Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

  • 0
Lucas s.s

Airbnb

Pergunta

Posts Recomendados

  • 0

@schitini Eu sempre priorizo ficar em pousadas e acomodacoes familiares, além de serem mais baratas vc tem um contato mais próximo do anfitrião. 

A uns 10 anos atrás descobri meio por acaso (é que cheguei tarde e os hotéis e pousada ou estavam lotadas ou caras) , na patagônia argentina em Puerto San Julian aluguel de casa dos moradores que viajavam fugindo do frio. Deixavam suas casas com pessoas para alugar toda a casa. Até o hotéis tinha parceria com eles, era ou ainda é um sistema bem bacana. Quantos os hotéis lotavam eles davam o telefone das pessoas que alugavam.....

No meu caso, não alugo pq estou alimentando um sistema injusto, tá certo que tem casos que favorecem outros nem tanto.

No caso que citei, consegui um hotel bem melhor do que a senhora que alugava pelo airbnb e ainda ficava no centro da cidade.

A senha é sempre negociar em pousadas e hotéis,  eles sempre negociam (aqui no Brasil), nunca paguei mais do que anunciado pelo Booking, airbnb. ... sempre pago de 5 a 10% menos...mas tem que chorar mesmo.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • 0

Recentemente aluguei um quarto no Airbnb, fui pelos comentários e tal, que era tudo limpo, etc...Cheguei lá não foi nada do que havia visto nos comentários. Quarto com aspecto de velho, bagunça por toda casa, por ai vai...

Já andei vendo um pessoal reclamando, não sei se o Airbnb filtra as avaliações ruins com o intuito de atrair mais hóspedes. 

Mas este foi um caso isolado, já aluguei diversas vezes e foi tudo como descrito e avaliado por outros viajantes.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Um exemplo bem recente dos problemas que o turismo de massa causa é o caso de Palma de Maiorca, antes um destino bem exclusivo, ai o destino começou a se popularizar e foi inundado por voos low-cost super baratos provenientes de todo canto, e os imóveis da cidade começaram a ser comprados por investidores imobiliários para alugar via airbnb.

No começo isto atraiu um público bem heterogêneo, de todas as classes sociais e renda, que agora tinham condições de visitar a ilha. Mas como os preços continuaram a cair, começou a atrair um público que só causa problema, que é o publico que viaja para encher a cara, e não fazer turismo.

Chegou ao ponto onde é mais barato pegar um voo daqui da Alemanha para Palma, do que pagar um táxi de um barzinho no centro até a sua casa, ai o pessoal junta um grupinho de 5 ou 6 pessoas, compra as passagens de 15 euros, aluga uma casa ou apartamento barato no airbnb e vai pra Palma tomar todas, com bebida comprado supermercado...

E como agora durante o verão praticamente só tem turista bêbado em Maiorca, isto espantou os demais turistas, e apesar de a ilha estar lotada de gente, a economia local esta em crise, por que a grande maioria destes turistas de final de semana gasta muito pouco na cidade.

E isto está começando a revoltar os moradores locais, que viveram a sua vida toda lá, e que agora estão sendo praticamente expulsos do seu bairro para que os imoveis sejam locados a turistas, vendo as ruas e praça da esquina virar um bar ao ar livre cheio de turista bêbado praticamente 7 dias da semana, vendo as ruas todas sujas, por que simplesmente não se consegue mais limpar por que tem gente demais, etc...

Isto vai deixando os moradores descontentes, e aos poucos eles vão abandonando o bairro ou cidade, e a cidade acaba virando um grande "parque de diversões", onde ninguém mora lá, todo mundo morra longe e só vai lá trabalhar.

A parcela de culpa do airbnb nesta história toda, é que ele tornou muito fácil para o grande investidor imobiliário(com 20 ou 30 imóveis, os tais "super" host) alugar os seus imóveis praticamente sem envolver ninguém, não geram emprego nas imobiliárias, não recolhem tributos municipais, e como a maioria dos hospedes também gasta quase nada na cidade, não gera empregos e nem renda na cidade.

E o resultado disto é cidades super-cheias de turistas, mas em crise financeira, sem condições de bancar a infraestrutura que este povo todo demanda.

Mas também não dá para colocar a culpa toda no Airbnb, na verdade os grandes "culpados" nesta história toda somos nós turistas, que na maioria das vezes não fazemos um turismo sustentável, a maioria de nós só pensa nas vantagens pessoas, quer fazer tudo pagando o menor preço possível, sem se importar o quanto que isto é insustentável e prejudicial as comunidades locais.

Ai como o Airbnb facilita muito o seu uso de forma não muito ética pelos grande proprietários de imóveis, ele acaba virando o alvo das críticas.

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

@poiuy Perfeito, vc descreveu o problema de maneira objetiva. Eu trabalho com planejamento urbano, entendo o que está expondo e super concordo.

Há de se encontrar formas de limitar/regular tudo isso, mas como eu quis dizer no meu post, não é generalizando o usuário que a gente chega à solução do problema.

O Airbnb tem investido bastante no lance da "experiência" com locais para tentar maquiar todas estas questões negativas, mas de nada resolve ao meu ver. A plataforma teria que voltar ao que era quando começou para funcionar de acordo com o que defendemos aqui, mas quem tem interesse nisso?

Deviam limitar quantidade de imóveis por locatário? Taxar com impostos de turismo? Pergunto, quem tem interesse nisso?

