Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • 4 semanas depois...

  • Respostas 307
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

Ola pessoal.   Este aqui é um relato da volta completa de Ilha Grande que eu e a Márcia fizemos na segunda semana de Janeiro/2008. Caminhamos durante 11 dias, mas ficamos 2 dias na Praia de Parnai

Blz Clebson.   Esse livro do Zé Bernardo eu também usei, mas peguei emprestado de um amigo meu. É dificil encontrar p/ venda. Acho que só entrando em contato com ele p/ conseguir o livro.   Eu ti

Posted Images

  • Membros de Honra

Sinceramente não recomendo de maneira nenhuma fazer essa travessia em Julho.

Tempo frio e agua quase gelada é uma roubada e não conseguirá aproveitar nenhuma praia.

No verão, a temperatura é muito agradavel e mesmo com as chuvas dá para curtir muito as praias.

 

Se for repetir a mesma caminhada que fiz, o total dessa travessia chega a quase 80 Km.

 

 

Abcs

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Boa noite pessoal,

Eu sou novo aqui como registrado e postando minhas experiências, mas já li muito, em especial sobre essa viagem a Ilha Grande e me ajudou muito durante o planejamento e saber o que me esperava.

Eu sou um cara mais de assistir do que de ler, então fiz um vídeo sobre a minha viagem, falando dos lugares que eu passei, campings que fiquei, mostro um pouco das trilhas e prais. Espero que seja útil para alguém assim como esse post foi para mim.

E se não for útil, no mínimo vai deixar com vontade de viajar, pq as imagens são bem bonitas:

 

 

Valeu pessoal,

Abraços

Marco Bartulihe

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 mês depois...
  • Membros

Olá pessoal!

 

Seguinte, to pensando em fazer a volta mês que vem ou em maio. Estou pensando em sair do Aventureiro e ir em direção a Abraão e deve ser minha primeira trilha realmente longa (de mais de um dia). Mesmo já tendo muita coisa do que é preciso (já tinha planejado uma viagem antes, para o Pico da Bandeira, mas acabei não podendo ir de ultima hora), ainda tenho algumas dúvidas.

 

A principal delas é em relação ao saco de dormir, que eu já possuo mas sei que não serve (comprei ele pensando no Pico da Bandeira, logo é pra muito frio). Em qual faixa de temperaturas devo comprar? Um pra 15ºC serve ou seria muito quente?

 

Nesse período do ano é tranquilo achar alimentação e hospedagem? Sei que não é a melhor época pra curtir as praias, mas to indo mais pra arejar a cabeça mesmo.

 

Obrigado!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 semanas depois...
  • 2 meses depois...
  • Membros

Olá Pessoal!

 

Venho por meio deste post atualizar algumas informações em cima do relato muito bem escrito pelo Augusto!

 

Eu e minha namorada viajamos para Ilha Grande e passamos 10 dias lá, entre os dias 11 e 21 de maio de 2017. Demos a volta na ilha entre os dias 12 e 18 de maio, totalizando 7 dias de caminhada e percorrendo praticamente todas as praias da região.

 

Achamos importante escrever este post pois muita coisa mudou no parque ao longo desses 9 anos desde que o relato foi escrito, principalmente no que diz respeito às condições das trilhas.

 

Vamos às atualizações:

 

- Placas e Sinalização do Parque: O parque está com um estado de conservação muito prejudicado, onde diríamos que apenas 10% das placas que existiam há 10 anos ainda existam hoje. Na maior parte das vezes, apenas a estrutura em madeira onde existia a placa continua em pé. Não conseguíamos nos orientar para onde estávamos indo ou em que praia estávamos sem o relato do Augusto, apenas que estávamos em alguma trilha, então recomendamos que façam a trilha com o uso de um GPS e com o relato em mãos.

