Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Colaboradores

Oi gente, voltei tem pouco tempo de Buenos Aires e está meio caído para compras... Zara, por exemplo, maioria das coisas mesmo preço que aqui. Mas acho que tem que procurar! Eu não quis fazer compras, exceto para roupas de frio, que pesquisando, vi que saiu mais barato comprando aqui no Rio (roupas de frio, equipamentos, botas...).

Mas o lado bom é que como eles estão em crise, com dificuldade de comprar outras moedas e tal, dá pra achar um bom câmbio!

Drygoz, olha essa, você que estavA em dúvida entre lavar real ou dollar. Em lugares como hotéis e albergues, pode-se encontrar real a 2,20 ou 2,30 e dolar por 5,00 a 5,50! Eu tinha dolar e valeu muito a pena! Acabou dando para fazer umas comprinhas que eu não esperava! (:

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 95
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

Atualizando os preços com o Real a $ 2,04 e no comercio em geral a $ 2,00 .

Cubierto cerca de $ 10, gaseosa $ 14, café pequeno tipo expresso $ 12,chocolate espeso (quente) $ 24,churros $ 5,bife de chorizo $ 65,bife de lomo $ 85,com papas fritas para compartir $ 37 ( esses dois no palacio das papas fritas),prato do dia ( comida,postre e café) por ceca de $ 40 em vários lugares,café capuccino especial grande no Mac'Donalds por $ 18,quarto de libra (quarteirão com queijo) $ 16 trios por cerca de $ 40, alfajor Havana com 12 por $ 65,Jorgito ( muito bom experimentei depois de dicas aqui) no carrefour com 6 por $ 18

E por último nada muito vantajoso nos outlets como camisa lacoste por $ 295 praticamente o preço do free shop.Transporte só usei subt por $ 2,50

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Olá galera....

 

Depois de alguns anos, eu voltei a Buenos Aires. Eu nunca tinha ido a Baires no intuíto de compras, mas de tanto ouvir os amigos e parentes sobre roupas na capital Argentina eu decidi arriscar e fazer algumas compras.

 

Se vocês querem comprar couro, blusas, calças ou até roupa de marca, eu falaria uma coisa: ESQUEÇAM! de ir no Centro,Rua Florida, Av. Cordoba - Pallermo, Shopping San Isidro, tudo é muito caro. A qualidade não é lá aquelas coisas e o preço altíssímo. Claro, que se você não conhece esses lugares, vale a pena conhecer...sempre achei legal passear pela Florida, a galeria Pacífico é muito bacana, tomar um chá e caminhar pelas ruas, mas nunca tinha parado para analisar os preços e dessa vez eu fiquei muito surpreso. No geral, dificilmente acham um casaco de couro por menos de 1000 Pesos. A qualidade nem vou falar para não desanima-los. Houve lojas que um belo casaco de couro custava em torno de 3000 e poucos pesos.

 

Mas para tudo tem a sua exceção............Acordei um dia, sem muita opção para fazer e quis andar pelo Carminito e depois ver o que eu poderia fazer a tarde. Foi então que entrei em um taxi e comentei com o taxista a surpresa dos preços em Baires. O taxista então, me levou em um fábrica de couro na rua Venezuela e "salvou" a minha viagem. A fábrica não é aberta ao público e vale mais a pena ir com o taxista, pois ele não te cobra a viagem nem da ida e nem da volta. Os taxistas são comissionados pela fábrica e isso ajuda todos os lados. Comprei 3 belos casacos de couro por 600,00 Pesos cada ( isso porque eu pechinchei até o meu portunhol se esgotar no câmbio de 2,5 ). A dica é pagar em dinhero ( USD, REAIS, EURO) pois você ganha 10% de desconto, por isso a lábia nessas horas vale a pena. Tem muita variedade na loja, mas pena que para o meu tamanho tudo tinha que fazer. Então a saída é ir nos primeiros dias, pois se precisar fazer algum ajuste, não fica corrido e eles entregam no hotel com hora marcada.

Indico a vocês irem com o taxista que é muito gente boa, atencioso e fez um preço camarada para me levar até o aeroporto ( abaixo eu deixo o contato dele ). Ele trabalha com outras lojas e comentou que existe em Baires lojas que vendem Lacoste a partir de 90 Reias, tênis Nike a partir de 60 reais. Eu fiquei meio "cabreiro" com os valores, mas ele garantiu que é original. Como eu não fui, não posso garantir.

