Use o menu Tags para buscar informações sobre destinos! - Clique aqui e confira outras mudanças!

Ir para conteúdo
Elyson Leite

CAJON DEL MAIPO: À DOIS DE CARRO ALUGADO (FOTOS E VÍDEOS)

Posts Recomendados

988931_10206011650033702_6605757801084191481_n.jpg?oh=bcc85061d4c93c1c694df01e51b344cf&oe=559C01C2

Nossa camionete guerreira e o lindo Embalse el Yeso

 

Olá Mochileiros,

 

Vim compartilhar um pouco da minha viagem de três dias e meio com minha esposa em um lugar diferente e pouco explorado do Chile.

Como muitos outros viajantes, passamos por Viña del Mar, Valparaíso e Santiago. E é de Santiago que começa nossa viagem a esse lugar incrível.

 

[t1]Dia 1: Santiago – Cajon Del Maipo[/t1]

 

Optamos pelo aluguel do carro ao invés de contratar serviços de empresas de turismo, pela liberdade de fazer os passeios no nosso ritmo e do nosso jeito. Depois de muito procurar por uma Rent a Car com camionete disponível (tente reservar o carro dias antes, e não em cima da hora como fizemos), fomos até a Santiago Rent a Car, que fica na Avenida Rancagua, 73 - Providência (a 500 metros do metrô Baquedano). Lá fomos atendidos por dois senhores que explicaram que para alugar um automóvel no Chile você precisa ter em mãos:

 

  • • Cartão de crédito no nome do motorista, com saldo suficiente para a garantia exigida pelas locadoras, que no caso foi de 500 mil pesos. No final, se não houver contratempos, a fatura será anulada;

  • • Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com prazo de validade vigente;

  • • Cédula de Identidade ou Passaporte.

 

Com tudo OK, fomos escolher o automóvel. Havia pesquisado e li que algumas pessoas chegaram a fazer essa trip com um GM Spark (19.900 pesos), mas como não queríamos correr riscos de ficar no meio do caminho e estragar a viagem, escolhemos ficar com uma camionete Nissan Terrano 4x2 cabine dupla (38.000 pesos), pois iríamos dormir no carro. Nos disseram que ela já dava conta do recado. Recomendo NEGOCIAR, pois eles dão descontos a partir do terceiro dia de aluguel e também ALUGAR UM GPS. Custa 3 mil pesos e funciona até nos lugares mais inóspitos. Após o Check-in, as chaves foram entregues e colocamos o pé na estrada.

 

1604521_10206404390371965_8430843279263603459_n.jpg?oh=8fb05cd44cc99c0775f2cc2abb44a78b&oe=55AD7933

Marina abastecendo o carro antes de pegarmos estrada

 

Saímos de Santiago às 19:30 e no caminho passamos em um mercado para compra de mantimentos (Comida, lanterna, água, Vinho, refrigerante e Pisco) ::otemo::

Tomem cuidado ao andar de carro na região metropolitana de Santiago, pois existem ruas que mudam de sentido durante os horários de pico.

Chegando em San Jose de Maipo - Fica a pergunta

 

Chegamos em San Jose de Maipo às 21h, demos uma volta na cidade e antes de continuar até o camping, parei no posto para descalibrar os pneus da camionete. Como iríamos subir mais de 2000 metros e a estrada é feita de cascalhos, foi recomendado esvaziar um pouco os pneus para evitar que estourassem ao passar por uma pedra mais pontuda no caminho.

 

Nos hospedamos no Cascada de las Animas pois havíamos conhecido no FDS anterior para praticar rafting e foi onde prometemos voltar para se hospedar. O endereço é: Camino al Volcán, 31087 em San Alfonso (12 km de San José de Maipo).

 

11070166_10206404422452767_7656630252804232511_n.jpg?oh=924300e195b6f95f633af89c8ff222dd&oe=55A4C863&__gda__=1438001770_4017ab4de01bee48ecddbc547feba962

É ou não pra se apaixonar?

 

Acertamos o valor do camping (11.000 pesos por pessoa) e inclui torneira com água potável, mesa de picnic, churrasqueira e energia elétrica, além de um trecking guiado de 1h30 até as cachoeiras que dão nome ao local, banheiros com água quente e acesso livre a piscina, campo de futebol, salão de jogos, área de picnic, ... Enfim, o local é deslumbrante e ótimo para fazer novos amigos. Conhecemos um casal de chilenos que nos acompanhou madrugada afora!

 

10590543_10206404394892078_8815096236427232166_n.jpg?oh=d401d4a67f48abbc29c092260e07716c&oe=55A245C2

Camping

 

984290_10206404395252087_2998106924289890252_n.jpg?oh=bcb8baf601a47c0f326f5e9d5f3f0c25&oe=55993AD1

Lá eles realmente fazem a coleta seletiva

 

[t1]Dia 2: Trecking e Baños Colinas[/t1]

 

Acordamos cedo, colhemos algumas frutas, tomamos café e fomos fazer a primeira trilha do dia até as cachoeiras. Durante o trajeto, o guia foi explicando sobre a fauna e flora do local, inclusive mostrando um trabalho de reabilitação de animais para a inserção deles novamente na natureza Portanto quem nunca viu um Puma de perto, prepare-se!

 

11083909_10206576390751867_2928759358867691409_n.jpg?oh=9e009743b2b0c54c69a358e7255d72d0&oe=55999CC9&__gda__=1436202396_d29d91b1217ad9538c3c4def05afd838

Águia

 

11150996_10206576392431909_6577102116204897643_n.jpg?oh=9fe9e7a3ed6c8432eaf0f894d6abdaac&oe=5599CE04

 

11121766_10206576392631914_3734437465342338008_n.jpg?oh=71f3778c966dcbe19d924b88262f5b8d&oe=559F8733

 

11079626_10206576393351932_2225877735331183175_n.jpg?oh=b6f8870bb48d24efbaa2d8a71695222d&oe=55B5305F

Puma

 

11046430_10206404398852177_8277387836729826747_o.jpg

Cascada de las Animas

 

11026320_10206404397212136_59214415179307112_n.jpg?oh=30217b331586cae6b13c773c80463e6e&oe=55A1B516&__gda__=1437239199_d5a784f33ae2dd05a73971a76d4520d0

 

No caminho de volta fomos decidir onde iríamos primeiro: se era no Embalse el Yeso ou em Baños Colinas. Ficamos com a segunda opção.

Preparamos alguns lanches, separamos mais frutas e fomos subir a cordilheira.

 

11146536_10206576387751792_992478970927145566_n.jpg?oh=115ecdab94c22d4b86c6c90c81753935&oe=55A3B2E5&__gda__=1440819674_93ae1ef557b09116e01cc34d0888daeb

Uvas orgânicas ainda amadurecendo

 

1618586_10206576387791793_4174450767083880762_n.jpg?oh=de9a663a614788cc953ac948b3f4b86e&oe=55B33D0E&__gda__=1437583153_93a8bf9702c5ebf0a920e7c13d97292b

Ciruela

 

Uma boa parte do caminho é feita em estrada asfaltada, afunilando em alguns trechos, mas sempre muito boa e bem sinalizada. No momento que o asfalto dá lugar ao cascalho, você percebe quão boa foi a escolha pela camionete. Caminho cheio de buracos, poeira, subidas e descidas, sem contar os caminhões das mineradoras (sempre dê preferência para eles) que passam pela gente a todo o momento. Mas também um caminho cheio de cascatas, animais e paisagens maravilhosas da imponente Cordilheira dos Andes.

 

Prefira fazer esse trajeto entre 8h e 16h, pois caso o carro apresente algum problema, ainda terá movimento de motoristas passando por lá a todo instante para prestar socorro.

