Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

rodrigo.2014

7 dias no Chile em Julho com fotos e dicas! (Santiago/Cajon del Maipo/El Colorado)

Posts Recomendados

Bom galera,

 

 

 

Depois de tantas lidas aqui no Mochileiros, resolvi dar a minha colaboração!

Fiquei em Santiago do dia 13 de Julho até o dia 20 de 2015. Foi uma viagem programada, uma vez que comprei as passagens em Janeiro por uma promoção da Gol por apenas 450 reais com taxas! Depois de achar a passagem por esse preço comecei a pesquisar as dicas e elaborar os meus roteiros

 

Inicialmente comecei a procurar hotéis em Santiago para minha hospedagem. Basicamente utilizei dois sites (booking e tripadvisor). Como eu possuo um primo em Santiago eu consegui ficar na casa dele de sábado até segunda. Nos dias anteriores eu fiquei no "Hotel Oporto Boutique" e fiz a reserva pela bancorbras! A bancorbras possui convênio com eles e a suplementação foi de apenas 3 dólares. A dica para quem tem bancorbras é de que as diárias abrem a partir de 6 meses até a data de sua reserva, então tem que correr para ficar com um bom hotel. Em relação ao Oporto Hotel, o hotel oferece o básico, nada de luxo e também nada precário. A bancorbras oferece alguns hoteis mais luxuosos, porém a suplementação é mais alta.

Voltando ao hotel, o mesmo fica no bairro Providencia. Esse bairro é muito tranquilo, andava por ele a pé tarde da noite e não tinha problemas nenhum. Muito seguro e com boa movimentação de pessoas. Vários blogs e sites recomendam ficar nele. A estação mais próxima de metro eram as estações "Tobalaba" e "Los Leones" pertencentes a linha vermelha (a principal linha de metro de Santiago). Até chegar nelas havia uma caminhada de uns 13 minutos, então quem gosta de andar não é problema nenhum!

 

Elaboração do roteiro

 

Após a escolha do hotel, comecei a elaborar o roteiro com a ajuda do tripadvisor, onde é possível ver as atrações classificadas em ordem de preferência pelo público do site. Também utilizei alguns blogs de pessoas que moram no Chile e também utilizei as dicas postadas aqui no Mochileiros. Minha principal dica é: deixe todas as atrações que exijam longos deslocamentos para o início da viagem porque nesse momento seu pique é maior. No final do roteiro explicarei o porque disso e como me prejudiquei em não pensar assim. E é claro, deixe uma carta debaixo da manga, se no dia X sua atração estiver fechada, já tenha a segunda opção para não perder um dia da viagem.

 

Meu roteiro foi elaborado da seguinte maneira:

 

- Segunda-feira: Cerro Santa Lucía - Costanera Center (cheguei em SCL às 15:30 h)

- Terça-feira: Plaza de la Ciudadanía - Palacio de la Moneda - Plaza de la Constitucíon - Calle Agustinas (trocar dinheiro) - Paseo Ahumada - Almoço - Plaza de Armas - Catedral Metropolitana - Museu de Arte Pre Colombina - Parque Forestal - Cerro San Cristóbal - Jantar

- Quarta-feira: Vinâ Undurraga - Museu Direitos Humanos - Jantar

- Quinta-feira: Cavalgada pelo Cordilheira no Cajon del Maipo

- Sexta-feira: Esqui em El Colorado

- Sábado: Feira artesanato Los Dominicos - Churrasco Chileno

- Domingo: Vinâ del Mar - Valparaíso

- Segunda-feira: Volta para Brasília (Meu voo saiu às 07:45 h)

 

Câmbio

 

A troca de dinheiro não foi nada favorável para nós Brasileiros em Santiago. Comecei a acompanhar a taxa de câmbio faltando uns 3 meses para a viagem e a média foi de 1 Real - 185 CLP. Observava essa taxa em três sites chilenos...

 

http://www.cambiosantiago.cl/

http://www.brollano.cl/

https://www.afex.cl/prontus/

 

Diante disso, troquei 500 reais na Confidence Cambio no Brasil, pelo próprio site. Você entra, coloca quanto quer comprar, eles geram o valor com o IOF + taxa e quando você aceita eles emitem um boleto para o pagamento. Feito o pagamento você se apresenta na loja da confidence que você selecionou na hora de fazer a cotação e busca o dinheiro. Dividindo o valor de pesos que veio para mim pelo valor em reais gastos na compra eu consegui a seguinte cotação: 1 Real - 181 Pesos. Essa compra foi útil para chegar no Chile com dinheiro e já pagar os primeiros gastos, pois se você for trocar no aeroporto a cotação será horrível!

Em Santiago você precisa ir na Calle Agustinas, logo atrás da plaza de la constituicíon . A taxa maior foi de 1 Real - 184 CLP, na AFEX. Troquei lá por ser um cambio onde você entra por uma porta e não fica exposto às pessoas na rua e é claro por estar apresentando a melhor cotação no dia. Depois precisei trocar mais e fui na AFEX no Costanera Center e estava 1 Real - 170 CLP e então tive que comprar no cartão de crédito até achar uma casa de câmbio com boa cotação. Posteriormente fui na Cambios Santiago ao lado do Starbucks na Avenida Pedro de Valdivia e troquei uns 200 reais ( 1 Real - 180 CLP)

 

Bom, depois disso, vamos ao que interessa...

 

 

Dia 1

 

Eu e minha namorada saímos de BSB às 07:10 com direção a Santiago fazendo uma conexão de 1:50 em Garulhos. No momento da entrega da bagagem em Brasília foi solicitado meu documento e eu entreguei minha carteira de habilitação, porém, a funcionária da GOL não aceitou e disse que em voos internacionais para os países do Mercosul eu deveria apresentar o RG ou o passaporte. A minha sorte foi que eu estava com o passaporte na mochila! Portanto, não leve somente sua carteira de habilitação e se for levar o RG o mesmo deve ser recente (não pode ter mais de 10 anos). De Garulhos até Santiago foram 4 horas de voo, sendo que faltando uns 15 minutos para chegar em Santiago você é contemplado pela Cordilheira dos Andes. Eu sentei do lado esquerdo do avião. Dos dois lados você consegue ver bem a Cordilheira.

