Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Posts Recomendados

Fala galera, 

Já está programado uma viagem minha de mochilão para julho em que vou para Uruguai, Argentina e Chile durante 23 dias e sempre hospedando em hostels. E estou lendo muito ultimamente sobre a questão de mochila e o que levar, etc.

Estou com muita dúvida em qual tipo de mochila cargueira comprar, apenas vi que o que me atenderia seria entre 50 e 60 litros. Gostaria de saber se alguém tem sugestões de mochilas cargueiras como uma qualidade boa, mas que não seja tão cara. Meu orçamento pra esse tipo de gasto está na casa dos R$300. Alguma recomendação?

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Henrique Alexsander Vaz Solon nessa faixa de preço voce pode encontrar marcas como quechua ou trilhas e rumos. Sao marcas ja conhecidas e com boa durabilidade. Mas claro que tudo depende tambem da forma como voce ira cuidar da mochila, de nada adianta comprar a melhor mochila do mundo e nao ter os devidos cuidados.

Antes de decidir qual mochila comprar, vá primeiro em lojas do genero como Centauro, Decathlon, etc, e veja como a mochila fica em seu corpo, veja as regulagens, o material.

Um mochila de 45L tambem tem um bom tamanho e pode ate custar um pouco menos. Nao pense que voce sempre precisará de uma mochila grande prar longas viagens, com o passar do tempo voce aprenderá que uma mochila pequena é suficiente pra vc dar a volta ao mundo. 

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
8 minutos atrás, lobo_solitário disse:

@Henrique Alexsander Vaz Solon nessa faixa de preço voce pode encontrar marcas como quechua ou trilhas e rumos. Sao marcas ja conhecidas e com boa durabilidade. Mas claro que tudo depende tambem da forma como voce ira cuidar da mochila, de nada adianta comprar a melhor mochila do mundo e nao ter os devidos cuidados.

Antes de decidir qual mochila comprar, vá primeiro em lojas do genero como Centauro, Decathlon, etc, e veja como a mochila fica em seu corpo, veja as regulagens, o material.

Um mochila de 45L tambem tem um bom tamanho e pode ate custar um pouco menos. Nao pense que voce sempre precisará de uma mochila grande prar longas viagens, com o passar do tempo voce aprenderá que uma mochila pequena é suficiente pra vc dar a volta ao mundo. 

Muito obrigado pela dica @lobo_solitário , vou seguir sua sugestão e ir em algumas lojas físicas antes para ver qual fica melhor em meu corpo e regula melhor!

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Henrique Alexsander Vaz Solon Cara eu fiz o seguinte vi alguns modelos nessa faixa 45L a 60L, fui na Centauro e até na decathlon vi certinho, tamanho, bolsos, se era bom o material e afins.

Acabei comprando a Forclaz 50L 

https://www.decathlon.com.br/mochila-de-trekking-forclaz-50-litros-quechua/p 

Seguindo o o que @lobo_solitário, porem entra na seguinte questão pensa a longo prazo, os tipos de viagens eu mesmo vou ter que despachar ela pois agora esta bem mais rigoroso em questão a tamanho de bagagem se sua intenção e usar ela também como mala de mão tem que olhar bem isso dai 

Link para a triste noticia:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/04/25/despacho-de-bagagem-de-mao-fora-do-padrao-comeca-nesta-quinta-em-4-aeroportos-do-pais.ghtml 

A Forclaz 50L  e ótima depois da uma olhadinha ai.

 

Abraço. 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Cleiston Então, quanto a isso também gostaria de saber de outra dica... compensa levar só uma mochila cargueira ou ela e mais uma mochila de ataque? Porque terão muitas vezes que ficará difícil ficar andando na rua com a cargueira, principalmente à noite e quando quer ir curtir um lugar mais tranquilo ou bar que não precisa disso. Acho que compensaria então levar uma mochila de ataque como bagagem de mão e despachar a cargueira ne?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Henrique Alexsander Vaz Solon Sim, vou levar a Forclaz 50L que vou deixar no hostel e uma de ataque que é uma mochila comum que uso no trabalho para transportar o notebook, a questão ruim e que vou ter que despachar o mochilão no embarque e pagar por isso, mas vou levar uma mochila de ataque sim para os passeios e roles aleatórios. 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Henrique Alexsander Vaz Solon em todas as minhas viagens eu levo uma mochila de ataque, é uma mao na roda pra voce sair pra rua e levar uma agua, um lanche, camera, etc.. No deslocamento da viagem voce pode colocar uma camiseta, um desodorante, etc. Sempre tenho uma muda de roupa pra caso de um imprevisto da bagagem ser extraviada, daí voce nao fica só com a roupa do corpo até localizarem a bagagem ou receber a grana do seguro.

