Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Demi Dahás

Eurotrip 20 dias - Chegada em Frankfurt - duvidas sobre roteiro (incluir kiev/chernobyl)

Posts Recomendados

olá mochileiros,

Acabei de comprar uma promo  (GRU - FRANKFURT  - GRU) no período do reveillon, chegada dia 27 de Dezembro e retorno 16/01/2019. Serão 20 dias de viagem.

Será minha primeira vez na Europa, e realmente estou um pouco perdida, ando lendo relatos aqui no Mochileiros para ver se clareia um pouco a minha mente na hora do planejamento low cost da viagem. Estou indo em casal. 

Foco da viagem: queremos muito conhecer Kiev e fazer o tour Chernobyl (pesquisamos e terá tour , com a empresa responsável, disponível nessa época )Amsterdã (3 dias), Bruxelas (1 dia), Berlim (1 a dois dias), Dubrovinik e Split.

minhas duvidas:

1- eu sei que incluir Kiev é totalmente contra-mão da viagem, mas andamos pesquisando e há passagens no app do jetcost das empresas aéreas bem baratas, ( voo de media 2h), então acreditamos que para realizar isso, temos que deixar disponível +- 3 dias ( cogitamos e vimos no site, chegar em frankfurt [chegaremos 12h] e ir direto para kiev pela noite , chegando lá por volta das 22h , e considerando o desembarque, alfandega, chegada ao hostel etc, enfim chegaríamos por volta da madrugada, no dia seguinte teriamos o dia para conhecer kiev, e no segundo dia para conhecer chernobyl, e iriamos para outra cidade no dia seguinte.)

2- cogitamos sair de KIEV - BERLIM - AMSTERDÃ - BRUXELAS - CROACIA - FRANKFURT. Vocês acham que está muito inviável esse roteiro ? cansativo ? caro ? 

3- Onde vocês sugerem passar o reveillon? 🍺

 

Obrigada pela ajuda !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Demi, tudo bem?

Achei seu roteiro um pouco ida e volta demais, locais muito distantes. Considerando que é inverno, deixaria a Croácia de lado e focaria nos demais locais, pois lá é muito mais negócio ir no verão.

Berlim em um ou dois dias, por exemplo, é pouco, considero uma cidade para se ficar 3 ao menos. Se querem incluir a Ucrânia de qualquer jeito, acho que seria fundamental reduzir o tempo em outros locais, e eliminar a Croácia acho que é o mais sensato.

Quanto ao Reveillon, saiba que no inverno na Europa ele não é algo tão espetacular, normalmente são festas fechadas, então acho meio indiferente onde será.

Espero ter ajudado.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Demi Dahás pode ser assim, como você terá que pegar voo para ir para Kiev e voltar, acho que tanto faz onde no roteiro coloca. Talvez seja melhor colocar entre Berlim e Amsterdam, pois assim você cobre um distância mais longa de avião, pois depois para ir de Berlim a Amsterdam é relativamente longe.

Logo eu faria Frankfurt - Berlim (trem), Berlim - Kiev (avião), Kiev - Amsterdam (avião), Amsterdam - Bruxelas (trem ou ônibus) e Bruxelas - Frankfurt (trem ou avião).

Algumas dicas: não perca tempo em Frankfurt, fique 1 dia no máximo. Na Bélgica, eu curti muito mais o interior do que Bruxelas, fui para Ghent e amei. Quem vai para Brugges também curte muito. Uma opção seria passar em uma dessas no caminho entre Amsterdam e Bruxelas. Eu saí de Amsterdam bem cedo (08h) e peguei um ônibus para Ghent, chegando na hora do almoço, dormi lá e no dia seguinte saí de trem às 11h para Bruxelas. Quase não alterou meu roteiro e serviu para conhecer uma cidade incrível.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

  • Conteúdo Similar

    • Por MarceloBarce
      (relato em vídeo no fim do post)
      Na primavera desse ano, fui visitar a região de Trentino-Alto Àdige, para conhecer os Dolomiti, no norte da Itália.
      Me hospedei no Youth Hostel Bolzano, que era um dos únicos na região.

      Fiz 3 dias de trilhas, mas vou falar primeiro dessa travessia que eu registrei em foto e vídeo.
      No hostel, eu conheci 3 americanos que também tinham bastante experiência em trilhas, e fui com eles.

      Era primavera (4 de junho), um dia ensolarado com previsão de chuva para o fim da tarde, fazia uns 27 graus de temperatura.
      A chuva parecia inofensiva, mas se revelou uma tempestade assustadora no alto da montanha e deixou a temperatura NEGATIVA.
      Este foi um dos dias mais incríveis, bonitos e assustadores da minha vida.
      A ROTA DA TRAVESSIA

      Tomamos um ônibus circular de Bolzano para a bela cidade de Selva di Val Gardena, 1 hora de viagem ao preço de 5 EUROS, esse seria o único custo do passeio.

      PLANO A: pegaríamos o bondinho de ski Dantercepies (bandeirinha verde do mapa, abaixo do plano B) e a partir dali, daríamos uma volta no Monte Puez, um lugar com vistas incríveis, e desceríamos pelo vale de Valunga (trecho azul do mapa).
      PLANO B: começaríamos a trilha pelo final do Plano A, o vale Valunga, e ao chegar no ponto mais alto (o coraçãozinho do mapa), voltaríamos pelo mesmo caminho.
      EMERGÊNCIA: esta foi uma rota de fuga que precisamos tomar para fugir da tempestade

       
      RELATO
      O dia estava lindo, a previsão era de sol com nuvens para a tarde toda com uma garoa no fim da tarde.


      Infelizmente, o bondinho Dantercepies estava em manutenção, e por isso fomos seguir o plano B, começando pelo vale de Valunga, que começa nesta foto acima.
      Valunga é fantástico, se parece muito com o vale de Yosemite dos EUA. Inclusive, eu diria que esta rocha em primeiro plano da foto acima é parecida com o famoso "El Capitan".
      Já estive nos 2 parques nacionais para fazer esta comparação. Os americanos que estavam comigo concordaram, hahaha.
      O legal do Valunga é que não passa carros no meio.


      As vistas eram lindas em todos os sentidos.

      Enfim, começou a grande subida do fim do plano B, uma parte muito íngreme com bastante escalaminhada e alguns trechos de neve bem perigosos em que um escorregão poderia ser fatal.
      Mas fomos com calma e cuidado, e deu tudo certo.

      A vista dali era fantástica, mas já começava a dar sinais de chuva.

      Para nossa surpresa, quando chegamos no final da subida, que era uma passagem de montanha, avistamos uma tempestade assustadora que não era visível antes.
      Do lado de onde viemos, o clima estava razoável... mas do outro lado da montanha, as nuvens estavam bem escuras e já estava chovendo:

      PRESTE ATENÇÃO naquela cidadezinha no canto inferior direito da foto, este lugar se chama Colfosco e foi nossa salvação.
      Estávamos num lugar com pouca visibilidade dos arredores, subi num ponto mais alto antes que fosse tarde, para ver qual seria a direção mais segura para fugir da tempestade:

      Repare nas duas fotos acima que a chuva já havia mudado de lugar, use a montanha pontuda (monte Sassongher) como ponto de referência.
      Foi questão de 10 minutos para eu descer e a chuva pegar a gente.
      Daí pra frente, as coisas só pioraram.
      Nosso plano de voltar pelo mesmo caminho foi por água abaixo (literalmente), porque seria impossível descer aquele trecho íngreme de neve com chuva.
      Optamos por seguir a trilha do plano A até encontrar um dos abrigos de montanha da região, que estaria a mais ou menos 2 horas de distância.



      Porém, este plano também não deu certo.
      Começou uma tempestade de granizo muito forte com MUITOS RAIOS e nós tivemos que nos separar e abaixar, para diminuir a chance de tomar um raio.
      Estimamos que a temperatura baixou para -5 graus.
      A paisagem que antes estava verde e ensolarada, ficou cinzenta, coberta de neve e granizo.
      Estávamos todos com casacos corta-vento impermeáveis, bem protegidos, mas vestindo shorts, o que obviamente tornou a experiência bem fria, apesar de suportável (graças às jaquetas).
      O local era SUPER EXPOSTO, pois se tratava de um platô gigante. O melhor que podíamos fazer era tentar ficar numa parte menos alta.

      Na foto: eu em primeiro plano, Micky de jaqueta vermelha no fundo, Nathan de preto mais ao fundo, Elsa de preto no canto esquerdo da foto.
      Foi aí que traçamos a rota de emergência!
      Nós não voltaríamos mais para Val Gardena, porque as duas rotas (plano A e B) estavam extremamente perigosas, e eram os únicos caminhos de volta.
      A prioridade agora era encontrar um abrigo para salvar a nossa pele.

      Após a chuva diminuir, nós desceríamos para a cidade de Colfosco, que fica do outro lado da montanha e tem uma trilha quase plana cercada por montanhas, que era menos exposta aos raios, mas não menos desoladora.

      Tivemos que atravessar algumas cachoeiras de lama causadas pela chuva, mas não foi difícil e deu tudo certo:

      Esta descida pela rota de emergência durou aproximadamente 1 hora e meia, e apesar dos trovões assustadores e da garoa que não parava, essa rota passou segurança.
      Claramente, foi uma decisão sensata abrir mão de retornar a Val Gardena.
      Chegando em Colfosco, batemos na porta de uma casa que tinha luzes acesas e fomos recebidos por uma senhora MUITO hospitaleira que nos deu toalhas e preparou um chá para cada um.
      Rachamos um taxi para Bolzano, que saiu 30 euros por pessoa. Se não fosse isso, o passeio inteiro teria custado apenas 10 euros de ida e volta do ônibus. Ao fim, saiu 35 euros.
      Valeu a pena? Sim, hahahahahaha.

      Abaixo, o relato em vídeo, no meu canal, para vocês terem uma noção do que foi:
       

      Obrigado, espero que gostem.
      Qualquer dúvida, é só perguntar
    • Por carlos.lima1
      Pessoal,
       
      Alguem interessado em ir no St. Patricks em Dublin em 2020? Os preços das passagens pela TAP estão bem interessantes media menor que 2k ida e volta. Estou indo sozinho partindo de BH, caso alguem tenha interesse entre em contato.
       
       
      Atc,
       
      Carlos Lima
    • Por [email protected]
      Buenas, estou organizando roteiro para mochilão de 25 dias pela Europa com minha adversária. 
      Madrid- 3 dias
      Barcelona- 2 dias
      Paris - 3 dias
      Bruxelas - 3 dias
      Amsterdã - 3 dias
      Frankfurt - 3 dias
      Viena - 2 dias
      Praga - 3 dias
      Berlim - 3 dias
      A idéia é entrar por Madri e voltar por Berlim. 
      Dicas? Alguém que more por alguma dessas cidades pode nos ajudar? Um sofá, um rolê...
    • Por lourencobj
      Olá, mochileiros!
       
      É bom estar de volta, postando e planejando uma viagem para fora novamente.
       
      Em 2016 e 2017 fiz mochilões para Europa sozinho, cujos relatos estão na minha assinatura (conheço Budapeste, Viena, Praga, Berlim, Paris e Londres).
       
      Jà em 2018 a situação mudou. No final de 2017 conheci a minha Mônica 😍...
       
      Viajamos para Gramado, Tiradentes (onde noivamos no final do ano🤩), Caldas Novas, e no início do ano fomos para a incrível Paraty.
       
      Estávamos pensando em celebrar nossa união fazendo um casamento com festa e etc. Porém, finalmente decidimos não mexer com isso. Vamos é curtir nosso relacionamento juntos, "mochilando" pela Europa.
       
      Já comprei as passagens: chegada em Amsterdam no dia 12/07/19 e saída por Paris no dia 29/07/19.
       
      Importante: ela ainda não sabe nenhum dos nossos destinos. Eu montarei o roteiro e ela só vai saber para onde iremos na hora do embarque. Absolutamente a viagem será uma surpresa do início ao fim (e ela nunca viajou para fora). 
       
      Pretendo, sim, ficar uns 3 ou 4 dias em Amsterdam, assim como uns 4 dias em Paris (no final da viagem).
       
      Então aí vem uma dúvida: o que sugerem de cidades e passeios para fazer um roteiro "redondo"?
       
      Pensei em sair de Amsterdam, ficar umas 2 noites em Bruxelas (conhecendo essas redondezas).
       
      À princípio pensei em fazer: Amsterdam > Bruxelas > Londres > Paris.
      Eu sei que Londres é fantástico! Aliás, se hoje me perguntarem "qual cidade vc gostaria de visitar agora", prontamente responderia Londres. Foi a cidade que mais curti na vida!!!
       
      Mas gostaria muuuito de visitar Lauterbrunnen na Suíça, bem como Chamonix na França. Acho que são destinos com cara "romântica", embora estejam relativamente longe. E eu não gosto de fazer maratona de cidades. Gosto de realmente aproveitar e sentir o clima da cidade.
      Para tal, pensei em pegar um voo de Amsterdam (ou Bruxelas) para Zurique, e dali arrumar um jeito de ir a Lauterbrunnen. Depois pensei em ir para Chamonix e finalizar em Paris.
       
      E então, o que acham? Vale a pena esses translados até Lauterbrunnen? Ou deveria deixá-la para outra oportunidade (assim como Chamonix)? Sugerem algum outro destino bacana para um casal em lua de mel? 😀
       
      Ahhh, e é claro. Farei um novo relato assim que voltarmos. 😉


×
×
  • Criar Novo...