Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Pessoal,

Vou fazer um relato detalhado do Mochilão que fiz no comecinho deste ano, mas que lembrei só agora de postar aqui neste site.

O legal de tudo isso é que registrei em videos, então estará bem fácil entender o passo a passo da viagem.

Foram no total 32 dias de viagem e gastei R$ 13.560,00 para 2 pessoas, incluindo TUDO (hospedagem, comida, passagem aérea, passagem de ônibus, seguro viagem, passeios, transporte, taxi, mercado, museu, gorjeta, entrada de parques, etc)!!! Considerando que a cotação do dólar na época beiravam os R$ 3,85 posso dizer que em moeda americana saiu por US$ 3.522,00.

Ressalto que se dividir o valor por pessoa, acabou saindo então por R$ 6.780,00 ou US$ 1.761,00 por pessoa aproximadamente. 

Então, acredito que saiu bem barato e aproveitei muito a viagem.

Todos os episódios estão registrados no meu canal do Youtube, mas postarei um pouco mais detalhado aqui, já que o conteúdo é escrito.

Mas quem tiver curiosidades, poderá assistir por lá.

 

Canal Voando Alto

 

Abs!

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá,

O planejamento da viagem se iniciou antes do Natal do ano de 2018, a minha intenção era viajar em meados de Janeiro de 2019.

Na verdade queria viajar por 5 países e não 4 como realmente aconteceu. Não pude conhecer a Bolívia, por problemas de visto, já que a pessoa que estava acompanhando a viagem não tinha.

A obtenção de visto no consulado da Bolívia em São Paulo era bem burocrático, uma vez que pediam um monte de documentos, como comprovação de renda, vacinas da febre amarela, reserva de hotel, passagens, etc.

Expliquei ao oficial (consulado da Bolivia) que como a intenção era viajar de mochilão, não teria uma data específica e não tinha como mostrar as passagens de ida e volta (ônibus), já que não tinha como comprá-los pela internet. No fim das contas, optei por remover esse país da lista e isso acabou me prejudicando logo depois, com o qual relatarei futuramente.

É triste que um país que coloque em mente a "reciprocidade"  de vistos, acaba perdendo com turismo local. 

Nesse meio tempo a minha estratégia inicial era de ir de avião de São Paulo (SP) até Porto Alegre (RS) de avião. De lá pegar um ônibus de Porto Alegre (RS) e ir até Punta del Este no Uruguai.

Na época a passagem aérea saindo de São Paulo (GRU) até Montevidéo (MVD) no Uruguai estava saindo por pessoa acima de R$ 850,00 considerando um planejamento realizado uns 20 a 30 dias antes da viagem. Como optei por fazer um trecho de avião e outro de ônibus, até que tive uma economia.

O trajeto de avião de São Paulo (GRU) à Porto Alegre (POA) pela LATAM saiu por R$ 190,84 por pessoa, incluso as taxas do aeroporto.

E o trajeto de ônibus de Porto Alegre até Punta del Este, pela empresa EGA, que é uruguaia (os atendentes falaram em espanhol), saiu por R$ 320,94 por pessoa num semi-leito. Acho que talvez tenha pago um pouco acima da média porque acabei comprando pela internet (usei a empresa Guiche Virtual).

O seguro de viagem adquiri pelo site do "Seguros Promo" que teve um ótimo custo benefício, pela seguradora Assist Trip, ou seja, garantido pela Zurich. O valor total do seguro foi de R$ 479,95.

Se considerar por pessoa seria R$ 239,98 para os 32 dias de viagem, o que era bem razoável. A cobertura era de US$ 40.000,00 mas graças a Deus não precisei utilizá-lo.

Então foram reservados a passagem de avião GRU (São Paulo)->POA (Porto Alegre), passagem de ônibus de Porto Alegre até Punta del Este e reserva de hostel no Uruguai.

No caso de celular, recomendo pelo menos um modelo intermediário para cima, que tenha uma boa memória interna, para poder rodar sem problemas os principais aplicativos, mapas, tirar fotos ou videos (o que é muito importante numa viagem). Recomendo levar também um carregador portátil de celular, aquelas baterias externas ou Power Bank que tenha no mínimo 10.000 mAh, será de grande ajuda numa emergência, pois o celular ajuda e MUITO numa viagem.

Como ainda sou das antigas e não tenho muita paciência com celular, levei um notebook que me ajudou bastante a organizar as finanças, reservar passagens, hotel, tranferir fotos e por aí vai. Sei que é um peso extra e realmente me cansou um pouco durante a viagem, mas no meu caso compensou bastante.  Era um modelo antigo que usei por mais de 7 anos e estava um pouco pesado para mim. 

Se Deus quiser, em breve pretendo comprar um "Surface" da Microsoft, que é bem compacto, leve e pequeno. Perfeito para viajar.

A respeito de valor em espécie, recomendo e MUITO levar em dólares americanos, pois em reais você vai perder muito na conversão. Além do mais, as aceitação é muito baixo. Tinha levado uns US$ 2.500,00 em espécie (tinha trocado faz alguns anos atrás), além do cartão de crédito internacional (fundamental ter um cartão de crédito internacional), com um limite até que razoável (conversei muito com o meu gerente para aumentar o valor rs...).

Evitava de usar o cartão de crédito, pois teria a incidência do maldito IOF, além do mais, tinha o risco do dólar variar nesse período.

Sobre a bagagem recomendo levar uma mochila de mão, que não exceda 15 kg e uma mala que não passe de 23 kg. Estou falando disso agora, porque a grande maioria das companhias aéreas na América do Sul são "low fare" ou "low cost", excedendo na bagagem talvez terá que pagar um valor adicional que encarecerá a sua viagem.

Em relação aos sites de pesquisa de passagem aérea, reserva de hotel, mapas, aplicativos, ônibus, etc. Recomendo conforme abaixo:

* Passagem aérea:

- Skyscanner: um site que pesquisa o preço de todas as passagens aéreas, inclusive a de milhas aéreas (Ex: 123 Milhas ou Max Milhas). Eles possuem aplicativos no celular.

https://www.skyscanner.com.br/

* Hospedagem

- Booking: todas as minhas reservar de hotel ou hostel foram realizadas por este site, recomendo e muito. O legal é que existe um programa de fidelidade chamada Genius, que te dá alguns serviços extras de cortesia, "late check-out", alguns com café da manhça, bebida de boas vindas ou desconto nas diárias. Existe aplicativo em celular.

https://www.booking.com/

- Hostel World: não cheguei a utilizar mas sempre ouvi muitas recomendações deste site ou o aplicativo. Eles tinha um bom preço de hospedagens.

https://www.hostelworld.com/

* Mapas

- Maps.Me: é um aplicativo de mapas disponível "offline", quando não se tem conexão com a internet. Foi um grande quebra galho para não ficar perdido durante a viagem. É de lei você ter um aplicativo de mapa instalado em seu celular, baixe previamente antes de viajar.

https://br.maps.me/

- Google Maps: ele já estará instalado em seu celular se for Android, mas existe a opção de baixar o mapa da cidade para funcionar "offline". Faça isso antecipadamente. Na verdade utilizei mais do Google Maps nas minhas consultas, o Maps.Me seria apenas um backup caso o app da Google falhasse.

