Ir para conteúdo

Italia em 15 dias - História, praias e montanhas [Roma+Pompeia, Costa Amalfitana e Dolomitas]


Posts Recomendados

  • Membros

CONTINUAÇÃO...

 

Peguei o trem cedo em Napoles, chegando em Milão por volta de 13h. Me hospedei no hostel Otello Bello Grande, que fica bem próximo à estação central. Decidi ficar lá, pois tinha lido que promoviam um pub crawl bem agitado. Deixei minha mochila na sala de bagagens, e procurei um restaurante próximo para almoçar até dar o horário do check-in. Voltando para o hostel, toda a galera do meu quarto fez o check-in na mesma hora. Nos apresentamos, e combinamos de ir todos no pub crawl mais tarde. Cada um seguiu um rumo para conhecer a cidade. Fui caminhando em direção à Duomo di Milano, região que concentra os principais pontos turísticos da cidade.

A primeira parada foi a Galleria Vittorio Emanuele, uma espécie de shopping de diversas marcas de grife. O prédio da Gallerria é uma atração à parte, com seu teto de vidro por toda a extensão da construção. Depois tirei algumas fotos da Catedral e fui até o Castello Sforzesco. Na entrada do castelo tem uma fonte, onde a galera tira os sapatos e refresca os pés na água fresca. Existe um parque bem grande depois das muralhas do castelo, procurei uma sombra, tirei o livro da mochila e fiquei um bom tempo por lá.

 

20220812_150557-compressed.thumb.jpg.15a873e3d7abbdaaf20812708f597370.jpg

Ruas de Milão

20220812_152253-compressed.thumb.jpg.77bf60c3402b6be4c366452b4d3ab1fc.jpg

Galleria Vittorio Emanuele

20220812_154444-compressed.thumb.jpg.91cfc912ba5ea9fb0b486caed0832ed5.jpg

Duomo di Milano

20220812_155824-compressed.thumb.jpg.5d4b1d1e708c4a0e870d1f6a9b9b4576.jpg

Castello Sforzesco

20220812_170614-compressed.thumb.jpg.9698486ad18805041f5d1960a3f8bde3.jpg

Final do parque do Castello Sforzesco

 

Quando fiz o caminho de ida para a Duomo tinha avistado alguns prédios bem bonitos um pouco distantes. No caminho de volta resolvi mudar o trajeto para passar por aquela região. Cruzei a Chinatown (que diga-se de passagem tinha um restaurante de “comida japonesa estilo brasileiro”, achei curioso :D.  A região dos prédios diferentes que tinha visto se chama Isola. Além dos prédios modernos espelhados, tinha alguns mais peculiares: cheios de árvores nas sacadas. Cheguei no hostel e a galera que tinha conhecido mais cedo estava saindo para comer alguma coisa. Fui com eles a um restaurante próximo da estação central, e logo voltamos para tomar banho e preparar para sair.

20220812_173404-compressed.thumb.jpg.4f201661482ce744700db47dc72cae7a.jpg20220812_173517-compressed.thumb.jpg.5c434623ebf1c0a16212346518b6b361.jpg

20220812_173826-compressed.thumb.jpg.f0c0ff6fc96aacbcac498c9f8a9290a4.jpg

Região de Isola 

 

 

Ainda na recepção do Hostel o pessoal que iria no Pub Crawl começou a se reunir e trocar ideia, pois as 20h o evento teria início. Cada pessoa tinha direito a uma bebida no bar do hostel, e antes de sairmos para o primeiro bar também rolou um shot para cada. Quem estava conduzindo o Pub Crawl era uma argentina muito animada.

A “guia”, aliada a quantidade de pessoas (por volta de 40), os bares bem escolhidos, shots de boa qualidade na entrada e na saída de cada bar e ao fato de todos estarem interagindo bastante, tornaram desse um dos melhores Pub Crawls que já fui. Para encerrar a noite fomos a um club, também bastante agitado e com direito ao primeiro drink grátis. Quando o álcool desceu um pouco e vi que já era tarde da madrugada, chamei um uber para o hostel. No outro dia teria que acordar antes das 07h da manhã para pegar o carro alugado na locadora às 08h.

