Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

casal100

Serra da Mantiqueira à pé - 1.100 kms pela Rainha dos caminhos (Jan/Fev 2018)

Posts Recomendados

O dia que "nossas" mochilas chegaram antes de "nós"!
Parece que aqui termina outro caminho de peregrinação 

29° dia - 01.02.2018 - Quinta-feira

Saída de Caldas e chegada a Santa Rita de Caldas - MG
+-17 kms em aprox. 03:30hrs
Acumulado: 720 kms

Por não ter conseguido informação precisa sobre hospedagem em São Bento de caldas(parece que realmente não tem) e ibitiura de Minas(tinha um hotel fazenda, mas segundo moradores ele fechou), decidimos caminhar somente até Santa Rita de Caldas,  onde confirmei local hospedagem ontem à noite.
Comemos um doce de amendoim que tinha leite na composição,  passamos mal a noite toda.
Saímos bem devagar, atravessamos a cidade e no bar do Jairo viramos à direita e pegamos subida bem forte até um bairro,  no topo lindo visual de montanha, Caldas e uma lua cheia maravilhosa no céu avermelhado.
Esse trecho em terra é bem tranquilo, além de curto, fica praticamente paralelo à rodovia asfaltada, poucas subidas e descidas fortes; com excepcional visão de montanha.
Passamos em fazendas com plantações de milho, eucaliptos, pêssego, capim e criações de gado leiteiro e de corte.
O trecho final, curto,  é em asfalto, pegamos uma forte subida antes de chegar à cidade, depois descida  até o centro da cidade, paramos numa padaria na praça da matriz e esbaldamos novamente com os deliciosos biscoitos de polvilho.
Fomos ao Hotel,  tomamos banho e Almoçamos Self-service à vontade por  $15 por pessoa embaixo da pousada.

SANTA RITA DE CALDAS: Pequena cidade, 1120 msnm, limpa, tinha agência do Banco do Brasil mas foi explodida e não está funcionando, tem somente um hotel. Comércio bom.

Hospedagem: Gran ville hotel, fone: 035 3734-1594, camas ótimas, novo e limpo, banheiro privado, wifi, ventilador. Preço: $60 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO
Obs.: Aconteceu de novo,  quando chegamos a recepcionista do hotel me informou que nossas mochilas já estavam no quarto! Como assim,  eu que carrego as minhas!
Fomos informados depois que as mochilas pertenciam a uns romeiros que chegariam mais tarde.

Deixando Caldas e a lua cheia para trás 

20180201_063358.jpg

Estrada de terra com lindo visual de montanha 

20180201_072634.jpg

Fazendas

20180201_075754.jpg

Descendo

20180201_085244.jpg

Subida forte na chegada

20180201_092248.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na terra do Menino da porteira

30° dia - 02.02.2018 - Sexta-feira

Saída de Santa Rita de Caldas e chegada a Ouro Fino Mg
+-38 kms em aprox. 07:35hrs
Acumulado: 758 kms

Acordamos um pouco depois das 04 da manhã, o hotel gentilmente preparou um cafezinho para nós.
Saímos antes das 05, atravessamos a cidade,  pegamos estrada asfaltada sem acostamento com subidas e descidas leves, depois de 01:35hrs viramos numa bifurcação à direita e pegamos estrada de terra.
Depois de 02:35hrs chegamos ao bairro pião, com algumas casas (padaria só abria as 08 horas), trecho com subidas fortes e longas. Após 4 horas de caminhada total, chegamos ao topo (1395msnm), com fabuloso visual de montanha, aqui é a serra dos Lima.
Começamos a descer, o sol apareceu com força, chegamos ao bairro dos Lima,  rapidamente chegamos ao centro da cidade.
Neste trecho muita criação de gado leiteiro e de corte, plantações de milho, eucaliptos, café.
Deixamos as coisas na pousada e fomos almoçar no centro a $18 por pessoa à vontade.

OURO FINO: Cidade pequena, tem cef, Bradesco e Banco do Brasil, agência lotérica.  Ótimo comércio,  algumas pousadas e restaurantes.

Hospedagem: Pousada Canto Mineiro, fone: 035 3441-2301 e 99921-2066,centro, camas boas, ventilador, tv aberta, wifi, limpo, banheiro privado. Preço  $60 por pessoa com café da manhã.

