Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

fabioorkut

Costa Amalfitana

Posts Recomendados


Muito obrigado, Adriano e Marcos! Eu irei em maio, se Deus quiser!

Marcos, entre Herculano e Pompeia, qual você achou melhor?

Se um dia precisarem de alguma coisa em BH, estou a disposição!

Um abraço!

Rubens

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gostei mais de Pompeia. Achei mais grandiosa, tem mais a cara do império romano. Herculano é bem pequena e as vilas são mais preservadas, mas são construções em geral menores. Como vantagem, Herculano é bem mais administrável, em no máximo umas 2h você já viu tudo. Se quiser ir até lá, fique atento - você sai da estação, pega a rua principal e segue reto, chega lá rapidinho. Não há necessidade de pegar a van, que está ali só para arrancar euros dos turistas desavisados e dá uma volta maior só para fingir que o lugar é longe.

 

Eu achei que ir a duas ruínas foi muita coisa, mas quem trabalha com algo correlato deve gostar. Hoje eu teria ficado só com Pompeia.

 

Maio é uma época ótima para a região, tende a pegar o tempo mais fresco. Acredito que não terá problemas com ferry, mas é bom pesquisar pra ver.

 

Abs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito obrigado, Marcos! Acho que vou ver Herculano e Pompeia sim, nem q seja bem rápido na primeira. Desculpa ficar perguntando muita coisa, mas vc sabe me dizer se de Pompeia tem ferry para Capri ou tenho q ir mesmo para Sorrento? Muito obrigado! Abraco!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não precisa se desculpar, dentre outras coisas, o fórum é pra isso.

 

Pompeia não tem acesso a mar. VocÊ terá que pegar o trem de volta até Nápoles, ou adiante, até Sorrento. De cada uma das cidades sai o ferry. Acho Sorrento uma cidade mais agradável.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigado por tudo, Marcos! Vou seguir para Sorrento então e de lá pra Capri. Se sobrar tempo, irei ver Amalfi. Se tiver mais duvida, pode ter certeza q vou te perguntar. Rsrs um abraco!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Marcos, eu tava lendo o relato de outras pessoas sobre o meio de transporte na costa amalfitana e algumas pessoas falaram q circular por positano, amalfi e ravello de ônibus é terrível. Falaram q seria melhor de carro. Vc acha q é uma boa de carro? A estrada é perigosa? Tem lugar fácil pra estacionar nessas cidades? Muito obrigado!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

De ônibus comum dizem que é terrível mesmo. Mas há um ônibus turístico que faz o trajeto em alguns meses do ano, a informação consta nas páginas anteriores. Não sei se em maio ele funciona, isso você tem que ver.

 

De carro, depende. A estrada é de mão dupla, estreita, frequentemente passam ônibus de viagem nos dois sentidos e fica do lado de um penhasco (há uns murinhos de proteção, pelo que me lembre). Para alguns, isso é moleza, para outros, assustador. Depende do seu perfil. Não costuma ser fácil estacionar, mas talvez em maio talvez esteja mais tranquilo nesse sentido. Ao longo da estrada há acostamentos que funcionam como mirante, mas naturalmente podem estar ocupados por outros turistas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

RubensFeijo,

Eu fiz todos os percursos de ônibus em setembro. Dá pra fazer sim, mas não há conforto. Formam filas e as pessoas se empurram pra conseguir entrar no ônibus. Literalmente os mais fortes entram. Idosos, crianças e pessoas com qualquer dificuldade de locomoção são empurradas sem dó ::quilpish:: . Também não há qualquer respeito aos bancos preferenciais. Cansei de ver idosos em pé e jovens sentados logo abaixo rindo. Cheguei a presenciar uma jovem discutindo com um idoso que sentou porque ela estava "reservando" a cadeira ao lado pra amiga. Como ele nao levantou foram discutindo o caminho todo...

Enfim, se você quiser algum conforto recomendo alugar carro ou um ônibus de excursão. Mas, se a idéia for economizar ou se você nao gosta muito de dirigir, dá pra encarar o ônibus sim (só vá ciente destas condições).

