Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

casal100

Serra da Mantiqueira à pé - 1.100 kms pela Rainha dos caminhos (Jan/Fev 2018)

Posts Recomendados

Circuito das Águas de Minas Gerais 
19° dia  -  22.01.2018  -  Segunda-feira

Saída de Lambari e chegada a Olímpio Noronha Mg
+- 21 kms em aprox. 04:15hrs
Acumulado: 468 kms

Saímos mais tarde, tomamos cafezinho na pousada. Atravessamos o centro da cidade,  chegamos ao lago, como queríamos conhecer o maior bougainville do mundo viramos à direita e contornamos até a linda árvore de 18 metros de altura e muitas flores. No final do lago, entramos à direita numa rodovia asfaltada sem acostamento  com algumas subidas e descidas médias e muito movimento de veículos. Uns 8 kms adiante chegamos a Jesuânia,  pequeno município mineiro,  paramos numa padaria para tomar um cafezinho,  para nossa sorte, tinha biscoitão de polvilho azedo sem Glutén e lactose,  comemos 8..muito bom!
Na radoviaria viramos à direita e pegamos outra estrada asfaltada sem acostamento mas com pouco movimento de veículos, na saída da cidade o asfalto deu lugar a uma estrada de terra .  O sol forte já dava o ar da graça. Esse trecho de terra e bem tranquilo, praticamente reto, com muita criação de gado,  plantação de milho, café.

OLÍMPIO  NORONHA: cidade bem pequena, tem somente uma senhora em frente a rodoviária que aluga quartos simples,  um senhor está construindo uma pousada na cidade. Tem mercadinhos, bares, 2 restaurantes, parece que tem um posto dos correios e banco do Brasil.

Hospedagem: Pousada do Zé Miguel, fone: 035 99861-3971, em frente da rodoviária, camas duras, tv aberta na sala, banheiro compartilhado, cozinha. Preço: $25 por pessoa sem café da manhã e não fornecem toalha de banho (emprestaram para nós) - lugar bem simples.
A segunda opção é dormir em Carmo de Minas, tem 2 horários à tarde (13 e 13:30hrs).

Amanhecer no lago de Lambari- Mg

20180122_071102.jpg

Vista da cidade de Lambari e as montanhas 

20180122_072000.jpg

Estrada de terra com criações de gado 

20180123_064537.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hospedagem numa casa centenária.
20° dia  -  23.01.2018  -  Terça-feira

Saída de Olímpio Noronha e chegada a Cristina Mg
+-27 kms em aprox. 05:15hrs
Acumulado: 495 kms

Acordamos antes das 05 da manhã, comemos rapidamente e saímos.
Atravessamos toda a cidade, entramos estrada de terra com muita criação de gado de corte e leiteiro,  plantações de milho.  Trecho bem tranquilo, praticamente reto, em pouco tempo chegamos numa estrada asfaltada com acostamento estreito,  viramos à esquerda,  esse trecho é praticamente subida média. Alguns quilômetros chegamos no trevo para Cristina, entramos à direita numa outra rodovia asfaltada, e pegamos uma subida fortíssima até o topo  (1100msnm), fantástico visual de montanhas e Cristina lá embaixo,  aí começamos a descer até a cidade. Fomos numa pousada na saída da cidade, mas a dona não autorizou nossa entrada às 11 da manhã, então resolvemos pagar um pouco a mais e ficamos num lugar ótimo no centro da cidade.

CRISTINA: Pequena cidade mineira  (1060msm), grande produtora de ótimos cafés, um deles já foi eleito o melhor do mundo.  Tem Banco do Brasil, agência lotérica, pousadas (3), restaurantes, comércio bom.
Obs.: Linda e limpa cidade, povo hospitaleiro e tranquilo.

Hospedagem: Pousada Casarão,  ao lado da matriz, 035 3281-1205 e 99232-5658, camas King, tv aberta, ventilador, wifi, frigobar, banheiro privado. Preço : $85 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO
Obs.: casarão reformado com muito bom gosto, quartos novos com decoração linda.

