Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

Olá pessoal, me chamo Bruno e sempre leio os relatos do Mochileiros.com, acho muito útil para tirar ideias e plajenar os roteiros de minhas viagens.

Hoje resolvi postar um roteiro excelente que fiz com minha mulher pela Escócia e compartilhar algumas dicas com vocês.

Moro em Londres então a nossa saída foi daqui com destino a Edinburgh e Highlands.

Realizamos o percurso:

- Edinburgh – Stirling – Glencoe - Fort William – Inverness - Fort Augustus – Pitlochry - Saint Andrews  

Map.thumb.jpg.b059036e84e3b3ff9c6d70cce26e46b1.jpg

O melhor período para visitar a Escócia é no verão, variação entre sol e nuvens e um clima ameno, ideal para passear sem necessidade de vestir casacos para não morrer de frio.

VIAGEM

Ida de trem para Edinburgh com saída pela king’s Cross Station: 5h de viagem £50 o trecho (recomendo comprar com antecedencia, pois os preços alteram rapidamente).

Retorno de avião, 1h20. Voos aqui na Europa são bem baratos, gastamos £25 o trecho por pessoa.

CHEGADA EM EDINBURGH.

A chegada de trem é pela estação Edinburgh Waverley, bem no centro de Edinburgh. Se for de avião basta pegar o Trams do aeroporto que em 30 minutos você chega na estação, percorrendo todo o centro da cidade e já iniciando com um bom passeio.

Edinburgh é uma cidade antiga, muito charmosa e cheia de história. Como não é muito grande acredito que dois dias são suficientes para conhecer os melhores pontos turísticos.

PRIMEIRO DIA.

Após a nossa chegada na estação fomos diretamente para o hotel deixar as mochilas e já iniciamos o nosso passeio na sequência.

Iniciamos o nosso tour pela Old Town onde passamos praticamente a tarde toda até a noite. Uma boa subida até lá (prepare os joelhos) para andar sob as ruas de pedra históricas dessa parte da cidade onde verá uma arquitetura impressionante, prédios antigos, igrejas, muito comércio para desfrutar, uma destilaria (The Scotch Whisky Experience - que estava fechada devido ao Covid), e claro, o principal ponto turístico que se encontra no topo: O Castelo de Edinburgh. Devido ao Covid o número de visitantes estava reduzido e não havíamos realizado reserva, mas conseguimos para o final da viagem onde encerraríamos em Edinburgh (https://www.historicenvironment.scot/visit-a-place/places/edinburgh-castle/prices-and-opening-times/ - link para reserva, £15.50 por pessoa).

IMG_20200811_163824.thumb.jpg.649ee8e03339613a10ac44956eb2d2c7.jpg

Decemos então a High Street com sentido ao Palace of Holyroodhouse, no caminho paramos para almoçar no Gordon Tratorria (excelente comida Italiana, um pouco caro mas recomendamos).

No caminho, entramos em várias vielas históricas, uma delas a Tweeddale Court que ficou famosa pela série Outlander.

IMG_20200811_171156.thumb.jpg.9074313afb7eb6556fb545c04d920761.jpg

Chegando ao palácio, tiramos algumas fotos e fomos em sentido ao Holyrood Park (não entramos pois é necessário agendar um tour em torno de £12). Um belo parque para um caminhada com uma linda paisagem da montanha - se quiserem se aventurar, poderão subir ao Arthur´s Seat e ter uma bela vista completa da cidade (não conseguimos pois choveu no momento em que chegamos ao parque – Dica, estamos falando de Escócia, sempre carreguem um guarda chuva consigo no passeio).

Encerramos nosso primeiro dia em um PUB no centro.

SEGUNDO DIA

Acordamos cedo pois havíamos reservado um carro para iniciarmos nossa trip pelas Highlands.

(DICA: não sei se é um requisito de todas as locadoras, mas a que utilizamos exigia um cartão de crédito com comprovante de residência no Reino Unido, caso contrário terá que pagar pelo seguro separamente, em torno de 30% a mais).

[LEMBRETE, no Reino Unido a direção é na direita, você estranha um pouco, mas logo se acostuma, fique somente atento nas rotatórias].

Saímos de Edinburgh pela M9 com sentido a Stirling, cuja principal atração é o Castelo de Stirling. Não entramos no castelo, optamos somente em tirar umas fotos pois o local é muito bonito, há uma excelente vista da cidade e, embora nem todos apreciem, há um cemitério muito bonito que vale também algumas fotos.

Saimos de Stirling com destino a Glencoe, passando pelo Loch Lomond e pela bela cidade de Callander. Uma paisagem maravilhosa para você desfrutar, uma mistura de lagos e montanhas, locais e mirantes exuberantes para tirar várias fotos e curtir as paisagens. Recomendamos uma parada na The Cabin, para tomar um café e apreciar a vista do lago. Como estávamos no verão, havia muita gente se banhando nas águas do lago a 18 graus, nós não nos aventuramos!

IMG_20200812_121540.thumb.jpg.16ab81f88c1ec1f5ff937cfa555686c1.jpg

Glencoe também é uma cidade bem bonita que vale a pena uma parada para fotos e uma bela admirada no Loch Leve. Por ali, almoçamos no Glencoe Gathering. 

Seguindo rumo, fomos em sentido de Fort William, uma cidade um pouco maior com mais estrutura, muito famosa na Escócia, parada obrigatória. Nela, você pode optar por um Cruise pelo Loch Eil ou uma ida ao Old Castle of Inverlochy.

Dali desviamos rumo oeste pela A830 para Glenfinnan, 25min de Fort William. Recomendamos fortemente a ida até lá, pois além da paisagem vislumbrante, o local ficou marcado pelo Glenfinnan Viaduct, local que contém os trilhos por onde passou o Expresso de Hogwarts no filme Harry Potter.

IMG_20200812_181445.thumb.jpg.7ff09ae08a84d9065e901bbd21b0466d.jpg

De lá, retornamos a Fort William e seguimos pela A82 rumo a Inverness, e nosso tão desejado destino principal: conhecer o famoso Loch Ness (Lago Ness) onde vive o monstro mais famoso da história!

O caminho até Inverness é de tirar o folego, belíssimas paisagem entre montanhas, campos floridos, muitas fazendas com ovelhas e o famoso boi escocês, e é claro, uma bela visão a sua direita do Lago Ness.

