Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

leocaetano

Dicas: O que fazer em Santiago, Valparaíso e Viña del Mar

Posts Recomendados

Gustavo, como vc pretende ir no Estádio Nacional e vai também a Viña del Mar, aproveite para conhecer o estádio de Sausalito, onde o Brasil de Garrincha deu show em 62. Hoje é um simples estádio (mas, ainda assim, de fazer inveja a alguns grandes clubes brasileiros).

 

É bacana (além de pisar num lugar histórico para o futebol brasileiro) por dois motivos: 1) para ver como os estádios de Copa do Mundo tomaram uma magnitude mastodôntica desde então; e 2) o parque/laguinho de Sausalito que fica ao lado é bacana também.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá caríssimos, retornei do Chile neste domingo.

 

Santiago realmente vale a pena. Uma cidade grande, limpa com um povo muito educado.

 

Hospedagem: Fiquei no hotel Principado, no Bairro da Providência, bem ao lado da Universidade do Chile. A localização é excelente, os quartos são bons e o atendimento tbem. Café razoável. O defeito a ser mencionado consiste apenas no carpete, que é um pouco antigo e acumula poeira. Registro que minha preferência sempre foi albergue então o conforto oferecido foi mais do que suficiente.

 

Lugares para se visitar:

 

a) Começo pela vinícola Cocha e Toro. Muito legal o passeio de aproximadamente uma hora. Especialmente a parte do vinho Casileiro Del Diablo. O passeio simples custa 7000,00 pesos chilenos, com degustação de 02 vinhos. Tem uma opção mais cara que envolve degustação de mais vinhos com queijos e etc, o que ocorre após o passeio.

 

b) O Vale Nevado é outro passeio recomendado. Mesmo sem neve o lugar é incrível. Pode-se ver a neve apenas nos picos vizinhos. Sobe-se por ruas estreitas a mais de 3000 metros aproximadamente. Lá é possível fazer o passeio de teleférico. Deve-se observar que o retorno deve ocorrer antes das 16:00 horas, então é preciso chegar até as 15:00 para fazer o passeio, pois demora + ou – 40 minutos. No mais, vale a pena passear a pé mesmo, levar um lanche e ficar por lá curtindo o visual. É bom não esquecer de um casaco também.

 

c) Fonicular é outra opção interessante. Um parque na região da Providência. Sobe-se de bondinho até o alto de um morro onde se pode ver toda a Santiago. Muito bom para tirar fotos. Não lembro o preço mas é baratinho + ou – 2000 pesos.

 

d) centro da cidade: é meio centrão de qq cidade brasileira. Tem uma rua larga apenas de pedestres, a Catedral de Santiago, o Mercado Central – espécie de mercado municipal – Museu de História Nacional, Prefeitura, lojas mais populares, praças e etc. Bom para sair caminhando um dia.

OBS: Tem um centro mais novo, com prédios modernos que fica para o lado de Las Condes. Não conheci bem esta região mas parece ser bem agradável.

 

e) Palácio de La Modena: Bacana pra tirar um foto e tal. Estava autorizado apenas entrada até um saguão logo na recepção.

 

Deslocamento: O metrô é bom. Da pra usar apenas ele para ir por toda a cidade. Paguei 600 pesos o bilhete. Mas aluguei um carro por 4 dias. Conferi no cartão de crédito e fechou 280 dólares como combinado – incluindo os pedágios para andar no centro e seguro obrigatório. O bom do carro é que fomos até Vinha del Mar/Valparaiso (uns 100 Km), Vale Nevado ( uns 50 Km) e circulamos por toda a cidade, inclusive de madrugada. O carro te da uma certa liberdade. Vantagem tbem porque o hotel tinha lugar pra parar (3 vagas na rua e pelo menos 1 sempre estava livre). E se dividirmos o valor por 2/3/4 pessoas começa a valer a pena se considerarmos o preço dos deslocamentos.

 

Noite: Não sei se conheci bem a noite. Nos 2 primeiros dias falavam que era apenas a região de Bella Vista, que são bares com mesa na calçada e tal. (pra quem é de Curitiba o lugar é estilo o Largo da Ordem). Mas não poderia ser só aquilo porque frequentava só pessoal da Universidade do Chile ali do lado, e deveria ter algo mais animado. Então nos outros dois dias me informei com o pessoal local, e fui em 2 lugares balada mesmo. Recomendo apenas o “Las Uracas”, na Rua Vitacura. Mas acredito que tenha muita coisa rolando de noite. Fiquei com a sensação de que naum fui muito nos lugares certos.

OBS: O pessoal curte MUITO dançar. Principalmente um tal de reggaeton, que eu sinceramente achei horrível.

 

 

Dicas finais: Vina del Mar é bem jóia e o acesso é muito fácil. (100 km de Santiago) Fui de carro, mas soube que havia ônibus que cobrava 2500,00 pesos por pessoas, o que é bem razoável. O principal lá é curtir a praia de água super gelada, e ir no cassino.

Já Valparaiso é uma típica cidade portuária. As casas até lembram o caminito argentino por serem bastante coloridas. Lá fui apenas na Casa do Neruda, La Sebastaina, o que também recomendo. Naum sei como é o acesso de ônibus mas de carro é meio complicado. Bem no alto do morro, por ruas estreitas.

 

Enfim, gostei muito da viajem de apenas 06 dias no Chile.Valeu muito a pena!!

Espero ter retribuído as informações que obtive de vcs. Um a

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bacana a galera dando várias dicas aí...

 

eu gostei de fazer compras no Parque Arauco. Tem muitas opções, várias marcas como Calvin Klein, Lacoste. e é muito mais barato que aqui.

