Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

  • 0

Pergunta

  • Membros

Boa noite, sou doutoranda na área de Administração. O tema da minha dissertação trata de serviços inovadores como o Airbnb e o Uber. Portanto, gostaria de saber quais as principais razões que levam vocês a escolherem se hospedar em um Airbnb ao invés de um hotel, ou utilizar como meio de transporte o Uber ao invés de taxis? Como vocês avaliam o desempenho nesses novos serviços?

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Posts Recomendados

  • 0
  • Membros

Não posso considerar o Airbnb mais como inovador, pois já uso há anos... a primeira fez foi em 2014 se não me engano.... Eu costumo escolher o Airbnb por dois principais fatores: Flexibilidade e preço... Geralmente tem espaços maiores que os Hoteis, geralmente tem cozinha que te permite experimentar a culinária local do seu jeito, geralmente o processo de check in e check out é mais flexível que o Hotel... e o melhor: Quase sempre é mais barato...

 

Já o Uber não costumo usar... e também não utilizo taxi... Sempre que viajo, já tento sair de carro do aeroporto e aqui no Brasil, não preciso do serviço... então não tenho como opinar...

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0
  • Membros

Já me hospedei via Airbnb várias vezes, mas pessoalmente eu tento não usar Airbnb durante as minhas viagens, uso somente em último caso, quando não encontro hotel com vagas ou quando os hoteis estão muito mais caros. 

Tem algumas limitações e problemas no Airbnb que costumam atrapalhar o meu dia-a-dia durante as viagens que eu costumo fazer, entre elas:

- Horário de check-in e check-out costuma ser bem reduzido no Airbnb, na maioria dos locais, se você chegar depois das 21:00, não consegue mais fazer check-in, o horário de check-in/check-out dos hoteis costuma ser mais maior.
- Se tiver algum problema com o local, costuma ser complicado falar com o responsável para resolver o problema.
- Anfitrião sem senso de responsabilidade, que resolve cancelar a sua reserva em cima da hora e você fica sem opção.
- Não tem café da manhã e limpeza do local, nas viagens que eu costumo fazer, eu normalmente não quero perder tempo limpando o local, e nem fazendo café da manhã, tento escolher locais que incluam café da manhã para o meu dia render mais.
- Dificuldade em encontrar o local, muitas vezes são locais difíceis de encontrar e sem sinalização clara
- A descrição do local muitas vezes não condiz com a realidade, na descrição e fotos é muito melhor do que na realidade, e não existe um serviço como TripAdvisor onde dá para conferir fotos e opiniões reais da real situação do local.
 

Alem disto, por princípios éticos eu evito usar Airbnb, pois o Airbnb é um dos maiores colaboradores para os crescentes problemas habitacionais aqui na Alemanha onde eu resido, pois o Airbnb incentiva os proprietários de imoveis que anteriormente alugavam os seus imoveis em contratos de longo prazo para os trabalhadores de menor renda, a trocar estes contratos por contratos de curta duração para turistas estrangeiros, e isto está causando um grave problema habitacional, forçando os moradores de menor poder aquisitivo a sair dos bairros onde residem e os empurrando para as favelas que começam a surgir por aqui também, e estes bairros viraram praticamente "desertos" de moradores locais.

Quando o Airbnb surgiu, a ideia da economia colaborativa era inovadora e tinha boas intenções, permitir o intercambio entre pessoas e complementar a renda alugando um quarto vago, ou alugando a sua residência durante as suas férias, mas atualmente o modelo de negócio do Airbnb fugiu do conceito original e o hoje é utilizado basicamente por empresários do setor imobiliário, que possuem vários imóveis, aquele anunciante individual, que alugava um aqueto vago ou o seu imóvel durante as férias, praticamente sumiu do Airbnb

Alem disto, o típico turista de Airbnb gasta pouco no comércio local e não contribui significativamente para a geração de empregos e economia local, o valor pago nas diárias fica nas mãos dos poucos empresários do setor imobiliário, não gera tributos significativos para a cidade, ou seja, contribuiu para encher as cidades de turistas, que sujam a cidade, sobre-carregam o transporte público, etc, mas não gera quase nada de tributos para as prefeituras investirem na manutenção da infraestrutura necessária para atender os turistas

Sem contar com o crescente número de atritos e conflitos entre moradores de prédios e condomínios com os turistas de Airbnb, que muitas não respeitam as regras de boa convivência do condomínio, pois como vão ficar só alguns poucos dias morando lá e depois nunca mais voltar, alguns turistas acham que não precisam respeitar as regras de boa convivência.