 

Sobre a Lacoste = Na cidade tem muitas lojas, acabei entrando em algumas, mas não me empolguei. A saída é comprar no Duty free da Argentina. Eles tem uma promoção que você comprando 4 pólos, você paga 3. Ou seja o valor final de cada pólo sai por 48,75usd. Tanto no free shop da chegada em Baires quanto na volta, tinha muitas opções, mas eu comprei tudo na chegada para garantir. As Lacostes do duty free no Brasil é mais caro, tem torno de 76USD cada uma.

 

Brooksfield = Algumas lojas na cidade. Na realidade eu só entrei no Shopping de San Isidro. Eu paguei 300 pesos numa belíssima camisa, sendo que esse preço só foi possível, pois na segunda-feira vocÊ ganha 10% de desconto em qualquer compra.

 

Abaixo, segue os detalhes do taxista Ricardo:

 

Celular: 15 33546380

Nextel: 54*706*5149

email: [email protected]

 

Ele comentou que também faz tour turístico pela cidade e cobra 200 reais pelo carro. Ou seja, se tiverem em 4 pessoas, o passeio sai por 50,00 reais pra cada um incluíndo o passeio turístico + as lojas para compras, mas fazer os 2 em 1 dia acho muito pouco, pois Baires tem lugares muito legais para passear.

 

Dificilmente em meus posts, deixo contato de taxi,guias,etc, pois parece ser comércio, mas o cara foi muito gente boa e nos posts muita gente fala mal dos taxista de Baires ( alguns são malas mesmo! ) ::hãã2::

 

Espero ter ajudado, boas trips!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Boa Noite galera,

To indo esse fds pra Bs As, pelo visto tá tendo que escolher muito pra comprar lá ne.. No meu caso eu preciso comprar roupa, ou seja, iria comprar mesmo no Brasil, nesse caso qualquer compra em BS AS de roupa de marcar ( lascote,tommy,ralph lauren) vale a pena ou dependendo vale a pena eu comprar aqui no brasil msm??

 

vlw

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Para qualquer produto, antes de ir olhe os preços aqui (tanto na loja normal quanto no free shop, se houver) para ter noção. Em loja de shopping é tudo caro mesmo, aqui ou lá. Há a opção de comprar em outlet, que pode ser lucro ou roubada pois tem muito outlet que é mais barato porque as peças tem "leves" defeitos ou é resto da estação passada que já está detonado. Então, antes de comprar revire as peças e não leve nada com defeito, nunca compensa.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Uma dica que os moradores de lá me deram e que vale a pena mesmo. Pegar o metrô e descer na estação ONCE. É um bairro de muito comercio tipo a 25 de Março (SP) ou a Uruguaiana (RJ). Encontrei casacos de couro a preços excelentes além de outras coisas muito baratas. É uma região que não costuma receber muitos turistas, por isso mesmo os preços são baixos.

 

Complementando, once e a estação de tren (11desetembro). O metro na verdade e a linha A e a estação e a plaza miserere.

 

A estação once do trem fica aí do lado e as ruas de lojas tipo Brás ficam na vizinhança.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

A inflação esta comendo solta por aqui. Hoje foi anunciado um tarifaco no transporte publico. Aumento de 80% no onibus e 100% no trem. A partir de 6 de agosto o onibus sobe de $1,10 para $2 e o trem sobe de 0,75 para $1,50.

 

Tudo que e importado esta em falta inclusive eletrodomésticos . Todo mês levo na bagagem encomenda de ferro de passar, liqüidificador, sanduicheira, cosméticos e outras coisas que meus colegas argentinos nao acham mais

 

Esta fechando muita loja que trabalha com importados. Ate cerveja importada miou. Nos hoteis já falta bebida como whisky.

 

As lojas estão fazendo um cambio de crise. Tem comercio aceitando real a 3 pesos e o dolar a 6,50 pesos. Mas este clima só na região turística. Nos bairros a vida esta bem normal desde que seja com produtos nacionais. Nenhum sinal de crise. A crise esta nos bairros ricos como recoleta, Palermo. E no centro aonde tem turista.

