Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Colaboradores

Salve Mochileiros!!

 

Conforme publiquei no relato anterior, ----> pirenopolis-goias-cachoeira-do-rosario-t81425.html

 

Continuo publicando sobre a Cidade de Pirenópolis-GO, desta vez relato sobre a Cachoeira dos Dragões, que fica a 40 km de distância da cidade, para quem viu o post anterior que foi sobre a cachoeira do rosário é o mesmo caminho, a cachoeira dos dragões fica 5 km após a do rosário.

 

Para conhecer esta maravilha é cobrado uma taxa de R$ 30,00. Mas pexinche!! eu Paguei 20 conto ::hãã2::

 

Olha o mapa que indica o caminho até a cachoeira do rosário, 5 km após fica a cachoeira dos dragões.

mapa_cachoeira_do_rosario.jpg.fc0220b0ce8bd5d53e3ac22751de18b4.jpg

 

A cachoeira dos dragões é composta por 8 diferentes quedas, numa trilha de aproximadamente 4,5 km e fica na região conhecida como Várzea do Lobo. No local existe o Mosteiro Zen Budista Eisho-Ji, que oferece hospedagem para quem é adepto ao budismo e também para aqueles que queiram conhecer, mais informações vide: http://eishoji.com.br/

 

Todas as cachoeiras possuem local para banho e água potável e cristalina. O acesso se dá por 25 km de asfalto e 15 km de estrada de chão, que nem sempre está em boas condições, pois é estrada de pedreira, lembrando sempre que em épocas de chuva tem que se ater quanto ao nível do rio das araras, que tem que ser atravessado para se chegar as cachoeiras!! Se começar a chover, pé na estrada!!

 

Pesquisando sobre esta cachoeira descobri que existe toda uma mitologia sobre elas, olha só:

 

CACHOEIRA DOS DRAGÕES

 

Em primeiro lugar, Ryumon, o portão do dragão, que é a primeira das cachoeiras. No Shobogenzo-Zuimonki está dito: “Existe um lugar no oceano onde está o portão do dragão, que é quando o peixe, em geral uma carpa, ao chegar a tal lugar onde as ondas são muito altas. Como uma cascata de três camadas. O peixe começa a subir. Mas como são três camadas, não consegue subir e no meio da ascensão cai, tomba. Tenta de novo mas cai, caindo, caindo, mas alguns peixes conseguem subir tudo isso. E a mitologia diz: Nesse momento, quando se consegue passar tudo isso, o peixe se transforma em dragão.” Portanto, essa cachoeira, portão do dragão, é a entrada do dragão. Esse lugar corresponde ao Mosteiro Zen. O treinamento é muito árduo, muitos não conseguem passar, caem fora. Quem conseguiu ficar lá, no ango de três meses, um ano, dois, três anos, esse monge, praticante Zen, se transforma em um dragão, monge Zen verdadeiro e não depende de saber muitas coisas sobre o Dharma, não precisa falar como uma cascata e não depende se já leu o Tripitaka ou todos os sutras Budistas três vezes, isso para monge Zen não quer dizer nada mas apesar de tudo, aparentemente você é a mesma pessoa, tem a mesma cara mas algo está totalmente mudado. Essa transformação é um símbolo do dragão como falei anteriormente, caos, quer dizer, questão de vida e morte, perigos, riscos, quem passar isso conseguiu sua auto-realização. Entretanto não é controlado. Ninguém sabe o que vai acontecer. Todas as dificuldades, fora dos limites físicos e espirituais. Quem quer experimentar pode entrar nesse lugar. Mas as pessoas não sabem nada disso e pensam que você ainda está lá naquela parte da água e parado com a represa, tirando a água fora querendo pegar esse peixe, carpa, no fundo da água, mas imagine, esse peixe já se transformou em um dragão e subiu para os céus. Essa é a imagem do dragão, do portão do dragão. A pessoa para tentar entrar nesse portão, tem uma certa maneira, porque se a pessoa entrar, não tem mais regresso para trás. E entrega seu corpo e mente ao que ocorrer no mosteiro.

