Ir para conteúdo

Posts Recomendados

Essa viagem foi há muito tempo em uma galáxia distante, rsrsrs. Somente agora estou colocando as lembranças aqui no mochileiros. Bem, para mim foi muito especial essa viagem, porque tinha sido apenas minha segunda viagem internacional depois de uma para a Europa e nessa viagem à Patagonia de 30 dias descobri qual é o meu estilo de viagem e quais seriam os meus próximos destinos, a viagem para a Europa tinha sido legal também, mas nada como ir para um lugar em que a Natureza dá espetáculo e te deixa boquiaberto. Aqui irei falar apenas de uma pequena parte da viagem entre a patagônia argentina e chilena: a trilha em Torres del Paine, então, vamos lá !!!!

Nunca tinha feito trilha antes, nem acampado, nem nada de nada, mas resolvi fazer esse negócio, rsrrss, e assim foi. Tudo começa em Puerto Natales a cidade base para quem quer ir para Torres. Cheguei lá em novembro de 2008 e tava um frio danado, e no início da temporada o que de certa forma é bom, bem menos gente na trilha, mas é um pouco mais frio. A temporada alta lá é a partir de dezembro. A ideia em Puerto Natales era gastar um dia procurando equipamento e no outro ir para o parque, mas não foi bem assim, fiquei dois para alugar o equipamento, ahhh não tinha nada, e outro para comprar comida, não tinha menor ideia do que comprar, mas aí já abro um parêntese para dica sobre isso (pão, miojo uns 7 pacotes, queijo, presunto, doces, e outras pequenas coisas como amendoas e etc) e foi só isso que comprei, acreditei que com o frio o queijo e o presunto não iria apodrecer e o pão não mofar. Graças a Deus deu certo, rsrs. Cuidado com a quantidade de coisa que comprar, porque é difícil carregar muita coisa e não esqueça que vc vai ter que caminhar muito com tudo isso. Se não tiver sozinho como eu, pode dividir, mas sozinho é osso ter que levar barraca e toda comida. Ok comprei tudo e aluguei a barraca, saco de dormir e etc. Dica: cheque tudo, pois eu não chequei e tive problemas logo com o saco de dormir, putz. 

Certo, tudo pronto, agora era hora de partir e aí refuguei, kkkkkkkk, quando acordei de manhã para ir pegar o ônibus tava um frio danado e aí inventei que o tempo não tava bom naquele dia e etc e bla bla, mas na verdade foi medo mesmo rsrsrrsrs, sou de Brasília nunca peguei um frio menor de 8º, tinha somente ido à Europa na primavera, tava morrendo de medo de morrer congelado e ainda ia acampar kkkkk, foi foda, mas no outro dia, sem desculpas, me arrumei e fui, pensando ainda, o que que eu to fazendo aqui? ( galera que já faz trilha, relaxa, tô só colocando minha visão na época de quem nunca tinha feito nada de nada, o medo era o desconhecido para mim, mas a trilha é tranquilízima) Então, assim fui no ônibus que sai de Puerto Natales e leva as pessoas para o parque. A vista na estra já é surreal. Aqui vai um detalhe, eu fiz o W ao contrário do que as pessoas geralmente fazem, então desci na última parada do ônibus e fui para o Refugio Paine Grande de barco, na época eu nem sei porque eu fiz isso, mas foi a melhor escolha, adorei, porque assim você conhece as torres no último dia, como a cereja do bolo. Ahhh e só mais uma explicação: o W que estou me referindo é um circuito de trilha no parque Torres del Paine que se vc ver o desenho parece um W, feito geralmente em 5 dias. Aqui vou só relatar minha experiência, mas no google há muitas informações detalhadas sobre esse circuito, com mapas e etc.

refugios-circuito-w-torres-paine-denomades.png.d6162cf70086de4927f626455da51336.png

 

Primeiro dia

Beleza, peguei o barco e fui para o camping chamado Refugio Paine Grande, a viagem no barco é muito massa logo de cara vc ver as montanhas, lindas, brancas, a cor do lago com seu azul top, e o ventão, aí vc já ver o que te espera, foi uma sensação e tanto, principalemnte para mim que nunca tinha nem sequer visto uma montanha gelada, tudo muito novo, e mais um detalhe não tinha pesquisado muito, nem sabia como seria o camping, se era no meio do nada ou não e etc, eu tava preparado para camping selvagem, mas aqui já dou um spoiler, em todo o circuito só fiz uma noite de camping selvagem, embora nos que não eram eu não usei nada do camping, pois estava com minha comida e equipamento, então comia o que tinha e etc.

SDC10584.thumb.JPG.7bfbc866656c275d72ccda605b0750c8.JPG

 

 

SDC10583.thumb.JPG.bc73c8bb14b6c7ec87de2ffa04fdc001.JPG

SDC10597.thumb.JPG.df62458c957b4eabd48a8d04f3711b01.JPG

 

 

Quando o barco me deixou, foi só chegar montar a barraca e admirar a beleza do lugar, incrível que iria dormir ali, essa noite era na parte de trás de um hotel de montanha de luxo a beira do lago e que eu não tinha coragem nem de entrar lá, rsrsrrs, a noite foi massa, fria, mas quando pela primeira vez na vida entrei em um saco de dormir, descobri que dentro do saco realmente não faz frio, o problema foi só o vento e a chuva leve, passei a noite toda rezando com medo do vento que era realmente forte, parecia que iria levar tudo, com aquele forte barulho de vento que parecia trovão, isso aconteceu em todas as noites. Os ventos da patagônia são impressionantes.

SDC10585.thumb.JPG.6869a6fbbd13e1dc3f5b22e6c60d9575.JPG

Quando acordei segui meu roteiro, comi meu pão com queijo e presunto e fui trilhar com um outro sanduiche para comer na trilha. A ideia hoje era ir até a geleira grey. Nunca vou esquecer esse dia em que tive a experiência de passar por vários climas diferentes em um mesmo dia: saí com sol e estava um pouco quente, depois  fechou tudo e fez frio, choveu leve e para finalizar nevou forte a ponto de me deixar todo branco parecendo um boneco de neve, e, para variar, depois fez sol, kkkkkkkk, o clima da patagonia é muito Louco.  Isso foi uma das coisas que mais gostei. Outra coisa sensacional é a surpresa, lembro que estava caminhando subindo olhando para baixo, com o lago do meu lado e quando fiz uma curva na trilha, como uma esquina, levei um forte vento na minha cara e uma mostruosidade branca apareceu na minha frente. Ali estava ela a geleira, pela primeira vez na minha vida tinha visto uma, foi incrível, fiquei um tempão ali comemorando sozinho e vendo aquilo, imagina para quem mal conhecia o mundo ver aquele negócio soprando vento com força para o lago. Foi Animal. E assim continuei caminhando em direção a ela com icerbergs flutuando no lago ao meu lado, porque vc sempre caminha com o lago do lado. Cheguei na geleira tirei um monte de fotos, comi meu pãozinho e acelerei para voltar porque o tempo ficou feio bem rápido, como sempre, rsrsrs, aí foi só voltar feliz da vida e vendo as mudanças de tempo que nesse dia foi sensacional. Para quem quer ir: relaxa que as trilhas são bem marcadas, vc não se perde, tem muita gente caminhando e leve roupas impermeáveis, o tempo é louco!!!!!

