Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

leocaetano

Dicas: O que fazer em Santiago, Valparaíso e Viña del Mar

Posts Recomendados

Estamos em Santiago ainda, e temos uma dica para todos que pretendem vir p cá um dia: jamais se hospedem no hotel Diego de Velasquez, em Providência. Fica super bem localizado, mas embora apareça no site como 04 estrelas, se tiver uma, é cadente!!! rs

O café da manha é ruim, pobre. Os quartos esquisitos (e de ruim, porque aqui esquisito significa gostoso! Cuidado!), as camareiras entram no seu quarto a qq hora, do nada... o que nos deixou super inseguras... enfim, atendimento péssimo!!!

No mais, a água do lugar mesmo a de garrafinhas de água mineral, tem um gosto mto mto ruim. A gente sente sede o tempo todo, mas para quem tem cabelo e pele oleosa é o ceu!!!! Nada de brilho no rosto, meninas!rs

Ñ achamos nenhum outlet...e nem nada super barato, como esperávamos.

Achamos o city tour uma chatice e entramos numa cafeteria, em Vitacura, depois da Benetton, quase em frente a AX, que as atendentes eram umas grossas... ñ gostam de brasileiros!!!!

Hj vamos a Valparaíso e Viña Del Mar... depois postamos nossas impressoes...

Abços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

- Ficar de olho durante a viagem de avião para avistar a Cordilheira dos Andes;

- Passeio a pé pelo centro;

- Visita à Catedral, que é impressionante;

- Plaza de Armas;

- Palácio La Moneda;

- Cerro San Cristóbal;

- Cerro Santa Lucia;

- Ir ao Pátio Bellavista à noite para curtir a noitada local;

- Visitar as casas de Pablo Neruda, de preferência as três: La Chascona (Santiago), La Sebastiana ( Valparaíso) e a casa de Isla Negra. Vale a pena alugar um carro para fazer este passeio.

- Dar um mergulho no Pacífico. Frio pra caramba!!!!!

- Ir até a maior piscina do mundo que fica em Algarrobo e de preferência se hospedar por lá. (Eu não fiz isso, mas pretendo voltar)

 

Espero que ajude!!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigos, viajei no início de janeiro de 2011 para Santiago e passei 8 dias lá.

Com relação aos lugares para se visitar, não há muito o que acrescentar, pois no site há realmente todas as dicas possíveis.

O que eu gostaria de acrescentar é sobre alguns detalhes que muitos podem não saber. Então seguem minhas observações:

1) nos passeios que normalmente as pessoas fazem (Viña del Mar/Valparaiso, Valle Nevado, Isla Negra/Pomaire etc) todos os restaurantes onde as empresas de turismo nos levam são realmente caros. Achei de um modo geral as refeições pouco fartas e muito caras. Normalmente as refeições (a la carte) vêm com uma carne e um acompanhamento, que pode ser arroz ou algum molho. Nesses restaurantes cada refeição (individual) custou em média 8.000 pesos (equivalente a R$ 32,00). Refrigerantes (lata de 300 ml), cervejas long neck, água mineral e sucos são caros: aproximadamente 2.000 pesos (equivalente a R$ 8,00).

2) é muito mais barato procurar algum restaurante próximo ao hotel. Certamente terão boas opções e bem mais em conta, pois a gastronomia chilena é boa e variável, incluindo muito peixe e frutos do mar.

3) nos lugares visitados nos passeios a que me referi, as lojas de suvenirs (lembranças) também são caras. Achei muito melhor tirar um dia para ir a alguma feira artesanal (como a de Santa Lucia). Lá sim, há muitas coisas boas e baratas para se comprar.

4) o metrô de Santiago é realmente muito bom e liga vários pontos importantes da cidade. É seguro e funciona até às 23h. O bilhete é barato, mas tem valores diferenciados em função dos horários. Varia de 420 a 580 pesos aproximadamente (equivalente a R$ 1,70 a R$ 2,30 aproximadamente).

5) ônibus eu não utilizei até porque tem que comprar cartão para usá-lo (não se aceita pagar em dinheiro).