 

- Árvores na Trilha: vimos muitas árvores caídas nos cabos de energia elétrica e nas trilhas por todo o Parque, o que fez com que em alguns trechos os cabos estivessem no chão da floresta e que inclusive em alguns pontos tivéssemos que passar por cima ou por baixo para não encostarmos neles. Ainda, algumas árvores modificaram levemente a trilha, mas nada muito crítico que oferecesse risco de se perder.

 

- Em particular, sentimos que o estado de conservação de duas das trilhas estava em pior condição: A trilha que vai para a Praia do Caxadaço e a trilha entre Parnaioca e Dois Rios.

 

Em relação à trilha para a praia do Caxadaço, mais ou menos na metade da trilha se chega em uma vegetação mais aberta onde não se sabe muito bem onde fica a sua continuação. Só encontramos o caminho por conta de fitas e sacolas amarradas em algumas árvores, mas sentimos que aquele seria um lugar muito fácil de se perder.

 

Muitas partes desta trilha ainda se encontram mais fechadas, com árvores caídas e algumas bifurcações que dificultaram a chegada à praia.

 

Já em relação à trilha que sai de Parnaioca a Dois Rios, logo que saímos de Parnaioca passamos também por muitas árvores caídas e algumas bifurcações e não sentimos que a trilha estava indicando seu início, porém após este trecho a caminhada segue com a trilha sempre aberta.

 

- Trilha entre Caxadaço e Praia de Santo Antonio: depois de conversar com alguns moradores da ilha, decidimos fazer a trilha entre as duas praias contando com o auxílio do Wikiloc no celular. Para nossa surpresa, a trilha está bastante aberta e bem marcada e em alguns pontos até em melhor estado que algumas trilhas do parque. Somente o acesso pela praia de Caxadaço é um pouco escondido, mas usando o relato do Augusto conseguimos encontrar a trilha facilmente.

 

- Valores de Hospedagem e Alimentação: Em todos os campings que ficamos, a média de valores se situou em R$ 20 e R$ 25, com exceção do Camping Bem Natural em Praia Grande de Araçatiba (R$40, mas bem estruturado e com várias opções de comidas e sucos naturais no restaurante, com frutas cultivadas no próprio camping). Os PFs se encontram na faixa de R$ 25 - todos os valores por pessoa.

 

- Camping no Saco do Céu: no relato do Augusto, as opções de camping nessa vila da ilha eram poucas, onde existia a casa da Dona Nereide que ainda oferecia seu quintal para Camping. Conversamos com os moradores e descobrimos que a dona Nereide faleceu e que atualmente há apenas 1 opção de Camping no lugar, na pousada Gata Russa. Não soubemos o valor que ela está cobrando porque ela não estava lá no dia que passamos pela vila, mas sugiro que entrem em contato para evitar gastos maiores - em geral, lugares com poucas opções eram mais caros em toda a ilha.

 

- Trilha entre Aventureiro e Parnaioca: quando lemos o relato do Augusto ficamos na dúvida se a trilha entre as praias de Aventureiro e Parnaioca, passando pelas praias do Sul e do Leste eram permitidas pelo parque, e só depois descobrimos que não. Não encontramos nenhum fiscal do parque nesse trecho, onde inclusive avistamos um barco na praia com equipamentos de pesca submarina em plena região de Reserva Biológica (o que sugere que não estejam fazendo tanta fiscalização pela baixa temporada). De qualquer modo, nos disseram que os fiscais costumam ficar ou no fim da praia do Leste, próximos à trilha pelo morro que dá acesso a Parnaioca, ou depois da cachoeira que fica no final da trilha e no comecinho da praia). Não julgamos arriscado fazer a trilha nesse ponto, mas vale a informação para que cada um julgue o melhor modo de cruzar este trecho (de barco é permitido).

 

- Mirantes: passamos por dois mirantes muito legais na Praia de Aventureiro que devem ser visitados: Mirante da Espia e o Mirante da Sundara. Os dois ficam do lado direito da praia e próximos do cais e merecem ser visitados por todos - a vista de ambos é fantástica!

