Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Peru, Bolívia e Chile. Um Mochilão de “Mendigo Macho”. (VIDEOS + FOTOS) - Jan/2013


Posts Recomendados

  • Membros

Grande Guto, acompanhando seu relato aqui fielmente... elaborando meu roteiro e tomando nota: "Em Cusco ir comer no restaurante do garçom fofinho do caralho (obs: pedir pouca comida... ::xiu:: )"... Mas fui contar pra minha esposa que estava mudando o roteiro de nossa viagem, e comentei os prováveis perrengues e frios ::Cold:: (ela odeia frio), logo ela disse: "hááá, se for assim pode ir sozinho amor...", e eu bobo, inventei de aceitar, pra que... ::otemo:: kkkkkkkkk.... falou em colocar fogo na mochila, passaporte e se dependesse dela eu nunca mais entraria no Brasil... ::mmm: kkkkkkkkk.... Vivendo e aprendendo, havia esquecido de que quando a mulher diz algo, na verdade, ela quer dizer totalmente o contrário... ::lol4::

 

Mas é o seguinte, estou com dúvidas na quantidade e quais roupas levar, o que vc levou que não precisava e o que vc não levou e levaria sem dúvida?

 

Parabéns pelo relato show...

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 264
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

hauhauhauah, mano Guto tô me rachando aqui com os seus relatos, mano vcs são muito engraçados cara, e os vídeos então nem se fala, e o seu comentário abaixo das casinhas, hauahuahuaha, mano ilário mas é bom passar por tudo isso !!

 

" Obviamente que a estrutura dos hostels na Isla del Sol são precárias, não tem banho quente e os quartos são bem humildes. O nosso quarto parecia uma casa de boneca da Barbie, as camas eram minusculas, a gente praticamente encostava a cabeça no teto e dava pra ver umas rachaduras no formato de cabeça, que obviamente eram dos gringos gigantescos que acordavam e assim que ficavam de pé já adicionavam um galo a mais em seus crânios"

 

Huahauhauhauahuahauha

 

é como vc falou, vc dá valor a pequenas coisas como um prato de comida, sou igual ao Liba não disperdiço comida, só pego o que vou comer e não jogo nada fora, mano seus posts são fodas, cada dia fica melhor, agora só não sei como vc consegue lembrar de tudo com muitos detalhes, geralmente a gente vai se esquecendo sabe, e vc lembra e vai postando, eu ia fazer um post de uma trip que fiz com um amigo meu de Juiz de fora pelo litoral norte do rio, Fizemos tipo mochilão de mendigo macho, ou seja pior ainda pois iámos pegando caronas pelo Rio até chegar em Guarapari, fizemos em fevereiro e passamos uns 10 dias no Rio pegando carona e as vezes uns bus, pq tem locais que é bem difícil achar carona, então mas ai é que não me lembro de tantos detalhes assim como os seus, Tô ansioso pelo próximo capítulo man, todo mundo fala mal da Bolívia e dos bolivianos e tals que é um país pobre etc, mas tá ai um país que tenho muita vontade de conhecer !!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Fala Guto.

Fino de + o relato!! to rachando de rir aqui! Seu vídeo tá parecendo vídeo de propaganda msm!! Massa d++!! Se tivesse vendendo algum produto até tinha comprado!!

Perrengues é fato, pra falar de um dos vários que passei, achei que ia morrer fazendo a travessia norte-sul da isla del sol!! que mais parecia isla de la lluvia!! ::lol4:: !! fui achando que tava todo equipado, com um casaco bom, luva, cachecol, até comprei uma poncho da Nautika, que rasgou todo!! imagina fazer aquelas subidas com o frio dos 4000m de altitude e chuva de vento!! :cry: !! Quem foi Chacaltaya perto daquele frio!!

Só uma pergunta, vc fez o Down Hill em La Paz??

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Blza Guto ::otemo:: ,

estive em Cuzco, Maio de 2012...almocei em um restaurante próximo ao restaurante do "Garçom Fofinho do Caralho", sei disso por causa do mapa q vc postou e do arco...rs, mas com certeza ñ era ele o garçom qm me atendeu, pelas suas descrições se fosse ele eu saberia...hahaha. Agora, vê se vc concorda comigo, pelas suas descrições ele se parece com um certo conhecido do cinema :? , q fez MUUUUITO sucesso nas décadas de 80 e 90, os queridos ursinhos fofinhos ::kiss:: do filme "Caravana da Coragem", famosíssimo na sessão da tarde... :lol: . Vc se lembra?? rsrsrs...

Relato animal esse seu, estou aguardando a continuação...hehehe.

 

Abs,

Gy.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores
Parabéns pelo relato Guto, Que relato irado meu irmão, vou fazer uma rota parecida com a sua e to me baseando nesse seu relato.

 

Valeu, Arthur. No que puder ajudar pra tua trip, tamo aí!

 

Mas é o seguinte, estou com dúvidas na quantidade e quais roupas levar, o que vc levou que não precisava e o que vc não levou e levaria sem dúvida?

