Relatos de Viagens pelo Equador


#1112567 por thiagoluizalves
05 Ago 2015, 19:33
Prezados, segue agora série de posts referentes a minha viagem para o Equador em março.
Dúvidas, podem me encaminhar e-mail para thiago@mundodesbravo.com.br ou por aqui mesmo!
Obrigado.

Postagem original c/ fotos: http://www.mundodesbravo.com.br/post/67 ... h-em-quito

QUITO

#Saindo e Chegando Cheguei em Quito já passava das 20h e necessitava chegar na casa do meu amigo. Porém não é tão fácil assim. Além de ser longe do aeroporto (aproximadamente 35km do centro) estamos em um país onde moeda oficial é o dólar americano. Então, um taxi seria a opção mais cara. Logo, optei em pegar o transporte executivo em ônibus com ar-condicionado, novo e com wi-fi (funciona pelo menos o whatsapp). O curso do trajeto é de 8 dólares (40-60 minutos) porém se você comprar ida + volta ganha um desconto. A volta não precisa ter uma data definida, você só precisa usar em até 1 ano. O ônibus executivo sai do terminal a cada 30 minutos aproximadamente e te leva diretamente, para o antigo aeroporto de Quito, localizado na zona sul da cidade (esse antigo aeroporto está em obras e sua pista servirá como um parque para comemorar a independência do país). A @AeroServicios funciona 24 por dia nos 365 dias do ano. Saindo da área de desembarque, o balcão estará localizado a sua direita. Mais informações, só entrar no site da empresa. Para regressar, é o mesmo esquema. Você vai até o aeroporto antigo na zona sul de Quito e o procedimento é o mesmo. No antigo terminal só trabalha a empresa Aero Servicios, não tem erro.

#Dica Se for de dia, não aceite pegar os taxis logo na saída do aeroporto antigo, pois eles abusam no preço. Como Quito tem uma grande gama de taxis e existem aplicativos, saia do terminal, atravesse a avenida (bem tranqüila) e espere um taxi sair. Em Quito há taxímetros, porém os taxis credenciados no aeroporto, os valores são combinados com o motorista.

Após a novela mexicana, os próximos 2 dias serão inteiros em Quito. Fiquei na casa de amigos então o clima foi outro... Clima de descanso, já estava um pouco cansado dessa vida de nômade. Acredito que nem era o fato de voltar ao Brasil, mas sim ficar a cada 5 dias mudando de uma cidade para outra. Há, cheguei numa segunda bem tarde, já perto das 21h.

#Dia 1 Acordei cedo e fui logo providenciar um chip de celular colombiano para estar conectado em toda minha estadia no Equador. Fiquei hospedado ao lado do parque La Carolina (Av. Amazonas), região classe média alta de Quito. Seguindo no sentindo norte do parque La Carolina, há um centro comercial Inaquito (Shopping). Tomei meu café da manhã no Burguer King e logo em frete fui até a operadora de celular subsidiada pelo governo, a CNT (https://www.cnt.gob.ec/), onde fiquei sabendo que era a melhor opção custo/benefício no país (algo como 6 dólares o pacote de dados com whatsapp liberado). Após estar com chip em mãos, voltei para o apartamento e fui almoçar com meu amigo próximo do nosso destino.

@Parque La Carolina Um dos maiores parques ao ar livre de Quito, o parque La Carolina destaca por ampla área verde, área para prática de vários esportes (pista de corrida, campo de futebol e etc) como também de atrações turísticas: Museu de Ciências Naturais + Vivarium (estilo o nosso Butantã – viveiro para cobras e outros répteis) + Jardim Botânico + um avião DC3-Douglas. O parque fica mais cheio durante a noite para prática de esportes, para os donos levarem seus cachorros para correr e socializar. Aos finais de semana, ponto certo para encontro da família. Eu particularmente AMEI esse parque. De todos os lugares que conheci em Quito, é o meu favorito!!