Estes são só alguns dos principais motivos para que o Airbnb seja uma plataforma muito criticada, contestada e até mesmo odiada pela população local em mercados onde o turismo é mais desenvolvido e forte como aqui na Europa, EUA, Canada e alguns locais da Asia/Oceania. Até alguns meses havia protestos e passeatas quase mensais contra o Airbnb em várias grandes cidades Europeias e Americanas, cobrando das autoridades municipais uma postura mais firme para regular as atividades do Airbnb

No Brasil, onde o turismo é muito fraco comparado as grandes cidades Europeias e Americanas, o efeito negativo do Airbnb sobre a habitação, infraestrutura das cidades e o setor de turismo como um todo, ainda passa despercebido, e as pessoas não conseguem enxergar os malefícios que Airbnb causa para as cidades turísticas.

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Membros

@poiuy , 

Particularmente discordo do sua experiência... Nos pontos citados como Inflexibilidade do Checkin e checkout, problema com anfitrião, dificuldade de encontrar o local e o mesmo não corresponder ao anunciado, eu ainda não tive esse tipo de experiência então acredito que não podemos generalizar. Claro que na hora da escolha, procuro os Super Hosts e me informo sobre as condições do local antes de fechar, mas acho mais fidedigno as características apresentadas por esses anfitriões que pelos Hoteis por exemplo, onde sempre encontro algo que não estava "escrito" no anuncio. Penso que a escolha do lugar onde ficar no Airbnb precisa ser avaliada da mesma forma que os Hoteis... Não adianta fechar com um Hotel de 10 euros esperando serviço 5 estrelas...

Em relação a limpeza e café da manhã, aí é preferência de quem aluga... novamente, prefiro procurar um lugar para tomar um café onde eu pague pelo o que eu consumo do que ter que tomar um café da manhã em um Hotel (Surpresinha).

Em relação aos problemas habitacionais, esse eu vejo um risco sim... Quem tem imóvel acaba "ganhando" mais alugando por diária do que alugar por longa temporada... Tem vários custos pós a entrega do imóvel que quase sempre precisam de reforma , mesmo estando em contrato, que o inquilino não cobre (principalmente aqui no Brasil onde a justiça é bem lenta). Conheço muita gente que prefere ganhar mil reais por mês no airbnb  alugando seu imóvel por 2 fins de semana do que alugar mensal por R$2.000 devido a isto...

Discordo novamente em relação ao gasto dos turistas... colocar um turista em um Hotel ou em um Airbnb pouco vai afetar o comportamento de gasto dele em outras coisas que não seja estadia... Quem vai aos museus, atrações, restaurantes, etc... vai gastar a mesma coisa.... A diferença é que tira do bolso do Hotel para poder gastar nestas atrações ou até gastar mais... Essa economia do Hotel (muitas vezes 50%) pode ser o fator decisivo para uma família poder viajar ou não, consumir mais ou não... o "bolo" que o viajante tem para gastar é o mesmo e está diretamente ligado a renda dele e não ao Airbnb ou Hotel...

Em relação a impostos, discordo novamente....

O que vejo é o retorno de investimento de Hoteis demorando mais, já que eles estão sendo forçados a baixar preço para serem mais competitivos... Isso diminui o investimento na área e canaliza para locais mais vantajosos como a compra dos imóveis... mais aí, só troca de bolso... no fim disso tudo, quem sai ganhando é o usuário, que acaba fazendo mais com o mesmo "bolo"de dinheiro...

Tudo é questão de ponto de vista....

 

 

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Membros

Respondendo o @LucaSantos eu uso AirBNB quando os hoteis da cidade são muito caros ou quando os hoteis 'mais em conta' tem notas muito baixas nos sites de reserva. Sobre Uber, eu na verdade nunca fui usuária táxi. Lembrando agora, acho que em toda minha vida eu usei em 4 situações de emergência que não tinham mais opções de transporte público disponíveis por horário ou por enchente (hahahaha) e tive que recorrer ao táxi. E claro que em todas as situações foram corridas extremamente caras. Na minha opinião, o Uber veio não para substituir o táxi mas para substituir o transporte público em algumas situações. Por exemplo, hoje na minha cidade o ônibus tá custando 4,70. Se eu e meu marido vamos ao shopping por exemplo, já daria pelo menos 9,40 de ônibus. De Uber dá 11 reais em um terço do tempo. 

