Ir para conteúdo

Iliniza Norte - A subida ao refúgio Nuevos Horizontes


Posts Recomendados

  • Colaboradores

O dia começou bem cedo para nós. O motorista nos buscou as 8h da manhã e o nosso primeiro destino seria Machachi, uma cidadezinha a alguns quilômetros de Quito. Lá, nos encontraríamos com o nosso guia e acertaríamos os últimos detalhes para o Iliniza Norte. Não esperava nenhum grande esforço no primeiro dia. Seria um hiking de umas 4h até o refúgio Nuevos Horizontes (4700 metros de altura). Seria muito parecido ao do Rucu Pichincha que havíamos feito no dia anterior. De lá, no dia seguinte, faríamos o ataque ao cume do Iliniza Norte, com seus 5126 metros de altitude.

Chegamos na entrada da reserva ecológica por volta das 10h30 e lá pelas 11h, começamos a subida até o refúgio. Estávamos um pouco cansados do dia anterior. Deu pra sentir o desgaste. Pra piorar, tivemos que levar muito mais peso do que o esperado, o que dificultou ainda mais a subida.

2019-01-18-01.10.23-1-1024x768.jpg

O começo lembrava muito a trilha do Rucu Pichincha. Era praticamente a mesma paisagem. Vegetação rasteira, cor verde musgo e muita poeira. Alguns quilômetros depois, a neblina veio com força e a inclinação da trilha aumentou consideravelmente. Tínhamos que fazer ziguezagues constantes. Não via a hora de chegar, mas parecia que era interminável.

2019-01-18-01.10.25-1-768x1024.jpg

A parte final seria uma grande montanha de areia cinza e pedras soltas. 1h de subida desgastante. Após vencer o último obstáculo, vimos uma casinha amarela bem distante. Era o refúgio Nuevos Horizontes, o primeiro refugio construído no Equador. Estava envolto em neblina. Também deu pra sentir que a temperatura havia caído drasticamente naquele ponto.

Enfim estávamos no refúgio. Fomos os primeiros a chegar por incrível que pareça. O refugio era bem pequeno. Tinha uma pequena mesa e dois banquinhos de madeira bem na entrada. Vários beliches encostados uns nos outros, bem apertado e uma pequena cozinha, onde o administrador do lugar, "Gato", fazia a coisa funcionar. Não deu tempo nem de colocar as mochilas na cama e já tinha uma sopinha e um chá quentinhos nos esperando. O guia aproveitou o momento e disse que o refúgio aceitaria mais pessoas do que o normal e teríamos que dormir nós 3 juntos em uma cama para 2. "Sem problemas", pensei sem refletir muito.

2019-01-18-01.10.22-1-1024x768.jpg

2019-01-18-01.10.18-1-1024x768.jpg

2019-01-18-01.10.17-1-768x1024.jpg

Terminamos a sopa e logo fomos tirar uma soneca. Isso era por volta das 14h da tarde. O silêncio estava maravilhoso. Dava pra ouvir o coração batendo tentando levar oxigênio pra todo o corpo a mais de 4700 metros de altitude. Isso tem seu preço. O corpo usa muito mais rápido o líquido que entra e por conta disso, a vontade de fazer xixi é quase instantânea. E não é qualquer xixi, é muitooo xixi.

2019-01-18-01.10.26-1-768x1024.jpg

Bom, uma hora depois, outros grupos foram chegando. O silêncio deu espaço ao barulho. Conversa pra lá e pra cá, e nós ali deitados, tentando descansar ao máximo para o dia seguinte. Foi então que a vontade de ir ao banheiro veio. O banheiro ficava no lado de fora. Eram duas cabines bem rústicas, sem luz e bem sujas. O que esperar além disso? Vamo que vamo. A aventura de usar o banheiro nessas condições poderia render um post separado, mas vou deixar a sua imaginação fazer o resto.

Voltando ao refúgio, era hora do jantar. Nos sentamos na mesa com um grupo de mexicanos e começamos a comilança. Uma das meninas virou pra mim e disse "ça va?". Fiquei meio confuso. Sei falar francês mas esperava um "¿Como estás?". Olhei com cara de bunda pra ela e logo veio a pergunta "De onde vocês são?". Prontamente disse que era brasileiro e todos os mexicanos falaram "HA! eu disse, ou eram brasileiros ou franceses!". Foi a deixa para muita conversa e troca de experiências.