 

A segunda é a cachoeira do dragão azul. O dragão azul está no símbolo dos Quatro Deuses de Shishin. Esse dragão azul está morando no fundo das águas onde ninguém pode sondar tal profundidade. As pessoas estão querendo chegar até lá, tem que descer até essa profundidade. Coloquei esse nome porque a cachoeira do dragão tem camadas de pedra, como um penhasco, então o livro Zen do Hekigan “Crônicas do Penhasco Azul” fala do sofrimento, que duro, não contar a ninguém sobre essa dureza, porque ninguém vai entender, apenas aqueles que por isso passaram. Então com a prática do Zen às vezes tem que entrar na caverna do dragão azul arriscando sua própria vida. É isso aí. O mosteiro hoje em dia está um pouco relaxado, mas o sesshin, o kyosaku é isso e experimenta seus limites, tanto físicos quanto espirituais. Mas com o tempo de treinamento a capacidade vai crescendo cada vez mais. É o treinamento: quanto mais treina, tanto mais a capacidade cresce. O Dragão Azul.

 

A terceira cachoeira é a Pérola do Dragão: Essa Pérola do Dragão pode-se imaginar: Dizem que o dragão está guardando uma pérola preciosa, negra, rara, dentro de suas mandíbulas. Isso simboliza que essa pérola tem algo de precioso, não tem preço, como a natureza de Buda. Para conseguir pegar essa pérola, você tem que arriscar sua vida, como o rabo do tigre, se pisar ali, ou se você montar um tigre correndo, tem que segurar bem senão cai e morre. E assim a pérola do dragão é a mesma coisa, embaixo da mandíbula do dragão, as escamas são dispostas ao contrário do resto do corpo. Quando a pessoa toca nessa região de escamas ao contrário, o dragão fica com raiva, porque aquele lugar é proibido. E para tirar essa pérola, tem tocar essa parte, muito perigoso, uma questão de vida e morte. A terceira cachoeira da Pérola do Dragão, as águas ali são muito profundas e não se pode enxergar o fundo, mesmo mergulhando. Essa é a imagem da Pérola do Dragão.

 

Passando para a quarta cachoeira. A cachoeira das Nuvens do Dragão. Se a pessoa conseguiu pegar essa pérola do dragão, aparecem muitas nuvens e o dragão sai da água, pega essas nuvens e começa a subir para os céus. Essa é a quarta. As nuvens de certo modo também são o caos. Nada controlado, nada preparado. Ninguém sabe o que acontece. Com essa situação você consegue a auto-realização. Nuvens do Dragão.

 

Passando isso se chega à cachoeira do Dragão Verdadeiro. O livro de Mestre Dogen, Fukanzazengi, manual de zazen, prática de meditação universal, fala de uma história. Tinha um senhor chamado Seirioku, que era como um lord, um senhor. Ele gostava muito de dragões, era maníaco de dragões, desenhos de dragões, potes com forma de dragões, ou roupas com desenhos de dragões, qualquer coisa sobre dragões, colecionava. Um dia, sabendo disso, o dragão ficou muito contente, por que não cumprimentá-lo? Assim o dragão resolveu descer dos céus, visitar a casa dele e tocou a janela com seu rabo. Toc, toc. Quem é? Olhou pela janela, quem é? Abriu a janela. Aí viu a cara do dragão verdadeiro. E nesse momento Seirioku desmaiou. Quer dizer, muita gente fala, fala, fala sobre o Zen, aquelas histórias sobre koans, dokusan, como coisas engraçadas e se auto-propalando como professores de Zen ou do Dharma, mas isso tudo é mentira, como desenho, escultura, imitando o dragão. Mas um dia aparece o dragão verdadeiro, como pode imaginar, não tem nada a ver com aquilo que falava. Desmaiou. Isso realmente acontece. A gente diz que isso é Zen de salão de chá, eu digo que é Zen de papparazzi, aquelas pessoas que através da internet, ou email, despacham mensagens para duzentas, trezentas pessoas ao mesmo tempo, recebendo respostas e perguntas. Respondendo o que ele pensa ou aprendeu algures em livros Zen, ou sutra do Dharma, falando com se fosse professor. Pode ser professor, mas não é monge Zen nem mestre, claro, é tudo imitação, mentira. Quando aparece o verdadeiro dragão mostrando sua cara, assusta, querendo explicar, justificar, quanto mais explica, justifica, pior. Porque não aceita esse susto calado. Não tem força nenhuma. Aí está perdido, mas não percebe que está perdido, continua agindo, mas é tudo mentira. Essa é a imagem do Dragão Verdadeiro.

