Soroche, Mal de Altura ou Mal da Altitude

Troca de informações sobre prevenção de doenças infecciosas em viajantes e outros temas relacionados. Guias e tutoriais.
Avatar
jubapaes
Colaborador
Colaborador
Mensagens: 98
Registrado em: 20 Nov 2006, 09:18
Localização: São Paulo
Contato:

15 Abr 2007, 15:07  

Companheiros mochileiros,

Notei que existem por aqui inúmeras dicas a respeito de viagens pela Bolívia, hospedagem, passeios... enfim, tudo que precisamos saber para uma boa e tranquila viagem pelo país...ou melhor, quase tudo...Não vi por aqui nenhum tópico com dicas mais aprofundadas e realmente úteis para um problema que afeta, segundo as estatísticas médicas, 92% dos turistas que chegam a altitudes superiores a 2800, vindos do nível do mar e de uma hora para outra...é o tal do "mal da altitude", termo "popular" para o Mal Agudo das Montanhas (Acute Mountain Sickness, AMS). Eu, como médico, mochileiro e participante do fórum, resolvi postar aqui algumas dicas de como, se não evitar, minimizar os efeitos desse problema.
Na grande maioria dos casos os sintomas são leves e duram de 4 a 24 horas, dependendo de cada pessoa. São eles:

- dor de cabeça (95%)
- náuseas e vômitos (70%)
- tontura (58%)
- perda de apetite
- insônia
- falta de ar aos médios esforços

Normalmente no segundo ou terceiro dia da viagem você já estará aclimatado e esses sintomas diminuirão bastante, desaparecendo por volta de 5 dias. É muito importante, portanto, nesse período de aclimatação tomar algumas medidas para amenizar esses sintomas e evitar complicações, como o edema agudo pulmonar e cerebral. São algumas dessas medidas:

- Na altitude, principalmente com o clima seco da Bolívia, perdemos muito líquido. A hidratação deve ser reforçadíssima. Recomenda-se a ingestão de 3 a 4 litros de água diariamente nessas condições; portanto, garrafinha de água na mochila! Restrição na ingestão de sal e ingestão de uma carga maior de carboidratos é uma boa idéia.

- Nada de atividades físicas extenuantes nos dois primeiros dias...caminhadas leves. Se ficar muito cansado e ofegante, pare e descanse, se não melhorar, volte para o hostel. Se te convidarem para jogar bola, resista, não dá nem para jogar no gol!!

- Nada de subir ainda mais enquanto não estiver aclimatado. Acima dos 3800 metros recomenda-se no máximo mais 300 por dia, seja escalando ou de busão...ou seja, se vc chegou a La Paz em um certo dia e for ao Chacaltaya (a mais de 5000 metros) no dia seguinte, a chance de vc ter um edema pulmonar ou cerebral é gigantesca!!

- Nada de álcool ou cigarro!! Álcool desidrata e provoca mais tonturas e náuseas. O cigarro vai te atrapalhar ainda mais para respirar!!

Além dessas medidas comportamentais, há também a prevenção e tratamento medicamentoso:

- Se você vai sair do nível do mar e seu destino é uma cidade acima dos 3500m, como Cusco ou La Paz, há alguns medicamentos que podem ser administrados previamente e que, se não evitam os sintomas, pelo menos minimizam seus efeitos e, principalmente, evitam as complicações e aceleram a aclimatação:

* Acetazolamida (Diamox): recomenda-se a ingestão de 125mg 2 vezes ao dia (a cada 12 horas) um dia antes da saída para a altitude e segue até o segundo ou terceiro dia, na altitude. Essa substância é um diurético, que acidifica o sangue, fazendo com que respiremos mais rápido, facilitando na adaptação. A acetazolamida não mascara os sintomas, apenas minimiza, principalmente a falta de ar noturna (quando dormimos a frequência respiratória cai, e isso na altitude causa muitos problemas...). Por ser diurético, você vai ir ao banheiro por diversas vezes (mais um motivo para tomar bastante água, não vá ficar desidratado!) e pode ter um formigamento na ponta dos dedos e na face. Os refrigerantes e outras bebidas gaseificadas podem ficar com sabor estranho. Alérgicos a sulfa não podem tomá-la!!

