Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Tatiana Germuzesque

Relato + custos e fotos - Viagem de Carro para Uruguai, Argentina e Chile (incluindo Atacama) 2015/2016

Posts Recomendados

Olá!

 

Apesar de me cadastrar recentemente, já faz algum tempo que acompanho esse site e a melhor maneira de retribuir todas as informações, dicas e sugestões que recebi é postando um relato mais completo possível da nossa viagem.

 

Viajamos em três pessoas (eu, meu marido Eduardo e minha irmã Meg) em um HB20S 2014 1.6 durante 21 dias pelo Uruguai, Argentina e Chile e rodamos cerca de 8.600 km. Saímos no dia 25/12 a noite e retornamos na tarde do dia 15/01. Levamos uma barraca, três cobertores (caso fôssemos acampar, que não usamos e acabaram servindo para acomodar os vinhos), uma caixa de isopor, dois galões de 5 litros de gasolina (vimos que em alguns lugares a diferença de um posto para outro era de 400 km, mas no fim não foi preciso utilizá-los, colocamos no final da viagem só para nos livrar dos galões), um cambão (item obrigatório na Argentina, no Uruguai não lembro), kit de primeiros socorros (obrigatório também na Argentina), uma caixinha de ferramentas (que não precisamos), um par de luzes para os faróis (que também não usamos), carta verde (válido para Mercosul) e seguro SOAPEX (válido para o Chile). Nosso carro é financiado, mas o documento está no nome do Eduardo e não tivemos nenhum problema nas aduanas (não pegamos autorização da seguradora).

 

Valor carta verde (fizemos aqui em Curitiba mesmo): R$ 185,34

Valor SOAPEX: R$ 43,55

 

Fomos parados apenas uma vez pela polícia e foi em San Pedro do Atacama, em um horário em que não tinha quase ninguém na cidade, mas foi absolutamente normal e nos liberaram em seguida. Estávamos com medo da polícia argentina pelo que vimos nos relatos, mas em todos os postos policiais passamos normalmente, mesmo com a polícia parando alguns carros e fazendo vistoria.

 

Ficamos em hotéis e casas do Airbnb e só reservamos antecipadamente as primeiras noites, as outras fomos reservando pelo caminho.

 

Passamos pelas cidades de:

Serra do Rio do Rastro - SC

Canela - RS

Gramado - RS

Porto Alegre - RS

Punta del Este - URY

Montevidéu - URY

Colonia del Sacramento - URY

Buenos Aires - AR

Rosário - AR

Córdoba - AR

Mendoza - AR

Santiago - CHI

La Serena - CHI

Antofagasta - CHI

Atacama - CHI

Purmamarca - AR

Salta - AR

Resistência - AR

Foz do Iguaçu - PR

 

25 e 26/12

 

Saímos por volta das 23h00 do dia 25/12 de Curitiba – foi o único percurso que fizemos a noite, minha sugestão é de fazer durante o dia, além de ser mais seguro, você viaja com uma vista espetacular. Pegamos a BR 116 completamente vazia, tinha um ou outro perdido como a gente andando, o que foi ótimo porque a pista é simples, e seguimos em direção a Serra do Rio do Rastro (cidade de Lauro Muller, não sabíamos em qual cidade ficava e o GPS não conseguia identificar a serra, sofremos um pouco mais para achar), um lugar lindo que tínhamos muita vontade de conhecer. A BR 116 em si é boa e todos os pedágios que passamos nesta noite foram nela, mas a SC 114 depois de Lages não é muito, tem que tomar bastante cuidado com os buracos e as obras que estão fazendo. Chegamos ao topo da serra ao amanhecer, uma vista linda e incrível, o lugar é realmente muito bonito e vale a pena a viagem.

 

Tomamos café da manhã e enchemos o tanque em um posto de gasolina depois da serra, no início da cidade.

