Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

::Cold:: Olá, Pessoal!!

Estou em Bariloche desde ontem, dia 15.08.10, e tenho algumas dicas super "quentinhas" para vcs.

1) Ao desembarcar no Aeroporto contrate remisses e paguem no máximo 60$ (pesos argentinos). Paguei 50$ até o Hotel San Remo. Sem pechinchar.

2) Paguei por 6 diárias 1.500$ no hotel acima. Detalhes do hotel: se pegar vista para o Lago Nahuel já vale à pena (é simplesmente deslumbrante!!!). Café da manhã bem razoável, com ele vc se mantém bem durante uma boa parte da manhã. Quartos antigos (o meu tem carpete), com cama de casal pequena. Quem tem acima de 1.80m vai sentir dificuldades. Banheiro com espaço suficiente para utilização, contudo, a área da ducha é bem pequena. Boas noticias: tem wi-fi nos quartos e no saguão do Hotel. Notícia ruim: só tem uma tomada (dentro do banheiro). Atendimento bem bacana. Tudo que precisei, consegui com eles, inclusive dicas de aluguel de roupas, com desconto por ser indicação do hotel.

3) Comprem luvas para neve (de 30$ a 120$) e não aluguem por conta da gripe H1N1.

4) Aluguel de roupas: a Taos é uma das mais caras, não alugamos lá. Alugamos em uma loja na própria Av. Mitre, pagando cerca de 25$ (jaqueta, calça e bota) para adultos (3) e 20$ o macacão para as crianças (2). Conseguimos este preço em razão da quantidade de dias (6) e números de pessoas (5). A dica é alugar macacão para as crianças, mesmo. Peguei esta dica no próprio site dos Mochileiros e confirmei isso aqui. A criançada se diverte horrores em Piedras Blancas onde o contato com a neve é bem acentuado. Sigam as dicas dos instrutores ao descer pela primeira vez (Pista 4). Não paga nada, são só instruções para utilizar o trenó. Depois é só curtir a descida. Pare no meio da descida para tirar umas fotos,mas saia da pista para não causar acidentes.

5) Aluguel de carros: pegamos duas Paratys (aqui se chama Gol Country). Pagamos por cada uma delas 1.100$ por 6 dias. Correntoso Rent a Car, Rua Rolando 172, 1º piso "C" (8400) tel (02944) 427737 - Cel. 15611545 Ricardo.

6) Comida: ah, comida!!! Estamos bem servidos. Tem de tudo para todos os bolsos. Come-se bem em quase todos os lugares que fomos, incluindo, Buenos Aires, onde estivemos por tres dias antes de vir para cá. Mas, este é outro tópico que vou postar depois. Voltando a Bariloche, tenho para indicar os Restaurantes Italiano (R. Mitre), onde uma lazanha bem caprichada sai por 36$, uma pechincha se comparado com o Brasil; o Boliche do Alberto onde comi, até agora, o melhor bife de chourizo, vá lá e comprove, não vai se arrepender. Conhecemos a Fábrica de Cerveja (Blest), fica fora de Bariloche, sentido Cerro Catedral, Av. Bustillo, Km 11,6. Posso dizer que o lugar é demais. Começa com o ambiente, um típico Irish Pub, bem intimista todo em madeira e vasta decoração que lembra os Pubs Ingleses e Irlandeses, principalmente. Depois, para quem gosta de cerveja ou chop este é o lugar para vc degustar várias produções locais. Experimentei a Stout Irlandesa, uma Bock e um chop de Framboesa. gostei de todas. Para quem nao gosta de cerveja pode experimentar a de Framboesa, tem bom paladar e é bem suave. Vamos voltar lá para jantar e dpois conto como foi. Ao pedirem em qualquer lugar peçam para ver o cardápio e aponte o que vc quer para não ter surpresas desagradáveis ao receber a conta, as vezes o portunhol não é suficiente. Também optem por cardápios com fotos dos pratos e vc terá dimensão do tamanho deles. Nós já acostumamos a dividir os pratos porque são muito grandes para uma pessoa e sempre completamos com uma boa salada que também é farta.

7) Como Bariloche é pequena os restaurantes formam fila de espera(quase todos) após as 21h, então cheguem cedo. Geralmente abrem as portas por volta das 20h.

8) Estamos viajando com duas crianças lindas de 5 e 7 anos. Então decidimos alugar os carros logo de início para facilitar locomoção e evitar pegar muito frio.