Curioso, uma das minhas recentes experiências em AirBNB foi na Alemanha, em Berlim. Claro que sei que cada cidade é um caso, mas na minha experiência, quando fui buscar por um AirBNB em Berlim, achei que tinham poucas opções de hospedagem pela plataforma e menos ainda as opções mais 'centrais'. Dessas que tinham, algumas hospedagens eram extremamente caras por causa de decoração bonita/ moderna e uma localização privilegiada, o que na minha opinião, nem valeria pena porque qualquer hotel entregaria o mesmo num preço menor. 

As 2 que cogitei, ambas longe do centro mas perto de metrô, uma era um 'puxadinho' no quintal da casa principal e a que eu acabei me hospedando, era uma garagem da casa do cara que acabou sendo adaptada para uma súite com cozinha. Ou seja, nenhum dos casos me pareceu serem grandes empresarios ou coisa do tipo, era só uma galera querendo uma renda extra. Claro que eu também filtrei pelos preços mais em conta e por lugares inteiros (não o quarto dentro da casa). Mas acredito que essa seja a busca da maioria das pessoas também. E tinham sim comentários de pessoas que se hospedaram lá antes para ter uma ideia de como seria o local.

Não quero generalizar, mas essa foi a minha experiência pontual. 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Colaboradores

Antes de tudo, acho que seria mais "logístico" para sua coleta e análise de dados se vc preparasse um formulário do Google mesmo, se vc tem as hipóteses e as possíveis respostas na ponta da língua, ficaria mais fácil organizar isso num questionário, montar um gráfico, etc. Não desmerecendo os depoimentos em um site de viagens, claro.

 

Agora a sua pergunta. Para mim o principal diferencial desses serviços é a praticidade e inovação (na época, uma vez que airbnb e uber já estão presentes na sociedade há um tempinho). O mundo evolui e as tecnologias e inovações precisam atender as demandas da sociedade, ao passo que torna as alternativas previamente existentes obsoletas. Taxi pra mim é caro, arcaico, e estressante. Hotel nem sempre está a um preço justo, muitos hotéis bons não se adequaram aos meios digitais, ficando no anonimato, e nem sempre temos aquela flexibilidade de datas e horários em função das temporadas. Uber veio pra ficar e revolucionar o conceito de transporte por terceiros. Sobre o airbnb, mesma coisa: uma alternativa que torna o conceito de hospedagem mais prático (feito na palma da mão), barato e mais livre de burocracias derivadas da hospedagem tradicional (e até isso tem mudado com os serviços de hospedagem digital como o booking e afins).

 

Resumindo, inovação, praticidade e atendimento a novas demandas da sociedade.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Membros
11 horas atrás, f0soare disse:

Tudo é questão de ponto de vista....

Concordo que vendo só do ponto de vista do usuário e do dono do imóvel, Airbnb parece ser perfeito, mas  para o restante da população dos grandes destinos turísticos o airbnb causa mais problemas do que benefícios.

A cidade onde resido não é um mega destino turístico, mas mesmo assim tem sofrido os impactos do turismo de massa potencializados pelos voos low-cost super baratos e super-oferta de imoveis no Airbnb, e mesmo a população da cidade diminuindo, o problema habitacional tem aumentado.

Por exemplo, o proprietário do apartamento onde eu residia, um prédio com 6 apartamentos, pediu todos os 6 apartamentos de volta no ano passado, e passou a alugar eles no Airbnb, e quando fui procurar outro local para morar, a oferta era muito pouca, e compensação estava "sobrando" locais no Airbnb, e acabei tendo que pegar um imovel menor, numa localização pior e com preço mais alto...

Então como a escassez de imoveis para alugar para fins residências me afeta mais do que os benefícios que eu teria como turista, pessoalmente eu prefiro não colaborar para o turismo de massa que está prejudicando muitos locais, e para que os mesmos problemas que eu estou tendo também possam afetar outras pessoas em outros locais.

27 minutos atrás, rafa_con disse:

Curioso, uma das minhas recentes experiências em AirBNB foi na Alemanha, em Berlim. 

 Ou seja, nenhum dos casos me pareceu serem grandes empresarios ou coisa do tipo, era só uma galera querendo uma renda extra.

Berlin era um dos locais mais afetados pela crise imobiliária potencializada pelo Airbnb, e faz uns 2 anos que a cidade de Berlin proibiu a exploração comercial de imóveis via Airbnb para tentar amenizar a crise habitacional.

