas, as roupas que ainda não tinha comprado, reunião com o povo q deu a Bolsa... A ultima semana foi bem corrida... Na ultima quinta feira... ainda faltava dois lugares que eu não poderia ir sem visitar... pq eu gosto... No orto Calixto, fica atraz da catedral... é um jardim muito lindinho... q eu só tinha passado lá no Tour noturno... E atravessar a ponte romana, lá do outro lado tem tipo um bosque e q uma visão linda do lago... geeeeente eu sou louca por isso.... fui com minha amiga e a gente sentou lá num baquinho pra comer chocolate e fazer a nossa retrospectiva...a final partiríamos no outro dia de tarde... Aaaaah e interessante pq olha cm eu to vestida... mocinha já num sentia mais frio não... quando consegui me adaptar era dia de voltar pra casa... Na quinta depois desse passeio, demos uma volta pra merendar lá no Mc Donalds e fomos pro alojamento pra se arrumar praaaaaaaa ultima balada... own gente... Foi muito legal... Mas por dentro eu tava com uma vontade tão grande de chorar... Pq a gente se tornou um grupo bem unido e nos apegamos demais... E por mais que eu volte algum dia pra lá, não vai ser a mesma coisa, não pelo lugar e sim pelas pessoas, pelas amizades, nossas aventuras... hahaha Por isso que eu coloquei esse título no meu relato... Pq por mais que eu possa ter passado alguma informação útil pra alguém, isso que eu vivi foi único pra mim, não vai voltar, pq foi A MINHA SALAMANCA...
  10. Salve galera! Passando pra deixar meu relato de viagem bem detalhado – em termos do planejamento e da alimentação- para ajudar aos demais colegas mochileiros e celíacos. Peguei várias dicas aqui e estou retribuindo. Eu e meu noivo já fizemos viagens distantes de carro (América do Sul), mas mochilão pro velho continente (eu sempre quis falar isso) foi o primeiro.. então estávamos receosos e com várias dúvidas. Algumas foram respondidas com os relatos dos colegas, outras somente percorrendo o caminho. Vou escrever sobre as dúvidas que tive e depois relato a viagem. Planejamento: Começamos a planejar a viagem em outubro/2016. A TAP lançou algumas promoções ida e volta de Portugal.. mas pensamos em voltar por outro país. A dúvida era.. qual país? Espanha tá no lado, então é tranquilo de ir.. Lemos vários relatos de pessoas afoitas querendo conhecer a Europa em poucos dias e vários conselhos dizendo que a Europa vai continuar lá.. pra fazer tudo com calma que se aproveita mais a viagem. Tínhamos 30 dias de férias, mas optamos por usar 22 (02/02 – 23/02/2017) e fazer uma viagem mais de boas.. nada de correria mudando dum país a outro. A opção mais lógica seria voltar pela França, que tá no lado da Espanha.. mas não estávamos com vontade alguma de ir pra lá.. então decidimos voltar por Roma. 3 países estava ótimo! No decorrer da viagem, chegamos à conclusão que se tivesse terminado na Espanha já estava bom, pois fomos cansando e não aproveitando tanto a viagem pra Itália.. Aproveitar aproveitamos sim.. mas não com aquele pique todo. Então a velha dica deste fórum vale.. “A Europa vai continuar lá”... mas em termos financeiros valeu a pena fazer os 3 países. Aplicativos: Usamos alguns aplicativos essenciais pra viagem. Peguei aqui no fórum a dica do My Maps. Eu ia lendo os relatos do pessoal e, o que me interessava, eu botava o ponto no mapa. Depois eu fui separando nossa rotina diária no excel com base na localização desses pontos.. Olhava no site das atrações os dias e horários de funcionamento.. poucas coisas abrem as 2ªs feiras, por exemplo. Baixamos um app de mapas, que permite navegar off-line, o Maps Me. Aqueles pontos que eu salvei foram abertos nesse outro app.. então podíamos ir pra onde quiséssemos tranquilamente.. aparecia, inclusive, os pontos de metrô, ônibus, os nomes dos pontos.. Podíamos sair caminhando sem rumo e ao final pedir pro app traçar o caminho a pé de volta pro hostel. Compartilho nosso roteiro em KML em anexo. Alimentação Gluten Free: Não vou explicar sobre a doença celíaca, haja vista não ser local para isso. Mas são muitos os cuidados na cozinha para um celíaco poder comer fora de casa.. não se pode comer em qualquer lugar.. O prejuízo pro corpo é gigante e pode até estragar a viagem. Dá para imprimir os cartões perguntando sobre os cuidados na cozinha no idioma do país ao qual se está indo: http://www.celiactravel.com/cards/ . Portugal: Em geral, o trigo não é a base da alimentação de Portugal (ou pelo menos Porto/Lisboa). A base é frutos do mar.. então é muito fácil achar opções sem glúten, mesmo que em lugares não específicos, e evitar a contaminação cruzada. Todos garçons que perguntei sabiam o que era glúten e sabiam os cuidados na cozinha. Na página https://www.facebook.com/vivasemglutenportugal/ e http://www.celiacos.org.pt/ tem várias dicas! No mercado tem muitas opções com o selo da APC (Associação Portuguesa de Celíacos). Espanha: Página da associação de celíacos da Espanha: https://www.facebook.com/faceceliacos/. Usei o app CELICIDAD (https://www.facebook.com/celicidadsinglu/ ), que tem mais de 2.000 restaurantes para celíacos. Foi muito útil! Itália: Ahhh... a Itália.. paraíso gluten free..onde existe até ‘bolsa celíacos’ e se compra alimentos na farmácia (afinal, o alimento é a nossa cura). O site da associação é http://www.celiachia.it, e eles tem o app. Aic Mobile, perfeito!! Tem também o site: http://www.pizzerieperceliaci.net/, basta colocar região, província e cidade que você pretende encontrar uma pizzaria que tenha pizza sem glúten. Na descrição das viagens falo um pouco sobre os apps. Gastos: Estimei gasto total da viagem, por pessoa, em R$ 8.269,12. Acabou ficando em R$ 7.682,42 (não considerando os extras, roupas, presentes, ímas de geladeiras, etc). Essa diferença deu porque desistimos de alguns passeios no decorrer da viagem.. além disso a cotação do euro baixou R$0,30 durante a viagem.. algumas coisas pagamos no cartão de crédito pra compensar. Fora isso, a estimativa foi ÓTIMA! Desta viagem não vou postar o detalhamento dos gastos.. Mas separei no excel gastos com: Atrações, Transporte, Alimentação, Hostel. Com o app eu via se havia necessidade ou não de utilizarmos transporte público, com base na distância, então fui estimando. Em geral, os gastos com transporte dentro da cidade são baixos, deve-se ter atenção com as passagens para atrações mais afastadas. Com alimentação fiz a estimativa de 20€ por dia, com base em relatos anteriores. Estimei gasto total de 840€ com alimentação, mas gastamos 950€ (Erro 1: Para pessoas sem restrições alimentares tá cheio de comida na rua, para celíacos não tem a opção de lanche/almoço fácil.. Então essa de comer qualquer coisa pra mim não dava e geralmente comíamos em restaurantes, boas refeições.. Se você é ‘normal’, creio que 20 euros está ok! Erro 2: Não somos de economizar em comida.. Ainda mais na Itália (paraíso gluten free). Então devíamos ter estimado um pouco mais.. 25€ ou 30€ por pessoa/dia). Quantidade de roupas: Escolhemos ir no final do inverno para não pegar o frio tão intenso, nem carregar tanta roupa. Mas paira a dúvida cruel.. para 22 dias, qual a quantidade ideal de roupa para levarmos? Encontramos algumas sugestões na internet. Em suma, levamos 2 calças cada um (uma vestindo e outra na mala), 1 casaco bem quente/pesado (pois queríamos comprar um mais leve no destino.. então se você não quer comprar casaco, sugiro levar 2.. um bem quente e um ameno). Quanto as camisas, meu noivo levou umas 15.. eu levei menos, li sobre usar a mesma camisa por 4 ou 5 dias.. Levei umas 6,7.. mas eu também queria comprar algumas.. acabei comprando 2. Roupa íntima: Levamos para todos os dias.. mas acho que dava de lavar no próprio quarto e deixar secando perto da calefação/aquecedores (nosso quarto era privativo, não compartilhado, mas minha tia ficou em compartilhado e conseguia lavar tranquilo, enquanto as colegas saíam do hostel, ela lavava e depois secava no aquecedor.. Diz ela que secava muito rápido). Sapatos: Levei uma bota impermeável para frio, uma alpargata e um chinelo.Usei a alpargata 1 dia (dispensável)..senti falta de ter levado 1 tênis. Meu noivo levou 1 bota mais fuleirinha (ele queria comprar uma bota melhor lá), 1 tênis e 1 chinelo.. Foi suficiente. Sugiro botas impermeáveis, pois o inverno é chuvoso. Em todos os países encontramos lavanderias próximas ao hostel (ou no próprio hostel), é uma opção também para levar menos roupas. Hostels: A escolha dos hostels foi bem detalhada e extensa. Pesquisávamos no Booking, hostelworld e TripAdvisor.. Com os pontos de interesse criados no My maps eu ia procurando hostels próximos.. e que também ficassem próximos às estações de metrô. Isso foi perfeito, pois podíamos ir a pé às atrações ou usar estações de metrô, que estavam sempre ao lado.. isso agregou ‘qualidade de vida’ e ganho de tempo pra nossa viagem. Dou preferência pra ficar em Hostels pois, além dos preços acessíveis, podemos cozinhar.. o que é essencial para celíacos. Passaporte: Outra dúvida que tivemos que não está tão bem esclarecida nos tópicos que pesquisei foi quanto ao passaporte vencido na hora da compra da passagem aérea. Vi várias dúvidas iguais à minha. Meu passaporte estava vencido e eu ainda não tinha número do novo. Pra não perder a promoção da TAP, comprei com o número velho.. quando saiu o novo simplesmente liguei e fiz a alteração por telefone.. foi bem tranquilo. Minha tia (que foi conosco) não tinha passaporte.. e botei tudo zero e depois fiz a alteração. viagem 2017.kmz
  11. Em Algum Lugar do Mundo

    Barcelona em 3 dias: roteiro de viagem

    Aproveite nossas dicas de Barcelona e confira um roteiro de 3 dias imperdível pela cidade, incluindo seus principais pontos turísticos. Se você tem pouco tempo disponível pra conhecer Barcelona, esse roteiro é o ideal! O que fazer em Barcelona em 3 dias: roteiro de viagem Dia 1: Park Guell, Passeig Gràcia, La Pedrera e Casa Batlò Park Guell Vamos acordar cedo para começar logo esse primeiro dia e ir direto ao Park Guell, o parque mais famoso de Barcelona. Uma das muitas obras de Gaudí, sendo que essa já foi considerada um fracasso urbanístico, veja só! A partir de 1984, tornou-se Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Passeig Gràcia Próximo destino é passear pela Passeig Gràcia uma avenida bem longa que liga o bairro Gràcia até a Plaça de Catalunya. Construções lindas e exuberantes, com lojas de grife e hoteis de luxo. La Pedrera e Casa Batlò Essa dupla famosa fica na Passeig Gràcia, São duas obras de Gaudí, também declaradas Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. La Pedrera e Casa Batlò são imperdíveis! Para conferir o roteiro de 3 dias completo, acesse: https://emalgumlugardomundo.com.br/o-que-fazer-em-barcelona-em-3-dias/
  12. Em Algum Lugar do Mundo

    Madrid, Espanha: 10 atrações imperdíveis

    Veja aqui o que fazer em Madri: destacamos as 10 principais atrações pra quem quer conhecer o melhor de Madrid em pouco tempo. O que ver e fazer em Madrid: principais pontos de interesse para incluir no seu roteiro 1. Puerta del Sol Puerta del Sol é o coração da cidade, sendo uma das praças mais famosas de Madrid. Há uma placa na praça marcando o km zero da Espanha. Ela tem um formato de semi círculo, e há 6 rodovias que começam justo nesse ponto. Por lá encontramos muitos bares e restaurantes, além de lojas nos arredores e a estátua de bronze do Urso no meio da praça, chamada de "El Oso y El Madroño", Esse é o símbolo de Madrid. 2. Plaza Mayor Outra praça das mais famosas e visitadas da cidade. Sua arquitetura é linda, com ar grandioso. A praça fica no coração de Madrid, ela já foi o centro da vila por mais de quarto séculos e sobreviveu a 3 incêndios. A estátua que fica no meio da praça é do Rei Felipe III. Plaza Mayor 3. Parque El Retiro El Retiro é a área verde mais importante da cidade. Lugar frequentado por turistas que vão passear e por locais que vão se exercitar. Por lá dá pra alugar um barquinho pra andar no lago, visitar o Palácio de Cristal ou simplesmente curtir a paisagem. Confira a lista completa com as principais atrações de Madrid no post: https://emalgumlugardomundo.com.br/o-que-visitar-em-madrid/
