Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''barcelona''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
  • Destinos
    • América do Sul
    • África
    • Ásia
    • América Central, Caribe e México
    • Brasil
    • Europa
    • Estados Unidos e Canadá
    • Oceania
    • Oriente Médio
    • Volta ao Mundo
  • Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar: Grupos e Eventos
  • Equipamentos
    • Equipamentos de Camping e Aventura
  • Avaliações
    • Avaliações
  • Estilos de Viajar
    • Mochilão Roots
    • Trekking e Montanhismo
    • Viagem de Barco ou Navio
    • Viagem de carro
    • Cicloturismo - Viagem de Bicicleta
    • Viagem de moto
    • Vanlife: Viver e viajar em uma casa sobre rodas
  • Classificados
    • Classificados
  • Central de Caronas
    • Caronas
  • Outros Assuntos
    • Papo Mochileiro e Off Topic
  • Blogs de Viagem
    • Blogs de Viagem
    • Posts
  • Guia do Mochileiro
    • Guia do Mochileiro
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Arquivo
  • Ajuda e Suporte
    • Ajuda & Suporte

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 11 registros

  1. Oi, gente! Em meados de Abril eu embarquei pra Europa com meu mochilão e minha própria companhia por 29 dias, dos qual eu nunca imaginaria ser tão incrível. Sério, se ta em duvida se vai ou não, só vai, jamais, JAMAIS irá se arrepender. Quem quier acompanhar com mais dicas, fotos e stories corre la no instagram @monteseuroteiro Roteiro: Barcelona, 5 dias (12 a 17 de abril de 2018) Vienna, 5 dias (17 a 22 de abril de 2018) (Encaixado em Vienna, fui a um bate volta em Budapeste (dia 18/04), e amei tanto que voltei e fiquei 2 dias, 19 a 21 de abril) Praga, 4 dias (22 a 26 de abril de 2018) Berlin, 7 dias (26 de abril a 02 de maio de 2018) Amsterdam, 6 dias (03 a 09 de maio de 2018) Avião: Ida: Rio de Janeiro X Barcelona (Com conexão em Casablancas) - Pela Royal Air Maroc, R$1366. Voar pela Royal Air Maroc, ao contrario do que li em muitos relatos na internet, foi muito bom. O avião era novo, muita comida boa, eles davam kit tapa olho, lençol e travesseiro) e tambem tinha tv (mas todos os programas eram sem legenda em portugues) Volta: Amsterdam X Rio de Janeiro (Com conexão em Lisboa) - Pela TAP, R$999. Voar com a TAP foi bem bom tambem, mesma fartura de comidas, lençol e travesseiro mesmo no voo pela tarde. Minha experiência de conexão em Casablancas não foi das melhores. Eu não despachei mala em momento nenhum dessa viagem, fui com um Mochilão de 50l, não muito cheio, e uma mochila pequena preta. Saindo do avião já tem uma parte de perguntas-esteira-revista que não da nem pra respirar direito. Eles deixavam muita gente passar e vez ou outra mandava alguem pra passar os pertences na esteira e ir pra revista. Eu fui a escolhida, o cara não manjava nadinha de inglês e ficava repetindo "trabajo?" mesmo comigo falando minha profissão em ingles , bom...deixei minhas mochilas no scanner, peguei e dai me pediram pra ir pra trás de uma cortininha pra uma revista quase intima. Era com uma moça, claro, ela me apalpou inteira, tive que abrir doleira, tirar tudo, e verificou ate a haste do meu sutiã. AWKWARD demais. Depois você andava um pouquinho e dai sim, tinha a esteira, o detector de metal e o guarda para verificar passaporte e passagem, de novo! Dai de lá segui rumo ao meu portão de embarque pro Voo pra Barcelona.Em Barcelona por sua vez, na imigração, o moço não me respondeu nem o ''hello'' que dei, carimbou e me entregou o passaporte, ufa. Eu levei uma pastinha com TUDO que se tem direito. Reservas de hostels, voo, onibus, etc, não precisou, felizmente! mas sempre bom levar GASTOS DIÁRIOS: Barcelona, 5 dias - € 40/dia - €200 Vienna, 5 dias - €40/dia - €200 Budapeste - Como foi encaixado em Vienna, foi incluso no valor de lá por dia que fiquei, inclusive o valor do hostel (2 dias) Praga, 4 dias - €40/dia - €160 Berlin, 7 dias - €40/dia - €280 Amsterdam, 6 dias - €40/dia - €240 TOTAL: R$4750, euro a R$4,40 BARCELONA: Dia 12/04: Cheguei em Barcelona por volta das 19h, andei até o metro integrado com o aeroporto, comprei o Bilhete Único e fui em direção a minha segunda experiencia no Couchsurfing, a casa da Ester ficava ao lado da Basílica da Sagrada Família e de ótimo acesso a varios pontos. Acabei indo na loa Vodafone, comprar um chip de internet porque eu queria estar segura pra me locomover em algns pontos durante a viagem. Acabei comprando um de 6gb por $25 (e me serviu durante os 29 dias sim, na verdade, nos dias de AMS a velocidade tava reduzida porque tinha acabado mas mesmo assim nao deixou de funcionar um pouco). Me estabelecendo e conversando um pouco com a minha Couch, fui dar uma andada ao redor da Sagrada Família e logo voltei, pois estava bem cansada e ficamos comendo comida japonesa e bebendo vinho! Dia 13/04: No dia seguinte, fui novamente a Sagrada Familia, porque acho que nunca cansaria daquela vista, infelizmente eu não entrei por causa das filas grandes, mas se arrependimento matasse eu tava morta e enterrada (ainda volto pra entrar nessa lindeza) visitei o museu do Barcelona que fica ao lado e que vale muito a pena, principalmente se você for ou conhecer aquele parente doido por futebol. Acabei estiquei o caminho ao Parque Guell, onde eu já tinha comprado ingresso pela internet (€7). Antes, encontrei um restaurante onde paguei outros €7 euros pela comida (muita)+bebida (minha primeirissima cerveja na europa, eba). AH, importantissimo: Comprem o bilhete de metro T10, ele da direito a 10 viagens de metro e custa $10. Eu usei e abusei dele durante minha estadia. Algumas ruas que dão para o Park Guell tem escada rolante e tudo, o que foi ótimo! (trace o caminho de onde vc estiver até o park pelo google maps quando estiver com wifi e tire prints, ele te da o caminho certinho mesmo). O acesso pelo park é bem facil, e comprando antecipado você entra direto sem fila, e não tem necessidade de levar o comprovante impresso, pode ser no celular! E CUIDADO, o Park é alem da área paga. ele é muito maior e da pra ver mais coisa subindo cada vez mais, mas tem uma delimitação de onde é a área paga e se você sair, não tem como voltar. Então, minha dica, é olhar bastante aos arredores da parte paga do parque, e depois subir mais ainda além da limitação. Pra quem não quer pagar pra ver as artes de Gaudi de pertinho, da pra ir pra parte de graça e ter uma visão muito incrível e linda, mas não tão detalhada das artes. Area nao paga: Dia 14/04: Dia de Check-in no Hostel e conhecer os arredores do verdadeiro coração de Barcelona: a Las Ramblas. O Kabul Hostel Party fica MUITO bem centralizado, e inclusive se encontra na Plaça Reial, uma praça completamente rodeada por restaurantes(um pouco caros) mas que fica sempre cheio e com uma vibe muito gostosa! Fica bem próximo ao Metro Liceu e ao Mercado La Boqueria, o qual é incrivel pra pequenas a médias refeições de tudo quanto é tipo e gosto. O hostel é bem interativo, tem MUITAS atividades e é ideal se for sozinho. Os quartos são bons lockers que cabem o mochilão todo e bem limpo. Depois de bater muita perna e me perder nas ruas do Bairro Gótico (imperdivel), passei pela Catedral de Barcelona, algumas lojinhas e voltei ao Hostel. Conheci uma galera que tava hospedada por lá. Ficamos bebendo, jogando sinuca e nos aventuramos em uma balada e bar pelos arredores do Hostel. Tudo 10/10 e incrivel. Dia 15/04: O tempo já tinha aberto em Barcelona e o sol tava torrando!! Aproveitei pra dar uma volta na Barceloneta, pra quem não sabe, é a praia la de Barcelona. Fui andando pela beira do mar até chegar a praia, avistei um mercado, comprei um lanche, uma bebida e sentei na orla bem de boas, aproveitando o solzinho! Na beira da Barceloneta há vendedores de oculos e tenis (replicas), com precinho bem camarada, cerca de €20, me arrependi de não ter comprado um (ou vários). Aproveitei também a volta, visitei algumas lojas que eu queria, comi uma foccacia enorme + coca por €5 e terminei no hostel pra aproveitar os 30min de cervejinha gratis, porque não? hahah Acabei também, fazendo o Pub Crawl, que custou €12 (APROVEITEM PELO AMOR, foi o mais barato que paguei dentre os que eu fiz) e tinha direito a 3 shots em cada lugar que iriamos parar (2 bares+1 balada) Os bares ficavam num complexo enorme com muitas opções e a balada foi a Opium. Drinks caros, musica masomenos, mas tava lotaderrima e era segunda feira, então, valeu a experiencia. Dia 16 e 17/04 (manhã): Ultimo dia em Barcelona, dei umas voltas ao redor do bairro, andei muitissimo a procura de brechós e lojinhas e terminei a noite visitando o Arco do Triunfo, que é incrivel e lindo de ver, a noite ele tem uma iluminação especial e super vale a visita. De metro a partir do hostel eu cheguei rapidex, e com isso me restou só 1 passagem no bilhete T10. Lembra que eu comentei dele? O problema é que chegando la no aeroporto no dia 17 (super cedo, meu voo era as 9h) ele não é valido pra linha que permite você a sair da roleta pro aeroporto, então, você tem que acabar comprando um unitario só pra poder passar. VIENNA: Dia 17/04: Cheguei em Vienna de avião desde Barcelona, porque o trajeto é bem longo e de ônibus levaria 2 dias ou mais. Cheguei no hostel graças ao meu melhor amigo google maps que traçou minha rota bonitinha enquanto eu tava no Wifi e tirei print caso ficasse sem internet. A chegada do aeroporto até a estação de trem é bem curta e um pouco confusa. A estação é em uma capsula enorme mas sem nenhuma sinalização de que ali tem um trem passando...e ai, não tinha nenhum guarda, não vi nenhuma maquina de ticket e quando reparei ja tava na plataforma na cara do trem...achei estranho, subi as escadas de novo e vi uma maquina apenas, bem escondidinha aonde eu tinha que comprar o ticket pra embarcar. Custou cerca de €5, e me deixou na estação central de Vienna, que calhou de ser do lado do hostel.