Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

casal100

Caminho Religioso da Estrada Real a pé (CRER ) - Janeiro de 2016

Posts Recomendados

28° dia - 28.01.2016 - Quinta-feira

 

Saída de Itanhandu e chegada a Entre Rios(distrito de Cruzeiro) -SP

+-34 kms em aprox. 07:10 horas

Acumulado CRER: 753 kms

 

Os caminhos são os mesmos até mirante da serra da Mantiqueira (topo), depois ER segue à esquerda descendo por trilha e estrada de terra e CRER desce serra pela estrada asfaltada com muitas curvas.

 

Hotel não disponibilizou café da manhã pra nós,  pois saímos as 05:30hrs.

 

De Itanhandu a Passa Quatro(+- 13kms) foi tranquilo,  estrada de terra e pouco asfalto praticamente reto. Caí num barro e machuquei o joelho.

 

De Passa Quatro até mirante da mantiqueira(+-12 kms)trecho complicado.

No início reta até saída distrito,  após  estrada de terra com muito barro e alguns desmoronamentos, com descidas/subidas fortes. Chegamos na estrada asfaltada e viramos à direita, caminhamos nela uns 3 kms, entramos novamente na estrada de terra à direita. Esse trecho é o mais difícil pois com as chuvas houve vários desmoronamentos que bloqueou em parte a estradinha de terra até novamente chegar ao asfalto (no posto da serra).

Caminhamos +- 1km até o mirante da mantiqueira com muita neblina.

Seguimos o marco do CRER, que é descendo pela estrada asfaltada(+- 9 kms) com muitas curvas e grande movimento de veículos. (Muito perigoso ).

Chegamos a um pequeno restaurante no distrito de Entre Rios(Cruzeiro) Almoçamos um PF a $10 cada.

Pegamos ônibus circular($2,80 cada) que passa ali as 13:15 hrs até o centro de Cruzeiro.

Compras supermercado: $21

Compras farmácia : $12

Picolés : $ 6

 

Altitude Cruzeiro: 540 msnm

 

Hospedagem em Cruzeiro-SP:

Hospedagem: Vale Residência Hotel (12)3143-1957, centro, camas ótimas, Tv, wifi, frigobar,  ventilador, limpo. Preço  $135 casal sem café da manhã.

Não tem filtro d'agua.

 

Obs.: levei  um tombo na chegada de Passa Quatro, como o joelho estava sangrando, paramos numa praça de PQ pra fazer  um curativo.

Nisso chegou um morador de rua e disse:

"Vcs querem ajuda? Nós como moradores de rua enfrentamos isso, né ". É por aí!

 

Algumas fotos:

Ponte depois de Passa Quatro-MG

20160128_084844_zpsrocjgidf.jpg

Trecho perigoso de asfalto

20160128_113813_zps7cizzum2.jpg

Desmoronamento na subida antes do posto

20160128_105407_zpsjkmyv1ek.jpg

Chegando ao famoso posto

20160128_110201_zpsxk6e1zdg.jpg

Muita neblina na descida da serra

20160128_111458_zpsoseokrnq.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

29° dia - 29.01.2016 - Sexta-feira

 

Saída de Entre Rios (distrito de Cruzeiro) e chegada a Guaratingueta- SP

+-51 kms em aprox. 11:30 horas

*a maior distância que conseguimos fazer até hoje.

Acumulado CRER: 804 kms

 

Neste trecho só havia marco da ER.

 

Negociamos o hotel sem café da manhã.

Acordamos 04:15 hrs para pegar o primeiro ônibus na rodoviária pra Entre Rios.

São duas opções :

.ônibus Cidade do aço primeiro as 05:15 hrs a $2,80 cada

.ônibus circular primeiro às 05:30hrs que sai da rodoviária também, na plataforma n° 4  $2,80.

Obs.: prefira da cidade do aço pois vai direto, sem paradas +- 25 minutos.

 

Paramos na frente ao restaurante às 05:40hrs uma chuva fina caía,  começamos a descer a estrada e a chuva só aumentava. Chegamos no trevo e viramos à direita  (não havia sinal dos marcos do CRER) e a chuva aumentando.

A ponte refeita a um ano, antes da vila embau, estava bloqueada pra veículos, pois estava cedendo devido às fortes chuvas. Uma ponte anterior a essa foi destruída pelas chuvas.

Aproveitamos e paramos numa pousada depois da vila pra pegar o telefone e o valor da hospedagem.

Pousada rural São Benedito  ( uns 5 kms da vila sentido cachoeira Paulista ) fone: (12) 3101-1654 valor  $45 por pessoa com café da manhã. Aptos simples. A pousada serve PF a $10.

Pedimos um café quente pois estávamos molhados, a senhora, proprietária da pousada ofereceu além do café,  frutas deliciosas de seu pomar, quando fomos pagar ela não aceitou. Uma pessoa que encontrei no caminho teceu muitos elogios a essa senhora e a pousada,  apesar das acomodações simples.

 

Seguimos viagem com o pensamento em terminar essa perna próximo de Lorena, o dia estava fresco e com chuva fina, caminho praticamente reto.

Diante disso tocamos até Guaratingueta  , chegamos mortos de cansados pois foram mais de 50 kms em 11:30 horas.

Comemos Self-service no Shopping a $39 o kg

Compras supermercado  $20

 

Altitude Guaratingueta: 530 msnm

 

Hospedagem: hotel Cristalino, centro, camas boas, ventilador, wifi, tv. Preço  $100 casal com café da manhã. RECOMENDO

Tem filtro d'agua.

 

Algumas fotos:

Aquela famosa ponte que não conseguimos passar na primeira ER, está assim, depois de ser reconstruída(antes do asfalto de Cachoeira Paulista)

20160129_073945_zpshiwedeae.jpg

A mesma casa, inteira até hoje

20160129_103628_zpszlueipkg.jpg

Aqui existia uma pinguela

20160129_124834_zpszablnl0g.jpg

Trecho em estrada de terra, com muito barro

20160129_140719_zpsa9jxs3qr.jpg

Chegando a Guaratinguetá-SP depois de 51 kms

20160129_164648_zpsgnknqytx.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

30° dia - 30.01.2016 - Sábado

 

Saída de Guaratingueta e chegada basílica de Aparecida, FINAL.

+- 7 kms em 01:30hrs

Acumulado CRER: 811 kms.

Média  diária +- 27 kms/dia.

 

 

Sem marcos do CRER.

 

Trecho fácil, além de curto é reto.

Somente cuidado nas travessias de pedestres, motoristas não respeitam.

Muito movimento de peregrinos na basílica,  fiz uma oração e caminhamos para saída da cidade.

Almoçamos Self-service a $ 14,90 por pessoa na saída de Aparecida.

Compras supermercado $32

 

Altitude Aparecida:  570 msnm

 

Hospedagem: pousada padroeira (12)99195-1830/98206-5836/99639-5414, saída Aparecida pra roseira uns 3 kms da Basílica,  camas boas, tv, wifi, ar condicionador,  ventilador. Preço : $ 100 casal com café da manhã.

Tem água filtrada e congelador pra água. 

 

Algumas fotos:

Depois de mais de 820 quilômetros chegamos À basílica de Aparecida-SP, num calor infernal.

20160130_140246_zpsagyuwclm.jpg

 

 

 

THE END

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite!

Meu nome é Danilo e acabo de ler sua postagem. Meus parabéns, excelente descrição e narrativa, muito emocionante e rico em detalhes.

Estarei realizando a Estrada Real de bicicleta em setembro, mas gostaria de dar um cunho religioso a minha viagem e realizar cumulativamente o CRER e ER.

Lhe incomodo a fim de pedir mais dados sobre suas experiencias.

Você não relatou sobre a credencia e tão pouco o certificado de conclusão. Fiz o Caminho da Fé em setembro passado, e gostaria de ter mais este certificado como recordação. Fico no aguardo de sua resposta e se possível mais material para me ajudar. kkkk

MUITO Obrigado e que Deus lhes acompanhem e suas aventuras!!!

Danilo - Ribeirão Preto - SP

 

Danilo,

A credencial do CRER você pega em Caeté no morro da piedade. Quando fizemos eles ainda estavam iniciando os trabalhos, inclusive a credencial não era até Aparecida, mas somente até Ouro Preto (acho), como nos chegávamos nas cidades e as igrejas que carimbabam estavam fechadas, nós não pegamos.

Quando fizermos, os marcos iam somente até depois de Passa Quatro.

 

Qualquer coisa estamos por aqui., não estou conseguindo enviar pm.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por casal100
      Resolvemos, dessa vez, fazer alguns roteiros distintos: beira-Mar, trilhas em montanhas e travessia.
      Começamos por Ubatuba, foram 10 dias de caminhada, por algumas das principais praias; depois pegamos nosso veículo e fomos fazer alguns roteiros em Extrema-MG e, por último,  a grata surpresa: TRAVESSIA DA SERRA DA CANASTRA-MG, que lugar maravilhoso: belas cachoeiras, trilhas fortes, flora e fauna exuberante, povo amigável, queijos deliciosos(alguns entre os melhores do mundo na sua categoria) sem contar a culinária mineira. Tudo de bom.
    • Por casal100
      Fizemos a maioria dos caminhos que passam pela Serra da Mantiqueira(Estrada Real, Caminho da Fé, Crer....), alguns mais de 1 vez.
      É quase unanimidade entre os caminhantes que, indiscutivelmente, a Serra da Mantiqueira têm as mais bonitas paisagens e, nós concordamos integralmente. São caminhos que proporcionam lindas fotos,  clima agradabilíssimo, povo acolhedor e simpático, ingredientes que definiram esse roteiro.
      Foram quase 50 dias e mais de 1.100 quilômetros de muitas alegrias, felicidade e paz,  poucas tristezas e decepções.
      Começamos e terminamos na MAGNÍFICA cidade de Campos do Jordão-SP, depois de rever vários lugares (passei alguns invernos nesta bela cidade, quando eu era "bacana"). A cidade se transformou,  criaram vários roteiros turísticos, belas e caras casas dos novos e velhos "bacanas", ótimos restaurantes, atrações mil,  pousadas e hotéis de todo tipo e preço, tem até o refúgio do peregrino, comércio bom, povo hospitaleiro, clima perfeito e, ainda por cima fomos no verão,  baixa temporada,  onde com facilidade encontramos boa hospedagem com preços menores que muitas hospedagem em cidades pequenas.

      Outra coisa que pesou em escolher fazer essa travessia é que a região se assemelha muito com um projeto que temos em mente, que é a travessia entre Punta Arenas x Arica no Chile,  então serviu como treinamento.
    • Por casal100
      ROTEIRO À PÉ:
       
      RIO GRANDE DO SUL:
      Portão
      Bom Princípio
      Carlos Barbosa
      Garibaldi
      Bento Gonçalves - Vale dos vinhedos
      Bento Gonçalves - Pinto Bandeira
      Bento Gonçalves - pela cidade
      Bento Gonçalves - caminho de Pedras
      Caxias do Sul - flores da Cunha
      Caxias do Sul - estrada dos imigrantes
      Nova Petropolis
      Gramado - Natal de Luz
      Canela - Cachoeira do Caracol
      Gramado - pela cidade (parques, centro)
      Santa Maria Herval
      Picada Café
      Ivoti
      Sapiranga
      Três Coroas
      São Francisco de Paula
      São Francisco de Paula  (parques, lagos e pela cidade)
      Tainhas
      Cambará do Sul
      Cambará do Sul - Canyon Itambezinho
      Cambará do sul - canyon Fortaleza
      Torres - praia
       
      SANTA CATARINA:
      Praia Grande - descida Serra do faxinal
      Balneário Gaivota - Praia
      Balneário arroio do Silva - Praia
      Balneário Rincão - Praia
      Balneário corrente - Praia
      Farol de Santa Marta - Praia
      Laguna - cidade histórica + Praia
      Orleans
      Guatá  (distrito de Lauro Muller) pé da serra do Rio do Rastro
      Bom Jardim da Serra
      ROTEIRO DE ÔNIBUS :
      São Joaquim
      Urubici
      Bom Retiro
      Lages
      Fraiburgo
      CONTINUAÇÃO À PÉ SANTA CATARINA:
      Videira
      Treze Tílias
      Água Doce
      Jaborá
      Concórdia
      Seara
      Chapecó
       
      PARANÁ (ÔNIBUS):
      Curitiba
      Paranagua
      Morretes
       
      QUILÔMETROS /DIAS: +- 1.300 kms em 53 dias
       
      PESSOAS:
      No planejamento da viagem nossa preocupação era de como seríamos recebidos nas pequenas cidades, visto que algumas delas não tinham vocação turística, e "mochileiros"poderiam ser "novidade". Mas, essa preocupação foi rapidamente deixada de lado.
      Fomos recebidos muito bem em todos os lugares (exceto dois episódios, que não afetou em nada nossa caminhada).
      Ficamos impressionados com a educação e o acolhimento da população do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, sempre solícitos às nossas demandas.
      Poxa, que saudade de tudo aquilo, em breve voltaremos.
       
      CIDADES:
      Praticamente todas as cidades desse roteiro tinham pousada ou hotel, somente o distrito de tainhas-SC não tem, somente restaurante (mas esse trecho tem serviço de ônibus intermunicipal).
       
      ESTRADAS:
      Optamos em fazer pelas estradas asfaltadas(alguns trechos fizemos em estrada de terra), pois não conseguimos informações sobre estradas secundárias nesta região.
       
      COBRAS:
      Nunca vimos tantas cobras como na serra Gaúcha, teve dia que vimos umas 5, quase minha esposa pisou numa em uma rodovia asfaltada.
      Elas ficam enroladas na pista de rolamento, é normal vê-las todas esmagadas por veículos, ficam parecendo um desenho no chão (pois vários veículos passam por cima).
       
      ANIMAIS SELVAGENS:
      Outra coisa que nos chamou atenção, vimos muitas espécies(raposa, cobras, tatu, macacos, roedores, porco espinho etc) passando lentamente perto de nós.
       
      PRECONCEITO:
      Tivemos um fato lamentável num hotel fazenda.
      O gerente nos recebeu num descaso tremendo, nem respondia nossas perguntas, foi preciso a intervenção de uma funcionária para resolver a situação (quase mandei o cara a pqp), o infeliz está no lugar errado.
      O outro caso foi mais leve, mas fiquei puto.
      Tirando isso, foi muito tranquilo ser mochileiro naquela região, muito tranquilo mesmo.
       
      PREÇOS HOTÉIS:
      Variou de $25 a 95 por pessoa (mas a crise pegou todo mundo ), em alguns lugares priorizamos ficar em lugares melhores,
      Sempre pechinchamos os preços, na maioria dos casos conseguimos descontos, principalmente à vista.
      Não fizemos nenhuma reserva, foi muito tranquilo.
       
      PREÇOS REFEIÇÕES:
      variou de $10 a $35 por pessoa à vontade.
      Peso : de $20 a $44 o quilo.
      Obs.: em média coloque $22 por refeição sem bebidas.
       
      ABUSO CONTRA TURISTA:
      Só tivemos alguns casos de abuso, mas nada gritante:
      Você chega em duas pessoas e pede somente um cafezinho pequeno, o cara trás dois grandes (claro, mais caro) e na maior cara de pau diz que pedimos dois.
      Isso aconteceu nuns 5 lugares na serra gaúcha, lamentável!
      Obs.: para nos proteger disso, fazíamos assim: chegávamos nos caixas do estabelecimento e pagava antecipadamente, acabou o problema.
       
      CARONA: precisamos pegar carona em algumas oportunidades, e foi até tranquilo conseguir.
      .fomos ao canyon Itambezinho e no Fortaleza à pé, e voltamos de carona, foi tranquilo.
      .quando visitamos uma cachoeira em Cambará do sul, fomos à pé e voltamos de carona ( neste dia pegamos três, cada um nos levou num pequeno trecho).
      .dividimos o trecho entre Seara e Chapecó-SC em dois, como o ônibus demoraria muito, resolvemos ir de carona, demorou uns 40 minutos para aparecer.
       
      SEGURANÇA:
      Em momento algum tivemos problema, somente em Porto Alegre (visita ao mercado central que nos orientaram a ter cuidado), mas os moradores de PA estão preocupados.
      .na saída de Caxias do Sul, saída para estrada dos imigrantes tem um lugar que me pareceu inseguro, mas nada complicado.
       
      NEGOCIAÇÃO HOSPEDAGEM:
      Sempre negocie, em alguns casos conseguimos descontos de 10% abaixo dos sites de hospedagem. Principmente nesta crise, em alguns casos somente nós dois estavam hospedados no hotel.
    • Por casal100
      Realizamos no período de 19 a 28 de julho de 2015, o circuito completo do Vale europeu em Santa Catarina. Foram 10 dias contemplando e vivienciando lugares, pessoas maravilhosas.
      Destaco alguns locais incriveis: Pomerode, blumemau, fazenda campo do zinco e sua maravilhosa cachoeira, lindos mirantes, estradas encantadoras, pessoas hospitaleiras e cordiais. Nāo tivemos nenhum incidente.
       
      Começamos antes do circuito, fazendo o caminho entre blumenau e pomerode a pé, e no final fizemos do mesmo modo a rota enxaimel em Pomerode, por isso o roteiro foi concluido em 10 dias.
       
      Brevemente relato completo.
    • Por casal100
      Realizamos no periodo de 05 a 17 de Julho de 2015 a Volta completa da ilha de florianopolis a pé. Foram 12 dias e 251 quilometros.
      Somente a trilha entre ponta de canas e lagoinha que estava fechada, as outras estavam abertas.
      Em breve relato completo.


×
×
  • Criar Novo...