Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Posts Recomendados


Amei o seu relato, muito obrigado msm!! 

Gostaria de mais informações! 

Vc foi de aérea até Cusco? Como vc foi até Águas Calientes? Onde dormiu? Quanto foi o passeio para Machu Picchu? Qual a diferença de valor comprando aq e lá? 

Muito obrigado 😘😘😘😘

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Amands obrigado pelo relato. Vai ser de grande ajuda. Vou para o Peru em março e suas dicas, principalmente dos restaurantes, serão muito bem vindas. Já tinha anotado visitar os dois Green Points, que dizem que são muito bons. Vou incluir os museus de chocolate também. No aguardo da continuidade.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Taty Sacchet Oi Taty!! Bom saber que você está gostando!! sim, minha passagem aérea era até cusco, com conexão em lima. Para águas calientes eu fui de trem (custa cerca de 40 dólares). Tem a opção mais barata de ir pela hidroelétrica, caminhando. São cerca de 4 horas de caminhada pelos trilhos do trem. Além disso, dá pra fazer a trilha inca (Salkantay) de uns 5 dias. Dormi em águas calientes mesmo e a entrada de Machu Picchu tá uns 200 reais com a montanha.  No fds vou terminar o relato e aí respondo tudo com mais calma!! :)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Wesley_Justino fico feliz de saber que vc está gostando!! Assim que tiver um tempinho (provavelmente no fds) termino o relato! Desde já, boa viagem!! :D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
27 minutos atrás, Amands disse:

@Wesley_Justino fico feliz de saber que vc está gostando!! Assim que tiver um tempinho (provavelmente no fds) termino o relato! Desde já, boa viagem!! :D

Obrigado! Ansioso pela continuação.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom seu relato! quero fazer um roteiro muito parecido com o seu, então suas informações estão sendo excelentes! por favor, continue!:-D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@AmandaOM Estou pensando em levar um cartão do Nubank, também... você lembra mais ou menos de quanto teve que levar em dólares e de quanto colocou no cartão Nubank? Só pra ter uma noção...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por GIACOME
      Acabamos de regressar desta maravilhosa viagem, onde o exercício de resiliência e cuidado mútuo fez parte constante do trajeto; viajamos de carro, partindo de Cacoal, Rondônia, fazendo o já clássico caminho entre Rio Branco (Acre) e Cusco (Peru), passando pelas belas geleiras da cordilheira dos Andes. Estávamos em quatro pessoas, sendo elas duas crianças de 14 e 5 anos.
      Nestas condições o nível de aventura deve ser moderado, não podendo fazer caminhadas mais longas, ou qualquer outro passeio que demande muito esforço físico e muito menos risco à saúde ou à vida. Saímos de Cacoal junto com um grupo de Amigos até Porto Velho; já na saída um grupo que iria com a gente recebeu a notícia que outros membros da família que iriam se encontrar em Porto Velho haviam perdido o vôo. Logo, iríamos subir até Rio Branco somente em mais outro carro de amigos.
      O resumo do primeiro dia foi: Cacoal-RO – Rio Branco, Acre. 988km. Os pontos mais relevantes deste dia e que merecem uma observação:
      1. Abastecer em Porto Velho é bem vantajoso. Gasolina custando 3,36 antes do aumento de 0,40 do Temer.
      2. Comer no Assados; restaurante que fica na rua Carlos Gomes, em frente à Honda. Boa carne assada e postas de Dourado gigantes assadas.
      3. Em Abunã, resíduos históricos da passagem da ferrovia madeira Mamoré, incluindo uma locomotiva perdida.
      4. A Balsa; elemento jurássico que assola o desenvolvimento da região.
      5. O Shopping de Rio Branco, assim como toda a capital estão lindos.
      Não ficamos hospedados em Hotel. Ficamos na casa do amigo Carlos Frederico.