 

19898124741_c959d33b6f_k.jpgCordilheira dos Andes by Rodrigo da Silveira, no Flickr

Antes de chegar em Santiago eu já tinha reservado um transfer particular pela TransVip http://www.transvip.cl/ por 20.000 CLP. Esse transfer é particular, mas eles oferecem uma van que é compartilhada com outros usuários. O benefício do transfer particular é que você chega mais rápido no seu hotel e não tem que esperar um horário para a van encher. O pagamento é feito logo na entrada da esteira de bagagens. Lá existe um guichê deles, você paga e recebe um comprovante o qual você entrega para um motorista da transvip que fica bem na saída da porta do aeroporto. Eu tinha marcado o horário para as 16:30, mas cheguei lá umas 16:00 horas e não tive que esperar nada, tinha uns 10 carros da transvip parados lá

 

Chegando no hotel, fizemos o check-in, deixamos a mala no quarto e já saímos em direção à estação de metro Los Leones. Estava um frio do caramba em Santiago (10 °C) e andar no frio até você se proteger bem é complicado. Por isso, um bom casaco e um cachecol vai bem. Ao chegar na estação fomos comprar o bilhete que tem o preço diferente ao longo do dia (horário de pico = mais caro). Compramos os bilhetes e nos dirigimos para o lado da linha que iria até San Pablo. O metro de santiago é muito rápido e eficiente, passa toda hora e você não espera quase nada nas estações. Descemos na estação Santa Lucía, saímos de lá, atravessamos uma avenida grande e fomos até o Cerro Santa Lucía

 

19705413808_2c1370c2bc_k.jpgCerro Santa Lucía by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

A entada no Cerro é gratuita e você só tem que escrever em um livro de onde você é e qual é seu nome. Vale lembrar que o cerro é fechado nas primeiras segunda-feiras do mês e que nas demais só abre a partir das 13:00 horas

Lá em cima do Cerro a passagem é rápida, tiramos algumas fotos e ficamos por lá somente uma meia hora (o suficiente). Lá você encontra o famoso Mote con huesillos, porém deixamos para experimentar no outro dia.

A vista lá de cima é bacana, porém não conseguimos ver a cordilheira e você tem uma vista legal de Santiago, mas não conseguirá ver tudo como no Cerro San Cristóbal

 

19867393026_ca66cdec7d_k.jpgCerro San Cristóbal by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

Após sairmos de lá, fomos até a estação Santa Lucía e descemos na Tobalaba para irmos até o Costanera Center. Nesse shopping há 6 andares e cada um é dividido em um tipo. Um é para esportes, outro para homens, outro para mulheres, alimentação e etc... Fomos comer na praça de alimentação onde se encontra muitos restaurantes. Eu comi no Taco Bell por 3.350 CLP (dois tacos médios e uma coca-cola de 500 mL). Minha namorada comeu no KFC e gastou o equivalente a isso. Após a refeição fomos andar pelo shopping e procurar algo para comprar. Eu comprei um gorro na Rip Curl por 6.990 CLP pois o frio estava pesado e minhas orelhas estavam geladas na rua. Após essa compra fomos até o supermercado Jumbo que fica no primeiro andar para comprar água e alguns biscoitos para comer nos outros dias, porém a luz do shopping acabou e todos tiveram que sair para fora. Feito isso, caminhamos pela avenida Providência até o Starbucks localizado na avenida Pedro de Valdivia. Tomei um capuccino (2.000 CLP) e voltamos para o hotel a pé. Isso já era umas 22:00 horas e as ruas estavam muito movimentadas e tranquilas e é claro muito FRIAS

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 2

 

O segundo dia em Santiago foi pesado! Andamos para caramba e saímos do hotel umas 9 horas. Estava uns 4 °C, um frio pesado! Gorro, cachecol, luva, segunda pele e casaco para aguentar! O problema é quando você entra no metro e que esta quentinho e ai tem que tirar o gorro, luva e cachecol. Nesse dia planejei conhecer a parte histórica de (Santiago), a qual você vê tudo em um dia.

 

Fomos até a estação Los Leones e descemos na estação La Moneda. As duas fazem parte da linha vermelha (linha 1) da cidade e no site do metro você consegue ver o tempo que gastará de uma até a outra. Acredito que menos de 15 minutos chegamos lá. Quando descemos na estação eu perguntei para um fiscal do metro qual era a saída para o Palacio la Moneda e ele me disse que era pela direita. Quando saímos andamos uns 2 minutos e demos de frente com os carabineiros vindo da troca da guarda! Foi muito legal ter pego isso de surpresa, uma vez que nem tinha programado e nem sabia quando eles fazem isso. Tiramos várias fotos e esperamos eles passarem até a Plaza de la Ciudadanía.

 

19870858966_01d352dad7_k.jpgCarabineiros Chile by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Feito isso, fomos até essa praça para tirar algumas fotos e ver a imensa bandeira do Chile presente lá.

 

 

19902158401_ffb4488bae_k.jpgPlaza de La Ciudadania by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Depois disso fomos até o Palacio de La Moneda e até a Plaza de la Constituicion que fica nos fundos do Palacio La Moneda. Na Plaza de La Constituicion existem alguns guias de turismo atras de turistas! Vários guias brasileiros e chilenos, então se você esta procurando fazer algum passeio em Santiago certamente encontrará algum deles por lá. Atrás da plaza de la constituicion estava a Calle Agustinas, fomos até ela e viramos para a direita e fomos andando e vendo as casas de câmbio. A cotação já fica em uma placa do lado de fora então nem precisamos parar para perguntar. Vimos que a maior cotação do dia era na AFEX (1 BRL - 184 CLP) então fomos até lá. Fizemos a troca e seguimos adiante pela Agustinas até a Paseo Ahumada. Entramos nessa rua que funciona como um calçadão e tem MUITA gente andando, um verdadeiro formigueiro. Fomos até a Falabela Hombre dar uma olhada nos preços. Lá encontramos coisas de marcas (Nike, Adidas, Under Armour, The North Face e etc...). O preço é menor, mas nada no padrão Miami. Uma camiseta que custa no Brasil uns 150 Reais lá certamente sairá por uns 130. Eu não achei vantagem e procurei produtos de marcas menos "famosas". Comprei uma calça jeans por 10.495 CLP. Feito isso fomos almoçar na lanchonete Dominós presente na Paseo Hamuda. A dominós tem pela cidade inteira e vocês não podem deixar de comer lá. Eles têm cachorro quente, pão com carne picada e salada, pão com hamburguer, pão com filé de frango, pão com wagyu e obviamente você escolhe os recheios já estabelecidos por eles para colocar no tipo de lanche escolhido. Eu comi o "as" que era um pão com carne picada e salada e escolhi um recheio com maionese dominó (MAYO DOMINÓ), palta e tomate e uma cerveja (Kunstmann Torobayo). A cerveja e o sanduíche estavam sensacionais, muito bom e custaram ao todo 5.400 CLP! Tanto é que comi no Dominós outras duas vezes! Minha namorada pediu uma cachorro quente e um suco de framboesa! Espetacular o suco!!! O dela deu uns 3.500 CLP