 

Agora é o sexto. O sexto é a cachoeira maior de todas, com uma queda de cinqüenta e cinco metros, e se chama Dragão Voador. O Dragão Verdadeiro corresponde à matriz de nossa escola, Eihei-ji, foi fundada por Mestre Dogen. Nós temos uma outra matriz, Soji-ji, fundada por Keizan Zenji. Então Soji-ji tem uma revista de mosteiro, como a nossa “Flor do Vazio” que se chama “Dragão Voador”. Essa é alta, larga, como se fosse um dragão abrindo as asas, subindo para os céus.

 

A sétima cachoeira se chama Dragão do Céu. Tenryu. Ten é céu, ryu é dragão. Já está realizado, saindo do mosteiro, começa a trabalhar com toda a força.

 

A oitava pode ser a cachoeira Rei do Dragão. Onde ficam os urubus-rei no terreno: Pegando esse “rei” do urubu-rei. Cachoeira do Rei dos Dragões, porque tem muitas quedas separadas no mesmo lugar. Fica em cima do Dragão Voador. Todo dia de manhã no mosteiro ou templo Budista Zen, se canta um sutra para a cozinha. No final nós temos um mantra, com os oito reis dos dragões, nanda-ryu, batsunanda-ryu, shakara-ryu, watsukiti-ryu, tokushaku-ryu, anabata-ryu, manashi-ryu, uhara-ryu. Este ryu é o rei dos dragões. Existem países com muitas pessoas. Então ele dirige essa família. Esse é o grande Rei do Dragão e representa os guardiões do mosteiro. Defendem o Dharma para que o mosteiro permaneça funcionando bem. Em todo o caso, o dragão corresponde à ligação com a água, fogo, terra, com energia fora do comum. É isso o que representam esses oito nomes acima, são nomes sânscritos e o ryu é chinês, Rei dos Dragões. Muitos dragões. Tem ainda outros nomes de dragões. Ryu em sânscrito é Naga. Como Nagarjuna. Dragão. Quer dizer aquela pessoa treinada, realizada, fora do comum. Aí o mosteiro é a montanha dos dragões e fênix, somente dragões e fênixes podem morar ali. A fênix tem que estudar muito mais. Um dia vou contar.

 

Agora vamos as fotos :D

01.JPG.d83c3ad174572c7e6b318a5d050a75f3.JPG

 

02.JPG.a532a2a164f52a79228bc24355851784.JPG

 

08.JPG.4c797e3952b67b5a297f59f33e7d672a.JPG

 

09.JPG.1cd828bcf4780b926220ea44e0cc8feb.JPG

 

10.JPG.91a5af8f77798790288c5f2d5d591234.JPG

 

11.JPG.a777b4c3a10bde5ea3f738cc96975035.JPG

 

12.JPG.79b1715d745b55e98711f0089647ff07.JPG

 

13.JPG.11101719da39400ed2da2ff2d16ade74.JPG

 

14.JPG.434e8d6806ef5d6884c4582a2a4be724.JPG

 

16.JPG.2b5c79ccf14b88c4b0460937899a9c8b.JPG

 

19.JPG.4e188ca111ebc64ff161be4ccb443af2.JPG

 

20.JPG.f51a370e64c72e2de2de88e97786e55f.JPG

 

22.JPG.cd326073d0c10124e1d05669a275baa0.JPG

 

27.JPG.686400dc72d8d79329a26f70ef54d6e7.JPG

 

28.JPG.0adfe3901e42a2cb32a15a928c11a960.JPG

 

30.JPG.1a38ab7d2ea5573764e9cdd8250aa0d1.JPG

 

32.JPG.0c67c292b532677ee71c39b5bc551941.JPG

 

33.JPG.59078c39a4fcb62467c196952a39f7d9.JPG

 

36.JPG.a1486bd754496920050bbc38a26f4317.JPG

 

38.JPG.e728bcce9c7649d13423549d2773a81e.JPG

 

Bom galera acho que é isso!! Fica o registro dessa cachoeira incrível que é a Cachoeira dos Dragões, sem dúvida foi a mais linda que conheci em Pirenópolis!! Apesar de não ter estrutura como a Cachoeira do Rosário, ela é muito mais bonita.. melhor para banho, e a trilha é muito legal!.. Com certeza vale muito apena conhecer!!

 

Vou encerrar deixando o contato de uma pensão que me hospedei, paguei R$ 20,00 pra dormir, quarto limpo com banheiro, que para nós mochileiros é o que interessa!!