Tempo encoberto e frio

20180202_065227.jpg

Caldas fica atrás dessa montanha 

20180202_065805.jpg

Verde exuberante 

20180202_082528.jpg

Tempo abrindo 

20180202_083014.jpg

No topo da serra dos Lima 

20180202_092345.jpg

Com lindo visual de montanha 

20180202_093037.jpg

Chegando a terra do Menino da porteira 

20180202_115102.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Visitando a terra das cachoeiras
Aqui passa outro caminho: das preces

31° dia - 03.02.2018 - Sábado

Saída de Ouro Fino e chegada a Bueno Brandão - MG
+-27 kms em aprox. 05:45hrs
Acumulado: 785 kms

Aguardamos o café da manhã que é servido às 06:30hrs.
Saímos mais tarde, atravessamos toda a cidade, entramos numa estrada de terra praticamente reta.
Após 02 horas (975msnm) de caminhada, chegamos numa fazenda onde tem uma torrefadora de café, pegamos estrada da esquerda e mais a frente tem uma bifurcação, pegamos da direita e atravessamos uma porteira de madeira e entramos numa mata e começou a subida, no topo grande plantação de café e lindo visual de montanha, as vezes a estrada tinha mato até a cintura, chegamos numa porteira de madeira (03:05 hrs de caminhada total).
Depois de pouco mais de 20 minutos chegamos noutra porteira, e viramos à esquerda na estrada de terra.
Mais à frente começaram as subidas forte com muita sombra mas sol escaldante,  no topo (1380msnm e 5 horas de caminhada total) lindo visual de toda região. Nestes trechos predomina a produção de café de altitude e algumas criações de gado leiteiro.
Após o topo começa descida forte dentro de  uma mata e logo chegamos à  cidade. Deixamos as mochilas no hotel e fomos comer num Self-service à vontade por  $25 por pessoa.

BUENO BRANDÃO: Pequena cidade, 1200 msnm, tem Bradesco e Banco do Brasil, comércio bom. Cidade voltada basicamente para o turismo.  No centro tem alguns hotéis e pousadas. Nas redondezas têm vários hotéis fazendas. Terra das cachoeiras.

Hospedagem: Hotel Central, fone: 035 3463-1230 e 99940-4516, centro, camas boas, tv aberta, wifi, limpo, banheiro privado. Preço  $65 por pessoa com café da manhã.

Estrada de terra 

20180203_074119.jpg

Atravessamos cafezal com mato na cintura.  Como vimos muita cobra nesta região,  esse trecho foi tenso. 

20180203_091630.jpg

De onde viemos

20180203_092842.jpg

Subida forte e o sol deu as caras

20180203_110106.jpg

Verde exuberante 

20180203_110514.jpg

No próximo dia passaríamos naquela estrada e nas montanhas

20180203_111537.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A terra das subidas e descidas fortes e um bom repouso

32° dia -  04.02.2018 - Domingo

Saída Bueno Brandão e chegada a Bom Repouso - Mg
+-28 kms em aprox. 06:10hrs
Acumulado: 813 kms

No dia anterior pesquisamos no googlemaps os roteiros, optamos em ir pela estrada dos carros (pois no dia anterior sofremos naquele cafezal, seguindo o roteiro à pé do Google), achamos que ia ser tranquilo, ledo engano!

O hotel deixou uma garrafa de café e duas bananas ontem à noite para o café da manhã(sorte que carregamos bastante alimentos).
Saímos 05 da manhã, tempo frio e céu aberto. Só no final que o sol deu as caras.
Atravessamos a cidade,  sentido Munhoz,  trecho bem tranquilo.
Entramos numa estrada de terra à esquerda  com pouco movimento de veículos,  algumas subidas e descidas médias,  lindo visual de montanha e a lua nos acompanhando. Vimos algumas cobras venenosas mortas. Passamos por algumas fazendas com criações de gado leiteiro e de corte.
Esse trecho foi tranquilo,  até uma grande plantação de morangos,  ali começou uma forte e longa subida até o primeiro topo (1510msnm em 03 horas), lindo visual de toda região. Após,  descida fortíssima e longa até o distrito de Boa Vereda de cima (distrito de Bom Repouso) depois de 04 horas de caminhada total. Perguntamos para uma senhora se tinha padaria para tomarmos um cafezinho  (tem, mas abre somente as 11 da manha). Ela nos convidou para ir na casa dela tomar o cafezinho, aproveitou e ofereceu ovo caipira frito, claro que aceitamos.
Depois do distrito começou uma forte e longa subida.
Na sequência uma série de subidas/descidas fortíssimas e longas. Novo topo (1540msnm) e 05:15hrs de caminhada total, novamente lindíssimo cenário de toda região.  Neste trecho além de criação de gado leiteiro e de corte, muitas plantações de batata, milho e morango.
Depois desse novo topo, começou fortíssima e longa descida até periferia da cidade,  no final subida forte até o centro.
OBS.: Um dos trechos mais difícil de todos e bonito também.
Tomamos banho na pousada, fomos até a praça matriz e comemos excelente Self-service a $31 o quilo  (tinha até frango caipira).