IMG_20200812_132451.thumb.jpg.785915f672ad023ce53ea16275a01b64.jpg

Na ponta do lago de onde saem vários passeios, está Fort Augustus, um local muito charmoso com alguns restaurantes e pubs, lojas e uma bela vista do Lago.

IMG_20200813_170034.thumb.jpg.ae7f17bcfe8bf0544a92bc8aab561123.jpg

Na metade do caminho a Inverness está o Urquhart Castle, vale a pena a parada para umas fotos ou visita ao local (necessário reservar antes e ficar atento pois fecha as 19h, no caso como realizamos uma trip longa de carro chegamos tarde então resolvemos somente tirar umas fotos e seguir viagem).

Próximo dali está o Loch Ness Centre & Exhibition, onde você pode parar para um café e aproveitar para ver as opções de passeio.

Finalmente, chegamos a cidade de Inverness. Uma cidade maior com uma boa estrutura. Reservamos o hotel (Glen Mhor Hotel & Apartments) em frente ao rio com restaurantes bem aconhegantes ao lado do hotel e do outro lado do rio.

IMG_20200812_225253.thumb.jpg.9f803cc560bf4040d2b115f9211ca843.jpg

TERCEIRO DIA

O principal atrativo da cidade é o Castelo de Inverness. Fechado devido ao Covid, apenas passamos para tirar umas fotos e admirar a cidade do topo.

IMG_20200813_112251.thumb.jpg.c3baee8f70ea7edbfda66e2c5f4e380f.jpg

Tiramos a manhã para fazer um passeio pela cidade, bem maior com infraestrutura e até aeroporto, passamos pelo centro principal e almoçamos por lá. A tarde, fomos até o Ness Islands, um parque pequeno, porém bem aconhegante com muita beleza e tranquilidade para um descanso pós almoço. Dali fomos ao Botanic Gardens, muito próximo dar pra ir apé, e o melhor: gratuito.  

IMG_20200813_140437.thumb.jpg.dd2438b99629c03f84ac8f67c54c8962.jpg

A tarde, descemos de carro para Fort Augustus, para fazermos o cruise pelo Lago Ness (há diferentes tipos de passeios, de 1 a 2h que saem de Fort Augustus ou Inverness, recomendo pesquisar o local que preferem sair para planejarem a viagem, pois o lago é muito extenso e leva cerca de 50 minutos para chegar a Fort Augustus de Inverness). Outra coisa, procurem chegar com antecedência para conseguirem um lugar na parte superior do barco, pois é em ordem de chegada.

IMG_20200813_160907.thumb.jpg.23be8cffab6fd3df929039d16d038a22.jpg

Como o passeio terminou por volta das 17h, resolvemos ficar por ali, tomar uma cerveja e apreciar o local. Reservamos o hotel ‘The Inch Hotel’, super aconchegante com bar e uma vista bonita do lago.

A noite, jantamos no Bothy Restaurant & Bar. Dica, a cozinha fica aberta até as 20h, então sugiro chegar mais cedo.

QUARTO DIA

No quarto dia, tomamos rumo pela A86 com destino ao Cairngorms National Park (como estávamos com os dias contados apenas passamos pela região, mas no parque existem várias trilhas e passeios para fazer). Mais paisagens vislumbrantes, uma mistura de florestas com planícies e alguns lagos.

IMG_20200814_214737.thumb.jpg.8f095c5e6924cd5df80bcd1dc15f460c.jpg

Paramos na Dalwhinnie Distillery, uma bela loja de Whiskeys com tour pela destilaria caso desejarem. Como estava dirigindo, apenas apreciamos a loja e seguimos rumo a cidade de Pitlochry. Muito pequena e charmosa, paramos para um almoço na ‘The Coach House’. Recomendamos um passeio pelo rio para descansar e apreciar a vista.

De Pitlochry seguimos para Saint Andrews pela A9. Banhada pelo mar e muito famosa pelos inúmeros clubs e campos de Golf, Saint Andrews nos pareceu muito simpática, em algumas horas de caminhada pela costa você consegue visitar os principais pontos turísticos que são: o Castelo, a Catedral e a  Swilken Bridge.

Daqui, seguimos novamente para Edinburgh onde encerraríamos nossa viagem.

QUINTO DIA

No último dia, tiramos a manhã para fazermos um tour pelo Castelo de Edinburgh (£15.50 por pessoa, + £3 pelo tour guiado, recomendamos comprar somente um fone e dividir com seu paceiro). Berço da história escocesa, ficamos em torno de 2 horas no Castelo desfrutando das          suas histórias e da bela vista de toda Edinburgh.

A tarde passeamos pelo outro lado da Old Town pela Grassmarket, contornando todo o castelo. Por fim, demos uma volta pelo comércio da New Town, onde recomendamos uma caminhada pela Princess St para admirar a vista do castelo e da catedral. Bem agitada, nessa parte da cidade você pode aproveitar um passeio noturno pelos bares e pubs.

 

IMG_20200815_151536.thumb.jpg.0d9a6d389055106033137afd61c03d94.jpg

ESPERO QUE APROVEITEM!!!!!

