Ir para conteúdo

O famigerado roteirão: Bolívia, Peru e Chile em 27 dias


Posts Recomendados

  • Colaboradores
Em 05/06/2018 em 23:26, Diego Moier disse:

Você começa a se apaixonar pelos lugares e histórias e já era: Tá lá você lendo tudo sobre: Atacama, Uyuni, MacchuPicchu e afins. Melhor ainda quando você encontra pessoas como o Rodrigo e Maryana (Dispensa apresentações) que te entrega um monte de coisa de mão beijada. A Maryana foi uma das grandes incentivadoras e é uma pessoa incrível e sempre disposta a ajudar. Sigam ela no Instagram: @vidamochileira.

Obrigado Mary!!!! ❤️ 

Sim, a @Maryana Teles é foda. Uma amiga querida, generosa e do bem. É muito foda acompanhar o crescimento dela no @vidamochileira  e todas as aventuras em que ela e o Mark se jogam de cabeça. O site dela tá muito completo, também. Vale a pena a galera dar uma conferida.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

@rodrigovix Obrigadooo... muita gente tem muito a agradecer pela colaboração que você deu nesse roteiro. Apesar de fazer um tempinho, muita gente que topei pelas estradas comentavam de você ou da Mary.

Obrigado pela força!!!!! A @Maryana Teles realmente é muito foda tbem, o site dela é bem completão.

Muita luz para vocês dois.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

@Diego Moier  meu Deus!!! Eu tô aqui emocionada lendo esse post, um porque tô revivendo tudo que essa trip me proporcionou e dois porque pelo simples fato de ajudar compartilhando a minha experiência tive a oportunidade de "conhecer" pessoas incríveis como você! Muito obrigada pelo carinho de ter mencionado o blog por aqui e muito obrigada por compartilhar a sua experiência também. É assim, que ajudamos uns aos outros e fazemos do mundo um lugar melhor. Mais uma vez, MUITO OBRIGADA!

Seu roteiro tá tão detalhado quanto o meu ou o do @rodrigovix

Parabéns pelo empenho!!!

Bjs

Mary

 

  • Gostei! 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

@Maryana Teles eu que agradeço mais uma vez... A gente que acaba planejando uma viagem baseado nas experiências de vocês criamos com certeza um apreço muito grande. Concretizar a viagem também intensifica esse respeito. :DDD Obrigado pelo comentário e incentivo. ❤️❤️❤️ 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

CAPÍTULO 2: UYUI 09/05: Não rolou a foto espelhada, mas nosso primeiro dia foi incrível.

Antes de fazer o planejamento da minha viagem, eu nem sequer tinha ouvido falar do Uyuni e por incrível que pareça, quando comentei com algumas pessoas, muitas também não conheciam.

Uma rápida pesquisa no google e você já começa a imaginar o lugar incrível que é e aquela foto surreal espelhada que vai tirar. 

  • O que precisamos saber sobre Uyuni?

Uyuni é uma cidade no departamento de Potosí, na Bolívia, capital da provincia Antonio Quijarro. O salar de Uyuni é também conhecido por Salar de Tunupa. Tem mais de 10.580 km quadrados e está a uma altitude de 3.600 metros acima do mar. O Salar pode ser visto do espaço e serviu de guia para o Apollo 11.  

O Salar também é chamado de Salar de Tunupa devido a uma lenda de que as montanhas Tunupa, Kusku e Kusina eram seres gigantes. Tunupa casou-se com Kusku, porém a traiu com Kusina. Tunupa chorou tanto que suas lágrimas se juntaram ao leite que dava para seu filho e transformou-se no Salar. Linda história ne?

Para os que preferem acreditar em fatos mais científicos, o salar foi formado em consequência de transformações de lagos (principalmente a sua evaporação) e o levantamento da cordilheira dos Andes. Atualmente ele é considerado o maior deserto de sal do mundo. 

  • Finalmente let's go UYUNI. 

Saímos do hostel em SCLS as 5 da manhã para pegar o micro-ônibus até o aeroporto, fizemos o check-in, embarcamos em um avião que mais parecia de brinquedo da Amaszonas (Sério, o avião era minúsculo que nem dava para ficar em pé dentro dele, e cabiam apenas 21 pessoas). 