BOM REPOUSO : Cidade pequena, 1420msnm, não vi agência bancária. Bom comércio.  Clima ameno,  em pleno verão usamos blusa à noite. Povo gentil e hospitaleiro. Gostei muito. Tem duas pousadas e restaurantes.

Hospedagem: Pousada Alto da Bela Vista, fone: 035 99821-5457 (Clarete),  camas ótimas, tv aberta  (só globo), wifi, limpissimo, banheiro privado impecável, cozinha completa. Preço: $60 por pessoa com café da manhã. SUPER RECOMENDO.
Uma das mais limpas que ficamos.

Caminho tranquilo e belo. 

20180204_071804.jpg

Sol aparecendo e continua tranquilo 

20180204_073232.jpg

Avistamos essa plantação de morangos, e o bicho pegou

20180204_074526.jpg

Primeira subida forte

20180204_075455.jpg

Topo, abaixo o distrito de Boa Vereda de Cima  (Bom Repouso)

20180204_081249.jpg

Descida forte até o distrito,  sol já apertando 

20180204_081555.jpg

Descendo até o distrito 

20180204_083148.jpg

Depois do distrito começou forte subida

20180204_091433.jpg

Outra subida,  caminhão carregando batatas

20180204_102600.jpg

Outra descida, ao fundo Bom Repouso  (descida longa e forte e subida forte na chegada)

20180204_104117.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na cidade mais alta e fria de Minas Gerais e,  conhecendo uma fazenda que produz frutas certificadas.

33° dia - 05.02.2018 - Segunda-feira

Saída de Bom Repouso e chegada a Senador Amaral - MG
+-19 Kms em aprox. 04:05hrs
Acumulado: 832 kms

Gentilmente a proprietária da pousada deixou café e muitas frutas no nosso quarto na noite anterior(ela queria acordar mais cedo e fazer o cafezinho para nós).
Saímos pouco depois das 05 da manhã, com o tempo frio e o céu encoberto, ficando até o final.
Pegamos uma curta mas forte subida dentro da cidade. Entramos numa estrada de terra com pouco movimento de veículos e com muitas subidas e descidas leves até o topo(1635msnm em 02:30horas, lindíssimo visual 360° de toda região). Depois do topo, trecho mais tranquilo com poucas subidas e descidas. Plantações de morango, framboesa, verduras(brócolis, repolho, couve flor), milho, batata e criações de gado de corte e leiteiro.
Paramos numa fazenda produtora de frutas (framboesa/morango..), para conhecer como é a produção certificada  (não pode entrar estranho na área plantada,  pra ter uma idéia,  até esmalte na unha é  proibido, regras bem rígidas), impressionante!
A dona da pousada não estava em casa, tivemos que ficar sentados no posto aguardando(ela mora numa casa em frente ao posto).
Deixamos nossas mochilas na pousada e fomos almoçar um Self-service à vontade por  $15 por pessoa, numa padaria próxima.

SENADOR AMARAL: cidade bem pequena, 1545 msnm, cidade mais alta e fria de Minas Gerais, têm somente uma pousada no posto e outra a 12 kms de distância(sentido Munhoz). Não tem agência bancária, tem agência lotérica. Comércio pequeno.
Grande produtor de frutas, flores, batata,  verduras. Sem estrutura turística.

Hospedagem: Pousada Cordilheira, fone: 035 99990-6190 (Deise),  no posto de abastecimento, acomodação bem simples, camas boas, tv aberta, banheiro privado. Preço: $40 por pessoa sem café da manhã.
Obs.: no inverno costuma lotar. Melhor fazer reserva nesta época. Como a cidade é pequena e a dona pode não estar na cidade, pergunte no posto, onde mora a faxineira da pousada que tem as chaves.