 

10308330_10206404427372890_7492781879065260257_n.jpg?oh=5c7272ac5e240747437fc5465765f5b6&oe=55A3109F&__gda__=1440826362_aca28f8706282f067918fa8b7c2281ef

Vale que fica no caminho a Baños Colinas, refúgio dos animais no inverno, onde cavalos, carneiros, cabritos e outros animais se concentram até o início da primavera.

 

Existe um trecho, já próximo a Baños Colinas que você tem que atravessar um riacho com o carro. Vi que carros simples também conseguiram atravessar, mas acho que dependendo do volume de água do dia, somente carros mais altos consigam atravessar.

 

Depois de pouco menos de duas horas de estrada, chegamos em Baños Colinas. Para ter acesso as Termas, é cobrado 8.000 pesos por pessoa, o que dá direito a acesso livre por 24 horas, inclusive podendo acampar no local. Assim que atravessamos a cancela, avistamos as várias piscinas naturais, e a esquerda o local onde as pessoas podem acampar e ter uma churrasqueira (parrilla) ao lado. Como fomos durante a semana (quarta-feira), estava com pouco movimento de pessoas, o que tornou a experiência ainda mais agradável. Subimos o morro e estacionamos o carro o mais próximo possível das Termas. Lá de cima podemos contemplar um visual deslumbrante. onde as águas vulcânicas encontram as águas do degelo.

 

11062101_10206404428452917_5730193009378936076_n.jpg?oh=07ccd1665e0711d8bf50e97d0fbb5e9a&oe=55A03ED8

Juro que ao vivo os morros aparentam serem muuuiitooo maiores

 

11062561_10206404572896528_835433426299323892_n.jpg?oh=3e1c4390e86bb0fe8abba6291b266add&oe=559B8294

No topo de Baños Colinas

 

10646721_10206404401372240_6532313563027800008_n.jpg?oh=eb7847d37bbff16808ef45a29921629c&oe=55ABAD0D&__gda__=1436549490_6bcbd8b9ec232dbe20d9d19c1c3ba33d

Marina jantando na sacada :D

 

Conversando com algumas pessoas, elas disseram que pelo horário, seria melhor a gente montar acampamento e passar a noite lá mesmo, pois já estava anoitecendo e lá não existe luz elétrica, tampouco funciona o telefone. Então resolvemos relaxar e curtir a noite com novos amigos! E preciso dizer que foi a melhor decisão tomada!!! Deitamos na caçamba da camionete e contemplamos por horas a noite mais linda e o céu mais estrelado que vi na vida, com inúmeras estrelas cadentes cortando o céu e dando para visualizar até alguns Satélites da artificiais a olho nu (sim, aquele ponto de luz que você possa ter visto em alguma noite de céu bem limpo é, na verdade, um satélite ou até mesmo a Estação Espacial Internacional. Difícil mesmo é saber qual é qual, mas já existem sites como o Heavens-above.com que trazem a data e o horário em que alguns satélites e a ISS cruzarão o céu da sua região. uma pena eu não ter uma câmera de qualidade para registrar a vista noturna, mas quem for lá, favor compartilhar conosco essas fotos!

Não esqueçam de estar sempre munidos de água, roupas de frio, vinho, lanches, sopas instantâneas e... talheres (tivemos que pedir emprestado). As vezes o esquecimento de algum item acaba rendendo uma longa noite de conversa ao redor de uma fogueira com pessoas de várias idades e lugares.

 

[t1]Dia 3: El Volcán e Embalse el Yeso[/t1]

Depois de uma noite bem fria ::Cold:: , acordamos bem cedo e fomos os primeiros a entrar nas termas. Cada uma tem uma temperatura diferente, quanto mais para baixo, menos quente ela é!

10420126_10206404402052257_7550873588060423602_n.jpg?oh=8f886e9f2987d9c3919dd750814530b8&oe=55E2BF3F&__gda__=1437353355_97b31e6dfc7c5c5a57a454105bdede66

Amanhecendo em Baños Colinas

 

10981195_10206404402492268_7224064378247059288_n.jpg?oh=8001173b0ba8e6630ada0b92345fbb33&oe=559D9BC1

Banho quente depois da madrugada fria. E a água azulzinha!

 

10941875_10206404402852277_4819692987993994931_n.jpg?oh=0172cf42ba4ce99963fccf3b39bc7866&oe=55A4E40B

Recompensador

 

11011882_10206404403652297_6237977062752901066_n.jpg?oh=5ffd6e63f44cb028f7995f158d6c8f11&oe=55A48EB7

Argila pra melhorar (ou não) a carenagem

 

10953165_10206404411572495_6557370410424102740_n.jpg?oh=779788fda32fc7604f979a190690b625&oe=559BFDD6

Panorâmica das Termas Colinas

 

Lá pelas 11 da manhã fomos tomar banho no vestiário e arrumar nossas tralhas para voltar ao camping. No meio do caminho, resolvemos seguir a placa que indicava para El Volcán. Mais meia hora subindo por caminhos que se cruzavam até chegar no limite da estrada, onde encontramos um grupo que estava cavalgando sentido os glaciares. Resolvemos ficar por mais algum tempo ali mesmo antes de dar meia volta e se preparar para ir a Embalse el Yeso.

 

11076283_10206404511694998_5415113682820668946_n.jpg?oh=af11c8b61666de5c9c06bc2ec8a83b11&oe=55B39EB1&__gda__=1438052092_1109fac319ce6e46d47248602028b5d9

O melhor da viagem de carro, a liberdade para decidir seu caminho

 

10357467_10206404512215011_4587875310168472783_n.jpg?oh=aa146d1f8d5b0e2d10b058ba643c256e&oe=55ADFED5&__gda__=1435992704_7027d228e99534ee6a1cfdfa0d039b35

Subimos até 2670 metros

 

10440789_10206404429292938_5244637406203319696_n.jpg?oh=f74c036f19cbec80278fc7a6ca161c05&oe=55983877

Instruções caso o vulcão acorde

 

1926871_10206404406092358_7717163583268119725_n.jpg?oh=e3d555da3e3e22fb7137b18e7cffd862&oe=55A78A05&__gda__=1437168981_bbfb616751590c352ed660281b9f22bf

Tudo sembre bem sinalizado

 

Voltamos ao camping procurando o casal chileno que conhecemos na primeira noite, porém eles não estavam, então decidimos ir por conta até Embalse. Achei esse trajeto um pouco mais perigoso, pois haviam partes que ficávamos na beira do precipício. Inclusive avistamos no meio do caminho uma camionete que não teve um destino feliz:

 

11619_10206404429892953_1809034861094409199_n.jpg?oh=3d1011e9b5d67df57be78e56ecad0e99&oe=55B078AD

À esquerda, camionete destruída após cair no desfiladeiro

 

Estação de rádio próximo a refúgio militar e a uma pequena vila. Ficamos sabendo depois que lá sintoniza rádio pois se houver alguma precipitação no vulcão, o vilarejo fica informado.

 

 

Assim que avistamos Embalse el Yeso pela primeira vez, nos apaixonamos pela paisagem. Descemos do carro e tiramos várias fotos. Mal sabíamos que o melhor estava a próxima curva a direita!