9) Temperatura: tragam seus casacos de frio porque está gelado aqui. A temperatura fica em torno do zero grau já considerando a sensação térmica por conta do vento. Não se enganem, passem creme e protetor mesmo com tudo nublado ou chuvendo porque nos intervalos o vento castiga e aquele sol tímido pode destruir seus lábios. Já pegamos neve no primeiro dia, na cidade. Isso mesmo, nevou por poucos minutos durante e noite mas o suficiente para tirar boas fotos. Na manhã seguinte, os carros amanheceram com uma pequena camada de neve.

10) Só fomos no Cerro Otto (Piedras Blancas) e pagamos 150$ já inclusa a entrada por adulto com direito ao trineo (trenó) e podendo descer 6 vezes. Posso dizer que é suficiente. Por exemplo, eu e minha esposa conseguimos descer 5x. foi o suficiente porque o cansaço bateu e as pernas já estavam doendo de força-las nas descidas, principalmente para frear.

Bom....vou parar por aqui porque minha esposa já está reclamando da demora, já são 23h28min e temos q descansar para pegar Cerro Catedral amanhã

Volto em breve para continuar este relato.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estou indo pra Bariloche no período de 26 a 30 de agosto, e tenho as seguintes dúvidas:

1. É possível alugar um carro e fazer o Circuito Chico pela manhã e Villa Angostura a tarde? É muito arriscado dirigir o veículo nesses percursos?

2. Qual o valor do aluguel de quadriciclos e motos de neve? Tem diferença de preço entre o Cerro Catedral e o Piedras Blancas?

3. Qual o melhor local para alugar roupas de neve?

4. O Hotel Premier é de boa qualidade? Vale a relação custo/benefício?

5. O passeio Noche Nórdica custa quanto? Vale a pena?

6. Qual o valor pra subir no Cerro Catedral e curtir atividades como trenós, esquibunda, etc...? Não tenho interesse em esquiar, preicso pagar o valor dos meios de elevação?

 

Ai, são tantas dúvidas... rsrsrs

 

Um abraço a todos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

olá gente boa tarde.

Volto a agradecer todos relatos com principalmente os preços para pessoas que como eu somos sem noção, pois é minha primeira viagem.prometo que quando estiver com meu roteiro completo estarei postando-o pra possiveis dicas,sugestões etc. até porque minha viagem está um pouco longa (julho/11) mas jah estou me preparando $$ para não haver incovenientes.

estou com algumas duvidas para pessoas experientes que viajaram de avião,que acho que podem me ajudar.

* acho que um pouco cedo mas estava vendo o preço das passagens e quase ja comprei pela submarino viagens por 2482,00 para 2 adultos ja incuso as taxas de embarque,com escala em buenos aires.o que vcs acham dessa compra tão antecipada?acham que baixa um pouco mais, ou aparece alguma promoção?

para não fugir do assunto dos voos, vi que em buenos aires tem que mudar de aeroporto para pegar outro aviao para bariloche,e como nunca viajei quando faço o checkout em BA terei que levar minhas malas para o aeroparque ou eles transferem?porque tem um tempo entre um voo e outro de + ou - 13 horas,o taxi é barato entre os aeroportos?vcs indicariam um hostel barato que fique proximo de um desses aeroportos ja que vi que a maioria dos voos chegam em buenos aires a noite.

entretanto, vi tambem que existem passagens para bariloche de onibus, que o preço em médio para esse ano foi de $780,00 ida e volta por pessoa que dá para duas pessoas por volta de R$ 502,00 ida e volta para os dois e juntando com o voo do rio - buenos aires dará no total de 2230,00 para os dois. a vantagem é que eu determino quantos dias eu ficarei em buenos aires para depois eu ir para bariloche,só que eu queria opinioes de pessoas que foram de onibus se possivel.mas tambem queria saber onde pego esses onibus ou se existem algum mais em conta ou com mais saidas no dia. o que conta negativo com o onibus é que a diferença no total de avião e onibus é muito pequena não chega a nem R$ 250,00 e a viagem de onibus dura em média umas 20 horas,tem o risco de atrasar o harário da chegada em bariloche e perder uma diaria no hostel.se algue puder dar opinioes de vivencia e sugestoes obrigado.

Jah em bariloche gostaria que se vcs podem me indicar alguns hostel confiavel e barato mas seguro,com boa refeição e quarto duplo,ou seja, um bom custo x benefício,e soube que tem uns que tem desconto(convenio ) com aluguel de roupas, aulas de esqui,etc. e se com quanto tempo vcs acham que eu tenho que faer a reserva,deverei ficar uns 6 dias em bariloche.se possivel tiver sites, muito obrigado a todos....