 

Bacana é fazer uma caminhada pela Paseo Ahumada, há muito comércio, as lojas mais tradicionais do Chile, o famoso Café com Pernas e você ainda dá de cara na AV. Bernardo O'Higgins e, se caminhar pela sua esquerda, sai no Cierro Santa Lucia, um ponto turistico bem bonito.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Outra coisa que acho muito interessante e que descobri nos últimos dias de viagem foi a Calle Lastarria, próximo ao Parque Forestal.

A rua tem restaurantes, cinemas, bares. Um bairro bem boêmio e cheio de cafés!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Galera uma dica IMPORTANTE!

Voltei ontem de lá...(21/07)

 

Muito cuidado com os FURTOS, estão constantes na cidade e pontos turísticos.

Conheci 2 casais que tiveram bolsas furtadas em pontos distintos.

 

Um eu estava presente, o cara estava na mesma VAN que eu e íamos subir pra Vale nevado, paramos pra alugar equipamentos ele deixou a esposa cuidando da sua mochila e qdo olhou pra trás, já era...

Um casal q conheci tb teve a bolsa furtada em restaurante...e eles me contaram tb de outro casal q tb teve...

 

No Centro uma camelô me indicou pra andar com a mochila pra frente tb pq tem rolado isso pelo centro, principalmente pela região de Passeo Ahumada.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O lemarins tem razão.

 

Me escreveram essa semana falando que o dia do jogo, da Universidade do Chile e não sei mais quem, foram todos assaltados. Roubaram anéis, carteira, documentos e até (pasmem) a roupa!

 

O mês de Julho e o de Dezembro são os piores pra isso no Chile.

 

Vale a pena andar como se estivesse no Centro de São Paulo: cuidado com bolsas, dinheiro, pochetes, carteiras.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O lemarins tem razão.

 

Me escreveram essa semana falando que o dia do jogo, da Universidade do Chile e não sei mais quem, foram todos assaltados. Roubaram anéis, carteira, documentos e até (pasmem) a roupa!

 

O mês de Julho e o de Dezembro são os piores pra isso no Chile.

 

Vale a pena andar como se estivesse no Centro de São Paulo: cuidado com bolsas, dinheiro, pochetes, carteiras.

 

O que custumo dizer, geralmente a ocasião faz o ladrão...

Não dê mole...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O lemarins tem razão.

 

Me escreveram essa semana falando que o dia do jogo, da Universidade do Chile e não sei mais quem, foram todos assaltados. Roubaram anéis, carteira, documentos e até (pasmem) a roupa!

 

O mês de Julho e o de Dezembro são os piores pra isso no Chile.

 

Vale a pena andar como se estivesse no Centro de São Paulo: cuidado com bolsas, dinheiro, pochetes, carteiras.

 

O que custumo dizer, geralmente a ocasião faz o ladrão...

Não dê mole...

 

É, galera!

Um taxista me avisou também para andar com a mochila na frente...mas deu tudi certo!

Vlw!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O lemarins tem razão.

 

Me escreveram essa semana falando que o dia do jogo, da Universidade do Chile e não sei mais quem, foram todos assaltados. Roubaram anéis, carteira, documentos e até (pasmem) a roupa!

 

O mês de Julho e o de Dezembro são os piores pra isso no Chile.

 

Vale a pena andar como se estivesse no Centro de São Paulo: cuidado com bolsas, dinheiro, pochetes, carteiras.

 

O que custumo dizer, geralmente a ocasião faz o ladrão...

Não dê mole...

 

É, galera!

Um taxista me avisou também para andar com a mochila na frente...mas deu tudi certo!

Vlw!

.Ah e taxistas tb mto cuidado!!!

Um grupo de meninas contou para nosso grupo q um trajeto que daria uns 4mil cobraram 20mil delas...

Pior q foi no taximetro,mas q fato q estava sendo adulterado de alguma forma, elas falaram q ele ficava com a mão proxima ao aparelho e fica puxando assunto,etc...

Um conhecido chileno falou q alguns mal taxistas aproveitam qdo sãomulheres...caso desses tem q procurar os "carabineiros"

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Em Santiago: Se você gosta de caminhar, em um dia você pode conhecer vários lugares: No centro da cidade, vá à Plaza de Armas e conheça ali a Catedral de Santiago, o Museo Chileno de Arte Precolombino (entrada paga), o Ex Congresso Nacional, o Correo Central, além de algumas cafeterias que ficam na praça, com mesas na calçada e um ambiente bem agradável! Próximo a essa praça (uns três quarteirões) há o Palacio "La Moneda". Dia sim/dia não há a troca da guarda, com toda uma pompa que vale a pena assistir. Abaixo desse Palacio (no subsolo mesmo!) há o Museo de La Moneda (entrada franca), onde há lojas com artesanato chileno, além das exposições. Ande mais alguns quarteirões e conheça o Cerro Santa Lucia, um parque público na vertical, com vista privilegiada de Santiago. Você pode subir caminhando ou usar um elevador panoramico (gratuito). Tem bancos para descansar e a vista é realmente maravilhosa, especialmente se o dia estiver claro. A fonte na saída do parque é realmente linda e dá uma boa foto! Prossiga em direção ao Bairro Bellavista (uns 10 quarteirões, dá pra ir caminhando, tranquilo, e aproveite para almoçar em algum dos diversos restaurantes da rua Pio Nono - comida boa e barata) e vá ao outro cerro, maior e mais alto que o primeiro. Trata-se do Cerro San Cristobal. a subida a pé é demorada (40 min. aprox.), mas dá pra fazer. Você também pode pagar cerca de 2 mil pesos chilenos (uns R$ 8,00) e usar o Funicular, uma espécie de bondinho que sobe e desce o parque. Neste cerro há um zoológico e, mais acima, uma capela, uma igreja, lugares para compras e lanches. A vista é espetacular, especialmente se você for no inverno e o céu estiver claro (a Cordilheira fica logo atrás e dá excelentes fotos!). Ao voltar, indico uma feira de artesanatos na "saída" do bairro Bellavista, próximo à estação de Metrô. As coisas por lá são boas, bonitas e baratas. Vá ao Museo de Bellas Artes, que fica ali pertinho. A entrada é gratuita aos domingos, mas estudantes pagam meia entrada, mesmo sendo de outro país! Eu dei sorte de, num sábado à noite, ir a um concerto da Orquestra Sinfônica de Santiago que aconteceu no museu (e gratuito!).