(não esqueçam de validar o ticket antes de entrar no trem, por sorte tinha um guardinha la embaixo com uma maquina de validação na mão e me ajudou, porem, nunca mais vi disso na viagem, não arrisquem de ir sem ticket também porque se a fiscalização pegar é multa altissima). Deixei minhas coisas e fui bater perna. Vi que estava do ladinho do Palacio Belvedere, e fui até lá. O palácio e seus jardins são incriveeeeeeis! De lá, fui andando pro Stadtpark, que é muito bonitinho e confortável pra sentar na grama e fazer um pic nic, ou só pensar na vida. De lá, você já da de cara com o centrão de Vienna, com as ruas largas e com prédios lindos e lojas de todos os estilos e preços. É maravilhoso se perder pelas ruas também, fuçar tudinho, até dar de cara com a Catedral de St. Stephen, que com certeza, você não vai esquecer quando encontrar. É magnifica demais. AH, e tem que OBVIO provar o Schnitzel. Como meu dia já estava quase no fim, e eu não tinha gastado quase nada dos €40 reservados pro dia, me dei de presente um prato incrível de Schinitzel+batata frita do restaurante WienerWald, no valor de €16 e que estava simplesmente incrível. BUDAPESTE: Dia 18/04: Meu primeiro dia em Budapeste, na verdade, foi um Bate e Volta ja programado desde Vienna. Eu já tinha comprado ida e volta numa promoção da Flixbus coisa de um mês antes.Paguei €10 ida e volta de ViennaXBudapesteXVienna. MAS como nem tudo são flores, acordei atrasada e acabei perdendo o ônibus por 10 minutos. Na europa é assim, eles são pontuais DEMAIS. Dai, fui no Guiche ver quando seria a próxima ida e tive que pagar mais €10. Ok, um pouco bolada e mais de 2h de espera pro próximo, resolvi comprar anyway. Mesmo tendo pouco tempo pra curtir por la, porque afinal a volta tava mantida e era as 17h. De Vienna pra BP são 3h. Cheguei por volta de 11/12h e acabei indo da estação ate o centro andando pelas ruas. Me arrependi novamente hahahah fiquei 1h andando até chegar na Deak Ferenc U (A estação central de BP), ja tava meio cansadinha mas nada me impediu de bater muita perna. Aliás, quando dei de cara com o Parlamento vi que tudo fez sentido. Eu agradeci demais por ter persistido e ido apesar dos pesares. Cada rua que eu entrava em me impressionava ainda mais, era doido de ser ver a grandeza da cidade. Dia 19/04: Resumindo? Na volta de Budapeste pra Vienna, aproveitei o wifi do onibus e acabei vendo que reservando hostel pros proximos dois dias entrava na minha média do que eu podia gastar por dia. Era €9 a diaria, €10 ida e €10 volta, então me sobraria €21 para gastar por dia. (Pois no meu planejamento, eu teria €40/dia) e DEU, até porque me sobrou uns florint do dia do Bate e Volta. Sendo assim, reservei pra mais dois dias e voltei na manha seguinte bem cedo porque eu realmente me apaixonei por Budapeste como nunca antes aconteceu. Assim que cheguei no hostel, deixei minhas coisas e segui pra comer alguma coisa e conhecer um pouquinho mais do que eu não tinha visto no dia anterior. Mas acabei finalizando o dia, claro, no Parlamento pra ver o por do sol por lá e o acender das luzes e caraca! acho que entrou pras cenas que meu cérebro não tem nem coragem de esquecer de tão lindo. Voltei pro hostel, e como ja tinha conhecido uns amigos e outros que conheci em Vienna também tinham chegado em Budapeste, fomos todos pro bar mais famoso de lá: O Szympla Kert. O espaço é todo diferente e incrível. É todo decorado de objetos que iriam (ou foram) pro lixo. Tem vários e vários ambientes e dois bares bem distribuídos pra você não precisar se deslocar tanto só pra pegar uma cerveja. Lá lota qualquer dia da semana e ah, não paga entrada, só o que consumir. O pint da cerveja (500ml) é por volta de 500-600 florint, coisa de €2. De lá, depois de conhecer mais um galera super doida e divertida, fomos pro Instint, uma balada que você também não pagava pra entrar (pq era quinta feira, não sei muito bem dos outros dias) e tava tocando uma musica bem boa que eu gosto muito e dai ficamos noite afora por lá e era do lado do hostel então foi bem de boas e volta. Dia 20: Depois de acordar meio pra la do que pra cá, me estabeleci, tomei um banho e fui conhecer o lado de Buda, o castelo e o bastião do pescador. Optei por ir andando, porque como eu ja disse, AMO bater perna e acho a melhor maneira de se locomover (e porque não era tão longe assim, já que o Hostel era bem central). Tava bastante sol e eu com bastante ressaca, então fiz tudo no meu tempo, revezando entre muita água e sorvete hahaha Chegando no pé do Castelo, optei por ir a pé, porque a subida não era tão grande assim, e não demorei mais que 15min pra subir. Porem, existe a opção da Funicular. Percorri o castelo todinho e de lá se tem muitas vistas incríveis do lado Peste. Pra quem não sabe, Budapeste é dividida em dois lados. O lado Peste é o comercial, onde tudo acontece. E o lado Buda, é do outro lado do Rio Danubio, onde tem castelo e tudo é mais medieval e menor, inclusive as ruas. Essa é a historia resumida, historicamente falando, tem que dar uma pesquisada hahaha Segui ao Bastião do Pescador e acabei não comprando o ticket pra subir e ter uma vista ''melhor'', achei salgado o valor, era por volta de €7 e ja tinha visto quase a mesma coisa, inclusive do lado tem umas escadinhas que se tem a mesmissima vista. Na volta pro hostel, aproveitei pra dar uma descansada porque afinal, era sabado e meu ultimo dia naquele lugar incrivel. Acabei decidindo (junto de um dos meu roommate por dois dias e do qual virei amiga hahah) sair e entrar em bares que achássemos legal, tomar uma cerveja e fazer isso o quanto pudêssemos hahahha fomos a lugares incríveis que eu nem imaginaria que existia se não visse e resolvesse entrar de doida. Dos que me lembro, fui ao Kuplung, um complexo parecido com o Szympla Kert e muito animado e o IAI, que era uma espaço tipo um galpão gigantesco, que acredito rolar uma festa diferente a cada dia. Dia 21/04: Acordei catando cavaco mega atrasada pro Check Out, mas pro meu alivio eles foram bem legais mesmo com meu atraso de 20min. Era dia de voltar a Vienna, fuen. Fui caminhando ao metro da Deak Ferenc U em direção a estação de ônibus de Nepliget. (Não esquece de fazer o trajeto no google maps, ele te da certinho o que fazer, se precisa de baldiação e tudo mais). Chegando em Vienna, voltei pro hostel, deixei as coisas e segui de metro pra ver um pouquinho do que me faltava. A prefeitura, e o Palácio de Hofburg. Voltei ao hostel já de noite, morta com farofa de cansaço e aproveitei pra dormir tudo o que eu ainda não tinha dormido durante esses dias, me dei de presente belas 12h de sono e acordei plena no dia seguinte pra ida a Praga. PRAGA: Dia 22: Cheguei em praga por volta das 13h, pela estação de ônibus de lá. Ela é bem próxima ao centro e já de cara é bom trocar um pequena quantidade na casa de cambio (o suficiente pra sua locomoção até a hospedagem) Como do lado do meu hostel, possuía uma estação de metro, optei pelo metro. Foi a compra de bilhete mais confusa que eu vi nos metros da europa hahahah eu fiquei bons muitos minutos analisando as milhões de opções de tickets que oferecem. optei, depois de muito esforço pelo ticket de 24 centavos de CZK que dava direito a uma locomoção de até 30min, como tava dando apenas 15min do meu trajeto, achei a melhor opção. (aham, isso mesmo, 24 centavos. Já de cara eu comecei a perceber como tudo era barato). Chegando no hostel e feito o Check in, segui pra conhecer um pouquinho da cidade e comer alguma coisa. O hostel era bem proximo da Charles Bridge e sendo assim, percorri ela todinha até o outro lado pra visitar tambem a John Lennon Wall, continuei caminhando, meio sem rumo e acabei em um pequeno festival com algumas barraquinhas e palco com banda tocando em um parque próximo de lá. Assim que acabou, voltei por uma outra ponte, caminhei a beira do rio ate a Dancing House, e de lá, voltei pro começo da Charles pra ver o por do sol! finalizei o dia no hostel mesmo, bebendo umas cervejas e descansando. Dia 23/04: Tinha deixado meu nome na recepção pro free walking tour que ia passar la no hostel pra me buscar e levar pro ponto de encontro as 10h. O tour foi feito com a The Good Prague Tours e claro, como o nome diz, foi gratuito. POREM, o lance dos free walking é exatamente você curtir a tour a ponto de dar uma gorjeta no final! eu dei 250 CZK, por volta de $10 porque foi tudo muito bom e explicado pelo guia. Foi percorrido toda a old town square e o bairro judeu. A noite, passei no mercado Bila (anotem esse nome, ele é simplesmente otimo com varias refeições prontas só pra esquentar e muito em conta) comprei uma salada, um frango empanado e uma barra enorme de milka que tava na promoção e tudo me custou 170 CZK, cerca de $7. A noite, acabei