Longa e forte subida até topo antes de Cristina - MG 

20180123_092607.jpg

Vista da pequena e bela Cristina - Mg

20180123_093740.jpg

Estrada de terra antes do topo

20180122_092309.jpg

Casarão centenário todo reformado, hoje pousada

20180123_125303.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Um dos caminhos mais bonito desta travessia

21° dia  -  24.01.2018  -  Quarta-feira
Saída de Cristina e chegada a Maria da Fé-MG
+-22 kms em aprox. 04:40hrs
Acumulado: 517 kms

Como o trecho era curto, saímos depois das 07 da manhã,  depois de tomar um excelente café da manhã preparado pelo pessoal da pousada,  serviço nota 10.
Atravessamos a cidade e pegamos rodovia asfaltada sem acostamento, pouco movimento de veículos  e praticamente reta.
Um ciclista parou para conversar conosco, ele sugeriu para nós conhecer o bairro "Beleza"(dista uns 8 kms de Maria da Fé).
O caminho até BELEZA :
Depois do bairro lambari tem uma placa à  esquerda sinalizando "bairro Beleza", entra nesta estradinha de terra,  sempre subindo,  chega numa fazenda grande do lado esquerdo  (com plantações de Café, pêssego e um lago),  continue subindo até uma bifurcação  (1310 msnm e 02:30horas de caminhada), vire à direita e continue subindo. LINDÍSSIMO visual de montanhas. Pouco tempo depois chegamos ao topo (1350msnm e 02:40hrs), depois subidas e descidas leves, criações de gado, após uma casa à esquerda começa outra subida forte, novo topo(1400msnm e 03:20hrs de caminhada) - OUTRO VISUAL FANTÁSTICO(um vale, as montanhas verdes e ao fundo, Cristina) UM DOS LUGARES MAIS BONITO DESSA VIAGEM.
Novamente descida forte até rodovia asfaltada,  a mesma que estávamos  (1290msnm e 03:35hrs) viramos à esquerda, pegamos a mesma estrada com algumas curvas fechadas e rapidamente chegamos à cidade(andamos 4 kms à mais).
Vimos um restaurante e entramos,  comemos um excelente Self-service à vontade por  $17 por pessoa, em cima funciona hotel do mesmo dono.
À tarde fomos conhecer a linda igreja matriz, as oliveiras,  e o centro.

MARIA DA FÉ: Pequena cidade mineira, 1275msnm, alguns hotéis e pousadas, restaurantes, ótimo comércio. Centro muito limpo e conservado, construíram lindos jardins onde era trilho de estrada de ferro, muitas oliveiras(algumas com azeitonas) pela avenida com parque para crianças brincarem. Tem agências do Banco do Brasil, caixa econômica Federal, Bradesco. GOSTEI dessa cidade.

Hospedagem: Hotel Dona Marta, fone: 035 3662-1293, perto dos bancos (CEF e Banco do Brasil) e do comércio,  camas boas , ventilador, wifi, limpo, banheiro privado. Preço  $60 por pessoa com café da manhã.

Fazenda centenária 

20180124_075606.jpg

Rodovia asfaltada sem acostamento 

20180124_075614.jpg

Entrada para o bairro Beleza

20180124_090425.jpg

Subindoooo

20180124_091550.jpg

Verde exuberante 

20180124_093324.jpg

Alguma sombra 

20180124_094102.jpg

Lindo visual do vale e ao fundo Cristina 

20180124_101216.jpg

Chegando em Maria da Fé 

20180124_114250.jpg

Oliveiras com muitas azeitonas 

20180124_135649.jpg

Oliveiras na praça,  prédio vermelho foi antiga estação ferroviária e à direita onde ficavam os trilhos, hoje construiram jardins e parques para as crianças da cidade. 