       
      O segundo dia acordamos cedo, mas conseguimos sair mesmo após às oito horas. Tomamos café em um posto de gasolina e seguimos para Assis Brasil. Em Epitaciolândia paramos para sacar dinheiro na agência. Queríamos levar 90% do dinheiro em espécie. Em 2013 levamos em espécie, mas já no final da viagem o dinheiro deu a conta; e muitos locais não passavam cartão de crédito. Importante habilitar o cartão para as transações internacionais. Saímos de Epitaciolândia e seguimos para Assis Brasil, a última cidade brasileira do caminho. Cuidado com este trecho é pouco. O asfalto está destruído em parte do trajeto, necessitando reduzir a zero a velocidade para prosseguir.
      O Resumo do segundo dia ficou assim: 574km. Rio Branco, Acre. Puerto Maldonado, Peru.
      1 Deixe bastante tempo para a imigração e passagem do carro para o Peru. É demorada a saída do Brasil na Alfândega Brasileiro quando tem ônibus também atravessando. Na Aduana peruana, se tiver ônibus ferrou. Nos finais de semana o fluxo é maior. O carro só sai agora com o Suat, um seguro obrigatório. Eles inspecionam o carro e só permitem o pagamento depois da observação e análise do veículo. Demoramos mais de três horas para fazer todos os procedimentos. Aproveitem para trocar sua grana por soles já na divisa. Uma das melhores cotações. Quanto mais entramos no país, menos o real vale. Com exceção de Cusco, que recebe muito bem o real.
      2 Viajei com a ideia de cotação entre 1 real para 1 soles. Levei prejuízo. Com o aumento do dólar, consegui comprar soles perdendo 10%. 1 real vale somente 0,90 soles. Prejuízo de 300 reais na troca dos 3,000 reais que levei em espécie. (levei mais 1,000 reais para trocar em Bolivianos).
      3 O trecho entre Inapari, primeira cidade Peruana onde fazemos os trâmites, até Puerto Maldonado é de 220 km. Cuidado com o combustível. Existem poucos “grifos” postos de gasolinas no caminho. Cuidado também com os quebra-molas, que são muitos e motociclistas sem iluminação. Passamos a noite e muitos veículos não têm iluminação.
      4 Em Puerto Maldonado ficamos no Tropical Inn. Hotel de fácil localização, à 4 quadras da praça de Las Armas de Puerto Maldonado. Ficamos na ida e na volta. O valor de 114 soles. Em média 130 reais para quatro pessoas. Quarto enorme e ótimas camas e banheiro. No entanto, sem café da manhã. No dia que chegamos estava sendo comemorado o aniversário da cidade. Muita festa na praça principal, com um show de músicas locais; uma mistura de aviões do forró com calypso. Sensacional. Comemos pizza e experimentei uma coxinhas de rua, feitas de massa de mandioca, também comi as papas helenas. Deliciosas.
      5 Já tome as deliciosas Cusquenas. Cervejas maravilhosas de Cusco. Aproveite o calor da cidade para beber, pois em Cusco o clima não é tão propício. Em Cusco gostoso é a Pisco Sour, bebida com aguardente de uva e clara de ovo.
      Dormimos com a ansiedade da subida pela cordilheira, levando em conta que estávamos com crianças e não sabíamos as reações, principalmente da menor com 5 anos. Amanhã continuo com o dia D da subida à cordilheira.


    • Por roteiroviagemdemochileiros
      Olá Mochileiros,
      Aqui está >> O Passo a passo Roteiro de viagem Cusco e Machu Picchu 6 dias, mas antes anote as dicas abaixo:
      - Se você estiver sozinho (a) recomendo contratar o serviço da agência, pois algumas atrações ficam distantes do centro histórico e é necessário carro particular. Mas você pode tentar fechar um grupo com 4 pessoas no hostel pra rachar o táxi/carro particular. O problema é achar um guia-motorista, ou então contratar dois profissionais! Só não esqueça de que ver ruínas sem alguém mostrando o seu significado pode ser uma experiência bem frustrante. O tour pela agência ou por conta própria (táxi/carro particular + guia), vai dar quase o mesmo valor. Fica a seu critério! O que eu NÃO recomendo é fechar pacotes aqui com as agências brasileiras. 
      - Fique hospedado nas proximidades da famosa Plaza das Armas, isso porque em volta dela possui tudo: casas de câmbio, agências de turismo, lojas, cafés, restaurantes, bares, pubs, boates, etc... Para a galera Mochileira que gosta de festas e fazer novas amizades, super recomendo ficar hospedado no Wild Rover Hostels Cusco, que fica próximo a Plaza das Armas. Eu adorei !!! Selecionei também outras boas opções de hospedagem em Cusco com preço. 
      - Leve dólar: aqui no Rio não achei casas de câmbio com a moeda peruana. Não sei informar se o real é bem aceito lá. Eu levei dólar!
      - Sobre as famosas Montanhas Machu Picchu e Huayna Picchu: Não é necessário escalar essas duas montanhas para ver aqueles visuais que estamos costumados a ver na internet da cidade perdida.
      - A melhor época para visitar Machu Picchu vai de maio a setembro, pois a probabilidade de chuva é menor. 
      - Altitude: Cusco está localizado a 3.400m de altitude e alguns viajantes podem sentir algum desconforto pelo impacto do ar rarefeito em seu organismo. Conhecido como “Mal de Altitude”. Na fase de adaptação os sintomas mais comuns são dores de cabeça, náusea, tontura, respiração curta e perda de apetite. É importante fazer uma consulta médica antes de viajar, pois o médico irá indicar um medicamento. Outra dica é mastigar ou beber em chá as folhas de coca para aliviar esses sintomas, vende em qualquer lugar em Cusco.
      Anotou?! Agora Segue O Passo a Passo do Roteiro de viagem Cusco e Machu Picchu


×