Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

Fala galera!

Estava tentando montar um mochilão pela Europa neste ano, sendo que viajaria com a minha irmã. Mas, com esse lance todo da pandemia e a alta das moedas mais fortes, pensamos num outro destino: África do Sul.
Pesquisando sobre as atrações e lendo alguns relatos aqui, também despertamos interesse por conhecer a Namíbia. 
O que não está muito claro pra nós é se seria possível conhecer estes dois países, já que temos um orçamento meio limitado.
A ideia seria fazer Safari na Namíbia (Etosha), dar um rolê no deserto e seguir para a África do Sul, Cape Town.

Rola fazer isso? Se sim, quantos dias levaria, no mínimo? E quanto eu iria gastar? 
 

Agradeco desde já! 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Nunca fui a nenhum dos 2 países, então não sei nenhuma média de preços por lá.

Isso de quanto irá gastar, depende muito de como quer se hospedar, comer, locomover, quais passeios, etc.

Para fazer uma média de previsão de gastos sempre faço assim.

Calculo de X dias em hospedagens.

Calculo de X refeições ( almoço, lanches, jantar ).

Preços de transporte público, transfer, taxi.

Preços das atrações que pretendo visitar.

Incluo 20% para cima  para ter margem sobrando.

Mas no mais, sempre ando com cartão da minha conta e cartão de crédito para qualquer eventualidade.

Para ter um calculo exato, somente um roteiro com tudo incluso de agencias de viagens.

Até mais.

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

como já falado acima o roteiro vai depender de vocÊ, quantos dias você está disposto a ficar em cada lugar, a gastar, etc, etc

já estive nos 2 países na mesma viagem e vou tentar de dar um norte, fiquei mais ou menos 9 dias em cada país

adorei muito os 2 lugares, cape town foi uma das cidades que mais gostei no mundo. Achei a áfrica do sul um país barato , na cidade do cabo se come bem em lugares bons, com preços mais em conta se comparado com lugares similares no brasil. existe muitas opções de hoteis e hostels

o transporte na áfrica do sul é bem mais fácil, tem voos para vários lugares, onibus, ubers na cidade

 

a namibia é mais vazia, um dos países com menor densidade demográfica do mundo. as coisas lá são mais caras se comparadas com a áfrica do sul, as opçoes de hotel e hostel são bem menores

Minha viagem lá foi muito foda, aluguei um carro e por 9 dias rodei o país sozinho. foi uma das melhores trips que já fiz sem dúvida nehuma porém mesmo ficando 9 dias não conheci alguns lugares que queria, como o fish river canyon

 

fiz safari tanto no kruger quanto no etosha, que são as reservas mais famosas de cada país

Os 2 safaris foram muito bons, o kruger tem uma infra-estrutura muito melhor e no quesito ver animal, achei o kruger ligeiramente melhor, porém o etosha é mais afastado, bem mais vazio, dá MUITO mais aquela sensação de estar participando de algo do national geographic ou discovery channel. Em ambos os parques dormi dentro dos limites do mesmo, e no kruger os preços são mais em conta e tem quartos mais simples se comparados com o etosha. Além disso se você não quiser gastar mais dormindo dentro do parque, o kruger tem MUITO mais opcoes em volta da reserva e além disso muitas empresas oferecem safaris no estilo day-trip Outro ponto do kruger, como já falei acima, o etosha é mais afastado, e o transporte púbico na namibia é basicamente inexistente, então você teria que alugar um carro ou algum pacote fechado já saindo da capital. No kruger você chega de carro de johannesburgo e além disso tem vário aeroportos em volta e até dentro do kruger

 

outro ponto para se levar em conta que os voos entre a namibia e áfrica do sul, apesar da curta distância, não são tão baratos assim. Eu voei de Cape town para Windhoek, e depois voltei via Johanesburgo

 

eu recomendaria demais conhecer a namibia, agora quantos dias ficar e quanto gastar vai depender do seus planos. aí você tem que sentar montar um esboço de um roteiro e ver quanto ficaria. como falei, fiquei 9  dias na namibia e não conheci tudo que queria, o mesmo sobre a áfrica do sul, onde ainda pretendo voltar no futuro

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Em 07/10/2020 em 07:40, RicardoRM disse:

Nunca fui a nenhum dos 2 países, então não sei nenhuma média de preços por lá.

Isso de quanto irá gastar, depende muito de como quer se hospedar, comer, locomover, quais passeios, etc.

Para fazer uma média de previsão de gastos sempre faço assim.

Calculo de X dias em hospedagens.

Calculo de X refeições ( almoço, lanches, jantar ).

Preços de transporte público, transfer, taxi.

Preços das atrações que pretendo visitar.

Incluo 20% para cima  para ter margem sobrando.

Mas no mais, sempre ando com cartão da minha conta e cartão de crédito para qualquer eventualidade.

Para ter um calculo exato, somente um roteiro com tudo incluso de agencias de viagens.

Até mais.