 

sei que sou muito chato perguntando.e gostaria desugerir as pessoas que viajaram se podem e se lembram dos ´preços para agente como eu que tah planejando viajar ter uma noção.

outra coisa que esqueci e que vcs podem meajudar que eu tenho um orçamento para comprar tudo(passagens,taxis,hostel,diversao,alimentação,etc) de R$ 5.000,00. será que dá para passar 8 dias na argentina 2 adultos? obrigado gente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Alguns helps:

Hardcore - para acompanhar a cotacao do peso argentino x real lá na argentina, acesse o http://www.dolarhoy.com que mostra as melhores cotações para compra e venda nas principais casas de cambio de buenos aires.

Darcia - 1 - É meio corrido, mas Circuito Chico dá pra fazer em meio dia e Villa Angostura a tarde. O trajeto de carro é tranquilo e bem sinalizado em ambos. 3-Roupas de neve tem várias lojas...é só rodar um pouco que vc acha de 25 pesos a 60 pesos o kit completo, mas se atente para a qualidade e impermeabilidade das roupas. Quanto mais dias alugar, mais barato fica. Ex de lojas: Mandala, Taos etc. 5 - O passeio Noite Nórdica dizem que é maravilhoso...mas só se vc quiser se dar a esse "luxo", pois vai desembolsar cerca de 500-600 pesos por pessoa. 6 - Se não quiser esquiar acesse http://www.catedralaltapatagonia.com/invierno/tarifas_peatones_2010.php para ver as tarifas. Vc sobe os meios de elevacao exclusivos para pedestres (peatones) e aprecia a vista de catedral, toma um lanche lá em cima etc. O preço dos trineos vc tbem encontra no site do catedral. e Esquibunda...é só alugar a pranchinha que o povo faz por todo lado...rsrsrs

Felipe2young - Os transfers de um aeroporto para outro são por conta propria, inclusive as malas...no periodo de julho, muitas companhias fazem voos diretos para o aeroparque...o que evita os transfers....pesquise nas companhias aereas. Pela pequena diferença de preço....acredito que não compensa perder um dia inteiro e cansativo e ir de ônibus para Bariloche...só se vc achar uma diferença muito maior que compense o cansaço. Veja o topico sobre hospedagem em Bariloche que vc vai achar varias dicas de hostels e hoteis economicos. Seria bom fechar passagens e hospedagem, com pelo menos uns 4 meses de antecedência. E seu orçamento está super bom para ficar 8 dias, mas tudo sempre depende do nível de regalias e dos passeios que vcs pretendem fazer.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Darcia...essa foi a pesquisa que eu fiz de hospedagem em Bariloche:

 

Periko's Hostel- Morales, 555, tel (02944) 522326 (160,00 pesos) doble com baño compartido, con desayno.

Hostel las Moiras - Reconquista, 72, tel (54) 2944-427883 site: http://www.lasmoiras.com (Ar$ 180,00) doble, baño privado, con desayuno.

Condor de los Andes http://www.condordelosandes.com, Neumeyer 34 - San Carlos de Bariloche (Ar$ 200,00), doble

Tango inn downtown Salta, 514, quarto casal Ar$ 320

Hostel inn, Salta, 308 – Ar$ 200,00 (doble)

Casita Suiza – Calle Quaglia 342 – http://www.casitasuiza.com - US$80 o casal

Hostel 41 Below, Juramento 94, SEM VAGAS

Hotel Antártida - SEM VAGAS

Hotel Infantes de Lara mandei email...voltou uma resposta de erro

Hosteria Sur – Calle Beschtedet, 101 http://www.hosteriasur.com.ar – Mandei email – não responderam

The House Hostel, Onelli 158, tel 2944 423 570 Mandei email – não responderam

La Barraca Hostel, Elflein, 419, tel 0054 – 2944 – 422914, Mandei email – não responderam

 

Espero que ajude...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O guia da "Rota dos 7 lagos" disse que no Verão é muito mais bonito e proveitoso o passeio por lá.

 

mas já aviso que é cansativo... 480km - mas mesmo com chuva no inverno foi muito proveitosa todas as paradas e valeu a pena...

e concordo com a isabela, é muito bonito lá... claro que a neve ajuda, ainda mais pra mim, que nunca tinha tido o privilegio de acordar e quando abri a janela tá tudo branco haha

mas não é só isso!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eae galera, lí muitas coisas sobre Buenos Aires e Bariloche, Muito legal as informações de vocês.

Mas estou com algumas dúvidas ainda, Será que vocês poderiam me ajudar, já que embarco no dia 08 de Setembro pra lá.

