Ir para conteúdo

Posts Recomendados

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Helder Andrade
      Caramba, quanto tempo eu não posto aqui! Que bom estar de volta! É com muito orgulho que venho dizer a vocês que estou de volta em grande estilo: Meu melhor amigo e eu estamos mochilando e não temos data para voltar para casa (estamos sob o nome de Brothers pelo Mundo).
      Resumindo: é um sonho antigo! Somos amigos desde 2007 e, desde 2017 temos conhecimento de que compartilhamos o mesmo sonho: rodar o mundo mochilando.
      De lá pra cá viemos nos organizando. Íamos em 2020, mas por conta da pandemia não foi possível. Então, agora, no pós vacina, demos a largada!
      Quanto ao roteiro, bom... ano passado tínhamos todo um roteiro em mente, entretanto, agora que vimos que nada está em nossas mãos, decidimos deixar em aberto o roteiro. Claro, temos alguns “países chave”, mas o roteiro em si estamos deixando mais para o Universo nos guiar. De qualquer forma, temos a pretensão de passar por 4 dos 6 continentes. E tudo estará sempre bem explicado em nosso blog e em nosso canal do Youtube.
      Fato é que: COMEÇAMOS PELA COLÔMBIA e é por isso que estou aqui! Irei escrever abaixo uma dica que, na minha opinião é valiosíssima, pois ainda não li em lugar nenhum.
      Nosso blog: https://brotherspelomundo.wordpress.com/
      Nosso canal no Youtube: 
       
      Cartagena: qual praia urbana ir? Bocagrande ou Marbella?
      Existem duas praias urbanas próximas ao centro histórico de Cartagena: Bocagrande e Marbella.
      Em nosso terceiro dia em Cartagena, decidimos visitar a mais famosa: Bocagrande, a aproximadamente 25 minutos a pé do centro histórico.
      Já tinhamos a ciência de que não se trataria de uma praia paradisíaca – muito pelo contrário! Todos os relatos que lemos dizia o quanto essa praia é feia ou, no mínimo, normal.
      Muitos prédios, muita gente, muitos ambulantes… enfim, trataria-se de uma praia urbana. E de fato: é isso mesmo!

      Se você for a Cartagena e quiser praias paradisíacas deverá pagar pelos passeios de barco até as ilhas nas redondezas. Ali sim você encontrará praias com água cristalina (passeios de dia inteiro das 8h às 16 por volta de 300 reais).
      Percorremos essa praia de ponta a ponta em 30 minutos.
      Estava bem cheia (tanto de turistas, quanto de nativos), vários vendedores ambulantes, vários guarda-sóis, mulheres oferecendo massagem, muitos quiosques (alguns inclusive com preços bem atraentes para cerveja e bebidas no geral)… enfim, a praia não nos agradou – seja pelos prédios fazendo sombra na praia, seja pela areia escura presente em toda sua extensão.

      No pontal da praia, após estarmos pingando de suor, o Luan sentiu vontade de entrar na água. O Helder preferiu ficar na areia só observando o movimento.
      Experiência boa! Luan voltou extasiado! Como é bom se banhar no mar, né? Mesmo que em uma praia não tão convidativa – ao menos a água estava bem quente.

      Voltamos a caminhar, dessa vez na praia da sequência de Bocagrande. Essa prainha é bem curta e não possui ondas. Ali tem um clima mais intimista e o Helder por muito pouco não decidiu entrar na água. Mas, como já estávamos a caminho de procurar algo para comer no almoço, decidimos seguir caminhando.
      Aliás, esse é o principal trunfo dessa praia: sua estrutura. Com muitos restaurantes nas proximidades e um mega shopping a beira mar. Quem faz questão de ter fácil acesso a tudo isso após um banho de mar, é um bom lugar.
      Bom, de qualquer forma, nossa maior dica É ESSA: se tiver tempo sobrando em Cartagena, vá a essa praia e fique em seu pontal. Se não tiver, nem gaste seu tempo.

      Beleza.
      No dia seguinte:
      Fomos à segunda praia urbana de Cartagena: chama-se Marbella.
      Infinitamente melhor do que Bocagrande (a praia que fomos ontem) e bem menos conhecida. Essa praia coincidiu com o melhor dia que pegamos aqui até então: solzão!!
      Não sabemos bem dizer o pq de Bocagrande ser mais famosa do que essa, uma vez que Marbella é bem superior. Mas imaginamos ser por causa da indústria hoteleira, a qual
      se instalou fortemente lá (de Hyatt a Hilton, os maiores hotéis estão lá).
      Mas, o fato é que a nossa experiência em Marbella foi bem melhor.
      Claro, ainda não se trata de uma praia paradisíaca caribenha, mas só o fato de não haver muitos prédios e nem muitos ambulantes já muda completamente o cenário.
      Ambos entramos dessa vez! Sensação deliciosa! A temperatura da água surpreendeu o Helder: a mais quente que já entrou na vida.
      Luan também gostou muito.