fechando tambem na recepção, o Pub Crawl com o the drunk monkeys. Eles passam por 2 bares e uma balada, porem, eu recomendo muitissimo que seja feito num fds de preferencia hahaha o primeiro bar era também um open bar de 2h de cerveja, shots e drinks num bar próprio deles com mesa de totó, coisas de beer poing e tudo mais. A galera que conheci lá fez valer o resto da noite, porque era segunda feira e né, segunda feira é um pouco parecida em qualquer lugar. Dia 24, 25 e 26/04: Aproveitei que não tinha nenhuma atividade pra manhã e dormi até um pouquinho mais tarde. E as 14h fui ao ponto de encontro pro tour do castelo + beer tour com direito a 3 cervejas, o pacote foi um combo do The Good Prague tours e custou 590 CZK, cerca de $23, o que é SUPER barato. Depois do ultimo bar da beer tour, o guia nos indicou um outro muito irado e todo subterraneo onde a cerveja era bizarramente barata e se pagava com duas moedinhas APENAS (45 centavos de CZK). ficamos lá por um bom tempo (sem o guia) hahaha e foi MEGA divertido! No dia 25, eu tive o dia todinho off e andei muito, visitei muita loja (comprei quase nada) e terminei o dia numa jata coletiva por $3 que o Hostel oferecia. No dia 26, eu acordei tranquilamente e fui rumo a estação, porque meu onibus pra Berlim era por volta das 10h da manhã. BERLIN: Dia 26/04: Cheguei em Berlin por volta das 16h, mas me perdi muito que bem durante 1h na estação de metro de lá. É GIGANTE, com muitas plataformas e direções, e até eu conseguir me achar, vi que estava indo pro lado errado hahahha e dai tive que voltar tudinho pra finalmente chegar no hostel, isso já era lá pras 18h (pra vocês verem o tanto de tempo que fiquei zanzando, sendo que o trajeto seria de 30min da rodoviaria até o Hostel. Enfim, estabelecida, o Hostel que eu fiquei foi o Heart Of Golden. Foi o que mais me surpreendeu e o que eu mais tava apreensiva. Na reserva, optei pelo "MegaDorm", que nada mais era descrito como um quarto com aproximadamente 20-25 beliches, assusta né? Mesmo assim arrisquei e que bom que o fiz. O quarto é literalmente uma casa hahaha é ENORME e na verdade as 20 e tantas beliches sao divididas em dois quartos dentro do comodo, que contem lockers menores internos no quarto e maiores externos na área social que possui uma mesona com cadeiras etc. Possui dois banheiros também. A parte social do hostel é bem boa, tem sinuca, bar, computador pra uso comum e etc. Não achei os staffs lá muito simpáticos mas ninguém me tratou mal. Dei umas voltas ao redor do hostel, que ficava muito bem localizado, acabei fazendo uma friend de quarto e saímos juntas pra jantar alguma coisa no restaurante Peter Pane, o preço é um pouco salgado mas o ambiente é incrivel e vale a pena. Dia 27/04 Pra minha mega surpresa, o amigo que fiz em Budapeste, estaria em Berlim exatamente nas datas que eu, e ele já tinha morado por 2 anos lá, então, resolvi ir com ele andar de bike por ai e explorar um pouco da cidade na visão local, acrescentando só uns pontos turísticos porque afinal, eu era a turista né? Passamos pelo Treptower Park (que é a coisa mais linda ever), pelo Muro de Berlim, por complexo Raw (onde tem varias daquelas baladas famosas em berlin que você só entra se o segurança for com a sua cara), por alguns complexos de comida, o Aeroporto abandonado (que muita gente vai pra andar de bike, patins, etc e finalizamos o dia no Görlitzer Park, bebendo algumas cervejas locais. Dia 28/04: Dia de conhecer a Alexanderplatz e suas muitas lojas maravilhosas, incluindo, a Primark, foi a primeira vez que fui na primark e quase endoideci, muita roupa barata e linda de morrer, anotem esse nome pra vida, ela tem varias filiais por toda a Europa. Dei uma passada na topshop que fica em frente só pra babar mesmo (pq é bem mais cara) e depois de muita andança, acabei num restaurante maravilhoso e não tão caro (por volta de $7-10). A noite, fui conhecer a noite de berlim e suas famossisimas baladas eletronicas icônicas e olha, é incrivel, mesmo se a vibe não for exatamente a sua, é uma experiencia muito foda de estar, algumas festas duram o fim de semana todo, e com pulseira você pode ficar indo e voltando a hora que bem entender. A maioria das boates por lá, não é permitido gravar, fotografar nem nada do tipo (em algumas ate botam um adesivo na câmera do seu celular, e se te pegarem com ela sem, você é expulso). Antes de ir eu achei muito doido isso, mas depois de estar lá eu entendi o quanto era legal aquela ação. As pessoas tão ali e se doam inteiramente ao lugar (alem das drogas que rolam e coisa e tal) é uma sensação muito confortavel. Nesse dia eu fui numa festa nos arredores da estação Schlesisches Tor, acho que fui quase todos os dias pros lados de lá, onde o underground e lugares locais são muito fortes. Dia 29/04: O dia amanheceu com um sol de DOER. Aproveitei pra ir ao MauerPark, onde nesse fim de semana (e acho que rola em vários outros) tava acontecendo uma mega feira de brechó, segunda mão, roupas novas, decoração, foodtrucks e muita gente fazendo música. O parque é gigante, não fica longe do centro (eu fui até lá pelos trams), e cheguei a comprar uma blusa muito comfort de manguinha por $2. Fiquei por lá a parte da manha e quase a tarde toda. Voltei ao Centro pra ver o por do sol no Brandeburg Tour e no Parlamento Alemão. Ali perto, fui até o Memorial pra vitimas do Holocausto (funciona um museu gratuito embaixo dele) e finalizei o dia andando até o hostel pra conhecer Berlim a noite. Dia 30/04 Depois de chegar no hostel quase as 6am, dei uma dormida muito rápida, e logo acordei, me arrumei, e fui conhecer a Catedral de Berlin, o Museu DDR e os arredores do Museum Square. O museu DDR foi em torno de $19 e é muitoooo incrivel. Conta a historia inteirinha da Alemanha desde muitos e muitos anos e ele é TODO interativo. Você toca e interage com quase todos os objetos lá. Tem varias gavetas e armarios pra puxar e abrir e saber uma história diferente. Além de musicas, vídeos, audios de rádio, telefone e até uma recriação de uma casa alemanha da decada de 70. A tour dura em media 2h se for bem apreciada. A noite, lá fui eu pra Schlesisches Tor pra uma mini tour bares (que só passei por dois) e um deles doi o Madame Claude, o ambiente é mucho doido, a entrada é uma coloboração do que você achar melhor (eu dei $3). O ambiente é todo virado de cabeça pra baixo, mega underground e no subsolo tem OpenMic, que nada mais é, pessoas aleatorias, com talento ou não, que tocam por 40min cada um. Quando eu cheguei lá embaixo tinha um menino muito do doido tocando uma guitarra de qualquer jeito, ele apertava, puxava, pressionava as cordas e eu fiquei fascinada com a doideira de tudo e o quanto as pessoas estavam simplesmente amando aquilo. 01/05: PRIMEIRO DE MAIO FERIADO! Olha, nem nos meus maiores planos eu imaginaria que estaria em Berlin pra essa data (sem querer e sem saber) sabe carnaval? é tipo isso lá nesse dia. Ruas fechadas, lotadas, com shows, festas (eletronicas claro), parques tomados de gente, muita intervenção cultural e bebida permitida nas ruas, dai vocês imaginam né? Foi uma surpresa muito boa e doida que eu não tenho nem como descrever, só sentindo pra saber. 02/05: No meu último dia, eu fui conhecer o Campo de concentração de Sachsenhausen, ele fica há 40min de Berlim, e pra chegar lá é preciso comprar o ticket ABC do metro, porque a estação de Oranienburg fica na região C. De lá, é cerca de 15min andando ou 10min de onibus. É um passeio pesado, triste e necessário. É você viajar no tempo, num passado muito recente e ver com seus próprios olhos tudo aquilo que estudou por alto no ensino médio. A entrada no Campo é gratuita e eu aconselho demais alugar um audio guia, que custa $3 e tem em Portugues. Eu deixei muitas e muitas lágrimas por lá. Aconselho tambem, a ir na parte da manhã, por o passeio ocupa facil uma tarde toda. AMSTERDAM: 03/05: Meu onibus de Berlim pra AMS foi no trajeto noturno, então, economizei uma diária nesse esquema. Cheguei em Amsterdam por volta de 12h e foi super tranquilo achar o trem, chegar na Centraal Station e pegar um Tram até proximo ao meu hostel (Amém google maps traçando rotas).As primeiras impressoes do hostel foram magnificas. Atendimento bom, espaços sociais incriveis, quartos espaçosos e banheiro privativo. Foi o segundo hostel que eu tive café da manha (fora Barcelona) então se acostumem, porque servir Café da manha nos hostels da Europa não é muito comum. Já que ele ficava bem pertinho do Rijikmuseum, eu fui dar uma volta nos arredores, tirar umas fotos e entrei tambem a exposição que tava rolando do Banksy, custou $12,50 e eu meio que me arrependi. Não achei a exposição lá essas coisas, mas tudo bem, vida que segue. Nesse mesmo dia, ia rolar o show de um cantor que eu sou maluca e que talvez nunca rolasse a chance de ver de novo, como os ingressos estavam sold out, eu fui monitorando pelo evento da facebook se alguem vendia e TCHAN, achei. Paguei, entrei e fui. Foi íncrivel, obvio. 