Boa! Valeu Ricardo. Já pratico algumas das dicas

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
4 horas atrás, FCRO disse:

como já falado acima o roteiro vai depender de vocÊ, quantos dias você está disposto a ficar em cada lugar, a gastar, etc, etc

já estive nos 2 países na mesma viagem e vou tentar de dar um norte, fiquei mais ou menos 9 dias em cada país

adorei muito os 2 lugares, cape town foi uma das cidades que mais gostei no mundo. Achei a áfrica do sul um país barato , na cidade do cabo se come bem em lugares bons, com preços mais em conta se comparado com lugares similares no brasil. existe muitas opções de hoteis e hostels

o transporte na áfrica do sul é bem mais fácil, tem voos para vários lugares, onibus, ubers na cidade

 

a namibia é mais vazia, um dos países com menor densidade demográfica do mundo. as coisas lá são mais caras se comparadas com a áfrica do sul, as opçoes de hotel e hostel são bem menores

Minha viagem lá foi muito foda, aluguei um carro e por 9 dias rodei o país sozinho. foi uma das melhores trips que já fiz sem dúvida nehuma porém mesmo ficando 9 dias não conheci alguns lugares que queria, como o fish river canyon

 

fiz safari tanto no kruger quanto no etosha, que são as reservas mais famosas de cada país

Os 2 safaris foram muito bons, o kruger tem uma infra-estrutura muito melhor e no quesito ver animal, achei o kruger ligeiramente melhor, porém o etosha é mais afastado, bem mais vazio, dá MUITO mais aquela sensação de estar participando de algo do national geographic ou discovery channel. Em ambos os parques dormi dentro dos limites do mesmo, e no kruger os preços são mais em conta e tem quartos mais simples se comparados com o etosha. Além disso se você não quiser gastar mais dormindo dentro do parque, o kruger tem MUITO mais opcoes em volta da reserva e além disso muitas empresas oferecem safaris no estilo day-trip Outro ponto do kruger, como já falei acima, o etosha é mais afastado, e o transporte púbico na namibia é basicamente inexistente, então você teria que alugar um carro ou algum pacote fechado já saindo da capital. No kruger você chega de carro de johannesburgo e além disso tem vário aeroportos em volta e até dentro do kruger

 

outro ponto para se levar em conta que os voos entre a namibia e áfrica do sul, apesar da curta distância, não são tão baratos assim. Eu voei de Cape town para Windhoek, e depois voltei via Johanesburgo

 

eu recomendaria demais conhecer a namibia, agora quantos dias ficar e quanto gastar vai depender do seus planos. aí você tem que sentar montar um esboço de um roteiro e ver quanto ficaria. como falei, fiquei 9  dias na namibia e não conheci tudo que queria, o mesmo sobre a áfrica do sul, onde ainda pretendo voltar no futuro

Cara, que insana deve ter sido a sua trip. Então, o plano seria ficarmos 12 dias nos dois países. Tudo vai depender da promoção de passagens que a gente pegar.
Vc recomendaria mais dias na Namíbia ou na África do Sul (Cape Town), de acordo com a sua experiência? 
Deve morrer uns r$1000, pelo menos, nesse trajeto Windhoek x Cape, não? Outra coisa, leva muito tempo de Windhoek até Etosha? Vc teria a relação dos seus gastos?
No mais, valeu pelas dicas. Foi de grande ajuda já :)

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
11 horas atrás, felipeffernandes disse:

Cara, que insana deve ter sido a sua trip. Então, o plano seria ficarmos 12 dias nos dois países. Tudo vai depender da promoção de passagens que a gente pegar.
Vc recomendaria mais dias na Namíbia ou na África do Sul (Cape Town), de acordo com a sua experiência? 
Deve morrer uns r$1000, pelo menos, nesse trajeto Windhoek x Cape, não? Outra coisa, leva muito tempo de Windhoek até Etosha? Vc teria a relação dos seus gastos?
No mais, valeu pelas dicas. Foi de grande ajuda já :)

vou mandar o que achei aqui dos meus gastos

1 diária no campo de okaukuejo no etosha foi 1270 dolares da namibia (N$), a diária no campo de halali foi N$1390. única refeição incluida era café da manhã. outras atividades como safaris guiados não são incluso. Além disso tinha uma taxa de preservação (algo assim) que tinha que pagar em dinheiro na hora do check in, a taxa é diária e vocÊ já paga quantos dias você vai ficar, não lembro o valor...

a diária do carro foi N$552 com seguro parcial (incluia acidentes e roubo), o seguro completo, que inclui proteção de rodas e vidros ficaria N$699. Aluguei um cruze pela hertz, existem opções de carro mais barato, porém lembra-se que na namibia é vazia, dirigia horas por estradas de terra e cascalho sem cruzar com outro carro, então optei por um carro maior, mais potente e mais seguro, porém existia opções como vw polo etc

diária do hostel em Windhoek: N$ 190 

 

diária do hotel próximo ao  sossuvlei:  N$ 600 sem qualquer refeição incluida . Lembrando que para visitar sossuvlei, deadvlei, duna 45 você precisa de um carro 4x4, então mesmo alugando um carro, se for fazer esses passeios, que são imperdiveis, vai ter que pagar um tour. Reservei pelo hotel que fiquei, mas não lembro o valor

esses são os únicos preços que encontrei aqui, infelizmente não costumo manter tabelas detalhadas como alguns fazem

 

O vôo entre cape town e windhoek, fiz uma simulação pra daqui 4 meses e tá saindo 1280 ida e volta.

 

O trajeto entre Windhoek até o portão de entrada do etosha são aprox. 4 horas. foi a melhor estrada de todas que peguei na viagem, toda asfaltada, fiz 2 paradas no caminho.