20180124_180125.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Conhecendo a capital do pé -de-moleque
Mais um caminho : caminho de Aparecida

22° dia  -  25.01.2018  -  Quinta-feira

Saída de Maria da Fé e chegada a
Piranguinho - Mg
+-32 kms em aprox. 06:40hrs
Acumulado: 549 kms

O hotel disponibilizou café da manhã antes das 05 da manhã  (na verdade deixou pronto no quarto na noite anterior).
Saímos pouco depois das 05 da manhã, atravessamos toda a cidade e pegamos a antiga estrada Maria da Fé x Piranguinho.
No início foi somente descida média, uns 10 kms,  entramos num vale,  já com sol.
Depois da entrada para Olegario Maciel erramos o caminho e andamos uns 3 kms à mais, até igreja São Pedro, conferimos o googlemaps e acertamos a rota. Retornamos à estrada certa, e depois de alguns quilômetros começam algumas subidas médias. Passamos num pequeno trecho do CAMINHO DE APARECIDA,  continuamos até uma bifurcação e viramos à direita e começamos uma subida forte, comemos manga neste trecho.
Chegamos ao topo (955msnm e 05:50hrs), lindo visual de montanha. Começamos descida forte até o rio, atravessamos ponte de ferro e logo chegamos na rodovia.  Novamente vimos outra cascavel morta na estrada.

PIRANGUINHO: Pequena cidade, 880msnm, tem Caixa Econômica Federal, somente um hotel/restaurante,  comércio ativo.
Cidade Capital nacional do pé-de- moleque(alguns quiosques na rodovia vende o produto).

Hospedagem: Hotel do Leo,  fone: 035 3644-1280, fica na rodovia num posto de abastecimento, camas boas, ventilador, tv aberta, wifi, banheiro privado. Preço  $65 por pessoa com café da manhã.
No hotel tem restaurante com Self-service a  $19,90 à vontade..
Visual de montanha

20180125_075500.jpg

Placa do caminho de Aparecida 

20180125_094901.jpg

Subida forte. Pés de mangas saborosas 

20180125_104624.jpg

Topo,  abaixo Piranguinho 

20180125_105824.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Chegando próximo a Luminosa

23° dia  -  26.01.2018 - Sexta-feira
Saída de Piranguinho e chegada a Brazopolis - MG
+-16 kms em aprox. 03:20hrs
Acumulado: 565 kms

O hotel disponibilizou café da manhã antes das 06:30hrs, estava caindo uma chuva fraca,  aguardamos mais um pouco e resolvemos sair assim mesmo.
Chegamos no trevo e viramos à direita e depois de umas 3 quadras, viramos novamente à direita e a primeira à esquerda, pegamos rua asfaltada e depois estrada de terra. Os primeiros 8 kms praticamente reto, depois duas subidas fortes(topo 1050msnm e 02:05hrs), e uma descida idem. No final chegamos noutra estrada de terra reta até a rodovia,  rapidamente chegamos a igreja matriz.
Comemos um excelente Self-service a  $14 por pessoa à vontade na praça da matriz.

BRAZOPOLIS: Cidade pequena, 905msnm,  tem alguns hotéis e pousadas. Tem Banco do Brasil e agência lotérica,  comércio bom.

Hospedagem: Hotel Montanhas e Vida, fone: 035 3641-1566 , saída para Piranguinho, camas ótimas, tv aberta, wifi, ventilador, frigobar, banheiro privado, limpo e organizado, piscina ótima, sacada para as montanhas com Lindíssimo visual (região próxima a Luminosa). Preço: $65 por pessoa com café da manhã.
Obs. : esse hotel fica na parte alta da cidade, subida forte até ele.
Mas vale muito a pena, o melhor da cidade. RECOMENDO. .

Retas intermináveis 

20180126_070210.jpg

Verde exuberante 

20180126_082416.jpg

Vistas maravilhosa

20180126_084607.jpg

20180126_085041.jpg

Subindo 

20180127_064245.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Conhecendo a capital da mandioca e do polvilho

24° dia -  27.01.2018 - Sábado

Saída de Brazopolis e chegada a Conceição dos Ouros Mg
+-31 kms em aprox. 06:00hrs
Acumulado: 596 kms.