 

É isso, pessoal! Espero que essas dicas contribuam ainda mais para quem pretende fazer a trilha. Foi uma das mais fantásticas que já fizemos, tanto pela beleza natural incomparável de cada praia quanto pelo fato de termos pegado dias de sol durante a maior parte da viagem :)

 

Obrigado!!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Oi GuiVerdi.

Parabéns pela travessia e pelas informações atualizadas.

São muito boas.

 

E queria pedir também sua autorização para colocar essa postagem nesse mesmo relato que eu deixo no blog.

Pode ajudar muita gente.

 

Valeu mesmo.

 

 

Abcs

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 5 semanas depois...
  • Membros

Olá, pessoal!

 

Essa semana fiz uma mal-fadada tentativa de meia volta pela Ilha, indo do Aventureiro até o Abraão. Apesar de não ter concluído o percurso devido a um tornozelo torcido na descida pra Parnaioca, julgo ter algumas informações importantes pra quem vai pelo menos até o Aventureiro ou quem pretende fazer o percurso partindo do mesmo ponto que eu (do Aventureiro) na baixa temporada.

 

Pois bem. Chegar ao Aventureiro em baixa temporada é algo complicado. Só se é possível chegar até Provetá, isso num barco partindo de Segunda a Sexta (não tenho certeza se também aos Sábados, mas não tem aos Domingos) as 14h do Cais dos Pescadores em Angra e não do Santa Luzia, como o mestre do barco havia me falado (fama de Provetá se mostrando parte 1). A passagem custa R$30 para turistas. Isso é um problema, pois a viagem leva no mínimo 1h30. No meu caso chegamos as 16h e só pude começar a trilha pro Aventureiro as 16h30, o que foi um enorme erro, pois fiz toda a descida quando já era noite! Por sorte, a trilha é bem visivel, então minha lanterna deu conta do trabalho com certa facilidade. Porém, o problema é hospedagem em Provetá, que não sabia que existia, por isso fui direto ao Aventureiro quando cheguei.

 

Provetá não tem a melhor fama do mundo no que se trata em tratamento ao turista, devido a composição do vilarejo. A primeira dica pra quem necessita se hospedar por lá é evitar de todas as formas ao camping que existe na praia de lá. Não só a área de barracas está num estado lástimavel, como a proprietária não tem nenhuma vontade de receber turista algum, na verdade até se recusa (falarei mais sobre isso mais a frente). O que indico é ir direto ao Bar do Cristiano. O acesso só rola pela praia e tem uma placa enorme indicando onde fica. O seu dono (o Cristiano em questão) tá tentando começar uma mudança em Provetá e começar a atrair mais turistas pra lá, vai ter até prazer em te receber, já que ele está construindo uma pequena pousada e pretende ter uma área pra camping também. Além de que, ele tem wifi e, assim, ele também aceita pagamento via transferência bancária, algo bem avançado ali pro Provetá.

 

Já sobre a travessia do Aventureiro para Parnaioca, de fato não está havendo nenhuma fiscalização. Como o INEA está em um processo avançado de sucateamento, só há um único fiscal pra reserva biológica e pro Aventureiro inteiro, cruzei com ele e ele nem se incomodou comigo. Ele sequer perguntou sobre minha autorização para acampar no Aventureiro.

 

Já sobre a trilha pra Parnaioca, ela está um pouco complicada. Ele possui duas entradas ali na Praia do Leste. Da primeira vez tomei a da esquerda e me perdi, por sorte consegui retornar até o começo e pedi a ajuda de outra pessoa que também estava no Aventureiro e foi comigo até o ínicio da trilha. Ele já havia feito a trilha, porém, na segunda tentativa tomamos a entrada da direita e com alguma dificuldade encontramos o ponto onde ela começa a subir o morro. Há muitas árvores caidas pela trilha e a orientação as vezes é meio complicada, é bom levar um GPS se vc tiver pouca experiência como eu. Na saída da trilha, até existia a estrutura onde ficava uma placa que alertava para a proibição de entrada de pessoas, mas a placa já não estava mais lá, o que só ajuda a comprovar o sucateamento da estrutura do INEA na Ilha Grande.