  • Gostei! 1
  • kkkkkkk 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Ana Caroline Cunha
      Olá! Como vocês estão?!
      No final de 2018 eu estava morando no Reino Unido, mais especificamente em Londres. Em Outubro eu e meu ex namorado começamos a procurar algo para fazer nas férias dele. Foram várias análises, possibilidades, roteiros, até que concordamos em ir para a Escócia com um casal de amigos dele. Organizamos a viagem mais ou menos uma semana antes de ir e foi um estilo novo e diferente de tudo que eu já tinha feito: iríamos passar uma semana dormindo em uma campervan.
      Vou compartilhar com vocês todos os detalhes dessa viagem que foi a maravilhosa troca que acontece entre culturas, já que meus parceiros desses dias eram todos Australianos e para eles tudo era muito normal. Já eu, fui inserida em um ambiente completamente novo.
      Algumas informações gerais:
      Viagem realizada em outubro de 2018 A nossa saída foi de Londres Passamos 7 dias Não gastamos com hospedagem, nós 4 dormimos em uma campervan, que eu já contei aqui nesse post como foi a experiência Vou colocar os valores em Libra gastados em 2018, com a variação cambial é muito difícil converter para real (principalmente agora, com esse vírus solto por aí e dificultando a vida de quem ganha em real kkkkk). Na época, eu lembro que fiz o cálculo e o resultado foi cerca de R$ 1.500,00!!!! Eu estava muito resistente a essa viagem por vários motivos, mas ao final foi uma das experiências mais legais que eu tive e abri muito minha mente
      Vamos ao meu relato dos dias na Escócia?
      Eu saí de Londres em um ônibus noturno até Edimburgo, custou 37,70 libras ida e volta. Fomos com a empresa National Express, é cansativo passar a noite no ônibus, quase não dormi mas é a forma mais barata de transporte. Nossos amigos foram de trem, a viagem é de 4h e muito mais cara.
      Chegamos em Edimburgo cedo e os outros só chegavam meio dia, então tínhamos a manhã livre para turistar até encontrá-los e ir buscar a campervan.
      Essa foi a primeira vez que cheguei em um lugar sem absolutamente nada definido, foi bem engraçado. Já peguei um desses mini guias que estava distribuído na rodoviária.
      DIA 01 - EDIMBURGO E ST. ANDREWS
      Como chegamos de manhã cedo, fomos logo procurar um lugar para tomar café da manhã. Se tem algo que eu amo no Reino Unido, são os cafés da manhã estilo inglês/europeu. Achamos um lugar bem recomendado pelo aplicativo Yelp e depois de encher a barriga, saímos andando por Edimburgo.
      Eu simplesmente AMEI essa cidade. É uma capital com todas as características esperadas de um país antigo, mas muito mais aconchegante sabe? Não é aquela loucura de cidade grande como Londres. Conseguimos fazer tudo a pé, carregando as mochilas nas costas haha




      Fomos andando por vários monumentos até chegar ao castelo. Não entramos porque custava mais de 17 libras e não podia entrar com mochilas grandes, fica para a próxima. Era bem grande e parecia ser interessante.
      Uma segunda coisa que descobri para visitar em Edimburgo, eram referências de Harry Potter. Dei um Google e descobri que estávamos perto de várias! Tem o cemitério que deu nome a alguns personagens da série como Tom Riddle, duas cafeterias que dizem que J.K. Rowling escreveu os livros, entre outros. Com tempo na cidade, tem os "free walking tour" direcionados a esses pontos. Essas são promovidas a pé, por guias locais, de forma gratuita, mas que ao final espera-se uma gorjeta ao guia de acordo com o trabalho realizado.



       
      Com o fim da manhã, encontramos nossos amigos e pegamos a Campervan. Paramos no mercado para fazer as compras e seguimos para St. Andrews. Essa é uma cidade costeira que é referência em golfe e tem a famosa universidade em que o príncipe William e Kate se conheceram. Andamos um pouco por lá pela universidade, pelo castelo que tinha acabado de fechar e seguimos até o pier.


      Como o dia já estava praticamente no fim, seguimos dirigindo até Perth. Chegamos a noite, encontramos um estacionamento público apropriado para passar a noite e jantamos pizza.
      Acabamos não vendo nada em Perth, infelizmente porque parece ser uma cidade bem fofa! Apenas dormimos porque estávamos todos exaustos.
      DIA 02 - ROADTRIP ESCÓCIA
      Esse foi o dia que começamos a fazer trilhas pelas Escócia.
      Acordamos, tomamos café e seguimos para Dunkeld, mais especificamente uma trilha chamada The Hermitage. No outono, as folhas caídas e o cenário alaranjado me impressionou. Essa é uma trilha curta, cerca de 30 minutos e muito fácil, mas por paisagens lindas. Uma caminhada tranquila, que fizemos até com chuva durante o trajeto mas recomendo a parada.


      Não muito longe, seguimos para a segunda parada do trajeto, chamada Faskally Forest. Essa é uma que não recomendo tanto. É para ser uma floresta encantada, então a noite e com crianças deve ser bem divertido pois tem um show com luzes e música.
      Fizemos mais uma caminhada circular e seguimos para Inverness. Gostaria muito de ter passado uma noite nessa cidade, ela é um pouco maior e é uma delícia! Entramos apenas na igreja St. Andrews, porque nosso objetivo era visitar o Lago Ness nesse dia também. Vale citar que caso não esteja planejando um roteiro como esse de campervan, Inverness é a cidade mais perto do monstro do Lago Ness hahaha


      Seguindo nosso caminho, cometemos um grande erro. O Loch Ness é um lago enorme, com mais de 30 km de distância. Quando já estávamos no meio dele, percebemos que pegamos a estrada errada! É possível ir pelos dois lados e em um deles é possível pegar um passeio de barco, visitar o Castelo Urquhart, entre outras atrações turísticas. Mas no lado que estávamos, não tinha nem espaço para parar!
      Quando percebemos o erro, iríamos perder muito tempo para voltar todo o caminho, então continuamos até encontrar algum lugar para parar e pelo menos chegar um pouco mais perto do Lago:


      Decepcionados e com o fim do dia, seguimos mais um pouco até encontrar o Eilean Donan Castle. É muito bonito e demos a sorte do sol estar se pondo, criando um clima bem gostoso e compensando um pouco o que perdemos na parada anterior. Não entramos no castelo, até porque tinha acabado de fechar, mas essa é uma opção também.
       
      
      Chegou a hora de seguir até encontrar um lugar para dormir e foi a noite que paramos ao lado da rodovia, em frente a um cemitério hahaha. Cozinhamos nossa janta embaixo de chuva e vento, dormimos cedo.

      DIA 03 - ISLE OF SKYE
      No terceiro dia, entramos oficialmente na Isle of Skye. Começamos parando na Sligachan Old Bridge, que foi uma sugestão minha. Estava chovendo, então paramos rapidinho só para umas fotos. É bem bonito ao redor, se não tivesse chovendo daria uma caminhada mais longa.

      Continuamos até Old Man Storr, a primeira trilha maior do roteiro. Foram 2h, cerca de 4.5 km e a grande dificuldade do percurso foi a chuva, vento e frio, mas a vista compensou do mesmo jeito. A trilha é muito bem demarcada e aberta, não tem como se perder e não tem segredo. Só seguir o caminho!