* Transporte público

- Moovit: é um aplicativo e que também funciona pelo site, em que te auxilia a utilizar do transporte público da grande maioria das cidades. Possui as alternativas de ônibus, metrô, etc.

https://moovitapp.com/

* Cotação de Moedas

- XE Currency: é um site, mas usei muito do aplicativo deles. Se tiver conexão com a internet, ele atualiza a cotação de minuto em minuto. Já selecione antecipadamente as moedas dos respectivos países que for visitar. Ajudou muito durante as compras do mercado ou no dia a dia, para ver se estava pagando caro ou não.

https://www.xe.com/pt/currencyconverter/

* Tradutor ou dicionário

- Google Translate: caso tenha algum problema com o idioma, já baixe o pacote "offline" da língua em questão. Não precisei muito usar ele, já que ao menos podia me comunicar em espanhol, mas existiam algumas palavras específicas com o qual o tradutor ajudou bastante.

* Seguro de Viagem

- Seguros Promo: sempre ouvia bons feedbacks da seguradora "Vital Card", mas ultimamente eles tem aumentado muito os preços. Recomendo a "Seguros Promo" pois eles efetuam a pesquisa de todas as empresas e lista a com melhor custo x benefício. Sempre tive um ótimo atendimento com eles, além de economizar muito com o seguro. Graças a Deus não foi necessário acionar o seguro durante as viagens, já que tudo ocorreu bem.

https://www.segurospromo.com.br/

 

Não esqueça de levar consigo no tablet ou celular, músicas, filmes ou séries favoritas para assistir dentro do ônibus ou avião. E é lógico, o fone de ouvido também. Será bem agradável a sua viagem!

Abaixo informação dos períodos e a data da viagem.

- Período da Viagem: 32 dias

- Início: 15/01/2019

- Término: 16/02/2019

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

15/01/2019 - No primeiro dia da viagem, decolamos do Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo rumo a Porto Alegre.

O video da decolagem no Aeroporto Internacional de Guarulhos está no link abaixo:

Video - Decolagem Aeroporto Internacional de Guarulhos

Fiz uma pequena avaliação dos serviços da companhia aérea LATAM dentro do Airbus A321:

Video - Serviços da LATAM

E o pouso realizado em no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre:

Video - Pouso Aeroporto Internacional Salgado Filho

Do Aeroporto fui para o Terminal Rodoviário. Escolhi a empresa EGA para ir de Porto Alegre até Punta del Este.

Acredito que sai mais barato comprar diretamente no próprio terminal de ônibus, sem nenhum intermediário. Mas preferi comprar neste caso pela internet, pois queria garantia de chegar bem no horário da minha viagem de ônibus (partia por volta das 22:00) e não ter que gastar com hospedagem em Porto Alegre. Abaixo video da viagem de ônibus:

Video - Ônibus EGA

16/01/2019 - Chegada em Punta del Este e me dirigi diretamente ao hostel, vejam o local:

Video - Hostel Punta del Este

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

16/01/2019 a 18/01/2019 - Punta del Este. Começamos a perceber que é tudo CARO e Punta del Este, seria o local mais caro de todo o país. Restaurantes? Esqueça!

O hostel era caro e não ofereciam nem mesmo café da manhã, fiquei na "Soul Hostel" por 2 noites. Reservei um quarto privativo que tinha uma pequena vista para o mar. Paguei a diária de R$ 173,00. Se for considerar o valor por pessoa saiu por R$ 86,50 o que é MUITO CARO! Não vou nem indicar o local para vocês não passarem raiva.

A primeira coisa que você tem que fazer quando chegar num país estrangeiro é realizar o câmbio de moedas e o segundo é achar onde tem o supermercado ou mercadinho da região, pois isso vai te fazer economizar e muito na viagem.

O câmbio de moedas recomendo utilizar aquele que fica no próprio terminal de ônibus, eles tinha uma boa cotação e era bem confiável. Se não me engano se chama "Cambio Nelson":

* Cambio Nelson

Av Gorlero & Juan Diaz de Solis, Punta del Este, Departamento de Maldonado, Uruguai

Quase todas as refeições ou lanches foram comprados do mercado. O bom do hostel é que eles tinham cozinha, o ruim é que na hora das refeições (próximo do meio dia e das 6 da tarde) costuma a fazer fila, pois todo mundo queria cozinhar. Mas com pouquinho de paciência, todo mundo consegue comer.

Posso dizer que cheguei a pesquisar alguns restaurantes para comer, mas os preços meio que espantava a minha apetite. Acabei cedendo ao Fast Food, que encontrei no centro da cidade Mc Donalds e Burger King, escolhi a BKing pois acho os lanches de lá mais saborosos. O combo de lanches para 2 pessoas saiu em torno de 592 pesos, que convertidos na época dariam R$ 68,00. Ou seja, por pessoa em um fast food gastamos R$ 34,00. 

O restante dos dias nos viramos com miojo, pão e frios que compramos no mercadinho e a famosa empanada.

Se quiser comer lanches a um preço meio que justo, próximo ao Terminal Rodoviário de Punta del Este, na rua La Angostura (quase em frente a Casa de Câmbio Nelson), possui uma cantina que vende lanches e prato feito a preços convidativos. Fui diversas vezes lá, para comprar lanches e empanadas, fiquei tentado a conhecer os PF (prato feito), mas não deu tempo. Recomendo o local.

Abaixo os pontos turísticos que conhecemos em Punta del Este:

Video - Punta del Este

Se chegou em Punta del Este, é meio que de lei conhecer a Casa Pueblo que fica um pouco afastado da cidade, terá que ir de ônibus. Este local fica em Punta Balena, evite agências de turismo ou taxi, pois vão te meter a faca, bem como não conseguirá conhecer bem o local.

O ônibus para Casa Pueblo paguei 158 pesos (2 pessoas), em R$ 18,00 se for considerar por pessoa saía então R$ 9,00.

A entrada ao museu é bem caro, aceitavam dólares americanos que saía US$ 10,00. Em R$ 38,50 por pessoa. Após visita ao museu, recomendo caminhar um pouco e conhecer Punta Balena que é bem bonito, aproveite para visitar a pequena feirinha que fica no local.

Segue o passo a passo de como ir à Casa Pueblo de ônibus, está bem detalhado:

Video - Como ir à Casa Pueblo de ônibus?

