Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

andresr

De Santos/Sp à Iquique/CHI + Atacama de carro (com custos)

Posts Recomendados


"Em Puerto Iguazu paramos para comprar chip de celular (Personal) para utilizarmos a internet, almoçarmos e fazermos um pouco de câmbio, o suficiente para chegarmos até corrientes."

André boa noite!

O que você achou do chip de celular, que comprou para usar na Argentina e Chile?

 

Antonio Carlos 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 08/03/2018 em 22:56, antoniocalves disse:

"Em Puerto Iguazu paramos para comprar chip de celular (Personal) para utilizarmos a internet, almoçarmos e fazermos um pouco de câmbio, o suficiente para chegarmos até corrientes."

André boa noite!

O que você achou do chip de celular, que comprou para usar na Argentina e Chile?

 

Antonio Carlos 

Ola

O da Argentina funcionou bem, sem problemas. Utilizamos para acessar o google maps as vezes ou pesquisar alguma coisa.

O do Chile não conseguimos usar. Me parece que ficamos sem crédito na primeira recarga e depois também não procuramos mais ver isso. Nao faz muito falta e deixavamos para utilizar o wi-fi das hospedagens. 

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por mahh_loo
      ( de OURINHOS/SP A MARAGOGI/AL - de carro, não apenas um carro, um Del Rey)
       