04/05: Dia de bater perna for real pelo centrão e Amsterdam, o Mercado das Flores e muito mais. Nesse dia tambem, eu fui ao heineken Experience e foi uma experiencia e TANTO. O lugar é foda demais e vale a pena ser visitado, eu paguei pela internet no mesmo dia e tinha horario disponivel, custou $17. No fim do dia, o pessoal que chegou no meu quarto virou tudo amigo e saimos juntos pra ver um pouco da noite de lá. De fato, é tudo muito agitada e incrivel. A cidade em si é apaixonante tanto de dia quanto de noite. Dia 05/05: Dia de acordar com 0 ressaca (alias eu quase nao tive ressaca nessa viagem, viu? amém cerveja europeia). No dia 05 eu tomei um café a manha mega reforçado no hostel e segui rumo ao Winkel 53, aonde tem, quiça, a torta de maça mais famosa de amsterdam, e olha vale CADA centavo. Ela é meio grandinha e da pra dividir entre dois. Em seguida, fui ao Museu da Anne Frank, que era uma das atrações que eu mais queria ver em toda a viagem. Eu li o livro da anne na minha adolescência e me marcou demais. Eu comprei pela internet mais de um mês antes (porque é BEM concorrido e tem que ficar de olho MESMO) As vendas abrem um mes antes da data que você irá, e custa $10, tem horario marcado e a demanda é gigante. A tour dura por volta de 1:30h e é dificil não segurar o choro no final, eu mesma, não me aguentei depois que li uma das frases dela e que eu nem vou dizer pra não estragar o fim da sua tour tambem, mas pra mim, foi um baque muito pesado POREM, é tudo MARAVILHOSO, ainda mais se você tiver tido a experiencia que eu tive de ler o livro antes, parece que tudo faz sentido e que você entrou dentro dele. Tem audio guide incluso no valor, mas é com Portugues de Portugal. Logo depois eu sai e encontrei meus roomates e caimos, sem querer, num festival mara que tava rolando num parque próximo a Centraal Station. Com varios palcos, bandas, estilos de música e tudo que um festival realmente tem, e o melhor, de graça. Terminamos a noite, no meu ultimo e melhor pubcrawl ever! Custou $20, porem com direito a 4 bares/balada+1 balada principal e enorme. Em cada lugar você ganhava um shot na entrada e uma cerveja lá dentro, então acabou valendo super a pena. Dia 06/05: Amsterdam amanheceu num calor de FRITAR qualquer um. E eu e o pessoal decidimos ir ao Vondelpark fazer um pic nic, com direito a vinho, queijo, frutas e tudo mais. Passamos no mercao da rede Albert Heijn que é o mais famoso e AMS e tem em cada esquina e fizemos a compra de vaáárias coisas e no total de só $20, ou seja, menos de $7 pra cada uma, e compramos muita coisa, viu? Ficamos a tarde toda por lá e no fim do dia, voltamos ao hostel, nos arrumamos e marcamos de ir em um restaurante comer, conversar e se despedir, porque no dia seguinte só ia ficar eu e uma das meninas faria o check-out. Acabamos terminando a noite na Sugar Factory, onde aos domingos rola um jazz mega dançante e maravilhoso. Ficamos até de manha, e dai, aroveitamos que estavamos ao lado da Iamsterdam Sign e fomos correndo pra lá tirar as fotos, e olha QUE FOTOS. Dia 07 e 08/05: No dia 7, depois de uma bela manha de sono, sai pra andar e bater o restante final de pernas e visitar o que eu ainda queria visitar. Voltei na Primark e provei ser o que dizem, a melhor batata no cone de Amsterdam, e olha, é boa mesmooooo! Acabei provando no mesmo dia uma das melhores pizzas que ja comi na vida, e ainda é de uma rede de pizzarias rapidas que tem em muitas partes da cidade. No dia 08, fui ao um bate e volta no Keukenhof, o famoso Parque das Tulipas, que só fica aberto durante 8 semanas por ano, sempre na primavera. O onibus pra lá sai do Aeroporto de Amsterdam e a viagem dura cerca de 40min. O pacote do ingresso+onibus ida e volta sai por $25 no guiche la mesmo no aero. O parque é a coisa mais linda da vida, não perca a oportunidade de visitar se tiver por lá nessa época. Dia 09/05: A VOLTA! sem um pedaço de mim que foi substituído por outro maior e melhor. Eu sabia que essa viagem ia ser uma grande marco na minha vida, mas eu nunca imaginei que seria maior do que eu pensei. Todas as expectativas foram maiores que eu pensava e todo sufoco foi menor do que eu tinha medo de ser. Se eu pudesse dar um conselho pra todo mundo que ficava chocado quando eu disse que iria sozinha, seria: vai também, tu não sabe o quanto é gratificante. Tudo e + dicas vocês podem ver tanto pelo @monteseuroteiro quanto do meu pessoal @karinerribeiro, se tiver pegunta, manda aqui tambem ❤️ Espero que inspire um pouquinho no fundo ai da alma de vocês de quere se jogar nesse mundão.
  2. Olá amigos do Mochileiros.com! Como muitas pessoas por aqui me sinto grata por todas as informações que consegui adquirir lendo tudo o que eu podia no site e por isso venho através deste tópico contribuir com meu relato de nossa viagem realizada neste mês (de 06 a 21 de setembro de 2014) para a Espanha (Madrid, Sevilla, Granada e Barcelona). Foi a primeira viagem que realizamos por conta própria. Até então tínhamos viajado para Buenos Aires, na Argentina e para o Chile (Santiago, Viña del Mar, Valparaíso e Valle Nevado) através de agência de viagem que, convenhamos, a viagem é mais cara e você fica preso ao roteiro deles, mas tem suas vantagens, pois você não precisa se preocupar com muita coisa, tem sempre uma pessoa que pode te ajudar e te levar para algum lugar que você queira ir, se você pagar a quantia estipulada. E eu confesso que me sentia com medo e até um tanto incapaz de viajar por conta própria e me virar bem em um país diferente. Mas resolvemos arriscar (culpa da insistência do meu marido e do custo maior de um pacote de viagem por agência) e eu fui traçando um roteiro do que poderíamos fazer, ver, visitar, e somando os custos de tudo. Foi difícil pois nessa época meu marido estava trabalhando muito (e eu também, mas como fiquei obcecada com a ideia da viagem, não conseguia parar de planejar! ) e não tínhamos muito tempo disponível. E foi aí que comecei a ler o Mochileiros.com e blogs de viagem e anotar tudo o que era importante para contribuir com o resultado final. E fomos ajustando o orçamento, cortando algumas coisas da viagem (foi com muito pesar que cortei Portugal do planejamento, que queria muito conhecer, mas o dinheiro não deu!) e quando vimos que era possível, começamos a comprar as passagens de avião, passagens de trem, ingressos dos lugares que queríamos visitar e que todo mundo recomenda comprar com antecedência... e a viagem foi tomando mais forma. Antes de tudo, quero explicar o porquê da Espanha... Sempre tive uma "quedinha" pela Espanha. Por conta do destino, fui trabalhar com imigrantes espanhóis que vieram há muito muito tempo atrás para o Rio de Janeiro e, sempre que posso, fico conversando com eles sobre suas cidades. A imensa maioria veio da Galícia, de Orense e Pontevedra, que são duas cidades não tão ricas dessa região, mas parecem ser lindas... Mas nessa viagem também não deu para conhecer a Galícia... Outra história da minha vida é que depois que assisti uma apresentação de dança Flamenca, fiquei doida atrás de algum lugar em que pudesse ter aulas dessa dança. Depois que consegui encontrar, nunca mais parei e sou apaixonada por essa dança, que é originária da Andaluzia (e seu berço é em Sevilla). E também depois que vi fotos da Alhambra, em Granada, um dos meus sonhos era ir lá e ver tudo de perto... O meu marido adora violão... e os espanhóis também! Hehehehe. Então ele se juntou a mim nesse sonho de conhecer a Espanha. Ele adicionou ao roteiro Madrid e Barcelona e fomos em frente! As passagens de avião foram compradas mais ou menos em maio. Em abril elas estavam mais baratas (pouca coisa), mas não podíamos comprar em abril ainda, então, fazer o quê! As passagens da TAP pareciam a melhor opção em termos de preço e de conexão e então foram elas mesmas! Não conseguimos comprar as passagens de trem entre uma cidade e outra pelo site da RENFE (tivemos o mesmo problema que muita gente por aqui ao usar o cartão, mesmo usando cartão Itaú ou Santander, desbloqueado para uso internacional) e compramos pela Rail Europe, mesmo sendo um pouco mais caro, mas estávamos com as passagens nas mãos e era isso o que nos preocupava (chegar lá e não conseguir comprar as passagens na hora). Só as passagens para o passeio para Toledo que não conseguimos comprar antecipado pois deu erro no site e decidimos comprar lá em Madrid mesmo. Na semana da viagem o chefe do meu marido fez ele trabalhar feito um condenado para terminar tudo o que estava pendente antes das férias e ele não teve muito tempo para pensar nos preparativos (e ele que iria traçar as rotas de deslocamento dentro das cidades via metrô e ônibus) e nem de fazer as malas (ele fez a mala no dia da viagem! Mas a minha eu consegui fazer antecipado. Levamos duas malas médias (como eu vi recomendado por aqui e alguns amigos recomendaram também, pois antes dessa viagem sempre levávamos uma mala grande) Nós íamos misturar as nossas roupas nessas duas malas, para o caso de alguma sumir no aeroporto, mas devido à arrumação em cima da hora do meu marido, nem foi possível.) Olhamos pela internet para ver o clima lá na Espanha em Setembro e vimos que em Madrid estava fazendo 30º... mas em alguns dias fazia 22º-24º... isso sem contar que todo mundo com quem conversávamos nos alertava que em setembro faz frio e que tínhamos que levar casacos... Então levamos casacos e pouca roupa de calor e nos arrependemos muito pois fez muuuuito calor durante a viagem! Bem, vou começar logo o relato da viagem e mais pormenores vou explicando durante ele... Eu sei que sou meio prolixa (sempre fui), mas espero não fazer um relato chato de se ler!