As passagem de Punta del Este até Montevideo foram comprados por 638 pesos para 2 pessoas, que convertidos davam R$ 73,00. Por pessoa saía R$ 36,50.

Por fim, o que eu faria de diferente se algum dia tivesse que voltar nesse país (não volto mais porque é muito caro), talvez eu iria primeiro para Montevidéo, de lá contrataria um pacote turístico que seja bate-volta e visitasse os principais pontos turísticos de Punta del Este, incluído a Casa Pueblo. Assim, creio que vocês iriam economizar muito mais, já que é uma cidade CARA.

Obs: Não vi nada demais naquele hotel Enjoy Punta del Este (antigo Conrad Punta del Este), apenas passei lá para ver o cassino e tirar fotos.

O próximo relato será de Montevideo.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

18/01/2019 a 20/01/2019 - Montevideo. Após chegar na cidade, fomos direto para a nossa hospedagem que tinha reservado pelo site do Booking.

Foi a Students Hostel que recomendo muito, pois tinha um ótimo custo x benefício e o melhor de tudo isso, eles falavam Português. Tive um bom atendimento e no preço estava incluso café da manhã.

Os quartos possuíam ar condicionado e guarda volume. A única coisa ruim é que na hora das refeições a cozinha ficava lotada e dificilmente encontrava um lugar para sentar.

Segue a avaliação abaixo com as imagens do local:

Video - Students Hostel

Em relação aos preços do hostel, escolhi um quarto compartilhado para 2 noites que acabou saíndo por R$ 155,00 aproximadamente para 2 camas. Assim por pessoa sairia R$ 77,50 concluindo a diária estava por R$ 38,75 por pessoa, o que é um preço bem razoável. Abaixo o site da hospedagem:

http://www.studentshostel.com.uy/

https://www.booking.com/hotel/uy/students-hostel-montevideo.pt-br.html

Aproveitei para conhecer a cidade através dos "Walking Tour" que é passeios guiados a pé, em que se paga por gorjeta aos guias. Recomendo muito a Curioso Free Tour.

 

- Curioso Free Tour 

Ponto de Encontro: Puerta de la Ciudadela (Plaza Independencia)
Horário: 10:30 - 15:30 de Segunda a Sexta / 11:00 aos Sábados
Duração: 2 horas e 30 minutos
Identificação: Camiseta e guarda-chuva azul

http://www.curiosofreetour.com.uy/

 

Os detalhes e os pontos turístico que visitei em Montevideo estão no link abaixo:

Video - Montevideo

Após conhecer a capital do país, estive pensando em talvez passar 1 ou 2 dias em Colonia del Sacramento, mas devido ao alto custo de vida, desisti dessa idéia e prossegui direto para Argentina.

Pensei que talvez indo de ônibus seria mais barato, partindo de Montevideo e chegando em Buenos Aires, mas o engraçado é que indo de Balsa, o valor ficava semelhante. Fora a economia de tempo e conforto proporcionado. Então decidimos ir mesmo de Balsa, pela empresa Seacat, num pacote bimodal, em que 1 dos trechos iríamos de ônibus de Montevideo até Colonia de Sacramento, de lá atravessaríamos de balsa até Buenos Aires.

Os detalhes da viagem estão no link abaixo:

Video - Balsa Seacat Uruguai até Argentina

E a página da empresa para cotar os valores e disponibilidade:

https://www.seacatcolonia.com/Portal/SeacatARG/home

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

20/01/2019 a 24/01/2019 - Buenos Aires. Após a chegada na cidade, não tinha conseguido realizar o câmbio de moedas e no terminal de balsas, não havia essa possibilidade.

Sei que tinha dentro da balsa a opção de trocar a moeda, mas como a cotação não era tão favorável preferi realizar no próprio país mesmo. Para ir do terminal até a hospedagem acabei indo de Uber, mas tive um sufoco porque não tinha plano de dados ou internet. Dependia do Wi-fi do próprio terminal e o carro não entrava de jeito nenhum no terminal.

Tive que ficar entrando e saindo várias vezes para me atualizar do Uber e ter acesso à internet. Mas graças a Deus deu tudo certo e chegamos enfim ao hotel. 

Pois é, pelos preços praticados consegui ficar num hotel em Buenos Aires chamado "N'ontue Abasto", era uma pequena diferença comparado a um hostel. Assim tive um pouco mais de privacidade, segurança em relação às malas ou objetos. E o café da manhã era bem melhor, já que tinha uma opção maior de alimentos (vide bolos, bebidas, cereal, frutas, etc).

MAS a desvantagem é que não se podia cozinhar, não tinha chaleira elétrica, tampouco geladeira. O ar condicionado do quarto não estava funcionando e tive que depender do ventilador.

Pois é, apesar de ser um hotel, era num edifício bem antigo que precisava de grandes reformas. Ao menos o atendimento na recepção era muito bem feito. Para 4 noite paguei em torno de 3.190 pesos, que em R$ 319,00 num quarto duplo. Ou seja, a diária estava saindo por R$ 80,00 aproximadamente.

O melhor de tudo isso foi a localização, que ficava bem em frente à estação do metrô Carlos Gardel. E bem ao lado tinha um Shopping Center, o Abasto Shopping. Tinha um hipermercado a 1 quarterão chamado COTO. Mas pelas proximidades tinham vários mercadinho chines.

Sobre o hotel, apesar de ter tido um bom atendimento, a construção era bem antiga, um dos elevadores estava quebrado, pelo visto eles precisavam de reformas. Posso dizer que foi razoável, mas não indicaria para vocês, pois acredito que existem outras boas opções.

O bom do país é que os preços estavam de 10 a 15% mais baratos que o Brasil, então realmente foi bem positivo. Outro detalhe é que o câmbio de moedas é controlado pelo governo, então não existe variação, é igual em todo o lugar. A não ser que você vá para o mercado negro, mas terá o risco de receber dinheiro falsificado, o que não recomendo nunca.

Queria ao menos visitar um show de Tango, mas estava bem inflacionado que acabei desistindo da idéia. O transporte público do país é muito barato, já que subsidiado pelo governo, é necessário adquirir o cartão Sube, que é meio que um "Bilhete Único" da cidade.

Todos os pontos turísticos visitados na cidades estão no link abaixo:

Video - Buenos Aires

Caso queira informações de como utilizar do metrô da cidade, além de dicas de aplicativos, veja abaixo:

Video - Metro de Buenos Aires

Para quem curte museu, embarcação ou navios militares, recomendo o passeio abaixo o Museo Buque que é bem barato:

Video - Museo Buque (Fragata Presidente Sarmiento)

Se quiser conhecer o El Caminito, infelizmente ele não está coberto pelo metrô, então terá que utilizar de um Uber ou Taxi. Recomendo mais o Uber.