 

Suítes da Cristina (Fica a 200 metros do rio) (bem próximo a rua do lazer)

Fone: 62 3331 2698 / 9126 6934

End: Rua do Frota s/n.° - Bairro do Carmo, Pirenópolis-GO.

 

O próximo relato será sobre as Cachoeiras da Reserva Vargem Grande!! ::otemo:: (em breve)

 

Qualquer dúvida, fico a disposição!

 

Abrasss

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 20
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Colaboradores
Show de bola cara, a familia do meu pai é de Pirenopolis e sempre estou por la, mas confesso que não conheço a maiorias das cachoeiras principalmente as mais longes.

Obrigado pelo relato

 

Cara, eu sou fã de "Piri".. sempre que posso passo o final de semana lá.. sou de Goiânia!

 

A cidade de Pirenópolis tem uma mística, sei lá.. sou fascinado pela cidade, a rua do lazer a noite é incrivelmente linda!! Como é bom sentar naqueles barzinhos e ficar olhando o povo passar, tomando um vinho... curtindo um MPB, cara sou fã!! rs

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 7 meses depois...
  • Membros de Honra

Acabei de voltar de lá! (dez/2013) muito show o lugar!

Eu infelizmente ainda nao sei nadar, mas para minha felicidade eu pude entrar em todas as cachoeiras! Pois dava pé em todas.

Embora recomenda-se guia, não foi preciso nao! muito facil o acesso as trilhas, da pra fazer todas tranquilo!

 

Gostei das historias das cachoeiras, nao sei se quando voce foi ja tinha, mas hoje nas placas de cada cachoeira tem a explicação de cada uma.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

esse pico é, realmente, um dos melhores locais de cachoeiras perto de Piri !! bom pq sendo mais afastado é mais difícil ter bastante gente e como tem muitas quedas juntas tb, se tiver mais gente, pode procurar outras... só que agora estão explorando muito e cobrando cada vez mais pra entrar nas cachus de Piri. acho um assalto cobrar 30, 40, 50 por pessoa !! ah tb pode fazer um "retiro" lá no mosteiro...

mas a beleza espetacular da região vale um certo investimento.

valeu pelo relato !!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra
esse pico é, realmente, um dos melhores locais de cachoeiras perto de Piri !! bom pq sendo mais afastado é mais difícil ter bastante gente e como tem muitas quedas juntas tb, se tiver mais gente, pode procurar outras... só que agora estão explorando muito e cobrando cada vez mais pra entrar nas cachus de Piri. acho um assalto cobrar 30, 40, 50 por pessoa !! ah tb pode fazer um "retiro" lá no mosteiro...

mas a beleza espetacular da região vale um certo investimento.

valeu pelo relato !!

 

É, pagamos 30 por pessoa. Lugar lindo, pouco visitado pois é mais distante 40km da cidade.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Lucas_Rodrigues
      Quando você não está de férias mas quer viajar e não tem muito tempo, Pirenópolis é uma boa opção! Fica bem pertinho de Brasília (2h mais ou menos) e em 2 dias você consegue ter um gostinho de tudo que dá para fazer na cidade. 
      Para organizar a nossa viagem queríamos aproveitar: as cachoeiras, a vida noturna da cidade e subir os morros da região.
      Os lugares que escolhemos para fazer isso foram: 
      Cachoeiras dos Dragões; Rua dos Restaurantes; e Parque dos Pirineus. Cachoeiras dos Dragões
      Para começar, saímos de Brasília 7h da manhã, o caminho de ida foi pela BR 060, estrada muito boa com boa parte do caminho com via duplicada. O plano era ir direto para as cachoeiras dos dragões que fica num mosteiro budista mais ou menos a uns 45 minutos de Pirenópolis e funciona de 9h - 17h. Para chegar lá você terá que passar por uma estrada de terra de mais ou menos uns 15km, de carro comum você consegue chegar lá, porém pode sofrer um pouco pois é uma subida e tem muita terra fina. Mas é uma estrada bem sinalizada e não acho que vai precisar de um guia. 
      Chegando no mosteiro você passa por uma orientação rápida sobre as regras do local e já pode ir para a trilha. No local você pode usar os banheiros e encher as garrafinhas de água. 
      Na trilha você vai ter duas opções uma mais leve e outra um pouco mais pesada, as trilhas têm uma boa manutenção e são bem sinalizadas, acho que tem um nível de dificuldade baixa, mesmo sendo 4,5 Km no total você consegue fazer ela toda sem muita dificuldade.
      Eu fui em outubro lá, época que as chuvas ainda estão voltando então tinha 3 cachoeiras que estavam secas, por isso eles dão um desconto na entrada, mas ainda assim acho que vale a pena, você consegue chegar em lugares da rocha que não seria possível na época da cheia. 





