Ir para conteúdo
Mochileiros.com
Ronaldopxo

Torres del Paine - Março de 2016.

Posts Recomendados

Ronaldopxo    0

O caminho até o Parque.

 

Torres del Paine estava nos planos há alguns anos. Abriu-se uma possibilidade para esse início de ano e pensei "é agora".

Primeiramente pensei em ir em fevereiro, mas não deu certo. Ficou então para março. Acompanhei a previsão do tempo pelo accuweather e vi uma janela de tempo bom entre 10 e 25 de março. Com pouca previsão de chuva. Comprei as passagens, ajeitei o material de trekking e fiquei esperando o dia.

 

A princípio a idéia era fazer o circuito completo, começando pela Laguna Amarga, Serón, Dickson, etc. Deixando as Torres para o último dia. Mas como tinha lido que se chegasse lá e o tempo estivesse aberto era melhor já subir até as Torres no primeiro dia, porque talvez no último dia não encontrasse o tempo aberto, decidi deixar essa opção em aberto.

 

Sairia de Maringá, no dia 10-03 às 06:25h para São Paulo. às 19:00h de São Paulo para Santiago e às 02:00h de Santiago para Punta Arenas.

Já começou errado. Acordei às 04 horas da manhã e ainda consegui perder o avião. Não por culpa minha e sim de quem iria me dar carona até o aeroporto que perdeu a hora. Tentei de tudo para embarcar e não consegui. Voltei para casa, entrei em contato com a turma do Smiles e consegui remarcar para o meio dia. Só que iria para Congonhas e não para Guarulhos. Tive que encaixar um transfer até Guarulhos, mas no final foi tudo bem. Nessa viagem aprendi uma coisa, não adianta muito ficar se preocupando porque no final tudo vai dar certo.

 

Cheguei em Punta Arenas às 05:30h do dia 11-03 e peguei um táxi do aeroporto até a sede da Bus Sur e de lá saí às 07:00h, com destino a Puerto Natales. Cheguei em Natales por volta de 10:00 e saí para comprar algumas coisas que faltavam. Comida para os dias no Parque e gás de cozinha. Tive a oportunidade de conhecer um casal de irmãos chilenos que fariam o "W" e começariam pelas Torres. Decidimos que subiríamos até o campamento Base Torres juntos e na sexta feira, 12-03, madrugaríamos para subir até as Torres para o nascer do sol. Comprei o que precisava e fiquei moscando pela cidade até a hora de pegar o busão para o parque, que sairia de Natales às 14:30h (buses Gomes). Deu tempo de dar uma boa pernada pela cidade.

 

Chegamos no Parque próximo das 17:00h, ainda com sol alto. O planejado corria bem até que na sede da Laguna Amarga nos disseram que o campamento base Torres estava lotado e não seria possível dormir lá nessa noite. Ainda pensei em dar um migué e subir, mas uma guarda parque me disse que me fariam voltar. O grupo que eu tinha com os chilenos acabou aí. Eles rumaram para iniciar o W pelo outro extremo e eu decidi ir para o campamento Las Torres, pernoitar lá e no dia seguinte subir até às Torres. O nascer do sol nas Torres já era.

598d9e0574720_Lacreparamochila.jpg.3a8a0cc1113851a7cc695bb820a6eac1.jpgDSC02696.JPG[/attachment]

A paisagem muito bonita, mais até do que eu imaginava, tornou o caminho tranquilo. Passei pelo campamento Chileno, que estava "fechado" (mais ou menos, só estava aberto para quem tinha reserva prévia e para o Refúgio) parei um pouco para conhecê-lo, depois passei direto pelo campamento Base Torres. Nessa subida passei por muita gente que descia, indicando que o base Torres estava realmente lotado. Também encontrei o primeiro brasileiro, um cara de Londrina, mas que morava em São Paulo e só ficaria no Parque esse dia, fazendo a subida às Torres e retornando porque no dia seguinte iria para El Calafate. Infelizmente ele abriu o bico e não terminou a subida.

Às 11:45 eu estava em frente às Torres del Paine. Que maravilha, que sensação boa. Quando você tem a oportunidade de estar em um lugar que você sonhava, com um dia lindo como estava, é demais. Tudo que eu fazia era admirar toda aquela beleza e agradecer à vida por ter me dado essa oportunidade.canastra.zipDSC02788.JPG[/attachment]

Às 19:45 eu estava chegando ao campamento Serón, lugar do segundo pernoite. Ventava bastante. Ainda havia um bom período de luz e tive tempo de armar a barraca, trocar uma idéia com o responsável pelo campamento para depois tomar um banho quente e preparar o rango.