  3. Bom estar de volta.. Vou escrever por partes sobre a Eurotrip que fiz ! A cidade espanhola foi minha primeira parada e me surpreendeu !! Posso dizer que comecei bem minha trip ! Porque da escolha?? Bem eu me interessei pelas obras do arquiteto Gaudí e a cidade tem praia, coisa que amo ! Meu hostel em Barcelona foi o St Christopher's Inn, e pra mim foi uma ótima escolha pela localização, que não poderia ser melhor !! Um ponto importante pra começar: translado !! Minha escolha foi pegar o aerobus, o ônibus que te leva pra Barcelona de maneira barata, rápida e simples ! Sai todos os dias a cada 5 minutos nos terminais 1 ou 2. Verifique as paradas pelo site, eu desci na Plaça de Catalunya. Custa 5,90 euros. Pontos turísticos visitados: Plaça de Catalunya Uma simpática praça muito importante pra Barcelona, ela é super central e liga importantes partes da cidade como a Ciutat Vella (parte antiga), Eixample (parte nova), Las Ramblas e Passeig de Gracia. A praça esta rodeada de comércios, são muitas lojas bacanas (varias grifes famosas) e restaurantes. As fontes na praça são lindas, e a noite ficam iluminadas ! Alem de ser ponto de partida da maioria dos tours ! Com certeza, quem vai a Barcelona, vai passar por ela.. e vai valer a pena dedicar um tempinho curtindo o clima do local ! Obras do Gaudí Palau Güell A atração foi uma das primeiras obras construídas pelo arquiteto, a pedido de uma tradicional família quando ele ainda nem era famoso ! Após anos fechado para visitação, foi declarado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. O interior do Palácio é bem diferente de como costumam ser as obras do Gaudí, é mais sombrio e serio.. com muito mármore, madeira e vitrais. Chegando no terraço as cores voltam a aparecer em diversas chaminés ! Eu fiz o tour pra conhecer, e gostei ! Custa 12 euros e o áudio guia esta incluso. Fica aberto de terça-feira a domingo. Endereço: Carrer. Nou de la Rambla, 3-5 Casa Batlló Super famosa e também conhecida como Casa dos Ossos, essa linda obra também é declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. A obra é bem característica do Gaudí, com uma linda fachada colorida com fragmentos de cerâmica e vidros quebrados ! Eu amei ver a casa de mais longe, atravessando a rua para conseguir contemplar o alto do prédio, que parece um dragão todo colorido !! Horário de funcionamento: de segunda adomingo, de 9:00 as 21:00 e custa 21,50 euros. Endereço: Passeig de Gràcia, 43 Casa Milà Uma obra gigante, com uma fachada incrível uma toda ondulada ! A Casa Milà possui um terraço de respeito, com varias esculturas e algumas delas lembrando soldados ! Horário de funcionamento: de segunda a domingo, de 9:00 as 22:00 e custa 20,50 euros. Endereço: Provença, 261 - 265 Park Güell Mais uma obra incrível do arquiteto mais criativo que já ouvi falar, e sim também é Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO !! A principio seria um conjunto de casas como retiro, mas não seria privilegio de muitos.. e sim de famílias ricas ! Mas o projeto não deu certo e acabou sendo um fracasso na época ! Anos depois foi comprado pela prefeitura de Barcelona que tornou o lugar num parque para a cidade. O parque é gigante e lindo ! Todo colorido no estilo Gaudí e com uma vista privilegiada da cidade. Horário de funcionamento:todos os dias do ano, porém de 24 de março até o 19 de outubro abre de 8:00h a 21:30h e de 25 de outubro até o 23 de março abre de 8:30h a 16:00h. O ingresso custa 8 euros. Como chegar: de metrô pegar a linha 3 (verde) no sentido Trinitat Nova e descer na estação Vallcarca. Saindo da estação, siga a sinalização que indica o caminho até o Park Güell. Você vai ter que subir alguns lances de escada.. mas vale a pena ! Sagrada Família Considerada a obra-prima de Gaudí, o arquiteto dedicou 40 anos na construção da igreja e acabou não vendo seu trabalho concluído.. nem nenhum de nós até agora. A construção foi iniciada em 1882 e assumida Gaudí em 1883, porém a suposta conclusão da obra só esta prevista para 2026.. A obra é sem duvida a que desperta mais curiosidade e encantamento dos turistas, e não é pra menos.. a igreja é completamente hipnotizante ! Gigantescaaa, possui duas fachadas que é difícil decidir qual mais bela: fachada do Naixement (Natividade) e fachada da Passió (Paixão). Impecável nos detalhes.. admirar essa maravilha da arquitetura é um programa imperdível !! Me arrependi de não ter encarado a fila gigante (ou comprado o ingresso antes) pra entrar na igreja.. mas assim tenho uma boa desculpa pra voltar né.. hehe Horário de funcionamento: todos os dias do ano, porém de novembro até fevereiro de 9h a 18h, em Março de 9h a 19h, de abril a setembro de 9h a 20h, Outubro de 9h a 19h, em dezembro nos dias 25 e 26 e em janeiro nos dias 1 e 6 de 9h a 14h. O ingresso custa 19,50 euros com guia e 15,00 euros sem guia. La Rambla Uma das avenidas mais famosas de Barcelona oferece um passeio super agradável.. lindas árvores seguindo pela avenida sempre movimentada ! A avenida começa na Plaça de Catalunya e termina no Mirador de Colom, lá você vai encontrar de tudo um pouco, lojas, restaurantes, cafés, mercados, floriculturas e etc. Lá esta localizada a Font de Canaletes, que é o ponto de encontro dos torcedores do Barça antes dos jogos. O belo prédio Gran Teatre del Liceu, e também é onde esta localizado o famoso Mercat de la Boqueria ou também conhecido como Mercat de Sant Josep ! Mercat de Sant Josep Ideal para fazer uma refeição ou comer umas guloseimas, o mercado mais famoso de Barcelona é repleto de cores ! Quem quiser experimentar frutas exóticas, frutas secas, sucos, muitos doces e embutidos, esta no lugar certo ! Eu particularmente adoro esse tipo de passeio, e claro adorei o mercado !! Fica localizado em La Rambla e abre de segunda a sábado, de 8:00h a 20:30h. Barri Gótico O bairro gótico é o bairro mais antigo de Barcelona e foi onde meu coração bateu mais forte (me apaixonei pelo bairro) ! Além de ser realmente antigo, o bairro tem esse ar por toda parte.. nas ruas estreitas e de chão de pedra, nas construções antigas, nos artistas de rua, nos prédios com pinturas detalhadas.. é o perfeito passeio pra mim ! Passei um dia inteiro caminhando pelos cantos do bairro, me perdendo, me achando e descobrindo coisas incríveis ! As atrações são infinitas, vou então dar a dica do que mais gostei: Portal de l’Angel, um importante ponto de referência no Barri Gòtic localizado numa grande rua comercial da cidade, e o prédio abriga diversas lojas de marca com um toque bem requintado. Els Quatre Gats, um restaurante super típico e com uma fachada maravilhosa !! Além de estar num ponto lindo do bairro, bem ao lado do restaurante tem um portão de ferro maravilhoso que vale a pena uma foto ! Endereço: Carrer de Montsió, 3 Fonte de la Portaferrisa, ou La “Porta Ferriça” (porta de ferro), antigamente era uma das portas da muralha que protegia a cidade. Após a derrubada da muralha, uma fonte continuou no mesmo lugar ! Eu adorei, principalmente pelas belas pinturas que formam um mural acima da fonte ! Plaça del Pi, não tem muita coisa, mas a igreja de Santa Maria del Pi é belíssima e vale a pena ser vista. Plaça Sant Jaume, centro político de Barcelona onde se encontram a prefeitura de Barcelona e o Palau de la Generalitat (palácio do governo da Catalunha). Plaça Nova, uma grande praça aberta que junta o velho ao novo ! E onde podem ser vistos desenhos de Picasso num prédio, além disso tem a escultura com letras formando o antigo nome da cidade: Barcino ! É interessante, porque cada letra é uma escultura diferente. Catedral de Barcelona é uma obra de arte por si só ! Uma das mais bonitas que vi em toda minha viagem !No estilo gótico, sua fachada impressiona ! Endereço: Pla de la Seu, s/n Plaça Sant Felip Neri é uma pracinha bem escondida e de uma paz inexplicável !Li que o famoso Gaudí gostava de assistir missa na igreja Sant Felip e que estava justamente indo pra missa quando foi atropelado por um bonde e faleceu.. Além disso, as paredes da praça estão até hoje marcadas por um bombardeio sofrido na cidade em tempos antigos ! Pra quem gosta de sentir a historia do país durante a viagem, a praça é ponto certo e que vale a pena ! Castell de Montjuic No alto do Parc de Montjuïc se encontra o Castell de Montjuïc, um importante símbolo da cidade onde muitas daquela batalhas que lemos nos livros de historia foram travadas. Hoje pode ser visitado e com isso podemos conhecer um pouquinho mais sobre Barcelona e seus confrontos além de aproveitar a vista privilegiada !! Horário de funcionamento: todos os dias do ano, de 1 de outubro até 31 de março o castelo abre de 10h às 18h. De 1 de abril até 30 de setembro fica aberto de 10h às 20h. O ingresso custa 5 euros e aos domingos após as 15h o ingresso é gratuito. Como chegar: de metrô até a estação Paral·lel na linha 2 (lilás) e linha 3 (verde), depois você faz baldeação grátis para o funicular de Montjuïc. Na estação que desce você pode pegar o Telefèric de Montjuïc que te leva ate o alto já próximo ao castelo ou pode subir a pé (mas haja disposição né). Font Mágica Uma das atrações mais famosas da cidade que atrai pessoas de todas as idades para o espetáculo que é oferecido. As águas dançam conforme a música e vão mudando de cor, tornando um espetáculo de magia ! Quanto aos horários de funcionamento é sempre bom consultar o site da prefeitura, pois sempre ocorrem mudanças na programação. Lembrando que não paga pra ver o espetáculo, mas isso faz com que esteja sempre lotado.. Como chegar: metrô Plaça Espanha nas linhas 1 (vermelha) e 3 (verde). Palau Nacional Sede do Museo Nacional de Arte da Cataluya, fica localizado no mesmo parque que acontece o show das águas na fonte mágica. Eu infelizmente cheguei tarde e já estava fechado, mas o prédio é maravilhoso e com certeza deve ser uma visita que vale a pena. Pra quem quiser conferir e depois me contar, o horário de funcionamento é de terça a sábado de 10h às 20h, domingo e feriado de 10h às 15h. Arc de Triomf Sim, Barcelona também tem seu arco do triunfo ! Numa bela avenida (Passeig Lluís Companys), é um passeio bem agradável. O arco é lindo e gigante, todo decorado com tijolos. Como chegar: A estação de metrô mais próxima é a Arc de Triomf na linha 1 (vermelha). Palau de la Música Catalana Com certeza um dos prédios mais bonitos que já vi, a fachada é incrível e com uma decoração tão detalhada que a vontade é lá ficar olhando por horas.. não fiz a visitação (dei mole), mas quem quiser conhecer o lugar existem as visitas com guia, é só consultar o site do Palau e se atualizar dos horários e preços. Como chegar: Rua Palau de la Música, 4-6, pertinho do Barri Gòtic. A estação de metrô mais próxima é a Urquinaona nas linhas 1 (vermelha) e 4 (amarela). Parque de La Ciudadela Um dos parques mais importantes de Barcelona, mais famoso e mais antigo. O lugar é ideal pra relaxar e curtir a natureza.. você também vai encontrar fontes e esculturas, algumas delas foram contribuições de Gaudí quando ainda era um jovem estudante. Pra mim a parte mais bonita do parque é a fonte monumental.. passei um tempão tirando foto nela.. pena que o lago artificial não estava funcionando. Dentro do parque também esta localizado o Parlamento da Catalunya, a sede do poder legislativo da Catalunha. Tem um jardim lindo que rende boas fotos.. hehe O parque abre todos os dias, a partir das 10:00h. E claro, é gratuito. Como chegar: As estações de metrô mais próximas são a Arc de Triomf na linha 1 (vermelha) e a Ciutadella / Vila Olímpica na linha 4 (amarela). La Barceloneta Bairro lindo e com o marzão de presente !! Passear pela orla marítima é relaxante.. caminhar sem pressa, contemplando o mar e percebendo o quanto é diferente o jeito de pegar praia dos gringos.. hehe O bairro esta lotado de bons restaurantes, e quem gosta também pode aproveitar e praticar esportes aquáticos !! Como chegar: Na estação de metrô Barceloneta da linha 4 (amarela).