SDC10589.thumb.JPG.d2119a85981c83ed502679ec201407b4.JPG

SDC10603.thumb.JPG.58e61dfd74e210201ce4ebf5f78734c3.JPG

SDC10604.thumb.JPG.34683d023640e935a5c267c9ee17838b.JPG

SDC10606.thumb.JPG.5b7e846f654c398a561b58c52516382f.JPG

SDC10611.thumb.JPG.1dfad968ec12747a1fac6e519cb84755.JPG

SDC10613.thumb.JPG.1c81dbdf66eeab91c15ab8f14c022e00.JPG

SDC10618.thumb.JPG.c679d02e6577b3ba014a31acd008a65b.JPG

 

SDC10610.JPG

SDC10616.JPG

SDC10617.JPG

SDC10619.JPG

SDC10620.JPG

SDC10622.JPG

 

Segundo dia

E ae!!! Vamos para o segundo dia: 

Depois de uma noite foda que passei ela toda rezando com medo do vento e do frio, kkkk nunca tinha visto isso, o vento a noite fazia som de trovão e maior friaca, mas graças a Deus sobrevivi e acordei com um dia chuvoso não muito bonito, mas fazer o que tinha que seguir viagem. Levantei acampamento e segui caminhando com chuva leve e sem capa de chuva, só tinha para a mochila, mas mesmo com chuva ainda assim a paisagem era bonita, segui a trilha com poucas pessoas que encontrava no caminho.

SDC10624.thumb.JPG.d996412976aa4e2fd0b34212046c7a9d.JPG

SDC10629.thumb.JPG.7ee5f0cff7115cfa104c90688ce3e7d6.JPG

O plano era acampar no acampamento dos italianos e no mesmo dia ir até o acampamento dos britânicos para tirar fotos (é uma bela de uma subida que te leva para um ponto alto, bacana para fotos), mas aí fiz uma besteira. Isso que é bom de ler relatos, para não cometer as mesmas burrices de alguém que já fez kkkkkk. Então, cheguei rápido no acampamento dos italianos e o tempo estava chuvoso não dava nem vontade de parar para acampar e olhando para frente na direção do refúgio dos cuernos parecia que o tempo estava melhor, aí pensei que indo para lá que PARECIA perto eu iria adiantar meu passeio e no outro dia podia voltar sem mochila para ir até o acampamento britânico e tirar minhas fotos.

SDC10641.thumb.JPG.e7667f5c222e64a45f3ed8f1287a44df.JPG

Grande engano hahhahaha, o que parecia próximo no mapa na verdade não era, pois a trilha ficava bem mais difícil para andar com subidas e descidas inclinadas aí perdi maior tempo para chegar no Refugio dos Cuernos e quando cheguei estava morto só deu tempo de armar a barraca, comer o miojo e cair no sono. Lembro que nesse acampamento tem um hotel de luxo próximo e que eles deixam vc usar o banheiro, quase morri de inveja ao ver as pessoas chiques bebendo vinho com lareira e apreciando a vista das montanhas  hahaaha e eu ia dormir lá fora, molhado da chuva, bota encharcada de lama e um miojozinho. O bom foi que dormi rápido, mas o vento a noite toda é impressionante.

SDC10635.thumb.JPG.2020802d8032934457aa7947424f1326.JPG

SDC10643.thumb.JPG.7043550ac770fc25a97bf9dcdbbbd49e.JPG

SDC10649.thumb.JPG.c73de771daeec237411a40152ffdc5e5.JPG

SDC10653.thumb.JPG.21b9ec46ac0f68b0be02c7f22549595d.JPG

 

Antes que eu esqueça, fiz burrice, o certo é ficar no acampamento dos italianos e ir sem mochila para o britânico (olhando o mapa fica mais fácil de entender) o curvelo deixa para o outro dia. Aí seguindo minha burrice vem o terceiro dia:

Terceiro dia 

Acordei 9:00 porque estava morto do dia anterior, mas hoje tinha que ir até o acampamento britânico, mal sabia o que me esperava. Esse dia o bicho pegou, achei que não seria tão ruim por estar sem mochila, mas não foi bem assim não. Segui rápido para o acampamento dos italianos passando pela mesma trilha que ficou um pouco mais fácil sem mochila, mas ainda deu um pouco de trabalho, porém o dia estava bonito e tirei várias fotos das montanhas, andava o dia todo avistando as torres que dão nome ao parque, só que bem distantes, nem imaginei que um  iria chegar tão perto delas. Água não é problema nessa trilha vc bebe a água mais pura do mundo descendo direto das geleiras e a vista dessas montanhas ali do seu lado, só estando lá para sentir e apreciar. 

Cheguei nos italianos e agora vem a parte mais difícil, hora de subir o morro para o camp. britânico o início é pelas pedras e vai subindo, vai subindo, vai subindo. O barato é que vc ver uma geleira enorme no alto de uma montanha a sua direita, linda, mas com uma coisa engraçada: esse dia estava perfeito, com sol e sem nuvens e todo tempo ouvia barulho de trovão e ficava procurando as nuvens e nada, até que pergutei para umas pessoas lá e em falaram que era o barulho das pequenas avalanches da geleira. Poxa bem legal, não via as avalanches, porém ouvia bem o barulho.

SDC10670.thumb.JPG.364ce1f68830ca4f5fcbf986765027b4.JPG

E assim continuei subindo e subindo.

SDC10663.thumb.JPG.7995202125e8c6e454064198492a5d17.JPG

SDC10671.thumb.JPG.75cd3d27d36f9560290134c2348ef579.JPG

Finalmente cheguei no camp. britânico, achava que teria gente acampada lá, uma pequena estrutura e etc., mas não tinha nada só uma plaquinha hahahha. Tudo bem, vc tem que andar mais um pouco do acampamento britânico para poder chegar no mirante. E nesse ponto a vista é IMPRESSIONANTE. A trilha já estava cheia de gelo e isso para mim era bem legal, enfim tirei várias fotos e agora era hora de descer.