 

12 dias daria pra fazer sim se for ficar só em cape town na áfrica do sul, seria corrido, teria que ver muito bem pra odne ir

cape town é cheio de atrações tmb, na própria cidade e nas regioes proximas (vinicolas, mergulho com tubarão, cabo da boa esperança, etc) 

já ta contando os deslocamentos? Porque não tem voo direto entre brasil e cape town ou brasil - namibia, vai ter que fazer conexão em algum lugar (addis, luanda ou johanesburgo são os mais comuns) e dependendo do voo vai perder até 3 dias entre ir e voltar

 

muito bom lembrar dessa viagem, como já falei foi uma das melhores que fiz 

qualquer dúvida só mandar 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Montovani
      Pessoal alguém ja fez esse roteiro e pode me passar informações de hospedagem, acampamento, passeios, lazer, lugares interessantes pra ir, iremos em dezembro 3 pessoas...
    • Por felipeporto
      Oi gente!
      em Dezembro de 2021 eu vou passar 40 dias na Europa conhecendo o continente
      eu vou ficar:
      6 dias na espanha
      5 dias em portugal
      7 dias na frança
      6 dias na inglaterra
      3 dias na holanda
      6 dias na alemanha
      7 dias na italia
       Quanto vocês acham que eu devo levar (estimativa) pra passar esses dias por lá? 
      incluindo todos os custos (alimentação, hospedar em hostel, transporte, atrações, etc)
      (em portugal vou ficar em casa de família)
    • Por Ciclomochilatour Mochilao
      Saudaçoes a todos. 
      Bom galera, tive uma experiencia incrivel no verao de 2018 para 2019..fiz uma cilcoviagem de 4 meses saindo de S.C. indo pelo litoral ate o uruguai, dando a volta no pais e voltando pela serra Gaucha. foi incrivel . 
      Agora penso em mais uma vez fazer uma cicloviagem mais uma vez partindo de S.C. e subindo por todo nosso litoral ate Sao Luiz do Maranhao.. 
      algo assim bem roots mesmo. com pouquissimo dinheiro mas muita vontade de conhecer e viver inequeciveis experiencias.
      A viagem seria sem pressa sem data e sem metas apenas desbravando o que a vida tem de melhor para oferecer. 
      Sera que ainda existem almas livres para acompanhar pelo trajeto ou por toda viagem ???
      kkk fica o convite 
      Devo sair entre Janeiro e março de 2021. 
      abraços 
    • Por ms.priscila
      Roteiro Marrocos (11 dias)
      INFORMAÇÕES GERAIS
      Visto: dispensa de visto por até 90 dias
      Passaporte: deve ter validade de pelo menos 6 meses da data do retorno ao Brasil
      Vacinas: não exige vacina da febre amarela
      Quando ir: mar-maio e set-nov
      Capital: Rabat
      Moeda: dirham marroquino (MAD), podendo ser comprado fora ou dentro do país
      Idioma oficial: árabe e francês
      Cod. telefone: +212
      Padrão bivolt: 220V
      Tomadas: C e E
      Empresas aéreas: Royal Air Maroc (RAM)
      Trem: ONFC
      Ônibus: CTM e Supratours

      VIAJANDO SOZINHA PELO MARROCOS
      Antes de decidir viajar ao Marrocos, pesquisei muito a respeito pois li e ouvi muitos relatos negativos quanto à presença da mulher no país, como por exemplo, perseguição e assédio.
      Por este motivo, optei por viajar com agência de viagens (o que nunca havia experimentado) e, ao final, posso dizer que foi uma boa escolha diante dos argumentos que tratarei mais adiante. A agência escolhida foi a Almanatour (esta informação não é patrocinada), porque somente ela oferecia o tour em novembro pelo tempo e locais pretendidos.
      O Marrocos é um país em expansão e com uma arrojada política de estruturação voltada ao turismo. Assim, a agência, especificamente, cumpriu com todos os serviços contratados, mas de uma maneira geral, os serviços ainda são ruins, mesmo nos hotéis estrelados, mas é um caminho a ser percorrido.
      Quanto à perseguição e assédio mencionados anteriormente, por duas vezes, em Fez e Marrakech, abandonei o tour para andar sozinha pela cidade e as impressões são as seguintes:
      1. O Marrocos é um país muçulmano, portanto, você deve respeitar a figura da mulher dentro da religião;
      2. Independente de ser homem ou mulher, você será extremamente assediado no que diz respeito às compras; e nesse aspecto, eles são incansáveis. Por isso, a dica é: óculos escuros e um educado “no, thanks”;
      3. Evite tirar fotos com animas e fazer tatuagens nas praças principais das grandes cidades; um triste fato é que os vendedores sempre estarão prontos a lhe enganar nos valores comercializados.
      Assim, algumas situações que vimos ou enfrentamos:
      a. Um colega do tour tirou uma foto com um animal, em Marrakech, e o rapaz lhe disse que pela foto ele poderia pagar a quantia que quisesse. Após a foto, o colega ofereceu 5€, o que foi recusado pelo rapaz, que passou a exigir 20€. Nesse momento, o rapaz passou a ir para cima do colega, que começou a chamar a polícia, quando o rapaz empreendeu fuga.
      b. A noite, tirei uma foto de uma praça, em Marrakech, e um rapaz, saindo não-sei-de-onde, me pediu dinheiro pois possivelmente havia saído na minha foto. Expliquei que a foto não estava boa, apaguei e ele se convenceu e foi embora.
      c. Antes de partir de determinado ponto turístico, eu e uma colega do tour perguntamos a alguns policiais quanto era um táxi de onde estávamos para o hotel; eles nos informaram que o valor girava em torno de 20 a 25 MAD. Quando abordamos os taxistas, nos cobraram 80 MAD e aí começam a querer negociar. Ao final, voltamos a pé porque ficamos com receio de negociar valor certo e ser cobrado a maior, quando chegássemos ao destino.
      Assim será em relação a tudo que você tenha que pagar no país. Por esta razão, contratei um tour com tudo incluído e fugi de todos estes percalços.
      Conclusão: o Marrocos é um país lindo, incrível, de cultura apaixonante. Nas grandes cidades medievais vê-se grande número de turistas nas ruas durante todo o dia e noite. Caminhe a vontade pelas medinas, praças e demais pontos turísticos; você, mulher, não será perseguida. Enjoy!