 

Agora, um breve relato sobre o fim da minha tentativa. Já descendo para a Parnaioca, torci meu tornozelo esquerdo e isso poderia ser um grande problema, pois eu já havia fraturado esse mesmo tornozelo (o que impediu que eu subisse o Pico da Bandeira quando já estava tudo planejado e pronto, por sinal) e pq eu estava sozinho (infelizmente, não consegui achar nenhuma alma viva que me acompanhasse na viagem). Por sorte, eu estava quente o suficiente pra conseguir chegar até a praia, mas só foi eu ir esfriando que o problema piorou muito. Aí começa o segundo problema.

 

Paranaioca é quase que totalmente isolada por mar do resto da Ilha na baixa temporada. Continuar até Dois Rios era impossível com meu tornozelo e não havia barcos para o Abraão, mas por sorte (sempre ela) havia um pescador de Provetá na praia naquela hora, o seu Nilsson. Apesar de ter me cobrado salgadissimos R$100 pela volta até Provetá, era minha única opção ali e também me tratou com bastante simpatia e tentou facilitar minha vida ao máximo. Porém só chegamos lá pelas 16h e já não havia barcos para o continente, eu teria que dormir por lá e esse foi meu grande problema.

 

Como eu pretendia fazer apenas a meia volta na Ilha, não levei muito dinheiro vivo. Gastei R$110 (R$30 no barco, R$50 na hospedagem por duas noites no Camping do Luis e mais PF, que subiu pra R$30 ali no Luis) até o Aventureiro e, ao chegar a Parnaioca ainda me restavam R$180. Mas, R$100 foram embora na carona de barco e R$50 sumiram na minha mochila, o que me deixavam R$30 pra hospedagem e voltar para Angra. Perguntei sobre alguma pousada lá que, na esperança, aceitasse cartão ou tivesse internet pra fazer transferência bancária. Me indicaram uma no fim da praia, mas ela estava fechada. A proprietária e um morador me falaram pra tentar no camping, então fui pra lá. Aí começa a fama de Provetá parte 2.

 

Cheguei no camping e fui falar com a proprietária. Primeiro ela me atendeu com a mesma simpatia que um funcionário de junta militar em dia de alistamento obrgaitório, daí explico minha situação e pergunto se ela aceitaria que eu pagasse via transferência bancária (eu iria até o Bar do Cristiano e pediria pra usar o wifi de lá), a resposta dela foi tão simpática quanto ao atendimento: falou que não ia aceitar transferência coisa nenhuma, que estava querendo enrolar ela e que eu deveria ir embora, que lá eu não ficaria nem perto. Fora que queria cobrar R$20 por um camping descrépito e que nem parecia ter banheiro. Bom, saio de lá feito o Chaves sendo expulso da vila e vou tentar a sorte, por algum motivo, no Bar do Cristiano. E, lembrem-se, tudo isso com o tornozelo torcido, ou seja, nem andar decentemente eu tava conseguindo.

 

Chego no Bar e vou falar com o Cristiano, que me atende muito bem e que se mostrou uma pessoa muitissimo gente fina. Explico a situação e ele nem pensa duas vezes, topa na hora e ainda me oferece um PF + bebida pelo preço que paguei pela pernoite e pelo PF no Aventureiro, ou seja, R$55 (eu acabei pagando R$80 por motivos de cansaço e fiz a conta errado, esqueci que tinham sido duas noite no Luis). Me ofereceu o salão em reforma do restaurante pra ficar, ou seja, um local coberto e com chão cimentado e plano, ainda me levou até a casa dele, onde me apresentou pra família e deixou que eu tomasse banho por lá. O PF ainda foi de um peixe inteiro feito na hora, com salada e fruta pão frita (parece batata, muito bom), mais uma Coca ou suco (peçam o de limão-galego, que na verdade é limão-cravo). Como ele tava ampliando o negócio, ele pediu várias dicas sobre como atrair gente pra lá (uma delas foi de cobrar menos na pernoite que no aventureiro), e me agradeceu ainda me dando dois filetes de ovas de tainha, que é meio que um petisco iguaria por lá. Pra finalizar, ele ainda chama a dona Zulmira, uma senhorinha que faz óleo de arnica pra dar uma olhada no meu tornozelo, o que funcionou muito bem e me fez conseguir chegar até a rodoviária a pé no dia seguinte e, assim, voltar pra casa. E já ia esquecendo, os R$50 desaparecidos reapareceram na minha mochila no dia seguinte.