SDC10709.thumb.JPG.7dea207da27e6de4c06a1dbe9a5c0e53.JPG

SDC10683.thumb.JPG.106586d0aa821a346feb7d4aecc7ac7c.JPG

SDC10684.thumb.JPG.473be2d1370fb57e0ab7df09d852dd68.JPG

 

SDC10685.thumb.JPG.78a70f91f4f2d7cf372bc5bb394d2200.JPG

SDC10695.thumb.JPG.e122196def4171c8e8455e5a30ace8ca.JPGSDC10699.thumb.JPG.9baa45d23e6c06089dcad8f1f1983587.JPG

SDC10701.thumb.JPG.d4b32c54b32027f87231b741600fce59.JPG

SDC10697.thumb.JPG.3799475a34ab2c65e2455169c8350dae.JPG

SDC10705.thumb.JPG.743d82c1436f8481cccbab536fe5e890.JPG

Agora a situação começou a complicar já estava tarde e lá de cima conseguia ver onde estava o meu camping. Era longe, muito longe. Ainda bem que teria sol até às 21h e assim desci, comecei a ver que o tempo iria ficar apertado e acho que na presa errei o caminho da trilha na parte das pedras onde a marcação são só estacas. Caminhei pela pedras e quanto mais andava em nada chegava. Converso que bateu um desespero não podia passar a noite ali sem nada, porque iria morrer de frio, além de estar sem comida, sem nada. Bem, acredito em Deus e comecei a rezar para sair dali ou encontrar alguém que me ajudasse a encontrar o caminho. Graças a Deus e com confiança achei uma estaca e depois outra e depois um casal que estava andando por ali. Na hora que eu estava ali não era para encontrar mais ninguém, pois já estava tarde e fui o último a descer o camp. britânico, ainda assim, encontrei essa casal que estava indo para os italianos. Fomos juntos até lá, me desejaram boa sorte e fui caminhando o mais rápido que pude para os curvelos e mais uma vez cheguei lá morto hahahahhaha e lembro que já era mais de 21h já anoitecendo. Foda kkkkkkk 

 

SDC10706.thumb.JPG.ff5cc0c02bc8e3843c401a9dab510c48.JPG

SDC10707.thumb.JPG.22f2a9e35738fc87428ecbfebf4d0f38.JPG

SDC10623.thumb.JPG.2d64eaf809e4b9c279315c2c1f36060c.JPG

 

Vou parar por aqui, mas prometo voltar logo para continuar escrevendo sobre os próximos  dias, para mim vale a pena escrever aqui e recordar essa viagem incrível. Até mais pessoal, qualquer pergunta é só deixar nos comentários. Também estou colocando as fotos no instagram: @raimundo_junior__

  • Curti 2
  • Acompanhando 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por satoedu
      Estava montando meu relato sobre Dientes de Navarino (daqui a pouco sai!), quando achei que só a parte da viagem de Punta Arenas a Puerto Williams talvez desse um roteiro à parte. Vejamos....
       

       
      Para ir até Isla Navarino, resolvi ir (e voltar) via marítima. O serviço é feito pela TABSA - Transbordadora Austral Broom S.A. (http://www.tabsa.cl/portal/index.php/en/), a bordo do ferry Yaghan 2-3 vezes por semana. O preço é salgado: por volta de CLP 106.000 (R$512) a poltrona semileito e CLP 148.000 (R$714) o leito. O preço é por trecho, convertido em 15/02/2017. Considerando que a passagem aérea ida e volta deve custar só uma ida de leito, sai bem caro. Mas pra quem tem tempo, não quer ficar arriscando excesso de bagagem, quer curtir um ar fresco (afinal, já foram tantas horas na janelinha do avião) e tem mais coisa junto (tipo bicicleta), é uma opção. Resolvi embarcar, já que estava levando mais de 25kg nas costas. Além disso, já fazia parte do meu planejamento desde o início.
       

       

       

       
      O Ferry foi construído em 2011 e possui capacidade para 184 passageiros e 70 automóveis. As poltronas semileito normalmente são reservadas prioritariamente para os moradores locais até 24h antes do embarque, então espere pagar pelo menos a tarifa leito. A diferença de conforto não é tão grande, é tipo o ônibus interestadual executivo e leito. Atenção: Leve tudo que for usar a bordo consigo, pois uma vez colocada a mala (no meu caso, a mochilona) no compartimento de carga, ela só poderá ser retirada no destino!
       
      Poltrona leito:

       
      Zarpando de Punta Arenas:

       
      É uma viagem espetacular de 30h (sim, TRINTA horas), passando por entre os tortuosos canais e ilhotas chilenas e dá pra ver focas e golfinhos acompanhando o navio esporadicamente, uma vez que acesso ao convés é livre a qualquer hora. Recomendo pelo menos o trajeto de ida, na volta você vai passar pelas geleiras tarde da noite e não vai ver muita coisa. Recebi uma relação de pontos de interesse quando retirei minha passagem em Punta Arenas, com o horário estimado de passagem por eles. O barco parou no Ventisquero Italia por uns 15 minutos, deu pra tirar muitas fotos que não fazem jus à imponência e a beleza da massa de gelo:
       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       
      O encontro das águas da geleira, cheia de minerais (esquerda) com a água do mar (direita):

       
      Ventisquero Italia:

       

       

       
      São fornecidas quatro refeições: jantar, café da manhã, almoço e segundo jantar, mas coisa bem simples. Café (nescafé) e chá estão disponíveis (quase) sempre. Não há venda de comida a bordo, então se quiser comer ou beber mais alguma coisa, traga consigo - lembrando que é expressamente proibido o consumo de bebidas alcoólicas a bordo. É possível, na hora da reserva, fazer alguma observação especial sobre a dieta - para diabéticos e vegetarianos. Mas não espere grandes soluções, pelo que eu vi ali pra um dos passageiros eles só tiraram a carne e completaram com mais arroz.. Há tomadas em vários pontos e dois banheiros e dois chuveiros para cada classe.São oferecidos cobertores para dormir e o navio tem calefação, então ninguém passa frio dentro. Tem até entretenimento a bordo, fica passando uns filmes na tv (acho que assisti 2012 umas 3 vezes ãã2::'> ). Muita gente levou laptops e ipods, eu como não tinha nada disso, fiquei zanzando pelo convés, fazendo palavras cruzadas e fazendo anotações no meu diário de bordo
       
      Café da manhã: 2 mini muffins, um pacote de cookies, um misto frio e suco

       
      Almoço: Arroz, frango ensopado, sopa, pão, laranja e suco

       
      Jantar: Empanadas, pão, sopa, iogurte e suco

       
      No começo do Canal Beagle, o ferry faz uma escala rápida em Yendegaia, que virou um parque nacional recentemente. Só desceram meia dúzia de militares ali. Na leitura do Transpatagônia, o Guilherme Cavallari não conseguiu ir muito além por causa do clima que não ajudou, então não faço ideia se é possível descer e explorar a região. Parece mais um entreposto militar montado pelo Chile pra defender a fronteira próxima...
       