 

Saímos de lá e o frio estava pesado! Devia estar uns 6 ° C. Passei em um café para comprar um chocolate quente. Fui naqueles café con piernas, o qual as funcionárias trabalham com as pernas de fora. Comprei o chocolate quente por 1.200 CLP e fomos seguindo até a Plaza de Armas. A Plaza de Armas estava lotada! Pulsando de gente, bem como a paseo ahumada. Tireis algumas fotos da Catedral e seguimos para o Museu de Arte Pre Colombina. A plaza de armas tem um lado histórico, mas não achei nada demais por lá. Só fui para conhecer mesmo. Perguntei para um carabineiro como chegava no museu e ele respondeu numa boa. Quando estiverem em Santiago, perguntem para eles qualquer coisa. Em todas as vezes foram muito solícitos e dispostos a ajudar os turistas! A entrada do museu custou 3000 CLP, pois pagamos a entrada para estudante. Nem precisou mostrar a carteirinha, só perguntei se para estudante não era mais barato.

 

 

19709464900_4f8c0a290c_k.jpgPlaza de Armas by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

O museu é bem bacana, muitas peças e muita história. Ficamos pouco tempo nele porque queríamos ir no Zoo dentro do Parque Metropolitano de Santiago. Então ficamos uma hora por lá, olhando as peças. Esse museu é relativamente pequeno. Em duas horas você vê tudo e lê todos os detalhes. Nós apenas ficamos olhando as peças. São várias peças antigas e muito bem preservadas. Parada obrigatória!!!

 

 

19276671133_300d7be38d_k.jpgMuseu de Arte Pre Colombina by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

 

Após sair do hotel nos dirigimos até o parque forestal de Santiago. Eu estava com um mapa que peguei no aeroporto, então ficou muito fácil a locomoção. Olhava no mapa e depois perguntava para um santiaguino como fazia para chegar até lá, só para confirmar. Do museu até o parque foram uns 10 minutos de caminhada. Chegamos no parque forestal e tiramos algumas fotos e pela primeira vez na viagem vimos a cordilheira la no fundo! Com sua imensidão, recheada de neve!

 

19275061964_8e2ee1ca23_k.jpgParque Forestal by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

 

 

Como queríamos ir no Zoo e o mesmo fechava às 17 horas, resolvemos pegar um metro na estação Bellas Artes, perto do parque forestal e descer na estação Baquedano. O plano inicial era ir a pé do parque forestal até o parque metropolitano de Santiago. Descemos na estação Baquedano e fomos a pé ate o parque Metropolitano visitar o Zoo e o Cerro San Cristóbal. O trajeto se dá pela Calle Pio Nono, recheado de bares. No caminho passamos pelo Patio BellaVista, com bons restaurantes e bares! Ao chegar no parque metropolitano depois de uma caminhada de uns 10 minutos pela Pio Nono nos deparamos com uma fila para subir o Cerro pelo Funicular. O preço da subida ida e volta é de 2.000 CLP e você pode fazer isso de caro, se estiver com um. Acho que são 3.000 CLP para subir de carro! Ficamos uma hora naquela fila maldita e quando fomos subir faltava 5 minutos pro Zoo fechar então decidimos subir direto para o Cerro San Cristóbal. Aqui vai uma DICA importante: Quando for visitar o Cerro San Cristóbal deixe para ir no início da manhã. Nos fomos umas 5 horas e Santiago já estava coberta pelo smog e só deu para ver o topo da cordilheira! O resto estava tudo coberto pelo smog. Eu esperava muito mais do Cerro San Cristóbal e queria esperar anoitecer para tirar algumas fotos de Santiago toda iluminada. Porém, o frio estava pesado e já estavamos cansados! Então fomos descendo e paramos para provar o Mote con huesillos. Isso é muito bom, apesar de ser servido geladinho é bem gostoso. Quem for a Santiago não pode deixar de provar, ele é feito com grão de trigo com um pêssego desidratado colocado inteiro junto com uma calda bem rala de pêssego.

 

19871632686_a7c466a64f_k.jpgCerro San Cristóbal by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

Após descermos o Cerro pelo funicular fomos até a estação Baquedano em direção ao restaurante Liguria. O Liguria é um restaurante bem tradicional em Santiago e possui 3 pontos pela cidade. Optamos ir no Liguria Manuel Montt, do lado da estação de Metro Manuel Montt em Providência, por ser o mais bem avaliado no TripAdvisor. Chegamos na estação Manuel Montt e o frio estava foda! Devia estar uns 4 ° C, perguntei como chegava lá e um cara respondeu. O restaurante fica colado na estação Manuel Montt. Chegamos lá e ainda estava bem vazio, era umas 19:00 horas). Mas depois lotou e tinha até fila! Pedi um Merlot que custava 10.900 CLP e um assado de tira que custava 8.200 CLP. Minha namorada pediu uma lasanha por uns 7.000 CLP e um suco de manga 2.900 CLP. A conta toda deu 32.560 CLP já com os 10 % do garçom. O vinho estava excelente e não era o mais caro de lá. O assado de tira estava frio, porém as papas estavam quentes e gostosas! Percebi que em Santiago a carne não vinha muito quente, ao contrário das batatas, que sempre vinham muito quentes! Enfim, estávamos cansados e só queríamos comer. Nem reclamei com o garçom. Após isso, aproveitei o wi-fi para fazer ligação pelo WhatsApp e pedir um táxi pelo Uber. Já era umas 21 horas e estava marcando 2 °C e estávamos muito cansados. Pedi o Uber e rapidinho chegou, a corrida até o hotel deu uns 26 reais. O cara foi dirigindo pelo waze, pelo caminho mais rápido, porém descobri que eu tinha pego um carro com a tarifa mais cara. Depois fui perceber que os "UberX" têm a tarifa mais barata!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 3

 

O terceiro dia em Santiago foi programado para conhecer a viña Undurraga, o Museu dos Direitos Humanos e jantar no restaurante KM 0 em Las Condes. Foi um dia mais tranquilo, não andamos muito igual no dia anterior. O tour pela viña eu reservei pelo e-mail fornecido por eles. Tinha marcado para ir ao meio dia, porém mudei para as 10:15. Eles tem tour em espanhol e inglês, fizemos o tour em espanhol que na verdade é um belo portunhol. O guia fala com calma e você entende tudo.