 

No mês passado meu colega implorou e acabei deixando meu iPhone e iPad com ele. Celular bom também esta escasso. Só tem modelos simples.

 

Parece que o chaves exportou o modo de vida venezuelano para buenos Aires.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Che Boludo,

você falou perfeito perto do finalzinho “A crise esta nos bairros ricos como recoleta, Palermo.”

 

E assim amigo, os nossos governos progressistas (Brasil, Venezuela, Argentina, etc., etc.) estão mudando definitivamente a matriz dos nossos países, para uma equitativa distribuição da renda. Para isso tem que fazer ajustes, e em um mundo “em crise” (não esquecer que e na Europa toda que tem 18 % de desocupados), não tem receitas fixas, e cada pais aplica a sua em forma “soberana”.

Na Argentina para proteger o trabalho se aponto a não aplicar importações automáticas (ou seja, cada coisa passa pela peneira). Quem fizer bem os deveres não tem problema.

 

Argentina (como em cada pais) tem sua própria historia que o leva a ser assim; e uma sociedade partida em dois: os que sempre mirarem a Europa e os que queriam uma Pátria Grande.

A primeira, em geral são esses que moram em recoleta, Palermo e zona norte do Capital (mas também estão espalhados em alguns outros lugares do pais). Mas Argentina e mais do que isso amigo. E por isso que o atual governo se reelegeu com 54% dos votos.

 

Você quer dizer que nas lojas não vende “ferro de passar, liquidificador, sanduicheira, cosméticos???” (me poupe...rsrs) Não venderam “algum importado especifico”, .... acaso você compra disso importado no Brasil? Acaso no Brasil você pode pagar com dólares nas lojas?

 

Isso e uma minoria (e só isso por sorte), mas que esta metida na Sociedade de Poder desde há mais de duzentos anos (desde a própria criação da Argentina). Aqui que não e muito diferente; só mudam as formas, e no Brasil são mais patriotas.

Pelas tuas palavras referente a Chaves, você esta lendo muito o Clarín, La Nación e nosso grande Big Brother: a Globo!.

 

Detalhe: o aumento das tarifas do transporte são para quem não tem o Cartão SUBE; e são mais de 7 milhões de pessoas que tem Cartão SUBE, que são quase todos os cidadãos que utilizam esses meios em Buenos Aires. Quem tem o cartão continuara pagando o mesmo; ou seja, isso foi mais uma “Noticia sensacionalista” do Meio Opositor Clarín (sim, os meios independentes não existem amigo).

 

Abraço, che Boludo.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Eu vi a noticia na tv local em buenos aires. E sobre o chaves, quem fez a piada foram os próprios colegas argentinos no escritório . Eu tenho ido em supermercados em buenos Aires e tenho visto desabastecimento. Mas nas lojinhas dos chinos ta tudo normal.

 

Eu fui interceptado no mês passado no aeroporto por um policial com um cachorro que cheirou minha mochila que tinha 3mil dólares em nota de vinte dólares e ele queria saber o que eu ia fazer com tanto dinheiro. Além disso queriam apreender os eletrodomésticos da minha bagagem.

 

Acho que isto e um ato desespero das autoridades. Fora que os argentinos estão praticamente proibidos de viajar para o exterior porque nao conseguem autorização para comprar dólares. Porisso que meus colegas chamam isto de efeito chaves.

 

Ou estou errado?