       
      DICA 1: O ferry chega perto da meia-noite, tanto em Puerto Williams como Punta Arenas. Pra quem quiser economizar uma diária de hostel, há a opção de dormir à bordo e sair de manhã cedo. A moça do guichê quando fui pagar os bilhetes disse que não há possibilidade de dormir na volta, mas bastante gente ficou a bordo. Como tinha feito reserva pelo Booking e ia acabar pagando de qualquer jeito, desci
       
      DICA 2: No último fim de semana do mês, depois de descarregar em Puerto Williams, o navio segue para Puerto Toro para abastecer a vila e volta. Infelizmente só descobri isso quando cheguei lá, mas é um passeio gratuito que pode ser reservado junto com a passagem. Deve ser curioso visitar a última vila do planeta antes do continente gelado, uma localidade remota com seus 30 e poucos habitantes…
       
      Bônus: Pôr do sol no canal Beagle (às 22:30! )

       

    • Por Flávia da Terra
      E aí, vocês que estão interessados em conhecer mais de Santiago e da Região dos Lagos no Chile!
       
      Nunca escrevi aqui pro Mochileiros, mas queria deixar um tópico aberto pra discutir essa região maravilhosa da capital e dos Lagos chilenos. Sempre leio os tópicos para me guiar, inclusive para montar esse roteiro que vou falar aqui e decidi que tinha o compromisso de retribuir todas as informações que já obtive nesse site. Acabei de voltar de viagem e digo: se você já estiver pensando em ir conhecer, não deixe esses lugares de fora do seu roteiro!
       
      Resumo da viagem:
      BR-> SANTIAGO -> VINA DEL MAR - > VALPARAÍSO -> (Casablanca) -> SANTIAGO -> PUCÓN -> PUERTO VARAS -> SANTIAGO -> BR
       
      Pra explicar:
      Eu considero que a viagem tenha 2 partes:
      1) Santiago e arredores (incluindo Viña+Valpo+Casablanca)
      Passei 3 dias em Santiago.
      Na manhã do 4° dia, peguei ônibus para Viña del Mar, fiquei lá até 18h, fui até Valparaíso e pernoitei por lá.
      No 5° dia, amanheci em Valpo, conheci a cidade. Tinhamos que voltar para Santiago, de onde tomariamos um ônibus à noite para Pucon. No caminho entre Valparaiso e Santiago, no entanto, parei em Casablanca, para ir a uma vinícola. De lá, segui para Santiago e de noite peguei ônibus no terminal para Pucon.
       
      2) Região dos Lagos (Pucon + Puerto Varas)
      Passei 3 dias em Pucon.
      Passei 3 dias em Puerto Varas.
      Retornei a Santiago para voltar ao Brasil.
       
      SANTIAGO E ENTORNOS:
      Pra começar, fomos à Santiago e passei 3 dias por lá. Já tÍnhamos roteiro definido e sabíamos que dali iríamos ao Sul, na cidade de Pucón e, por isso, logo no primeiro dia já fomos ao terminal para comprar nossas passagens que saíram por 24mil pesos por pessoa. Essas passagens são compradas no terminal de Santiago, para fazer isso é preciso pegar um metrô da linha vermelha e descer na Estación Central. É só sair da estação que você já vai estar no emaranhado de terminais e caixas vendendo passagens para inúmeros lugares.
      Essa viagem para Pucon pode sair por mais barato indo primeiro para Temuco e de lá partir para Pucon (SANTIAGO -> TEMUCO -> PUCON), mas só pensamos nisso depois. Coisas da viagem, né.
       
      Enfim, sobre Santiago, propriamente:
      Nesses 3 dias, passeei pelo Centro Histórico, Cerros (Sta Lucia e San Cristobal), Barrio Bellavista, Sky Costanera, e fiz o tradicional passeio pelo Embalse El Yeso + Termas. Este último tem que ser pago e feito por agência e saiu por 45 mil pesos. Embora seja salgadinho, foi um dos melhores passeios que fiz na minha vida. Tive a sorte de ir em um dia que, embora fosse verão, nevou! Foi a primeira vez que vi neve na minha vida e ainda foi em um lugar tão lindo e de forma tão inesperada.
       
      Para conseguir fazer esse passeios típicos (Embalse, vinicolas, tours, viña+valpo, etc), basta dar uma rodada pelos pontos turísticos do Centro e logo você vai reconhecer a galera que faz esses passeios em suas típicas camisetas pólo de cores marcantes. Negocie e você pode encontrar um preço melhor, garanto! Eu só fiz o Embalse, os demais fiz por conta propria, acho que fica mais barato e até mais divertido.
       
      No 4° dia pela manhã, já finalizamos a parte de conhecer Santiago, então, deixamos as malas no hotel e, assim, só retornaríamos a Santiago para pegar nossas coisas e ir direto pegar o ônibus para Pucón. A próxima etapa era ir até Viña del Mar, para isso, basta pegar o metrô da linha vermelha e ir para a estação Pajaritos. Logo na saída dessa estação do metrô já se encontra um terminal de ônibus. De lá, saem onibus para Viña ou Valparaíso de 10 em 10 minutos. Essa passagem ficou 4mil pesos. Quando chegamos ao destino, conhecemos os pontos turisticos principais de Viña e depois pernoitei em Valpo. Pela manhã, conhecemos alguns outros pontos turísticos de Valpo, como a famosa casa do Neruda.
       
      Já à tarde, sabendo que teríamos que ir a Santiago, pegar todas as nossas malas, vimos que no meio do caminho existe uma cidade repleta de vinicolas: Casablanca. Então decidimos fazer essa parada. Pegamos um ônibus por 1mil pesos no terminal da cidade e chegamos rapidamente em Casablanca, onde descemos na praça central. Logo que descemos, vimos que os todos os ônibus que chegam na cidade passam por ali e vão embora, inclusive os que vão para Santiago. Assim, soubemos que para voltar para Santiago teríamos que voltar naquele mesmo ponto. Assim, já mais tranquilas por saber como voltar, pegamos um taxi e fomos até à vinicola Casa del Bosque. Lá, conhecemos todo o local que é bastante lindo e tranquilo e fizemos o tour pela vinicola com direito à degustação. Isso ficou por +- 13mil pesos. Depois de um pouquinho, pegamos outro taxi, voltamos ao ponto de onibus e pagamos outros 2,7mil pesos de passagem de volta para Santiago. No total, fizemos esse passeio por 20mil pesos por pessoa, e geralmente se cobra mais de 35mil. Foi ótimo termos feito por nossa conta, mesmo sem ter tanta informação disponível na internet, vale a pena ir e ver como que funciona por nós mesmos.
       