  4. Esse é o relato da viagem que eu e meu marido fizemos pela Península Ibérica, entre janeiro e fevereiro deste ano, durante 22 dias - 8 em Portugal e 14 na Espanha. Tínhamos bastante vontade de conhecer a Espanha, e Portugal era meio que um "já que é ali do ladinho mesmo"... Mas conforme fomos lendo a respeito para planejar a viagem, fomos nos encantando pelo país! Muitos lugares lindos, diferentes opções para todos os gostos: lugares históricos, castelos, praias, turismo religioso, serra com neve, e por aí vai. Foi realmente difícil escolher o que entraria no nosso roteiro, e com certeza muita coisa boa ficou de fora. Eu diria que os 22 dias que passamos lá poderiam tranquilamente ser passados somente em Portugal (assim como somente na Espanha). Voltamos encantados! E a Espanha correspondeu a todas expectativas, simplesmente demais! VISÃO GERAL DA VIAGEM ROTEIRO Dia 1 – Chegada em Lisboa Dia 2 – Lisboa Dia 3 – Bate-volta Sintra Dia 4 – Lisboa Dia 5 – Bate-volta Évora Dia 6 – Ida para Porto (trem) Dia 7 – Bate-volta Braga e Guimarães Dia 8 – Porto Dia 9 – Porto / Ida para Barcelona (avião) Dia 10 – Barcelona Dia 11 - Barcelona Dia 12 – Bate-volta Montserrat Dia 13 – Barcelona / Ida para Madri (trem) Dia 14 – Madri Dia 15 – Bate-volta Segóvia Dia 16 – Madri Dia 17 – Bate-volta Toledo Dia 18 – Ida para Granada (trem) Dia 19 – Granada Dia 20 – Ida para Sevilha (trem) Dia 21 – Bate-volta Pueblos Blancos Dia 22 – Sevilha Dia 23 – Retorno PASSAGEM AÉREA Vínhamos acompanhando o preço das passagens, e os trechos Porto Alegre / Lisboa + Porto / Barcelona + Sevilha / Porto Alegre estavam sempre na faixa dos R$3300 por pessoa. No final de julho teve uma promoção da TAP e compramos exatamente os voos que queríamos por R$2633. HOSPEDAGEM Lisboa: Hotel Turim Suisso €195 (5 diárias) – localização excelente, a um minuto da Praça Restauradores. Bom hotel, aparenta ter sido reformado, o quarto é todo novinho. Café-da-manhã, wi-fi, cofre inclusos. Porto: Hospedaria Almada €75 (3 diárias) – localização muito boa, fica pertinho de uma estação de metrô e da estação de trens São Bento. Bem simples. Quarto de bom tamanho, com móveis antigos porém bem conservados. Banheiro todo novo. Proprietária simpática e prestativa. Wi-fi incluso. Barcelona: Hostal Girona €140,60 (4 diárias) – bem localizado, a 5 minutos da Plaça Catalunya. Bom quarto. Recepcionistas prestativos. Wi-fi incluso. Madri: Hostal Buelta €136 (5 diárias) - Localização nota 10, a uma quadra da Estação Atocha. Bom quarto. Tipo uma companhia aérea low-cost, todo serviço extra era cobrado: café-da-manhã, cofre, guardar bagagens após check-out... O wi-fi era incluso. Granada: Hostal Mesones €60 (2 diárias) – bem localizado junto ao centro histórico, mas a uns 20 minutos de caminhada da estação de trens. Ótimo atendimento da proprietária. Café-da-manhã e wi-fi inclusos. O wi-fi em teoria seria somente na área comum (há uma sala de convivência junto à recepção), mas no nosso quarto havia sinal a maior parte do tempo (o quarto ficava logo acima da sala de convivência). O único dessa viagem com banheiro compartilhado. Sevilla: Hotel Zaida €96 (3 diárias) – necessário pegar um ônibus da estação de trens Santa Justa, mas próximo às atrações turísticas. Próximo do ponto final do Aerobus. Bom quarto, banheiro com banheira. Wi-fi incluso. Todos foram reservados pelo Booking, com exceção do Girona que tinha um preço melhor no próprio site (pagamento antecipado com cartão de crédito). GASTOS TOTAIS Após bastante leitura e planejamento, estabelecemos que queríamos fazer essa viagem gastando até 80 euros por dia por pessoa, incluindo tudo que não fosse a passagem aérea. Tudo mesmo: hospedagem, alimentação, trechos de trem e outros transportes, atrações turísticas, souvenirs... E conseguimos! Nossos gastos tiveram média de €79/pessoa/dia! Isso inclui alguns gastinhos maiores que tivemos, como uma diária de aluguel de carro, jogo do Real Madri e algumas garrafas de vinho que trouxemos na bagagem (cinco para ser mais exata). Só excluí desse cálculo algumas comprinhas de roupas que fizemos no Freeport de Lisboa e no El Corte Inglês de Barcelona. Janeiro e fevereiro é a época das liquidações de fim de inverno, vale a pena dar uma conferida!
  5. Em Algum Lugar do Mundo

    Barcelona em 3 dias: roteiro de viagem

    Aproveite nossas dicas de Barcelona e confira um roteiro de 3 dias imperdível pela cidade, incluindo seus principais pontos turísticos. Se você tem pouco tempo disponível pra conhecer Barcelona, esse roteiro é o ideal! O que fazer em Barcelona em 3 dias: roteiro de viagem Dia 1: Park Guell, Passeig Gràcia, La Pedrera e Casa Batlò Park Guell Vamos acordar cedo para começar logo esse primeiro dia e ir direto ao Park Guell, o parque mais famoso de Barcelona. Uma das muitas obras de Gaudí, sendo que essa já foi considerada um fracasso urbanístico, veja só! A partir de 1984, tornou-se Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Passeig Gràcia Próximo destino é passear pela Passeig Gràcia uma avenida bem longa que liga o bairro Gràcia até a Plaça de Catalunya. Construções lindas e exuberantes, com lojas de grife e hoteis de luxo. La Pedrera e Casa Batlò Essa dupla famosa fica na Passeig Gràcia, São duas obras de Gaudí, também declaradas Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. La Pedrera e Casa Batlò são imperdíveis! Para conferir o roteiro de 3 dias completo, acesse: https://emalgumlugardomundo.com.br/o-que-fazer-em-barcelona-em-3-dias/
  6. Bom dia, companheiros de aventura! Chego em Lisboa em 3 dias e ainda não consegui reservar o hostel, pois, dessa vez, só pude comprar a passagem anteontem. Um amigo que morou em Portugal me recomendou ficar no bairro Alto, pois estou indo sozinha e quero ficar num local em que seja fácil a locomoção e também que dê para ir a pé nos locais de agito noturno. Olhei as indicações de melhores hostels, mas ainda assim estou meio perdida, pois eles estão ocupados. Também não consegui encontrá-los no booking.com filtrando pelo bairro Alto. Vou também em Madri e Barcelona e quero um local com as mesmas características. Alguém tem alguma sugestão urgente (quase uma emergência) para ajudar a maluca aqui?