 

20220812_215036-compressed.thumb.jpg.2b5601d62d17fa4b382f1844f33e242d.jpg20220812_221731-compressed.thumb.jpg.acd8c27c8f4742b35b7810d44486b457.jpg20220812_222533-compressed.thumb.jpg.258a9df80d995971f030c7483507dde2.jpg

 

Pub Crawl

 

Acordei, peguei o metro e cheguei na locadora no horário. Porém estava fechada. Chequei no google e lá dizia que deveria estar aberto. Esperei mais um tempo e chegou um inglês para devolver o carro. Ficamos os dois esperando, até que 08:30 a dona do salão de beleza ao lado chegou. Fui pergunta-la o horário que eles eram acostumados a abrir, e ela me informou que eles estavam de férias e não retornariam nas próximas duas semanas.

Eu e o gringo começamos a ligar para todas as outras agencias da Avis/Budget de Milão, mas não conseguimos contato com nenhuma. Por sorte, ele tinha uma amiga de milão, e ligou para ela o socorrer. Chegando lá, ela disse que guiaria ele até o aeroporto para tentar resolver a questão na agencia de lá. Aproveitaram e me deram uma carona. Lá, tudo foi resolvido, e peguei o carro para o rolê em direção às dolomitas.

 

20220813_120254-compressed.thumb.jpg.14b03a0b0cdcf55824f951767542e455.jpg

A caminho das Dolomitas

 

As estradas, como era de se esperar, são super bem cuidadas. Mesmo com as várias curvas, subidas e descidas, foi uma viagem tranquila. A primeira cidade que fiquei hospedado se chama Bolzano, levei cerca de 4 horas para chegar, com pausa para o almoço, e toda a região das dolomitas são o atrativo. Cadeias de montanhas para todos os lados, plantações de uva a perder de vista e várias cidades pequenas pelo percurso, com as casas de montanha em arquitetura bem típica.

Meu hotel ficava bem no início do centro de Bolzano, onde começava o espaço de tráfego restrito – só vi as placas depois que já tinha parado o carro =/ (estou só esperando a multa chegar). Depois de mudar o carro de lugar, tomei um banho e fui conhecer a cidade. Era bem grandinha, rodeada por montanhas e com bastante opção de bares e restaurantes. Tirei várias fotos nos arredores, depois sentei em um restaurante para jantar e logo voltei ao hotel, para recuperar as energias.

20220813_171348-compressed.thumb.jpg.01882b8223103a9887dad7d90efc27ab.jpg20220813_171428-compressed.thumb.jpg.8c49ce381e8d6ed478499dd880320f8a.jpg20220813_171711-compressed.thumb.jpg.93e7ab02986b9d5cb2c7b25869c3b51a.jpg20220813_171722-compressed.thumb.jpg.96eedc8252a75cc2d37e65b669fe2042.jpg20220813_202410-compressed.thumb.jpg.ed251c850544867ad7c9db52717b3344.jpg

Bolzano

 

 

Escolhi Bolzano como primeira parada pois ficava próxima de algumas atrações que queria conhecer. No dia seguinte acordei bem cedo e dirigi até a primeira delas: o Monte Seceda, que fica na cidade de Ortisei.

Deixei o carro no estacionamento do teleférico (€10) e comprei apenas o ticket de subida (a volta faria por uma das trilhas da região), que custou €27. O teleférico começava a funcionar às 08:30h, tinha chegado alguns minutos antes. Todos na minha frente da fila estavam usando blusas corta-vento e calça comprida, já comecei a imaginar que iria passar frio lá em cima – mas foi até de boa, como andei bastante e estava sol, deu para suportar – apesar do suor frio. Quando o teleférico chegou no ponto final, imediatamente me conformei que o preço alto para subir era totalmente justo.

 

20220814_085040-compressed.thumb.jpg.cd35a26bf167ba26281560b6df638309.jpg20220814_090006-compressed.thumb.jpg.294badbff09e2370ba6a86e4eca824df.jpg20220814_091840-01-compressed.thumb.jpg.7738c9199cddedde902e15fd7332bf56.jpg20220814_102040-compressed.thumb.jpg.36c0088cb60a5aad855fa3dfb4ac9b40.jpg

Monte Seceda

 

 

O lugar é fantástico, nem parece real. O monte Seceda em si, e todo o arredor. Lá de cima é possível avistar diversas cadeias de montanhas no horizonte. No momento de comprar o ticket eles dão um mapa impresso com diversas opções de trilha. Fiquei por volta de uma hora e meia lá em cima, e depois comecei a caminhada montanha à baixo – que durou mais três horas.