É cruel... mas enquanto criticamos o turismo de massa e predatório, que sempre, em todos os meus relatos, apontei com desgosto, quem tem poder nas mãos faz o contrário. Cria mais e mais facilidades sem contrapartida, aí vira essa meleca!

Por isso reitero, não considero um crime viajar com o Airbnb, mas tenho meus critérios. Em 3 semanas vou pra uma viagem inteira airbnb. Todos quartos na casa de idosos superhosts, que moram no local e só alugam este quarto... querem ter uma renda extra e eventual companhia. Eu quero conversar com gente do lugar e ter um teto pra dormir! Que mal tem isso?

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
1 hora atrás, poiuy disse:

A parcela de culpa do airbnb nesta história toda, é que ele tornou muito fácil para o grande investidor imobiliário(com 20 ou 30 imóveis, os tais "super" host

Só um esclarecimento adicional: superhosts são os hosts com avaliações acima de 4.5 estrelas (de 5), ou seja, são aqueles que interagem com o viajante, resolvem eventuais problemas e etc. Não são os que tem kilos de imóveis, na verdade geralmente ocorre o contrário. Os investidores imobiliários geralmente botam um funcionário só pra te dar a chave e olhe lá, enquanto os superhosts estão lá perto de vc, pq só tem uma casa ou quarto pra alugar.

  • Gostei! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Eu sempre negócio hospedagem,  tanto pra cima como para baixo.

Quando fazia a estrada real à pé, num trecho de 70 kms só tinha cidadão que oferecia hospedagem,  só que era bem simples e ele não cuidava do lugar(eu entendia a situação,  o cara trabalhava o dia inteiro tirando leite antes da 5 da manhã,  depois ia roçar lavoura o dia inteiro, hegava em casa e ia arrumar o rango, ele não tinha tempo para cuidar da casa, pois era sozinho). Cheguei lá e fiquei,  quando fui acertar a conta no outro dia , ele is cobrar  $40 por pessoas  (ele ainda fez galinha caipira para nós), claro que não paguei isso, mas muito mais. Orientei ele cobrar um valor que compensasse um dia de trabalho dele (quando se tem hospede ele tinha que parar tudo para atender).

Ele fez isso (cobrou o preço que sugeri), aí num belo dia um cidadão entrou aqui metendo o pau na casa dele e no preço que ele estava praticando). As pessoas não têm empatia com  o outro.

 

Mesmo caso aconteceu no caminho da fé  (algumas pessoas abrem suas casas para os pergrinos e cobravam bem barato), fui lá e sugeri aumentarem um pouco......

Não sou contra turista,  muito pelo contrário, a questão que vejo é os aproveitadores,  e a falta de educação de muitos turistas em suas viagens.

E eu aqui achando que a educação na.zoropa era outro nível!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

@poiuy "Um exemplo bem recente dos problemas que o turismo de massa causa é o caso de Palma de Maiorca, antes um destino bem exclusivo, ai o destino começou a se popularizar e foi inundado por voos low-cost super baratos provenientes de todo canto, e os imóveis da cidade começaram a ser comprados por investidores imobiliários para alugar via airbnb."

Então acabaram com a exclusividade de alguns felizardos em curtir lugares únicos. Pelo menos esses aplicativos democratizaram o turismo. 

 

Agora quem quer exclusividade terá essa nova onda (até o airbnb chegar):

https://www.google.com/amp/s/www.revistaplaneta.com.br/amp/virgin-galactic-leva-passageiros-ao-espaco-pela-primeira-vez

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0
Em 15/06/2019 em 11:08, poiuy disse:

A parte mais chata do Airbnb e similares é que muitas vezes o horário de check-in e check-out é bem restrito, o que pode complicar um monte a sua vida no dia da chegada ou da partida, então confira direitinho esta parte.

Pessoalmente eu não uso Airbnb e similares para reservar hospedagem em grandes cidades, eu acho o modelo de negócio deles eticamente questionável e muito prejudicial a população de baixa renda da cidade, aqui onde eu resido na Alemanha, praticamente todos os moradores estão sendo afetados negativamente pelos efeitos negativos do Airbnb.

Mas como cada um faz o que sua consciência permitir, faça o que achar melhor, eu só pediria para você dar uma lida na reportagem abaixo e desse uma refletida sobre o assunto:

https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/mag/21251332.html

Olá, Piouy  Por que diz que esse tipo de negócio afeta população de baixa renda  ? 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 0

Oi pessoal. Alimentando este tópico com mais um caso complexo de Airbnb e seus impactos.

A treta em Lisboa consegui acompanhar mais de perto... estive lá em 2015 e fiquei num apartamento Airbnb em um bairro super residencial, sem turista em demasia (embora Portugal há anos esteja atraindo multidões). Este apto comportava confortavelmente 4 pessoas e era barato. O anfitrião era brasileiro, mas dizia que morava metade do ano lá e metade aqui, por isso alugava...

Pois bem, recomendei o apto no meu relato. Custava 100 reais por noite quando fui.

Um ano depois, cliquei por nostalgia no link do apto e ele estava a 400 reais, dizendo que podia ficar até 8 pessoas, o que era um horror, não cabia. Além disso o anfitrião já estava com vários outros locais de aluguel na plataforma, ou seja, já tinha começado o caos. Vejam abaixo!

https://www.publico.pt/2019/06/25/local/noticia/airbnb-historia-ideia-caseira-mudou-lisboa-1877492

 

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder esta pergunta...

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...