Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

É possível viver mochileiro?


Posts Recomendados

  • Membros

À você que quer viajar sem retornar ao lar.

Se tiver algum imóvel, pode alugá-lo. Deixe a administração na responsabilidade de uma Imobiliária, e tenha uma conta bancária para que o pagamento do aluguel seja depositado em sua conta mensalmente.

Se for um comerciante, pode arrendar o seu comércio, deixando a administração na responsabilidade de uma Imobiliária.

Dá para sacar o dinheiro em qualquer lugar do Brasil, e mesmo no exterior.

 

Para quem não tem imóvel ou não é comerciante, se puder, construa um galpão (ainda que lentamente) e o alugue. Um galpão se aluga por no mínimo R$ 3.000.00 em São Paulo-SP.

Investir a economia em imóvel para locar é garantia de uma aposentadoria confortável. Então se poderá viajar para onde for possível.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Respostas 429
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

Cara Se conselho fosse bom...a gente não dava..vendia...heheeh! Quando eu era mais jovem, cheguei a cogitar algo do tipo, mas nunca tive coragem... Não me arrependo do rumo que tomei, e não tem com

Sabe o que eu acho estranho? Pessoas totalmente diferentes e desconhecidas terem ideais parecidos... Há pouco tempo achava que só eu era a "louca", desisti por muito tempo dos meus sonhos por medo do

Dá sim.    Vou te contar um pouquinho sobre a minha historia.   Trabalhava como professora no Brasil, 12h por dia, sem contar os finais de semana e feriado prolongado. Ganhava um b

Posted Images

  • Colaboradores

Eu no inicio fiquei meio cético com a idéia de ser possivel viver bem com 70, 100 reais por mês..

Ai eu li essa matéria: http://www.hypeness.com.br/2013/02/conheca-a-familia-alema-que-vive-praticamente-sem-usar-dinheiro/

 

E pesquisei, e vi que mais gente esta adotando esse estilo de vida, e apesar de ser um choque, a grande verdade é que o atual sistema que a gente vive (o monetário) um dia vai cair, e a tendencia é que outros sistemas apareçam, não duvido que o escambo seja uma dessas formas.

 

sendo assim, eu mudei um pouco minha opinião, acho que é possivel sim viver mochileiro, e com cerca de 100 reais por mês.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 mês depois...
  • Membros

Li muito das 25 páginas, e faço a mesma pergunta de um colega ai em cima: cadê o autor?

 

Alias... Vi MUITOS que deram UMA opinião, e nunca mais voltaram para compartilhar as experiências de (não) ir, ou que simplesmente acharam LINDO ler esses ideais e... ficar por isso mesmo! ::essa::

 

[Momento M.A. mode on]: ::xiu::

 

Hoje tenho 37 para 38 anos, tentei terminar CINCO (isso mesmo, cinco!) faculdades diferentes, trabalho com TI, estou quase abrindo a 3a carteira de trabalho (ja preenchi quase duas), ou seja, não duro muito nos empregos... No passado ganhava bem e aproveitei pra viajar (meus 20 e pouco anos) mas ia de carro...

 

Era batata: qualquer feriadinho, ou até mesmo fim de semana me enfiava no meu Uninho e percorria o Brasil (afinal, ganhava 10 sal minimos, e como usava o carro para trabalho ganhava KM). Bons tempos de alcool a 0,299, e minha Km era 0,30/km rodado... Viajava só com a grana da KM...

 

Com isso conheci muitos lugares do Brasil que amei, tive umas frias que me meti mas quem nunca...?

 

Mas o tempo passa e as coiasa ficam mais dificeis... Empresas faliram, troquei de emprego, projetos perdidos, demissões em massa, volta de inflação, achatamento de salários...

 

A verdade é que vamos nos acomodando a um estilo de vida. Não vou julgar quem quer ter estabilidade, que nos moldes brasileiros, significa casa própria, um carro e um emprego fixo com pelo menos 10 salários mínimos...

