Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Membros

Fala Mochileirxs, beleza? Podem me ajudar com meu roteiro?

Estou planejando uma viagem na América do Sul, entre os dias 04 e 21 de abril (inclusive). Será a minha primeira vez no país. A princípio eu faria Peru-Bolívia (Cusco, Copacabana, Isla del Sol, La Paz e Uyuni), mas pelo tempo disponível eu não poderia nem tentar o Huayna Potosí, então achei melhor conhecer a Bolívia junto com o Atacama num segundo momento.

Sou montanhista e sempre busco aventuras nos lugares que viajo, mas também não dispenso o conhecimento histórico e cultural local. Considerando tudo isso, elaborei o roteiro por Cusco, Arequipa, Lima e estou pensando em apertar para conhecer Ica (OBS: não estou pensando em ir a Huaráz dessa vez, pois pretendo fazer circuitos/escaladas demorados em outra ocasião).

04/04 - Chego Cusco 12h/Caminhar pela cidade para aclimatar e fechar tours.

05/04 - Rainbow Mountains

06/04 - Valle Sagrado

07-11/04 - Salkantay Trek

12/04 - City tour/Museus/Feira de Artesanato e Qoricancha

13/04 - Indefinido/Rodoviária 20h (ida a Arequipa)

14/04 - Chegada Arequipa 07h/Citytour

15-16/04 - Valle del Colca Trek/Ida a Ica (tempo suficiente?)

17/04 - Indefinido - Ica ou continuar Arequipa?

18/04 - Indefinido/Ida a Lima

19/04 - Chegada Lima 06h/Centro histórico/Museu Larco

20/04 - San Isidro/Miraflores

21/04 -  Museu de Arte de Lima/Barranco (feira após 12h)/Aeroporto 19:00h (vôo de volta 21:40h)

 

Por ora o meu roteiro é esse. Poderiam me ajudar com alguns?

- Quantos dias são realmente necessários para conhecer Arequipa/Valle del Colca?

- Acham que consigo embargar para Ica no mesmo dia de retorno do Valle del Colca Trek? Se sim, vale passar dois dias por lá?

- Sugerem algum local que não foi mencionado acima? Estou aberto a substituições e preciso preencher os lugares "indefinidos".

 

Gratidão a toda ajuda/sugestão. Depois da viagem compartilharei minha planilha de gastos detalhada por aqui.

Grande abraço.

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Eu mudaria um pouco no Peru. No passeio da Rainbow mountain você chega a 5100 metros. É o de maior altitude de sua lista.  Sem aclimatação boa, você pode sofrer um bocado. Seria melhor deixar mais para frente, quando estiver melhor aclimatado. Eu faria o city tour no  dia 05, que é fácil e ajuda na aclimatação, e deixaria o rainbow mountain para o dia 12.Mas tem um porém nisto. Você deve chegar de salkantay lá pela 06 ou 07 da noite. No passeio da rainbow mountain, eles passam para te pegar bem cedo, lá pelas 3 ou 4 horas da manhã. O ideal seria colocar um dia entre os dois passeios, como por exemplo o vale sagrado.

Mas, se você tem certeza que não terá problemas com o mal de altitude...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
2 horas atrás, schitini disse:

Eu mudaria um pouco no Peru. No passeio da Rainbow mountain você chega a 5100 metros. É o de maior altitude de sua lista.  Sem aclimatação boa, você pode sofrer um bocado. Seria melhor deixar mais para frente, quando estiver melhor aclimatado. Eu faria o city tour no  dia 05, que é fácil e ajuda na aclimatação, e deixaria o rainbow mountain para o dia 12.Mas tem um porém nisto. Você deve chegar de salkantay lá pela 06 ou 07 da noite. No passeio da rainbow mountain, eles passam para te pegar bem cedo, lá pelas 3 ou 4 horas da manhã. O ideal seria colocar um dia entre os dois passeios, como por exemplo o vale sagrado.

Mas, se você tem certeza que não terá problemas com o mal de altitude...