Amanhecendo na estrada

20180205_065211.jpg

Chegando ao topo

20180205_074809.jpg

Fazenda produtora de frutas certificadas, vi muito na argentina estrutura igual a essa

20180205_084908.jpg

Praça da matriz de Senador amaral mg 

20180205_130939.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Chegando a divisa com o estado de São Paulo depois de 800kms

34° dia - 06.02.2018 - Terça-feira

Saída de Senador Amaral e chegada a Munhoz - MG
+-24 Kms em aprox. 05 horas
Acumulado: 856 kms

A pousada não oferece café da manhã, saímos pouco depois das 05 da manhã.
Pegamos uma subida fortíssima e longa dentro da cidade,  entramos numa estrada de terra com pouco movimento de veículos.
Esse trecho têm algumas subidas e descidas médias, até o topo.
O tempo estava nublado e frio, por isso prejudicou o visual nos mirantes.
Seguir sempre placas para o Rancho Sertanejo(foi o único trecho que havia bastante sinalização).
Depois de uma descida fortíssima chegamos ao bairro Serro, continuamos e pouco tempo depois no Rancho Sertanejo  (pesque-pague e restaurante), viramos à esquerda (02:20hrs e 1395msnm)
Mais à frente, seguindo o googlemaps, viramos à direita, atravessando um colchete(tem que ficar atento senão passa direto), sempre subindo, passamos dentro de uma fazenda de gado leiteiro,  atravessamos outro colchete e viramos à direita numa estradinha de terra, seguimos até entrocamento com estrada de terra mais larga,  viramos à esquerda e seguimos entre retas, algumas subidas e descidas bem leves até o mirante para a cidade de Munhoz  (lindo por sinal,  cidade cercada por montanhas).
Depois começa descida forte até o centro da cidade.
Deixamos as mochilas na pousada e fomos almoçar um Self-service, à vontade por  $17 por pessoa.

MUNHOZ: Pequena cidade, 1255msnm, tem agência do Bradesco, correios e agência lotérica. Tem 3 pousadas na cidade e outras no entorno,  restaurantes e bom comércio.

Hospedagem: Pousada Serras Verdes, centro, fone: 35 99950-2032, simples, camas ótimas, tv aberta, banheiro privado. Preço: $40 por pessoa sem café da manhã. RECOMENDO

Subida forte num entrocamento com muitas placas indicativas.

20180206_071126.jpg

Lindo vale

20180206_071452.jpg

Atravessando fazenda

20180206_080258.jpg

Chegando ao topo próximo de Munhoz 

20180206_094320.jpg

Visual maravilhoso das montanhas e Munhoz-Mg

20180206_101824.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A pedra realmente é bela!

35° dia - 07.02.2018 - Quarta-feira

Saída de Munhoz-Mg e chegada a Pedra Bela - SP
+-26  kms em aprox. 05:20hrs
Acumulado: 882 kms

A pousada não oferece café da manhã, comemos frutas/castanhas e saímos pouco depois das 05 horas.
Atravessamos toda a cidade, e entramos rodovia asfaltada sem acostamento, pouco tempo depois descida longa e forte,  depois começou forte e longa subida, com lindo visual de montanha.
Depois de 02 horas e uma descida forte e lindo visual, chegamos ao bairro dos Pereiras(Toledo-Mg) 1185msnm, tomamos um cafezinho e pegamos o asfalto novamente  (subidas e descidas médias). Chegamos depois de 03:25hrs no total, a divisa entre Minas Gerais e São Paulo - 1090 msnm.
Criações de gado de corte e leiteiro, vi criações de cabras.
Plantações de milho, batata, verduras  (couve, brócolis, couve-flor, repolho roxo), eucaliptos principalmente no estado de São Paulo.
Muitas cobras venenosas mortas na beira do asfalto, principalmente no estado de São Paulo.
O final do trecho foi uma descida forte até a periferia da cidade, para chegar ao centro pegamos uma íngreme subida, com lindo visual do cartão postal da cidade, PEDRA BELA, é bela mesmo.
Aproveitamos e comemos um excelente Self-service à vontade por  $19,90 na padaria da rua principal(tomamos uma água e o proprietário não quis cobrar de nós,  mesmo alegando que não era romeiro e tinha dinheiro para pagar. Povo gentil e generoso. 
No centro da cidade não tem hospedagem,  tivemos que atravessar a cidade e pegar + 1km de rodovia asfaltada(com a barriga cheia) e ir até uma pousada verificar se tinha vaga(o telefone deles não atendia). A pousada mais próxima da cidade estava lotada.