Eu tinha percorrido 37 Km nesse dia e achei que merecia um presente. Comprei uma coca lata para acompanhar o rango que teve miojo e atum. Nessa noite conheci o Sebastian e mais duas moças também chilenas.

 

 

 

Segundo dia em Torres del Paine.

13-03-2016. Domingo.

 

Tinha ventado prá caramba durante a noite. Apesar disso não tinha feito tanto frio e eu que tinha começado a noite com duas blusas terminei dormindo só de cueca e camisa e não passei frio. Acordei meio tarde, fui preparar o café da manhá e lá encontrei de novo o Sebastian e conheci um americano, Johnatan, cara bem maluco. Legal, mas maluco.

Depois de desmontar acampamento, saí às 11:40 rumo ao campamento Dickson, que seria local do segundo pernoite. Eu tinha levado uma garrafinha plástica de 500 ml para água e mais um Gatorade de 750ml. Não é que esqueci a garrafinha no Serón. Só eu mesmo. Dali prá frente ia ser só a garrafinha de Gatorade, mas ela seria suficiente.itinerario_trem.jpg.b0fb2972819bf56190f014d9fa7c0047.jpgDSC02877.JPG[/attachment]

Depois de conversar com um guarda-parques por um bom tempo, fui montar o acampamento e depois passear na beira do lago Dickson por outro bom tempo. O clima começou a ficar mais frio e voltei para o camping para tomar banho e preparar a janta, que nesse camping é feita ao ar livre, em mesas de madeira, na companhia do vento e dos pernilongos, que felizmente não eram muitos.

Nessa tarde-noite conheci dois americanos, o Wess, de 80 anos, que estava fazendo o circuito completo, carregando mochila e tudo mais e dormindo numa barraca Marmot bem mais estreita que a minha. Depois fiquei sabendo que o Sebastian era quem carregava, montava e desmontava sua barraca, além de preparar o rango. Mas isso não tira o mérito de um senhor de 80 anos, sozinho numa aventura dessa. Além dele conheci o Max, que não carregava barraca. Ele utilizava uma Tarp que ele montava utilizando os dois bastões de trekking. Segundo ele, o vento não tinha sido problema. Ele dormia num saco de dormir colocado dentro de um mosquiteiro.

DSC02891.JPG.ed62c9348572efee33dd2ae9c20c52ab.JPG

À noite eu fiquei, como nas duas noites anteriores, obesrvando o céu dessa parte do Globo terrestre. Parece que aqui tem mais estrelas que em qualquer lugar do mundo. Lembro que no Pico Paraná também tive essa experiência. O céu noturno é um espetáculo a parte.

O chuveiro quente, o rango quente e o cansaço dos 20,6 Km percorridos nesse dia, fizeram com que eu dormisse logo e tivesse uma ótima noite de sono.

DSC03624.JPG.9876a4dd1c8c24a830a70de3d810ccbe.JPG

DSC02685.JPG.c4b16ce3ea5bf3a59dd6719264e4b255.JPG

DSC02696.JPG.d8807a453eb40a6905f870d54612153f.JPG

DSC02751.JPG.4ca842673edb920c0ceb2b88306a1503.JPG

DSC02788.JPG.fea98f8fea304f2650bedb66a8fc2d5a.JPG

DSC02824.JPG.c9bc9a0c0832d738e4affbea5ea20259.JPG

DSC02841.JPG.ab551dafc9bf39a78ee2f7d3e40c2ea3.JPG

DSC02877.JPG.3fbce3e67049da2c9df29d94c4b89fe4.JPG

Editado por Visitante

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ronaldopxo    0

Terceiro dia em Torres del Paine.

14-03-016. Segunda-feira.

EstradaManut.zipDSC03031.JPG[/attachment]

Depois de deixar o Glaciar segui rumo ao campamento Los Perros.

Para completar o dia, o acampamento Los Perros, do qual muitas reclamações tinha lido na internet,mas que para mim foi a melhor noite de todas. Noite bem dormida, tranquila. E a área de cozinha, a melhor de todas.