6) o trânsito em Santiago é bastante congestionado. Curiosamente, quase não há motos na cidade. Disseram que isso é devido aos preços baixos dos carros. Ou seja, as pessoas preferem comprar carros e não motos.

7) Santiago é bastante segura, quase não se vêm mendigos, pedintes. Dizem que batedores de carteiras são raros e assaltos à mão armada não existem.

8) o povo chileno é bastante educado, muito respeitador com os turistas. Não avançam sinal de trânsito, esperam o pedestre atravessar as ruas e sempre dão a nota fiscal, mesmo que você não peça e mesmo que a compra tenha sido apenas um sanduíche ou um suco. Isso é cultural lá.

9) o clima de Santiago é extremamente seco: lá só chove no inverno e mesmo assim pouquíssimo. Há pessoas que inclusive ficam com uma pequena irritação na garganta ou nariz. No verão, temos calor de dia e clima agradável à noite. Curioso que lá escurece por volta das 21h.

10) a cidade é muito bonita, alternando construções antigas e modernas. As praças são enormes, muito floridas e muito bem cuidadas. As pessoas respeitam e preservam.

11) há uma enormidade de cachorros de rua na cidade e o interessante é que todos os tratam muito bem. Até casinhas para cachorro encontrei nas praças.

12) quem for ao Valle Nevado, mesmo no verão, trate de levar casaco de frio, pois enquanto Santiago estava em torno de 32º, o Valle Nevado estava com 6º.

13) o pisco sour (bebida típica de lá, parecida com nossa caipirinha, só que feita com uva) é realmente muito gostoso. Agora, cuidado com o preço: nos restaurantes, uma taça custa cerca de 2000 pesos (equivalente a R$ 8,00). Entretanto, pelo mesmo preço você consegue comprar uma garrafa no supermercado.

14) por fim, taxi em Santiago não é caro. Achei até mais barato que em Belo Horizonte.

Bom, acho que por agora é o que eu poderia contribuir com o pessoal. Então boa viagem para Santiago. É um bom passeio, sem dúvida.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em Valparaiso não se pode deixar de experimentar a Chorrillana do Casino Royal J Cruz, apesar do nome pomposo é um restaurante bem rústico localizado na rua Condell 1466.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Li o comentário de alguém sobre o gosto da água mineral, e tenho uma dica.

Sofri o mesmo problema em Buenos Aires em 2009, e qdo cheguei no Chile em 2010 a mesma coisa... pensei: "como esse povo consegue beber essa água salgada?!?"

 

Quando forem comprar água mineral, olhem bem o rótulo e só comprem se tiver a informação "LIBRE DE SODIO"... aí sim, a água fica igualzinha a que estamos acostumadas aqui no Brasil.

 

::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Santiago é especial. Todas as dicas que o pessoal já deu aqui, eu reforço. Pra mim teve um q a mais, porque estive muito tempo com chilenos amigos lá, então pude conhecer a cidade do ponto de vista deles. Foi muito legal...pena que os lugares que fomos eu não lembrei de anotar nomes.

 

Palácio de la Moneda, achei mais bonito que a casa Rosada. Estéticamente comparando. Eu senti uma emoção especial no La Moneda, porque li bastante sobre o regime de Pinochet, e passar pelos locais que li que foram bombardeados...estar na frente de um lugar que li tanto sobre, foi sensacional. Aliás acho uma ótima prática ler muito sobre os países, sobre a parte histórica. Pra entender o local, é necessário entender a história dele.

Minha alma socialista ficou em festa em Santiago, eles são bem mais engajados politicamente falando, do que nós brasileiros.

 

Patio Bellavista é bem bacana, apesar das coisas não serem muito baratas.

 

Agora uma coisa é verdade, pra quem tem pele oleosa lá é uma maravilha. Durante o tempo em que estive no Chile, nenhuma espinha sequer. rss

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pow Juliana... indica um livro aí vai... tô indo ano que vem e já estava começando a procurar algo para me interar. Fiz isso antes de ir pro Peru em 2007 e valeu muito a pena. Quero ir pro Chile com a mesma sensação!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Raulzito,

eu recomendo "A sombra do ditador"; o autor é Heraldo Muñoz, chileno que viveu lá na ditadura e depois tornou-se ministro de relações exteriores no governo da Bachelet (que aliás, é filha de preso político, morto na época de Pinochet).

