Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

amandaplima

PRIMEIRO MOCHILÃO! UK-2017 (INGLATERRA E ESCÓCIA - 21 DIAS - JUNHO)

Posts Recomendados

Em 07/02/2018 em 13:32, madnessville disse:

@amandaplima Vi no tópico do roteiro que você fez uma planilha para o planejamento da viagem, se não for pedir muito, pode mandar no meu e-mail por favor ([email protected])? Queria uma base para formular um planejamento, também quero viajar pela 1x em meados de 2019!! 

Adorei as fotos!! Meu sonho conhecer o reino unido..

 

Oie!

Desculpa a demora... enviei sim, deve tá no e-mail! :) 

Muita sorte, espero que sua viagem dê super certo... o Reino Unido é lindo demaaaais! 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Desculpe a demora!

DIA 5 – 08/06/2017 – QUINTA FEIRA

Hoje o único compromisso marcado que eu tinha era a visita aos estúdios do Harry Potter, em Leavesden.

Enquanto estava reservando as atrações, vi que as visitas ao estúdio esgotavam rápido, mas na primeira vez que entrei ainda não haviam aberto pras datas que eu queria. Quando entrei de novo, já tava quase tudo esgotado! O único dia e horários que eu conseguiria comprar eram na segunda ou na quinta ás 18:00.

Entrei nas informações e vi que na quinta o estúdio ficava aberto até as 22h, então comprei para esse dia. A parte boa foi que consegui ter praticamente o dia todo para fazer outras coisas, porque só precisaria chegar lá com cerca de 20 minutos de antecedência.

Então, quando sai do hostel naquele dia, decidi que iria conhecer um parque. Como o Hyde Park e o Kensigton Gardens meio que se encontram e eu conheceria os dois em um dia (ou pelo menos um pedaço), decidi ir pra lá.

Vale dizer: nesses dias que eu não informo sobre café da manhã é porque eu tomava só um copo de leite com café no hostel e comia alguma fruta, então não custava nada (eram coisas que eu tinha comprado no mercado do outro dia ainda).

Fui de metrô até a estação Hyde Park Corner e de lá já entrei no parque.

Como fui no fim da primavera, a maioria das flores estavam no pico ou já começando a murchar, mas já deu uma cor no parque, que é bem verde. As áreas para caminhada, pra andar de bicicleta, pra simplesmente sentar e fazer um pique-nique ou tirar um cochilo são ótimas!

_DSC0891.thumb.JPG.dd557aa9d5fa977671d64ce65623d25f.JPG

_DSC0893.thumb.JPG.fa97ad16fd799d9e75140145f0869760.JPG

_DSC0904.thumb.JPG.61e2c8fbea0726c3e2b177fb2619a146.JPG

_DSC0908.thumb.JPG.f48cf342324f4d234c684ec4b8098ca7.JPG

_DSC0933.thumb.JPG.9446174e9bdd62e2395f9308676fa3af.JPG

 

E o parque é cheio de animaizinhos de asas gente! Tem patos, cisnes, gansos, corvos, pombos... e eles caminham entre as pessoas de boa. Só não tenha ideias de comer qualquer alimento perto deles se não tiver intenção de compartilhar, se não vai acabar perdendo uma mão hahaha

_DSC0946.thumb.JPG.a31e5e87b2091080c4c621fba0055c89.JPG

_DSC0956.thumb.JPG.c229fd3b66f993d1894324be80ae8203.JPG

O parque é todo bonitinho, e realmente vale a pena se perder por lá, pra deixar a correria da cidade de lado um pouco. Eu fiz uma rota mais curta, porque o parque é gigantesco, então só fui margeando o Serpentine até a ponte, atravessei, e dali fui até o Albert Memorial.

_DSC0964.thumb.JPG.1a81f3a7a008d7b824a2917c34dfcae3.JPG

_DSC0988.thumb.JPG.b40501585983e7745397b2e0c8c9ea4a.JPG

_DSC1059.thumb.JPG.9d9baa66aeff2024f26b9b34eb9beec6.JPG

De lá eu segui por trás dele e fui procurar a estátua do Peter Pan, que meu companheiro de voo italiano havia me indicado. Procurei durante um tempão – junto com o memorial da princesa Diana –, quando encontrei já estava quase desistindo... ô trenzinho escondido.

_DSC0001.thumb.JPG.13f6c6bae3462a0e4efed4c0635a529c.JPG

Sentei num banco por ali e comi minhas frutinhas, tinha levado meu potinho com morangos e ameixas, e tinha uma Pringles na mochila também, então esse foi meu almoço.

_DSC1085.thumb.JPG.d38e3d90092c5ee55f60c3877c6d10b8.JPG

Nessa hora já tinha desistido do memorial a princesa Diana... de verdade, parecia que em cada placa que aparecia eles indicavam uma direção diferente... desisti! Hahaha

Segui então para o Kensington Gardens, e fui andando até o palácio. Logo em frente tem um lago redondo, que se chama Round Pond, e tinha vários patinhos e cisnes por lá também, então sentei por ali um tempo e fiquei comendo uns M&M’s (a sobremesa). Sério, fui a Sra. Saudável nessa viagem, como podem ver! :D

_DSC0032.thumb.JPG.f3d72ae9c9846d85a71c9361e58907f4.JPG

_DSC0052.thumb.JPG.02636ecae69a93f497ce01c205a18e76.JPG

Quando olhei no relógio, vi que já eram mais de 13h, e eu ainda queria ir até o Museu de História Natural, então terminei a volta no lago, passei em frente ao palácio e segui para a saída do parque.

Calculei mal a distância do Palácio ao Museu, e, além de ser mais longe do que eu tinha imaginado, já estava cansada de andar a manhã inteira no parque, então caminhei o que pareceu um bom tempinho até chegar lá - mas provavelmente não foi tanto assim, já eram quase 14h quando cheguei.

Ao entrar no museu sua bolsa passa por uma revista e depois você já pode curtir o passeio. Como ia fazer uma visita bem superficial, acabei não me informando sobre aqueles mapinhas, só fui acompanhando as placas.

_DSC0074.thumb.JPG.26c617a81ff8403e17cce1273c48865d.JPG

Como meu ingresso pro tour era só para as 18h e eu planejava chegar lá uns 15 minutos antes, precisava pegar um trem que saísse de Londres no máximo 17:10, porque de Euston a Watford Junction (estação de trem mais próxima dos estúdios) leva 20 minutos e o ônibus que te leva da estação até os estúdios leva uns 10, então, pelos meus cálculos, teria cerca de duas horas para explorar o museu e depois já deveria ir me mexendo para chegar em Euston. Sim, se mais alguém acha que meu cálculo exato até o último minuto não ia dar certo... só continue acompanhando.

Assim como a maioria dos seres viventes, na minha falta de tempo, segui direto para a sessão dos dinossauros xD

_DSC0078.thumb.JPG.ab7c8b522b567cd7a55fce9ece4e0d1e.JPG

No caminho fui vendo outras exposições, a que mais gostei foi uma muito interessante sobre animais extintos.

_DSC0082.thumb.JPG.048b4a06eda628f514c2a62c71e6aefd.JPG

Também passei pela parte de animais marinhos (tão grandes que nem cabem direito na foto).

_DSC0127.thumb.JPG.8786ce70038c665844c68306a8913a9a.JPG

Enfim, o museu é muito grande, eu não vi nem 15% do que tinha em exposição, tanto pela minha lerdeza quanto pela minha falta de tempo.

_DSC0092.thumb.JPG.658ece1f9d71934e6c983dae832b7c4f.JPG

Acredito que deve ser um museu especialmente legal de visitar em família, ainda mais se tiver crianças junto, mas mesmo sozinho dá pra aproveitar sim.