PEDRA BELA: pequena e pacata cidade do interior paulista, onde tem a maior tirolesa do Brasil(2 kms), 1105msnm, tem algumas pousadas fora da cidade. Tem agência do Bradesco e Santander,  lotérica e correios. Comércio pequeno. Povo gentil e hospitaleiro,  fiquei impressionado com a cidade.

Hospedagem: Pousada Pedra Bela,  fone: 011 4037-1591 (Jacira)  saída para Bragança Paulista(+-1 km da cidade) depois da tirolesa, próximo ao posto da rodovia, camas boas, ventilador, tv aberta, sem wifi, limpo, banheiro privado. Preço: $50 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO
Obs.:  Dona Jacira, no alto de seus quase 80 anos, proporciona aos clientes atendimento 10. No outro dia acordou antes das 05 da manhã para servir café da manhã para nós. 

Amanhecendo 

20180207_065822.jpg

Chegando ao Bairro dos Pereiras  (Toledo-Mg)

20180207_074145.jpg

À esquerda estrada para Toledo-Mg

20180207_085407.jpg

Pedra Bela, lindo aquilo lá, ali sai a maior tirolesa do Brasil. 

20180207_100529.jpg

Subida forte na entrada da cidade

20180207_103416.jpg

Final da tirolesa (na rodovia)

20180207_132138.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Errando o caminho duas vezes.

Mais um caminho: das Pedras de Extrema-Mg

36° dia -  08.02.2018 -  Quinta-feira
 
Saída de Pedra Bela-Sp e chegada a Extrema - Mg
+- 26 kms em aprox. 06:00horas
Acumulado: 908 kms

Obs.: neste dia devemos ter andando uns 5 kms errado(ida/volta).

Dona Jacira, no alto de seus quase 80 anos de idade,  gentilmente acordou antes da 05 da manhã para preparar café da manhã para nós(mesmo dizendo para ela, no dia anterior, que era para deixar o café pronto à noite),  quanto comprometimento com as pessoas. Tem pessoa que ama o que faz, e isso é a prova cabal. Não tem carinho maior de um dono de pousada para seus clientes  (acordar bem cedo para fazer um cafezinho, não tem mesmo)
Ficamos conversando um bom tempo com a Dona Jacira, por isso saímos um pouco antes das 06 da manhã.
Pegamos rodovia asfaltada e logo abaixo viramos à esquerda numa estradinha asfaltada com muitos buracos e sem acostamento,   com pouco movimento de veículos.
Chegamos num bairro e tomamos um cafezinho numa mercearia.
Trecho bem tranquilo com poucas subidas e descidas leves, mas com muita fumaça das carvoarias na beira da estrada.
Chegamos ao pé da serra (1135msnm e 02 horas de caminhada), do lado direito tem um carvoaria e alambique, começamos a subir, pouco tempo depois chegamos num ponto de ônibus(1° erro: ao invés de virar à  direita, seguimos reto, subida forte  no meio dos eucaliptos, tivemos que retornar até o ponto de ônibus e pegar o caminho certo),aí sim, começou uma fortíssima e longa subida.
Do lado esquerdo vimos a cidade de Toledo - mg.
No topo (1410msnm e 02:55hrs) grande plantação de eucaliptos, uma patrol estava nivelando a estrada.
Após começa uma  fortíssima descida até um entrocamento,  viramos à direita com plantações de eucaliptos, pouco depois tinha uma bifurcação, continuamos à direita.
Mais à frente eu não vi uma bifurcação e, (2° erro:  passamos direto,  tinha que ter virado à esquerda. Quando chegamos numa grande plantação de oliveiras,  vi o topo da pedra bela do lado direito( pensei deve ter uma entrada à esquerda mais à frente, mas essa entrada era bem atrás) , não conferi no googlemaps e segui,  quase chegando no Templo Taikanji fui verificar e constatei que andamos um bom trecho errado, novamente tivemos que voltar pelo mesmo caminho,  aí o sol apareceu com força para nosso azar)
Chegamos ao entrocamento, viramos à direita, onde realmente começa as descidas fortíssimas,  a vantagem é que asfaltaram as descidas íngremes.
Logo abaixo mesclam subidas e descidas médias até a rodovia Fernão Dias,  atravessamos por baixo, num viaduto.
Adentramos a cidade e um calor infernal batia na nossa cabeça, rapidamente chegamos na rodoviária, pedimos informação sobre hospedagem e nos indicaram uma próxima.
Deixamos as mochilas e fomos até a Rotisserie da Cassia, próximo a praça da matriz, comer um comercial por $15 cada.
Passamos no supermercado e compramos algumas coisas.
Passamos numa dentista para arrumar um dente da minha parceira  (marcamos consulta para 1 hora depois), retornamos à pousada, tomamos banho e voltamos ao dentista.