      Rua dos Restaurantes 
      A cidade é bem charmosa e preparada para receber os turistas, ficar a noite apenas andando nas ruas e olhando a cidade já bem interessante. Muita coisa só funciona a noite, uma rua em especial fica cheia de gente e tem vários restaurantes para você escolher. Descobrimos por acaso essa rua apenas caminhando pela cidade, mas é muito interessante para ir jantar e aproveitar a noite, porque nessa rua também funciona algumas casas de festa.
      Ficamos hospedados no "camping do theo" que nos foi indicado pelas pessoas da cidade mesmo, é um local muito tranquilo fica perto do centro da cidade, então você pode passar pela cidade e voltar a pé mesmo, pode entrar com o carro no quintal e montar a sua barraca do lado. Ele disponibiliza os banheiros e é um senhor muito simpático, conversando com ele você pode usar a geladeira e fogão também. 
       


       

       
      Parque dos Pirineus
      O parque fica bem próximo a Pirenópolis, porém você tem que pegar uma estrada de chão de mais ou menos 12km para chegar lá, que para ir de carro comum você vai gastar um tempo a mais, devido as imperfeições que a estrada fica por conta do vento. Se você for voltar para Brasília, deixar o parque como última atração é muito bom, porque você já tem uma saída para a direção de Brasília que corta uma grande caminho da estrada convencional. Você sai na BR 070 dessa vez, que não é duplicada, mas é uma estrada em boas condições e chega em Brasília em 1:15h apenas.
      O parque tem várias trilhas pela "cidade de pedras" porém são trilhas sem muita manutenção e nenhuma sinalização, então é importante ir com um guia se quiser fazer as outras trilhas do parque. Porém você pode ir para a atração mais visitada que é subir os morros, aí você não precisa de guia, pois o caminho é bem simples e você vai ter uma vista linda de toda a região, já que você vai está a 1385m de altura em relação ao nível do mar. 
      O morro que tem a capelinha tem uma subida simples, mas se você quiser subir os outros a trilha não é tão simples e terá que subir por trilhas sem sinalização e com uma dificuldade um pouco maior. Mas se você gosta de paisagens vai gostar da vista que os morros têm.



       
       
    • Por natan.cruz
      Olá amigos tenho uma viagem de 10 dias programada para fevereiro de 2019 a Brasília e Goiás.
      A princípio faria Brasília e Alto Paraíso de Goiás. 
      Porém um amigo decidiu ir  junto  e ele não está acostumado com trilhas e por isso decidimos Pirenópolis. 
      O que sugerem 05 dias em Brasília e 05 em Pirenópolis? No caso faremos todo nosso deslocamento de ônibus. 
      É possível fazer muita coisa no DF além dos palácios ? Pirenópolis é uma boa opção ? 
      Desde já os agradeço!
    • Por khumbu_
      Esta pequena cidade histórica, incrustada aos pés da Serra dos Pireneus, no interior de Goiás, é cercada de morros, com dezenas de cachoeiras. Tombada como Patrimônio Histórico e Cultural Brasileiro, mantém seu aspecto antigo e bucólico - retrato vivo da história goiana, onde um povo hospitaleiro, alegre e festivo, convive com um ambiente de extrema beleza natural.
      SUGESTÕES AOS VIAJANTES