Vou passar 3 dias em Buenos Aires e depois mais 7 Dias em Bariloche, e tenho umas dúvidas.

Com relação as compras nestes 2 lugares, qual é o melhor lugar pra fazer compras??

E vou levar um fundo de reserva com poucos dólares e pesos, mas para o resto da viagem devo tentar pagar tudo com o Cartão de Crédito e fazer algumas retiradas em moeda local ou levar quase tudo em espécie (dóllar) pra trocar lá??

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu sempre prefiro levar um pouco de cada coisa (Cartão de crédito/VTM ou cartão de débito/dinheiro em espécie), assim não corro o risco de, por exemplo, ter um problema no cartão e arruinar toda viagem. O cambio é bom (pode levar reais mesmo que é valorizado, e vc nao perde fazendo 2 cambios e alguns lugares ofereceram um descontinho se pagasse em espécie...o que ajuda no orçamento). Acabo sempre pagando um pouco com cada um...de acordo com a necessidade, já que o cartão tbém é bem aceito e o cambio tbem é bom.

Para compras, eu preferi Buenos Aires, apesar de compras não ter sido meu foco na viagem...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom pessoal, estive em Bariloche, voltei no dia 21. Como agradecimento por todos os post e dicas daqui do fórum, estou postando um "pequeno" resumo com dicas gerais da minha viagem (se alguem quiser algum detalhe, é só perguntar):

 

Passeios:

 

Circuito Chico: não fiz, porque percebi que iria fazer este percurso praticamente todos os dias, para os outros passeios. Tem um ônibus urbano ( o 20) que parece que faz o mesmo percurso. 57 pesos.

 

Cerro tronador – gostei muito, belíssimas paisagens. Como tem um pedaço que se caminha na neve, sugere-se que estejam com roupa de neve (ou pelo menos bota de neve). Com excursão. Dia inteiro, 160 pesos.

 

Cerro campanário: mirante, muito bonito. Subida de teleférico aberto. Dá para ir e voltar de ônibus (urbano, 20). 40 pesos (acho). Fiz em uma manhã, voltei pro centro e de tarde cerro Otto.

 

Cerro otto: mirante, confeitaria giratória. Uma boa opção se estiver chovendo, pois tem como fazer todo o percurso em local coberto, o teleférico também é fechado. Onibus próprio do cerro Oto, sai do centro. 70 pesos.

 

Isla Victoria com bosque: neste dia o tempo estava muito ruiim, com chuva e prejudicou um pouco o passeio. No geral achei um pouco decepcionante. Acredito que o passeio de barco deve ser muito bonito com dia de sol. Na isla se faz uma caminhada bobinha em grupo que dura uns 40 minutos e depois você pode fazer uma trilha de 10 minutos pra ver a pintura rupestre (que é mínima, por sinal). Depois se vai para o bosque, onde se fica mais ou menos 45 minutos, fazendo uma trilha ao redor do bosque.Acho que o preço total não vale à pena - 210 pesos.

 

Cerro catedral: com certeza, ponto principal de Bariloche. Para mim é uma atração para todos, esportistas ou não. Fiz aula de ski na base (onde não precisa comprar passe). Sugiro que quem quiser tentar, faça uma aula em grupo logo pela manhã, pois no resto do dia você pode ficar com o equipamento na base. Para quem não desistir :P , em um outro dia, sugiro fazer uma aula particular (eu fiz outra em grupo e não foi tão boa). Em relação aos passes: acho que vale à pena comprar o passe diário ski (o mais caro, 185 pesos), porque com esse você pode subir para esquiar, pode usar as “ cordinhas” que te puxam pra cima na base, pode subir em todos os teleféricos, tanto os para visitantes (peatones), como para ski. E pode fazer isso quantas vezes quiser. Fiquei i dia e meio só subindo como visitante nos teleféricos para conhecer e tirar fotos. Em cada parada há um restaurante, vale à pena conferir. E também pode-se fazer o snow tubing (super light, é só deitar na bóia e relaxar) e o trenó (um pouco menos light).

 

Patinação no gelo: em frente ao centro cívico, no cais, sobre a água, tem um bar com uma pista de patinação no gelo. Boa pedida se estiver chovendo. 60 pesos (acho), para 1 hora.

 

dicas gerais:

 

Aluguel de roupas de neve: conforme sugestão do pessoal da lista, aluguei no mandala (quaglia 242 galeria firenze ). Roupas de boa qualidade e limpas. Só as botas que ficam à desejar, mas parece que é padrão de todos os outros. Em outro dia aluguei em outro lugar (mais barato) mas percebi que a higienização não era tão boa).