Muito obrigado pelo esclarecimento.

Em verdade pensei na Rainbow Mountain como aclimatação para a Salkantay, pois apesar da altitude mais levada serão apenas 8km de trajeto, enquanto a Salk tem entre 14 e 22km/dia.

De todo modo, saberia informar quais os horários de saída/chegada do Rainbow Mountain no hostel? Pensei agora em mudar ou para o dia 06 (imediatamente anterior ao início da Salk) ou para o dia 13 (mas precisarei ir à rodoviária no mesmo dia pela noite).

Abraços e obrigado mais uma vez.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Realmente o percurso não é longo, mas quando eu cheguei na altitude pela primeira vez, qualquer esforço mais pesado estava me deixando sem folego. Levei 3 dias para estar totalmente normal. Eu fiz Rainbow Mountain em 2017. Eles disseram que passariam no hotel por volta das 3 da manhã, mas passaram por volta das 4 (e eu fui um dos primeiros a ser pego) o que causou um problema maior. São aproximadamente 3 horas de ônibus até o início da trilha, com 02  paradas ligeiras no meio do caminho.. Era para começarmos a subida às 07, mas só começamos 08.30, e o guia ficou apressando o pessoal (naquela altitude tendo que andar depressa é f...), No máximo 13 horas as excursões começam a descer de lá, e as  14.00 já está todo mundo dentro do ônibus para ir almoçar. Chegamos em Cusco por volta das 18.30 ou 19 naquele dia.

A vantagem em relação à trilha é que, se você quiser, pode alugar uns burrinhos para te carregar até lá em cima. É mais ou menos 50 pesos. a dica é, se for essa a intenção, começa caminhando e aluga no meio do caminho, pois os donos dos burros que não arrumaram passageiro vão seguindo a trilha oferecendo os burrinhos por um preço menor.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Em relação à reserva para Salkantay e Machu Picchu + Huayna Picchu, mudou um pouco desde que eu fui, junho de 2017 (as mudanças começaram a valer em julho). Salkantay é mais tranquilo você reservar em Cusco, e até Macchu Picchu também é tranquilo reservar lá, mas apenas 100 pessoas sobem as montanhas por dia, se não me engano, então você pode não conseguir vaga nem na Huayna Picchu (eu subi esta, e vale muito a pena, apesar de ser puxado) nem na montanha Macchu Picchu. Mas, reservando pela internet você paga bem mais caro (mais do que o dobro, na verdade).

 

Uma dica em relação à vale sagrado: eu fui pela empresa orellana tour, que fez na época por 80 pesos por pessoa (a própria empresa contrata e faz os passeios, o que faz sair preço melhor), incluindo o almoço (esta é a dica: na compra do pacote, tenha certeza de o almoço está incluído, pois almoçar lá nos lugares onde as excursões deixam as pessoas fica caro. Na época que eu fui o restaurante que nós paramos cobrava dólares por pessoa para quem não tinha o almoço incluído).

 
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
3 horas atrás, schitini disse:

Realmente o percurso não é longo, mas quando eu cheguei na altitude pela primeira vez, qualquer esforço mais pesado estava me deixando sem folego. Levei 3 dias para estar totalmente normal. Eu fiz Rainbow Mountain em 2017. Eles disseram que passariam no hotel por volta das 3 da manhã, mas passaram por volta das 4 (e eu fui um dos primeiros a ser pego) o que causou um problema maior. São aproximadamente 3 horas de ônibus até o início da trilha, com 02  paradas ligeiras no meio do caminho.. Era para começarmos a subida às 07, mas só começamos 08.30, e o guia ficou apressando o pessoal (naquela altitude tendo que andar depressa é f...), No máximo 13 horas as excursões começam a descer de lá, e as  14.00 já está todo mundo dentro do ônibus para ir almoçar. Chegamos em Cusco por volta das 18.30 ou 19 naquele dia.