Todo o percurso é bem bonito. Até o ponto onde é feita a troca de teleférico a trilha é larga, aberta e com cascalho. Muitos ciclistas sobem empurrando as bicicletas para depois descerem pedalando. Depois desse ponto as trilhas são em mata fechada, algumas atravessando fazendas pelo caminho.

 

20220814_114751-compressed.thumb.jpg.ea48185aaa947145275700e63867cdca.jpg20220814_123215-compressed.thumb.jpg.5c7d7f0e71a5d6535155d5f084d08998.jpg

Trilha de volta para Ortisei

 

Cheguei no estacionamento, peguei o carro e fui para a vila de Santa Magdalena, que ficava bem próxima. Parei o carro em um dos estacionamentos públicos, e o valor de €4 era cobrado por diária. Almocei no primeiro restaurante que encontrei, e aproveitei o tempo para dar um descanso para as pernas.

Como a vila é bem pequena, de qualquer lugar até o famoso mirante do local é perto. Andei coisa de 1km. A vista parece um cartão postal, e só começa a ser formada no final da caminhada. Quando a montanha vai aparecendo, atrás da pastagem bem verde e entre a torre da igreja da cidade. Em comparação com os outros lugares que passei, essa foi a atração que tinha menos turistas pelo caminho – em sua maioria asiáticos.

 

20220814_153414-compressed.thumb.jpg.baccffbc368d731323c89a8ef81f8664.jpg20220814_155156-compressed.thumb.jpg.a07f080ff7ac4b9c0e4de05fe61f8082.jpg

Santa Magdalena

 

De lá, segui viagem para a cidade que seria minha base nos próximos dois dias: San Vito Cadore. Fiz várias paradas durante o trajeto, pois existem vários passos e montanhas no caminho. Não podia ficar sem registra-los em fotos.

 

20220814_165656-compressed.thumb.jpg.949c63b1f3f6ddbf6002ad191a62bb2a.jpg20220814_180345-compressed.thumb.jpg.3a52023ceff604b6dd2fa95ed547b0f3.jpg

Caminho para San Vito Cadore

 

San Vito Cadore é uma cidade bem pequena, vizinha à maior e mais famosa Cortida D'ampazzo. A hospedagem lá estava bem mais barata, e a distância entre as das cidades era muito pequena, coisa de 14km. Cheguei ainda de dia, e depois de fazer check-in no hotel comecei a escutar uma música alta. Olhei pela sacada do quarto, e vi que na pracinha bem abaixo estava tendo um show de artistas locais. Tomei banho e desci para jantar em um restaurante bem de frente ao evento. Muito interessante ver como alguns lugares valorizam a cultura. A cidade provavelmente tem menos de mil habitantes, e mesmo assim o governo estava promovendo esse mini show, com estrutura de palco e iluminação.

 

20220814_211531-compressed.thumb.jpg.b076236af0a2dcd237415d6c61e12d1b.jpg

Show na pracinha de San Vito Cadore

 

O programa do dia seguinte era as trilhas do Tre Cime di Lavaredo. Acordei cedo e fui para o Lago Misurina, na beira da estrada tinha uma cabine para venda de ticket de ônibus até o Rifugio Auronzo, comprei dois [para ir de carro até lá não compensa, pois existe um pedágio beem caro na entrada do rifugio. Depois peguei o carro e andei mais um pouco, até o Lago Antorno, última parada com estacionamento gratuito antes do Rifugio Auronzo. A frequência de ônibus é bem alta, logo ele passou.

Depois de chegar fui até o Rifugio Lavaredo, que era o mais próximo. E para minha decepção, o Tre Cime estava completamente tampado por neblina. Mesmo assim, continuei subindo. Chegando no ponto mais alto, vi que o tempo não tinha perspectiva de melhora no horizonte, e resolvi fazer o caminho de volta. Parei para apreciar a bela vista do vale que se forma abaixo do local, onde é possível alcançar a vista até o Lago Misurina.  