_DSC0105.thumb.JPG.87e579a8107c1d48dfbf4bf3098ac021.JPG

Quando deu 16:10, decidi já começar a me mexer pra ir embora, mas acabou que saí por um lugar diferente de onde entrei e não tinha a menor ideia de como chegar na estação de metro dali. Pedi informação pra um guarda na porta do museu, pelas direções dele eu teria que andar bastante pra chegar lá e nessa hora já estava muito cansada. Mas enfim, fui na direção que ele indicou.

Já tinha andado dois quarteirões enormes quando vi um ponto de ônibus. Parei pra olhar o painel informativo e vi que aquela linha passaria pela estação de Hyde Park Corner. Olhei pra quadra da frente, onde, de acordo com o guarda, deveria estar a estação de metrô e não vi nenhuma placa indicativa. Eu estava cansada. Então todos esses fatores influenciaram minha escolha de esperar por aquele ônibus.

Ó, como eu estava errada! Aquela não havia sido uma boa escolha...

Em primeiro lugar, no painel dizia que havia um ônibus a cada 12~15 minutos, ou seja, mesmo que tivesse acabado de passar um, ainda sim o próximo não demoraria muito pra passar.

Demorou. 17 minutos.

Ok, tuuuudo certo. Peguei o ônibus, e eram só 5 pontos até Hyde Park Corner.

Nessa hora já passava das 16:30, então as pessoas que saem do trabalho, bom, já estavam saindo do trabalho. O trânsito estava infernal e o ônibus andava poucos metros a cada abertura de semáforo. Aquilo foi me dando um negócio ruim.

Sei que, ao fim e ao cabo, o ônibus FINALMENTE chegou na estação de Hyde Park Corner ás 17:10. SIM, AS 17:10. Nessa hora eu queria morrer.

Não existem registros fotográficos desse momento de desespero, porque... né.

Desci a escada pra estação do metrô igual uma doida, fui londrina pela primeira vez e ao chegar nas escadas rolantes, eu era uma das pessoas descendo pelo lado esquerdo.

Como já passava das 17h, o metrô estava bufando de gente. Mesmo correndo que nem uma doida, não consegui subir no primeiro metrô que passou. No segundo eu consegui entrar, e dai, ao descer na estação de Euston, fui desesperadamente procurando pelas placas que indicavam onde ficava a estação de trem.

Gente, quando cheguei lá pensei “fudeu”. Era muito grande, com dezenas de telões! Eu já estava atrasada, não sabia onde ver a informação, ainda nem tinha comprado os tickets e já eram 17:23!

Sim, gravei até os minutos, porque quando se trata de pegar um trem, todos os minutos contam!

Corri pras máquinas, comprei o ticket (ida e volta £ 17.90), pedi ajuda para um funcionário sobre onde ficava a plataforma de onde aquele trem partiria, porque não consegui me localizar nos telões – provavelmente por nervoso.

Tinha um trem partindo naquele minuto, não ia dar tempo, e o próximo partiria as 17:34.

Foi nesse que eu subi, nesse momento tudo na minha mente se embaralhava e eu já pensava nas mil desculpas trágicas que inventaria pra moça da bilheteria me deixar entrar.

Chegando na estação de Watford Junction, que é bem pequena, foi fácil encontrar o ponto onde o ônibus que vai para o estúdio parava - é bem em frente e tem um painel enorme, não dá pra errar nem tentando. Tinha me esquecido que faltava essa perna da viagem.

Eram 18h00 no momento que cheguei no ponto, o ônibus chegou as 18:06 e saiu dali as 18:12. Você tem que comprar uma passagem de ida e volta aqui também, custa £ 2.50 e você paga direto para o motorista.

Sabe quando chega aquele momento em que você está tão nervosa que varia entre momentos de “MEU DEUS DO CÉU, COMO ISSO FOI ACONTECER?” e “ah, quer saber? Foda-se”... Então, foi assim que eu fiquei durante todo o tempo que levou pro ônibus chegar lá, inclusive enquanto eles passavam um filmezinho com o Jason Isaacs falando sobre o tour – que eu nem consegui prestar atenção.

Durante esse vídeo a única parte que chamou minha atenção foi quando falaram que quem quisesse podia trocar o e-mail pelo ticket nas máquinas automáticas, não precisava ser na bilheteria. Eu achei ótimo, porque pensei “AHÁ! A máquina vai me dar o ticket mesmo eu estando atrasada!” – o que na verdade não fazia sentido, porque não dá pra convencer uma máquina se ela decidir que você perdeu seu horário.

Quando o ônibus parou eu fui a primeira a descer, sai andando muito rapidamente em direção as máquinas, já estava com o e-mail da compra na mão. Cliquei nos botõezinhos e passei o código de barras que vinha no e-mail e... ELE ACEITOU! :D A máquina então liberou meu ingresso e lá, amigos e amigas, constava os seguintes dizeres:

“Entrada entre 18:00 e 18:30”.

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH MULEQUE! Olhei no relógio e eram... 18:28!!!

Ainda faltava um obstáculo! Então, voei pra porta de entrada, entreguei meu ticket, o rapaz passou no leitor e “Seja bem vinda!”.

Ah meu Deus, nessa hora eu queria chorar. Nem acreditei. Estava tão aliviada que senti minhas costas perdendo 20 kg de tensão. Nunca. senti. tanto. alívio. na. minha. vida.

Finalmente respirei fundo, e fui usar o banheiro hahahahaha

Não tinha conseguido usar o banheiro desde que saí do hostel de manhã! Estava muuuuuuuuuuuuuito apertada. No parque os banheiros ficam em lugares específicos, e eu ia ter que andar demais pra chegar em um. No museu eu cheguei a ir ver, mas nos dois banheiros que encontrei tinham filas enormes de criancinhas em passeios da escola. E, depois, bom, depois usar o banheiro era o último pensamento na minha cabeça.

Assim que você chega no salão de entrada do estúdio tem uma Starbucks do lado esquerdo, banheiros a frente e a gift shop fica do lado direito. A entrada do tour também fica logo em frente.

_DSC0138.thumb.JPG.81f0b811274d30c8302bbce1012f59ff.JPG

_DSC0141.thumb.JPG.06f94e091f3f7eebce0ba03ce9120add.JPG

_DSC0145.thumb.JPG.ad54231aa19ba44fa2b2dca6369efda6.JPG

Quando saí do banheiro ouvi eles anunciando o último tour do dia, que começava as 18:30. Eles avisam no próprio site que o tempo médio de duração é de três horas. Eu queria ter conseguido chegar as 18h porque me conheço, e se outras pessoas fazem em 3h, eu faria em 4h com facilidade, mas enfim, não deu!

Primeiro você entra em uma sala onde são passadas algumas informações, antes do início do tour propriamente dito, e foi onde eu fiquei sabendo que o último ônibus de volta pra estação de Watford Junction partia dali ás 21:40, ou seja, ia ter que sair do estúdio umas 21:30 ¬¬ Não curti.

Depois disso já começa o passeio, eles passam um filmezinho de introdução e depois você já fica livre para explorar por conta própria.