      Lembrando que o casaco GG impermeável foi um patrocinio do meu ex namorado hahahaha



      Quando terminamos a trilha, fomos até Kilt Rock and Mealt Falls Viewpoint, que é uma cachoeira caindo no mar e o vento quase me deixou sem celular! Hahaha. O estacionamento é super perto desse mirante, então não tem segredo! Fácil acesso, com uma paisagem incrível. Além disso, tem umas pegadas de dinossauro que foram encontradas por lá e estão sinalizadas


      A segunda trilha do dia foi a chamada Quiraing. Como já estava mais tarde, o vento estava ainda mais intenso. Novamente parecia que eu ia ser carregada e em vários lugares tivemos que ser bem cautelosos. O total é 6.8km, mas a gente não fez tudo porque as condições climáticas não estavam boas, andamos por cerca de 2h novamente. Se tivéssemos chegado um pouco mais tarde, provavelmente nem seguiríamos o percurso, o vento estava MUITO forte.

      Novamente, a paisagem compensou todo o esforço. Foi um dos dias mais pesados para mim que não era acostumada com trilhas e grandes caminhadas, que foram dificultadas pela força do vento. Mas fiquei muito feliz e orgulhosa de ter completado o roteiro e sentido a imensidão da natureza por lá.
      No fim do dia, após todas essas andanças, chuva, vento, tudo que precisávamos era um banho quentinho! Fomos até o Arainn Fhinn, The Fingal Centre e pagamos para tomar um banho. É tipo uma academia com piscinas, então é tranquilo utilizar o banheiro, com o pagamento de uma taxa pequena.
      Estacionamos e dormimos por lá.
      A CONTINUAÇÃO ESTÁ NO MEU SITE QUE PODE SER ACESSADO CLICANDO AQUI. (ou www.anavoando.com.br) Eu sei, é um saco eu redirecionar pro meu site privado, mas o conteúdo é exatamente o mesmo e estava me dando um trabalhão carregar as fotos aqui, porque são arquivos pesados e eu estou com preguiça hehehe Desculpaaa!!!! 😫😫😫
      Bônus: eu descobri que a menina que estava com a gente tinha uma mapa completinho de tudo que a gente fez, onde estacionou e tal, copiei ele e está aqui para vocês acessarem as informações e terem uma visão geral do que eu fiz, mas esse mérito e empenho não é meu, é dela ok?! Espero que ela não se importe, mas acho que nunca nem vai ver hahaha CLIQUE AQUI para acessar!
       
      Que experiência! O ponta-pé nas minhas viagens de natureza, assim como totalmente fora da minha zona de conforto, mas saí muito realizada e feliz por ter me aberto a essa oportunidade, mesmo estando em um momento bem delicado emocionalmente da minha vida. Foi uma excelente forma de finalizar minha temporada no UK.
      Espero que tenham gostado desse post e que eu tenha plantado uma sementinha para ir visitar esse país incrível que nem sempre está na prioridade dos brasileiros. A Escócia ganhou meu coração
      Podem me acompanhar também pelo Instagram: anavoando e no site www.anavoando.com.br
      Se tiverem qualquer dúvida, é só perguntar!! ❤️ 
    • Por Kassiano Severino
      Oi galera!!
       Sempre peguei dicas aqui do fórum, agora é minha vez de retribuir rsrsrs. Em Setembro de 2019 estava realizando meu intercâmbio em Londres (Minha primeira experiência no exterior), aí decidi passar um final de semana em Edimburgo, na Escócia.
      1° Comprei uma passagem de ida pela Ryanair por 15 euros, gostei do preço, saindo do Stansted Airport. 
      2° Como estava em Bethnal Green precisava ir para o aeroporto, então comprei um transfer para o aeroporto por 4 libras. Meu vôo era por volta das 08:00 da manhã. Então sairia de Londres por volta das 05:00 e estaria em Stansted às 06:00. Só que teve um acidente no começo da via, eu e outras pessoas ficamos esperando o ônibus e nada até uma senhora passar e nos avisar 😲😲😲😲. Isso já era por volta das 05:45, sai correndo para a Central Line rumo a Liverpool Street, chegando lá compro uma passagem de trem (Stansted Express) por 19 libras. Nessa altura estava com medo de perder o vôo, até pq eu sabia que precisava passar no balcão da Ryanair para conferência de visto. Chegando no aeroporto já por volta de 07:20 vejo a fila GIGANTESCA para o balcão da Ryanair. Penso comigo, ferrou, perdi meu vôo. Aí nessa hora vejo um funcionário da companhia aérea, ele estava atendendo pessoas sem bagagens e conferindo os passaportes, fui até lá e bingo visto conferido!!! 😃😃😃😃😃😃
      3° Hora da segurança e outra fila quilométrica, após uma espera grande chego na área de embarque faltando 20 minutos para o horário limite. 
      Isso foi uma grande aula de como se adaptar, contornar uma adversidade e que compensou bastante. Pois, foi o melhor fim de semana da minha estadia no Reino Unido.
      __________14 de Setembro________
      Edimburgo - Cheguei no aeroporto e já sinto uma diferença enorme na temperatura, sou de Recife, então 8 graus é frio!!! 🥶🥶🥶🥶, Mas gosto dessa temperatura rsrsrs. 
      Vou até o terminal e pego um ônibus até o centro da cidade, no caminho sinto como estivesse entrando no mundo medieval, prédios, ruas, praças e claro o castelo de Edimburgo!!