Certifique-se de ficar em algum lugar próximo a uma estação de metrô! Em Santiago, o metro é rápido, barato e super eficiente! São quatro linhas que se interligam e permitem que, com apenas uma passagem, você vá a praticamente QUALQUER lugar da cidade (exceto o aeroporto!). É praticamente todo no subsolo, com algumas poucas exceções. Na linha vermelha, na última estação (Los Dominicos) há um parque enorme que tem uma feira de artesanato também enorme! Os preços são variados e vale a pena caminhar pelo parque! Na linha quatro (que é apenas parcialmente subterrânea), você sai do subsolo e se surpreende com uma vista incrível da Cordilheira. Desça na estação Las Mercedes, pegue um micro-ônibus e vá à vinícola Conhcha Y Toro, do famoso vinho chileno "Casillero del Diablo". O passeio é relativamente barato e você ainda degusta vinhos e queijos (dependendo do passeio escolhido). Você ainda leva a taça em que degustou de lembrança!

Se quiser fazer compras, vai uma dica: roupas em Santiagos são extremamente baratas! Você encontra roupas de grife por preços irrisórios! É sério!

Se não estiver animado a andar, use o metrô. Em todos esses lugares que mencionei tem uma estação próxima! É possível conhecer mais do metrô chilene no site prórpio (http://www.metro.cl).

 

Em Viña del Mar: Aconselho comprar a passagem na rodoviária de Santiago, IDA+VOLTA (sai mais barato). A viagem demora cerca de duas horas! Você pode alugar uma van na rodoviária de Viña del Mar ou fazer o percurso a pé/metrô. Conheça o Oceano Pacífico (vale "pisar" na água gelada!). Há o famoso Relógio das Flores, o Cassino, o Estádio onde o Garrincha tirou um cachorro do campo, no meio do jogo (é sério!), o mirante, onde dá pra ver a cidade e, ao fundo, o Pacífico, o Museu de Arqueologia (tire uma foto com um MOAI, tirado da Ilha da Páscoa) e almoçar em algum restaurante à beira-mar! DICA: os chilenos tem o costume de divulgar o MENU: trata-se do prato do dia, com entrada+prato principal+bebida+sobremesa (com pequenas variações entre os restaurantes). Costuma sair mais barato! Vai almoçar/jantar em um restaurante? Pergunte sempre pelo MENU primeiro!

 

Em Valparaíso: A cidade é colada em Viña, dividida por uma ponte! É uma cidade histórica, mais antiga que Viña. Vale conhecer uma das 3 casas do Pablo Neruda (as outras duas ficam em Isla Negra e Santiago - entrada paga), o centro da cidade (com praças lindas), passe em frente ao Congresso Nacional, vá ao porto e suba no bondinho (uns 300 pesos por pessoa - pouco mais de R$ 1,00)! A vista é incrível e a feira de artesanato lá em cima é muito boa! Se você estiver hospedado em Santiago e sua passagem rodoviária foi de IDA+VOLTA pra Viña del Mar, você pode voltar pela rodoviária de Valparaíso, SEM PROBLEMA ALGUM! De Valparaíso, a viagem é de uma hora e meia para Santiago!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Lizandra Telles
      Roteiros para Viajantes é um blog de viagens, principalmente para encorajar mulheres a viajarem sozinhas e acreditam que tudo vai ser muito complicado.
      Estudos mostram que mulheres preferem viajar sozinhas pela independência e liberdade. Organizando o seu próprio roteiro, tendo a possibilidade de conhecer novas pessoas e ter experiências únicas.
      Geralmente, as mulheres que viajam sozinhas acabam tendo uma autoconfiança melhor de si, mesmo com alguns medos, elas tentam enfrentá-los, mostrando que sempre é possível buscar seus objetivos. Veja também o infográfico: [Infográfico] Mulher Viajante: Não tenha medo de viajar sozinha.
      Minha missão é incentivar as mulheres a viajarem, mesmo sem companhia. Mostrando que viajar sozinha e planejar sua viagem melhora a autoestima, confiança, a saúde mental e até mesmo a depressão.
      Roteiros para Viajantes pode ajudá-la a planejar sua viagem de forma mais prática e fácil.
      Saiba mais: https://www.roteirosparaviajantes.com.br/
    • Por Rezzende
      Hola mochileiros, tô aí pra mais um relato, uma viagem diferente das que tenho feito ultimamente, menos corrida, com mais dias pra relaxar e menos coisas pra fazer.
      Seguindo minha filosofia, depois de ter percorrido um pouquinho do Brasil, sigo agora percorrendo a América do Sul e o país da vez é o Chile
       