Voltando ao jantar, uma sopa veio como entrada. Era uma sopa de legumes neutra. Tinha pedido um cardápio sem lactose. Gato virou para mim e perguntou, pode ter um pouquinho de leite? Ou aceitava ou não comeria nada naquela noite, então disse que não tinha problema. O prato principal foi frango cozido, arroz quentinho e abacate maduro. Uma delícia! Pra finalizar, pêssegos em calda. Tudo acompanhado com chazinho quentinho. O jantar elevou a nossa moral em todos os sentidos.

Voltamos para a cama e tentamos descansar até as 4h do dia seguinte. Não deu nem 1h depois do jantar e já estava com vontade de ir no banheiro de novo. E lá vamos nós novamente. Sair do saco de dormir, vestir a bota e encarar o frio do lado de fora pela vontade de fazer xixi que era interminável. Era quase 1 minuto de xixi, coisa que nunca tinha visto na vida. O corpo parecia está em seu modo de sobrevivência, produzindo xixi em uma taxa acelerada para se manter em funcionamento.

Essa teria sido a última ida ao banheiro antes do ataque ao cume. De volta a cama, coloquei novamente o saco de dormir e dessa vez o guia se juntou a nós. Lembra que dormiríamos 3 em um lugar de 2? Pois eu tive que ficar no meio, entre o guia e a Gabriela, por motivos óbvios. Só não contava que seria espremido durante horas noite a dentro. Resolvi dormir do lado contrário e foi assim que consegui recarregar minhas energias até as 4h da manhã, quando acordamos para atacar o cume do Iliniza Norte.

 

Veja a segunda parte (Iliniza Norte – O ataque ao cume)

Quer ler mais sobre as nossas viagens? É só acessar o nosso site: www.feriascontadas.com

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Fora da Zona de Conforto
      Mudar-se para o exterior pode ser difícil. Envolve muito planejamento, meses de preparação e, infelizmente, muitas vezes, muito estresse para todos os membros da família.
      Quando você finalmente chega ao seu novo destino, pode ser um alívio. Mas há muito a fazer quando você estiver em sua nova casa; desfazer as malas, mobiliar uma casa, conseguir novos empregos, escolas e círculos sociais.
      É por isso que recomendamos tirar um dia de folga do trabalho e sair com a família. Aqui estão as nossas 5 aventuras emocionantes para experimentar ao viajar com sua família ou fazer uma pausa da vida cotidiana.
      Certificamo-nos de que são adequados para as crianças e também divertidos para os adultos, para que todos estejam seguros, felizes e se divertindo!
      Não está se mudando para o exterior? Não deixe que isso o impeça. Você ainda pode participar dessas aventuras com sua família, ou mesmo sozinho.
       
         1. Visite os Animais
      Ver, tocar e experimentar animais selvagens de perto é sempre uma ótima ideia. Não há nada como encontrar uma criatura selvagem para dissipar o estresse da sua vida cotidiana!
      Se seus filhos são muito pequenos, pode ser uma boa ideia começar com uma visita ao zoológico local. Mas quando seus filhos tiverem idade suficiente para apreciar os animais e entender como é uma experiência incrível estar perto deles, você pode olhar para outros encontros.
      Faça um pouco de pesquisa por atividades com animais em sua área. Provavelmente, você encontrará alguns encontros próximos que não são apenas um zoológico comum.
      Você pode encontrar uma experiência com animais exóticos que permite interagir com animais que normalmente não são encontrados em seu país ou área. Mesmo que você só consiga encontrar a vida selvagem normal, a chance de interagir, chegar mais perto e experimentar a beleza dessas criaturas é algo que só acontece uma vez na vida!
       
      Continue lendo em: 5 Aventuras para Experimentar ao se Mudar para o Exterior com a Família
    • Por Diogo Rodrigues
      Oi Pessoal!
      Meu nome é Diogo, e queria apresentar o meu canal no Youtube e site chamado "Uma Câmera na Mão e o Pé na Estrada"
      Nele mostro locais na natureza, trilhas, praias, cachoeiras, permacultura, e muitas outras experiências, sempre prezando pelo meio ambiente, e com a interação com o mesmo.
      Convido a quem quiser, se inscrever no canal, isso ajuda muito a mim, e além de entregar os vídeos novos pra quem se inscreve.
       
      "Quanto mais os anos passam, fico mais medroso, coloco a culpa na correria, no cansaço, ou no trabalho, mas eu tento sempre me forçar a arriscar, porque no momento que saio de casa pra fazer o que quero, tudo faz sentido. Eu quero chegar na velhice ainda fazendo coisas pela primeira vez."
       