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por cassizanon
      Fala galera, depois de 8 anos tentando viajar pra Argentina, FINALMENTE VOU AAAAAA, E SOZINHO!! To quase fechando meu roteiro pra Buenos Aires, mas gostaria da opinião e pitaco de vocês sobre minha distribuição de dias pros bairros.    Desculpa pelo post gigante pessoal, mas primeira viagem sozinho, minha cabeça ta a milhão e tem coisa que não to conseguindo pensar sozinho.   Meu negócio é fazer tudo com mais calma, absorvendo a atmosfera e querendo aprender tudo que der sobre a cultura e história do lugar, então bastante museu, locais históricos, arquitetura, e sem ficar correndo de um lugar ao outro pra ver tudo num dia. Não estou cheio da grana também, então vou economizar onde der, principalmente alimentação, pra poder esbanjar uma ou duas vezes. A cada dia vou fazendo comentários específicos:   5 de Maio - Terça-feira: 19:25 - Vôo de Porto Alegre 21:10 - Chegada no aeroporto El Palomar Noite - Chegar no Circus Hostel San Telmo, e jantar?   Aqui que vou chegar tarde no hostel, largo as coisas e dou uma voltinha pelos arredores até pra comprar coisas de higiene, e já jantar de repente?   6 de Maio - Quarta-feira Manhã: - Cambio no Mais Brazucas e comprar chip de celular na Claro 10:30 - Free Recoleta Tour no Teatro Colón Tarde: Palermo   Da tempo de sair cedo do hostel, ir até a Florida, fazer cambio, comprar chip, e ir até o Teatro Colon as 10:30? O  Free walk tour da recoleta vale a pena como primeira introdução? Depois do tour, a tarde, eu iria conhecer melhor o Cemitério, a Recoleta e Palermo. Com calma dá pra fazer isso num dia? Ou melhor separar?   7 de Maio - Quinta-feira Manhã: - Dar uma volta em San Telmo e ir a La Boca. 14:30 - Tour histórico/antropológico de 3 horas (P. Lezama, monumento Mendoza, C. Defensa, Dorrego, Mercado San Telmo, CGT, Praça perón, Santo Domingo, Plaza de Mayo) - Show de Tango   Aqui vou tirar a manhã pra dar uma voltinha pelas redondezas do hostel em San Telmo, e ir pra La Boca. Dá pra fazer La Boca até o começo da tarde? As 14:30 marquei um tour de 3 horas com um antropólogo e historiador pelo Airbnb, saindo do Parque Lezama e indo até a Plaza de Mayo, onde ele vai explicar sobre as colonizações, a história por tras dos locais, e sobre imigração, etc. É o que mais estou empolgado, pois vou ter um ótimo contexto da cidade. Depois de andar um monte, lá pelas 17:30, não sei se vale a pena fazer algo lá pelo Centro, ou volto pro hostel e me arrumo pro Tango a noite, estou vendo de ir no Esquina Homero Manzi.   8 de Maio - Sexta-feira - Retiro - Congresso - Centro   Esse dia vai ser pra turistar pela região do centro. Tudo o que tiver por ali to fazendo uma lista. Mas não sei se vai ficar pesado e corrido tudo isso, parando nos palácios, museus, fazendo tour por dentro dos prédios, etc. (EX: Catedral, Centro cultural Kirchner, Galerias Pacifico, Museu numismatico, Palacio Barolo, Palacio del congresso, Palacio de las aguas corrientes, Palacio Paz, etc)   9 de Maio - Sábado - Tigre 14:00 - Tour histórico de 3 horas caiaque pelo delta.   Aqui ta tudo encaminhado. Vou passar o dia em Tigre e a tarde fazer um passeio de caiaque com um antropólogo, ao invés de fazer paseio de catamarã, assim posso aprender melhor sobre a região e conhecer os lugares mais afastados.   10 de Maio - Domingo Manhã: - Puerto Madero - Costanera Sur 15:16 - Vôo para Bariloche (El Palomar) 17:38 - Chegada   Aqui penso em conhecer Puerto Madero de manhã e o Costanera Sur. As 15:16 tenho voo para Bariloche, volto pra BsAs dia 23. Porém aqui da pra trocar as atividades com outro dia, como o dia 24 ou 25.   23 de Maio - Sábado 15:55 - Voo de Bariloche para Buenos Aires 17:57 - Chegada em Buenos Aires (El Palomar) Noite: Puerto Madero   Chego no fim da tarde em Buenos Aires de novo, e pensei em deixar as coisas no hostel e ir conhecer Puerto Madero a noite, pq dizem que é legal ver tanto de dia quanto a noite. Ou daria pra fazer outra coisa. Sugestões?   24/5 - Domingo San Telmo (+ feira) Feria de Mataderos   Mais um dia que envolve São Telmo, dessa vez pra curtir a feira e o bairro, e também a Feria de Mataderos. Vale a pena separar um dia só pra isso? Ou daria pra incluir algo mais?   25/5 - Segunda-feira FERIADO Chacarita Belgrano Balvanera Caballito ou Programação do feriado (existe?)   OK, aqui é onde tenho mais dúvidas. Vou estar em Buenos Aires BEM NO FERIADO DA REVOLUÇÃO DE MAIO. Isso me parece ser bem significativo. Esse ano cai numa segunda-feira, quando museus geralmente não abrem. Vocês sabem como será esse ano? Vale a pena eu dedicar o dia pras comemorações/temática da época, ou daria pra turistar normalmente? Pensei em deixar esse dia pra conhecer estes bairros menos visitados, até pra ver o museu de Gardel, o Cemitério onde ele está, etc. Mas também, se as coisas estiverem fechadas, não valeria a pena. O que acham?   26/5 - Terça-feira Talvez revisitar algum lugar ou o que faltou 17:05 - Vôo para Porto Alegre (El Palomar) 18:40 - Chegada em Porto Alegre   Último dia, e pensei em deixar em aberto pra voltar pra algum lugar que gostei, ou usar ele pra aliviar algum outro dia que ficaria muito corrido. ________________   Ufa, é isso. Não coloquei os detalhes de pontos turísticos e tal porque não queria estender, e já tenho uma noção do que fazer, só queria acertar os dias, pra já ter um planejamento mais claro, e pra poder ajeitar meu financeiro. De novo, foi mal pelo post gigante, mas to lutando pra reunir o máximo de informação possível, qualquer ajudinha será muitíssimo bem-vinda, e trago uma lembrancinha ainda hahahaha Abração!  
    • Por Thalles Medeiros
      Tô passando pra avisar que mês que vem "fevereiro" vou fazer uma trip épica rumo ao Uruguai bem "mão de vaca" pegando caronas, barraca e etc .. 
      Já te adianto que vai ser tri legal 
      Fico pilhado? Ta afim de ir? van bora!! 