  7. MauroBrandão

    Barcelona

    É muito difícil informar quanto tempo para conhecer Barcelona, cada um é cada um. Barcelona é curtida por muitos devido a vida noturna em La Ramba uma das av. principais. Como monumentos tem a Catedral inacabada, o parque guell, o monumento de colombo, tem o mercado municipal, o Palácio Nacional, o campo de futebol. Se vc não for curtir noitada um dia bem andado pra mim esta de bom tamanho, tem gente que fica 5. Montar um roteiro é complicado, mas sugiro começar pela Sagrada famíliae seguir para os pontos turísticos. Procure um mapa da cidade nos pontos de informações ou em um hotel, No aeroporto e locais de transporte também vc encontra mapa dos pontos de interesses.[info][/info]
  8. Olá, ainda estou em recuperação da minha Depressão Pós Espanha .. ô país maravilhoso!!! O mochileiros.com me ajudou MUITO e eu queria retribuir um pouquinho contando a minha experiência ... Hostels: Barcelona: Alberguinn (primeira experiência com hostel, gostei bastante, pessoal atencioso, limpinho, café bom) e Alberg Pere Tarré (só passei a noite, muito organizado) Madrid: Barbieri (gostei muito, pessoal atencioso, café bom, limpinho) e Mad4You (melhor Hostel da viagem, mt bom!!) Sevilla: Nuevo Suizo (gostei) 1º Dia: chegada em Barcelona e Camp Nou - priemiro problema: comprei a entrada no hostel, que não tinha se atualizado, me cobraram no hostel e quando cheguei no Camp Nou me cobraram de novo. Depois o hostel me devolveu o dinheiro e ficou tudo bem! 2º Dia: Parque Guell, Sagrada Família, Casa Milla, Casa Batló e Plaça Catalunia - DIA PERFEITO! Dica: compre tudo com antecedência!! Fiquei esperando 2h para entrar no Parque! Também esperei 2h para a Sagrada Família, aproveitei para ir na Casa Mila nesse meio tempo. 3º Dia: Teleférico Montjuic, Castelo Montjuic, Museo Olimpico, Estadio Olimpico, Anella Olimpica, Fundação Miro, Museu Nacional de Artes da Catalunya, Arena de Barcelona - Dia Incrível, mt bom!! 4º Dia: Arco do Triunfo, Catedral de Barcelona, Mirador de Colom, Museu D’Historia de Catalunya, Barceloneta - Esse dia foi mt bom e diferente!! Saindo da estação tinha um Batuka Fest, não resisti e fiquei para assistir, o que me limitou a outros passeios programados para o dia, mas foi ótimo! No final, assiti a um concerto de música Japonesa, na praia, incrível!! 5º Dia: Viajar Barcelona - Madrid, fui de Renfe, ótima opção! Comprei um dia antes. Cheguei em Madrid e consegui ir no Museo Nacional Centro de Artes de Reina Sofia, gigaaaaante e lindo! No caminho passei pela Puerta de Acalá e Fuente Cibeles 6º Dia:Puerta Del Sol, Plaza de Mayor, Catedral de Almudena, Palacio Real de Madrid, Real Basílica de São francisco eTemplo Debod - Dia Perfeito e Emocionante, meu coração ainda está no Palácio Real de Madrid ... 7º Dia: TOLEDO (AVE - Renfe) - Por favor, vá a Toledo!!! Lugar incrível, maravilhoso, histórico, emocionante, perfeito ... Se perca pelas ruelas dessa cidade! Eu fui: Puerta Bisagra, Alcazar de Toledo, Plaza Mayor, Santa Iglesia de Catedral Primada, Iglesia de Santo Tome, Sinagoga Del Transito, Sinagoga de Santa Maria, Bajada de San Martin. 8º, 9º e 10º Dias: Tenerife, nas Ilhas Canárias - fui para casas de amigos, que rodaram a ilha inteira comigo. 11º Dia: Volta de Tenerife e ainda consegui ir no Museo Nacional Del Prado, outro lugar gigante e maravilhoso! 12° Dia: SALAMANCA (ônibus): Cidade Mágica! Linda! Plaza Mayor, Casa de Las Conchas, Casa Lis, Catedral Velha e Catedral Nova, Convento de San Estebán, Palacio de La Salina. 13º Dia: Viajar de Madrid para Sevilla (AVE, Renfe). Quando cheguei dei uma volta pela cidade .. Sevilla é uma gracinha!! Assisti um espetáculo Flamenco, VC TEM QUE IR!! 14º Dia: Plaza España, Catedral de Svilla, Giralda, Real Alcázar, Torre Del Oro, Costurero de La Reina, Plaza de Toros, Metropol Parasol - Dia Incrível! Lugares maravilhosos .. a Plaza de España é de tirar o ar! 15° Dia: Viajar de Sevilla para Barcelona, tomei um chá de Estação, fiquei três horas esperando o trem para Madrid! E mais uma hora em MAdrid esperando o trem para Barcelona ... Balanço geral! A Espanha é um lugar incrível!! Eu me apaixonei por cada cidade! As viagens entre cidades fiz de RENFE, muito bom!! Só Salamanca que fui de ônibus, bom também! Em Barcelona e Madrid, usei metro, ótimo! Te leva para qualquer lugar!! As outras cidade fiz tudo a pé mesmo, é tranquilo .. Consiga um mapa da cidade (fácil, qualquer hostel ou centro de informações de dão) e se aventure! PS: fui na primavera, era Sol até as 21h!! Foi tranquilo fazer todos esses passeios ... No mais, terei um enoooorme prazer em te contar cada detalhe da minha viagem, cada emoção, cada perdida, as aventuras gastronômicas, quanto gastei em média .. e te dar mil idéias ... TUDO!! Pode me adicionar no face: Caroline Cony Seródio.
  9. A viagem desde Madri havia sido formidável. Fiz o percurso a bordo de um trem AVE (de alta velocidade), operado pela Renfe (Red Nacional de Ferrocarriles Españoles) – onde registrei a velocidade de 302 km/h. Durante a viagem fiquei tão encantado com o trem que pedi um misto quente, sem me lembrar que era sexta-feira Santa (é pecado?!). Ao chegar em Barcelona, capital da comunidade autônoma da Catalunha, segui de metrô até o belíssimo Mare de Déu de Montserrat – um albergue afastado do centro da cidade que, entretanto, oferece uma ótima infraestrutura, com amplo refeitório, sala de leitura, de reuniões, sala de jogos, piscina e wifi gratuito. O imóvel é uma atração à parte, uma bela e centenária mansão adornada com vitrais, azulejos e afrescos coloridos. Localiza-se no alto de um morro, o que lhe garante uma vista fabulosa da cidade e uma canseira para subir a ladeira – ainda mais se tiver um mochilão nas costas. Apesar do albergue não ser minha primeira opção, gostei bastante da experiência que tive. E se você faz questão de ficar no centro da cidade, faça sua reserva com antecedência. Próximo ao albergue, a menos de 500 metros, fica o esplendoroso Parc Güell, uma das grandes obras da cidade projetada pelo arquiteto Antoni Gaudí, que foi o primeiro atrativo visitado por mim. Permaneci por lá bastante tempo fotografando as travessuras arquitetônicas do mestre. Se você quer tirar uma foto com El Drac prepare-se para aguardar a fila, mas vale a pena observar cada detalhe dos mosaicos, da Sala Hipostila (ou das Cem Colunas que, na verdade, são 86) e do Banco Ondulante, ergonomicamente adaptado para o corpo humano. Como já anoitecera, decidi voltar ao albergue onde conversei (ou ao menos tentei me comunicar) com um senhor japonês que dividia o quarto comigo e não falava quase nada em inglês. Depois de muita confusão, a única coisa que guardei do nosso bate-papo foi como falar “boa noite” em japonês: “Conban-uá” (ou algo parecido com isso). O dia seguinte amanhecera e eu estava ávido para desvendar a idolatrada e unânime Barcelona. Afinal, dez em cada dez viajantes são apaixonados por ela. Fui primeiro para a Rambla del Mar, uma ponte móvel (que se abre para os barcos passarem), que leva ao Port Vell (Porto Velho) – hoje, uma grande e moderna área de lazer com shopping, clubes náuticos, aquário e cinema. Também é possível chegar pelo outro lado, onde não há ponte, simplesmente atravessando a Plaça de l’Ictineo. Quase em frente à ponte, mas na direção da cidade, há uma coluna enorme sustentando o navegador Cristóvão Colombo que aponta ao mar. Logo atrás do descobridor da América, estão Las Ramblas, a mais agitada área turística de Barcelona, repleta de lojas, cafés e artistas de rua – destaque para a Plaça Reial. Ainda no centro, encontram-se atrações como a lindíssima igreja de Santa Maria del Mar, o Museo Picasso e a Muralla Romana. Não muito longe, o Bairro Gótico se apresenta com sua espetacular catedral e estabelece uma parada obrigatória. Parei pra fazer um lanche e, meio sem querer, descobri que o Barça iria jogar no dia seguinte lá no Camp Nou. É verdade que, apesar de gostar de futebol, não havia planejado ir a jogos, até porque os ingressos não seriam baratos e o orçamento para quase 90 dias de viagem poderia ficar comprometido. Mas, já que a coincidência ocorreu, essa chance eu não perderia, jamais! Corri para o estádio (que fica bem longe do centro), não resisti e paguei € 30,00 no ingresso para assistir a Barcelona x Valladolid. Também não me aguentei e adquiri uma camisa do Barça – com meu nome nas costas. Entendeu o lance do orçamento comprometido? Mas voltei feliz da vida para o albergue! Foi então que fiz uma nova amizade, Carlos – nome adaptado do meu novo companheiro de quarto –, um mochileiro de Hong Kong. Ele conseguiu realizar a tremenda façanha de trancar a chave do cadeado junto com todos seus pertences no armário e, como não falava espanhol e tampouco entendia o inglês-catalão do recepcionista, veio pedir socorro. Alguns minutos depois, o problema estava resolvido – e o cadeado em pedaços. No terceiro dia, eu e meu amigo de viagem (por um dia), fomos juntos até a Sagrada Família – em construção desde 1882, é a mais incrível obra de Gaudí. Impressionante por dentro e por fora, deve ficar pronta em 2026, centenário da morte de seu idealizador. Depois passamos por La Pedrera, o edifício mais conhecido do arquiteto. DSC05892 Seguimos de metrô para a praia. O céu estava azul, limpo, lindo. O sol forte como em dias de verão, mas fazia frio. Pela primeira vez eu via o Mar Mediterrâneo de perto e ao ver as ondas quebrando, sentia o estrondo do mar no fundo do meu peito – era a saudade que batia forte –, e a incerteza de viajar por tanto tempo começou a me atormentar. Aquele momento foi um dos mais difíceis pra mim. Não consegui me segurar e liguei pra casa pra conversar com a minha família. Tentei disfarçar a emoção. Mas foi em vão. Meio recuperado, fiquei refletindo sobre a viagem (e fugindo do frio) enquanto lagarteava debaixo do sol. Depois de um rápido lanche, Carlos e eu tomamos rumos diferentes. Já mais animado, peguei o metrô para o Camp Nou. Dentro do estádio e devidamente uniformizado, assisti à goleada de 4 a 1 para os donos da casa. Um time de dar inveja à qualquer seleção, na época comandada por Puyol, Iniesta, Henry, Eto’o e Ronaldinho Gaúcho que não jogou por estar contundido. Comemorei muito junto com a torcida catalã – maioria esmagadora no estádio. Após o término da partida, muita espera até que intermináveis filas de azul grená se dispersassem pelo metrô. Na manhã seguinte, pulei da cama às 6h45 para não perder o trem com destino à Paris. No entanto, ao chegar à estação, fui informado de que não havia mais bilhetes disponíveis para a capital francesa. A saída seria fazer uma conexão forçada em Montpellier, no sul da França. Assim, eu deixava Barcelona que, só pra confirmar, continua unânime entre os viajantes! Leia o post com fotos em: http://viajanteinveterado.com.br/a-cidade-de-gaudi-barcelona-espanha/ Este é o 6º post da série Mochilão na Europa I (28 países) Leia o post anterior: Artes e paella! (Madri, Espanha)