EXTREMA: Cidade pequena, 930msnm, algumas pousadas e hotéis,  vários restaurantes e comércio bom, tem vários bancos.

Hospedagem: Pousada Mandala, fone: 35 3435-5803, centro, camas boas, tv aberta, wifi, limpo, banheiro compartilhado limpissimo.  Preço: $50 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO.

Depois do ponto de ônibus onde erramos o caminho,  se tivéssemos seguido sairíamos em Toledo-Mg 

20180208_072745.jpg

Pouco depois do ponto de ônibus, já no caminho certo. Forte subida

20180208_082544.jpg

Visual de Extrema e suas lindas montanhas e o sol na cabeça 

20180208_083553.jpg

Estrada asfaltada nos trechos de descidas fortíssimas 

20180208_103232.jpg

Já na parte baixa e o sol queimando forte

20180208_111029.jpg

Lindas pedras 

20180208_112113.jpg

Lindo visual

20180208_120600.jpg

Esse é o famoso Caminho das Pedras de Extrema-Mg

20180208_121006.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Começando o carnaval

Mais um caminho: da divina providência 

37° dia - 09.02.2018 - Sexta-feira

Saída de Extrema e chegada a Camanducaia - MG
+-28 kms em aprox. 06:20hrs
Acumulado: 936 kms

Acordamos pouco depois das 04 da manhã, a proprietária da pousada acordou para fazer um cafezinho para nós.
Saímos às 05 da manhã(apesar do trecho médio, a previsão do tempo era de tempo quente), descemos até a rodoviária e viramos à direita, pegamos avenida larga com passeio até a Fernão Dias,  atravessamos viaduto por baixo e pegamos a pista contrária.
Apesar do calor (sem nenhuma nuvem no céu), foi tranquilo até uns 5 kms de Camanducaia,  pois pegamos uma subida forte e longa até próximo da cidade.
Passamos por Itapeva, pequena cidade do interior mineiro  (seria uma opção se Camanducaia não tivesse hospedagem devido ao carnaval).
Deixamos as mochilas no hotel e, fomos comer num restaurante, atrás da câmara municipal de Camanducaia, Self-service à vontade por  $19,90 por pessoa.

CAMANDUCAIA: Pequena cidade,  1055msnm, tem cef, Bradesco, banco do Brasil e Santander, lotérica,  hotéis e algumas pousada na cidade e outras na redondeza. Comércio bom.

Hospedagem: Hotel Central, fone: 035 3433-1315 praça central, camas ótimas, tv aberta, wifi, ventilador, frigobar, limpissimo. Preço: $85 por pessoa com café da manhã. RECOMENDO.

Lindo visual de montanha e o sol forte  na cabeça 

20180209_085002.jpg

Mais um caminho

20180209_100850.jpg

Chegando, como era véspera do carnaval, rodovia com muito movimento de veículos. 

20180209_100919.jpg

Portal de Camanducaia, mais uns 300 metros e já chega ao centro da cidade. Aqui é a entrada para Monte Verde, a Suíça mineira.