    • Por cassizanon
      Fala Galera, finalmente to tomando coragem pra fazer minha primeira viagem sozinho. Sempre fiquei dependendo de ter alguém pra viajar comigo mas datas, orçamentos e disposição nunca bateram, e nunca consegui viajar. ACHO QUE AGORA VAI, tenho um certo receio de estar por conta própria, mas acho que faz parte da experiência.
      Sempre quis viajar pra Argentina e há anos tenho pesquisado e feito vááários roteiros que nunca se concretizaram. 
      Agora, pesquisando preços de passagens, achei valores que achei incrivelmente baixos e antes de reservar, queria confirmar com vocês se meu (pouco) planejamento até agora está nos conformes e se os valores realmente valem a pena.
      Bem, moro em Florinópolis/SC, mas achei as seguinte passagens:
      Porto Alegre para Buenos Aires
      FLYBONDI
      Ida: 14/04 (19:25 - 20:10)
      Volta: 30/04 (17:05 - 18:40)
      Total: R$426,91
      A Flybondi não tem bagagem incluída, porém eles mencionam isto: A piece of hand luggage of up to 6kg is included. If you are flying to or from Brasil, 10kg are included for hand and cabin luggaged combined.
      Então eu teria 10kg para levar na cabine. Vocês acham que é possivel passar 16 dias (no possível frio de Bariloche) com 10kg de bagagem só? Eu teria que pagar 110 reais por trecho pra levar mala de 20kg.
       
      Buenos Aires para Bariloche
      AEROLINEAS ARGENTINAS
       
      Ida: 17/04 (13:00)
      Volta: 29/04 (15:25)
      Total: R$316,43*
      *Aqui que pega, esse voo não inclui nenhuma bagagem, apenas "mochila que caiba embaixo do assento", não achei peso nem nada, porém para poder levar bagagem adicional, que também não sei ao certo o peso, pelo site da Cia, seria cerca de R$50 por trecho, então o total poderia ficar em R$ 416 +-. O que acham?
       
      HOSPEDAGEM:
       
      No Booking.com, encontrei o Hostel HOPA-Home Patagonia Hostel & Bar, a 1,1km do centro (no site deles diz 700m).
      12 dias - R$371 + R$78 de ISS (Quarto compartilhado com 8 camas)
       
      Alguém já se hospedou neste hostel? Parece ser bom e bem completo, porém queria opiniões da galera daqui. O preço está ok também?
       