      *Traga calçados confortáveis - Pirenópolis é uma cidade pequena, calçada com pedras e cercada de montanhas. Portanto caminhar aqui, em pedras, subindo e descendo, é praticamente obrigatório.
      *Traga boné ou chapéu e filtro solar - O sol é forte quando aparece.
      *Traga quarda-chuva ou capa - se for tempo de chuva (outubro a março).
      *Venha de roupas apropriadas - cachoeiras tem mosquitos, trilhas tem capins que riscam as pernas e o sol queima os ombros. Lembre, cachoeira não é piscina e nem praia.
      *Venha de carro apropriado - nossos melhores atrativos são rurais e as estradas nem sempre estão boas.
      * Não vacile nos feriadões - apesar da criminalidade aqui ser baixa, em feriadões malandros podem visitar nossa cidade.
      * Venha com tempo - para conhecer bem Pirenópolis são necessários vários dias.
      * Procure contratar um guia - é mais seguro e confortável, você perde menos tempo e conhece bem melhor. Vá ao CAT-Centro de Atendimento ao Turista.
      Abraço a todos,
      Rogério Félix
    • Por thiago gentil
      Pequena cidade no interior de Goiás, tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que conserva seu aspecto antigo e bucólico, cercada de morros e cachoeiras. Um retrato vivo da história Goiana, onde um povo hospitaleiro, alegre e festivo, convive com um ambiente de extrema beleza natural.
       
      Uma das mais belas cachoeiras, a Cachoeira do Abáde, Situada na fazenda cabaçais, tem uma queda d’água de 21 metros, o acesso é feito pela estrada dos Pirineus, segue fotos.
       
       
      Entrada da cachoeira.

       
      Primeira vista da caxu, vista da trilha.

       
      Natureza perfeita.

       
      Uma das cachoeiras que mais gosto...

       
      Água quentinha...rssss

       
      Irmandade!!

       
      Sem comentários.

       

       
      Há dez anos que vou nessa cidade tão maravilhosa que é Pirenópolis, precisando de informações sobre a cidade fiquem a vontade, msn: [email protected]
       
      valeu!!
    • Por Átila Ximenes
      Andar pelas ruas da cidade é o melhor passeio, pois a cidade foi tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo IPHAN em 1989, Pirenópolis conta com Centro Histórico riquíssimo com casarões e igrejas do século XVIII, e prédios de uma imensa beleza arquitetônica como o Teatro e o Cine Pireneus.
       

       
      Quando cheguei em Piri tive uma surpresa, estava rolando o III Encontro Internacional de Fotografia de Pirenópolis, por isso a grande quantidade de turistas estrangeiros na cidade. Assim que cheguei lá perguntei a uma mulher onde ficava a Praça do Coreto, e ela respondeu: I don´t speak portuguese. Ah tah beleza! Sorry hehe... No domingo fiquei um tempão no Cine Pireneus, onde acontecia o encontro, então não tive tempo de conhecer nenhuma cachoeira.
       
      Auto Viação Goianésia - Como Chegar
       
      Valor: R$ 21,00 (valor já com a taxa de embarque - Saindo de Brasília).
      03 horas de viagem (o ônibus vai parando em cada cidade para pegar passageiros).
      Telefone da loja da Goianésia em Pirenópolis (62) 3331.2765
       
      Saindo da Rodoferroviária. No plano piloto você pode pegar o metrô (R$ 2,00) e descer na estação Shopping (é a 10ª parada) de frente para a estação do metrô é a Rodoferroviária.
       
      Fui no sábado, no ônibus de 10h cheguei em Piri 13h. O ônibus da ida é muito bom, mas o da volta é péssimo. (Nunca volte de Piri para Brasília no ônibus de 15h30 de domingo, é sem ar condicionado e entra muita fumaça).
       
      Hospedagem
      Camping Roots
      Rua dos Pireneus, 95 (Próximo a Praça do Coreto)
      Na rodoviária tem um ponto de moto táxi, custa apenas R$ 3,00 para o camping. Andando fica um pouco longe, acho que mais de 1km.
       
       
      Camping Roots
       
      Valor da diária R$ 20,00 (todos acham o valor alto) gostei de lá, o banheiro era limpo e tinha chuveiro com água quente, porém, não tem segurança alguma. A noite a pessoa que fica na recepção vai dormir. Achei muito inseguro.
       
      Alimentação
       
      Não deixe de comer a coxinha (espetacular) da loja vizinha da loja da Goianésia, uma delícia.
      Na Praça do Coreto a noite a feirinha de artesanato e comidinhas bomba! Muita coisa gostosa, lá eu peguei uma torta de frango com suco de hortelã.
      Tomamos café da manhã em uma mercearia, não lembro o nome, fica próximo a ponte. Pão de queijo com coca-cola.
      Na Rua do Lazer tem dezenas de bares e restaurantes, mas como eu estava no estilo mochilão econômico, não parei por lá!
       
      Todas as fotos estão no: http://picasaweb.google.com.br/atilaximenes

×
×
  • Criar Novo...