 

Restaurantes: por indicação, fui comer o fondue na casita suiza, mas achei caro (tive que pedir 2 porções, 57 pesos cada uma) e não tão bom. O problema com os restaurantes lá é o seguinte: praticamente todos te servem o couvert, quer você peça ou não. E a maioria cobra (em média 5 pesos por pessoa). Por exemplo, isso aconteceu no linguini. Já a gorjeta (10%) não vem incluída na conta. Então, a sugestão é: se você achar que não é certo te cobrar por algo que você não pediu (mas comeu :P ), pague o serviço de mesa e não pague os 10%. Sem estresse :P . Comemos também no La marca , onde gostamos muito da comida e do atendimento. Em geral uma refeição apra 2 sem bebida alcóolica ficava de 80-100 pesos. Um lanche ficava uns 30-40 pesos.

 

Hotel: ficamos no San Remo, recomendo, 250 pesos a diária para casal. Atendentes super atenciosos.

 

Dinheiro: levei tudo em pesos, mas vi que não era necessário, pois praticamente todos os lugares aceitam o real, e a conversão não é ruim. Em uma próxima vez, levarei só um pouco de pesos para taxi, pequenos lanches, etc, e o resto pagarei em real ou no cartão.

 

Um abraço, Morena.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

De volta após 8 dias em Brasiloche, vou tentar complementar as boas dicas da Morena, acima.

 

- Circuito Chico: realmente não vale a pena o pacote. Dá pra fazer o Campanário (acho que eram AR$30 a subida) por conta e o resto (punto panoramico e LLao LLao) não acrescentam muito.

 

- Cerro Otto: vale pela vista e pela paisagem ir mudando na confeitaria giratória, mas não deixe pra comer, mesmo, lá: caro e ruim. No máximo, peça um pedaço de bolo, um café e boa.

 

- Piedras Blancas: imperdível o esquibunda, mas não vai achando que é fácil. As pistas vão ficando esburacadas e se não tiver cuidado, pode causar um acidente sério. Procure assuntar por lá qual das 4 pistas a máquina acabou de passar, pois elas tem pouca diferença no grau de dificuldade e uma pista lisinha faz toda a diferença. AR$ 200 com transporte, aluguel de trenó e 6 subidas no teleférico. Passeio de 1/2 dia, com saídas de manhã e à tarde.

 

- Catedral: se você pretende esquiar mesmo, procure fazer aula particular, ou grupos de 2 a 4 amigos. É mais caro, mas rende muito mais que a aula em bando. Já estava no orçamento da viagem 2 aulas e não nos arrependemos. Depois, é só treinar o que ensinaram que já dá pra brincar bem. Procurem ir em dias mais abertos, pois quando está com tempo fechado, fica tudo lotado na base. Em dias abertos, o pessoal que esquia bem vai tudo pro topo, deixando mais aberto pros "pregos". Também valem os dias abertos pra ficar tomando um chocolate ou uma cerveja nos bares da base.

 

- Outros lugares pra comer: Boliche de Alberto e Asador Don Molina. Dá pra pedir uma porção de carne pra um casal normal (se um ou os dois não forem trogloditas) mais uma ou duas guarnições. Com duas gaseosas, você gasta R$ 25 por cabeça pra comer muito bem. Costumávamos almoçar um lanche (choripán, hamburguesa, empanadas,...) e deixar pra jantar bem, vale a pena. A Cerveceria Blest, fora da cidade também é ótima pedida pra comer e beber a excelente cerveja artesanal. Só não é tão barata. Nem cara. Fujam do Pilgrim Pub, a comida é uma porcaria, fiquei o dia todo conversando com ela.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Marcelo Manente
      Em breve iniciarei o relato da aventura que está acontecendo neste momento.
      Estou hoje em Chile Chico, Chile. Seguindo para a Carretera Austral.
      Muitos perrengues, problemas da viatura, mas lugares maravilhosos para compensar tudo isso.
      Vou tentar fazer um relato com os custos de quase tudo que eu lembrar.