      Primeiro falando de câmbio, levei só reais, porque como tem muito brasileiro lá (e chileno aqui) é uma moeda bem aceita. Ao menos em Santiago hehe
      Cartão de crédito não tava compensando muito, levei 2 pro caso de emergência (quase precisei apelar pra todos), cartão de débito idem
      Câmbio no aeroporto: 1 real=173 pesos
      Câmbio na Calle Agustinas = 180 a 185 pesos
       
      Domingo, 18 de março de 2018
       
      Dia só pra chegada mesmo, ao contrário de outras viagens que já saio do aeroporto batendo perna, dessa vez cheguei pouco depois das 4 da manhã, fiz um câmbio pequeno no aeroporto porque além do câmbio ruim ainda tinha uma taxa de 860 pesos, 100 reais deram pouco mais de 16 mil pesos, só pro primeiro dia mesmo.
      Esperei amanhecer, ainda era horário de verão no Chile então o horário era o mesmo do Brasil mas só clareava 07:45 da manhã.
      Pra ir do aeroporto pra cidade o modo mais barato é o modo mochileiro mesmo, pegando um busão da Turbus ou Centropuerto, que ambos são 1800 pesos. Desce no metrô, a primeira onde eles passam e onde eu desci e recomendo descer é Pajaritos. Comprei a Tarjeta Bip, que você usa no metrô e nos ônibus, o cartão custa 1550 pesos, você vai recarregando conforme usa e no fim traz como souvenir de viagem. O preço da passagem varia de acordo com o horário, alto, normal ou baixo, sempre peguei no horário normal que é 680 pesos. Já to juntando vários cartões de transporte público pelo mundo: Florianópolis, Bogotá, Santiago, Valparaíso….
      O resto do dia foi por conta de ficar a toa no hostel, socializando e experimentando o Terremoto, bebida típica chilena com sorvete de abacaxi, Fernet e um tipo de vinho branco doce, bebida bem doce mesmo, dessas q você vai bebendo e quando vê já tá chapado 
      O hostel que fiquei foi o Providência Hostel, perto do metrô Baquedano e do Parque Bustamante, bem localizado, fácil pra pegar metrô, e de metrô você vai pra qualquer canto em Santiago. Hostel bom, bar com uma hora de bebida gratis no happy hour, não tem festas, só distribui pulseiras pras festas nas redondezas e as redondezas também tem muito barzinho. Café da manhã tem bastante coisa, prédio tem 5 andares, hostel enorme.
       
      Segunda, 19 de março de 2018

      Fui primeiro no centro fazer câmbio, tem um trechinho na calle Agustinas que concentra várias casas de câmbio e aí é só olhar onde tá o melhor preço. Nesse dia tava de 180 a 184 pesos, depois passei de novo na quinta e tava de 182 a 185 pesos por real.
      Dei uma volta na Praça de Armas, Catedral, fiz o free walking que sai em frente a catedral às 15 horas e percorre um trechinho bacana, Câmara dos Deputados, La Moneda, entrada do Cerro Santa Lúcia, Barrio Lastarria, BellaVista e termina no Museu La Chascona, uma das casas de Neruda. Sempre gosto de fazer free walking onde tem, é uma forma boa de ver a cidade



       
      *Momento perrengue   essa é pra você q viaja sem seguro
      De noite no hostel, caí no banheiro e dei 2 cortes fundos no pé. Tentei ligar no telefone do seguro mas não consegui falar, na recepção do hostel tb não conseguiram falar. Fiz um curativo de qualquer jeito com o kit de primeiros socorros do hostel e fui num posto de saude ali perto mas tava um caos lá, saúde pública no Chile me pareceu horrível. A mulher com cara de tédio me disse que não faziam curativos e me deu um endereço pra ir. Chamei um Uber e fui. O tal lugar lá era tipo um hospital geral e de cara já tinha uma galera revoltada lá e uns funcionários dizendo que os médicos estavam todos envolvidos em salvar uma vida de uma pessoa que tinha dado entrada lá em risco de morte e que todos deviam procurar outros lugares pra atendimento ou esperar ali a perder de vista. No meio daquele tumulto humildemente perguntei uma mulher se dava pra fazer um curativo no meu pé. A mulher só virou com aquele doce olhar de fuzilamento e disse: No hacemos curaciones!! Ali definitivamente não tava legal. Sem wifi e internet, sem saber bem onde estava, saí pra rua e parei o primeiro táxi que vi. Falei pro taxista me indicar uma clinica onde pudesse tratar do meu pé. O jeito era o plano B, pagar pelo atendimento e pedir reembolso do seguro depois. Ele me levou numa clínica que me pediu um caução de 200 mil pesos 😳 Sem chance!!! Peguei outro táxi e esse me falou da Clinica Santa Maria e fomos pra lá. Ao menos o caução era só o passaporte. Clínica super top, descobri depois que era lá que os presidentes e celebridades chilenas se tratavam😬 Tipo um Sírio-Libanês de Santiago. Morri uma nota lá pra consulta, radiografia e dar pontos. Sério que essa brincadeira ficou em mais de 3 mil reais!!  Fiquei sem limite no cartão de crédito pra pagar e mandei um chat pro Nubank que na hora alterou meu limite em caráter de emergência pra eu poder pagar a conta e salvou minha pele. Nubank brilhando sempre. Agora já juntei a papelada e mandei a conta pro seguro reembolsar. A gente as vezes não faz seguro mas uma coisa dessas pode acontecer a qualquer momento! Paguei pouco mais de 80 reais no seguro e precisei usar, se eu não tivesse olha aí o preju!!! Interessante que nas outras viagens eu sempre fazia seguro pensando que eu fazia muita trilha, deslocava muito entre cidades e estaria mais suscetível a acidentes. Dessa vez como ia ser uma trip mais urbana, até chegou a passar pela minha cabeça em não fazer seguro e olha que justamente dessa vez que eu precisei. Uma bobeira qualquer e olha o que acontece… pense bem em arriscar viajar sem seguro, olha só a treta que passou comigo
      Pé com pontos e enfaixado 
       