      CLIMA NO MARROCOS Por estar próximo ao deserto, acreditava que o Marrocos era sempre quente. Ledo engano. Faz frio e muito frio. Respeite as estações. Fui em novembro (final do outono) e as temperaturas foram sempre amenas (8o a 20o) e mesmo no deserto fez frio durante o dia, mas sob forte sol.

      ROTEIRO DIA A DIA
      Por uma questão didática, expus o roteiro descriminado pela agência, em seu site, e farei comentários, quando julgar necessário.

      Dia 01: Marrakech
      “Chegada ao Aeroporto. Transfer para o hotel escolhido. Jantar incluído.”

      Dia 02: Marrakech – Essaouira – El Jadida – Casablanca
      “Saída para Essaouira logo depois do café da manhã. Visita da cidade, almoço opcional em um restaurante da cidade. Pela tarde vamos em direção a Casablanca. Durante o trajeto faremos paradas em Oualidia e El Jadida. Visita de orientação da cidade de Jadida ou Mazagão (que foi uma antiga cidade portuguesa) e na época considerada o melhor refúgio na Costa Atlântica no ano de 1769. Chegaremos em Casablanca para o jantar e alojamento no Hotel.”
        Essaouira
      Medina da Essaouira

      Dia 03: Casablanca – Meknes e Fez
      “Começamos o dia conhecendo Casablanca, a capital econômica do Marrocos:  Mercado Central,  distrito de Habús, o Palácio Real, a Praça de Mohamed V, a zona Residencial de Anfa, o exterior da Mesquita de Hassan II. Saída para Meknes para visitar a capital “Ismaelita”, a qual tem as maiores muralhas de Marrocos (40 km); a famosa porta de Bab Mansour, os estábulos reais e o bairro Judeu. Almoço durante o trajeto (Opcional). Continuação a Fez. Jantar e alojamento.”
      A parada não permite entrar na Mesquita de Hassan II, em decorrência do tempo. Se estiver sem excursão e decidir entrar na mesquita, é necessário um véu para cobrir ombros e colo.
        Casablanca
      Estábulos reais

      Dia 04: Fez
      “Todo o dia será dedicado a conhecer a Capital Espiritual do Marrocos; visitaremos a Medina Medieval e veremos as escolas muçulmanas mais antigas (exteriores) “Attarine e Medersa Bou Anania”, que fazem parte das Universidades Islâmicas mais antigas do mundo. Durante a nossa visita, também visitaremos a fonde água Nejjarine, a mais antiga da medina, o Mausoléu de Moulay Idriss e a Mesquita de Karaouine, vista exterior somente. Almoço típico (não incluído) em um restaurante local no coração da Medina. Na parte da tarde, visita aos mercados mais tradicionais, os zocos e a parte de  Fez Jdid. Jantar e alojamento no hotel.”
      Neste dia, eu e uma colega do tour decidimos deixar o grupo e passear sozinhas pela principal medina de Fez: Fez El-bali. Passamos cerca de 05 horas no local, guiadas pelo GPS do celular. Esta medina possui mais de 9000 ruelas, portanto, não se percam. Negociamos, compramos, almoçamos e voltamos para o hotel. O táxi foi contratado por 300MAD/30€ (ida e volta) no próprio hotel.
      Medina Fez El-Bali

      Dia 05: Fez-Rabat-Marrakech
      “Saída até a cidade sagrada de Moulay Idriss pelas ruínas de Volúbilis, via a cidade Romana até Rabat, a Capital Administrativa. Visita ao Palacio Real Mechouar, ao Jardim e a Kasbah Oudaya (fortaleza Medieval), ao Mausoléu de Mohamed V e a Torre da Mesquita de Hassan. Almoço opcional durante o trajeto. Continuação da viagem por estrada autopista até Marrakech.  Check-in no hotel , Jantar e alojamento.”
        Volubilis
      Rabat

      Dia 06: Marrakech
      “Todo o dia dedicado para conhecer Marrakech, a segunda mais antiga do Império, também chamada de “A Pérola do Sul”. A visita a parte histórica incluirá o Jardim da Menara, a Tumbas Saadianas,  o Palácio Bahía, a Koutoubia e o Museu de Dar Si Said. Almoço no hotel. Durante a tarde visita dos Zocos de Marrakech e dos bairros dos artesãos, para apreciar a diversidade do local, incluindo a conhecida zona da praça mais famosa do Marrocos, a Djemaa El Fna e seu incomparável ambiente noturno. Jantar típico (opcional) nas Tendas do famoso restaurante “Chez Ali” encantador por suas apresentações de diferentes grupos folclóricos das regiões de nosso país. Alojamento.”
      Ao final do tour, por volta das 17:30h, abandonamos o tour e continuamos na Praça El Fna pelo resto da noite, até por volta das 22h, quando voltamos sozinhas ao hotel a pé.
      Koutoubia
      Palacio Bahia
      Djemma El Fna

      Dia 07: Marrakech, Ouarzazate e Zagora
      “Café da manhã no hotel, partida para Ait Ben Haddou através de Tizi N`tichka (2260 m. de altitude). Visita à famosa Fortaleza, a Kasbah,  que serviu como cenário para filmes famosos e atualmente é patrimônio da UNESCO. Almoço (opcional) em um restaurante local frente a Kasbah e continuação para Zagora, cruzando o Valle  de Draa. Uma paisagem única nos acompanhará neste dia.  Jantar e acomodação no hotel.”
        Ait Ben Haddou
       