 

Mas, na minha opinião, essa 'estabilidade' não existe: depois de gastar um caminhão de grana na casa e escritura, deixe de pagar IPTU para ver se o governo não toma... Ou seu carro, ´pago em 200 suaves prestações com juros vergonhosos, onde você compra um, paga trÊs e depois não vale meio... Não licencie e não pague ipva, nem eventuais multas, e o carro é seu ou do governo? Ou que belo emprego, mas a economia vai mal e a empresa resove fazer uma "reestruturação" e vai mil pra rua... Ah, e quem era correntista do Banco Econômico, ou do Cruzeiro do Sul? Ou outro banco qualquer que faliu e seu dindin bau bau? Ou quem viveu em 1990, Collor e o confisco da poupança? Ou quem comprou apto da Encol e deu adeus a grana?...

 

A vida é imprevisível. E muito! ::hein:

 

Hoje eu não tenho nada além de 2 carros VELHOS ( e ouço tanta merda por causa disso, para os outros (e minha familia mesmo) sou um fracassado pois não tenho uma bíblia para pagar... ) e poucos eletrodomésticos que comprei ha 2 anos quando morava no RJ (hoje estou no interior de SP). Alias, por causa de chantagens emocionais familiares que abandonei o RJ e vim para perto dos meus pais (deixei a namorada no RJ ::kiss:: ).

 

Na boa, quase sempre bate o arrependimento, pois no RJ estava cursando faculdade e tava me virando sem apoio familiar (minha família sempre foi contra meu namoro e minha ida pro rio, SEMPRE torcida contra).

 

Minha familia mudou muito de casa, mudou muito de cidade, e quando estava pra "criar raizes" vinha uma mudança. Eu nunca (pelo menos em minhas lembranças) tive um lugar que me emocionou, que posso falar "ESSA É MINHA CASA", em que eu posso para, voltar e ver e chorar de alegria... Não, definitivamente não!

 

Tenho algo dentro de mim que me incomoda, e desde 1982 (quando cheguei nessa cidade, exceto pelos poucos anos que vivi fora dela) tenho a certeza que aqui NÃO É meu lugar (pois nunca tive sucesso aqui, e quandofui para o RJ tive mais sucesso em 2 anos que em 20 aqui).

 

Mas, afinal o que me prende aqui?

 

Os laços familiares e emocionais, apenas isso! Afinal, não tenho casa própria, nem emprego fixo, nem nada da tal "estabilidade" e do "tal" porto seguro.

 

Semana passada perdi meu emprego, com apenas três meses, numa multinacional americana (por atritos com a chefia, que era nova na empresa e não sabia NADA sobre o negócio, trocando os pés pelas mãos...). Queria passar o Carnaval perto da namorada, mas não foi bem aceita a idéia por ela (por problemas familiares da parte dela). Então, do nada, veio na cabeça uma antiga idéia que eu tava planejando ha anos: mochilão por PY, AR, UR

 

Sair daqui, ir pra Foz, Assunción, BsAs e Montevidéu, voltando via terrestre por Porto Alegre.

 

Mas como ano passado fui e Foz e dei uma volta no PY e em Puerto Yguazu (AR), perdi o "tesão" de ir até assunción.

 

Época de Carnaval e achar passagens baratas? Piada!

 

Consegui a principio ir pra Porto Alegre pela Azul (saindo de Campinas) por 169 ida e 169 volta, planejando ir via terrestre até Punta Del Este, e ir passear até Bs As e voltar... Isso saria por cerca de 750 (montevideo x PoA e avião ida e volta).

 

Mas fuçando um pouco consegui passagem SP-BsAs direto pela Aerolineas 420 reais + tx (total 695), ou seja, 2 hs de voo to na Argentina.

 

Estou lendo (alias, devorando) o Mochileiros.com, com dicas e mais dicas, até parar aqui nesse tópico

 

Será que não é essa minha praia perdida?