Consegui fazer as três cidades num dia só, tudo de ônibus e não tive problemas (exceto a falta de educação do povo, que consegue ser bem menos civilizado do que no transporte público aqui no Brasil). Bom, pelo menos nao presenciei esse tipo de cena em outros lugares da Itália! ::mmm:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por silviaamorim
      Gente, acabei de voltar de uma viagem pela Costa Amalfitana, na Itália, e estou ansiosa para compartilhar o que eu considerei a melhor descoberta da trip. Todo mundo sabe que a estonteante Costa Amalfitana não é dos lugares mais baratos da Itália. A imensa maioria dos passeios é pago, o que, às vezes, se torna inviável para quem está com o orçamento contado. Muita gente diz que os passeios de barco são a melhor maneira de ter uma ideia da grandiosidade dessa parte do litoral italiano, cenário de filmes e romances. Eu concordo que é um passeio bacanérrimo, mas descobri que não é a única maneira de ter uma vista privilegiada da região. Fica a dica: gastando menos de 10 euros, faça a trilha “Sentiero degli Dei”.
       

       
      Em português, isso quer dizer “Caminho dos Deuses”. Sem exageros, é quase assim que nos sentimos quando estamos lá em cima dos penhascos, percorrendo caminhos de terra estreitos, à beira de abismos e com uma visão total do mar azul, das casas encravadas nas montanhas, das plantações do famoso limão siciliano e do céu. Eu digo que é a vista mais privilegiada porque caminhamos bem pertinho das nuvens, em meio a muito verde e num silêncio relaxante. Às vezes, só interrompido pelos béééé de cabras ou algum pássaro.
       

       
      A trilha dura cerca de 3 horas. Ela começa num vilarejo chamado Bomerano e termina em Nocelle, um vilarejo perto de Positano. Não é de grande dificuldade, mas requer alguma familiaridade com trekkings porque há trechos em que o terreno é bem acidentado. Com cuidado e calma, pode ser feita pela maioria dos aventureiros. Posso dizer que o almoço-piquenique que fiz lá do alto, debaixo de uma árvore e soboreando um sanduíche de queijo Fior di Latte (tradicional da região) e presunto Parma, que comprei numa salumeria no vilarejo de Bomerano, onde começa a trilha, ficará para sempre na minha memória.
       
      Vamos às informações sobre a logística, porque, chegar ao paraíso, claro, exige esforço. A trilha começa na vila de Bomerano, em Agerola, uma cidadezinha da Costa Amalfitana, perto de Amalfi. Para chegar até lá, terá que pegar em Amalfi um ônibus comum urbano com destino a Pomeriggio. Os tickets são vendidos no quiosque de informações turísticas na praça principal de Amalfi e custam menos de 2 euros. A viagem dura uns 40 minutos. Peça para descer no ponto de Bomerano. Quando eu fui, o ônibus quase inteiro desceu nessa parada. Daí, você terá que caminhar (5 minutinhos) até o centro da vila, que se resume a uma praça, com padaria, café e uma salumeria divina. Tem uma placa bem grande em frente ao ponto de ônibus indicando a direção.
       
      Eu recomendo que você compre na salumeria o queijo Fior de Latte, o presunto Parma e o pão de focaccia e peça para a atendente montar o sanduíche pra você. Eles são muito gentis e fazem isso numa boa. Fatiam o quanto você quiser de queijo e do presunto e preparam o sanduíche. Sem fazer economia nos ingredientes, paguei 5 euros por dois sanduíches. Inesquecível!!!! Compre também água. Na trilha, há locais para reabastecer o cantil. Com a mochila pronta, comece a caminhada. A trilha sai dali pertinho da igreja e é bem sinalizada. De resto, é só afiar as canelas e contemplar.
       
      Quando chegar em Nocelle, tem ônibus para Positano. Há quem faça o caminho na ordem inversa, começando por Nocelle. Mas precisa saber que a trilha é mais árdua, porque é subida. Para mim, acabou sendo um passeio de dia inteiro, porque, como estava hospedade em Positano, precisei me deslocar até Amalfi (optei pelo ferry-boat a 8 euros e dura 20 minutos). Comecei a caminhar por volta do meio-dia e terminei depois de mais ou menos 3 horas. Sem pressa, parando para fotos, descanso e piquenique.
    • Por Helen Pusch
      Oi, gente!
       