Acordamos antes das 05 da manhã,  gentilmente o hotel deixou garrafa térmica de café,  saímos pouco depois das 05.
Atravessamos toda a cidade,  entramos na rodovia asfaltada com pouco acostamento, devido ao horário tinha pouco movimento de veículos. Esse trecho só tem uma subida forte(topo 980msnm +- 1 hora) e uma descida média, no mais é reta.
A uns 10 kms viramos à direita  numa estrada de terra com pouco movimento de veículos,  passamos por várias fazendas de criação de gado leiteiro e de corte,  com plantações de milho e mandioca(Conceição dos ouros é o maior produtor de polvilho). Depois de muitas retas, algumas subidas e descidas médias e um tempo encoberto, avistamos Conceição dos Ouros,  bem próximo,  mas tivemos que andar uns 7 kms contornando o rio até chegar na cidade.
Obs.: A uns 7 kms de Conceição dos ouros chegamos numa linda fazenda centenária com casarão restaurado e muita criação de gado de corte, aqui o sol apareceu forte. Mais à frente, à direita da estrada, outra linda fazenda centenária com mais criação de gado de corte.

CONCEIÇÃO DOS OUROS: Cidade pequena, 890msnm, maior produtora de polvilho do Brasil, e capital da mandioca, tem Bradesco e Banco do Brasil,  agência lotérica,  2 pousadas, restaurantes, e ótimo comércio.

Hospedagem: Pousada Dona Zenaide, fone: 035 99750-3392, Av. Cel. Domingos C. Rosa, 141 - próxima a praça da matriz, casa familiar, camas boas, tv aberta, wifi, apesar da casa ser ótima os quartos são simples e quentes (não tem ventilador), banheiro privado. Dona Zenaide e as filhas cuidam muito bem dos hóspedes.    Preço  $60 por pessoa com café da manhã.

Tempo encoberto 

20180127_091020.jpg

Chegando fazenda centenária 

20180127_092610.jpg

Fazenda centenária, olhem o muro de pedra 

20180127_093455.jpg

Canário sem preocupação 

20180127_093740.jpg

Chegando 

20180127_101623.jpg

Lindo amanhecer 

20180127_064420.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quase um acidente com cobra venenosa

25° dia - 28.01.2018  -  Domingo

Saída de Conceição dos Ouros e  chegada a Pouso Alegre Mg
+-33 kms em aprox. 06:50hrs
Acumulado: 629 kms

Gentilmente uma das filhas da Dona Zenaide fez café da manhã antes das 05 da manha (atendimento nota 10), saimos logo a seguir, retornamos pelo mesmo caminho e seguimos pela rodovia asfaltada, antes de chegar em cachoeira de Minas por pouco não tivemos um acidente ofídico, quase pisei numa cobra venenosa que estava enrolada na pista de rolamento, foi por muito pouco. Sorte que a lanterna era muito boa e eu estava atento,  se tivesse distraído, com certeza teria acontecido.
Depois de uns 8 kms e 01:35hrs chegamos em Cachoeira de Minas, depois do posto Petrobras viramos à esquerda, no início piso de cimento depois estrada de terra.
Estrada segue beirando várias fazenda com plantações de café, mandioca, milho, criações de gado. Algumas subidas e descidas médias, a maioria do percurso é de pouco inclinação, lindo visual de montanha. O tempo encoberto e frio ajudou bastante.
Chegamos rodovia asfaltada(05:35hrs) e logo a seguir no trevo da Rodovia Fernão Dias, seguimos reto sentido centro da cidade. Paramos numa loja de queijos e doces e tomamos café,  aproveitamos e compramos farinha de milho com proteína de soja. No final o sol apareceu forte.
Comemos um excelente Self-service a $31 o quilo, em frente hospital.

POUSO ALEGRE : Cidade média, 860msnm, ótima estrutura hoteleira, bem estruturada em tudo. Tem shopping na entrada da cidade.