      Galera essa viagem foi em Abril de 2018, encontrei esse relato que eu fiz no Facebook e resolvi publicar por aqui também:
      Vim aqui contar pra vocês como que eu e o meu marido Mauricio saímos do interior de SP, atravessamos o Brasil, passamos ao longo da viagem por 6 estados, a bordo do Zé Reys (nosso Del Rey). 
      (alerta textão)
       Achei bacana vir aqui compartilhar com vocês nossa aventura, porque quando eu estava pesquisando pra fazer a viagem, não encontrei nenhum relato de pessoas que tivessem feito esse trajeto que nós fizemos de carro, e eu queria tanto saber das condições da estrada, do combustível e tal, espero ajudar quem venha a ter a mesma ideia que nós tivemos. Não sei dizer se a nossa viagem foi no estilo mochileira, mais o nosso objetivo era conhecer e curtir o máximo possível, gastando o menos possível, já que a nossa reserva de dinheiro não era tão grande, e posso dizer que a missão foi cumprida com sucesso!!
      Nós já tínhamos ido pra Maragogi a três anos atrás, mais de avião, alugamos um carro e foi então que a ideia surgiu, porque não ir com o nosso carro? Teríamos mais liberdade e mais tempo pra conhecer a região. Demoraram três anos pra ideia sair do papel.
      - O planejamento
      eu fiz o planejamento inteiro da viagem em sites como:
      mapeia.com, qualp.com, rotasbrasil.com
      na verdade eu fazia a rota em todos eles pra comparar a diferença, e posso dizer que eles foram BEM fiéis, tanto nas contas de pedágio, quanto no cálculo de combustível.
      -O carro
      O Zé é um Ford Del Rey ano 89/90, motor 1.8, original a álcool. O motor dele é original, nunca foi refeito nem nada do tipo,  mais é um carro conservado, o Mauricio é músico, então nós já percorremos toda a região aqui do interior de sp e do norte do paraná com ele, e ele nunca nos deixou na mão até hoje!  Mais é claro que nós fizemos uma boa revisão antes de pegar estrada
      - Os gastos
      Quando eu fiz o planejamento, eu joguei o valor do combustível como padrão R$3,50 (lembrando que o Zé é a álcool) e colocando que o Zé faria 10 km/L. pra não ter sufoco e ficar com um orçamento acima dos gastos.
      - A estrada:
      Nosso maior medo era pegar estradas ruins, porque pelo nosso trajeto nós iríamos cruzar o sertão do nordeste. Gente as estradas são incrivelmente ótimas! A maioria dos pedágios que nós pegamos foi em São Paulo, no Nordeste mesmo acho que pegamos no máximo uns 4. Alagoas, Sergipe, Bahia todos com estradas muito boas, quase todas duplicadas e aonde não é duplicada, eles estão duplicando, se pegamos 100km de estrada ruim foi muito. Infelizmente a pior parte da estrada é em Minas Gerais, porque a pista na grande maioria é simples, com muitos radares, chegava a ter radar de 40 km/h na estrada, no meio do nada,  pegamos trechos de 180km com muitos buracos, estradas estreitas sem acostamento, com plantação dos dois lados, não é um trecho que eu aconselho passar anoite (apesar de que nós passamos) por ser muito isolado. Mais passando essa turbulência em Minas, o resto foi ótimo!
      1º DIA 
      1.146 km
      Ourinhos SP a Montes Claros MG
      Como enchemos o tanque em Ourinhos com álcool a 2,60
      tivemos uma boa economia no combustível, apesar de que o álcool em Minas Gerais ainda tava com um preço razoável pegamos uma promoção em Araxá onde o álcool tava R$2,85. A Vivo não pega muito bem em MG..chegamos a andar 200km sem sinal de internet.
      Pedágio: R$ 59,70 
      Combustível: R$ 320,00 (aproximadamente)
      Hotel: R$ 105,00 (Ficamos no Lessa Hotel..um ótimo custo benefício, eu reservei pelo Booking)
      Rota:
      Ourinhos
      Santa Cruz do Rio Pardo
      Bauru
      Jaú
      Araraquara
      Ribeirão Preto
      Franca
      Araxá
      Patos de Minas
      Pirapora
      Montes Claros
      2º dia
      Montes Claros MG a Maracás BA
      694 km andados
      R$ 210 mais ou menos, abastecemos em Montes Claros (2,65$)
      Não teve nenhum pedágio
      Hotel Vale Aprazível - 85$ a diária, jantamos em um restaurante bem simples, mais com uma comida maravilhosa do outro lado da rua do Hotel, por 15$
      A intenção era ir até Feira de Santana na BA, mais aconteceu uma falha na nossa revisão e nós esquecemos de ver a homocinética do lado esquerdo do carro, confundimos porque trocamos a direita, mais a esquerda não e ela quebrou em Maracás - BA.
      Então dormimos por lá mesmo, enquanto arrumava o carro (que por incrível que pareça ficou barato, o mecânico cobrou 100$ de mão de obra pra trocar a homocinética e a barra de direção que estava com folga)
      Rota:
      Montes Claros
      Cap. Eneas
      Janaúba
      Porteirinha
      Mato Verde
      Monte Azul
      Espinosa
      Urandi
      Guanambi
      Caetité
      Brumado
      Maracás
      3º Dia
      Maracás a Aracaju
      546 km
      Combustível: 170$ (3$)
      Hotel: 120$ pior custo benefício da viagem
      Pedágio: 9$
      Era para ser o último dia do trajeto, mais perdemos muito tempo parados em Maracás pra arrumar o carro, então só conseguimos ir até um pouco depois de Aracaju, porque saímos de Maracás quase meio dia, dormimos em um hotel que nem vale a pena comentar de tão ruim que era um pouco depois de Aracaju, só pelo cansaço mesmo. 