A vantagem em relação à trilha é que, se você quiser, pode alugar uns burrinhos para te carregar até lá em cima. É mais ou menos 50 pesos. a dica é, se for essa a intenção, começa caminhando e aluga no meio do caminho, pois os donos dos burros que não arrumaram passageiro vão seguindo a trilha oferecendo os burrinhos por um preço menor.

Pelo horário de retorno não poderei ir no dia de saída de Cusco, deixarei por conta e risco da minha fisiologia e dos chás para aclimatar. Se não rolar ainda assim, contratarei um companheiro de trilha de quatro patas para me auxiliar hehe Não quero perder a chance conhecer o lugar dessa vez e qualquer outro dia vai complicar um pouco.

 

3 horas atrás, schitini disse:

Em relação à reserva para Salkantay e Machu Picchu + Huayna Picchu, mudou um pouco desde que eu fui, junho de 2017 (as mudanças começaram a valer em julho). Salkantay é mais tranquilo você reservar em Cusco, e até Macchu Picchu também é tranquilo reservar lá, mas apenas 100 pessoas sobem as montanhas por dia, se não me engano, então você pode não conseguir vaga nem na Huayna Picchu (eu subi esta, e vale muito a pena, apesar de ser puxado) nem na montanha Macchu Picchu. Mas, reservando pela internet você paga bem mais caro (mais do que o dobro, na verdade).

 

Uma dica em relação à vale sagrado: eu fui pela empresa orellana tour, que fez na época por 80 pesos por pessoa (a própria empresa contrata e faz os passeios, o que faz sair preço melhor), incluindo o almoço (esta é a dica: na compra do pacote, tenha certeza de o almoço está incluído, pois almoçar lá nos lugares onde as excursões deixam as pessoas fica caro. Na época que eu fui o restaurante que nós paramos cobrava dólares por pessoa para quem não tinha o almoço incluído).

 

Li sobre isso também. Quero ir na Huayna, parece ser bem mais bacana. Andei olhando os pacotes pela internet e estão por volta de U$$400/500.

Mas aí entrei em contato com o hostel que pretendo ficar (Pariwana) e eles me indicaram uma agência que cobrou U$$255 (acho que ainda consigo desconto pela hospedagem). Por acaso lembra quanto pagou lá na época? Esse valor mais baixo tá me convencendo a fechar logo, mas não tenho ideia dos valores fechando em Cusco...

 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Eu não lembro do que eu paguei, mas se vc consegue US$ 225 incluindo Macchu Picchu e Huayna o preço está bom. Para comprar o ingresso de entrada em Macchu Picchu pela internet na página oficial + Huayna dá US$ 75. Tem ainda 01 noite de hotel em águas calientes (se vc for vir por salkantay você deve chegar na hidroelétrica por volta das 14 ou 15 horas, são mais 7 km de caminhada até águas calientes, então vc chega lá por volta das 15-16. Tem que formir em águas calientes e visitar MP nodia seguinte), tem ainda o ônibus de subida e descida de Macchu Picchu, que dá US$ 35, se não me engano (vale a pena, apesar do preço. A subida é bem cansativa). O preço está bom, só tem que ver o que está incluído neste valor.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
4 horas atrás, schitini disse:

Eu não lembro do que eu paguei, mas se vc consegue US$ 225 incluindo Macchu Picchu e Huayna o preço está bom. Para comprar o ingresso de entrada em Macchu Picchu pela internet na página oficial + Huayna dá US$ 75. Tem ainda 01 noite de hotel em águas calientes (se vc for vir por salkantay você deve chegar na hidroelétrica por volta das 14 ou 15 horas, são mais 7 km de caminhada até águas calientes, então vc chega lá por volta das 15-16. Tem que formir em águas calientes e visitar MP nodia seguinte), tem ainda o ônibus de subida e descida de Macchu Picchu, que dá US$ 35, se não me engano (vale a pena, apesar do preço. A subida é bem cansativa). O preço está bom, só tem que ver o que está incluído neste valor.

