Ir para conteúdo

Ushuaia, El Calafate e El Chalten, janeiro de 2024! Enfim saiu!!!!


Posts Recomendados

  • Membros
11 horas atrás, D FABIANO disse:

@JanaCometti Santa Cruz não tem clima para produzir nada.Eu fui lá há 10 anos e lembro bem que,após Comodoro,que ainda é Chubut,são grandes fazendas aonde somente criam ovelhas.Essas se deram bem lá, pois vieram da Escócia, lugar de clima semelhante. Os preços sempre foram mais caros.Por isso, eu só comprava no Lá Anônima e em Chile, no Unimarc.

O La Anónima TB tá caro, e o de El Calafate parecía guerra, as prateleiras vazias , uma fila imensa hhaaha

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
4 horas atrás, Davi Leichsenring disse:

A Argentina está instável faz uns bons anos, se for esperar ela se ajeitar para viajar, não vai conhecer nunca a Patagonia.

O sul da Argentina não é barato, além do custo maior por causa da distancia, as agencias de turismo metem a faca no turista nos pacotes de tours.

Sim, como vai muito gringo europeu eles nivelaram o preço por cima...o resto do mundo se quiser que pague também...uma menina da tripulação da navegação todo glaciares estava falando que atualmente os turistas nesse passeio são 80% estrangeiros e 20% argentinos....e vou falar que El Calafate tava lotadoooo de brasileiro, viu....

Agora nesse.primeiro momento, o q dobrou o preço com a desvalorização do peso foram as hospedagens reservadas pelo booking, não sei se a longo prazo eles vai dra uma abaixada, pq mesmo em Buenos Aires ficaram caríssimas (o dobro do que eram).

  • Amei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
5 minutos atrás, D FABIANO disse:

@JanaCometti La Anônima do centro ou há outro construído em 10 anos?Na época, já era muito mais caro que,por ex,o Todo de Bariloche e Angostura,imagine em comparação aosgrandes da capital. 

Em Calafate só tem no centro, um de esquina na Av Libertador

Em Ushuaia tem 3, tinha um do lado da nossa hospedagem no Barrio Pipo, e como não é um bairro turístico, esse tava sempre bem abastecido hahaha

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 5 - 10/1- Entregamos o carro no aeroporto e voamos para Calafate, uma meia hora de atraso no voo das 10:15 (que inicialmente era 10:45, mudou pras 10:15 umas semanas antes, mas saiu as 10:45 mesmo, aliás, a não pontualidade da Aerolíneas é algo a destacar). Voo de 50 minutos, não oferecem nem um copo de água rs. Tínhamos já combinado com um taxista indicado pela host de lá para nos pegar no aeroporto, que está a uns 20 minutos da cidade, a corrida "tabelada" custou 18000 pesos (uns 90 reais, caaaro), mas a outra opção seria um onibus que custa 6k, e como estávamos em 3 pessoas, não valeria a pena. Nos hospedamos em um airbnb a uns 10 minutos a pé do centrinho, bom custo benefício. A cidade é bonitinha e o que se destaca, desde o trajeto do aeroporto é a cor do Lago Argentino, ora azul celeste, ora azul néon, dependendo do tanto nublado que estivesse o céu. Demos muita sorte com o tempo aqui,pegamos dias lindos e de temperatura fria agradável. Deixamos as coisas no airbnb e fomos procurar onde almoçar, comemos no Mako (eles tem um restaurante chic e um de minutas, sanduíches e pizzas, comemos no segundo), duas milanesas com fritas, uma hamburguesa gigante com fritas, dois refris e duas pintas de IPA deu uns 180 reais. Resolvemos alugar umas bikes pra dar um role até o lago, não indico o lugar porque as bikes não estavam boas e nos custaram 50 reais cada por duas horas. Fomos até o lago e a Laguna Nimenz, uma reserva de aves que tem uma trilhinha, bem pegada ao lago, mas não entramos, fomos até umas dunas ali perto para uns mates mas o vento estava surreal e acabou apressando o passeio. Calafate tem MUITOS cachorros de rua, os comerciantes que acabam cuidando, ouvi dizer que são 18 mil cachorros (e 30 mil habitantes). Entregamos as bikes e já perdidos com o horário (solzão as 18h) fomos ao mercado La Anonima comprar água, vinho (no mesmo nível de importancia), café da manhã e lanches pros próximos passeios. Descobrimos um trio de sanduíches de pão de miga(um pão de forma beem fininho que eles tem lá) com jamón e queso e compramos pros próximos dias, frutas, o alfajor Jorgito, que sem muito glamour acabou virando um dos meus preferidos, bananas chips, etc. Compramos tb empanadas pro jantar, uma boa dica, no BIG PIZZA, pizzas e empanadas com um super preço (650 pesos a empanada e 6000 a pizza de 8 pedaços, respectivamente R$3,50 e R$30)..