Saída de SCLS: 8h - Chegada em Uyuni: 9h. 

O voo é bem rapidinho, porém dá um leve medo pelo tamanho do avião. 

Ao chegar no aeroporto de Uyuni você já começa a sentir um pouco a altitude, mas estava tomando Diamox em Santa Cruz, justamente para não sentir tanto e foi super de boa. O ventinho gelado e a neblina já antecipava o frio do cacete que nos esperava. 

11.jpg.f8f78c32a997b0050d5ddb4931c31b8d.jpg

Chegada no Aeroporto de Uyuni

Você pega a sua mala e na saída do aeroporto já tem vários taxis na porta. O valor é 10 BOL por pessoa. Não adianta juntar grupos para ficar mais barato pois a taxa é fixa e individual. Inclusive está em uma placa na saída do aeroporto. 

Já ia me esquecendo... Antes de sair de Santa Cruz, falamos com os meninos que foram na frente para o Uyuni e eles já anteciparam a agência que haviam fechado a travessia e o valor. Preferimos chegar e procurar direto a agência, pois não teríamos muito tempo e já faríamos o passeio juntos. 

O Taxista foi bem simpático e já começou a nos dar dicas e perguntar sobre o Brasil. Pedimos para ficar na praça (Av. Ferroviaria) e já fomos direto para a gência. Já tinha anotado sobre ela por indicação de diversas pessoas, então fiquei mais tranquilo, pois o valor estava dentro do que esperava pagar e era "garantia de ser confiável". 

Agência que fechamos a travessia: Esmeralda Tour. 

Plza. Central casi esq.A. Ferroviária nº7. 

www.esmeraldatoursuyuni.com

Entramos na agência e de cara topamos com 2 brasileiras que estavam quase no final do mochilão (A Bianca @biancazamberlan e a Larissa @larissasingolani). Aquela felicidade contida toda vez que encontra um brasileiro e já simpatiza com a pessoa de cara. Decidimos então pedir a agência para colocar nós 6 juntos no mesmo carro. Foi a melhor escolha da vida. QUE GRUPO FODA!

PROBLEMA 4:

Na hora de pagar o passeio, entrego uma nota de 100 dólares para a mulher e ela fica olhando atentamente para a nota, roda a nota pra lá, pra cá, olha contra a luz. Já comecei a sentir meu coração acelerando e não era de soroche. Ela pede para ir na casa de cambio verificar a nota e eu peço para ir com ela. Chegando lá a notícia fatídica: "A nota era falsa". MANOOOOOOOOOOOOOOOO! Levei 100 dólares falso do Brasil. Isso significava R$ 350,00 a menos no meu orçamento. Deu vontade de chorar, sério.

Troquei mais reais por Bolivianos na casa de cambio e paguei o passeio. Fiquei tão transtornado que nem prestei atenção na cotação de Uyuni e nem ia adiantar saber pq não tinha outro jeito. Vou considerar a cotação inicial apenas para ter uma base e para vocês não vai interferir (a não ser que vocês levem 100 dólares falso para uma viagem). kkkkkk

Total da travessia: 800 BOL

Para deixar em San Pedro de Atacama no final do passeio eles cobram mais 50 BOL. 

Se chorar consegue fechar tudo em 800. Lembrando que há diversas agências no centro com os mais variados valores. Caso cheguem cedo compensa dar uma volta e fazer a pesquisa de preço. Só aconselho a já ir com algumas agências pré definidas. Pesquisem, leiam, pergunte em grupos. Escolher uma agência confiável é muito importante, pois serão 3 dias, sem possibilidade de voltar atrás. Só se você quiser descer no deserto de sal e voltar a pé. 

  • Como funciona o passeio?

Pegamos o passeio de 3 dias e 2 noites. Você pega tudo que acha necessário do mochilão, coloca na mochila de ataque , pois só vai ter acesso ao mochilão na primeira parada para dormir. O mochilão é amarrado em cima da caminhonete. BEMMM amarrado. O guia não vai gostar nadinha se você ficar pedindo para ele parar para pegar algo no mochilão. Nem sei se eles fariam isso caso necessário. 

A agência será responsável para levar todo mundo para todas as paradas, organanizar lugares para dormir, servir comida e se tiver sorte com o guia (que na maioria das vezes é o próprio motorista), ele vai tirar fotinhas de perspectiva, colocar músicas maneiras e ser bem legal com a vocês. 