      Rota:
      Feira de Santana
      Alagoinhas
      Esplanada
      Estância
      Aracaju
      4º Dia
      Aracaju a Maragogi
      402 km
      Combustível: 140$ (3,40$)
      Sem pedágio
      Entrando em Sergipe e Alagoas o preço do álcool já fica mais caro, em média pagávamos mais ou menos R$3,40 no álcool, quando dávamos sorte encontrava algum posto por R$3,20. Passamos em Maceió e chegamos em Maragogi na parte da tarde.
      Hospedagem:
      Como eu queria ter liberdade em relação a quantidade de dias para ficar, aluguei uma casa, era um sobradinho a umas duas quadras da praia, paguei R$ 700,00 por 15 dias, achei que compensou, porque diferente do hotel, eu poderia fazer janta, café da manhã pra economizar.
      Passeios:
      Nós não tinhas uma programação muito definida, porque a gente queria mesmo era curtir sem pressa, então de manhã a gente ia pra uma praia, ai o tempo fechava (porque Abril é época de chuvas lá e nós pegamos muitas!) a gente pegava o carro e subia pra Pernambuco onde o tempo tava aberto e assim ia. Mesmo com chuva deu pra aproveitar, o mar ainda é azul (não tanto como em dia de sol) e a água continua morna.
      Dicas:
      Maragogi não tem muita agitação noturna, o que pra nós era ótimo porque a gente queria sossego mesmo, tem lugares que da pra você comer bem e barato, nós costumávamos ir em um restaurante que tinha sopa e pagávamos 10$ na sopa.
      Da pra curtir muito, sem gastar tanto. Por exemplo:  eu queria ir na praia de Carneiros (vá!! É uma das praias mais lindas)  pesquisei, pesquisei e o melhor acesso pra mim seria pelo Bora Bora, (que é considerado muito caro), mais você não precisa necessariamente consumir nada lá dentro, então nós pagamos 30$ de estacionamento, eu coloquei alguns lanchinhos na mochila, passamos o dia nas piscinas naturais (levamos nossa máscara e snorkel pra não ter que alugar), fomos apé até a famosa Igrejinha, sentamos na sombra do coqueiro pra comer, e ainda podia usar a estrutura toda do Bora Bora (banheiro, rede, sofá, ducha, etc ) pelos simples 30$ que nós pagamos.
      Cuidado em Porto de Galinhas, lá é lindo, mais tem sempre alguém te vendendo alguma coisa, pergunte o preço de tudo ANTES de comer, ou até olhar., eu levei uma facada pagando 35$ porque experimentei uma ostra antes de perguntar o preço, morguei nessa. As cadeiras na beira da praia você paga 30$ no guarda sol e mais 10$ por cadeira, ou você pode consumir alguma coisa do cardápio (não tinha nada menos do que 70$) e não pagava as cadeiras, nós bobeamos nessa também.
      Primeiro porque pagamos por um estacionamento, com banheiro e ducha, e quando chegamos lá o banheiro era público! Segundo porque perto da praia, perto dos estacionamentos, tem barraquinhas, que deixam você colocar suas coisas sem cobrar nada por isso. E no calçadão a comida é MUITO mais em conta, tinha refeição, lanche, por 10$ bem barato mesmo.
      Nós escolhemos apenas um passeio caro,  que foi o mergulho em Porto de Galinhas, pagamos 160$, pra gente que nunca tinha mergulhado valeu muito a pena, os instrutores eram bem pacientes, explicaram tudo, passaram segurança.
      Não fizemos o passeio pras Gales de Maragogi porque já tínhamos feito 3 anos atrás.
      Antunes continua linda, maravilhosa! Mais o movimento de 3 anos atrás nem se compara com o movimento de agora, muita gente, muitas barraquinhas, muitos guarda-sol, mais é só andar um pouco que você encontra um cantinho com paz, sem movimento.
      Barra Grande é tão linda, tão azul quanto Antunes, e tem menos movimento.
      Cuidado na Praia de Peroba, nós ficamos em uma barraquinha que tinha lá, pedimos um peixe, estava escrito na lousa 25$, comemos, fomos pro mar. Quando voltamos e fomos acertar, a senhora dona da barraquinha tinha apagado e colocado 50$ quando questionamos, ela disse que havia errado no valor.
      Se puder vá até Olinda, Recife, tem centros históricos incríveis, que valem a pena a viagem!
      Cuidado com o que você come, e bebe, eu peguei uma intoxicação alimentar feia, fiquei 4 dias como rainha literalmente, mais não deixei de curtir, apenas tinha que procurar praias que tinham alguma barraquinha com banheiro hahahaha, fiquei desidratada, tive que ir no UPA de Maragogi, e fui muito bem atendida! O bom é que os remédios nas farmácias de lá eram muito mais baratos do que na minha cidade.
      Depois desse relato imenso, só posso dizer uma coisa: gente..vai !! Se aventura, vivencie isso porque olha, foi demais, foi a realização de um sonho!! O nordeste é incrível, nós cortamos o sertão mesmo, e foi uma coisa que me tocou demais, me mudou como pessoa, ver aquelas casinhas humildes, muitas de barro, com cisternas pra captar a água da chuva, isoladas no meio do nada, sem supermercado, sem cidade, sem nada por perto, mais as pessoas tinham um sorriso no rosto, um sorriso na alma, que marca qualquer um!!
      E pra finalizar, nós não somos blogueiros e nem temos nenhum conteúdo profissional, mais se alguém tiver curiosidade de ver a jornada eu gravei alguns stories e tão salvos lá no instagram: @naestradacomze 