Acho que paguei R$55 em agosto do ano passado. Vale bastante a pena. :wink:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Anotadíssimo! O preço é esse mesmo... o mais barato que vi foi no Wallmart por 46... mas o frete deles é mais caro então...rs

Assim que ver uma promoção eu compro! Valeu mesmo!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por guilherme.hotz
      Olá Mochileiros! Irei em agosto para o Chile e uma das minhas tantas dúvidas era quanto me custaria estar por lá durante uma semana.
      Para tanto fiz um esboço de roteiro que irá contemplar uma diversidade de atividades, que serão alteradas ainda devido à proximidade da viagem, clima na semana e disponibilização do calendário do Campeonato Chileno de Futebol (pois quero ver um jogo).
      Todavia, segue o esboço de forma que outros viajantes tenham uma noção de preços, e o que fazer.
      Fico à disposição para discutir possibilidades, sanar dúvidas e ouvir sugestões.
       
       
      CRONOGRAMA CHILE-1.pdf
    • Por Lizandra Telles
      Roteiros para Viajantes é um blog de viagens, principalmente para encorajar mulheres a viajarem sozinhas e acreditam que tudo vai ser muito complicado.
      Estudos mostram que mulheres preferem viajar sozinhas pela independência e liberdade. Organizando o seu próprio roteiro, tendo a possibilidade de conhecer novas pessoas e ter experiências únicas.
      Geralmente, as mulheres que viajam sozinhas acabam tendo uma autoconfiança melhor de si, mesmo com alguns medos, elas tentam enfrentá-los, mostrando que sempre é possível buscar seus objetivos. Veja também o infográfico: [Infográfico] Mulher Viajante: Não tenha medo de viajar sozinha.
      Minha missão é incentivar as mulheres a viajarem, mesmo sem companhia. Mostrando que viajar sozinha e planejar sua viagem melhora a autoestima, confiança, a saúde mental e até mesmo a depressão.
      Roteiros para Viajantes pode ajudá-la a planejar sua viagem de forma mais prática e fácil.
      Saiba mais: https://www.roteirosparaviajantes.com.br/
    • Por Rezzende
      Hola mochileiros, tô aí pra mais um relato, uma viagem diferente das que tenho feito ultimamente, menos corrida, com mais dias pra relaxar e menos coisas pra fazer.
      Seguindo minha filosofia, depois de ter percorrido um pouquinho do Brasil, sigo agora percorrendo a América do Sul e o país da vez é o Chile
       
      Primeiro falando de câmbio, levei só reais, porque como tem muito brasileiro lá (e chileno aqui) é uma moeda bem aceita. Ao menos em Santiago hehe
      Cartão de crédito não tava compensando muito, levei 2 pro caso de emergência (quase precisei apelar pra todos), cartão de débito idem
      Câmbio no aeroporto: 1 real=173 pesos
      Câmbio na Calle Agustinas = 180 a 185 pesos
       
