Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

INFORMAÇÕES GERAIS

Visto: dispensa de visto por até 180 dias
Passaporte: passaporte com pelo menos seis meses de validade
Vacinas:  não exige vacina de febre amarela
Quando ir: o ano inteiro; entretanto dez-fev é alta temporada e mar-abr é período de spring break, portanto, fuja dessas datas
Moeda: peso mexicano MXP ($)
Idioma oficial: espanhol
Cod. telefone: +52 (código de Cancun 998)
Padrão bivolt: 127V
Tomadas: A, B


Dica 01: Escolha Playa del Carmen como sua base para a maioria dos passeios, já que eles estão muito mais perto de Playa do que de Cancun.

Dica 02: Deixe Cancun para o final, apenas para descansar e curtir praia e balada.

Dica 03: todos os passeios negociados diretamente em Cancun ou Playa foram mais baratos do que aqueles negociados pelos sites de internet, portanto, COMPRE TUDO LÁ.


PLAYA DEL CARMEM
Existem ônibus diários, da Empresa Ado, que saem do aeroporto para Playa de Carmem (1h de viagem), a partir das 08:30h até 23:59h por U$10 ou $225.

Hospede-se na 5a Avenida.

Playa Del Carmen é base para os passeios em X-caret (fica ao lado), Cenote Rio Secreto (museu de cristal), Tulum, Xel-Há e Cenotes Dos Ojos, todos a 50km, Cozumel (em frente, ferry-boat de hora em hora por 45min), Akumal (40km e point das tartarugas; tempo de passeio: 1,5-3h), ruínas Chichén-Itzá (2,9km).

Não há necessidade de carro.

As baladas em Playa ficam na Calle 12 entre a 5a avenida e a praia.

Restaurante em Playa: Alux


COMO LOCOMOVER-SE EM PLAYA, CANCUN OU TULUM:
Existem VANS para a maioria dos pontos turísticos que custam entre 40 a 45 pesos ou R$7,50 a R$8,00.

Em Playa, as vans passam na Calle 2, entre as avenidas 15 e 20; em Cancun, as vans ficam no centro urbano (não passam na Zona Hoteleira), na Avenida Tulum com a Avenida Uxmal (no estacionamento do supermercado Mega Comercial Mexicana, em frente ao Terminal da ADO; use a linha de ônibus R1 para ir da Zona Hoteleira até lá); em Tulum é na avenida principal da cidade.

O caminho do colectivo, saindo de Playa, é mais ou menos o seguinte: Playa del Carmen -> Xcaret -> Xplor -> Praia Paa Mul -> Puerto Aventuras -> Cenote Cristalino -> Cenote Jardín del Éden -> Cenote Azul -> Xpu-Há Beach -> Akumal -> Xel Ha -> Ruinas Tulum -> Tulum (cidade).


ROTEIRO DIA A DIA

Dia 01: descanso

Dia 02: Akumal (praia das tartarugas gigantes)

Pegue uma van e desça em Akumal. Paga-se cerca de $600 (R$119) pesos pela entrada e aluguel do equipamento com guia (snorkel e colete).

 
a27d24_bf0feff972084a4d9d3763abf6b929b5~

Playa de Akumal


Dia 03: Cozumel

A viagem para Cozumel pode ser realizada de Ferry, que dura cerca de 35min a partir de Playa. As operadoras são:

Ultramar
Preço: $400, U$18 ou R$100,00
Endereço: Terminal Marítima NAVEGA, Av. Benito Juárez, de h em h de 7-22h

Mexico Water Jets
Preço: $440, U$20 ou R$110, de h em h de 8-20h

Barcos Caribe
Preço: $270, U$16 ou R$67, somente de Cozumel-Playa del Carmen
Obs.: ponto mais famoso para mergulho é a praia de Palancar

Operadora de mergulho:
Blue Magic Scuba; U$90 mergulho com cilindro + U$25 equipamento (7:30/13h) ou U$80 com equipamento comprado no quiosque da 5a Avenida.

Obs.: Ultramar é a mais confortável.

 
a27d24_6da571c62e994d41b4c8c67075aaefc6~mv2.webp
 
 
a27d24_79098af4f5cf45bf8311ae844b1e1932~

Mergulho em Cozumel



Dia 04: X-plo

Ingresso X-plo: U$116,99 (transporte e alimentação no site do X-plo) ou U$109 com transporte e alimentação comprado no quiosque da 5a Avenida


Dia 05: cenotes

Cenote Dos Ojos: $550 (R$137) mergulho com colete e snorkel; fica na estrada entre Playa e Tulum; dá pra ir de van

Cenote Rio Secreto: U$79 (R$440); dá pra ir de van
 

a27d24_44f4389c7a7d4038afe2d7fefb076474~

Cenote Dos Ojos


Dia 06: ruínas

Tulum
Horário: 8-16h
Preço: $70 (R$18)
Obs.: pode-se ir de van; reserve uma manhã ou uma tarde.

Chichén-Itzá
Horário: 8-16h
Preço: $64 (R$16)
Obs.: alugue um carro ou pague uma condução específica; reserve um dia, pois fica a cerca de 2h30min de Playa.

 
a27d24_fd810ae48ce44775b48ebc6f3d88c8cd~

Chichén-Itzá



Dia 07: MUSA

O mergulho com cilindro no MUSA, em Cancun, custa cerca de U$90 (R$500) e sai às 10:30am.

 
a27d24_b48ab0ec918140f4806664174f3773f8~

MUSA



Dia 08: Tubarão-baleia

O mergulho para ver os tubarões-baleia saem tanto das Ilhas Holbox ou Contoy, como da Isla de las Mujeres, todas perto de Cancun.

Opção de operadora de mergulho: Blue Magic (Cozumel), Phanton Divers, Solo Buceo.

O mergulho com tubarão-baleia tem duração de 5h e custou cerca de U$165 (R$620) pela Solo Buceo. O passeio saiu às 6:30am.