Por esse tipo de inconveniente sempre é bom viajar apenas com bagagem de mao, voce evita esse tipo de transtorno e ainda economiza tempo nao tendo que esperar pra pegar a mochila na esteira.

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
5 minutos atrás, Henrique Alexsander Vaz Solon disse:

@Cleiston Então, quanto a isso também gostaria de saber de outra dica... compensa levar só uma mochila cargueira ou ela e mais uma mochila de ataque? Porque terão muitas vezes que ficará difícil ficar andando na rua com a cargueira, principalmente à noite e quando quer ir curtir um lugar mais tranquilo ou bar que não precisa disso. Acho que compensaria então levar uma mochila de ataque como bagagem de mão e despachar a cargueira ne?

A mochila de ataque é bem útil, dá pra sair com ela por aí na rua e quando pega avião para levar seus pertences mais valiosos.

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por matmper
      Em outubro vou viajar para o Estados Unidos, e preciso de uma mala de mão.
      Gostaria de uma mala dura, que possa ir a bordo, e comecei a olhar modelos e marcas, e então encontrei uma promoção sobre a Travelux Lugano, e gostaria se alguém conhece ao menos a marca, uma mala de R$350 por R$200 na loja Portal das Malas: https://portaldasmalas.com.br/mala-de-bordo-travelux-lugano-tamanho-p
      Opiniões sobre outras marcas e modelos e com cxb também são bem-vindas, obrigado!
    • Por Wes Bonfante
      Olá, pessoal, saio neste sábado, 13 de julho de Niterói, Rio de Janeiro, em direção a Santiago no Chile de mochilão. Quero descer até Montevideo, visitar Buenos Aires novamente, Mendoza, e seguir até Santiago. Queria chegar em Santiago até dia 22 de julho. Gostaria de dicas diversas, sobre o caminho a percorrer, segurança, banhos, tempo, também aceito ofertas para couchsurfing... Ah, preciso de seguro viagem pra cada lugar? 
    • Por lucasza
      Boa pessoal me chamo lucas e estou querendo fazer um mochilao em agosto para a américa do sul
    • Por Tadeu Pereira
      Salve Salve Mochileiros! 
      Segue o relato do mochilão realizado na Bolívia no final de 2018, se liga na vibe do nossos visinhos bolivianos...
       
      1º Dia: Partida - 26/12/2018 - 15h00 - São Paulo x Porto Quijarro - Empresa La Preferida R$315,00
           Partimos de São Paulo dia 26 de Dezembro de 2018 as 15:00pm da tarde do Terminal Rodoviário da Barra Funda. O ônibus teve um atraso de 30 minutos para que todos os passageiros guardassem suas bagagens no ônibus. A viagem é tranquila e o ônibus muito bom com banheiro e água da empresa La Preferida. Este primeiro trecho da viagem foi entre São Paulo à Porto Quijarro já na Bolívia. A viagem foi tranquila com duração de quase 23 horas e com paradas de 3 em 3 horas. 