#Dica No lado leste do La Carolina, você encontra uma região mais moderna, agitada e rica da cidade. No encontro da Av. Republica de El Salvador (paralela ao parque) com Av. Portugual, você encontra na esquina um Juan Valdez e em frente o sushi Kobe Express (uma delícia!) Comi lá e você paga por peça - e é barato. Para não pagar mico como eu, primeiro vá ao caixa e faça seu pedido + pagamento. Já eu, sentei na mesa e fiquei esperando o garçom passar para me atender, porém demorei horas até descobrir que não era assim! HAHAHA.

@TelefériQo Antes de mais nada, quero dizer que Quito tem tempo instável e fechado como Bogotá, coisas de cidades nos altos dos Andes. Em questão de minutos, o sol lindo ensolarado a pino muda para neblina, chuva e dilúvio. E foi assim que passei subindo o teleférico. Saímos do centro comercial e tomamos um táxi até a base inicial do passeio. Táxi em Quito é mega barato. Uma corrida de 5-7km ou mais, não passa de 1-2 dólares. Custando aproximadamente 10 dólares a entrada, subimos até a Cruz Loma (4000m acima do nível do mar). Logicamente temos uma linda vista de Quito! (#SQN) Também, em tempo bom, é possível avistar o Vulcão Pichincha. Infelizmente enquanto subíamos no teleférico (mais ou menos 7-10 minutos o trajeto) o tempo fechava e quando chegamos no pico, aproveitamos somente uns 5 minutos a vista. Já lá no alto há uma boa estrutura com banheiros, tendas e loja de souvenir, porém tudo meio Silent Hill, sabe? Nem fui averiguar se estava aberto. Então, já que não adiantava ficar olhando pra neblina sobre Quito, fomos conhecer o parque. Na verdade a área é extensa... Aos finais de semana é possível andar de cavalo e também é um dois points preferidos dos quiteños para um bom piquenique com família e amigos. Infelizmente (ou não), preciso achar uma desculpa e voltar em tempo bom. Na descida da Cruz Loma, além do TelefériQo, há uma parque de diversões, chamado de Vulqano Park. E consigo chegar de ônibus até lá? Sim! Existe um ônibus que sobe até o ponto inicial do TelefériQo, porém só o usei na volta ao centro. Custa um dólar.

@Centro Histórico E a noite foi dia de conhecer o centro histórico. Como todo centro histórico, não tem chance para asfalto. Chão de pedra batida, paralelepípedos altos e ruas estreitas. E conhecer esses sítios pela noite tem seu charme. Na verdade eu fiz um percorrido, sem ligar muito para “onde eu estava e o que era”. Estava curtindo a noite e o passei com meu amigo colombiano que vive há um ano em Quito. Lembro que comi coisas deliciosas na rua, algo como um amendoim com sal. E a movimentação é a mesma que qualquer capital e seu centro. Lembro que passei pela La Ronda para averiguar um passeio para o vulcão Quilotoa.

@Cafe Mosaico Terminei o dia nesse ótimo café/restaurante com uma maravilhosa vista de quito pela noite. Localizado aos pés do morro Itchimbía, o café esta aberto desde o horário de almoço até a janta e é especializado em comida grega, americana e equatoriana. Cafés, cervejas e sucos também são oferecidos. Sobre o preço: nada fora do usual, só pela vista da cidade (parte histórica) já vale a pena. Para ver fotos, horário de abertura e cardápio, clique aqui!

#Día 2 Nesse meu segundo full day em Quito, segui uma opção de roteiro que o guia Lonely Planet Ecuador indica. Na verdade não segui ao pé da letra, mas conheci os seguintes pontos do próprio centro histórico que percorri anteriormente à noite:

@Plaza Grande A principal e mais famosa praça de Quito. Todo entorno da praça é repleta de prédios históricos, como também, a catedral municipal.

@Palacio Arzobispal Hoje funciona como uma galeria com inumeras opções de café da manhã e lanches variados. Dentro, há caixas eletrônicos e outros tipos de comércio. É onde o povo se encontra pra conversar, engraxar o sapato e tal. Tomei café da manhã ali e achei fraco e um pouco caro pelo serviço prestado.