Obs.: tudo foi comprado e agendado no próprio hotel, durante a nossa estada.
 

a27d24_831c20dbe7364686b5113d0d6c5c9224~

Mergulho com tubarão-baleia



Dia 09: Isla de las Mujeres

Ferry para Isla Las Mujeres: trajeto feito por Ultramar
Horário: de h em h de 9-17:15h
Preço: U$13,95 (R$78)
Endereço: Cancún, Playa Caracol, Blvd.Kukulcán km 9.5, Hotel Zone Dia 10: retorno
ROTEIRO CANCUN (10 DIAS)
 

OBSERVAÇÕES DE CANCUN

Baladas: Cocobongo, Daddy O., Señor Frogs.

Melhores hoteis: na barra superior do 7 (Dream Sands, Riu Cancun e Riu Palace das America’s).


DEMAIS PONTOS TURÍSTICOS DE CANCUN

Paroquia de Cristo Resuscitado
Horário: seg-sex de 7:30-20h
Entrada gratuita

Museo Maya de Cancun
Horário: ter-dom de 9-18h
Preço: $80 (R$20)

La Isla Shopping Village: um shopping a céu aberto, bastante original, nos arredores de uma marina de onde partem vários passeios para ilhas adjacentes. Considerado um dos shoppings com o maior custo-benefício de Cancun, com preços que podem ser comparados aos que são praticados no Brasil.

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Boa noite 

você foi quando? Pra poder ter uma ideia desses valores que você postou

Quero ir em abril de 2021 e queria ter uma noção dos preços dos passeios, pois pelas agências disponíveis pela internet estão todos muito caros (tudo em torno de US$ 100 cada) 

obrigada 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por ms.priscila
      https://feitaprafugir.com.br/roteiro-africa-do-sul/
       
      INFORMAÇÕES GERAIS

      Visto: dispensa de visto por até 90 dias
      Passaporte: deve ter validade de pelo menos 1 mês da data do retorno ao Brasil
      Vacinas:  exige vacina de febre amarela
      Quando ir: o ano inteiro
      Capitais: Cidade do Cabo, a maior das três, é a capital legislativa; Pretória é a capital administrativa e Bloemfontein é a capital judiciária
      Moeda: Rande (R)
      Idioma oficial: 11 línguas oficiais, entre elas o inglês
      Cod. telefone: +27
      Padrão bivolt: 230V
      Tomadas: C, D, M, N
      Principais operadoras telefônicas: vodacom (data), MTN, Cell C e Telkom 
      Empresas aéreas low cost: Kulula, Mango, Fly Safair (não é boa)


      VISÃO GERAL DA ÁFRICA DO SUL
      Os principais lugares para se conhecer na África do Sul são Cape Town, Rota Jardim, Rota Panorâmica, safáris e Johannesburgo, sendo que a rota panorâmica e safáris estão próximos a Johannesburgo (também chamada de Gauteng).
        A Rota Jardim é ruma rota cênica que inicia-se em Cape Town até Port Elizabeth ou vice-versa. No caminho, passa-se por varias cidadezinhas, que guardam seus principais pontos turísticos: Stellenbosh e Franschhoeck (vinícolas), Gansbaai (mergulho com tubarão na gaiola), Outdshoorn (fazenda de avestruz e cango caves), Knysna (the heads), Plettenberg  Bay (Storms River National Park e Reserva Robberg), Tsitsikamma Park (face adrenalin: maior bung jumpee de ponte do mundo).
        A Rota Panorâmica (ou Panorama Route), por sua vez, é um caminho ao longo do Blyde River Canyon, o terceiro maior canyon do mundo, em Mpumalanga, e que guarda paisagens incríveis. Está a apenas 1h30min do Kruger Park. A ideia é fazer o pernoite na cidadezinha de Graskop e reservar um a dois dias para percorrer a região. 


      SOBRE OS SAFÁRIS
      02 dias inteiros de safári são suficientes. Não conte o dia da chegada e da partida; gasta-se cerca de 7h de carro ou 1h de avião. Então isso geralmente soma 4 dias no total: 1 para ir + 2 no parque + 1 para voltar. Quem tem pouco tempo, pode apertar em 3 dias: sai cedo e já faz um safári noturno no dia da chegada + 1 dia de safári inteiro + safári de manhã e partida.
        http://www.feitaprafugir.com.br                
      O Kruger Park é um parque nacional e dentro dele estão vários acampamentos, sendo o Skukuza um dos principais por sua infraestrutura (restaurante, lojas, mercadinho, piscina e museu). Dentro do parque há varias estradas devidamente demarcadas, onde os turistas podem fazer os self drives ou os safáris organizados pelo local.

      Também pode-se optar pelos game reserves, que são estabelecimentos privativos, ao redor do Kruger, e em sua maioria lodges de luxo e, obviamente, mais caros. Neles, diz-se que os safáris são mais rústicos, já que não percorrem as estradas já abertas, como ocorre no Kruger.

      Optamos pelo parque nacional e não nos decepcionamos. Vimos vários animais na beira da pista e quatro dos chamados Big Five, os animais mais difíceis de serem visualizados.

      Melhores lugares dentro do parque: Skukuza, Pretoriuskop.

      Melhores lugares fora do parque: Hazyview, Sabie Sand Game Reserve (Elephants Plains Game Lodge).


      SUGESTÃO DE ROTEIRO 05 dias: Cape Town
      05 dias: rota jardim
      02 dias: Johannesburgo
      03 dias: Safari
      02 dias: rota panorâmica 
      03 dias: Durban (mergulho)


      PONTOS TURÍSTICOS DE CAPE TOWN

      Cidade do Cabo City Sightseeing:
      Preço: R280 (R$81) 2 dias e R180 (R$52) 1 dia

      Restaurante La Colombe (necessita reserva) 

      Degustação de cervejas: Devil’s Peakn, Beer House, Woodstock Brewery

      St. George catedral (ao lado do Company´s Garden)
      Horário: 9-13h
      Gratuito

      Company´s Garden
      Horário: todos os dias de 7-19h (inverno) e 7:30-20:30h (verão)
      Gratuito

      Jardim Botânico Kirstenbosch
      Horário: todos os dias de 8-19h
      Preço: R75 (R$25)
        Jardim Botânico Kirstenbosch

      Long Street (a noite): Bar Beerhouse

      Truth Coffee Roasting – indicado como melhor café do mundo pelo The Telegraph

      V&A Waterfront: complexo de lojas, bares e restaurantes

      Robben Island  
      Horário: 9h, 11h, 13h, e 15h
      Preço: R360 (R$116); obs.: onde Mandela ficou preso (passeio dura 4h); o passeio sai do W&A Waterfront
      Obs.: procure fazer o passeio nos primeiros dias, pois este depende de condições climáticas.

      Boates: Cocoon e Shimmy Beach Club

      Table Mountain
      Horário: todos os dias de 8-13h
      Preço: R360 (R$116); obs.: ir de manhã por causa do tempo
      Obs.: fora o funicular, a Table Mountain possui várias trilhas, que podem ser percorridas em 1h30min, 3h e até 4h. Percorremos a trilha Índia Venster, que durou 3h, com paisagens imperdíveis. Apesar de ser classificada como difícil, esta trilha pode ser feita por qualquer pessoa, que não tenha medo de altura e algum preparo físico.   
      Escalada da Table Mountain

        A Renata Sarzi, do A Dream Overland, classifica as trilhas da seguinte forma:

      Platteklip Gorge Tempo: Pelo menos 1h30 (subida) e 1h (descida)
      Grau de dificuldade (fôlego): Pesado (subida) e leve (descida)
      Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve
      Vista e paisagem: ★★★★★
      Avaliação da trilha: ★★★★★ Chata
      Onde a trilha começa: Tafelberg Rd (na mesma rua do Cableway)
      Custo: $ Gratuito

        India Venster
      Tempo: 3h00 (subida)
      Grau de dificuldade (fôlego): Moderado a pesado (subida)
      Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve a moderado
      Vista e paisagem: ★★★★★
      Avaliação da trilha: ★★★★★
      Onde a trilha começa: Tafelberg Rd (na mesma rua do Cableway)
      Custo: $ Gratuito
      }
       
      Skeleton Gorge
      Tempo: 4h00 (subida)
      Grau de dificuldade (fôlego): Moderado (trilha bem longa)
      Grau de dificuldade (técnica e exposição à altura): Leve
      Vista e paisagem: ★★★★★
      Avaliação da trilha: ★★★★★
      Onde a trilha começa: Jardim Botânico Kirstenbosch
      Custo: $ Entrada no Jardim Botânico (cerca de R60)
       
      Signal Hill (ao lado do bairro Bo Kaap): ir no pôr do sol (estação de ônibus mais próxima é Kloof Nek)
        Signal Hill

      Galileo Open Air Cinema
      Horário: os portões abrem de ter-sex as 17h e sab-dom as 16h; o cinema começa entre 19:30-20:30h; cinema ao ar livre
      Preço: R105 (R$34)

      Gold Restaurant
      Jantar com danças típicas: R380 (R$123)
        Jantar no Gold Restaurant

      Castelo da Boa Esperança
      Horário: tour guiado 11:00 | 12:00 | 14:00 | 15:00 | 16:00; troca de guarda seg-sex de 10-12h
      Preço: R50 (R$17)

      District Six Museum
      Horário: seg-sab de 9-16h
      Preço: R45 (R$15)

      Cape Point
      Horário: 9-17:30h
      Preço: R320 (R$103) e funicular  R85 (R$28 ida e volta) ou R70 (R$23 só ida)
        Cabo da Boa Esperança

      ROTEIRO DIA A DIA EM CAPE TOWN
      Dia 01: The Old Biscuit Mill Market (só aos sábados), Robben Island, V&A Waterfront; cinema ao ar livre; balada a noite

      Dia 02: St. George catedral (ao lado do Company’s garden), Company´s Garden, Castelo da Boa Esperança, Jardim Botânico Kirstenbosch, degustação de cerveja na Beerhouse a noite

      Dia 03: District Six Museum, bairro Ko Baap, Signal Hill (por do sol)

      Dia 04: table mountain, praia de camps bay (fim de tarde) e clifton beach; jantar no Gold Restaurant

      Dia 05: vá por Hout Bay; Chapman’s Peak; Cabo da Boa Esperança; Cape Point; Boulders Beach (alugue um carro)


      VINÍCOLAS
      Groot Constantia (mais antiga vinícola)
      Horário: todos os dias de 9-17h
      Preço: R115 (R$38); obs.: a 15 min de Cape Town
      Stellenbosh (42 minutos de Cidade do Cabo): principal cidade do circuito de vinícolas da África do Sul, Stellenbosh é uma cidade universitária, com um centrinho bonito, agitado e cheio de bons cafés, bares e restaurantes. Existem dezenas de (ótimas) vinícolas pela região.
      Franschhoeck (40 minutos de Stellenbosh): uma cidade bem pequenininha, situada no meio de um vale de montanhas. Bem romântica e ideal para descansar e para quem gosta de vinhos e belas paisagens. Os restaurantes também são muito bons.

      Aqui pode-se encontrar o Wine Tram, um passeio em ônibus e trem, que percorre varias vinícolas da região, dependendo da linha que se escolhe, no momento da compra. São 08 linhas classificadas por diferentes cores e cada uma apresenta diferentes roteiros. Ideal para quem não quer ficar bebendo e dirigindo entre uma vinícola e outra. Esta foi nossa opção e adoramos. 
        Vinícola da rota da Wine Tram

      ROTA JARDIM – Gansaai, Cabo das Agulhas, Oudtshoorn, Knysna, Tsitsikama/Storms River Plettemberg Bay 
      obs.: algumas das informações abaixo foram retiradas do site I Love Trip.
      Gansbaai (1h40min de Franschhoeck) – mergulho com tubarões: esse é o melhor lugar para você fazer o incrível mergulho com tubarão branco da África do Sul. Não deixe de incluir esse passeio no seu roteiro de viagem.  Quanto tempo: manhã. 

      Existem várias empresas que realizam este passeio em Gansbaai, são elas:
      1. Great White Shark Tours
      2. Marine Dynamics
      3. Shark Diving Unlimited
      4. White Shark Ventures (R1750 ou R$488; nossa escolha e super recomendo)
      5. White Shark Projects
      6. White Shark Diving Company
      7. African Shark Eco Charters

      Obs.: caso não seja possível a visualização de tubarões, já que o local é apenas rota para esses animais, algumas escolas disponibilizam voucher para re-agendamento em outro dia.

      Cabo das Agulhas (1h20min de Gansbaai) – o Cabo das Agulhas marca o encontro dos oceanos Índico e Atlântico, estando junto a um Farol, que também pode ser visitado.
        Cabo das Agulhas

      Oudtshoorn (3h45min de Cabo das Agulhas) – muitos fazem um desvio na Garden Route para ir até Oudtshoorn, a capital mundial do avestruz, com diversas fazendas de avestruzes. Esse desvio só vale a pena se você fizer questão e tiver tempo. A principal atração turística da cidade é a Cango Caves, cavernas com tour para visitação.

      Highgate Ostrich Show Farm (fazenda de avestruz)
      Preço: R372 com almoço (R$120); tour parte de 8-16 e almoço de 11-14h

      Cango Caves
      Horário: 9-15:30h; o passeio dura 60 minutos (Heritage Tour) ou 90 minutos (Adventure Tour); a temperatura é de 18o
      Preço: R120 (R$39) ou R180 (R$59)
          Cango Caves

      Knysna (1h40min de Oudtshoorn) – uma das cidades mais importantes para o turismo na África do Sul, Knysna (a pronúncia é “Naisna”) tem um charme e elegância com seus morros de calcário e a lagoa formada pelas águas do Oceano Índico. Um píer charmoso, além de mirantes, passeios e bons hotéis e restaurantes tornam o lugar bastante agradável. Knysna também é conhecida como a capital mundial das ostras.

      Plettenberg  Bay (30 min de Knysna) – uma das principais cidades turísticas da África do Sul que não pode ficar fora do seu roteiro. A cidade praiana é super charmosa, com bons restaurantes e hotéis e vistas incríveis do mar para observação de golfinhos; e ainda, com dois parques imperdíveis. Base para visitação das reservas Robberg e Storms River e para o salto de bung jumpee.

      Reserva Robberg
      Horário: 7-20h
      Preço: R50 (R$16) day acess

      Storms River National Park
      Horário: 6-22h
      Preço: R290 (R$94), incluídos passeio de caiaque, trilha até a ponte suspensa e trilha ao topo da montanha (1h30min).

      Obs.: Você também pode dormir em um dos alojamentos do parque (faça essa escolha como base para visitação da Reserva Robberg, Storms River e bung jumpee).

      Face Adrenalin (bungee jump) – nessa região fica uma das atrações turísticas mais conhecidas da África do Sul, o mais alto bungee jump de ponte do mundo, com 216 metros. O visual é incrível com muito verde e o Oceano Índico ao fundo. Quanto tempo: meio dia.
      Horário: 9-16h
      Preço: R1400 (R$453) + R400 (R$130 foto e vídeo)

      Port Elizabeth (45min de Tsisikamma) – é uma cidade banhada pelo Oceano Índico, colonizada pelos ingleses e com grande valor histórico. Com praias, comércios e vida própria, a cidade é procurada para o turismo na África do Sul e é ponto de partida para iniciar ou finalizar a Garden Route. Se quiser conhecer mais a cidade fique um dia.

      Obs.: em Port Elizabeth, na reserva Dorkin, pode-se visitar a Escultura da Fila da Votação, que marcou a primeira eleição democrática do país, gratuitamente.


      PONTOS TURÍSTICOS DE JOHANNESBURGO É necessário pegar um avião de Port Elizabeth para Johannesburgo (R$350 em 2018).
      Joanesburgo City sightseeing: R320 (R$103) 2 dias e R255 (R$83) 1 dia; Ticket office: Tyrwhitt Avenue pedestrian zone, next to Hamleys; 9-19h

      Museu do Apartheid
      Horário: todos os dias de 9-17h
      Preço: R100 (R$33)
      Obs.: reserve ao menos 3h para visitação.

      Soweto (bairro onde morou Mandela – passeio de bike)
      Preço: R550 (R$178 por 2h)

      Nelson Mandela Square e Sandton City: um grande complexo comercial em uma das regiões mais desenvolvidas de Johannesburgo

      Constitution Hill (prisão onde ficou Mandela)
      Horário: todos os dias de 9-17h
      Preço: R100 (R$33)
      Obs.: contratamos o serviço do guia Ruben, de Moçambique e que fala português. Ele cobrou o valor de R500 (R$140) por pessoa para percorrer os principais pontos turísticos da cidade de 9-16h, com parada para o almoço (não incluído no valor). Contato: +27 73 157 2611 / +27 60 507 4039.


      HOSPEDAGENS DA VIAGEM AVALIADAS POSITIVAMENTE

      Melhores bairros em Cape Town: Green Point, Waterkant e Beira mar 

      Hospedagem em Cidade do Cabo – The Greenhouse Boutique Hotel

      Hospedagem em Ganssai – 28 Kolgans

      Hospedagem em Outdshoorn – Karoo Retreat

      Hospedagem em Plettenberg  Bay – Riverclub Villa 4200 (melhor hospedagem da viagem)

      Hospedagem em Graskop – Blyde Lodge

      Hospedagem em Johannesburgo (pernoite para retorno ao Brasil) – Europrime Guesthouse (café e transfer gratuito)

      Obs.: os carros foram alugados pela rentalcar.


      SAFARI (O QUE LEVAR)

      – Repelente: Use na pele exposta e nas roupas também. O mais eficaz é o repelente à base de dietiltoluamida (DEET). É importante reaplicá-lo a cada 3 horas (no caso de concentração de 20%), 6 horas (concentração de 30%) ou 12 horas (50% de DEET). Atenção! O repelente deve ser aplicado DEPOIS do filtro solar.

      – Use roupas que protejam todas as áreas do corpo, com mangas compridas, calças compridas, roupas soltas, e sempre use meias (sei que às vezes pode estar calor… Mas tente!!!). Pulverize as roupas com permetrina (presente em inseticidas e repelentes) para reduzir o risco de mordida através da roupa. O site Extreme UV vende camisas anti-mosquito e com proteção UV (super frescas no calor).

      – As recomendações são usar roupas de tons pastéis, não usar perfumes muito fortes, não levantar, não gritar e não falar alto, principalmente se estiver próximo dos animais; não fumar. Levar uma roupa de frio, levar óculos escuros, chapéu/boné, repelente e protetor solar. Não esquecer máquina fotográfica e, se puder, um binóculo.


      PONTOS TURÍSTICOS DO BLYDE RIVER CANYON (Rota Panorâmica)

      1. Lisbon Falls: 8-17h; R10 (R$3) e Berlim Falls
      2. Bourke’s Luck Potholes: 7-17h; R63 (R$18)
      3. Three Rondavels: 7-17h; R30 (R$9)
      4. God’s Window: 7-17h; R17 (R$5)
      5. The Pinnacle Rock: 7-17h; R17 (R$5)
       
      Three Rondavels
        Bourke’s Luck Potholes

      Uma dica de restaurante na rota é o Kadisi Restaurant, dentro do Forever Blyde Canyon Resort; serve comida africana e tem uma vista espetacular. O restaurante está ao lado da Three Rondavels.


      MERGULHO EM UNKOMAAS (40min de Durban)
      Para quem pratica mergulho, em Unkomaas é possível mergulhar com os tubarões sem gaiola. A experiência é incrível. Esse mergulho é chamado de Baited Dive.

      Contratamos o serviço da Blue Ocean Dive, que nos fez um pacote com 04 mergulhos (tubarão, naufrágio e dois arrecifes), todo o equipamento, transfer, café da manhã e hospedagem para 02 dias por R$1.500 por pessoa.

      A estrutura do local é absurda. Trata-se de um prédio onde estão alocados o hotel, restaurante e dive center.

      É necessário ser mergulhador avançado com o mínimo de 30 mhttp://www.feitaprafugir.com.brergulhos. Isso porque é realmente um mergulho bem independente. A DM repassa as informações e você cuida de si e do seu dupla dentro da água. 
    • Por Paulonishi
      13/03/2020
      Aproveitando o passeio ao Sítio Arqueológico de Ek Balam, depois emendei para conhecer o Cenote X-Canche, que fica nas proximidades e logo após a recepção principal.
      Cenotes são grandes reservatórios naturais de água doce e grandes responsáveis por sustentar a civilização Maia e a população atual no meio de lugares extremamente quentes e secos, como na região de Yucatan.
      No final do relato, deixei o link para o vídeo com dicas detalhadas dessa atração!

      A entrada custa $80 pesos e existe a opção de alugar uma bicicleta por $90 ou pagar um bici-táxi para evitar a caminhada de 2 km até o Cenote... 
      E é claro que fui à pé... 😂
      O sol estava terrível e soprava um vento quente, como se estivéssemos em um verdadeiro forno!

      Chegando ao local, encontramos a recepção e nos encaminham ao vestiário para tomar uma ducha. Para preservar as águas do Cenote é recomendável que não se usem protetores solares, salvo aqueles que vendem específicos para os parque aquáticos e que não deixam resíduos. Eu não uso, pois prefiro me proteger com as roupas com filtro solar.
      Feito isso, já em roupas de banho (fui de bermuda térmica mesmo 😜), chegamos ao Cenote... E a visão é impressionante!

      A descida se dá por escadas, mas também tem a opção de fazer um rapel (pago à parte).
      É uma experiência inesquecível... Não vá à região sem conhecer essas dádivas da natureza!

      A água é de um azul-turquesa muito transparente!
      Para aqueles que tem algum receio, haja visto que a profundidade é de mais de 30 metros 😬, tem a disposição coletes para aluguel. Atravessando colocaram uma corda para ajudar a quem fica na água e é muito útil mesmo.

      Passei um bom tempo me refrescando e apreciando o contato com a natureza... Existem até alguns peixinhos parecidos com bagres.
      Em alguns pontos, existem plataformas para quem quiser dar um mergulho... E é uma experiência fantástica!

      Saindo do Cenote tem um restaurante, local para acampamento e banheiro limpos. 
      Foi uma ótima experiência poder conhecer esse lugar!
      O único problema é voltar os 2 Km sob o sol... Mas, depois de me refrescar até que pareceu ter sido mais tranquila a volta.
      Para o retorno à Valladolid, tive que esperar o táxi atingir a sua lotação. Pouco tempo depois apareceram mais duas turistas e ficou faltando uma pessoa. Passou-se mais de 30 minutos e resolvemos rachar a diferença e cada um pagou $70 para voltar logo... Foi um gasto a mais, porém compensou o tempo que economizamos!
      Confira os detalhes no vídeo aqui abaixo...
      Mochilão pelo México: o Cenote X-Canche
       
    • Por LisTrancoso
      Olá viajantes incríveis de todo o mundo. 
      Estou n-morando no México desde 15 de janeiro por conta de um intercâmbio. Sim, meu intercâmbio ocorreu justamento numa época louca de pandemia. 
      Enfim, eu vivo em Pachuca, Hidalgo, fica cerca de 1h30 da CDMX, porém, minhas aulas acabavam em maio e comprei passagem para voltar para o Brasil saindo de Cancún, porque a ideia era fazer um roteiro de pelo menos 15 dias entre Cancún, Playa del Carmen e Tulum. 
      Porém, com toda essa loucura eu estou em dúvida do que fazer, se essas coisas ainda vão poder acontecer, medo de aglomeração e tudo mais. Mas, para não pirar e conseguir fazer alguma coisa, caso a quarentena acabe em Cancún em 10 de junho, estava pensando em alugar um quarto e viver o ultimo mês la e talvez pegar alguns dias de praia. 
      Porém, como é uma cidade muito cara, não sei se é viável e seguro. Gostaria da opinião de vocês. Caso a quarentena acabe, será que vale a pena alugar um quarto por um mês? Ou talvez somente os últimos 10 dias em julho em hostel mesmo? 
      Se puderem me ajudar, tiverem dica de local seguro para ficar. Agradeço. 
    • Por Paulonishi
      A intenção da viagem é a de conhecer os sítios arqueológicos da civilização maia, pois o tema Arqueologia é a minha principal motivação para as viagens pelas Américas 🤠 (Peru, Bolívia, Chile e agora México). Cancún foi escolhida como a porta de acesso e, assim, comecei a fazer um roteiro e a pesquisar os sítios arqueológicos que seriam possíveis de serem visitados durante os 10 dias em que permaneceria no México. Comprei as passagens de São Paulo (Congonhas) x Cancún pela empresa Gol, que fez uma boa promoção ao preço de R$ 1600,00, já com todas as taxas. As passagens de Florianópolis x São Paulo, incluindo o retorno, consegui comprar com as minhas milhas no programa Smiles.
      Algumas passagens de ônibus do roteiro comprei no site da empresa de ônibus ADO e, por terem sido compradas com antecedência, garanti um bom desconto que chegou a mais de 60%, como foi o caso dos trechos de Valladolid x Chichén Itzá (ida e volta) e Mérida x Cancún (somente ida). Vale muito a pena pesquisar e comprar mesmo com a taxa de IOF e variação do câmbio no cartão de crédito.
      Comprei dólares para levar, aguardando até o último momento para ver se baixava, mas não teve jeito... A cotação que peguei em 03/03/20 foi a de R$ 4,75 por doleta, e mesmo assim, com a disparada que aconteceu nas semana seguintes, chegando a R$ 5,25, até que me dei bem.
       
      O roteiro estabelecido foi o seguinte:
      07/03 - Embarque em Florianópolis com destino a São Paulo (Congonhas), para, de lá, pegar outro vôo até Brasília;
      08/03 - Embarque em Brasília com destino a Cancún
      10/03 - Deslocamento de Cancún a Tulum;
                  - Visita ao sítio arqueológico de Tulum
                 - Pernoite na cidade.
      11/03 - Visita ao sítio arqueológico de Cobá;
                  - deslocamento de Tulum a Valladolid;
      12/03 - Visita ao sítio arqueológico de Chichén Itzá;
      13/03 - Visita ao sítio arquelógico de Ek Balam e Cenote X-Canche;
      14/03 - Deslocamento de Valladolid para Mérida
      15/03 - Visita ao sítio arqueológico de Mayapán e Cenote de Telchaquillo;
      16/03 - Visita ao sítio arqueológico de Uxmal
      17/03 - Deslocamento de Mérida para Cancún
      18/03 - Compras no Walmart e Mercado 28
                  - Embarque de retorno de Cancún para São Paulo (Congonhas)
       
      Assim sendo, com todos os lugares definidos, hostels reservados (mas não pagos) pelo Booking e U$ 500 no bolso, estava pronto para mais um mochilão... Desta vez pelo México!
       
      07/03/20 - sábado
      Minha viagem teve início em Florianópolis, mais precisamente no bairro de Canasvieiras, norte da Ilha.
      Cheguei no terminal urbano de Canasvieiras, carreguei o cartão de transporte com 20 reais e fui para a fila do ônibus direto ao centro, linha TICAN x TICEN (210) . Como tenho o cartão, a viagem ficou R$ 4,18, senão seriam R$ 4,25. Saímos às 07:50h e chegamos às 08:20h sem pegar trânsito, pois era um sábado. No terminal do centro (TICEN), vi o que horário do próximo ônibus direto e seria só às 09:20h e, para não ficar esperando muito, perguntei e foi indicado ir ao Terminal do Rio Tavares, pegando o ônibus da linha 410 TICEN x TIRIO, que saiu logo em seguida e em menos de 30 minutos, já chegamos no TIRIO.  O próximo ônibus para o Aeroporto sairia às 09:00h (Aeroporto x Via Tapera 477) e saiu quase vazio o que foi muito bom para poder escolher um lugar e acomodar a mochila maior. 

      Apenas 15 minutos depois e já estávamos no Aeroporto, descendo bem em frente ao terminal de embarque.

      Olhei os voos para São Paulo, na intenção de pedir a antecipação se fosse o caso e tinha um que sairia em menos de 40 minutos. Até fui para a fila do balcão para tentar antecipar, mas demorou tanto que já não teria mais tempo hábil. Fui para o embarque e utilizei o cartão gerado na reserva pelo celuar, funcionando sem problema. No raio x, devido às diversas baterias dos equipamentos (power bank, gopro, gimbal, câmera fotográfica...), pediram para olhar a bagagem mais detalhadamente, mas já liberaram em seguida. Fui direto para o portão 11, pois sabia que existem algumas poltronas grandes e macias que muita gente não conhece...

      Consegui pegar uma, me instalando para o carregamento dias equipamentos, backup das fotos e também adiantar o upload, pois o wi-fi deste aeroporto é muito bom e permite conexão por até 3 horas.  Chamaram meu nome no alto falante e fui até o balcão ver do que se tratava. A fileira 13, na qual havia feito a reserva do assento, não existe nesse avião e me alocaram na 10A. O avião chegou atrasado, já às 11:45h, e ainda tivemos que aguardar o desembarque das pessoas que chegaram nela. Aproveitei que sou cliente ouro e entrei logo após os idosos. Para a minha surpresa, na minha poltrona não tinha janela! Justamente reservei para poder filmar a decolagem... Mas, ainda assim, com certo contorcionismo, consegui registrar com a GOPRO a bela visão da decolagem, que passa muito próximo à Ilha do Campeche.

      Durante o vôo serviram biscoito e peguei um suco junto, para enganar a fome, pois infelizmente o serviço da Gol nos destinos nacionais têm se resumido somente a isso...
      Chegamos a Congonhas por volta das 13:25h, tive que sair no desembarque e fazer novo embarque. Facilita bastante o fato de não ter bagagem despachada. O preço das comidas até que estavam razoáveis, com promoção no McDonald's de 2 sanduíches por R$ 15,00 e rodízio na Pizza Hut por R$ 30,00. Preferi ficar com meu lanche e chocolate mesmo. Achei um lugar com carregamento de energia e ocupei os bancos. A internet gratuita é boa, mas só permite o acesso a páginas da web e Facebook, não sendo possível fazer backup das fotos que tirei durante a viagem com a GoPro.
      Longa espera... Por volta das 17h vi a previsão de portão 12 para o vôo a Brasília (já fazendo parte da viagem comprada de São Paulo x Cancún), porém, chegando lá, já havia outro para o Rio quase no mesmo horário.
      Fiquei atento até que anunciaram a mudança para o portão 17, que fica no final do piso térreo. Tive que voltar quase todo o aeroporto para ir a esse portão!

      Embarquei rápido e fui o segundo a entrar no avião. Hoje, como todo mundo leva bagagem de mão, quanto mais rápido pudermos entrar, mais garantido fica o espaço no bagageiro. Nem podia pensar em despachar a mochila pois tinha todo o meu equipamento fotográfico dentro dela. O embarque demorou e a decolagem se deu com atraso, às 18:40h. Preferi sentar na poltrona 9D, corredor, para agilizar o desembarque.
      A surpresa boa foi o lanche que serviram, pois além do tradicional biscoito e suco, deram também uma barra de chocolate da Lacta 60% de cacau... 😋

      Ao pousarmos às 20:17h estava chovendo forte e na saída do finger perguntei ao funcionário da Gol se realmente poderia sair do aeroporto e embarcar amanhã, haja visto que seriam 14h de espera, e ele confirmou que sim. Quando saí do aeroporto já não chovia e fui me hospedar para o pernoite. Pensei em parar no restaurante do Posto Shell, mas segui em frente tendo em mente pedir algo pelo Ifood. Chegando no hotel, pedi uma pizza grande e aproveitando o desconto que tinha no Ifood, saiu por R$ 10,99 🤪. Às 22h chegou a pizza que não era muito recheada, mas matou bem a fome.

      Fiz os backups das imagens da Gopro e fui dormir por volta das 23h, com a intenção de acordar cedo para estar no Aeroporto por volta das 07:30h.
      Gastos no dia:
      R$ 4,18 (ônibus urbano em Florianópolis)
      R$ 4,50 (ônibus em Brasília)
      R$ 10,99 - pizza no Ifood
       
      08/03
      Acordei por volta das 5h e fiquei deitado até às 06:28h. Tomei o café da manhã e já me pus a caminho do aeroporto. Cheguei bem rápido e fui perguntar a respeito do meu acesso à área de embarque pois o cartão emitido no celular não tinha informações e  no totem a viagem não foi localizada. Fui até o balcão e emitiram a passagem do segundo trecho, Brasília x Cancún, mas só pude entrar no embarque internacional após às 07:30h. Depois disso, passei pelo raio x sem problema e depois pela migração, acessando a parte do embarque internacional. Estava no portão já às 07:40h.

      Uma mulher sentou-se atrás do meu banco e ficou espirrando e fungando atrás de mim. Depois, uma velha sentou quase ao meu lado e começou a tossir e assoar o nariz... Aí, não vi outra alternativa senão colocar uma máscara, nem por conta do Corona vírus, mas por proteção a qualquer outro vírus, pois perder a viagem por conta de uma gripe seria um desastre.
      Fui ao banheiro e às 09:20h já estava na fila de embarque preferencial, entrando no avião em pouco tempo. Era um Boeing 737-800, apertado e sem tela multimídia, com tomadas quebradas... Meu assento era lá no fundo, na 31D corredor (cancelaram a minha reserva e emitiram outra poltrona), porém, quando anunciaram que o embarque estava encerado, pulei para uma poltrona vazia na janela. Dica importante, mesmo não estando lotado o vôo, os bagageiros depois da fileira 30 estavam lotados.
      O avião era muito pequeno para uma viagem tão longa. Ainda bem que, como viajo frequentemente, já havia instalado o APP para assistir aos vídeos da Gol e pude me distrair um pouco. A revista da companhia está cada vez mais pobre de conteúdo e nem dá para ver algo interessante nela.
      Foi anunciado que o voo faria uma escala em Manaus, o que será ótimo para filmar também esse pouso também. Comi uma maçã que trouxe e já senti o cheiro da bóia...😛  Espero que pelo menos seja boa!
      Pior que não era a refeição, mas sim um lanche... Foi servido um misto quente de queijo com peito de frango (bem gostoso)  e tomei um suco. Fui assistindo ao filme Ford vs Ferrari, que é muito bom.

      Por volta das 13h (12h local devido ao fuso horário) pousamos em Manaus para o reabastecimento da aeronave. Consegui capturar boas imagens da aproximação e pouso.

       
      Uma fila enorme se fez para o banheiro, que estava bem pertinho de mim. Continuei usando máscara. Decolamos, terminei o filme mas não havia nenhum outro interessante para assistir. Senti um cheiro de comida e acho que vai sair mais alguma coisa para comer. Realmente, começaram o serviço às 14:42h (13:42 local) e até chegar em mim, que estou nas últimas, vai demorou um monte... Pois bem, 15 minutos depois recebi o meu almoço, que era arroz, sobrecoxa desossada de frango, alguns legumes e um pão de mel como sobremesa. Para beber tomei suco de pêssego sem açúcar e peguei água na minha garrafa. Até que estava gostoso. E o tempo não passa, pior ainda com crianças berrando no ouvido.

      Distribuíram formulário de migração e, prevenido como sempre, peguei a minha caneta na mochila para o preenchimento. Foi servido um bolinho doce e água ou café, enquanto o avião já iniciava o procedimento de descida. Pousamos às 17h locais (-2 horas em relação à Brasília) e o táxi foi bem longo, tendo o avião aguardar por vários minutos uma posição no finger. O tempo estava nublado e fazia 26 graus.

      Não paramos no finger e o deslocamento até o terminal foi de ônibus com ar bem gelado. Já ganhei várias posições ao entrar na migração, que foi bem rápida. O senhor que me atendeu perguntou minha profissão, quanto tempo ficaria no México e onde estaria hospedado. Carimbou o formulário mas não o passaporte... Fiquei meio apreensivo, não sabendo se ele havia esquecido ou se era um procedimento normal. Dali, fui direito para a alfândega, levando grande vantagem por não ter despachado a bagagem, pois avisaram que a inspeção levaria uns 20 minutos até liberarem na esteira.
      No saguão do aeroporto já peguei um mapa gratuito e vi uma casa de câmbio com cotação de $17,50 (pesos)  por dólar, o que era muito baixo pela cotação que havia pesquisado pela manhã. Logo a diante já vi o balcão da ADO, a empresa de ônibus que tem rotas para Playa del Carmen e ao centro de Cancún, este ao preço era $94. Como não havia feito o câmbio da moeda, perguntei se aceitava cartão de crédito e a senhora disse que sim, mas aí lembrei e perguntei se também se aceitava dólar e qual seria a cotação. Resposta afirmativa, os $94 sairiam US$5 e como eu tinha trocadinho na carteira (levei 5 notas de U$100, uma de US$ 10 e outra de US$5 para essas eventualidades), aceitei de imediato, pois também a cotação deu $18,50 por dólar.

      Peguei as informações e fui atrás do ônibus, que sairia em 20 minutos. Tive que perguntar numa lanchonete e o rapaz me explicou com boa vontade. A posição era no extremo oposto do terminal, mas cheguei em pouco tempo. Aguardando a chegada do ônibus pesquisei wi-fi e, para a minha surpresa, tinha uma do Google gratuita. Consegui enviar mensagens para todos e logo o ônibus chegou.

      Coloquei a mochila no bagageiro, apresentei o ticket e entrei. Muito boa a qualidade e conforto, com ar condicionado e televisão. Só faltou um wi-fi para ter nota máxima. A viagem é bem curta, mas ainda pegamos um pouco de trânsito nas proximidades do centro da cidade. Chegamos no terminal e usei o wi-fi gratuito, que é muito bom,  para enviar mensagens. Verifiquei o rumo do hostel no celular, usando o Google Maps offline (havia feito o download dos mapas ainda no Brasil) e parti para lá. Passei por uma praça grande e estava bem animada, com várias barraquinhas de lanche e também um show acontecendo.

      Cheguei rapidinho no hostel e fui bem recebido. Fiz o check in e já fui para o quarto, escolhendo uma cama na parte de cima e verificando as tomadas elétricas por perto para o carregamento dos equipamentos. O dono permitiu que eu fizesse o pagamento no dia seguinte, pois não havia feito o câmbio e também pagar em dólares ou no cartão não seria vantajoso para mim. Nesse hostel o diferencial é oferecer também o jantar gratuito e, como estava cansado de toda essa maratona para chegar até Cancún, resolvi não sair nesta noite para aguardar o jantar, pegar a fila do chuveiro e depois descansar, pois no dia seguinte a programação seria bem extensa.

      E assim, encerrei essa primeira etapa da viagem...
      Gastos no dia:
      R$ 4,50 - ônibus em Brasília
      R$ 26,25/US$ 5,00 - ônibus do Aeroporto ao centro de Cancún
       
      Para aqueles que quiserem acompanhar os detalhes, podem acessar o vídeo detalhado da viagem no Youtube:
      É isso aí!!!! 😉
    • Por [email protected]
      Estamos programando uma viagem de 10 dias, sendo dividido da seguinte forma;
      Do dia 30/10 ao dia 03/11 Cidade do México
      do dia 03/11 a 06/11 Playa del Carmen
      de 06/11 a 09/11 Cancún
      Gostaríamos de indicação de Hotel ou Apto para alugar, para curtimos o dia dos mortos pois, sabemos que e´ grande a aglomeração na Av. La reforma, por isso, gostaríamos de um lugar que fique o mais próximo possível no sistema Bom, Bonito e Barato.
      Do mesmo modo gostaríamos de sugestões para ficarmos em Playa del Carmo.
      estaremos viajando em três pessoas do dia 30/10 a 03/11 e depois encontraremos outra turma em Playa del Carmen, totalizando 8 pessoas.
      Desde já agradeço que puder nos ajudar quanto a hospedagem e experiencias na Cidade do México no dia dos mortos.
×
×
  • Criar Novo...