    • Por karinerribeiro
      Alguns meses depois da minha volta dessa experiência incrivel e de muito compartilhar sobre essa experiencia no grupo do Mochileiros no facebook, venho aqui tambem contar um pouquinho do que foram esses 2 meses e meio pelo Reino Unido, mas precisamente em Brighton, no sul da Inglaterra.
      A ideia do intercambio já existia a muito tempo antes de realmente faze-lo, mas o lugar era uma eterna duvida. Depois de muito procurar, ler relatos, ver videos, eu optei pelo conselho de um amigo que mora na Alemanha e que ficou um tempo tambem por Brighton. Com pouquissimos relatos sobre a cidade e apenas videos de turismo no youtube, eu decidi mergulhar de cabeça na decisão e fui me apaixonando aos poucos pela ideia de um intercambio por lá.
      Ao longo do tempo, eu tambem já tinha conhecimento do site Workaway, e outros parecidos como o WorldPackers. Decidi tentar experimentar um pouco dessa troca voluntaria de trabalho por acomodação e em alguns casos, refeições, e o universo conspirou e caminhou juntinho pra tudo sair como nos conformes.
      Vou contar melhor e detalhamente, com fotos, dicas, sites, e tudo que eu puder sobre essa cidade que se tornou meu amor a primeira, e a segunda, e a terceira vista.
      Brighton Pra que não sabe, Brighton fica bem ao sul da Inglaterra, cerca de 1h de trem do centro de Londres, e entre 2h/2h30 de onibus (A National Express é a melhor opção para qualquer caminho pelo Reino Unido, é muito parecido com o Flixbus).
      O aertoporto mais proximo é o de Gatwick, fica a cerca de 1h de onibus do centro de Brighton. Recentemente, a companhia de avião chamada Norwegian opera voos diretos algumas vezes por semana entre Rio de Janeiro>Gatwick, e vice versa. Os preços são bem abaixo do normal, principalmente se você optar por não levar bagagem despachada e nem refeições. Vou contar um pouco mais sobre ela e minha experiencia depois.
      Absolutamente tudo do meu intercambio, eu que procurei e fechei diretamente. Não contratei agencia. (Lembrando que meu nivel de idioma antes do intercambio já era Intermediário, então foi mais ''facil'' conseguir correr atrás de tudo sozinha.) Antes de ir e para ter uma média de preços, cotei com 3 agencias o mesmo destino e em todas, era um mes de aula com carga horaria de 15h semanais+acomodação em host family(casa de familia), dentre taxas e materiais que não saiam por menos de R$9 mil reais.
      - Escola:
      A minha escolha final, depois de MUITA pesquisa e procura, foi pela Interactive English Language School, ela fica em Hove (O nome oficial de Brighton é Brighton and Hove, é como se fosse um bairro ao lado do outro, ambos bem ''pequenos'' e de super facil acesso). Acontece que tudo em Hove é muito mais em conta: Escolas, Acomodações, Mercados, etc.
      Da escola para o centro de Brighton, eu gastava 20minutos andando tranquilamente, ou então, por volta de 5min de onibus.
      Minhas aulas na IELS eram de 15 horas semanais, o que da por volta de 3 horas de aula por dia, foi super incrivel poder ter essa duração de curso todos os dias, uma coisa muito diferente dos cursos de idioma que temos no Brasil, por exemplo, onde fazemos no máximo 2 horas de aula por SEMANA. Digamos que em UM mês eu estudei o equivalente a SEIS meses de curso que dão no Brasil, então pra pergunta do "Vale a pena?" Sim, ô se vale.
      No seu primeiro dia na escola, na IELS toda segunda, você chega lá bem cedinho, fala com as meninas do escritorio, e faz uma prova de nivelamento pra saber direitinho para qual nivel e turma você esta apto a começar. O meu nivel foi o Intermediario, então, 2h após a prova, você volta, no começo das aulas da parte da tarde, pega seu material (livro+guias da cidade+chip de celular das marcas disponiveis a sua escolha) e vai para a sua turma.
      Eu fiquei duas semanas na turma do Intermediario, onde comigo tinham 8 alunos. Nenhum brasileiro, exatamente o que eu queria e o porque de eu ter escolhido a inglaterra para o meu intercambio. No ultimo dia da minha 2º semana, tivemos uma prova de nivelamento, onde o professor analiza se você esta apto a mudar ou não. (Comecei no Intermediário e Conclui o curso de 4 semanas no Upper Intermediate, que seria um Intermediario+).
      Durante todo o meu mês pela IELS, apesar da escola ser pequena, tinha por volta de 80 estudantes e durante o meu mês teve apenas eu e mais 2 brasileiras, e eramos de salas diferentes, o que foi ótimo pra gente. Até quando estavamos juntas, optamos por falar em Inglês.
      A escola fica em um predio de 4 andares, mega bem estruturada, com salas de aulas amplas e conforatveis. A area social possuia sofás, puffs, mesa de jogos, computadores de livre uso, café, chá e leite disponivel durante todo o dia. Inclusive você poderia usar o espaço comum durante todo o dia, independente do seu horario de aula. Seja para estudar, usar o computador, bater um papo ou jogar sinuca. Professores ótimos e todas as aulas muito bem estruturadas e interativas. Eles tinham como uma das principais funções vocabulario e conversação, e usavam o uso de muita interação entre os alunos por meio de jogos e dinamicas, foi incrivel.
      Brighton and Hove possuem MUITAS opções de escolas de idiomas das mais diversas localidades e preços, a IELS foi a minha escolha de acordo com o que cabia no meu bolso e de muita pesquisa, inclusive de muitaaa troca de email com as meninas da escola.
      Valor: O valor de 4 semanas de curso de 15 horas semanais+material ficou por volta de £550 libras, na epoca que paguei, a libra estava a 5,20, o que da por volta de R$2.800 reais.


      - Acomodação:
      Acredito eu que praticamente todas as escolas consigam oferecer aos estudantes estrangeiros a opção de ficar em uma Host Family(Casa de familia), mas eu não queria gastar com passe de onibus cerca de 80 libras+ mensal, pois geralmente a maioria das host families ficam afastadas do centro e da escola,. Eu queria realmente morar proximo a escola e do centro de Brighton. Depois de muito procurar, achei dois sites para procura de quartos (fora o airbnb), mas o que eu mais gostei foi do Spareroom.co.uk, lá tem uma infinidade de opções, e foi por lá que eu encontrei a minha acomodação por um mês em Hove. Ficava a 10 minutos andando da escola, 15 do Big tesco (Pra quem ja foi a UK, o Tesco é uma rede de mercados bem famosa e que tem em todos os cantos, mas o Big Tesco é gigante, mais barato e mais para os moradores locais). Ficava a uns 25 minutos andando do centro de Brighton tambem. Foi um grande achado e o host foi bem solicito e tudo deu super certo.
      Valor: Para 4 semanas de acomodação em quarto suite, com maquina de lavar e todas as dependencias da cozinha e area comum de livre acesso, paguei por volta de R$2.820 reais.
      - Clima e o que levei na mala:
      Como fui em meados de março, peguei o inicio da primavera e mesmo assim as temperaturas estavam bem baixas, apesar do sol e céu abertos.Alguns dias que sai para a aula, o termometro marcava 0º, e em um outro fim de semana chegou a 30º, o tempo no Reino Unido é doidinho real.
      Eu fui apenas com um mochilão de 60 litros, não tão cheia, e levei roupas que pudesse usar em camadas. Levei 6 pares de blusas, duas calças jeans, um short jeans preto, dois sueters, uma meia calça segunda pele e duas blusinhas regatas segunda pele, um casaco de pelinhos e um corta vento, alem do casacão de frio. Mas é claro, que passando e indo regurlamente pela Primark, H&M em promoção, dentre outros, eu acabei comprando mais roupas, hehe
      Alguns looks que eu usei e roupas que comprei posteriomente, variando do clima de começo de Março, até final de Maio, e entre idas as escolas, pubs, baladas da vida:






      e o Bonus de 1º tendo que esconder o nariz de tanto frio:

      Isso foi tudo que eu levei no mochilao X ele prontinho, junto com a minha mochila menor.