 

Custos até este local:

 

- Combustível Curitiba: R$ 206,97

- Pedágio Fazenda Rio Grande: R$ 4,80

- Pedágio Rio Negro: R$ 4,80

- Pedágio Monte Castelo: R$ 4,80

- Pedágio Santa Cecília: R$ 4,80

- Pedágio Correia Pinto: R$ 4,80

- Combustível Lauro Muller: R$ 125,04

- Café da manhã Meg: R$ 9,50

- Café da manhã Tati e Dudu: R$ 16,75

 

Km rodados Curitiba – Serra do Rio do Rastro: aproximadamente 500 km (falo aproximado porque não marcamos quantos km rodamos de uma cidade a outra, apenas o total da viagem quando saímos de Curitiba e retornamos, esta quantidade tínhamos previsto no roteiro)

 

A nossa próxima parada seria em Canela e da cidade de Lauro Muller até lá existem dois caminhos: passar pelo interior de SC e RS ou ir até a BR – 101 e voltar. Como pegamos um trecho ruim de estrada, ficamos com medo e preferimos pegar a BR – 101. Essa estrada de Lauro Muller até a BR também não é muito boa, aconselho dirigir com calma e curtindo a viagem.

 

Chegamos em Canela no final da manhã. É uma cidade pequena, mas muuuito simpática. Como o nosso prazo era apertado, demos uma volta pela cidade para conhecer e tiramos algumas fotos, mas não fizemos nenhum passeio. De lá fomos para Gramado (uma cidade é colada na outra, dá uns 10 km), uma cidade ainda mais apaixonante. No Natal ela está toooda decorada, fica linda!!! Como tinha muita gente, ficamos um pouco perdidos, haha, mas também estávamos com o prazo apertado, então conhecemos o centro, tiramos algumas fotos do celular (já que a minha câmera tinha acabado a bateria porque alguém esqueceu de carregar antes da viagem, haha!) Tinha muita gente, desfile de Papai Noel, enfim, tava uma loucura. Paramos para almoçar em um restaurante (o preço lá é salgado, vai mais preparado) e passeamos mais um pouco.

 

Custos:

 

- Pedágio São Francisco de Paula: R$ 5,90

- Almoço em Gramado Meg: R$ 27,39

- Almoço em Gramado Tati e Dudu: R$ 75,00

- Chocolates: R$ 20,00

 

Km rodados Lauro Muller – Canela: aproximadamente 312 km

Km rodados Canela – Gramado: 10 km

 

Saímos de Gramado por volta das 16h em direção a Porto Alegre. A estrada é muito boa, com vários radares, fique esperto! Chegamos na capital no final da tarde e até aqui já tínhamos rodado quase mil km. Lá só dormimos no hotel, não conhecemos nada da cidade, e saímos no outro dia pela manhã. Não vou indicar o hotel porque não era bom, apesar do ótimo preço.

 

Custos:

- Pedágio Três Coroas: R$ 5,90

- Pedágio Campo Bom: R$ 2,40

- Hotel triplo: R$ 132,50

 

Km rodados Gramado – Porto Alegre: aproximadamente 125 km

 

::otemo::::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

27/12

 

No dia seguinte tomamos o café da manhã e saímos por volta das 08h30 rumo a Punta del Este. Como o Eduardo tinha dirigido praticamente todo o caminho e não tinha dormido, saímos mais tarde para ele poder descansar um pouco mais. De Porto Alegre até Chuí, a maior parte das estradas é pista simples, mas em boas condições. Paramos em um posto em Chuí para comer e abastecer. Sempre ouvíamos falar de Chuí e achávamos que era uma cidade grande e com pontos turísticos, já que é a última do Brasil, mas não: tem meia dúzia de quadras, pouca coisa, simples e muito pequena, hehe, confesso que esperávamos mais. ::hãã2::

 

Uma dica muito importante que pegamos em um relato aqui no site: encha o tanque em Chuí antes de entrar no Uruguai! Segundo o frentista, o preço do litro da gasolina no Uruguai é de em média R$ 5,00, então aproveite para encher o tanque em Chuí! Como andamos pouco, abastecemos novamente somente na Argentina ::otemo::

 

Custos:

 

- Pedágio Eldourado do Sul: R$ 12,60

- Combustível Barra do Ribeiro: R$ 136,01

- Pedágio Pelotas: R$ 7,40

- Pedágio Pelotas: R$ 7,40

- Pedágio Rio Grande: R$ 7,40

- Lanches em Chuí para 3: R$ 40,05

- Combustível Chuí: R$ 33,52

 

A aduana é tranquila, apesar de ter muita gente. Eles dão uma olhada simples no carro e te liberam.