@Cathedral Mais do mesmo. Grande igreja, com decoração de época, com inúmeras representações dos últimos passos de Jesus Cristo. Aqui vale a visita para ver a tumba do famoso Mariscal Sucre, um dos lideres da independência de Quito. Mas não se esqueça de achar o famoso quadro da santa ceia, onde Jesus e seus apóstolos saboreiam um delicioso Cuy (porquinho da índia estilo andino, rs).

@Palacio del Gobierno Um dos lugares que mais gostei de visitar. Na verdade é a o palácio presidencial do Equador, é onde o Presidente trabalha. Linda arquitetura e ótimo passeio guiado. Para participar do tour dentro do palácio – logicamente por alguns cômodos – é necessário comparecer previamente num guichê existente do lado esquerdo (calle Espejo) para deixar um documento com foto (deixei minha identidade) para cadastro e reserva de horário. Visitas a cada meia hora até 13h e após a cada hora até as 16h. O passeio é super bem guiado, passando antes por um sistema de vistoria e raio-x, em alguns cômodos importante, como o salão de festas, de reuniões presidenciais e até sala onde estão expostas fotos do antigos presidentes e presentes recebidos por outros chefes de Estado. Também localizado na Plaza Grande.

@Casa de Sucre Como eu adoro saber um pouco da história local, visitei essa casa/museu (século XIX) onde o famoso Mariscal Sucre viveu com sua família. Na visita, gratuita, é possível caminhar por todos os cômodos e conhecer um pouco mais de sua história, como também sua relação com Simon Bolívar, um amigo muito próximo e braço direito no processo de independência do Equador – como também de outros países sul-americanos em domínio dos espanhóis.

@Museo de La Ciudad Sem dúvidas um must-see na cidade de Quito. O museu simplesmente conta, de uma forma bem bacana e iterativa, a história da construção da cidade de Quito ao longo dos séculos. O museu antigamente abrigou em séculos passados um hospital San Juan de Dios, e hoje é considerado o edifício mais antigo da cidade. O ambiente, conta com uma bacana cobertura, um ambiente para as crianças soltarem a imaginação e no centro do edifício há um alinda fonte, marca registrada em casas coloniais. A entrada e paga, porém vale cada centavo. Quando eu fui, eles estavam montado palco para alguma apresentação.

@La Compañia de Jesus Mais famosa igreja da cidade e mais bonita segundo os próprios quiteños. E sem dúvidas é, pois a igreja tem todo seu interior folheado a ouro! Além do mais, em tornos dos pilares há inúmeras simbologias que remetem ao antepassado indígena, como flores e frutas. A entrada é paga (3 dólares) porém o tour é gratuito em espanhol e inglês. É um espaço realmente para ser deslumbrado de tão lindo!! Não é possível tirar fotos, mas jogue no Google que não faltará opções.

@Plaza Santo Domingo Ampla praça, toda com chão em pedra polido e o bacana dessa praça que em cada lado dela há um ponte do trólebus e fica a uma quadra do La Ronda.

@La Ronda Famosa rua de pedra da cidade da cidade. Nela você encontra restaurante, bares que vendem a tradicional bebida chamada Canelazo, posto policial, agência de viagens e bela arquitetura. Foi aí que estive na noite anterior e volte no dia seguinte para fechar o pacote para o Vulcão Quilotoa. A rua mantém características do século XVII e respira arte, servindo palco para pequenas apresentações de teatro e música. Ótima pedida!

@Basílica del Voto Nacional No lado norte do centro histórico, já no final e no alto de um morro, é uma enorme igreja em estilo gótico datada de 1926. Simplesmente é uma obra linda externamente e internamente, pois o seu salão para cultos é enorme! Mas a principal atração e subir nas suas enormes torres (escadas do tipo marinheiro e minisculas + longa escadaria) para avistar do topo a cidade de quito! O bacana que você passa por detrás do relógio e fica pertinho dele. Alguns andares mais abaixo do topo, você encontra um restaurante/café com linda vista!