 

Enfim, era pra ser só umas dicas breves e um relat breve também, mas esqueço que sou um pouco prolixo, espero que fique muito longo. Espero que ajude em algumas questões também. É isso.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Silnei featured this tópico

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por rafacarvalho33
      Ilha Grande é uma ilha localizada no litoral sul do estado do Rio de Janeiro, integrante do município de Angra dos Reis, sendo a maior ilha do estado e a sexta maior ilha marítima do Brasil, e assim em novembro decidi passar 08 dias das minhas férias nessa região. Começo confessando o quanto eu me surprendi com a Ilha, para um amante da natureza como eu, aquele lugar é fantastico, com passeios de barcos, praias, trilhas e cachoeiras, tudo o que mais gosto de fazer no mesmo local, assim pude ter uma semana bem agitada, intercalando os passeios para aproveitar o máximo.
      A minha localização foi na Vila do Abrãao e meus dias na Ilha ficaram divididos assim:
        Dia 1: Chegada na Ilha Dia 2: Trilha para Cachoeira e Praia da Feiticeira
      Dia 3: Trilha para Praia Dois Rios
      Dia 4: Passeio de Barco - Volta a Ilha
      Dia 5: Dia Livre para descansar e relaxar
      Dia 6: Passeio de Barco - Meia Volta
      Dia 7: Trilha para Praia da Abraozinho
      Dia 8: Hora de voltar para casa
            Parte do mapa de Ilha Grande, suas trilhas, cachoeiras, montanhas e praias.
        - Hospedagem e Alimentação
      As opções de Ilha Grande são limitadas, logo em feriados ou férias escolares a procura deve aumentar bastante fazendo com que não aja tanta opção, logo é importante se planejar e reservar com bastante antecedencia, acabei ficando em um Airbnb, que pode ser reservado pelo Booking também, uma casinha bem pequena, com uma cama de casal, um banheiro e uma cozinha com geladeira e fogão, foi a hospedagem ideal para quem ia passar uma semana no local, fora que a decoração do lugar é demais e o local fica mais afastado do centro.
      O telefone do responsável é 0 (21) 96486-8183 se chama Romulo, lá você pode pedir por mais informações e fotos do local.
      Como tinha uma cozinha disponível por muitas vezes conzinhei meu proprio jantar e em outros momentos fui comer pela Ilha mesmo, e existe valores para todos os gostos, desde Pratos Feitos por 15-20 reais e restaurantes mais requintados, pé na areia.
      Existem diversos mercados na ilha, um preço um pouco mais caro que o normal, mas nada de absurdo, então não precisa trazer tanta coisa assim do continente e ir comprando lá conforme a necessidade.
        Na hospedagem
        - Transporte
      É proibido a entrada de carros em Ilha Grande, logo você precisa deixar ele no continente, acabei deixando o carro em Conceição do Jacareí, daonde sai transporte maritimo ate Vila do Abraão, no estacionamento os preços variam, desde 20$ a diaria ate 40$, dependendo da epoca, como fui em novembro e iria ficar com o carro por 7 diarias, negociei um valor a $110,00 para essas 7 diarias.
      O transporte ate a Ilha pode ser feito de lancha, $50,00 por pessoa levando em torno de 30/40 minutos ou de escuna, $20,00 e leva em torno de 1 hora, porém de lancha sai a qualquer momento e de escuna existem horarios demarcados (melhor consultar).
        - Atrativos
      Cachoeira e Praia da Feiticeira
      Esse foi meu primeiro passeio em Ilha Grande, não é necessário a contratação de guia pois o caminho é bem demarcado e sempre tem gente percorrendo a trilha, o bom desse passeio é que você também passa pelo Aqueduto (construção de 1896), Poção e Praia Preta, o mergulho no Poção é válido, agora a Praia Preta achei nada demais.
      A distância da Vila do Abraão ate a Praia da Feiticeira da em torno de uns 6 km, e você leva umas 2 horas para chegar lá, antes disso você consegue ir ate a Cachoeira da Feiticeira, fica em torno de 20 minutos da praia e há sinalização ate o local, na praia da Feiticeira tem estrutura com barracas vendendo comida e bebida e caso não queria voltar por trilha, há possibilidade de voltar de barco (20$).