Pois é, também achei o valor interessante, é da agência Rasgos del Peru. Abaixo, a lista do que está e não está incluso:

EL PROGRAMA INCLUYE:

Briefing y entrega de mapas.

Recojo del hostal en Cusco 04:30 am a 5:00 am.

Transporte privado Cusco – Mollepata –Challacancha

4 Almuerzos, 4 Cenas, 4 Desayunos.

3 noches en campamento

1 noche en hostal básico (habitación compartida)

Cocinero, arrieros, mulas y porteadores (que carga el alimento y equipo de camping).

Equipo de campamento (carpas, matras, equipo de cocina).

Ingreso al sitio arqueológico de  Machupicchu

Servicio de guía profesional bilingüe durante los 5 días.

Botiquín de primeros auxilios.

Opción de alimentación vegetariana sin consto adicional

Tickets de tren de  Aguas Calientes – Ollantaytambo (14:55 pm ,16:22 pm,18:20 pm o  21:50 pm todo depende de la disponibilidad)

Transporte de Estación de Ollanta a Cusco (Plazoleta Regocijo).

EL PROGRAMA NO INCLUYE:

Desayuno el primer día y almuerzo en el último día

Snacks y platos adicionales.

Boletos de bus subida y bajada de Aguas Calientes – Machu Picchu

Ingreso a la Montaña de Machupicchu (preguntar disponibilidad)

Ingreso a la Montaña de Huaynapicchu (preguntar disponibilidad)

Seguro de viaje.

Ingreso al Camino de Salkantay – Costo S/. 10.00

Entrada a las Aguas Termales de Cocalmayo s/10.00 soles

Entrada a las Aguas Termales de Aguas Calientes s/20.00 soles

Zip Line en Santa Teresa

Bolsa de dormir de pluma $17.00 dólares o sintético $15.00 dólares

Agua mineral durante el viaje

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Para ser aquele valor tinha que deixar algumas coisas de fora mesmo, mas o preço não está ruim não. O ingresso de Huaynapicchu as empresas costumam pedir entre US$ 75 a 80, apesar de o custo destes ingressos ser apenas US$ 35 (mas a gente não consegue comprar apenas o ingresso das montanhas. Tem que comprar a entrada a MP junto, pelo que eu vi). Vc tem que verificar a disponibilidade antes se realmente quiser subir, de qualquer maneira (vale a pena subir Huaynapicchu, é muito legal - vc gasta mais ou menos 2 horas entre subida e descida da montanha. Huaynapicchu  fica no fim de MP, então vc pode fazer o tour guiado com  o guia que no fim ele te deixa na entrada da montanha, que só abre às 10, se não mudou nada). A subida e descida de ônibus me falaram que custa US$ 35. Eu subi de ônibus, mas estava incluído no passeio que fiz. É uma subida pesada e acho que vc leva de 30 minutos a 1 hora para chegar lá em cima. Em relação ao ônibus vc tem que ver a hora da entrada de seu ingresso em MP. Pelo que eu vi, agora quando se compra o ingresso vc já tem a hora de entrar e de sair (que faz a montanha tem 8 horas para ficar lá dentro, quem não faz tem apenas 4) porque se seu ingresso for para entrar bem cedinho talvez não dê tempo de vc subir a pé (além de vc já estar cansado da trilha salkantay, de qq maneira).Aguas termales em aguas calientes não vale a pena.

Vi também que não inclui água mineral. Quando eu fui não tinha água mineral, mas tinha água fervida pela empresa, que dá para tomar tranquilo. Procura saber se eles dão algum tipo de água ou se você vai ter que levar sua água desde cusco, porque não sei se tem pontos para vc comprar água no meio do caminho.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por TardoAventura
      Aventura na Serra da Arrábida, Setúbal, Portugal.
      1,5 Kms de adrenalina e superação até ao cume da Espantosa Serra da Arrábida!
      Seguindo a PR2 STB que é 5 estrelas a nível de sinalização!
      Sigam-nos em :
      Wikiloc: https://pt.wikiloc.com/wikiloc/user.do?id=4716837
      Boas Caminhadas!
    • Por MaluAlves
      Eai Mochileiros, pretendo viajar em dezembro/2021 pra Chiclayo, e quero ir visitar o famoso machu pichu, porém gostaria de dicas para esse passeio, de quem foi pra la nos ultimos meses ou semanas. Qual o valor do trem, da Van que leva até machu picchu, sei que é em dolares, mas gostaria de uma noção de valor pra eu poder me programar. E também se compensa trocar la o real para soles, ou aqui no Brasil.  Que puder me ajudar agradeço demais. VALEUUUUU
       