      Dia 08: Zagora – Nkob – Tazzarine – Erfoud
      “Saída para Tamgroute, visita ao centro de artesanato e de acordo com a disponibilidade, visita a Livraria Corânica, que contém livros antigos e documentos que datam de antes do século XII. Partida para Erfoud, através de pequenos povoados bereberes como  Tansikht e  N´Kob, onde é possível ver cenários esplêndidos do pré-Saara e das Vilas Berberes da cadeia de montanhas. Almoço (opcional) em Tazzarine  em um pequeno villarejo no deserto. Pela tarde, continuação para Erfoud através da vila de Alnif e Rissani, local de nascimento da atual dinastia Alaouita. Jantar e acomodação no hotel.”
        Centro de artesanato
      Alnif
      “Neste dia, poderá realizar estas excursões opcionais:
      Opcional 1 : Excursão em Jeep  4×4 a Merzouga para ver o pôr do sol ou o nascer do sol nas dunas de Merzouga
      Opcional 2 : Excursão em Jeep  4×4 a Merzouga para ver o pôr do sol e Jantar na Tenda árabe em pleno deserto e regresso ao seu hotel em Erfoud
      Opcional 3 : Excursão em Jeep  4×4 a Merzouga para ver o pôr do sol e Jantar na Tenda árabe em pleno deserto + dormir em uma Tenda Árabe”
      Optei por dormir em uma tenda árabe. Assim, ao chegar ao deserto, fomos ver o pôr-do-sol, jantar e pernoite na tenda. A tenda possui cama de casal, luz elétrica, tomadas, chuveiro elétrico, mas não possui aquecedor.
      Na saída do hotel em Erfoud, em direção ao deserto, há vários vendedores que oferecem véus e colocam na cabeça dos turistas.
        Dunas do Deserto do Saara
      Pôr-do-sol no Deserto do Saara

      O passeio nos dromedários custou 30€
      O passeio para o nascer do sol custou 20€

      Dia 09: Erfoud – Tineghir – Ouarzazate
      “Caso a noite anterior tenha sido passada no hotel em Erfoud, você poderá optar por fazer uma excursão saindo em 4×4 ainda a noite para admirar o nascer do sol nas dunas do deserto.
      Depois do café da manhã, saída para Tineghir; visita da magnífica Garganta de Todra, um desfiladeiro que atinge uma altitude de 250 metros. Almoço (opcional) em um restaurante localizado ali mesmo, aos pés da garganta. À tarde, seguiremos nosso roteiro em direção a Ouarzazate pela famosa estrada das Mil kasbas, passando por lugares inesquecíveis como El Kelaa M’gouna e pela aldeia de Skoura. Jantar e alojamento no hotel.”
      Garganta de Todra

      Dia 10: Ouarzazate – Marrekech
      “Café da manhã e visita panorâmica da cidade de Quarzazate, antes de iniciar o caminho até Marrakech. Ao chegar em Marrakech, almoço no hotel, resto dia livre. Opcional: um jantar típico marroquino no coração da Medina.”
      Infelizmente, todos os jantares que pagamos durante a viagem somente incluíam um único prato típico, chamado Tajine (um cozido de legumes e verduras com/sem carne/frango). Assim, se você pretende provar o famoso cordeiro ou cuscuz marroquino, fuja dos jantares pagos.

      Dia 11: Marrakech-aeroporto
      “Café da manhã e transfer até Marrakech para Aeroporto Menara para embarque, conforme horário previsto para o voo.”
      Além das principais cidades medievais contidas neste tour, você ainda pode visitar:
      CHEFCHAOUEN (Mesquita Azul)
      A única maneira de chegar em Chefchaouen é por terra, ônibus ou carro. A cidade fica mais ao norte do país, e chegar até ela é tranquilo. Saindo de Marrakech, é uma longa viagem, pois Chefchaouen fica a quase 600km de distância, passando por Casablanca, Rabat e Fez.

      CASCADES D’AKCHOUR (40min de carro de Chefchaouen)
      O ponto de partida dos táxis é ao lado do posto de gasolina (só tem um na cidade). É só chegar e falar que quer ir para Akchour.

      CASCATAS DE OUZOUD (160km de Marrakesh)
       
    • Por ms.priscila
      https://feitaprafugir.com.br/roteiro-africa-do-sul/
       
      INFORMAÇÕES GERAIS

      Visto: dispensa de visto por até 90 dias
      Passaporte: deve ter validade de pelo menos 1 mês da data do retorno ao Brasil
      Vacinas:  exige vacina de febre amarela
      Quando ir: o ano inteiro
      Capitais: Cidade do Cabo, a maior das três, é a capital legislativa; Pretória é a capital administrativa e Bloemfontein é a capital judiciária
      Moeda: Rande (R)
      Idioma oficial: 11 línguas oficiais, entre elas o inglês
      Cod. telefone: +27
      Padrão bivolt: 230V
      Tomadas: C, D, M, N
      Principais operadoras telefônicas: vodacom (data), MTN, Cell C e Telkom 
      Empresas aéreas low cost: Kulula, Mango, Fly Safair (não é boa)


      VISÃO GERAL DA ÁFRICA DO SUL
      Os principais lugares para se conhecer na África do Sul são Cape Town, Rota Jardim, Rota Panorâmica, safáris e Johannesburgo, sendo que a rota panorâmica e safáris estão próximos a Johannesburgo (também chamada de Gauteng).
        A Rota Jardim é ruma rota cênica que inicia-se em Cape Town até Port Elizabeth ou vice-versa. No caminho, passa-se por varias cidadezinhas, que guardam seus principais pontos turísticos: Stellenbosh e Franschhoeck (vinícolas), Gansbaai (mergulho com tubarão na gaiola), Outdshoorn (fazenda de avestruz e cango caves), Knysna (the heads), Plettenberg  Bay (Storms River National Park e Reserva Robberg), Tsitsikamma Park (face adrenalin: maior bung jumpee de ponte do mundo).
        A Rota Panorâmica (ou Panorama Route), por sua vez, é um caminho ao longo do Blyde River Canyon, o terceiro maior canyon do mundo, em Mpumalanga, e que guarda paisagens incríveis. Está a apenas 1h30min do Kruger Park. A ideia é fazer o pernoite na cidadezinha de Graskop e reservar um a dois dias para percorrer a região. 