      Domingo, 18 de março de 2018
       
      Dia só pra chegada mesmo, ao contrário de outras viagens que já saio do aeroporto batendo perna, dessa vez cheguei pouco depois das 4 da manhã, fiz um câmbio pequeno no aeroporto porque além do câmbio ruim ainda tinha uma taxa de 860 pesos, 100 reais deram pouco mais de 16 mil pesos, só pro primeiro dia mesmo.
      Esperei amanhecer, ainda era horário de verão no Chile então o horário era o mesmo do Brasil mas só clareava 07:45 da manhã.
      Pra ir do aeroporto pra cidade o modo mais barato é o modo mochileiro mesmo, pegando um busão da Turbus ou Centropuerto, que ambos são 1800 pesos. Desce no metrô, a primeira onde eles passam e onde eu desci e recomendo descer é Pajaritos. Comprei a Tarjeta Bip, que você usa no metrô e nos ônibus, o cartão custa 1550 pesos, você vai recarregando conforme usa e no fim traz como souvenir de viagem. O preço da passagem varia de acordo com o horário, alto, normal ou baixo, sempre peguei no horário normal que é 680 pesos. Já to juntando vários cartões de transporte público pelo mundo: Florianópolis, Bogotá, Santiago, Valparaíso….
      O resto do dia foi por conta de ficar a toa no hostel, socializando e experimentando o Terremoto, bebida típica chilena com sorvete de abacaxi, Fernet e um tipo de vinho branco doce, bebida bem doce mesmo, dessas q você vai bebendo e quando vê já tá chapado 
      O hostel que fiquei foi o Providência Hostel, perto do metrô Baquedano e do Parque Bustamante, bem localizado, fácil pra pegar metrô, e de metrô você vai pra qualquer canto em Santiago. Hostel bom, bar com uma hora de bebida gratis no happy hour, não tem festas, só distribui pulseiras pras festas nas redondezas e as redondezas também tem muito barzinho. Café da manhã tem bastante coisa, prédio tem 5 andares, hostel enorme.
       
      Segunda, 19 de março de 2018

      Fui primeiro no centro fazer câmbio, tem um trechinho na calle Agustinas que concentra várias casas de câmbio e aí é só olhar onde tá o melhor preço. Nesse dia tava de 180 a 184 pesos, depois passei de novo na quinta e tava de 182 a 185 pesos por real.
      Dei uma volta na Praça de Armas, Catedral, fiz o free walking que sai em frente a catedral às 15 horas e percorre um trechinho bacana, Câmara dos Deputados, La Moneda, entrada do Cerro Santa Lúcia, Barrio Lastarria, BellaVista e termina no Museu La Chascona, uma das casas de Neruda. Sempre gosto de fazer free walking onde tem, é uma forma boa de ver a cidade



       
      *Momento perrengue   essa é pra você q viaja sem seguro
      De noite no hostel, caí no banheiro e dei 2 cortes fundos no pé. Tentei ligar no telefone do seguro mas não consegui falar, na recepção do hostel tb não conseguiram falar. Fiz um curativo de qualquer jeito com o kit de primeiros socorros do hostel e fui num posto de saude ali perto mas tava um caos lá, saúde pública no Chile me pareceu horrível. A mulher com cara de tédio me disse que não faziam curativos e me deu um endereço pra ir. Chamei um Uber e fui. O tal lugar lá era tipo um hospital geral e de cara já tinha uma galera revoltada lá e uns funcionários dizendo que os médicos estavam todos envolvidos em salvar uma vida de uma pessoa que tinha dado entrada lá em risco de morte e que todos deviam procurar outros lugares pra atendimento ou esperar ali a perder de vista. No meio daquele tumulto humildemente perguntei uma mulher se dava pra fazer um curativo no meu pé. A mulher só virou com aquele doce olhar de fuzilamento e disse: No hacemos curaciones!! Ali definitivamente não tava legal. Sem wifi e internet, sem saber bem onde estava, saí pra rua e parei o primeiro táxi que vi. Falei pro taxista me indicar uma clinica onde pudesse tratar do meu pé. O jeito era o plano B, pagar pelo atendimento e pedir reembolso do seguro depois. Ele me levou numa clínica que me pediu um caução de 200 mil pesos 😳 Sem chance!!! Peguei outro táxi e esse me falou da Clinica Santa Maria e fomos pra lá. Ao menos o caução era só o passaporte. Clínica super top, descobri depois que era lá que os presidentes e celebridades chilenas se tratavam😬 Tipo um Sírio-Libanês de Santiago. Morri uma nota lá pra consulta, radiografia e dar pontos. Sério que essa brincadeira ficou em mais de 3 mil reais!!  Fiquei sem limite no cartão de crédito pra pagar e mandei um chat pro Nubank que na hora alterou meu limite em caráter de emergência pra eu poder pagar a conta e salvou minha pele. Nubank brilhando sempre. Agora já juntei a papelada e mandei a conta pro seguro reembolsar. A gente as vezes não faz seguro mas uma coisa dessas pode acontecer a qualquer momento! Paguei pouco mais de 80 reais no seguro e precisei usar, se eu não tivesse olha aí o preju!!! Interessante que nas outras viagens eu sempre fazia seguro pensando que eu fazia muita trilha, deslocava muito entre cidades e estaria mais suscetível a acidentes. Dessa vez como ia ser uma trip mais urbana, até chegou a passar pela minha cabeça em não fazer seguro e olha que justamente dessa vez que eu precisei. Uma bobeira qualquer e olha o que acontece… pense bem em arriscar viajar sem seguro, olha só a treta que passou comigo
      Pé com pontos e enfaixado 
       