Resolvemos chegar na viña por conta própria e não gastar uma nota com os transfer. É muito fácil e tranquilo chegar por lá. Partimos do Hotel umas 8:15 e Santiago ainda não tinha amanhecido, estava um frio pesado! Devia estar uns 2 ° C ::Cold:: . Pegamos o metro na estação Los Leones até estação Estacion Central. A estação é longe, acredito que foi uma meia hora até ela. Portanto saia de seu Hotel com no mínimo 2 horas de antecedência. Ao sair da Estacion Central entramos em uma espécie de outra estação a qual possui um shopping popular no térreo. São várias lojas, porém ainda estavam fechadas. Seguimos por essas lojas até o andar superior, o qual funciona uma rodoviária (Terminal San Borja) com várias plataformas. Ali parte ônibus para Vina del Mar, Valparaiso, Temuco, Mendoza, etc.... Fomos até a plataforma de número 75 e pegamos o micro ônibus da FLOTA TALAGANTE. Eles ficam da plataforma 75 até 79. Quando eu cheguei tinha uns 4 por lá, porém só um estava com gente e o motorista já estava ligando o micro ônibus. A passagem é paga na hora para o motorista, pagamos 1.100 CLP por passageiro, avisamos para o motorista parar na Viña Undurraga e esperamos uns 10 minutos até que enchesse o micro ônibus. Do terminal San Borja até a Viña foram uns 50 minutos e o motorista parou em frente ao portão da viña! Chegamos lá faltando uns 15 minutos para começar a visitação. Entramos dentro da recepção e pagamos nossa entrada (9.000 CLP por pessoa) e ficamos esperando na lojinha da viña

 

19894408366_9250acb3d7_b.jpgViña Undurraga by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

As 10:15 o guia nos chamou e demos início a visitação. Ele explicou como seria, deu as primeiras palavras e fomos conhecer a viña. A Undurraga produz anualmente 15 milhões de litros de vinho por ano, contra 200 milhões de litros produzidos pela Concha Y Toro. Escolhemos a Undurraga por ser menos clichê do que a Concha e por ter lido no Mochileiros e no tripadvisor que a visitação na Undurraga é melhor do que na Concha y Toro. A grande diferença, é que a Undurraga coloca seus vinhos bons para degustação, enquanto a Concha coloca os vinhos mais fracos para o público degustar. Enfim, voltando a visitação, passeamos pelo quintal (imenso) da família Undurraga, vimos o local onde as parreiras ficam e seguimos para os tanques de fermentação.

 

19894641446_49a25e40bb_b.jpgViña Undurraga by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

 

Após os tanques, nós entramos onde os vinhos ficam armazenados nos barris de carvalho. Feito isso seguimos até um pequeno museu que eles possuem de peças antigas, iguais as vistas no museu de arte pré colombina. Depois de passar por esse museu fomos para área externa da viña para dar início a degustação! Foram 4 tipos de vinho! Um carmenere, um cabernet sauvignon, um sauvignon blanc e uma uva alemã que não me lembro!

 

19734192979_533e08e907_b.jpgViña Undurraga by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

19894654976_5e820d8603_b.jpgViña Undurraga by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Todos estavam muito deliciosos! Após a degustação voltamos para a lojinha de vinhos e comprei duas garrafas de vinho. Logo em seguida, saímos e fomos esperar o micro onibus da Flota Talagante até o terminal San Borja. Esse ônibus passa em frente a viña e ficamos esperando-o por uns 3 minutos! Passou um, demos sinal, o motorista parou e fomos até o terminal San Borja. A viagem foi de uma hora e esse micro ônibus foi parando em vários lugares. Chegamos ao ponto em que todos descem (não é dentro do terminal), e fomos andando até ele. Para não falar que não é dentro do terminal, o micro ônibus para do lado! Isso já era umas 12:30 h e estávamos morto de fome. Comemos la na praça de alimentação do terminal. Comemos um churrasco a lo pobre (dois bifes, batata frita e ovo frito) e uma sprite de 500 mL por 3.690 CLP. Nós dividimos o prato numa boa, porém achei que ia vir mais comida!

 

Depois de almoçar demos continuação ao roteiro e fomos até a Estacion Central do metro até a estação Quinta Normal. Aqui tivemos que trocar de linha na estação Baquedano. Após chegar na Quinta Normal, subimos as escadas e já vimos o museu dos direitos humanos!

 

19894660326_e038f87824_b.jpgMuseu Direitos Humanos by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Esse museu é muito bom, a história da ditadura no Chile é muito trágica e o museu pretende explorar todos os lados e mostrar para a população as atrocidades cometidas no regime militar no Chile. Saímos do museu umas 17:00 horas e fomos para o hotel descansar pois o jantar no KM 0 estava marcado para ás 22 horas. Porém, ao pegar o metro decidimos descer na estação Tobalaba e ir ao supermercado Jumbo no Costanera Center. Chegamos no shopping e a fome bateu mais alto, então fomos comer no dominós novamente kkkkk. Dessa vez peguei um cachorro quente normal com suco de framboesa. Não me lembro o valor exato, mas não passou de 4.000 CLP. Após comer, fomos até o Jumbo comprar água, chocolates e alguns vinhos. Comprei um litro de água, vários chocolates para trazer ao Brasil, comprem o Sahne-Nuss da nestlé, que só tem no Chile. Esse chocolate é muito bom! Vale a pena!! Também comprei um carmenere gran reserva 2012 (Arauco) por uns 6.000 CLP. No jumbo tinha vinho até por 1.000 CLP. Feito as compras voltamos para o hotel para tomar banho e se arrumar para jantar.

 

 

Nós escolhemos jantar no restaurante KM 0, localizado no luxuoso hotel W em Las Condes, na avenida Isidora Goyenechea. O restaurante impressiona por possuir uma adega de 4 andares. São vários vinhos, para quem curte, lá é o local. Eu escolhi um carmenere Cousino Macul 2013 por 13.000 CLP e uma carne com aspargos e uma espécie de purê por 9.000 CLP. Minha namorada foi de suco de maçã (não lembro o preço) e um salmão que estava muito bom! Nunca comi um salmão tão bom ::otemo:: . O preço estava +- uns 10.000 CLP. Jantamos e ficamos batendo papo por lá e solicitamos um uber para ir ao hotel. A ida também foi pelo Uber. De providência até o restaurante foi uns 11 reais e a volta deu 14 reais. Detalhe: pedi o UberX, que tem a tarifa mais barata!