Em Berlin imoveis inteiros só podem ser ofertados no Airbnb por no máximo 2 ou 3 meses por ano, já quartos ou cômodos de residências podem ser alugados o ano inteiro sem restrição, isto afastou os empresários imobiliários de Berlin do Airbnb.

É por isto que você vê pouca oferta de Airbnb em Berlin, e os poucos locais existentes realmente são pessoas complementando a renda, mas esta restrição as atividades do Airbnb existe em poucas cidades por enquanto, a maioria das outras cidades ainda continuam sofrendo com o problema.

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Membros

Berlim tem uma politica de proteção aos habitantes. Uma coisa que muita gente chamaria de comunista, mas quando aplicado certo, funciona. Ano que vem tambèm vai ter um limite de preço por m2, vai abaixar o aluguel aqui.

 

Sobre o topico, raramente uso Uber/taxi, mas eu prefiro Uber. Jà Airbnb, uso sò a longo prazo, de pegar por 2 semanas ou mais, pois com hotel esse valor seria extremamente caro.  Tbm sou contra o que o Airbnb se tornou, e como tambèm moro na Alemanha, è algo que me afeta diretamente.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Membros

Acho interessante esse tipo de discussão, pois nos permite analisar o tanto que é complexo a questão de ponto de vista... 

Se não estou enganado, Berlim e Barcelona são as cidades que mais "reclamam" deste tipo de hospedagem, alegando o aumento de preço para os moradores... Temos outras cidades com grande fluxo que estimulam esse tipo de acomodação, incentivando e regulamentando com impostos para a concorrência ficar equilibrada.

Mas o fato é que não tem como ir no sentido contrário... As cidades que são resistentes, logo terão que se adaptar... A diferença é muito grande...

Ex.: Estou montando um roteiro de viagem para a Suiça... O Hotel mais barato (sem quarto compartilhado) que encontrei para um casal é na casa dos R$800 a diária (isso hotel não muito bom)... Um apartamento inteiro , na mesma cidade, R$300~400... A diferença é muito grande... Claro que o Hotel vai ter o público dele, mas o público que viaja , que vai aproveitar a cidade e não o Hotel, vai procurar alternativas...

Essa questão do investimento em imóveis por grandes fundos, é algo que ocorre em todas as grandes cidades do mundo... É só ver como cresceram os fundos imobiliários nos últimos anos... E eles só crescem pois encontram público para pagar os alugueis (seja por temporada, fixo ou comercial). Depois da pandemia, isto tende a mudar (pelo menos o comercial), já que muitos foram "forçados"a fazer home office e que na grande maioria, funcionou...

Tudo é baseado na lei da oferta e procura... Se for uma tendência para o futuro a redução de viagens, com certeza parte desse ativo que hoje esta direcionado para temporada será convertido para aluguel fixo... 

Isto me faz lembrar os vários protestos ocorridos em Veneza, se queixando pelo excesso de turistas... Hoje, um amigo morador de lá que reclamava, implora para que volte ao "normal", pois é o turismo que movimenta a cidade.... 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
  • Membros

Respondendo ao tópico: prefiro me hospedar um hostel quando viajo, até porque viajo sozinho na maioria das vezes, então estar em hostel ajuda na socialização.
Mas já fiquei sim em Airbnb em cidades onde não há uma grande opção de hostels (ou que as opções existentes são de péssima qualidade) e onde os hotéis são caros.

Acho que o Airbnb, apesar do problema habitacional destacado pelos colegas, serviu como uma ferramenta efetiva pré-pandemia para popularizar o turismo, abaixando o preço das hospedagens - que consome grande parte do orçamento de viagem na Europa, por exemplo. Muitas cidades reclamam do excesso de turismo (Barcelona, Berlim, como citaram), mas qual seria a solução? Aumentar os custos da viagem, tornando proibitivo que a classe média ascendente de países como Índia, China e Brasil viajassem? 
Acho que o Airbnb foi útil também (não sabemos como será no mundo pós-pandemia) para sacudir um pouco o mercado de hospedagens que fazia tempo que não se deparava com novidades. Talvez plataformas de hospedagem dessa forma tenham que ser melhoradas, mas já foi ótimo haver concorrência.

Sobre uber não uso muito porque na minha cidade (interior) não existe o serviço. Mas quando estou na capital e não quero dirigir, uso o serviço. Bem melhor que táxi, não existe nem comparação.

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...