Video - El Caminito

O próximo destino era a cidade de Mendoza. Estava entre ir de ônibus ou avião, mas vi que os preços estavam bem próximo, se optar por uma companhia aérea de baixo custo (low fare). Deve considerar que de avião é bem mais rápido, mas há uma pequena restrição de peso ou de bagagem.

Escolhi a empresa Andes Lineas Aéreas, eles possuíam um preço bem competitivo, mas quase tudo era cobrado, como bagagem a ser despachada, inclusive cobravam pelo check-in realizado no balcão (forçava você a realizar pela internet) e a frota era um pouco antiga, pois utilizavam de aeronaves MD-83

Paguei em torno de 4.913 pesos saindo de AEP (Buenos Aires) -> MDZ (Mendoza), que davam em torno de R$ 491,27 por pessoa saía por R$ 246,00 o que achei um valor razoável.

A decolagem do Aeroporto Jorge Newberry em Buenos Aires estão neste video:

Video - Decolagem Aeroparque Jorge Newberry

Avaliação da companhia aérea Andes Lineas Aereas no MD-83:

Video - Voando Andes Lines Aéreas MD-83

E o pouso em Mendoza no Aeroporto Internacional Gobernador Francisco Gabrielli:

Video - Pouso em Mendoza

Aguarde o próximo relato que farei em Mendoza.

Abs!

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

24/01/2019 a 26/01/2019 - Mendoza. Na verdade eu vim mais aqui nesta cidade, pois a minha intenção inicial era atravessar a Cordilheira dos Andes via ônibus, durante o trajeto até Santiago.

Sempre ouvi falar da famosa estrada Los Caracoles (Caracol) e posso dizer que realmente a vista foi fantástica. Voltando sobre a cidade, para quem já visitou a cidade de Gramado e suas vinícolas do Rio Grande do Sul, vai se decepcionar de Mendoza.

Apesar de ter uma abordagem diferente, creio que nesse quesito o nosso Brasil está bem melhor. Então evitei de realizar esses passeios. Existe um tour para visitar o Aconcágua, mas como iria para Atacama, creio que valeria a pena gastar o meu dinheiro lá, já que é bem melhor.

Separei 1 dia para realizar um "City Tour" pelo centro, mas nada que tenha me impressionado, já que a grande maioria deles estavam em reformas. No verão a cidade é bem abafada e quente, no inverno é bem frio.

Sempre recomendo optar por um hostel que tenha ar condicionado, senão vai se arrepender e muito.

Sobre a hospedagem fiquei no Windmill Hostel. Por 2 noites e 2 camas paguei 1.620 pesos, que daria R$ 162,00. Então o valor da diária e por cama estava po R$ 40,00 aproxidamente, o que é um valor justo.

O local oferecia café da manhã, tinham pães preparados no próprio local, o ambiente era bem legal para conhecer as pessoas, o atendimento também foi bom. Uma pena é que acabei escolhendo um quarto sem ar condicionado e estava muito, mas muito abafado.

Em relação ao câmbio de moedas, recomendo o local abaixo que foi bem confiável:

 

* Cambio Santiago em Mendoza
Av. San Martín 1199, M5500 Mendoza, Argentina

http://www.cambiosantiago.com.ar/

 

O ruim dessa cidade é a "Siesta", que é um horário na parte da tarde entre 13:30 às 16:00 em que as pessoas reservam para cochilar. Toda a cidade fecha, exceto Mc Donalds, alguns grandes restaurantes ou vinícolas. As ruas ficam desertas, achei isso bem estranho, sei que é questão cultural, mas achei isso inútil e contra-produtivo. 

Os detalhes dos pontos turísticos visitados estão no video abaixo:

Video - Mendoza

Após a visita a esta cidade me dirigi para a cidade de Santiago, escolhi a empresa de ônibus CATA International para realizar a travessia da Cordilheira dos Andes. Sempre reserve um dinheiro para pagar a gorjeta dos guarda-malas, senão as pessoas vão fazer cara feia.

O valor da passagem saiu por 1.200 pesos por pessoa, então em R$ 120,00 o que achei o valor razoável. O ônibus foi bem confortável, eles ofereciam lanches e bebidas a bordo, mas não gostei que eles trancaram o toalete, forçando as pessoas a se segurarem até chegar na imigração do Chile.

A avaliação e os detalhes deste trajeto estão no link abaixo:

Video - Ônibus CATA International (Cordilheira dos Andes)

Fiz um video em separado comentando sobre a imigração entre a Argentina e o Chile:

Video - Imigração Argentina e Chile

Por fim, registrei as imagens da descida na estrada de Los Caracoles, que é fantástica:

Video - Estrada de Los Caracoles

No próximo tópico estarei comentando sobre a cidade de Santiago.

 

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

26/01/2019 a 31/01/2019 - Santiago. Após chegada na cidade, notei algo estranho pois existiam 3 terminais rodoviários na cidade, ouvi dizer que isso acontece porque cada empresa teria o seu próprio terminal de ônibus.

No meu caso como escolhi a empresa CATA International, eles desembarcaram no "Terminal Sur" ou Terminal Sul. Recomendo realizar o câmbio de moedas no próprio terminal de ônibus, pois eles ofereciam a cotação média do dia, mas eram pouco frescos em aceitar notas ou dólares com aparencia velha ou algumas manchas.

O terminal de ônibus ficava próximo a estação de metrô Universidad de Santigo ou San Alberto Hurtado, tanto faz qualquer uma delas, já que o terminal fica bem no meio delas.

Acabei escolhendo ir de Uber até o hostel, pois caminhar com as malas seria um pouco cansativo, ainda bem que ao menos tinha Wi-Fi gratuito no terminal.

Escolhi ficar no hostel chamado "Chile Lindo". O local é bem limpo, tinha bom atendimento, oferecia café da manhã, as camas tinham tomadas e luz em LED. Além de guarda volume nos quartos, tinham uma boa avaliação no site do Booking e também no Tripadvisor. Segue o link dele:

https://www.chilelindohostel.cl/en-us

https://www.booking.com/hotel/cl/chile-lindo-hostel.pt-br.html

Para 5 noites e 2 camas em quarto compartilhado, acabei pagando 68.000 pesos chilenos que dava em R$ 378,00. Então a diária por pessoa saía R$ 38,00 o que é um ótimo custo x benefício.

Tinha um mercado a uns 3 a 4 quarteirões, alguns restaurantes e o metrô ficava próximo do local. Mas pelas redondezas não é muito convidativo caminhar à noite, nesse caso recomendo voltar ao hostel antes do por do sol.