      Chegamos em Santiago já de noite, fomos logo pegar nossas malas e já fomos direto para o Terminal San Borja, onde pegamos nosso ônibus para Pucon em uma viagem de 10h. Finalizamos a primeira parte da viagem e se iniciou a 2a parte
    • Por Giovana Janoti Suarez
      1° DIA
      Rio de Janeio (BRA) – Santiago(CHL)
       
      MANHÃ:
       
      - Check-In Hotel
       
      -Tour pela Cidade
       
      • Tour no Palácio de La Moneda ( Sede do Governo Chileno)
      O Palácio de La Moneda é a sede da Presidência do Chile, abrigando o gabinete do presidente e alguns outros órgãos do governo. Está localizado no centro da cidade, entre as praças da Cidadania e da Constituição, com uma faixada para a Rua Moneda e outra para a Avenida Libertador Bernardo O’Higigns.
      Informações: Agendamento Prévio, informar data e o período do dia desejado.
      Imperdível ver a Troca da Guarda que ocorre às 10h (ver se haverá troca de guarda no dia agendado)
      Email: [email protected]
      Site: http://www.gob.cl/la-moneda/cambio-de-guardia/
      Horário de Funcionamento: Seg à Sex com quatro horários diferentes ao longo do dia.
       
      • Museu da Memória e dos Direitos Humanos
      Museu que se propõe a preservar a memória dos milhares de chilenos que foram torturados e morreram vítimas da ditadura Pinochet e a manter viva a resistância em prol dos direitos humanos, da justiça e da verdade.
      Informações:
      Site: http://www.museodelamemoria.cl/#_=
      Horário de Funcionamento: Ter à Dom 10:00 am - 6:00 pm.
      Endereço: Matucana 501 | Interseccion Catedral, Santiago 8350392, Chile
      Telefone: 56-2-25979600
       
      • Museu Nacional de Bellas Artes (Parada Não Obrigatória)
      Está localizado num edifício antigo e muito imponente junto ao Parque Florestal, esquina das ruas Ismael Valdés Vergara e José Miguel de La Barra, próximo à estação de metrô Bellas Artes – L5. Seu acervo possui mais de 3 mil itens, entre pinturas e esculturas de artistas chilenos e europeus. Acabei visitando ele pois era caminho para as outras atrações.
      Informações:
      Horário de Funcionamento: Ter à Dom 10h às 18h50.
      Custo: $600 CLP (aprox. R$2,40).
      Obs: Mochilas e bolsas devem ser deixadas num guarda-volumes que há dentro do museu. As fotografias não são permitidas nos salões de exibição, apenas no salão central, onde estão localizadas diversas esculturas.
       
      • Igreja de Santo Domingo
      Na esquina da rua que leva o mesmo nome. Observa-se que, as 13h30, a igreja estará cheia, mesmo não tendo nenhuma missa ou celebração acontecendo naquele momento. Essa é uma característica do povo chileno, uma nação muito religiosa e conservadora, predominantemente católica.
       
      • Plaza de Armas
      A principal Praça de Santiago, considerada o marco zero da cidade e o ponto central da capital chilena. Foi ali que, em 1541, o conquistador espanhol Pedro de Valdívia fundou a cidade de Santiago. Originalmente ela chamava-se Plaza Mayor, mas depois que os índios destruiram-na em apenas seis meses, foi rebatizada para o nome atual. A praça possui uma grande quantidade de árvores e diversas esculturas, estátuas e monumentos. Ela é rodeada por diversas construções históricas, como a Catedral, o prédio dos Correios e o Museu Histórico Nacional. Entre eles há um grande prédio comercial com faixada de vidro. O contraste formado entre estilo moderno e a arquitetura neoclássica forma um dos principais cartões postais de Santiago. Sob a praça está a estação de metrô Plaza de Armas – L5.
       
      • Catedral Metropolitana de Santiago
      Construída em 1748. Ela é a quinta edificação feita no local. Antes dela já existiram outras quatro igrejas, que foram derrubadas pelos índios ou pelas forças da natureza, já que duas delas caíram em virtude de fortes terremotos que aconteceram na cidade. A catedral possui uma riqueza de detalhes difícil de descrever. Para qualquer canto que se olhe, há alguma coisa interessante para observar e fotografar, seja no vão central ou nas naves laterais. São diversas estátuas e imagens de santos, lustres, vitrais e objetos de prata e ouro. Um lugar muito bonito e interessante que merece ser visitado com bastante calma.
       
      TARDE:
       
      • Cerro San Cristóbal e Museu La Chascona
      O Museu La Chascona é uma das casas do poeta Pablo Neruda no Chile e está localizada na rua Fernando Márquez de la Plata 0192, bairro Bellavista, aos pés do Cerro San Cristóbal. A visita permite conhecer todo o interior da casa e acontece com a presença de um guia. É um passeio muito interessante, mesmo para quem não conhece nada sobre o poeta.
      Informações:
      Site Oficial: http://www.fundacionneruda.org/en/la-chascona/history#_=_
      Horário de Funcionamento: Ter a Dom 10h às 18h50.
      Custo: $3.500 CLP (R$14,00)
      Obs: tours em espanhol, inglês ou francês. Não é permitido bater fotos no interior da casa, apenas no jardim. Fazer um agendamento prévio da visita através do site.
       
      • Parque Araucano
      Aqui você encontrará lojas das mais importantes e famosas marcas de vestuário feminino, masculino, juvenil e infantil. Também tem lojas de artigos eletrônicos, instrumentos musicais, joalheria, calçados, vinhos, tabacaria, souvenir, artesanato entre outros. Tambémhm há um espaço reservados para móveis e decoração e a praça de alimentação. Marcas como Adidas, Armani, Azaleia, Ripley, Falabella, Brooks Brothers, Benetton, Diesel, El mundo Del vino, Ellus, Espirit, GAP, Guess, Havanna, Hugo Boss, Lacoste, Levi’s, Libreria Contrapunto, M.A.C., Nike, Oakley, Paris, Pet&Co, Polo Ralph Lauren, Puma, Rockford, Saxoline, Swarovski, The North Face, Tierra de Fuego, Timberland, Tommy Hilfiger, Van Heusen, Via Uno, entre outros (muitos outros), estão por aqui. Boulevard do Parque Arauco é um espetáculo à parte. Aqui você encontrará diversos restaurantes de culinária variada, lojas exclusivas, atividades divertidas e música ao ar livre. Aqui também está a galeria de arte sempre com alguma exposição interessante. Recomendo muito a visita durante o dia e à noite, no inverno e no verão. O lugar é realmente encantador. Endereço: Av. Presidente Riesco 5330, Las Condes, Santiago, Chile
       
      - Parada em Araucano para Almoço e Compras
       
      • Cerro Santa Lúcia
      Uma das melhores vistas da Cidade de Santiago. O Cerro Santa Lúcia está localizado próximo à estação de metrô Santa Lucía – L1 e é rodeado por três vias: Avenida Libertador Bernardo O’Higgins, Rua Santa Lucia e Rua Victoria Subercaseaux. Chega-se até ele de metrô, partindo da estação La Moneda. O cerro proporciona uma vista incrível da cidade.
       