 

19733075948_d70bf2d79f_k.jpgRestaurante KM 0 by Rodrigo da Silveira, no Flickr

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites


Dia 4

 

A quinta-feira foi um dos melhores dias! Já estava marcado de nós conhecermos o Cajon del Maipo na sexta-feira e ir para El Colorado no sábado. Porém, meu primo e um chileno que fiz amizade no voo falaram para não ir esquiar no sábado porque ia estar lotado. Diante disso, tivemos que mudar a ida para o Cajon del Maipo para a quinta-feira.

O Cajon del Maipo é uma região próxima a Santiago e que possui diversas cidadizinhas, que ao meu ver são pequenos vilarejos. E ao longo dessas cidades existem diversas atividades para serem feitas. Trekking, cavalgadas, observatório lunar e rafting. Também nessa região está localizado o Embalse El Yeso e os Baños Morales. Acho que esses dois pontos são os mais conhecidos dessa região. De início, iríamos conhecer o Embalse El Yeso, porém, depois ficamos sabendo da cavalgada e resolvemos andar a cavalo pela cordilheira nevada.

 

No inicio marcamos de fazer a cavalgada com a fazenda El Añil por 30.000 CLP. Só que tínhamos marcado de ir na sexta-feira. Depois quando eu pedi para mudar o pessoal do rancho el añil não gostou muito da ideia e disse que não teria como fazer. Nesse rancho você também pode se hospedar e fazer outras atividades. Eles respondem o e-mail com rapidez e são muito solícitos

http://www.ranchoelanil.cl/

Outro lugar que eu tinha feito contato antes para saber o preço era a Hacienda Los Castanos. Eles responderam todos e-mails com agilidade e também conversamos pelo WhatsApp com antecedência, porém, até então estava tudo certo de ir com o Rancho El Añil. Essa Hacienda Los Castanos também oferece hospedagem e outras atividades. http://www.haciendaloscastanos.cl/. A cavalgada deles custa 35.000 CLP.

 

Porém, quando nossa programação mudou eu liguei para a Hacienda Los Castanos e conversei com a Josefina. Não entendi nada, e depois pelo WhatsApp conversamos e ela explicou o preço e que daria para fazer na quinta. No Brasil, eu já tinha visto com a Cabalgata Inti. Consegui falar com eles por e-mail em Santiago e marcar para a quinta feira por 18.000 CLP http://www.cabalgatasinti.cl/. Nós escolhemos eles por dois motivos: o preço era muito menor e eles são especializados em cavalgada. Pelo site deles eu pude ver que eles tem cavalgada de todo jeito e como queríamos andar a cavalo na neve, acreditei que com eles iríamos ver a neve. Dito e feito, eles ficam em San Gabriel. Essa cidade é mais distante de Santiago. Mais distante significa = + chance de ver neve. A Hacienda Los Castanos ficava em El Toro, passamos por lá até San Gabriel e estava tudo seco. A cavalgada deles com certeza não seria na neve.

 

Enfim, voltando ao início da história...

 

Acordamos cedo, tinhamos combinados de estar no posto dos carabineros em San Gabriel às 11:00 horas. O problema foi que na quinta-feira foi feriado em Santiago. Tudo fechado, ruas desertas e etc.... Pegamos o metro até estação Puente Alto, essa é a ultima estação do metro da linha 4 ou 5 (não me lembro). Foi meia hora até chegar nela. Para ir para o Cajon del Maipo existe a opção de pegar o micrô onibus da TurMaipo nº 72. Ele vai para San José del Maipo e para San Gabriel (duas cidades dentro do Cajon). O cara da cavalgada falou para nós pegarmos o para San Gabriel na praça da estação Puente Alto. Chegamos nessa estação umas 8:30 e tudo estava deserto, vimos uma parada de ônibus com algumas pessoas e fomos até lá esperar o ônibus da TurMaipo. Passou 5,10,15,20 minutos e nada do ônibus. Então resolvi para um ônibus e perguntar para o motorista qual ônibus iria para o Cajon. Subi no ônibus fiz a pergunta e ele mandou nós entrarmos. Entramos no bus e eles nos deixou em uma rua a uns 300 metros do ponto onde estávamos. Ficamos lá uns 10 minutos até vir um ônibus escrito "TurMaipo nº 72 - San José del Maipo". Fizemos sinal, ele parou e perguntei se iria para San Gabriel (que fica mais a frente de San José). O motora disse que não e o que ia para San Gabriel estava vindo logo atrás. Então, descemos e esperamos esse maldito ônibus que nunca veio! Passou outro micro para San José e então subimos e pensamos "vamos para San José, lá a gente pega um táxi para San Gabriel ou tenta outro ônibus". Foi uns 40 minutos até San José del Maipo, porém era feriado e estava tendo aniversário da cidade. A praça central estava interditada e tinha uma espécie de blitz dos carabineros. TUDO PARADO!!!!

 

19812616049_904324f917_b.jpgSan José del Maipo by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

Chegamos em San José faltando 30 minutos para às 11 horas. O problema era que o amigo da cavalgada ia estar nos esperando nos carabineros de San Gabriel às 11 horas.

 

19973068636_a723714237_b.jpgCalle Del Rio by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

Então, eu fui até a praça para achar um orelhão e ligar para o amigo da cavalgada para dizer que estávamos em San José e que já estaríamos chegando. Ele atendeu e disse que iria nos esperar numa boa. Quando voltamos a rua Del Rio, onde estava passando todos os carros o nosso ônibus tinha acabado de passar! Que raiva kkkkk. Antes disso, eu tinha falado com um dos carabineiros e ele falou para gente relaxar que logo ia passar um táxi. Toda hora passava táxi e nenhum parava! Ficamos uns 20 minutos lá, de repente passou um e uns 3 carabineros mandaram o cara parar! Até achei que era um bandido, de repente um carabineiros nos chama e fala: esse cara vai te levar! Sensacional, a polícia do Chile é foda! Querem te ajudar sempre. Agradeci eles e fomos para San Gabriel por 9.000 CLP (preço já tabelado). Até lá foi uns 20 minutos, passando por belas paisagens e a neve só ia aumentando!

 

19376689994_e9e9b1a458_b.jpgCaminho para San Gabriel by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Chegamos nos carabineros de San Gabriel. A fazenda fica ao lado esquerdo, só atravessar a pista e você chega na fazenda. Não tem placa, só uma porteira de ferro meio verde. O cara da fazenda veio e então fomos até os cavalos! Chegamos lá e já tinha um cara com dois filhos nos esperando. Nos arrumamos e partimos! Muito frio! Não tinha sol nenhum e estava foda. Friaca pesada. A cavalgada foi de três horas! Ida e volta. Começamos por um caminho sem neve, e fomos indo adiante.