No ultimo dia o motorista deixará todo mundo na fronteira e indicar a van que irão pegar e ir para San Pedro de Atacama, por isso que elas cobram aqueles 50 BOL a mais. Conto detalhes sobre todo esse processo de fronteira mais pro final.  

  • O que levar na mochila de ataque nesse primeiro dia do Uyuni?

- Dinheiro e documento (Documento nem preciso falar nada e dinheiro para pagar entradas e comprar algo caso queira) Total para entradas: 180 BOL;

- Óculos de Sol (Importante pois o sol pode castigar e tem lugares que são tão brancos que dói a vista);

- Protetor solar para corpo e lábios (item obrigatório);

- Manteiga de cacau (Para evitar ressecamento e corte dos lábios)

- Hidratante corporal (Para ir reforçando a hidratação da pele e não chegar em SPA cheio de assaduras);

- Lenço umedecido;

- Papel Higiênico (Diversos lugares na Bolívia não tem papel Higiênico);

- Corta vento, cachecol, luva, touca, casaco (Vá preparando para o frio, porém não precisa já sair igual um boneco de neve. Vai usando aos poucos de acordo com a necessidade). 

- Lanche, chocolate, fruta (Não precisa ser muito, apenas para manter até chegar no primeiro alojamento/hostel);

- Água (Nessa primeira etapa o ideal são no mínimo 2 litros de água. O resto pode deixar lá em cima no carro. Ao total levem uns 5 litros de água para toda a travessia, foi o suficiente para mim, porém vai de cada um e quanto mais água melhor). 

Agência ok, pagamento efetuado, chorando pelos 100 dólares ainda, fomos a um mercadinho comprar a água, fruta e mais alguma coisa para levar. 

5 litros de água: 10 BOL.

6 Maçãs: 10 BOL.

Lanche que uma tia estava vendendo na frente do mercado, com carne que nem procurei saber de que era (Tava uma maravilha): 8 BOL.

1 Luva: 15 BOL (Não levei luva e achei melhor garantir). 

Brasileiros reunidos, hora de guardar os mochilões, tomar seus lugares (todos foram revezando durante os dias, pois alguns lugares eram mais confortáveis). Esse momento dá até um friozinho na barriga quando o carro sai e bate aquela sensação de emoção e aventura. 

Um ponto que queria deixar frisado aqui: GUIAS.

O guia legal nem sempre é somente aquele que ri a todo momento, palhação. Existem guias mais quietos, sérios, mas que também são excelentes guias. Lidamos com pessoas que tem seus problemas, trabalham duro, tem família e nem sempre estarão rindo a todo momento. Nem por isso eles deixarão de ser ótimos guias.

O nosso inicialmente estava bem calado e no decorrer do caminho descobrimos que eles estava com a garganta inflamada e que fazia esse trajeto 2 vezes por semana. É mais que justo que essas coisas sejam consideradas e que haja uma ajuda e respeito mútuo, para que todos façam uma viagem supimpa.

No decorrer da viagem ele se mostrou ser um cara foda e foi super gente boa com todo mundo. 

  • Tudo que o Uyuni tem a oferecer:

8aae80fc67619fa9bdb60e7b4d12f6ef.jpg.0fcf4637f16154931a2b504f27356627.jpg

Mapa de Uyuni e seus pontos turísticos até chegar no Chile que achei na internet.

Nossa primeira parada foi bem pertinho do centro de Uyuni: Cementério de Trenes. 

"De 1888 a 1892, no mandato do presidente Aniceto Arce, a Bolívia estava no ápice de sua produção mineral...Arce decidiu investir na construção de uma ferrovia... contudo, sem apoio era impossível manter a construção, devido à falta de diversos recursos, como: financeiro, tecnológico, operacional, entre outros. Então, Arce solicitou ajuda a engenheiros britânicos, que além de fornecer os vagões, passaram a gerir o projeto, que de acordo com os planos, em breve estaria pronto.


Os índios Aimarás, por diversas vezes tentaram destruir as etapas das construções, pois, acreditavam que esse progresso viria destruir sua paz... e mesmo com tantas manifestações dos Aimarás, a ferrovia foi construída. 