      Terça, 20 de março de 2018
       
      A viagem não pode parar por causa de um pé machucado. Não tava atrapalhando pra andar pois os 2 cortes foram no peito do pé, mas resolvi pegar um dia ainda mais light e fui conhecer os museus, porque aí andava menos. Fui primeiro no Museu Nacional na Plaza de Armas, que é grátis. Todos os museus que estiver escrito Museu Nacional de alguma coisa, é grátis. Se é Nacional é grátis. Dos museus pagos só fui no Museu Pre Colombino, que custa 6000 pesos e pra mim foi o mais interessante, com alguns espaços interativos. Peguei o metrô e desci na Quinta Normal onde tem o museu de história natural e o museu de direitos humanos, ambos muito bons também, principalmente o de direitos humanos, retratando o período de ditadura.

      Voltei pro hostel pois tinha combinado com uma amiga de dar um rolê na cidade. Se você ler meu relato da Patagônia, vai ver lá no final que quando passei em Buenos Aires conheci uma chilena no hostel, a Lore, e mantemos contato. Avisei ela que estava no Chile e ela marcou de me buscar no hostel depois do trabalho. Pedi pra ela um lugar legal pra ver o por do sol e ela me levou pra um lugar fora da rota turística onde só se vai de carro, chama La Piramide e tem uma vista sensacional. Depois fomos pra casa dela em Lo Barnechea onde conheci o resto da família dela, o marido e os filhos. A cidade vista com ajuda de um local é outra coisa né


      Quarta, 21 de março de 2018
       
      Fui fazer passeio na vinícola Concha y Toro. Fui com o Vitor de Curitiba que tava no meu quarto do hostel. Dá pra ir fácil de transporte público, vai de metrô até Puente Alto e de lá pega o ônibus M74 por mais 700 pesos que paga o motorista em dinheiro, esse não é na Bip e que te deixa na porta da vinícola. Fizemos o tour em espanhol mas lá tem mais horários de tour em português por causa da absurda quantidade de brasileiro que tem lá. Aliás em Santiago toda. De todas as (ainda poucas) viagens internacionais que fiz, no Chile foi onde vi mais brasileiros. Não esperava muito de um passeio em vinícola, mas curti, o lugar é muito bonito, tranquilo, bucólico, provei umas uvas, uns vinhos, trouxe a taça que eles dão de “brinde”, são 16 mil pesos essa brincadeira  achei um país muito caro, quase empatando com o Uruguai no quesito careza  pra voltar a mesma coisa, busão até o metrô.





      Passei no hostel, tomei um banho e saí de novo, agora fui sozinho porque o Vitor não animou de pagar pra fazer o que eu ia fazer…subir o Sky Costanera, maior prédio da América do Sul, 300 metros de altura, prédio imponente e bonito e que cobra 15mil pesos pra subir. É caro mas tentei abstrair do preço e pensar que eu tava lá, tinha vontade de ir e que as vezes devo dar prioridade pra satisfazer meus desejos. No elevador, só brasileiros. Elevador muito rápido, dá até pra sentir a pressão no ouvido tanto na subida como na descida. Subi umas 18:30 pra pegar o final da tarde, o por do sol e depois a cidade já iluminada. Desci as 21 horas e acho q essa é a melhor opção pra aproveitar seu dinheiro gasto vendo a cidade de dia, escurecendo e de noite.




       
    • Por Daniela Alvarez
      Estivemos em Valparaíso em setembro de 2018, em uma viagem pelo Chile, que também contemplava as cidades de Santiago e San Pedro do Atacama, com seu espetacular deserto. Tudo isso relatado em posts descritivos de cada cidade.
      Nos hospedamos na parte baixa da cidade. Ficamos 2 noites no hostel Casa Plan, um charmosíssimo prédio que funciona como hostel, café, galeria de arte e espaço cultural. Excelentes quartos, banheiros e áreas comuns. Tudo bonito, espaçoso e muito confortável. E ainda tem a simpatia e atenção do Gabriel, idealizador desse lugar múltiplo. Teríamos ficado uma noite a mais. Saímos com a sensação de não termos conhecido tudo.
      Valparaíso é uma cidade que requer tempo. É pequenina, mas tão adorável e que desperta tantos sorrisos, que te deixa pensando por que os amigos recomendam ir, mas ninguém fala que você vai embora com muita vontade de ficar.
      Na rua vende-se de tudo: fruta, comida pronta, papel higiênico, cigarro, remédio fora da caixa, desinfetante, roupa, tudo. Pessoas dançando no meio da calçada, de alegria ou embriaguez, também chamaram nossos olhares, em meio àquela oferta de tudo e qualquer coisa, que não tem como não nos vidrar.
      E antes de conhecermos a cidade, conhecemos os cachorros. Já tínhamos reparado que os cães de rua em Santiago eram bem cuidados, mas em Valpo, como eles a chamam, os cachorros são parte não só da cidade, como da vida das pessoas, que espalham potes de água e até casinhas por todos os cantos. Eles caminham pela cidade como pessoas e dormem no sol da praça como idosos aposentados.
      A cidade baixa é conectada à cidade alta por funiculares, que levam a diferentes paisagens dos inúmeros miradouros que nos permitem não só admirar a vista, mas também entender a construção da primeira cidade portuária do Chile e fuga de muitos presos políticos durante a ditadura de Pinochet.
      A parte alta é dividida em cerros, que são como bairros. Cerro Alegre e Cerro Concepcion são os mais charmosos. São repletos de casas coloridas de zinco e de casarões transformados em hotéis, lojinhas e restaurantes, grafite e arte por todo lado. Lemos em algum lugar que Valparaíso é uma mistura de Santa Teresa, Bairro Alto, Olinda e Caminito. É mesmo. Mas é muito além.
       