    • Por MauriVirissimo
      Olá pessoal, farei um breve relato da viagem.

      Resumo da viagem:
      30 dias, entre janeiro e fevereiro de 2019
      13 mil quilômetros

       
      Combustivel: 13 mil km
      1400 litros gasolina, R$ 5700 reais para CARRO (Jeep - Grand cherokee 3.6)
      520 litros gasolina, R$ 2000 reais para MOTO (Honda - CB 500x)

      Partimos de Florianópolis em direção a Bariloche nosso principal destino inicial, onde ficamos 2 dias inteiros fazendo alguns passeios na cidade.


      Depois disso continuamos para Sul descendo Ruta 40 ate Esquel para então entrar no chile por Futaleufu e descer Carretera Austral ate Puerto Rio Tranquilo onde fizemos passeio nas Capilas de Marmol (catedral marmore). Neste trecho pegamos Aproximadamente 300 km  de Rípio que para carro tava tranquilo porem pra moto tava um pouco sofrido devido a "brita" solta nova que colocaram pois estão pavimentando a Carretera e essa rípio solto fica complicado para pilotar.


      Bom, para quem conhece Carretera sabe muito bem que vale cada quilometro percorrido nela, porem voltamos para ruta 40 para chegar a El chaiten, El calafate e no decorrer dos dias ir descendo ate torres del paine, e neste porto da viagem, por motivos de Doença na família minha madrasta teve que voltar ao Brasil de Avião e junto meu irmão por parte de pai também voltou, onde infelizmente mãe dela, avo dele veio a falecer infelizmente.


      Detalhe, meu pai estava com Moto em nome de minha madrasta e estava sem procuração dando os devidos direitos dele poder passar aduana com moto em nome dela, ai então em Puerto Natales fomos ate NOTARIA (tipo nosso Cartório no brasil) e la fizemos o documento.
      Outra observação, é que passamos as aduanas por varias vezes durante o restante da viagem e não entregávamos o documento para ver se iriam questionar algo, e nada pediam, passávamos tudo ok.

      Bom, Continuando então descemos ate Ushuaia onde ficamos 3 dias inteiros e depois fomos subindo ruta 3 com destino ate Puerto Madryn e la fazer passeio ate pinguinheira e também para conhecer Península Valdes.


      Apos isso tínhamos ainda tempo suficiente para passar em Buenos Aires, mas decidimos voltar para casa e dar apoio psicológico a família que voltara antes.

      Não tivemos nenhum contra tempo, nem com carro nem com moto, temperatura era na maioria das vezes boa para andar de moto, exceto em algumas regiões pela parte da manha quando cedo, porem no trexo da ruta 40 entre Gobernador Gregores e Tres Lagos, o ripio muito solto pior que na carretera e o FORTISSIMO VENTO LATERAL fez com que meu pai chegasse a chorar ao conseguir passar, neste dia 3 motos que la estavam passando pela mesma situacao desistiram e um reboque grande levou 3 motos e seus respectivos pilotos para trecho onde asfalta começava novamente. meu pai foi guerreiro antava pela antiga rodovia paralela a atual que esta para ser pavimentada por isso ripio (brita) solta.


      Bom meus amigos tenho videos curtos no youtube vou deixar link abaixo, esta dividido em 5 videos curtinhos!
       


      Grande abraços a Todos e em Março Abril de 2020 pretendo ir ao Atacama, BORA!?!?!?!
       

       

    • Por Guh030912
      Bom dia, eu e meu marido estamos planejando em agosto sair de Imbituba de carro para conhecer o Brasil ( Agosto 2020) gostaria de saber se é tranquilo ( temos um sambeiro 2015 1.0)temos 25 dias para viagem  e quais lugares visitar nunca viajamos de carro e é um grande desejo nosso! 
       
      desde já agradeço! 
    • Por Juliana Champi
      Sempre começo dizendo pq desta viagem, deste destino, já que o mundo inteiro me interessa! Então vai lá: pq meus planos eram “Islândia” mas não deu ($$ - segundo ano consecutivo mudando o destino por falta de grana, rs). Pq eu li sem querer querendo um relato e depois mais um e depois mais dois, e depois todos, sobre “este destino” (compilei os relatos mais recentes neste tópico).
      Pq eu já queria ir. E agora estava apaixonada. Pq eu andei negligenciando a América do Sul. Pq AMAMOS natureza e paisagens. E estamos cada vez mais curtindo viagens de carro! Então por tudo isso, e pq passagens de avião estão caras demais e pq sim, decidimos partir de Londrina-PR com destino ao Atacama, no Chile, com lenta passagem pela Argentina! E rolou até Bolívia!
      “Noooooossa, mas que loucura, vcs vão de carro??? E ainda vão levar o filho???? Vão fazer o que num deserto??” 🤨
      [email protected], loucura pra mim é pagar 3 mil reais num celular!”🤦‍♀️
      Apesar de ter bons relatos de carro pelo roteiro que me propus fazer, sempre muda alguma coisa, e tb é interessante atualizar valores e trazer informações mais recentes... e escrevo tb como forma de memória minha... o meu “livro de viagens” é aqui, rs! E em tempo, obrigada a todos que compartilharam aqui suas histórias e me fizeram sonhar além e rir muito!
       