* Dexametasona (Decadron): se você for médico ou for viajar acompanhado de um ou passar em consulta antes da viagem; alguns pesquisadores recomendam o uso de 4mg de decadron, de 12/12h no dia da viagem e no primeiro dia na altitude...eu não recomendo o seu uso sem supervisão especializada...a dexametasona, ao contrário da acetazolamida, mascara os sintomas, ou seja, você vai sentir-se bem, mas não ajuda na adaptação à altitude.

Para os sintomas do "Mal da altitude" recomenda-se:

- dor de cabeça : o Ibuprofeno (Alivium, Dalsy...), 600mg de 8/8h é normalmente a primeira escolha. Paracetamol (tylenol) e AAS também podem ser usados.

- Náuseas ou vômitos: O Plasil ou o Motilium podem ser usados. Evite o Dramin, como ele causa sono, a frequência respiratória diminui e pode piorar a falta de ar.

***Cuidado: Não use medicação para dormir!!! (Diazepam ou equivalentes). Esses remédios causam diminuição da frequência respiratória, e na altitude isso pode até mesmo ocasionar uma parada respiratória!!! Se estiver com dificuldades para dormir, tome um diamox (125 ou 250mg) pela noite, ele vai aumentar a frequência respiratória, propiciando uma melhor oxigenação noturna (apesar de acordar várias vezes para ir ao banheiro...)

Sinais de alerta:

- Tosse, com expectoração espumosa ou com sangue
- Falta de ar mesmo em repouso
- Perda de coordenação na fala ou motora
- Alterações visuais
- Excesso de fadiga, sonolência
- Alucinações

Se você começar a apresentar alguns desses sintomas, pode estar com Edema Pulmonar ou Edema Cerebral, nesse caso procure ajuda médica o mais rápido possível e DESÇA da altitude que estiver o mais rápido possível, de preferência abaixo dos 2500 metros.

Bom pessoal, espero ter ajudado a amenizar o "sofrimento" de quem vai fazer uma viagem para elevadas altitudes e que com essas dicas possam aproveitar mais a viagem.

Qualquer dúvida ou se quiserem perguntar alguma coisa a mais, estou a disposição, é só mandar um e-mail. Isso não é propaganda, não vou cobrar consulta, hehehe!!!( mesmo por que nem tenho consultório, trabalho em PS...).

Abraço a todos!

Juliano Paes
Colaborador Fórum América Central / Fórum América do Sul : Argentina , Chile , Bolívia , Perú e Uruguai
Dicas de saúde: Mal da altitude
Siga o Blog sobre nossa volta ao mundo em 2013 : http://um-mundo-pela-frente.blogspot.com.br/

Avatar
tontonmacoutes
Mensagens: 68
Registrado em: 02 Abr 2007, 13:35
Localização: Foz do Iguaçu-Paraná

16 Abr 2007, 14:45  

Caro Juba
Boas dicas, é importante estar bem informado, pois o mal agudo da montanha pode atacar qualquer um.
Estive no Aconcagua na temporada passada(05/06), e ocorreram 3 mortes, nenhuma por queda, uma por ataque cardíaco, e duas por edema, inclusive de um suiço que era guia de escalada nos Alpes. Os médicos e guarda-parques recomendam seguir a seguinte tabelinha:
Dor de cabeça 1 ponto
Náuseas ou perda de apetite 1 ponto
Insonia 1 ponto
Vertigem 1 ponto
Cefaléia resistente a aspirina 2 pontos
Vômitos 2 pontos
Falta de ar em repouso 3 pontos
Fadiga anormal 3 pontos
Oligúria (falta de urina) 3 pontos
1-3 pontos MAM LEVE aspirina ou paracetamol
4-6 pontos MAM MODERADO aspirina, repouso e suspender subida
+ de 6 pontos MAM SEVERO abaixar rapidamente
Eles não aconselham a tomar diamox, pois há vários casos de desidratação aguda.
E o principal, tomar muita, mas muita água, pois só na respiração, pela diferença de umidade do ar na atmosfera e no pulmão, perde-se cerca de 3 litros por dia, sem falar da diarréia que também é comum.
Valeu
Não sei onde eu to indo
Mas sei que eu to no meu caminho
Enquanto você me critica, eu to no meu caminho
Raul

Avatar
jubapaes
Colaborador
Colaborador
Mensagens: 98
Registrado em: 20 Nov 2006, 09:18
Localização: São Paulo
Contato:

17 Abr 2007, 00:02  

Obrigado pelo complemento!!! Essa tabela é muito útil para se ter uma idéia de que se o que você está sentindo é "normal", ou seja, o mal agudo na sua forma mais leve, ou algo mais grave, como edema pulmonar e cerebral.