 

20004904851_df08f168e2_b.jpgCabalgata por Cajon del Maipo by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

19991942912_d34fb33b0b_b.jpgCabalgata Cajon del Maipo by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Vimos um Condor de perto voando! Sensacional! Depois subimos mais até chegar a parte nevada da cordilheira

 

19823331220_c9dc9a4ff8_b.jpgCondor en los Andes by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

19378871053_cfeddef3a3_b.jpgCabalgata por Cajon del Maipo by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

19999849495_a9c0cb2f3a_b.jpgNosso guia by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

Esse cachorro era uma figura! Ele saiu da fazenda conosco e foi tocando os cavalos junto com o guia

 

19999853035_f2de677892_b.jpgSem título by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Enfim, chegamos no mirante!

 

19986008396_be62434833_k.jpgCajon del Maipo by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

Depois, descemos e foi uma hora até voltar à fazenda!

 

19992210162_b9f913efae_b.jpgCabalgatas Inti by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Na hora de voltar, tínhamos a opção de ligar para o táxi que tinha nos deixado. Ele ia cobrar 25.000 CLP até Puente Alto. Porém, resolvi perguntar para o cara que estava com seus filhos na cavalgada com nós se ele iria voltar para Santiago. Ele disse que sim, e nos deu uma carona! Paramos na estrada para almoçar nesse restaurante que tem uma pousada também! Não me lembro o nome, mas a comida estava boa!

 

19813273489_20674d2bce_b.jpgSem título by Rodrigo da Silveira, no Flickr

 

 

Chegamos na estação Puente Alto umas 19:00 horas, pegamos o metro e fomos até Las Condes encontrar meu primo para combinar o esquema do dia ski! Fim de dia!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Carol.Barbosa94
      Olá, 
      Aqui vou descrever sobre os meus gastos e como foi a minha viagem ao Chile do dia 02 a 10 de Outubro de 2019. Fora da temporada de neve, porém, com uma beleza encantadora.
      Vou deixar meus insta aqui pra quem quiser mais informações: @barbosa_carolin
      Passagens Aérea (ida e volta):
      R$ 709,00 Guarulhos x Santiago
      R$ 239,00 Santiago × Calama
      Companhia SKY Airline (comprei pelo site Maxmilhas). É possível encontrar bem mais barato, mas comprei muito em cima da hora hehe...
       
      Cambio:
      Comprei $25.000 pesos no aeroporto de Santiago, a cotação é ruim, mas é melhor que trocar no Brasil e saiu por 153 pesos por real. Então gastei R$ 170,00 (com uma taxa de $1.043,00 pesos incluso, que é cobrado na casa de câmbio do aeroporto)
       
      A conversão é feita assim: o total de pesos que você precisa dividido pela cotação do dia. 
      Ex: 26.043,00 ÷ 153 = R$ 170,21
      Sugiro trocar no aeroporto só o que for usar para o transfer.
      Transfer Aeroporto x Hostel (ida e Volta)
      De Calama p/ San Pedro leva em média 1h30 de viagem e o transfer é tabelado e custa $20.000 pesos ida e volta com desconto. (Só ida ou volta $12.000)
      Do aeroporto de Santiago até o hostel no centro ida e volta com desconto ficou por $13.320,00 pesos. (Só ida ou volta $7.400)
       
      Total Transfers: R$ 210,00
       
      Hospedagens:
      Em San Pedro de Atacama, fiquei no Tiny Hostel, super limpo e organizado e perto de tudo. 29.300 pesos (R$ 174,40) por 3 dias e meio e não paguei os 19% do IVA porque apresentei o PDI e identidade.
      Em Santiago, fiquei no Hostal Yungay localizado no centro e indicado para quem busca mais tranquilidade a noite. O custo foi bem parecido com de Atacama, porém foram 05 diárias por 29.400 pesos. Devido a diferença de cãmbio o meu gasto foi de R$ 175,60.

      No Total, gastei R$ 350,00 para 08 diárias.
       
      Passeios:
      1° Dia - Valle de la Luna: É um tour maravilhoso, com paisagens incríveis, passando pelas dunas e mais alguns pontos famosos como as 3 Marias. Geralmente feito na parte da tarde e encerra com um lindo pôr do sol. 
      2° Dia - Lagunas de Baltinache: São 7 lagunas simplesmente lindas!!! Fiquei encantada com aquele lugar, pode entrar na primeira e na última Laguna, água extremamente salgada e gelada rsrs... Também encerramos com um pôr do sol maravilhoso.
      A noite fiz o Tour astronômico. Super recomendo. 
      3°  Dia - Piedras Rojas e Lagunas Antiplanicas: Pra quem não sabe, a entrada na Piedras Rojas está fechada, podemos ir apenas até o mirante, mas é um passeio fantástico também, só o caminho até chegar lá já faz valer a pena. Muitas histórias, vegetação, animais. Ainda passamos pela placa de  Capricórnio. Nas Lagunas de Miscanti e Miñiques pudemos ver um pouco mais de perto os vulcões com o mesmo nome. Paisagem que parece uma pintura de tão lindo que é.
      4° Dia - Deixei livre para conhecer um pouco mais de San Pedro e fazer algumas comprinhas de lembrancinhas. No seu dia livre pode alugar uma bike também para desbravar um pouco mais.
       
      Todos os passeios em San Pedro de Atacama ficaram por 87.500 pesos. (R$ 520,00) o pacote fechado com a mesma agência "Tour Connection" que super indico, os guias são maravilhosos. Agora vamos seguir para Santiago onde fiz os passeios com a Agência Bora Pro Chile Br e recomendo muito, excelente atendimento e acompanhamento do inicio ao fim de cada passeio.
       
      5° Dia - Manhã livre no centro, fiz a visita guiada no Palácio de la Moneda agendei Com 1 mês de antecedência e assisti um pedaço da troca de guardas e conheci a Catedral.
      Na parte da tarde fui com a agência na Vinícola Undurraga. É simplesmente linda. 
      6° Dia - Viña Del Mar e Valparaíso. Que lugar lindo, alegre e cheio de Cores e arte. Não deixe de conhecer, é um dos principais passeios.
      7° Dia - Portillo. O passeio mais esperado por  mim. Que paisagem linda do inicio da estrada até a fronteira com a Argentina. Paisagens de quadro. Vale muito a pena conhecer, aquela Laguna del Inca é surreal!!
      8° Dia - Vale Nevado & Farellones Sunset (Esse eu fiz com a agência Morandé) Pra quem assim como eu é apaixonada por montanha e pelo pôr do sol, esse passeio é super recomendado. Mesmo sem neve foi incrível.
       