      O QUE FAZER:
      Bem, aqui eu teria que com tempo reler meus guias, comprar guias novos (o que tenho é de 2013), e meus roteiros antigos, porém tenho uma boa noção do que quero conhecer, até locais mais distantes, como El Bosón, Ventisquero Negro, Rota dos 7 Lagos, etc.
      O problema é que dessa vez meu planejamento vai ser sem carro, e estou 100% desatualizado em como tá a situação lá pra usar Uber, 99, Bla bla car, etc, qualquer tecnologia que facilite transporte. Ou se ainda devo me focar em tours, passeios contratados pra conhecer certos lugares, tipo fazer o circuito chico, grande, rota dos 7 lagos, e idas pra lugares mais longe. E até mesmo transporte dentro da cidade. Vocês poderiam me dar um help nisso? Eu queria muito conhecer alguém lá e fazer esses passeios juntos.
       
      Mas enfim, para conhecer bem Bariloche e região, vocês acham que 11, 12 dias dá com tranquilidade? Não sei que tipo de viajante sou, mas sei que quero apreciar muito o lugar.
      E também, coloquei uns 3 dias para Buenos Aires, acho que vai ser meio corrido, mas como meu foco é Bariloche mesmo, acham que é suave deixar esse tempo pra capital?
       
       
      Eu queria muito incluir Mendoza e o Aconcágua nessa viagem, mas acho que encareceria muito, mas fazia parte do meu roteiro dos sonhos, mas acho que fica pra uma próxima.
      Desculpem o post longo, mas tentei organizar o máximo possível!
      Valeu galera!
       
    • Por ricardo.barros
      No final de Out/19 passei um final de semana em Buenos Aires, numa viagem cujo principal objetivo era tão somente levar meu velho pra sua primeira viagem de avião (minha mãe foi junto, mas já viajou antes), sem muitas expectativas...e que acabou sendo uma surpresa pelas belas paisagens urbanas e rica gastronomia dos hermanos.
      PREPARATIVOS:
      1 - PASSAGENS AÉREAS (USD 831,60/BRL 3.575,88 - 3 pessoas): O grande motivador da viagem...meu pai é fanático por aviões, muito embora nunca tivesse andado em um antes. Então queria proporcionar a melhor experiência possível, porém como trabalho de segunda a sexta num emprego quase sem flexibilidade a viagem teria que ser feita obrigatoriamente num final de semana. Também queria que ele tivesse a sensação de uma viagem internacional, daquelas feitas em aviões grandões (wide-bodies). As únicas opções viáveis então eram Santiago pela Emirates ou Buenos Aires pela Qatar ou Turkish (todos operados pelo B777) saindo na sexta no final da tarde e voltando na madrugada de segunda. Optei por Buenos Aires pela viagem ser mais curta (2h50 na ida e 2h30 na volta). Como o voo de ida da Qatar saía mais cedo preferi ir de Turkish, as tarifas eram praticamente iguais, e caras por conta da pouca antecedência (comprei com pouco mais de 1 mês da data da viagem). A franquia de bagagens era excelente, até 2 peças de 32 kg (embora recentemente a Turkish tenha reduzido para 23 kg)
      2 - HOSPEDAGEM (AIRBNB - BRL 510,34 - 3 diárias): Apartamento de 3 quartos e 2 banheiros no bairro da Recoleta, na Calle Posadas. Escolhi 3 diárias para não ter que ficar o dia todo na rua até voltar ao aeroporto (o voo de volta era perto da meia noite).
      3 - SEGURO VIAGEM (ALIANZ - BRL 90,78 - 3 dias/ 3 pessoas): Aproveitei uma promoção que apareceu pelo Melhores Destinos...não precisei utilizar.
      DIA 1 - 25/10
      Partida: O voo iria deixar o portão as 18h30 da sexta-feira, então sem chance de cumprir minha jornada integral no trabalho nesse dia (trabalho até 18h na Zona Sul de SP). Então negociei meio período de ausência com a chefia. Detalhe: Fui de transporte público todo o trajeto, há alguns meses existe uma extensão da linha de trem que liga o Aeroporto de Guarulhos até a malha ferroviária de SP, ele parte da estação da Luz em (poucos) horários específicos. Paguei R$ 8,00 (tem que ser em dinheiro vivo) por uma viagem sem paradas até GRU. Quase que perdi o trem das 14h (depois salvo engano só teria outro as 16h, ver horários e tarifas aqui), mas consegui pegar e valeu muito a pena, o trem vai bem vazio e chega lá em rigorosos 35 min...para ter uma ideia meus pais foram de 99 entrando na marginal Tietê quase no mesmo horário e distância do aeroporto e chegaram lá uns 20 min depois. O problema é só esperar o Shuttle que leva aos terminais (ônibus lotado e sem a/c) pois a estação é distante em mais de 1km (há previsão de construção de um monotrilho para cumprir esse trajeto até 2021).
      Chegada/câmbio/transporte: O voo foi tranquilo, saiu com um leve atraso, mas chegou no horário previsto (21h30). O fuso horário de toda Argentina é o mesmo do que o de SP então sem nenhum problema em relação a jetlag. Passamos pela imigração (só perguntam para onde vai e onde vai ficar), e procurei por placas indicando a localização do Banco de La Nación para fazer câmbio. Aí veio a primeira impressão negativa (seriam bem poucas ao longo da viagem), o aeroporto de Ezeiza é uma zona,mal sinalizado e muito apertado. O bom é que o português é quase um segundo idioma oficial então achar algum funcionário que entende algo não será difícil. Depois de perguntar no balcão de info localizei a agência, que fica beem escondida. Lá troquei BRL 500,00 por ARS 7.050,00. Depois, nova penúria para achar o ponto onde era mais tranquilo de pegar Uber (ainda há uma tensão no ar em relação a briga com taxistas, mas pessoalmente não vi nenhuma confusão nesse sentido). Então para te poupar desse martírio já te digo: ao sair do aeroporto (Terminal A, de onde chegam os voos internacionais) você vai andar reto por pelo estacionamento A e passar por uns desvios (quando fui estavam ocorrendo obras no entorno) até chegar no Estacionamento B que é envolto por uma avenida circular (ver mapa abaixo). Nessa avenida pode ficar esperando o Uber tranquilamente. Ficamos próximos ao terminal de ônibus.