 

11051956_10206404431813001_1634708904318890056_n.jpg?oh=082edd18655f71cb286fa648acb09c83&oe=55E4E7F9&__gda__=1441109916_1bc0c48e8c8f24cd9d4ea4b9dbe07b1f

Panorâmica da parte alta de Embalse

 

11062722_10206404431092983_373752989136083376_n.jpg?oh=9ec615cf30e2284ba91a0b7332e50c0a&oe=55978717&__gda__=1436632625_096d0d91073893f3981f7b8e2055b2ad

Disputa de lançamento de pedras

 

 

 

10614286_10206404416332614_8639786997220356641_n.jpg?oh=02c7b90ea51fce02733169b4fbdc2738&oe=55B11F20&__gda__=1436948293_917a839f285067578ac98e05caabfe1e

Já na beira do lago, brincando de empilhar pedras

 

11018778_10206404432653022_1926137627687663274_n.jpg?oh=eddc1cb8aecd41cb5170ed1886071883&oe=55E1DA23

Cavalo selvagem

 

 

Chegando em Embalse el Yeso tome muito cuidado, pois a estrada é estreita e a queda é grande!

 

No retorno, fomos ao centro da cidade comprar mantimentos para preparar um churrasco junto com o casal de chilenos e compartilhar fotos das duas trips.

 

[t1]Dia 4: Cascada de las Animas e retorno a Santiago[/t1]

Último dia no camping foi destinado para usufruir da vibe do local. Um papagaio veio nos visitar, ficamos na piscina e relembramos o rafting que fizemos dias atrás, naquele mesmo lugar. Nos despedimos de Cajon de Maipo com sentimento de gratidão e feliz por ter aproveitado 100% dessa curta, porém intensa Trip!

 

11057614_10206404418812676_8610260038006439166_n.jpg?oh=c06d55051dfbd889282a14953cb900a6&oe=55A1D763

Papagaio que fica livre porém passa a maior parte do tempo no centro de informações do Camping.

 

10559922_10206404419812701_1218111714108486061_n.jpg?oh=030223eb29429ec63e6ce0f38ee081be&oe=55A145DB&__gda__=1440926157_c49a8f57e4f6fad95ce6f85ec82e6534

Lugar para relaxar e conversar

 

10987313_10206404513895053_1381354340613523438_n.jpg?oh=e30cebf9fa9a306007e2b8d3c88a6261&oe=55A07DEC&__gda__=1438103699_fe367b3eb8a3c528c5c7c40f5d142734

Marina repondo as energias

 

11071687_10206404421852752_7531320226000307943_n.jpg?oh=db126947f41599b686c6f3fb54405a3f&oe=55A3802F&__gda__=1437959760_043a0614eb58216dc3658eddf323286c

Piscina com profundidade em alguns pontos de até 3 metros

 

11008065_10206404422892778_8609060422000698442_n.jpg?oh=467b71bc8184005a3858e68bf3a98355&oe=559726FC

Dia de Rafting! Ultima dica: prefira o último horário, pois é o mais barato (18.000 pesos por pessoa)e tem a melhor vista.

 

11075005_10206404606777375_2763920695513400134_n.jpg?oh=dfe623c41b0d0057ae3594362e34152b&oe=559F7F53&__gda__=1437418145_11a9c7e4bb22745989d1bd3ebea1735a

Rafting de mais de 12 km pelo Rio Maipo

 

10404451_10206404433613046_968940705362989670_n.jpg?oh=979d55cb78af64cbdbcbb5988242b043&oe=55AFB6D4&__gda__=1437643871_1bb8a6bc1e7a0b14dd3c142ce480c60f

Nos despedindo de Embalse el Yeso e do Chile da janela do avião

 

Bom, espero ter ajudado e fico a disposição para tirar qualquer duvida sobre essa Trip imperdível.

 

Forte abraço,

 

Elyson Leite

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Elyson, fantástico.

Estive em Cajon del Maipo no mês passado e realmente é tudo maravilhoso como bem você relatou.

Parabéns pelas fotos e pelo relato!!

::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sensacional esse lugar. Um achado que vale a pena compartilhar e querer que todos os mochileiros tenham a oportunidade de conhecer.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente relato! Obrigado pelas dicas

 

Vou para Cajon del Maipo com minha namorada dia 10/11 e volto no dia seguinte.

Vamos alugar um carro. Se alguém se interessar em ir com a gente e dividir os gastos dá um toque :wink:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ahhh e o guia que me refiro no segundo dia refere-se ao bônus de se hospedar no Cascada de las Animas. Qualquer pessoa que se hospeda lá tem direito a fazer esse trekking que fica do outro lado do rio e leva até as cachoeiras que dão nome ao local.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Elyson, Obrigado pelo relato! Pretendo seguir esse roteiro com mais dois amigos.

Você tem ideia mais ou menos de quanto gastou no total?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Elyson, Obrigado pelo relato! Pretendo seguir esse roteiro com mais dois amigos.

Você tem ideia mais ou menos de quanto gastou no total?

Olá Alex, desculpe a demora.

O aluguel da camionete ficou em 38 mil pesos a diária

O Camping com direito a passeio com guia e a utilizar a piscina ficou 11 mil pesos

O rafting custou 8 mil pesos

A entrada em Baños Colina Mais 8 mil pesos (período de 24 horas e pode passar a noite lá).

Embalse el Yeso é grátis

De combustível mais uns 50 mil pesos.

Recomendo no mínio 3 dias para curtir tranquilamente Cajon del Maipo.

 

Agora é só fazer o cálculo dividido pela quantidade de pessoas que vão ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por andersonjardim
      Eu e minha namorada etivemos na Grécia, agora, final de junho. Ficamos apenas 1 dia em Atenas, 2 dias em Zakyntos e 4 na Kefalonia. O plano inicial era passar 1 dia em Lefkada e voltar para Kefalonia, mas infelizmente, por questões de logística (horário do ferry e voo pra Paris), não deu pra esticar a viagem até lá.
      A viagem foi pautada por Navagio, ou seja, não poderia ir a Grécia e não ir a Navagio e por isso abrimos mão de Creta e do que apelidamos de “Grécia das fotos”, que são Mikonos e Santorini. E NÃO NOS ARREPENDEMOS!
       
      Dia1:
      Começando por Atenas, chegamos por em uma sexta por volta de 23:30. Por conta dos horários dos voos (a saída de Atenas para Zakynthos foi as 05:30) optamos por ficar no hotel do aeroporto, o Sofitel, que é um pouco caro mas compensou pela praticidade e por não ter necessitado de um táxi (o centro de Atenas fica bem longe do aeroporto, mais de 40 minutos de metrô). No dia seguinte acordamos não muito cedo e fomos direto pra Acropolis. Pegamos o metrô no próprio aeroporto, descemos na estação Syntagma e fomos a pé. A passagem , salvo engano, custou 7 euros, e por lá ficamos o dia inteiro. Mas apenas 1 dia em Atenas foi pouco. Não tivemos tempo de jantar nos tradicionais restaurantes gregos de Plaka, onde se quebram os pratos após a refeição (aparentemente uma tradição bem divertida!), e a visita às diversas atrações da Acrópolis foi bem puxada. Ficamos realmente cansados de tanto andar.
       
      Dia 2:
      No domingo de manhã fomos pra Zakyntos, de avião pela Aegean, e a passagem custou 84 euros por pessoa, já com taxas. Era um avião daqueles pequenos, mas confortável e o voo tranquilo.
      Chegamos em Zakyntos por volta de 06:30, e não sei porque deixamos pra alugar o carro na hora, o que obviamente foi uma tremenda de uma burrada. É impossível se deslocar na ilha sem um veículo e sem GPS! Somente duas lojas estavam abertas: Avis e Hertz, ou seja, a facada foi beeeeem grande. Sem opções, locamos um Golf (o único que tinha no momento) e pagamos a “bagatela” de 222 euros por duas diárias.
      Bom, deixando a raiva de lado seguimos para o nosso hotel, Vigla, que fica em Volimai, o que de carro levou uns 40 minutos. Na verdade são pequenas casas chamadas vilas, umas 4 ou 5, simples mas bem amplas e equipadas, e com uma vista incrível de Agios Nikolaos. O ponto negativo do hotel é que fica totalmente isolado, no alto de um morro, e como não tínhamos coragem de dirigir a noite (as ruas não tem iluminação), acabou que ficávamos “presos” durante a noite, depois das 21h.
      Enfim, devidamente acomodados não demoramos muito e fomos logo para o que interessava: Navagio! Pra chegar lá foi super tranquilo, bastou jogar no google maps ‘Porto Vromi’ e o GPS nos guiou até o destino, sem sustos. Lá compramos o passeio que custou 15 euros, em um barco médio pra grande (mais um erro de quem é afobado demais). De Vromi até Navagio são uns 15 a 20 minutos, e ficamos na praia cerca de uma hora, que já estava bem cheia, mas nada que atrapalhasse. Na volta o barco passa, literalmente apenas passa, pelas Blue Caves, e por ser um barco grande, não deu pra curtir dentro das cavernas e tampouco houve paradas pra nadar, o que foi broxante. Por isso, ao chegar ao porto procure barcos menores, barcos pequenos mesmo, assim, você terá um passeio exclusivo e ainda poderá entrar nas caves e parar pra nadar.
      Do Porto Vromi seguimos para o mirante, o que também foi bem tranquilo, o google maps nesses dois trajetos foi certeiro. Pra conseguir a melhor vista, siga andando à direita do mirante, uns 5 minutos e você terá uma vista perfeita de Navagio. E que vista, o visual é indescritível!
      E pra finalizar o dia fomos pra Agios Nikolaos, a 5 minutos do nosso hotel, onde há um pequeno porto (para onde parte o ferry para Kefalonia) e uma belíssima praia, excelente pra ali terminar o dia. Na verdade, não há um agito noturno nessa região. Existem alguns restaurantes espalhados, alguns mercadinhos, mas o movimento não nos pareceu muito empolgante.
       
      Dia 3:
      Neste dia saímos contornando a costa leste, sem rumo, parando de praia em praia, tais como: Makris Gialos, Xigia, Alikanas e Tsilivi.
      Tanto Alikanas e Tsilivi possuem uma boa estrutura de praia, restaurantes, hotéis, bares, mercados, locadoras de carro e etc. Portanto são uma ótima opção para se passar o dia.
      Pra quem prefere andar a noite a pé, ver gente, ficar em restaurantes até mais tarde ou coisa do tipo, deve se hospedar em Tsilivi ou Alikanas. Essas regiões são bem cara de cidade praiana. E as praias tem estrutura com barracas que oferecem duas cadeiras e guarda sol por cerca de 6 euros.
      As outras praias que visitamos em Zakynthos não são tão especiais como Navagio, e valem apenas uma parada para fotos.
       
      Dia 4:
      Cedo, fomos para o porto de Agios Nikolaos, para pegar o ferry pra Kefalonia, que parte às 09:30. Havíamos combinado com a locadora de devolver o carro no próprio porto, mesmo eles não tendo loja lá. Ponto pra AVIS! O ticket custou 8 euros e compramos na hora, super tranquilo, aliás o ferry era bem grande e estava vazio.
      Desembarcamos por volta de 11:30 no porto de Lourdata, e como não aprendemos a lição, chegamos sem já ter alugado o carro. Para nossa surpresa o lugar não tem estrutura alguma e pra melhorar só tinha um taxi que quando vimos, já estava ocupado. Conversamos com esse taxista, que ficou de mandar algum colega nos buscar. Subimos um morrinho até uma lanchonete que havia no local, que não pode nos ajudar pois não tinha nem telefone. Sugeriu que aguardássemos o ônibus local, sem nenhuma noção de quando passava...Felizmente, 10 minutos depois apareceu um taxi chamado pelo outro taxista, e que inclusive dividimos com um casal de poloneses. Eles ficaram numa região super afastada do centro (Argostoli) e apesar de alguma estrutura de restaurantes e hotéis, fica longe da praia. Sem carro, como planejavam os poloneses, não rola...
      Na Kefalonia ficamos hospedados em Argostoli, principal cidade da ilha, no hotel blue Paradise. Hotel simples, pequeno, mas bem localizado, com ótimos restaurantes ao redor e com um excelente custo beneficio (4 diárias por 114 euros ).
      Check-in feito fomos alugar um carro. Na rua do hotel tem uma locadora e lá alugamos um Smart por 200 euros (pegamos na terça a noite com opção de entregar no sábado de manhã no aeroporto). Como o carro só estaria disponível à noite, fomos de taxi (15 euros ida e volta) pra Platis Gialos. Essa região possui boa estrutura de hotéis e restaurantes e fica a 5 minutos do centro de Argostoli. Lá ficamos na mega barraca Costa Costa, que tem uma excelente infraestrutura, boa praia e bem animada . Voltamos pro hotel por volta das 19h, praia já vazia apesar de ainda claro. Saímos pra jantar rapidinho na pracinha ao lado do hotel e fomos dormir.
       
      Dia 5:
      Neste dia acordamos cedo e fomos pra praia mais famosa da Kefalonia, Myrtos.. Mais uma vez o GPS foi confiável. Passamos a manhã nessa praia maravilhosa, de um azul estonteante. Há apenas uma barraca de praia que serve bebidas e alguns snacks, nada elaborado. Há uma gruta ao lado da praia, onde dá pra mergulhar tranquilamente.
      À tarde, seguimos para outra praia, Petani. Bem distante de onde estávamos, mas que por fim, valeu a visita. Linda praia! Basicamente 2 restaurantes e alguns poucos hotéis. Vale a visita, mas não a hospedagem.
       
      Dia 6:
      No sexto dia fomos a Melissani Cave. Achamos o passeio bem sem graça, é bem bonito e tal mas na minha opinião não vale a pena o tempo e o dinheiro gasto. De melisani seguimos para Antisamos beach, uma bela praia que possui uma boa infraestrutura, que inclusive conta com dois restaurantes que não cobram pela cadeira e guarda sol.
       
      Dia 7:
      Para o último ficamos em dúvida entre ir para Fiskardo e Assos ou para Skala beach com paradas nas praias de Lourdas e Mounda. Optamos pela segunda opção. E bateu um arrependimento quando vimos que as praias não eram tão charmosas quanto as outras que havíamos visto nos dias anteriores. Pena não termos ido à Fiskardo e Assos, vilas que pareciam bem legais.
    • Por afonsosolak
      Rica em cultura, rainha da história e de vida vida vibrante, a cidade de deusa Atenas e capital Grega é a fundadora da civilização ocidental. Atenas é uma cidade orgulhosa, quem sabe com razão, por ter sido o berço da filosofia e da democracia, por ter promovido a ciência e voltado os olhos da humanidade para as estrelas.
       
      Os antigos deuses e dividades da clássica Atenas ainda estão presentes visualmente na cidade. Aparecem em adornos e detalhes que vão da arte à arquitetura, isso quando ambos os conceitos não se misturam se entrelaçam, confundindo até mesmo os mais críticos. Mascotes e lugares recebem seus nomes divinos. Livros, filmes e outras mídias cansam de citar o tema. Eu, humildemente, não poderia deixar de dar meu pitaco também!
       
       
      Um dia que passes em Atenas será o suficiente para descobrir uma cidade que mistura o antigo e o novo. Não estranhe os monumentos Greco-Romanos compartilhando o mesmo quarteirão com edifícios modernos, é algo típico por lá! Outros nos confundem: A Acadêmia de Atenas, o Parlamento Grego e o Zappeion são contruções do século XIX que foram projetadas para que parecessem edifícios antigos e refletir o patrimônio arquitetônico de Atenas.
       
      Se você não é do tipo que fica plantado em museus, um dia será suficiente para conhecer Atenas. Comece visitando a Acrópole e seus templos antigos: Parhenon, Erectheion e Athena Nike. Em seguida desça pela colina e passe pelo Areópago, esta imensa rocha entre a Acrópole e a Ágora Antiga. Suba até a colina da Pnyx, a área utilizada na Clássica Atenas para os encontros das assembleias democráticas. Retorne passando pela Ágora Antiga até chegar novamente na zona urbana de Plaka (TEXTO COM FOTOS EM http://www.theworldbyfon.com/2015/04/um-dia-em-atenas_19.html#more ).
       
      O almoço típico será aqui, no bairro de Plaka! Peça algo com iogurte ou queijo branco! Mas atenção, o tempero grego costuma ser mais forte que o normal! Se você é do tipo que gosta de fazer umas comprinhas, aqui é também é o lugar!
       
       
      Ao leste da Acrópole está o o Templo de Zeus, que assim como a maioria das outras atrações é grátis para estudantes. Se você não for estudante, visite a Acrópole antes e com o mesmo bilhete poderá entrar no Templo de Zeus. O inverso não vale! Este foi o maior tempo grego, com 105 colunas, das quais apenas 16 continuam em pé, mas que já te dão uma boa idéia do tamanho que era esta belezinha! No cantinho da quadra está o "Arco de Adriano e não de Teseu", o Imperador responsável pelo fim dos trabalhos do Templo de Zeus.
       
      Do Templo de Zeus passe pelo estádio Olímpico de Atenas, construído para as primeiras Olimpíadas Modernas! Dali você pode aproveitar e caminhar pelas sombras das árvores do Jardins Nacionais até chegar em frente ao Parlamento. De hora em hora os soldados fazem a troca da guarda.
       
       
      Atravessando a rua e descendo as escadas você estará na Praça Sintagma, que se você provavelmente
      conheceu quando veio do aeroporto pelo metrô. Este é o coração de Atenas! Vale à pena passar um tempo em algum bar ou cafeteria observando o movimento da praça e a grande quantidade de cães de rua (até o Lonely Planet fala disso).
       
      Depois, quase no fim do dia, uma rápida subida até o Monte de Philopappus, seja caminhando (40 min) ou pelo funicular, te trará outras vistas panorâmicas de Atenas e Piraeus, a região portuária. Quando você chegar lá igrejinha no topo, e tiver 360 graus de Atenas abaixo de você, pensará "Cara, era maior do que eu pensei!".
       
       
      Se você prestou atenção, em nenhum momento citei o trasporte público, pois realmente não é necessário! A partir daqui você já está pronto para voltar para o seu cruzeiro ou para aeroporto e continuar sua viagem ou preparar-se pra a festa da noite! Se você é daqueles que gosta de ver "tim-tim por tim-tim" dos museus, reserve um dia mais e durma na capital grega e não deixe de confirir o Museu Arqueológico Nacional, o Museu Benaki e o Museu Nunismático.
       
      Aproveito o post para comentar sobre o Quick Facts, a nova coluna do The World by Fon. São parágrafos breves com uma explicação sobre algum tema interessante no contexto das viagens do Fon! O primeiro foi postado ontem! Confere lá!
       
      E como sempre, se você gostou, peço que gentilmente curta ou compartilhe através das redes sociais ou dos botões aqui embaixo. Isso me ajuda muuuito!
       
      Facebook - The World by Fon
      afonsosolak no Twiter e Instagram - @afonsosolak
       
      Um abraço maior que o Atlântico!
       
      Fon
    • Por raphaela.gonçalves
      Fiz duas viagens incríveis nessa ilha paradisíaca e não poderia deixar de dar dicas pra quem deseja fazer o mesmo! Só pude viajar durante os finais de semana pois durante a semana fiz um estágio. No primeiro final de semana fomos para o leste da ilha, alugamos carro na Avis (não é o local mais barato mas o seguro de lá era o único que cobria qualquer dano sem taxa adicional e achamos que valia a pena) por aproximadamente 150 euros e gastamos mais uns 50 euros de gasolina na volta. Nossa primeira parada foi Kritsa, um dos vilarejos mais antigos da Grécia, uma cidadezinha charmosa, perto do sítio arqueológico de Lató, onde pudemos ver muitas ruínas interessantes, e depois voltamos pra comer em Kritsa. Seguimos para uma praia surreal de linda, a Golden beach, o mar é um dos mais violentos mas é também um dos mais lindos. De lá seguimos para Sitia, onde nos hospedados no Minos apartments, de frente pro mar, com cozinha e tudo, por 60 euros para até 5 pessoas (pagamos 12 cada). À noite, jantamos em um dos vários restaurantes à beira do mar. No outro dia partimos para a trilha "Dead Gorge", a qual pode ser iniciada no começo ou pelo meio, durando de 1 a 2h, em meio a uma paisagem estonteante de formações rochosas gigantescas, e depois de um jardim onde pudemos colher uvas e comer ali mesmo gratuitamente, termina na praia de zacros. Mergulhamos e almoçamos por ali pagando muito muito pouco pra comer de frente pro mar (paguei 2,50 no meu almoço, fora que os gregos têm a mania maravilhosa de trazer frutas e outras sobremesas como cortesia), realmente inacreditável. Na volta páramos em Vai e em Ithanos, sendo essa última a praia que mais gostei, cristalina e em meio a uma paisagem maravilhosa, e menos turística que Vai.
      No segundo final de semana, alugamos novamente o carro pelo mesmo preço mas com um dia a mais (também não entendemos pq haha) e a gasolina deu cerca de 80 euros no total. Seguimos primeiramente pra Chania, uma cidade muito muito charmosa, onde caminhamos pela linda região do porto, pelas ruelas cheias de lojinhas, pelo mercado central, e curtimos bares bem legais à noite numa rua cheia de bares. Ficamos hospedados perto de kissamos, no Tripodis apartments, o qual recomendo fortemente - staff super gentil, nos deixaram uma garrafa de vinho de cortesia no dia da chegada e um prato de melancia no segundo, e pagamos 83 euros por duas noites num quarto apartamento com um quarto duplo e um single de frente pro mar (27,75 por pessoa para os dois dias). Mergulhamos nessa praia no pôr do sol inclusive, somente a água e as montanhas, incrível. Foi tranquilo ir e voltar de Chania para curtir a noite, cerca de 30km. No segundo dia pegamos um barco em kissamos para gramvousa e balos, pegamos o primeiro (10:40) e pagamos 22 euros com desconto estudantil/grupos (25 sem), e valeu muitooo a pena! Ambas são maravilhosas, em gramvousa não deixe de subir até o castelo, a vista é incrível e o mergulho depois é revigorante. No domingo, seguimos para Elafonisi, a estrada não é tão boa então certifique-se de pegar a melhorzinha, é sem dúvidas o lugar mais lindo que já vi na vida! Vale a pena chegar cedo pois as cadeiras lotam (7 euros por duas cadeiras e um guarda-sol, os quiosques são relativamente baratos (pagamos 2,50 na cerveja, 0,50 na água, e vi lanches por cerca de 3 euros). Na volta paramos em Rethymno, onde vimos um pôr do sol maravilhoso e comemos num dos restaurantes à beira do mar, próximo ao castelo, não me lembro o nome mas comi uma pizza incrível, eles têm uma herança da colonização veneziana e por isso também os gelatos deliciosos.
      Tem muita coisa linda pra se ver por essa região, vale muito a pena alugar o carro, especialmente em um grupo de pelo menos 5 pessoas, daí sai bem barato. A estrada em si já é maravilhosa, principalmente a do leste na minha opinião, com as montanhas cobertas por campos de oliveiras, embora tenha gostado mais das praias do oeste.
      Enfim, espero ajudar com meu breve relato!
    • Por namags
      Olá Mochileiros!!
       
      Venho neste meu terceiro relato falar sobre a breve e incrível viagem que fiz à Grécia!
      Além de gostar de compartilhar experiências, fiquei com um pouco de receio quando resolvi ir, não apenas pelos conflitos econômicos, mas pelo País ter um alfabeto diferente, deslocamento pelas ilhas e por estar sozinha .
       
      Quando resolvi tirar férias em junho esqueci de um pequeno detalhe: inicio da alta temporada em muitos lugares ou locais não recomendados pelo clima. Além disso tinha o preço o dólar que não ajudava (continua não ajudando rs) e objetivos de gastos que não poderia ser muito.
       
      Confesso que pesquisei diversos roteiros e lugares incríveis, mas desejei muito a Grécia! Sabendo pouco sobre os problemas econômicos de lá, me programei pra levar dinheiro e desencanar de chegar nos lugares caso houvesse alguma greve.. era um risco a assumir. Mas pensei também por ser alta temporada e ter poucas vagas em hoteis e hostels, uma boa chance de ser uma ótima viagem.
       
      Pesquisei roteiros aqui no mochileiros em vários sites bacanas de viagens e as dicas foram super úteis! E por incrível que pareça é MUITO fácil se deslocar por lá! Um dos motivos pra relatar a viagem é acrescentar informações técnicas pra quem planeja ir um dia.
       
      Foram 10 dias de viagens, sendo 3 noites em Atenas, 3 em Mykonos, 2 em Santorini e 1 noite em Atenas.
      Passagem: por ser verão europeu, as passagens são mais caras... mas consegui uma promoção da Swiss que facilitou muito a vida! E detalhe.. comprei no final de abril!!
      Obs: Não existe voo direto do Brasil pra Grécia. As grandes empresas europeias fazem escalas.
       
      Com a passagem garantida, fui ver hotel e ferrys!
      Mykonos e Santorini tem aeroporto e é outra opção de translado. Optei pelo ferry por ser mais barato.
      Em relação aos ferrys, nos sites http://www.greekferries.gr e http://www.go-ferry.com/, você pode pesquisar diversas empresas que fazem os translados. Algumas delas são a Hellenic Seaways, Sea Jets e Blue Star Ferries. Recomendo comprar no site da própria empresa.
       
      Problema que tive na compra dos ferrys
      Pesquisando no site, vi que pela Blue Star estava com ótimo preço pra econômica, mas meu cartão não passou diversas vezes e quando consegui, eles cobravam uma taxa do ticket absurdamente alta. No final, comprei pela Hellenic Seaways. Ela é mais cara comparada a outras na classe econômica, mas tem a vantagem de ser mais rápida (highspeed) - super vantajoso na volta de Santorini pra Atenas
      Obs: você tem que retirar os tickets na agência antes de embarcar! Fique tranquilo que são bem localizadas e super rápido! Só esteja com o passaporte em mãos!
       
      Ferrys
      40 euros Atenas- Porto Piraeus para Mykonos
      61 euros de Mykonos pra Santorini
      59 euros Santorini para Atenas (Piraeus)
       
      Em relação as hospedagens
      Sabendo que seria verão, já fui atrás de hospedagem. Seguindo sugestões, em Atenas fiquei no Athens Backpackers, Mykonos no Morfoula's Studio e Santorini no Hotel Antonia.
      Optei por ficar em hotel em Mykonos e Santorini por descansar mais. É mais caro do que hostel, mas nada melhor do que um pouco de privacidade.
       
      93 euros o Hostel em Atenas
      135 euros Morfoula's
      98 euros Hotel Antonia
       
      Por fim, o dinheiro. Li que não é um País caro e devido a crise, resolvi só levar em espécie. Mas também levei cartão de crédito para alguma emergência. No hostel eles não aceitavam mais cartão de crédito, apenas dinheiro pela situação.
       
      Em relação a bagagem, inicialmente pensei em ir com a minha mochila de 78l da trilhas e rumos, mas por ser um roteiro tranquilo, optei pela mala. No final a ida foi com 12kg e a volta 17kg (comprei váááários sabonetes de oliva hahahaha).
       
      Passagem, hotel, translados e roteiro garantidos.. bora viajar!!
       
      Cheguei em Atenas no período da tarde (6h de diferença do Brasil) e resolvi ir de trem e metrô até o hostel.
      Se você pesquisa pelo Google, ele passará os nomes das estações em grego ... maaaaaas ainda bem que nas estações tem a tradução para o nosso alfabeto!
      Eles tem poucas linhas de metrô e o deslocamento foi super tranquilo levando uns 40 minutos até a estação Acrópole. A passagem saindo e indo para o aeroporto para qualquer estação de metro custa 8 euros, e o metrô pela cidade custa 1,60 euros. Outra opção é pegar um táxi, mas não sei o valor. Importante: não tem catraca no metrô, você apenas válida o ticket. Teoricamente alguém irá verificar depois, mas não sei se foi pela crise, ninguém conferiu e teve dias que usei o metrô de graça porque eles não estavam cobrando.
       

       
      Uma coisa legal do metrô é que algumas estações tem réplicas de estátuas gregas, objetos encontrados nas escavações... diversos mini museus rs
       

       
      O hostel fica na região de Acrópole, que é dos points turísticos de Atenas! Tem diversas opções de restaurantes nos mais diversos preços e gostos pra todos! Ao lado fica Plaka, uma região cheia de restaurantes e lojas de lembrancinhas. Confesso que a maioria das lojas tem as mesmas coisas, mas vale a pena andar por elas e achar um bom preço!
       



       
      Gostei muito do hostel, principalmente da localização e pela bela vista do Partenon! Conheci diversas pessoas super legais e foi bem animado! A única coisa que não curti foi que o chuveiro que encharcava todo o banheiro.

    • Por gustavo esteves de mattos
      Galera, meu nome é Gustavo Mattos , moro no Rio de Janeiro e vou falar aqui um pouco da viagem que fiz com minha noiva em agosto – 2015, com o roteiro falando apenas da Grécia, que foi uma parte da viagem.
      Grécia : Rhodes ; Santorini ; Mykonos; Zakhyntos e Athenas
       
      Segue link para roteiro completo com Paris , Londres e Grécia: #1117355 ou
      paris-londres-grecia-rhodes-santorini-mykonos-zakyntos-e-athenas-20-dias-t117773.html
       
      DIA 1 LONDRES/RHODES
      DIA 2 RHODES
      DIA 03 RHODES/SANTORINI
      DIA 04 SATORINI
      DIA 05 SATORINI/MYKONOS
      DIA 06 MYKONOS
      DIA 07 MYKONOS/ZAKHYNTOS
      DIA 08 ZAKHYNTOS
      DIA 09 ZAKHYNTOS / ATENAS
      DIA 10 ATENAS
      DIA 11 ATENAS COM PIT STOP EM ROMA
      VOO - Alitalia (ótimo avião)
      GRÉCIA
      RHODES
      Na Chegada alugamos um carro pela empresa Auto Europe( aluguel feito no Brasil). 140 euros por dois dias.
      Ilha muito grande- quadriciclo não comporta. Ideial é um carro .
      Gasolina para dois dias : 20 euros rodei a ilha toda e entreguei o carro no porto – ida para Santorini
      Dia 1
      Fomos direto para o centro ver os castelos na Old Town. Muralha Gigantesca e bem extensa. Lugar muito bonito e diferente. A muralha pega uma parte da orla , lugar incrível. Muito bom ter colocado no roteiro.
      Vamos direto ao assunto: passeamos por todo redor das muralhas e paramos para experimentar pela primeira vez a comida grega. Pedimos um pitagyros (3,00 euros) e um giros plate. Esse é o prato principal da Grécia. Encontramos em todas as ilhas . comemos de vez em quando, mas enjoa. Ele é barato e a quantidade de comida é imensa.
      Rodamos o comércio local mas o que eu queria mesmo era praia. Chega de Museu, andar , pub e bistrô. Agora é Praia e peixe!
      Peguei o carro e fui na direção de lindos, lado onde tem as melhores praias . parei na primeira que é uma praia fechada. Tem apenas uma Rua de acesso. Tiramos uma foto(vou postar que aparece a praia. Não entrei pois estava no final da tarde, mas parece uma lagoa). Fomos para casa pois acordamos duas da manha este dia.o voo foi 6 horas como disse.
      Dia 2
      Exploramos a ilha.
      Começamos indo a vila de lindos. Lugar muito bonito. Você entra na vila e vai subindo. Para para o pedágio. Apenas 6 euros por pessoa. Sobe mais um pouco e lá em cima tem uma vista incrível do mar. Lembra um pouco a acrópole de athenas , mas com menos monumentos. Um dos lugares mas bonitos que já vi. Pesquisem no GoOgLe.
      Já tinha uma praia bem abaixo de lindos.desci pela trilha e fui direto para lá. Praia boa e calma mas a água não é muito clara. Fiquei uma hora e fui para outra praia. Deixe-me lembrar .....
      Voltei sentido centro, não achei necessidade de dar a volta na ilha pois tinhas mais de 7 praias voltando. RS .Passei por algumas praias, mas a melhor é TSAMPIKA. Bonita, água clara e bem estruturada.
      Fiquei uas duas horas, depois segui para praia de falikari. Achei extensa e normal.
      Seguimos , passamos pelo centro e fomos no outro sentido da ilha, onde tem as praias com águas claríssimas, mas ao invés de areia são pedrinhas. Maré bem forte à tarde também. Vi muito a pratica de Kitesurf .
      Praia boa para olhar. Lanchamos e fomos nos arrumar para um jantar semi- romântico.
      O Sol foi-se e fomos para o centro de Rhodes. Sem querer, achamos uma rua badalada, bares com muitos gregos e italianos. (povo dominante no local). Curtimos à noite e fomos embora.
      Resumo da ilha:
      Palavra –chave : Diferencial e impressionante. Praias e castelos num ambiente só. Aas praias são normais, com destaque para uma que faz uma coloração bem clara, mas tem muita onda e pedras ao invés de areia. Não da para ficar .Gostei muito de conhece-la .
      Proxima parada :Santorini (Love of Island)
      Locomoção : ferrye
      Blue star ferrys( pago no Brasil) – uns 40 euros por pessoa)
      Tempo – 9 hrs ,mas atrasou . levou 11 – barco imenso e muito aconchegante. Teve uma surpresinha Turca mas deixa pra lá.rs deleta
      obs: Os gregos adoram os Brasileiros. Nunca fui tão amado em outro país, nem na Argentina fui tão amado como na Grécia.











      SANTORINI– Love of Island
      Chegamos a Santorini com um dia perdido, pois foram 11 horas dentro do Navio. Quem deseja colocar Rhodes no roteiro, tem que se atentar que é demorado a ida para outras ilhas e não tem barco direto para outras ilhas. É muito restrito, por isso deve colocar um dia a mais só para o deslocamento. Avião também não vi vantagem, pois passavam tudo por athenas e demorava muito tempo a conexão.não custa na da pesquisar no Skyscanner . Curti santorini um dia apenas.acho que 2 é ideal. Fiz quase tudo, pois a ilha é bem pequena.
      Dia 1
      Ligamos do hotel e foram lá me buscar e levar até a locadora para pegar um carro, pois um dia achei o melhor meio de se locomover, pois quadriciclo é bem lento.
      Acordamos cedo e tomamos um delicioso café da manha no hotel Calderas memories( vista incrível das calderas, recomendo.) e Fomos direto as praias:
      * Começamos por Red Beach . Praia de areia avermelhada formada por rochas vulcânicas. Ela é Bem bonita mas sem estrutura nenhuma. Nem melhor nem pior , apenas diferente ,rsrs
      * Fomos depois para perissa e perívolos, uma do lado da outra. Praia bem legal também de areia cinzenta.
      *em seguida, Kamari Beach – Essa achei a melhor praia. Grande , bem bonita, muitos bares, cadeiras e restaurantes. ( melhor praia)
      Obs: estacionamento em todas praias são livre. (free)
      Saimos da praia e fomos ao hotel tomar um banho e conhecer logo em seguida o restaurante Santo wine, que fica no caminho de red beach e tem placas indicando. O rodízio de vinhos com petiscos varia de 18 a 30 euros. Pedi um com 12 copos de vinhos de diversos tipos e paguei apenas 22 Euros. Muito em conta. No sexto copo não sabia nem mais diferenciar o sabor.rsrs . Estavamos bem alegres e fomos tirar fotos na vista do local. (vista das calderas ).
      Em seguida partimos para Oia, ver o famosos por do sol . Chegando lá , estacionei logo e fui andando e passando pelas casinhas brancas e tirando foto. Chegando lá , muita gente ocupa um pequena terraço e outras descem para a direita para ver debaxo o famosos por do sol. Só consegi graças a gopro. RS coloquei no cabo e de cima bati algumas fotos, pois estava insuportável de cheio. Acho que do meu hotel a vista era tão bonita quanto.
      OIA É Lugar maravilhoso também. Muito estruturado e diferente. Bastante comercio e restaurantes para quem quiser passar à noite no local.
      Partimos para Firá, centro de Santorini. Comemos num restaurante e passeamos no local. Muito cansados já, pois o dia foi corrido demais , fomos para o hotel descansar para partir para mykonos.
      Resumo
      Ilha formada por uma erupção vulcânica. É muito bonita mesmo e diferenciada das outras. As praias não é o forte da ilha, apenas a Kamari beach que achei diferenciada. As caldeiras são bonitas demais e Oia é impressionante. Um lugar com casas brancas juntas e em cima de um morro( caldeira), acho que não encontra em mais nenhum lugar do mundo. Conhecemos praticamente tudo, apesar de corrido e valeu. acho que um dia a mais para ficar em fira e relaxar na piscina do hotel seria bom, mas valeu.
      Dia 3
      Acordamos, entreguei o carro, pois não pode passar de 24 hrs o aluguel(70 dólares - fiat 50 conversível). aguardamos o rapaz do transfer e fomos para o porto para ir para mykonos .


       





      Mykonos
      Chegamos em mykonos de ferry (empresa sea Jet) , comprei pelo site paleólogos travel ( 65 euros por pessoa) .
      Fiquei hospedado no hotel Milena, bem próximo ao centro - Chora( 5 minutos de quadriciclo). Oferece transfer gratuito do porto e do aeroporto, basta avisar por email o horário de chegada e os dados do transporte utilizado. Hotel excelente e um dos melhores preços, pois hotel em mykonos é bem carinho.
      Começamos alugando um quadriciclo, pois lá e o melhor transporte(infelizmente só tem de 50 cc, pois tem muito acidente na região porque é uma ilha em que os jovens bebem bastante e dirigem depois).
       