Na cidade estará muito bem servido pelo transporte público, principalmente o metrô. Nesse caso precisará adquirir o Cartão BIP que é meio que um "Bilhete Único". Custa 1.550 pesos chilenos, que dá o equivalente de R$ 9,00. O trajeto de metro custa 720 pesos, que dá em torno de R$ 4,50.

Em relação ao custo de vida e o preços dos alimentos, achei próximos ou semelhantes com o Brasil. Algumas pessoas optam por fazer um bate-volta pela cidade litorânea Valparaíso, não cheguei a visitar o local, mas acredito que valha a pena ao menos ficar 2 dias na região.

Creio que 1 semana é mais do que suficiente para conhecer bem a cidade de Santiago. Caso haja a necessidade de realizar o câmbio de moedas, recomendo que faça na Plaza de Armas, de preferência dentro de estabelecimentos.

Se a sua intenção é a de visitar a cidade de San Pedro de Atacama, já realize o câmbio de moedas em Santigo, uma vez que em Atacama as cotações são muito desfavoráveis.

Os pontos turísticos visitados estão no link abaixo:

Video - Santiago

Fiz um video específico da Troca da Guarda no Palácio de la Moneda em Santiago:

Video - Troca da Guarda (Palacio de La Moneda)

Lembrando que a apresentação ocorre em horários diferentes e em dias alternados conforme alguns meses listados abaixo. Ou seja, não são em todos os dias.

* Troca da Guarda no Palacio de La Moneda

Horário: 
10:00 - Em dias de semana
11:00 - Finais de semana

Dias Pares: Janeiro, Abril, Maio, Agosto, Novembro e Dezembro.
Dias Ímpares: Fevereiro, Março, Junho, Julho, Setembro e Outubro.

Sobre a utilização do metro de Santiago, apps e a aquisição do cartão BIP estarão no video abaixo:

Video - Metro de Santiago

Reservei 1 dia inteiro para o passeio em Cajon del Maipo (+ Termas Valle de Colina e Embalse El Yeso), um passeio que achei caro, mas que valeu cada centavo. Custou em torno de de 40.000 a 45.000 pesos chilenos. Em torno de US$ 60,00 ou R$ 230,00 por pessoa. Está no video abaixo:

Video - Tour Cajon del Maipo

A empresa ou o motorista que realizou o passeio foi um tal de Migguel, segue o contato dele:

* Turismo "Miky" - Migguel 

Celular/Whatsapp: +56 9 7257-2004
E-Mail: [email protected]
Instagram: migguel.azocar

Após passar alguns dias em Santiago, meu próximo destino era San Pedro de Atacama. Decidi ir de avião pela companhia aérea SKY.

Ela por ser de baixo custo, os preço chamam muito a atenção, mas quase tudo era cobrado, como despacho de malas e tal. Comprei diretamente no site da empresa e paguei em torno de R$ 295,00 por pessoa, saindo de Santiago e chegando em Calama, que é cidade mais próxima de San Pedro de Atacama.

Lembrando que existem 3 tipos de categoria de preços, a taxa ZERO, a PLUS e a FULL.

A ZERO quase ninguém vai utilizar dela, porque permite apenas 1 bolsa de mão.

Se você for mochileiro, com certeza irá escolher a taxa PLUS, que permite 1 bolsa de mão, 1 bagagem de mão e o despacho de 1 mala. Além de garantir o seu assento no check-in.

A taxa FULL, o único diferencial era poder despachar 2 malas, além de permiter a remarcação ou alteração de nome.

A decolagem de Santiago está registrado abaixo:

Video - Decolagem Santiago

Avaliação do serviços da companhia aérea SKY Airline:

Video - Avaliação SKY Airline

E o pouso na cidade de Calama:

Video - Pouso em Calama

O próximo relato farei da minha ida para San Pedro de Atacama.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

31/01/2019 a 05/02/2019 - San Pedro de Atacama.

Apenas relembrando que o aeroporto mais próximo de San Pedro de Atacama, fica na cidade de Calama distante 100 km um do outro, dá mais ou menos 1 hora e 30 minutos de carro.

Após desembarcar no aeroporto em Calama, você é surpreedido por várias agências de turismo que realizam o transfer entre as cidades que mencionei anteriormente. Os preços não são caros e nem baratos.

Acho que vale a pena por conta da praticidade, pois eles vão te deixar bem na frente do hostel, caso você já tenha realizado a reserva anteriormente. Eles cobravam 12.000 pesos chilenos apenas para ida, que dá em torno de R$ 70,00 e 20.000 pesos com ida e volta que vai dar uns R$ 120,00.

De ônibus não compensa porque é um pouco mais trabalhoso, já que você tem que ir até o Terminal de ônibus no centro da cidade de Calama, que fica a uns 7 km do aeroporto, com todas as suas malas. De lá vai ter que combinar com os horários de saída desses ônibus e também a disponibilidade.

Chegando em San Pedro de Atacama, terá que caminhar até a sua hospedagem. E a economia não é tão considerável. Então recomendo utilizar do serviço de Van, os detalhes estão no video abaixo:

Video - Transfer Van Calama à San Pedro de Atacama

Em San Pedro de Atacama, fiquei num hostel chamado Aji Verde. Apesar deles terem preços baixos comparado a média da cidade, o ruim é que ficava um pouco afastada do centro, o que era um incômodo quando as ruas ficam cheias de lama ou quando se tem um calor infernal. Não gostei muito do local, porque geralmente ocorriam blecautes, haviam vazamentos em dias de chuva e os quartos meio que tinham um cheiro peculiar. Mas não espere muito das hospedagem em geral da cidade, porque a grande maioria são assim. Caso queira um lugar decente, vai pagar muito caro por isso.

Fiz a besteira de reservar e pagar antecipadamente (no momento do check-in) todos os 5 dias de estadia e isso me prejudicou bastante, pois fui na época do tal "Inverno Altiplânico", que geralmente ocorre durante o Verão nos meses de Dezembro à Março. Com isso temos o alto índice de chuvas na região que acabam alagando toda a cidade e os demais pontos turísticos ou passeios.

Então você acaba ficando ilhado em alguns dias, sem poder fazer NADA, tampouco entrar ou sair da cidade. Como não queria perder o valor da hospedagem, acabei ficando os 5 dias em Atacama, esperando as chuvas secarem, sem poder fazer um plano B, que era talvez sair da cidade. 

Paguei em torno de 86.500 pesos chilenos para 5 noites e 2 camas, não ofereciam café da manhã. Então a diária por cama estava saindo por R$ 48,00 o que estava um pouco acima do que havia pagado em todas as viagens até agora. E foi o primeiro hostel em que tivemos a nossa comida furtada dentro da geladeira, o que achei bem desagradável, realmente presenciei os "ratos de geladeira". Não recomendo o local, acredito que existem opções melhores e mais próximo ao centro da cidade.