    • Por cassizanon
      Fala Galera, finalmente to tomando coragem pra fazer minha primeira viagem sozinho. Sempre fiquei dependendo de ter alguém pra viajar comigo mas datas, orçamentos e disposição nunca bateram, e nunca consegui viajar. ACHO QUE AGORA VAI, tenho um certo receio de estar por conta própria, mas acho que faz parte da experiência.
      Sempre quis viajar pra Argentina e há anos tenho pesquisado e feito vááários roteiros que nunca se concretizaram. 
      Agora, pesquisando preços de passagens, achei valores que achei incrivelmente baixos e antes de reservar, queria confirmar com vocês se meu (pouco) planejamento até agora está nos conformes e se os valores realmente valem a pena.
      Bem, moro em Florinópolis/SC, mas achei as seguinte passagens:
      Porto Alegre para Buenos Aires
      FLYBONDI
      Ida: 14/04 (19:25 - 20:10)
      Volta: 30/04 (17:05 - 18:40)
      Total: R$426,91
      A Flybondi não tem bagagem incluída, porém eles mencionam isto: A piece of hand luggage of up to 6kg is included. If you are flying to or from Brasil, 10kg are included for hand and cabin luggaged combined.
      Então eu teria 10kg para levar na cabine. Vocês acham que é possivel passar 16 dias (no possível frio de Bariloche) com 10kg de bagagem só? Eu teria que pagar 110 reais por trecho pra levar mala de 20kg.
       
      Buenos Aires para Bariloche
      AEROLINEAS ARGENTINAS
       
      Ida: 17/04 (13:00)
      Volta: 29/04 (15:25)
      Total: R$316,43*
      *Aqui que pega, esse voo não inclui nenhuma bagagem, apenas "mochila que caiba embaixo do assento", não achei peso nem nada, porém para poder levar bagagem adicional, que também não sei ao certo o peso, pelo site da Cia, seria cerca de R$50 por trecho, então o total poderia ficar em R$ 416 +-. O que acham?
       
      HOSPEDAGEM:
       
      No Booking.com, encontrei o Hostel HOPA-Home Patagonia Hostel & Bar, a 1,1km do centro (no site deles diz 700m).
      12 dias - R$371 + R$78 de ISS (Quarto compartilhado com 8 camas)
       
      Alguém já se hospedou neste hostel? Parece ser bom e bem completo, porém queria opiniões da galera daqui. O preço está ok também?
       
      O QUE FAZER:
      Bem, aqui eu teria que com tempo reler meus guias, comprar guias novos (o que tenho é de 2013), e meus roteiros antigos, porém tenho uma boa noção do que quero conhecer, até locais mais distantes, como El Bosón, Ventisquero Negro, Rota dos 7 Lagos, etc.
      O problema é que dessa vez meu planejamento vai ser sem carro, e estou 100% desatualizado em como tá a situação lá pra usar Uber, 99, Bla bla car, etc, qualquer tecnologia que facilite transporte. Ou se ainda devo me focar em tours, passeios contratados pra conhecer certos lugares, tipo fazer o circuito chico, grande, rota dos 7 lagos, e idas pra lugares mais longe. E até mesmo transporte dentro da cidade. Vocês poderiam me dar um help nisso? Eu queria muito conhecer alguém lá e fazer esses passeios juntos.
       
      Mas enfim, para conhecer bem Bariloche e região, vocês acham que 11, 12 dias dá com tranquilidade? Não sei que tipo de viajante sou, mas sei que quero apreciar muito o lugar.
      E também, coloquei uns 3 dias para Buenos Aires, acho que vai ser meio corrido, mas como meu foco é Bariloche mesmo, acham que é suave deixar esse tempo pra capital?
       
       
      Eu queria muito incluir Mendoza e o Aconcágua nessa viagem, mas acho que encareceria muito, mas fazia parte do meu roteiro dos sonhos, mas acho que fica pra uma próxima.
      Desculpem o post longo, mas tentei organizar o máximo possível!
      Valeu galera!
       
    • Por Robson Black
      Boa tarde
      Estou pensando em fazer uma viagem a Argentina na maior parte do Roteiro de Bike:
      - Saída dia 21/01/20 Florianópolis x Resistência de ônibus de linha levando a bike e outros equipamentos:
      - Dia 22/01 Resistência x Bariloche de avião ou ônibus 
      -Dia 23/01 7 lagos de bike
      Retorno igual, gostaria de ajuda:
      -  Qual melhor roteiro para este viagem?
      - O que devo levar de roupa para o clima da época?
      - Há perigo neste roteiro?
      - Está valendo apena ir a argentina de bike?
      Deixo meu e-mail e agradeço quem quiser me ajudar:
      [email protected]
    • Por Alan karleno
      Fala Mochileiros..
      Procuro dicas para aperfeiçoar o meu roteiro e a quantidade de dias que se faz interessante para cada local. Planejo o roteiro entrando pela Argentina (buenos Aires), saindo pelo Chile (Santiago), em junho de 2020. Tenho 25 dias disponíveis. 
      Vôo. Teresina & buenos Aires (buenos Aires 3 dias).
      Vôo. Buenos Aires & Bariloche (Bariloche  + Villa la angostura 5 dias). 
      Vôo. Bariloche & Buenos Aires e Buenos Aires Ushuaia. (Dia para viagem). 
      Vôo. Ushuaia & El Calafate (4 dias El Calafate).
      Ônibus. El Calafate & Puerto Natales (5 dias Puerto Natales + Parque torres del paine). 
      Ônibus. Puerto Natales & Puta Arena (2 dias Puta Arena).
      Vôo. Punta arenas & Santiago ( 4 dias Santiago) + VALLE NEVADO ou FARELLONES.
      Vôo. Santiago & Teresina. 
      1 dias para emprevisto.
      Quero aproveitar ao máximo o tempo em viagem.
      Desde já agradeço pela atenção.
      Bora Mochila..
       