      SOBRE OS SAFÁRIS
      02 dias inteiros de safári são suficientes. Não conte o dia da chegada e da partida; gasta-se cerca de 7h de carro ou 1h de avião. Então isso geralmente soma 4 dias no total: 1 para ir + 2 no parque + 1 para voltar. Quem tem pouco tempo, pode apertar em 3 dias: sai cedo e já faz um safári noturno no dia da chegada + 1 dia de safári inteiro + safári de manhã e partida.
        http://www.feitaprafugir.com.br                
      O Kruger Park é um parque nacional e dentro dele estão vários acampamentos, sendo o Skukuza um dos principais por sua infraestrutura (restaurante, lojas, mercadinho, piscina e museu). Dentro do parque há varias estradas devidamente demarcadas, onde os turistas podem fazer os self drives ou os safáris organizados pelo local.

      Também pode-se optar pelos game reserves, que são estabelecimentos privativos, ao redor do Kruger, e em sua maioria lodges de luxo e, obviamente, mais caros. Neles, diz-se que os safáris são mais rústicos, já que não percorrem as estradas já abertas, como ocorre no Kruger.

      Optamos pelo parque nacional e não nos decepcionamos. Vimos vários animais na beira da pista e quatro dos chamados Big Five, os animais mais difíceis de serem visualizados.

      Melhores lugares dentro do parque: Skukuza, Pretoriuskop.

      Melhores lugares fora do parque: Hazyview, Sabie Sand Game Reserve (Elephants Plains Game Lodge).


      SUGESTÃO DE ROTEIRO 05 dias: Cape Town
      05 dias: rota jardim
      02 dias: Johannesburgo
      03 dias: Safari
      02 dias: rota panorâmica 
      03 dias: Durban (mergulho)


      PONTOS TURÍSTICOS DE CAPE TOWN

      Cidade do Cabo City Sightseeing:
      Preço: R280 (R$81) 2 dias e R180 (R$52) 1 dia

      Restaurante La Colombe (necessita reserva) 

      Degustação de cervejas: Devil’s Peakn, Beer House, Woodstock Brewery

      St. George catedral (ao lado do Company´s Garden)
      Horário: 9-13h
      Gratuito

      Company´s Garden
      Horário: todos os dias de 7-19h (inverno) e 7:30-20:30h (verão)
      Gratuito

      Jardim Botânico Kirstenbosch
      Horário: todos os dias de 8-19h
      Preço: R75 (R$25)
        Jardim Botânico Kirstenbosch

      Long Street (a noite): Bar Beerhouse

      Truth Coffee Roasting – indicado como melhor café do mundo pelo The Telegraph

      V&A Waterfront: complexo de lojas, bares e restaurantes

      Robben Island  
      Horário: 9h, 11h, 13h, e 15h
      Preço: R360 (R$116); obs.: onde Mandela ficou preso (passeio dura 4h); o passeio sai do W&A Waterfront
      Obs.: procure fazer o passeio nos primeiros dias, pois este depende de condições climáticas.

      Boates: Cocoon e Shimmy Beach Club

      Table Mountain
      Horário: todos os dias de 8-13h
      Preço: R360 (R$116); obs.: ir de manhã por causa do tempo
      Obs.: fora o funicular, a Table Mountain possui várias trilhas, que podem ser percorridas em 1h30min, 3h e até 4h. Percorremos a trilha Índia Venster, que durou 3h, com paisagens imperdíveis. Apesar de ser classificada como difícil, esta trilha pode ser feita por qualquer pessoa, que não tenha medo de altura e algum preparo físico.   
      Escalada da Table Mountain

        A Renata Sarzi, do A Dream Overland, classifica as trilhas da seguinte forma:

      Platteklip Gorge Tempo: Pelo menos 1h30 (subida) e 1h (descida)
      Grau de dificuldade (fôlego): Pesado (subida) e leve (descida)
      Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve
      Vista e paisagem: ★★★★★
      Avaliação da trilha: ★★★★★ Chata
      Onde a trilha começa: Tafelberg Rd (na mesma rua do Cableway)
      Custo: $ Gratuito

        India Venster
      Tempo: 3h00 (subida)
      Grau de dificuldade (fôlego): Moderado a pesado (subida)
      Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve a moderado
      Vista e paisagem: ★★★★★
      Avaliação da trilha: ★★★★★
      Onde a trilha começa: Tafelberg Rd (na mesma rua do Cableway)
      Custo: $ Gratuito
      }
       
      Skeleton Gorge
      Tempo: 4h00 (subida)
      Grau de dificuldade (fôlego): Moderado (trilha bem longa)
      Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve
      Vista e paisagem: ★★★★★
      Avaliação da trilha: ★★★★★
      Onde a trilha começa: Jardim Botânico Kirstenbosch
      Custo: $ Entrada no Jardim Botânico (cerca de R60)
       
      Signal Hill (ao lado do bairro Bo Kaap): ir no pôr do sol (estação de ônibus mais próxima é Kloof Nek)
        Signal Hill

      Galileo Open Air Cinema
      Horário: os portões abrem de ter-sex as 17h e sab-dom as 16h; o cinema começa entre 19:30-20:30h; cinema ao ar livre
      Preço: R105 (R$34)

      Gold Restaurant
      Jantar com danças típicas: R380 (R$123)
        Jantar no Gold Restaurant