       
      2º Dia: Partida - 27/12/2018 - 13h00 - Porto Quijarro x Santa Cruz de la Sierra - Empresa 2 de Mayo Bs$100,00 - Moto Táxi Bs$6,00 - Taxa terminal Bs$3,00 
           Depois de horas na estrada estávamos próximos ao serviço aduaneiro de fonteira terrestre - ADUANA - na fronteira com a Bolívia. Pensamos que o ônibus iria parar para que fizéssemos a saída do Brasil e depois a entrada na Bolívia, mas o ônibus passou direto na fronteira e só parou no Terminal Rodoviário de Porto Quijarro, já em território Boliviano. No terminal rodoviário trocamos um pouco de real em pesos bolivianos e guardamos nossas mochilas na sala vip da empresa La Preferida que foi gentilmente cedida aos passageiros, logo depois pegamos um moto táxi por Bs$3,00 bolivianos para retornar à fronteira para darmos a saída do Brasil na ADUANA Brasileira e firmar a entrada na ADUANA Boliviana. O trecho do terminal rodoviário até a fronteira leva menos de dez minutos. Chegamos na fronteira e atravessamos para o lado brasileiro novamente para fazer a saída do Brasil. A fila estava grande para quem fosse dar entrada no país mas para quem era brasileiro e estava dando a saída do país, no caso do Brasil, estava sendo atendido mais rápido. Fomos atendidos depois de uns 40 minutos e corremos para a fila da ADUANA Boliviana que esta um pouco menor. Carimbamos nossos passaportes e firmamos a entrada na Bolívia. Agora estávamos em dia com o controle de imigração rsss. Após todo trâmite da fronteira retornamos para o terminal rodoviário para almoçar e comprar nossa passagem para a nossa próxima parada, a cidade de Santa Cruz de la Sierra. Compramos em um dos diversos guichês na rodoviário pela empresa 2 de Mayo por Bs$100,00 bolivianos mais a taxa do terminal de Bs$3,00 bolivianos para as 13:00pm com aproximadamente 16 horas de duração. Poderíamos pegar o famoso Trem da Morte pelo mesmo valor e que também sai de Porto Quijarro mas leva um pouco mais de tempo para chegar em Santa Cruz e como estávamos com pouco tempo preferimos ir de ônibus mesmo. 
                       
           A viagem foi tranquila passando por diversas florestas e rios nos mostrando paisagens lindas do território boliviano. Fizemos algumas paradas durante o caminho para comer e ir ao banheiro pois no banheiro deste ônibus só podia mijar. Logo no começo da viagem o cobrador pediu para que quem precisasse cagar era pra pedir pra ele que eles paravam o ônibus para a pessoa fazer na estrada, pois como a viagem seria longa, se fosse fazer no ônibus mesmo ninguém aguentaria o cheiro. Mas ninguém precisou rsss. 
       
      3º Dia: Partida - 28/12/2018 - 11h30 - Santa Cruz de la Sierra x La Paz - Empresa Concórdia Bs$220,00 - Banheiro Bs$4,00 - Taxa Terminal Bs$5,00
           Chegamos em Santa Cruz por volta das 4:00am da madrugada. Ficamos aguardando o Terminal Bimodal de Santa Cruz abrir as 6:00am para poder fazer o cambio da moeda e comprar nossas passagens para nosso próximo destino, La Paz. Ficamos aguardando em alguns bancos que tem do lado de fora do terminal, quando um policial da INTERPOL abordou um de nós pedindo o documento de entrada na Bolívia. Documentos conferidos e fomos liberados rapidamente. Se não tivéssemos feito a entrada no país seríamos multados por estarmos ilegais no país pagando uma multa por este delito. 
           O terminal começou a abrir e logo vimos uma mulher vendendo as passagens para La Paz pela empresa chamada Concórdia pelo valor de Bs220,00 bolivianos, já adiantamos e compramos.  Depois entramos no terminal para aguardar nossa partida que seria somente às 11:30am, então tínhamos um bom tempo para comer, trocar dinheiro, tomar banho e dar uma volta pelos arredores do Terminal Bimodal de ônibus de Santa Cruz de la Sierra. Pagamos Bs1,00 boliviano para banheiro e Bs3,00 bolivianos para banho no terminal, isso acontece em toda a Bolívia, todo banheiro será cobrado, seja para necessidades ou seja para banho. Então separem suas moedinhas, pois elas serão muito úteis para isso. Outra utilidade para as moedas, são as taxas de embarque que todo terminal de ônibus cobra. Depois que compramos nossa passagem tivemos que ir em outro guichê para pagar a taxa de embarque do terminal que nos custou Bs$5,00 bolivianos. Dentro do ônibus antes de sair do terminal, um fiscal entra conferindo pessoa por pessoa o pagamento da taxa. 
        