_DSC0153.thumb.JPG.b780f754d19f2aa377441ee00343f899.JPG

_DSC0213.thumb.JPG.edae3f52f413e20812aadf26bdb41288.JPG

Não vou entrar em detalhes, é uma coisa mais específica então, de modo beeem geral: existem os cenários montados, da forma como ficaram depois dos últimos filmes, atividades interativas, exposições com maquetes e desenhos e toda a parte artística e criativa dos filmes também. A parte mais legal foi o Expresso de Hogwarts <3 Sim, ele é de verdade e você entra nele!!! Depois tem um lugar onde você pode comprar uma cerveja amanteigada com a caneca de souvenir (£ 6.95) e dar uma descansada. Minha opinião: a cerveja é ruim pra caramba, mas você precisa tomar pra comprovar por si próprio ::lol3:: 

_DSC0232.thumb.JPG.91aff516d073d23284e84e52ca322003.JPG

_DSC0243.thumb.JPG.aa5ea55c96bd68cc65b49dce3707f24f.JPG

_DSC0259.thumb.JPG.af060b14dfd2014d6d232d0f639a3a75.JPG

_DSC0301.thumb.JPG.d44f8e47eddaa1b85101b2d5e288923e.JPG

_DSC0358.thumb.JPG.8fd53b718e0f9c8154b311c0c5f9f975.JPG

A parte mais mágica, pra mim, que encheu os olhos de lágrimas, foi o Beco Diagonal. Com trilha sonora e tudo.

_DSC0466.thumb.JPG.4ea66252264a9f396d2127b55330d7d5.JPG

A última parte do passeio é na sala onde fica a maquete de Hogwarts que era usada para as filmagens áereas, e é muito linda e perfeita! *_* Também tem trilha sonora, é de encher uns baldes viu... só quem cresceu com Harry Potter pra entender a emoção de estar nesse lugar <3  É como se sua carta de Hogwarts tivesse, finalmente, chegado.

_DSC0476.thumb.JPG.e0b9ab5897e1b4ebb5492076b0fa6703.JPG

No fim do passeio você sai dentro da loja do estúdio, e mano, dá pra fazer um estrago lá viu. Tem de tudo! As varinhas de todos os personagens, roupas, acessórios, canecas, jogos de cama, toalha de banho etc etc etc. Muita coisa mesmo! Como eu já sabia que tudo era muito caro, decidi que não compraria nada lá, ia procurar em alguma loja estilo Primark ou em Camden Town por camisetas mais baratas. A única coisa que não deu pra não comprar foi uma caixinha de Feijõezinhos de Todos os Sabores e dois Sapos de Chocolate, um pra mim e um pro meu irmão. Custou um rim e uma córnea, mas não tinha como não comprar haha

WP_20170608_048.thumb.jpg.6e3943d09197dc1a36af60dd215158bb.jpg

WP_20170608_055.thumb.jpg.afcbe78764b093449c4ae454a21b661e.jpg

Fiquei meio puta por causa da situação do ônibus sair as 21:40, porque isso me fez correr no final do tour e mal tive tempo de ver muita coisa da loja. Não faz o mínimo sentido o último ônibus sair as 21:40 se o estúdio só fecha as 22h, mas enfim, decidi que não ia me atrasar pra mais nada nesse dia, então fui pro ponto as 21:30 rs

WP_20170608_056.thumb.jpg.ac9e9b9ec823703b36922b7c4b2d21ec.jpg

Voltando pra Watford Junction, tinha um trem saindo em dois minutos, então só deu um monte de gente – vários fantasiados de bruxos, por sinal – cheios de sacolas correndo que nem doidos pela estação de trem hahaha

A volta foi de boa, tudo que podia ter dado errado naquele dia já tinha dado hahaha Em Euston, peguei o metrô pro hostel e cheguei lá quase 22h30. Depois disso ainda fui tomar banho e comer. Não lembro bem o que comi, mas acho que deve ter sido Pringles de novo. Sim, minha alimentação nessa viagem foi exemplar (y). Ainda liguei pra casa pelo Skype. Fui dormir tarde, já era quase 1h.

 

GASTOS

Ingressos £ 39.00 (Harry Potter Tour)

Transporte £ 20.40 (passagem de trem + ônibus)

Souvenirs £ 40.75 (2 canecas de cerveja amanteigada + 2 sapos de chocolate + 1 feijãozinho)

 

 

 

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amanda, posta sobre o resto da viagem! hehe

Seu relato é muito divertido de ler e tem me ajudado MUITO na preparação da minha viagem, que tem o roteiro quase igual. Conta sobre a Escócia please <3

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amanda, eu EXIJO o restante deste relatório! kkkkkkkkkkkk

Seu relato tem sido uma biblia para mim, pois eu estou planejando viajar para Inglaterra e Escócia no ano que vem. Seus posts são tão completos, que parece que já fui e voltei! kkkkkkk Amando aqui! 😍

Por favor, não abandone este projeto de nos contar suas peripécias por aqui!

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

gente divina do céu!!!

não recebi as notificações de comentários do post e realmente desandei da vida porque tava estudando pra concurso, mas agora tô de volta!!! prometo que agora no feriadão vou tentar postar o restante! o pior é que tá tudo escrito só não tive tempo de postar mesmo... essa semana SEM FALTA eu posto!!! 

muito obrigada pelo carinho e pelos comentários!!! 😘😘

  • Gostei! 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

DIA 6 – 09/06/2017 – SEXTA-FEIRA

Nesse dia meu plano era visitar o British Museum. Já tinha me conhecido como turista o suficiente nesse momento pra fazer qualquer plano além desse hahaha meu único outro objetivo era conhecer Covent Garden no fim do dia, mas esse não tinha hora pra fechar, então de boa.

Acordei cedo com o corpo meio dolorido – provavelmente porque andei muito mais do que tinha planejado no parque no dia anterior – então voltei a dormir mais um pouco. Também não podia esquecer que eu tava de férias né. Quando saí do hostel já eram 11h.

Eu tinha planos de comprar uma segunda mala, no fim da viagem, porque a minha tinha vindo no limite de espaço, então não caberia nada que eu comprasse. Tinha pesquisado e vi que na Primark vendia malas com bons preços, então fui pra lá antes de começar meu dia turístico. Desci na estação Tottenham Court Road e fui na Primark Oxford Street East.

_DSC0511.thumb.JPG.6cffcb423d59f023f37d169cc3894ebf.JPG

Gente do céu. O que é aquele lugar.

_DSC0519.thumb.JPG.f3cef9aee1d57316cc1229bfaa85f467.JPG

Primeiro que aquela nem é a maior loja deles ali, mas já era mega enorme, com quatro andares e tinha de tudo para todos os gostos! E, realmente, muita coisa muito barato!

_DSC0520.thumb.JPG.720dca21f68969107fdcf2af234860ce.JPG

Foi difícil passar incólume, ainda mais porque demorei eras pra achar onde ficavam as malas, e andei por todos os setores haha Mas venci! Saí de lá sabendo que iria precisar comprar uma mala maior do que a minha, e não uma igual, como era meu plano, porque né haha

_DSC0525.thumb.JPG.a166f98dad238bb61c3b75b6e5c44345.JPG

Quando voltei pra rua decidi que faria pelo menos uma refeição no horário certo nessa viagem haha e várias pessoas já tinham me falado a respeito do bendito Shake Shack, então, quando sai da Primark e comecei a andar em direção ao Museu, acabei passando na frente de um e pensei “É HOJE!”.

Nossa gente, que alimento maravilhoso que era aquele! HAHAHA Tava comendo tão mal até então, e minha única experiência com hambúrguer tinha sido o McDonalds-blergh e o hambúrguer do pub que também não tava aquelas coisas, então fiquei tão feliz por encontrar alguma coisa que eu gostei ❤️

7.1.thumb.jpg.07a630e922a34da4956131da35e4052a.jpg

Não era muito barato, um hambúrguer, uma porção da famosa batata frita com queijo e uma limonada saíram por £ 12.25. Era o valor de um almoço num pub, basicamente.