      Castelo da Boa Esperança
      Horário: tour guiado 11:00 | 12:00 | 14:00 | 15:00 | 16:00; troca de guarda seg-sex de 10-12h
      Preço: R50 (R$17)

      District Six Museum
      Horário: seg-sab de 9-16h
      Preço: R45 (R$15)

      Cape Point
      Horário: 9-17:30h
      Preço: R320 (R$103) e funicular  R85 (R$28 ida e volta) ou R70 (R$23 só ida)
        Cabo da Boa Esperança

      ROTEIRO DIA A DIA EM CAPE TOWN
      Dia 01: The Old Biscuit Mill Market (só aos sábados), Robben Island, V&A Waterfront; cinema ao ar livre; balada a noite

      Dia 02: St. George catedral (ao lado do Company’s garden), Company´s Garden, Castelo da Boa Esperança, Jardim Botânico Kirstenbosch, degustação de cerveja na Beerhouse a noite

      Dia 03: District Six Museum, bairro Ko Baap, Signal Hill (por do sol)

      Dia 04: table mountain, praia de camps bay (fim de tarde) e clifton beach; jantar no Gold Restaurant

      Dia 05: vá por Hout Bay; Chapman’s Peak; Cabo da Boa Esperança; Cape Point; Boulders Beach (alugue um carro)


      VINÍCOLAS
      Groot Constantia (mais antiga vinícola)
      Horário: todos os dias de 9-17h
      Preço: R115 (R$38); obs.: a 15 min de Cape Town
      Stellenbosh (42 minutos de Cidade do Cabo): principal cidade do circuito de vinícolas da África do Sul, Stellenbosh é uma cidade universitária, com um centrinho bonito, agitado e cheio de bons cafés, bares e restaurantes. Existem dezenas de (ótimas) vinícolas pela região.
      Franschhoeck (40 minutos de Stellenbosh): uma cidade bem pequenininha, situada no meio de um vale de montanhas. Bem romântica e ideal para descansar e para quem gosta de vinhos e belas paisagens. Os restaurantes também são muito bons.

      Aqui pode-se encontrar o Wine Tram, um passeio em ônibus e trem, que percorre varias vinícolas da região, dependendo da linha que se escolhe, no momento da compra. São 08 linhas classificadas por diferentes cores e cada uma apresenta diferentes roteiros. Ideal para quem não quer ficar bebendo e dirigindo entre uma vinícola e outra. Esta foi nossa opção e adoramos. 
        Vinícola da rota da Wine Tram

      ROTA JARDIM – Gansaai, Cabo das Agulhas, Oudtshoorn, Knysna, Tsitsikama/Storms River Plettemberg Bay 
      obs.: algumas das informações abaixo foram retiradas do site I Love Trip.
      Gansbaai (1h40min de Franschhoeck) – mergulho com tubarões: esse é o melhor lugar para você fazer o incrível mergulho com tubarão branco da África do Sul. Não deixe de incluir esse passeio no seu roteiro de viagem.  Quanto tempo: manhã. 

      Existem várias empresas que realizam este passeio em Gansbaai, são elas:
      1. Great White Shark Tours
      2. Marine Dynamics
      3. Shark Diving Unlimited
      4. White Shark Ventures (R1750 ou R$488; nossa escolha e super recomendo)
      5. White Shark Projects
      6. White Shark Diving Company
      7. African Shark Eco Charters

      Obs.: caso não seja possível a visualização de tubarões, já que o local é apenas rota para esses animais, algumas escolas disponibilizam voucher para re-agendamento em outro dia.

      Cabo das Agulhas (1h20min de Gansbaai) – o Cabo das Agulhas marca o encontro dos oceanos Índico e Atlântico, estando junto a um Farol, que também pode ser visitado.
        Cabo das Agulhas

      Oudtshoorn (3h45min de Cabo das Agulhas) – muitos fazem um desvio na Garden Route para ir até Oudtshoorn, a capital mundial do avestruz, com diversas fazendas de avestruzes. Esse desvio só vale a pena se você fizer questão e tiver tempo. A principal atração turística da cidade é a Cango Caves, cavernas com tour para visitação.

      Highgate Ostrich Show Farm (fazenda de avestruz)
      Preço: R372 com almoço (R$120); tour parte de 8-16 e almoço de 11-14h

      Cango Caves
      Horário: 9-15:30h; o passeio dura 60 minutos (Heritage Tour) ou 90 minutos (Adventure Tour); a temperatura é de 18o
      Preço: R120 (R$39) ou R180 (R$59)
          Cango Caves

      Knysna (1h40min de Oudtshoorn) – uma das cidades mais importantes para o turismo na África do Sul, Knysna (a pronúncia é “Naisna”) tem um charme e elegância com seus morros de calcário e a lagoa formada pelas águas do Oceano Índico. Um píer charmoso, além de mirantes, passeios e bons hotéis e restaurantes tornam o lugar bastante agradável. Knysna também é conhecida como a capital mundial das ostras.

      Plettenberg  Bay (30 min de Knysna) – uma das principais cidades turísticas da África do Sul que não pode ficar fora do seu roteiro. A cidade praiana é super charmosa, com bons restaurantes e hotéis e vistas incríveis do mar para observação de golfinhos; e ainda, com dois parques imperdíveis. Base para visitação das reservas Robberg e Storms River e para o salto de bung jumpee.

      Reserva Robberg
      Horário: 7-20h
      Preço: R50 (R$16) day acess

      Storms River National Park
      Horário: 6-22h
      Preço: R290 (R$94), incluídos passeio de caiaque, trilha até a ponte suspensa e trilha ao topo da montanha (1h30min).

      Obs.: Você também pode dormir em um dos alojamentos do parque (faça essa escolha como base para visitação da Reserva Robberg, Storms River e bung jumpee).