       
      NOITE:
       
      - El Giratório
      Informação: Restaurante Giratório com Visual Panorâmico da Cidade de Santiago. O Restaurante serve Comida Típica Chilena e outras variedades.
      Endereço: Avenida Nueva Providencia 2250 | Providencia,Santiago, Chile Santiago, Región Metropolitana de Santiago
      Telefone: 56-2-22321827 (Fazer Reserva)
      Site: http://www.giratorio.cl
      Horário de Funcionamento: Seg a Sáb 12:00 às ooh Dom até 22:30
       
      - Dormir
       
      2° DIA
      Santiago – Frellone - El Colorado - La Parva - Valle Nevado
       
       
      MANHÃ:
       
      - Café da Manhã no Hotel
       
      - Neve Subir a Cordilheira para (Farellones, El Colorado, La Parva e Valle Nevado)
       
      • -VALLE NEVADO
      Valle Nevado Ski Resort: a maior estação de esqui da América do Sul. Localizado a apenas 30 km de Santiago e 60 km do aeroporto, o percurso de carro ou van cordilheira acima leva cerca de 1 hora e 1h30, respectivamente. As 34 pistas de Valle Nevado estão distribuídas em 120 hectares de 9.000 metros de pistas esquiáveis. Dispostas de acordo aos diferentes níveis de dificuldade, 4 estão preparadas para os principiantes, 10 para os que já tem um nível intermediário, 14 para os esquiadores mais experimentados e as feras. O desnível de 810 metros marca o ponto esquiável mais alto e está no Cerro Três Pontas, a 3.670 metros de altura e o mais baixo a 2.860 metros. A infra-estrutura de Valle Nevado é composta por 11 meios de elevação, com teleféricos e telecabines que conectam a estação, helicóptero Bell 407 para a pratica do heli-ski nas áreas virgens dos Andes. Se a neve for escassa, a estação conta com 19 canhões para fabricar neve, e chegam a cobrir 6 kilometros de pistas, garantindo um 30% de superfície apto para o esqui. O translado pode ser feito em veículos que levam até 6 pessoas.
      Informação:
      Telefone: 56(2)477-7705
      Email:[email protected]
      Site:www.vallenevado.com
      Email e Site de Agências: [email protected] http://www.skitour.cl [email protected] http://www.andeski.com [email protected]ki.com
      Custo: Cerca de R$ 150,00
       
      TARDE:
       
      - Almoço Na Estação
       
      - Esquiar/Andar de SnowBoard
       
       
      - Volta para o Hotel no final da Tarde
       
      NOITE:
       
      - Hotel
       
      - Jantar no Restobar KY
      • Restobar KY
      Esse bar e restaurante é um dos locais mais badalados de Santiago atualmente. O lugar é meio secreto, do lado de fora parece ser uma casa velha e abandonada e não há nenhuma placa indicando o nome do lugar. Fica no início da Rua Peru, para quem vem do bairro Bellavista. Para entrar é preciso tocar uma campainha. É necessário reservar com antecedência, pois o espaço é disputado. O cardápio é recheado de pratos apimentados. Vale a pena provar os diferentes tipos de Pisco Sour ( Pisco Sour, feito com a mistura de suco de limão, açúcar e Pisco, uma bebida destilada que fica num meio termo entre vodka e cachaça.)
      Informação:
      Endereço: Av. Perú 631, Recoleta Santiago
      Telefone: (+562) 7777 245
      Email: [email protected]
      Site: http://www.restobarky.cl
       
      3° DIA
      Santiago – Valparaíso – Vinã Del Mar
       
      MANHÃ:
       
      - Café da Manhã no Hotel
      - Partida para Valparaíso
      Informação:
      Opção Barata: Passagem ida e volta Viação Pullman. Os ônibus saem a cada 15 minutos do Terminal Alameda e também do Terminal Pajaritos e as passagens custam entre 2.000 e 3.000 CL. O Terminal Alameda fica em frente à Estação Universidad de Santiago (Linha 1 – Vermelha) e o Terminal Pajaritos fica na saída da Estação Pajaritos (Linha 1 – Vermelha).
      Se for de Carro: Ida à Valpo e Viña del Mar com algumas paradas pelas vinícolas do Vale Casablanca ou simplesmente se quiser fazer algumas paradas para admirar e fotografar a paisagem ao longo do caminho. A viagem dura menos de 2 horas e o trajeto é feito pela rodovia 68 (mapa abaixo) que é muito bem cuidada e possui dois pedágios que custam $2.300 CLP (R$9,20) cada.
      • Valparaíso (Jóia do Pacífico)
      Essa cidade portuária a 144 km de Santiago é como uma imensa arena que se debruça sobre o Pacífico. Dona de 42 morros, seus principais cartões postais, esse destino parece seguir no mesmo ritmo dos clássicos elevadores coloridos que deslizam por montanhas íngremes lotados de moradores locais e visitantes. Valparaíso é a o segundo destino mais visitado do Chile por estrangeiros e o primeiro entre os turistas nacionais que, mais do que buscar faixas de areia badaladas para lagartear sob o sol, se encantam com o casario colonial do século 19 declarado Patrimônio Cultural da Humanidade. Outro passeio imperdível é ascender a um dos morros para testemunhar uma das vistas mais privilegiadas da região, como a que se tem da sacada da famosa casa de Pablo Neruda.
      Informação: Distância de Santiago 144 km e Viña del Mar 15 km.
      Site: http://www.municipalidaddevalparaiso.cl
       
       
       
      - Rumo a Vinâ del Mar
      A forma mais fácil de chegar a Viña del Mar é de carro ou ônibus a partir de Santiago. De Valparaíso, pode ser alcançada pelo Merval, o metrô, em apenas 20 minutos de viagem.
       
      TARDE:
       
      - Almoço
       
      • Vinã del Mar
      Localizada próximo a Valparaíso, Viña del Mar é conhecida como um dos mais importantes balneários do Chile. As praias não chegam a ser o principal atrativo para os turistas que vêm do Brasil, mas a cidade encanta por suas diversas áreas verdes – o destino tem o apelido de “Cidade Jardim” –, e pelos castelos e palácios construídos no começo do século passado. Sem contar, claro, a possibilidade de fazer apostas no cassino local. O mar é gelado por conta da influência da corrente de Humboldt, que vem da Antártica e sobe por quase todo o litoral chileno. Se não dá para entrar na água, pelo menos dá para paquerar na praia e experimentar a rica gastronomia local, simples e deliciosa, repleta de pescados e frutos do mar. Viña del Mar é bem charmosa, tem lojas e restaurantes como uma cidade grande. Tem regiões bem chiques e outras mais simples. A praia é bem clean, talvez por eu ter ido no inverno, talvez no verão seja mais agitada.
       