Sobre o fim das atividades da ferrovia, cada um aponta um motivo, mas o mais provável é a junção de vários eventos por volta das décadas de 1920 e 1930, como: A Grande Crise de 1929, a perda do território (para o Chile) que dava saída para o mar e, principalmente, a escassez de minérios".                                                                Texto: queimandoasfalto.com.br

Tiramos algumas fotos, o frio ainda estava bem tranquilo, eu me arrisquei em umas fotos mais ousadas (depois quebra todos os dentes e fica chorando) e logo voltamos para seguir viagem. Eu preferi sempre estar com minhas coisas de valores, principalmente documento, dinheiro e a câmera. Alguns deixavam no carro. Eu preferi garantir para que não desse qualquer tipo de problema e carregar para onde eu ia (Não era desconfiança do motorista em si, era prevenção mesmo).

17.thumb.jpg.1f458d10dc953420a52c14e8421e3b76.jpgDa esquerda para a direita (Larissa (que conhecemos na agência em Uyuni), Guilherme (Que conheci no hostel em Santa Cruz e também teve o voo cancelado), A Bianca (amiga da Larissa que também conhecemos na agência em Uyuni), Erilmar (Que me acolheu em SP), Angéllica (Que perdeu o voo), e euzito. 

20180509123638_IMG_0677.thumb.JPG.000c5dff9aa108928dd06812939e2ab6.JPGDeterminação e garra! kkkk

20180509123700_IMG_0680.thumb.JPG.a0de2daeefbb2833db60f13080324efe.JPGCementério de trenes - Eu querendo ficar sem dentes.

20180509130004_IMG_0804.thumb.JPG.7b7dfcab5fd690238563c8289ddfc27b.JPGCementério de trenes

 

Próxima parada: Comunidade de Colchani.

Colchani é um povoado onde você pode comer, comprar artesanatos, lembranças. O preço é razoável. O tempo de parada foi bem curto: 30 minutos no máximo. Comprei um pacote de algo que parecia uma castanha (5 BOL) que durou até o final da viagem. Quando estava com muita fome e não tinha nada para comer ela salvava. 

12.jpg.c43a4459bbffe1d4cd0ab9d5c197ad3d.jpg

Povoado de Colchani

Voltamos para o carro, revezamos os assentos e partimos para a próxima parada: O Salar. 

Inicialmente o Salar é um pouco marrom, com algumas poças que borbulham (Resultante do vulcão) e que muitos moradoras banham as pernas no combate ao reumatismo e outras doenças.

Não ficamos muito tempo, pois muita coisa esperava a gente. 

18.jpg.a45e33cbb32ed55130b4f7fd536b2b20.jpg

20180509141900_IMG_0864.thumb.JPG.8820c91769f5916212e1a96e5394bcbd.JPGOlha a galerinha aí e o nosso possante

A medida que vamos entrando para o salar, o branco vai tomando conta e o óculos começa a ser útil. Uma imensidão começa a tomar conta e já vamos perdendo a noção de fim. 

20180509142919_IMG_0868.thumb.JPG.ce2949bdd33ec3dead92f15f0bd739ca.JPG

20180509163143_IMG_0916.thumb.JPG.8358de464ea4128ce8b38a62126622f3.JPG

20180509163405_IMG_0922.thumb.JPG.d83f926d5f5f7c9634cab14ea9e80f37.JPGImensidão do Salar

Paramos no meio do salar e o nosso guia se ofereceu para tirar umas fotos de perspectivas que são de lei para quem vai para o Salar. Fizemos até um vídeozinho que posto mais pra frente. 

1174812742_SemTtulo-2.thumb.jpg.33cb96db718ce7aa3bb2c40cde3064af.jpgFotos de Perspectiva do Salar

Nem sempre o Salar está alagado (Tem as épocas específicas) e não tive muita sorte. No final do dia passamos por uma parte alagada, porém estava com muito vento e não ficava refletido. 

Continuamos viagem e paramos no Monumento Dakar e monumento das bandeiras onde foi servido o nosso almoço. O próprio guia prepara a comida que por sinal estava muito boa. Muita salada, carne, lentilha, macarrão, queijo, água e refri. 