Dia 6 - 11/1 - Tinha recebido mensagem da Brasileiros em Ushuaia no dia anterior que a van nos pegaria as 7:25 para a navegação Todo Glaciares. Parenteses: comprei esse passeio e o minitrekking com a Brasileiros em outubro pq eles me fizeram o preço de outubro pra fazer o passeio em janeiro, que seria muuuito mais caro. Pedi o preço em pesos e paguei no cartão de crédito aqui. Valeu muuito a pena. Pesquisei muito sobre o que seria melhor e acabei acertando, hj o minitrekking tá custando uns R$1100 reais, eu paguei uns R$800, com o transfer incluso (pensa essa diferença vezes 3 pessoas...). Continuando, a van pega passageiros só em pousadas e tinha um b&b (South) bem em frente, então beleza. Super pontuais, pegaram mais pessoas, a van saiu cheia da cidade e em uns 40 minutos estávamos em Punta Bandeira, um porto na beira do Lago Argentino de onde sai esse passeio, operado exclusivamente pela empresa Solo Patagonia, mas vendido por diversas agencias. Uma fila grande pra comprar as entradas do Parque Nacional (12000pesos) e depois embarcamos. O embarque super organizado, nesse barco, diferente de Ushuai, a tripulação ajudando as famílias a se acomodarem juntas, pegamos tres poltronas com mesinha no fundo do primeiro andar (o barco tem dois andares e mais um terraço em cima). O barco saiu as 9h, inicia a navegação por esse braço, a cor do lago surpreende no seu turquesa, navega uma meia hora acho e daí começa a se aproximar do Brazo Upsalla do lago e aí já começam a aparecer os primeiros icebergs. O emoção, gente!!! Conforme ele vai adentrando, mais e mais icebergs e de repente um tão grande que eu nem imaginava que existia. O barco para ali na frente, vai girando pra todo mundo fotografar, fica um tempão lá, dá tempo de chorar(muito) e ter consciencia do nosso tamaninho nesse planeta.  O Glaciar Upsalla solta muito iceberg e por esse motivo há um tempo os barcos não podem mais se aproximar muito dele, mas da pra ver bem, ele é imenso, maior que a cidade de BuenosAires. A navegação segue, vai passando por glaciares colgantes (os que ficam "pendurados" na montanha, entra no Brazo Spegazzini e para frente a frente com esse glaciar, a 300 metros dele, dá pra ver os relevos de gelo, gente, que coisa magnífica, mais e mais choro, fotos, vídeos, presenciamos algumas quebras. Dali o barco nos deixa em um refúgio(!) de frente pro Spegazzini, onde comemos nossos lanches e tomamos uma IPA Patagonia com a vista mais linda da vida. Tem algumas comidas e bebeidas pra comprar la, e fornos para quem quiser esquentar algo que tenha levado. O refúgio tem a parede da frente toda de vidro mas preferimos comer na prainha que se forma ali e aproveitar o sol. Dia de conto de fadas!!! A volta é direto, sem paradas até Punta Bandeira, onde chegamos umas 16h, pegamos a van e antes das 17h estávamos em casa. Não achei cansativo como algumas pessoas questionavam, o tempo voa lá dentro.

Chegando em casa recebo uma mensagem da hospedagem de Chaltén, a qual tb fechei por whatsapp, dizendo que não puderam manter minha reserva e que estavam procurando outro lugar. PQP!! Isso dois dias antes de minha chegada lá. Assim aprendi que não dá pra fechar hospedagem "de boca"(por whatsapp) na Argentina, até agora eles não me justificaram o que aconteceu. Nesse meio tempo recebi mensagem de uma pessoa que estava com vaga nos meus dias, pq tinha tido um cancelamento, acabei reservando com ela, pelo airbnb, após dar uma olhada básica no booking e airbnb, mas só tinha coisa mais cara.

Almojantamos no Wanaco, que acabou se tornando nosso restaurante preferido de lá, preço ok, bom atendimento, a comida chega rápido, vibe legal, música boa. Comemos hamburguesa todo mundo, eu pedi com queso azul e tomate confitado, tem a opção de hamburguesa de guanaco mas dessa vez não experimentei (comi hamburguesa de lhama no Peru). Tres hamburguesas, um copo de vinho, uma cerveja e um refri por 30k pesos, uns 150 reais.

Esqueci do sorvete, que já tínhamos tomado no dia anterior, heladeria Acuarela, bem boa, sorvete de 2k a 4k pesos(10 a 20 reais), alguns sabores experimentados dulce de leche, calafate (frtutinho rojo que dá nome a cidade e tem num monte de trilha), framboesa a la crema, selva negra, malbec (sim, o vinho), mascarpone com frutos rojos.

Vimos um por do sol laranja as 22:30 e fomos dormir, a Brasileiros nos avisou que nos pegaria as 7 no dia seguinte.

IMG_20240111_103954519_HDR.jpg

IMG_20240111_210007745.jpg

IMG_20240111_111410366_HDR.jpg

IMG_20240110_165215291_HDR.jpg

IMG_20240111_115643262_HDR.jpg

IMG_20240111_130608392_HDR.jpg

IMG_20240111_121804589_HDR.jpg

IMG_20240111_102627875_HDR.jpg

IMG_20240111_141807628_HDR.jpg

IMG_20240111_114029386_HDR.jpg

IMG_20240111_140750956_HDR.jpg

IMG_20240110_183821802.jpg

IMG_20240111_190532127_HDR.jpg

Editado por JanaCometti
  • Amei! 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...