Ir para conteúdo

Tour ao Valle Sagrado - Chinchero, Moray, Salineras de Mara, Ollantaytambo e Pisaq


Posts Recomendados

  • Membros

Assista em Video no Youtube - Chinchero

 

Vou comentar aqui sobre o Tour que fiz ao Vale Sagrado.

O Vale Sagrado dos Incas, nos andes peruanos, tem esse nome porque está composto por numerosos rios que descem por pequenos vales e nele estão os vários monumentos arqueológicos e os povoados indígenas.

Em relação ao pacote vendido pelas agências, existem o Vale Sagrado e a versão VIP que seria a mais completa.

O comum engloba os seguintes sítios arqueológicos: Chinchero, Urubamba, que é onde fazem o almoço. Ollantaytambo e o Pisaq.

A versão VIP, tem tudo isso que comentei anteriormente, adicionados os sitios de Moray e Salineras de Maras.

E aqui em Chinchero seria a primeira parte da visita, antes eles nos levam a uma loja ou um centro artístico da cidade, para fomentar a cultura local. Mostram o processo de tingimento do pêlo de animais e os ingredientes ou produtos utilizados. Foi bem interessante.

Vale lembrar que a grande receita do turismo no Peru é meio que monopolizado e dificilmente vai para a população local.

Então a única forma de poder patrocinar o desenvolvimento da cidade, é adquirindo ou comprando esses artigos, souvenirs, artesanatos e roupas da região.

Aproveite para fazer as compras nessas lojas. Eles possuam vários artigos interessantes. Gostei mais dos bonequinhos de lhamas, as crianças vão adorar.

Na saída da loja, aproveite para comer o milho cozido com queijo. É uma delícia, recomendo experimentarem.

Voltando sobre o passeio, leva dia todo, saem por volta das 7 horas da manhã e retornam às 7 horas da noite.

E paguei em torno de 50 soles por pessoa que dá em torno de R$ 58,00. Mas isso porque consegui um desconto, por estar com mais pessoas. Na verdade é um pouco mais caro.

Lembrando também que para realizar este tour, será necessário você adquirir o tal Boleto Turístico, conforme comentei no video de Cusco. Dê uma olhada lá, que terá as informações necessárias.

Sobre Chinchero, ele está a 3.772 metros acima do nível do mar, então cansa um pouco você subir pelas escadarias.

Foi um local em que tiveram vários conflitos entre os incas e os espanhóis. E no final do século XVI, o vice-rei construi uma fazenda e montou uma igreja no alto da cidade.

É possível ver os terraços agrícolas, que seriam essas dobras na terra, que evitavam a erosão e permitiam o cultivo ou plantações de alimentos. Mais comum na época seriam as batatas.

Depois vocês vão ver a igreja em que é possível ver a mistura da religião católica com a cultura indigena. Mas pena que não foram permitidas o registro de imagens dentro do local.

Após isso estaremos visitando o próximo sítio arquiológico Moray.

Fique com o restinho do video deste trajeto e aguarde os próximos episódios. Valeu!

Por fim, curta, comente, compartilhe e se inscreva no canal.

Valeu!


* Links:

- Andean Flicker Adventure (Pacote Vale Sagrado)
Endereço: Calle Educandas, 375 - Cusco
Whats (Yessica): +51 984 982 013
Tel: +51 084 599 832
E-Mail: [email protected]

https://www.facebook.com/flickeradven...

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Assista em Video no Youtube - Moray

 

Continuando o relato de viagem sobre o tour em Vale Sagrado, as informações detalhadas sobre este pacote, em relação aos preços, locais, etc. Estão na primeira parte da série, em que começa com Chinchero, dê uma olhada lá.

Voltando, Moray seria o segundo ponto a ser visitado no passeios. 

Eles podem alternar a ordem, dependendo da condição das estradas e também da greve dos trabalhadores, que em alguns casos acabam fechando a estrada. Coisa que não é novidade, pois ocorre também aqui no Brasil.

Em relação a este sítio arqueológico, eles situa a 3.500 metros de altitude, o que é um pouco alto.

Fica bem próximo de Salineras de Maras, por isso sempre estão junto no pacote. 

Moray foi praticamente que um laboratório dos incas, em que eles realizavam experimentos de cultivos de plantas, em diferentes alturas. 

E cada andar ou degrau representava uma certa variação de temperatura, com isso eles conseguiam saber quais os limites de cada planta ou alimento. Com isso, seria possível saber onde cada planta poderia ser cultivados, de acordo com o limite de temperatura. 

Do ponto mais baixo até o mais alto, há uma variação de 15 graus Celsius de temperatura e isso eles sabiam de acordo com a orientação em relação ao vento e ao Sol.

Fora isso, foram construídos muros de contenção como vocês podem ver os círculos, cheios de terra fértil. E eram regados por meio de complexos sistemas de irrigação, aproveitando muito bem a água das chuvas.

Realmente dava para ver que os incas possuíam uma técnica bem avançada na parte da agricultura.

Antigamente era possível descer até o ponto inferior do círculo. Mas como houveram erosão a alguns anos atrás, meio que destruiundo a parte dos muros, agora está proibido circular por lá. Uma pena.

Lembrando que existem 3 círculos de diferentes tamanhos a serem visitados em Moray. E leva em torno de 30 a 40 minutos de visitação.

Ressalto que há a necessidade do tal Boleto Turístico.

O próximo ponto a ser visitado será Salineras de Maras.

Aguarde o próximo episódio, deixe seu like, compartilhe e se increva no canal.

Valeu!

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Assista em Video no Youtube - Salineras de Mara

 

Comentarei sobre as Salineras de Maras.

Conforme as primeira imagem do video, ele não está contemplado no Boleto Turístico, então terá que pagar 10 soles à parte, que dá em torno de R$ 12,00.

Mas antes de chegar por lá, próximo à cidade, eles passam em uma pequena loja que vendem os sais da região, isso para quem gosta de culinária mais sofisticada. 

Vi que os preços eram razoáveis, não era assim tão caro, vale a pena você levar alguns para presentear amigos ou familiares. Estava variando em média de 5 a 15 soles cada quilo de sal.

Além dos sais, são vendidos chocolates salgados com o sal de Maras, eles até oferecem para você experimentar. Não achei nada demais, prefiro chocolate doce ao leite.

Tem também bonecos de lhamas, malas, artesanatos, quinoa, bebida alcóolica e por aí vai.

Em relação a Salineras de Maras, segundo Wikipedia, desde os tempos pré-incas, o sal era obtido em Maras, através da evaporação da água salgada de um riacho subterrâneo local.

Dizem que esta região ficada debaixo d'água há cerca de 20 milhões de anos atrás.

Essa água altamente salgada é direcionado para alguns dos canais, até chegar em pequenos lagos com terraços. Terraços esses que tem menos de 4 metros quadrados de área e nenhuma excede 30 cm de profundidade. São aproximadamente 4 mil bancos de sal.

E conforme o tempo, a água vai se evaporando por conta do aquecimento solar e assim vão sobrando pequenos cristais de sais. Depois são raspados cuidadosamente o sal seco.

A cor do sal varia de branco a um bronzeado claro avermelhado ou acastanhado, dependendo assim da habilidade de um trabalhador individual.

Segundo o guia, em épocas de chuva, não são extraídas os sais, já que compromente com a qualidade do produto. Vocês poderão perceber que geralmente ficam na tornalidade de marrom.

Mas em épocas secas, quando realmente há a produção de sais, a paisagem fica mais na tornalidade de branco.

Dizem que são poucas as regiões que produzem o sal rosa, um deles é exatamente aqui Maras. Mas o mais conhecido é o do Himalaia. 

Dizem que os benefícios do sal rosa é que contém alguns minerais como o magnésio, cálcio, potássio e silício, mas sou cetico em relação a ísso, pois algumas pesquisas diziam que a concentração de tais minerais eram tão pequenos, que os benefícios eram irrisórios.

Por isso, sou mais adepto a comprar sal comum no supermercado rs.

O lugar é bem grande e vale a pena o passeio. Recomendo muito!

Após o passeio, vamos para a cidade de Urubamba para um almoço na região. 

Depois disso o próximo destino será Ollantaytambo.

Espero que gostem do video, deixe seu like, compartilhe e se inscreva no canal.

Valeu!

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Assista em Video no Youtube - Ollantaytambo

 

O assunto neste video será de Ollantaytambo.

Mas antes de chegar aqui, passamos na cidade de Urubamba para fazer um almoço com comida peruana. E estava incluso no pacote de viagem.

O ambiente do restaurante, parecia de comida mineira ou aquela de fazenda, conforme vocês verão nas fotos a seguir.

Era do tipo self-service à vontade, com sopas de entrada, uma boa variedade de carnes, frangos, ceviches e o melhor de tudo isso, sobremesa farta com muita variedade.

Posso dizer que eles não economizaram no restaurante, teve boa comida, bom ambiente e bom serviço.

Apenas terá que pagar por bebida consumida, como sucos e refrigerantes. Mas chá era de cortesia, então decidi me virar com chá para economizar, já que água estava dentro da Van.