Agora a melhor parte dessa experiência foi a atendente... gente, melhor pessoa da vida me atendeu lá! Hahahaha Na minha segunda visita a esse estabelecimento descobri que o nome dela é Amanda, daí ficou explicado o porquê dela ser tão incrível obviamente xD Mas ela é um doce, eu tava meio perdida porque, obviamente, nunca tinha ido lá, e quando você passa pelo caixa eles te dão aquele controle que vibra e apita quando seu pedido está pronto, mas eu não sabia onde retirar o pedido e nem onde sentar, porque o lugar tava cheio. Ela me viu parada olhando pros lados que nem barata tonta, então fui perguntar onde eu retirava o pedido e ela, muito desinibida, pegou o controle da minha mão e disse “não se preocupa com isso querida, onde vai sentar?”, como a única mesa vazia era uma enorme, ela limpou uma mesa de dois lugares que um rapaz tinha acabado de sair e me acomodou lá. Então me perguntou se eu queria ketchup e maionese, e, quando meu controle apitou, ela pegou meu pedido pra mim, passou pela mesinha onde ficam todos os “acessórios” do lanche e já trouxe direto na minha mesa ❤️ Ela conversou um pouco comigo, enquanto zanzeava pelo lugar limpando as mesas, atendendo outras pessoas e tal. Muuuito gente boa!

Quando sai dali estava estufada depois de fazer uma refeição completa pela primeira vez em 7 dias. Segui meu mapa caminhando e então cheguei no Museu Britânico.

_DSC0533.thumb.JPG.8563e03c890b71f0051a6905aabe9f49.JPG

Aqui foi onde enfrentei a maior fila de toda a viagem. Mesmo sendo gratuito e não tendo bilheteria nem nada. A segurança aqui foi a mais minuciosa, o que fazia a fila andar um pouco mais devagar. Deve ter demorado uns 15 minutos no total.

Uma vez dentro do museu decidi que ia fazer o negócio do jeito certo. Fui até aquela parte central, do teto bonito, e lá aluguei um áudio guia por £ 6. Também peguei um mapa do museu por ali. A entrada é gratuita.

_DSC0557.thumb.JPG.e7df3dd844d1bbf7312258f43c47ba59.JPG

Como o museu é bem enorme, decidi primeiro ver as coisas que mais me interessavam e depois, de acordo com o tempo, visitar o resto. As sextas-feiras o museu fica aberto até as 20h, então já tinha planejado visitar nesse dia pra poder ficar ad eternum lá dentro, sem nenhuma preocupação de horário :D

Comecei pelas alas do Egito e Grécia e Roma Antigas.

_DSC0577.thumb.JPG.a1bfba4509230cbdc1264ce08e27a130.JPG

_DSC0583.thumb.JPG.fbd003ae21046e1f9413ce21a79a997e.JPG

_DSC0586.thumb.JPG.4f1b182d2c4179cd0fb466b6aa0f4a79.JPG

Depois fui para a área da Europa, Oriente Médio, Ásia, Américas e por último visitei a ala Africana. O museu é separado por alas tanto de épocas quando de locais, então fica mais fácil ir direto no que quer ver ou simplesmente seguir o roteiro andando por tudo.

_DSC0648.thumb.JPG.b4754a6f6efb7e5ca58cf2b0f6ed5372.JPG

_DSC0664.thumb.JPG.47998eeca62ac08f17da3028da1fc7dc.JPG

_DSC0676.thumb.JPG.01fefe03f6195676a82190934518248c.JPG

_DSC0697.thumb.JPG.861a9b98b29fd645f5dffaecd822219e.JPG

_DSC0771.thumb.JPG.6fbc8a4b51079b6fcd0448ec398dd0af.JPG

_DSC0780.thumb.JPG.e464b05191a25eab3c53a05d74217614.JPG

_DSC0785.thumb.JPG.173bc163ba0b02da6dbc3159e2ea7c3f.JPG

Ninguém me tira da cabeça que esses dois são Voldemort e o Michael Sheen!

_DSC0826.thumb.JPG.e23a94bc7e5587cf3cba7fe19f174a60.JPG

_DSC0846.thumb.JPG.5dfa35f795eebb43208b3e4de958c046.JPG

Acho que andei pelo museu todo. Se vi tudo... não. Até porque tem certas coisas que são bem específicas, e deve interessar mais a quem já tiver algum conhecimento a respeito, então você acaba olhando de longe e é isso aí.

Outras coisas são bem interessantes pra qualquer pessoa, eu acho. Como a Ala Egípcia e as partes do Parthenon.

Algumas coisas que me interessaram bastante foi a sala com o que restou do Mausoléu de Halicarnasso (uma das 7 Maravilhas do Mundo Antigo), as peças de xadrez de Lewis, as múmias, a sala com os relógios, e, incrivelmente, porque eu não achei que gostaria tanto disso, a sala com as cerâmicas chinesas... achei uma graça! J

Dentro do museu só comprei um suco de laranja, que foi bem caro, £ 3.

Quando saí do museu já eram mais de 19h, então, apesar de cansada, decidi seguir com meu planejamento e fui até o Covent Garden.

_DSC0868.thumb.JPG.0e5c34d695daf71f2906e38dfc64d2a8.JPG

Achei o lugar muito lindo! Eu acho que teria sido mais legal visitar acompanhado de alguém, porque daí você poderia sentar em uma das mesinhas, pedir alguma coisa pra lambiscar em um dos restaurantes e só ficar ouvindo os artistas cantando ao vivo por lá. Sozinha não deu graça de fazer isso haha

_DSC0873.thumb.JPG.9184597be6dd71c3814ea2ddea41c59b.JPG

Comprei dois macarons na Ladureé (£ 3.70) e sentei numa calçada, do lado da St. Paul’s Church, e comi enquanto via o movimento. Tem alguns restaurantes com espaço no terraço do prédio, então pra quem quiser ir lá para jantar deve compensar reservar antes e pegar uma dessas mesas, com a vista exclusiva lá de cima.

_DSC0890.thumb.JPG.eb7cc1fdda276d158f7be6b7d69b3591.JPG

Não fiquei tanto tempo lá, devo ter andando cerca de 1h.

De lá fui pro hostel e me recolhi mais cedo, nos dois dias seguintes iria fazer daytrips e queria dormir bem, pra não correr o risco de perder a hora e o trem por falta de sono!

 

GASTOS

Alimentação £ 18.95 (Shake Shack + Suco de Laranja + Macarons).

Áudio guia £ 6.00.

 

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

DIA 7 – 10/06/2017 – SÁBADO

Bom, nesse ponto vocês devem estar pensando “a viagem dela foi tranquila o suficiente, nenhum grande perrengue ou grande aventura aconteceu, que bom que deu tudo certo”. Oh dear, oh dear, oh dear.

Hoje começam uma série de eventos dos quais eu chamo carinhosamente de “o trem me perdeu” HAHAHAHAHAHA

Meu dia começou ok o suficiente. Meu trem saindo de Paddington para Bath estava marcado para as 08:30, então acordei as 07h, me arrumei, arrumei minha mochila com as coisas que ia precisar no dia (câmera, meu GorillaPod, um pacote de Pringles, garrafa de água e chocolate) e parti rumo à estação lá pelas 07:50.

Comprei a passagem pelo site da Trainline, e paguei £ 29.00 pela ida e volta.

Não havia recolhido meus tickets nas máquinas ainda, por motivos de: esqueci (e também não havia passado por nenhuma estação de trem, exceto o dia do Harry Potter, que foi daquele jeito).

Meu caminho no metrô seria Swiss Cottage-Baker Street e Baker Street-Paddington. Não me perguntem o que deu errado, porque eu não sei. A estação de Baker Street é enorme, então dentro dela eu realmente andei bastante, mas mesmo assim não explica o que aconteceu haha

Cheguei na estação de metrô de Paddington, subi até a estação de trem, e, novamente, me assustei com o tamanho do lugar, mas, como já estava em cima da hora e eu já havia meio que aprendido como funcionavam as estações, fui direto nas máquinas para retirar meu ticket.