      Face Adrenalin (bungee jump) – nessa região fica uma das atrações turísticas mais conhecidas da África do Sul, o mais alto bungee jump de ponte do mundo, com 216 metros. O visual é incrível com muito verde e o Oceano Índico ao fundo. Quanto tempo: meio dia.
      Horário: 9-16h
      Preço: R1400 (R$453) + R400 (R$130 foto e vídeo)

      Port Elizabeth (45min de Tsisikamma) – é uma cidade banhada pelo Oceano Índico, colonizada pelos ingleses e com grande valor histórico. Com praias, comércios e vida própria, a cidade é procurada para o turismo na África do Sul e é ponto de partida para iniciar ou finalizar a Garden Route. Se quiser conhecer mais a cidade fique um dia.

      Obs.: em Port Elizabeth, na reserva Dorkin, pode-se visitar a Escultura da Fila da Votação, que marcou a primeira eleição democrática do país, gratuitamente.


      PONTOS TURÍSTICOS DE JOHANNESBURGO É necessário pegar um avião de Port Elizabeth para Johannesburgo (R$350 em 2018).
      Joanesburgo City sightseeing: R320 (R$103) 2 dias e R255 (R$83) 1 dia; Ticket office: Tyrwhitt Avenue pedestrian zone, next to Hamleys; 9-19h

      Museu do Apartheid
      Horário: todos os dias de 9-17h
      Preço: R100 (R$33)
      Obs.: reserve ao menos 3h para visitação.

      Soweto (bairro onde morou Mandela – passeio de bike)
      Preço: R550 (R$178 por 2h)

      Nelson Mandela Square e Sandton City: um grande complexo comercial em uma das regiões mais desenvolvidas de Johannesburgo

      Constitution Hill (prisão onde ficou Mandela)
      Horário: todos os dias de 9-17h
      Preço: R100 (R$33)
      Obs.: contratamos o serviço do guia Ruben, de Moçambique e que fala português. Ele cobrou o valor de R500 (R$140) por pessoa para percorrer os principais pontos turísticos da cidade de 9-16h, com parada para o almoço (não incluído no valor). Contato: +27 73 157 2611 / +27 60 507 4039.


      HOSPEDAGENS DA VIAGEM AVALIADAS POSITIVAMENTE

      Melhores bairros em Cape Town: Green Point, Waterkant e Beira mar 

      Hospedagem em Cidade do Cabo – The Greenhouse Boutique Hotel

      Hospedagem em Ganssai – 28 Kolgans

      Hospedagem em Outdshoorn – Karoo Retreat

      Hospedagem em Plettenberg  Bay – Riverclub Villa 4200 (melhor hospedagem da viagem)

      Hospedagem em Graskop – Blyde Lodge

      Hospedagem em Johannesburgo (pernoite para retorno ao Brasil) – Europrime Guesthouse (café e transfer gratuito)

      Obs.: os carros foram alugados pela rentalcar.


      SAFARI (O QUE LEVAR)

      – Repelente: Use na pele exposta e nas roupas também. O mais eficaz é o repelente à base de dietiltoluamida (DEET). É importante reaplicá-lo a cada 3 horas (no caso de concentração de 20%), 6 horas (concentração de 30%) ou 12 horas (50% de DEET). Atenção! O repelente deve ser aplicado DEPOIS do filtro solar.

      – Use roupas que protejam todas as áreas do corpo, com mangas compridas, calças compridas, roupas soltas, e sempre use meias (sei que às vezes pode estar calor… Mas tente!!!). Pulverize as roupas com permetrina (presente em inseticidas e repelentes) para reduzir o risco de mordida através da roupa. O site Extreme UV vende camisas anti-mosquito e com proteção UV (super frescas no calor).

      – As recomendações são usar roupas de tons pastéis, não usar perfumes muito fortes, não levantar, não gritar e não falar alto, principalmente se estiver próximo dos animais; não fumar. Levar uma roupa de frio, levar óculos escuros, chapéu/boné, repelente e protetor solar. Não esquecer máquina fotográfica e, se puder, um binóculo.


      PONTOS TURÍSTICOS DO BLYDE RIVER CANYON (Rota Panorâmica)

      1. Lisbon Falls: 8-17h; R10 (R$3) e Berlim Falls
      2. Bourke’s Luck Potholes: 7-17h; R63 (R$18)
      3. Three Rondavels: 7-17h; R30 (R$9)
      4. God’s Window: 7-17h; R17 (R$5)
      5. The Pinnacle Rock: 7-17h; R17 (R$5)
       
      Three Rondavels
        Bourke’s Luck Potholes

      Uma dica de restaurante na rota é o Kadisi Restaurant, dentro do Forever Blyde Canyon Resort; serve comida africana e tem uma vista espetacular. O restaurante está ao lado da Three Rondavels.


      MERGULHO EM UNKOMAAS (40min de Durban)
      Para quem pratica mergulho, em Unkomaas é possível mergulhar com os tubarões sem gaiola. A experiência é incrível. Esse mergulho é chamado de Baited Dive.

      Contratamos o serviço da Blue Ocean Dive, que nos fez um pacote com 04 mergulhos (tubarão, naufrágio e dois arrecifes), todo o equipamento, transfer, café da manhã e hospedagem para 02 dias por R$1.500 por pessoa.

      A estrutura do local é absurda. Trata-se de um prédio onde estão alocados o hotel, restaurante e dive center.

      É necessário ser mergulhador avançado com o mínimo de 30 mhttp://www.feitaprafugir.com.brergulhos. Isso porque é realmente um mergulho bem independente. A DM repassa as informações e você cuida de si e do seu dupla dentro da água. 
×
×
  • Criar Novo...