20180209_101926.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por casal100
      Resolvemos, dessa vez, fazer alguns roteiros distintos: beira-Mar, trilhas em montanhas e travessia.
      Começamos por Ubatuba, foram 10 dias de caminhada, por algumas das principais praias; depois pegamos nosso veículo e fomos fazer alguns roteiros em Extrema-MG e, por último,  a grata surpresa: TRAVESSIA DA SERRA DA CANASTRA-MG, que lugar maravilhoso: belas cachoeiras, trilhas fortes, flora e fauna exuberante, povo amigável, queijos deliciosos(alguns entre os melhores do mundo na sua categoria) sem contar a culinária mineira. Tudo de bom.
    • Por casal100
      ROTEIRO À PÉ:
       
      RIO GRANDE DO SUL:
      Portão
      Bom Princípio
      Carlos Barbosa
      Garibaldi
      Bento Gonçalves - Vale dos vinhedos
      Bento Gonçalves - Pinto Bandeira
      Bento Gonçalves - pela cidade
      Bento Gonçalves - caminho de Pedras
      Caxias do Sul - flores da Cunha
      Caxias do Sul - estrada dos imigrantes
      Nova Petropolis
      Gramado - Natal de Luz
      Canela - Cachoeira do Caracol
      Gramado - pela cidade (parques, centro)
      Santa Maria Herval
      Picada Café
      Ivoti
      Sapiranga
      Três Coroas
      São Francisco de Paula
      São Francisco de Paula  (parques, lagos e pela cidade)
      Tainhas
      Cambará do Sul
      Cambará do Sul - Canyon Itambezinho
      Cambará do sul - canyon Fortaleza
      Torres - praia
       
      SANTA CATARINA:
      Praia Grande - descida Serra do faxinal
      Balneário Gaivota - Praia
      Balneário arroio do Silva - Praia
      Balneário Rincão - Praia
      Balneário corrente - Praia
      Farol de Santa Marta - Praia
      Laguna - cidade histórica + Praia
      Orleans
      Guatá  (distrito de Lauro Muller) pé da serra do Rio do Rastro
      Bom Jardim da Serra
      ROTEIRO DE ÔNIBUS :
      São Joaquim
      Urubici
      Bom Retiro
      Lages
      Fraiburgo
      CONTINUAÇÃO À PÉ SANTA CATARINA:
      Videira
      Treze Tílias
      Água Doce
      Jaborá
      Concórdia
      Seara
      Chapecó
       
      PARANÁ (ÔNIBUS):
      Curitiba
      Paranagua
      Morretes
       
      QUILÔMETROS /DIAS: +- 1.300 kms em 53 dias
       
      PESSOAS:
      No planejamento da viagem nossa preocupação era de como seríamos recebidos nas pequenas cidades, visto que algumas delas não tinham vocação turística, e "mochileiros"poderiam ser "novidade". Mas, essa preocupação foi rapidamente deixada de lado.
      Fomos recebidos muito bem em todos os lugares (exceto dois episódios, que não afetou em nada nossa caminhada).
      Ficamos impressionados com a educação e o acolhimento da população do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, sempre solícitos às nossas demandas.
      Poxa, que saudade de tudo aquilo, em breve voltaremos.
       
      CIDADES:
      Praticamente todas as cidades desse roteiro tinham pousada ou hotel, somente o distrito de tainhas-SC não tem, somente restaurante (mas esse trecho tem serviço de ônibus intermunicipal).
       
      ESTRADAS:
      Optamos em fazer pelas estradas asfaltadas(alguns trechos fizemos em estrada de terra), pois não conseguimos informações sobre estradas secundárias nesta região.
       
      COBRAS:
      Nunca vimos tantas cobras como na serra Gaúcha, teve dia que vimos umas 5, quase minha esposa pisou numa em uma rodovia asfaltada.
      Elas ficam enroladas na pista de rolamento, é normal vê-las todas esmagadas por veículos, ficam parecendo um desenho no chão (pois vários veículos passam por cima).
       
      ANIMAIS SELVAGENS:
      Outra coisa que nos chamou atenção, vimos muitas espécies(raposa, cobras, tatu, macacos, roedores, porco espinho etc) passando lentamente perto de nós.
       
      PRECONCEITO:
      Tivemos um fato lamentável num hotel fazenda.
      O gerente nos recebeu num descaso tremendo, nem respondia nossas perguntas, foi preciso a intervenção de uma funcionária para resolver a situação (quase mandei o cara a pqp), o infeliz está no lugar errado.
      O outro caso foi mais leve, mas fiquei puto.
      Tirando isso, foi muito tranquilo ser mochileiro naquela região, muito tranquilo mesmo.
       