Com relação ao diamox, realmente, para quem vai fazer uma escalada e não tem tanta oportunidade para parar e descansar ou beber 3 a 4 litros de água na hora que quiser, com acesso fácil, eu também não recomendo o diamox...aliás, a única situação que recomendo o diamox é na prevenção, já constatada cientificamente, com 125 mg duas vezes ao dia, um dia antes do embarque para a altitude e nos 3 dias seguintes, já na altitude (por exemplo, se você vai sair de São Paulo para La Paz logo de cara...). O diamox também é usado no tratamento, não só na prevenção, desse mal (250mg de 2 a 3 vezes ao dia)... mas não recomendo ninguém a tomar essa dosagem por conta própria, sem supervisão médica; o risco de desidratação grave é grande...se você estiver muito mal, não se auto medique, procure ajuda especializada!!

Para os que vão fazer uma escalada, a melhor prevenção ainda é a subida gradual, com bastante hidratação e uso de sintomáticos (aspirina, ibuprofeno...) caso necessário.

Só para lembrar, se você é alérgico a sulfa, não tome Diamox!!!

A minha idéia aqui não estimular auto-medicação de ninguém, seria contraditório para um médico, o que quero é esclarecer e informar, fornecendo alternativas para aliviar o sofrimento e, principalmente, evitar o pior para quem vai, como eu agora em maio, viajar para elevadas altitudes.

Mais uma vez, obrigado pelo complemento, "tontonmacoutes" (desculpe, não sei seu nome...), quanto mais informações pudermos disponibilizar, principalmente de quem já passou pela situação e já tem experiência como você, melhor!! Espero outras contribuições!

Abraços

Juliano Paes
Colaborador Fórum América Central / Fórum América do Sul : Argentina , Chile , Bolívia , Perú e Uruguai
Dicas de saúde: Mal da altitude
Siga o Blog sobre nossa volta ao mundo em 2013 : http://um-mundo-pela-frente.blogspot.com.br/

arthurbelino
Mensagens: 14
Registrado em: 23 Set 2005, 12:31
Localização: Brazil
Contato:

10 Jun 2007, 05:32  

Fala Pessoal! Especialmente Juba, Hendrik e ABJ.

Estava lendo o tópico desde o início e acho que, com todas as informações postadas aqui, qualquer viajante que vá se aventurar por grandes altitudes conseguirá boas informações para um planejamento legal.

Como o Juba falou, acho que, no meu caso, o ideal é esperar esses 2 dias, ver como o grupo estará (vamos em 4 pessoas) e, estando tudo bem, subir numa boa.

No mais, seguir as recomendações das medicações, de beber muita água e, principalmente, ter bom senso.

Estava lendo uma revista agora e tinha uma matéria legal sobre "medicina do viajante". Existem 2 centros especialistas nesse assunto (RJ e SP). Os caras são especialistas e conhecem todo tipo de doença em vários roteiros. Antes de viajar, pretendo me consultar com o que tem aqui no RJ. Seguem os contatos:

SP: (11) 3896-1400
RJ: www.cives.ufrj.br

Espero que ajude.

Grande abraço a todos e obrigado pela ajuda.

Hendrik
Membro de Honra
Membro de Honra
Mensagens: 440
Registrado em: 07 Fev 2004, 19:11
Localização: Belgium

10 Jun 2007, 07:10  

No Nepal, antes do trek, fomos a algumas farmacias em Thamel, bairro turistico de Kathmandu, capital do Nepal, de onde saem praticamente todas expediçoes e trekkers. Bastavamos abrir o capitulo do Lonely Planet com a lista de remedios para as diversas situaçoes que o guia listavam como possiveis e o "farmaceutico" nos vendia tudo. Ate mesmo as drogas mais potentes.