#Conclusão Foi muito tempo para muita coisa a ser vista. Faltou conhecer o famoso museu do aclamado artista plástico Guayasamín como também conhecer outros parques e a famosa praça moderninha e palco da juventude com bares e restaurantes, a praça Foch no bairro mochileiro Mariscal. No geral achei Quito uma capital organizada, povo um pouco mais fechado que os colombianos mas mesmo assim educados e amáveis porém em todo lugar que você percorre você continua se questionando se realmente você está numa cidade grande, pois em sua maioria tudo é muito simples. Claro que tive problemas de segurança (falarei depois sobre o tema), porém é uma cidade (como todo país) onde se é possível encontrar uma calmaria e fugir um pouco do borburinho de grandes cidades, como é o caso de Buenos Aires e Santiago. Não é a toa que a maior cidade do país não é Quito, mas sim Guayaquil. Hasta luego!

#1113169 por thiagoluizalves
07 Ago 2015, 21:23
Ecuador: Mitad del Mundo

Post Original em http://www.mundodesbravo.com.br/post/68 ... -del-mundo c/fotos

#O que é A famosa atração “Metade do Mundo” é uma das principais atrações do Equador, pois estamos “cara a cara” com a famosa linha homônima que divide o mundo em norte e sul. Descoberta por franceses no século XVIII, a linha foi locada no Equador pela facilidade na época em pesquisar em uma região de clima favorável comparado a África e Ásia. Após muitas pesquisas cartográficas e topográficas chegaram então na famosa “Linha do Equador”, o grau zero latitudinal. O parque “Metade do Mundo” não somente apresenta o desenho da linha, mas como também outras exposições bem interessantes e uma área de conveniência.

#Como Chegar O complexo turístico está localizado a 22 km ao norte de Quito e próximo do vilarejo de San Antonio. Para chegar você tem três opções: transporte público, alugando um carro ou fechando um pacote com agência de turismo. A estrada até o parque é duplicada e muito boa e deve durar um pouco mais de 30 minutos o sentido, mas se você optar por fechar pacote com alguma agência, a grande desvantagem que seu tempo por lá será limitado como também seu dia, pois você irá depender do horário da agencia para ir ao local (custa em torno de 15 dólares). MAS ir com opção “transporte público” não te vai custa nada mais, nada menos, que UM DÓLAR ida + volta.

@Trolebus Primeiro você necessita pegar um trólebus até a estação “LA Y”, que é o ponto final do trólebus. MAS você necessita agora pegar um ônibus convencional até a estação “Ofélia”, sistema chamado MetroBus-Q. Porém caso você pegue um trólebus que te deixar em um terminal chamado “Estación del Trole Norte” será necessário sair da estação e ir em direção a avenida e pegar ônibus, seguindo o mesmo sentido norte. Por mais que pareça difícil e confuso, é bem tranqüilo. É só usar a boca e perguntar, que eles ajudarão.

@Estação Ofélia Já estando na estação, agora precisas pegar mais um (e último) ônibus até Mitad del Mundo. O ônibus leva o mesmo nome do parque e está localizada nas últimas plataformas a direita. Não tem erro, você verá a placa indicativa para o ônibus na plataforma.

O trajeto da estação Ofélia até Mitad del Mundo demora cerca de 40-50 minutos e vai depender da movimentação entra-sai, pois é um ônibus parador (não é direto). Logo, considerando todos os ônibus que tens que pegar, a duração por sentido até o parque é de aproximadamente 1 – 1,5 hora. Porém, na volta quando chegar à estação Ofélia, eu peguei um ônibus que me levou direto até o centro histórico (Plaza Marin).

Por ser uma linha com o nome “Mitad del Mundo” logicamente eles sabem que o que mais tem no ônibus são turistas, e por isso, eles avisam quando chegam no complexo. Na verdade eles te “largam” em um ponto de ônibus um pouco mais pra baixo da entrada, porém é visível vê-lo. Abaixo tem um mapa do Google Maps onde marquei algumas posições de importância.