       
       
    • Por Leandro Z
      Apesar de haver bons relatos no site, espero contribuir.
      Há 4 ônibus diários entre São Luís e Barreirinhas pela viação CISNE BRANCO, R$51, demora 5h (não procurei vans saindo do aeroporto direto pra Barreirinhas, mas existem). Dizem que é melhor fazer a travessia no sentido Barreirinhas - Santo Amaro, por causa da posição do sol e do vento. A estrada São Luís-Santo Amaro é relativamente nova, está boa e é mais perto que SLZ - Barreirinhas. Além disso, as lagoas de Santo Amaro são mais bonitas. ATENÇÃO com a volta de Santo Amaro para São Luís, acho que não tem ônibus (se tiver, são raros) e dependemos do guia em achar uma van que ia pra lá. Geralmente, o último dia termina 12:30h e o transporte até São Luís demora 4h30min. Grande parte da travessia é em areia firme e fria, então é melhor andar descalço ou com meia. Também tem inevitáveis passagens por lagoas menores, onde se molha, pelo menos, as pernas. Elas são boas para se refrescar (o tempo inteiro eu andei molhado ou úmido de propósito). Melhor época: junho e julho, alguns dizem agosto e até setembro, mas nestes muitas lagoas já estão secas. Preços: como junho e julho são os melhores meses, só diária do guia custa até R$250; hospedagem (café da manhã incluído), em redário, sai por R$35; jantar: R$30 a R$35; água de 2l: R$8. Converse com o guia para ver o que está incluído no preço dele (passeio pelo rio Preguiça, hospedagens e refeições, etc). Cansar vai, mas com certeza vale a pena. Acredito que uns treinos de caminhada de 8km sejam suficientes para preparação. Esta é a travessia mais tradicional do parque, mas tem outras de 6 até 10 dias! Levar: poucas roupas (inclusive com proteção UV), meias, chapéu (nessa época, não precisa levar nada para frio, nem tênis), chinelo, protetor solar, água (pode ser comprada em cada parada),  snacks (frutas desidratadas, amendoim e castanhas), dinheiro em espécie, lanterna (não é essencial, não precisa na caminhada, mas ajuda nas hospedagens), coisas de higiene pessoal (sabonete, escova, pasta, repelente). É recomendável levar aquelas baterias portáteis, power bank, mas dá pra usar a eletricidade em algumas hospedagens. Dia 28/jun - 1º dia: Pegamos um barco em Barreirinhas para fazer o passeio pelo rio Preguiça (R$80) por volta das 10h, o guia já nos acompanhava. O passeio é tranquilo, para em Mandacaru, onde tem um farol, também para em Caburé onde tem dunas e uma lagoa. Termina em Atins, banhamos em uma praia. Depois, final de tarde, caminhamos até Canto de Atins, cerca de 3,5h em ritmo tranquilo, sem paradas para banhos, o GPS marcou 12km de caminhada durante o dia todo (pareceu bem menos). Em Canto de Atins, tem dois restaurantes/pousada: do seu Antônio e da dona Luzia. A dona Luzia foi pioneira e é mais famosa, mas o guia disse que a fama subiu-lhe a cabeça, ficamos no seu Antônio. O camarão na chapa é o prato chefe de ambos, não é barato (com refri e água, saiu R$50 cada um o jantar), mas realmente estava muito gostoso. Dormimos em rede (R$35), local coberto com palha, com luz, mas sem paredes, até às 2:30h da manhã.
       
      Dia 29/jun - 2º dia: Prometia ser o mais pesado, cerca de 17km até Baixa Grande (o quarto dia que foi o mais cansativo). Começamos a travessia por volta das 3:15h, depois de um bom café da manhã, caminhamos sob a lua cheia iluminando tudo e temperatura amena. Andamos pela praia um bom tempo, cerca de 4h (com direito a cochilada no caminho) até chegar às dunas. Valeu a pena? Sempre, no entanto, tem gente que faz este trajeto de carro e isto economiza umas boas horas. Nas dunas, subida, descida, banho em algumas lagoas. Terminamos em Baixa Grande às 12:10h. Cansei muito! O GPS marcou, durante todo o dia, uns 27km. Eu digo "durante todo o dia", porque ainda caminhávamos pelos arredores do local da hospedagem para conhecer lagoas, rios, ver o pôr-do-sol. Baixa grande é um vilarejo no meio do deserto, mas com construção de alvenaria e vegetação por perto. Almoçamos galinha caipira por R$35 (preço padrão e não é você que escolhe o que comer). Descansamos e, à tarde, fomos para uma lagoa e ver o pôr-do-sol. Dormimos, como sempre, em rede (R$35 preço padrão), sem iluminação, mas coberto com palha e "paredes". O dia seguinte seria mais tranquilo.
       
      Dia 30/jun - 3º: Este terceiro dia foi tranquilo, acordamos por volta das 4:30h para sairmos às 5h, após café da manhã simples (tapioca e ovo). Caminhamos devagar, parando bastante em lagoas e terminamos antes do meio-dia em Queimada dos Britos, o GPS indicou 15km. Eu comecei a usar meia, pois vi que estava começando a formar bolha no meu pé. Almoço (R$35) era peixe (estava salgado), teve salada (artigo raro) e até sobremesa. Lagoas, pôr-do-sol, jantar e dormir cedo, porque não tem muito que fazer a noite.
       
      Dia 1º/jul - 4º: De novo, acordamos umas 2:15h, tomamos café e saímos para caminhar às 3h e alguma coisa. Só terminamos à 12:30h, exaustos, em Santo Amaro. Foi o dia mais longo e mais cansativo, cerca de 28km. Neste dia, mais uma vez, é possível pegar um transporte em Vassouras, economizando assim, uns 10km. Pergunta se pegamos? Não. Faltando uns 8km (talvez 6km), o guia novamente perguntou se queríamos pedir um carro e pagar R$50 cada um. Pegamos o carro? Não, só faltavam 8km... As lagoas perto de Santo Amaro são bem mais bonitas que as de Barreirinhas e, acredito eu, o turismo em Santo Amaro irá aumentar com a boa estrada já existente até São Luís (só falta transporte).
       