Tive que aguardar na fila até liberar uma máquina, mas daí foi rapidinho, é só digitar o código que vem no e-mail e inserir seu cartão de crédito que ele já libera as passagens.

Peguei elas, eram 08:26. Eu nem pensei que perderia o trem, porque dá pra correr pra qualquer lugar lá dentro nesse tempo. Então voltei pra frente dos telões, encontrei o trem que ia pra Bath – que por sinal já era o próximo a partir – e então, onde deveria estar escrito “Bath – 08:30 – Plataform X  (número da plataforma)” estava escrito “Bath – 08:30 – Plataform (sem número nenhum)”.

Quando ainda não foi anunciada em qual plataforma algum trem vai embarcar, ela fica desse jeito, só aparecendo o destino final e o horário que vai partir, mas a partir do momento em que a plataforma é anunciada, geralmente uns 15~20 minutos antes do horário de partida, o número da plataforma aparece. No meu caso, é claro, não apareceu.

Eu fiquei tão “WTF?” que demorei a perguntar pra algum guarda, ele também foi olhar na plataforma – como se eu não tivesse acabado de fazer isso -  e quando viu que estava daquele jeito, e foi perguntar pelo rádio, já tinha dado 08:30 e não dava mais tempo de pegar. Engraçado que em todas as estações que eu passei, se eu perguntasse de onde o trem de tal horário para tal lugar estivesse partindo, o funcionário sempre tinha na ponta da língua, exceto o bendito para quem eu perguntei nesse dia.

Mas decidi que isso não arruinaria meu dia, voltei, como o cão arrependido, pras máquinas de tickets de novo e fui ver quanto sairia uma passagem só de ida pra Bath naquele momento. Estava £ 32.90, então comprei.

É aquela coisa, se eu estivesse no Brasil ou se isso tivesse acontecido mais pro fim da viagem, quando eu estivesse me sentindo mais confiante com esse negócio de andar de trem, eu provavelmente teria ido até a administração brigar e pedir pelo ticket de graça, porque a falha foi deles, mas eu fiquei tão surpresa com o que aconteceu que nem pensei nisso na hora. Estava mais preocupada em pegar o próximo trem pra não acabar perdendo meu dia em Bath.

Minha nova passagem era pro trem que sairia as 09h, então aguardei pouco tempo até ser anunciada a plataforma, e já segui pra lá. ESSE EU NÃO PERDERIA!

IMG-20170610-WA0001.thumb.jpg.5d4ad8bf3670672b2979a285416bf1b3.jpg

A viagem foi super tranquila, esse trem não era direto, mas só tinha duas paradas logo saindo de Londres, depois era direto até Bath. O caminho é bem bonito, embora o trem passe bem rápido na maior parte do tempo. Mesmo assim deu pra conhecer um pouco da paisagem dos condados de Berkshire e Wiltshire. Já fui entrando no clima Austen ❤️

IMG-20170610-WA0002.thumb.jpg.3a28bc3c4c673f5d64286f8e054be682.jpg

O trem chegou as 10h30, e, saindo da estação, a direção é basicamente em frente haha Já havia olhado diversas vezes no google maps, então já conhecia o caminho.

Como tinha saído sem tomar café e estava com um pouco de fome, parei em um PRET A MANGER (restaurante/lanchonete) no caminho da estação até o centro histórico. Tinha uma rua muito bonitinha, cheia de lojas, parecia um outlet ao ar livre! Nada a ver com a ideia que eu tinha da cidade, mas mesmo assim era lindo ❤️

_DSC0314.thumb.JPG.53fc8b35a2f8f38c4585694be839be97.JPG

Comprei um sanduíche e um suco de laranja, deu £ 4.50, e tava uma delícia!

WP_20170610_006.thumb.jpg.a0c4b5f0f1dc7dd7c22f47f1a139acaf.jpg

Quando se olha a cidade no mapa, tudo já parece perto, mas, lá... é mais perto ainda! Senti que não tinha andado nada e PUF! Olhei pro lado e lá estavam as Termas Romanas, virei uma esquina e pronto, Abadia de Bath! A parte histórica e turística da cidade é toda juntinha, uma graça!

_DSC0906.thumb.JPG.94034c3bb51e5691185653a8276dfea9.JPG

A Pultney Bridge também fica bem próximo, é só ir na direção do rio por trás da Abadia, e pronto, olhou pra esquerda e lá está a ponte. Lindeza demais gente ❤️

Quando cheguei na praça onde fica a entrada das Termas Romanas e da Abadia de Bath, vi que as Termas tinham fila e a Abadia não, então, obviamente, pensei “vou na Abadia primeiro”. Mas quando cheguei na entrada, tinham dois senhores muito simpáticos informando que a Abadia só abriria para visitas naquele dia das 16:15 as 17:30. Tava explicado.

_DSC0928.thumb.JPG.292579688f559d2130196a0dc6fcb949.JPG

Aqui percebo que menti haha, a maior fila que enfrentei não foi no Museu Britânico, foi aqui! Entrei na fila das Termas Romanas cerca de 11h e estava bem grande. Demorou uns bons 20 minutos até entrar, e quando entrei percebi que lá dentro a fila continuava até a bilheteria, onde fiquei mais uns 10 minutos. O ingresso custou £ 15.00, com áudio guia incluído.

Quando você sai da bilheteria, já entra naquela parte de cima das termas.

_DSC0940.thumb.JPG.96e578e64d6ce2db45117662f5c621de.JPG

Eu sempre achei esse passeio interessante, mas, ao mesmo tempo, meio sem graça, porque na minha cabeça era só aquela parte das piscinas e é isso aí, e, gente... é tão mais que isso! O lugar é enorme, tem muita coisa pra dentro do prédio e até subterrâneo que você fica de boca aberta em pensar que tudo aquilo foi construído a 2 mil anos!

_DSC0971.thumb.JPG.43de9526840797a82887e416648ec084.JPG

O lugar é muito interessante e vale demais a visita.

_DSC1037.thumb.JPG.de6234bc82917336c61dc185d90d231c.JPG

Liguei pra casa uma vez depois do passeio e disse “nossa, você conseguia cheirar a antigueza do lugar”, minha mãe tirava sarro “você quer dizer séculos de mofo?” hahahaha

_DSC1015.thumb.JPG.41d98b872cc37a9d7926eb935e4287b3.JPG

E é tipo isso, o lugar é muito antigo, e em alguns lugares específicos onde é bem úmido o cheiro de mofo é realmente bem forte. Eu tenho rinite e sou bem alérgica, mas graças a Deus não tive nenhuma reação feia.

_DSC0028.thumb.JPG.0a19974941603e51853433d9828c3cc3.JPG

Tinham me dito que a Europa na primavera é o terror dos alérgicos, mas eu realmente não tive nenhuma reação. Espirrei um total de 2 vezes a viagem toda. Sim, foi tão pouco que cheguei a contar hahaha Não, mas é que quando eu espirrava eu ficava esperando pra ver se ia começar uma crise de espirros eternos ou era só uma coisa de momento mesmo!

Dentro do museu – porque é praticamente um museu sobre a vida romana na Inglaterra – existem várias esculturas, maquetes, vídeos exemplificativos, painéis de informações... É um passeio bem completo e você sai de lá sendo capaz de entender como funcionava toda aquela estrutura e sua importância pra vida romana naquele tempo.