 

Então decidi fazer o mochilão Hard core: só as passagens compadas, nada de hotel e nada demais. Só uns poucos dolares e a mochila na costas...

 

Vou colocar em prática todas as dicas aqui apresentadas para poder fazer render o meu dindin e visitar o maior numero de lugares possiveis (NÃO curto baladas, curto História)

 

Quem sabe não é O embrião para minha vida mochileira? :?::?::?::?:::hahaha::

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Me impressionou a IDADE do Eduardo Marinho (o cara do 1. vídeo)- 50 anos??? Nem parece com 35...

 

É pra se pensar, e concordo demais com o exposto nos dois vídeos

 

Amanhã cedo vou pra BsAs, com essa filosofia em mente, só a passagem, sem mais nada planejado...

::Cold::

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

DuKralho. Eu a muito vinha lendo as atualizações dessa área do fórum e via que não era o único com umas idéias adversar da maioria.

Eu acho que a maioria (senão todos) que vivem com essa ideia enraizada na cabeça de que o mundo não como dizem que é são sofredores.

Porque realmente abraçar esse desejo é caro e não digo de dinheiro.

É ir contra uma sociedade deturpada, muitas vezes contra a família, é lutar na tentativa de abrir os olhos da mente das pessoas (ou viver sozinho), paga-se caro pra ser feliz e não deveria ser assim. Difícil deveria ser viver uma vida errada, difícil deveria ser querer o mal, porque tornar a real felicidade algo tão dificultoso é fora de compreensão, ou realmente é só pra quem merece :)

Videos show.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Muito mais sofrível é não realizar o desejo e sonho impulsivo da própria personalidade: abrir as asas do espírito e voar para a liberdade infinita.

Todos trazemos em nosso cromossomo a natureza primitiva do homem nômade, como herança mnemônica (memória) hereditária de nossos ancestrais. Este "espírito" ainda vive dentro de nós; e quer se libertar. Por isso tanta inquietação em nosso ego; a vontade de fugir e pular a cerca do "lugar comum" que nos aprisiona em uma vida cotidiana, que nos obriga a viver uma realidade semelhante à de um "buraco negro" do universo cósmico, onde os eventos se repetem imutáveis em ciclos periódicos eternos.

Brada e urge o espírito errante que tem conduzido o homem através dos continentes sobre a Terra, ao longo dos milênios, desde quando deixou a África, o berço de toda espécie de vida no planeta.

Os nossos olhos apontam para o horizonte desde sempre; nossos pés tendem a caminhar nessa direção. É natural, instintivo. Resistir à esse impulso nos adoece o corpo e a alma. A depressão é só um dos sintomas de causa dessa prisão.

 

Desde que o homem deixou de ser nômade e tomou posse de terra e criou fronteira em torno de si, em verdade, consciente ou não, erigiu o muro circular de sua própria prisão. Criou uma fortaleza com muralha e grande portão para barrar-se a si mesmo. Fez disso um cativeiro "semi aberto" para sair e retornar. O seu "lugar comum" compartilhado.

 

Já repararam que quando chega o feriado e as férias que todos ficam ansiosos para sair/fugir/viajar para lugares distantes? Isto é a manifestação instintiva de libertação desse "espírito nômade" que se alberga no interior de nosso supra-ego.

 

Não matemos a nós mesmos sufocando o àmago do nosso id (id: o eu superior, mais profundo e íntimo). Soltemo-nos das prisões, este homem errante que não pode viver cativo. Pois que a privação da livre mobilidade se converte em eutanásia ao espírito humano.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

É possível viver mochileiro? Sim, é!

 

Para qualquer um? NÃO!!

 

Nessa ultima viagem pela Am do Sul, fui testar o espirito mochileiro, e realmente não me dei bem com isso, pois percebi que eu gosto de conforto que o dinheiro proporciona, completamente avesso a cultura mochileira...

 

Isso não é necessariamente ruim, são apenas estilos diferentes.

 

Renunciar ao mundo e por o pé na estrada é para poucos...

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...