          Trilha para a Praia Dois Rios
      No meu segundo dia decidi fazer a Trilha para Dois Rios, um bairro de Ilha Grande que fica do outro lado da Ilha, a trilha não tem erro pois é feita por uma estrada que liga Vila do Abraão a Dois Rios, é dali que se vai para o Pico do Papagaio e é por essa estrada é que se passa os únicos transportes terrestres da Ilha.
      A trilha começa em forte subida, são em torno de 4 km de subida e depois 3 km de descida, totalizando 7 km de trilha, 14 km no total, existem dois restaurantes no local e existe a possibilidade para aqueles que queiram voltar de barco. Pela trilha existem dois corta caminhos, mas sinceramente não valem muito a pena, acaba dando tudo na mesma, a Praia de Dois Rios fica do lado da ilha voltada ao oceano com dois rios nas suas laterais, o passeio vale mais pela trilha do que pela praia em si.       Passeio de Lancha - Volta a Ilha
      Depois de dois dias de trilha estava na hora de fazer um passeio de lancha, a ideia era dar uma descansada no corpo, mas nem imaginei que passear de lancha também cansa rs, existem diversos passeios, com certa variação no valor, e por serem passeios de lanchas, o valor fica um pouco mais salgado, o passeio Volta a Ilha esta em torno de $220,00 por pessoa,ela da uma volta inteira na ilha, então esteja preparado para as oscilações do mar aberto, esse passeio só da para ser reservado dias antes pois depende muito das condições climaticas do dia.
      As paradas da Lancha são nas praias de Caxadaço, Parnaioca (nesse local tem uma igrejinha e atras dela o caminho para uma cachoeira, a parada é de uma hora no local), Aventureiros (no local tem um mirante de pedra e a parada é de uma hora) e a Praia de Meros, boa para mergulho, fora a parada do almoço em uma praia X, porém recomendo você levar uma mochila com comes e bebes e assim economizar no almoço.
      O passeio leva o dia inteiro praticamente, saindo as 9 da manhã e retornando as 16 horas, nesse dia tivemos a felicidade de ver uma Orca no mar.
            Passeio de Lancha - Meia Volta
      Depois de um dia de descanso, voltei ao mar para fazer o passeio da Meia Volta, o valor esta geralmente em torno de $150,00, e passa pela Lagoa Azul, Lagoa Verde, Praia do Amor, Praia da Feiticiera e Saco do Ceú.
      O ponto alto desse passeio são as Lagoas Azul e Verde, onde você encontra uma quantidade enorme de peixes, e ele praticamente funciona no esquema do passeio anterior, tem parada de almoço, mas tem possibilidde de você levar sua comida e bebida, a unica diferença é que o passeio sai as 10h da manhã e retorna as 16h da tarde. Quem quiser conversar sobre os passeios de Lancha, só chamar a Patricia (21) 99181-7990, ela nos ajudou a realizar os passeios de lancha no menor preço possível e dando todas as dicas para aproveitar o dia, quem nos passou o contato dela foi o Romulo, da hospedagem.       Praia do Abraãozinho
      No ultimo dia de passeio em Ilha Grande, o destino foi a Praia do Abraãzinho, localizada no canto esquerdo da Vila, ali começa uma trilha que passa pela Praia da Julia, Bica, Comprida ate chegar na Abraãzinho, uma pequena praia com dois bares no local, perfeito para quem quer se afastar um pouco do centro e relaxar em um dia de praia, a trilha leva em torno de 40 minutos, existe a possibilidade de ir de barco e voltar de barco também.
                Assim foi minha estadia em Ilha Grande, um lugar incrivel que me surpreendeu demais, além desses passeios citados acima você pode fazer a trilha para a Praia Lopes Mendes, Trilha do Pico do Papagaio e o passeio de lancha pelas Ilhas Paradisiacas, com certeza Ilha Grande é um local que merece mais tempo para aproveitar tudo o que a ilha pode oferecer.
      Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga.
       