_DSC1028.thumb.JPG.8b5a7245a4e07abf9a5effb4bcc9be36.JPG

Demorei bastante lá dentro, e dessa vez não intencionalmente, é que tem muita coisa pra ver! Quando achei que tinha acabado, a gente saiu na parte debaixo, bem onde fica aquela piscina principal. Lá é onde o passeio termina, depois só tem uma gift shop no caminho pra saída. O negócio é tão antigo que você tem que caminhar com cuidado perto da borda da “piscina” porque as pedras ali são as originais e algumas chegam a estar meio soltas... tem que prestar atenção pra não tropeçar por ali.

_DSC1050.thumb.JPG.2fc798ca216252f8f81e372d300693fc.JPG

_DSC0024.thumb.JPG.93ea90cdb1de3ec31e2545c74525fc9a.JPG

Como havia chegado um pouco mais tarde na cidade, fiquei com medo de não dar tempo de fazer tudo o que eu queria – embora a cidade seja realmente pequena e eu não precisava ter me preocupado – assim que sai dos Banhos já comecei a subir em direção ao Circus e ao Royal Crescent.

Assim que virei na primeira esquina passei na frente de uma Boots e uma Superdrug (ambas farmácias, e, aparentemente, uma não vive sem a outra porque pqp, em todos lugares elas estavam lá, lado a lado!), também tinha uma Primark em frente a Boots e, logo em seguida, a loja onde eu descobri como a vida pode ser boa: Poundland!

Gente, pirei ein. Duas garrafas de 600ml de refrigerante por £ 1, barra de Toblerone grande por £ 1, três Kinder Bueno por £ 1, dois sorvetes estilo Magnum £ 1, sério, mil coisas. Nem lembro o que comprei, mas sei que foi um monte de coisa desnecessária haha Paguei o equivalente a £ 11 de produtos e ainda tive £ 1 de desconto por ter comprado menos de 15 unidades hahaha

Também na rua a caminho do Royal Crescent, passei em frente ao Jane Austen Centre ❤️ É muito fofinho! Eu sabia que ele existia mas eu achei que fosse só uma loja temática de Jane Austen, mas na verdade é um museu que usa ela como tema para retratar a vida de uma casa na época da Regência. Tem um ingresso que custa algumas libras (não sei quantas porque não entrei), e a loja que é aberta para qualquer pessoa. Só fui nela.

InstagramCapture_cb56e6c1-4aad-4b09-8647-1bd86a47a1c0.thumb.jpg.168aa18bbd93d3d6b0d210de8a6f62e4.jpg

Tem camisetas, moletons, canecas, livros, chaveiros, cartões e mais várias coisas relacionadas aos livros. Comprei um cartão postal de Persuasão, que vem com ilustrações de algumas cenas do livro e é lindo ❤️ Tinham de todos os livros e eles são em tamanho maior do que um cartão normal, custa £ 1 cada. Por algum motivo que não sei explicar decidi que não compraria um de cada ¬¬ Hoje me arrependo MUITO. Comprei também uma plaquinha de madeira com uma cordinha de pendurar (£10). Ela é pequena e vai ficar uma graça assim que eu conseguir arrumar um espaço no meu quarto haha Nela vem escrita a frase mais reconhecível de Austen, eu creio, que é a primeira frase de Orgulho e Preconceito, “É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro, em posse de uma boa fortuna, deve estar à procura de esposa”, em inglês, obviamente. Em 1800 era “aaaaaaaaaw”, hoje em dia a gente lê isso e é “ah tá” hahahahaha Mas não deixa de ser um clássico! ❤️

Terminei de subir a Gay Street, até chegar no The Circus, a construção é bem bonita, pena que nas fotos não pega o círculo completo.

_DSC0069.thumb.JPG.0e29165282f036d530fb378f3ed53867.JPG

_DSC0147.thumb.JPG.c451bc4b14890ba445740cc678bf0086.JPG

Você segue pela rua a esquerda e já está no Royal Crescent, que é mais lindo ainda!

A cidade toda é encantadora, tanto a parte mais velha, na qual a maioria das construções são de 1700’s, quanto a parte mais nova, perto da estação de trem, que também é muito gracinha!

_DSC0125.thumb.JPG.cba5b578ea6a68b7462d441fd5ca7f38.JPG

Em Royal Crescent tem uma área verde estilo parque que fica bem em frente das casas, haviam várias pessoas por lá curtindo a tarde de sábado.

_DSC0093.thumb.JPG.a3088d13ff2eb8b13966af41efcb11bb.JPG

Nesse momento já eram quase 16h e eu decidi ir ver a Pultney Bridge antes de visitar a Abadia, porque quando saísse dela já deveria ir para a estação de trem, porque aquela minha passagem já comprada de volta (e que eu perdi a ida) era 17:40.

Passei em frente ao Jane Austen Centre novamente e perguntei para o senhor que fica vestido a caráter lá na frente o caminho mais rápido para a Pultney Bridge. Ele mais ou menos me indicou e eu também já tinha uma ideia, então rapidinho cheguei lá.

_DSC0177.thumb.JPG.26c04d77af712c02a9bed71a6996d31d.JPG

Se tivesse mais tempo, teria dado a volta pra ver ela de ambos os lados, mas só por ali a vista já é linda!

A ponte é muito bonita e é uma das únicas quatro pontes no mundo a ter lojas em cima dos dois lados (assim como a Ponte Vecchio, em Florença).

_DSC0189.thumb.JPG.9655809ec611e790ae29c35634af64e0.JPG

Existe algum tipo de passeio que passa pelo rio Avon, que corta Bath, mas não cheguei a pesquisar, só vi alguns botes no trecho mais próximo das escadas d’água, bem próximos da ponte mesmo.

Depois fui para a Abadia, entrei quando eram 16:10, eles haviam aberto um pouco antes e não tinha quase nenhuma fila. É uma daquelas coisas... quem pega aqueles tours que visitam várias cidades no mesmo dia, acabam perdendo a oportunidade de visitar alguns lugares caso isso aconteça (de abrir só no fim da tarde ou no começo da manhã), porque pode acontecer de o horário de funcionamento variar em lugares que não são apenas pontos turísticos, mas prédios em funcionamento com uma comunidade que se utiliza dos serviços.

_DSC0197.thumb.JPG.faf21dbca0946396ce735301252f3b21.JPG

Haveria um passeio guiado até as torres da Abadia umas 17h, mas eu não quis fazer, só visitei a Abadia mesmo, que era gratuita. Eles sugerem uma doação no valor de £ 4, mas na entrada ninguém ficou mendigando a doação não. Entrei, disse que queria visitar só a Abadia, ela me deu o ingresso e foi isso aí. O valor do passeio até as torres é de £ 6, e é obrigatório a compra do ingresso na bilheteria no dia do passeio.

Ela é linda por dentro, muito alta e grande, os arcos no teto são lindos e os vitrais mais ainda.

_DSC0192.thumb.JPG.b62cc6952c6e648e96bdf5052f17d114.JPG

Existem algumas capelinhas anexas a grande nave, as quais você acessa por portas nas paredes laterais, elas são mais simples mas ainda sim bem charmosas.

_DSC0243.thumb.JPG.abd2e80d80360836ecf69d422c38dc93.JPG

Entrei, sentei um pouco e fiquei observei o teto, depois comecei a fazer o círculo dentro da igreja em si. Devo ter ficado uma meia hora lá dentro passeando. Dá pra ficar mais se for muito ligado em arquitetura, mas para leigos, quem só olha e acha bonito, uns 30~40 minutos é suficiente para explorar a Abadia toda.

_DSC0258.thumb.JPG.54069e73e91915ce94caca5321cd5b28.JPG

_DSC0225.thumb.JPG.299ef2c89b3707f23ada4d1f6197b305.JPG

Quando estava indo para a saída, vi uma daquelas estruturas de ferro onde queimam as velas acesas pelos visitantes. Fiz uma doação de £ 2 e acendi uma também.

_DSC0302.thumb.JPG.89165c7eaffbdd4292a648bf3a819bde.JPG

Sai da Abadia, tirei mais umas fotos da praça e da igreja e fui caminhando sem pressa, observando a cidade no caminho para a estação de trem. Chegando lá ainda faltavam uns 15 minutos pro trem, então utilizei o banheiro e depois fui na Starbucks que tinha na estação, comprei um Frapuccino de chocolate tamanho médio, £ 3.25 (nada na Starbucks é barato).

_DSC0332.thumb.JPG.ccf512deef8bdc831c95461ac03d1d9a.JPG

Vale ressaltar uma coisa, que era uma dúvida cruel que eu tinha antes de viajar... todos os banheiros que precisei usar na rua – fossem restaurantes, estações de trem, aeroportos etc – tinham limpeza impecável! E todos tinham papel também haha

Só em um lugar que eu tive que usar, antes de embarcar no ônibus noturno que me levou de Glasgow a Londres, tive que pagar pelo benefício. Não lembro exatamente, mas não era barato! Foi tipo £ 1.50 para usar o banheiro da rodoviária de Glasgow, e chegando na estação de ônibus de Victoria também precisava pagar, então segurei e só utilizei no hostel, quando entrei. Achei sacanagem isso, porque em todos os outros lugares era gratuito... não entendi, mas enfim.

Quando o trem chegou, só procurei meu assento e fui embora de volta pra Londres, tomando meu Frapuccino e comendo algumas das porcarias que tinha comprado na Poundland (um salgado tipo Cebolitos e Pop Tarts!).

Já cansei de falar, minha alimentação nessa viagem foi longe de exemplar, mas juntou a comida de gosto (tempero) estranho e minha falta de apetite mesmo... deu nisso haha

_DSC0337.thumb.JPG.8dfe31651cd711e54c11e32a825bb816.JPG

Foi cerca de 1h40m no trem de volta, e ao descer na estação de Paddington vi o primeiro quiosque do Burguer King que vi na viagem toda. Detesto McDonald’s, mas adoro um BK! Então pedi um Whoper (só o lanche) pra viagem (£ 4.90), e fui direto pro hostel, o combo sairia £6.90.

Tomei banho, jantei e liguei pra casa. Fui dormir um pouco mais cedo também, acho que eram umas 22h30. No outro dia iria para Cambridge e decidi acordar ainda mais cedo, pra não correr o risco de perder mais um trem haha

Não sei se cheguei a comentar, mas o sinal do meu 4G da Vodafone não pegava muito bem no meu quarto, porque ele ficava num nível abaixo da rua, mas o sinal do wifi do hostel funcionava super bem. E foi o único lugar onde eu consegui assistir Netflix antes de dormir haha Em nenhum dos outros hostels o wifi aguentava carregar os vídeos!

 

GASTOS DO DIA

Atrações £ 17.00 (Termas Romanas + doação na Abadia de Bath)

Transporte £ 61.00 (£ 29.00 das passagens pré adquiridas + £ 32.00 da passagem comprada na hora)

Alimentação £ 22.90 (Pret + Poundland + Starbucks + Burguer King)

Souvenirs! Comprei cartões postais, as coisinhas na loja da Jane Austen e marca páginas da Abadia. Tudo deve ter dado umas £ 20.00.

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Mari D'Angelo
      Post original com fotos e mapa aqui: http://www.queroirla.com.br/2-dias-em-edimburgo/
      O som da gaita de fole em cada esquina anuncia a chegada em Edimburgo, capital da Escócia, cheia de história e fantásticas paisagens! A cidade tem seu lado “novo”, simétrico, marcado por exemplares das arquiteturas georgianas e neoclássicas. Mas o que realmente atrai os visitantes é a Old Town, com catedrais, praças, ruas e becos medievais.
       
      A maior atração é sem dúvida o Castelo de Edimburgo (£16.50/adulto), construído no topo da imponente Rock Castle e de onde se tem uma das mais belas vistas da cidade, especialmente nos dias de sol (que são raros, mas existem). O lugar é na verdade um complexo de pátios e edifícios com museus que contam a história do país, marcada por diversas guerras entre clãs rivais e principalmente contra a Inglaterra. Apesar da Escócia ser parte do Reino Unido, a rixa com os ingleses é visível ao ouvir os guias narrando os acontecimentos.
       
      Saindo do castelo, o cenário é o mais vibrante possível na Royal Mile, rua que se estende até o Palácio de Holyroodhouse, com diversas lojas de souvenir, bares, restaurantes e grande parte das atrações turísticas, como a Catedral de St. Gilles. O Tartan Weaving Mill é um lugar interessante para conhecer um pouco da história e fabricação dos kilts, outro clichê escocês ligado a tradição dos clãs. Apesar de ser na verdade uma grande loja, é possível acompanhar de graça a produção dos icônicos tecidos xadrez, chamados de tartan.
       
      Para os fãs de whisky, o Scotch Whisky Experience (£14.50/adulto) pode ser uma boa pedida, mas para aqueles que querem apenas experimentar a bebida, alguns pubs oferecem um menu de degustação onde é possível escolher a combinação de sua preferência de acordo com o tipo o região (a partir de £12.50). Nós escolhemos o Ensign Ewart, um lugar super aconchegante e autêntico apesar de estar bem perto do castelo. A tábua de queijos é o acompanhamento perfeito, com destaque para um tipo escocês chamado Morangie Brie, inesquecível!
       
      A old town de Edimburgo tem diversas passagens, chamadas de closes, onde na idade média viviam os menos endinheirados. Existem várias lendas que são contadas a turistas corajosos em tours espalhados pela cidade, muitos gratuitos.
       
      Entre as belezas naturais estão os lindos jardins que beiram a Princess Street (onde vimos até um esquilinho!), e o Arthur’s seat, uma extensa colina que presenteia aqueles que conseguem chegar em seu topo com uma vista 360º da cidade! A subida não é tão fácil, mas se o dia estiver bonito vale muito a pena!
       
      Outro lugar fantástico é o Calton Hill, que fica em uma posição mais central e além de um panorama incrível da área urbana de Edimburgo e do mar, ainda tem um conjunto de monumentos que faz parte de um período conhecido como iluminismo escocês, onde se destacaram grandes artistas e intelectuais como David Hume e Adam Smith.
       
      Um ícone muito fofo da cidade que quase passa desapercebido é a estátua em tamanho real de Greyfriars Bobby, um cãozinho que passou muitos anos indo visitar seu falecido dono no cemitério, causando comoção nos habitantes de Edimburgo.
       
      Por um golpe de sorte passamos pelo Palácio de Holyroodhouse (residência oficial da rainha na Escócia) bem na hora de começar uma apresentação da guarda real escocesa, que é como a troca da guarda inglesa mas muito mais legal, porque eles usam kilt (atualmente ele é usado apenas em eventos especiais) e tocam gaita de fole!
       
      Um dos lugares fora da rota que conhecemos foi o Water of Leith, um caminho arborizado a beira do rio para um momento de paz e tranquilidade entre um ponto turístico e outro.
       
      Até uma cerveja no bar pode ser diferente, o Panda & Sons por exemplo é um pub literalmente escondido no subsolo de uma barbearia, fazendo referência a época da lei seca nos Estados Unidos. Nós passamos em frente mas estava fechado no dia, e realmente não dá pra saber que é um pub, muito legal! No Jekyll and Hyde o ambiente sombrio é inspirado na história do médico e o monstro.
       
      Além disso, vale lembrar que para o fãs de Harry Potter, Edimburgo é o lugar perfeito, já que muitos lugares serviram de inspiração para J.K Rowling, que morou na cidade por alguns anos. Tem tours especiais para isso também! Como não sou tão conhecedora, só sei que o café The Elephant House é bem famoso por ser um dos locais onde o livro foi escrito, mas na real não tem nada de especial!
       
      Uma curiosidade é que com a reforma protestante na Escócia, muitas igrejas católicas perderam sua função original e hoje são usadas como pubs, restaurantes, espaços culturais e até hostel! Nós ficamos hospedados no Belford, que além de ser dentro da igreja, simula uma vila, onde os corredores são desenhados como se fossem ruas e cada quarto é decorado com um tema. Não é tão perto do centro mas é uma boa opção pelo custo-benefício.
       
      A única coisa que realmente não me agradou no país foi a comida. Talvez para carnívoros seja melhor, afinal o prato tradicional é o Haggis, que é algo como um bucho de carneiro recheado com vísceras! Mas pra quem é vegetariano (ou quase, como eu), as opções são bem restritas.
       
      Edimburgo também é bastante conhecida por seus muitos festivais, sendo que um dos mais populares é o Hogmanay, comemorações de ano novo que duram 3 dias, com diversos shows, eventos e claro, a tradicional queima de fogos. Dizem que é o melhor ano novo da Europa!
       
      Pra chegar ao centro da cidade é possível pegar o ônibus 35 ou o Airlink, que vai direto ao centro (£4.50/adulto). Aqui tem mais informações sobre todas as opções. Também é super fácil ir pra Glasgow de ônibus, demora menos de 2 horas e a passagem é bem barata pela Megabus.
       
      Ah, um último detalhe: como Edimburgo fica no Reino Unido, a moeda é a libra, e o nome da cidade é pronunciado mais ou menos como “Edimbrrra”.
       
      Post original com fotos e mapa aqui: http://www.queroirla.com.br/2-dias-em-edimburgo/
    • Por Mari D'Angelo
      Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/roteiro-3-dias-em-liverpool/
       
      Sim, 3 dias é bastante pra conhecer a pequena cidade inglesa berço da banda mais famosa do mundo, os Beatles! Mas quando rola uma passagem baratinha da Ryanair, vale a pena esticar a visita em Liverpool e conhecer com calma alguns lugares menos explorados.
       
      Ps. Não, infelizmente isso não é um post patrocinado pela Ryanair! Rs
       
      Para ir do aeroporto (que chama John Lennon Airport, já pra desembarcar no clima!) ao centro, pegamos o ônibus 500, que custa algo em torno de 2 libras e demora por volta de meia hora.
       
      Ficamos hospedados no Euro Hostel e gostei bastante! Bem limpo e profissional, fica no centro da cidade (quase vizinho do Cavern e outros pubs) e tem um café da manhã baratinho!
       
       
      DIA 1
       
      Já tínhamos feito um bate-volta a partir de Londres (leia aqui: http://www.queroirla.com.br/liverpool-para-beatlemaniacos-ou-nao/), mas sem tempo de conhecer muita coisa, então dessa vez começamos pelo que estava faltando, o The Bealtes Story. O museu é fantástico e conta a história da banda do início ao fim através de ambientes recriados, objetos originais – como o piano branco de John Lennon, fotos, vídeos e é claro, muita música! O áudio-guia é grátis e está disponível em várias línguas, inclusive português.
       
      O museu fica na Albert Dock, a região das docas que foi revitalizada e hoje é um agradável espaço com vários bares, restaurantes, lojas e museus. É um dos lugares mais caros pra comer, mas vale a pena dar uma volta por lá.
       
      Paramos pra comer no Wahaca, um tex-mex moderninho e gostoso, vale pelo ambiente e atendimento também!
       
      Seguimos caminhando até a St. Luke’s Church, uma igreja que foi bombardeada pela Alemanha nazista em 1941. O que sobrou dela foi mantido como homenagem aos que foram mortos na guerra. No momento estão reformando então estava fechado para visitação.
       
      Ainda sobre igrejas, visitamos também a Liverpool Cathedral, a maior catedral do Reino Unido! A rua em frente a igreja e várias outras nessa região são repletas de casinhas estilo georgiano, bem característico da Inglaterra.
       
      Ali do lado fica a Chinatown, que não passa de uma rua com um lindo portal chinês e várias lojas e restaurantes orientais (pra quem é de São Paulo, é tipo a Liberdade só que em escala bem reduzida!).
       
      Depois disso fomos tomar um pint no pub preferido do Lennon na época que morava lá, o Ye Cracke, que é um pub como qualquer outro, mas né!?
       
      De noite fomos no Cavern Club, é claro! Já falei sobre ele no primeiro post, mas foi o primeiro bar onde os Beatles se apresentaram. O local foi demolido e reconstruído exatamente igual ao original alguns metros para frente, hoje em dia rolam bandas cover incríveis! A entrada é free em alguns horários mas geralmente a noite custa £5.
       
      Na Mathew Street existem vários outros bares além do Cavern, inclusive o Cavern Pub, bem em frente, ele é quase que uma filial do “original”, geralmente mais vazio e com entrada free (mas não deixe de ir no “verdadeiro” por nada!). Rola música ao vivo na maioria deles.
       
       
      DIA 2
       
      Assim como da outra vez, também fechamos o tour pelo Fab4 Taxi, que passa pelos locais importantes na história dos Beatles. Estávamos em 3 então já saia mais barato do que o ônibus Magical Mystery. Dessa vez fechamos por 3 horas, então passamos por alguns lugares diferentes, como o hospital onde Lennon nasceu, as casas onde Lennon e Ringo nasceram, o pub que aparece na capa do primeiro disco solo de Ringo, Sentimental Journey, entre outros. Eles te buscam e deixam no hostel (ou onde preferirem, sendo caminho de volta deles).
       
      Leia aqui o post contando como é o passeio: http://www.queroirla.com.br/liverpool-para-beatlemaniacos-ou-nao/
       
      Uma curiosidade é que apenas as casas de Paul e John pertencem hoje ao patrimônio histórico britânico, isso porque foram lugares onde eles compuseram grande parte das músicas, e por esse motivo são hoje museus abertos ao público.
       
      No fim do tour o guia nos indicou o Philarmonic Dining Rooms, um restaurante/pub com mais de 100 anos, que impressiona pela arquitetura e decoração dos ambientes! Apesar da atmosfera aristocrática, o valor não é tão acima dos demais restaurantes, vale a visita!
       
      Pra terminar o dia fomos até a região do porto admirar um pôr-do-sol perfeito! Impossível não notar o imponente conjunto de prédios beirando o mar, a arquitetura diferenciada do Museum of Liverpool e a simpática estátua dos “quatro rapazes de Liverpool”.
       
       
      DIA 3
       
      Começamos o último dia subindo até o St. John’s Gardens, uma bonita e bem cuidada praça rodeada por edifícios históricos. Um desses prédios é a Central Library, que mescla o antigo e o moderno de uma forma fantástica! Mesmo que você não seja um entusiasta dos livros vale passar por lá, nem que seja só pela vista da cidade a partir do terraço.
       
      Seguimos para a Tate Liverpool, na Albert Dock, uma galeria de arte moderna e contemporânea com obras de artistas britânicos e internacionais. A entrada é free!
       
      Antes de pegar o ônibus de volta para o aeroporto paramos pra comer no Côte Bistrô, na parte mais moderninha do centro de Liverpool. Posso dizer que foi o segundo melhor mousse de chocolate da minha vida!!!
       
      Liverpool é uma cidade pequena e dá pra ser bem explorada a pé, vale passar um fim de semana ou como bate-volta de Londres!
       
      Post original com fotos e mapas aqui: http://www.queroirla.com.br/roteiro-3-dias-em-liverpool/


×
×
  • Criar Novo...