20180509143216_IMG_0876.thumb.JPG.b306f4b1415cc0c5bf8e484e97191f7a.JPGMonumento Dakar - Lado Bolívia

20180509143527_IMG_0886.JPGMonumento Dakar - Lado Potossi

20180509143351_IMG_0881.JPGMuseu e nosso lugar de almoço

20180509144251_IMG_0904.JPGMonumento das bandeiras. BRASILLLLL!!!!!

Não pude deixar de catar um salzinho pra levar para casa. Depois vocês vão perceber que eu sou um compulsivo de guardar lembranças dos lugares sem necessariamente pagar por elas (Galhos, folhas, pedras, etc). Minha mochila voltou alguns kg a mais por isso.

Um tempinho para relaxar e a próxima parada seria a Isla del Pescado. 

Nesta ilha você vai ter que pagar 30BOL na entrada. Os valores não estão incluídos nos pacotes das agências. É importante que você reserve esse valor. O total que paguei foi de 180 BOL. 

Os cactos com até dez metros de altura podem ter uns 600 anos de idade.

20180509175338_IMG_1008.thumb.JPG.0715738cda5c7ee00e91cb5f944512b6.JPGIsla del Pescado e seu contraste com o salar

20180509174722_IMG_0987.thumb.JPG.678b2c5ac5bfcae10a80130d17880e25.JPGIsla del Pescado e seu cactos gigantes

20180509175117_IMG_0999.thumb.JPG.76a5b49c1cbba196b259752c771fdc5c.JPGQuando a pessoa acha que tá fazendo book

O Sol começou a ir embora e é hora de seguir viagem para o primeiro alojamento em um pequeno vilarejo que não lembro o nome.

Antes de chegar no alojamento encontramos uma parte do Salar alagado, porém estava um vento do cacete e não tive muito sucesso com fotos.

20180509_181403.thumb.jpg.dfde354e3abad7b235611a461e00fde3.jpgSalar alagado com vento. Fiquei frustrado pois só peguei um vento gelado na cara!

Chegando no alojamento, pegamos nossos mochilões de cima do carro e logo nosso rango estaria na mesa. os meninos ficaram em um quarto e as meninas em outro.

Neste dia para tomar banho quente você pagava 10 BOL, porém o grande detalhe é que era impossível o banho ficar quente. O frio já estava castigando e a solução foi tomar banho com lenço umedecido.

Nosso jantar já estava na mesa (Entrada: Sopa com pão / Prato principal: carne, frango, linguiça, batata frita, tudo misturado e estava uma delícia. Não sei o nome do prato). Nosso guia ainda nos deu uma garrafa de vinho que foi o suficiente para batermos um longo papo e nos conhecermos um pouco mais. Até então não sabia muita coisa das outras pessoas. 

Neste momento você descobre as pessoas fodonas que a vida coloca na sua frente. 

Todos alimentados, fomos dormir, exceto a Angéllica que passou mal a noite inteira vomitando.

Na cama tinham uns 3 cobertores que foi o suficiente para não passar frio. Quanto tempo que eles não são lavados? Ahhhh vamos mudar de assunto. kkkkk 

Dicas Importantes:

- Não espere tomar banho. Alguns tem sorte e outros não;

- A comida foi excelente, porém pode ser uma merda dependendo da agência que você paga;

- Levem lenços umedecidos;

- Usem hidratante;

- Se você tem dificuldade em dormir em qualquer lugar por conta da coberta, leve um lençol e uma fronha para usar e assim não ter muito contato com as cobertas. Elas não aparentam ser sujas, apenas a imaginação que flui mesmo para alguns. kkkk 

Dormi super bem e sem passar frio e com a ansiedade a mil para chegar logo o segundo dia.

Gastos no primeiro dia em Uyuni:

Taxi: 10 BOL.

Esmeralda Tour com transporte para SPA: 850 BOL.

5 litros de água: 10 BOL.

6 Maçãs: 10 BOL.

Lanche: 8 BOL.

1 Luva: 15 BOL

Castanha: 5 BOL. 

Entrada Isla del Pescado: 30 BOL

Total: 938 BOL (Cotação para real: 1.70).

Total em Reais: R$ 551.76.

Total parcial da Viagem:  R$ 2.570.35.

 

Próximo capítulo: UYUNI: 2º dia - 10/05: Lagunas e mais lagunas. 

  • Gostei! 2
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Silnei featured this tópico

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...