      Terça, 20 de março de 2018
       
      A viagem não pode parar por causa de um pé machucado. Não tava atrapalhando pra andar pois os 2 cortes foram no peito do pé, mas resolvi pegar um dia ainda mais light e fui conhecer os museus, porque aí andava menos. Fui primeiro no Museu Nacional na Plaza de Armas, que é grátis. Todos os museus que estiver escrito Museu Nacional de alguma coisa, é grátis. Se é Nacional é grátis. Dos museus pagos só fui no Museu Pre Colombino, que custa 6000 pesos e pra mim foi o mais interessante, com alguns espaços interativos. Peguei o metrô e desci na Quinta Normal onde tem o museu de história natural e o museu de direitos humanos, ambos muito bons também, principalmente o de direitos humanos, retratando o período de ditadura.

      Voltei pro hostel pois tinha combinado com uma amiga de dar um rolê na cidade. Se você ler meu relato da Patagônia, vai ver lá no final que quando passei em Buenos Aires conheci uma chilena no hostel, a Lore, e mantemos contato. Avisei ela que estava no Chile e ela marcou de me buscar no hostel depois do trabalho. Pedi pra ela um lugar legal pra ver o por do sol e ela me levou pra um lugar fora da rota turística onde só se vai de carro, chama La Piramide e tem uma vista sensacional. Depois fomos pra casa dela em Lo Barnechea onde conheci o resto da família dela, o marido e os filhos. A cidade vista com ajuda de um local é outra coisa né


      Quarta, 21 de março de 2018
       
      Fui fazer passeio na vinícola Concha y Toro. Fui com o Vitor de Curitiba que tava no meu quarto do hostel. Dá pra ir fácil de transporte público, vai de metrô até Puente Alto e de lá pega o ônibus M74 por mais 700 pesos que paga o motorista em dinheiro, esse não é na Bip e que te deixa na porta da vinícola. Fizemos o tour em espanhol mas lá tem mais horários de tour em português por causa da absurda quantidade de brasileiro que tem lá. Aliás em Santiago toda. De todas as (ainda poucas) viagens internacionais que fiz, no Chile foi onde vi mais brasileiros. Não esperava muito de um passeio em vinícola, mas curti, o lugar é muito bonito, tranquilo, bucólico, provei umas uvas, uns vinhos, trouxe a taça que eles dão de “brinde”, são 16 mil pesos essa brincadeira  achei um país muito caro, quase empatando com o Uruguai no quesito careza  pra voltar a mesma coisa, busão até o metrô.





      Passei no hostel, tomei um banho e saí de novo, agora fui sozinho porque o Vitor não animou de pagar pra fazer o que eu ia fazer…subir o Sky Costanera, maior prédio da América do Sul, 300 metros de altura, prédio imponente e bonito e que cobra 15mil pesos pra subir. É caro mas tentei abstrair do preço e pensar que eu tava lá, tinha vontade de ir e que as vezes devo dar prioridade pra satisfazer meus desejos. No elevador, só brasileiros. Elevador muito rápido, dá até pra sentir a pressão no ouvido tanto na subida como na descida. Subi umas 18:30 pra pegar o final da tarde, o por do sol e depois a cidade já iluminada. Desci as 21 horas e acho q essa é a melhor opção pra aproveitar seu dinheiro gasto vendo a cidade de dia, escurecendo e de noite.




       


×
×
  • Criar Novo...