 

Cara, eu levei duas mochilas, uma pequena e uma maior. Tentei levar o mínimo de coisa possível, levei duas calças jeans, umas quatro bermudas, umas seis camisetas, uma blusa pesada impermeável, uma blusa mais leve e uma malha. Ah, e dois tênis. Durante a viagem a gente ia mandando lavar roupa porque é barato e é melhor do que ficar carregando muita coisa. Acho que até dava pra levar menos coisa, mas aí acho que já seria Mendigo Macho demais hahahahaha.

 

Tô ansioso pelo próximo capítulo man, todo mundo fala mal da Bolívia e dos bolivianos e tals que é um país pobre etc, mas tá ai um país que tenho muita vontade de conhecer !!

 

Em La Paz todo mundo foi gente finíssima com a gente, não tivemos problemas nenhum. Quando fomos pro Salar de Uyuni as pessoas que a gente conheceu não foram tão amigáveis e solícitas. Os gringos até faziam competição com um dos guias pra ver quem consegui fazer ele sorrir.

 

Guto meu querido, que retrato falado maravilhoso!!! ..

Já vou entrando lá e falando: - Donde estás el camarero Luís, por favor? yo quiero Luíííííííssss!!!..hihihi...

E deixe de bobeira não..que as suas são ótêêmas... ..e valeu pela ajuda...

 

Hahahaha, espero que o retrato falado tenha ajudado a descrever a fofura do Luís. Giselli, sua missão em Cusco é tirar uma foto do Luís hein? ::otemo::

 

Eu tô ficando triste porque passei por lá e não conheci o garçom fofinho do caralho :/

 

Pretendo voltar a Cusco só pra conhecê-lo, e tem que ser logo... Vai que alguém resolve raptar pra si o fofucho?

 

Aline, o Garçom Fofinho do Caralho ficará imortalizado na história. Só de ter vivido na mesma época que ele já é um privilégio.

 

Perrengues é fato, pra falar de um dos vários que passei, achei que ia morrer fazendo a travessia norte-sul da isla del sol!! que mais parecia isla de la lluvia!! !! fui achando que tava todo equipado, com um casaco bom, luva, cachecol, até comprei uma poncho da Nautika, que rasgou todo!! imagina fazer aquelas subidas com o frio dos 4000m de altitude e chuva de vento!! !! Quem foi Chacaltaya perto daquele frio!!

Só uma pergunta, vc fez o Down Hill em La Paz??

 

Fala, Gustavo. Beleza? Cara, mais frio que Chacaltaya? Tá loco, devia tá impossível na Isla de La lluvia!

Acabamos não fazendo o Downhill da Morte, tivemos que abrir mão desse passeio. Bebemos todo nosso dinheiro por lá e não sobrou dinheiro pra fazer todos os passeios!

 

Agora, vê se vc concorda comigo, pelas suas descrições ele se parece com um certo conhecido do cinema , q fez MUUUUITO sucesso nas décadas de 80 e 90, os queridos ursinhos fofinhos do filme "Caravana da Coragem", famosíssimo na sessão da tarde... . Vc se lembra?? rsrsrs...

 

Gizelly, lembro sim hahahahaha. Mas pode ter certeza que o Luís é mais fofo!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Dormir na casa de boneca da Barbie não era nem um pouco confortável e foi fácil acordar cedo, todo quebrado. O tempo na Isla del Sol tava bem feio pela manhã, acordamos cedinho, compramos umas bolachas e ficamos esperando os barcos saírem para Copacabana. Aos poucos foi chegando um monte de gente e ficando lotado. Como a gente não tinha comprado passagem ainda, estávamos até ficando preocupados se conseguiríamos embarcar com tanta gente.

 

Depois de um tempo esperando na garoa, compramos os ingressos e subimos no barco abarrotado de gente e malas. Bota mais 3 horas na conta aí de transporte e chegamos em Copacabana. Não tínhamos comprado nossa passagem de ônibus e tivemos que correr atrás de uma companhia que ainda tivesse assentos mas foi sussa comprar, apesar da total desorganização. ::hein:

 

Almoçamos de novo naquele restaurante das massas, enrolamos um pouco em uma Lan House e fomos embarcar no busão. Desorganização máxima por lá, o motorista tava todo enrolado. Sabe aqueles tickets que são duas vias, que ele corta no meio e te dá uma? Então, ele pegava, cortava e perguntava qual via a gente queria. Porra, como assim? Você que tem que me dizer qual via é a minha. Enfim, pegamos qualquer uma e sentamos.

 

Como estávamos sempre em 3, um sempre tinha que fazer uma pelo time e sentar sozinho. Nesse dia, eu fiz uma pelo time, mas tive o desprazer de ter como companhia uma senhora, digamos, com os ossos um tanto quanto largos. Ossos tão largos que chegou ao nível de ela não conseguir colocar os braços do lado porque me esmagava na poltrona e ela passou a viagem INTEIRA com os braços segurando no banco da frente. A viagem foi um tanto quanto apertada. ::dãã2::ãã2::'>

 

Não lembro quantas horas de viagem são de Copacabana pra La Paz, deve ser umas 4 horas e eu fiquei brisando no visual.