Posso dizer que Ollantaytambo seria um dos complexos arquitetônicos mais monumentais do antigo Império Inca. Era chamado de "Fortaleza", devido a seus muros, foi na realidade um tambo ou cidade-alojamento localizado estrategicamente para dominar o Vale Sagrado dos Incas.

Ollantaytambo, também conhecido por Ollanta, tem o nome de origem na língua quéchua, uma combinação de duas palavras, o Ollantay, que significa observar do alto. E Tambo que significa lugar de descanso. Combinados seria "um lugar de descanso de onde se pode olhar do alto".

Segundo a tradição, dizem que Ollantaytambo deve o seu nome ao drama inca "Ollantay", com o qual teve como protagonista o general inca "Ollanta".

Historiadores dizem que o local foi construído para ser um centro militar, religioso e agrícola deviso ao tipo de sua estrutura.

As rochas utilizadas nessas construções eram encontradas a alguns quilômetros da cidade, o que revela o domínio de técnicas avançadas de transporte de pedras pesadas. Além de poder perceber que em alguns casos, essas pedras são encaixadas perfeitamente, com uma precisão surpreendente.

Antes de subir ao sítio arqueológico, bem próximo à entrada principal, poderão verificar o incrível sistema de distribução de água da cidade, considerando a tecnologia na época.

Na parte superior está o Templo do Sol, templo de adoração do deus superior dos Incas, onde eram realizadas cerimônias de agradecimento e de sacrifícios em nome dele.

Segundo o guia, os incas sabiam muito bem a direção predominante dos ventos, ventos esses gelados que esfriavam a temperatura em um certo ponto da montanha, assim na época eles construíam alguns armazéns para conservar seus alimentos. Seria meio que geladeira da época.

Conforme o video resumido que fiz de Cusco, algumas pessoas acabam emendando o pacote do Vale Sagrado com o de Machu Picchu.

Então acabam por permanecer nesta cidade e já pegam o trem que vai para Machu Picchu Pueblo, ou o antigo nome Agua Calientes.

Pessoas que optam por isso vão acabar perdendo o sitio arqueológico Pisaq, que é o próximo ponto que vamos visitar. Assim não recomendo que façam essa emenda no pacote.

Lembrando que em Ollantaytambo, existe uma estação de trem das empresas Peru Rail e Inca Rail.

Fiquem com o restinho do video, curta, compartilhe e se increva no canal.

Valeu!

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Assista em Video no Youtube - Pisaq

 

Segue agora a última parte do tour Vale Sagrado, o sítio arqueológico Pisaq.

Depois de você se fartar de sítios arqueológicos, pensei que seria apenas mais do mesmo, que Pisaq tinha apenas um grande degrau colado nas montanhas, mas me enganei em relação a isso, conforme abordaremos já já.

Logo na entrada você é recepcionado por uma pequena feirinha, em que vendem vários produtos peruanos. 

Pisac, assim como Ollantaytambo, era uma estrutura militar, religiosa e agrícola. Agrícola porque dava para ver de acordo com os gigantes degraus para cultivo de plantações.

Aqui era responsável por defender a parte Sul do Vale Sagrado, enquanto Choquequirao defendia a parte Oeste e Ollantaytambo a parte Norte.

O local também controlava uma rota que ligava o Império Inca à fronteira da floresta tropical.

As ruínas ficam a mais ou menos de 3.000 a 3.300 metros de altitude, o que fazia perder o fôlego bem rápido.

Alguns historiadores dizem que Pisac foi estabelecido para proteger Cusco de possíveis ataques das nações Asháninka.

Não se sabe ao certo quando foi contruída, mas afirma que não foi antes de 1440. Somente na década de 1530 os conquistadores espanhóis junto com Francisco Pizarro, destruíram este local.

E a moderna cidade de foi erguida ou construída no vale pelo vice-rei Toleto durante a década de 1570.

Esta seria a parte principal de Pisaq, esses grandes degraus utilizados no cultivo de plantas. Mas existem contruções bem além delas, como um pequeno templo antigo no topo da montanha.

Na parte da direita fica o banheiro, para aqueles que estiverem com a bexiga cheia.

E aqui o nosso guia explicando sobre a história local.

E logo subiremos no topo da colina. O ruim é que achei o tempo meio apertado para tentar visitar todos os cantos, tive sair correndo para subir ao topo.

A vista na parte de cima é fantástico, valeu a pena o esforço. Dá para ser ter uma visão geral do parque.

Pra terminar com chave de ouro, uma linda vista do por do sol.

E assim termina o passeio, mas antes de retornar ao Cusco, eles passam em uma loja patrocinada que vende pedras da região. Nada demais.

Bom! Espero que você gostem das dicas, curta, compartilhe e se increva no canal.

Valeu!

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...