Mas estavamos decidido em aclimatizar com o minimo de remedio. Por isso saimos de Jiri, que nos deu 7 dias de caminhadas subindo e descendo dos 1800 aos 3400 metros. Fora isso, cada dia de aclimatizaçao do guia era dobrado ou redobrado. Ao inves de 2 noites em Namche, ficamos 4. E sempre realizando curtas caminhadas durante o dia. E sempre comendo e bebendo muita agua.

Pode ser que tivemos sorte, mas eu acho que nossa rotina de aclimataçao foi boa.

Agora planejo ir ao Aconcagua, sem mulas, claro. Ao contrario do trek ao EBC, o cume do Aconcagua vai exigir mais esforço porque nao teremos os lodges que as trilhas ao EBC tem. Os desniveis sao, pelo pouco que li, mais acentuados. Isso me parece significar a possibilidade de subir muito em "pouco" tempo. Mais cuidados com aclimatizaçao, entao.

Lendo diversos relatos notei que muita gente passa mal nas etapas finais e me pergunto se boa parte nao sera por causa de uma aclimataçao pobre.

Outra coisa que li e me assustou muito foi uma "jornalista" de uma revista feminina que resolveu ir ao Aconcagua, a convite de um amigo. Novatos na atividade, como eu, fizeram aquilo que praticamente todo novato numa atividade faz: se informar. Nao foram independentes e pagaram uma pequena fortuna a uma agencia, mas o susto veio de um dos seus "preparativos":

Juntaram aos sadios preparatvos fisicos a rotina de tomarem aspirinas todos os dias durante 1 mes. Disseram que isso "afinava" o sangue, facilitando aclimataçao. Ainda nao sei se isso eh fato e eh bem capaz que seja, mas serve para exemplificar o quanto podemos cair no erro de encarar a aclimataçao e seus sintomas como fenomenos naturais. Remedios nao deveriam ser usados para enganar nossa mente sobre como nossa aclimataçao vai mal, mas apenas como ajudantes no processo. Se entupir de remedios para "aclimatar" melhor me parece ser pessima atitude.

Se nao nascemos sherpas e nao vivemos desde a geraçoes em alta altitude, entao a regra de ouro continua sendo a mesma que sempre foi:

- Caminhar alto, dormir baixo
- Comer bem, beber muito
Gatinho Cheshire, que caminho devo seguir? - pergunta Alice.
Depende onde você quer chegar - responde o gato.
(Alice no País das Maravilhas)

ogum777
Membro de Honra
Membro de Honra
Mensagens: 2281
Registrado em: 23 Jan 2006, 18:38

10 Jun 2007, 07:54  

existe um outro fator que deve pegar no aconcágua: o psicológico. não que soroche seja psicológico, não é nada disso.
mas na ansiedade, sobe-se demais em pouco tempo. até pq não é qualquer um que pode ficar um mês por lá só pra ir se aclimatando. as janelas de subida são menos de 30 dias depois do natal... o povo passa o natal em casa e vai pra lá. perde-se tempo em viagens até o local, permissos e etc. e 20 de janeiro neguim quer (e tem que) estar no topo da sentinela de pedra.... nem sempre a aclimatação é tão bem feita assim....

hendrik, pretende subir quando?
asbicicletas.wordpress.com
ecourbana.wordpress.com
www.oeco.com.br

Hendrik
Membro de Honra
Membro de Honra
Mensagens: 440
Registrado em: 07 Fev 2004, 19:11
Localização: Belgium

10 Jun 2007, 15:58  

Oi, ogum, ao lado do trek ao EBC tem outro trek com situaçao semelhante a que voce descreveu, so que mai curto: o trek ao vale do Gokyo. Inclusive quem tem mais tempo usa um passe montanhoso, o Cho la, e faz os dois. Mas se voce sai de Namche para o Gokyo, sobe-se mais rapido que se for ao EBC. Todos os guias e livros que li advertiam sempre para os perigos de, animados e fresquinhos, os trekkers subirem demais num dia. Eh possivel subir duas e ate mais vezes o adequado.