      Endereço do canal: www.youtube.com/umacameraviagens
       
       
      Alguns vídeos do canal:
       
       
       
       
       
       
      Algumas fotos:

       

       

       

       

      Valeu pessoal, espero que gostem!
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Ontário, no Canadá, se trata de uma província próxima às cidades, o que acaba atraindo muitos turistas locais e estrangeiros para estarem mais perto da natureza. Em apenas algumas horas, os viajantes podem chegar ao local, saindo dos principais centros urbanos para fazer caminhadas ou andar de barco.
      Você está planejando visitar e realizar atividades ao ar livre em Ontário? Você está hospedado em Toronto, Ottawa ou em qualquer outra grande cidade da província? Você mora em Quebec ou Manitoba e gostaria de explorar sua província vizinha?
      Este é um guia rápido das diferentes atividades que você pode realizar para aproveitar ao máximo seus dias de férias com a natureza.
      (OBS: Aqui você também encontrará um mapa com todos os lugares citados na lista de atividades em Ontário abaixo. Você pode visualizar esse mapa aqui ou após a lista na seção Mapa de Atividades.)
       
          1. Caminhe ao redor de Ontário
      Uma das atividades de aventura ao ar livre mais procuradas em Ontário são as caminhadas. Esse local possui mais de 80.000 quilômetros de trilhas, perfeitas para aventuras ao ar livre, como caminhadas e mountain bike.
      Em sua maioria, os parques nacionais, áreas de conservação e parques provinciais estão abertos para trilhas. As caminhadas em Ontário apresentam as melhores trilhas da província!
      Caminhar no Algonquin Park é uma forma divertida de estar mais perto da natureza. Este parque provincial tem maravilhas naturais mais selvagens e maiores do que outros parques, com 7.635 quilômetros quadrados de florestas, lagos, pântanos e rios magníficos. Em Ontário, você não pode sair sem experimentar uma experiência de caminhada inesquecível. 
       
      Continue lendo em: 8 Ótimas Atividades ao Ar Livre em Ontário para Diferentes Tipos de Aventureiros
       
    • Por Raf_rj
      4 Noites na Chapada dos Veadeiros - Alto Paraiso / São Jorge - Goiás
      >> Quinta 
      - Voo cedo SDU x BSB, chegada em Brasília 10h, retirada do carro alugado (hatch compacto) e partida para a Chapada - Chagada 13h30.
      - Vale da Lua. Local de fácil acesso e lotado de pessoas. 
      - Passagem pelo Jardim de Maytrea (Bela paisagem/Cartão postal da Chapada). É apenas um local para parar o carro na beira da estrada e aguardar o por do sol. Pessoas tiram fotos sentadas no teto do carro.
      - Check in na Pousada em Alto Paraíso no final da tarde.
      >> Sexta
      - Cataratas dos Couros - Distante 50km de Alto Paraiso - Trecho de estrada de terra com subidas difíceis para carro comum. Precisamos empurrar junto com outros grupos também com carros atolados.
      - Orientação de tracklog pelo Wikiloc.
      - Várias quedas, mirantes e ótimos pontos para tomar banho.
      - Circuito para um dia inteiro.
      >> Sábado
      - Parque Nacinal da Chapada dos Veadeiros - Saltos, Carrossel e Corredeiras ~14km com 420 de elevação.
      - Espetacular. Foi tão bom que voltei no dia seguinte para fazer outro circuito.
      >> Domingo
      - Parque Nacinal da Chapada dos Veadeiros - Circuito dos Canions (Canion 2 e Carioquinhas) ~ 11km com 200 de elevação.
      >> Segunda
      - Visita aos poços do Circuito Loquinhas. Entrada é cara e volume de água estava baixo em julho. Mas foi um programa rápido e adequado para o dia de retorno.
      - Retorno a Brasília e voo BSB x SDU a tarde.
      Atenção especial para o restaurante Zu's Bistro (risotos e massas).
      *   O período curto de 4 noites é pouco para conhecer o básico da Chapada dos Veadeiros.
      **  A hospedagem é cara em Alto Paraiso. Uma boa opção é entrar em contato direto com a pousada e reservar sem sites intermediários.
      *** Foi decidido não ir em Cavalcante, a Cachoeira Santa Barbara (queridinha da Chapada) estava fechada no período.
       
    • Por TardoAventura
      Aventura na Serra da Arrábida, Setúbal, Portugal.
      1,5 Kms de adrenalina e superação até ao cume da Espantosa Serra da Arrábida!
      Seguindo a PR2 STB que é 5 estrelas a nível de sinalização!
      Sigam-nos em :
      Wikiloc: https://pt.wikiloc.com/wikiloc/user.do?id=4716837
      Boas Caminhadas!
×
×
  • Criar Novo...