       
       
       
       
       
       
    • Por Vinícius Zanata
      Olá!
      Mais um post de dicas rápidas. Como já adotei em outros tópicos, não vou postar fotos pq:
      1.  já existem mtas fotos dos passeios e paisagens de bariloche em blogs e relatos
      2.  as fotos diminuem a sensação de estar indo pela primeira vez a um local especial.
      A ideia é passar dicas práticas que tive com a viagem, e que podem auxiliar os próximos viajantes do destino.
       
      Considerações gerais
      Fui com minha esposa, ficamos por 9 dias na cidade, no mês de agosto (inverno). Sim, é bem um número de diárias bem acima da média para Bariloche. Mas assim como qualquer passeio para a Patagônia, é sempre bom considerar que o tempo na região é bastante ruim no inverno, com grande chance de tempo nublado ou chuvoso e ir com dias contados pode te privar de conhecer a cidade da forma que gostaria.
      Por isso, inclusive, é interessante não marcar ou pagar qualquer passeio ou atividade com antecedência. No nosso caso, fui sem agendar nada e fui fazendo os roteiros de acordo com o clima. Claro que nem assim as coisas saem perfeitas, mas ajuda bastante a aproveitar melhor alguns passeios que ficam bem mais interessantes em dias bonitos.
      Nós fomos para Argentina dois dias antes de o Macri figurar bem mal nas prévias eleitorais do país, o que fez o peso argentino despencar diante do dólar. Isso normalmente seria um bom sinal para nós, que íamos levar dólar, mas não é tão automático assim. Apesar de estar com a moeda bem desvalorizada, o dólar alto tem aumentado a inflação no país, o que acaba compensando o câmbio favorável. Fiquei um pouco ansioso, mas os preços estavam dentro do esperado, ainda não havia tido repasse.
      Por falar em câmbio, sim, é possível viver só com reais por lá. Mas é preciso ficar atento às cotações dos estabelecimentos pra não levar prejuízo. As cotações variam até 30% entre os estabelecimentos! Na chegada ao aeroporto, o remise (táxi com valor fechado por viagem) nos cobrou 550 pesos ou 55 reais para ir até nossa hospedagem no centro. Ou seja, fez a taxa real - peso em 1 pra 10, quando a cotação oficial  do Banco de la Nácion (BNA) estava 1 - 13. Paguei pq não tive como fazer câmbio antes, já que nosso vôo só teve escala em SP. 
      Para quem vai levar dólar e não tem escala em Buenos Aires, o melhor lugar para cambiar em Bariloche é o BNA do centro, mas, como um banco de varejo, está sempre cheio e com filas. Por isso acabei fazendo câmbio na Western Union. A cotação tava praticamente igual ao do BNA. 
      O lugar para ficar é sempre mto subjetivo e do perfil de cada um. O centro é ótimo para quem quer comodidade e transporte fácil. Fiquei num airbnb na Avenida San Martin, que é uma ótima localização, próximo ao centro cívico. Quem quer ficar mais afastado pode procurar os hotéis da Av. Bustillo, geralmente mais modernos e caros. Como nós usamos muito transporte público e remises, era mais vantajoso ficar pelo Centro.
      Dia 1 - Chegada ao apartamento e janta
      No aeroporto existem diversas formas de transporte para chegar ao centro: remise, táxi, van e ônibus público.
      Pegamos um remise, que era mais rápido. Pagamos R$ 55 , como disse, mas vale 550 pesos. Do lado de fora vi a van compartilhada e alguns táxis. O ponto do ônibus não vi, mas ele esta previsto no site da empresa de ônibus da cidade, chamada MiBus. No site da empresa tem as rotas e os horários. Salvei os principais números no evernote e foi bastante útil. É bom ter contato de remises tb.
      Chegamos ao airbnb, deixamos as malas e fomos para almoçar num restaurante próximo chamado Rock Chicken. Lugar simples, com comida barata e quantidade razoável. Também aceitava reais, mas em cotação ruim.
      Dia 2 - Cerro Campanário, Puerto Panuelo e Chao Chao