      - Compras:
      Como eu ja disse, o Big Tesco era a melhor opção ever para compras de semana, ele tinha muito mais opções que os Tescos menores, mas os preços acabavam sendo bem parecidos ou por vezes, os mesmos. Depois que eu comecei no Work Exchange (Trabalho em troca de moradia), eu morava meio longe do Big Tesco e batia a famosa preguiça, então eu revezada entre as redes dos Tescos, Sainsburrys e o Waitrose, esse ultimo era o mais caro ever, acho que acabei nem fazendo compras por lá.
      Para vocês terem noção de como era ok e em conta fazer compras. Essa foto foi a minha primeira compra semanal, feita no Big Tesco, e custou £14.50 libras. Alguns itens duraram mais de uma semana, tipo o cereal e os iogurtes. Mas durante esse tempo morando em Brighton, minhas compras semanais não passavam de £20 libras.

      A Loja Poundland era a melhor opção SEMPRE, ela tem praticamente todos os objetos custando £1 libra. De itens de higiene a itens de papelaria, a grande maioria custando  £1. Lá comprei todos os itens de higiene assim que cheguei: shampoo, condicionador, escova+pasta de dente, creme de rosto, lenços demaquilantes, etc. E lá eu comprava tambem umas besteirinhas pra comer, biscoitos salgados, doces, chocolates, etc.


      As lojas de roupa como Primark, H&M, New Look, etc, são ótimas e vira e mexe tem promoção. Eu comprei sueters por £3, £6 pounds. Croppeds por £2 e até por £1. São muitas opções, real.
      Tambem tinha as lojas um pouco mais caras como a Urban Outfitters, Zara, Bershka, dentre outras.
      - Relato do Intercambio:
      Durante esse mês de intercambio, eu fiz amizades incriveis e nos tornamos muito unidos, eram festas, pubs, restaurantes e pic nics na praia quase todos os dias. A gente costumava brincar dizendo que era muito doido todos estarmos no mesmo lugar ao mesmo tempo, alguns mais antigos na escola e em Brighton diziam que nao tinha grupo melhor. A despedida era sempre a pior parte, e toda semana um ou mais iam embora. Teve uma semana que cinco do grupo voltaram para os seus países, e a noite anterior da partida do primeiro, foi inclusive, a melhor noite que todo mundo teve junto, a gente bebeu, dançou, riu e chorou, foi um misto de emoções hahaha
      O meu nivel de Ingles avançou muito, tanto nessas 04 semanas, quanto nos 2 meses. O que eu MAIS tinha dificuldade era o medo da conversação, em errar, em tropeçar nas palavras, e tudo isso eu perdi, e perdi de vez. Até hoje eu consigo me comunicar, conversar e tudo mais sem o medo de falar. Então, eu diria que foi a maior conquista desse intercambio.
      Como fiz tudo por conta própria, eu paguei por volta de R$6.000 reais pelo curso+acomodação.
      Durante essas 4 semanas eu contratei o seguro saude da Seguros Promo no valor de R$314.
      E para gastos extras eu levei um total de £400 libras, por volta de R$2.300 reais, com a cotação da época.
      Em resumo, todos os gastos dessas 4 semanas foram de aproximadamente: R$8.614 reais.
      - Work exchange.
      Antes de mais nada, o Work Exchange consiste na troca de trabalho voluntario por acomodação e as vezes, outras coisas tambem, como refeições, desconto em passeios etc.
      Antes de sair do brasil eu assinei o site Workaway, na esperança de conseguir um trabalho voluntario em algum hostel, inicialmente em Portugal ou Espanha, para ir após o curso. Chegando em Brighton, eu não queria mais ir embora, e apenas um hostel era cadastrado no Workaway. Sendo assim, mandei email direto para vários, na esperança de esticar minha estadia por lá. Um deles me respondeu e foi muito solicito, acabamos marcando de visitar o hostel e conversar um pouco sobre a posição e tudo mais. Deu tudo tão certo, que comecei lá uma semana após o final do curso.
      Meu job por lá era diario, tinha que limpar a cozinha, por o café da manha, o qual eu tinha direito, a cozinha em si e os banheiros, que eram três, um em cada andar do hostel. Ele era bem pequeno e aconchegante e um dos mais bem avaliados no Booking. Foi um mês e meio muito incriveis e eu tinha tempo livre de sobra para passear, curtir com o pessoal e tudo mais.
      Não gastando com acomodação e café da manha, meus gastos semanais ficavam por volta de £50-£60, de forma super economica, nao gastando com cervejas em pubs, pois são caras (cerca de £5), mas sim indo a happy hour, promoções e ficando de boas na praia e de graça nas baladinhas. Todos os pubs a entrada era gratuita, como se fosse um bar mesmo. E algumas baladas eram de graça ou tinham desconto para estudantes.
      - Dicas Gerais:
      *Eu visitei Londres duas vezes, a primeira por um fim de semana, e a segunda por uma semana, na casa de amigos. Como eu disse, de trem a viagem dura cerca de 1h, e de onibus dura cerca de 2h a 2h30. O valor do onibus é muito mais barato, eu ja consegui pagar  £7 de ida e um outra vez £15 ida e volta, só ficar de olho no app. Londres é magnifico (Vou fazer um post só sobre Londres).
      *Todo dia você encontra um pub com alguma promoção de cerveja por Brighton. Enquanto eu estive lá, frequentei MUITO o pub King and Queen, todo dia da semana eles tem uma programação diferente, porém as quintas, tem bebidas pela metade do preço. Era o pint de cervejas ou Cidras por  £2.20, fora varios outros drinks. Não pagava para entrar
      * O pub The Font todas as terças tinha a long neck de corona por £1.50, cidras e pints por £2, dentre outros varios drinks. Com dj e tudo mais, era um dos melhores lugares ever. Não pagava para entrar, só após as 23h.
      *Outros pubs que eu amava e frequentei durante meu tempinho lá: Hobgoblin (Tem uma area externa pftaaa, com banquinhos com aquecedores caso esteja um tempinho frio). O The wick inn. The lion and the lobster. The Hope and ruin. The bee's mouth. The temple bar. The Princess Albert. Black lion. The White Rabbit. The Muchky Duck. Patterns. Revenge bar. Tempest Inn. A cidade tem TANTOS pubs, que em um ano você não consegueria conhecer todos. Os preços das cervejas nos pubs são um pouco salgados, cerca de £5-6, ou seja, vá preparado se quiser encher a cara neles.