Os videos do local estão no video abaixo:

Video - Hostel em Atacama (Aji Verde)

Como estava em época de chuvas, todos os parques e os passeios estavam fechados durante os 5 dias que fiquei na cidade. Teve dias em que a estrada principal estava fechada por conta das chuvas. Lembrando que nesse período é arriscado até para as pessoas que planejam atravessar do Chile até o Peru via as cidades de Arica e Tacna, porque as inundações destruíam pontes e rodovias. 

Sempre digo uma coisa EVITEM ATACAMA NO VERÃO, entre os meses de Dezembro à Março. É caro e tem um grande risco de jogar dinheiro fora, talvez não consiga nem sair da cidade.

Os poucos pontos turísticos que visitei em Atacama estão registrados no video abaixo:

Video - Atacama em 5 dias

Segue algumas dicas antes de chegar em Atacama:

 

1. Evite vir para San Pedro de Atacama no verão entre os meses de Dezembro à Março, por conta das chuvas que impossibilitam os passeios. Prefira o Outono ou Primavera.
2. Já efetue o câmbio de moedas, se possível em Santiago, pois as cotações em San Pedro de Atacama é bem desfavorável.
3. Quando for negociar os passeios, negocie ou pague em pesos chilenos, pois em dólares acaba meio que perdendo um pouco na conversão dos valores.
4. Sempre pense em alternativas como por exemplo ir para Bolivia e visitar o Salar de Uyuni. Os veículos que realizam esse passeio são 4x4 (tração nas quatro rodas).
5. Antes de vir para a cidade, veja a previsão do tempo para os próximos 5 a 10 dias.
6. Reserve no mínimo 1 a 2 dias de hospedagem, não o período todo, para o caso de ter que alterar os planos tipo sair da cidade ou mudar de hostel.
7. Evite fechar todos os passeios e pagá-los antecipadamente, pois dependendo das condições climáticas, terá dor de cabeça para ser reembolsado. 
8. Escolha hostel que esteja mais próximo ao centro da cidade, ou seja, da Praza San Pedro de Atacama ou dos Caracoles.
9. Tenha roupas para o frio e calor. Há uma grande variação de temperaturas, inclusive valores negativos.

 

Segue abaixo a média praticada dos passeios em Atacama, que compilei de 3 a 4 agências de turismo da região:

 

* Média de preço dos passeios (em peso chileno): Nome do Passeio / Horas / Valor do Passeios / Valor da entrada / Total.

Valle de la Luna (meio período): 15.000 / 3.000 = Total: 18.000 pesos
Termas Puritama (meio período): 15.000 / 15.000 = Total: 30.000 pesos
Geysers del Tatio (meio período manhã, incluso café da manhã): 30.000 / 10.000 = Total: 40.000 pesos
Laguna Cejar (meio período tarde): 18.000 / 17.000 = Total: 35.000 pesos
Lagunas Altiplânicas (meio período manhã, incluso café da manhã): 28.000 / 5.500 = Total: 33.500 pesos
Valle del Arcoiris (meio período manhã, incluso lanche): 25.000 / 3.000 = Total: 28.000 pesos
Salar de Tara (integral, incluso café e almoço): 50.000 pesos
Stargazing ou Tour astronômico (noite ou madrugada, alguns oferecem lanches): 20.000 pesos
Mirador de Piedras Rojas (integral, incluso café e almoço): 50.000 / 5.500 = Total: 55.500 pesos
Pukará de Quitor: 3.000 pesos

* Bolivia

Salar de Uyuni (3 dias, com hospedagem e alimentação): 130.000 pesos chilenos / 250 pesos boliviano (entrada)
Salar de Uyuni (4 dias, com hospedagem e alimentação): 150.000 pesos chilenos / 250 pesos boliviano (entrada)

 

Passados os 5 dias na cidade, em que fiquei somente no centro da cidade ou no hostel, estava doido para sair de Atacama. Comprei a passagem para ir de San Pedro de Atacama até Arica.

De Arica estava planejando em atravessar a fronteira até a cidade de Tacna no Peru, MAS por conta dessas malditas chuvas as estradas estavam todas fechadas o que afetou e muito o meu planejamento e vários perrengues que passei na viagem.

Os detalhes relatarei no próximo post. Valeu!

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

05/02/2019 a 06/02/2019 - San Pedro de Atacama / Calama / Iquique / Arica / Tacna / Arequipa.

Conforme o último post, não pude fazer quase nada em Atacama, por conta das chuvas que castigaram a região. Apesar de ser um deserto, no verão chove bastante a ponto de inundar as estradas. Vocês podem pensar que estou exagerando, mas vejam os videos dos noticiários na época:

Video - Noticiário Chuva 1

Video - Noticiário Chuva 2

Video - Chuva nas estradas no Norte do Chile

Todos os parques onde estão localizados os passeios ficam fechados em dias de chuvas, por conta das estradas fechadas e também pelo risco dos veículos ficarem atolados. Consequentemente as agências de turismo ficam fechadas, já que não conseguem vender os seus pacotes de viagem.

Vi muitas pessoas terem dores de cabeça na hora do reembolso dos pacotes já fechados, então recomendo que sigam as dicas passadas anteriormente.

Voltando, o único passeio que ainda estavam vendendo era para o Salar de Uyuni, mesmo com as chuvas. Isso acontece porque os veículos que irão atravessar o deserto de sal, são todos 4x4, ou seja, com tração nas 4 rodas. 

Então não havia nenhum impeditivo para o passeio. Mas lembra no primeiro post do planejamento da viagem? 

Pois é, a pessoa que estava me acompanhando não era brasileiro, assim precisava de visto para entrar na Bolívia. E como não consegui obter o visto antecipadamente, não foi possível tentar o plano B via Bolívia.

Havia a possibilidade de conseguir um visto avulso de 1 entrada, na própria fronteira.

Mas ouvi relatos de que eles cobravam em torno de uns US$ 100,00. E tinha me desanimado em saber que muitas pessoas meio que foram extorquidos pelos oficiais da imigração, em que pediam "propina" para suavizar na entrada ou na saída do país.

Pois não carimbavam a entrada do país (no passaporte), e você enfrentava problemas na hora de sair, em que tentavam arbitrar uma multa pesada, mas isso por conta de falhas dos próprios oficiais.

São inúmeros relatos que ouvi, que me fez desistir de vez da Bolívia. Então acabei comprando a passagem para Arica, uma cidade bem ao norte do Chile, que faz fronteira com o Peru.

Escolhi a empresa de ônibus Turbus, que seria uma das mais conhecidas do Chile e a que possuia uma ampla disponibilidade de horários. Em relação aos preços, de San Pedro de Atacama até Arica, custa 16.600 pesos chilenos para semi-cama e 27.900 pesos para cama. Em reais dá em torno de R$ 100,00 e R$ 165,00 por pessoa respectivamente.