  10. Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/3diasembarcelona/ Três dias é pouco para conhecer tudo que a jovem e cultural Barcelona tem a oferecer, mas quando não há escolha, o jeito é fazer caber! É possível conhecer as obras clássicas de Gaudí (na minha opinião, a melhor parte), ver uma apresentação de flamenco, experimentar a culinária local, visitar museus fantásticos e até pegar uma prainha! Barcelona é a capital da Catalunha, região da Espanha com cultura e identidade próprias e até um idioma diferente do espanhol, o catalão (que aliás, se parece muito mais com o francês). Os catalães buscam insistentemente a independência total da região, fale com um deles e você perceberá isso em frases como “não sou espanhol, sou catalão”. A cidade não tem um custo tão elevado se comparado a outras grandes cidades européias, como Londres e Paris, e conta com um eficiente sistema de transporte público. Como é comum na Europa, o principal perigo por lá são os pickpockets, fique bem esperto com bolsas e carteiras! Dia 1 Começamos pelo Park Guell, na parte alta da cidade (não se preocupe, tem escadas rolantes pra chegar até lá!), um complexo construído por Gaudí que originalmente seria um condomínio em meio a natureza, mas por falta de interessados acabou virando atração turística, inclusive declarada patrimônio da humanidade pela UNESCO. Uma das casas terminadas tornou-se moradia do arquiteto no período de construção, hoje é um museu com alguns móveis usados -e criados- por ele. Essa atração é paga a parte. O lugar é totalmente orgânico e colorido, marcas registradas das obras de Gaudí. Muitas áreas, incluindo a famosa escultura da salamandra, são revestida por mosaicos coloridos, uma técnica chamada trencadís. Tudo ali tem uma inteligentíssima razão funcional, sem deixar de encantar pela beleza! Como se não bastasse tanta coisa linda pra ver lá dentro, a vista nas partes mais altas, voltada para o mar, também é espetacular! Endereço: Carrer d’Olot, s/n, 08024 Barcelona / Metrôs Vallcarca ou Lesseps, linha 3 – verde Horários: Variam de acordo com as estações. http://www.parkguell.cat A próxima parada foi o Museu Picasso, uma coleção incrível, que vai muito além do cubismo, em sua maior parte doada por Jaime Sabertés, amigo do artista. Alguns pontos altos são a série Las Meninas e as telas dos períodos azul e rosa. O prédio gótico onde fica o museu é uma atração a parte! Infelizmente estávamos com pouco tempo e não era permitido fotografar, então não tenho muitos registros, mas vale demais a visita! Endereço: Montcada 15-23, 08003 Barcelona / Metrô Jaume I, linha 4 – amarela Horários: De terça a domingo das 09:00 as 19:00 / Quintas das 09:00 as 21:30 / Fechado as segundas. http://www.museupicasso.bcn.cat Pra encerrar a noite fomos ver um show de flamenco, simplesmente fantástico!!! Entre tantas opções, escolhemos o Restaurante Nervion, ali mesmo pertinho do museu, o lugar é simples mas acolhedor e o valor pago inclui além do show, um jantar com entrada, prato principal e sobremesa. Dia 2 Visitamos a Fondació Joan Miró, um enorme museu com quadros, esculturas, tapeçaria entre outras obras compondo a maior coleção do artista catalão. O lugar fica no Parc de Montjuïc, uma montanha com diversas outras atrações, mas como não parou de chover, ficamos só pelo museu mesmo! Também não tenho muitos registros pois não era permitido fotografar. Fundação Joan Miró Endereço: Parc de Montjuic, 08038 Barcelona Horários: Variam de acordo com os dias da semana / Fechado as segundas. http://www.fmirobcn.org Seguimos para a Casa Milà, também conhecida como La Pedrera, outra magnífica obra arquitetônica de Gaudí encomendada por Pere Milà e fortemente criticada na época. O prédio fica localizado no famoso Passeig de Gràcia, a fachada sinuosa com varandas em ferro forjado se destaca em meio as outras construções mais convencionais. Dentro do prédio é possível visitar um dos andares com os cômodos mobiliados como uma casa da época de sua construção, 1906. O último andar é uma exposição permanente com obejtos, desenhos, maquetes e audiovisuais que mostram algumas das obras de Gaudí e suas técnicas. O terraço é a parte mais esperada, mas infelizmente por causa da chuva não pudemos subir. Casa Milà / La Pedrera Endereço: Passeig de Gràcia, 92. 08008 Barcelona Horários: Segunda a Sexta das 09:00 as 18:00 / Sábados, domingos e feriados das 10:00 as 14:00. http://www.lapedrera.com Ainda do espírito Gaudí, fomos conhecer a Casa Batlló, uma verdadeira obra de arte em forma de prédio, não dá pra não sair de lá maravilhada com a genialidade do arquiteto! Conto sobre ela em detalhes aqui neste post! Fomos num bar de tapas ali pertinho experimentar a famosa iguaria nacional, que é na verdade uma entradinha ou comidinhas em pequenas porções. A variedade é imensa, quentes ou frios, com queijos, presuntos ou conservas… combinam direitinho com uma cerveja ou uma cava, o vinho espumante espanhol. Não me lembro o nome do lugar, mas certamente não vai ser difícil encontrar um desses onde você estiver! Dia 3 Começamos o dia pela parte mais esperada da viagem, o Templo Expiatório da Sagrada Família, obra-prima ainda inacabada de Gaudí e cartão postal de Barcelona. A basílica que começou a ser construída em 1882 teve seu projeto modificado algumas vezes, passando do neogótico ao modernismo catalão, movimento da qual Gaudí fazia parte. Ele a construiu inspirado em uma floresta, o que é visível nos detalhes de seu interior todo branco, ladeado por vitrais que inundam o espaço com cor e vida. O projeto conta com 3 fachadas, a da Glória, a da Paixão e a da Natividade, sendo que as duas últimas já estão terminadas e são fantásticas, com estilos bem diferentes. Se tiver tempo (não foi nosso caso), ainda é possível subir em uma das torres e ter uma vista linda da cidade. No subsolo há uma área que conta um pouco da história do lugar. Eu não sou católica e preciso dizer que foi a primeira vez que entrei em uma igreja e senti paz, me senti realmente bem em estar ali, acho que o objetivo foi cumprido! O plano é que a obra fique pronta em 2026, no ano do centenário de seu criador, mal posso esperar para visitá-la outra vez! Sagrada Família Carrer de Mallorca, 401, 08013 Barcelona / Metrô Sagrada Família, linha 5 – azul ou 2 – lilás Horários: Variam de acordo com as estações. http://www.sagradafamilia.org O próximo ponto foi Barceloneta, o bairro de pescadores junto a praia. O tempo estava bem feio então foi só uma parada rápida e uma caminhadinha na orla. Alguns pontos marcantes são a escultura da artista alemã Rebecca Horn, conhecida como Los Cubos, mas que originalmente se chama L’Estel Ferit e o Hotel W Barcelona, uma construção moderníssima que se destaca na paisagem. Seguimos para Las Ramblas, a avenida mais famosa de Barcelona, que divide os bairros El Raval e Barri Gòtic, bonita e lotada de turistas! Em sua extensão ficam lojas, bares, restaurantes e ícones turísticos como o Mercat de La Boqueria, o mercado municipal, queríamos conhecê-lo mas estava fechado. O mosaico Pla de l’Os, de Miró também é um destaque no passeio. Entramos no Bairro Gótico, uma das regiões mais antigas da cidade, com diversas construções arquitetônicas no estilo gótico, é claro! A janta foi no Les Quinze Nits, na Plaza Real, não se assuste com o aspecto fino do restaurante, os valores são super acessíveis, e a comida é ótima! Lá por perto encontramos o Milk, um bar/restaurante super diferente, com uma decoração meio retrô, uns sofás, bem agradável… por lá terminamos a noite (e a viagem) tomando uma cava pra nos despedir em grande estilo de Barcelona. Para ir até o aeroporto usamos o Aerobus, como estávamos perto de um dos pontos por onde ele passa e não tínhamos muitas malas foi a opção ideal e mais econômica, o valor hoje é de 5,90 €. Como estávamos em 5 pessoas, alugamos um apartamento ótimo e baratíssimo pelo Airbnb, entre a Plaza de España e a Avenida Diagonal, uma boa localização para conhecer a cidade usando o metrô. *Valores e outras informações atualizados em Fev/2016 Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/3diasembarcelona/
  11. Estou fazendo uma viagem pela Espanha nos próximos 15 dias e dentro do possível vou postar a viagem em tempo real. Iniciei ontem uma viajem de 15 dias pela Espanha. Saí do Rio para Sampa e peguei o Voo diário da TAM para Madrid. Muito bom o Voo, com bastente opção de entretenimento, para aturar as 10 horas de viajem. Usei 60.000 pontos (ida e volta) de milhas acumuladas pois comprei com bastante antecedência. Se resgatar em cima da hora não vai arrumar por menos de 100.000 pontos cada trecho. Minha primeira preocupação era a “temida” imigração de Barajas. Não levou 30 segundos para me liberar. Perguntou quanto tempo ficaria na Espanha e o motivo da viagem. E só. Ajudou muito eu ter outros carimbos de entrada na União Europeia. O cara falou Ahh, vc já esteve em Londres...e carimbou. Mas vi 3 pessoas do meu vôo sendo conduzidas para a “casinha”. A “casinha” na verdade é a inspeção secundária onde realmente vão checar suas informações. Já fui “convidado”2 vezes (uma em Schipol e outra em Houston), mas fui liberado depois. Em Schipoll, ligaram para o Hotel para confirmar. Aqui foi mole. Bem fiz reserva no Hotel Etap Madrid para 4 noites a 39 euros. É igual a todos os Etaps do mundo, mas é meio distante do centro, porém a 1 quarterão da estação de metro Suanzes. Levei uns 40 minutos de metro do Aeroporto ao Hotel O Metro de Madrid é muito bom. Muito parecido om o de Londres, bem abrangente. Dá pra ir a qualquer lugar da cidade por ele. No Aeroporto comprei o passe de 5 dias para todos os transportes públicos. Existem 2 opções. O Zona A custa 25 euros e cobre o centro de Madrid. Comprei o Zona T por 36 euros, que abrange ônibus para Toledo e o El Escorial que fica na área das “cercanias”. Acho que foi uma boa. Metro de Madrid Cheguei no hotel e fui direto ao Santiago Bernabeu tentar comprar um ingresso para o jogo do dia 24 contra o Real Sociedad. Consegui apenas um de 60 euros, na reta da bandeira do corner. Vamos ver se vale a pena, mas ter oportunidade de assistir o Real Madrid, é daquelas que “não tem preço”. Estádio santiago Bernabeu Depois peguei o metro, saltei na estação Barrio de Pilar para ir no Shopping LaVaguarda. É bem grande, mas como tudo por aqui, é caro. Definitivamente Europa não é lugar pra comprar. Vou ficar só nas lembrancinhas e imas de geladeira Shopping La Vaguarda Peguei de novo o metrô e fui conhecer a Eatação Atocha ( sou fissurado em estações de trem). Ela é bem grande e abrange Trem,metro, ônibus, trem de longa distância, etc... é sem dúvida a aior estação de Madrid. Ali é ideal para comprar as quinquilharias...Depois disso, morto, voltei pro hotel....Amanhã tem mais.....
×