Hospedagem: Martins Palace Hotel, fone: 035 3422-6944 e 3421-3388, avenida próxima ao centro,  camas ótimas, tv a cabo com alguns canais,  ventilador, frigobar, wifi, banheiro privado, muito limpo, pessoal prestativo.  Preço  $55 por pessoa com ótimo  café da manhã. RECOMENDO.
Prefiram os apartamentos do fundo, os da frente à avenida são barulhentos. Tem muito pernilongo, peça repelente na portaria.

Visual de montanha 

20180128_081712.jpg

Muito verde

20180128_084018.jpg

Muito barro

20180128_090309.jpg

Chegando 

20180128_092808.jpg

Pouso Alegre 

20180128_112907.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mundo de cobras.

26° dia -29.01.2018 - Segunda-feira

Saída de Pouso Alegre e chegada a
Congonhal - MG
+- 19 Kms em aprox. 03:45hrs
Acumulado: 645 kms

Acordamos mais tarde, tomamos excelente café da manhã do hotel (muito bom mesmo), a chuva não parava,  esperamos e nada, colocamos capa nas mochilas e saímos debaixo de chuva mesmo.
Atravessamos toda a cidade.
Entramos rodovia asfaltada com acostamento e grande movimento de caminhões e veículos leves. Trecho bem tranquilo com poucas subidas/descidas leves, lindo visual de montanha. A chuva fina nos acompanhou até o final.
Obs.: o grande problema desse trecho foi a quantidade de cobra Jararaca mortas no acostamento,  umas 20. Portanto, todo cuidado é pouco, principalmente à noite.
Tomamos banho no hotel e já pegamos ônibus($5,80 por pessoa) para Pouso Alegre para resolver alguns problemas no banco.
Comemos um excelente Self-service a  $33 o quilo em Pouso Alegre.

CONGONHAL: Cidade pequena, 860msnm, tem 3 pousadas  (2 antigas), não tem banco,  tem agência lotérica, e comércio bom.

Hospedagem: JC Hotel Pousada, fone: 035 3424-1500, fica na beira da rodovia, saída para Ipuiuna, novo e limpo, camas boas, ventilador, tv aberta, wifi. Preço  $50 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO

Tempo chuvoso e frio 

20180129_092720.jpg

Chegando a pequena Congonhal 

20180130_065349.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dormindo num hotel fazenda

27° dia - 30.01.2018 - Terça-feira
Saída de Congonhal e chegada a Ipuíuna - MG
+-23 kms em aprox. 04:25hrs
Acumulado: 668 kms

O Inmet divulgou alerta amarelo para hoje após 12:00 horas, por isso acordamos antes das 5 da manhã, nossa intenção era chegar às 11 da manhã em Ipuíuna. Mas às 04:30 a chuva estava forte, postergamos nossa saída para mais tarde, assim que a chuva diminuísse de intensidade(diminuiu somente às 07 horas).
O hotel gentilmente preparou café da manhã desde 05 da manhã para nós.
Nossa intenção era ir pela estrada de terra, via estrada do barreiro(25 kms), com tinha chovido a noite inteira e poderia chover forte, resolvemos ir pela rodovia asfaltada.
O hotel era na beira da rodovia,  saímos tentando chegar o mais cedo possível em Ipuíuna e, ficar livre da chuva. Mas pegamos chuva leve na serra.
Pegamos uma reta bem longa até início da serra  (+-02:00 horas e 930msmm), depois começou a subida forte da serra(chegamos no topo da serra em +-01:30hrs e 1350msnm, ou seja subimos 400 metros em pouco tempo), infelizmente a neblina cobria tudo e não conseguimos nenhuma visão no topo). A parte final foi uma descida bem forte até o centro da cidade, onde já almoçamos um Self-service à vontade por  $15 por pessoa.
Obs.: novamente encontramos muitas cobras Jararacas mortas no acostamento, além de um tatu, uma Capivara.  Estrada muito perigosa com muitas cruzes em homenagem aos mortos.

IPUÍUNA: Cidade bem pequena, 1250msnm, Capital da batata, tem agência banco do Brasil, tem 01 pousada velha no centro e 01 ótimo hotel fazenda a 700 metros do centro da cidade. Tem restaurantes, mercadinhos e bom comércio.