MAS no horário da partida, o ônibus não chegou porque a estrada estava fechada, isso mesmo por conta das chuvas que inundaram a estrada.

Tivemos uma demora de 3 horas, pois a empresa conseguiu realocar um ônibus que tinha vindo da Bolivia e iria nos levar até a cidade de Calama.

Foi orientado de que deveria pegar o ônibus, descer em Calama e pegar um outro ônibus que iria nos levar até Arica.

Até aqui tudo bem, pois já não aguentava ouvir falar de chuvas, de estradas fechadas e tal. O meu objetivo era sair de Atacama o mais rápido possível. O trajeto dessa viagem está no link abaixo:

Video - Onibus Turbus (San Pedro de Atacam à Iquique)


Chegando em Calama, conforme orientado inicialmente me dirigi ao outro ônibus e tive uma surpresa desagradável. O motorista simplesmente diz que não vai para Arica e sim para Iquique, que é uma cidade litorânea que ficava um pouco abaixo de Arica, a uns 310 km, ou seja, 4 horas de viagem de carro (entre Iquique e Arica).

Fiquei revoltado e cobrei explicações, o motorista todo mau humorado disse que essa era a orientação recebida, que não sabe de nada e se quiser para que eu vá no balcão da empresa verificar, não era a obrigação dele explicar.

Nesse meio tempo, fui ao balcão tentar buscar as informações e me falam que novamente a estrada que liga até a cidade de Arica estava fechada, pois foram destruídas pelas chuvas. Assim o ônibus levaria até Iquique.

Quando fui voltar ao ônibus, cadê ele??? No intervalo de uns 10 minutos que fui em busca de informações, o motorista vazou e perdi a viagem. 

Nesse meio tempo tive que decidir se passo alguns dias em Calama ou em Iquique, que ao menos ficava um pouco mais próxima da fronteira, assim aguardaria até a abertura da estrada Panamericana Norte. Decidi então ir até Iquique e aguardar as coisas melhorarem, mas tive algumas consequências em relação a isso, com o qual vou falar posteriormente.

Em relação a viagem perdida, avisei ao balcão da empresa que o motorista havia sumido, então eles emitiram uma nova passagem para o próximo horário e tive que aguardar em torno de 4 horas para a chegada no novo ônibus. Lembrando que comprei a passagem para a categoria semi-cama, que era um pouco mais caro, MAS o ônibus que veio era um COMUM.

Ou seja, acabei pagando mais do que deveria, o motorista disse que não era possível o reembolso e teria que desistir da viagem. Todas as pessoas ficaram revoltadas e falaram que tanto faz pagar mais e levar menos, mas que pelo menos queriam chegar em Iquique, e embacaram assim mesmo no ônibus. Nessa a empresa meio que se deu bem da situação.

Sobre a Turbus, os pontos positivos dela é que possui uma grande disponibilidade de horários e de cidades atendidas. A frota até que é recente, os ônibus são novos e limpos.

Os pontos negativos, foram o mau atendimento, falta de informação, confusão na emissão de passagens, péssima política de reembolso, etc. É comum sempre no verão acontecerem estes problemas de fechar a estrada (acontece TODO ANO), mas pelo visto não sabem lidar nessa situação. Isso achei meio que vergonhoso. E por ter o próprio teminal de ônibus da empresa, você fica refém dela, pois não existem alternativas ou qualquer plano B. Então pensem bem nisso e evitem ATACAMA ou essa região no período de verão, vai por mim.

Após chegar em Iquique bem no final da noite, tentei buscar por hospedagem e adivinha o que aconteceu? Todos os hostel da cidade ou a grande maioria estava LOTADO, muitas pessoas tiveram a mesma idéia que eu, de ficar aguardando na cidade até abrirem as estradas.

As poucas que estavam disponíveis cobraram o olho da cara, ou tive que pagar por 1 quarto inteiro que custava quase de 3 a 4 vezes o preço. O local onde ficava o terminal de ônibus da Turbus em Iquique ficava próximo a "Zona Roja", ou seja, zona vermelha (onde ficam várias boates e essas casas da vida). Então meio que era perigoso ficar perambulando pela região.

Havia conseguido encontrar um hotel, mas que mais parecia um hostel de quinta categoria. Mas não era seguro andar até lá, uma vez que se fosse assaltado, iria perder tudo, documentos, passaportes, todo o dinheiro, notebook, celular, etc. Era um risco que não queria correr, então o que eu fiz?

Acabei dormindo no próprio terminal, arranjei uma caixa de papelão na rua, coloquei no chão num cantinho meio que vazio e dormi com se fosse um "sem teto". E olha que não dava pra dormir bem, pois a todo momento de madrugada chegavam vários ônibus. Foi uma experiência e tanto.

A pior coisa é que o banheiro era cobrado, isso é uma das coisas que odiei no Chile, pois a cada vez que você utilizava dele, teria que pagar 500 pesos chilenos, que dá em torno de uns R$ 2,50. Cheguei a segurar tanto, que a minha urina chegou a sair marrom, isso foi chocante. Nunca mais vou fazer isso, demorou uns 2 dias para normalizar rs...

Como todas as bagagens estavam comigo, não podia nem sair para conhecer a cidade, além disso não estava com cabeça para isso. Não tinha previsão de quando a estrada iria abrir, pois os noticiários (tinha uma TV no terminal de ônibus) viviam mostrando cenas de cidades devastadas pelas chuvas, e a própria estrada destruída, então os dados não eram tão animadores.

Ouvi dizer que isso estava perdurando por mais de 4 dias, vários tratores e operários estavam por dias tentando reformar as estradas.

Muita coisa se passou pela minha cabeça, pesquisei passagem de avião (Iquique possui um aeroporto), mas estavam muito caros (em torno de R$ 2 a 3 mil por pessoa), era uma opção inviável. Bolivia estava fora de cogitação, por conta do visto. Algumas das pessoas que encontrei no terminal e que ficaram por dias na cidade, decidiram voltar para Santiago ou ir para Atacama, avisei que San Pedro de Atacama estava pior que iria perder dinheiro, mas cada um faz o que achar melhor. Nunca orei tanto na minha vida, para que as coisas ou a situação melhorasse.

No dia seguinte (06/02/2019), após tomar um café da manhã simples, Deus ouviu minhas preces e por um curto espaço de tempo os "Carabineiros" ou a polícia local tinham aberto as estradas para Arica. Fiquei todo animado, mas quando fui tentar comprar a passagem, a Turbus disse que iriam focar somente naqueles passageiros de remarcação. Para aqueles que compraram a passagem para Arica, mas chegaram em Iquique.