       
       
      • Ponto do Relógio de Flores
      • Andar pela Orla
      • Castillo Brunet
      • Museo Fonck (Único Moai fora da Ilha de Páscoa)
      • Casino Municipal
       
      Informação:
      Site: http://www.visitevinadelmar.cl
      Ultimo ônibus pra Santiago sai por volta das 21:00.
       
      NOITE:
       
      - Jantar
       
      4° DIA
      Santiago – Vinhedos - Concha y Toro e Aquitania - Compras
       
      MANHÃ:
       
      - Vinhedos - Concha y Toro e Aquitania
      • Concha y Toro
      Degustação de Vinhos na Vinícola Concha y Toro. O tour guiado faz um giro pela propriedade, passando por locais como o antigo casarão da família que a fundou, os jardins, os vinhedos e as adegas. Em cada ambiente a guia faz explicações bem detalhadas, sobre a empresa, o processo de plantio das uvas e produção e armazenamento dos vinhos, com direito a duas paradas para degustação, a primeira de um vinho branco e a segunda de um vinho tinto. Há ainda uma opção de tour completo que faz mais quatro degustações de vinhos, acompanhadas por um sommelier. A vinícola está localizada a aproximadamente uma hora do centro da cidade e pode ser acessada de três formas: carro, metrô + táxi ou empresas de turismo locais que vendem o passeio.
      Informações:
      Obs1: Turistik ou a Turistour, cobra em torno de $33.000 (aprox. R$132,00) por pessoa para um passeio que inclui o tour na vinícola e o translado de ida e volta até o hotel. (Não vale a Pena)
      Obs2: Agendar com antecedência no próprio site da Vinícola
      Site: http://www.conchaytoro.com/web/tour-en/cost-and-booking/
      Tentar Agendar no Primeiro Horário para ter a tarde livre.
      - Volta para a cidade
      - Tarde Livre para Aproveitar o Centro de Santiago
      - Compras
       
      NOITE:
       
      - Jantar
       
      5° DIA
      Santiago (CHL) – Rio de Janeiro (BRA)
       
      MANHÃ:
       
      - Café da Manhã
       
      - Arrumar as Malas
       
      - Check - Out Hotel
       
      TARDE:
       
      - Dia Livre
       
      NOITE:
       
      - Aeroporto Vôo
       
      - Volta Santiago CHILE – Galeão BRASIL
       
      OBSERVAÇÕES IMPORTANTES DA CIDADE
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
      METRÔ:
       
      108 estações espalhadas por cinco linhas
      (1, 2, 4, 4A e 5).
      Horário de Funcionamento: 6h às 23h.
      Wifi disponível nas estações:
      Tobalaba, Baquedano e Universidad de Chile.
      Custo Médio = $600 CLP (R$2,40)
      • Mercado Central (Estação Puente Cal y Canto – L2)
      • Plaza de Armas (Plaza de Armas – L5)
      • Palacio de La Moneda (La Moneda – L1)
      • Cerro Santa Lucía (Santa Lucía – L1).
      • Parque Arauco a estação mais próxima e a Manquehue – L1
      OBS: Também é possível ir de metrô até bem próximo da vinícola Concha y Toro, pegando o trem até a estação Las Mercedes, a penúltima da L4. Em seguida é preciso pegar um taxi, mas o trajeto é curto e o preço será baixo.
       
      COMPRAS:
       
      • Costanera Center
      Avenida Andrés Bello 2425 – Providencia. costaneracenter.cl
      • Parque Arauco
      Av. Presidente Kennedy 5413 – Las Condes. http://www.parquearauco.cl
      • Alto Las Condes
      Av. Presidente Kennedy 9001 – Las Condes. http://www.cencosudshopping.cl/altolascondes/
      • MallSport
      Av. Las Condes 13451 – Las Condes. http://www.mallsport.cl
       
      CASAS DE CÂMBIO NO CHILE:
       
      • Calle Moneda, centro de Santiago
      • Calle Agustinas, centro de Santiago
      • Aeroporto de Santiago, depois do Duty Free da chegada
      • Patio Bellavista
      • Plaza Sotomayor, centro de Valparaiso
       
       
      PRINCIPAIS AGÊNCIAS LOCAIS:
       
      • http://www.turistour.com/tour/br
      • http://www.turistik.cl/
    • Por Botocudo ES
      Transfer Aeroporto x Santiago: pegamos um taxi com a Transvip, pagamos 21.000 pesos para nos deixar no centro de Santiago. Escolha a opção de custo fixo para não ser roubado pelo Taxímetro ou receber dinheiro falso como troco pelos motoristas. Há muito relato de picaretagem com os taxistas. Para fazer o trajeto, caso chegue mais cedo no aeroporto, tem a opção do ônibus Turbus e a Centropuerto, ambas as companhias trabalham todos os dias e os ônibus partem de frente da saída 5. Valores: Ida custa 1.700 pesos e ida/volta custa 3.000 pesos. (+/- 45 minutos de viagem )
      http://www.turbus.cl/turbus/opencms/03_Aeropuerto/0303_Servicios_de_Buses
      http://www.centropuerto.cl
      O UBER não é regulamentado em Santiago, portanto você vai ter dificuldade de pegar na porta de desembarque do Aeroporto por causa da fiscalização que as empresas de Taxi estão fazendo. Usamos UBER para o transfer de volta para o Aeroporto e o motorista nos deixou no estacionamento, perto de um elevador. Tivemos que subir com a malas e caminhar até a área de embarque. Não é nenhum grande transtorno, mas dependendo se você está viajando com crianças, idosos ou muita bagagem, é uma questão a ser avaliada. Mas o preço compensa. É praticamente a metade do preço que você pagaria com taxi. Lembrando que para pagar com cartão de crédito, o seu cartão tem que ser habilitado para compras no exterior.
       
      Ficamos hospedados perto do Museu Bellas Artes, no Centro. Conhecemos todos os pontos turísticos caminhando ou pedalando. Recomendo o aluguel das bicicletas. Santiago é muito fácil de se locomover, os motoristas respeitam as bicicletas e dá para conhecer melhor a cidade. Para alugar as bicicletas você precisa do passaporte e de um cartão de crédito.
      Não deixe de conhecer o Cerro Santa Luzia, o Cerro Santa Lucia, La Moneda, Praça das Armas, Museu Pré-Colombiano, Museu Bellas Artes, Patio Bella Vista, Parque Centenário e o Parque das Esculturas.
      Não deixe de experimentar o famoso Pisco Sour e o Mote com Huesillo, que é um tipo de bebida bastante doce, um suco de pêssego com grãos de trigo (mote) no fundo do copo, pêssego desidratado (huesillo) e um pouco de canela. É vendido em barraquinhas na rua.
       