@Mitad del Mundo A entrada do parque “Ciudad Mitad del Mundo” é estruturada e volumosa. Você de longe já observa ao fundo o famoso monumento, porém antes você necessita passar pela bilheteria. Você pode optar por dois valores de pagamento: o básico, que te da direito somente de entrar e conhecer dois museus, e o completo , que consiste na entrada + visita a todos museus do parque (incluindo o planetário). Eu achei uma furada ter comprado o completo, pois mesmo pagando algo como 7,50 dólares,o planetário é fraco e em nenhum momentos eles verificaram as pulseiras de ninguém. Enfim, existem outros museus dentro do complexo que valem super a pena: Museu QUITO COLONIAL (conta história de Cuenca e Quito e suas lendas urbanas. Existe uma maquete bem bacana de Quito), Museu Francia (conta a história da expedição francesa geodésica na descoberta da linha do Equador pelo Charles Marie e sua equipe – com exposição de instrumentos e fotos), Museo Guayasamín (expõe obras e conta história do artista plástico mais famoso do país). Do resto, não perca seu tempo (como o planetário, rs). Vale ressaltar que dentro do parque, há estrutura de alimentação e de compra de souvenirs. http://www.quito.com.ec/que-visitar/mitad-del-mundo

E não podia esquecer do famoso monumento de pedra em forma trapeizodal com um globo em bronze na sua ponta, o ”Mitad del Mundo”. O grandioso monumento abriga dentro dele o Museo Etnográfico Mitad del Mundo, que por elevador, te leva até o topo com ampla visão do complexo. E ao descer as escadas, você conhecerá mais a histórias dos indígenas que vivem e fazem parte da história do Equador. O bacana na verdade do museu é participar de jogos interativos, como tirar uma foto como se tivesse em regiões equatorianas.

@Subway Em frente a entrada do “mitad del Mundo” há um pequeno centro comercial, chamado de Plaza Equinocial e nele temo um Subway. Bom né? Quando você desce do ônibus normalmente tem alguém oferecendo almoço nos restaurantes pela região, porém acho que nada melhor algo que você já conhece e com um preço camarada.

@Museo Intiñan Em minha opinião foi a experiência mais bacana. Esse museu está ao lado do parque “Mitad del Mundo” e seu acesso pode ser caminhando mesmo, porém se estiver de caso é possível estacionar em frente ao museu gratuitamente. No museu, o visitante é convidado a conhecer a verdadeira latitude zero, devido ao moderno uso do GPS. O interessante que o erro, comparado a descoberta dos franceses, foi mínimo (240 metros). O bacana desse museu são as experiências em torno da linha do Equador, como equilibrar um ovo em um prego, tentar caminhar em linha reta de olhos vendados e observar o sentindo da água nos distintos lados do hemisfério. Eu havia acabado de chegar e me infiltrei (pagando, lógico) num grupo guiado em inglês com vários velhinhos americanos e um Chico mexicano. Mais informações, como valores e vídeos demonstrativos, é só clicar aqui! http://es.museointinan.com.ec/
#1201593 por thiagoluizalves
11 Jul 2016, 00:46
Quito: como se locomover na capital equatoriana
Post original com fotos e mapas em: http://www.mundodesbravo.com.br/post/69 ... quatoriana

Eu sempre fui a favor do mais prático. Sempre. Então, numa cidade que o taxi é uma mixaria (algo como 1 dólar para cada 5 quilômetros percorridos com taxímetro ligado) iria raramente tomar o transporte público. ERRADO. Por mais que adoro chegar rápido em algum lugar, eu sempre aproveitei mais a viagem ao optar em tomar um transporte público. Claro que se você perguntar se pego ônibus aqui em Floripa, eu te direi que não. Hipocrisia? Talvez... Mas não! Quando viajamos, estamos (teoricamente) fugindo da rotina nas cidades na qual vivemos, então estamos sem pressa e deixamos a vida nos levar. Mas enfim, sem filosofias, eu curto usar transporte público quando viajo para sentir na pele e viver o momento como um nativo.