      *De baladas, tem as mais tradicionais e baratas, onde sempre tem bebidas mais baratas e voltadas para estudantes. Como eu e a maioria dos meus amigos eramos estudantes, iamos MUITO na festa Shoosh, de musica eletronica, que rolava na balada chamada Coalition todo sábado. Iamos muito na festa CocoLoco, que rolava as quartas e tinha promo de bebida. E tambem rolava muito a Revolution (dependendo do dia, tinha dois ambientes, um com musicas atuais e uma de reggaetton. E tambem recomendo as baladas mais locais e mais caras como o Patterns, Volk's club, Club revenge. The tempest inn. The Arch, etc.
      *Vira e mexe ocorre uma festa chamada Silent Disco, que nada mais é que uma festa silenciosa, onde cada pessoa ganha um headphone ao entrar, e lá dentro tem três djs tocando diferentes estilos de musica. Cada headphone tem ligação direta com as tres estações de djs, e cada dj tem uma cor especifica, é MUITO divertido. Fui em duas e dei boas gargalhadas, além de escutar musicas que não ouvia a um tempao.
      *A rede de restaurantes do WetherSpoons são os melhores lugares ever pra comer e beber barato. Cada restaurante da rede tem um nome diferente, em Brighton tem dois bem proximos, e em Hove tem outro. Você consegue tambem baixar o aplicativo deles e fazer o pedido direto por lá apenas com o restaurante que você esta e o numero da mesa que esta sentado. Da até pra pagar online, é ótimo. Eles tambem tem promoções de cervejas e lanches e mesmo assim, fora as promoções, as cervejas são as mais baratas. Tinha promo de 3 long necks por £5 e por ai vai. Recomendo a cerveja Blue Moon, com uma rodela de laranja no copo, a minha preferida.
      *Quando o solzinho der as caras, a melhor coisa a se fazer é passar em um dos mercados, comprar um Meal Deal (sanduba+chips pequeno+um drink não alcoolico por £3), um engradado de 4 latoes é por volta de £4-5 dependendo da marca, chocolates e biscoitos por £1-2 e sentar na praia (de pedrinhas!!) e ficar só admirando a vista, comendo, conversando, ouvindo uma musica e esperando o por do sol.
      *Nos meses que eu estive la, rolou diversos eventos que tomaram conta da cidade. Muita musica, teatro e tudo mais. Por isso, é bom ficar de olho, a cidade é muito viva e tem muita coisa acontecendo.


      *Inclusive, a parada LGBTQ+ de Brighton é uma das maiores e mais conhecidas do mundo. Parece um grande carnaval. As ruas fecham e rolam grandes shows. Ano passado teve Jessie J, e esse ano Kylie Minogue. TODOS os estabelecimentos entram no clima e a cidade fica linda e enfeitada. Aliás, Brighton é considerada uma das principais capitais LGBTQ do Reino Unido.

      (Foto da Internet, infelizmente eu nao estive la nessa data)
      *Brighton é bem pequena e por consequente com poucos pontos turisticos, por isso é uma cidade perfeita para bate-volta a partir de Londres, que é o que muita gente costuma fazer. Recomendo visitar a Royal Pavillion, se perder nas ruazinhas de North Lane (ruazinhas estreitas com muitas lojinhas, pubs, barraquinhas vendendo roupas e acessorios e restaurantes), em seguida na The Lanes (Perto e quase com o mesmo nome de North Lane), em seguida ir para o Brighton Palace Pier, ir andando pela orla até a Torre 360º, The bandstand e terminar o dia apreciando a vista, ou quem sabe, um por do sol.










      *Quem tiver mais tempo na cidade, eu indico ainda a visita as casinhas coloridas, quase no final da extensao da praia, em Hove, é lindo. Indico os jardins the The Brunswick e uma boa pedida é ir voltando para o centro de Brighton pela rua principal, e observar os restaurantes, lojinhas e pubs.

      Tem tanta, tanta, tanta coisa e cantinho especial nessa cidade que fica dificil até por em palavras o quanto ela é especial. Foi uma descoberta muito gratificante e eu to LOUCA de saudade, querendo voltar logoo. Qualquer duvida referente ao intercambio e ao Work Exchange, podem perguntar. Tanto aqui, quanto no meu instagram @karinerribeiro. Lá tambem tem varios stories da minha estadia ❤️

       
       
       
       
       
    • Por magda.morgana
      Olá pessoal!!! 
       
      to pensando em ficar 6 meses no Reino Unido, em Londres, mas tenho dúvida quanto ao visto.
      posso ficar 6 meses no Reino Unido e depois fazer um mochilão de três meses nos países do Tratado Schengen?  🤔
       
       
      Obrigada aiii quem puder responder 😁😁
    • Por Mari D'Angelo
      Quando se vai pra Londres com dois Beatlemaníacos, a esticadinha até Liverpool é obrigatória!
       
      Tínhamos apenas 5 dias em Londres, é super pouco e muita coisa fica de fora. Mas mesmo assim, acho que vale sim a pena “matar” um dia para conhecer o passado e a história de John, Paul, Ringo e George.
       

       
      Depois de muita discussão sobre como iríamos, optamos pelo trem (não é o mais barato, mas é o mais rápido). Compramos pelo site http://www.thetrainline.com,'>http://www.thetrainline.com, aqui a dica é examinar todos os horários possíveis de ida e volta, as vezes uma saída uma hora mais cedo/tarde é a metade do preço. Pegamos o trem na estação Euston e em menos de 2:30 depois desembarcávamos na Lime Street, em Liverpool.
       