20220815_095022-compressed.thumb.jpg.d691188c5547c1befc00baf47d63fe9a.jpg20220815_102149-compressed.thumb.jpg.1b90d5b9ae195a9c32de74d18a02c7fe.jpg

Tre Cime di Lavaredo

 

20220815_110148-compressed.thumb.jpg.07f6b72016fa733a2191fecfa324287c.jpg20220815_111713-compressed.thumb.jpg.158471125c4bb172b230a97c43db39de.jpg

Vista do vale abaixo do Tre Cime

 

Depois de pegar o ônibus de volta, consultei a previsão do tempo, pois o céu estava bem fechado. Meu plano era fazer outra trilha, que começava no lago Antorno e ia até o Cadini de Misurina. Mas como vi que a previsão era de chuva para as próximas horas, sentei em um banco e comecei a ler um livro, para ver se o tempo abria. O tempo passou e o céu não abriu, resolvi abortar a missão e seguir caminho.

Dirigi pelas redondezas de Cortida D'ampazzo e depois parei na cidade para fazer um lanche. Voltei para San Vito Cadore, e prestando bem atenção no mapa reparei que havia um pequeno lago bem próximo de onde estava hospedado. Deixei meu carro no hotel e caminhei até lá. Era um lugar bem aproveitado pela população local, tinha quadra de tênis, um parquinho para crianças, além de um minicampo de golfe. Sentei em um quiosque na beira do lago, e terminei a tarde bebendo algumas cervejas e planejando o próximo dia. 

20220815_120000-compressed.thumb.jpg.36918b38f2f6c3b78edbecd44ecaa51f.jpg

Esperando o tempo abrir no Lago Antorno

 

20220815_194809-compressed.thumb.jpg.24ffd222b36706badf94a0cbd346227a.jpg

San Vito Cadore

20220815_173712-compressed.thumb.jpg.d4d348f4c2e29d438b37a63d0131e659.jpg20220815_174408-compressed.thumb.jpg.0ee60145a57e6d1935a143f4e6f97856.jpg

Lago de San Vito Cadore

 

No dia seguinte iria para o famoso Lago di Braies. Pesquisando pela internet, vi que o estacionamento tinha que ser reservado com antecedência. Como estava muito em cima, nenhum dos três tinha vaga. A outra opção era deixar o carro em uma das cidades próximas e pegar um ônibus até o lago (que também deveria ser reservado com antecedência). Já comprei o ticket de ônibus para o primeiro horário saindo de uma cidade chamada Dobbiaco.

 No outro dia, acordei cedo, fiz o checkout do hotel e peguei a estrada para Dobbiaco. Consegui achar um estacionamento público gratuito para deixar o carro. O ônibus passou pontualmente às 08:10 e durante os poucos minutos de trajeto já me bateu um desanimo. Como ainda estava cedo, para todos os lados que eu olhava, só via neblina. Chegando no lago não foi diferente. Comecei a dar a volta no lago e pouco enxergava.

 

20220816_064235-compressed.thumb.jpg.386dff0e19d7ff15e9e5c40385066059.jpg

Caminho para o Lago di Braies

 

20220816_083631-compressed.thumb.jpg.13a4e47573a653ba88b0caf9e5fbc871.jpg

Lago di Braies quando cheguei, pura neblina

 

Antes de chegar na metade do caminho, porém, o pico da montanha começou a aparecer e fiquei animado novamente. Parei em uma “praia” de pedras brancas, me sentei e peguei o livro para esperar o tempo abrir. Dessa vez, ele abriu. E a medida que o sol começou a refletir na água, aquela famosa cor das fotos apareceu.

20220816_090631-compressed.thumb.jpg.7bd1a958021a4ccfdce32c9c808689a9.jpg

Sol começando a aparecer...

 

20220816_091647-compressed.thumb.jpg.33148eae9fc50187f2459620174d407a.jpg

Esperando o tempo abrir totalmente...

 

Simplesmente espetacular. Um lago com a água daquela cor, envolto pela floresta e com a montanha bem acima. Fiquei algumas horas por lá, de boca aberta com aquela beleza da natureza. Depois de uma centena de fotos, peguei o ônibus de volta e depois dirigi para a última atração da viagem: o Lago di Garda, maior lago da Itália.