O fator psicologico na verdade eh uma das poucas vertentes que estou menos preocupado. Sou um chato de galocha na trilha e tento fazer tudo de acordo com o manual. No trek na Chapada meus aigos ficaram putos comigo porque eu os acordava cedo, antes mesmo do Sol ter nascido. E olha que, por mim, acordava mais cedo ainda. Acho que a manha eh a parte mais produtiva do trek. A partir do meio-dia vem o Sol forte e so conseguimos nos arrastar pelas trilhas...

Ce ja esteve no Aconcagua, ogum? se sim e se puder, da um pulo no topico da seçao sobre a Argentina onde eu coloquei algumas perguntas.

P.S.: a caça a barraca ainda continua...
Gatinho Cheshire, que caminho devo seguir? - pergunta Alice.

Depende onde você quer chegar - responde o gato.

(Alice no País das Maravilhas)

ogum777
Membro de Honra
Membro de Honra
Mensagens: 2281
Registrado em: 23 Jan 2006, 18:38

10 Jun 2007, 16:11  

ih, hendrik, aconcágua é plano pra 2011. ou pra mais, depois que minha trip agora em julho pro peru rodou... então, depois vou ver tuas perguntas, mas não sei se vou poder responder a nenhuma não... hahahaha

ah, cara, com grana sobrando, eu ia de lightwave. gostei dos modelos. por falar em barraca, ontem fiquei tacando silicone nas costumas da minha manaslu, só por precaução. mas gostei muito da lightwave t0 xt. seja ultra ou trek, a diferença de peso é mínima. mas pra um brinquedo desses, eu preciso viver na gringolândia e ganhar $$$ como gringo.

inté!
asbicicletas.wordpress.com
ecourbana.wordpress.com
www.oeco.com.br

Avatar
jubapaes
Colaborador
Colaborador
Mensagens: 98
Registrado em: 20 Nov 2006, 09:18
Localização: São Paulo
Contato:

05 Ago 2007, 03:01  

Olá Dani,

Normalmente os atópicos (alérgicos), ou seja, aqueles que tem asma, rinite, sinusite, entre outras; normalmente sofrem mais na altitude...não só pela diminuição na oferta de oxigênio disponível mas também porque, geralmente, são lugares secos e frios, com uma maior concentração de partículas na atmosfera...tudo aquilo que as vias respiratórias de asmáticos precisam para ficarem bem fechadinhas e desencadear uma crise...Sendo assim, leve sua "bombinha" e alguns comprimidos de prednisona ou decadron...poderia até te sugerir um esquema preventivo, mas como não sei qual o seu tipo de asma, prefiro que consulte o seu pneumologista para te orientar quanto à melhor maneira de se precaver!
Qualquer coisa é só escrever!!

Abraços

Juliano Paes
Colaborador Fórum América Central / Fórum América do Sul : Argentina , Chile , Bolívia , Perú e Uruguai
Dicas de saúde: Mal da altitude
Siga o Blog sobre nossa volta ao mundo em 2013 : http://um-mundo-pela-frente.blogspot.com.br/

Avatar
André Taka
Membro de Honra
Membro de Honra
Mensagens: 308
Registrado em: 11 Jul 2006, 20:04
Contato:

05 Ago 2007, 07:39  

Meu, e tudo depende mto da pessoa...eu e minha namorada temos rinite, mas lá só ela teve crises de rinite...

eu tive mais tontura e - pasmén!!! - desarranjo intestinal (não foi da comida não...a altitude que causou...), qdo eu andava na cidade, blz...mas era só fazer um esforço maior para subir alguma rua mais íngreme, já dava vontade de ir ao banheiro...huáhuáhuá...mó sarro!!!

Aí, comia e nada, blz...

caminhava pelas ladeiras e pronto: banheiro...mas nada que me atrapalhasse...hehehehe

mas como tem asma, o Juliano deu um conselho prudente: procure um profissional para se precaver e levar medicamentos e o mais importante: tente se ambientalizar antes de fazer esforços!

abraços



  •   Informação
  • Quem está online

    Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 0 visitante