    • Por Rodrigo Burle
      Este chalé fica em Solčava, Eslovênia (ver foto). Ele são muito populares nas áreas montanhosas, os menores são chamados de "hut" e os maiores "dom" e custam entre 17 e 30 euros, os preços variam de país para país.   Eles estão espalhados por todas as montanhas da Europa, e uma coisa que quase todos os refúgios têm em comum é uma vista espetacular (como este da foto). A estrutura é muito semelhante a um hostel, eles têm quarto privado e quarto compartilhado, estão sempre cheios de montanhistas. Na maioria dos parques nacionais é proibido acampar e isso em toda Europa. A multa é salgada e os rangers ficam o dia inteiro a procura de barracas, inclusive com helicópteros. Se você vai para as montanhas tenha em mente que você terá que dormir nestas refúgios algumas vezes, pelo menos nas montanhas mais altas ou em parques nacionais.   Dica para economizar   Se você vai para as montanhas da Europa, não importa em qual país. Você pode se associar a ao clube de montanhismo e ganhar diversos descontos, inclusive em acomodação. O mais legal é que se tiver o selo de reciprocidade, você pode usar em qualquer país (foto 4 e 5). A maioria dos refúgios que eu fiquei custavam na faixa de 30 euros, com o cartão da associação eu pagava 15.   Se você vai passar uma semana nas montanhas a 30 euros são 180, com o desconto você paga 105. São 75 euros, a anuidade varia de clube para clube (o da Eslovênia foi o mais barato que eu achei), paguei 30 euros. Você economizaria 45 euros. E quanto mais tempo maior a economia, vale a pena. Fora isso, você tem descontos em lojas de roupas e equipamentos entre outras coisas.   O site para se associar a um clube de montanhismo na Eslovênia é: www.pzs.si   Eu já ajudei centenas de pessoas com meu livro Liberdade Nômade, onde eu conto tudo que eu fiz e dou dicas para que você não passe nenhum tipo de aperto em suas viagens aprendendo com meus erros. Eu vou te mostrar que é possível viver viajando, independente do que você faz hoje ou sua idade.   Dê o primeiro passo para a liberdade, clique no link abaixo: https://bit.ly/liberdadenomade2021   Tem um monte de fotos das minhas aventuras no instagram: https://www.instagram.com/rodrigoburle/   E não esqueça, dê o primeiro passo!  Muito obrigado! 




    • Por Rodrigo Burle
      Slovenska Planinska Pot, às vezes também chamada Transverzala, é uma travessia de Maribor até Ankaran. Abrange a maior parte das áreas montanhosas da Eslovênia, incluindo Pohorje, os Alpes Julianos, os Alpes Kamnik-Savinja, os Karawanks e a parte sudoeste da Eslovênia. Distância 617km com nada menos que 37.300 metros de subida acumulada. Umas das mais difíceis trilhas de longa distância que eu já fiz, porém uma das mais belas também. Oficialmente pode ser feita em 37 dias, eu demorei 42. Essa trilha passa pela montanha Triglav, símbolo nacional da Eslovênia (a montanha da bandeira nacional), 2864 metros, ponto mais alto da travessia.
      A Eslovênia é um país lindissímo, com montanhas por todos os lados. O povo é muito hospitaleiro, o que tornou este trekking uma aventura bastante prazerosa. Eles são simplesmente fanáticos por montanhas, é comum ver famílias inteiras escalando, desde o netinho até o avô.
       
      Existe um livro, tipo um passaporte, onde você coleta o carimbo em cada topo de montanha e é bem tradicional. Conversando com um senhor, ele me disse que praticamente todo Esloveno tem esse livro e que é uma tradição coletar todos os carimbos antes dos 50 anos. Ele também me disse que poucos conseguem, eu coletei todos em 42 dias. A maioria das pessoas não consegue não porque é difícil, mas por não ter tempo, o que me lembrou o quanto eu tenho sorte em ter liberdade geográfica e financeira.   Eu comparo esse passaporte com a vida, onde cada carimbo é um sonho que você tem. Quantos carimbos você tem coletado? Comenta aí...   Eu tinha várias desculpas para não realizar meus sonhos, sempre ocupado com trabalho, estudos ou qualquer outra coisa. Somente com 38 anos eu me dei conta que a vida voa e se você não sair do “automático” e começar a viver ela vai passar e você nem vai perceber.   Felizmente nunca é tarde, não importa a sua idade, sua condição financeira, sua experiência, se você quer ter uma vida cheia de momentos incríveis e experiências transformadoras, vá viajar! Nada vai te proporcionar uma vida tão intensa e com propósito.   Se você não sabe por onde começar eu escrevi um livro contanto tudo que eu fiz desde que sai do Brasil quase sem grana até me tornar um Nômade Digital. Acredito que vai te trazer bastante clareza de como é possível viver viajando.   Vou deixar o link aqui: https://bit.ly/liberdadenomade2021   Muito Obrigado!

















      20200904_094216.mp4
      20200906_073409.mp4 20200906_101058.mp4
      20200908_130642.mp4 20200909_074100.mp4










×
×
  • Criar Novo...