      Levamos Reais e trocamos nas casas de cambio do Centro. As casas de cambio com melhor cotação estão na Calle Augustinas esquina com Ahumada e a Rua Catedral esquina com a Plaza de Armas. Cambio: http://www.cambiosantiago.cl
      O Passeo Ahumada é um calçadão de comércio no centro, repleto dos famosos “cafes com piernas”, onde desinibidas garçonetes servem os clientes usando micro-saias. O mais famoso do gênero é o Café Caribe.
       
      Ônibus hop-on hop-off : São ônibus vermelhos de dois andares que rodam Santiago entre 9:30 e 18h. Você pode subir e descer quantas vezes quiser, pagando apenas uma passagem. Pagamos 19.800 pesos por pessoa. São 12 pontos espalhados pela cidade, sempre próximos a pontos turísticos, e o ônibus passa a cada meia hora. A volta completa leva cerca de 2 horas. Vale à pena. http://www.turistik.cl/pt/tour/santiago-hop-on-hop-off
       
      Os vinhos são mais em conta no supermercado não compre nas vinculas. Dica: mercado DIEZ na Rua dos Conquistadores à uma quadra da Pedro de Valdivia, perto do parque das esculturas. Preço excelente. Outro, Supermercado Jumbo no Shopping Costanera. Eles embalam gratuitamente com plástico bolha. Peça uma caixa de papelão para o vendedor.
       
      Para os passeios, prefira as operadoras oficiais. Compramos um passeio para o Vale Nevado e fomos muito bem atendidos. Comparamos outro para Vina del Mar e Valparaiso via Facebook, com VAN, mais barato, e fomos roubados . O Barato saiu caro. A bolsa da minha esposa e uma lente objetiva que estavam dentro da VAN foram misteriosamente roubados. Perdemos um tempão na delegacia, além de estragar o passeio...
    • Por angelita.galli-pereira
      Viagem realizada em 12 de julho as 22 de julho.
      Vou relatar aqui nossa ótima experiência de conhecer um pedacinho do Chile... País lindo, com uma história incrível e natureza encantadora.
      Foram meses planejando, virando essa internet do avesso, grupos do face, whats, tanta ajuda que tive pra esse sonho de infância se realizar... seria injusto não compartilhar..
      Inspirar.. incentivar.. mostrar que é possível..
      Esse mundo é muito grande pra não nos movermos, nossos olhos tem muito para ver, e nossa alma sentir!!!
       
      Essa foi minha primeira viagem, a qual fui acompanhada da minha irmã, irmão e um amigo.
      Não foi mochilão, mas foi econômica... não marquei todos os gastos, mas tentarei registrar aqui o máximo que puder...
       
      Gosto de chamar ela de "Na mala da Alma"...
       
      No meu último post aqui fiz um resumão, caso queiram pular todo o relato!!
       
      Vamos lá então..
       
      Começamos a planejar a viagem em Janeiro de 2016.
      Em fevereiro já estávamos com as passagens compradas, 1600 reais, ida e volta com taxas. Voo Latam, saindo de Florianópolis, conexão em SP Guarulhos, parada final Santiago. (pelo que tenho visto, as passagens estão bem mais em conta agora...)
       
      Hospedagem fechamos em março, pegamos um apart pelo Airbnb, 10 diárias, 1420 reais. Inicialmente éramos eu e minha irmã, meu irmão decidiu ir junto lá por maio, então conversamos com o anfitrião, que permitiu mais uma pessoa, mas teve que pagar a diferença.. talvez aqui saímos no prejuízo, pois poderíamos ter encontrado um lugar mais em conta para 3, mas cancelar essa reserva teríamos que pagar multa, então sairia uma coisa pela outra.
       
      Em maio fomos até a Decathlon de Floripa.. não sou uma pessoa que sente muito frio, mas mesmo assim comprei blusas fleece, uma calça térmica, uma jaqueta impermeável... foram mais 400 reais..
      Vale lembrar que Santiago não é tão frio, não precisa se encher de roupa... isso é importante para os passeios na neve...
       
      Nesses meses todos fui desenvolvendo um roteiro, ele não foi seguido a risca, mas deixo em anexo pra dar ideias à vocês!!
      Roteiro Chile m.doc
       
      Dia 1
      Saída de Lages as 4hs da madruga. Após as aventuras no volante com Angelita, hora de chegar em floripa, direto no Portal estacionamento. Estacionamentos variando de 12 a 24 reais a diária nas proximidades do aeroporto...
      Levamos lanche pra esse primeiro momento no aeroporto (economizar)... após isso, check in, despachar malas, embarcar.. aquelas coisas..
      Priscila, Jordan e eu com mochilas como bagagem de mão, nenhuma foi pesada para embarcar... detalhe: a minha com mais de 5kg.
      Voo LATAM SP - SCL perfeito. Serviram uma polenta com frango ao molho branco e legumes, sem reclamações... tinha quindim também, não sou fã desses doces, mas vou dizer, tava muito gostosinho! Durante a refeição água, suco, refri e vinho... eu como estava de férias e não devo nada a ninguém (kkkkk) fui de vinho, branco e tinto, e fiquei tonta, novidade né?
       

       
      ahhh, não posso deixar de citar o café após a refeição, Juan Valdez, um café forte, com um sabor bem particular ao meu ver, achei delicioso. Priscila foi de chá, provei e achei com gosto e cheiro de erva mate.. sei lá..
      Preenchemos a folha pra aduana, meio estranho.. mas foi..
       

       
      Enfim, chagada em Santiago, era noite e não deu pra ver a cordilheira (aquela ansiedade)...
      Tudo muito tranquilo, desembarque, fila nada assustadora pra passar na policia, não levamos 15 minutos..
      Cambiamos um pouco de dinheiro na Afex do aero pra poder pagar o transfer, cotação baixa - 168.
      Obs: levamos apenas reais, justamente para cambiar lá.. trocamos o necessário até conseguir ir na Agustinas. Nosso amigo Sander, cambiou no Brasil, 140, baixíssimo, se arrependeu...
      Na aduana, sem estresse, simples e rápido.
      Ao lado da afex tem o transfer da transvip e delfos, optamos pela delfos, 6.900 por pessoa.. saiu em menos de 15 min e nos deixou na porta do prédio.
      Fomos recebidas pelo nosso anfitrião, que nos apresentou o ape, nos deu um mapa da cidade, nos explicou sobre o metro e pontos turísticos.. uma atenção incrível.
      Nossos voos eram separados, primeiro chegou eu e minha irmã.. 1 hora depois o Sander, e por fim, 2 horas depois meu irmão.. Estavamos cansadas, mas tínhamos que esperar o Jordan para dormir.. O Sander ficou em um ape próximo, também pelo Airbnb.
       
      Vou fazer os posts por dia.. já já posto mais..
×