A janta com todo mundo se reunindo na área de cozinha que é fechada e aquecida por um fogãozão a lenha. As conversas em uma mistura de idiomas. Os vários temperos e incrementos que cada um usava no seu miojo.

canastra.zipDSC03154.JPG[/attachment]

Depois de mais ou menos uma hora, fazendo um lanchinho, descansando e admirando aquilo tudo, desci em direção ao campamento Grey, sempre tendo como companhia o Glaciar Grey. itinerario_trem.jpg.b0fb2972819bf56190f014d9fa7c0047.jpg

Nesse trecho eu consegui perder a minha sacola de comida. Só eu mesmo. Só dei conta quando cheguei no acampamento e fui montar a barraca.Já voltava procurar a bendita, quase escurecendo, quando encontrei um polonês, santo Jan, que havia encontrado a preciosa. O universo de vez em quando dá uma mãozinha prá gente.

O campamento Grey estava lotado de barracas. Essa parte do circuito é bem mais movimentada e aparecem muitos "turistas" com suas roupas de aventura de grife, quase que engomadas. É um tanto quanto diferente do que vira até então

A noite desse dia também foi bem legal. Área de cozinha fechada. Só que eu estava bem mais cansado. Voltei a encontrar o Hanz e o Max, que também tinham seguido até aqui, só que não nos falamos muito. Porém deu para trocar uma ideia com um grupo de chilenos até umas horas. Eles me convenceram a desistir de uma idéia que eu estava matutando, que era fazer um bate-volta rápido até El Calafate.

Saímos de lá as luzes da cozinha já estavam apagadas. Já eram mais de 23:00 horas e ainda tinha gente cozinhando e conversando. Só que aí só na base das lanternas. Rolou até uma cervejinha para terminar o dia.

Dormi que nem uma pedra.

DSC02959.JPG.13ca0ecb6bd2a923af00f8dd57853bc2.JPG

DSC03031.JPG.a343e9ae052c77770b6b467d7980f8f7.JPG

DSC03058.JPG.52ea539ac74e1ffa4d132d7fb187eb76.JPG

DSC03154.JPG.1246ee501623ec06de9f13d613b998f3.JPG

DSC03238.JPG.d8af6829d36887ec97fc97bb6f266ce4.JPG

DSC03248.JPG.858a9af50eb08e5fffc30e8a4221ce4d.JPG

DSC03253.JPG.49d5f346ea3848c456dc0bf64ae1c35d.JPG

DSC03273.JPG.31dd456a19338963dbad8cfa2f605b2b.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ronaldopxo    0

Quinto dia em Torres del Paine.

16-03-2016. Quarta-feira.

 

A intenção inicial era seguir até o campamento Italiano, pernoitar lá e no dia seguinte subir o Vale Francês. Só que ao chegar ao Italiano veio a surpresa. Estavam com problemas nos "banheiros" e não seria possível acampar por lá. Teríamos que seguir até o campamento Francês.

Quando você já andou por mais de 7 ou 8 horas, com uma mochila nada leve nas costas e se vê forçado a caminhar por mais 30 minutos, você fica meio desapontado, mesmo que essa caminhada tenha sido por paisagens lindas.fer.jpg.52d6c96fbba4cfdd0658b7e91e770622.jpg

 

 

 

Depois disso fiquei uns dias em Natales e Punta Arenas, incluindo uma ida à Ilha dos Pinguins.

 

As lembranças de Torres del Paine ainda estão muito presentes. Mesmo depois de 6 meses.

 

Fica uma lição de que não é preciso se preocupar demais, planejar demais. É claro que é necessário um planejamento, mas se alguma coisa sair do planejado não precisa esquentar demais. No fim das contas as forças boas do universo conspiram para que tudo dê certo. É só não querer demais da vida, olhar o lado bom das coisas e acreditar. No final tudo dá certo.

DSC03360.JPG.75ab530f0991bf6a682b6e4071f34170.JPG

DSC03370.JPG.948d64671fd7a14663c7b8dc32160f5d.JPG

DSC03382.JPG.1b191e49c0eb356a10e1c602aa7bb274.JPG

DSC03489.JPG.6ea2a74080e450743732a382081a74cf.JPG

DSC03506.JPG.1abe8b9f84e41b5dcf9614fdb8da949f.JPG

DSC03526.JPG.c8c819617650c248b6a0019702edeafb.JPG

DSC03626.JPG.314609b0e8946554007c432f6700e980.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×