Hospedagem: Vale Encantado Hotel fazenda pousada, 035 3732-1143 e 99894-0940, fica a uns 700 metros do centro. Camas ótimas, ventilador, frigobar, TV aberta, wifi, piscinas,  todo moderno e limpo, tem tudo de uma fazenda e pesque/pague. Estrutura gigante.
Preço: $60 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO.
Obs.: Tem que negociar bastante, o preço com todas as atrações e a hospedagem com meia pensão fica em $150 por pessoa.
Tem restaurante, o Self-service à vontade varia conforme o dia de $25 a $45 por pessoa no almoço.

Começando subida serra

20180130_093316.jpg

Muita neblina 

20180130_101214.jpg

Chegando ao topo

20180130_101517.jpg

Terra da batata

20180130_104456.jpg

Hotel fazenda 

20180130_184400.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Terra dos doces

28° dia - 31.01.2018 - Quarta-feira

Saída de Ipuíuna e chegada a Caldas - MG
+-35 kms em aprox. 06:30hrs
Acumulado: 703 kms

Por ser um trecho longo e em rodovia asfaltada, resolvemos sair as 05 da manhã, aproveitamos o tempo fresco para acelerar o passo.
Negociamos o hotel sem café da manhã, mas sabíamos que a padaria do centro abria as 05(tomamos café com um excelente biscoito de polvilho).
Até o trevo para Santa Rita de Caldas(1105msnm e 03:20hrs ) é praticamente reta, rodovia asfaltada com acostamento largo, grande movimento de veículos leves e pesados,  o pessoal aqui gosta muito de acelerar.
Depois do trevo começou uma subida(topo 1250msnm) bem longa mas com pouca inclinação e lindo visual de montanha. Esse trecho tem muitas plantações de batata, milho, mandioca, criações de gado.
Não vimos nenhum animal morto.
No final, foram alguns quilômetros de descida leve e uma subida forte, mas curta, dentro da cidade.
Aproveitamos que estávamos na praça da matriz e já Almoçamos um Self-service à vontade por  $18 por pessoa.

CALDAS : Pequena cidade, 1175msnm, pessoal muito hospitaleiro e gentil,  clima muito bom mesmo, gostamos daqui. Tem Caixa Econômica Federal, Bradesco, banco do Brasil e loteria. Tem 2 pousadas(a da praça funciona como hostel mas é bem simples) Comércio bom. Os produtores de uva(ótimas) da região tem feira na praça da matriz.

Hospedagem: Pousada do Edmar, fone: 035 3735-1000 , camas boas, ventilador, tv aberta, wifi, limpo, banheiro privado. Preço  $65 por pessoa com café da manhã. 
Obs.: prefira os quartos do fundo,  os da frente tem muito barulho da rua.

Retas infindáveis 

20180131_091625.jpg

Lindo visual de montanha 

20180131_093356.jpg

Muito calor

20180131_104125.jpg

Chegando a Caldas 

20180131_111112.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por casal100
      Resolvemos, dessa vez, fazer alguns roteiros distintos: beira-Mar, trilhas em montanhas e travessia.
      Começamos por Ubatuba, foram 10 dias de caminhada, por algumas das principais praias; depois pegamos nosso veículo e fomos fazer alguns roteiros em Extrema-MG e, por último,  a grata surpresa: TRAVESSIA DA SERRA DA CANASTRA-MG, que lugar maravilhoso: belas cachoeiras, trilhas fortes, flora e fauna exuberante, povo amigável, queijos deliciosos(alguns entre os melhores do mundo na sua categoria) sem contar a culinária mineira. Tudo de bom.
    • Por casal100
      ROTEIRO À PÉ:
       