      Follow me
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Está pensando em conhecer o charme dessa cidade histórica? Abaixo, você encontrará tudo que precisa saber para sua viagem – o que fazer, como chegar lá e muito mais!
       
      Cidade de Paraty
       
      Considerada Patrimônio Histórico Nacional, a cidade de Paraty reserva muita beleza natural e história embutida em suas ruas de pedra e arquitetura impecável mantida muito bem preservada desde o período colonial!
      O encanto do centro histórico é perfeitamente contrastado com a beleza natural da cidade, que possuí uma grande diversidade de opções para o turismo ambiental e ecológico.
      Gostou? Venha conferir um guia completo para visitar Paraty! 
      Continue lendo: Guia Completo para Visitar Paraty no Brasil
    • Por Luan Castro
      Companhia para viagem esse mês de dezembro 01/12 ~ 30/12, tiver de partida ou tiver pensando em e,  da um toque no e-mail [email protected]
      E vamos la.
       
    • Por Par de Sorrisos
      Uma escala: RIO DE JANEIRO, BRASIL ✈️🌊 | Vlog viajante 🌎
       
        Oi você! Uma paradinha no Rio de Janeiro que continua lindo. Nossa escala de Buenos Aires ao Rio, e o tão sonhado carimbo no passaporte. Pequenos prazeres da vida.   Mostramos um passeio visual por: 00:00 Intro 00:18 Aeropuerto Internacional de Ezeiza 02:10 Vôo 03:13 Rio de Janeiro 03:44 Aeroporto Internacional do Galeão 05:03 Posto Rio de Janeiro 05:57 Metrô Rio 06:58 Praia de Ipanema 08:07 Museu do Amanhã 09:28 Despedida   Espero que vocês gostem, preparamos com carinho.   É isso aí, fica tranquilo, seja feliz e beba água, pode ser café também ☕😍.   Sejam felizes e, se puderem.   Um beijo!   Inscreva-se em nosso canal: https://bit.ly/2MY7eF2   Junte-se a nós em nossas aventuras: • Facebook | https://facebook.com/pardesorrisos/ • Instagram | https://instagram.com/pardesorrisos/ • Patreon | https://www.patreon.com/pardesorrisos/   A música que nos acompanha • Spotify | https://spoti.fi/2MZz1oq   Entre em contato conosco: [email protected]   Par de Sorrisos é a visão de Wilfredo Chiquito e Helen Negrisoli de nossas aventuras ao redor do mundo. Junte-se a nós!
    • Por Karolina Soares
      Oi pessoal!  
      Vou viajar para a praia do Recreio e chego na Rodoviária Novo Rio.  Da um pouco mais de 30km de distância. Uber quase chega a 100,00, transporte público são 3 ônibus e leva mais de 3h pra chegar no destino (cheia de malas 😧).
      Alguém conhece algum outro meio de fazer o trajeto sem gastar muito?

×
×
  • Criar Novo...