       

       

       

       

       
       
      Cerro Cárcel
      Um pouco fora do circuito turístico de Valparaíso fica o Cerro Cárcel, local onde funcionava uma prisão de tortura para presos políticos e que, mantendo-se toda a estrutura para que detalhes da história do país jamais fossem esquecidos, ignorados e tampouco modificados, foi transformado em parque e centro cultural. As salas são exatamente do tamanho das celas, com suas micro janelas no alto com barras de ferro, lembrando a todo tempo onde estamos. Fotografias de mulheres presas se espalham pelas paredes, com seus nomes e um sensível relato das roupas que vestiam e do local em que estavam no exato instante em que foram capturadas.
      Uma homenagem forte a um jovem militante assassinado ali, com um testemunho duro e detalhado de um amigo que assistiu à crueldade sem nada poder fazer. Gonzalo Muñoz Aravena.
      O coração doeu ao lermos e, de certa forma, revivermos toda aquela história entre aquelas mesmas paredes, onde quanto à energia que ali paira não há arte que acalente.

       

       

       

       
      O edifício faz parte do Parque Cultural de Val Paraíso, que é ao mesmo tempo centro cultural e parque aberto para a  comunidade.
      O parque abre de quarta a domingo, das 10h às 18h no inverno e das 10h às 21h, no verão.
      Endereço: Calle Cárcel, 471
       

       

       

       

       
      O que faltou fazer?
      - Não visitamos a La Sebastiana, casa museu do Neruda em Valpo. Ela fica mais distante, em um cerro mais alto. Nos arrependemos imenso, mas não tivemos tempo.
      - Walking Tour para saber mais da história da cidade. 
       
      Dicas
      - Tours 4 Tips - caminhadas guiadas de cerca de 3 horas em que você paga o quanto quiser para o guia. 
      - Pan de Magia - uma pequena casinha  roxa e amarela na cidade alta que serve empanadas deliciosas e baratas. Fica na Calle Almirante Montt, 738. 
       
      https://www.instagram.com/trip_se_/
       

    • Por Daniela Alvarez
      O horizonte chileno, com suas montanhas nevadas em todo o redor que fazem da cidade um vale, é tão balsâmico quanto o mar. É um cenário um tanto inacreditável, ver-se numa metrópole enquanto os olhos alcançam picos cobertos de neve em meio ao sol.
      Fizemos essa viagem em setembro de 2018. Começamos em Santiago, visitamos Valparaíso e seguimos para o San Pedro do Atacama (farei os posts das cidades separadamente).
      Ficamos 3 dias na capital e foi suficiente. Nos hospedamos em Providência, bairro cheio de bares e restaurantes, com uma vida noturna bem ativa e de fácil acesso para todo lugar. Ali também fica o shopping Pátio Bellavista, um shopping aberto, pequeno e charmosinho.

       

       
      Cerro San Cristóbal
      Santiago pede a ida a um lugar alto para entender a cidade-vale. Das duas opções que a cidade oferece, uma é algo super urbanóide, chamado Sky Costanera, uma espécie de Empire State chileno, o prédio mais alto da América Latina. A outra é um teleférico em meio a natureza que leva até o Cerro San Cristóbal. É claro que escolhemos a que o homem portou-se de maneira um pouco menos troglodita com o mundo.
      O Cerro San Cristóbal, lá no topo da cidade, poderia ter menos pessoas, mas a vista vale o passeio. Nos impressionou ver uma camada de névoa ao longe e saber que é poluição. É triste e sem nexo ver o homem construir locais e acessos a pontos altos numa tentativa de apreciar o horizonte e seguir produzindo carros e ônibus e fábricas para tornar todo esse trabalho vão.
      Subimos de teleférico e descemos de funicular. Há a opção de subir e descer a pé, para quem curte uma escalada.
      Endereço: Pio Nono, 450 - Bellavista
      Site: http://www.parquemet.cl
      Horário de funcionamento
      Funicular: de segunda a terça, das 14h30 às 19h30; quarta a sexta das 12h30 às 19h30; sábado e domingo, das 10h30 às 19h30.
      Teleférico: de segunda a terça, das 14h30 às 19h30; quarta a sexta, das 12h30 às 19h30; sábado e domingo das 10h30 às 19h30.