      PREÇOS HOTÉIS:
      Variou de $25 a 95 por pessoa (mas a crise pegou todo mundo ), em alguns lugares priorizamos ficar em lugares melhores,
      Sempre pechinchamos os preços, na maioria dos casos conseguimos descontos, principalmente à vista.
      Não fizemos nenhuma reserva, foi muito tranquilo.
       
      PREÇOS REFEIÇÕES:
      variou de $10 a $35 por pessoa à vontade.
      Peso : de $20 a $44 o quilo.
      Obs.: em média coloque $22 por refeição sem bebidas.
       
      ABUSO CONTRA TURISTA:
      Só tivemos alguns casos de abuso, mas nada gritante:
      Você chega em duas pessoas e pede somente um cafezinho pequeno, o cara trás dois grandes (claro, mais caro) e na maior cara de pau diz que pedimos dois.
      Isso aconteceu nuns 5 lugares na serra gaúcha, lamentável!
      Obs.: para nos proteger disso, fazíamos assim: chegávamos nos caixas do estabelecimento e pagava antecipadamente, acabou o problema.
       
      CARONA: precisamos pegar carona em algumas oportunidades, e foi até tranquilo conseguir.
      .fomos ao canyon Itambezinho e no Fortaleza à pé, e voltamos de carona, foi tranquilo.
      .quando visitamos uma cachoeira em Cambará do sul, fomos à pé e voltamos de carona ( neste dia pegamos três, cada um nos levou num pequeno trecho).
      .dividimos o trecho entre Seara e Chapecó-SC em dois, como o ônibus demoraria muito, resolvemos ir de carona, demorou uns 40 minutos para aparecer.
       
      SEGURANÇA:
      Em momento algum tivemos problema, somente em Porto Alegre (visita ao mercado central que nos orientaram a ter cuidado), mas os moradores de PA estão preocupados.
      .na saída de Caxias do Sul, saída para estrada dos imigrantes tem um lugar que me pareceu inseguro, mas nada complicado.
       
      NEGOCIAÇÃO HOSPEDAGEM:
      Sempre negocie, em alguns casos conseguimos descontos de 10% abaixo dos sites de hospedagem. Principmente nesta crise, em alguns casos somente nós dois estavam hospedados no hotel.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 19 a 28 de julho de 2015, o circuito completo do Vale europeu em Santa Catarina. Foram 10 dias contemplando e vivienciando lugares, pessoas maravilhosas.
      Destaco alguns locais incriveis: Pomerode, blumemau, fazenda campo do zinco e sua maravilhosa cachoeira, lindos mirantes, estradas encantadoras, pessoas hospitaleiras e cordiais. Nāo tivemos nenhum incidente.
       
      Começamos antes do circuito, fazendo o caminho entre blumenau e pomerode a pé, e no final fizemos do mesmo modo a rota enxaimel em Pomerode, por isso o roteiro foi concluido em 10 dias.
       
      Brevemente relato completo.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 01 a 30 de janeiro de 2016 o CRER, foram mais de 800 quilômetros de caminhada.
       
      O circuito começa no morro da piedade a uns 15 kms de Caeté -MG e termina no santuário de Aparecida no estado de São Paulo.
       
      Esse circuito ainda está em fase de implantação, no escritório da igreja da piedade não disponibilizam nenhuma informação sobre o roteiro.
      Fornecem somente um pequeno mapa de uma parte do roteiro, não consta nele nenhuma informação sobre hospedagem, refeições, quilometragem.......
      Tem que seguir os marcos , que em alguns lugares foram destruídos dificultando sobremaneira o prosseguimento.
      Mais de 80% deste roteiro seguem o mesmo percurso da Estrada Real, no nosso caso ajudou bastante, pois em caso de dúvida seguíamos os da ER.
       
      Esse é uma demonstração de parte do CRER.

      Em algumas cidades tem essas placas informativa sobre o caminho CRER

      Essas placas informam as distâncias entre cidades..

      O morro da piedade é aquele morro no fundo da foto, é ali que oficialmente começa do caminho CRER

      Essa é a portaria que dá acesso a igreja da Piedade início oficial do CRER

    • Por casal100
      Realizamos no periodo de 05 a 17 de Julho de 2015 a Volta completa da ilha de florianopolis a pé. Foram 12 dias e 251 quilometros.
      Somente a trilha entre ponta de canas e lagoinha que estava fechada, as outras estavam abertas.
      Em breve relato completo.


×
×
  • Criar Novo...