      Todos os passeios em Santiago ficaram por 105.000 pesos (R$ 600,00) fechando os 3 primeiros com a mesma agencia e o ultimo com uma agencia diferente.
       
      Total com passeios e tickets de entradas R$ 1.120,00
       
      Alimentação:
      A média que estabeleci para refeição foi de 12.000 pesos por dia, mas gastei bem menos. Como alguns passeios oferecem café da manhã, teve outro que oferecia almoço, então acabei economizando. Ao todo gastei R$ 545,00 em refeições. Lá existe os pratos prontos com entrada+prato principal+sobremesa por 4.000 pesos, McDonalds, Subway ou o famoso La Piccola Italia, são opções bem econômicas para comer.
       
       
      GASTO TOTAL DESSA VIAGEM: R$ 3.173,00 







    • Por Wes Bonfante
      Olá, pessoal, saio neste sábado, 13 de julho de Niterói, Rio de Janeiro, em direção a Santiago no Chile de mochilão. Quero descer até Montevideo, visitar Buenos Aires novamente, Mendoza, e seguir até Santiago. Queria chegar em Santiago até dia 22 de julho. Gostaria de dicas diversas, sobre o caminho a percorrer, segurança, banhos, tempo, também aceito ofertas para couchsurfing... Ah, preciso de seguro viagem pra cada lugar? 
    • Por guilherme.hotz
      Olá Mochileiros! Irei em agosto para o Chile e uma das minhas tantas dúvidas era quanto me custaria estar por lá durante uma semana.
      Para tanto fiz um esboço de roteiro que irá contemplar uma diversidade de atividades, que serão alteradas ainda devido à proximidade da viagem, clima na semana e disponibilização do calendário do Campeonato Chileno de Futebol (pois quero ver um jogo).
      Todavia, segue o esboço de forma que outros viajantes tenham uma noção de preços, e o que fazer.
      Fico à disposição para discutir possibilidades, sanar dúvidas e ouvir sugestões.
       
       
      CRONOGRAMA CHILE-1.pdf
    • Por Lizandra Telles
      Roteiros para Viajantes é um blog de viagens, principalmente para encorajar mulheres a viajarem sozinhas e acreditam que tudo vai ser muito complicado.
      Estudos mostram que mulheres preferem viajar sozinhas pela independência e liberdade. Organizando o seu próprio roteiro, tendo a possibilidade de conhecer novas pessoas e ter experiências únicas.
      Geralmente, as mulheres que viajam sozinhas acabam tendo uma autoconfiança melhor de si, mesmo com alguns medos, elas tentam enfrentá-los, mostrando que sempre é possível buscar seus objetivos. Veja também o infográfico: [Infográfico] Mulher Viajante: Não tenha medo de viajar sozinha.
      Minha missão é incentivar as mulheres a viajarem, mesmo sem companhia. Mostrando que viajar sozinha e planejar sua viagem melhora a autoestima, confiança, a saúde mental e até mesmo a depressão.
      Roteiros para Viajantes pode ajudá-la a planejar sua viagem de forma mais prática e fácil.
      Saiba mais: https://www.roteirosparaviajantes.com.br/
    • Por Rezzende
      Hola mochileiros, tô aí pra mais um relato, uma viagem diferente das que tenho feito ultimamente, menos corrida, com mais dias pra relaxar e menos coisas pra fazer.
      Seguindo minha filosofia, depois de ter percorrido um pouquinho do Brasil, sigo agora percorrendo a América do Sul e o país da vez é o Chile
       
      Primeiro falando de câmbio, levei só reais, porque como tem muito brasileiro lá (e chileno aqui) é uma moeda bem aceita. Ao menos em Santiago hehe
      Cartão de crédito não tava compensando muito, levei 2 pro caso de emergência (quase precisei apelar pra todos), cartão de débito idem
      Câmbio no aeroporto: 1 real=173 pesos
      Câmbio na Calle Agustinas = 180 a 185 pesos
       
      Domingo, 18 de março de 2018
       
      Dia só pra chegada mesmo, ao contrário de outras viagens que já saio do aeroporto batendo perna, dessa vez cheguei pouco depois das 4 da manhã, fiz um câmbio pequeno no aeroporto porque além do câmbio ruim ainda tinha uma taxa de 860 pesos, 100 reais deram pouco mais de 16 mil pesos, só pro primeiro dia mesmo.
      Esperei amanhecer, ainda era horário de verão no Chile então o horário era o mesmo do Brasil mas só clareava 07:45 da manhã.
      Pra ir do aeroporto pra cidade o modo mais barato é o modo mochileiro mesmo, pegando um busão da Turbus ou Centropuerto, que ambos são 1800 pesos. Desce no metrô, a primeira onde eles passam e onde eu desci e recomendo descer é Pajaritos. Comprei a Tarjeta Bip, que você usa no metrô e nos ônibus, o cartão custa 1550 pesos, você vai recarregando conforme usa e no fim traz como souvenir de viagem. O preço da passagem varia de acordo com o horário, alto, normal ou baixo, sempre peguei no horário normal que é 680 pesos. Já to juntando vários cartões de transporte público pelo mundo: Florianópolis, Bogotá, Santiago, Valparaíso….
      O resto do dia foi por conta de ficar a toa no hostel, socializando e experimentando o Terremoto, bebida típica chilena com sorvete de abacaxi, Fernet e um tipo de vinho branco doce, bebida bem doce mesmo, dessas q você vai bebendo e quando vê já tá chapado 
      O hostel que fiquei foi o Providência Hostel, perto do metrô Baquedano e do Parque Bustamante, bem localizado, fácil pra pegar metrô, e de metrô você vai pra qualquer canto em Santiago. Hostel bom, bar com uma hora de bebida gratis no happy hour, não tem festas, só distribui pulseiras pras festas nas redondezas e as redondezas também tem muito barzinho. Café da manhã tem bastante coisa, prédio tem 5 andares, hostel enorme.
       