      Dia 1
      Dia sempre corrido , RS . fomos à praia de paradise beach conhece-la. Praia onde tem dóis quiosques bem sofisticados tocando música. Fica muito cheia no por do sol, onde o pessoal sai da praia para ficar na balada ali mesmo no local. Praia bem sofisticada.
      Saímos de lá e fomos ao centro Chora, mas pronuncia-se Róra. Lá tem uma famosa rua lettle venice onde tem um comércio de restaurantes e roupas bem forte. Visual muito bonito das casas e vielas brancas e os famosos moinhos de mykonos no caminho. Comemos uma pizza bem gostosa no restaurante Antonio’s e fomos para casa descansar.
      Dia 2
      Comecei o dia indo as praias
      kalo Livadi ( pequena praia e bem deserta. Fiquei 20 minutos). – se o tempo tiver curto aproveite as outras
      Kalafati beach – praia normal, parecida com praias de outras ilhas. Frequentei por 40 minutos e fui para lia.
      Lia – Passei de quadriciclo por cima só. parece ser bem estruturada. Bonita eu vi que é.
      Fomos para o outro lado da ilha. Achei as praias super bonitas. As melhores até o momento.
      Panormos – bela praia, me banhei bastante .
      Agios Sostis – Foi a que mais gostei. Do alto você visualiza a praia. Ao lado da praia panormos . desce uma trilha bem pequena de areia e já está na praia. Fiquei por bastante tempo relaxando ali.excelente praia.
      Psarou – Praia bem top de Kykonos. Diversas espreguiçadeiras e toda estruturada com restaurantes.
      Super Paradise – Finalizei o dia nesta praia. Outra praia bem estruturada com festa. Um pouco melhor que a Paradase Beach em relação a musica e o público que frequenta. O motorista do hotel já tinha me avisado. Em paradise o público é de 18 -23 anos em média. Super paradise o público é ¬de 25 a 40 anos.
      Fui para o hotel descansar para ir ao centro a noite, mas apaguei e não tive forças para levantar .rsrs
      Meu voô era 10 hrs da manhã para Zakhyntos
      Resumo
      Uma excelente ilha para quem procura boas praias e festas. Ilha bem animada de dia e a noite. Nada a reclamar.
      Vale muito a pena colocar no roteiro.











      Zakyntos
      Fomos para a ilha de avião (médio avião da empresa Olympic – aegean) 230 Euros por pessoa.
      Chegamos no aeroporto e lá estav ao pessoal da Green motion (autoeurope) aguardando para fazer o aluguel do carro.
      Dia 1
      Pegamos o carro, fomos ao hotel Varres(muito bom) e de lá já partimos para a parte de cima de navagio Beach (shipwreck - nas placas).
      Chegamos lá em 35 minutos. Um dos lugares mais bonitos que vi na vida. Fiquei lá viajando um tempão e tirando diversas fotos. Valeu muito ir nesta ilha. obs: tem que fazer a trilha lá em cima, pois são as melhores fotos.ir até o final onde se tem a melhor vista da praia.
      Saimos de lá, acabei me perdendo e indo ao porto Vromi( onde sai as embracações para navagio Beach), mas como era no final da tarde, resolvemos não fazer o passeio de barco para Navagio. Me arrependi, pois dia seguinte a maré subiu, mas já vou contar a aventura. Rsrs
      Como não tem estrada, voltamos tudo de novo e fomos para o porto Limnionas ( muito bonito também, mas estava no final de tarde e ficamos pouco tempo).
      Esta ilha é imensa e tem poucas estradas. Gasta-se muito tempo dirigindo.
      Voltamos para o centro e jantamos num restautante italiano muito bom. Os pratos demoram um pouco para sair nos restautantes da Grécia. Se o tempo tiver curto a melhor opção é um lanche ou um pita gyros.
      Dia 2
      Fomos logo cedo para o porto Vromi fazer o passeio de barco para Navagio. Estávamos muito animados. Chegando lá, a maré estava alta e o barco não iria parar na praia, ficou apenas rodando perto para podermos apreciar. A maré lá estava bem alta. Na volta foi parando nas blue caves que também são muito bonitas. Vou ser sincero: ficamos um pouco chateado, pois nos arrependemos de não ter ido no primeiro dia, mesmo estando em final de tarde.
      Logo depois do passeio, fomos ao porto Limnionas e ficamos lá um tempão nadando. Muito bonito nesse dia, pois a água estava bem clara. Porto muito bom para ficar relaxando.
      Logo depois fomos conhecer as praias, mas acabei me perdendo e parando dentro de um vale de oliveiras. O que mais se vê em zakhyntos são oliveiras, parece até filme de terror. rsrs
      Próxima parada Foi em Keri beach. Praia com algumas embarcações onde aluguei uma lancha e fui até uma ilha em frente onde ficam algumas tartarugas gigantes nadando. Consegui ver apenas duas ao lado da lancha. Parei neste ilha e fiquei uma hora lá relaxando. Depois, fomos ao badalado bairro de Laguna, que tem uma rua que parece o centro da cidade. Muito movimentada com diversos bares e boates bem decorados. Curtimos bastante esse dia. Fomos para o hotel depois pois já era bem tarde.
      Dia 3
      Chegando no hotel, verificamos que nosso voô para Atenas era apenas na parte da tarde e resolvemos ir até o porto verificar a maré para fazer o passeio para navagio beach de novo, a atendente do hotel falou antes que continuava com a maré alta, mas fomos lá conferir.Brasileiro nunca desiste. rs
      Chegamos lá e a maré estava ótima. Água claríssima . Fomos logo na primeira embarcação. Passeio perfeito, ficamos uma hora na praia, que estava bem cheia. Fiquei nadando naquela água azul mais que bebê por um bom tempo e ainda encontrei alguns brasileiros lá. Muito bom. Agora ficou perfeito o passeio.
      Fomos em seguida para o aeroporto e deixamos o carro com a chave debaixo do tapete, mas logo parou o carro da seguradora no local para conferir.
      Resumo de Zakyntos
      Ilha com a praia mais bonita que vi na Grécia e em toda minha vida. Muito grande e tem boas praias. É bom planejar bem o roteiro para não perder tempo. Tive tempo de conhecer poucas praias do litoral, pois teve esses imprevistos e perdi um pouco de tempo, pois as coisas são bem longes na ilha. O centro é bom , mas laguna beach é bem mais animado pela quantidade de comercio que tem na região . Valeu muito a pena conhecer a ilha e se puder voltarei para acabar de conhecer o restante das praias.
       












       
      Atenas
      Chegamos em athenas de avião, em torno de 1 hora de Zakyntos .
      Pegamos o metrô e fomos direto ao hotel Fomos direto ao hotel Areos ( muito bom e localizado há duas estações de metro do centro( praça syntagma).
      Saimos para jantar perto do hotel mesmo, pois tinha alguns restaurantes na avenida principal e voltamos para o berço, pois dia de deslocamento é sempre muito cansativo.
      Dia 1
      Fomos cedo para a Acrópole (ingresso 6 euros por pessoa) , subimos e visitamos tudo Lá em cima. Ficamos umas 4 horas Lá dentro, pois é bem grande. Depois fomos nas pedras lá em cima mesmo para tirar foto da vista. (recomendo).
      Descemos e fomos passear no centro, onde estava tudo aberto( comercio de roupas e restaurantes) e bem movimentado. Fomos até o templo de Zeus que é perto também.Depois paramos no centro para almoçar e fomos para o hotel nos arrumar para dar uma volta a noite.Sol bem forte nesse dia, desgasta muito.
      À noite fomos ao centro e jantamos abaixo da acrópole.
       
      Resumo
      Athenas é uma cidade histórica muito bonita onde se consegue visitar os pontos turísticos e um ou dois dias. Achei o tempo que fiquei bom, pois não tem muita coisa no momento, pois a cidade esta numa forte crise e apenas o centro está movimentado. O Resto da cidade parece estar muito vazia.




       
      Fim de relato e de Viagem!!
       
      ops , pit stop em Roma por 5 horas ....
      pegamos o trem que sai do aeroporto e pegamos o metrô, duas estações já estávamos no Coliseu.


      THE END
×