      Roteiro
      Londrina > Foz do Iguaçu > Corrientes > San Salvador de Jujuy (e arredores) > San Pedro de Atacama (e arredores incluindo Bolívia, rs) > SSJ > Corrientes > Iguazu > Londrina. Em 17 dias, 6300km! Com esse tempo tem gente que vai mais longe, que vai pra Santiago, Mendoza e afins, mas gosto assim, com calma! E o mundo estará sempre lá pra gente voltar.
       
      Quem foi
      Até convidei um casal de amigos, mas as datas não bateram. Então fomos naquela formação original básica: Guilherme: marido e piloto; Juliana (eu): esposa, navegadora e co-pilota; e João Gui: filho (11 anos), comissário de bordo!
       
      Como
      De Nissan Versa 1.6 manual ano/modelo 2018/2018! Mandei pra revisão na concessionária antes de viajarmos apesar dele estar recém revisado. Como a gente sempre faz o que não deve com ele um monte de parafuso e proteção na parte debaixo do carro tinha quebrado/soltado. Tb me disseram que eu não precisava colocar nenhum fluido em nenhum lugar pra evitar congelamento, que o que estava lá era o correto, e assim fiz, mas verifique esta questão pq com o seu carro pode ser diferente.
      Equipamentos obrigatórios: 2 triângulos e extintor de incêndio. SÓ! (Além de cinto de segurança e estas coisas normais). Não tem cambão, mortalha e o carai... Por favor, leiam este tópico! Daqueles que dão orgulho do mochileiros.com!!
      Seguros obrigatórios: Carta Verde (Argentina) e Soapex (Chile). Mais detalhes abaixo.
       
      Documentos
      Passaportes: é bem mais prático do que levar o RG e a gente já tinha;
      PID: a gente já tinha, mas ninguém pediu;
      Carta verde: seguro argentino no nome do dono do veículo, que tem que estar dentro do carro, foi emitido gratuitamente pelo meu corretor de seguro do carro pq já estava incluído no seguro do meu carro (tem que ser impresso em papel verde, rs). Se vc não é o dono do carro tem que ter uma autorização do dono (seja da locadora ou do parente) pra dirigir o carro fora do Brasil. CARRO FINANCIADO está no seu nome e não precisa de autorização nenhuma;
      Soapex: seguro chileno para estrangeiros, comprado dias antes pelo site da HDI por 10,77 dólares. Na hora de comprar vc vai ter que informar o número do motor do carro, rs. Nem sabia que isso existia. Não é o chassi, é o motor. Procurei na internet onde tava o número do motor do Versa e fica no motor mesmo, kkkk. Foi só bater uma lanterninha lá e anotar!
      Extensão do seguro pela América do Sul (fale com seu corretor): incluso no seguro do meu carro;
      Seguro viagem: tive dificuldade em contratar, até pedi ajuda aqui. Eu nunca compro seguro pq uso o do cartão, mas desta vez como não compramos passagens, o cartão não oferecia. Quando comecei a cotar percebi que seguros “terrestres” quase não existiam, ou quando achava, eram super caros e se aplicavam apenas para viagens de ônibus. Depois de dar uma estudada e até falar com corretores, acabei contratando um aéreo mesmo, afinal, minha preocupação era ter algum problema de saúde em alguma cidade, tipo uma dor de dente ou cólica de rim, sei lá. Nestes casos não faria diferença eu estar de carro ou de avião. Compramos pela Mondial/Alianz por 235,00 para nós 3, para Argentina e Chile, por 17 dias. Estava com um cupom de 50% de desconto;
      Receitas dos meus medicamentos (#diabetica): como assisto muito “Fronteiras Perigosas da América Latina” kkkkk fiquei encanada de alguém cismar com meus medicamentos!
       
      Money
      Trocamos reais por pesos argentinos na fronteira (Foz do Iguaçu) e em Salta, e dólares por pesos chilenos em SPA. No relato aprofundo mais sobre as tarifas. Mas assim, câmbio é uma coisa que flutua tanto que vc tem que pesquisar exatamente na data da sua viagem. Via de regra compensa levar dólar pro Atacama pq lá não tem demanda por real, ao contrário de Santiago, em que a troca direta real x peso pode compensar ou empatar. Na Argentina costuma ser viável trocar direto... mas reparou no “costuma”? Pesquise na data da sua viagem!
       
      Internet
      Baixamos todos os mapas do google off-line e não compramos chip nem no Chile nem na Argentina! Usamos somente a internet dos bares/restaurantes e hospedagens e deu tudo certo! 
       