        
           Andamos nas ruas ao redor do terminal e encontramos diversas barracas com comidas de rua. Tinha bastante comida típica, muitas sopas e caldos, sucos e escolhemos para começar as famosas salteñas e empanadas boliviana. São maravilhosamente deliciosas e valeu muito a pena experimentar. Comemos também o famoso cuñapé, que seria o pão de queijo boliviano. Outra delicia boliviana mas confesso que os pães de queijo da minha avó são infinitamente melhores que os cuñapé boliviano ahuahuahuahu. Desculpa aew Bolívia rs. 
           Retornamos ao terminal e embarcamos rumo a La Paz em uma viagem aparentemente tranquila mas assim que íamos distanciando de Santa Cruz o trajeto começou a ficar um pouco tenso. O trecho que passamos estava em obras e tivemos que passar por diversos desvios ao lado de desfiladeiros e enormes rios que cruzávamos a todo momento. Mais a noite o tempo mudou e começou a chover forte e o trânsito ficou bastante lento em alguns lugares. Com a noite chegando, a escuridão dominava e não tínhamos noção de onde estávamos passando, mas quando um relâmpago clareava tudo r nos dava a visão  do quão perigoso estava o trecho que estávamos passando. 
           Após o transtorno do trecho em obras fizemos mais uma parada para esticar as pernas, ir ao banheiro, comer alguma coisa, comprar água pois seria a ultima parada até La Paz. Como estava um calor de quase 30º graus desde Porto Quijarro, não nos importamos em colocar roupas de frio e seguimos em frente. Assim que o ônibus começou a chegar próximo da cidade de El Alto por volta das 5:00am da manhã sentimos o verdadeiro frio da Bolívia.

       
      4º Dia: Partida - 29/12/2018 - La Paz - Banheiro Bs$1,00 - Hostel Bs$153,00 - Van Bs$5,00 - Teleférico Bs$3,00 - Empresa Diana Tour Bs$40,00    
           Pela janela do ônibus só se via um descampado sem árvores, sem vegetação, coberto somente por uma grama curta e alguns arbustos e muito frio. Tinham diversas casas feitas de barro no meio do nada. Meu coração começou a bater mais forte e a falta de ar também começou levemente. Estava com os esfeitos da altitude, o soroche. Notei que estávamos próximos de El Alto, a última cidade antes de La Paz. O ônibus fez uma parada e mais da metade dos passageiros ficaram por ali mesmo. Perguntamos se ali seria o ponto final do ônibus. Algumas pessoas e o cobrador responderam que sim. Que teríamos que descer ali e pegar o teleférico até La Paz. Quando pegamos nossas mochilas do bagageiro do ônibus, perguntei para o motorista se ali seria o ponto final. Ele respondeu que não, que ali era ponto final pra quem era de El Alto. Subimos novamente no ônibus e ai sim seguimos rumo ao Terminal de Buses de La Paz.
           Chegamos por volta das 7:00am da manhã no terminal e bem na hora do rush. Havia muito congestionamento e resolvemos saltar do ônibus antes de chegar no terminal e continuarmos a pé o trajeto. No terminal de buses de La Paz usamos o banheiro por Bs$1,00 boliviano, compramos nossas passagens para Copacabana por Bs$40,00 bolivianos pela Diana Tour e usamos o wi-fi gratuitamente para podermos acessar o mapa no telefone para  poder seguir a pé para a Rua Sagarnaga. Esta rua esta concentrado a maioria das agências de câmbio, das agências de turismo, hotéis, pousadas e hostel. Fica bem próximo do Mercado Lanza, do famoso Mercado de las Brujas, da Igreja e Convento São Francisco, da Av. Illampu que contém diversas agências de turismo também. Ficamos hospedados no Hostel York B&B na rua Sagarnaga mesmo por Bs$153,00 bolivianos a diária por um quarto duplo, café da manhã e com banheiro privado. Como chegamos muito cedo no hostel e o check-in seria um pouco mais tarde, guardamos nossas mochilas na recepção do hostel e tomamos algumas xícaras de chá de coca para amenizar os efeitos da altitude que já estavam dando seus sinais. Ficamos por alguns bons minutos na cozinha do hostel tentando acostumar com aqueles sintomas e assim que o chá de coca fez efeito resolvemos sair pra rua para encontrar agências de câmbio para trocar nosso dinheiro e aproveitamos para dar uma volta na rua do Mercado de las Bruxas que estava começando a abrir.   
        


         


           Retornamos para o hostel para fazer o check-in, pois já estava no horário, nos acomodamos no quarto que reservamos, tomamos um belo e merecido banho, arrumamos as mochilas menores e bora pra rua novamente almoçar e aproveitar o dia que por incrível que pareça estava fazendo sol com todo aquele frio. Então não podíamos perder tempo e saímos logo em direção à Praça Murillo, um dos cartões postais de La Paz. 
       