       

       
      Lastarria
      Lastarria é o bairro charmoso da cidade. Ruazinhas pequenas, cafés, restaurantes, o Centro Cultural Gabriela Mistral - primeira poeta chilena a receber um Prêmio Nobel e alguém de quem os chilenos sentem imenso orgulho. Vale uma visita para ver o que está rolando na programação ou para tomar um café e um solzinho no pátio interno. 
      Ali perto também tem sorvetes maravilhosos. A paleta de pistache é de outro mundo. Você encontra no Empório La Rosa, que fica nas esquina da Calle Merced com o Parque Forestal, outro lugar imperdível para caminhar, brisar ou fazer um picnic. 
      Emporio La Rosa - Calle Merced, 291

       

       
      La Chascona
      La Chascona é o xodó de Santiago, e não poderia não ser. A casa que Pablo Neruda construiu para encontrar-se com Matilde, por um período sua amante e depois sua mulher até a morte, é toda pensada para ser parte da natureza que a rodeia, fazendo do lugar uma espécie de ninho de amor.
      Chascona significa descabelada, e era assim que ele chamava sua Matilde. A casa é quase um clichê do romantismo poético, com as iniciais M e P espalhadas nas janelas de ferro de todos os cômodos. O amor chega a ser palpável ali.
      Colecionadores de arte e grandes amantes dos encontros, Pablo e Matilde moldaram uma casa que permitia a delicadeza de receber diferentes amigos em ambientes destintos e em todos eles, muitas referências ao mar. 
      A casa foi brutalmente invadida e inundada no golpe militar que levou Pinochet ao poder e Salvador Allende ao suicídio - o que entendo ser a morte acelerada de Neruda, que sofria de um câncer há anos e, ao saber da cruel invasão, foi para o hospital e morreu dias depois, de tristeza e desgosto.
      Matilde, que foi uma mulher forte e importante e figura essencial nas causas de direitos humanos, lutando com Neruda contra a ditadura chilena, fez questão de velar o marido ali, no meio daquele vandalismo descomunal. Transformou as 3 casas de Neruda em uma fundação, abrindo-as ao público e levando o poeta para perto das pessoas.
      Os dois estão enterrados juntos numa delas, Isla Negra, de frente para o mar.
      Endereço
      Fernando Márquez de la Plata 0192, Barrio Bellavista, Providencia, Santiago.
      Fone: +56-2-2777 87 41 / +56-2-2737 87 12
      Site: [email protected]
      Horário de Funcionamento
      • Março a dezembro: terça a domingo de 10:00 a 18:00 hrs.
      • Janeiro e fevereiro: terça a domingo de 10:00 a 19:00 hrs.
      • Segunda - fechado.
      Valores
      • Entrada geral: $7.000 (Siete mil pesos) por pessoa.
      • Entrada preferencial: $2.500 para estudantes e chilenos maiores de 60 anos.
      *Os estudantes estrangeiros devem apresentar a Credencial Estudantil Internacional
       

       

       

       

       

       

       
       
      O que não recomendamos:
      - A ida ao mercado municipal para comer o famoso King Crab é uma furada. O lugar é super turístico, meio sujo e a iguaria é fortunosa, quase 500 reais o prato e convenhamos, apesar de imenso, é um caranguejo. 
      - Sky Costanera, o prédio mais alto da América do Sul. Uma torre imensa e espelhada, plantada no meio da cidade, totalmente comercial e com a vista de toda a metrópole. Não subimos. Nosso estilo de viagem não é tão urbano assim. 
      ***
       
       
      https://www.instagram.com/trip_se_/
       
       
       