      Na mala
      Calçado quente, confortável e impermeável, eu de botas vento titã (muito amor), os meninos de Quechua. Roupas em camada, pegamos de -10oC a 30oC. Soro de nariz, protetor labial (bepantol), protetor solar e óculos de sol são itens de SOBREVIVÊNCIA, a umidade relativa é zero e a neve cega.
      Medicamentos: eu já tinha abandonado a ideia de ficar levando remédio a toa, mas preferi levar alguns desta vez. Pra dor, anti-alérgico e Diamox. Falo mais sobre o mal de altitude no durante o relato.
       
      Hospedagens
      Airbnb do começo ao fim! Sou muito fã de Airbnb e mais uma vez tivemos muita sorte! Me sinto em casa, me sinto parte do lugar quando posso cozinhar, ir no mercado e interagir eventualmente! Sei que na maioria dos hostels tb é assim, mas no Airbnb sempre acho mais conforto, privacidade e preços melhores! Tivemos excelentes experiências e preços muito, mas MUITO, acessíveis, vou abordar melhor abaixo.
      As hospedagens escolhidas, bem como preços e qualidade foram as seguintes:
      Foz do Iguaçu (1 noite): Eu já tinha me hospedado duas vezes em Foz do Iguaçu pelo Airbnb, na casa da Adriana. A casa dela se aluga inteira e é enorme, super confortável, linda, show! Legal pra ir com mais gente! (Se alguém quiser indicação me manda MP). Mas desta vez era só uma noite, resolvi pegar uma casa menor, onde mora uma senhora, pertinho da Argentina! Sabe quanto? 68 reais pra nós 3, e com café da manhã! 21 reais por pessoa!  Amo Airbnb! A Léo, nossa anfitriã, foi muito fofa, amamos! Casa simples e confortável, perfeita para uma noite!
      https://www.airbnb.com.br/rooms/29173885?guests=1&adults=1
       
      Corrientes (1 noite): Mais uma experiência de ficar em um quarto na casa de alguém. Na verdade é uma dependência no fundo da casa do Cesar. Desta vez pagamos 93 reais pra nós 3, 31 reais para cada! O César foi super querido com a gente, tivemos uma ótima estadia!
      https://www.airbnb.com.br/rooms/14149168?guests=1&adults=1
       
      San Salvador de Jujuy (5 noites): Eu tinha 200 reais de desconto quando paguei, então no total ficou 321 reais para 5 noites para nós 3, incríveis 20 reais por dia por pessoa, não é bom demais? Lugar super legal, a anfitriã mora nos fundos e dá muitas dicas, não poderia ter escolhido lugar melhor! Quem vai passar um tempo na região costuma hospedar em Salta, mas fiquem de olho, lá é bem mais caro! SSJ, Tilcara e Purmamarca além de serem puro charme tem opções bem mais em conta! AMEI.
      https://www.airbnb.com.br/rooms/26893928?guests=1&adults=1
       
      San Pedro de Atacama (6 noites): Eu tinha 169 reais de desconto quando paguei, então no total ficou 970 reais para 6 noites para nós 3! Cerca de 55 reais por noite por pessoa! Apesar de ter ficado mais caro que a média, todo mundo sabe que em SPA as hospedagens são mais carinhas mesmo, ainda mais na alta temporada! Esta hospedagem consiste num quarto triplo com banheiro privativo e acesso a cozinha coletiva! Tinha mais um quarto semelhante nos fundos. Os anfitriões foram bem prestativos! Eles moram lá em SPA e alugam estes dois quartos nos fundos de uma casa, que me pareceu ser de parentes deles. Esta foi meio parecido com um hostel.
      https://www.airbnb.com.br/rooms/24290251?guests=1&adults=1
       
      SSJ (1 noite): a ideia era hospedar em General Guemes e ficar mais na mão de voltar, ou em Salta... eu tinha uma reserva com cancelamento grátis pelo Booking em Salta, mas resolvemos retornar pra mesma casa onde ficamos na ida pq tinha umas plantas lá que eu queria muda, hahahahauaha! Desta vez pagamos 105 reais pra nós 3, 35 reais por pessoa!
       