      RIO GRANDE DO SUL:
      Portão
      Bom Princípio
      Carlos Barbosa
      Garibaldi
      Bento Gonçalves - Vale dos vinhedos
      Bento Gonçalves - Pinto Bandeira
      Bento Gonçalves - pela cidade
      Bento Gonçalves - caminho de Pedras
      Caxias do Sul - flores da Cunha
      Caxias do Sul - estrada dos imigrantes
      Nova Petropolis
      Gramado - Natal de Luz
      Canela - Cachoeira do Caracol
      Gramado - pela cidade (parques, centro)
      Santa Maria Herval
      Picada Café
      Ivoti
      Sapiranga
      Três Coroas
      São Francisco de Paula
      São Francisco de Paula  (parques, lagos e pela cidade)
      Tainhas
      Cambará do Sul
      Cambará do Sul - Canyon Itambezinho
      Cambará do sul - canyon Fortaleza
      Torres - praia
       
      SANTA CATARINA:
      Praia Grande - descida Serra do faxinal
      Balneário Gaivota - Praia
      Balneário arroio do Silva - Praia
      Balneário Rincão - Praia
      Balneário corrente - Praia
      Farol de Santa Marta - Praia
      Laguna - cidade histórica + Praia
      Orleans
      Guatá  (distrito de Lauro Muller) pé da serra do Rio do Rastro
      Bom Jardim da Serra
      ROTEIRO DE ÔNIBUS :
      São Joaquim
      Urubici
      Bom Retiro
      Lages
      Fraiburgo
      CONTINUAÇÃO À PÉ SANTA CATARINA:
      Videira
      Treze Tílias
      Água Doce
      Jaborá
      Concórdia
      Seara
      Chapecó
       
      PARANÁ (ÔNIBUS):
      Curitiba
      Paranagua
      Morretes
       
      QUILÔMETROS /DIAS: +- 1.300 kms em 53 dias
       
      PESSOAS:
      No planejamento da viagem nossa preocupação era de como seríamos recebidos nas pequenas cidades, visto que algumas delas não tinham vocação turística, e "mochileiros"poderiam ser "novidade". Mas, essa preocupação foi rapidamente deixada de lado.
      Fomos recebidos muito bem em todos os lugares (exceto dois episódios, que não afetou em nada nossa caminhada).
      Ficamos impressionados com a educação e o acolhimento da população do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, sempre solícitos às nossas demandas.
      Poxa, que saudade de tudo aquilo, em breve voltaremos.
       
      CIDADES:
      Praticamente todas as cidades desse roteiro tinham pousada ou hotel, somente o distrito de tainhas-SC não tem, somente restaurante (mas esse trecho tem serviço de ônibus intermunicipal).
       
      ESTRADAS:
      Optamos em fazer pelas estradas asfaltadas(alguns trechos fizemos em estrada de terra), pois não conseguimos informações sobre estradas secundárias nesta região.
       
      COBRAS:
      Nunca vimos tantas cobras como na serra Gaúcha, teve dia que vimos umas 5, quase minha esposa pisou numa em uma rodovia asfaltada.
      Elas ficam enroladas na pista de rolamento, é normal vê-las todas esmagadas por veículos, ficam parecendo um desenho no chão (pois vários veículos passam por cima).
       
      ANIMAIS SELVAGENS:
      Outra coisa que nos chamou atenção, vimos muitas espécies(raposa, cobras, tatu, macacos, roedores, porco espinho etc) passando lentamente perto de nós.
       
      PRECONCEITO:
      Tivemos um fato lamentável num hotel fazenda.
      O gerente nos recebeu num descaso tremendo, nem respondia nossas perguntas, foi preciso a intervenção de uma funcionária para resolver a situação (quase mandei o cara a pqp), o infeliz está no lugar errado.
      O outro caso foi mais leve, mas fiquei puto.
      Tirando isso, foi muito tranquilo ser mochileiro naquela região, muito tranquilo mesmo.
       
      PREÇOS HOTÉIS:
      Variou de $25 a 95 por pessoa (mas a crise pegou todo mundo ), em alguns lugares priorizamos ficar em lugares melhores,
      Sempre pechinchamos os preços, na maioria dos casos conseguimos descontos, principalmente à vista.
      Não fizemos nenhuma reserva, foi muito tranquilo.
       