Eu não estava contemplado, porque lembra que perdi o ônibus em Calama, por causa do motorista? Pois é, por conta da emissão de um nova passagem, que estava com destino final Iquique, não poderia comprar. Somente poderia adquirir, após TODOS outros passageiros terem sido acomodados. Fiquei doido quando ouvi isso, nunca odiei tanto essa empresa, TURBUS #$%#$%#$¨%$&*%¨. 

Fui vasculhando o mapa da cidade (que já tinha baixado previamente para o celular - MAPS.ME ou Google Maps - ambos Offline), apareceu que a uns 3 quarteirões havia um terminal de ônibus e fui dar uma conferida. E PUMBA! Descobri que tinha um terminal rodoviário da cidade, que atendia todas as empresas de ônibus. Colei numa empresa que partia de imediato (ou o mais próximo disso) e que tinha preços baixos, pois havia o risco da estrada fechar novamente. Estava ansioso para sair da cidade ou o norte do Chile o mais rápido possível.

A empresa escolhida foi a Pullman Carmelita, era um ônibus bem antigo, o toalete a bordo era aqueles banheiros químicos e fedia bastante, mas ao menos o ar condicionado estava funcionando. Posso dizer que na situação que estava, era bem melhor do que qualquer coisa. Em relação aos preços, saiu por 10.000 pesos chilenos, que dá em torno de R$ 60,00 por pessoa. 

Ao longo do trajeto foi possível ver o estrago feito na estrada e isso é bem comum, porque quando vocês forem assistir ao video, vão perceber que a rodovia fica no meio de duas montanhas, que funciona como se fosse um funil. Se chover, toda a água vai para o meio e acaba destruindo pontes e estradas, vejam abaixo:

Video - Ônibus Pullman Carmelita (Iquique à Arica)

Ao menos, o trajeto do viagem foi bem bonita, já que haviam momentos que o ônibus transitava na parte alta da montanha, então parecia que estávamos voando. É um trajeto que também recomendo a visita por ônibus ou carro.

Após 4 a 5 horas de viagem chegamos no terminal doméstico de Arica, teríamos que nos dirigir ao terminal internacional de Arica, para poder atravessar a fronteira para o Peru. Eles ficam bem ao lado.

De lá deverá pagar a taxa do terminal que fica bem à direita logo após a entrada. É obrigatória o pagamento dela, está em torno de 700 pesos chilenos que dá em torno de R$ 4,00.

Após o pagamento dessa taxa, terá 2 opções de ida, via micro-ônibus à esquerda ou taxi à direita.

Preço de micro-ônibus é em torno de 2.000 pesos chilenos, enquanto que de ônibus é 4.000 pesos chilenos. Dá respectivamente R$ 12,00 e R$ 24,00.

Vale a pena pagar um pouco mais e ir de taxi, já que é bem mais rápido do que ônibus. Pois não será necessário aguardar as outras pessoas passarem pela imigração, realmente vale a pena ir de taxi. As informações estão no video abaixo:

Video - Travessia de Taxi Arica (Chile) à Tacna (Peru)

O motorista de taxi irá te deixar no terminal rodoviário internacional de Tacna, aproveite para realizar o câmbio de moedas. Eu acabei trocando todos os meus pesos chilenos para soles peruano, já que não realizei nenhum passeio em Atacama, a cotação até que estava condizente, nada desfavorável.

De Tacna queria ir para Arequipa, passar uns de 1 a 2 dias para descansar, pois se for direto para Cusco seria muito cansativo, já que praticamente varei a noite e não pude dormir quase nada.

Então do Terminal Internacional, me dirigi ao Terminal Rodoviário Doméstico, que ficava ao lado um do outro, em Tacna. Escolhi a empresa Flores Hermanos que também é bem conhecida no país. E o ônibus já estava quase de partindo para Arequipa. Lembrando que você sempre deverá pagar a taxa do terminal que eram 2 soles, mais ou menos R$ 2,20.

A passagem para ônibus comum custou 20 soles, que dá em torno de R$ 23,00 por pessoa de Tacna até Arequipa. A duração da viagem era em torno de 6 a 7 horase vocês poderão cotar direto no site deles:

 

- Flores Hermanos (cotar preço de passagens)
http://floreshnos.pe/

 

O trajeto de ônibus até Arequipa está registrado no video abaixo:

Video - Ônibus Flores Hermanos (Tacna à Arequipa)

No próximo post, falarei da minha chegada e visita na cidade de Arequipa. Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Roberto Bessa
      Olá pessoal, estou planejando fazer uma viagem com meu Chevette 1981 saindo de Petrópolis RJ indo até a cidade de Quevedo no Equador em Abril de 2020, alguém já fez esse trajeto sabe informar quais documentações preciso para o carro circular nos países que vou passar? (Argentina, Chile, Peru, Equador e talvez Bolívia)
      Obrigado!
       

    • Por Robson Black
      Boa tarde
      Estou pensando em fazer uma viagem a Argentina na maior parte do Roteiro de Bike:
      - Saída dia 21/01/20 Florianópolis x Resistência de ônibus de linha levando a bike e outros equipamentos:
      - Dia 22/01 Resistência x Bariloche de avião ou ônibus 
      -Dia 23/01 7 lagos de bike
      Retorno igual, gostaria de ajuda:
      -  Qual melhor roteiro para este viagem?
      - O que devo levar de roupa para o clima da época?
      - Há perigo neste roteiro?
      - Está valendo apena ir a argentina de bike?
      Deixo meu e-mail e agradeço quem quiser me ajudar:
      [email protected]
    • Por Alan karleno
      Fala Mochileiros..
      Procuro dicas para aperfeiçoar o meu roteiro e a quantidade de dias que se faz interessante para cada local. Planejo o roteiro entrando pela Argentina (buenos Aires), saindo pelo Chile (Santiago), em junho de 2020. Tenho 25 dias disponíveis. 
      Vôo. Teresina & buenos Aires (buenos Aires 3 dias).
      Vôo. Buenos Aires & Bariloche (Bariloche  + Villa la angostura 5 dias). 
      Vôo. Bariloche & Buenos Aires e Buenos Aires Ushuaia. (Dia para viagem). 
      Vôo. Ushuaia & El Calafate (4 dias El Calafate).
      Ônibus. El Calafate & Puerto Natales (5 dias Puerto Natales + Parque torres del paine). 
      Ônibus. Puerto Natales & Puta Arena (2 dias Puta Arena).
      Vôo. Punta arenas & Santiago ( 4 dias Santiago) + VALLE NEVADO ou FARELLONES.
      Vôo. Santiago & Teresina. 
      1 dias para emprevisto.
      Quero aproveitar ao máximo o tempo em viagem.
      Desde já agradeço pela atenção.
      Bora Mochila..
       
       
       
       
       
       
       


×
×
  • Criar Novo...