       
    • Por mspriscila
      INFORMAÇÕES GERAIS (2013)
      Visto: dispensa de visto por até 90 dias
      Passaporte:  deve ser válido no momento de entrada; permitida entrada com RG
      Vacinas: não há exigências
      Quando ir: funciona bem para visitar todo o ano, se a sua preferência for neve (jun-set), calor (dez-mar) ou temperaturas mais amenas (mar-jun e set-dez)
      Capital: Santiago
      Moeda: PESO CHILENO ou CLP ($)
      Idioma oficiaal: castelhano
      Cod. telefone: +56
      Padrão bivolt: 220V
      Tomadas: C, L
        Santiago é um país que encanta e o que mais me chamou a atenção foi a poesia de Pablo Neruda, inscrita na história do país. Por isso, não deixe de conhecer todas as casas localizadas em Santiago, Valparaíso e Isla Negra.
        SANTIAGO   Cerro San Cristóbal (ou Parque Metropolitano de Santiago)
      Endereço: Calle Pio Nono, 450, Bellavista
      Horário: seg, das 13-20h; ter a dom (e feriados), das 10-20h
      Preço: ida e volta 1.800 (R$ 6,20) pesos chilenos para adultos
        Casa Museo La Chascona (a primeira casa de Pablo Neruda)
      Endereço: Fernando Márquez de la Plata 192, Bellavista
      Horário: ter-dom, das 10-19h
      Entrada: 2.500 pesos para visitas guiadas em espanhol (cerca de R$ 8,50)
      Metrô: Baquedano Parada Turistik: Parque Metropolitano
        Mercado Central
      Endereço: San Pablo, 967, Centro
      Horário: Diariamente, das 8 às 19h
      Metrô: Puente Cal y Canto, linha 2-amarela. Parada Turistik
      Restaurante Donde Augusto (um dos mais recomendados) Plaza de Armas
      Endereço: entre as Ruas Catedral e Compañia de Jesus
        Catedral Metropolitana
      Endereço: Plaza de Armas de 9-19hs
      Entrada gratuita
        Museu Histórico Nacional
      Endereço: Plaza de Armas, 951, Região Metropolitana
      Aberto de ter-dom das 10-17h30
        Museu de Arte Precolombino
      Endereço: Bandera 361, Região Metropolitana
      Entrada: 3 mil pesos (R$ 10,40)
      Horário: ter-dom, das 10-18h
        Palacio de La Moneda
      Endereço: Moneda S/N, Región Metropolitana
      Horário: visitas guiadas de seg-sex às 9:30h, 11h, 15h e 16:30h.
      Obs.: às 10h há troca de guardas.
        Museo de Bellas Artes
      Endereço: Paque Forestal S/N, Santiago, Región Metropolitana
      Horário: ter-dom de 10-18:45h
        Cerro Santa Lucia
      Endereço: Avenida Bernardo O’Higgins 499, Barrio Lastarria
      Horário: Diariamente, das 9-19h; entrada gratuita
        Centro Cultural Gabriela Mistral
      Endereço: Av Libertador Bernardo O'Higgins 227, Barrio Lastarria
      Salas de exposição abertas de ter-sab das 10-20h; dom das 11-20h
        Calle Lastarria – restaurante para jantar em alguma noite da sua estada. De qui-sab há uma feirinha de antiguidades das 10-20h.
        Templo Bahai de Sudamerica
      Endereço: Diagonal Las Torres, 2000, Peñalolen
      Horário: ter-sex de 17-21h; sab-dom de 9-19h; não abre às segundas
        Vinícola Concha Y toro
      Endereço: Avenida Virginia Subercaseaux, 210, Pirque
      Entrada: 7 mil pesos chilenos (cerca de U$ 37 com degustação). É necessário fazer a reserva da visita no site
      Horário: Diariamente (exceto feriados), das 10-17h
      Transporte: por conta própria, vá de metrô (linha 4-azul) até a estação Las Mercedes; lá tome o ônibus MB 72 ou um táxi (10 minutos). De transporte público, 1h30min desde o centro.
        ISLA NEGRA
      Depois de alugarmos o carro para seguir para Valparaíso e Viña del Mar, optamos por parar em Isla negra, onde está localizada a casa de praia de Pablo Neruda, assim chamada por conta de suas rochas escuras. Sem dúvida alguma, foi um dos pontos altos da viagem. A poesia está impressa em cada manifestação da vida dessa poeta e as casas exalam esse atmosfera. Isla Negra, sem sobra de dúvida, é a mais bonita de todas.
      As estradas são boas, mas a sinalização não o é. Isla Negra está localizada na comuna de El Quisco, a cerca de 114km de Santiago pela rota 68 (1h33 de carro).
          VALPARAÍSO
        A distância entre Valparaíso e Viña Del Mar é cerca de 20 minutos de carro. Por isso, se você não deseja se deslocar entre as duas cidades, no que diz respeito à hospedagem, escolha Valparaíso (que é a primeira delas) como sua base.
        Free Tour Valparaiso
      Endereço: ponto de encontro Plaza Anibal Pinto
      Horário: seg-dom de 10-15h (inglês, espanhol e português)
      Obs.: Somente buscar aos guias com camisas vermelhas com as palavras FREE TOUR
        Ascensor Artilleria
      Endereço: Artillería 199
        Paseo 21 de Mayo
        Museo Naval y Maritimo
      Endereço: Paseo 21 de Mayo Nº 45 - Cerro Artillería - Playa Ancha
      Horário: ter-dom das 10-17
      Obs.: aqui se encontra a cápsula usada para resgatar os mineiros soterrados em 2010.
        Plaza Sotomayor
      Endereço: Prat, Valparaíso
        Museu La Sebastiana (casa de Pablo Neruda)
      Endereço: Ferrari, 692, Cerro Florida
      Horário: ter-dom das 10h30-18h50; 3 mil pesos (R$ 10,40)
      Tem que fazer reserva: http://www.fundacionneruda.org/es/web/reservas.html?view=reserva&casa=3
        Muelle Baron
      Endereço: Av. España
        VIÑA DEL MAR
        Relógio de Flores
      próximo à Playa Caleta Abarca, bem no final da Av. España
        Castelo Wullf
      Endereço: Av. Marina, 37, Vina Del Mar, aos pés do Cerro Castillo
      Aberto de ter-dom das 10-13h30 e das 15-17h30
        Praya Miramar
      Almoçar no Divino Pecado – San Martín 180, Viña del Mar
        Museo Fonck
      Endereço: 4 Norte, 784, Viña del Mar
      Aberto de seg-sab das 10-18h e nos dom de 10h-14h
        Praya Renãca
      7 km ao norte de Viña
        Parque Quinta Vergara
      Endereço: Av. Errázuriz 596
        Casino Viña Del Mar (entrada R$ 15,20; 24hs)
      Av. San Martín, 199, Valparaíso
        Jardim Botanic
      Endereço: Caminho El Olivar s/n El salto
       
      ROTEIRO DIA A DIA
      DIA 01
      Chegada e descanso
        Dia 02
      Passeio pago – Cajon del Maipo
        Dia 03
      Palacio de La Moneda, Plaza das Armas, Catedral Metropolitana de Santiago, o Museu Histórico Nacional, Museu de Arte Precolombino, o Edifício dos Correios, Paseo Ahumada
        Dia 04
      Cerro San Cristóbal (ou Parque Metropolitano de Santiago), Casa Museo La Chascona (a primeira casa de Pablo Neruda), mercado central (Don Augusto), Museo de Bellas Artes, Sky Costanera (por do sol)
        Dia 05
      Cerro Santa Lucia, Centro Cultural Gabriela Mistral, Templo Bahai de Sudamerica
        Dia 06
      Vinicola De Concha y Toro
        Dia 07
      Aluguel de carro e Isla Negra; a noite chegada em Val Paraiso
        Dia 08
      Tour gratuito por Val Paraiso, Casa La Sebastiana, Museu Naval e Maritimo e fim de tarde no Muelle Baron
        Dia 09
      Tour por Viña del Mar
        Dia 10
      Dia livre
        Dia 11
      Retorno ao Brasil
       
      Publicado em: https://mspriscila1.wixsite.com/meusite/blog/roteiro-chile-2013-11-dias


×
×
  • Criar Novo...