      PREÇOS REFEIÇÕES:
      variou de $10 a $35 por pessoa à vontade.
      Peso : de $20 a $44 o quilo.
      Obs.: em média coloque $22 por refeição sem bebidas.
       
      ABUSO CONTRA TURISTA:
      Só tivemos alguns casos de abuso, mas nada gritante:
      Você chega em duas pessoas e pede somente um cafezinho pequeno, o cara trás dois grandes (claro, mais caro) e na maior cara de pau diz que pedimos dois.
      Isso aconteceu nuns 5 lugares na serra gaúcha, lamentável!
      Obs.: para nos proteger disso, fazíamos assim: chegávamos nos caixas do estabelecimento e pagava antecipadamente, acabou o problema.
       
      CARONA: precisamos pegar carona em algumas oportunidades, e foi até tranquilo conseguir.
      .fomos ao canyon Itambezinho e no Fortaleza à pé, e voltamos de carona, foi tranquilo.
      .quando visitamos uma cachoeira em Cambará do sul, fomos à pé e voltamos de carona ( neste dia pegamos três, cada um nos levou num pequeno trecho).
      .dividimos o trecho entre Seara e Chapecó-SC em dois, como o ônibus demoraria muito, resolvemos ir de carona, demorou uns 40 minutos para aparecer.
       
      SEGURANÇA:
      Em momento algum tivemos problema, somente em Porto Alegre (visita ao mercado central que nos orientaram a ter cuidado), mas os moradores de PA estão preocupados.
      .na saída de Caxias do Sul, saída para estrada dos imigrantes tem um lugar que me pareceu inseguro, mas nada complicado.
       
      NEGOCIAÇÃO HOSPEDAGEM:
      Sempre negocie, em alguns casos conseguimos descontos de 10% abaixo dos sites de hospedagem. Principmente nesta crise, em alguns casos somente nós dois estavam hospedados no hotel.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 19 a 28 de julho de 2015, o circuito completo do Vale europeu em Santa Catarina. Foram 10 dias contemplando e vivienciando lugares, pessoas maravilhosas.
      Destaco alguns locais incriveis: Pomerode, blumemau, fazenda campo do zinco e sua maravilhosa cachoeira, lindos mirantes, estradas encantadoras, pessoas hospitaleiras e cordiais. Nāo tivemos nenhum incidente.
       
      Começamos antes do circuito, fazendo o caminho entre blumenau e pomerode a pé, e no final fizemos do mesmo modo a rota enxaimel em Pomerode, por isso o roteiro foi concluido em 10 dias.
       
      Brevemente relato completo.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 01 a 30 de janeiro de 2016 o CRER, foram mais de 800 quilômetros de caminhada.
       
      O circuito começa no morro da piedade a uns 15 kms de Caeté -MG e termina no santuário de Aparecida no estado de São Paulo.
       
      Esse circuito ainda está em fase de implantação, no escritório da igreja da piedade não disponibilizam nenhuma informação sobre o roteiro.
      Fornecem somente um pequeno mapa de uma parte do roteiro, não consta nele nenhuma informação sobre hospedagem, refeições, quilometragem.......
      Tem que seguir os marcos , que em alguns lugares foram destruídos dificultando sobremaneira o prosseguimento.
      Mais de 80% deste roteiro seguem o mesmo percurso da Estrada Real, no nosso caso ajudou bastante, pois em caso de dúvida seguíamos os da ER.
       
      Esse é uma demonstração de parte do CRER.

      Em algumas cidades tem essas placas informativa sobre o caminho CRER

      Essas placas informam as distâncias entre cidades..

      O morro da piedade é aquele morro no fundo da foto, é ali que oficialmente começa do caminho CRER

      Essa é a portaria que dá acesso a igreja da Piedade início oficial do CRER

    • Por casal100
      Realizamos no periodo de 05 a 17 de Julho de 2015 a Volta completa da ilha de florianopolis a pé. Foram 12 dias e 251 quilometros.
      Somente a trilha entre ponta de canas e lagoinha que estava fechada, as outras estavam abertas.
      Em breve relato completo.


×
×
  • Criar Novo...