 

ATENÇÃO: Tanto no Uruguai quanto no Chile eles te dão um papel ao passar pela aduana. GUARDE ESSE PAPEL! Quando estávamos para ir para a Argentina o pessoal da empresa que faz a travessia nos informou que se não tiver esse papel paga uma multa, então guarde tudo o que eles te derem!!!

 

As estradas são muito boas e não vimos quase nenhum policial. Como não tem ponto para câmbio na aduana, paramos em um mercadinho na beira da estrada e compramos uma coca e três pêssegos (recebemos o troco em Pesos Uruguaios) para termos dinheiro para pedágio se tivesse (eu acho, não tenho certeza, que eles aceitam o real, mas é bom verificar).

 

Chegamos em Punta por volta das 17h00 (isso graças ao fuso horário, lá é uma hora a menos). Uma cidade linda, adoramos o lugar. Passeamos pela praia, tomamos um suco, dêmos uma volta de carro bem de boa... Enfim, é uma cidade tão linda e com uma energia tão legal que ficaríamos mais tempo se pudéssemos (inclusive quero voltar lá mais vezes!). Cambiamos e fomos ver o sol se por na Casapueblo, lugar lindo, MA-RA-VI-LHO-SO.

 

Custos:

- Pedágio Chuy - Punta: $ 70,00

- Cambio Punta: $ 7,40

 

Km rodados: aproximadamente 740 km

 

Depois de ver o sol se pôr fomos para Montevidéu, onde nos hospedaríamos. A estrada é muito boa, duplicada, com radar, polícia, então é bom ficar atento e sempre dirigir dentro dos limites de velocidade. Como era domingo à noite, pegamos um bom congestionamento neste trecho, porque tem muita gente de Montevidéu que passa o final de semana em Punta. Chegamos na capital às 21h30 e ficamos hospedados duas noites em um apartamento que pegamos pelo Airbnb.

 

Dica: se você vai viajar em duas ou mais pessoas, é uma boa conferir os preços das casas deste site. Lá você pode “alugar” um quarto ou uma casa inteira, com ou sem o dono da casa, com todas as comodidades que você quer e acha necessário (por exemplo, só pegamos casas com estacionamento gratuito). Vantagens: o preço às vezes chega a ser melhor que de um hostel (se for em mais gente), você pode fazer sua própria comida e economizar com restaurantes, os donos normalmente são super gentis e preocupados e dão dicas e sugestões de passeios, alguns vem com mimos (em Montevidéu a anfitriã nos deixou cerveja e amendoins!) tem áreas em comum, como uma sala, por exemplo, que você pode sentar no final do dia e ficar conversando, o espaço é normalmente maior e principalmente: o que você vê nas fotos corresponde a realidade (alguns hotéis que pegamos tinham fotos de quartos lindos, com um café da manhã gigantesco, mas quando chegamos o nosso quarto, que era normalmente um dos mais baratos, era horrível e o café da manhã nem era tudo aquilo ¬¬’).

 

Custos:

- Pedágio Montevideu: $ 70,00

- Pedágio Montevideu 2: $ 70,00

- Apto Montevideo: U$ 70,00

 

Km rodados: aproximadamente 140 km

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites


Continua aí que tá bacana. ::otemo:: Fizemos praticamente a mesma rota sua só que ao contrário, cruzamos a fronteira por Foz dia 28/12 e chegamos pelo Chuí dia 17/01, é quase certo que algum momento passamos um pelo outro. O relato está aqui argentina-chile-passando-pelo-atacama-e-uruguai-10680km-partindo-de-cons-lafaiete-mg-t123873.html

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...