      Segunda, 19 de março de 2018

      Fui primeiro no centro fazer câmbio, tem um trechinho na calle Agustinas que concentra várias casas de câmbio e aí é só olhar onde tá o melhor preço. Nesse dia tava de 180 a 184 pesos, depois passei de novo na quinta e tava de 182 a 185 pesos por real.
      Dei uma volta na Praça de Armas, Catedral, fiz o free walking que sai em frente a catedral às 15 horas e percorre um trechinho bacana, Câmara dos Deputados, La Moneda, entrada do Cerro Santa Lúcia, Barrio Lastarria, BellaVista e termina no Museu La Chascona, uma das casas de Neruda. Sempre gosto de fazer free walking onde tem, é uma forma boa de ver a cidade



       
      *Momento perrengue   essa é pra você q viaja sem seguro
      De noite no hostel, caí no banheiro e dei 2 cortes fundos no pé. Tentei ligar no telefone do seguro mas não consegui falar, na recepção do hostel tb não conseguiram falar. Fiz um curativo de qualquer jeito com o kit de primeiros socorros do hostel e fui num posto de saude ali perto mas tava um caos lá, saúde pública no Chile me pareceu horrível. A mulher com cara de tédio me disse que não faziam curativos e me deu um endereço pra ir. Chamei um Uber e fui. O tal lugar lá era tipo um hospital geral e de cara já tinha uma galera revoltada lá e uns funcionários dizendo que os médicos estavam todos envolvidos em salvar uma vida de uma pessoa que tinha dado entrada lá em risco de morte e que todos deviam procurar outros lugares pra atendimento ou esperar ali a perder de vista. No meio daquele tumulto humildemente perguntei uma mulher se dava pra fazer um curativo no meu pé. A mulher só virou com aquele doce olhar de fuzilamento e disse: No hacemos curaciones!! Ali definitivamente não tava legal. Sem wifi e internet, sem saber bem onde estava, saí pra rua e parei o primeiro táxi que vi. Falei pro taxista me indicar uma clinica onde pudesse tratar do meu pé. O jeito era o plano B, pagar pelo atendimento e pedir reembolso do seguro depois. Ele me levou numa clínica que me pediu um caução de 200 mil pesos 😳 Sem chance!!! Peguei outro táxi e esse me falou da Clinica Santa Maria e fomos pra lá. Ao menos o caução era só o passaporte. Clínica super top, descobri depois que era lá que os presidentes e celebridades chilenas se tratavam😬 Tipo um Sírio-Libanês de Santiago. Morri uma nota lá pra consulta, radiografia e dar pontos. Sério que essa brincadeira ficou em mais de 3 mil reais!!  Fiquei sem limite no cartão de crédito pra pagar e mandei um chat pro Nubank que na hora alterou meu limite em caráter de emergência pra eu poder pagar a conta e salvou minha pele. Nubank brilhando sempre. Agora já juntei a papelada e mandei a conta pro seguro reembolsar. A gente as vezes não faz seguro mas uma coisa dessas pode acontecer a qualquer momento! Paguei pouco mais de 80 reais no seguro e precisei usar, se eu não tivesse olha aí o preju!!! Interessante que nas outras viagens eu sempre fazia seguro pensando que eu fazia muita trilha, deslocava muito entre cidades e estaria mais suscetível a acidentes. Dessa vez como ia ser uma trip mais urbana, até chegou a passar pela minha cabeça em não fazer seguro e olha que justamente dessa vez que eu precisei. Uma bobeira qualquer e olha o que acontece… pense bem em arriscar viajar sem seguro, olha só a treta que passou comigo
      Pé com pontos e enfaixado 
       
      Terça, 20 de março de 2018
       
      A viagem não pode parar por causa de um pé machucado. Não tava atrapalhando pra andar pois os 2 cortes foram no peito do pé, mas resolvi pegar um dia ainda mais light e fui conhecer os museus, porque aí andava menos. Fui primeiro no Museu Nacional na Plaza de Armas, que é grátis. Todos os museus que estiver escrito Museu Nacional de alguma coisa, é grátis. Se é Nacional é grátis. Dos museus pagos só fui no Museu Pre Colombino, que custa 6000 pesos e pra mim foi o mais interessante, com alguns espaços interativos. Peguei o metrô e desci na Quinta Normal onde tem o museu de história natural e o museu de direitos humanos, ambos muito bons também, principalmente o de direitos humanos, retratando o período de ditadura.

      Voltei pro hostel pois tinha combinado com uma amiga de dar um rolê na cidade. Se você ler meu relato da Patagônia, vai ver lá no final que quando passei em Buenos Aires conheci uma chilena no hostel, a Lore, e mantemos contato. Avisei ela que estava no Chile e ela marcou de me buscar no hostel depois do trabalho. Pedi pra ela um lugar legal pra ver o por do sol e ela me levou pra um lugar fora da rota turística onde só se vai de carro, chama La Piramide e tem uma vista sensacional. Depois fomos pra casa dela em Lo Barnechea onde conheci o resto da família dela, o marido e os filhos. A cidade vista com ajuda de um local é outra coisa né


      Quarta, 21 de março de 2018
       
      Fui fazer passeio na vinícola Concha y Toro. Fui com o Vitor de Curitiba que tava no meu quarto do hostel. Dá pra ir fácil de transporte público, vai de metrô até Puente Alto e de lá pega o ônibus M74 por mais 700 pesos que paga o motorista em dinheiro, esse não é na Bip e que te deixa na porta da vinícola. Fizemos o tour em espanhol mas lá tem mais horários de tour em português por causa da absurda quantidade de brasileiro que tem lá. Aliás em Santiago toda. De todas as (ainda poucas) viagens internacionais que fiz, no Chile foi onde vi mais brasileiros. Não esperava muito de um passeio em vinícola, mas curti, o lugar é muito bonito, tranquilo, bucólico, provei umas uvas, uns vinhos, trouxe a taça que eles dão de “brinde”, são 16 mil pesos essa brincadeira  achei um país muito caro, quase empatando com o Uruguai no quesito careza  pra voltar a mesma coisa, busão até o metrô.





      Passei no hostel, tomei um banho e saí de novo, agora fui sozinho porque o Vitor não animou de pagar pra fazer o que eu ia fazer…subir o Sky Costanera, maior prédio da América do Sul, 300 metros de altura, prédio imponente e bonito e que cobra 15mil pesos pra subir. É caro mas tentei abstrair do preço e pensar que eu tava lá, tinha vontade de ir e que as vezes devo dar prioridade pra satisfazer meus desejos. No elevador, só brasileiros. Elevador muito rápido, dá até pra sentir a pressão no ouvido tanto na subida como na descida. Subi umas 18:30 pra pegar o final da tarde, o por do sol e depois a cidade já iluminada. Desci as 21 horas e acho q essa é a melhor opção pra aproveitar seu dinheiro gasto vendo a cidade de dia, escurecendo e de noite.




       


×
×
  • Criar Novo...