      Corrientes (1 noite): eu queria ter pernoitado em Resistencia só pra ser uma cidade diferente, rs, mas faltando 2 meses para a viagem eu solicitei reserva no mesmo lugar que iria me hospedar na ida, só que estava indisponível. Achei um outro lugar do mesmo dono, mas no mesmo endereço... Achei estranho mas solicitei reserva. Me custaria míseros 73 reais para nós 3 por uma noite. Mas sabe quanto eu paguei? ZERO reais, pois tinha crédito de viagem! Esta segunda reserva aparentemente é de um outro cômodo dentro da casa dele, mais barato, mas acabamos ficando na mesma dependência do fundo e deu tudo certo, o cara é um gentleman! Vou deixar o link desta hospedagem abaixo apenas pq parece diferente da que ficamos na ida, mas foi o mesmo lugar, rs.
      https://www.airbnb.com.br/rooms/18043226?guests=1&adults=1
       
      Puerto Iguazu (1 noite): última hospedagem da viagem! Quis ficar em Iguazu pra ser diferente da ida, rs, e pq antes de ir embora queria comprar cereja em conserva (pq todo o resto é caro e pega turista em Iguazu). Pra não ter que atravessar a fronteira de novo, resolvemos ficar do lado argentino mesmo. Quarto em casa compartilhada, MUITO simples e com problemas de higiene. Me custaria 52 reais a pernoite pra nós três, mas não paguei NADA pq tinha crédito de viagem! A anfitriã era gente boa mas não recomendo esta casa... poderia ter comprado a minha cereja e atravessado na mesma noite pro Brasil e dormido de novo na Léo que tava mais esquema!
      https://www.airbnb.com.br/rooms/26877281?guests=1&adults=1
       
      TOTAL: 1557,00 reais, mais ou menos 33 reais por dia por pessoa, já que foram 16 noites! Achei MUITO bom!  Se depois de tudo que vc leu, resolver experimentar o Airbnb, faça cadastro com o meu link que eu e vc ganhamos descontos!
      https://www.airbnb.com.br/c/jcarneiro3?currency=BRL
       
      IMPORTANTE: neste tópico, para quem interessar, há uma discussão bem legal que rolou aqui sobre os malefícios do Airbnb, principalmente para as pessoas que moram em cidades muito turísticas. Muito do que foi colocado neste tópico é BEM importante quando vc tem alguma preocupação com o impacto que causa em qualquer ocasião da sua vida, incluindo viajar. Tente escolher bem seus anfitriões de forma a minimizar os impactos negativos do Airbnb! Casas compartilhadas com o morador, anfitriões que só tem uma casa e idosos são uma boa.
       
      Clima
      Esta é uma viagem que pode ser feita a qualquer tempo, mas o cenário muda muito e há períodos em que certos passeios ficam fechados!
      As duas principais temporadas para nós, brasileiros, são inverno e verão, por conta de férias escolares e tals. E fomos no inverno, a mais ALTA temporada do Atacama! Pq... tem o João, rs! Ele está no sexto ano e ano passado não quis ir conosco pra África do Sul pra não perder aula e provas! Apoiei a responsa dele mas não queria deixa-lo de fora de novo... e já convenci ele que ano que vem a viagem vai ter que ser durante as aulas mesmo, rs.
      Mas qual é a do inverno e a do verão?
      Falando especificamente do Atacama... no verão é MUITO calor durante o dia e pode chover. Em janeiro, e principalmente fevereiro, o inverno altiplânico (chuvas intensas) podem estragar seus planos. Este ano várias rotas foram interrompidas por chuvas intensas e muitos passeios foram cancelados, dava pra ver marcas de alagamento em algumas partes de SPA ainda. Mas sabe quem ama o verão? Os flamingos! É nesta estação que vc corre o risco de vê-los fazendo aquela dancinha de corte sensacional! Só tenham atenção com FEVEREIRO.
      E o inverno?? O céu é maravilhosamente azul, é alta temporada (férias na Europa e América do Norte), não chove nem a pau, mas pra quem não curte, cuidado: a temperatura fica abaixo de zero a noite! Tudo bem pq a noite vc tá debaixo das cobertas quentinho certo? Errado! Tem tour que sai as 5h da manhã, nos Geyseres del Tatio o frio é extremo. Extremo mesmo, -15oC pra menos. O vento faz a sensação térmica te colocar no topo do Everest, rs! E hospedagem de mochileiro em SPA não tem calefação neah... FRIACA! Outros pontos negativos são: os flamingos se mandam pra bandas mais quentinhas e as nevascas podem interromper temporariamente os passeios de altitude e a ascensão aos vulcões (Lascar, Cerro Toco, Licancabur e etc). Mas pra quem, como eu, é apaixonada pelos topo de morro branquinhos e se amarra numa bochecha rosa queimada de vento, o inverno é a sua estação!
      ATENÇÃO para AGOSTO. Eles dizem que fim de julho, agosto e comecinho de setembro é o período da “última invernada”... neva muito e é a mais baixa temporada do Atacama, frio extremo e muitos passeios fechados! Se quiser curtir a primavera, melhor deixar pra segunda quinzena de setembro pra frente!
      Obs. Estas informações me foram contadas por moradores locais. Com certeza há quem tenha ido em fevereiro e agosto e tenha dado sorte, mas se vc puder evitar, fica a dica!
       