      Uber (Ezeiza até Recoleta ARS 682,43): Tive muitas experiências ruins com Uber na cidade. Não sei se foi azar, a hora, má-fé generalizada ou problemas com a economia local, mas simplesmente todos os motoristas que peguei (exceto um) queriam receber a corrida em dinheiro ou reclamavam que só pegavam corridas em cartão de crédito. Fiquei mais de meia hora até achar um motorista que aceitasse receber no cartão através do APP, alguns simplesmente cancelavam a corrida se você falasse que não iria pagar em dinheiro. E como sei bem do golpe da nota falsa eu me recusei a aceitar isso. Por todos esses motivos fomos sair do aeroporto já eram 23h (um bom samaritano enfim aceitou pagamento no cartão e não reclamou por isso). Outra coisa a maioria dos carros que servem o Uber lá são mais velhos do que os daqui (exceto novamente essa pessoa que me buscou no aero). A viagem do aeroporto até o centro de BsAs é longa, 40 minutos por uma auto-estrada com dois pedágios. Fui chegar no AirBnB já era meia noite passada.
    • Por Alan karleno
      Fala Mochileiros..
      Procuro dicas para aperfeiçoar o meu roteiro e a quantidade de dias que se faz interessante para cada local. Planejo o roteiro entrando pela Argentina (buenos Aires), saindo pelo Chile (Santiago), em junho de 2020. Tenho 25 dias disponíveis. 
      Vôo. Teresina & buenos Aires (buenos Aires 3 dias).
      Vôo. Buenos Aires & Bariloche (Bariloche  + Villa la angostura 5 dias). 
      Vôo. Bariloche & Buenos Aires e Buenos Aires Ushuaia. (Dia para viagem). 
      Vôo. Ushuaia & El Calafate (4 dias El Calafate).
      Ônibus. El Calafate & Puerto Natales (5 dias Puerto Natales + Parque torres del paine). 
      Ônibus. Puerto Natales & Puta Arena (2 dias Puta Arena).
      Vôo. Punta arenas & Santiago ( 4 dias Santiago) + VALLE NEVADO ou FARELLONES.
      Vôo. Santiago & Teresina. 
      1 dias para emprevisto.
      Quero aproveitar ao máximo o tempo em viagem.
      Desde já agradeço pela atenção.
      Bora Mochila..
       
       
       
       
       
       
       

×
×
  • Criar Novo...