 

 

Durante o caminho o ônibus tem que atravessar o Lago Titicaca e tem que todo mundo descer do busão e pegar uma balsa, que obviamente tem que pagar uma taxa. Era pouca coisa, algumas moedas de bolivianos e encontraríamos o busão do outro lado. O foda era que não sabíamos qual era o nosso ônibus porque não tem sinalização nenhuma, então fica a dica: tenta pelo menos decorar a placa do busão que você embarcar, porque a desorganização é algo característico na Bolívia. ::cool:::'>

 

Mais algumas horitas no busão e chegávamos em El Alto, município do lado de La Paz. El Alto é mais ou menos assim:

 

 

Uma das primeiras coisas que vimos quando chegamos lá foi um boneco pendurado em um poste com a frase:

 

Ladrón Capturado Paga Con Su Vida

 

P-E-S-A-D-O.

 

Em El Alto a justiça é feita com as próprias mãos!

 

Outra coisa que impressionou foram as casas todas construídas pela metade. Elas não eram pintadas nem nada e ficamos sabendo que eles fazem isso de propósito. Parece que lá as casas que são feitas por completo pagam mais impostos do que as casas feitas pela metade. Bizarro, não? ::ahhhh::

 

Depois de atravessar El Alto (e passar por um trânsito ao nível de São Paulo) chegamos na rodoviária de La Paz. Pegamos nossas coisas e fomos cambiar na própria rodoviária, tem um lugar lá no cantinho com uma cotação boa e pegamos a moeda local. US$ 1,00 = 6,92 bolivianos.

 

Depois disso andamos bastante procurando um hostel barato até encontrar o Al Sigal, que fica próximo à Calle Lampu e ao mercado Central, que era uma boa, já que comiamos direto por lá porque era beeem barato. O Al Sigal não tem nada demais mas o preço é justo e o quarto é bem razoável, se você quer economizar é uma boa.

 

Deixamos nossas coisas no hostel e fomos procurar uma agência para fechar os passeios. O primeiro que queríamos fazer era Chacaltaya, um dos pontos mais altos da Bolívia, que fica a 5.300 metros de altitude. É isso mesmo, 5.300 metros de altitude.

 

Não lembro o valor, acho que era algo em torno de 130-150 bolivianos com transporte incluso. Lá a própria agência falou que era bom comprar óculos de sol porque a neve refletia e era um pouco perigoso para os olhos. Só eu estava com óculos, o Guéli e o Liba precisavam comprar um e aí começava a saga pra comprar um óculos original, que protegesse de verdade!

 

Lá em La Paz se vende muito Ray Ban por US$ 50,00. Quem não pergunta acha que é original mas obviamente que não é. E é impressionante que não são os camelôs que vendem isso, são as Óticas que vendem Ray Ban falsificado. Imagina uma Fotóptica da vida vendendo produtos falsificados? Impensável no Brasil, totalmente aceitável na Bolívia.

 

Depois de cansar de ver produtos falsificados, resolvemos comer e como bons Mendigos Machos 8) , ficamos sabendo que no mercado central tinha comida por 8 bolivianos. Cara, 8 bolivianos dá menos de 2 dólares! E era comida mesmo, arroz, bife e salada, não era salgado, empanada essas coisas.

 

Tinha várias barraquinhas, mas a gente escolheu a barraca da MAMI. Mami e Papi são as formas respeitosas que os peruanos se tratavam e acho que na Bolívia também era assim. O restaurante tem uma higiene um tanto quanto duvidosa mas Mendigo Macho que se preze testa o poder do seu estômago diariamente. Economiza na comida pra gastar na cerveja.

 

Mesmo sendo barato, nós considerávamos aquilo como Alta Gastronomia, afinal estávamos em La Paz a 3.800 metros de altitude.

 

Se liga como era o restaurante da Mami:

 

 

 

Dá pra encarar? A maioria dos restaurantes em La Paz custa uns 30 bolivianos.

Mas se você tiver curto de grana, vale mais a pena economiza em Cusco e San Pedro, porque quando você economiza em La Paz, não é aquela coisa que se diga "Minha nossa, que economia" porque 30 bolivianos são US$ 4,30 e 8 bolivianos US 1,15.

 

Depois de um dia em La Paz começamos a perceber uma coisa.

 

Em La Paz Vale-Tudo!

Cenas de Chacaltaya no próximo capítulo!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

muito bom o relato, a alguns dias comecei a abrir a mente para o turismo na américa do sul e parar de fissurar a europa como destino máximo para mochileiros. Confesso que seu relato é um grande estimulante para eu começar a gostar mais e mais da américa do sul e ter mais vontade de fazer um mochilão pra lá. Obrigado e continue postando o relato, com certeza um dos mais bem elaborados, informativos e engraçados que já vi

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...