      Vim contar como foi a viagem que eu e meu marido fizemos em julho de 2017 pela Itália.
      Foi nossa segunda viagem para lá, pois somos apaixonados por esse pedaço do mundo. A história, as paisagens, a gastronomia, tanta coisa nos encanta, e até aprendi a falar italiano razoavelmente (complica quando eles falam entre eles, com velocidade "metralhadora", aí é a mesma coisa que grego hahaha).
      Na primeira vez (em 2014), fomos durante o inverno e conhecemos as cidades mais turísticas: Roma, Florença, Milão e Veneza, passando por algumas menores no caminho. Optamos por não colocar no roteiro dessa viagem nenhum local que tivesse praia, pois sabíamos que muita coisa estaria fechada e não aproveitaríamos direito, mas desde aquela época ficamos com a intenção de fazer um roteiro durante o verão. Contei como foi essa viagem neste relato aqui: 
       
      Então, desta vez conseguimos três semanas para ficar por lá, mesclamos atrações turísticas com muita praia, separamos os primeiros dias para rever Roma e fazer uns programas que da primeira vez não fizemos, e acabou ficando assim:
       
      ROTEIRO:
       

      1º dia - Roma  - chegamos no final da tarde, mas ainda deu tempo de passear e rever algumas coisas;
      2º dia - Roma - Parque Savello, Terme di Caracalla, Via dei Fori Imperiali e visita noturna ao Coliseu;
      3º dia - Roma - bairro de Trastevere, visita guiada pela necrópole do Vaticano, Basílica de São Pedro, janta no Mercato Centrale;
      4º dia - Nápoles - fomos cedinho, de trem. Visitamos Quartieri Spagnoli, Piazza Plebiscito e Castel dell Uovo. E claro, jantamos a pizza do Da Michele;
      5º dia - Pompeia / Sorrento - saímos cedo de Nápoles, passamos o dia visitando o sítio arqueológico de Pompeia, e após, fomos para Sorrento;
      6º dia - Sorrento - Bagni della Regina Giovanna e praia de Sorrento;
      7º dia - Sorrento / Capri - bate-volta à Capri;
      8º dia - Minori / Ravello - fomos de Sorrento para nossa hospedagem em Minori e aproveitamos umas horas de praia lá. Mais tarde, fomos conhecer Ravello;
      9º dia - Minori - dia de muita praia, primeiramente em Castiglione e depois em Atrani, e conhecemos também Amalfi.
      10º dia - Minori - pegamos umas horas de praia em Atrani e depois fomos conhecer Positano;
      11º dia - Trem noturno - fizemos check-out do hotel e passamos o dia na praia de Minori. Final de tarde pegamos um ônibus para Salerno, depois um trem para Nápoles e de lá, um trem noturno rumo a Taormina;
      12º dia - Taormina - chegamos cedo. Passamos boa parte do dia na praia de Isola Bella, e à noite passeamos pela cidade;
      13º dia - Taormina - ficamos à toa na praia em Giardini Naxos. Mais à tardinha, visitamos Castelmola;
      14º dia - Taormina - um dia à toa, com algumas horas na praia de Isola Bella;
      15º dia - Taormina - mais alguns pontos turísticos de Taormina, como o Teatro Grego. Tarde de praia, novamente em Isola Bella;
      16º dia - Agrigento / Trapani - Ônibus cedo até o aeroporto de Catânia, onde retiramos um carro alugado e rumamos até Agrigento, para conhecer o Vale dos Templos. Seguimos para Trapani, onde pernoitamos;
      17º dia - Trapani - praia de San Giuliano, e mais tarde, fomos conhecer Erice;
      18º dia - Trapani / Favignana - bate-volta à ilha de Favignana;
      19º dia - Trapani / San Vito lo Capo - bate-volta a San Vito Lo Capo;
      20º dia - Palermo - novamente fomos a San Vito Lo Capo, mas dessa vez fizemos um passeio de barco por Scopello e pela Riserva dello Zingaro. Entregamos o carro no aeroporto de Palermo e nos hospedamos nessa cidade;
      21º dia - Palermo - Aproveitamos umas horas na praia de Mondello e, após, visitamos alguns pontos turísticos de Palermo, entre eles o Palácio dos Normandos.
      22º dia - Palermo / Cefalù - bate-volta a Cefalù;
      23º dia - Palermo / Roma - manhã na praia de Mondello. Pegamos um voo para Roma e pernoitamos ao lado do aeroporto. Cedinho do dia seguinte pegamos nossos voos e fim de viagem.
       
      Vou procurar fazer o relato de maneira mais sucinta e objetiva, pois nem todo mundo tem paciência de ler textão hahaha, mas quem tiver interesse em saber tim-tim por tim-tim como foi, está tudo relatado no meu blog: https://recordacoesdeviagens.wordpress.com/2017/08/27/roteiro-de-viagem-pela-italia/
       
      E segue aqui o vídeo da viagem, pra dar uma ideia dos lugares lindos que a gente conheceu. 
       
       
      Volto no próximo post para contar mais. Abraços!


×
×
  • Criar Novo...