      Primeiro passo foi achar o centro de informações turísticas, que fica pertinho da estação, nossa ideia era comprar o Magic Mystery Tour, o famoso ônibus amarelo que faz todo o roteiro Beatles. Mas, para nossa surpresa (e felicidade), a funcionária perguntou se não preferíamos tour privativo, pagando menos. Claro que preferíamos! Mas como bons brasileiros, já estávamos esperando qual seria a pegadinha. Depois de muitas perguntas aceitamos, ainda meio desconfiados, e agendamos horário e local para o motorista nos pegar.
       
      Eis que chega Danny, um tipo cabeludinho, com rosto de caricatura e muito simpático!
       
      O fato é que valeu muito mais a pena! Estávamos em 5, a capacidade máxima do carro e pagamos £45 no total, enquanto no Magic Mytery o valor é £16,95 por pessoa, ou seja, se estiver em um grupo de 3 pessoas já compensa pegar o tour privativo! O motorista-guia vai contando as histórias de cada lugar (em inglês), mostra fotos antigas dos integrantes da banda em frente aos lugares que visitamos e de quebra ainda vai colocando as músicas de acordo com os lugares que vamos conhecer, muito mágico! (ps. só não sei como ele aguenta ouvir as mesmas músicas todos os dias rs). Enquanto descíamos em todos os pontos, sem muvuca e sem pressa, víamos o ônibus amarelo só passando rápidamente, ou seja, eles cobram mais caro e oferecem bem menos.
       

       
      Ah, prepare-se para entrar em desespero a cada curva, como lá é mão inglesa, nós que não estamos acostumados temos a impressão constante de que o carro vai bater, ou que crianças no banco do passageiro estão dirigindo o carro! Rs
       
      A primeira parada foi a casa onde nasceu Ringo Starr, ela esteve a ponto de ser demolida para revitalização da área. Não é possível entrar, mas você pode fazer como milhares de turistas (especialmente brasileiros) e deixar sua marca nos painéis que cobrem a porta e a janela.
       
      Um detalhe interessante, que confesso não me lembrar precisamente da história, é uma inscrição extremamente sutil, feita pelo pai do baterista, entre os tijolos da casa em frente à de Ringo, escrito “Beatles”.
       
      Próxima parada, Penny Lane, umas das ruas de Liverpool (e também o nome do bairro onde ela se encontra). O local é famoso pela música, escrita por Paul, onde ele retrata diversos locais que fizeram parte da rotina de todos eles, como a Barber shop, que demos uma entradinha para conhecer. Antigamente a prefeitura tinha que recolocar as placas da rua constantemente, pois os fãs as “levavam de lembrança”, hoje as placas não existem mais e o nome agora é pintado nos muros.
       

       
      ps. Aqui nosso motorista-guia se mostrou também um ótimo fotógrafo, pediu nossa câmera e arrumou um ângulo perfeito para uma foto diferente!
       
      De lá, seguimos para a antiga casa de Paul McCartney, onde ele e John Lennon começaram uma das parcerias mais famosas da história. Dizem até que vez ou outra ele aparece na cidade e passa por lá. Ela é aberta para visitação porém não entramos (inclusive é um roubo, mais de £20! ).
       
      Em seguida fomos para o Strawberry Fields, o antigo orfanato próximo a casa de John, onde ele e sua tia Mimi participavam das festas anuais no jardim. O icônico portão é hoje uma réplica.
       

       
      Próxima parada, casa onde John Lennon passou a infância e a adolescência. Aqui também é possível visitar, mas também não entramos (mas tiramos muitas fotos imitando a pose de John no portão em um antigo retrato).
       
      Seguimos para o lugar onde Lennon e McCartney se conheceram, a St. Peter’s Church, onde John estava tocando com sua banda Quarrymen e um amigo em comum os apresentou. Ainda no mesmo local há um cemitério com as lápides de Eleanor Rigby e McKenzie, citados na música que leva o nome da garota.
       

       
      Pra finalizar o tour, Danny perguntou se preferíamos ir até a casa do George, que era um pouco mais afastada ou conhecer o bar onde John Lennon costumava beber, o Ye Cracke. A resposta foi unânime, o bar! Como os tours convencionais não costumam passar por lá, estava super vazio, apenas um grupo de ingleses barulhentos dividiam o local conosco.
       
      Saímos a pé em direção ao Cavern Club, o trajeto era curto, mas o frio congelante estava difícil de aguentar! No caminho passamos pelo centrinho de Liverpool e como já era quase Natal, tudo estava enfeitado! (Ao contrário da maioria das pessoas do mundo eu amo coisas natalinas!)
       
      Terminamos a noite no Cavern, que foi o lugar onde ocorreu a primeira apresentação dos Beatles, depois disso eles tocaram lá muitas outras vezes, foi também onde conheceram seu empresário Brian Epstein. Depois da fama, a banda não voltou a tocar lá. A casa foi demolida em 1973 e anos depois reconstruída alguns metros depois do local original. Hoje ela é frequentada por turistas, com alguns itens originais dos Beatles e sempre um cover tocando, adivinha… Beatles! Rs
       
      Ah, cuidado para não entrar no genérico, no outro lado da rua.
       

       
      Com certeza um fã de Beatles faria deste texto um livro, eu como não tenho tanto conhecimento assim (e já não me lembro de tudo que ouvi por lá) me limito a compartilhar a experiência de uma simpatizante, que adorou a cidadezinha dos quatro garotos de Liverpool!
       
      Informações úteis:
       
      Trem Londres-Liverpool: http://www.thetrainline.com
       
      Tour privativo: http://www.fab4tours.co.uk | 2 horas – £45 para até 5 pessoas (mais opções no site)
       
      Ônibus Magic Mystery Tour: http://www.cavernclub.org/the-magical-mystery-tour/ | £16,96 por pessoa (mais opções no site)
       
      Ingressos para as casas onde eles viveram na infância: http://www.nationaltrust.org.uk/beatles-childhood-homes/
       
      Relato original com mais fotos e trilha sonora http://www.queroirla.com.br/liverpool-para-beatlemaniacos-ou-nao/
×
×
  • Criar Novo...