 

20220816_101753.thumb.jpg.f6161c5cb36a813ea56806fc61f9d655.jpg20220816_103257-compressed.thumb.jpg.f65acbee6b2acfe1e32b47edf8a865f7.jpg

Lago di Braies

 

 

20220816_104407-compressed.thumb.jpg.25ba25a3fff15ff50996c841ce264f5a.jpg

Hotel na entrada do Lago di Braies

 

Como o Lago di Garda é absurdamente extenso, escolhi ficar hospedado em Riva Del Garda, na extremidade norte. Fiz o check-in no hotel e segui para a praia da cidade. Consegui encontrar um estacionamento amplo gratuito.

Ao contrário do de Braies, em que o banho não é permitido, no Lago di Garda ele é liberado, junto com vários esportes aquáticos que são praticados por lá, que contam com a ajuda de um vento constante e bem forte. No ápice do calor do verão italiano, lá estava abarrotado de gente, deitados em suas toalhas e tentando pegar um pouco de cor. Me juntei a eles, e fiquei por ali durante o restante da tarde.

 

20220816_133317-compressed.thumb.jpg.77b9be065a47349330f0d8045ccccf7f.jpg

Estrada para o Lago di Garda

 

20220816_154458-compressed.thumb.jpg.7a404decb74cbd0e87dc935a2c376511.jpg

Estacionamento em Riva del Garda

 

20220816_151149-compressed.thumb.jpg.13a454d2a5a03e44e5fbf4d1e9ff1a20.jpg20220816_151159-compressed.thumb.jpg.90aca8cb981cf0411125b001ff0ab01e.jpg

Praia de Riva del Garda

20220816_160947-compressed.thumb.jpg.d317b0d92d05a34a3cfee21e8bcce7ba.jpg

Vista do quarto em Riva del Garda

 

 

À noite dei uma volta pela cidade, que é bem movimentada. Até achar um bar para beber e comer alguma coisa. Por lá também estava rolando um show no centro da cidade, com artistas locais. Depois de um tempo, fui para o hotel porque no outro dia iria pegar a estrada para Milão.

Acordei cedo, fui até o aeroporto local de Milão devolver o carro e depois peguei um ônibus até o centro da cidade. Comprei alguns souvenires e depois peguei o trem para o aeroporto internacional, onde pegaria o voo para Amsterdam, para o ultimo dia na Europa antes do retorno para o Brasil.

 

 

 

 

 

 

  • Gostei! 4
Link para o comentário
  • Colaboradores

Parabéns pelo relato e pela viagem!

Dolomitas é um lugar incrível né? Pena que o clima não colabora muitas vezes!

Tive lá também e chovia tanto quando fui pro Lago di Braies que fiquei quase 1h dentro do carro no estacionamento e dei meia volta! 😔

E o que dizer dessas fotos no Val di Funes e em Seceda?? Que lugar espetacular!

Abraço!

Editado por José Luiz Gonzalez
Link para o comentário
  • Membros
19 horas atrás, José Luiz Gonzalez disse:

Parabéns pelo relato e pela viagem!

Dolomitas é um lugar incrível né? Pena que o clima não colabora muitas vezes!

Tive lá também e chovia tanto quando fui pro Lago di Braies que fiquei quase 1h dentro do carro no estacionamento e dei meia volta! 😔

E o que dizer dessas fotos no Val di Funes e em Seceda?? Que lugar espetacular!

Abraço!

Com certeza. A região das Dolomitas era a que estava com a expectativa mais alta para conhecer e valeu super a pena.

Gostaria de ter tido a oportunidade de ficar mais dias por lá, ainda ficou muita coisa de fora.

Essa questão do clima é complicada mesmo. Mas mesmo as "más" experiencias durante a viagem depois são lembradas com saudosismo e viram boas histórias :D 

Abraço!

Link para o comentário
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Cara, que viagem incrível! As paisagens foram o que mais me chamou atenção, sensacionais. Estou planejando uma primeira viagem à Europa pro ano que vem, mas como o tempo é curto e vou fazer Londres/Paris/Roma não vou ter a oportunidade de conhecer mais da Itália, mas já tô pensando em planejar uma viagem exclusiva pelo país e fazer um roteiro parecido com o seu.

Obrigado pelo relato!

 

  • Gostei! 1
Link para o comentário

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...