       

           Ficamos um tempo nesta praça até que resolvemos perguntar para um guarda como se chega no Mirador Kili Kili. Ele nos orientou a pegar um tipo de van por ali mesmo em uma esquina da Praça Murillo pagando Bs$5,00 bolivianos que conseguiríamos chegar na entrada do mirador. Achamos a van e aguardamos por alguns minutos até que lotasse a van de passageiros. O percurso até o mirador durou apenas 10 minutos. A van percorre alguns lugares da cidade parando em alguns e seguiu rápido em direção ao mirador. Transporte barato, rápido e eficaz.  










           O Mirador Kili Kili nos da a visão da grandeza de La Paz. Tem uma vista impressionante da cidade. Ficamos por horas neste local, até que o tempo que estava aberto se fechou de uma hora pra outra e começou a chover até granizo. Ficamos por quase uma hora em um abrigo no mirador aguardando a chuva passar. Foi impressionante ver aquela tempestade do mirador com seus raios cortando toda a cidade de La Paz.
           Assim que a chuva deu uma trégua conseguimos ir até o ponto e pegamos a van que nos deixou na Praça Murillo novamente. De lá fomos ao mercado Camacho comer uma típica comida boliviana. Estava frio e chuvoso e nossos estômagos estavam roncando de fome. Andamos por cerca de 10 minutos e já estávamos no Mercado Camacho. Pedimos dois pratos tipicamente bolivianos porem esquecemos de perguntar quantas pessoas eles serviam ahuauhaua. Vieram dois pratos enormes, um chamado Picana Navideña e outro chamado Planchitas que juntos serviam 4 pessoas facilmente ahuahuhauhau. Fiquei pensando depois que o garçom poderia ter nos avisado rsss mas tudo bem, comemos até o cu fazer bico! kkkkkkkkkk 

       
           Barriga cheia, pé na areia! Saímos do Mercado Camacho e fomos nos aventurar nos famosos teleféricos da cidade. Foi sensacional andar por cima da cidade naquelas cabines. Parecia que estávamos flutuando sobre La Paz. O sistema teleférico em La Paz foi inaugurado no ano de 2014 ligando as cidades de El Alto e La Paz. Hoje em dia La Paz contém 9 linhas integradas levando 18.000 pessoas por hora, facilitando o trânsito caótico gerado pela geografia caprichosa do lugar. As linhas são interligadas, porém cada uma delas será cobrado uma tarifa de Bs$3,00 bolivianos caso tenha que trocar de linha. 
         


       
       

            Retornamos ao hostel para descansar um pouco e aclimatar pois o soroche estava acabando com nosso fôlego e o coração disparava a toda hora. Como íamos subir mais ainda resolvemos ficar de booooa no hostel pois logo de manhã iriamos sair em direção ao Terminal de Buses de La Paz para tomar o ônibus para o nosso próximo destino, a cidade de  Copacabana às margens do lago mais alto do mundo, o Lago Titicaca.
       
      5º Dia: Isla Del Sol - 30/12/2018 - La Paz x Copacabana x Isla Del Sol
       
      (((((Continua no próximo post))))
       
      Facebook: https://www.facebook.com/tadeuasp
      Instagram: https://www.instagram.com/tadeuasp/
       

       (...)
    • Por eai.geovanna
      Oie pessu, sou nova por aqui e irei fazer meu primeiro mochilão e viagem sozinha em FEVEREIRO, devido às férias do meu trabalho e da faculdade 😍😍😍🥰 Estou um pouco perdida em relação ao meu roteiro, escolhi a América do Sul (clássico Bolívia, Chile e Peru).
      A principio, será:
      CAMPO GRANDE X CORUMBÁ X PUERTO QUIJARRO X SANTA CRUZ X SUCRE X UYUNI X ARICA X TACNA X AREQUIPA X CUSCO X LA PAZ 
      Farei o percurso todo de BUSÃOO (menos a volta - até o momento).. mas estou começando a pensar na hipótese de ir de Santa Cruz até Uyuni de avião, é possível? Vi vários relatos de pessoas que passaram pelo Sucre, porém encontrei passagens que vão até Uyuni. O que é melhor a se fazer? Podem me dar um HELPPP
      Podem me indicar por gentileza hostels, agências de turismo para o SALAR, onde encontro coisas mais em conta por lá.. E outra dúvida, com 4.000 consigo ir tranquila a partir de Campo Grande?
      Toda ajuda será muito bem vinda, desde já agradeço à todos 🥰🥰


×
×
  • Criar Novo...