      Ah, bom lembrar que se você quiser praias paradisíacas deverá pagar pelos passeios de barco até as ilhas nas redondezas, como Isla Pirata, Isla del Encanto e Isla del Sol. Nesses passeios sim você encontrará praias com água cristalina (passeios de dia inteiro das 8h às 16 por volta de 300 reais) e você terá toda aquela experiência de praias caribenhas.
      Enfim, resumindo: se você tem pouco tempo em Cartagena, visite o centro histórico, conheça a o bairro Getsemani e faça algum passeio de barco nas ilhas da região. Mas, se você tem dias sobrando, acrescente Marbella ou Bocagrande ao seu roteiro – a depender do seu perfil: Marbella para quem quer uma praia sem muvuca e sem muitos ambulantes. Bocagrande se você quiser ter muitas opções de quiosques e muitas lojas e restaurantes próximos.

    • Por filipecristovam
      Fala meus amigos mochileiros como vai a força de vocês? Espero que muito em, vim aqui para compartilhar um pouca da minhas experiencia ao fazer o Circuito O no Parque Nacional Torres del Paine. 
      Assista o Video se inscreva e curta 😊 Vocês são top demais >> 
       
    • Por Renato Criativo
      Fala galera, tudo bem??
      Vou comprar minha primeira mochila cargueira, e estou interessado na FORCLAZ TRAVEL100 60L, da Decathlon...
      1. Acham que é uma boa opção para mochilão longo?? Levando em conta o preço (R$499,99) e o que ela tem a oferecer.
      2. É uma boa opção para carregar barraca, saco de dormir e isolante térmico?
      Segue o link do produto: https://www.decathlon.com.br/mochila-de-viagem-travel100-60l/p?aSku=Cor:caramelo
      Obrigado!!!
    • Por KekaMC
      Depois de um longo inverno sem postar nenhum relato por aqui, voltei para compartilhar como foi minha viagem para Bonito-MS, junto ao Wellington.

      Foram 5 dias cheios de descobertas, aventuras e experiências incríveis - Bonito é maravilhoso e (apesar de caro) vale muito a pena. 

      ROTEIRO

      Dia 1: voo a Campo Grande e ida a Bonito; Estância Mimosa
      Dia 2: Mergulho na Lagoa Misteriosa; Flutuação no Rio da Prata
      Dia 3: Abismo de Anhumas; Gruta São Mateus
      Dia 4: Flutuação Rio Sucuri; Praia da Figueira
      Dia 5: Buraco das Araras; retorno a Campo Grande e voo a São Paulo

      Os valores de cada passeio estão dispostos ao longo do relato - vale lembrar que algumas atividades variam de valor dependendo da temporada (alta/baixa) e se você escolhe ter almoço incluso ou não. 

       
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Se você está viajando pela América do Sul com um orçamento limitado, há muito que você pode fazer para economizar dinheiro sem comprometer a diversão. Na verdade, em muitos casos, você terá uma experiência mais autêntica e genuína e verá mais da “verdadeira América do Sul” quando estiver viajando com fundos limitados.
      A chave para economizar dinheiro quando você estiver viajando para qualquer lugar é reduzir os luxos, fazer quantas viagens independentes puder e evitar festas demais. Com apenas essas dicas simples, você pode garantir que terá mais dinheiro no bolso, o que pode significar viajar por mais tempo e aproveitar mais sua viagem do que você jamais imaginou ser possível.
      Continue lendo para saber como você pode economizar mais dinheiro ao viajar pela América do Sul.
       
         1. Evite alugar equipamentos
      Se você sabe que fará muitas caminhadas, traga suas próprias botas em vez de alugá-las no local. Se você for surfar, leve seu próprio equipamento em vez de ter que pagar por hora na praia.
      Ter tudo o que você precisa para as atividades nas quais deseja participar é uma ótima maneira de economizar dinheiro e também de garantir que você tenha um equipamento confiável para tudo o que planeja fazer.
      Existem muitas vantagens em trazer seu próprio equipamento. Em primeiro lugar, as operadoras de turismo estão tentando lucrar enquanto podem e você pode chegar a encontrar taxas exorbitantes que irão corroer seu orçamento de férias.
      Em segundo lugar, quando você está falando sobre itens vestíveis como botas e roupas de mergulho, você compra seus próprios itens para que eles se encaixem perfeitamente. Os itens de segunda mão provavelmente não vão caber perfeitamente em você e podem resultar em acidentes e outros negócios desagradáveis.
      Em terceiro lugar, você sabe que cuida do seu próprio equipamento. Você terá as mesmas garantias de que o equipamento alugado também foi cuidado e mantido?
      E, finalmente, você tem seu próprio estilo. O equipamento de aluguel pode ser espalhafatoso ou apenas uma combinação inadequada para sua aparência e personalidade. Esteja confortável em seus próprios sapatos e leve todo o material que você puder pagar para transportar na sua companhia aérea – e que você possa carregar facilmente.
       
      Continue lendo em: 5 Dicas para Viajar pela América do Sul com Orçamento Limitado
×
×
  • Criar Novo...