      No outro dia pela manhã fez um belo dia de sol, e então aproveitamos para fazer os passeios de vista aberta. Pela previsão do tempo, os demais dias seriam nublados, então era a oportunidade de fazer esse passeio. Passamos antes no centro de informações turísticas para pegar mapas e informações e fomos fazer uma parte do passeio conhecido como Circuito Chico. 
      Existem muitas formas de fazer o circuito chico, que é o passeio mais tradicional de Bariloche. É um passeio de diversas paradas, e a maioria das pessoas faz com agência. Eu particularmente tenho problemas em fazer aquele turismo meio gado, com o guia ditando o tempo das paradas e todo mundo entrando e descendo da van ao mesmo tempo. Por outro lado, sem carro alugado não é muito fácil fazer o circuito, pois as paradas ficam distantes e o transporte público não cobre todo o circuito. Então eu resolvi fazer o que dava pra fazer de ônibus e o que não dava fazer com remise. A parte mais tranquila de fazer é Cerro Campanário, Puerto Panuelo e Chao Chao, pois a linha 20 passa bastante (contei menos de 20 min) e passa exatamente por esses trechos. A maioria das linhas passam pelo Centro, na Avenida Perito Moreno, em frente ao antigo supermercado Uno.
      Paramos primeiro no Cerro Campanário, que é um ponto lindo de fotos. Subimos por teleférico (para os mais aventureiros, há uma trilha à esquerda da entrada que leva até o topo), que custava 400 pesos por adulto. Lá de cima é bem bonito e precisa ser visto em dia de céu limpo para ficar mais legal. Uma das coisas que vc descobre em pouco tempo é que aquele cenário da cidade e as árvores todas cobertas de branco da neve é bem raro. A maior parte da neve só ocorre no topo das montanhas mesmo. A neve em pó para chegar na cidade, só com uma grande nevasca, coisa que acontece poucos dias do inverno. Mas mesmo assim a paisagem é deslumbrante.
      Voltamos ao ponto de ônibus e continuamos o passeio rumo ao puerto panuelo. Chegamos lá juntos com centenas de estudantes e descobrimos um mistério que já tinha nos chamado a atenção: a quantidade de estudantes com casacos iguais carregando sacolas plásticas pelo centro da cidade. Trata-se do turismo para egressados, como eles chamam. Bariloche é o destino de formandos secundaristas da classe média argentina. Existem algumas empresas que levam, todos os anos, milhares de estudantes para lá. Eu achava que só rolava em julho, mas eles estavam aos montes mesmo em agosto. Estavam indo fazer um passeio de barco.
      Passamos na lanchonete do porto e almoçamos por lá mesmo. Depois fomos visitar o hotel Chao Chao. É necessário subir uma ladeirinha pra chegar lá. Achei que era mais tranquilo adentrar o local, mas os funcionários não permitem transitar por mtos lugares, nem tirar foto. Antes do hotel, ainda na estrada, tem uma capela histórica, mas acabei não indo lá. De lá tentei um remise para fazer a volta, mas tive problemas para conseguir ligar para um e acabamos voltando para o centro de ônibus mesmo.
      Nesse dia fizemos algumas compras no La anónima (supermercado) e comemos em casa mesmo.
      Dia 3 - Centro cívico, museus e catedral Nuestra Señora Nahuel Huapi.
      Dia bem frio e nublado. Aproveitamos para fazer passeios mais tranquilos. Acordamos um pouco tarde, fomos fazer um passeio no centro cívico e no museu da patagônia. Ele é bem simplesinho, mas com bastante documento histórico da cidade e uma sala com animais da fauna e descrição da flora regional. Vale a pena para quem gosta de história. Depois passeamos pela orla, fomos andando até a catedral nuestra señora e a plaza catedral. Por ali almoçamos antes de ir ao museu paleontólogo, que abria a partir das 15h. Ninguém dá nada por ele, pois é bem pequeno e escondido, mas tem uma ossada completa de um ictiosauro. Visita feita, voltamos e passamos na confentaria da chocolateria Mamuschka. Os doces lá são incríveis. Provamos vários doces, um a cada dia, até o fim da viagem rs.
       
      Continua...Se tiverem dúvidas que possa esclarecer, podem deixar a pergunta.
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       


×
×
  • Criar Novo...