Em Quito, o buraco foi mais embaixo. Na verdade quando cheguei à Quito estava numa fase da viagem que estava com muito receio de taxistas, pois em Bogotá (semanas antes) eu havia passado por uma experiência nada agradável: o paseo millionário. Isso é, fui QUASE vítima de seqüestro relâmpago, porém isso é historia para outro post. Então, ter que negociar com taxista e disfarçar meu espanhol (principalmente em Bogotá) era algo que eu já estava com saco cheio, porém em Quito há taxímetros e você só precisa se preocupar pelo trajeto que o camarada taxista está tomando (quanta neura, né?).

Na capital equatoriana, fiquei na casa de amigos e quando comentava que iria de ônibus para algum lugar, eles já me questionavam o porquê não pegar taxi, por ser extremamente barato. Eles, já morando um ano na cidade, nunca haviam tomado o transporte público, porém, havia outro motivo: a insegurança. O meu Lonely Planet Ecuador alertava para furtos dentro dos trolebuses, mas eu pensei: pra quem viveu em Bogotá por um mês e não teve seu iPhone roubado no TransMilenio, iria tirar de letra. ERRADO! No meu último dia, fui roubado no trólebus no meu último trajeto: para casa. E de forma assustadora. Eu, por ter morado em Bogotá, era super cauteloso e cuidadoso dentro do transporte público. Bolsa e carteira na frente do corpo, mas mesmo assim, eles foram espertos e ligeiros: com um estilete, rasgaram duas vezes minha bolsa e levaram minha carteira. Minha sorte que não havia nada demais nela, somente alguns pesos colombianos (80 reais) e carteirinhas brasileiras, como o da UNIMED. Mas foi um baita susto! E me senti meio frustrado e muito chateado com a situação, com vontade de largar a viagem e voltar pra Brasil. E foi justo no dia que iria para Baños.. Então imagina minha empolgação. Porém, o post é pra comentar sobre o “ir e vir” em Quito.

@Trolebus É um ônibus elétrico movido por eletrecidade e transmitida por cabo aéreo suspenso sobre o seu trajeto em vias públicas convencionais (pneus e asfalto). Em Quito há tanto trólebus como ônibus convencionais, que eles o chamam de Metrobus. Na cidade existem 4 principais trechos (corredores) para transporte publico: a linha para os trólebus se chama Trole, já as linhas Ecovía, Sur Oriental, Central Norte e Sur Occidental são abastecidas pelos ônibus. Os trólebus são menores comparados aos ônibus convencionais (alguns modelos BRT), limitando o espaço. O engraçado do sistema de transporte é que os motoristas tem um microfone e são eles que avisam que a porta vai fechar e reclamam se o povo está empacando. Por ter embarque/desembarque em terminais, não há trocadores e as passagens custam 0,25 cents de dólar. Tanto os trólebus e os ônibus, são alimentados por terminais, porém não é o mesmo para ambos os sentidos. É um terminal para cada lado, isto é, o que vai pro norte e outro pro sul (dã). Não preciso nem dizer que é para ter cuidado, né?

Ah, em todos os terminais há um mapa da cidade e sinalização das linhas. Eles separam por terminais “chaves” ou troncales, possibilitando assim, você mudar a via ou o sentindo da sua viagem. Fique atento e com um bom mapa não tem como se perder. É divertido!

@Busetas São os nossos microônibus e atendem a cidade pelas avenidas principais. Para saber o destino dos microônibus você deve ler o que está escrito no painel da frente. Alguns param ao levantar o braço, porém existem pontos de ônibus nas avenidas principais. Não sei quanto custa pois não o utilizei.

@Taxi Como já falei, a melhor opção em Quito. Super barato. Um trajeto de 32 quilometros (até o terminal de ônibus Quitumbe) me custou 9 dólares. Ao contrário de Bogotá, aqui é seguro pedir taxi no meio da rua, levantando a mão. Porém, sempre utilizei o Easy Taxi. Uma mão na roda. Então, não seja muquirana e use & abuse do taxi na cidade. A noite, sempre opte pelo taxi.


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante