Ir para conteúdo

Posts Recomendados

Bom, muita gente já escreveu sobre esse mochilão... então nem vou detalhar mto, vou colocar só minha impressão, o que eu mudaria, e os valores referentes a Julho/Agosto 2017. Fiz algumas tabelas para resumir tudo:

1.       Cronograma

2.       O que comprei antes/gastos básicos médios (pq não lembro, nem anotei tudo, e também comprei muito artesanato, bebi, sai hehe). Não coloquei os gastos com alcool, nem artesanato;

3.       Os passeios que fizemos, agências e valores;

4.       Hosteis que ficamos;

Levei em dólar tudo em dinheiro vivo espalhado pelo porta dolar e um sutia e short com bolsos internos. Levamos 1000 dólares cada um. Câmbio na data: Atacama (1 Dólar = 650 CLP); La Paz (1 dólar= 6.94 bol); Cusco ( 1 dólar = 3.24 soles); Lima (1 dólar = 3.23 soles). 

 

Horário voo,bus

DATA

DIA

LOCAL

PROGRAMA

 

avião (LATAM)

21h50-01h10(STG);

15/jul

sabado

SP-Santiago

-

CHILE

avião  (LATAM)

10h00- 12h00(CLM)

16/jul

domingo

STG-Calama

-

 

 

16/jul

domingo (tarde)

San Pedro do Atacama

Vale de La Luna

 

 

17/jul

segunda

San Pedro do Atacama

Cidade (manhã); Lagunas Escondidas (tarde); Tour Astronômico (noite)

 

 

18/jul

terça

San Pedro do Atacama

Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas

 

 

19-21/07

quarta, qui, sex

Uyuni

Tour Salar Uyuni

BOLIVIA

Onibus (Todo Turismo)

20h

21/jul

sexta

Cidade Uyuni/Indo para La Paz

-

 

5-6h

22/jul

sábado

La Paz

Mercado das Bruxas e arredores

 

 

23/jul

domingo

Downhill

 

 

24/jul

segunda

Mirador Kili Kili, Centro, Teleférico, Plazas, etc

avião (Peruvian)

10:29

25/jul

terça

La Paz-Cusco

"Free" Walking tour a tarde

PERU

 

 

26/jul

quarta

Cusco - Vale Sagrado

Vale Sagrado (paramos em Ollantaytambo)

trem (Inkarail)

19h27

26/jul

quarta

trem Ollantaytambo-MP (Águas Calientes)

-

trem (Perurail)

16H22

27/jul

quinta

Macchu Picchu+ trem volta Cusco

MP

 

 

28/jul

sexta

Cusco

Ruínas Sacsayhuaman

 

 

29/jul

sabado

Cusco

Mercado San Pedro, Bairro San Blas, museu Inka

 

Iríamos para Huaraz, mas voo foi cancelado 2x

30/jul

domingo

Cusco

Cidade  

 

31/jul

segunda

Cusco

Cidade

avião (LCPeru)

10h00

01/ago

terça

Lima

Shopping Larcomar e um pouco Miraflores

 

 

02/ago

quarta

Lima

"Free" Walking tour manhã (Centro Histórico) e tarde (Barranco); Circuito Mágico das Águas (noite)

 

 

03/ago

quinta

Lima

Igreja/Convento São Francisco, Parque do Amor, Miraflores

 

 

04/ago

sexta

Lima

Ruínas Huaca Puclana e artesanatos

aviao (LATAM)

00h00

05/ago

sabado

Lima

Cidade

   

06/ago

domingo

Lima-SP

   

2)

O que?

R$

Comprei no Brasil?

Passagem (GRU->STG->Calama; Lima->GRU)

1500

SIM

Seguro Saúde (Mondial)

225

SIM

Transfer Calama -> SPA (10.000 CLP)

71

NÃO

Onibus Uyuni->La Paz (Todo Turismo)

131

SIM

avião La Paz->Cusco

515

SIM

Ingresso Macchu picchu

158

SIM

Trem Macchu Picchu (ida e volta)

541

SIM

Ônibus de Águas Calientes até entrada do parque MP (subida e descida- 24 DOLARES)

82

NÃO

Avião Cusco->Lima (LCPeru)

293

SIM

IOF cartão

106

-

Hospedagem

1000

-

Comida

600

-

Total

5222

-

 

3)

PASSEIOS

LOCAL

QUAL PASSEIO

$$

Agência

Atacama (CLP)

Vale de la Luna

10.000 (agência)+ 3.000 (entrada)

Towanda

Lagunas Escondidas

15.000 + 5.000 (entrada)

Tani Tani (preço menor pq fizemos os 2 com eles)

Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas

28.000 + 3.000 (entrada)

Tour Astronomico

20.000

Space Orbs (reservei por email antes, mas paguei lá)

Salar Uyuni (CLP)

Tour Uyuni saindo do Atacama (3 dias, 2 noites)

100000 (CLP) + 230 bol (banheiros, entradas, snacks, banho quente)

White Green

La Paz (bolivianos)

Downhill, bicicleta média. Tem uma por 400 e outra por 600

480 + 50 (entrada)

Xtreme

Cusco (novos soles)

"Free" walking tour

10

Sai em 3 horários da Plaza de Armas, o preço sugerido é 10 soles, mas você pode dar quanto quiser

Vale Sagrado

20 + 130 (boleto turístico completo, comprado no Ministério da Cultura)

Uma na Av do Sol, em frente ao Minist da Cultura, mas qualquer uma é esse preço sem almoço

Guia Macchu Picchu (acertei com 1 na entrada do parque, por 2 horas)

20

-

Águas Termales (Águas Calientes)

20

Fácil de achar, mas não vale a pena.

Ruínas Sacsayhuaman

Incluso no boleto turístico

Fiz sozinha, dá para ir a pé, assim como outras

Museu Inka

15

Só ir

Rainbow Mountain

60-80

NÃO FIZ

Humantay

100-120

Maras e Moray

20-25

Lima (novos soles)

"Free" walking tour de manhã pelo centro histórico, e de tarde pelo bairro Barranco

10 (5 para cada período)  + 2.5 para ônibus (como são 2 idas e 2 voltas = 10 soles de ônibus)

Saem da frente do Mc Donalds no Miraflores as 10/10h30; e de tarde saem do Centro (Plaza de Armas) as 15h e do Miraflores 14/14h30

Ruínas Huaca Puclana

12 ou 15

Fui a pé mesmo e paguei a entrada com guia (obrigatoriamente)

Igreja/Convento São Francisco

15

Fui a pé mesmo e paguei a entrada com guia (obrigatoriamente)

Circuito Mágico de Águas no Parque da Reserva

5 a 10 soles (não lembro)

Fui de ônibus Metropolitano (2.5 soles trecho)

 

4)

LOCAL

DIÁRIAS

Hostel Casa Flores

$$ (dólar)

Quarto - tipo

San Pedro do Atacama

3

Hostel Casa Flores

189

Quarto com duas camas, banheiro. Café bom incluso.

La Paz

3

Hostal Iskanwaya

120

Quarto com duas camas, banheiro. Café excelente incluso.

Cusco

4

Puriwasi Hostels

318 soles

Quarto misto 4 camas, banheiro compartilhado. Café bom incluso.

Aguas Calientes

1

El Tambo Macchupicchu

35

Quarto com cama de casal, banheiro. Snack preparada de manhã inclusa.

Cusco

2

Hostel Margarita

100 soles

Quarto com duas camas, banheiro compartilhado. Café meia boca incluso.

Lima

4

Inca Life

140

Quarto com duas camas, banheiro. Café bom incluso.

O que levar: bom, eu e meu irmão somos bem simples e econômicos, e lavanderia lá é muito barato (La Paz, 10 bol/Kg; Cusco 2,5 soles/Kg), então levamos coisas para 8 dias de uso (contamos que em ambos os desertos iria ser osso lavar roupa, mas se vc não for para algum dos desertos dá para levar menos ainda). Também pesamos antes para levar como bagagem de mão, para evitar extravio, e funcionou, o limite da LATAM é de 10Kg. Importante lembrar que fomos bem no inverno, então quem vai no verão não precisa levar várias coisas. As roupas térmicas etc comprei na Decathlon, e olha, passamos frio umas 3 vzes usando tudo, então não esperem coisas muito quentes com o preço que se paga lá hahaha.

·         1 casaco corta-vento;

·         1 casaco pluma para frio;

·         1 blusa fleece;

·         2 calças térmicas;

·         2 calças jeans;

·         1 calça corta vento e forrada para frio;

·         1 legging;

·         2 blusas térmicas (varia só 1);

·         7 camisetas de corrida (levaria umas 5 ou só 8 blusinhas no total);

·         4 blusinhas de algodão para sair (usei todas pq em Cusco eu não fiz mts passeios, curti como um Carnaval rs);

·         6 pares de meias normais (levaria uns 4);

·         2 pares de meias térmicas;

·         1 meia calça quente;

·         1 pijama quente;

·         1 luva quente;

·         1 cachecol (não usei);

·         1 viseira de corrida;

·         1 óculos escuros;

·         Kit higiene -todos com 100mL: shampoo, cond, creme de pentear, desodorante, hidratante, protetor solar (labial e corporal), soro fisiológico ( normal e em gel, usei muitooo o em gel nos desertos);

·         1 saco de dormir (não levaria, pois só usei no Uyuni e as empresas fornecem, se você pedir);

·         1 bota/tênis para trilha;

·         1 chinelo;

·         1 biquini;

·         1 toalha seca rápido;

·         Kit farmácia (vou por só o que usei): paracetamol (dor de cabeça), multigrip, imosec (dor de barriga), própolis, vitaminas (para evitar resfriados tomávamos esses 2 últimos todos os dias), 1 para enjoo de viagem (Não pode ser o Dramim, pq ele diminui a frequência cardíaca, eu fui num médico para falar da viagem); lenços umedecidos (muito úteis em banheiros, e no Uyuni).

(editado) esqueci de mencionar que é realmente importante a Mochila de Ataque, levei uma pequena de escola mesmo, pq vários passeios são o dia todo, e a temperatura muda mt ao longo do dia, vc tem q levar protetor, água, lanches, casaco, etc etc. 

Comentários sobre os hostel que ficamos: Reservei todos pelo booking.com e paguei lá e em dólar, pq não cobra imposto (exceto o Margarita de Cusco, pois foi devido ao cancelamento do voo). Não precisa mesmo reservar antes, mas eu acho muito chato chegar num lugar e procurar o lugar que  vc vai dormir. Todos eram muito bem localizados. Em Cusco e Lima há mais baratos, e o táxi em Cusco é mt barato, então até compensa ficar em um mais longe. Esse preço alto foi pq quase todos eram quartos privados, e isso encarece bastante o gasto com hospedagem. Dá para gastar bem menos, até mesmo pelo booking.com. Eu gostei de todos, e em Cusco eu me diverti tanto que me arrependi de não ter ficado em hostel badalado em Lima. 

No geral: eu ficaria mais no Atacama, eu e meu irmão achamos maravilhoso, ficaríamos uns 5/6 dias cheios lá facilmente (foda que é o local mais caro); La Paz acho que é rota, não tem como fugir, mas não gostamos, 3 dias foram suficientes, e o Downhill é obrigatório para quem passa por lá (é muito legal); Cusco eu amei de paixão, adorei o voo ter sido cancelado (se forem de avião não peguem a empresa LCPeru, foi mt desorganizado, e o mesmo voo cancelado 2 vezes lá na hora, terrível), tem milhões de coisas para fazer na cidade, passeios, a comida é barata, tem muitas baladinhas e bares; Lima eu só ficaria 2 ou 3 dias (mas isso é pq eu não gosto de turismo em cidade grande). Eu queria muito ter ido para ICA e Paracas (mas a grana tinha acabado). O avião de La Paz para Cusco é um gasto necessário só se vc tiver pouco tempo e não quiser conhecer o lago Titicaca (dizem que é muito legal, eu se tivesse planejado mais dias na Bolívia, teria ido de bus nesse trajeto para conhecer Copacabana, Puno, etc). Lavanderia é mais barata nas ruas que nos hostel. Todos os passeios que eu fiz eu gostei, exceto Águas Termales em Águas Calientes. Todos os lugares vc vai precisar comprar água e levar aos passeios, uns lanches é bom também, só veja quais passeios já tem almoço ou snack para não levar à toa. Altitude: é bom planejar sua viagem com uma adaptação de 2 a 3 dias nas alturas hehe e de preferência crescente. Resumidamente as altitudes são: SPA (2300m, alguns passeios vão perto dos 5000m), Uyuni (perto do Chile chega a 5200m, perto da Bolivia é 3400m), La Paz (3600m), Cusco (3400m), Macchu Picchu (3000m acho).  

Por local, resumidamente:

Atacama: fomos de avião de Santiago a Calama, e lembro que ficou uns 150 reais mais caro só (já comprei na mesma passagem pela LATAM). O transfer não é necessário agendar. Fui de Moviltour, e no desembarque tem um tiozinho que fica oferecendo, esperei uns 10min para ir, são 2 horas até San Pedro do Atacama (SPA), e deixam no seu hostel. Assim que chegamos (16/7, 14h30) já fizemos o passeio Vale de la Luna (muitoooo legal), sai às 15h até umas 18h30. Depois jantamos nas Delicias da Carmen na Rua Caracoles (rua das agências, casas de câmbios, tudo), rest maravilhoso, mas meio carinho (por volta de 9.000 CLP o menu – entrada, prato principal, sobremesa e uma taça de vinho), dizem que tem um Delicias da Carmem para os locais com preços mais acessíveis, mas não fomos. Nos outros dias, comemos nas barraquinhas que os locais comem, e é mto maravilhosa a comida (é na rua da chegada dos ônibus, rua de trás do mercado de artesanato, inclusive aqui há loja para água beeeem mais barata), era 3.800 CLP entrada e prato principal mtooo bem servidos.

20170716_154900.thumb.jpg.abcdd038ff4c26952d1a2f2fcfd60c95.jpg

20170716_174628.thumb.jpg.7f4ce4f2ee68ed113e45b6b5e62f7e26.jpg

17/7: de manhã conhecemos SPA, e de tarde fomos a Lagunas Escondidas (muito lindo, há um lanche no por do sol com Pisco rs), de noite fizemos o Tour Astronômico às 20h (tem dois horários, 20h e 22h, e dura 2 horas, mas como é muiiiitoo frio, aconselho ir no mais cedo e com todas as suas roupas hehe) pela Space Orbs (reservei por email antes, mas tem que pagar até 15h do mesmo dia), dizem que essa empresa é a que tem os melhores telescópios, e é a mais técnica nas explicações, e acho que é vdd, pq me senti numa faculdade de astronomia haha, só que ela não tira foto que nem outras empresas, ai vai de cada um; nós amamos, independente de qual empresa, esse é um passeio imperdível no Atacama (ele não ocorre nas noites de lua cheia).

20170717_163657.thumb.jpg.b6cc314a4a7e99a1876aab1db04b5345.jpg

 

18/7: dia todo no Piedras Rojas e Lagunas Altiplânicas: uns dias antes havia tido uma nevasca, então as lagoas estavam congeladas haha mas achei muito legal andar sobre uma lagoa congelada, os lugares desse passeio são maravilhosos, e chega a altitudes de 4200m; desde o dia anterior já começamos a tomar chá de coca durante o dia, e comer a bala de coca e não sentimos nada além de dificuldade leve de respirar. No Atacama, como eu disse, há milhões de passeios nos arredores, cabe você elencar os que cabem no seu orçamento e cronograma; alguns que existem e não fizemos: Salar de Tara (50.000 CLP, o dia todo), Laguna Cejar (18.000 CLP, de tarde), Geisers del Tatio (não lembro qto, mas de manhã), Termas Puritana (1 período, manhã ou tarde), etc.

20170718_125059.thumb.jpg.96122f49250d8da419caa2106832afd6.jpg

20170718_164006.thumb.jpg.b3a6417bc41879d098b8665ec3dded90.jpg

Salar do Uyuni: conheci gente que saiu do Atacama de ônibus para a cidade de Uyuni (10.000 CLP) para fechar agência lá que é mais barato. Como não tínhamos esse tempo, e a diferença é em torno de 100/150 reais pelo que li nos relatos, nem cogitamos isso. Talvez para economizar, você pode fazer o roteiro inverso do que eu fiz, começar no Peru (eu fiz esse para ir acostumando com a altitude antes do Peru, mas não sei se foi a melhor escolha, pq depois de uns 2 dias vc se acostuma. Fato é que depois do 1 dia do Uyuni eu nem tomei mais coca, pq meu corpo realmente não sentia mais nada em relação a altitude, meu irmão também). Eles aconselham a levar 200 bolivianos para ingressos em parques dentro do Salar que não inclusos no pacote (acho que em 2, não lembro), e banheiros (todos são pagos com 1 ou 2 bol, leve trocado. Em SPA tem bol para vender.

Fechamos com a empresa Cruz Andina o tour de 3 dias e 2 noites, mas fomos realocados (sem saber) para o grupo da empresa White Green. Dizem que empresas de bolivianos tem menos problema para fazer esse tour saindo do Chile, eu não vi nenhuma outra tendo problema, mas acreditei e escolhi uma boliviana (ambas eram). Bom, acho que todos sabem esse roteiro, mas importante falar que há 2 caminhos para atravessar o Uyuni: um com mais formações rochosas (o que fizemos, sem escolher, os outros gringos que nos contaram que eles escolheram esse caminho), e um com mais lagoas. Eu amei todo o passeio, lugares magníficos. O 1 dia passamos um pouco mal pq chegamos a 5200mts (dor de cabeça, e enjoo), mas nada que um Paracetamol e um de enjoo não melhorasse. No 1 dia, você passa por várias lagoas, e nada nas águas termais, de noite dormimos num abrigo malemá, e confesso que estava tão frio que eu nem quis testar como era o banho; esse foi o único dia que usei o saco de dormir, e como eu disse a empresa e o abrigo ofereciam também. No segundo dia, passamos por lugares com muitas pedras diferentes, surreal de lindo, e uma lagoa tb (eu até emocionei de tão linda, chamava Laguna Negra), e dormimos em um hotel de sal, confortável, com banho quente, e jantar excelente, até com vinho (isso eu reparei que outras empresas não tinham, mas gde coisa tb rs). No terceiro dia, saímos às 5h para ver o nascer do sol na Ilha de Cactos no meio do Salar, e meu irmão, que frio foi aquele¿¿¿ E olha que já morei nos EUA, mas aquele frio, nunca senti nada igual na vida. E ficamos no Salar de sal tirando fotos, brincando (o guia leva várias coisas haha) um bom tempo. O passeio termina com almoço na cidade de Uyuni umas 14h30, onde comi a carne de lhama (parece de vaca, mais macia). Os lugares mais altos são perto do Chile, então se você sai do Atacama, pegará as altitudes maiores no 1 dia, e o contrário se sair da Bolívia. Deixamos a mala no office da Todo Turismo (já tinha comprado pela internet passagem, há outras empresas mais baratas, mas essa é a mais requintada: janta, café da manhã, cobertor, calefação excelente, poltrona confortável, office com wifi e cadeiras e chá, café, bem turística rs), e fomos procurar um local pra descansar e tomar um banho na cidade de Uyuni: fechamos um quarto por 3 horas por 50 bolivianos, e o banho era só de 7min e desligava energia automaticamente kkkk nossa, nos arrependemos muito, pq só o banho é 15 bol e vc pode ficar no office da empresa, enfim, besteiras de viagem. Chegamos em La Paz umas 6h do dia seguinte, e nós tomamos o remédio pra enjoo e apagamos brutalmente.

20170719_114627.thumb.jpg.3ca2b146e278dc44cce0667e6af9b4a7.jpg

20170719_121050.thumb.jpg.e43ba7c4ac69c519d4f015f709f07e16.jpg

 

20170720_112801.thumb.jpg.ee7eab8ee9e74a948481e1a7ed483fbf.jpg

20170720_130535.thumb.jpg.6a13751e2ef24979a5107f569136a584.jpg

IMG-20170805-WA0031.thumb.jpg.07cb740245795d4f600256f55ab85250.jpg

 

La Paz: assim como Cusco, o táxi lá vc negocia o preço antes. Pagamos 15 bol da rodoviária até o Hostel, que era bem do lado da Rua Sagarnaga. A Rua Sagarnaga é onde tem casas de câmbio, agências, e é perto dos artesanatos. Esse hostel que a gte ficou tem check-in as 8h, e ainda entramos antes, foi ótimo. La Paz é mto pobre, as pessoas são meio mal humoradas. É triste. Ao mesmo tempo é exótico. No primeiro dia, dormimos e depois fomos no Mercado de Bruxas e de Artesanatos (a perdição), e torramos uma grana lá (a qual eu não havia me planejado para torrar, ainda bem que a comida barata em toda a viagem deu folga para isso). Também andamos pelas plazas: Murilo, São Francisco, e fechamos o Donwhill para o dia seguinte na empresa Xtreme. Apesar de ser a melhor empresa (por tudo que li), a bicicleta do meu irmão quebrou, não sabemos se foi pq ele caiu ou se ele caiu pq quebrou, então ele realmente é um sobrevivente da Estrada da Morte haha. Enfim, eles tinham uma reserva na van mais simples e meu irmão disse que a média que pegamos realmente era mais confortável (480 bol). O segundo dia todo foi no passeio Downhill: vc vai na empresa às 7h, e de van vai até um topo (4.700m), tem café da manhã, veste as roupas apropriadas dadas pela empresa, testa a sua bike, e desce os primeiros 22Km numa estrada asfaltada (passando carro, caminhão hehe, mas eles estão acostumados e passam longe, devagar, etc); dps desce mais 33Km no Caminho da Morte propriamente dito, que é de terra e com pedras (alguns trechos com mais, outros bem de leve). Dizem que não passa mais carro lá, mas passa sim, eu inclusive cruzei vans 3 vezes, e os guias nos disseram que estava tranquilo o movimento pq era domingo. São 2 guias + a van que vai seguindo, 1 guia smp na frente, o outro smp atrás da última pessoa (isso é bom, ngm te apressa, vc vai no seu ritmo). Eu achei bem adrenalina haha e olha que eu fui devagar, só tirava a mão do freio qnd não tinha precipício do meu lado. Mas a paisagem e essa adrenalina vale a pena demais, eu faria de novo, com ctza. Eles vão parando, tirando foto, tem um lanche no caminho, e dps vc acaba a estrada num hotel com buffet livre, piscina, a 1300m, calor, é maior delícia. Volta na van e chega em La Paz umas 18h/19h, ganha uma camiseta de sobrevivente haha e um CD com fotos e vídeos que um dos guias fica fazendo durante o trajeto. No terceiro dia, decidimos conhecer a cidade por conta, e por transporte público. Foi bem fácil e legal conhecer a loucura do dia a dia de lá. Conhecemos Mirador Kili Kili, andamos de Teleférico (como turismo mesmo), umas plazas lá, compramos mais artesanatos kkk. No dia seguinte, voamos para Cusco com a empresa Peruvian (ótima, deveria ter ido de Cusco a Lima com ela).

20170724_134433.thumb.jpg.471a9eaa5935ef9a13821b0f0488f781.jpg

P1550658.thumb.JPG.dccb0060f31bbbc46f2ffde8d6afeb10.JPG

 

Cusco: primeiro dia, fomos no Free Walking Tour com um cusquenho, foi mto legal, ele até ensinou um pouco de quéchua pra gte, mostrou umas ruelas bem legais, fora o básico de um tour da cidade a pé. Sai da Plaza de Armas, acho que era 16h, e pagamos 10 soles. O tour de carro/van conhece umas ruínas um pouco mais longes, mas 1 delas inclusive eu fui sozinha hehe então optei por não fazer esse tour, mas é cerca de 30 soles + Boleto turístico (o mesmo). Perto da Av do Sol, do lado da Plaza de Armas, onde há o Ministério da Cultura (para comprar boleto turístico e ingresso Macchu Picchu, caso não tenha comprado), há diversos restaurantes com menus de 6 a 15 soles. Fechamos o passeio do Vale Sagrado por 20 soles sem almoço para o dia seguinte, com uma agência na Av del Sol (qual agência vc fecha tanto faz, pq elas se juntam nos passeios).

 

IMG-20170731-WA0040.thumb.jpg.4aa5a7b8df5983aa6b2a8b2990d85113.jpg

Segundo dia: Ás 9h (ou 8h rs) estávamos na frente da agência, e fomos num micro-onibus para o Vale Sagrado. Nesse passeio vc vai precisar do boleto turístico, quem não comprou antes, dá pra comprar na primeira parada. Enfim, é bem legal, se conhece diversas ruínas incas, almoça no buffet combinado com sua agência ou como nós (choramos com o restaurante por 15 soles buffet livre onde os outros turistas almoçaram). A penúltima parada é Ollantaytambo, e de lá vai pode ir pra Chincero (as pessoas que retornam a Cusco), ou você fica nesse parque até o horário do seu trem (como nós), e olha, valeu muito a pena ter ficado, pois li que esse Chincero não é nada demais, e quem retorna a Cusco fica só uns 40/50min em Ollantaytambo, o que é um desperdício, pois o local é grande, super lindo. Bom, às 19h30 pegamos o trem para Águas Calientes, trem confortável, nada demais pelo preço, demora quase 2 horas até Águas Calientes, a cidade chave para ir a Macchu Picchu. Chegamos, comemos uma pizza, e dormimos.

Especificamente sobre Macchu Picchu e Águas Calientes (terceiro dia): tinha lido que a nova regra era somente meio período no parque, e obrigatoriamente com guia. Como fui no período ápice de gringos europeus e norte-americanos, comprei o ingresso para o parque antes, mas não precisava (apesar que é o mesmo preço, então não custa nada garantir se você tem certeza do seu cronograma). Quem quer subir a Huaynapicchu ou Montana Macchu Picchu realmente tem que comprar muito antes, pois quando comprei não havia mais vaga para toda a semana que estaria no Peru (comprei com 3 meses de antecedência); e quem quer subir alguma dessas duas obrigatoriamente tem de ir pela manhã ao parque, e pode ficar até 7 horas oficialmente. São dois horários: 6-12h, e 12h-17h30. Na prática, ninguém estava no parque olhando os ingressos pedindo para quem deveria sair 12h, sair. É meio impossível, o parque é enorme, e há muita gente entrando e saindo em diferentes horários. OBS: só há banheiro e um restaurante caro na entrada (não esqueça de levar lanches e água), e você tem direito de sair e entrar de novo no parque 1 vez. A obrigatoriedade do guia também não existe na prática, mas MP sem guia é bem estranho, pq é um monte de ruína maravilhosa. Pagamos na entrada mesmo uma guia, 20 soles cada, um grupo de 5 pessoas, por umas 2 horas. Nós fomos de manhã, e por isso dormimos em Águas Calientes. Hoje, eu iria de tarde, pq de manhã o tempo é mais instável (pegamos uns 40min de chuva até, nada que tenha atrapalhado), e a fila é terrivelmente grande, pois há as pessoas que irão subir as 2 montanhas. Para ter uma ideia, fomos para a fila do ônibus às 4h30, e só chegamos no parque 6h30 (o ônibus leva só meia hora). Esqueci de mencionar que para ir até a entrada do Parque de Águas Calientes tem o senhor morro, você pode ir a pé (acho que são 2000 ou 3000 degraus) ou por ônibus por 12 dólares o trecho (a cabine de venda em Águas Calientes é do lado do rio, bem aonde saem os ônibus e fica aberta das 4h até 21h30). Dentro do Parque ainda tem um caminho até a ponte Inca, bem legal e bonito. Ficaria dia todo lá tranquilamente, é uma energia maravilhosa. Saímos 12h30 mais ou menos (não pq alguém nos expulsou), mas pq queríamos ir nas Águas Termales. As passagens de trem comprei no Brasil, e achei bom pq os horários mais baratos se esgotam rápido; eles servem um lanchinho no trem, nada demais, e quem viaja de dia é mto bonito o caminho, o trem é todo cheio de janela, até o teto, é mto lindo.

20170727_113940.thumb.jpg.f74d819bc9292722a3ff7d8952fb9e7c.jpg

Comemos uma empanada num local, e fomos a pé mesmo para as Águas Termales, que segundo eles são águas subterrâneas quentes naturalmente. Mas pensa num piscinão sujo kkkkk detestamos, e olha que não somos frescos. É quente mesmo, mas nossa, preferia ter ficado mais em MP. Pegamos o trem de volta até Ollantaytambo às 16h30 (tem a possibilidade de ir até a estação Poroy, mais perto de Cusco, mas estava quase o dobro do preço), e de lá uma van por 10 soles até a Plaza de Armas de Cusco (leva quase 2 horas). Detalhe: os trens são pontuais.

Outras maneiras de ir a MP: trilha Inca (2, 4 e 5 dias. Em Cusco você fecha isso ou do Brasil); Van + trilha da Hidrelétrica (um casal conhecido fez por 60-70 soles, bem mais barato que trem): tem vários relatos sobre essa maneira, eu não fiz pq queria aproveitar mais de Cusco (leva 1 dia pra ir, dorme em Águas Calientes, vai a MP de manhã e dps volta à tarde); mas quem quer economizar, essa maneira economiza muito.

Em Cusco, fiquei no Puriwasi, é um hostel médio badalado. Tem o Puriwana (acho) e o Lokki que dizem que são bem badalados. Esse eu gostei, pq tinha um bar até 1h, dps não tinha barulho de som, e o staff era bem massa, eu sai com eles todos os dias dps que fechavam o bar. Nesse dia, estava rolando um som ao vivo quando chegamos de MP, e dps ainda tive pique para ir em duas baladas: Mama África e Chango (segundo eles, as que smp enchem). Não é nada típico, é DJ, toca de td e mt reggaton; mas me diverti bastante. Em Cusco, tem muitos bares, restaurantes, baladas, por isso minha estadia lá foi mais um Carnaval do que os passeios em si, hehe. Saia, acordava tarde, e aproveitava a tarde na cidade.

Outros 4 dias: Fiz várias coisas aleatórias na cidade a tarde. Fui no Mercado San Pedro (bem mais barato que Lima e que as lojas de artesanato perto da Plaza de Armas, aliás, mais barato que La Paz), tem uns sucos divinos também; fui no mirador do bairro San Blas, nas Ruínas Sacsayhuaman (dá pra ir a pé ou de táxi; ingresso está incluso no Boleto Turístico), no museu Inca (lá tem milhares de museus, o único que quis ir, e gostei, foi esse). Bom, tive voo cancelado 2 vezes seguidas, e isso quebrou qualquer possibilidade de fazer passeio nos 2 últimos dias, pq meio período desses 2 dias eu estava no aeroporto. Por isso, recomendo fortemente NAÕ IR DE AVIÃO COM A EMPRESA LCPERU. Na segunda vez, eles pelo menos pagaram hotel, mas na primeira não, baixou até polícia no aeroporto de tanta confusão; vi pessoas que tinham conexão em Lima ter que comprar de outra cia (por uma fortuna) para não perder o voo de lá, uma doidera. Pior que de ônibus são 22horas. Enfim, eu se soubesse que ia ficar mais 2 dias em Cusco, teria feito a trilha Humantay e o passeio Maras e Moray.

 

Lima: é uma São Paulo com mta buzina. O bairro mais seguro de ficar é o Miraflores. Acho que 2 dias inteiros em Lima está ótimo. Nós ficamos 4, e fizemos tudo com mta calma, deu até um certo tédio no último. O free walking tour é bem legal, e resume bastante os principais pontos turísticos. O bairro Barranco de noite é mt legal, tem banda ao vivo na rua toda hora, e tem inúmeros bares com música local, e baladas também. O sistema de ônibus metropolitano (2,5 soles) lá é bem fácil, tem mapa nas estações; além de ter os outros ônibus que são mais baratos. Os pontos que fomos: Shopping Larcomar (é aberto, dá para ver a costa, bem bonito), Parque do Amor, Circuito das Águas (são em 3 horários a noite – acho que 19h15 é o primeiro, dura uns 20minutos só, mas o parque é lindo, vale a pena), Igreja/Convento São Francisco (mto loco, vale mt a pena, tem catacumbas, dá pra andar nelas, ver os restos de ossos,); Plaza de Armas; Ruínas Huaca Puclana (fui a pé do Miraflores). Comida em Lima é mais cara que em Cusco (o mais barato no Centro e Miraflores que achamos estava 10 e 13 soles, respectivamente). Mas em compensação fomos 2 vezes no restaurante Punto Azul, no Miraflores - pratos de 35 a 50 soles, maravilhosos, coisa de chef mesmo.

20170803_165915.thumb.jpg.6343e3ec3dcef8985d665a9a22e35447.jpg

20170802_190816.thumb.jpg.d12352e5132978e3c7c6a2573faf818c.jpg

É isso, como eu disse, dá para gastar menos:

·         Indo pela Hidrelétrica a Macchu Picchu;

·         Se hospedando em quartos compartilhados ou locais mais distantes;

·         Não perdendo o controle nos mercados de artesanatos;

·         Fazendo o trecho La Paz-Cusco de ônibus (o de Cusco- Lima quando olhei não era tão mais caro de avião, mas tb dá pra ser mais barato);

·         Se não fizer questão do Atacama, a passagem aérea do Brasil também sai mais barata, e o Chile tb foi o país mais caro dos 3;

·         Se estiver em mais de 3, cozinhando se economiza também.

 

É uma viagem que vale muito a pena. As pessoas acham que vão passar perrengue, mas achamos muito tranquilo. Só tive dor de barriga braba 2 dias (justo em MP e Vale Sagrado), mas tomei o Imosec, e foi sucesso, segura só por 1 dia. Achamos a comida de todos os lugares maravilhosa e mt bem servida. O portunhol rolou total (apesar que eu e meu irmão já estudamos espanhol). As tomadas em todos os locais eram de 2 pinos, então nem precisamos de adaptador internacional. Protetor de ouvido ajudou bastante em várias ocasiões. As paisagens são realmente surreais! Qualquer dúvida, estamos ai.

 

Editado por Thalita Salgado
  • Curti 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não tirei mts fotos  do cel, desculpem. Vou fazer um álbum público no face e ponho aqui. Estou esperando meu irmão me mandar as da máquina dele hehe mas foto não falta na net hehe

Editado por Thalita Salgado

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Thalita, por favor, em qual site vc comprou MP? Vi alguns, porém fiquei insegura. 

Voce acha que uma mala, de quatro rodinhas, comporta essa viagem? Rsrs mto obrigada!! 

Post sensacional!!!! 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
12 horas atrás, Heloísa Andrietta disse:

Thalita, por favor, em qual site vc comprou MP? Vi alguns, porém fiquei insegura. 

Voce acha que uma mala, de quatro rodinhas, comporta essa viagem? Rsrs mto obrigada!! 

Post sensacional!!!! 

Oii Heloísa, obrigada!!

É o do governo mesmo: http://www.machupicchu.gob.pe/  ali na parte esquerda vc escolhe a data e compra. Ah, eu tenho VISA Internacional, e antes de fazer isso, autorizei o cartão a fazer compras internacionais pela net (não lembro se precisou, lembro que avisei o banco e não paguei nada por isso).

Olha, eu estava de mochilão, de 65L, acho que mochila é mais fácil para se deslocar (tem mt morro em Cusco, e La Paz, ruas de paralelepípedo), mas vi gte de mala de rodinha sim, então deve rolar!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
KK_BH    1
7 horas atrás, Thalita Salgado disse:

Oii Heloísa, obrigada!!

É o do governo mesmo: http://www.machupicchu.gob.pe/  ali na parte esquerda vc escolhe a data e compra. Ah, eu tenho VISA Internacional, e antes de fazer isso, autorizei o cartão a fazer compras internacionais pela net (não lembro se precisou, lembro que avisei o banco e não paguei nada por isso).

Olha, eu estava de mochilão, de 65L, acho que mochila é mais fácil para se deslocar (tem mt morro em Cusco, e La Paz, ruas de paralelepípedo), mas vi gte de mala de rodinha sim, então deve rolar!

Oi Thalita!

Me desculpa se a pergunta for muito óbvia/repetitiva, mas só pra ver se eu entendi direito: você conseguiu viajar com a mochila de 65L como bagagem de mão? Você comentou sobre o peso, mas fico pensando nas dimensões... tenho uma de 50L e gostaria de levá-la na cabine.

Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
23 minutos atrás, KK_BH disse:

Oi Thalita!

Me desculpa se a pergunta for muito óbvia/repetitiva, mas só pra ver se eu entendi direito: você conseguiu viajar com a mochila de 65L como bagagem de mão? Você comentou sobre o peso, mas fico pensando nas dimensões... tenho uma de 50L e gostaria de levá-la na cabine.

Obrigada!

Então, ela não estava completamente cheia, deu para reduzir bastante... e a LATAM nem mediu, só pesou e me liberou! Mas isso eu fui numa cabine lateral deles que tem balança, não era onde fazia check-in, e no embarque tb não tive problemas. Olha a foto do que levei. Mochilão e mochila de ataque. A volta eu nao consegui, pois de Lima o limite era de 8Kg, e a minha tinha exatamente 10Kg.

IMG-20170713-WA0012.thumb.jpg.07bbb05a89e55d2b3e5d6abe91c4debe.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
mabys3t    0
Em 22/08/2017 em 16:27, Thalita Salgado disse:

Então, ela não estava completamente cheia, deu para reduzir bastante... e a LATAM nem mediu, só pesou e me liberou! Mas isso eu fui numa cabine lateral deles que tem balança, não era onde fazia check-in, e no embarque tb não tive problemas. Olha a foto do que levei. Mochilão e mochila de ataque. A volta eu nao consegui, pois de Lima o limite era de 8Kg, e a minha tinha exatamente 10Kg.

IMG-20170713-WA0012.thumb.jpg.07bbb05a89e55d2b3e5d6abe91c4debe.jpg

Thalita, otimo relato!

Vc levou a cargueira e a de ataque como bagagem de mão? As duas? Conseguiu fazer isso no voo saindo do Brasil?

Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, mabys3t disse:

Thalita, otimo relato!

Vc levou a cargueira e a de ataque como bagagem de mão? As duas? Conseguiu fazer isso no voo saindo do Brasil?

Obrigada!

Oiii, obrigada.

Aham, as duas. Consegui, e meu irmão também.

Achei que eles não se importavam mt com mochilas hahah pq as de rodinha vi eles medindo, além de pesar. Mas as nossas, ngm nem perguntou.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 30/08/2017 em 17:49, Ericalourenço disse:

oi... houve motivo para o cancelamento dos voos?

oi..olha, na 1 vez falaram q era mau tempo (mas outras cia estavam voando), na 2 vez falaram que era manutenção na aeronave.  hehe... sei que ela nem é tão mais barata assim para arriscar...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por Lívia Mara Silva
      Dia 01 – 20 de maio de 2017.
       
      Essa viagem foi uma daquelas planejadas por mais de ano. Na verdade, chegamos a comprar passagens pra essa aventura em outubro de 2015, mas por questões de trabalho tivemos que cancelar. Na época ficamos na maior dúvida do que fazer: manter as passagens guardadas ou pegar o dinheiro de volta. Acabamos optando por pegar o dinheiro de volta, pois assim poderíamos fazer uma viagem menor aqui no Brasil mesmo. No início de 2017, os planos dessa viagem foram retomados e aí, meus amigos... Vocês sabem como é. Por mais que você leia mil relatos, parece que ainda não sabe de nada. Começamos a ler e reler tudo de novo. Desde já agradeço aos depoimentos aqui dos Mochileiros, que contribuíram intensamente para o nosso planejamento.
      A primeira grande dúvida que surgiu: “Só” Peru ou o clássico trio (Peru, Bolívia e Chile)? Escolhemos o trio clássico, porque em 2015 já estávamos decididos quanto a isso. Resolvemos manter... A segunda grande dúvida: Avião ou ônibus? Nesse ponto, vários fatores devem ser considerados e os principais são dinheiro e tempo. Nós tínhamos 21 dias. Daria para fazer o percurso tanto de ônibus quanto de avião, mas sempre que tentávamos montar o roteiro de ônibus nos víamos presos na tentação de estender um pouquinho ali e aqui, conhecer mais aqui e ali... Financeiramente, considerando as passagens e hospedagens, a diferença seriam 200 reais (calculados na ponta do lápis, hein?). Outra coisa que pesou muito foi a unânime decisão de fazer a trilha Salkantay no Peru. Então, precisaríamos de mais dias no Peru e acabamos optando por um roteiro um pouco diferente do habitual descrito aqui no site. Começamos a viagem por San Pedro de Atacama, passando por Uyuni, Santiago, Cusco (Salkantay e Machupicchu).
      Ficamos praticamente 7 meses vigiando o preço as passagens aéreas. Pelo o que a gente viu, até 3 meses antes da data da viagem, o preço varia pouco... Dos 3 meses em diante, varia muito. Passagens compradas, seguro saúde comprado, equipamentos que não estavam bons comprados... Eu sempre digo que o melhor da viagem é esperar por ela e sua programação. Confesso que nessa viagem em especial, a etapa da programação passou muito rápida e logo chegou o momento do embarque.
      Atualmente, moramos em Juiz de Fora. O nosso voo saía de Belo Horizonte. Talvez muitos já se perguntem o pq de sair por BH ao invés do RJ, que é muito mais perto... Pois bem, além de estar bem mai barato, também temos familiares em BH e aproveitamos para dar aquele abraço. Entretanto, na volta da viagem, arrependemos um pouquinho disso. Viajar tanto tempo e ainda ter que dirigir mais 4 horas para chegar em casa não é brincadeira. Na sexta feira pela manhã partimos para Belo Horizonte. Tentamos descansar um pouco, mas como é que controla a ansiedade? E o medo de perder o voo (que eram 05:45 do sábado)? E a “pequena” família que tem que ver? A sexta voou e já estava na hora de ir para o aeroporto. Então tudo começou...
      Pegamos um voo para Guarulhos, onde fizemos o controle migratório. Foi tudo bem rápido e tranqüilo. Em seguida, pegamos o voo para Santiago. Nesse voo eu desmaiei de sono. Eu só acordei mesmo porque não podia perder o lanchinho da LATAM, que não verdade era um sanduíche, biscoitinho e uma saladinha de frutas... ahahahah
      Quando acordei pela segunda vez, já estava aproximando de Santiago e aí veio a primeira emoção da viagem. Linda e gigantesca, a primeira vista da Cordilheira dos Andes... Pra mim foi algo muito emocionante. Não imaginava que seria tão linda e tão grande. Lembro da aeromoça dizendo que estávamos em área de turbulência, devido a cordilheira. Apertei forte a mão do Átila e todo o resto sumiu. Parecia estar só eu e ele. A euforia foi muito grande.

       
      Descemos em Santiago (1 hora de diferença) e fomos para o controle migratório. A moça que nos recebeu não perguntou nada. Carimbou os passaportes e pronto. Então tivemos que despachar as mochilas novamente, agora para Calama. Importante ponto a ser dito: Fizemos uma capa para as nossas mochilas cargueiras. Na verdade foram capas simples, mas que mantiveram as alças das mochilas íntegras até o final da viagem.
      Chegando em Calama, já havíamos fechado o transfer para San Pedro do Atacama com a Licancabur, então lá estava a moça com uma plaquinha e nosso nome. Demorou um pouco até a van da Licancabur chegar e partir para San Pedro. Com todo esse vai e vai de novo de avião e a correria do dia anterior, estávamos muito cansados. Fomos ao Hostel Mamatierra, no qual já tínhamos feito a reserva pelo Booking.
      O Hostel é uma graça. É bem perto da Caracoles. Muito silencioso. Cozinha muito bem equipada e disponível. Tem café e chá disponível 24 horas por dia. O banheiro é compartido, mas muito limpo. O único problema é que a água quente não era muito constante. Tava quente e do nada, gelava. Depois descobrimos que se mais alguém estivesse tomando banho, dava esse problema... rsrsrs.. Então o lance era esperar quando a galera já tivesse terminado. A maior vantagem desse hostel era que tinha água mineral disponível para os hospedes. Gente, isso no deserto é um luxo. A água é um bem precioso para eles. Lembrando que no Atacama só chove de 3 a 5 dias por ano (mentira!)... Além disso, era uma economia gritante. Não ter que comprar a água todos os dias e simplesmente encher as garrafas era algo muito bom...
      Quem nos atendeu foi a Anita, uma moça muito simpática e super disposta a ajudar. De cara, já falou onde estavam os pequenos mercadinhos da região. Por sorte, haviam dois bem ao lado do Hostel. Como chegamos tarde e não havíamos almoçado, resolvemos fazer uma comidinha no hostel msm. Compramos batatas desidratadas e salsichas. Fizemos um purê e as salsichas. Delicia! Aí, descobrimos que o vinho era algo muito barato lá! Mais barato do que água . Claro que bebidas alcoólicas em altitude, atenuam os efeitos... Então, compramos um vinho de 1,5 L...
      Fomos dormir. No outro dia iríamos acordar cedo e escolher uma agência para realizar os passeios.
       
       
      Dia 02 – 21 de maio de 2017
      Acordamos cedo e fomos tomar o café no hostel. Muito bom por sinal. Fomos andar pela cidade e conhecer as agências. Como era domingo, as agências abriam só após as 10 horas, então fomos até a Igrejinha da cidade para conhecer.
       
      Quando as agências abriram, fomos direto na World White Travel acertar o Uyuni (já havíamos reservado com eles) e acabamos fechando todos os outros passeios com eles mesmo. Quem nos atendeu foi a Melina. Muito simpática e fez um preço especial por estarmos fazendo todos os passeios com eles. Em seguida fomos trocar dinheiro. A taxa varia um pouco, então vale a pena olhar. A melhor que encontramos fica na Gambart, bem perto da esquina da farmácia. Embora tenha levado um kit de primeiros socorros muito bom, acabei esquecendo o soro fisiológico e precisei comprar . É cruel a secura daquele lugar, viu? Então levem o soro e o colírio!
      Fomos ao hostel e preparamos um hambúrguer caprichado como almoço. Em seguida, fomos para a agência e de lá, para o Valle de La Luna,um vale de formações vulcânicas e sal. O lugar é lindo. É bem perto da cidade e poderíamos ter ficado o dia inteiro lá admirando. Entretanto, o passeio com as agências é muito corrido. Pouco tempo para apreciar o lugar. Então eu deixo uma sugestão: alugue uma bicicleta e vá cedo pra lá. Se não puder ir de bicicleta, vá andando. É perto, sai mais barato, você fica mais tempo e vai onde quiser.
      Fomos ver o pôr do sol da pedra do Coiote. Eu preferiria ter assistido do próprio Valle de La Luna, mas também foi lindo.

      Voltamos para o hostel, preparamos mais um lanche e comemos. Nesse dia, ficamos acordamos até muito tarde. Conhecemos alguns brasileiros (Flávia, Raphael, Osvaldo e Thiago) e foi aquela festa... Os meninos iriam para Uyuni no outro dia e a Flavia iria na quarta, então trocamos as expectativas... rsrsrsr...
      Começamos a nos preparar para o tão esperado próximo dia: Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas.
       
       
      Dia 03 – 22 de maio de 2017.
      Acordamos cedo e recebemos um café da manhã em saquinho do Hostel para levar. Muito caprichado (pão com queijo e presunto, pêssego em caldas, iogurte e barra de cereais)! 07:00 horas, o pessoal da agência chegou para nos buscar. Fomos de van e paramos em um povoado para tomar café. Simples, mas gostoso... Depois fomos até a Piedras Rojas e para a nossa surpresa, estava congelado. Era possível caminhar sobre o lago.
      Chovia um pouquinho, mas nada que atrapalhasse. O frio tava tenso. Uma moça do grupo não suportou o frio nas mãos e voltou passando um pouco de mal para a van. Eu já tive problemas sérios com frio nas mãos em outra viagem e aprendi da pior forma que, se está frio, não pare de se movimentar. Eu não queria perder a chance de aproveitar o local. Então já desci da van me movimentando muito.. .
      Eu e o Átila nos divertimos muito, mas ficamos um pouquinho tristes de não ter aquela vista das Piedras Rojas.

      Estava com baixa visibilidade... De lá, voltamos para a van e fomos em direção às Lagunas Altiplânicas. Vai subindo, subindo e nunca chega. De uma hora pra outra, começou a nevar. Muita neve e aí já não se via mais nada na frente... Chegando na portaria do parque das Lagunas, Tam Tam!!!!!! As Lagunas Altiplânicas estavam interditadas devido a neve! Como assim?????????
      O surto foi geral. Tinha gente na van querendo o dinheiro de volta, tinha gente com raiva, tinha gente que sabia o que estava perdendo e tinha a gente! Que descemos da van mesmo assim e fomos aproveitar a neve, já que era a primeira vez que presenciávamos o fenômeno. Hahahaha! Muitas pessoas viajam para ver neve e não presenciam o fenômeno! Até aí decidimos curtir o que tinha, mas no fundo o coração tava num aperto só de não ver as lagunas. Decidimos que repetiríamos o passeio outro dia. Fomos almoçar no mesmo local em que tomamos café da manhã. O almoço não estava muito bom, mas havia mais de uma opção. Eu pedi frango. Mas provei o tal omelete de quinoa e achei melhor... No almoço, já sabíamos que o clima estava estranho, pois estava chovendo. Pensei que seria por causa da altitude...
      Depois do almoço fomos ao Salar do Atacama. Pra variar, também não tinha visbilidade de fundo que compõe o cenário exuberante do local...

      Foi batendo a decepção com o passeio e eu já não tava mais achando graça na tal neve. Antes de ir para San Pedro, ainda paramos em Toconao. Lá tinha artesanato e uma lhama. Nada diferente.
      Voltamos para San Pedro e aí veio a bomba! Chuva. Muita Chuva. As ruas de San Pedro eram lama. Não se via mais aquele tanto de turista andando para lá e para cá. Em todos os sites que eu li falam que o período de chuvas no deserto é de dezembro a março. Estava no final de maio. É o deserto mais árido do mundo! Chove de 3 a 5 dias por ano! Como assim? O que estava acontecendo? “No deserto não chove”. Chove sim! Eu imagino que para algumas pessoas que vivem ali a chuva deve ser mesmo abençoada, porque chove muito pouco. Mas se pensar que é uma cidade turística, imagino que deve ter sido o terror de todos. Vários turistas indignados e querendo o dinheiro de volta... Nós fomos até a World, que já estava atrás de nós para dar a notícia fatal: No dia seguinte, iríamos para o Uyuni e adivinhe só! A fronteira Boliviana estava fechada por causa de neve. Então foram dadas duas opções: Ir para o Uyuni, sem passar pelas Lagunas Verde e Blanca, atravessando por Ollague, ou pegar o dinheiro de volta e ficar em San Pedro. Detalhe: todos os passeios para o outro dia em San Pedro estavam cancelados devido ao mau tempo. Perguntamos ao pessoal da cidade se era comum essa chuva naquela época e pasmem!!!!!!!! Sim! Alguns falaram que nas últimas semanas de maio e primeiras de junho é comum chover um pouco e cair nevascas nos locais mais altos dos tours. Eu nunca tinha lido isso. Nos falaram o seguinte: de dezembro a março, chove. Os tours podem ser cancelados por causa da chuva. De maio a julho, neva! Os tours podem ser cancelados e ficar muito tempo fechados. A melhor época para ir ao deserto é de agosto a outubro... Também nos alertaram que ultimamente o tempo está muito instável na região. Vem ocorrendo alguns fenômenos climáticos fora de época... Então se prepare! Tudo pode acontecer quando você se dispõe a ficar perto da natureza...
      Depois de muito pensar, decidimos manter o cronograma e ir pro Uyuni . Vimos muitas pessoas desistirem... Deu um frio na barriga, mas a Melina nos garantiu que tudo seria feito com a maior segurança e que o tempo estava bom em Uyuni... Como retornaríamos para San Pedro, teríamos tempo de fazer os outros passeios.
      Nesse dia experimentamos as famosas empanadas por mil pesos e fomos arrumar tudo para a viagem do Uyuni. Dormimos cedo.


    • Por Débora L Souza

       
      Olá Mochileiros!!
      Depois de muitos preparativos, muitos fóruns lidos, muitas perguntas e muita pesquisa meu mochilão aconteceu. E como usei muito o mochileiros.com decidi vim aqui contar como foi!
       
      Para quem quiser ver mais fotos da viagem segue lá @oquetragonamala
       
      Primeiro gostaria de agradecer umas pessoas que foram fundamentais em todo o processo de antes e durante o mochilão. Primeiro agradecer ao Aletucs que além de responder minhas dúvidas nos fóruns me passou seu número e me ajudou muito também durante a viagem. Agradecer demais a Bárbara Fabris que também ajudou muito! Como a trip dela foi na mesma época que a minha usei muito do relato dela. Aliás, estamos com saudade Bárbara! rsrs Agradecer ao Rodrigo que todo mundo sabe bem quem é né! Rsrs Relato mais famoso de todos. Ao Felipe, fiz muita coisa usando seu relato no Atacama! Tia Poly, Mary (Maryana Teles),Lets ( Leticia Amorim), Rodrigo Paulo e a todos que me ajudaram e que não vou lembrar agora.
       
      Agora vou contar como resolvi fazer essa trip pra tentar explicar o roteiro e os gastos.
      Tinha acabado de voltar de uma trip muito da hora e cara e um amigo do meu trabalho disse “Nós compramos umas passagens pra ir pra América do Sul no final do ano e queria que vocês fossem com a gente!” No caso o “nós”= ele e a namorada (Rafael e Stela) e no caso “vocês”= eu e meu marido (Thiago).
      De cara é claro que eu já disse que não rolava né. A crise tá ai e todo mundo sabe. Tinha voltado de uma viagem que nem tinha sido planejada (passagens em super promoção acabam com a vida da gnt) e não rolava fazer uma loucura dessa não. Mas acabei comentando com o Thiago e ele ficou tentado a ir. Comecei a pesquisar e vi que não era uma viagem cara e sempre foi uma das trips que nos planejamos de fazer. Depois de muita conversa e tentando muito resistir a tentação compramos a passagem.
      O problema: Os meninos já tinham comprado todos os trechos da viagem de avião e não tinham incluído todos os lugares que queríamos ir. E comprando tudo de avião fica bem mais cara a parte da passagem. Então nos meus gastos do relato não vou incluir essa parte das passagens aéreas. A passagem de Cusco pra La Paz de aéreo é muito cara, eles conseguiram comprar mais em conta pela Peruvian mas quando fomos comprar já estava bem cara e optamos por ir de ônibus mesmo. Também resolvemos viajar antes deles pra poder ir em alguns lugares que queríamos.
       
      O nosso roteiro ficou diferente da maioria que eu vi aqui mas como eu disse foi mesmo porque os meninos já tinham um roteiro então quando compramos a passagens já estava definido mais ou menos como seria.
       
      O deslocamento da viagem ficou assim:
       
      Dia 10/12
      Voo BH-SP-LIMA
      Ônibus LIMA – HUARAZ
       
      Dia 12/12
      Ônibus HUARAZ – LIMA
      Ônibus LIMA – ICA
       
      Dia 14/12
      Ônibus ICA – LIMA
       
      Dia 15/12
      Voo LIMA-CUSCO
       
      Dia 16/12
      Trem OLLANTA – AGUAS CALIENTES
       
      Dia 17/12
      Trem AGUAS CALIENTES - CUSCO
      Ônibus CUSCO – COPACABANA – LA PAZ
       
      Dia 19/12
      Ônibus LA PAZ – UYUNI
       
      Dia 25/12
      Ônibus SAN PEDRO - CALAMA
       
      Dia 26/12
      Voo CALAMA – SANTIAGO
       
      Dia 27/12
      Ônibus SATIAGO – VIÑA DEL MAR – SANTIAGO
       
      Dia 29/12
      Voo SANTIAGO – SP – BH
       
      O que compramos antecipadamente aqui no Brasil:
      - Toda a parte aérea
      - Trens ida e volta pra ir em Machu Picchu
      - Entrada pra Machu Picchu com Huayna Picchu
      - Passagem de La Paz pra Uyuni pela Todo Turismo
      - Passagem de Lima para Huaraz porque queríamos ir na primeira poltrona de cima
       
      Resumindo meu roteiro:
      Dia 1 – Chegando em Lima e indo pra Huaraz. Muitos perrengues nesse dia! Muitos mesmo!
      Dia 2 – Nevado Pastoruri. Subindo direto para os 5 mil metros de altitude e descobrindo que altitude não é brincadeira.
      Dia 3 – Laguna 69. A coisa mais difícil que eu já fiz em toda minha vida!
      Dia 4 – Huacachina. Passeio de Buggy e o por do sol mais bonito da viagem.
      Dia 5 – Conhecendo Lima.
      Dia 6 – Cusco! A cidade com mais pessoas te oferecendo coisas na rua! Sério! Chega a ser chato!
      Dia 7 – Vale Sagrado e trem Pra Aguas Calientes! O trem não chegou em Aguas Calientes!
      Dia 8 – Machu Picchu. Que em português deve significar escadas, escadas e mais escadas! E depois voltamos pra Cusco e fomos pra La Paz! Mas antes teve um rolê em Copacabana.
      Dia 9 - Copacabana. O dia em que fomos abandonados no meio do nada da Bolívia e gastamos uma grana porque não tínhamos a targeta pra sair do Peru!
      Dia 10 – La Paz e viagem pra Uyunu! O dia em que eu pensei que ia dar tudo errado e que não chegaríamos em Uyuni.
      Dia 11 – Quase não entramos em Uyuni e quase não saímos! Os tão falados bloqueios estavam acontecendo e tivemos que caminhar pra chegar na cidade! Nesse dia saímos pro passeio do Salar, depois de 3 horas de tentativa do nosso motorista!
      Dia 12 – Salar! Na verdade o salar é só um dia. Os outros dias são dias de muita poeira, calor e paisagens incríveis!
      Dia 13 – Atacama! Dia de ver já na fronteira a enorme diferença entre Bolívia e Chile! E também de conhecer a charmosa San Pedro de Atacama!
      Dia 14 – Salar de Tara! Com o guia mais legal de todos! E com o melhor gosto musical da viagem!
      Dia 15– Piedras Rojas! Sem palavras pra beleza desse lugar!
      Dia 16– Termas Puritama! Dia de relaxar e depois viagem pra Calama.
      Dia 17 – Santiago! Horas perdidas com nosso AirBnb e depois fomos conhecer a cidade, finalizando com um pôr do sol no Sky Costanera.
      Dia 18 – Viña del Mar! Dia de praia! E calor, muito calor!
      Dia 19 – Embalse el Yeso e Laguna dos Patos! Quando você pensa que a viagem já ta acabando e não vai mais se surpreender você ve que esta muito enganado!
      Dia 20 – Dia livre pra fazer o que quiser e depois volta pra casa. Fomos no Cerro San Cristóbal e vimos como Santiago é poluída. E depois só a depre de voltar pra casa mesmo.
       
      Vou colocar o meu planejamento inicial, a planilha que fiz antes da viagem, mas muita coisa mudou! Ao longo do relato eu vou contando o que mudou e o motivo e depois disponibilizo a planilha final.
       

       
      Sobre as hospedagens:
      Fomos com todas as hospedagens reservadas. Estávamos em um grupo de 4 pessoas, então conseguimos reservas boas fazendo antes. Sempre conseguimos 2 quartos de casal ou então compartilhado pra 4 pessoas, sempre com banheiro privado. Mudamos os planos e chegamos em Huacachina sem hotel e foi o único que escolhemos na hora. Usamos hotel, hostel e AirBnb. Ao longo do relato eu vou contando sobre as acomodações e os valores.
       
      Sobre valores:
      Vou citar sempre no relato os gastos que tive. Não economizei tanto como dava pra economizar então não acho que os gastos que eu tive servem de parâmetro pra quem quer fazer uma trip mais barata mas vou colocar pra terem uma noção das coisas. Meus gastos vão estar na maioria das vezes como preço pra casal porque como eu sou casada não tenho isso de dinheiro separado, os gastos são de nós dois.
       
      Sobre as roupas e mochilas:
      Acho que nos outros fóruns tem muita informação já sobre isso. Mas quem tiver alguma duvida é só falar!
      Vou falar só um pouco do que eu acho mais importante. Comprei uma mochila que tem um fechamento nas alças, ela fecha e fica como se fosse uma mala normal. Isso ajuda muito porque na hora de passar pelas esteiras dos aeroportos não corre risco de agarrar nenhuma parte da mochila. E também comprei uma mochila que já vem com a de ataque e ela se prende na mochila maior o que é bem útil também. A mochila do Thiago tinha tudo isso também. A minha eu comprei pra essa viagem. Ela é da trilhas e rumos e foi 650,00. A do Thiago é da Nord, ele comprou faz um tempo e ela deu umas descosturadas nessa viagem. De roupa o que eu considero mais importante é um corta vento, pelo menos uma blusa fleece e uma calça térmica. Eu fui no verão mas alguns dos lugares que eu fui estavam muito frios. Não levei o tão famoso Money Belt e pra mim não fez falta, sempre carregava tudo nas mochilas de ataque e nunca deixava elas em lugar nenhum.
       

       
      Sobre coisas que eu levei e não usei e coisas que eu deveria ter levado e não levei.
      Levei uma sandália mais bonitinha pra sair mas usei duas vezes só. E senti muita falta de um tênis tipo de caminhada, levei só meu all star e minha bota, meu pé já não aguantava mais!
      Levei alguns poucos itens de maquiagem e usei uns dois dias só. Não precisava ter levado.
       
      Sobre os remédios:
      Levei bastante remédio e comprei alguns lá. Eu acho indispensável levar remédios e usei todos os que eu levei. Lá eu comprei o Sorojchi Pills e achei ótimo. Nem masquei folha de coca.
       
      Sobre o mal da altitude:
      Já chegamos indo pra maior altitude da viagem e não é brincadeira, dizem que nem todos sentem mas nos 4 sentimos, em intensidades diferentes mas sentimos. O Thiago passou mal uma noite, vomitou e ficou bem ruim mesmo. Aconselho usar o remédio que eu citei acima, ele é muito bom! Tomamos todos os dias até chegar no Atacama. Quando chegamos em Huaraz o dono do hotel ensinou como tomar e disse que mascar coca não funcionava muito pra gente, que funciona pras pessoas de lá porque elas mascam a vida inteira. Ele também disse que qualquer mal que passássemos era pra tomar um remédio pro que tivéssemos sentindo porque o remédio pro mal da altitude não funcionava. Por exemplo, se você sentir dor de cabeça, tome um paracetamol. Fizemos isso e funcionou bem.
       
      Sobre os documentos que levei:
      - Passaportes
      - Cartão internacional de vacina
      - E-mail da Peru Rail pra trocar as passagens do trem
      - Entrada Machu Picchu
      - Passagens de ônibus que compramos aqui
      - Reservas de todas as hospedagens
      - Seguro viagem (Visa Platinum)
       
      Sobre o dinheiro que levamos:
      Antes de ir fizemos a conta e vimos que sacar no cartão seria melhor, mas levamos um pouco só pra não ficar sem nada. Levamos:
      - 500 dólares
      - 350 reais
      - 200 soles
      - 20 mil pesos
      Não conseguimos comprar bolivianos aqui no Brasil. Sobre sacar o dinheiro lá, na maioria das vezes não tivemos problema. Só um problema que foi resolvido no Atacama. E levamos dois cartões de bancos diferentes pra não ter problema. Não vou poder falar muito sobre cotação porque troquei dinheiro poucas vezes.
       
      Acho que é isso então. Se eu tiver esquecido alguma informação me falem que eu completo. O índice eu vou fazer aos poucos conforme for escrevendo o relato.
    • Por GustavoMoreno

       
      EPISÓDIO 1 - AQUELE DOS PREPARATIVOS
       

      E ai galera mochileira do Brasil, preparados para um novo relato dessa viagem FODA?
      Eu viajei no mês de julho de 2017, durante 26 dias pela Bolívia, Chile e Peru.
      Estava em dúvida se eu escrevia o relato, mas decidi que sim porque TUDO (sério, TUDO mesmo) que eu planejei da minha viagem foi com base nos relatos que li aqui, principalmente, da Mary Teles (@vidamochileira), rodrigovix, Bárbara Fabris, leticia.amorim e victorfimes. Então, espero que esse relato ajude as pessoas do mesmo modo que esses outros me ajudaram.
      (Vocês vão ver em algumas partes do relato que eu sou bem esquecido, entãoooo, eu não tenho o nome e foto de tudo tim tim por tim tim, mas to me esforçando ao máximo para lembrar.)
      Primeira grande coisa que eu queria falar é: viajei sozinho e foi perfeito! Desde sempre queria fazer esse mochilão com um amigo meu, mas ele não poderia agora em julho. Quase miei a viagem mas pensei: “Não vou deixar de realizar esse sonho por falta de companhia” . Claro que dá um medinho de viajar sozinho, mas juro você não vai ficar sozinho e vai ser a melhor experiência (PS: tem brasileiro em qualquer lugar do mundo. No Atacama tem brasileiro que chileno, hahahah). Além disso, quer companhia melhor do que você mesmo? Enfim, não deixem de viajar por estarem sozinhos !!!!
      Agora chego no segunda coisa importante que gostaria de falar: viajar sozinho foi a melhor coisa que fiz pois tive a oportunidade de conhecer pessoas que foram demais. Fica aqui meu agradecimento a Cindy, Tatiana, Ian, Janaína e Guilherme, Emily e Rafael, Katherine, Aline, Camila e Maju, Andreza e a um grupo de uns 15 brasileiros que encontrei em La Paz. E claro, um obrigado aos melhores companheiros de viagem: Du, Leo, Mis, Dani, Vini e Mat (eles aparecerão muito no relato).
       
      Roteiro
      Galera, o roteiro que fiz foi o clássico da américa do sul, mas acrescentei Huaraz, e foi a melhor coisa que poderia ter feito, o lugar é lindo. Optei por começar por Santa Cruz, Sucre e depois Uyuni para ir me aclimatando com a altitude. Além disso, é mais barato fazer o passeio do Salar saindo do Uyuni fo que saindo do Atacama.
      Eu vou colocar o roteiro que realmente aconteceu, porque durante a viagem, acabei fazendo umas mudanças em relação ao planejado (por exemplo, um dia a mais pra curtir melhor Arequipa, hahahha).

                                                                
      02/07 - SP - Santa Cruz - Sucre - Uyuni
      03/07 - Uyuni - Salar de Uyuni
      04/07 - Salar de Uyuni
      05/07 - Salar de Uyuni - Atacama
      06/07 - Atacama
      07/07 - Atacama - Arica
      08/07 - Arica - Tacna - Arequipa
      09/07 - Arequipa
      10/07 - Arequipa - Ica
      11/07 - Ica - Huacachina
      12/07 - Huacachina - Paracas - Lima
      13/07 - Lima - Huaraz
      14/07 - Huaraz
      15/07 - Huaraz - Lima
      16/07 - Lima - Cusco
      17/07 - Cusco
      18/07 - Cusco
      19/07 - Águas Calientes - Machu Picchu
      20/07 - Águas Calientes - Cusco
      21/07 - Cusco - Copacabana
      22/07 - Copacabana - Isla del Sol
      23/07 - Isla del Sol - La Paz
      24/07 - La Paz
      25/07 - La Paz
      26/07 - La Paz
      27/07 - La Paz - Santa Cruz - SP
       

       

      PS1: No início de 2017, eu viajei para Arequipa por 6 semanas e depois 1 semana em Cusco e Puno. Então, acabei não fazendo alguns passeio tradicionais, mas explicarei como eles funcionam
      PS2: Cusco foi um lugar que passei uns dias mas não fiz NADA (sério, eu morguei demais) devido a vários motivos (explicarei no capítulo), mas, como eu já havia conhecido, vou explicar certinho todos os passeio que recomendo fazer lá.
       

      Coisas que levei
      Assim, esse foi meu primeiro mochilão e eu não tinha quase nada de roupas, sendo que precisei comprar tudo. A loja que me salvou (e me faliu) foi a Decathlon; sério, é demais a loja, tem tudo que você precisa e foi o local mais barato que encontrei. Quase tudo que comprei era Quechua (linha de produto da Decathlon) e gostei da qualidade. Sério, eu parecia um garoto propaganda da Quechua, só faltava usar as cuecas da marca (será que tem? hahaha).
       
      Mochilão - Forclaz 60L Quechua (https://goo.gl/B1vpzC)
      Olha, eu tava muito em dúvida de qual mochilão comprar, e acabei optando por esse de 60L. Eu, particularmente, achei ele um pouco grande para essa viagem e isso atrapalha, porque como tem espaço sobrando, você leva mais roupas que o necessário. Tipo, a Dani e a Mis estavam usando uma de 50L e deu tranquilo pra elas. Mas em geral gostei bastante do mochilão, é bem confortável.
       

      Mochila de ataque
      A minha mochila de ataque é uma que eu tenho há anos, uso ela pra ir pra universidade e qualquer viagem pequena. E sério, a mochila de ataque é MUITO importante: você vai estar o tempo todo com ela (juro, eu andava com ela sempre mesmo), carregar ela pra ir pra Aguas calientes, pra subir a laguna 69 e por ai vai. E dica: não leve uma muito grande, pois nela caberá mais coisas e, com isso, você vai ter que carregar mais peso nas trilhas.
       

      Bota - (https://goo.gl/fg3Pbm)
      Gente, uma botinha de trilha dessas é bem importante, mas não essencial. Tipo, daria pra fazer só de tênis, mas a botinha é mais segura, ainda mais pra pessoas como eu que tropeçam em quase tudo no caminho. Ah, e comprei uma semi-impermeável (a impermeável tava muito cara) e foi tranquila, mas não peguei muita parte molhada para testar até onde ela aguentava, hahaha.
       

      Câmera - SJCAM 5000X ELITE
      Eu queria muito uma câmera para tirar fotos diferentes e de aventura. A Gopro eu achei muito cara e acabei comprando essa SJCAM no Paraguai. Eu gostei bastante dessa câmera: ela tem quase todas as funcionalidades e qualidades da Gopro e é mais barata. Mas assim, é câmera de aventura, não é algo com muito zoom ou definição. E eu acabei usando bastante a câmera do celular também.

      Enfim, vou mostrar o que levei:
      No mochilão:
      8 camisetas (achei muito, levaria 6)
      2 camisetas de manga longa (poderia ser só 1)
      2 camisetas de manga longa segunda pele
      1 camiseta fleece
      1 jaque corta ventos
      1 calça segunda pele
      1 calça fleece (EU não costumo sentir tanto frio e achei essa meio inútil. Mas isso vai de pessoa pra pessoa)
      1 calça jeans CONFORTÁVEL (levaria 2)
      1 calça-bermuda ( não gostei tanto)
      1 calça moletom (usava muito em ônibus e pra dormir)
      1 gorro
      1 cachecol
      9 cuecas (achei muito)
      7 meias ( 6 de trilha + 1 normal)
      3 bermudas (usei em arequipa, ica e para nadar)
      1 toalha de microfibra
      1 par de chinelos
      1 par de tênis
      1 sabonete líquido
      1 shampoo
      1 desodorante
      1 capa de chuva para o mochilão
      Vários remédios, já que meus pais são farmacêuticos (mais importantes: dramin, advil e imosec)
       
      Na mochila de ataque:
      1 moletom
      Cãmera e acessórios (pau de selfie, tripé e o de colocar na bike)
      Bloco de anotação e canetas
      1 boné ( levei obrigado e não usei sequer um dia)
      Óculos de sol (importante)
      Fone de ouvido
      1 protetor solar
      1 escova e pasta de dente
      1 fio dental
      1 protetor labial (Bepantol salva vidas nessa viagem)
      1 pente de cabelo
      1 álcool em gel
      T para tomadas
      Powerbank
      Pasta para guardar papéis importantes ( Seguro viagem, passagens de avião e passagem de ônibus)
       
      Observações:
      O moletom eu levei na mochila de ataque pra já usar no avião e ter de precaução caso minha cargueira fosse extraviado. E recomendo levar, porque é mais confortável para usar nos hosteis, ônibus e afins.
      Olha, eu levei o tênis não sei o porquê, mas eu usei ele em cidades (Arequipa, Lima, Cusco) porque era um pouco mais confortável que a botinha, mas assim, ocupava bastante espaço, então não é nada essencial levar.
      Óculos de sol é essencial, principalmente, no Salar de Uyuni.
      Lenço umedecido é vida, ele serve para tudo. Levem 1 ou 2 pacotes
      Powerbank me salvou MUITO. Paguei 80 reais e ele durou dias e dias (umas 8 ou mais cargas do iphone), o que era ótimo, porque em geral, os hosteis não tem muitas tomadas. (Link do produto)
      Eu levei duas doleiras: uma maior em que eu colocava passaporte, cartão e um pouco do dinheiro do país; e uma outra menor, eu levava os dólares todos meus (levei tudo em espécie).
      Ouvi pessoas falando que existe uma palmilha que você esquenta e aquece seu pé por umas 6 horas. Não sei onde comprar, mas recomendo muito, pois quase perdi meu pé congelado, hahahhaha.
       
       

      Preparativos
      Eu sempre quis mochilar por algum lugar e nunca coloquei esse sonho pra frente até esse ano. Estava eu no início do ano em Arequipa, no Peru, fazendo um intercâmbio voluntário e comecei a pesquisar relatos de viagem para Cusco (já que eu ia pra lá depois). Então, achei os relatos de mochilão pela América do Sul e falei pra mim “vou fazer essa viagem o quanto antes” (eu tinha um dinheiro guardado para isso).
      Enfim, cheguei e comecei a planejar a viagem. Decidi por ir em julho por dois principais motivos:
      Eu só poderia ir em julho ou dezembro/janeiro, mas eu não estava afim de esperar até dezembro (hahahha, sim, eu estava surtando pra fazer essa viagem)
      Julho é inverno e época de seca, então a chance de eu pegar chuva era muito pequena, já a chance de pegar neve… (aguarde alguns parágrafos)
       
      Com a certeza de que ia viajar, comecei alguns preparativos para a viagem. Vou separar aqui alguns itens que julgo mais importantes:
       
      Passagem Aérea
      Eu comprei as passagens por milhas então saiu bem barato, mas com uns 3 meses de antecedência dá pra conseguir um preço bem barato. Eu comprei os seguintes trechos:
      GOL : Guarulhos (10:20) - Santa Cruz de la Sierra (11:15) - comprei por milhas
      Amaszonas: Santa Cruz de la Sierra (15:40) - Sucre (16:20) - R$ 96,06
      Amaszonas: La Paz (08:30) - Santa Cruz de la Sierra (09:30) - R$ 200,79
      GOL: Santa Cruz de la Sierra (12:05) - Guarulhos (16:55) - comprei por milhas
       
      Seguro Viagem
      Gente, esse tópico é muito importante!! Sei que pode parecer um pouco caro e desnecessário, mas é a melhor forma de se precaver. Conheci uma mãe e filha que estavam viajando e a filha passou mal em Machu Picchu, e o seguro pagou o trem para elas voltarem. Além disso, a Dani precisou ir para o hospital e o seguro cobriu tudo. Então, FAÇAM!! Eu paguei R$ 219,90  no seguro da Mondial (tive ótimas recomendações, mas felizmente não precisei usar)
       
      Carteirinha ISIC
      Então, eu sou estudante mas esqueci de fazer a carteirinha (hahahaha, como disse, sou esquecido). Mas tanto no início do ano quanto nesse mochilão, eu consegui comprar ingresso do Machu Pichu e o boleto turistico de Cusco pelo preço de meia entrada (só chorar um pouco que eles aceitam).
       
      Certificado Internacional de Vacina
      Teoricamente, para entrar na Bolívia é necessário apresentar o certificado de vacina da febre amarela, mas NUNCA ouvi uma pessoa dizendo que necessitou apresentar isso, inclusive não precisei. Então, não cancele sua viagem por esse motivo. Mas não custa nada fazer, só ir num posto autorizado da Anvisa que se pega o certificado, ainda mais que não é mais necessário tomar a segunda dose da vacina.
       
      Dinheiro (o que todos querem saber)
      Primeira coisa, eu levei praticamente só dólar e recomendo, porque é mais fácil de trocar e na maioria das vezes vale mais a pena que real, mas é claro que depende de cotação para cotação. Levei um pouco de reais por precaução também. Olha, eu gastei durante a viagem: 1470 dólares + 500 reais. No entanto, tive dois gastos grandes (trem voltando de Machu Picchu e um restaurante chique que fui) que foram exclusivos da minha viagem, então o normal seria: 1250 dólares + 500 reais.
      As melhores cotações que achei foram:
      1 dólar - 6,94 boliviano
      1 dólar - 660 pesos chilenos
      1 dólar - 3,245 soles
       
      Uma outra coisa que não gostei foi levar dinheiro em cartão: eu levei 50 dólares em um cartão e só saquei no último dia para não perder. Cartão tem uma taxa muito alta para realizar saque, sem contar que a cotação de banco é sempre pior que a das ruas.
       

      Reservas
      As únicas coisas que comprei/reservei antes da viagem foram as passagens de avião que falei antes e a passagem de busão de Sucre para Uyuni ( recomendação da Mary Teles). Essa passagem de busão é essencial comprar antes, porque como julho era alta temporada, era muito provável que quando eu chegasse na rodoviária não teria passagem e eu perderia um dia no meu roteiro. Então eu comprei antes por esse site (11,68 dólares) e levei o comprovante impresso. Foi super tranquilo e recomendo fazer isso também.
      Fica aqui uma coisa importante, não reservem nada com tanta antecedência, porque isso pode engessar demais seu roteiro. O legal de viajar assim é poder mudar o roteiro de acordo com o que vai acontecendo, como foi meu caso em Arequipa, em que resolvi ficar um dia a mais para curtir com o pessoal que encontrei. Ou dos imprevisto que vão surgir, como foi o caso da greve louca que teve em Cusco.
      E relaxem, sempre vai ter hostel com vaga e agências fazendo os passeios. Tipo, é legal reservar hostels concorridos ou ingresso para o Machu Picchu durante a viagem mesmo, quando já tiver certeza do dia que chegará na cidade.
      Sério, ter essa flexibilidade na sua viagem e não se sentir preso ao seu planejamento é a melhor coisa de fazer um mochilão.
       

      Dias antes
      Galera, estava chegando o dia da viagem e eu estava morrendo de ansiedade, animação e, admito que um pouco de medo. Há umas duas semanas de eu embarcar, descobri pelo grupo dos Mochileiros que teve uma neve intensa e vários passeios e estradas no Uyuni e Atacama estavam fechados. Sério, me bateu uma bad isso, imagina perder as maravilhas que esses lugares oferecem??
      Mas assim, liguei o foda-se para isso e finalmente PARTIUUUUU VIAGEM!!!

      PRÓXIMO EPISÓDIO COMEÇA O PRIMEIRO DIA DA VIAGEM
    • Por marcioomoraiss
        Olá pessoas. agora começa o relato do mochilão feito em Maio de 2017 que durou 35 dias e que me custou R$ (ainda estou somando..). Antes de tudo essa viagem surgiu de uma enorme vontade de conhecer Machu Picchu. Anos imaginando que isso não seria possível, mas saiba que NADA É IMPOSSÍVEL. Basta vontade, planejamento e gritar SIMbora!!!   Agradecimentos: Aos relatos de RodrigoVix, Mariana Teles, Bárbara Fabris, letícia.amorim do mochileiros.com e victor machado que deixou seu relato e me deu coragem e segurança de fazer o trekking Salkantay sem guia e sem agência. Ao grupo do WhatsApp que foi-se criando ao longo dos meses e desse grupo, sem desmerecer os demais, um agradecimento especial e representando os demais, à Ana, que viajou sozinha e foi relatando tudo o que ocorria ao vivo, seus choros de felicidades e seus perrengues durante a viagem, histórias que esperamos também outro relato.   Com base nos relatos, analisando os roteiros e formas de locomoção, onde ficar, onde dormir, o que comer - ou não. O meu roteiro foi sendo desenvolvido. E a cada pesquisa, indicação de passeios e lugares ele foi sendo moldado. Claro que era mais para se situar, porque viagem assim, querendo fazer tudo o que for possível por conta, sem contratar agências (para economizar mesmo e realmente vivenciar cada momento), há sempre os imprevistos: informações desencontradas, passeios que não deram certos, mas que foram muitos divertidos porque tudo isso é válido, mente aberta para qualquer coisa que ocorresse antes/durante e depois da viagem. Tudo vira experiência e causos para contar na roda de amigos.   Depois de tudo já "pronto". Pelo menos no papel, o roteiro inicial ficou assim:      Sabendo que dia iria sair de férias, já comecei a pesquisar e acompanhar o preço das passagens. Pelo menos o trajeto até Uyuni - Bolívia eu já queria deixar reservado e comprado, pois seria mais só trajeto mesmo. E nas horas disponíveis nesse início e em todas as cidades que seriam mais para passagem seria para conhecer algo próximo.   Acabei por saindo de férias dia 01 de Maio, logo, fiquei com 2 dias para rever o roteiro e organizar a Jacinta, nome de minha mochila cargueira. Sim ela se chama Jacinta. Daí vocês me perguntam: Por que Jacinta? E a resposta? Coisa de VISÃO: Olhei pra ela e vi Jacinta. Sabe aquelas coisas que não tem explicação, por mais que você procure uma? Então, Jacinta não tem explicação. Jacinta simplesmente é. Jacinta.   Passou dia 1o, dia 2 chegou, o dia passou, a noite chegou, o sono não. Afinal, quem consegue dormir na noite anterior à uma viagem tão esperada, tão planejada? Mentira que você consegue. Se consegue, tu tem "pobrema meo irmão!"   Antes de começar o relato em si, melhor dar algumas informações/dicas do que precisei/do que precisa antes de se viajar:   PASSAPORTE OU RG? Para os países da América do Sul não é exigido o Passaporte. O RG estando atualizado (menos de 10 anos) já basta. Mesmo assim eu aconselho o Passaporte. Porque você vai colecionando carimbos e acho mais prático, acho 'mais bem visto'. Houve uma situação que só entramos em uma balada porque uma amiga estava com o passaporte. (logo: somos turistas e quiseram nos 'tratar bem'). PASSAPORTE: http://www.pf.gov.br/servicos-pf/passaporte   VACINAÇÃO Tema simples que muita gente costumar dificultar e ainda ficar em dúvida. Vai viajar? Veja se o lugar exige alguma vacina específica. Nesse mochilão a Bolívia exigia a vacina contra a Febre Amarela. Deve-se tomar 10 dias antes de embarcar e ter a Carteira Internacional da ANVISA, essa que irá comprovar. Entre no site e verifique um posto mais próximo que emita o Certificado, pois ele será seu comprovante. http://portal.anvisa.gov.br/ Muitos ficam na dúvida "MAS ELES PEDEM?". Vá, toma, deixe suas vacinas em dia, essa é a resposta. Se o órgão que deveria fiscalizar isso funciona ou não é outra história, você faz sua parte. E vacina é prevenção, vamos deixar a saúde em primeiro lugar. Já aproveita e vê se não tem vacinas faltando. Eu tomei, além dessa, mais 2 com retorno pra uma 3a. (essa última, até o momento que escrevo, não fui ainda tomar...rs)   TOMADAS/ADAPTADORES
      Uma dúvida de muitos quando se vai viajar. Nesse mochilão eu não precisei de nenhum adaptador. Todas as tomadas que precisei era as mesmas usadas aqui no Brasil. O que mudava era que elas estavam acabadinhas, arrombadinhas, muito utilizadas, coitadas. Daí não segurava o pino dos carregadores. Chegue a comprar um T chato em Sucre, mas me desfiz dele, acho que em La Paz, no final da viagem. (é, fui teimoso e na esperança de que iria precisar)   SEGURO VIAGEM Há quem não utilize. Dê graças a isso. Mas é algo que eu aconselho: NÃO VIAJE SEM ELE Se tu não usar bem. Se precisar, acione já que está pagando. Li relatos de pessoas que passaram muito mal. E se você não tem seguro, espero que tenha uma boa economia debaixo do colchão, porque o custo de atendimento médico no exterior , meu amigo/minha amiga, é altíssimo. Eu poderia ter acionado no último dia, em La Paz, porque estava num dia de rei, mas teimoso, tomei tudo que me diziam ser bom, até chegar ao Brasil para tomar mais alguma coisa e, assim, terminar meu reinado.   DINHEIRO/CARTÃO. O QUE/COMO LEVAR? Esse foi o meu 2o mochilão. Sempre dei preferência ao dólar. 1o É mais aceito que o Real 2o Mesmo convertendo para comprar e depois convertendo para vender, compensou. Mas isso é algo que tem que ser analisado, sempre. Nessa viajem só fiz câmbio com o real quando passei pela fronteira da Bolívia, em Porto Quijarro, porque, pelas pessoas que foram, o câmbio ali, vi que estava melhor. O restante da viagem, só utilizei dólar. Que ia comparando com quem já foi e o preço que estava quando ia cambiar. Já trocava o montante que iria usar na cidade, pra não ficar perdendo tempo com isso. Não é o certo, mas era o prático.   O DESGRAÇADO DO SOROCHE (O MAL DE ALTITUDE) Muito cuidado com esse vilão. Ele aparece com uma dorzinha de cabeça, um mal estar, aquela falta de ar. E se você não fizer nada, pode acabar com tua viagem. Eu li muito sobre, mas na teoria é teoria. Na prática que a gente vai ver que o bicho te pega. Você pode mascar e/ou tomar chá de coca, tomar Soroche Pills para amenizar isso. Tem gente que não sente nada, mesmo não tomando, outras, como eu, acabam com uma cartela de Neosaudina fácil-fácil.   CONECTIVIDADE/WI FI Conselho? DESAPEGA. Se liga somente na tua viagem, na natureza e nos costumes. Eu utilizava somente o wifi do hostel e dos restaurantes. Fora isso, celular era pra tirar foto. Perde-se muito tempo se tu ficar conectado sempre. HÁ muitos lugares bonitos nessa viagem. Melhor parar e meditar neles que mandar um post ou fazer um check in em sua rede social.   TEMPERATURA Leve isso em conta ao fazer sua mochila. Fui em Maio. Era quente de dia e muito, muito frio a noite. Tive que usar todas as roupas de frio somente no Salar de Uyuni. Porque, meodeos, que frio é aquele? É desumano..kkkk Nos demais dias, jaqueta fleece aguentava, mesmo de bermuda. Mas, cada um cada um, porque eu sou daqueles que usa roupa de frio quando não tem mais jeito.       O QUE LEVEI / USEI:   EQUIPAMENTO 01 cargueira 60 + 10 litros 01 mochila de Ataque 45 litros 01 saco de dormir (usei 1x no salkantay, quase usei no Uyuni) 01 barraca - 2 pessoas(usei 1x no salkantay) 01 colchão inflável, de piscina  (usei 1x no Salkantay) 01 par de bastão de caminhada 01 camel bag (não usei) itens para camping - fogareiro, panelas, lanternas, talheres   ROUPAS 08 camisetas dry fit (daria par me virar com 5) 02 calça-bermuda (usei 1 várias vezes) 02 bermudas (poderia me virar sem, apesar de ter usado 1) 05 cuecas 06 pares de meias (03 de trekking / 03 de algodão, essas voltaram furadas) 01 camiseta manga comprida 1a pele (usei muito e sempre com uma dry fit por cima - para ir variando as cores) 01 poncho (comprei em cusco - usei muito no Salkantay e em alguns passeios) 01 jaqueta fleece (muito usada) 01 jaqueta mais quente 01 corta vento impermeável (usado muito também, mas não confiei em pegar chuva com ele) 01 par de luvas 01 touca 01 bota impermeável 01 par de havaianas (leve sempre)   ACESSÓRIOS 01 câmera Canon semi profissional 01 recarregador 01 tripé (quase não usei para não falar que não) 02 baterias para ela também 01 câmera GO POBRE e acessórios (não usei, foi peso morto) 01 celular (usei muito para fotos) 01 carregador pen driver, cartão de memória (arrisquei e não usei - aconselho fazer backup de suas fotos - USE, ou mande tudo para "nuvem")   OUTROS - shampoo - hidratante - pasta e escova de dente - lenços umedecidos (indispensável - é vida isso) - protetor solar - protetor labial - álcool gel - cortador de unha - barbeador elétrico - antitranspirante - repelente - papel higiênico (usei? opa...sempre)14   REMÉDIOS - neosaudina - dorflex - pomada para picadas (foi e voltou na caixa) - ENO (levei só 4, foi muito útil)   Agora irei tentar, é difícil, por mais que você anote tudo. Eu reservei um caderno só pra isso, com mapas, rotas, dicas e fotos. Usei até o 10º dia da viagem, depois foi tudo em anotações pelo celular mesmo, guardando até guardanapo do churrasco de lhama, sim, comi churrasco de lhama e sim, guardei o guardanapo, afinal, ela ele o comprovante de compra do churrasquinho.... claro que não sujei em amassei porque já tinha premeditado que iria sequestrá-lo, e nem cogitei pedir resgate.   Os gastos tentarei colocar, não quando eu comprei, por exemplo, as passagens, mas no dia que foram usadas. Porque já está difícil juntar as informações, separar com o que já comprei antes, melhor não complicar.
    • Por natsumy
      Olá pessoal! Meu nome é Natália, tenho 21 anos e em janeiro desse ano fiz o clássico roteiro Bolívia-Chile-Peru durante 25 dias. Vim aqui compartilhar com vocês tudo que vi e vivi por aqueles lados e dar algumas dicas também!
      Primeiro de tudo tenho que agradecer a todos que postam relatos de viagem aqui, realmente ajuda muito. Eu li tantos relatos daqui que quando eu tava nas cidades era como se eu já soubesse onde ficavam as coisas, quais preços negociar com os taxistas.. kkk Deixo aqui meu agradecimento especial ao rodrigovix que escreveu o relato mais famoso aqui do mochileiros! Todos os brasileiros que eu encontrei estavam seguindo o relato dele, é realmente completíssimo. Eu baixei em pdf (tem o link lá no relato dele) e usava como guia quando eu tinha alguma dúvida, tipo: “ahh, cheguei em Arequipa.. Deixa eu ver quanto o Rodrigo negociou o táxi aqui”. Foi bom pra ter uma noção dos preços, recomendo o download!
      Agradeço também a todos que me inspiraram com seus relatos: leticia.amorim, barbara.fabris, nogy, guto.okamoto, tia poly e muitos outros. Valeu galera!
       
      Bom gente, essa viagem foi bem especial pra mim porque foi o meu primeiro mochilão e também a minha primeira viagem sozinha! Montei o roteiro baseado nos relatos daqui e fui adaptando de acordo com minhas necessidades e preferências. Comprei também um exemplar usado do Guia do Viajante Independente da América do Sul, é um livro muito bom pra ter informações dos lugares que você vai.
       
      Sobre os gastos:
       
      Antes de viajar montei uma planilha com os gastos que eu estava estimando. Fiz os cálculos com os valores que peguei nos relatos mais recentes que eu li. Peguei a planilha que a Maryana Teles postou aqui no fórum (valeu Mary!) e modifiquei ela, vou deixar linkada aqui. Essa foi a planilha com os gastos estimados! Mas os gastos reais foram menores.
      Estava planejando levar 1200 dólares mas acabou que não consegui juntar tudo isso.. E também o dólar aumentou muito depois das eleições nos EUA. Acabei levando só 1000 dólares + 300 reais que meu pai me deu de Natal (valeu pai!). Desse dinheiro gastei 900 dólares + 200 reais. E olha, com esse dinheiro deu pra fazer todos os passeios que eu queria, comprei muita coisa, fiquei em todos os Wild Rovers, não passei fome kkk Eu economizei bastante na alimentação e transporte, as vezes me dava o luxo de uma comida típica ou mais cara, mas a maioria das vezes comia nos mercados (adoro!) ou em restaurantes baratinhos, e no transporte sempre comprava o ônibus mais barato de todos kkk Ficava sempre em hostels no quarto mais barato, com exceção de Copacabana, onde eu passei muito mal e tive que pagar 2 diárias em um hotel mesmo.
      Dá pra fazer por menos? Com certeza! Quanto mais você controla seus gastos maior vai ser a economia. Ah, levei tudo em dinheiro mesmo na doleira. Troquei reais por dólares aqui em BH no começo de dezembro na péssima cotação de 1 dólar = R$3,57
      Ressaltando aqui que nesse valor não está incluída a passagem para Santa Cruz, que deixei pra comprar em cima da hora (novembro) e paguei caro! De BH pra Santa Cruz paguei R$1644,00!! Conheci alguns mineiros de BH na viagem e eles me disseram que compraram em julho pra viajar em janeiro e pagaram metade do preço. Então tentem não deixar pra última hora.. Eu deixei porque só podia começar a pagar as parcelas em janeiro kkkk Outra coisa que não está inclusa é a passagem Santa Cruz - Sucre, que me custou 50 dólares. Essa passagem também é bom reservar com um mês mais ou menos antes viu. Olhei um mês antes e tava 30 dólares. Deixei pra uma semana depois e já estava 50! Não sei qual é meu problema em comprar passagens kk
       
      Seguro Viagem
       
      O seguro eu fiz pela Mondial e paguei 160 reais. Comprei na Black Friday com 30% de desconto. Não sei porque mas quando eu selecionava no motivo de viagem a opção mochilão o preço ficava absurdamente caro.. Então selecione como motivo lazer/turismo pra um preço mais amigável.
      Não utilizei o seguro nenhuma vez mas eu recomendo que vocês façam. Não foram poucas as pessoas que conheci que precisaram acionar o seguro! Sem contar que eu quase acionei também quando peguei uma intoxicação alimentar em Cusco.
       
      Compras pré-viagem
       
      Como falei antes, esse foi meu primeiro mochilão. Eu não tinha quase nada, só algumas roupas de frio, então tive que gastar um dinheirinho antes de viajar. Esses gastos não estão inclusos no gasto total da viagem, porque é uma coisa meio pessoal né. Segue a lista das coisas que comprei:
      Mochila 60 litros da Quechua- 330,00 na Decathlon - 2 meses depois estava 289,00
      Capa de chuva pra mochila - 59,90
      Conjunto segunda pele 100,00
      Toalha de secagem rápida - 34,99
      Bota impermeável - comprei usada no site enjoei uma da Quechua
      2 cadeados - comprei em um camelô aqui em BH por 5 reais cada. A qualidade não é lá essas coisas mas deu pro gasto
      1 lanterna - também no camelô por 8 reais
       
      Recomendo muito a compra de um óculos escuros também se vocês não tiverem.. Eu não consegui comprar e tive que usar um muito ruim desses que vendem na praia sabe? Péssima ideia kkk
       
      Documentos
       
      Os países que fui não exigem passaporte de brasileiros. Eu fui com meu RG e deu tudo certo. Só tem que tomar muito cuidado pra não perder os papéis que receber nas fronteiras dos países.
      Levei também o certificado de vacinação contra febre amarela que não me pediram em nenhum momento. Mas é bom fazer, vai que né..
       
      Bagagem
       
      Fiquei com medo da mochila que comprei ser pequena demais (60L), mas cabe coisa demais viu gente? Eu levei muita coisa, não recomendo levar tanta coisa como eu porque fica pesada e eu comprava as coisas lá e ficava sem espaço pra colocar. Vou fazer a listinha daqui com as coisas que levei pra vocês terem uma noção e vou classificando se foi necessário ou não.
       
      No mochilão:
      -1 calça jeans (necessária)
      - 1 calça legging (necessária)
      - 2 shorts (apenas 1 é suficiente)
      - 1 moletom (usei pouquissimo, levaria só na época de frio)
      - 1 biquini (necessário)
      - 1 blusa de manga comprida (necessário)
      - 1 blusa segunda pele (necessário)
      - 1 calça segunda pele (necessário, usei muito, levaria 2!)
      - 4 camisetas sem manga (só 2 é suficiente)
      - 7 camisetas com manga (comprei algumas no meio da viagem, levaria só umas 5)
      - 4 sutiãs (necessário)
      - 2 toucas (não sei porque levei 2, só uma é suficiente)
      - 1 sandália (totalmente desnecessário)
      - 7 meias (necessário, levaria um pouco mais)
      - 10 calcinhas (necessário)
      - 1 blusa grossa impermeável (necessário, mas a minha era muito volumosa.. Levaria um corta-vento com menos volume)
      - 1 chinelo (necessário)
      - 1 bota impermeável (necessário)
      - 1 tênis (usei muito mas dava pra ficar sem)
      - 1 Capa de chuva (necessário)
      - 1 toalha de secagem rápida (necessário)
      - T de tomada (necessário)
      - jogo UNO (gostei muito de ter levado, usei em Uyuni)
      - 1 calça tailandesa (usava pra dormir)
       
      Na mochilinha:
      - 1 caderno pra anotações
      - 1 camera e carregador
      - carregador de celular
      - pastinha de documentos (RG, papeis da imigração, certificado de vacina, cópia de tudo)
      - protetor auricular (importante pra quem for ficar em hostel!)
      - óculos de sol horrível (necessário, mas comprem um bom)
       
      Algumas dicas:
      Se você for fazer trekkings recomendo a compra de meias próprias para trekking. Eu não comprei e me arrependi!
      Se forem na época de chuva não esqueçam de levar uma BOA capa de chuva, não peguei tanta chuva nas trilhas que fiz, mas peguei uma senhora chuva em Cusco e descobri que a minha capa de chuva não era tão boa, vazou água pro lado de dentro
      Comprem um bom óculos escuros. É um investimento que vale a pena.
      Saco de dormir é desnecessário no verão, inclusive no Salar. As mantas que forneciam nos refúgios eram suficientes, e olha que eu sou friorenta.
      É legal levar tênis pra andar pelas ruas da cidade, descansar os pés um pouco das botas!
       
      Necessaire*:
      Cortador de unha
      Desodorante
      Pente
      Sabonete
      Shampoo
      Condicionador
      Lixa de unha
      Creme de cabelo (explodiu na mochila e joguei fora)
      Protetor solar facial
      Protetor solar corporal
      Protetor labial
      Maquiagem (delineador, corretivo, base, pó, lápis de sobrancelha - usei quase nada)
      Pinça
      Escova + pasta de dente
      hidratante
       
      *É possível comprar tudo nos lugares, deve ser até mais barato. Eu preferi levar mas algumas coisas começaram a vazar/explodir. O creme de cabelo por exemplo nem usei, melecou minha bolsinha toda
       
      Remédios**:
      Paracetamol (dor de cabeça)
      Dipirona (febre)
      Dramim (enjoo - tomava pra dormir nos onibus)
      Multgripe (pra gripe)
      Salompas em gel (dor muscular)
      Imosec (diarréia)
      Band-aid
      dorflex
       
      **usei praticamente pelo menos um de todos que levei, menos dipirona e multgripe.
       
      Na doleira:
      1000 dólares + 300 reais
      Cartão de crédito pra emergencias (não foi usado)
      Identidade (levei 2, uma velha na doleira e uma na mochila de ataque)
       
       
      Altitude
       
      Quase não senti os efeitos da altitude.. Senti um pouco de dor de cabeça quando estava no segundo dia do tour do Salar de Uyuni, uma amiga que conheci no tour me deu aquelas Soroche Pills, e rapidinho eu tava bem! Senti um pouco também quando estava subindo as montanhas coloridas, o guia me deu um pouco de água florada, muito boa também. Mas recomendo comprar algumas folhas de coca pra fazer o tour do Salar..
       
       
      Câmbio
       
      O dólar estava mais vantajoso em praticamente todos os lugares que fui. A única exceção foi Arequipa, encontrei boas cotações para o real lá, tanto que troquei 200 reais. No resto compensa mais levar dólares. Tentem cambiar tudo em cidades maiores. As cotações nas cidades pequenininhas são ruins.
       
       
       
      Roteiro
       
      Meu roteiro sofreu algumas alterações durante a viagem. Cortei um dia em San Pedro, porque dava pra fazer os passeios que eu queria em 2 dias e também porque lá tudo era muito caro e adicionei mais um dia em Arequipa. Não incluí Ica no roteiro porque estava com medo do dinheiro não dar (bobagem) e também porque eu não queria um roteiro muito apertado de passeios.. Queria pelo menos um dia em cada cidade pra ficar tranquila e andar sem rumo pelas ruas. Recomendo que tentem fazer isso, deixem um dia pelo menos pra ter tempo de explorar Arequipa, Cusco, La Paz.. São cidades muito interessantes, diferentes, tem muita coisa pra ser vista. Segue o roteiro que fiz:
       
      01/01 - BH -> SP -> Santa Cruz -> Sucre
      02/01 - Sucre -> Uyuni
      03/01 - Uyuni - Tour pelo Salar
      04/01 - Tour pelo Salar
      05/01 - Tour pelo Salar -> San Pedro de Atacama (Valle de la Luna)
      06/01 - San Pedro de Atacama -> Arica (Piedras Rojas)
      07/01 - Arica -> Tacna -> Arequipa
      08/01- Arequipa (museus, mercado, etc)
      09/01 - Arequipa (Canion del Colca)
      10/01 - Arequipa -> Cusco
      11/01 - Cusco (fechar passeios, mercados, andar pela cidade)
      12/01 - Cusco (Valle Sagrado)
      13/01 - Cusco (Montanhas Coloridas)
      14/01 - Cusco -> Aguas Calientes
      15/01 - Aguas Calientes -> Machu Picchu!
      16/01 - Aguas Calientes -> Cusco
      17/01 - Cusco (Free Walking Tour)
      18/01 - Cusco -> Copacabana
      19/01 - Copacabana
      20/01 - Copacabana (bate-volta na Isla del Sol)
      21/01 - Copacabana -> La Paz
      22/01 - La Paz (andar pela cidade, teleférico, mirante, etc)
      23/01 - La Paz (Downhill)
      24/01 - La Paz -> Santa Cruz
      25/01 - Santa Cruz -> SP-> BH
       
       
      Sobre mulheres viajando sozinhas
       
      Muita gente durante a viagem me perguntava por que eu viajava sozinha. Eu sempre quis fazer uma viagem assim e adorei! Não tive nenhum problema em relação a isso, pegava transporte público nas cidades, voltava pros hostels de noite sozinha.. Conheci muita gente durante a viagem, então nem ficava tão sozinha. Sempre tinha alguém pra conversar. Achei as cidades relativamente seguras. Mas eu tomava cuidado sempre. Vi algumas pessoas falando que foram furtadas, tiveram a mochila roubada, então é importante estar sempre atento a seus pertences. Eu não desgrudava da minha mochila de ataque, ela sempre ia no meu colo nos ônibus e sempre que eu saía, mesmo nos tours eu levava comigo (meus documentos estavam lá!). E a doleira ficava comigo o tempo todo, só tirava pra tomar banho kkk
      Então se você está insegura de viajar sozinha por esses países: não fique! É super tranquilo. Vi muitas gringas viajando sozinhas também, é mais normal do que pensamos. Só vai!
       
      Finalmente vou começar o relato do dia-a-dia. Anotei quase todos os gastos, deixarei os gastos do dia no final do post de cada dia. Qualquer dúvida podem me mandar por aqui, por MP, por e-mail: [email protected], por carta, etc. Vamos lá!
      Mochilão Peru e Bolívia - estimativa.xlsx
×