  13. A Espanha é o principal destino turístico do mundo. Mas a imensa maioria dos pacotes turísticos, e mesmo de viajantes independentes, restringem seus roteiros apenas a Barcelona, Madrid e seus arredores, e a Andaluzia. Todavia, o país tem muito mais a oferecer: em todas as suas regiões existem exuberantes cidades medievais e castelos históricos, belezas naturais e mesmo um lindo litoral. Como já conhecíamos Madri e arredores, bem como a região de Barcelona, elaborei um roteiro diferente, que ia pelo norte da Espanha em direção à cadeia de montanhas dos Picos da Europa, por Valladolid e Burgos até Santander, e depois atravessando novamente os Picos da Europa em direção a León e Salamanca, de onde saímos para a Andaluzia, no sul da Espanha, e depois nos dirigimos à histórica Cuenca, para finalmente retornar a Madri. No total, foram 3.200 km rodados. Chegamos a Madri através do barato vôo da AirChina, que foi tranquilo e bem atendido. Procurei no aeroporto a Interrent, que entregaria o carro locado através da Rentalscar. Recebi um Fiat Panda, bom carro, que se comportou bem e sem problemas em nosso longo roteiro. A média de consumo ficou em torno de 20km/litro, o que não é muito para a excelente gasolina da Espanha. O problema foi não ter ar condicionado, o que me obrigava muitas vezes a abrir a janela do carro. Levei meu próprio GPS, que carregara com o mapa da Europa ocidental. 1º Dia (sexta-feira): Saímos de Madri já às 15 horas, direto para COCA, a 157km., onde conhecemos seu belo e enorme castelo do séc. XV, e aproveitamos para nos abastecer num supermercado, de frutas, refrigerante, vinho, iogurte, pão e outros alimentos que utilizaríamos na viagem. Seguimos depois até VALLADOLID, a 70 km, onde pernoitaríamos, indo direto para o Hostal Mônaco, bom, bem localizado, mas tive que deixar o carro a uns 600m., onde por sorte encontrei num estacionamento rotativo, que fica liberado das 20h.às 9:00 h. da manhã. Saímos conhecer a cidade, que é bonita e organizada, mas de poucas atrações turísticas, apenas antigas igrejas. 2º dia: Fomos dormir já quase à meia-noite, que para nós seria 19h. devido ao fuso horário, pelo que tomei um comprimido para dormir. Mas o cansaço da viagem sem dormir me afetou, e só acordamos próximo ao meio-dia. Seguimos então até PALÊNCIA, uma bela cidade, mas também sem atrações turísticas além da Catedral, onde não entramos, pois como quase todas da Espanha estava fechada, ou tinha que pagar, e como já conhecíamos as mais belas catedrais do mundo, inclusive as russas, decidi que não pagaríamos mais para ver igrejas. Continuamos então até BURGOS, indo direto ao Hotel Campus Tavern, próximo à universidade, e encontrei vaga no estacionamento livre desta. Demos uma volta pelas proximidades e voltamos para dormir. 3º dia - O hotel ficava longe das atrações, mas como era domingo, saímos cedo pela manhã, podendo utilizar o carro para ir ao castelo, que fica numa colina, e estava fechado àquela hora, mas tem um belo mirante da cidade. Depois consegui deixar o carro a uns 300 m. da Catedral e seguimos a pé para conhecer o centro histórico, que gira em torno da bela e enorme Catedral, voltando ao estacionamento e ao hotel ao final da tarde, já bastante cansados. 4º dia: Meu roteiro previa ir para Montes Obarenes, mas meu GPS não indicava esse lugar, de onde iria a alguns vilarejos no caminho. Assim, partirmos direito para FRIAS, que estava no roteiro, cidade originada no século IX, com Igreja e Convento do séc. XIII e ruínas de um castelo, mas novamente não conseguimos entrar em nada, pois até as 10 h. e entre 14h. e 17h. está tudo sempre fechado. Conhecemos o local, tiramos fotos externas e continuamos, mudando novamente o roteiro, que previa ida a Oña e Puente Viesgo, mas me informaram não haver estrada asfaltada para esses lugares. Assim, seguimos para SANTANDER, uma bela cidade costeira, fomos até a península de La Magdalena, onde tem um belo palácio, do qual nem perto chegamos, mas também uma bela praia, com vista da cidade e um viveiro de leões marinhos. Continuamos ainda até SANTILLANA DEL MAR, onde tinha reserva na Hosteria Miguel Angel, que tive que procurar, pois o endereço não casava com o GPS. Nos muito bem conservado. reabastecemos num supermercado e depois fomos ao belo centro histórico medieval. 5º dia: Pela manhã fomos até as Cuevas de Altamira, que fica junto à cidade de Santillana, mas eram fracas, não compensou a perda de tempo. A cidade tem também um zoológico razoável, mas não tínhamos tempo nem disposição para ir. Seguimos então até COMILLAS, bela cidade à beira mar, onde se destacam o Palácio de Sobrellano, de 1881, e logo abaixo dele uma mansão denominada El Capricho, muito bonita, projetada pelo mestre Gaudi, onde também só tiramos fotos externas. Achamos interessante o cemitério local, que foi construído dentro das ruinas de uma igreja medieval, com muitas paredes ainda intactas. Seguimos depois até San Vicente de la Barquera, bela cidadezinha à beira de uma espécie de lagoa marítima, onde existe um pequeno castelo do sec. 13, uma igreja também medieval, ambos no alto de uma colina, com vistas da enseada do mar cantábrico. Continuamos em direção a POTES, e foi o melhor momento da viagem, pois a estrada vai acompanhando um rio que corre serpenteando sob paredões de enormes montanhas, que oferecem paisagens sensacionais, além de alguns vilarejos medievais encravados entre as encostas, com pontes e casas de pedra. Chegando a Potes, fomos direto até Fuente Dé, onde existe um teleférico que leva ao alto das montanhas, o que serviu apenas para me causar um enorme resfriado, pois estava só com uma camiseta longa, e lá encima estava muito frio, inclusive com neve. Dormimos em Potes no Hotel Arha, bom e com desjejum, mas difícil de localizar e mais ainda de estacionar. A cidade é bonitinha, mas sem atrações turísticas especiais. 6º Dia: Seguimos pela manhã para CUEVAS DE VALPORQUERO, a 140 km. de Potes, atravessando as belas montanhas dos Picos de Europa, com muitas paisagens deslumbrantes e vilarejos aos pés das montanhas. As Cuevas (cavernas) são interessantes e enormes, muito extensas, mas internamente com muita umidade e muito frio (7ºC), quando externamente estava 24º C., então passei frio e tratei de sair logo. Continuamos até LEÓN, que fica a uns 50 km. Deixei o carro numa avenida (Paseo), a uns 500m. do Hostal Bayon, num estacionamento livre, e começamos a conhecer a cidade. 7º Dia: Cedo da manhã caminhamos pela cidade, mas tudo abria muito tarde, pelo que não entramos em nada. A cidade é bonita, mas pouco restou de seu passado histórico, apenas as igrejas. Seguimos então para ASTORGA, uma cidade fundada pelos Romanos, mas onde nada restou de sua história, só a Igreja do séc. 15, e o palácio episcopal projetado por Gaudí em 1870. Continuamos até PUEBLA DE SANABRIA, indo direto para seu castelo, do séc. XV , mas todo restaurado e sem nada internamente, pouco valendo a visita. A igreja, do séc. 12, é parecida com inúmeras outras que vimos pela Espanha. Como as visitas eram rápidas e o dia muito longo, fomos ainda a ZAMORA, que tem também uma Igreja do séc. 12, mas que estava fechada quando passamos, e a bonita Puente de Pedra, que atravessa o rio Duero, e próximo à qual deixei o carro para ir até a Catedral. Mas esqueci um vidro aberto, e na volta haviam roubado o GPS. Por sorte não mexeram no resto de nossas coisas, pois estava com todas nossas bagagens e aparelhos. Procurei, então, um shopping na cidade, onde comprei outro GPS por E$ 100,00, para seguir a viagem. Por esse atraso, só chegamos ao nosso destino final do dia – SALAMANCA – após as 19 horas. Busquei estacionamento na rua mas não encontrei, tive que pagar E$ 10 por noite na garagem do Hotel Le Petit onde ficamos. Já eram mais de 20 horas quando fomos ao centro histórico, que ficava nas proximidades, para filmagem com a sua bela iluminação noturna. Comemos num MCDonalds junto à Plaza Mayor. 8º Dia: Como previa nosso roteiro, ficamos mais um dia inteiro em Salamanca, o que se mostrou desnecessário, pois só vimos o que já havíamos visto na noite anterior. Não pagamos para entrar em Igrejas, nem na famosa Universidade, pois seria somente para ver as salas de aula. Fomos então ao Museu da Mobilidade, onde tem uma coleção de carros antigos, inclusive uma réplica do triciclo com motor a explosão inventado por Karl Benz, primeiro veículo de combustão interna do mundo. Havia, ainda, uma MC Laren F-1 que fora pilotada por Fernando Alonso, o espanhol vencedor da F-1 com a Ferrari. À tarde não havia mais o que fazer sob o sol escaldante, pelo que fomos ao hotel descansar e só voltamos ao centro histórico à tardinha. 9º Dia: Saímos de Salamanca em direção à Andaluzia, nossa segunda parte da viagem. Passamos primeiro por PLASÊNCIA, cidade medieval também bonita, mas não havia onde estacionar e nada para ver além de duas enormes igrejas do séc. 16. Seguimos para CÁCERES, cidade muito antiga, que foi conquistada aos mouros em 1127, mas o que resta hoje é dos séc. XV e XVI. O centro histórico é bem conservado, mas não encontramos onde estacionar, pelo que também só passamos rapidamente. Basicamente sobraram os edifícios religiosos, partes da muralha que cercava a cidade e umas torres. 10º Dia: Nosso roteiro previa uma chegada a Tenudia, no caminho para Sevilha, onde existe um monastério do séc. XII, mas que ficava a 20 km. da cidade, pelo que desisti de ir, pois já havíamos visto muitos. Chegamos a SEVILHA, que já conhecíamos, e fomos direto para o Hotel Ibis Budget, onde deixei o carro e fomos de ônibus ao centro, rever suas principais atrações, como a Giralda, a Catedral, o Alcázar, etc. Seguimos caminhando até o Parque Maria Luisa e à Plaza España, e retornamos ao hotel. 11º Dia: Voltamos ao centro de ônibus, que pegamos a uns 400m. do hotel, descendo no Prado San Sebastian, a uns 500m. da Catedral. Caminhamos pela cidade, fomos ao bairro Santa Cruz, onde não há nada de especial, e à Plaza Encarnación, onde não existe nada de interessante, salvo o bonito teto quadriculado que recobre uma grande área. Ao final da tarde, comemos num Burger King próximo à catedral e assistimos a uma comemoração da torcida do Sevilha pela conquista da Copa da Uefa, na Puerta de Jerez. Continuamos então até MÉRIDA, antiga Lusitania fundada pelos romanos, dos quais sobrou um teatro e um anfiteatro e partes da muralha, além de ruínas de uma alcazaba, e uma enorme ponte romana de pedra. Além disso, existe a tradicional Plaza Maior e a Catedral. Como não achamos onde estacionar, somente passeamos de carro pela cidade, tirando algumas fotos e seguimos depois até ZAFRA, que havia escolhido para pernoite no bom hotel Las Palmeras. É uma cidadezinha simpática e acolhedora, com um centro histórico todo com pintura nova, que deixa boa impressão, além da tradicional Catedral medieval, com obras de arte no seu interior. 12º Dia: Saímos em direção a Córdoba, passando no caminho por ÉCIJA, que só tem algumas igrejas barrocas e o palácio de Peñaflor também estilo barroco, meio sem graça, pelo que seguimos adiante. Chegamos a CÓRDOBA e fui direto para o Hostel Ronda, estacionando o carro numa avenida nas proximidades. Largamos nossas coisas, comemos e saímos de ônibus para o centro histórico, que se compõe de uma espécie de medina, com ruelas estreitas cheias de lojas, e onde tudo é muito caro. A mesquita moura transformada em Catedral é a única atração verdadeira, sendo interessante por manter os dois estilos – árabe e espanhol, muçulmano e cristão – no mesmo ambiente, mas o ingresso custa caro, E$ 8,00. No alcázar sequer entramos, pois obviamente nada havia de especial em seu interior. Em duas horas nada mais havia para conhecer, pelo que apenas caminhamos pela cidade. 13º Dia: Partimos para GRANADA, indo direto ao bom Hotel Saylu, longe do centro. Comemos e depois pegamos um ônibus para o centro. Não encontramos nada de muito interessante para ver, apesar de caminharmos muito. Buscamos souvenirs, comemos no Burger King, e sentamos nos bancos para aguardar até as 20 h., quando fomos ao Alhambra, para o qual tínhamos ingresso para as 22 h., comprados ainda no Brasil pela internet, para os Palácios Nazaries, que só tem salas vazias, com paredes e tetos muito trabalhados no estilo árabe, mas a iluminação era muito ruim, sequer dava para filmar. Em meia hora buscamos um táxi para o hotel. Foi decepcionante a ida à noite, não recomendo a ninguém. E pensar que tive que comprar o ingresso com dois meses de antecedência! Para a atarde do dia seguinte tinha ingresso para o Generalife e jardins, pelo que ficamos toda manhã no hotel, arrumando nossas coisas, e só saímos próximo às 15 horas, com o sol mais fraco. Pegamos o ônibus ao centro e logo, com o mesmo bilhete, que vale para uma hora, outro até o Alhambra. Durante o dia pelo menos se tem vista da cidade, os jardins são razoáveis, mas os prédios do “Generalife” nada tem de especial. Leva-se umas 2 horas caminhando pelos jardins e prédios, o complexo é muito grande. Voltamos depois ao hotel, pois era feriado Corpus Christi e estava tudo fechado, nem o shopping próximo abrira. 14º Dia: Saímos em direção a Cuenca, nosso último objetivo. Fomos primeiro até Calzada Calatrava, a mais de 200 km., ver um castelo medieval do séc. XIII, parcialmente em ruínas, mas que se mostrou interessante por sua história, eis que construído pela Ordem de Calatrava, primeira organização militar/religiosa da Espanha, para conter o avanço dos mouros, eis que os cruzados não vinham até aquela região. Por isso, o castelo/monastério, além de enorme, foi construído no alto de uma colina de uns 400m. de altura, foi difícil subir até mesmo de carro pela estrada calçada de pedras. Mas certamente era um castelo imponente e quase inexpugnável. Seguimos para BELMONTE, a outros 200km., onde tem também um imponente e belo castelo do séc. 16, ainda inteiro e reformado, mas cuja entrada custava E$ 9,00, e sem a história do outro. Depois de visita-lo, continuamos até CUENCA, a 90 km., indo direto ao Hostel Cortes, onde consegui deixar o carro na rua, pagando estacionamento até as 20 horas, depois ficava livre. Fomos a pé até a Ponte de S. Pablo, de onde se tem bela vista da principal atração da cidade, as Casas Colgadas, construídas à beira de enormes paredões das montanhas, que formam uma espécie de canyon. 15º Dia: Pela manhã fomos novamente até o local, para tirar fotos com sol melhor, e depois ao castelo (ruínas árabes do séc. 12), que foi tomados pelos cristãos em 1.117, e à parte alta da cidade, de onde se tem belas vistas das Casas Colgadas , da cidade e das belas formações rochosas das montanhas ao redor. Uma cidade muito interessante, que valeu a visita e se mostrou uma das principais atrações de nosso roteiro. Saímos depois para Madrid, a 160 km., deixei as malas no hotel e fui ao aeroporto devolver o carro, pois nosso vôo para o Brasil seria cedo da manhã, e havia um transfer do hotel, que ficava próximo ao aeroporto. Enchi previamente o tanque de combustível do carro, pois disseram que devolveriam o valor cobrado na retirada. Isso aconteceu, mas depois de 4 dias, quando achava já que não haveria a restituição.
  14. Fora da Zona de Conforto

    Como ir do Aeroporto de Málaga ao Centro da Cidade por Menos de 2 Euros

    O centro de informações turísticas vai te indicar o ônibus para ir do aeroporto ao centro da cidade. Mas há uma opção mais barata e rápida: o trem. Nós te explicamos como pegar o trem no aeroporto por menos de 2€ e quais estações usar para chegar ao centro de Málaga. Com fotos e mapas. Málaga é uma das maiores cidades do Sul da Espanha na região de Andaluzia. O aeroporto de Málaga é a principal porta de entrada para a Costa del Sol – uma das regiões turísticas de praia mais importantes da Espanha. Então, se você quiser voar para essa região da Costa del Sol, você provavelmente vai voar para o Aeroporto de Málaga. Além disso, se você quiser ir para Granada na Espanha chegando de avião, o aeroporto de Málaga também é a melhor opção. Continue lendo: http://foradazonadeconforto.com/como-ir-do-aeroporto-de-malaga-ao-centro-da-cidade-por-menos-de-2-euros/
  15. Durante 39 dias caminhei cerca de 900 km, iniciando na cidade de Saint Jean Pied de Port na França, passando por Santiago de Compostela e terminando o caminho em Finisterra, o ponto mais à oeste da Espanha. Preparação Não fiz um treinamento pesado para me preparar fisicamente. Já praticava Pilates a cerca de 2 anos e o fortalecimento da musculatura das pernas foi essencial para poupar os joelhos. Mas é inevitável sentir dores nos primeiros dias. Só o caminho te prepara para ele mesmo. Pesquisei muito sobre os equipamentos necessários para esta jornada. É essencial levar o mínimo possível. Assim como na vida cotidiana, quanto mais conforto e opções carregamos conosco, maior o preço pago. Neste caso o preço vem em forma de dores e lesões causadas pelo excesso de carga. Não defini um roteiro rígido. Tinha cerca de 50 dias disponíveis para fazer o percurso, então seguiria de acordo com minhas capacidades. Cheguei a caminhar 36 km em um dia, porém em outra oportunidade caminhei apenas 11 km. Custos As despesas se classificam em 3 categorias básicas: Transporte: Compreende todo tipo de deslocamento. No meu caso foram: - Vôo de Belo Horizonte para Madrid (na minha opinião, melhor ponto de acesso, pois fica em um ponto médio entre o início e o final do caminho) - Trem de Madrid para Pamplona. Passagens podem ser consultadas e compradas antecipadamente pelo site http://www.renfe.com/ - Ônibus de Pamplona para Saint Jean: Passagens podem ser consultadas e compradas antecipadamente pelo site https://www.alsa.es/ - Trem de Santiago de Compostela para Madrid: Também pela Renfe - Trem de Madrid para Toledo: Também pela Renfe Equipamentos: A minha lista está no meu blog: http://iwazawa.com.br/blog/index.php/2016/10/22/caminho-de-santiago-equipamentos/'>http://iwazawa.com.br/blog/index.php/2016/10/22/caminho-de-santiago-equipamentos/ Gastos gerais: - Sugere-se entre 30 e 50 euros/dia dependendo do comportamento. Pode-se ficar em albergues mais econômicos e fazer compras de alimentos e prepará-los ou ficar em albergues mais caros e confortáveis e comer em restaurantes. - Albergues custam entre 5 e 18 euros. Não necessariamente os mais baratos são piores. Existem 3 tipos: Paroquiais, mantidos pela igreja e com voluntários trabalhando (o custo é por doações, mas não deixem menos que 5 euros), os Municipais, mantidos pela prefeitura (custam entre 5 e 6 euros) e os particulares, que variam muito em conforto e comodidade (entre 8 e 18 euros). Muitos possuem máquinas de lavar e secar roupas, que custam 3 euros por serviços (mas podem suportar roupas de 3 ou 4 peregrinos, então é legal procurar dividir). - Alimentação. Os restaurantes ao longo do caminho servem o menu do peregrino, que consiste em entrada, prato principal, sobremesa e bebida. Custam entre 8 e 15 euros. O café da manhã pode variar entre 2,5 a 6 euros. Como alternativa, pode—se fazer compras em mercados e prepará-los para economizar. Ah, e a cerveja custa entre 1 e 2 euros o copo ou garrafa. Mais detalhes em: http://iwazawa.com.br/blog/index.php/2016/11/24/caminho-de-santiago-guia-gastronomico/'>http://iwazawa.com.br/blog/index.php/2016/11/24/caminho-de-santiago-guia-gastronomico/ - Farmácia. Gasta-se bastante com curativos, cremes, anti-inflamatórios. Dicas: - Deixe para comprar um chip de celular espanhol fora do aeroporto. Lá, um chip com 1,5 gb de dados custa cerca de 40 euros, mas comprei o mesmo na estação de Atocha por 15 euros. - Os correios espanhóis possuem um serviço especial para peregrinos. Caso seja necessário levar uma bagagem extra para o pós caminho, é possível despachar o excesso para Santiago e o pacote fica sob custódia até o fim da peregrinação. - Não é imprescindível falar espanhol ou inglês, pois todos tem boa vontade por lá. Mas perde-se muito na experiência de comunicação com as pessoas. - Levar dinheiro em espécie (pelo menos 1/3 do previsto), pois grande parte do caminho se dá pelo interior da Espanha e nem sempre aceita-se cartões. O restante pode ser sacado em qualquer caixa eletrônico pela função saque do cartão de crédito internacional. Ah, e leve cartões de reserva, pois uma máquina engoliu o meu. - Nos albergues há sempre uma área onde peregrinos deixam objetos e roupas que desapegaram. Então caso haja necessidade, é só solicitar e verificar se há alguma coisa que precisem. Ou podem deixar também, para aliviar o peso. - Há bares e vilarejos a cada 3 ou 4 km ao longo do caminho, não sendo necessário carregar comida. - Há fontes de água com bastante frequência também. 1 ou 1,5 litros é o suficiente para levar na mochila. - No início do caminho, o peregrino adquire uma credencial onde vai carimbando sua passagem pelos locais do caminho. Ela serve para comprovar a peregrinação e retirar a Compostelana, certificado dado pela catedral de Santiago. E os albergues paroquiais e municipais só aceitam hospedar com a posse da credencial. Conclusões: - Planejei a viagem esperando completar uma caminhada dura e reflexiva. Porém, para minha surpresa, a caminhada foi extremamente divertida, empática e social. O melhor do caminho são as pessoas que conhecemos por lá. - Se conseguirmos relacionar as experiências vividas no caminho com o macro de nossa vida cotidiana, a experiência se torna extremamente enriquecedora. Videoclipe com a caminhada: A seguir, o relato detalhado de cada dia. Narro esta e outras aventuras no meu blog pessoal: http://iwazawa.com.br/blog/
  16. Servus! Fala galera! Td belezinha? Bom, estive em Tenerife no mês de outubro do ano passado (16). Resolvi escrever o relato pq aqui estava eu fazendo upload das minhas fotos das últimas aventuras e bateu aquela vontade de escrever, simples assim... Antes de passar para as dicas, fiz uma listinha de alguns fatos curiosos sobre Tenerife, na minha humilde opinião, logicamente: Tem muito alemão... Só pra ter ideia, os cardápios geralmente tem em inglês, espanhol, claro, e alemão... Tem até jornal em alemão por lá... A ilha é bem grande... Eu tenho carteira de habilitação, mas não sei dirigir bem... Só moto e PRACABARTUDO só Bis... Mas alugar carro e moto lá não achei caro... aluguei essas motos, tipo a biz, mas que troca a marcha no automático, alugamos por 3 dias, saiu por volta dos 60 euros... Andamos tanto que se eu fosse de busão pros cantos ia gastar muito mais... Pra mim valeu a pena... Já disse que a ilha é bem grande? Outro comentário sobre esse assunto é que, claro queríamos conhecer todos os cantos da ilha... e pra não precisar gastar muito tempo em locomoção reservamos hotéis em cada extremo da ilha... na verdade só em dois... pq pro lado norte não tínhamos muito interesse de ficar e fomos um dia com a moto e já tava bom... A areia das praias são preta, isso achei super interessante, por que são areias vulcânicas. As praias que tem areia branca, dizem que trouxeram do deserto do Saara. A água do mar quando eu fui, estava bem fria... Não aquele insuportável que você não aguenta... mas aquele frio que você sofre no começo, mas depois acostuma... não sei como é em outra época do ano. Você chegar em qualquer lugar com ônibus e eles tem um aplicativo com todos os horário, assim você pode planejar sua rota facinho... A empresa se chama TITSA. Tem muitos idosos, principalmente em Puerto la Cruz... muitos mesmo... Então, vou dando a dica dos lugares na ordem que fui conhecendo, ok? E lá vamos nós! Siga-me os bons! Começamos em Puerto la Cruz que é no meio da Ilha... PUERTO LA CRUZ 1º dia – Chegamos umas nove horas da noite, deixamos nossos bagulhos no hotel, q era bem topzinho... foi o melhor dessa viagem, se chama MASARU( joga no Booking que vcs podem ter todas as informações... só achei grande a fila pro café da manhã, passamos uns dez minutos esperando uma mesa ficar livre, mas só isso mesmo) Nos informamos onde poderíamos encontrar um bom lugar pra comer... O recepcionista falou de uma praça que teria naquela hora vários restaurantes abertos... poderíamos ir de táxi por 3 euros ou uns 15 minutos andando, como eu e o Basti (ah é, nem falei... sou casada com um alemão, já moramos juntos no Brasil, mas atualmente moramos na Alemanha, na Baviera crescendo nossos lindos buchos com cerveja, a gente havia casado fazia um pouco mais de um mês e essa era nossa lua de mel, detalhe... hahahaha ) Voltando, como eu e o Basti somos VIDALOCA fomos andando... MIRADOR DE LA PAZ Descendo a primeira rua do nosso hotel vimos esse lindo mirador e foi muito bom sentir a brisa do mar... e olhar as luzes lá de cima... de dia também a vista é bem linda. PLAZA DEL CHARCO Desculpa gente, não tirei fotos... pq tava com fome e quando estou com fome não penso em mais nada além de comida. Inclusive nessa praça tem todo tipo de comida e de todos os preços também... por perto tem algumas baladinhas... tem um supermercado e muitos táxis tbm... Comi um Guacamole com camarão muito gostoso 7 euros... depois voltamos pra casa de táxi pq a cota VIDALOCA do dia já tinha acabado. 2ª dia Passamos a manhã resolvendo umas coisinhas, tipo fazendo compras no supermercado, reservando nossa Scooter pra outra semana, conversando com o pessoal pela rua... batendo perna... PLAYA JARDÍN Bom, essa praia é mais para aqueles momentos relax... tipo, tá cansado, mas também não quer ficar no hotel... Bom pra sentar na areia preta, ler um livro, dar uns mergulhos... Do nosso hotel fomos andando, passamos pela praça del Charco, andando, andando (uns 20 minutos eu acho) e fomos parar na praia... tem uns pequenos restaurante e sorveteria por lá... Como o nome sugere, ela tem na parte superior um jardim bonitinho... q tava bem sequinho o coitado... mas acho que é assim mesmo a vegetação vulcânica, cactos e tal... Bom, depois voltamos caminhando também... ZONA HISTÓRICA (PLAZA EUROPA)E CASTILLO DE SAN FELIPE Voltamos caminhando por uma zona histórica, que se assemelha a um pequeno forte, uma vista muito linda do mar, uns canhões e umas passarelas maneiras... achei legal passar um tempo e apreciar, depois seguimos pra... AVENIDA DO LAGO MARTÍANEZ Essa avenida, começa lá no parque Martianez, de frente pra uns centro comerciais e umas lojas com muitos perfumes e óculos originais... que apenas olhamos rapidamente pois o preço nos assustou... Mas seguindo essa avenida tem muitas outras lojinhas com souvenir e tudo mais, vários preços e muitas cafeterias, tem Mc Donalds, comida tailandesa, italiana... muitas mesmo... Um dos lugares que paramos foi nas mesas de um hotel chiquizinho, Villa Mar, se não me engano, lá tinha uma oferta de 1 tapa e uma taça de vinho ou cerveja por € 1,50... (pq nós vamos nos lugares chiquisinhos atrás das promoções #somosdesses ) tava bem gostosinho mesmo... Quando chega ali no Mc Donalds a avenida dobra mais geralmente o pessoal segue direto desce uma escada lá e tem mais vários outros restaurantes, também tem uma pequena praia... comi por lá uma Paella muito boa... e nos últimos dia da viagem fomos em um restaurante mais carinho e comemos um peixe MARA! E tudo de frente pro mar... E fora as lojas com tudo enquanto, compramos uma cópia ilegítima (não basta ser cópia tem q ser ilegítima também) de uma gopro, comprei um Rum Miel, típico de lá... muito muito gostoso mesmo... e depois vidrinhos de sabores diferentes do Mojo que é uma salsa típica Canária que eles comem com os petiscos. Ela bomba no final da tarde...paramos lá pra fazer um lanchinho e passar o tempo... Final da noite, fizemos nossa janta no hotel mesmo e depois fomos andar pelas redondezas do hotel, perto do mirador tem um barzinho com música ao vivo, pedimos uns petisco (sim a gente tinha acabado de jantar, e gostamos mesmo de comer hahaha) e ficamos por lá, olhando os velhinhos dançarem... conhecemos também um jovem casal da Colômbia, batemos um papo e tal... só que acabou meia noite a festa da terceira idade e nós ainda no pique...fomos procurar outra coisa ali perto mesmo... e vimos bem na esquina do nosso hotel um karaokê... não deu outra... Cantamos lá aquele reggaeton, “Dime si conmigo quiere hacer travessura...”, rolou tbm o “nossa, nossa, assim vc me mata”, foi uma palhaçada... fora umas americanas lá tocando o terror... tava bem zoeira... 3ºdia Basti inculcou que queria um óculos escuros antes de continuar os passeios, então fomos lá na saga, procurar... PLAYA MARTIÁNEZ Nessa procura passamos pela Playa Martíanez, fica ao lado do Parque Martíanez na mesmo avenida q já falei... um lugar bem agradável, muita gente surfando e se bronzeando... Achamos o bendito óculos e como já estávamos longe... voltamos de táxi pro hotel... trocamos de roupa e fomos a procura de uma praia... PLAYA EL BOLULLO Perguntamos antes pro taxista mais ou menos o caminho e fomos nos guiando pelo google maps. Rapaz, é uma andadinha boa olha, deu mais ou menos uma hora de caminhada, mas a gente tava de férias e tava tudo de boa... O caminho achei incrível, primeiro uma avenida não muito movimentada de frente pra aquele infinito lindo do oceano, e só nós dois, ventinho na cara... Depois começa a descer numas ruÍnas bem antigas, acho que deveria ser de um hotel que foi embargado ou alguma coisa assim, desce, desce, desce... Depois sobe, sobe, sobe... aí depois vem um bananal, a gente passa bem pelo meio... e anda, anda, anda, e é banana, banana, banana... e você acha que tá perdido, que não tem praia nenhuma, que deveria ter dobrado antes... Mas tem umas placas por lá e vc não desiste... Até que vimos a bichona e o caminho q ainda faltava pra chegar lá... Mas valeu a pena. Muito tranquila, pouca gente... Areia bem pretinha mesmo, de longe fica brilhando muito parecendo ouro, achei muito lindo... Só que assim, nessa praia, quer dizer em todas as praias, tem que respeitar as bandeirinhas da condição do mar neh, por que vou relatar aqui pra vocês da vez que eu quase fiquei viúva... O mar estava muito agitado, e a bandeira estava vermelha, como eu não sei nadar muito bem me juntei ao povo brincado no raso e pulando as ondas, mas meu Basti só quer ser VIDALOCA e foi indo pro fundo, indo pro fundo, indo pro fundo... e eu só olhando aquilo fazendo o sinal pra ele voltar com o braço... :'> Gente de repente começa o desespero , ele tentou voltar, e não tava conseguindo, ele nadando voltando pra praia e vinha cada onda enorme e empurrava ele pro fundo e puxava mais pra trás... eu estava em choque. Tinha um surfista lá perto dele tentando ajudar... daí ele ficou tentando vir, nadando e olhando pra trás.... quando vinha uma onda grande ele mergulhava pra não ser tacado pro fundo de novo, mas sempre era puxado um pouco mais pra trás... e ficou nisso até chegar no raso... eu já tava quase chorando com as crianças ali na raso.. . até que ele conseguiu pisar no chão e veio correndo ãã2::'> ... abracei ele... tadinho todo se tremendo , perdeu um lado da lente de contato... graças a Deus só um susto... uma taca q meu amor levou do Mar... Antes já tínhamos brincado muito por lá, então depois da taca do Basti, sentamos um pouco na areia pra acalmar, merendamos e voltamos, como ele não vê nada sem lente, voltamos de taxi... tinha um rapaz lá no estacionamento q perguntou se queríamos um taxi e ligou pra gente. Sorte nossa que ao lado do nosso hotel tem uma ótica tbm e fomos lá, perguntando se eles poderiam fazer alguma coisa pra nos ajudar, e a mulher colocou o óculos do Basti na maquininha pra vê o grau e disse que tinha uma lente que ajudaria a quebrar o galho... assim rapidinho só 10 euros... Ele estava preocupado pq ainda faria mergulho e não ia dar sem lente... Ufa! Depois desse susto, ficamos um pouco na piscina do hotel, banhamos e fomos comer, comi uma paella por uns 12 Euros... fomos pra o barzinho perto do hotel novamente olhar os velhinhos dançar e tomar umas geladinhas 4º dia Bom, tava chegando o fim de semana e a gente queria fazer farra... e quem quer farra vai pro Sul... lá tem muito mais gente jovem, nada contra os idosos, só que percebi isso... Ficamos no hostel La Tortuga, muito bom o hostel, e achei bem localizado... os ônibus passavam na avenida de cima e a orla ficava bem próximo... saímos umas 9 horas de Santa Cruz e chegamos no Sul umas 2 da tarde, demorou pq tivemos que pegar 2 ônibus e o segundo demorou um pouquinho... chegamos e já fomos procurar um lugar pra comer, tem uma praia lá bem bacaninhas, se chama Praia do Duque, tava lotada... mas bem estruturada.... gente acredita que não tenho uma foto... tava morrendo de fome e daí já sabe... não rolou foto mesmo.. andando... andando... pensando q a gente tava lascado com aquelas comidas caras... até que resolvemos entrar em um pequeno shopphing que passamos e encontramos enfim umas comidas mais baratas... comi uma lasanha muito gostosa acho que por 4 euros e umas cervejinhas aí valeu... depois fomos desbravar as coisas lá por perto... PLAYA FAÑABÉ Passamos um bom tempo relaxando nessa praia, depois fomos bater perna pela calçada da orla... e aí que vimos q antes a gente tava bem perto da comida barata só que estávamos indo na direção errada... nos outros dias sempre comemos lá... contratamos os passeios q a gente queria, conversamos um pouco com uma senhora brasileira que tava chamando o pessoal pra comer no restaurante q ela trabalhava, por fim sentamos numa barraquinha na areia, pedimos uns drinques e assistimos ao pôr do sol... Voltando pra casa passamos por uma outra rua mais acima de onde a gente tava, cheia de lojas, olhamos tudo... a gente foi pro hostel tomou banho e voltou de novo pra lá... com fome de novo... depois fomos dormir... 5º dia MASCA E LOS GIGANTES Acordamos cedo, tomamos café da manhã e perguntamos pra atendente do hostel, q inclusive nem falei, é brasileira muito simpática, claro... Ela deu umas dicas bem legais, pra gente chegar em Masca e até sabia os horários dos ônibus, até q ela disse, tem um q passa em 30 minutos e q demora umas duas horas pra chegar no local e a gente ia fazer uma trilha q demorava muito e pra voltar precisava de uma barco q o ultimo horário era as cinco da tarde... não sei nem como mais em vinte minutos a gente passou correndo pela recepção, saindo agradecendo a menina, com a mochilinha nas costas já com o que seria nosso almoço, tudo pronto e saímos correndo pq pra chegar no ponto de ônibus era quase uma vida, só ir pra avenida na rua de cima, mais a avenida tinha umas 10 vias, a gente subiu numa passarela e corre pra essa parada e chegando lá o ônibus tava atrasado e ainda demorou um tempão... pegamos esse ônibus, gente ele sobe demais, e rodando e rodando e rodando quase ponho os bofes pra fora.. .enfim chegamos numa cidadezinha e ficamos esperando o outro ônibus q era mais uns quinze minutos subindo ladeira... lá pelo meio dia chegamos em Masca... Bom, o que é Masca? Masca é um vilarejo bem pequeno, parece que moram umas 100 pessoas por lá... pode-se ver uma igrejinha, um museu e as casinhas dos moradores, q é num barranco... Mas apreciamos rapidamente a vista q tinha por lá e fomos fazer o que realmente nos interessava, a trilha, desse vilarejo pode-se fazer uma trilha muito, mais muito bacana mesmo, de 3 horas... chegando no final você se depara numa praia muito linda, água super azul clarinha, linda mesmo... e de lá têm-se duas opções ou você volta andando e fecha as 6 horas de trilha... passamos por várias pessoas voltando, inclusive uns franceses bacanas que estavam no nosso hostel... nesse caso tem que ir cedo pra não estar mais na trilha quando escurecer, ou dessa praia pega um barco e vai pra uma cidadezinha pegar um ônibus de volta pro seu hotel, que foi o que fizemos... Bom a trilha é sensacional, muito legal mesmo, valeu a pena... a gente fica pertinho daqueles paredões enormes com eco... Nós simplesmente amamos essa trilha... No final, na praia tem um senhor vendendo umas frutas frescas e refrigerante... e outro q vende a passagem do barco.... A praia é muito linda, fica no meio de paredões enooooormes, de um lado tem tipo uma piscina natural, mais com muitas pedras e do outro lado é mais aberto e tem areia... O último barco sai as 5 horas, então tem que calcular isso aí quando for fazer sua trilha, pra não começar muito tarde e perder o barco e depois ficar igual ao naufrago até o outro dia... O bom de quando volta já passa em outro ponto muito famoso de Tenerife que são as falésias de Los Gigantes e na cidade que a gente volta, tem um mirante com uma vista ótima para Los Gigantes, não fomos pq estávamos cansados, se fossemos perderíamos nosso ônibus e já havíamos passado bem ao lado no retorno com o barco. Chegamos no hostel lá pelas 7 ou 8 e fomos na orla comer... pq no outro dia cedo Basti ia fazer o mergulho que ele tanto queria e depois iriamos fazer passeio de barco pra vê os golfinhos... O relato continua... não deixem de acompanhar... aconteceu uma coisa incrível no passeio pra vê os golfinho...
  17. Meu primeiro relato sobre o mês de Fevereiro está aqui: http://www.mochileiros.com/como-fui-parar-na-espanha-t141362.html Se você não leu o anterior, dá uma olhadinha lá só pra entender que eu estou no segundo mês aqui em Málaga, na Espanha, e tenho até julho pra conhecer os segredos e comidas daqui O primeiro tema dessa seção é COMIDA - se está com fome... deixe para depois Vamos começar esse mês de Marzo – ops, Março, falando sobre ‘’Dar água na boca’’. Sim, sobre as comidas experimentadas nesse segundo mês por aqui. Pra começar, foi o mês onde eu fui arriscando a fazer várias comidas e pratos que não tinha feito antes. O pontapé inicial foi um jantar em um bar daqui, cujo tema era tapas latinos. Quem levasse um prato teria acesso aos outros pratos tanto dos convidados como do chef do restaurante. Isso me incentivou a fazer algo e depois de pensar (um pouco), decidi que algo que não me custaria muito seria um... Bolo de cenoura! Com brigadeiro escorrendo pelos lados, claro, por que mesmo que a massa ficasse horrorosa o recheio era garantido =D Segue aqui uma foto pra ilustrar quão bom ficou (o recheio, por que a massa ficou meio baixa hehehe). Cerca de uma semana depois, um empreendedor local tem uma Startup chamada Socialfood (checa aqui nesse vídeo: ) que visa unir pessoas através de encontros para comerem juntos. Então alguém oferece um lugar, um cardápio, coloca um preço e disponibiliza um número de lugares. Quem estiver interessado se aponta no aplicativo e acabam conhecendo outras pessoas e novas comidas. O aplicativo não entrou em vigor ainda, mas já temos um grupo de pessoas tanto locais como intercambistas que somos interessados nos possíveis eventos gastronômicos daqui Como não queria ir sozinha, chamei alguns amigos para irmos em um desses eventos cujo tema e chef era mexicano (só digo uma coisa: UAU, por que a comida estava demais). Por 6 euros tivemos uma noite muito agradável, cerveja mexicana e os diversos pratos como na foto aqui: Saindo da ordem que as coisas aconteceram, mais pra baixo vou falar sobre a visita à Córdoba, mas já que o assunto é comida, ali tem duas coisas extremamente típicas e que merecem destaque na lista, flamenquin cordobés e o salmorejo. O flamenquín é esse daqui de baixo e uma das possíveis receitas BY GOOGLE é essa: Ingredientes para 4 flamenquines cordobeses: o 4 Trozos de Secreto de cerdo ibérico o 4 Lonchas de jamón serrano o Queso semi curado o 1 Huevo o Pan Rallado o Sal o Pimienta O salmorejo é esse daqui e pra mim seria algo de comer muito mais vezes... é bem leve e é feito com: 1. 1kg de tomates pera bien maduritos. 2. 200gr de pan de telera o en su defecto pan de masa blanca. 3. 100gr de aceite de oliva virgen extra. 4. 1 diente de ajo. 5. 1 cucharadita de sal. 6. Huevo duro. 7. Jamón serrano. Vamos falar também de uma coisa que é só nossa (BR): o churros. Pense em algo sem graça, o acompanhamento de recheio vem separado e também não é lá essas coisas.... Voltando a Málaga... temos mais alguns pratos (esses são todos, TODOS, de se derreter). Peixe frito - Boquerones: Calamares: Comi também nesse mesmo restaurante (que me lembrou muito restaurantes de SP como o Sujinho ou aqueles que ficam BEM no centro), que se chama Cortijo de Pepe, uma salada de batatas com anchovas. Não tirei fotos, e não achei uma no google comparável com a que eu comi. Então procure ''Ensaladilla con anchoas'' no Google e deixe a imaginação do gosto aflorar... Temos também mais três pontos importantes: Esse primeiro é MUITO, mas MUITO diferente de coisas que já comi. Disse o garçom que é o único lugar em Málaga que tem Salmón ahumado com queso crema . O restaurante é cubano, o atendimento é impecável e não fica na área comercial/centro da cidade. O restaurante se chama El Tapeo del Compás. Dá uma olhada nisso daqui... Por fim, e bem recente, experimentei mais duas coisas que são servidas como Tapas (as pequenas porções): Porra Antequerana, uma comida extremamente típica da região da Andalucia (sim, é esse mesmo o nome da comida), cuja receita conta com: ½ Kg de tomates maduros 1 pan de hogaza 1 pimiento verde (no muy grande) 1 pimiento rojo (si queréis un toque más rico, con los pimientos asados la receta gana) 1 diente de ajo 1 buen chorro de aceite de oliva virgen extra 3 cucharadas soperas de vinagre de vino Sal (al gusto) Guarnición a elegir: huevo duro, jamón serrano picado, atún en aceite e por fim, não menos importante... Chorizos al Infierno, que nada mais que Chouriço feito ''na chama''. O que difere um do outro é o tempero, que infelizmente não sei certinho o que era
  18. Desta vez, deixo aqui um report da viagem que fiz a Madrid e Toledo. Foi feita em Novembro de 2016 e decidimos passar 3 dias na cidade e mais um em Toledo. No geral não tínhamos grandes expectativas em relação à cidade pois já tínhamos estado em Barcelona uns meses antes e a opinião geral que ouvíamos de várias pessoas é que Barcelona dá mil a zero a Madrid. Contudo a cidade surpreendeu-nos muito. Continuo a preferir de longe Barcelona mas achei Madrid muito limpa, luminosa e de aspecto monumental. É uma cidade que vale a pena ser vista. O Roteiro O voo chegou às 22h45 a Madrid. Decidimos ir de metro até ao Hostal já que este ficava muito perto da Porta do Sol. Escolhemos essa localização por ser bem central em relação a muitos pontos turísticos da cidade Para se chegar à estação de metro do aeroporto é preciso andar um bom bocado. Entre esta caminhada e a viagem em si só chegámos ao destino à meia noite. Dia 1 – Acordámos e fomos a pé até ao Prado. Visitámos o museu (o que nos levou umas 2,5 horas). Almoçámos e fomos dar uma volta pelo parque do Retiro. Fizémos um dos circuitos de Bus Turistico pela cidade e no final fomos visitar o museu Thyssen Bornemisza. Ao final da tarde, já com pouca luz solar, fomos até à Plaza Mayor e ao Mercado San Miguel para fazer algum “people watching” Dia 2 – Fomos a pé em direcção ao Palácio Real. Como chegámos antes da hora de abertura visitámos a Basílica de São Franscisco e a Catedral de Santa Maria (em frente ao Palácio). Visitámos o Palácio e após isso caminhámos até ao Templo de Debod seguindo-se uma visita ao museu Casa Cerralbo. Almoçámos e fizemos o segundo circuito de Bus Turistico. Terminado o percurso, subimos até aos telhados do Palácio de Cibeles e dedicámos o resto do dia a visitar o gigantesco museu Reina Sofia. Dia 3 – Dia dedicado à cidade de Toledo. Comprámos previamente e online os bilhetes de comboio no site da Renfe. Chegámos cedo à estação de Atocha pois esta merece ser vista com algum tempo. Após uma revista ao estilo de aeroporto lá apanhámos o comboio e seguimos viagem. Os comboios são excelentes. Os 70km de viagem foram feitos em 20 min! Ao chegar à estação de Toledo reservámos algum tempo para apreciar a sua arquitectura. Decidi comprar online em Portugal bilhetes para o sighseeing Bus de Toledo. É certo que o circuito não é extenso mas o preço era acessível (10€). Apanhámos o autocarro logo na estação e decidimos fazer desde logo quase todo o circuito porque este passava (e parava 10 min) desde logo no mirador del Valle e deixávanos bem no centro da Cidade. Visitamos a Catedral inclusive subindo à Torre. Até à hora do comboio de volta (18h30) deu tempo de sobra para percorrer as ruas da cidade e pontos-chave como a Ponte de San Martin, o Mosteiro de San Juan de los Reyes, a Sinagoga, entre outros. Dia 4 – Este foi o dia de regresso. Com voo marcado para as 19h30, apontámos para estar no aeroporto às 17h30 e por isso decidimos apanhar o metro para o Aeroporto às 16h30. Ou seja tínhamos uma boa parte do dia para disfrutar da cidade. De manhã fomos ao Museu Arqueológico situado no edifício da Biblioteca Nacional. De tarde visitámos o Museu Sorrolla (gratuito ao Sábado de tarde). No resto do tempo disponível caminhámos de novo até ao centro, voltando a passar pela Plaza Mayor e pela Porta do Sol, onde havia vários street performers e de onde apanhámos o metro para o aeroporto, terminando assim mais uma viagem. Os vídeos da viagem são os seguintes: MADRID: TOLEDO: Se puder ajudar em alguma coisa falem.
  19. Ricardo Couto

    PAÍS BASCO

    Em Julho/Agosto de 2014, minha namorada e eu tivemos a oportunidade de conhecer algumas cidades do País Basco. Localizado em território francês e espanhol, a região possui não só costumes e cultura, mas um idioma próprio, o Euskara. Ficamos cerca de 10 dias na região; visitamos 3 cidades. São elas: • BILBAO A cidade de Bilbao é um poço de arte e cultura. Você mal precisa entrar na cidade para se deparar com o Guggenheim: Construído todo com estruturas metálicas, o Guggenheim é um museu de tirar o folêgo! Além de exposições temporárias, você encontrará belíssimas exposições permanentes, como a da Yoko Ono, por exemplo. A visita ao museu é mais do que obrigatória! Porém, você não encontrará obras de arte somente lá. Por todas as ruas, cantos e esquinas, você se deparará com alguma forma de arte. Não demorou e logo nos deparamos com as delícias gastronômicas da região. Diferente dos demais locais da Espanha onde são chamados de Tapas, aqui aqueles lanchinhos rápidos e gostosos são chamados de Pintxos. Encontramos uma variedade enorme deles, de todos os sabores imagináveis. Saboreamos alguns desses e após algumas voltas pela cidade, você consegue notar a evidente mistura do Clássico e do Moderno que há na arquitetura e no visual da cidade. Não deixe da fazer o passeio pela Ría de Bilbao, onde você encontra barquinhos turísticos que por um preço justo, proporcionam um agradável passeio. Depois de alguns dias na cidade, havia chegado a hora de nos despedirmos para darmos continuidade a nossa viagem. Saímos de Bilbao já com saudades, com a imagem de Puppy na memória. Quem é Puppy? - Puppy é esse cão encantador, com sua estrutura feita, elaborada e com flores da estação. NÃO DEIXE DE VISITÁ-LO! • SAN SEBASTIÁN Há aproximadamente 100km de Bilbao, está a deslumbrante cidade de San Sebatián, ou Donosti, como diriam os Bascos. Sugiro que assim como nós fizemos, quando visitarem o local, antes de qualquer coisa se dirijam ao Monte Igeldo, de onde você se deslumbrará, assim como nós, com uma vista dessas: Pois é! San Sebastián é a perfeita mistura de Centro Histórico e Praia. E nos primeiro dia na cidade não perdemos um minuto se quer, exploramos todas as ruazinhas do centro. E quando menos esperávamos, ao sair de uma rua qualquer, sem pretensão alguma, estávamos em frente ao mar novamente. Não demorou pra que logo nos deparássemos com um dos inúmeros bares que a cidade contém e seus deliciosos Pintxos. No segundo dia na cidade, aproveitamos o bom tempo para ir a praia. Conhecida como La Concha, a água azul piscina, faz dessa praia uma das mais belas que já estivemos. Lá você poderá alugar um guarda-sol, e assim como nós, poderá aproveitar bem o seu dia. Advinha como estava a praia? L O T A D A! Depois de um banho e algum tempo de repouso, havia chegado nosso momento mais esperado na cidade. O Jazzaldia! O que é isso? De caso pensado, programamos para estar em San Sebastián exatamente no período em que aconteceria o evento. Trata-se de um mega festival de jazz, com inúmeros ótimos shows gratuitos, de propriedade da Heineken. A noite caiu e lá permanecemos por um bom tempo. Era nossa última noite e nenhum de nós dois estava nem um pouco afim de ir embora. • SAN JUAN DE GAZTELUGATXE Ainda no País Basco, tivemos tempo de visitar esse "lugarejo". Eu definitivamente me recuso a falar sobre esse lugar. - Por que?! Porque realmente acredito que as imagens a seguir, dizem mais do que qualquer coisa que eu possa escrever. Eu estava mentindo?? Encerramos ali nossa trip pelo País Basco, completamente satisfeitos e encantados com essa região do mundo, que embora pouco divulgada, é de enorme potencial turístico. Vale a pena! Boa viagem Mochileiros, Cheers! (Algumas outras viagens que realizamos você encontra em www.themochilovers.blogspot.com.br)
  20. Bem, vamos aos princípios: em fevereiro e março de 2016 eu programei as minhas férias do trabalho para terem início no final de abril. A partir daí comecei a buscar opções em diversos países – sim, estava aberta a tudo – para passar três das minhas 4 semanas de férias viajando. Em dúvida entre passar o tempo todo mochilando ou me fixar em algum lugar, resolvi fazer um curso de espanhol que ocuparia 12 dias (2 semanas úteis mais o final de semana) na pequena e maravilhosa cidade de Sitges (Catalunya). Antes de chegar e depois que saí tive outros 10 dias para conhecer Barcelona, Valência, Girona, Vilanova i la Geltrú e o Monastério de Montserrat. Seguem aqui estão algumas fotos só para mostrar um pedacinho das 3 semanas mágicas. Em Valência: No Monastério de Montserrat: No Camp Nou: Mas a verdade é aí que a minha história na Espanha começou! Voltando à minha rotina de trabalho e faculdade (segunda graduação no curso de contábeis), algumas semanas depois apareceu um edital do Santander Universidades. Minha faculdade tinha um incentivo a 10 alunos (cujo edital anual você pode ver aqui - https://www.santanderuniversidades.com.br/bolsas/paginas/bolsas-ibero-americanas.aspx). Participei do processo seletivo com poucas expectativas – afinal minha faculdade está presente no Brasil todo. Como as pessoas poderiam não se interessar? Então enviei os documentos para participar, fiz uma prova de espanhol (tinha recém chego do curso de Sitges, estava fresco! Mas confesso que a prova estava bem ‘’básica’’), e por fim uma entrevista por skype com responsáveis da área internacional. O objetivo dessa última fase era entender se eu apresentava aspectos psicológicos, financeiros (adicionais à bolsa se fosse necessário) e como seria em relação à minha família, emprego e relacionamentos. Grande e feliz foi a surpresa ao receber o SIM da faculdade (obs: isso foi em julho/2016). Mas eu ainda não estava segura... tinha medo de deixar meu trabalho, o dinheiro da bolsa não cobriria tudo (teria que guardar o máximo até a viagem). O apoio da minha família foi imprescindível ao dizer que a minha decisão seria a deles, e que estavam junto comigo. Duas coisas ajudaram a eles me apoiarem: eu pesquisei tudo sobre o custo de vida de Málaga (que acabou sendo a cidade escolhida), e felizmente é uma das mais baratas da Espanha. A segunda foi que tive incentivo de profissionais da minha área que me incentivaram e deixaram uma ''porta aberta'' para quando voltasse. Sobre os custos, apenas para efeito comparativo: dividir um apartamento (ou seja, ter um quarto e acesso nas áreas comuns) em Barcelona ou em Montpellier (França) é entre 350€ e 500€, enquanto em Málaga eu via anúncios entre 200€ e 250€ em apartamentos bem aconchegantes. Então após resolver que sim, EU IRIA!, faltava uma parte (bem) importante: escolher o destino (por que ainda não estava totalmente certo). Havia algumas faculdades da América Latina disponíveis, Portugal e Espanha. Minha primeira opção seria Portugal (devido à facilidade da língua para estudar), entretanto havia apenas uma faculdade politécnica (ou seja, para o meu curso da área de econômicas), o que não seria possível. Então haviam duas disponíveis na Espanha: coloquei a de Málaga em primeiro e as outras duas da América Latina em ordem de preferência. Os estudos seriam para um semestre, fevereiro ou setembro de 2017. Contrato com a faculdade assinado, bolsa caiu na conta bancária e.... cadê a carta de aceite dizendo quando eu deveria estar lá? Infelizmente ela só foi chegar no início de dezembro (sim, esperei sentada quase 6 meses) sem saber com certeza qual era o destino e qual semestre escolar estudaria (fevereiro ou setembro de 2017).
  21. Olá, ainda estou em recuperação da minha Depressão Pós Espanha .. ô país maravilhoso!!! O mochileiros.com me ajudou MUITO e eu queria retribuir um pouquinho contando a minha experiência ... Hostels: Barcelona: Alberguinn (primeira experiência com hostel, gostei bastante, pessoal atencioso, limpinho, café bom) e Alberg Pere Tarré (só passei a noite, muito organizado) Madrid: Barbieri (gostei muito, pessoal atencioso, café bom, limpinho) e Mad4You (melhor Hostel da viagem, mt bom!!) Sevilla: Nuevo Suizo (gostei) 1º Dia: chegada em Barcelona e Camp Nou - priemiro problema: comprei a entrada no hostel, que não tinha se atualizado, me cobraram no hostel e quando cheguei no Camp Nou me cobraram de novo. Depois o hostel me devolveu o dinheiro e ficou tudo bem! 2º Dia: Parque Guell, Sagrada Família, Casa Milla, Casa Batló e Plaça Catalunia - DIA PERFEITO! Dica: compre tudo com antecedência!! Fiquei esperando 2h para entrar no Parque! Também esperei 2h para a Sagrada Família, aproveitei para ir na Casa Mila nesse meio tempo. 3º Dia: Teleférico Montjuic, Castelo Montjuic, Museo Olimpico, Estadio Olimpico, Anella Olimpica, Fundação Miro, Museu Nacional de Artes da Catalunya, Arena de Barcelona - Dia Incrível, mt bom!! 4º Dia: Arco do Triunfo, Catedral de Barcelona, Mirador de Colom, Museu D’Historia de Catalunya, Barceloneta - Esse dia foi mt bom e diferente!! Saindo da estação tinha um Batuka Fest, não resisti e fiquei para assistir, o que me limitou a outros passeios programados para o dia, mas foi ótimo! No final, assiti a um concerto de música Japonesa, na praia, incrível!! 5º Dia: Viajar Barcelona - Madrid, fui de Renfe, ótima opção! Comprei um dia antes. Cheguei em Madrid e consegui ir no Museo Nacional Centro de Artes de Reina Sofia, gigaaaaante e lindo! No caminho passei pela Puerta de Acalá e Fuente Cibeles 6º Dia:Puerta Del Sol, Plaza de Mayor, Catedral de Almudena, Palacio Real de Madrid, Real Basílica de São francisco eTemplo Debod - Dia Perfeito e Emocionante, meu coração ainda está no Palácio Real de Madrid ... 7º Dia: TOLEDO (AVE - Renfe) - Por favor, vá a Toledo!!! Lugar incrível, maravilhoso, histórico, emocionante, perfeito ... Se perca pelas ruelas dessa cidade! Eu fui: Puerta Bisagra, Alcazar de Toledo, Plaza Mayor, Santa Iglesia de Catedral Primada, Iglesia de Santo Tome, Sinagoga Del Transito, Sinagoga de Santa Maria, Bajada de San Martin. 8º, 9º e 10º Dias: Tenerife, nas Ilhas Canárias - fui para casas de amigos, que rodaram a ilha inteira comigo. 11º Dia: Volta de Tenerife e ainda consegui ir no Museo Nacional Del Prado, outro lugar gigante e maravilhoso! 12° Dia: SALAMANCA (ônibus): Cidade Mágica! Linda! Plaza Mayor, Casa de Las Conchas, Casa Lis, Catedral Velha e Catedral Nova, Convento de San Estebán, Palacio de La Salina. 13º Dia: Viajar de Madrid para Sevilla (AVE, Renfe). Quando cheguei dei uma volta pela cidade .. Sevilla é uma gracinha!! Assisti um espetáculo Flamenco, VC TEM QUE IR!! 14º Dia: Plaza España, Catedral de Svilla, Giralda, Real Alcázar, Torre Del Oro, Costurero de La Reina, Plaza de Toros, Metropol Parasol - Dia Incrível! Lugares maravilhosos .. a Plaza de España é de tirar o ar! 15° Dia: Viajar de Sevilla para Barcelona, tomei um chá de Estação, fiquei três horas esperando o trem para Madrid! E mais uma hora em MAdrid esperando o trem para Barcelona ... Balanço geral! A Espanha é um lugar incrível!! Eu me apaixonei por cada cidade! As viagens entre cidades fiz de RENFE, muito bom!! Só Salamanca que fui de ônibus, bom também! Em Barcelona e Madrid, usei metro, ótimo! Te leva para qualquer lugar!! As outras cidade fiz tudo a pé mesmo, é tranquilo .. Consiga um mapa da cidade (fácil, qualquer hostel ou centro de informações de dão) e se aventure! PS: fui na primavera, era Sol até as 21h!! Foi tranquilo fazer todos esses passeios ... No mais, terei um enoooorme prazer em te contar cada detalhe da minha viagem, cada emoção, cada perdida, as aventuras gastronômicas, quanto gastei em média .. e te dar mil idéias ... TUDO!! Pode me adicionar no face: Caroline Cony Seródio.
  22. [creditos]Este é um post resumido do relato de viagem completo no meu blog, acompanhe os posts com TODAS AS FOTOS aqui : A vida do viajante - EUROPA 2014[/creditos] [t1]Primeiras impressões[/t1] Talvez influenciado pela nítida preferência da maioria dos visitantes (pelo menos dos Brasileiros) por Barcelona, confesso que não esperava muito da capital espanhola. Tomada como cidade grande demais, austera e com poucas atrações turísticas de peso, muitas vezes fica de fora de roteiros turísticos dos viajantes. Talvez por isso mesmo, Madrid, "la ciudad que nunca duerme", foi uma das melhores surpresas das minhas viagens pela velho mundo, os motivos tentarei resumir nos tópicos seguintes. [t1]Hospedagem[/t1] Madri é uma cidade grande, com muitas opções de bairros para se hospedar. Considero a melhor opção para uma primeira visita o "miolo" do centro, a região entre a Plazzas Mayor e a Puerta del Sol, região que concentra a maior quantidade de pessoas durante o dia, e de onde se pode chegar a pé a maioria das demais regiões da cidade, entre elas a luxuosa região do Prado, a Chueca (muito bom para quer curtir a noite), a estação Atocha e a Gran Via. Este último bairro foi onde fiquei hospedado, no Rincon de Gran Via, um apart hotel de bom custo benefício muito próximo a Plaza España. Esta região é a mais "americanizada" da cidade, com vários fast food, lojas de departamento e teatros e cinemas estilo "broadway", euquanto a leste se encontra uma arquitetura mais requintada nas imediações da Puerta de Alcalá, [t1]Roteiro de Dois Dias[/t1] [t3]Primeiro Dia - A Madrid dos Bourbon[/t3] No primeiro dia , em uma caminhada de 3 km conheça a região da cidade mais moderna conhecida como a Madrid dos Bourbon, uma das dinastias mais importantes que governa a Espanha até os dias atuais. [googlemap]https://maps.google.com/maps?saddr=Rinc%C3%B3n+de+Gran+V%C3%ADa,+Calle+Gran+V%C3%ADa,+67,+28001+Madrid,+Espanha&daddr=Plaza+del+Callao,+Calle+Preciados,+28013+Madrid,+Espanha+to:Zara,+Gran+V%C3%ADa,+34,+28013+Madrid,+Espanha+to:Fundacion+Telefonica,+Calle+Gran+V%C3%ADa,+28,+Planta+7%C2%AA,+28013+Madrid,+Espanha+to:Metropolis+Sa+Compa%C3%B1ia+Nacional+De+Seguros+Y+Reaseguros,+Calle+de+Alcal%C3%A1,+39,+28014+Madrid,+Espanha+to:Puerta+de+Alcal%C3%A1,+Plaza+de+la+Independencia,+1,+28001+Madrid,+Espanha+to:Palacio+de+Cibeles,+Plaza+de+Cibeles,+1,+28014+Madrid,+Espanha+to:40.4158463,-3.6929849+to:Museu+do+Prado,+Paseo+del+Prado,+s%2Fn,+28014+Madrid,+Espanha&hl=pt-BR&ie=UTF8&ll=40.41825,-3.699496&spn=0.009949,0.021136&sll=40.414182,-3.692372&sspn=0.009949,0.021136&geocode=FSjNaAIdY2PH_ylFZ70teyhCDTGhSf7ONOl3Ig%3BFRjCaAIdOXTH_ynxUroZqotBDTH7ZgVOG3wgxQ%3BFf_DaAId6XrH_yl1cKKffShCDTEqjnVkaJLjIw%3BFXHDaAIdfYPH_ynBTE5xhyhCDTGycynlTnuAnw%3BFZW9aAId5pTH_ymdPbEShChCDTHN_hrpJxvmRg%3BFZjCaAId37bH_yknUoZKmihCDTHxhkoUOosnmA%3BFZi-aAId-anH_ynlsnazhChCDTFeli2MofpGPw%3BFWayaAIdSKbH_ymtVbwrgyhCDTHJRc538eSwDg%3BFVaqaAIdoanH_yntothmnShCDTFaiK2TffCUEA&t=h&dirflg=w&mra=ltm&via=7&z=16[/googlemap] Nosso roteiro inicia pela Plaza España, percorrendo a Gran Via em direção ao Parque del Retiro. Observe a mudança no estilo dos prédios, aos poucos os letreiros de neon vão dando lugar a prédios de arquitetura mais elaborada que culminam no Ed Metrópolis e no elegante prédio do Ayuntamento (Prefeitura) de Madrid, situado na Plaza de Cibeles, um importante ponto de referência da capital. Ayuntamento de Madrid Ed Metropolis Siga pela Puerta de Alcala até o Parque do Retiro, os antigos jardins do Palácio do Retiro, destruído durante as invasões napoleônicas do início do século XIX. Ótimo lugar para um piquenique, aproveite os lagos, monumentos e jardins e siga em direção ao belíssimo Passeio do Prado, uma das avenidas mais bonitas do mundo. Se não tiver tempo nesse dia, no dia seguinte não deixe de passar por lá. Puerta de Alcala Voltando ao Paseo do Prado, logo se avista o Museo do Prado, com entrada gratuita após as 17h-18h (dependendo do dia), e que tem obras de arte de valor inestimável, principalmente de artistas espanhóis como Goya e Velasquez. Imperdível até para quem não curte muito museus do estilo. E agora que tal curtir um pouco da noite madrileña? Em menos de 2km podemos chegar ao Mercado de San Miguel passando por uns alguns dos pontos mais conhecidos de Madrid. [googlemap]https://maps.google.com/maps?saddr=Museu+do+Prado,+Paseo+del+Prado,+s%2Fn,+28014+Madrid,+Espanha&daddr=Plaza+Puerta+del+Sol,+Madrid,+Reino+da+Espanha+to:Plaza+Mayor,+Madrid,+Reino+da+Espanha+to:Restaurante+Mercado+de+San+Miguel,+Plaza+San+Miguel,+Madri,+Reino+da+Espanha&hl=pt-BR&sll=40.415211,-3.700247&sspn=0.009949,0.021136&geocode=FVaqaAIdoanH_yntothmnShCDTFaiK2TffCUEA%3BFe61aAIdpX3H_ykTkSUZfihCDTGXfiXbPELkmQ%3BFYSwaAId-m3H_ynZ4F_YfihCDTHoJXbW8MQC0g%3BFeGwaAId8m3H_yGSiTcp_BO_Dim9LGvdfihCDTGSiTcp_BO_Dg&oq=MERCADO&t=h&dirflg=w&mra=ls&z=16[/googlemap] Uma boa caminhada levará até a Puerta do Sol, centro nevrálgico da cidade, mas sem muitos atrativos. Apenas observe a estátua del Oso y el Madroño, o símbolo do capital espanhola e o movimento eufórico dos transeuntes. Seguindo adiante, em pouco tempo chegamos ao Mercado de San miguel, tradicional reduto boêmio da cidade para um delicioso final de noite regado a vinhos de preferência o tradicional Riojo e repleto de muitas tapas escolhidas a gosto do cliente entre as inúmeras "barracas" do local. Tapas no Mercado San Miguel [t3]Segundo Dia - A cidade antiga[/t3] Reserve o dia para conhecer o outro lado de Madrid. Uma caminhada de 3,5 km entres as Plazza España e Mayor, revelará a cidade antiga, com suas vielas e palácios históricos. [googlemap]https://maps.google.com/maps?saddr=Plaza+de+Espa%C3%B1a,+Madrid,+Reino+da+Espanha&daddr=Templo+de+Debod,+Calle+Ferraz,+1,+28008+Madrid,+Espanha+to:Museum+Cerralbo,+Calle+de+Ventura+Rodr%C3%ADguez,+17,+28008+Madrid,+Espanha+to:Pal%C3%A1cio+Real+de+Madrid,+Calle+Bail%C3%A9n,+s%2Fn,+28071+Madrid,+Espanha+to:Catedral+de+Madrid,+Calle+Bail%C3%A9n,+10,+28013+Madrid,+Espanha+to:Calle+Mayor,+Madrid,+Reino+da+Espanha+to:Centro+de+Turismo+Plaza+Mayor,+Plaza+Mayor,+s%2Fn,+28005+Madrid,+Espanha+to:Calle+Arenal,+Madrid,+Reino+da+Espanha+to:Monasterio+de+las+Descalzas+Reales,+Plaza+de+las+Descalzas,+s%2Fn,+28013+Madrid,+Espanha&hl=pt-BR&ie=UTF8&ll=40.419916,-3.71207&spn=0.009949,0.021136&sll=40.417166,-3.711605&sspn=0.009949,0.021136&geocode=FSXOaAIdMl3H_ymVggH7byhCDTFrW_tsjXZwJA%3BFVbSaAIdd0XH_ylZEuqLbihCDTGrBndKxtlqHQ%3BFVTRaAIdE1LH_ynDONjAbyhCDTGoc2O_vy52XQ%3BFaO6aAId-FLH_ynBqaR9fihCDTFRSM7Weex_Lg%3BFbKxaAId6FHH_ykj8Vh4dyhCDTFyrAbmAOzcfw%3BFYazaAIdCWzH_yl97CsbeShCDTEfKRg1o8nbLQ%3BFWiyaAId723H_ynTQEHQfihCDTGvJnW2XS-0hQ%3BFfm3aAId63DH_ylPvPqifihCDTGII8s_BxEbzA%3BFfy8aAIdX3PH_ylxOAx-fihCDTF6wXXwUlzvIQ&t=h&dirflg=w&mra=ltm&z=16[/googlemap] Wikipedia A partir da Plaza España, observe a monumento de Cervantes com o Ed España ao fundo que já foi um dos mais altos do mundo. Este é ponto de partida para nosso roteiro que pode ainda incluir o Museo Cerralbo, uma antiga residência aristocrática transformada em museu com entrada gratuita aos Domingos. Apesar de pouco conhecida dos roteiros turísticos mais comuns é uma atração muito bonita, tanto pelo palácio em si quanto pelas obras de arte que se encontram dentro dele, desde pinturas de artistas famosos até coleções de armas e armaduras. Quase em frente, na Calle Ferraz, está o Parque del Oeste e o templo de Debot, do séc IV a.c, um autêntico santuário egípcio trasladado pedra por pedra do Egito, em agradecimento ao governo espanhol pela ajuda na preservação do templo de Abu Simbel. Templo de Debot Siga então em direção ao Palácio Real de Madrid, mas antes dê uma parada nos jardins de Sabatini para uma vista estarrecedora do complexo. Vista do Palácio Real a partir dos jardins de Sabatini O palácio é o maior da Europa em área construída e pode ser visitado quando não está sendo utilizado para eventos oficiais. Em alguns horários a visita é gratuita para latino americanos, confira o site do palácio com antecedência. Plazza de Armas e o Palácio Real Palácio Real Ao lado, encontra-se a Catedral de Amuñeda, que apesar de ser uma construção mais moderna, vale uma visita rápida, mesmo para quem não possuem grandes interesses religiosos. Catedral de Madrid Caminhando para o leste, entramos, na minha opinião, na área mais bonita da cidade. A calle mayor e suas imediações são uma sucessão de prédios históricos bem preservados , jardins coloridos e vielas que remetem ao passado glorioso do Reino de Espanha. Entre os pontos de interesse estão a antiga Plazza de Villa, onde está o antigo cabildo (ayuntamento) da antiga Madrid. Plazza de Villa Na região ainda encontra-se a Colegiata de San Isidoro, antiga catedral da cidade e a Plaza Mayor, local onde ocorriam os eventos públicos da Madrid antiga, desde touradas até execuções da temida Inquisição Espanhola, uma das mais sangrentas do mundo, presidida pessoalmente pelos Reis Católicos na ânsia de banir qualquer outra religião do país. Colegiata de San Isidoro Plazza Mayor Para fechar o dia, uma visita ao Monasterio de las Descalças Reales, um antigo convento repleto de obras de arte de extremo valor, doadas pelas famílias abastardas das noviças. Infelizmente, as visitas só podem ser guiadas em determinados horários bem controlados e quando lá estive não consegui visitá-lo por dentro. Monasterio de las descacas reales [t1]Resumo Final[/t1] Mais uma cidade que o mito não corresponde à realidade. Quem espera que Madrid seja uma cidade um tanto monótona, sem grandes atrativos, encontrará uma metrópole viva, pulsante, com muitas opções de diversões, inclusive culturais, além de prédios de belíssima arquitetura. A gastronomia descomplicada, baseada em tapas (aperitivos) e bebidas de qualidade como o vinho Riojo, assim como o povo amigável e educado contribuem para criar uma atmosfera amigável de uma cidade que sabe receber bem o visitante e proporcionar momentos de pura diversão.
  23. A viagem desde Madri havia sido formidável. Fiz o percurso a bordo de um trem AVE (de alta velocidade), operado pela Renfe (Red Nacional de Ferrocarriles Españoles) – onde registrei a velocidade de 302 km/h. Durante a viagem fiquei tão encantado com o trem que pedi um misto quente, sem me lembrar que era sexta-feira Santa (é pecado?!). Ao chegar em Barcelona, capital da comunidade autônoma da Catalunha, segui de metrô até o belíssimo Mare de Déu de Montserrat – um albergue afastado do centro da cidade que, entretanto, oferece uma ótima infraestrutura, com amplo refeitório, sala de leitura, de reuniões, sala de jogos, piscina e wifi gratuito. O imóvel é uma atração à parte, uma bela e centenária mansão adornada com vitrais, azulejos e afrescos coloridos. Localiza-se no alto de um morro, o que lhe garante uma vista fabulosa da cidade e uma canseira para subir a ladeira – ainda mais se tiver um mochilão nas costas. Apesar do albergue não ser minha primeira opção, gostei bastante da experiência que tive. E se você faz questão de ficar no centro da cidade, faça sua reserva com antecedência. Próximo ao albergue, a menos de 500 metros, fica o esplendoroso Parc Güell, uma das grandes obras da cidade projetada pelo arquiteto Antoni Gaudí, que foi o primeiro atrativo visitado por mim. Permaneci por lá bastante tempo fotografando as travessuras arquitetônicas do mestre. Se você quer tirar uma foto com El Drac prepare-se para aguardar a fila, mas vale a pena observar cada detalhe dos mosaicos, da Sala Hipostila (ou das Cem Colunas que, na verdade, são 86) e do Banco Ondulante, ergonomicamente adaptado para o corpo humano. Como já anoitecera, decidi voltar ao albergue onde conversei (ou ao menos tentei me comunicar) com um senhor japonês que dividia o quarto comigo e não falava quase nada em inglês. Depois de muita confusão, a única coisa que guardei do nosso bate-papo foi como falar “boa noite” em japonês: “Conban-uá” (ou algo parecido com isso). O dia seguinte amanhecera e eu estava ávido para desvendar a idolatrada e unânime Barcelona. Afinal, dez em cada dez viajantes são apaixonados por ela. Fui primeiro para a Rambla del Mar, uma ponte móvel (que se abre para os barcos passarem), que leva ao Port Vell (Porto Velho) – hoje, uma grande e moderna área de lazer com shopping, clubes náuticos, aquário e cinema. Também é possível chegar pelo outro lado, onde não há ponte, simplesmente atravessando a Plaça de l’Ictineo. Quase em frente à ponte, mas na direção da cidade, há uma coluna enorme sustentando o navegador Cristóvão Colombo que aponta ao mar. Logo atrás do descobridor da América, estão Las Ramblas, a mais agitada área turística de Barcelona, repleta de lojas, cafés e artistas de rua – destaque para a Plaça Reial. Ainda no centro, encontram-se atrações como a lindíssima igreja de Santa Maria del Mar, o Museo Picasso e a Muralla Romana. Não muito longe, o Bairro Gótico se apresenta com sua espetacular catedral e estabelece uma parada obrigatória. Parei pra fazer um lanche e, meio sem querer, descobri que o Barça iria jogar no dia seguinte lá no Camp Nou. É verdade que, apesar de gostar de futebol, não havia planejado ir a jogos, até porque os ingressos não seriam baratos e o orçamento para quase 90 dias de viagem poderia ficar comprometido. Mas, já que a coincidência ocorreu, essa chance eu não perderia, jamais! Corri para o estádio (que fica bem longe do centro), não resisti e paguei € 30,00 no ingresso para assistir a Barcelona x Valladolid. Também não me aguentei e adquiri uma camisa do Barça – com meu nome nas costas. Entendeu o lance do orçamento comprometido? Mas voltei feliz da vida para o albergue! Foi então que fiz uma nova amizade, Carlos – nome adaptado do meu novo companheiro de quarto –, um mochileiro de Hong Kong. Ele conseguiu realizar a tremenda façanha de trancar a chave do cadeado junto com todos seus pertences no armário e, como não falava espanhol e tampouco entendia o inglês-catalão do recepcionista, veio pedir socorro. Alguns minutos depois, o problema estava resolvido – e o cadeado em pedaços. No terceiro dia, eu e meu amigo de viagem (por um dia), fomos juntos até a Sagrada Família – em construção desde 1882, é a mais incrível obra de Gaudí. Impressionante por dentro e por fora, deve ficar pronta em 2026, centenário da morte de seu idealizador. Depois passamos por La Pedrera, o edifício mais conhecido do arquiteto. DSC05892 Seguimos de metrô para a praia. O céu estava azul, limpo, lindo. O sol forte como em dias de verão, mas fazia frio. Pela primeira vez eu via o Mar Mediterrâneo de perto e ao ver as ondas quebrando, sentia o estrondo do mar no fundo do meu peito – era a saudade que batia forte –, e a incerteza de viajar por tanto tempo começou a me atormentar. Aquele momento foi um dos mais difíceis pra mim. Não consegui me segurar e liguei pra casa pra conversar com a minha família. Tentei disfarçar a emoção. Mas foi em vão. Meio recuperado, fiquei refletindo sobre a viagem (e fugindo do frio) enquanto lagarteava debaixo do sol. Depois de um rápido lanche, Carlos e eu tomamos rumos diferentes. Já mais animado, peguei o metrô para o Camp Nou. Dentro do estádio e devidamente uniformizado, assisti à goleada de 4 a 1 para os donos da casa. Um time de dar inveja à qualquer seleção, na época comandada por Puyol, Iniesta, Henry, Eto’o e Ronaldinho Gaúcho que não jogou por estar contundido. Comemorei muito junto com a torcida catalã – maioria esmagadora no estádio. Após o término da partida, muita espera até que intermináveis filas de azul grená se dispersassem pelo metrô. Na manhã seguinte, pulei da cama às 6h45 para não perder o trem com destino à Paris. No entanto, ao chegar à estação, fui informado de que não havia mais bilhetes disponíveis para a capital francesa. A saída seria fazer uma conexão forçada em Montpellier, no sul da França. Assim, eu deixava Barcelona que, só pra confirmar, continua unânime entre os viajantes! Leia o post com fotos em: http://viajanteinveterado.com.br/a-cidade-de-gaudi-barcelona-espanha/ Este é o 6º post da série Mochilão na Europa I (28 países) Leia o post anterior: Artes e paella! (Madri, Espanha)
  24. Viajante Inveterado

    Artes e paella! (Madri, Espanha)

    Depois de passar uma noite inteira no trem, que tomei em Lisboa, chego à estação Madrid Chamartín. Já no primeiro contato com o metrô da cidade, percebi que seria fácil me deslocar por ali. A rede cobre todos os lugares de interesse turístico e você só anda a pé se quiser. Ainda era cedo quando cheguei, com minha carapaça nas costas, ao Cat’s Hostel. Um albergue que ocupa um belíssimo palácio do século XVII, no centro de Madri. Seu nome vem do apelido dos madrilenhos: “gatos”; por terem o hábito de passar muito tempo na rua, seja dia ou seja noite. De quebra, o Cat’s possui um agitado bar no porão. Se você gosta de festa, esse pode ser o local certo. DSC05164 Usufruindo a extensa rede de metrô, comecei o meu dia pelo famoso Paseo del Prado. Amplas e extensas calçadas são um convite para uma boa e agradável caminhada. Pelo caminho, sou entretido por diversas obras de arte e esculturas expostas sobre as calçadas e, antes de me dar conta, já estava em frente ao, também mundialmente conhecido, Museo del Prado – aberto desde 1819. Atenção, esses grandes museus possuem um acervo imenso, capazes de ocupar, facilmente, mais de um dia de viagem. Portanto, prepare-se e informe-se antes de visitá-los para otimizar o seu tempo. Eu, que não tinha muito tempo, permaneci por mais de quatro horas conhecendo seu acervo e admirando grandes obras de Goya e Velázquez. Ao final eu estava esgotado, pois também havia viajado a noite toda. Peguei o rumo do albergue, onde meus novos companheiros de quarto já estavam acomodados. Eram duas coreanas, duas alemãs, um francês e um outro indivíduo que não tive a oportunidade de conhecer, pois dormia – e roncava – o tempo todo! Com as baterias recarregadas e espírito desbravador, meu segundo dia na capital espanhola foi bastante produtivo. Parti da estação de metrô Antón Martín (próxima ao albergue) para desembarcar na estação Sol e conhecer o prédio do antigo Correo e a praça Puerta del Sol, onde estão o marco zero (identificado, no chão, por um simples padrão a partir do qual são medidas as distâncias entre Madri e todas as outras cidades espanholas) e o monumento – símbolo da cidade e importante ponto de encontros – El Oso y el Madroño (O Urso e o Medronheiro). Segui a pé pela Calle Mayor até chegar à Plaza Mayor – uma praça com chão de paralelepípedos, cercada de prédios, com uma estátua equestre de Felipe III. O curioso é que nessa praça não há sequer uma única árvore. E foi lá, debaixo de sol forte, que tentaram me aplicar um golpe. Fui abordado por um homem bem vestido, com uma câmera fotográfica pendurada no pescoço, dando pinta de turista. Ele perguntou de onde eu era e, ao responder que era brasileiro, exclamou: Ronaldinho! Até aí, nada demais. Cumprimentou-me e perguntou se a moeda da Espanha era a Peseta (moeda espanhola utilizada antes da adoção do Euro, em 2002) e onde poderia trocar dinheiro. Estranhei a pergunta e expliquei (já desconfiado) que a moeda era o Euro e que não conhecia nenhuma casa de câmbio por ali. Ele insistiu e, mostrando-me uma cédula iraniana (de onde dizia estar vindo), pediu que lhe mostrasse como eram as notas de Euro. A essa altura indiquei (já nervoso!) um cartaz com o símbolo da moeda. E ele, muito cara-de-pau, apontou para a minha carteira (que estava no bolso da frente), pedindo para ver o dinheiro. Diante dessa evidente suspeita de golpe (muito ruim por sinal), recusei-me a lhe mostrar e continuei tranquilamente meu passeio. Enquanto processava o que acabara de acontecer, fiquei imaginando quantos turistas ingênuos não-brasileiros devem cair nesse golpe todos os dias. Nós, infelizmente acostumados com golpes de todo tipo, não podemos dar bobeira frente a esses oportunistas. Caminhando pelas ruas, tive a agradável surpresa de me deparar com a bela e pouco conhecida Basílica Pontifícia de San Miguel – que não costuma estrelar em guias de viagens. É uma pequena e discreta igreja, na Calle San Justo, que guarda uma beleza incrível em seu interior. De volta ao roteiro turístico tradicional, visitei a Catedral Santa Maria la Real de la Almudena (ou apenas Catedral de Almudena) que, de tão grande, mais se assemelha a um palácio – próxima à Plaza de Armas e ao Palácio Real. Aliás, este último é, sem dúvida, um dos mais belos e luxuosos de toda a Europa. Uma visita em seu interior é indispensável. As salas do palácio possuem tapetes imensos, paredes forradas com belos tecidos bordados e afrescos por todas as partes, até no teto. A sala do trono é absurdamente majestosa, sem trocadilhos! Há também uma sala inteira construída com porcelana. Tudo impressiona! Na sala de jantar contei 33 cadeiras de cada lado da mesa. Quando fiz a visita, estavam sendo realizadas duas exposições: Hilos de Esplendor (tapetes) e outra com as armas reais (onde se destacavam as lanças e armaduras). Se o passeio der fome, existe um bom restaurante no interior do palácio, bem como uma livraria. Entre o Palácio e o Teatro Real fica a Plaza de Oriente, com elegantes cafés à sua volta e adornada com estátuas de reis espanhóis – originalmente feitas para adornar a cornija do Palácio mas, devido ao peso, 20 delas foram colocadas na praça. As demais estão espalhadas por Madri e em outras províncias. Acompanhei a Gran Vía que, como o nome sugere, é uma grande – e movimentada – avenida da cidade. Foi em uma de suas travessas que parei para almoçar no restaurante IOWA – escolhido a esmo. O local é simples, mas com boa comida. O prato escolhido foi a tradicional e deliciosa Paella que foi servida em sua forma clássica – sobre uma frigideira (paellera) de ferro, rasa e com duas alças. Depois do almoço tardio, continuei caminhando pela mesma avenida até seu entroncamento com as ruas Alcalá e Paseo del Prado, onde terminei o dia conhecendo o Portão de Alcalá, a Plaza de Cibeles e prédios históricos. De volta ao albergue, “comemorei” a primeira semana de mochilão lavando roupas! Meu terceiro dia na capital espanhola foi longo. Perdi a hora do café da manhã do albergue e tive que improvisar com água e bolachas. De estômago meio cheio, segui para o Centro de Artes Reina Sofia, onde pude conhecer pessoalmente as magníficas obras de Salvador Dali, Miró e Pablo Picasso. Dei sorte, além da coleção permanente do museu que inclui a extraordinária obra Guernica, a coleção do Museu Nacional Picasso Paris também estava lá exposta temporariamente. Ainda entusiasmado com o trabalho do pintor espanhol, fui até o Parque del Retiro para relaxar, curtir seu lago com pedalinhos e admirar seu belo paisagismo. Aproveitei a tranquilidade do parque para comer um bocadillo e, após uma longa caminhada, tomei o metrô com destino ao Estádio Santiago Bernabéu, a casa do Real Madrid. O estádio dos “merengues” (apelido do time) oferece, em dias que não há jogo, um tour não guiado por suas dependências. Seja você um amantes do futebol, ou não, o tour é muito interessante, pois mostra a paixão de um povo por seu esporte nacional. Vale a pena conhecer a sala de troféus, as arquibancadas, a área VIP, a sala de imprensa, os vestiários e até mesmo o banco de reservas de uma das maiores equipes do futebol mundial, onde alguns dos melhores jogadores do mundo já escreveram sua história – pra citar alguns: Ronaldo, Roberto Carlos, Robinho, Kaká, Zidane, Beckham e Cristiano Ronaldo. Ao finalizar o passeio, você cai dentro de uma loja repleta de objetos, roupas e acessórios do clube e pode fazer a festa – obviamente, desembolsando uma quantidade generosa de euros. Portanto, cuidado, pois a empolgação pode custar caro! Meu último compromisso em Madrid era visitar a polêmica Plaza de Toros de Las Ventas. Se para muitos é uma paixão, parte da história e da cultura local, para muitos outros não passa de uma violência gratuita e covarde. Sem entrar no mérito da questão, fui conhecê-la rapidamente – e apenas por fora, pois não era dia de touradas. Com a sensação de dever cumprido, mais um dia chegava ao fim e eu estava absolutamente encantado com a cidade. No dia seguinte, perdi meu trem pela manhã e passei algumas horas na estação ferroviária Atocha, esperando o próximo horário para Barcelona. Finalmente, às 13h30, consegui embarcar para meu próximo destino. Este é o 5º post da série Mochilão na Europa I (28 países) Leia o post com fotos: http://viajanteinveterado.com.br/artes-e-paella-madri-espanha/
  25. Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/3diasembarcelona/ Três dias é pouco para conhecer tudo que a jovem e cultural Barcelona tem a oferecer, mas quando não há escolha, o jeito é fazer caber! É possível conhecer as obras clássicas de Gaudí (na minha opinião, a melhor parte), ver uma apresentação de flamenco, experimentar a culinária local, visitar museus fantásticos e até pegar uma prainha! Barcelona é a capital da Catalunha, região da Espanha com cultura e identidade próprias e até um idioma diferente do espanhol, o catalão (que aliás, se parece muito mais com o francês). Os catalães buscam insistentemente a independência total da região, fale com um deles e você perceberá isso em frases como “não sou espanhol, sou catalão”. A cidade não tem um custo tão elevado se comparado a outras grandes cidades européias, como Londres e Paris, e conta com um eficiente sistema de transporte público. Como é comum na Europa, o principal perigo por lá são os pickpockets, fique bem esperto com bolsas e carteiras! Dia 1 Começamos pelo Park Guell, na parte alta da cidade (não se preocupe, tem escadas rolantes pra chegar até lá!), um complexo construído por Gaudí que originalmente seria um condomínio em meio a natureza, mas por falta de interessados acabou virando atração turística, inclusive declarada patrimônio da humanidade pela UNESCO. Uma das casas terminadas tornou-se moradia do arquiteto no período de construção, hoje é um museu com alguns móveis usados -e criados- por ele. Essa atração é paga a parte. O lugar é totalmente orgânico e colorido, marcas registradas das obras de Gaudí. Muitas áreas, incluindo a famosa escultura da salamandra, são revestida por mosaicos coloridos, uma técnica chamada trencadís. Tudo ali tem uma inteligentíssima razão funcional, sem deixar de encantar pela beleza! Como se não bastasse tanta coisa linda pra ver lá dentro, a vista nas partes mais altas, voltada para o mar, também é espetacular! Endereço: Carrer d’Olot, s/n, 08024 Barcelona / Metrôs Vallcarca ou Lesseps, linha 3 – verde Horários: Variam de acordo com as estações. http://www.parkguell.cat A próxima parada foi o Museu Picasso, uma coleção incrível, que vai muito além do cubismo, em sua maior parte doada por Jaime Sabertés, amigo do artista. Alguns pontos altos são a série Las Meninas e as telas dos períodos azul e rosa. O prédio gótico onde fica o museu é uma atração a parte! Infelizmente estávamos com pouco tempo e não era permitido fotografar, então não tenho muitos registros, mas vale demais a visita! Endereço: Montcada 15-23, 08003 Barcelona / Metrô Jaume I, linha 4 – amarela Horários: De terça a domingo das 09:00 as 19:00 / Quintas das 09:00 as 21:30 / Fechado as segundas. http://www.museupicasso.bcn.cat Pra encerrar a noite fomos ver um show de flamenco, simplesmente fantástico!!! Entre tantas opções, escolhemos o Restaurante Nervion, ali mesmo pertinho do museu, o lugar é simples mas acolhedor e o valor pago inclui além do show, um jantar com entrada, prato principal e sobremesa. Dia 2 Visitamos a Fondació Joan Miró, um enorme museu com quadros, esculturas, tapeçaria entre outras obras compondo a maior coleção do artista catalão. O lugar fica no Parc de Montjuïc, uma montanha com diversas outras atrações, mas como não parou de chover, ficamos só pelo museu mesmo! Também não tenho muitos registros pois não era permitido fotografar. Fundação Joan Miró Endereço: Parc de Montjuic, 08038 Barcelona Horários: Variam de acordo com os dias da semana / Fechado as segundas. http://www.fmirobcn.org Seguimos para a Casa Milà, também conhecida como La Pedrera, outra magnífica obra arquitetônica de Gaudí encomendada por Pere Milà e fortemente criticada na época. O prédio fica localizado no famoso Passeig de Gràcia, a fachada sinuosa com varandas em ferro forjado se destaca em meio as outras construções mais convencionais. Dentro do prédio é possível visitar um dos andares com os cômodos mobiliados como uma casa da época de sua construção, 1906. O último andar é uma exposição permanente com obejtos, desenhos, maquetes e audiovisuais que mostram algumas das obras de Gaudí e suas técnicas. O terraço é a parte mais esperada, mas infelizmente por causa da chuva não pudemos subir. Casa Milà / La Pedrera Endereço: Passeig de Gràcia, 92. 08008 Barcelona Horários: Segunda a Sexta das 09:00 as 18:00 / Sábados, domingos e feriados das 10:00 as 14:00. http://www.lapedrera.com Ainda do espírito Gaudí, fomos conhecer a Casa Batlló, uma verdadeira obra de arte em forma de prédio, não dá pra não sair de lá maravilhada com a genialidade do arquiteto! Conto sobre ela em detalhes aqui neste post! Fomos num bar de tapas ali pertinho experimentar a famosa iguaria nacional, que é na verdade uma entradinha ou comidinhas em pequenas porções. A variedade é imensa, quentes ou frios, com queijos, presuntos ou conservas… combinam direitinho com uma cerveja ou uma cava, o vinho espumante espanhol. Não me lembro o nome do lugar, mas certamente não vai ser difícil encontrar um desses onde você estiver! Dia 3 Começamos o dia pela parte mais esperada da viagem, o Templo Expiatório da Sagrada Família, obra-prima ainda inacabada de Gaudí e cartão postal de Barcelona. A basílica que começou a ser construída em 1882 teve seu projeto modificado algumas vezes, passando do neogótico ao modernismo catalão, movimento da qual Gaudí fazia parte. Ele a construiu inspirado em uma floresta, o que é visível nos detalhes de seu interior todo branco, ladeado por vitrais que inundam o espaço com cor e vida. O projeto conta com 3 fachadas, a da Glória, a da Paixão e a da Natividade, sendo que as duas últimas já estão terminadas e são fantásticas, com estilos bem diferentes. Se tiver tempo (não foi nosso caso), ainda é possível subir em uma das torres e ter uma vista linda da cidade. No subsolo há uma área que conta um pouco da história do lugar. Eu não sou católica e preciso dizer que foi a primeira vez que entrei em uma igreja e senti paz, me senti realmente bem em estar ali, acho que o objetivo foi cumprido! O plano é que a obra fique pronta em 2026, no ano do centenário de seu criador, mal posso esperar para visitá-la outra vez! Sagrada Família Carrer de Mallorca, 401, 08013 Barcelona / Metrô Sagrada Família, linha 5 – azul ou 2 – lilás Horários: Variam de acordo com as estações. http://www.sagradafamilia.org O próximo ponto foi Barceloneta, o bairro de pescadores junto a praia. O tempo estava bem feio então foi só uma parada rápida e uma caminhadinha na orla. Alguns pontos marcantes são a escultura da artista alemã Rebecca Horn, conhecida como Los Cubos, mas que originalmente se chama L’Estel Ferit e o Hotel W Barcelona, uma construção moderníssima que se destaca na paisagem. Seguimos para Las Ramblas, a avenida mais famosa de Barcelona, que divide os bairros El Raval e Barri Gòtic, bonita e lotada de turistas! Em sua extensão ficam lojas, bares, restaurantes e ícones turísticos como o Mercat de La Boqueria, o mercado municipal, queríamos conhecê-lo mas estava fechado. O mosaico Pla de l’Os, de Miró também é um destaque no passeio. Entramos no Bairro Gótico, uma das regiões mais antigas da cidade, com diversas construções arquitetônicas no estilo gótico, é claro! A janta foi no Les Quinze Nits, na Plaza Real, não se assuste com o aspecto fino do restaurante, os valores são super acessíveis, e a comida é ótima! Lá por perto encontramos o Milk, um bar/restaurante super diferente, com uma decoração meio retrô, uns sofás, bem agradável… por lá terminamos a noite (e a viagem) tomando uma cava pra nos despedir em grande estilo de Barcelona. Para ir até o aeroporto usamos o Aerobus, como estávamos perto de um dos pontos por onde ele passa e não tínhamos muitas malas foi a opção ideal e mais econômica, o valor hoje é de 5,90 €. Como estávamos em 5 pessoas, alugamos um apartamento ótimo e baratíssimo pelo Airbnb, entre a Plaza de España e a Avenida Diagonal, uma boa localização para conhecer a cidade usando o metrô. *Valores e outras informações atualizados em Fev/2016 Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/3diasembarcelona/
×