      E na véspera...
      Machuquei o pé. Sim, forte! No dia antes de viajar a marmota aqui cutucou uma unha! Fui parar na podóloga e não desejo pra ninguém a dor de cortar nacos de carne e unha sem anestesia, fiz força pra não fazer xixi! Por este motivo acabei levando antibióticos caso infeccionasse, antisséptico para curativo e antibiótico pomada para os primeiros dias! No fim... #spoiler super sarei e não tive maiores problemas, rs!
       
      Finalmente...
      Vou relatar tudinho, com muitas fotos e todos os custos. Por dia, eles serão divididos nas seguintes categorias: combustível, pedágio, alimentação (que inclui mercado, refeições diversas, bebidas), compras (que inclui coisas úteis e inúteis, vulgo "souvenires e regalos", assim como eventuais estacionamentos e uso de sanitários), diversão/entrada (inclui entradas em atrações e eventuais taxas de turismo) e câmbio.
      No fim farei um resumão de custos, e gente... esta viagem divide com a África do Sul a primeira posição de “minha viagem favorita no mundo”... mesmo que nem tudo tenha sido... FLORES.
      Prometo começar o relato em si, no próximo post! 😃
    • Por fore
      Introdução
      Planejei uma viagem de carro saindo de São Paulo, capital, com destino ao Ushuaia, saindo do Brasil por Foz do Iguaçu, porém, para evitar a Ruta 14 com medo dos policiais corruptos, entraria no Brasil novamente em São Borja/RS para chegar em Uruguaiana/RS e assim descer até Gualeguaychu pelo Uruguai. Em seguida seguir para o lado oeste e descer a Ruta 40, entrar em Torres del Paine no Chile e continuar descendo até o Ushuaia.

      Na bagagem: barraca Quechua Arpenaz 4.1 Fresh & Black, duas cadeiras de praia, um fogareiro Nautika ceramik, uma mesa portátil, colchão inflável de casal, um saco de dormir, um cobertor, tapete em EVA (aqueles de montar) e manta térmica para forrar o chão da barraca. Além de utensílios de cozinha, um cooler, grelha para churrasco e uma caixa de mantimentos básicos como macarrão, miojo e alguns temperos.
      A barraca é grande, espaçosa e bem simples de montar (são apenas 3 varetas assim como qualquer outra). No quarto cabe o colchão de casal e sobra espaço para mais um de solteiro, como não era o caso, era usado para guardar as mochilas.
      O fogareiro acho que foi a melhor aquisição que fiz. Achei muito bom e a lata de gás durou por uns 3 dias com a gente. Fomos com 12 latas pra lá, porque eu não sabia o quanto rendia. Sobrou bastante e de qualquer forma, a gente encontrava facilmente em supermercados por lá.
      Fomos em 2 pessoas, com um Peugeot 208 1.5, suspensão esportiva (mais baixa que a original), rodas aro 17 com pneus 215/45 e insulfilm g20 em todo o carro, inclusive parabrisa. (Só mencionei isso pelo fato de ainda haver dúvidas quanto ao tipo de carro que consegue fazer esse tipo de viagem).
      Comprei o chip da EasySIM4U para conseguir sinal de internet no celular (somente dentro das cidades tinha sinal).
      O caminho todo me guiei pelo Google Maps, meu carro tem a central multimídia com Android, então bastava eu compartilhar a internet do celular e tudo certo (pelo menos quando tinha sinal).
      Para procurar hotéis usei o Booking.com (consegui pegar bons descontos com o Genius) e para campings usei o iOverlander. Apesar de ajudar muito, o iOverlander é um pouco desatualizado, infelizmente a colaboração não é tanta no aplicativo. Existem muitas outras opções de campings no caminho que a gente acaba encontrando só depois de ter dado entrada em algum.
      No total foram 14.730km em 28 dias de estrada, sem nenhum perrengue ou problemas maiores.
      Obs:
      - O tempo de viagem relatado é o total do tempo do momento em que saímos de um hotel/camping até chegarmos no próximo destino. Contando as paradas na estrada.
      - Os gastos coloquei na moeda local, pois fica mais fácil caso alguém precise consultar em outro momento para ter uma noção melhor de custos.
      - A viagem inteira abasteci com gasolina/nafta super.
      Se quiserem me acompanhar no instagram: @fore.jpg


×
×
  • Criar Novo...